Você está na página 1de 36

EIXO 4

SEGURANÇA HÍDRICA
VERSÃO PRELIMINAR
PLANO FORTALEZA 2040
Grupo de Trabalho – Segurança Hídrica
Coordenador: Francisco de Assis de Souza Filho

EIXO: Meio Ambiente


Tema/Assunto: Segurança hídrica

1. Contexto

Fortaleza tem seu sistema de abastecimento de água realizado atualmente por um conjunto de
reservatórios localizados na Região Hidrográfica Bacias Metropolitanas e na Bacia Hidrográfica do
Jaguaribe. Está em fase de construção a integração deste sistema ao Rio São Francisco. A demanda de
Fortaleza cresceu significativamente nas últimas décadas.
As secas recorrentes no semiárido cearense são risco frequente ao abastecimento de água da
cidade, não obstante a reconhecida qualidade do sistema de gerenciamento de recursos hídricos do
Ceará. Tais riscos aumentam com o crescimento da cidade. O gerenciamento de eventos extremos de
secas é requisito importante no planejamento dos recursos hídricos no município.
Análise do sistema de abastecimento no cenário atual e futuro demonstram dependência
estrutural do abastecimento de Fortaleza da transferência de água da Bacia do Jaguaribe e das águas do
São Francisco. Devido a esta dependência, a construção da segunda fase do Eixão das Águas e a
conclusão das obras do Projeto de Integração do São Francisco (PISF) são urgentes. As transposições de
bacias são sempre conflituosas e estratégias de redução de conflitos devem ser consideradas.
A mudança climática muito provavelmente intensiva a ocorrência de secas impondo uma
dependência maior destas transposições de água e mesmo com estas podem impor secas com
racionamentos mais severos para Fortaleza.
Neste contexto, a maximização da utilização de todos os potenciais mananciais locais e o uso
eficiente e racional da água são necessários. A identificação do potencial explorável de água subterrânea
disponível nos aquíferos, dunas, barreiras e cristalino e a definição de sistema de gerenciamento dos
mesmos é amplamente desejável. Mananciais alternativos como o reuso do esgoto, a utilização da água
de chuva e a dessalinização de água do mar tornam-se relevantes. Mananciais dentro do espaço urbano
(rios e aquíferos) têm problemas de qualidade da água podendo impactar a saúde pública.
A utilização de tecnologias poupadoras de água são necessárias para reduzir a demanda e
consequentemente reduzir os riscos de falha no sistema.
A gestão integrada das águas urbanas que possibilite uma gestão integrada do abastecimento de
água, serviço de esgoto e de drenagem urbana é necessária para prover racionalidade e maior eficiência
à prestação destes serviços à sociedade.
A Segurança Hídrica, entendida como o suprimento de água em quantidade, qualidade e garantia
aceitáveis para os suprimento da população e uso econômico, requer uma visão integrada da gestão dos
recursos hídricos. Análise detalhada dos riscos e alternativas de suprimento de água e gestão da
demanda para Fortaleza encontra-se no relatório sobre Segurança Hídrica do projeto Fortaleza 2040.
2. Políticas Públicas Relacionadas

Políticas
Princípios Norteadores da Política Diretriz da Política Objetivos da Política
relacionadas

o
Recursos At. 1 Art. 3º: Criação do Sistema Nacional de Gerenciamento
Hídricos I- a água é um bem de domínio público; I - a gestão sistemática dos recursos de Recursos Hídrico;
o
Lei N II - a água é um recurso natural hídricos, sem dissociação dos aspectos de Redefinição dos marcos técnico, jurídico e
9.433/97 limitado, dotado de valor econômico; quantidade e qualidade; institucional concernentes a gestão de recurso
III - em situações de escassez, o uso II - a adequação da gestão de recursos hídrico no país;
prioritário dos recursos hídricos é o hídricos às diversidades físicas, bióticas,
consumo humano e a dessedentação demográficas, econômicas, sociais e Art. 2º
de animais; culturais das diversas regiões do País;
IV - a gestão dos recursos hídricos deve III - a integração da gestão de recursos I - assegurar à atual e às futuras gerações a
sempre proporcionar o uso múltiplo hídricos com a gestão ambiental; necessária disponibilidade de água, em padrões
das águas; IV - a articulação do planejamento de de qualidade adequados aos respectivos usos;
V - a bacia hidrográfica é a unidade recursos hídricos com o dos setores II - a utilização racional e integrada dos recursos
territorial para implementação da usuários e com os planejamentos regional, hídricos, incluindo o transporte aquaviário, com
Política Nacional de Recursos Hídricos e estadual e nacional; vistas ao desenvolvimento sustentável;
atuação do Sistema Nacional de V - a articulação da gestão de recursos III - a prevenção e a defesa contra eventos
Gerenciamento de Recursos Hídricos; hídricos com a do uso do solo; hidrológicos críticos de origem natural ou
VI - a gestão dos recursos hídricos deve VI - a integração da gestão das bacias decorrentes do uso inadequado dos recursos
ser descentralizada e contar com a hidrográficas com a dos sistemas naturais.
participação do Poder Público, dos estuarinos e zonas costeiras.
usuários e das comunidades.
Políticas
Princípios Norteadores da Política Diretriz da Política Objetivos da Política
relacionadas

I - o acesso à água deve ser um direito I- compatibilizar a ação humana, em qualquer de


Recursos de todos, por tratar-se de um bem de suas manifestações, com a dinâmica do ciclo
Hídrico (CE) uso comum do povo, recurso natural hidrológico, de forma a assegurar as condições
LEI Nº 14.844 indispensável à vida, à promoção social para o desenvolvimento social e
e ao desenvolvimento sustentável; I - a prioridade do uso da água será o econômico, com melhoria da qualidade de vida e
II - o gerenciamento dos recursos consumo humano e a dessedentação em equilíbrio com o meio ambiente;
hídricos deve ser integrado, animal, ficando a ordem dos demais usos a
descentralizado e participativo, sem a ser definida pelo órgão gestor, ouvido o II - assegurar que a água, recurso natural
dissociação dos aspectos qualitativos e respectivo Comitê da Bacia Hidrográfica; essencial à vida e ao desenvolvimento
quantitativos, considerando se as fases sustentável, possa ser ofertada, controlada e
aérea, superficial e subterrânea do II - o estabelecimento, em conjunto com utilizada, em padrões de qualidade e de
ciclo hidrológico; os municípios, de um sistema de alerta e quantidade satisfatórios, por seus usuários
III - o planejamento e a gestão dos defesa civil, quando da ocorrência de atuais e pelas gerações futuras, em todo o
recursos hídricos tomarão como base a eventos hidrológicos extremos, tais como território do Estado do Ceará;
Bacia Hidrográfica e deve sempre secas e inundações;
proporcionar o seu uso múltiplo; III - planejar e gerenciar a oferta de água, os usos
IV - a água é um recurso natural III - a integração da gestão de recursos múltiplos, o controle, a conservação, a
limitado, dotado de valor econômico e hídricos com a gestão ambiental; proteção e a preservação dos recursos hídricos
de importância vital no processo de de forma integrada, descentralizada e
desenvolvimento sustentável; IV - a compatibilização do planejamento e participativa.
V - a cobrança pelo uso dos recursos da gestão dos recursos hídricos com os
hídricos é fundamental para a objetivos estratégicos e com o Plano
racionalização de seu uso e sua Plurianual - PPA do Estado do Ceará;
conservação;
VI - a água, por tratar-se de um bem de V - a integração do gerenciamento dos
uso múltiplo e competitivo, terá na recursos hídricos com as políticas públicas
outorga de direito de seu uso e de federais, estaduais e municipais de meio
execução de obras e/ou serviços de ambiente, saúde, saneamento, habitação,
interferência hídrica um dos uso do solo e desenvolvimento urbano e
instrumentos essenciais para o seu regional e outras de relevante interesse
gerenciamento; social que
tenham inter-relação com a gestão das
águas;
Políticas
Princípios Norteadores da Política Diretriz da Política Objetivos da Política
relacionadas

VII - a gestão dos recursos hídricos VI - a promoção da educação ambiental ---


Recursos deve ser estabelecida e aperfeiçoada para o uso dos recursos hídricos, com o
Hídrico (CE) de forma organizada, mediante a objetivo de sensibilizar a coletividade para
LEI Nº 14.844 institucionalização de um Sistema a conservação e utilização sustentável
(continuação) Integrado de Gestão de deste recurso,
Recursos Hídricos; capacitando-a para participação ativa na
sua defesa;
VIII - o uso prioritário dos recursos VII - o desenvolvimento permanente de
hídricos, em situações de escassez, é o programas de conservação e proteção das
consumo humano e a dessedentação águas contra a poluição, exploração
de animais; excessiva ou não controlada.

