Você está na página 1de 3

Wallon – Desenvolvimento

Afetividade é diferente de emoção

Emoção é mais biológica está associada com contágio, plasticidade e regressividade(esta


interfere na Cognição)

Afetividade inter-relacionada com Cognição (relação dialética)

Emoção + afetividade gera a sociabilidade

Estágio impulsivo (0 a 1 ano) -

Nesse momento a afetividade é o único caminho de comunicação da criança, o afetar-se a põe


em um movimento tônico e automático, atuando sobre o meio humano como forma de
comunicação. A emoção é o elo entre a criança e o outro.

Estágio impulsivo-emocional (0 a 1 ano) -


Indiferenciação com o outro. Consciência fechada sobre si, logo antes de compreender essa
fronteira no estágio a seguir.

Estágio sensório motor e projetivo (3 meses a 2 e a 3 anos)

A criança começa a entrar em contato com o mundo exterior dos objetos, da linguagem, e do
movimento intencional. Nesta etapa, com a linguagem a criança começa a deixar o campo de
conhecer a realidade para conhecer o campo de significantes da realidade, social e cultural.
Atinge uma consciência de si, identificando-se.

Estágio do personalismo (3 a 6 anos) –

Neste estagio, em função da consciência de si adquirida no estágio anterior vai fazer com que
a criança se volte ao mundo exterior em postura de sedução, oposição e imitação iniciando
uma fase novamente focada em si mesma.

Estágio categorial (6 a 11 anos) –

Nesta etapa algumas funções cognitivas comoa memória, atenção e principalmente a


abstração vão favorecer o processo de representação para a criança, de pensar e operar
objetos não presentes.

Estágio adolescência 11+ anos –

Nesta etapa a criança alterna para um caráter mais afetivo e centrípeto, diferenciando-se no
mundo junto as conquistas cognitivas da etapa anterior, através de pontos de vistas.
O desenvolvimento dialético nunca cessa

A maneira que mediação se estabelece é fundamental para a relação do aprender sujeito-


objeto

EJA – Alunos afastados do estudo por afetividade e/ou realidade social.

Processo de reinserção

Dominar o código linguagem

Avaliação psicológica – classificação mediante emissão de julgamentos de valores, dados


coletados, para tomada de decisão

Estigma e ameaça sensível alógica do poder

- Os juízos são estabelecidos mediante a uma visão de homem e sociedade que deve ser
pesnada para não encaminhar a noção de sucesso/fracasso

– buscar aproximar afetivamente -> objetivos de ensino, conteúdos a serem trabalhados


(patamares de aprofundamento), forma de exposição, interações físicas procedimentos de
avaliação, explicação, realização, feedback.

Piaget – “a inteligência só se desenvolve em função de interações sociais”

Interação social em adultos fórmula- valor positivo ou negativo

Em adultos é diferente que em outros estágios – Ex: pré-operatório falta de escala comum de
referencia (linguagem) - Heteronomia do pensar e agir

Personalidade – renunciar a si para inserir seu ponto de vista a outros se curvando à


reciprocidade

- Estágios objetivam a apuração da lógica para equilíbrio das ações articuladas à interação
social primários

Sensório – motor – esquemas de ação sem pensar em estado inicial e final e na transformação.
(0 a 2 anos)

Pré operatório – 2 a 7 anos

Operatório concreto – raciona de forma coerente sem abstrair (uso de hipóteses)

Operatório formal – conquista da abstração e hipóteses

Ação dos sujeitos sobre objetos – construção de conhecimento – tomada de conhecimento


sobre estas permite construção de novas estruturas mentais
Nem toda relação traduz um pensamento coerente e objetivo Dois tipos de relação - coação e
cooperação

Na coação há autoridade e prestígio e reforça o egocentrismo, pouca participação racional,


piaget diz ser “etapa obrigatória para socialização”

Na cooperação há coordenação dos sujeitos sem assimetria, imposição ou repetição, há


discussão, trocas, controle mútuo, equilíbrio móvel

A dimensão ética é essencial para a análise do desenvolvimento – Piaget considera o


pressuposto os ideais de igualdade, fraternidade e direitos humanos.