Você está na página 1de 43

Rivalidade Clássico-Rei completa 100 anos em momento especial P.

35 a 38

17 de DEZEMBRO de 2018 Ano 37/Nº 13131


SEGUNDA-FEIRA R$ 3,00
Fundador:Edson Queiroz
www.diariodonordeste.com.br

Novas revelações, obtidas com exclusividade, ajudam a entender a sequência de


acontecimentos em Milagres, onde 14 pessoas foram mortas, incluindo seis reféns. Segundo fontes,
policiais teriam mandado apagar imagens de câmeras de segurança que registraram os fatos P.2 A 5

Detalhesdamatança FOTO:THIAGO GADELHA

VERSO Conheça a rotina de quem trabalha no


fim de semana e folga na segunda
4 DN 17 de dezembro de 2018 Segunda-feira www.diariodonordeste.com.br

DESTAQUE Fontes que acompanham o caso apontam o cenário da guerra


Relatos obtidos com exclusividade dão conta da disposição dos corpos na
madrugada de 7 de dezembro. A reportagem esteve nos locais e colheu
indícios do caminho de alguns projéteis disparados na madrugada de terror

Panorama

ilva
do S
eral

as
da tragédia
Esm

rg
Va
osé

te
en
R. J

id
es
Pr
R.
Bandido morto Prefeitura
Municipal Marcas de tiro, grosso
calibre, na calçada de uma
Reféns mortos
residência, na lateral da
Prefeitura. Entre o poste de
Câmera
sinalização e a árvore
tombou um dos bandidos
Explosivos encontrados

Farmácia Supermercado
L 200 pertencente ao refém
Cícero Tenório ficou na
frente do Bradesco. Na
R. Pa
dre M
isael G
omes
Farmácia Banco
caçamba, diversos
mantimentos usados para a

do Brasil ação de explodir os bancos

Bradesco

CÂMERAS REFÉNS BANDIDOS RETIRADA


Alguns comércios no centro de Milagres As cinco pessoas da mesma família, que Cerca de quatro bandidos teriam Os corpos dos cinco reféns foram os
possuem câmeras de segurança em sua seguiriam para Serra Talhada, em tombado em diferentes pontos no primeiros a serem retirados pelo
fachada. O material é periciado pelo grupo Pernambuco, findaram mortas na calçada quadrante que tem como perímetro os vice-prefeito de Milagres em sua Amarok
de investigadores designado pela Secretaria do Bradesco, atrás de um poste de bancos, a Prefeitura Municipal, branca, que aparece no registro das
de Segurança Pública e Defesa Social. Elas iluminação. O equipamento ficou farmácias e um supermercado. Estavam câmeras, e levados para o hospital
poderão elucidar os pontos mais importantes cravejado com muitas marcas de tiro todos encapuzados e, alguns, com luvas. municipal. Depois, uma ambulância levou
que levaram às mortes de grosso calibre Fora dali, morreriam mais quatro as outras vítimas, uma delas ainda com vida

Fonte: Apuração direta Diário do Nordeste


12 DN 19 de dezembro de 2018 Quarta-feira www.diariodonordeste.com.br

SEGURANÇA PMs que participaram de operação em Milagres se contradizem


Em depoimentos, os militares que estiveram na linha de frente da ação
apresentam diferentes versões diferentes para a ofensiva policial que resultou
na morte de 14 pessoas, sendo seis delas reféns

#TragédiaemMilagres Messias Borges messias.borges@diariodonordeste.com.br

V
ários questionamentos
sobre a atuação policial,
O Sistema Verdes Mares teve na operação que culmi-
acesso aos depoimentos nou na morte de 14 pes-
prestados pelos militares que soas (inclusive seis re-
apresentaram a ocorrência na féns), no município de Mila-
Delegacia Regional de Brejo gres, continuam ecoando no
Santo, algumas horas após imaginário da sociedade. Os
a carnificina. depoimentos de policiais mili-
tares do Grupo de Ações Táti-
cas Especiais (Gate) que parti-
ciparam do tiroteio ainda não
são conclusivos. Pelo contrá-
rio, os testemunhos dos PMs
se contradizem.
O Sistema Verdes Mares
(SVM) teve acesso aos depoi-
mentos prestados pelos milita-
res que apresentaram a ocor-
rência na Delegacia Regional
de Brejo Santo, algumas horas
após a carnificina. Um major
(identidade preservada) afir-
mou que os mortos foram
identificados somente após o
combate ter cessado.
Cinco pessoas que morre-
ram na calçada lateral da agên-
cia bancária do Bradesco se-
riam reféns. Apesar de não
identificar quem era ou não as-
saltantes (ou mesmo se havia
alguém além deles), o oficial
defendeu que os reféns não fo-
ram assassinados por policiais
militares. Segundo ele, essas
vítimas se localizavam em po-
sição que não havia como se-
rem alvejadas pela Polícia,
pois a equipe vinha em pro-
gressão pela lateral do Banco
do Brasil, ou seja, nem sequer
houve contato visual.
O major acrescenta que ou-
tros dois reféns, que estavam
na lateral do Banco do Brasil,