IX - os recursos hídricos devem ser


preservados contra a poluição e a
degradação;

X - a educação ambiental é
fundamental para racionalização,
utilização e conservação dos recursos
hídricos.
Políticas
Princípios Norteadores da Política Diretriz da Política Objetivos da Política
relacionadas

I - ação governamental na manutenção As ações de adaptação e mitigação devem


do equilíbrio ecológico, considerando o se estender aos âmbitos local, regional e
Art 4º - A Política Nacional do Meio Ambiente
Meio meio ambiente como um patrimônio nacional de forma articulada com as ações
visará:
Ambiente público a ser necessariamente já existentes nas esferas estadual e I - à compatibilização do desenvolvimento
o
Lei N 6.938/81 assegurado e protegido, tendo em vista municipal de entidades públicas e econômico-social com a preservação da
o uso coletivo; privadas. qualidade do meio ambiente e do equilíbrio
ecológico;
II - racionalização do uso do solo, do Manutenção do equilíbrio ecológico, II - à definição de áreas prioritárias de ação
subsolo, da água e do ar; considerando o meio ambiente como um governamental relativa à qualidade e ao
patrimônio público. equilíbrio ecológico, atendendo aos interesses
Ill - planejamento e fiscalização do uso da União, dos Estados, do Distrito Federal, dos
dos recursos ambientais; Territórios e dos Municípios;
III - ao estabelecimento de critérios e padrões de
IV - proteção dos ecossistemas, com a qualidade ambiental e de normas relativas ao
preservação de áreas representativas; uso e manejo de recursos ambientais;
V - controle e zoneamento das IV - ao desenvolvimento de pesquisas e de
atividades potencial ou efetivamente tecnologias nacionais orientadas para o uso
poluidoras; racional de recursos ambientais;
V - à difusão de tecnologias de manejo do meio
VI - incentivos ao estudo e à pesquisa ambiente, à divulgação de dados e informações
de tecnologias orientadas para o uso ambientais e à formação de uma consciência
racional e a proteção dos recursos pública sobre a necessidade de preservação da
ambientais; qualidade ambiental e do equilíbrio ecológico;
VI - à preservação e restauração dos recursos
VII - acompanhamento do estado da ambientais com vistas à sua utilização racional e
qualidade ambiental; disponibilidade permanente, concorrendo para a
manutenção do equilíbrio ecológico propício à
VIII - recuperação de áreas degradadas; vida;
IX - proteção de áreas ameaçadas de VII - à imposição, ao poluidor e ao predador, da
degradação; obrigação de recuperar e/ou indenizar os danos
causados e, ao usuário, da contribuição pela
X - educação ambiental a todos os utilização de recursos ambientais com fins
níveis de ensino, inclusive a educação econômicos.
da comunidade, objetivando capacitá-
la para participação ativa na defesa do
meio ambiente.
Políticas
Princípios Norteadores da Política Diretriz da Política Objetivos da Política
relacionadas

Saneamento Art. 2 ;
Lei I - universalização do acesso; Art. 48 Art. 49
o
N 11.445/07 II - integralidade, compreendida como I-prioridade para as ações que promovam I - contribuir para o desenvolvimento nacional, a
o conjunto de todas as atividades e a equidade social e territorial no acesso ao redução das desigualdades regionais, a geração
componentes de cada um dos diversos saneamento básico; de emprego e de renda e a inclusão social;
serviços de saneamento básico, II - aplicação dos recursos financeiros por II - priorizar planos, programas e projetos que
propiciando à população o acesso na ela administrados de modo a promover o visem à implantação e ampliação dos serviços e
conformidade de suas necessidades e desenvolvimento sustentável, a eficiência ações de saneamento básico nas áreas ocupadas
maximizando a eficácia das ações e e a eficácia; por populações de baixa renda;
resultados; III - estímulo ao estabelecimento de III - proporcionar condições adequadas de
III - abastecimento de água, adequada regulação dos serviços; salubridade ambiental aos povos indígenas e
esgotamento sanitário, limpeza urbana IV - utilização de indicadores outras populações tradicionais, com soluções
e manejo dos resíduos sólidos epidemiológicos e de desenvolvimento compatíveis com suas características
realizados de formas adequadas à social no planejamento, implementação e socioculturais;
saúde pública e à proteção do meio avaliação das suas ações de saneamento IV - proporcionar condições adequadas de
ambiente; básico; salubridade ambiental às populações rurais e de
IV - disponibilidade, em todas as áreas V - melhoria da qualidade de vida e das pequenos núcleos urbanos isolados;
urbanas, de serviços de drenagem e de condições ambientais e de saúde pública; V - assegurar que a aplicação dos recursos
manejo das águas pluviais adequados à VI - colaboração para o desenvolvimento financeiros administrados pelo poder público dê-
saúde pública e à segurança da vida e urbano e regional; se segundo critérios de promoção da salubridade
do patrimônio público e privado; VII - garantia de meios adequados para o ambiental, de maximização da relação benefício-
V - adoção de métodos, técnicas e atendimento da população rural dispersa, custo e de maior retorno social;
processos que considerem as inclusive mediante a utilização de soluções VI - incentivar a adoção de mecanismos de
peculiaridades locais e regionais; compatíveis com suas características planejamento, regulação e fiscalização da
VI - articulação com as políticas de econômicas e sociais peculiares; prestação dos serviços de saneamento básico;
desenvolvimento urbano e regional, de VIII - fomento ao desenvolvimento VII - promover alternativas de gestão que
habitação, de combate à pobreza e de científico e tecnológico, à adoção de viabilizem a auto-sustentação econômica e
sua erradicação, de proteção tecnologias apropriadas e à difusão dos financeira dos serviços de saneamento básico,
ambiental, de promoção da saúde e conhecimentos gerados; com ênfase na cooperação federativa;
outras de relevante interesse social IX - adoção de critérios objetivos de VIII - promover o desenvolvimento institucional
voltadas para a melhoria da qualidade elegibilidade e prioridade, levando em do saneamento básico, estabelecendo meios
de vida, para as quais o saneamento consideração fatores como nível de renda para a unidade e articulação das ações dos
básico seja fator determinante; e cobertura, grau de urbanização, diferentes agentes, bem como do
VII - eficiência e sustentabilidade concentração populacional, desenvolvimento de sua organização,
Políticas
Princípios Norteadores da Política Diretriz da Política Objetivos da Política
relacionadas

econômica; disponibilidade hídrica, riscos sanitários, capacidade técnica, gerencial, financeira e de


Saneamento VIII - utilização de tecnologias epidemiológicos e ambientais; recursos humanos, contempladas as
Lei apropriadas, considerando a X - adoção da bacia hidrográfica como especificidades locais;
o
N 11.445/07 capacidade de pagamento dos usuários unidade de referência para o IX - fomentar o desenvolvimento científico e
(continuação) e a adoção de soluções graduais e planejamento de suas ações; tecnológico, a adoção de tecnologias
progressivas; XI - estímulo à implementação de apropriadas e a difusão dos conhecimentos
IX - transparência das ações, baseada infraestruturas e serviços comuns a gerados de interesse para o saneamento básico;
em sistemas de informações e Municípios, mediante mecanismos de X - minimizar os impactos ambientais
processos decisórios cooperação entre entes federados. relacionados à implantação e desenvolvimento
institucionalizados; XII - estímulo ao desenvolvimento e das ações, obras e serviços de saneamento
X - controle social; aperfeiçoamento de equipamentos e básico e assegurar que sejam executadas de
XI - segurança, qualidade e métodos economizadores de água. acordo com as normas relativas à proteção do
regularidade; meio ambiente, ao uso e ocupação do solo e à
XII - integração das infraestruturas e saúde.
serviços com a gestão eficiente dos XI - incentivar a adoção de equipamentos
recursos hídricos. sanitários que contribuam para a redução do
XIII - adoção de medidas de fomento à consumo de água;
moderação do consumo de água. XII - promover educação ambiental voltada para
a economia de água pelos usuários.
Políticas
Princípios Norteadores da Política Diretriz da Política Objetivos da Política
relacionadas

Lei Nº Conservação e Uso Racional da Água Captação, armazenamento e utilização de Instituir medidas que induzam à conservação, o
10785/2003 - água proveniente das chuvas e, uso racional e utilização de fontes alternativas
Curitiba/PR Captação e armazenamento e utilização de para captação de água nas novas edificações,
águas servidas bem como a conscientização dos usuários sobre
a importância da conservação da água.
Art. 2º. Para os efeitos desta lei e sua adequada
aplicação

Lei Nº Uso racional da água Incentivo aos munícipios para Instituir o Programa de Reaproveitamento de
6345/2003 instalar reservatórios para a contenção de Águas de Maringá, com a finalidade
Maringá/PR águas servidas na base de chuveiros, de diminuir a demanda de água no Município e
banheiras, lavatórios e em outros locais aumentar a capacidade de atendimento da
julgados convenientes, bem como para o população.
recolhimento de águas das chuvas, e
também dispositivos para a utilização
dessas águas na descarga de vasos
sanitários e mictórios e lavagem de pisos,
terraços e outros procedimentos similares.

