Você está na página 1de 19

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VÁRZEA GRANDE - UNIVAG

CURSO SUPERIOR BACHAREL EM ENGENHARIA ELÉTRICA

EVERALDO DA SILVA ROSA


ÍCARO NEVES SOARES
MARCELO CÂNDIDO LOPES DE OLIVEIRA

MEMORIAL DESCRITIVO INDÚSTRIA DE ETANOL, AÇÚCAR E ENERGIA


BAIXA TENSÃO ESCRITÓRIO ADMINISTRATIVO

VÁRZEA GRANDE/MT
2020/1
1
EVERALDO DA SILVA ROSA
ÍCARO NEVES SOARES
MARCELO CÂNDIDO LOPES DE OLIVEIRA

MEMORIAL DESCRITIVO INDÚSTRIA DE ETANOL, AÇÚCAR E ENERGIA


BAIXA TENSÃO ESCRITÓRIO ADMINISTRATIVO

Trabalho de Diplomação em
Engenharia Elétrica, apresentado ao curso de
Engenharia Elétrica do Centro Universitário De
Várzea Grande – Univag.
Orientadores: Adriana F. Dussel dos Santos
André Galvão de Oliveira
Douglas Brustolin de Lima

VÁRZEA GRANDE/MT
2020/1
2
RESUMO
O presente projeto tem como finalidade apresentar as instalações elétricas de
baixa tensão do Escritório Administrativo da Indústria de Etanol, Açúcar, conforme
NBR 5410: Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Serão descritos e fornecidos os
elementos necessários ao perfeito entendimento dos serviços, assim como seus
projetos, para que na conclusão dos mesmos seja obtida uma instalação satisfatória.
Para isto, foi elaborado um projeto em conformidade com a norma NBR 5410. Todos
os serviços deverão ser executados de acordo com o projeto e as especificações de
materiais que fazem parte integrante do Memorial Descritivo. Este caderno descreve,
de forma ordenada, as especificações de todos os materiais, serviços, componentes
e dispositivos, determinando as técnicas exigidas para o seu emprego (Normas de
Instalação), indicando o lugar que os materiais serão empregados (Discriminações
Técnicas), demanda, entre outras características técnicas relevantes ao projeto e
execução.

3
SUMÁRIO
RESUMO..................................................................................................................... 3

OBJETIVO................................................................................................................... 5

DADOS DA INSTALAÇÃO .......................................................................................... 6

NORMAS TÉCNICAS ................................................................................................. 7

CONSIDERAÇÕES ..................................................................................................... 8

DIMENSIONAMENTO DAS TOMADAS ...................................................................... 9

DIMENSIONAMENTO DA ILUMINAÇÃO.................................................................. 10

DIMENSIONAMENTO DAS CORRENTES, CONDUTORES E ELETROCALHAS ... 14

LISTA DE MATERIAIS .............................................................................................. 18

BIBLIOGRAFIA ......................................................................................................... 19

4
OBJETIVO
Este memorial traz as especificações e metodologias adotadas para a
concepção dos projetos elétricos de um empreendimento administrativo de uma
indústria de produção de etanol, açúcar e energia, contendo 3 pavimentos, as
plantas baixa do edifício com todas as repartições foram fornecidas através de
edital, serão apresentados todos os projetos elétricos de dimensionamento dos
circuitos de distribuição de quadros de tomadas de uso geral e uso específico,
iluminação e instalações elétricas para pontos de condicionadores de ar.

5
DADOS DA INSTALAÇÃO

Concessionária: Energisa Mato Grosso;

Cliente: BARRAALCOOL DESTILARIA DA BARRA LTDA.

Tipo de edificação: Comercial / Industrial

Data Prevista da Ligação: 07/2020.

Local de instalação: Rodovia MT-246, km 3,5, Distrito Industrial, Barra do


Bugres/MT;

Coordenadas em UTM: 476749.764E 8337891.891N 21L;

Carga instalada (escritório administrativo): 480 kW;

Nível de tensão primária: 34,5 kV;

Tipo de subestação: Abrigada;

Ramal de entrada: Único Subterrâneo;

Pavimentos: 03;

6
NORMAS TÉCNICAS

A execução dos serviços deverá ser feita com qualidade técnica, por profissionais
qualificados e dirigidos por profissionais que tenha habilitação junto ao CREA. As
instalações deverão ser executadas de acordo com as plantas em anexo,
obedecendo as indicações e especificações constantes deste memorial, bem como
as determinações das normas citadas abaixo:

• NBR 11301 – ABNT – Cálculo da capacidade de condução de corrente de


cabos isolados em regime permanente (fator de carga 100%) – Procedimento.

• NBR 5410 – Instalações elétricas em baixa tensão.