Atragédia
foram prontamente identifica-

+
dos nessa situação pela patru-
lha, que verbalizou para que
deitassem no chão como pro-
teção para os tiros.
Já um capitão da Polícia Mili-
REFÉNS MORTOS tar garantiu, em depoimento,
ClaudineideCamposdeSouzaSan- que, no fim do confronto, em

segundo
tos,CíceroTenóriodosSantose frente aos bancos, foi possível
GustavoTenóriodosSantos(mãe, identificar a presença de dois
paiefilho);JoãoBatistaCamposde reféns com a quadrilha e que
MagalhãeseViníciusdeSouza assaltantes atiraram contra os
Magalhães(paiefilho);eFrancisca mesmos. A fala contradiz tu-
EdineidedaCruzSantos. do o que foi dito até o momen-
to. O próprio titular da Secre-
SUSPEITOS MORTOS taria da Segurança Pública e

ospoliciais
MacksonJúniorSerafimdaSilva, Defesa Social (SSPDS), André
LucasTorquatoLoiolaReis,José Costa, colocou que os poli-
EraldodoNascimento,JoséGon- ciais desconheciam a presen-
çaloLeiteSantos,CristianoFerrei- ça de reféns.
radeMendonça,ClaudervanSan-
tanadeAquino,CássioJosé Efetivo
GerônimodaSilvaeRivaldoAze- Doze policiais militares do Ga-
vedoSantos. te participaram da operação
www.diariodonordeste.com.br Quarta-feira 19 de dezembro de 2018 DN 13

SEGURANÇA

A Polícia Civil e a PRF não


foram informadas sobre a
ofensiva militar

FOTO:THIAGO GADELHA
ma Penitenciário (CGD) inves-
tiga a responsabilidade dos
agentes de segurança nas mor-
tes. O Ministério Público do
Ceará (MPCE) acompanha e
fiscaliza as investigações. O
laudo pericial da Perícia Fo-
rense do Ceará (Pefoce) ainda
está sendo elaborado, já ten-
do ultrapassado os dez dias
previstos no prazo inicial.

Caminhão
Outro detalhe revelado nos au-
tos é referente ao homem que
conduzia o caminhão inter-
ceptado pelos criminosos. An-
tes de utilizar um caminhão
da transportadora FedEx para
bloquear a BR-116 e trocar ti-
ros com policiais militares, o Audiência de
bando responsável pela tenta-
tiva de assalto a duas agências custódia realizada
bancárias da cidade do Inte- no Interior
rior ameaçou duas pessoas.
Conforme depoimento do Ontem, oito presos
condutor do caminhão, de 45 suspeitos de terem
anos e natural de Pernambu- participado da tentativa de
co, ele não estava sozinho no assalto às duas agências
veículo. O homem vinha bancárias no município de
acompanhado do filho, me- Milagres, que ocasionou a
nor de idade. Os dois seguiam morte de 14 pessoas, foram
para Fortaleza, quando entre ouvidos, no Fórum
Brejo Santo e Milagres, foram Desembargador Juvêncio
interceptados por uma cami- Joaquim de Santana, em
nhonete S-10, de cor branca. Juazeiro do Norte. Sob um
Na Delegacia Regional de forte esquema de
Brejo Santo, o pernambucano segurança, os oito suspeitos
contou que quando o veículo foram apresentados à
foi parado, um homem en- Justiça em audiência de
trou na cabine e o ordenou custódia. As duas mulheres
que atravessasse o caminhão sob investigação foram as
na BR. Em seguida, a vítima te- primeiras as saírem dos

12
ve o rosto coberto e o crimino- carros. Em seguida, os seis
que terminou de forma trági- tuição financeira, sem saber so atirou em um dos pneus do homens foram levados. Um
ca. Nenhum outro batalhão es- onde aconteceria a ação crimi- automóvel. “O declarante pe- por um, eles foram ouvidos
pecial da Polícia Militar esteve nosa. Os policiais só soube- gou o seu filho pelo braço e pelo juiz. Por causa da
presente no tiroteio, nem os ram que o crime se daria em saiu correndo mato adentro. audiência, o policiamento
PMs da região. A Polícia Civil e PMS AFASTADOS Milagres ao passarem pelo Mu- Só saiu do local quando perce- no Fórum foi reforçado.
a Polícia Rodoviária Federal Aotodo,12policiaismilitaresdo nicípio e ouvirem os sons dos beu que a Polícia chegou, Cerca de 40 agentes
(PRF) não foram informadas Gateparticiparamdaoperaçãoque tiros, segundo ele. além de outros populares. Seu estiveram na ação. A Polícia
sobre a ofensiva militar. Deci- terminoudeformatrágica,em O militar informou ainda veículo ficou no local. Ele dis- Militar ocupou pontos
sões que até hoje, 12 dias de- Milagres,nodia7dedezembro que havia cerca de 30 crimino- se que depois conseguiu um estratégicos do
pois, ainda não foram explica- desteano.Apósaoocorrido,foram sos, armados de fuzis. O avan- borracheiro para consertar e estacionamento e o lado de
das pelas autoridades. afastadosdesuasfunções. ço policial teria sido freado pe- fazer a troca dos pneus, já se fora do prédio. Além disso,
Dois policiais - um sargento los disparos do armamento pe- encontrando em condições parte do local foi isolada.
e um cabo - eram atiradores sado. O capitão disse que mui- de viagem”, disse o motorista Dos oito suspeitos presos,
de elite (snipers), que estavam tos homens estavam encapu- em trecho do depoimento. três foram capturados horas
na posse de fuzis AR-10, que zados ou de posse de mate- Por ter sido encapuzado pe- depois da tentativa de
precisam de um apoio físico riais que seriam usados para los assaltantes, a vítima infor- assalto em Milagres, Brejo
para atirar. Os outros dez mili- efetuar o arrombamento das mou não ter condições de re- Santo e Barro. Outras cinco
tares também portavam fuzis, agências bancárias, motivos conhecer ninguém. Ele tam- pessoas foram localizadas
de calibre 5.56. Todos ainda pelos quais ele acreditava se bém destacou que apesar das pela Polícia Militar, no dia
portavam pistolas 9 mm. tratar de bandidos. ameaças, não foi ferido. Ainda seguinte ao episódio, Este
O capitão que prestou depoi- Os doze policiais militares no dia do crime, em nota, a Fe- último grupo se tratava de
mento à Polícia Civil contou estão suspensos de suas fun- dEx destacou estar grata pelo parentes e amigos dos
que três equipes do Grupo de ções, enquanto a investigação fato de o motorista não ter si- criminosos que teriam vindo
Ações Táticas Especiais foram é concluída. A Controladoria do ferido e informou coope- para resgatar envolvidos
deslocadas para uma suspeita Geral de Disciplina dos Órgãos rar com as autoridades duran- que estariam escondidos
de tentativa de assalto a insti- de Segurança Pública e Siste- te a investigação do caso. naquela região.
www.diariodonordeste.com.br Terça-feira 18 de dezembro de 2018 DN 19