Lei Nº Uso racional da água Controle e redução do consumo de água Obrigar a instalação de dispositivos hidráulicos
6339/2003 para o controle e a redução do consumo de água
Maringá/PR em todos os empreendimentos imobiliários,
públicos
e privados, não residenciais, que venham a ser
executados a partir da edição desta Lei.
Políticas
Princípios Norteadores da Política Diretriz da Política Objetivos da Política
relacionadas

Lei Nº Uso racional da água Reuso de água Determinar a utilização de água de reuso, não
6076/2003 - potável, proveniente das estações de
Maringá/PR tratamento de esgoto, para a lavagem de ruas,
praças públicas, passeios públicos, próprios
municipais e outros logradouros, bem como para
a irrigação de jardins, praças, campos esportivos
e outros equipamentos, considerando o
custo/benefício dessas operações.

Lei Nº Uso racional da água Reuso de água Determinar a utilização de água de reuso não
13309/2002 – potável, proveniente das Estações de
São Paulo/SP Tratamento de Esgoto, para a lavagem de ruas,
praças públicas, passeios públicos, próprios
municipais e outros logradouros, bem como para
a irrigação de jardins,
praças, campos esportivos e outros
equipamentos, considerando o custo benefício
dessas operações.
Lei Nº Fonte alternativa de água Aproveitamento de água de chuva Regulamentar a execução de reservatório para
13.276/2002 - as águas coletadas por coberturas e pavimentos
São Paulo/SP nos lotes, edificados ou não, que tenham área
impermeabilizada superior a 500m².
Políticas
Princípios Norteadores da Política Diretriz da Política Objetivos da Política
relacionadas

Lei N.° Uso racional da água Reduzir desperdício na distribuição de Autorizar a fiscalização em toda a cidade com o
14401/2001 - água para consumo humano objetivo de constatar a ocorrência de
Viçosa/MG desperdícios de água distribuída (lavar calçadas
com uso contínuo de água; molhar ruas
continuamente e lavar veículo em domicílios
residenciais).

Lei Nº Uso racional da água Controle do consumo de água Implantar o sistema de medição individual de.
16759/2002 – Água em edifícios e condomínios com mais de
Recife/PE uma unidade de consumo independente da
categoria de usuários a que pertençam;
residenciais. comerciais, públicos, mistos.

Lei Nº 18.112 Qualidade ambiental das edificações Aproveitamento de água de chuva Melhorar a qualidade ambiental das edificações
/2015 por meio da obrigatoriedade de instalação do
Recife/PE Aumentar as áreas verdes e diminuir os "telhado verde", e construção de reservatórios
efeitos do calor de acúmulo ou de retardo do escoamento das
águas pluviais para a rede de drenagem
3. Visão de Futuro, Objetivos, Metas e Diretrizes

VISÃO DE FUTURO
Fortaleza será uma cidade com o uso sustentável dos recursos hídricos, inovadora tecnologicamente, resiliente as secas e solidaria com os que compartilham a água
com ela.

