Você está na página 1de 5

CURSO CISCO CCNA 200-301

Diferença entre Simulador e Emulador

Simulador é um software que simula equipamentos de redes, um muito famoso é o Cisco Packet
Tracert

Emulador são software que emulam equipamentos redes utilizando os IOS dos mesmo, parecendo
como se estivesse a configurar um equipamento real.

Cabos de rede e Fibra

Cabos Frequências Distância Largura de Banda


Cat 5e 100MHz 100m 10Mbps – 100Mbps
Cat 6 250MHz 100m 100MHz – 1Gbps
Cat 6a 500MHz 100m 1Gbps – 10Gbps
Cat 7a 1000MHz 100m 10Gbps – 40Gbps

Obs: A larguras de Banda máxima não é absoluta, elas dependem do factor distância, quer dizer,
quanto mais curta a distância melhor é a largura de banda.

Temos dois tipos de cabos de fibras ópticas, que: Multimode, onde podemos enviar vários sinais de
luz ao mesmo tempo dentro do cabo e o Modemode (Single-Mode), onde é enviado um sinal de luz
ao mesmo dentro do cabo, e este tem maior distância do que o multimode.

Introdução a Routers Cisco

Existem todos tipos de chassis para todas as necessidades, o mais importante é aprender sobre as
interfaces destes routers.

Porta Auxiliar (Auxi), é usada para fazer conexão remota ao router usando um modem e assim fazer
a configuração do mesmo.

Introdução a Switches Cisco

As portas do Switch são sempre numeradas da esquerda para direita, a parte frontal do switch
temos as portas e o painel (Luz do System, deve sempre ficar verde, caso mude para laranja então
passasse alguma coisa com o switch; RPS – Redundancy Power Supply, serve como fonte
redundante de energia; Luz do Master, server para verificar o estado do stack, ou seja, se é switch
stack master ou não; Luz do Duplex, server para verificar se o switch está como full duplex ou half
duplex; Luz do Speed, server para verificar a velocidade das portas e se o stack está ligado ou não)
e o botão mode Mode, serve para navegar em todos modos.

Stack Switch, é uma técnica que permite interligar vários switches fisicamente e logicamente ((linha
de comando) fica apenas como um switch.
Stack Data Cable, é usado para ligar fisicamente os switches, criando apenas um switch lógico, o
primeiro número na numeração das portas representa o número do switch no stack. As portas do
stack data cable são numerados em P 1 e P2, o P1 do primeiro switch é sempre ligado ao P 2 do
segundo switch, o P1 do segundo switch é sempre ligado ao P 2 do terceiro switch, assim por diante,
e por último o P 2 do primeiro switch é ligado ao P 1 do último switch. Isso faz com que o sistema seja
totalmente redundante, mesmo com a perda de um swicth a conexão do stack permanece

Inteligent Power Management (Stack Power Cable), é usado para transferir a energia de um switch
para o outro quando uma queda de energia no outro switch, ou seja, ela é usada como uma fonte de
energia redundante, as portas do stack power cable são nomeadas em A e B, a ligação destas
portas é semelhante as das stack data cable.

Nota: O Stack é normalmente usado é ambiente se Data Center e em empresas de grande porte e
no Access Layer

Cisco Wireless

Wireless, significa sem fio, ou seja, é a conexão de dispositivos sem o uso de cabos (UTP ou Fibra)
usando um dispositivo chamado AP (Access Point).

AP Light Weight, funciona com a utilização de um protocolo chamado LWAPP (Light Weight AP
Protocol), o AP Light Weight é configurado a partir do WLC (Wireless LAN Controller) através do
protocolo LWAPP

AP Autonomous, possuem o seu próprio IOS onde faz-se todas as configurações.

Temos ainda os AP Cisco Meraki, que são geridos através da cloud da própria cisco, todos os seus
AP Cisco Meraki devem estar registados dentro da cloud da cisco.

Nota: Num AP podemos criar várias SSID e atribui-las a diferentes VLAN´s e também senhas
diferentes.

Cisco Firewalls

Um firewall é um dispositivo de defesa da rede, ele faz o NAT, o routing e a filtragem dos pacotes
antes de saírem e entrarem na rede interna, normalmente o firewall considera as portas: inside
trusted (porta ligada a rede interna), que é configurada com um endereço IP privado e a porta
outside untrusted (porta ligada a rede externa), que é configurada com endereço IP publico.