• NBR ISO/CIE 8995-1:2013 – ABNT – Iluminação em ambientes de trabalho.

• NR 10 – Segurança em instalações e serviços em eletricidade.

• NBR 9513 – ABNT – Emendas para cabos de potência, isolados para tensões
até 750 V –Especificação.

• NBR/IEC 60947 - ABNT – Disjuntores de Baixa Tensão Industrial –


Especificação.

• NBR 14039 – Instalações Elétricas de Média Tensão de 1,0 KV a 36,2 KV.

• NBR 6147:2000 – Plugues e tomadas para uso doméstico e análogo –

Especificação.

• NBR 6150:1980 – Eletrodutos de PVC rígido – Especificação.

• NBR 16401-1:2008 – Instalações de ar-condicionado - Sistemas centrais e


unitários.

7
CONSIDERAÇÕES
Em todos os projetos elétricos serão observados os requisitos mínimos
exigidos por normas brasileiras, não serão observadas normas estrangeiras, o nível
de tensão secundária do transformador do edifício administrativo será em 220 volts
trifásico com frequência em 60 HZ.

Para o dimensionamento de pontos de tomadas de uso geral, será executado


o cálculo de perímetro de acordo com a NBR 5410:2008 e observadas também a
posição de cada mesa ou equipamento em salas de cada andar do edifício. As
tomadas de uso específicos serão alocadas observando os requisitos da NBR
5410:2008, as tomadas estabilizadas serão de uso específicos de equipamentos
eletrônicos e possuirão circuitos elétricos independentes com quadro de alimentação
específico. A divisão de circuitos respeitarão a corrente máxima de 10 amperes por
circuito, para iluminação será dimensionado pontos de iluminação.

O dimensionamento da capacidade de refrigeração necessária para atender


as condições mínimas nos ambientes foram arbitrados uma média de 800 BTUs por
metro quadrado, a tecnologia do refrigerador é o VRV (Volume de Refrigerante
Variável) da marca LG. A carga devido aos 1951 m² a serem climatizados está
dimensionada em 342,985 kW conforme os cálculos abaixo:

P = Área * 800 / FD → P = 1951 * 800 * 0,75 → P = 1170600 BTUs

1 BTU = 0,293 W → 1170600 BTUs = 342985 W

P = 342,985 kW

8
DIMENSIONAMENTO DAS TOMADAS
Para o dimensionamento das tomadas de uso geral, mediu-se a área e o
perímetro de cada sala, os locais que havia menos de 6 metros quadrados, também
foram observados a quantidades de equipamentos ou mesas que estavam
instalados e a finalidade de cada ambiente de acordo com a planta baixa fornecida
em edital, assim quantificou-se a melhor quantidade, em seguida atribuiu-se no
mínimo a potência de 100 VA em cada ponto afim de quantificar a potência total por
sala e por conseguinte o total da instalação em cada piso.

Para o correto dimensionamento da potência total, foram observados os


fatores de demanda de em média 0,75 e fator de potência de até 0,98. Abaixo o
demonstrativo de cálculos para dimensionamento de tomada de uso geral para uma
sala de departamento comercial no piso térreo;

Dados do ambiente;

Tamanho: 35 m²

Perímetro: 26 m

N = 26/5 → N = 5,2

Quantidade de tomadas: 5

Após os dados e sabendo-se que a sala terá finalidade comercial, atribuiu-se 100 VA
para cada um desses pontos de tomadas.

Para cada tomada de uso específico, a potência atribuída foi igual à potência
nominal do equipamento a ser alimentado. Foram observados os fatores de
demanda entre 0,75 e 1,00, para fator de potência de microcomputadores o valor é
0,90 e para impressoras 1,00.

9
DIMENSIONAMENTO DA ILUMINAÇÃO

Em cômodos ou dependências com área igual ou inferior a 6 m², deve ser


prevista uma carga mínima de 100 VA para iluminação. Em cômodos ou
dependências com área superior a 6 m², deve ser prevista uma carga mínima para
iluminação de 100 VA.

Luminárias EAA03-S3500850 da Lumicenter foram distribuídas de acordo


com o método dos lumens, almejando atingir o mínimo de iluminância requerida pela
norma. O método dos lumens leva em consideração as cáracteristicas da luminária
como Fluxo Luminoso (lm) e Fator de Manutenção, e também considera as
carácteristicas do ambiente como Área (m²), pé direito e a porcentagem de reflexão
do teto, das paredes e do chão.
Para o cálculo do número de luminárias de cada ambiente utilizou-se:

E = Iluminância estabelecida na NBR ISO/CIE 8995-1 (lux);

A = Área do ambiente (m²);

ΦLâmpada = Fluxo Luminoso da luminária = 3400 lm;

Fd = Fator de manutenção da luminária = 0,89;

Fu = 0,70;

Equação 01: Fórmula para quantificação de luminárias.