EIXO E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS RELACIONADOS

1. Gestão da demanda:
1.1. Usar eficientemente as água nas residências, comércios, indústrias, parques e demais usos urbanos;
1.2. Ter eficiência operacional com redução de perdas no tratamento e distribuição das águas;
2. Águas superficiais:
2.1. Integrar as águas do Rio São Francisco ao Sistema de Abastecimento de Fortaleza;
2.2. Finalizar a construção da infraestrutura de transferência hídrica da Bacia do Jaguaribe para as Bacias Metropolitanas;
2.3. Ter eficiência operacional na gestão das obras de estocagem e transferência hídrica;
3. Águas subterrâneas:
3.1. Explorar sustentavelmente os aquíferos dunas, barreiras e cristalino;
3.2. Gerir de forma integrada as Águas Subterrâneas e Superficiais;
4. Mananciais alternativos:
4.1. Incorporar o esgoto como manancial hídrico;
4.2. Incorporar a água de chuva como manancial hídrico;
4.3. Incorporar a água do mar como manancial hídrico através de processo de dessalinização;
5. Solidariedade:
5.1. Reduzir os impactos das importações hídricas nas bacias doadoras;
5.2. Promover a gestão integrada e participativa das águas;
6. Gestão de secas:
6.1. Gerenciar de forma proativa as secas;
7. Inovação tecnológica e gerencial:
7.1. Desenvolver ambiente institucional e legal e mecanismos de incentivo econômico para inovação tecnológica;
7.2. Promover o desenvolvimento de novas tecnologias para uso eficiente da água;
7.3. Promover o desenvolvimento de novas tecnologias para a produção de água;
7.4. Promover o desenvolvimento de novas tecnologias para o uso agrícola da água;
8. Aperfeiçoamento da Gestão do Serviço de Saneamento:
8.1. Aperfeiçoar o Modelo de Gestão do sistema de saneamento de forma a garantir eficiência na prestação do serviço de fornecimento de água e esgoto ;
8.2. Promover Política de Preços da Água que viabilize a utilização de cesta de mananciais com custos de produção diferentes.
Id Objetivo Geral Objetivo Específico Metas Resultados Esperados
1.1.1. Utilizar tecnologias (a) Todas as novas instalações possuam tecnologias
poupadoras de água nas poupadoras de água; (b) Em 2040 as instalações Manutenção do consumo de água per capta
residências, usos econômicos, existentes atualmente tenham implementado em pelo atual em 2040
Usar eficientemente as prédios públicos e parques menos 50% tecnologias poupadoras de água.
água nas residências, 1.1.2. Promover a conservação da (a) Desenvolvimento de arcabouço legal e mecanismos
1.1. Manutenção do consumo de água per capta
comércios, indústrias, água através de incentivos econômicos que promovam a conservação de água; (b)
atual em 2040
parques e demais usos econômicos e financeiros operacionalizar os mecanismos de incentivo.
urbanos 1.1.3. Promover a conservação da (a) Conceber e implementar programa de educação
Manutenção do consumo de água per capta
água através da Educação ambiental para a população de Fortaleza visando a
atual em 2040
Ambiental conservação de água
Ter eficiência operacional 1.2.1. Redução de Perdas no (a) Reduzir as perdas operacionais ao mínimo Diminuir a demanda urbana através da
com redução de perdas tratamento de água tecnicamente possível com reutilização destas águas redução de perdas
1.2. no tratamento e (a) Reduzir as perdas físicas e financeiras conforme
1.2.2. Redução das perdas na rede Diminuir a demanda urbana através da
distribuição das águas estabelecido no Plano de Saneamento da Cidade de
de distribuição de água redução de perdas
Fortaleza
Ter garantia do abastecimento de água em
(a) Viabilizar transferência hídrica para Fortaleza até o períodos secos reduzindo a severidade das
Integrar as águas do Rio 2.1.1. Conclusão das obras
final de 2016 (b) Concluir todas as obras do PISF para o secas e consequentemente os níveis de
São Francisco ao Sistema
Ceará até final 2017 racionamento
2.1. de Abastecimento de
(a) Garantir vazão inicialmente alocada para Fortaleza Ter garantia do abastecimento de água em
Fortaleza
2.1.2. Alocar água do PISF para de 10m³/s; (b) modificar a outorga da transposição de períodos secos reduzindo a severidade das
Fortaleza forma a garantir para Fortaleza em 2040 uma vazão secas e consequentemente os níveis de
alocada de 20m³/s racionamento
Finalizar da construção da
infraestrutura de
2.2.1. Construir a segunda fase do (a) Concluir a segunda e última fase da obra Eixão das Reduzir o nível de racionamento de Fortaleza
2.2. transferência hídrica da
Eixão das Águas Águas em anos secos
Bacia do Jaguaribe para as
Bacias Metropolitanas
Ter eficiência operacional (a) otimizar a operação do sistema hídrico de forma a
na gestão das obras de 2.3.1. Reduzir perdas hídricas e reduzir vertimento dos reservatórios locais e (b) Aumentar a oferta hídrica local através da
2.3.
estocagem e reduzir custos financeiros na minimizar os custos financeiros operacionais do redução de perdas operacionais dos
transferência hídrica operação do sistema sistema (ex. energia) reservatórios e reduzir os custos da água
Explorar 3.1.1. Elaborar estudo que
sustentavelmente os identifique a capacidade de (a) Desenvolver até 2019 o estudo que avalie a Aumentar a oferta hídrica através da utilização
3.1.
aquíferos dunas, barreiras explotação dos aquíferos na disponibilidade hídrica subterrânea da RMF sustentável dos aquíferos
e cristalino Região Metropolitana de Fortaleza
3.1.2. Elaborar e Implementar um
(a) Elaborar plano GAS-RMF (b) Implementar o GAS- Aumentar a oferta hídrica através da utilização
Plano de Gestão das Águas
RMF sustentável dos aquíferos
Subterrâneas para a RMF
(a) Definir a alocação entre os mananciais das
Gerir de forma Integrada
3.2.1. Otimizar o uso conjunto das demandas de forma a garantir a exploração sustentável Garantir eficiência na exploração dos recursos
3.2. as Águas Subterrâneas e
águas superficias e subterrâneas ao menor custo e produzindo o máximo benefício hídricos
Superficiais
social
4.1.1. Definição do Arcabouço
(a) Definir Marco Normativo; (b) Operacionalizar Aumentar a oferta de água através do reuso
legal e institucional para o Reuso
Arcabouço Institucional de águas
de Água em Fortaleza
(a) Reutilização de águas cinzas em todas as novas
Incorporar o esgoto como
4.1.2. Reutilizar de águas cinzas no residências multifamiliares na cidade; (b) Conversão de Aumentar a oferta de água através do reuso
manancial hídrico
lote residencial 10% das residências multifamiliares para sistema que de águas
4.1. permita a reutilização de águas cinzas
4.1.3. Reutilização das águas nos (a) aplicação das melhores práticas de gerenciamento Aumentar a oferta de água através do reuso
econômicos (indústrias e seviços) (BMP) de águas
4.1.4. Reutilização de águas das Aumentar a oferta de água através do reuso
(a) Reutilização de 1,0 m³/s até 2040
ETE's distribuídas na Cidade de águas
4.1.5. Reutilização do Esgoto do Aumentar a oferta de água através do reuso
(a) Reutilização de 2,0 m³/s até 2040
interceptor oceânico de águas
4.2.1. Definicão do Arcabouço
legal e institucional para a (a) Definir Marco Normativo; (b) Operacionalizar Aumentar a oferta de água através do
Incorporar a água de utilização de Água de Chuva em Arcabouço Institucional aproveitamento de água de chuva
chuva como manancial Fortaleza
4.2.
hídrico 4.2.2. Implantar sistema de (a) Aproveitamento de águas de chuva em novas
aproveitamento de água de chuva residências multifamiliares na cidade; (b) Conversão de Aumentar a oferta de água através do
em residências e outras 10% das residências multifamiliares para sistema que aproveitamento de água de chuva
instalações permita o aproveitamento de água de chuva
Incorporar a água do mar
4.3.1. Analisar a viabilidade (a) Desenvolver até 2017 o estudo que avalie a
como manancial hídrico Aumentar a oferta de água através do
4.3. técnica, econômica e ambiental da viabilidade de planta de dessalinização de água em
através de processo de aproveitamento de água do mar
dessalinização da água do mar. Fortaleza
dessalinização
4.3.2. Construção e operação de (b) Considerada viável, implementar até 2020 planta de Aumentar a oferta de água através do
planta de dessalinização dessalinização de água aproveitamento de água do mar
Reduzir os impactos das 5.1.1. Utilizar ao máximo as (a) Identificar novas formas de conservar água e de
Redução de conflitos associados a utilização de
5.1. importações hídricas nas disponibilidades hídricas locais e utilização dos manancias locais; (b) usar de forma mais
água
bacias doadoras conservar água eficiente os mananciais locais existentes
5.1.2. Desenvolver instrumentos (a) identificar instrumentos econômicos e financeiros
de compensação para os sistemas para mitigar o impacto das transferências hídricas nas Redução de conflitos associados a utilização de
hídricos doadores de água para bacias doadoras (ex. seguro); (b) implementar estes água
Fortaleza mecanismos
5.2.1. Qualificar a participação dos
agentes públicos e dos atores
Promover a gestão
sociais e econômicos da cidade (a) Participação de Comitês de bacias e outras Redução de conflitos associados a utilização de
5.2. Integrada e participativa
das instâncias participativas do organizações do SIGERH água
das águas
Sistema de Gerenciamento de
Recursos Hídricos
(a) Minimizar o impacto das secas nas
populações humanas e na economia da
cidade; (b)Transformar Fortaleza em
6.1.1. Planejar a gestão de secas (a) Elaborar plano de Gestão de Secas; Referência Mundial em Inovação Tecnológica
para a Segurança Hídrica de forma a
possibilitar ambiente de negócio para
Gerenciar de forma
empresas instaladas nesta cidade
6.1. proativa as secas
(a) Minimizar o impacto das secas nas
populações humanas e na economia da
6.1.2. Implementar o arranjo
cidade; (b)Transformar Fortaleza em
institucional para a (a) Operacionalizar arranjo institucional para a Gestão
Referência Mundial em Inovação Tecnológica
operacionalização do Plano de de Secas
para a Segurança Hídrica de forma a
Gestão Proativa de Secas
possibilitar ambiente de negócio para
empresas instaladas nesta cidade
7.1.1. Elaboração do Marco Legal
Desenvolver ambiente
e Institucional que possibilidade Transformar Fortaleza em Referência Mundial
institucional e legal e
criar a ambiência para a Pesquisa, (a) Conceber o marco e formular as arcabouço em Inovação Tecnológica para a Segurança
7.1. mecanismos de incentivo
Desenvolvimento e Inovação normativo Hídrica de forma a possibilitar ambiente de
econômico para inovação
tecnológica na área de Segurança negócio para empresas instaladas nesta cidade
tecnológica
Hídrica
Transformar Fortaleza em Referência Mundial
7.1.2. Implementar o arranjo em Inovação Tecnológica para a Segurança
(a) operacionalizar arranjo institucional
institucional Hídrica de forma a possibilitar ambiente de
negócio para empresas instaladas nesta cidade
Promover o 7.2.1. Encubar empresas Transformar Fortaleza em Referência Mundial
desenvolvimento de tecnológicas que desenvolvam em Inovação Tecnológica para a Segurança
7.2. (a) Definir e implementar estratégia de incubação
novas tecnologias para técnicas que promovam o uso Hídrica de forma a possibilitar ambiente de
uso eficiente da água eficiente da água negócio para empresas instaladas nesta cidade
7.2.2. Viabilizar a implantação e
Transformar Fortaleza em Referência Mundial
crescimento de empresas
(a) Elaborar e operacionalizar incentivos (ex. fiscais) em Inovação Tecnológica para a Segurança
tecnológicas que desenvolvam
necessários ao pleno desenvolvimento das empresas Hídrica de forma a possibilitar ambiente de
técnicas que promovam o uso
negócio para empresas instaladas nesta cidade
eficiente da água
Transformar Fortaleza em Referência Mundial
7.3.1. Encubar empresas
em Inovação Tecnológica para a Segurança
tecnológicas que desenvolvam (a) Definir e implementar estratégia de incubação
Hídrica de forma a possibilitar ambiente de
técnicas de produção de água
negócio para empresas instaladas nesta cidade
Promover o
desenvolvimento de
7.3. novas tecnologias para a
7.3.2. Viabilizar a implantação e Transformar Fortaleza em Referência Mundial
produção de água
crescimento de empresas (a) Elaborar e operacionalizar incentivos (ex. fiscais) em Inovação Tecnológica para a Segurança
tecnológicas que desenvolvam necessários ao pleno desenvolvimento das empresas Hídrica de forma a possibilitar ambiente de
técnicas de produção de água negócio para empresas instaladas nesta cidade