Suspeitos de ataque a bancos estariam ‘hospedados’ em Barro


Um bar no distrito de Santo Antonio do Barro, no município vizinho a Milagres,
seria um dos pontos de apoio à quadrilha que tentou explodir o Bradesco e o
SEGURANÇA
Banco do Brasil, numa ação que terminou com 14 mortos, entre eles seis reféns

#CrimesemMilagres Melquíades Júnior melquiades.junior@diariodonordeste.com.br

A
pós a madrugada de tiro- tar para casa, só queria que o
teio, Milagres acordou homem fosse embora. Mas ele Na manhã de sexta, 7 de
desconfiada.
— Tem um cara muito
estranho ali, que nin-
guém sabe quem é. Está mui-
to nervoso, direto no WhatsA-
Roubo precisava de outras roupas.
Não só ele, mas os outros em
fuga tinham como estratégia li-
gar ao celular para dar a locali-
zação (esperando resgate?) e
dezembro, suspeitos da
tentativa de ataque aos
bancos na madrugada
empreendem fuga, mas são
frustrados pelo cerco da Polícia

frustrado,
pp. Tenho pra mim que esse mudar de roupa. Consegue, e com o auxílio da população
cara ali… do filho mais velho de Dinda,
Era um funcionário da Enel, uma bermuda jeans com do-
companhia energética, dirigin- bra na altura do joelho e uma
do-se à concentração de poli- camisa amarela escrita Hollis-
ciais para apontar uma situa- ter California. Tira a munição

fuga
ção muito suspeita. Na manhã das armas e deixa na casa. Co-
de sexta-feira, quando a cida- mo se fosse um comum, volta
de soube da ‘guerra’, qual- para bem perto da cena do cri-
quer pouco movimento dife- me. Porque fica na rua do Bra-
rente já parecia suspeito de- desco, que tentava explodir, o
mais. No medo, todo diferen- ponto informal onde se pega

também
te é estranho. os carros de linha, para os mu-
Mas a suspeita estava corre- nicípios vizinhos.
ta. O tal rapaz nervoso, que Estava tudo saindo bem, até
acabava de entrar numa van, que poucos instantes após en-
era Robson, prestes a fugir. Se trar na van para Brejo Santo, o
o plano de roubo aos dois ban- coletivo é abordado pela Polí-
cos não foi perfeito, se não trá- cia.
gico, a sua fuga tinha tudo pa- — Documento de todo mun-
ra ser perfeita. Trajetórias do, por favor.
Informações levantadas pela reportagem apontam para o
Durante o confronto, na ma- provável movimento de chegada dos policiais, bem como
O policial já pede olhando
drugada, enquanto via seus as linhas dos tiros que levaram às mortes para quem queria. Robson
comparsas fugirem de carro ‘perdeu’.
ou serem abatidos pela Polí- Sua prisão foi decisiva para
cia, Robson consegue sair de a localização de outros suspei-
cena, em meio ao tiroteio, e tos do ataque aos dois bancos
dar uma volta no quarteirão de Milagres. Porque a Polícia
para a rua por trás do Banco Mortos fica sabendo de uma casa, em
do Brasil. Na casa de portas e Chegada um bar, no distrito de Santo

+
janelas amarelas, de número da Polícia Antônio do Barro, no vizinho
120, enxerga uma luz acesa e município de Barro. É uma
Possíveis
mete o pé. ‘Dinda’, já acorda- trajetórias de tiro área que faz limite com Mila-
da por conta dos estampidos, gres e Missão Velha.
tenta não entrar em pânico. Provável Com apoio aéreo do Cio-
concentração
— Não vou fazer nada. paer, os policiais em terra OITO PRESOS PELO ATAQUE
ilva

de policiais
as

A mulher continuava apavo- prendem o dono do bar e a es- RobsonJosédosSantos


do S

rg
Va

rada, afinal, entrar àquela ho- posa. Um suspeito que acaba- GianSidneyWynneSantos
eral

te

ra em sua casa já era fazer. va de chegar é morto. Confor- CíceroRozelirdaSilvaCaldas


en
Esm

id

Com pistola e escopeta, dei- me a Polícia, após trocar tiros. GeronilmaSerafimdaSilva


es

P
Prefeitura
Pr
osé

xou-a refém da situação, as- Municipal


DenilsonMoreiradaSilva
R.

