Você está na página 1de 5

01/07/2020 A2 Características desta revisão — BIBLIOTECA ON-LINE da Torre de Vigia

Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada


A2 Características desta revisão

A2

Características desta revisão


A Tradução do Novo Mundo das Escrituras Gregas Cristãs foi lançada em inglês
em 1950, e a edição completa em inglês da Tradução do Novo Mundo das
Escrituras Sagradas foi publicada em 1961.* Desde então, milhões de leitores
em bem mais de 180 idiomas, incluindo o português, têm se beneficiado dessa
tradução exata e fácil de ler das Escrituras Sagradas.

No entanto, nos últimos 50 anos as línguas sofreram mudanças. A Comissão da


Tradução do Novo Mundo da Bíblia reconheceu a necessidade de se adaptar a
essas mudanças a fim de tocar o coração dos leitores atuais. Por isso, foram
realizadas nesta edição revisada várias mudanças no vocabulário e no estilo.
Esta edição tem, portanto, as seguintes características:

https://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1001061202#h=1:0-23:351 1/5
01/07/2020 A2 Características desta revisão — BIBLIOTECA ON-LINE da Torre de Vigia

Linguagem moderna e de fácil compreensão. Por exemplo, a palavra


“longanimidade” é hoje pouco conhecida e de difícil compreensão. Por isso,
foi substituída por “paciência”, que transmite a mesma ideia e é mais
conhecida atualmente. (Gálatas 5:22) O mesmo acontece com a palavra
“iníquo”, que foi substituída por equivalentes como “mau”, “aquele que é
mau”, “perverso”, e assim por diante, para facilitar a compreensão. (Gênesis
18:23) Nesta edição revisada, a palavra “fornicação” foi em geral substituída
por “imoralidade sexual”, a expressão “conduta desenfreada” por “conduta
insolente”, e “festanças” por “festas descontroladas”. (Gálatas 5:19-21) Para
transmitir o sentido mais exato em cada contexto, a expressão “tempo
indefinido” foi substituída por expressões como “para sempre”,
“permanente” e “eternidade”. — Gênesis 3:22; Êxodo 31:16; Salmo 90:2;
Eclesiastes 1:4; Miqueias 5:2.

Para a maioria dos leitores, a palavra “discreto” transmite simplesmente a


ideia de alguém modesto e despretensioso, que não gosta de atrair atenção
para si mesmo. No entanto, em vários versículos bíblicos, o sentido a ser
transmitido é de alguém que tem sabedoria e discernimento. Nesses casos,
usou-se a palavra “prudente” ou outra similar, a fim de transmitir melhor a
ideia. — Deuteronômio 1:13; Mateus 24:45.

A grafia de alguns nomes próprios também foi mudada e modernizada.


Passamos a adotar grafias geralmente usadas por obras de referência em
português. Por exemplo, “Cus” foi mudado para “Cuche”, “Negebe” para
“Neguebe”, “Hébron” para “Hebrom”, “Aijá” para “Aías”, e assim por diante.
— Gênesis 2:13; 12:9; 13:18; 1 Samuel 14:3.

Em português, o último livro da Bíblia é amplamente conhecido pelo seu


nome Apocalipse, transliteração de uma palavra grega que significa
“exibição; desvendamento”. Assim, o nome Revelação foi substituído por
Apocalipse. Isso fará com que as referências a passagens desse livro sejam
mais prontamente compreendidas pelo público em geral.