É muito importante implementarmos um firewall Statefull, que analisa até a camada 7, ou invés de
analisar apenas a camada 3 o que faz um firewall Stateless, o firewall statefull consegue fazer uma
analise mais completa dos pacotes e ajudando assim a filtrar melhor, este tipo de firewall é chamado
de Next-Generation Firewall (linha Cisco Firepower)
Introdução a Topology Archiectures

Two-Tier vs Three-Tier

A three-tier, é uma topologias constituida por três camadas (Core Layer, Distribution Layer e Access
Layer), na core layer onde se faz o routing, firewall, QoS e muito mais e é ligada a WAN (internet);
na distribution layer onde se faz o routing, QoS, VLAN e mais e na access layer onde estão ligados
os dispositivos finais e onde se faz VLANQoS e mais, na core e distribution layer usa-se o switches
layer 3 e access layer usa-se o switches layer 2, mas podemos juntar as core e distribution layer e
criar uma única layer e assim temos a topologia two-tier, porque na three-tier usa-se muitos
equipamentos, a junção das layers acabamos perdendo alhuma flexibilidade na nossa rede e
também a configuração é mais complicadas e por vezes não conseguimos ter tudo que gostaríamos

Spine-Leaf

É basicamente distribuir a sua topologia como uma árvore e as suas folhas, esta topologia muito
parecida com a two-tier, mas não tem a distinção de layers, no spine podemos encontrar dispositivos
de layer 3 (routers, firewall e switch layer 3) podem ser acrescentados conforme a rede vai
crescendo e no leaf encontramos os dispositivos de layer 2

WAN

A WAN é constituída por várias ISP e dentro delas há protocolos e tecnologias (MPLS, SD-WAN,
VPN) para criar conexões entre empresas e suas afiliais e principalmente fornecer o serviço de
internet.

SOHO (Small-Office Home-Office)

No soho usa-se apenas um dispositivo que desempenha várias funções de dispositivos de layer 3 e
layer 2, é especificamente um router, utiliza-se em pequenas empresas e para o caso do home-
office

On-Premise/Cloud

Quando temos nos nossos dispositivos numa sala (server-room) da empresa, estamos perante uma
on-premise, mas o grande senão desta arquitectura é quando acontece um incidente (inundação,
incendio e mais) temos pouca ou quase nula possibilidade de recuperação das informações por isso
que actualmente está a imigrar-se para a arquitectura em cloud

Introdução ao Modelo OSI (Open Source Interconection)

7 Aplication Layer

Tudo relocionado como os programas usados na rede, como por exemplo browser, SMNP, HTTP,
FTP, DNS, DHCP, ICMP e muito mais.
6 Presentation Layer

Tudo relacionado a tradução encontramos nesta layer, como encriptação/decriptação, conversão,


compressão/decompressão, codificação/decoficação de dados.

5 Session Layer

Tudo relacionado com as portas logicas, como o estabelecimento de secção para que o diálogo nas
outras camadas possa ser possível. Nesta layer incluímos a NetBios, RTP, SQL e NFS, como esta
layer conseguimos analisar performance de segurança, reconhecimento de nomes, login.

4 Transport Layer

Tudo relacionado a verificação de host para host, o controlo de tráfego, a segmentação da


mensagem, a confirmação de mensagens, as portas usando os protocolos TCP e UDP. Quando
estamos a tratar filtragem com ACL estamos trabalhando com o layer, os dispositivos de rede desta
layer são routers e firewaall

3 Network Layer

Tudo relacionado com routing de pacotes, endereçamento, subneting, fragmentação de frames, o


controlo e mapeamento de endereços IP´s, como endereço IPv4, IPv6 e ICMP, o dispositivo de rede
desta layer é o router

2 Data Link Layer

Tudo relacionado com MAC (Media Access Control) e checagem de erro da frame, encontramos
nesta layer, como NIC Card, Frame Traffic Control e Frame Sequency, o dispositivo de rede desta
layer é o switch layer 2. Esta layer está dividida em duas partes: LLC, é que lida com a layer superior
e o MAC, é o que lida com a layer inferior

1 Phisical Layer

Tudo relacionada ao meio físico encontramos na layer, como Cabo, Data Encoding, Bits, Volts e
Repetidores.

CLI (Comando Line Interface)

Para ter acesso a CLI do router usamos os seguintes itens: Cabo Console, um terminal (Secure
CRT, Putty, Teraterm Pro, Windows Telnet), devemos ligar o cabo console na porta console do
router.
Na inicialização do router, temos a Bootstrap Code, é um menu de informações do que deve fazer
para inicializar o equipamento, primeiro temos a ordem de POST e segundo ir buscar a IOS
(Internetwork Operation System) na flash (HD do router) descompactar a IOS e carrega-la na RAM.
Durante o POST faz-se a verificação do estado das interfaces, da RAM, da CPU, basicamente faz-
se a verificação do estado do hardware do dispositivo. As configurações do router são guardadas na
NVRAM, mas durante o seu funcionamento tudo fica na RAM.

Modos da Cisco CLI

Router>enable (User Mode, o comando enable, é para passar no outro modo)


Router#configure terminal (Enable Mode ou Privileged Mode, o comando configure terminal, é para
passar no outro modo)
Router(config)# (Configuration Mode, temos vários coa«mados para passarmos para outros
submodos do deste modo).

Nota: No user e privileged mode só conseguimos executar os comandos de verificação, para a


configuração dos dispositivos temos de estar no configuration mode.

Nota: Quando o status da interface está administratively down, significa que o cabo está ligado, mas
alguém desligou (shutdown) a interface; quando o status está somente down, significa que a
interface não tem o cabo ligado também não foi desligado (shutdown). Quando a interface está com
o line protocolo down, significa que o cabo está desligado.

A interface de gestão do switch é configurado na interface virtual VLAN1 ou uma outra VLAN criada
por nós.

Você também pode gostar