sim como os três filhos que,


R. J

Entre os comuns JainePereiraNogueira


dormindo, eram reféns sem Numa das linhas, investigado- GirlanAraújodosSantos
saber. res acreditam que na fuga pe- ErivanJesusdaLuz
lo matagal, os bandidos te-
Deu ruim riam jogado as armas para se-
Ao celular, falava que tinha da- rem confundidos com popula-
do errado. Precisava de di- res. Poderia gerar dúvida na
nheiro pra sair, e para isso Polícia, mas não para mora-
queria 300 reais. Na eternida- dor. “Aqui todo mundo se co-
Farmácia
de das horas até amanhecer, a Supermercado nhece. Quando não conhece,
mulher ficou ali, insone e sabe que é parecido com al-
preocupada. Ao seu modo, Farmácia
Banco guém que é familiar”, explica
ele também. do Brasil o mecânico Humberto Cha-
— Agora eu quero que você R. Pa
dre M gas, que trabalha e mora na
isael G
vá lá na lotérica e saque com omes saída de Milagres pela BR 116.
esse cartão. Os planos da quadrilha
Sem parar de pensar um só Bradesco
eram se dispersar pelas cida-
instante nos filhos, ‘Dinda’ lhe des e tomar rumo ignorado. O
obedece. Passa pela movimen- cerco, no entanto, só fechava.
tação de policiais e curiosos. Subiu a conta de mortos, subi-
Após sacar o dinheiro e vol- Fonte: Redação Diário do Nordeste ria a conta de prisões.
8 DN 7 de janeiro de 2019 Segunda-feira www.diariodonordeste.com.br

SEGURANÇA Matança em Milagres completa um mês e faltam respostas


Seis reféns e oito suspeitos foram mortos no dia 7 de dezembro após a Polícia
frustrar ataques dos criminosos. O bando já era monitorado semanas antes da
ação militar, que se revelou desastrosa, seguida da violação da cena dos crimes

#CrimesemMilagres Melquíades Júnior melquiades.junior@diariodonordeste.com.br

FOTO: MELQUÍADESJÚNIOR
Ação policial frustrou ataque a
dois bancos no município de
Milagres, mas deixou seis
reféns mortos. Caso é
investigado por uma
comissão especial
Ummêsda
madrugada

12
POLICIAIS AFASTADOS
AgentesdoGrupodeOperações
TáticasEspeciais(Gate)que
atuaramdiretamentenaoperação
emMilagresforamafastados
administrativamenteatéaconclusão
dasinvestigações

40
N
enhum real foi tira- no cenário principal da ocor- preparavam para frustrar os Poste na esquina do Bradesco,
do dos bancos de Mi- rência, que hoje completa um roubos, mas desconheciam a onde cinco reféns de Pernambuco
lagres, mas os sa- mês. Dezenas de depoimen- existência de reféns. tentaram se refugiar dos tiros
ques de armas des- tos após, recolhimentos de ar- Com prazo inicial de 30 dias
SERVIDORES carregadas deixa- mas e realizadas comparações vencendo na próxima quinta-
Policiaisciviseprofissionaisda ram o centro da pe- balísticas, a Polícia Civil já tem feira (10), as investigações, no
PeríciaForensedoEstadodoCeará quena cidade, em o enredo principal dos crimes entanto, seguem mantidas
(Pefoce)dãosuporteàcomissão suas ruas e calçadas, iniciados na madrugada da- sob sigilo. Um silêncio que só
queinvestigaasocorrências no vermelho. San- quela sexta-feira, em Mila- ocorreu após declarações pre-
relacionadasàtentativadefurtoaos gue era só o primei- gres. As forças de segurança cipitadas do prefeito munici-
bancosnomunicípiocearense ro de muitos rastros mortais monitoravam a quadrilha e se pal, Lielson Landim, do gover-
www.diariodonordeste.com.br Segunda-feira 7 de janeiro de 2019 DN 9

SEGURANÇA
FOTOS:ANTÔNIO RODRIGUES

nador do Estado, Camilo San-


tana, e do então ministro da
Defesa, Raul Jungmann. Em to-
das elas, o tom de sucesso na
cruzada contra o crime, em
que Bradesco e Banco do Bra-
sil foram salvos.
Não demorou muito para
vir à tona o drama dos sobrevi-
ventes: Laurinda, 64, vê a fi- Cena do crime foi periciada na
lha Edneide morrer em seus manhã de sexta-feira e nos dias
braços, dentro do carro na ro- seguintes. Prazo inicial de
dovia, após sofrer tiro que, na conclusão das investigações
mesma sequência, atingiu um encerra dia 10. Abaixo, detalhe da
dos suspeitos. O marido Fer- calçada do Bradesco, onde os
nandes, 62, e outro filho, reféns foram mortos
Genário, 37, presenciam o tiro-
teio em frente aos bancos. “Vo-
cês mataram minha irmã”, dis-
se o rapaz a um policial. Além
da cearense Edneide, morre-
ram outros cinco reféns de
uma mesma família pernam-
bucana.
“Tive pessoas próximas a
mim que também foram víti-
mas de violência nos estados
onde morei e trabalhei, por is-
so, compreendo toda dor e re-
volta pelas quais estão passan-
do”, afirmou dias após a ocor-
rência o secretário de seguran-
ça, André Costa. É dele, por-
tanto, que as famílias esperam postas trajetórias de fuga dos
resposta, especialmente após
uma obviedade: a cena do cri-
suspeitos e ouvimos diversas
testemunhas do episódio da Demãosdadas,
refénseramescudo
me foi violada pela Polícia Mili- madrugada, algumas delas an-
tar, que, por dever, deveria tes mesmo de serem ouvidas
protegê-la até a chegada da Pe- pela Polícia. Os investigado-
rícia Forense. res, da comissão formada pa-
ra dar suporte à “apuração ri-
‘Socorrer’ gorosa”, tentam manter o si- Só os gritos de Bradesco. Uma moradora da
As primeiras dez mortes ocor- lêncio, mas em Milagres as ja- Claudineide,41, além do mesma região central
reram entre 2h15 e 2h30, e às nelas tinham olhos e ouvidos. arrombamento de uma (identidade preservada)
2h50 já haviam sido retirados E câmeras. vidraça e dos tiros, rasgaram acordou assustada com uma
os corpos. Primeiro, dos cinco O Diário do Nordeste reve- o som da madrugada em pancada. Era a vidraça do