7.3.2. Viabilizar a implantação e


crescimento de empresas (a) Elaborar e operacionalizar incentivos (ex. fiscais) Apoiar a criação de parque industrial na Bacia
tecnológicas que desenvolvam necessários ao pleno desenvolvimento das empresas do Jaguaribe como estratégia de compensação
técnicas de produção de água
Aperfeiçoar o Modelo de
Gestão do sistema de 8.1.1. Avaliar a economia do setor
saneamento de forma a de saneamento (economias e Aprimorar a prestação de serviço se
(a) Elaborar modelo de negócios para o setor de
8.1 garantir eficiência na deseconomias de escala) e saneamento e identificar o papel do setor
saneamento
prestação do serviço de elaborar modelo de negócios para público e privado
fornecimento de água e o mesmo
esgoto
Promover Política de
Preços da Água que (a) Elaborar sistema que viabilize financeiramente a
8.2.1. Propor sistema de cobrança
viabilize a utilização de integração dos diversos mananciais (superficiais, melhor a segurança hídrica com a
8.2 que consiga incorporar cesta de
cesta de mananciais com subterrâneos e alternativos) no sistema de diversificação dos mananciais
mananciais com custos diversos
custos de produção abastecimento de Fortaleza
diferentes
4. Plano de Ação

4.1. Escopo do Plano

As linhas de ações do Plano se organizam segundo os Eixos e Objetivos Estratégicos em sete


componentes:

1. Gestão da demanda;

2. Águas superficiais;

3. Águas subterrâneas;

4. Mananciais alternativos;

5. Solidariedade (participação da cidade na gestão das águas);

6. Gestão Proativa de Secas;

7. Inovação: tecnológica e gerencial;

8. Gestão do Serviço de Saneamento.


4.2. Plano de Ação
Cada uma das linhas de ação tem seus programas e projetos descritos a seguir.
Linha de Ação: Gestão da demanda
Custo estimados Recursos
previstos para implementação Fontes identificação das
Ações, Projetos, Localização em que bairro
Responsáveis das ações – separar recursos fontes potenciais de
Subprojetos e/ou Metas Indicadores de execução Prazos devem ser implementadas as
para investimento dos recursos financiamento e
Programas ações
para custeio negociação
(executor, interveniente) Investimento Custeio

Desenvolvimento de um (a) Todas as novas instalações


programa que induza o possuam tecnologias poupadoras Recursos do Munícipio
uso de tecnologias de água; (b) Em 2040 as (custo da fiscalização
(a) Percentual de instalações
poupadoras de água nas instalações existentes atualmente 2040 Toda a cidade Prefeitura 100.000,00 anual); Iniciativa Privada
que implementaram a medida
residências, usos tenham implementado em pelo será responsável pela
economicos, prédios menos 50% tecnologias implantação
públicos e parques poupadoras de água

(a) Desenvolvimento de arcabouço


Elaboração de programas
legal e mecanismos econômicos Prefeitura; Concessionária
de conservação da água (a) arcabouco elaborado;
que promovam a conservação de 2019 Toda a cidade Prefeitura 100.000,00 dos Serviços no Município
através de incentivos (b)mecanimo em operação
água; (b) operacionalizar os (sistema de cobrança)
econômicos e financeiros
mecanismos de incentivo
Promoção da (a) Conceber e implementar (a) Programa Elaborado (b)
conservação da água programa de educação ambiental Número de veiculos
2040 Toda a cidade Prefeitura, Estado e União 150.000,00 Prefeitura
através da Educação para a população de Fortaleza (escolas...) que
Ambiental visando a conservação de água operacionalizam o programa
Recursos da
Concessionária dos
Desenvolvimento de Serviços no Município (os
(a) Reduzir as perdas operacionais
Plano de Redução de Concessionária dos recursos deverm ser
ao mínimo tecnicamente possível (a) precentual de redução 2040 Local das ETA's
Perdas no tratamento de Serviços no Município estimados pela
com reutilização destas águas
água concessionária e
incorporados a tarifa de
água)
Recursos da
Concessionária dos
Desenvolvimento de (a) Reduzir as perdas físicas e Serviços no Município (os
Plano de Redução das financeiras conforme estabelecido Concessionária dos recursos deverm ser
(a) precentual de redução 2040 Toda a cidade
perdas na rede de no Plano de Saneamento da Serviços no Município estimados pela
distribuição de água Cidade de Fortaleza concessionária e
incorporados a tarifa de
água)
Linha de Ação: Águas superficiais
Custo estimados Recursos
previstos para implementação Fontes
Localização em que
Responsáveis das ações – separar recursos identificação das
Ações, Projetos, Subprojetos Indicadores de bairro devem ser
Metas Prazos para investimento dos recursos fontes potenciais
e/ou Programas execução implementadas as
para custeio de financiamento
ações
(executor, e negociação
interveniente) Investimento ( R$) Custeio
Desenvolvimento de uma
(a) Viabilizar transferência
agenda de dialógo entre
hídrica para Fortaleza até o final (a) Obra concluida e Peranambuco, Ceará,
Município, Estado e União para
de 2016 (b) Incentivar conclusão fornecendo água para 2017 Paraíba e Rio Grande União R$ 5.000.000.000,00 União
incentivar a conclusão das obras
de todas as obras do PISF para o Fortaleza do Norte
do Projeto de Integração do São
Ceará até final 2017
Francisco
(a) Garantir vazao inicialmente
Governo do Estado
alocada para Fortaleza de
(a) Disponibilidade (Utiliza Custeio
Definição da alocação da água do 10m3/s; (b) Modificar a outorga União e Governo
Hídrica para Fortaleza 2017 Toda a Cidade R$ 400.000,00 Atual da Secretaria
PISF para Fortaleza da transposição de forma a do Estado
do PISF de Recursos
garantir para Fortaleza em 2040
Hídricos do Estado)
uma vazão alocada de 20m³/s
(a) Obra concluida e Bacias Hidrográficas
Construção da segunda fase do (a) Concluir a segunda e última Governo do
fornecendo água para 2020 Jaguaribe e R$ 150.000,00 Governo do Estado
Eixão das Águas fase da obra Eixão das Águas Estado
Fortaleza Metropolitanas
(a) Otimizar a operação do
sistema hídrico de forma a
Desenvolvimento de Planos de (a) Percentual de
reduzir vertimento dos Bacias Hidrográficas
Redução de perdas hídricas e perdas por Governo do
reservatórios locais e (b) 2018 Jaguaribe e R$ 500.000,00 Governo do Estado
reduzir custos financeiros na Evaporação (b)custo Estado
minimizar os custos financeitos Metropolitanas
operação do sistema da energia eletrica
operacionais do sistema (ex.
energia)
Linha de Ação: Águas subterrâneas
Custo estimados Recursos Fontes
Localização em que previstos para identificação
Responsáveis
Ações, Projetos, Subprojetos Indicadores de bairro devem ser implementação das ações – das fontes
Metas Prazos
e/ou Programas execução implementadas as separar recursos para potenciais de
ações (executor, financiamento
interveniente) Investimento Custeio e negociação
Elaboração de estudo que
(a) Desenvolver até 2019 de
identifique a capacidade de Região
estudo que avalia a
explotação dos aquiferos na (a) Estudo Realizado 2018 Metropolitana de SRH/Cogerh R$ 5.000.000,00 Estado
disponibilidade hídrica
Região Metropolitana de Fortaleza
subterrânea da RMF
Fortaleza
Elaboração e Implementação (a) Plano elaborado
Região
de Plano de Gestão das (a) Elaborar plano GAS-RMF (b) Número de ações
2022 Metropolitana de SRH/Cogerh R$ 2.000.000,00 Estado
Águas Subterrâneas para a (b) Implementar o GAS-RMF previstas no plano
Fortaleza
RMF executadas
(a) Definir a alocação entre os
Desenvolvimento de regras mananciais das demandas de
Região
de otimização do uso forma a garantir a exploração
(a) Plano realizado 2022 Metropolitana de SRH/Cogerh R$ 1.000.000,00 Estado
conjunto das águas sustentável ao menor custo e
Fortaleza
superficias e subterrâneas produzindo o máximo benefício
social
Linha de Ação: Mananciais alternativos
Localização em Responsáveis Custo estimados (Recursos Fontes identificação
Ações, Projetos, Subprojetos e/ou Indicadores de
Metas Prazos que bairro (executor, das fontes potenciais
Programas execução Investimento Custeio
devem ser interveniente) de financiamento e
Definicão do Arcabouço legal e (a) Sistema
(a) Definir Marco Normativo; (b)
institucional para o Reuso de Água em Normativo 2018 Toda a Cidade Município R$ 100.000,00 Município
Operacionalizar arcabouço institucional
Fortaleza operando
(a) Reutilização de águas cinzas em
todas as novas residencias Município (gestão),
Desenvolvimento de Programas que (a) percentual
multifamiliares na cidade; (b) Município, Iniciativa Iniciativa privada
incentivem a reutilizar de águas cinzas no dos usuários de 2040 Toda a Cidade R$ 100.000,00
Conversão de 10% das residencias privada (responsável pelo
lote residencial água utilizando
multifamiliares para sistema que investimento)
permita a reutilização de águas cinzas

