Você está na página 1de 5

Método Cornell: como melhorar e organizar as suas anotações e

estudos
Você conhece ou utiliza algum método de estudo?

Técnicas para registrar o conteúdo de aulas, palestras e reuniões podem auxiliar na


fixação e absorção mais rápida de conhecimento.

Depois de experimentar diferentes técnicas de anotação e estudo ao longo dos anos,


escolhi o método Cornell como referência para o meu aprendizado pessoal e para o
trabalho que desenvolvo junto aos meus clientes de consultoria na int.4.

Desenvolvido pelo Prof. Walter Pauk, da Universidade Cornell, na década de 1950, ele é
um sistema até hoje bastante respeitado. E não é à toa! O método incentiva a reflexão
sobre o teor das anotações, contribuindo para o processo de análise e de reorganização
de ideias, gerando consequentemente uma melhor assimilação do conteúdo.

É possível utilizar a técnica para organizar, revisar e analisar com eficiência e praticidade
as anotações de atividades não apenas em sala de aula tradicional, mas também no
ambiente online.

Com a explosão do volume de informações na internet, hoje passou a ser


imprescindível adotar um modelo que nos ajude a aproveitar todo esse conteúdo
disponível de forma produtiva.

Enquanto gestor na int.4, é com essa técnica que me mantenho atualizado e orientado
aos objetivos do meu negócio. Ao compartilhar o método com os meus clientes, eles
também têm aperfeiçoado o processo de aprendizado deles, identificando novas
oportunidades e acelerando o processo de inovação organizacional tão necessário no
atual cenário de pandemia.

A seguir, compartilho o passo a passo para você também começar a utilizar a técnica.
Bons estudos!

Como utilizar o método Cornell

É bem mais simples do que parece e consiste basicamente em dividir uma folha gráfica em
quatro seções: cabeçalho, notas, coluna-chave e sumário.

1. Cabeçalho: contém informações gerais sobre o estudo.


- Título: descrição fiel do item a ser estudado
- Informações: data, referencial bibliográfico, fonte, entre outros
- Adote: registre informações que permitam comprovação das fontes. É sempre bom
ter garantias!
- Quando: antes de tudo

2. Notas: área principal de preenchimento. Deve reunir definições e conceitos, anotações e


desenhos, fórmulas e exemplos. Use frases curtas e concisas. Considere utilizar tópicos
numerados e até adotar símbolos e ícones para facilitar a identificação e agilizar o processo
de anotação.

3. Coluna-chave: usada para registrar as notas de forma sucinta e objetiva. Precisa


apresentar questões-chaves que sinalize todo o conteúdo aprendido. Recomenda-se
que seja elaborada logo após a atividade principal. Deve conter: principais ideias,
palavras-chaves, diagramas, instruções de uso e perguntas-chaves.

4. Sumário: campo de resumo contendo informações sobre a aprendizagem do


conteúdo.

Você encontra facilmente na web e em aplicativos modelos customizáveis do método


Cornell. Utilize também o infográfico abaixo que desenvolvemos na int.4.

No lado esquerdo, distribuímos entre os quadrantes todas as informações necessárias para


você começar a utilizar a técnica. No lado direito, uma exemplificação para você visualizar o
método sendo aplicado na prática.

Passo a passo para aplicar a metodologia

Agora que você já sabe para que serve cada uma das quatro seções, é hora de aplicar a
técnica seguindo os cinco passos abaixo:

 Registre: durante a atividade, seja uma apresentação, leitura, palestra, ou


webinário, descreva no campo Notas os fatos e dados assimilados, de forma
organizada para que seja entendido no futuro.

 Reorganize: logo após o término da atividade, transforme suas notas em


questões-chaves que possam levá-lo à análises, interpretações e correlações,
Além de ajudar no processo de fixação do conteúdo, as perguntas auxiliarão na
fácil identificação do conteúdo em uma leitura futura.

 Revise: após escrever suas questões-chaves, valide-as avaliando se elas fazem


realmente um resumo de tudo que está no campo Notas. Mais um reforço
quanto a fixação dos estudos!

 Reflita: agora você já é capaz de analisar e construir seu ponto de vista sobre o
tema estudado. Faça mentalmente as seguintes perguntas mentalmente:

- Qual o significado e fundamentação do fato estudado?