+
reféns, na caçamba da camio- lou com exclusividade, entre Milagres. Era o desespero Banco do Brasil sendo
neta do vice-prefeito Abraão os dias 10 e 12 de dezembro, diante dos primeiros estilhaçada como início do
Sampaio; depois, em ambu- detalhes da matança do dia disparos. Havia poucos ato criminoso. Atrás da
lâncias, os corpos dos três sus- que ainda não acabou. O que instantes, tinha descido do família pernambucana,
peitos e um quarto ainda com inicialmente ficou conhecido carro com o filho Gustavo e o estavam dois homens
vida. Em depoimento, os 12 como “tragédia em Milagres” esposo Cícero, além do encapuzados; à frente, o
RELAÇÃO DOS MORTOS
policiais do Grupo de Opera- teve repercussão na imprensa cunhado João Batista e o filho comboio de policiais e um
ções Táticas Especiais (Gate), internacional – publicado nos deste, Vinícius. Eram todos dos suspeitos que é abatido REFÉNS
que atuaram diretamente na jornais britânicos The Guar- reféns desde que a Ranger na calçada da Farmácia ClaudineideCamposdeSousa
ocorrência, alegaram a retira- dian e Daily Mirror e canais de de João Batista foi Santa Cecília. Claudineide Santos,CíceroTenóriodosSantos
da para “socorrer” as pessoas. TV dos Estados Unidos. interceptada na BR 116 por grita, e num dos eGustavoTenóriodosSantos
No entanto, pelo menos um O Governo de Pernambuco homens que planejavam apartamentos em cima da (mãe,paiefilho);JoãoBatistaCam-
dos adolescentes entre os cin- cobrou esclarecimento do fazê-los de escudo. Vinda de Farmácia, os moradores posdeMagalhãeseViníciusde
co reféns recolhidos na camio- Ceará. Dos seis reféns mortos, São Paulo e desembarcando ouvem e estranham “o que SouzaMagalhães(paiefilho);e
nete estava com a cabeça visi- cinco eram pernambucanos no aeroporto de Juazeiro do aquela mulher estaria FranciscaEdneidedaCruzSantos
velmente despedaçada por de uma mesma família. “O Norte com filho e esposo, fazendo ali”. A família
um tiro de grosso calibre. que houve naquela cidade foi Claudineide só queria chegar atravessa a rua para subir à SUSPEITOS
Recolhidas armas, munição uma chacina”, afirmou Pedro a Serra Talhada (PE). Às 2h, calçada do Bradesco e MacksonJúniorSerafimdaSIlva,
e corpos, os policiais ainda fi- Eurico, secretário de Justiça e encontravam-se os cinco de alcançar o poste, mas já é LucasTorquatoLoiolaReis,José
caram no local, por mais de Direitos Humanos de Pernam- mãos dadas, dividindo o pleno tiroteio. EraldodoNascimento,JoséGon-
quatro horas, à espera da aber- buco, apontando despreparo medo, a angústia e a missão A câmera da Farmácia Santa çaloLeiteSantos,CristianoFerrei-
tura das lojas, especialmente policial. Em resposta, o secre- de ser escudo. Estavam no Cecília, mais próxima do local radeMendonça,ClaudervanSan-
as que têm câmeras externas. tário André Costa prometeu cruzamento das ruas Padre onde os reféns foram mortos, tanadeAquino,CássioJosé
Uma semana após os cri- um trabalho “sério, imparcial Misael com José Esmeraldo, é dada como “inoperante”. GerônimodaSilvaeRivaldoAze-
mes, ainda percorremos as su- e técnico” dos investigadores. esta que dá calçada ao Mas havia outras. vedodosSantos.
14 DN 7 de fevereiro de 2019 Quinta-feira www.diariodonordeste.com.br

SEGURANÇA Tragédia de Milagres não foi solucionada, após dois meses


A sociedade ainda aguarda uma resposta para a trágica madrugada de
Milagres: quem matou os reféns? Feitas as investigações, o que dizem os
laudos? A reportagem apurou que um desfecho pode estar muito próximo

#TragédiaEmMilagres Melquíades Júnior melquiades.junior@diariodonordeste.com.br

Delegados e promotores da
comissão criada para
acompanhar o caso estão
realizando, durante esta
Dois meses
sem respostas
semana, oitivas com
testemunhas para esclarecer os
acontecimentos