Esclarece expressões bíblicas. Alguns termos usados nas edições


anteriores da Tradução do Novo Mundo em português muitas vezes
precisavam ser explicados para ser entendidos corretamente. Por exemplo,
a palavra hebraica “Seol” e a palavra grega “Hades” são usadas na Bíblia
para se referir à sepultura comum da humanidade. Muitas pessoas não
conhecem esses termos. Além disso, por causa do uso da palavra “Hades”
na mitologia grega, ela pode ter outro significado. Por isso, esses termos
foram substituídos por “Sepultura”, que transmite a ideia que os escritores
da Bíblia tinham em mente. Os termos “Seol” e “Hades” aparecem agora nas
notas. — Salmo 16:10; Atos 2:27.

https://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1001061202#h=1:0-23:351 2/5
01/07/2020 A2 Características desta revisão — BIBLIOTECA ON-LINE da Torre de Vigia

Nas edições anteriores desta tradução, todas as ocorrências da palavra


hebraica néfesh e da palavra grega psykhé foram traduzidas “alma”. Visto

que há muitas ideias erradas sobre o significado da palavra “alma”, isso


ajudou os leitores a ver como os escritores inspirados da Bíblia usaram
esses termos do idioma original. Dependendo do contexto, essas palavras
podem se referir (1) a uma pessoa, (2) à vida de uma pessoa, (3) a animais,
(4) ao desejo ou ao apetite de uma pessoa ou, em alguns casos, (5) até
mesmo a pessoas mortas. No entanto, esses usos da palavra “alma” não são
comuns em português; por isso foi decidido que as palavras néfesh e psykhé
fossem traduzidas de acordo com o sentido que os escritores da Bíblia
queriam transmitir, geralmente acompanhadas de uma nota que diz: “Ou:
‘alma’.” (Veja, por exemplo, Gênesis 1:20; 2:7; Levítico 19:28; Salmo 3:2;
Provérbios 16:26; Mateus 6:25.) Mas, em alguns contextos poéticos ou em
textos bem conhecidos, a palavra “alma” foi mantida, junto com uma nota
que remete ao Glossário ou fornece outra tradução possível.
— Deuteronômio 6:5; Salmo 131:2; Provérbios 2:10; Mateus 22:37.

De modo similar, a palavra “rins” foi mantida quando se refere ao órgão do


corpo humano. Mas, quando usada figurativamente, como no caso de
Salmo 7:9; 26:2 e Apocalipse 2:23, a palavra é traduzida nesta edição como
“as emoções mais profundas” ou “os pensamentos mais íntimos”,
acompanhada de uma nota com o significado literal. Desse modo,
transmite-se o sentido intencionado originalmente.

Assim como no hebraico e no grego, a palavra “coração” em português tem


tanto sentido literal como figurativo. Por isso, na maioria das vezes, a
palavra “coração” foi mantida no texto. Mas, em alguns contextos onde o
sentido não estava claro, usou-se uma tradução mais explícita. Por exemplo,
no livro de Provérbios, a expressão “falto de coração” foi substituída por ‘que
não tem bom senso’, acompanhada de uma nota com o significado literal.
(Provérbios 6:32; 7:7) Outras palavras como, por exemplo, “gordura”, “carne”
e “chifre” foram traduzidas com base no mesmo princípio, de acordo com o
contexto. (Deuteronômio 32:14; Eclesiastes 5:6; Jó 16:15) A explicação de
algumas dessas expressões é encontrada no “Glossário de Termos Bíblicos”.

Torna a leitura mais fácil. Em edições anteriores da Tradução do Novo


Mundo em português, eram usadas expressões auxiliares que indicavam se
o verbo hebraico estava na forma imperfeita ou perfeita. Por exemplo,
verbos auxiliares como “passar a”, “prosseguir” ou “vir a” eram usados para
indicar a ação contínua em geral expressa pela forma imperfeita dos verbos
hebraicos. Para transmitir a ênfase muitas vezes implícita na forma perfeita
dos verbos hebraicos, eram usadas expressões como “certamente”, “ter de”,
“realmente”, entre outras. Desse modo, esses termos ocorriam milhares de
vezes no texto. Nesta edição revisada, expressões auxiliares como
“continuar a”, “costumar” e “persistir em” foram usadas em alguns contextos

https://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1001061202#h=1:0-23:351 3/5
01/07/2020 A2 Características desta revisão — BIBLIOTECA ON-LINE da Torre de Vigia

para indicar os verbos hebraicos na forma imperfeita, quando havia razões


válidas para expressar ação contínua. (Gênesis 7:15; 34:1; Provérbios 2:4)