Município (gestão),
Desenvolvimento de Programas que (a) percentual
(a) aplicação das melhores práticas de Município, Iniciativa Iniciativa privada
incentivem a reutilização das águas nas dos usuários de 2040 Toda a Cidade R$ 100.000,00
gerenciamento (BMP) privada (responsável pelo
economias (indústrias e seviços) água utilizando
investimento)

Concessionária dos
Elaboração de um programa que induza a
(a) vazão de água Concessionária dos Serviços no
reutilização de águas das ETE's (a) Reutilização de 1,0 m³/s até 2040 2040 Toda a Cidade
reutilizada Serviços Município (sistema
distribuidas na Cidade
de cobrança)
Concessionária dos
Elaboração de um programa que induza a
(a) vazão de água Concessionária dos Serviços no
Reutilização do Esgoto do inteseptor (a) reutilização de 2,0 m³/s até 2040 2040 Toda a Cidade
reutilizada Serviços Município (sistema
oceânico
de cobrança)
Definicão do Arcabouço legal e (a) Sistema
(a) Definir Marco Normativo; (b)
institucional para a utilização de Água de Normativo 2018 Toda a Cidade município R$ 150.000,00 município
Operacionalizar arcabouço institucional
Chuva em Fortaleza operando
(a) Aproveitamento de águas de chuva
Elaboração de programas que induza a em novas residencias multifamiliares
(a) percentual Município, Iniciativa
Implantação de sistema de na cidade; (b) Conversão de 10% das Município, Iniciativa
dos usuários de 2040 Toda a Cidade R$ 100.000,00 privada (responsavel
aproveitamento de água de chuva em residencias multifamiliares para privada
água utilizando pelo investimento)
residencias e outras instalações sistema que permita o aproveitamento
de água de chuva
Concepção de estudo de análise de (a) Desenvolver até 2017 estudo que
(a) Estudo
viabilidade técnica, econômica e avalie a viabilidade de planta de 2017 Toda a Cidade SRH/COGERH R$ 200.000,00 SRH/COGERH
Realizado
ambiental da dessalização da água do mar dessalização de água em Fortaleza
Concessionária dos
(a) Considerada viável, implementar
Construção e operação de planta de (a) Planta Concessionária dos Serviços no
até 2025 plantade dessalinização de 2022 Toda a Cidade
dessalinização Operando Serviços Município (sistema
água
de cobrança)
Linha de Ação: Solidariedade
Custo estimados Recursos
Localização em previstos para Fontes identificação
que bairro devem Responsáveis implementação das ações – das fontes
Ações, Projetos, Subprojetos Indicadores de separar recursos para
Metas Prazos ser potenciais de
e/ou Programas execução investimento dos recursos
implementadas as financiamento e
ações (executor, negociação
Investimento Custeio
interveniente)
(a) Identificar novas formas de
Elaboração de plano de
conservar água e de utilização dos
utilização das (a) plano Prefeitura e Governo Prefeitura e
manancias locais; (b) usar de forma 2020 Toda a Cidade R$ 150.000,00
disponibilidades hídricas desenvolvido do Estado Governo do Estado
mais eficiente os mananciais locais
locais e conservação água
existentes
(a) identificar instrumentos (a) mecanismo de
Desenvolvimento de
econômicos e financeiros para compensação
instrumentos de
mitigar o impacto das transferencias desenvolvidos (b) Bacias Jaguaribe e
compensação para os 2020 SRH/COGERH R$ 1.000.000,00 SRH/COGERH
hídricas nas bacias doadoras (ex. base legal Metropolitana
sistemas hídricos doadores
seguro); (b) implementar estes implmentada (c)
de água para Fortaleza
mecanismos mecanismo operando

(a) número de
Desenvolvimento
participantes com
deprojetos que qualifiquem
nível hierarquico de
a a participação dos agentes
secretário, vereadores
públicos e dos atores sociais (a) Participação de Comitês de bacias Bacias Jaguaribe e
ou prefeito; (b) 2018 Município Município
e econômicos da cidade das e outras organizações do SIGERH Metropolitana
número de
instâncias participativas do
representante da
Sistema de Gerenciamento
prefeitura nos fóruns
de Recursos Hídricos
de recursos hídricos
Linha de Ação: Gestão Proativa de Secas
Custo estimados Recursos
previstos para Fontes
Localização em implementação das ações – identificação das
Responsáveis
Ações, Projetos, que bairro devem separar recursos para
Indicadores de fontes
Subprojetos e/ou Metas Prazos ser investimento dos recursos
execução potenciais de
Programas implementadas as para custeio financiamento e
ações
(executor, negociação
Investimento Custeio
interveniente)

COGERH/ COGERH/
Concepção de plano de (a) Elaborar plano de (a) Plano Concessionária Concessionária
2017 Toda a Cidade R$ 1.000.000,00
gestão de secas Gestão de Secas; Executado de Água da de Água da
Cidade Cidade

COGERH/
Implementação do arranjo
(a) operacionalizar COGERH/ Concessionária
institucional para a
arranjo institucional (a) Plano Concessionária de Água da
operacionalização do Plano 2017 Toda a Cidade
para a Gestão de operacional de Água da Cidade
de Gestão Proativa de
Secas Cidade (Incorporado no
Secas
custo da água)
Linha de Ação: Inovação: tecnológica e gerencial
Localização em Responsáveis Custo estimados Recursos Fontes
que bairro identificação das
Ações, Projetos, Subprojetos e/ou Indicadores de
Metas Prazos devem ser (executor, fontes potenciais
Programas execução Investimento Custeio
implementadas interveniente) de financiamento
as ações e negociação
Elaboração do Marco Legal e
Institucional que possibilidade criar a
ambiência para a Pesquisa, (a) Conceber o marco e formular as (a) Sistema Normativo Município,
2018 Toda a Cidade Município R$ 200.000,00
Desenvolvimento e Inovação arcabouço normativo operando Iniciativa privada
tecnologica na área de Segurança
Hídrica
Implementação do arranjo (a) Arranjo
(a) operacionalizar arranjo
institucional do Plano de Segurança Institucional 2018 Toda a Cidade Município R$ 150.000,00 Município
institucional
Hídrica operacional
Elaboração de programas que
incetivem a encubação de empresas
(a) Definir e implementar estratégia (a) número de Parque Município,
tecnológicas que trabalhem no 2040 Município R$ 5.000.000,00
de incubação empresas emcubadas Tecnologico Iniciativa privada
desenvolvimento de técnicas que
promovam o uso eficiente da água
Concepção de projetos que viabilizem a
(a) Elaborar e operacionalizar
implantação e crescimento de (a) número de
incentivos (ex. fiscais) necessários
empresas tecnológicas que empresas 2040 Toda a Cidade Município Município e Estado
ao pleno desenvolvimento das
desenvolvam técnicas que promovam o operacionais no setor
empresas
uso eficiente da água
Elaboração de programas que
incetivem a encubação de empresas (a) Definir e implementar estratégia (a) número de Parque Município,
2040 Município R$ 5.000.000,00
tecnológicas que desenvolvam técnicas de incubação empresas emcubadas Tecnologico Iniciativa privada
de produção de água
Concepção de projetos que viabilizem a
(a) Elaborar e operacionalizar
implantação e crescimento de (a) número de
incentivos (ex. fiscais) necessários Município,
empresas tecnológicas que empresas 2040 Toda a Cidade Município
ao pleno desenvolvimento das Iniciativa privada
desenvolvam técnicas de produção de operacionais no setor
empresas
água
Elaboração de programas que
incetivem a encubação de empresas (a) Definir e implementar estratégia (a) número de Parque Estado, Iniciativa
2040 Município R$ 5.000.000,00
tecnológicas que desenvolvam técnicas de incubação empresas emcubadas Tecnologico privada
de produção de água
Concepção de projetos que viabilizem a
(a) Elaborar e operacionalizar
implantação e crescimento de (a) número de
incentivos (ex. fiscais) necessários Estado, Iniciativa
empresas tecnológicas que empresas 2040 Toda a Cidade Município
ao pleno desenvolvimento das privada
desenvolvam técnicas de produção de operacionais no setor
empresas
água
Linha de Ação: Aperfeiçoamento da Gestão do Serviço de Saneamento

Localização em Responsáveis Custo estimados Recursos previstos


que bairro devem Fontes identificação das
Ações, Projetos, Subprojetos e/ou Indicadores de
Metas Prazos ser fontes potenciais de
Programas execução (executor, interveniente) Investimento Custeio
implementadas financiamento e negociação
as ações