Passados dois

J
á estão com os dele- te. Foram aguardados, on- ruídos de comunicação de
gados os laudos peri- tem, policiais militares do Co- um caso de “grande comple-
ciais das câmeras, ar- mando Tático Rural (Cotar), meses do dia, xidade”, conforme acompa-
mas e projéteis reco- mas eles não compareceram. os crimes em nhantes do episódio. Até ho-
lhidos após ação po- O Cotar esteve na cena do cri- je, o maior ruído veio das pró-
licial no dia 7 de de- me após as dez primeiras
Milagres estão prias autoridades: o secretá-
zembro, durante mortes – nas ocorrências no mais cercados de rio da Segurança, André Cos-
tentativa de roubo a centro de Milagres estavam ta, e o governador Camilo
bancos em Milagres, 12 policiais do Grupo de
sigilo do que de Santana quando, no calor do
que resultou em 14 Ações Táticas Especiais (Ga- mistério primeiro dia, destacaram o
mortos, sendo seis reféns. De te). êxito da frustração: bandidos
posse de novas informações, Passados dois meses do dia não conseguiram roubar os
delegados e promotores da que começou conhecido co- bancos. Tudo ganhou outros
comissão criada para acom- mo “trágico”, mas que o tem- contornos com o eco da frase
Cruzamento das ruas Padre Misael panhar o caso estão realizan- po revelou “desastroso”, os “vocês mataram minha ir-
com José Esmeraldo, onde a família do, durante esta semana, oiti- crimes em Milagres estão mã”, de Genário dos Santos
pernambucana foi assassinada, vas com testemunhas. mais cercados de sigilo do para um dos policiais do Ga-
estavailuminada, o que facilitaria a A fase atual é medir a con- que de mistério. O sigilo co- te, sobre, a irmã Edneide, to-
visibilidade duta individual de cada agen- mo uma forma de não gerar mada refém e depois morta.
www.diariodonordeste.com.br Quinta-feira 7 de fevereiro de 2019 DN 15

SEGURANÇA
A reportagem apurou que
evidências levam para a con-
firmação de que boa parte
tos apurados pela reporta-
gem: a área onde a família
pernambucana foi morta, no
Ummuroque
dos disparos que geraram víti-
mas teriam partido da dire-
ção onde estavam os policiais
cruzamento das ruas Padre
Misael com José Esmeraldo,
mantinha iluminação por pe-
nãoexiste
- “é hora de apontar as condu- lo menos dois postes muito
tas individuais”, disse um in- próximos do local. Conforme noticiado nesta carroçável logo em frente. De
vestigador. Diante das novida- semana pelo Diário do acordo com populares ouvidos
des, as defesas dos PMs parti- Rosto limpo Nordeste, as mortes em pelareportagem, a Polícia teria
riam para evitar, ainda assim, Foi dessa forma que ao me- confronto com a Polícia sido avisada de que eles não
a responsabilidade dos mes- nos duas testemunhas viram aumentaram cinco vezes em estariamarmados, embora
mos, com base em algumas as pessoas de rosto limpo seis anos no Ceará. O caso de fugindo. O próprio dono da
estratégias: dizer que o local (enquanto os suspeitos usa- Milagres não escapou da residência pediu (e lhe foi dado)
estava escuro, que era impos- vam balaclava) dando-se as palavra “confronto” mesmo tempo de retirar a filha de cinco
sível distinguir quem era “re- mãos, denotando que esta- após a madrugada. Porque a anos que dormia no quarto, para
fém” de quem era “bandi- riam, ali, de escudo. Outras caçada continuou ao amanhecer que os policiais ficassem, então,
do”. As roupas que vestiam mais, dentro de suas casas, do dia. Em depoimento, um dos sozinhos com os dois homens –
os reféns (alguns estavam ouviram os gritos de Claudi- policiais envolvidos diretamente dali seguiram-se disparos.
com jaquetas) também difi- neide, 41, após a primeira na abordagem que resultou em Em Brasília, ontem, o
cultariam outro entendimen- sequência de disparos. Não uma prisão e uma morte na governador Camilo Santana
to. Os policiais teriam feito, mais ouvidos depois da se- localidade de Campo Agrícola evitou falar sobre o caso: “as
assim, o “procedimento”. gunda sequência. narrou que, durante as buscas, investigações continuam, não
Para o caso de Edneide, a No decorrer das várias oi- foi informado por populares que posso falar nada”. A Secretaria
cearense morta com tiro na tivas realizadas nesses dois homens estranhos estariam de Segurança, em nota
cabeça enquanto era seques- meses, os investigadores fugindo para dentro de uma repetida, reafirma que “mais
trada no carro interceptado quiseram saber por que os casa. Localizada a residência, os informações serão repassadas
pelos suspeitos, policiais ale- corpos foram recolhidos da agentes desceram do carro e em momento oportuno para não
gam que, após um refém ter cena quando havia evidên- empreenderamperseguição, comprometer o andamento dos
sido colocado no capô do car- cias de que não tinham mais chegando a pular um muro para, trabalhos investigativos”.
ro, e após ter saído de cima, vida – um dos adolescentes, então, encontrar os suspeitos Enquanto isso, completos 60
ficaria difícil acreditar que Gustavo ou Vinícius, estava dentro da residência. Um morto dias desde os crimes em
restariam outros reféns den- com o cérebro exposto em debaixo da cama, outro, em Milagres, a população local,
tro – estavam Edneide e a pedaços. cima do colchão, foi algemado. ainda assustada, pede
mãe Laurinda. Isso porque os “Só sei que a culpa não é Ambos levados para dentro da esclarecimento. Familiares dos
laudos já apontariam para o nossa”, disse ontem um dos viatura. Conforme se vê na foto, reféns mortos ainda pedem
disparo feito pela Polícia. policiais do Gate, dizendo-se não há muro na residência nem justiça. A dúvida, até o
Mas nem tudo se sustenta, confiante com o andamento próximodela, apenas um momento, é qual “versãodos
conforme outros apontamen- das investigações. corredoraberto para a estrada fatos” prevalecerá.
FOTOS:THIAGO GADELHA

Corredor lateral da casa na


localidadede CampoAgrícola, zona
ruralde Milagres, por onde dois
suspeitos tentaram fugir e foram
abordados dentro da residência.