Exemplo de cálculo pelo método dos lúmens para uma sala de reunião com
18 m²:

E = 500 lx (NBR ISO/CIE 8995-1);

N = E * A / Φlâmpada * Fu * Fd → N = 500 * 18 / ( 3400 * 0,89 * 0,7 ) → N = 4,24

10
Figura 01: Informações Da Luminária EAA03-S3500850. Fonte: Lumicenter.

Para encontrar o fator de utilização foi considerado que os ambientes


possuem cores claras para parede e teto, piso escuro, pé direito igual a 2,80m e
altura da área de trabalho igual a 0,80m.

Figura 02: Informações Técnicas Da Luminária EAA03-S3500850. Fonte: Lumicenter.

11
LEVANTAMENTO DA CARGA TOTAL

Após o dimensionamento das tomadas e da iluminação encontramos o valor


da potência total, para obter o valor da potência instalada/demanda máxima deve-se
multiplicar pelo fator de demanda (razão entre a Demanda Máxima atingida na
instalação e a Carga Instalada).

Exemplo de cálculo de potência instalada para um circuito com uma carga instalada
de 1580 VA:

Fd = Dmáx. / PTot. → Fd = 1580 * 0,75 → Fd = 1185 VA

Equação 02: Demanda máxima. Fonte: (MARTINEZ, 2015)

POTÊNCIA TOTAL DE POTÊNCIA


FATOR DE FATOR
TIPO LOCAL (VA) POTÊNCIA INSTALADA
POTÊNCIA DEMANDA
INSTALADA (VA) (VA)

DEPARTAMENTO COMERCIAL 520


ILUMINAÇÃO 1580 0,98 0,75 1185
REFEITÓRIO 1060

Tabela 01: Dimensionamento da carga de iluminação. Fonte: Autores.

Somando todas as potências dimensionadas obtemos os valores das tabelas


abaixo:

12
TOTAL CARGAS DO PROJETO

CARGA PROJETADA ESTABILIZADA (KVA) CARGA PROJETADA AR CONDICIONADO (KVA)


CARGA PROJETADA - QDFL 03 - 2º PISO (KVA)
QDNB 03 - 2º PISO 2º PISO

32,00 30,74 176

CARGA PROJETADA ESTABILIZADA (KVA) CARGA PROJETADA AR CONDICIONADO (KVA)


CARGA PROJETADA - QDFL 02 - 1º PISO (KVA)
QDNB 02 - 1º PISO 1º PISO

25,80 43,43 196

CARGA PROJETADA - QDFL 01 - PISO TÉRREO CARGA PROJETADA ESTABILIZADA (KVA) CARGA PROJETADA AR CONDICIONADO (KVA)
(KVA) QDNB 01 - PISO TÉRREO PISO TÉRREO

19,28 14,59 116

TOTAL CARGA PROJETADA ESTABILIZADA (KVA) TOTAL CARGA PROJETADA AR CONDICIONADO


TOTAL DA CARGA PROJETADA QDFL (KVA)
QDNB (KVA)

77,08 88,77 488

653,85 KVA

Tabela 02: Levantamento da carga total. Fonte: Autores.

TOTAL CARGAS INSTALADAS DO PROJETO

CARGA INSTALADA ESTABILIZDA (KVA) CARGA INSTALADA AR CONDICIONADO


CARGA INSTALADA - QDFL 03 - 2º PISO (KVA)
QDNB 03 - 2º PISO (KVA) 2º PISO

24,13 25,88 123

CARGA INSTALADA ESTABILIZADA (KVA) CARGA INSTALADA AR CONDICIONADO


CARGA INSTALADA - QDFL 02 - 1º PISO (KVA)
QDNB 02 - 1º PISO (KVA) 1º PISO

19,61 36,66 137

CARGA INSTALADA - QDFL 01 - PISO TÉRREO CARGA INSTALADA ESTABILIZADA (KVA) CARGA INSTALADA AR CONDICIONADO
(KVA) QDNB 01 - PISO TÉRREO (KVA)

13,88 12,44 81

TOTAL CARGA INSTALADA ESTABILIZADA TOTAL CARGA INSTALADA AR


TOTAL DA CARGA INSTALADA QDFL (KVA)
(KVA) QDNB CONDICIONADO (KVA)

57,62 74,98 341

473,24 KVA

Tabela 03: Levantamento da potência instalada. Fonte: Autores.

13
DIMENSIONAMENTO DAS CORRENTES, CONDUTORES E ELETROCALHAS
Em toda a instalação de tomadas serão considerados que os circuitos estarão
dispostos em eletrocalha perfurada com instalação abaixo do piso elevado, para
iluminação e circuitos para o ar condicionado, estes estarão alocados em eletrocalha
com instalação acima do forro.