Desenvolvimento de programas de
avaliação da economia do setor de
(a) Elaborar modelo de negocios para o setor (a) Sistema Normativo
saneamento (economias e 2018 Toda a Cidade Município R$ 1.000.000,00 Município, Iniciativa privada
de sanemaneto operando
deseconomias de escala) e elaboração
modelo de negócios para o mesmo
(a) Elaborar sistema que viabilize
Proposição de um sistema de
financeiramente a integração dos diversos
cobrança que consiga incorporar uma (a) Arranjo Institucional
mananciais (superficiais, subterrâneos e 2018 Toda a Cidade Município R$ 1.000.000,00 Estado
cesta de mananciais para oferta hídrica operacional
alternativos) no sistema de abastecimento
com custos diversos
de Fortaleza
4.2.1. Recomendações complementares para o Plano de Ação:

1. Desenvolvimento de estudo dos aquíferos da Região Metropolitana de Fortaleza são


necessários, assim como a preservação ou conservação das áreas de recarga dos aquíferos;
2. Normatização do uso da água de chuva;
3. Água não apenas para beber, mas para produzir, para o desenvolvimento econômico deve ter
sua segurança hídrica garantida;
4. Marcos regulatórios – Fornecer parâmetros para criação de uma legislação. Compatibiliza com o
estudo da forma urbana.

Marcos Regulatórios - Recomenda-se a criação de marco regulatório legal que possibilite a gestão
integrada das águas urbanas. considera-se neste escopo o sistema de abastecimento de água, sistema
de coleta e disposição final de esgoto e o sistema de drenagem urbana.

Instrumento Legal Justificativa Alteração/Criação


Lei de Gestão Integrada de Águas A gestão de águas urbanas visa Criação da Lei
Urbanas garantir o acesso à água com
qualidade e quatidade por meio da
integração de serviços de saneamento
ambiental , gerenciamento de águas
pluviais e da drenagem,contribuindo
para o controle de doenças e
epidemias de veiculação hídrica, além
da minimização do risco de
inundações, secas e deslizamentos de
terra.
4.2.2. Ações e Atividades (Cronograma)

AÇÃO - ATIVIDADE 2017-2020 2021-2024 2025-2028 2029-2032 2033-2036 2037-2040


META CUSTO META CUSTO META CUSTO META CUST META CUSTO META CUSTO
O
(a) Todas as novas (a) Todas as novas (a) Todas as novas (a) Todas as novas (a) Todas as novas
instalações possuam instalações possuam instalações possuam instalações possuam instalações possuam
Desenvolvimento de um programa que tecnologias poupadoras tecnologias poupadoras de tecnologias poupadoras tecnologias poupadoras tecnologias poupadoras
Todas as novas
induza o uso de tecnologias poupadoras de água; (b) Instalações água; (b) Instalações de água; (b) Instalações de água; (b) Instalações de água; (b) Instalações
instalações possuam
de água nas residências, usos 100.000,00 existentes atualmente existentes atualmente existentes atualmente existentes atualmente existentes atualmente
tecnologias poupadoras
economicos, prédios públicos e tenham implementado tenham implementado em tenham implementado tenham implementado tenham implementado
de água
parques em pelo menos 5% pelo menos 15% em pelo menos 25% em pelo menos 35% em pelo menos 50%
tecnologias poupadoras tecnologias poupadoras de tecnologias poupadoras tecnologias poupadoras tecnologias poupadoras
de água água de água de água de água

(a) Desenvolvimento de
arcabouço legal e
mecanismos econômicos
Elaboração de programas que promova
que promovam a
a conservação da água através de 100.000,00
conservação de água; (b)
incentivos econômicos e financeiros
operacionalizar os
mecanismos de
incentivo

(a) Conceber e (a) Implementar (a) Implementar (a) Implementar (a) Implementar
(a) Implementar programa
implementar programa programa de educação programa de educação programa de educação programa de educação
Elaboração de programas que induza a de educação ambiental para
de educação ambiental ambiental para a ambiental para a ambiental para a ambiental para a
conservação da água através da 150.000,00 a população de Fortaleza
para a população de população de Fortaleza população de Fortaleza população de Fortaleza população de Fortaleza
Educação Ambiental visando a conservação de
Fortaleza visando a visando a conservação visando a conservação de visando a conservação de visando a conservação de
água
conservação de água de água água água água

(a) Reduzir as perdas (a) Reduzir as perdas (a) Reduzir as perdas (a) Reduzir as perdas (a) Reduzir as perdas
(a) Reduzir as perdas
operacionais ao mínimo operacionais ao mínimo operacionais ao mínimo operacionais ao mínimo operacionais ao mínimo
Desenvolvimento de Plano de Redução operacionais ao mínimo
tecnicamente possível tecnicamente possível tecnicamente possível tecnicamente possível tecnicamente possível
de de Perdas no tratamento de água tecnicamente possível com
com reutilização destas com reutilização destas com reutilização destas com reutilização destas com reutilização destas
reutilização destas águas
águas águas águas águas águas

(a) Reduzir as perdas


(a) Reduzir as perdas (a) Reduzir as perdas físicas (a) Reduzir as perdas (a) Reduzir as perdas (a) Reduzir as perdas
físicas e financeiras
Desenvolvimento de Plano de Redução físicas e financeiras e financeiras conforme físicas e financeiras físicas e financeiras físicas e financeiras
conforme estabelecido
de perdas na rede de distribuição de conforme estabelecido estabelecido no Plano de conforme estabelecido conforme estabelecido conforme estabelecido
no Plano de
água no Plano de Saneamento Saneamento da Cidade de no Plano de Saneamento no Plano de Saneamento no Plano de Saneamento
Saneamento da Cidade
da Cidade de Fortaleza Fortaleza da Cidade de Fortaleza da Cidade de Fortaleza da Cidade de Fortaleza
de Fortaleza
AÇÃO - ATIVIDADE 2017-2020 2021-2024 2025-2028 2029-2032 2033-2036 2037-2040
META CUSTO META CUSTO META CUSTO META CUSTO META CUSTO META CUSTO

(a) Viabilizar transferência


Desenvolvimento de uma agenda de
hídrica para Fortaleza até o final
dialógo entre Município, Estado e União
de 2016 (b) Concluir todas as R$ 5.000.000.000,00
para incentivar a conclusão das obras do
obras do PISF para o Ceará até
Projeto de Integração do São Francisco
final 2017

(b) Modificar a outorga


da transposição de
(a) Garantir vazao inicialmente
Definição da alocação da água do PISF forma a garantir para
alocada para Fortaleza de R$ 400.000,00
para Fortaleza Fortaleza em 2040 uma
10m3/s;
vazão alocada de
20m³/s

Construção a segunda fase do Eixão das (a) Concluir a segunda e última


R$ 150.000.000,00
Águas fase da obra Eixão das Águas

(a) Otimizar a operação do


sistema hídrico de forma a
Elaboração de planos de redução de reduzir vertimento dos
perdas hídricas e reduzir custos reservatórios locais e (b) R$ 500.000,00
financeiros na operação do sistema minimizar os custos financeitos
operacionais do sistema (ex.
energia)

Concepção de estudo que identifique a (a) Desenvolver até 2019 estudo


capacidade de explotação dos aquiferos que avalia a disponibilidade R$ 5.000.000,00
na Região Metropolitana de Fortaleza hídrica subterrânea da RMF
AÇÃO - ATIVIDADE 2017-2020 2021-2024 2025-2028 2029-2032 2033-2036 2037-2040
META CUSTO META CUSTO META CUSTO META CUSTO META CUSTO META CUSTO

Elaboração e Implementação de Plano


(a) Elaborar plano GAS-RMF (b)
de Gestão das Águas Subterrâneas para R$ 2.000.000,00
Implementar o GAS-RMF
a RMF

(a) definir a alocação entre os


mananciais das demandas de
Desenvolvimentos de regras de
forma a garantir a exploração
otimização do uso conjunto das águas R$ 1.000.000,00
sustentável ao menor custo e
superficias e subterrâneas
produzindo o máximo benefício
social

Definicão do Arcabouço legal e (a) Definir Marco Normativo; (b)


institucional para o Reuso de Água em Operacionalizar arcabouço R$ 100.000,00
Fortaleza institucional

(b) Conversão de 10%


das residencias
Desenvolvimento de Programas que (a) Reutilização de águas cinzas
multifamiliares para
incentivem a reutilizar de águas cinzas em todas as novas residencias R$ 100.000,00
sistema que permita a
no lote residencial multifamiliares na cidade
reutilização de águas
cinzas