- Quais as causas que levaram ao fato? Ele leva a alguma consequência?
- Como ele se encaixa no que eu já sei?
- É possível aplicar esse conhecimento em relação ao meu objetivo quanto ao
estudo/participação na atividade relacionada?

Essas reflexões ajudarão a focar no objetivo do estudo e evitar que sejam


esquecidas facilmente. Por último, faça um resumo dessas perguntas e
descreva-as no campo Sumário.

 Revisão: se surgir a necessidade de rever os estudos, seja para um teste ou


para aplicação das ideias, começe a leitura pelo sumário, fazendo o modelo
reverso: primeiro a leitura do Sumário, depois da Coluna-Chave e, por último,
das Notas.
Variações para adotar no campo Notas

O campo Notas concentra as principais informações do conteúdo aprendido. Reuni


outros quatro métodos que poderão otimizar o preenchimento desse quadrante tão
importante. Confira:

Método de Listas

O método de lista é o método mais usual e o simples de ase adotar, recomendado


inclusive para atividades na qual não se tem muito tempo para anotações, é preciso
ser bem sucinto e objetivo.

Utilize o modelo de elaboração de listas ou tópicos, definido hierarquias de acordo


com a percepção de importância percebida durante a exposição dos temas/assuntos.
Cada tópico pode ser um item e abaixo suas correlações. Exemplo:

 O novo Normal
o Saúde
 Alimentação
 Higiene
 Distanciamento
o Bem-estar
 Mais tempo para com a família
 Menos viagens

Método Bloco de Notas

O método de bloco de notas já é um método na qual exige uma maior compreensão


do tema e geralmente é recomendado para atividades onde existe uma margem de
tempo nas apresentações (debates/discussões etc.), pois requer uma alocação das
anotações dentro dos blocos por temas ou assuntos.

Utilize no campo de Notas as anotações em forma de um bloco de notas, distribuídas


em caixas, bem no modelo de um post-it. Organize por tópicos e, a medida em que os
assuntos são apresentados, você pode relacioná-los devidamente a cada bloco.

Este é um método mais avançado de elaboração de notas, pois ao escrever já é exigido


uma reorganização dos assuntos por temas ou tópicos. Mas, sem dúvida, é um método
que acelera o processo de estudo e memorização. Pode ser adotado em aplicativos
digitais.

Método do Quadro Comparativo

O método quadro comparativo é um método na qual exige uma grande dominância do


tema e geralmente é recomendado para atividades onde também existe margem de
tempo nas apresentações, o que diferencia este método do método do bloco de notas
é capacidade de interpretação e análise para elaboração comparativa dos fatos, daí a
necessidade de conhecimento do tema.

É o método mais avançado de anotações, pois viabiliza comparações. Consiste na


elaboração de uma tabela com os pontos de análise que se quer comparar. À medida em
que o assunto é abordado, deve se preencher o devido campo correspondente. Ao final,
temos uma tabela com os assuntos elaborados em tópicos, facilitando as comparações e
devidas análises.

Método do Mapa Relacional

O método do mapa relacional também é um método na qual exige uma grande


dominância do tema e também é recomendado para atividades onde existe margem
de tempo nas apresentações, o que diferencia este do método do quadro comparativo
é que este é uma evolução na qual se apresenta alguma relação de causa ou efeito das
variáveis que compõem o tema na qual está sendo apresentado.

Também avançado, o método permite correlacionar fatos. Consiste na elaboração de


tópicos que podem ser desenhados por meio de caixas e, a partir delas, definem-se as
variáveis de correlação. Este método é uma ótima oportunidade para se ter visão do todo e
do modelo sistêmico das variáveis, seus efeitos e consequências.

O método Cornell tem sido muito importante para tornar os meus estudos muito mais
produtivos.

Não há um método correto para se adotar para cada tipo de atividade, o que percebemos
na aplicação junto aos nossos clientes é que a medida em que se adota o modelo Cornell e
a prática aumenta os metodos vão se ajustando ao nível de conhecimento e de
desenvolvimento de cada participante dos nossos programas.

Isto para nós e a tangibilidade de que o desenvolvimento está acontecendo.

Se você gostou desse conteúdo, comente e compartilhe com os seus colegas de trabalho e
estudo.

Você também pode gostar