12
POLICIAIS PARTICIPARAM
DAS OCORRÊNCIAS
Nasocorrênciasnocentrodacidade
deMilagres,estavam12policiais
pertencentesaoGrupodeAções
Táticasespeciais(Gate).

14
PESSOAS MORRERAM
DURANTE A AÇÃO
Naaçãopolicial,acontecidaem
Milagresnodia7dedezembro
último,14pessoasmorreram,
sendoseisreféns
VERSO Edisca apresenta espetáculo de dança 'Estrelário'

14 deMARÇO de2019 Ano 38/Nº 13218


QUINTA-FEIRA R$ 3,00
Fundador:Edson Queiroz
www.diariodonordeste.com.br

Laudo
Laudodedebalística,
balística,inquérito
inquéritopolicial
policialeeinvestigação
investigaçãojornalística
jornalística
apontam
apontampara
paramortes
mortesdedereféns
refénspelos
pelosPMs
PMsememoperação
operação
na
nacidade
cidadede
deMilagres,
Milagres,em
emdezembro
dezembrodo doano
anopassado
passado P.2
P.2AA55

Massacre em escola de SP gera debate sobre insegurança P.24 e 25


2 DN 14 de março de 2019 Quinta-feira www.diariodonordeste.com.br

DESTAQUE MATANÇA REVELADA #CrimesEmMilagres Melquíades Júnior melquiades.junior@diariodonordeste.com.br

Perícia confirma mortes por tiros de fuzil


A Polícia Civil já tem confirmação do laudo de balística das
mortes em Milagres. Investigação jornalística vai fundo no caso
e monta o quebra-cabeça que responde quem matou os reféns

Mortos
+
pelaPM
REFÉNS MORTOS

A
ClaudineideCamposdeSousaSantos,Cícero série de evidências obtidas do principal já levantado pe- acesso a documentos sigilo-
TenóriodosSantoseGustavoTenóriodosSantos desde a trágica madrugada de los investigadores: os reféns, sos, várias visitas às cenas dos
(mãe,paiefilho);JoãoBatistaCamposdeMaga- 7 de dezembro, no município além dos próprios suspeitos, crimes, encontro com diver-
lhãeseViníciusdeSouzaMagalhães(paiefilho);e de Milagres, colocou os inves- foram mortos na madrugada sas testemunhas oculares e ou-
FranciscaEdneidedaCruzSantos tigadores numa estrada de pelos policiais militares do tras fontes que direta ou indi-
pouco ou nenhum atalho. Grupo de Ações Táticas Espe- retamente acompanham o ca-
SUSPEITOS MORTOS Não bastassem os depoimen- ciais (Gate) que tentavam frus- so, considerado de “alta com-
MacksonJúniorSerafimdaSIlva,LucasTorquato tos de quem presenciou o tiro- trar o roubo aos dois bancos plexidade”, mais por sua gra-
LoiolaReis,JoséEraldodoNascimento,JoséGon- teio, sobre a ação policial, a da cidade. vidade do que por mistério.
çaloLeiteSantos,CristianoFerreiradeMendonça, confirmação de que projéteis As informações que seguem Muitos não querem ser iden-
ClaudervanSantanadeAquino,CássioJosé de fuzis atravessaram os cor- nesta reportagem são resulta- tificados, seja por medo ou
GerônimodaSilvaeRivaldoAzevedodosSantos. pos dos reféns reafirma o enre- do de três meses de apuração, por obrigação, em meio ao
www.diariodonordeste.com.br Quinta-feira 14de março de 2019 DN 3

1
Reféns mortos
1.João Batista
2.Vinícius Magalhães
3.Gustavo Tenório
4.Claudineide Campos
DESTAQUE
5. Cícero Tenório
6.Edneide da Cruz

2
silêncio das forças de seguran- zembro, em que está aponta- A Polícia estava no encalço
ça “para evitar pré-julgamen- do “que chegou a ver os crimi- da quadrilha que vinha ater-
tos”, disse um policial. No en- nosos atirando contra os poli- rorizando pelo menos três es-
tanto, desde o primeiro regis- ciais”, tal afirmação nunca te- tados nordestinos. Com a in-
tro da ocorrência, consta co- ria ocorrido, segundo a teste- formação, via escutas, da imi-
mo latrocínio (roubo seguido munha. A reinquirição de seu nência de um novo ataque, a
de morte) na ficha dos suspei- pai, três dias depois por ou- hipótese era de que fossem
tos presos após a tentativa de tra equipe da Polícia Civil, já os mesmos que atacaram a
furto aos bancos. Alguns deles deixava claro “que os poli- agência do Bradesco em Aba-

3
não possuem antecedentes cri- ciais atiraram na sua direção ré, na Bahia, em três diferen-
minais. na intenção de matá-los, pois tes momentos: novembro de
Testemunhas oculares di- foram muitos tiros na direção 2016 e nos meses de junho e
zem não ter dúvida de que par- do declarante e de seu filho”. novembro de 2018. Grupo in-
tiram da PM os tiros que mata- A família de Edneide, a cea- terestadual que poderia estar
ram os reféns. Com a rense morta, declarou pelo por trás, também, da explo-
constatação, pelo laudo de ba- menos duas vezes aos Poli- são do Banco do Brasil em No-
lística, das mortes por tiros de ciais civis que os tiros obser- va Olinda, em julho de 2017.
fuzil, tem-se mais um contra- vados, tanto em sua direção Em todas essas situações,
ponto à, já insustentável, afir- quanto na dos assaltantes, vi- o mesmo “modus operan-
mação de policiais de que vi- nham dos policiais militares. di”: uso de reféns na madru-