Figura 03: Eletrocalha perfurada suspensa. Fonte: Lumicenter.

O dimensionamento dos condutores não se restringe apenas a conhecer a


Corrente Corrigida. É necessário o conhecimento da maior corrente que os
condutores são capazes de suportar sem que haja um superaquecimento capaz de
danificar sua isolação e causar riscos a toda a edificação. Segundo a NBR 5410 o
estabelecimento dos limites de corrente é definido conforme a maneira como esses
condutores serão instalados.

Figura 04: Método para Eletrocalha perfurada. Fonte: Tabela 33 da ABNT NBR 5410:2004.

14
Figura 05: Capacidades de condução corrente. Fonte: Tabela 38 da ABNT NBR 5410:2004.

Figura 06: Fatores de agrupamento. Fonte: Tabela 42 da ABNT NBR 5410:2004.

15
Os valores considerados para Fator de Agrupamento e Fator de Temperatura
foram respectivamente 0,87 e 1,00. Os dimensionamentos das correntes corrigidas,
seções dos condutores e disjuntores estão exemplificados pelos cálculos abaixo
realizados para o circuito de iluminação do terraço com carga de 4460 VA:

Pot. * Fp * Fd 4460 * 0,98 * 0,75


Icorrigida = → Icorrigida = → Icorrigida = 29,33 A
𝑉 ∗ Fca * Fct 127 * 0,88 * 1

O circuito de iluminação do terraço é o circuito em 127 V com maior carga no


edifício administrativo, como o cálculo da sua corrente corrigida resultou em 29,33 A
o que de acordo com a tabela 38 NBR 5410:2004 estaria dentro da capacidade de
condução de corrente para 2 condutores unipolares de cobre de 2,5 mm² carregados
justapostos em eletrocalha perfurada, o restante dos circuitos também será de seção
2,5 mm² pois é o mínimo de seção para circuitos de força.

Todos os condutores deverão ser de cobre, adequados para uso em


intempéries, e sua seção será a suficiente para assegurar que a queda de tensão no
cabeamento seja inferior a 4%, conforme a norma ABNT NBR 5410. As seções dos
condutores serão indicadas nos diagramas unifilares. Os condutores isolados
deverão ser identificados pelas seguintes cores de seus isolamentos:

- Condutor fase = preto, vermelho ou amarelo

- Condutor neutro = azul-claro

- Condutor terra = verde-amarelo ou na ausência deste, verde

- Condutor retorno = branco

Para dimensionar a eletrocalha é preciso determinar sua taxa de ocupação,


ou seja, a área máxima interna que pode ser preenchida pelos condutores. A taxa de
ocupação fica restrita entre 31% a 53.

16
Foi utilizado para esse dimensionamento 40 condutores de 2,5mm² de seção
da COBRECOM com díametro externo de 3,5 mm:

Áreaocupada = n * d² * π / 4 → Áreaocupada = 40 * 3,5² * π / 4

→ Áreaocupada = 384,84 mm²

Portanto uma eletrocalha de 150x100x3000 mm estaria com apenas 2,5% de


ocupação para esses condutores.

384,84
taxa de ocupação = Áreaocupada / Áreaeletrocalha → taxa de ocupação =
150/100

→ taxa de ocupação = 2,5%

Para iluminação e ar condicionado, Eletrocalha de 200x100x3000 como leito


principal e instalação aérea distribuídos em eletroduto metálico galvanizado e
instalação aparente acima do forro.

Para tomadas comuns, Eletrocalha de 200x100x3000, instalação no piso abaixo do


piso elevado, no estacionamento foi usado eletroduto pvc embutido no piso de
concreto para alimentar os depósitos.

As tomadas estabilizas foram instaladas em eletrocalhas separadas de


150x100x3000, espaçada 100mm da eletrocalha de tomada comum.

As eletrocalhas são usadas somente como leito principal, o restante dos circuitos
são distribuídos via eletroduto metálico de instalação aparente.

17
LISTA DE MATERIAIS

18
BIBLIOGRAFIA
CREDER, H. (2016). Instalações Elétricas (16 ed.). Rio de Janeiro: LTC.
GROUP, P. (s.d.). Catálogo. Guia de Dimensionamento de Baixa Tensão. São
Paulo. Fonte: Prysmian Group.
Catálogo COBRECOM. Disponível em <https://evo.support-
en.dial.de/support/solutions/articles/9000116115-ugr>. Acesso em 9 de Julho
de 2020.
MARTINEZ, M. L. (Fevereiro de 2015). Agrupamento de cargas e definições
complementares. O Setor Elétrico, 40-45.

19