Mas, quando essas expressões não eram essenciais para transmitir o


sentido original do texto, os termos foram omitidos para tornar a leitura
mais fácil.
Modernização das formas de tratamento. Nesta edição revisada da
Tradução do Novo Mundo, o pronome de tratamento “tu” foi preservado
como forma de tratamento consagrada e respeitosa dirigida a Deus. Em
outros casos, em conformidade com o uso moderno no Brasil, os pronomes
“tu” e “vós” foram substituídos por “você” e “vocês”. O pronome de
tratamento “senhor(a)” foi usado para indicar respeito, ou formalidade ao se
dirigir a autoridades.

Todos os ajustes no texto bíblico foram feitos com muito cuidado, oração e
profundo respeito pelo excelente trabalho da primeira Comissão da
Tradução do Novo Mundo da Bíblia.

Outras características desta edição revisada:


Esta edição da Bíblia possui notas. Em geral, as notas se enquadram em uma
das seguintes categorias:

“Ou:” Traduções alternativas que transmitem a mesma ideia geral.


— Gênesis 1:2, nota em “força ativa”; Josué 1:8, “voz baixa”.
“Ou, possivelmente:” Traduções alternativas que transmitem uma ideia
diferente, porém aceitável. — Gênesis 21:6, “rirá comigo”; Zacarias 14:21,
“cananeu”.

“Lit.:” Tradução literal ou sentido básico de uma expressão no idioma


original. — Gênesis 30:22, “grávida”; Êxodo 32:9, “obstinado”.
Significado e informações adicionais Significado de nomes (Gênesis 3:17,
“Adão”; Êxodo 15:23, “Mara”); informações sobre pesos e medidas (Gênesis
6:15, “côvados”); informações para identificar a quem os pronomes se
referem (Gênesis 38:5, “Ele”); explicações úteis no Apêndice e no Glossário.
— Gênesis 37:35, “Sepultura”; Mateus 5:22, “Geena”.

Nas páginas iniciais desta edição, encontra-se a seção intitulada: “Uma


Introdução à Palavra de Deus”. Essa seção apresenta alguns dos ensinamentos
básicos encontrados na Bíblia. No final desta edição, após o livro de Apocalipse,
encontram-se a “Tabela dos Livros da Bíblia”, o “Índice de Palavras Bíblicas” e o
“Glossário de Termos Bíblicos”. O Glossário ajuda o leitor a entender certas
expressões de acordo com seu uso específico na Bíblia. O Apêndice A traz os
seguintes tópicos: “Princípios de tradução da Bíblia”, “Características desta
revisão”, “Como a Bíblia chegou até nós”, “O nome divino nas Escrituras
Hebraicas”, “O nome divino nas Escrituras Gregas Cristãs”, “Profetas e reis de
https://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1001061202#h=1:0-23:351 4/5
01/07/2020 A2 Características desta revisão — BIBLIOTECA ON-LINE da Torre de Vigia
Hebraicas , O nome divino nas Escrituras Gregas Cristãs , Profetas e reis de
Judá e de Israel” e “Principais acontecimentos da vida terrestre de Jesus”. O

Apêndice B contém mapas, diagramas e outras informações úteis para os que


querem fazer um estudo cuidadoso da Bíblia.

Todos os livros têm, como introdução, um esboço do conteúdo de cada


capítulo, indicando os versículos em que a informação é encontrada. Isso
permite que o leitor tenha uma visão geral do livro. Uma coluna central em
cada página traz as referências cruzadas mais relevantes encontradas nas
edições anteriores, indicando os textos bíblicos relacionados.

A Tradução do Novo Mundo das Escrituras Gregas Cristãs foi lançada em


português em 1963, e a edição completa em português foi publicada em 1967.

https://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1001061202#h=1:0-23:351 5/5