Desenvolvimento de Programas que (a) aplicação das melhores


incentivem a reutilização das águas nas práticas de gerenciamento R$ 100.000,00
economias (indústrias e seviços) (BMP)

Elaboração de um programa que induza


(a) Reutilização de 1,0
a reutilização de águas das ETE's
m³/s até 2040
distribuidas na Cidade

Elaboração de um programa que induza


(a) reutilização de 2,0
a Reutilização do Esgoto do inteseptor
m³/s até 2040
oceânico
AÇÃO - ATIVIDADE 2017-2020 2021-2024 2025-2028 2029-2032 2033-2036 2037-2040
META CUSTO META CUSTO META CUSTO META CUSTO META CUSTO META CUSTO

Definicão do Arcabouço legal e (a) Definir Marco Normativo; (b)


institucional para a utilização de Água Operacionalizar arcabouço R$ 150.000,00
de Chuva em Fortaleza institucional

(b) Conversão de 2%
(b) Conversão de 10% das
Elaboração de programas que induza a das residencias
(a) Aproveitamento de águas de residencias multifamiliares
Implantação de sistema de multifamiliares para
chuva em novas residencias R$ 100.000,00 para sistema que permita o
aproveitamento de água de chuva em sistema que permita o
multifamiliares na cidade; aproveitamento de água de
residencias e outras instalações aproveitamento de
chuva
água de chuva

Concepção de estudo de análise de (a) Desenvolver até 2017 estudo


viabilidade técnica, econômica e que avalie a viabilidade de
R$ 200.000,00
ambiental da dessalização da água do planta de dessalização de água
mar em Fortaleza

(a) Considerada viável,


Construção e operação de planta de
implementar até 2025 plantade
dessalinização
dessalinização de água

(a) Identificar novas formas de


conservar água e de utilização
Plano de utilização das disponibilidades
dos manancias locais; (b) usar R$ 150.000,00
hídricas locais e conservação água
de forma mais eficiente os
mananciais locais existentes

(a) identificar instrumentos


econômicos e financeiros para
Desenvolver instrumentos de mitigar o impacto das
compensação para os sistemas hídricos transferencias hídricas nas R$ 1.000.000,00
doadores de água para Fortaleza bacias doadoras (ex. seguro);
(b) implementar estes
mecanismos

Qualificar a participação dos agentes


públicos e dos atores sociais e (a) Participação de Comitês de
econômicos da cidade das instâncias bacias e outras organizações do
participativas do Sistema de SIGERH
Gerenciamento de Recursos Hídricos
AÇÃO - ATIVIDADE 2017-2020 2021-2024 2025-2028 2029-2032 2033-2036 2037-2040
META CUSTO META CUSTO META CUSTO META CUSTO META CUSTO META CUSTO

(a) Elaborar plano de Gestão de


Concepção de plano de gestão de secas R$ 1.000.000,00
Secas;

Implementação do arranjo institucional (a) operacionalizar arranjo


para a operacionalização do Plano de institucional para a Gestão de
Gestão Proativa de Secas Secas

Elaboração do Marco Legal e


Institucional que possibilidade criar a
(a) Conceber o marco e
ambiência para a Pesquisa,
formular as arcabouço R$ 200.000,00
Desenvolvimento e Inovação
normativo
tecnologica na área de Segurança
Hídrica

Implementação do arranjo institucional (a) operacionalizar arranjo


R$ 150.000,00
do Plano de Segurança Hídrica institucional

Elaboração de programas que incetivem


a encubação de empresas tecnológicas
(a) Definir e implementar (a)Implementar (a)Implementar estratégia
que trabalhem no desenvolvimento de R$ 1.000.000,00 R$ 3.000.000,00 R$ 1.000.000,00
estratégia de incubação estratégia de incubação de incubação
técnicas que promovam o uso eficiente
da água

Concepção de projetos que viabilizem a (a) Elaborar e operacionalizar


implantação e crescimento de incentivos (ex. fiscais)
empresas tecnológicas que necessários ao pleno
desenvolvam técnicas que promovam o desenvolvimento das
uso eficiente da água empresas
AÇÃO - ATIVIDADE 2017-2020 2021-2024 2025-2028 2029-2032 2033-2036 2037-2040
META CUSTO META CUSTO META CUSTO META CUSTO META CUSTO META CUSTO

Elaboração de programas que incetivem


a encubação de empresas tecnológicas (a) Definir e implementar (a)Implementar (a)Implementar estratégia
R$ 1.000.000,00 R$ 3.000.000,00 R$ 1.000.000,00
que desenvolvam técnicas de produção estratégia de incubação estratégia de incubação de incubação
de água

Concepção de projetos que viabilizem a (a) Elaborar e operacionalizar


implantação e crescimento de incentivos (ex. fiscais)
empresas tecnológicas que necessários ao pleno
desenvolvam técnicas de produção de desenvolvimento das
água empresas

Elaboração de programas que incetivem


a encubação de empresas tecnológicas (a) Definir e implementar (a)Implementar (a)Implementar estratégia
R$ 1.000.000,00 R$ 3.000.000,00 R$ 1.000.000,00
que desenvolvam técnicas de produção estratégia de incubação estratégia de incubação de incubação
de água

Concepção de projetos que viabilizem a (a) Elaborar e operacionalizar


implantação e crescimento de incentivos (ex. fiscais)
empresas tecnológicas que necessários ao pleno
desenvolvam técnicas de produção de desenvolvimento das
água empresas

Desenvolvimento de programas de
avaliação da economia do setor de (a) Elaborar modelo de
saneamento (economias e negocios para o setor de R$ 1.000.000,00
deseconomias de escala) e elaboração sanemaneto
modelo de negócios para o mesmo

(a) Elaborar sistema que


viabilize financeiramente a
Proposição de um sistema de cobrança
integração dos diversos
que consiga incorporar uma cesta de
mananciais (superficiais, R$ 1.000.000,00
mananciais para oferta hídrica com
subterrâneos e alternativos) no
custos diversos
sistema de abastecimento de
Fortaleza
5. Integrantes do Grupo de Trabalho

Nome do participante Instituição E-mail Fone

Antônio Treze de Melo Lima COGERH treze.melo@cogerh.com.br 98732 2031 /


32187027

Geraldo Basílio Sobrinho ARCE geraldo.basilio@arce.ce.gov.br 3101 1011

Francisco de Assis de Sousa UFC assis@ufc.br 99996 9493


Filho

Marcilio Caetano de Oliveira COGERH marcilio.caetano@cogerh.combr 991487816 /


32187064

Samíria Maria O. da Silva UFC samiriamaria@hotmail.com 997666399

Nizomar Falcão Bezerra EMATERCE nizomar.falcao@ematerce.ce.gov.br 99983 7598

Nelson Nieva de Figueiredo SOHIDRA nelson.neiva@sohidra.ce.gov.br 99996 1651

Adahil P. Sena SOHIDRA adahil.sena@sohidra.ce.gov.br 987296261

Maria Nires Marinho Bouty COGEHR mires.bouty@cogerh.com.br 991926775

Ana Araújo Koelfat COGERH ana.araujo@cogerh.com.br 999924865

Ronner Braga Gondim CAGECE ronner.gondim@cagece.com.br 988788935

Sandra Helena Silva de Aquino UFC sandrahsaquino@hotmail.com 999300302

Daniel Antônio Camelo Cid UFC danielcamelocid@gmail.com 981554453

Zulene Almada Teixeira COGERH zulene.almada@cogehr.com.br 32187641

Lígia Macedo Cajaty COGERH ligia.cajaty@cogerh.com.br 32187047

Pedro Golçalves COGERH pedro.galcalves@cogerh.com.br 996193839

Bárbara Marinho Alencar COGERH barbara.marinho@cogerh.com.br 988949407

Clodionor Carvalho de Araújo IHAB ihab@ihab.org.br / 999690564


amigosdasaguas@ihab.org.br

Paulo Miranda Pereira COGERH paulo.miranda@cogerh.com.br

Amanda Vieira UFC engenheirista@yahoo.com.br 99970030972

Elano Joça COGERH elano.joca@cogerh.com.br 999092446

Itabaraci Cavalcante UFC itabaracicavalcante@gmail.com 996063580

Luis Carlos Pontes Prefeitura ponteslc@gmail.com 988246819


Helder dos Santos Cortez CAGECE helder.cortez@cagece.com.br 988788920

Bárbara Jô CAGECE barbara.machado@cagece.com.br

Antônio Costa CAEAE-ARCE 988974045