4
ram reféns sendo mortos pe- Uma ação que começou gada, tiros contra destaca-
los próprios assaltantes. Ou- “surpreendente”, seguida de mento policial e invasão aos
tra evidência está em docu- “trágica”, “desastrosa” e, bancos visando chegar aos
mentos a que tivemos acesso após as investigações vem se cofres. O elemento surpresa
e diz respeito às apreensões revelando criminosa. era o ponto forte dos ata-
das armas usadas pela quadri- ques. Em Nova Olinda, uma
lha, que portava pistola Ponto A ocorrência adolescente comemorava
40, revólver 38 e espingarda A quinta-feira, 6 de dezem- seu aniversário de 15 anos
calibre 12mm. Nenhum fuzil. bro, era o começo do fim. Pelo com amigos na calçada de ca-

5
Os reféns sobreviventes menos 36 policiais militares, sa quando foi abordada pe-
Genário e Fernandes, irmão e divididos em três grupos de los criminosos.
pai da cearense Edneide, res- 12, ficam de prontidão em — O que faz a essa hora na
pectivamente, confirmam, as- ruas paralelas aos bancos em rua?
sim como outras testemu- três cidades do Cariri: Brejo — Comemorando meu ani-
nhas ouvidas pela reporta- Santo, Missão Velha e Mila- versário.
gem: não houve sequer tem- gres. Tinham motivo: dias an- Era só um motivo para usá-
po de disparos dos suspeitos. tes, escutas telefônicas davam la como refém na fuga, sendo
Ao contrário do primeiro conta de que uma quadrilha liberta com outros moradores
depoimento de Genário Lau- interestadual iria atacar ban- quando a quadrilha deixava o

6
rentino, na manhã de 7 de de- cos na Região. centro da cidade.
4 DN 14 de março de 2019 Quinta-feira www.diariodonordeste.com.br

DESTAQUE


Fim de ano em bancos do In- ro vira refém. Surge um Celta Banco do Brasil. Dois homens to os suspeitos, logo de reta-
terior significa cofre cheio, so- preto, dirigido por Genário, quebram a vidraça da mesma guarda, tentavam se esconder
bretudo com dinheiro de apo- que veio com os pais Fernan- agência e seguem em direção atrás de um poste.
sentados e servidores públi- des e Lurilda buscar a irmã Ed- às demais portas. A intenção é Pegos de surpresa e sem
cos. A Polícia Militar sabia dis- neide, vinda de São Paulo. colocar a carga explosiva no conseguir fazer disparos de re-
so e queria fazer do fator sur- Numa Ranger, também vin- Bradesco. vide, os assaltantes tentam fu-
A verdade é que presa o revés dos assaltantes. dos do Aeroporto de Juazeiro Às 2h10, os suspeitos e re- gir. Um deles é alvo de um dos
Sob o comando do major do Norte, estavam João Batista féns são surpreendidos com policiais posicionados na rua
eles (policiais) Antônio Gonçalves Cavalcan- e o filho Vinícius. Os dois fo- uma sequência de tiros dispa- lateral e já cai sem vida. Outro
começaram os te, uma equipe de 12 homens ram buscar Claudineide rados pelo Gate. Os primeiros é abatido na frente da Farmá-
do Gate é colocada a postos (cunhada de João), seu esposo em direção à entrada do Bra- cia Santa Cecília.
tiros e não em carros descaracterizados Cícero e o filho Gustavo. Todos desco, onde os explosivos já Outros dois ainda tombam
contaram por trás da Prefeitura de Mila- para passar o Natal na casa de eram colocados. As cinco pes- próximo à Prefeitura, e um ter-
gres e em ruas paralelas, todas João Batista em Serra Talhada. soas da família pernambuca- ceiro conseguiria cruzar a rua,
conversa se tinha próximas ao Banco do Brasil e As famílias são abordadas na são colocadas em fila, de dobrar à direita e invadir a ca-
refém ou não” Bradesco, agências vizinhas. pelo bando, distribuídas entre mãos dadas, como escudo de sa de Edilânia, mantendo-a re-
quatro carros e levadas para o dois assaltantes, no cruzamen- fém com os filhos de um, oito,
Testemunha ocular 1 Interceptados centro de Milagres, ao encon- to das ruas Padre Misael Go- 11 e 13 anos de idade.
Identidade preservada Por volta de 1h30, o motorista tro dos bancos, da Polícia e da mes com José Esmeraldo, mui- Na BR-116, tentando escapar
Isaquiel Silveira, segue em um morte. Antes, os sequestrado- to próximo a um poste. do tiroteio no Centro, três sus-
caminhão da transportadora res tentam incendiar a S10 em A PM dá um tiro de fuzil e peitos fogem no Celta com Lu-
FedEx em direção a Fortaleza, que vieram para abordar o ca- acerta a cabeça de um dos ado- rilda e a filha Edneide. Ainda
“Assim que com seu filho menor de idade, minhão, jogando gasolina por lescentes (Gustavo ou Viní- pegaram o aposentado Zé Li-
quando é abordado na BR- 116 cima. Não conseguindo atear cius). Claudineide grita num ma, que abriu a porta para ver
acabou, a por uma camionete S10, já ten- fogo no primeiro instante, e desespero que é ouvido por di- o que era. Estava ali de escu-
Polícia ficou do passado 5km da entrada de na pressa, desistem. Às 2h, os versas pessoas, incluindo as do, obrigado pelos bandidos a
Milagres. Rendido pelo ho- carros cortam o silêncio do que estão em suas casas (acor- se segurar no capô do carro.
na madrugada mem armado e encapuzado, é centro de Milagres e passam daram com a quebra da vidra- Na casa do Zé, um dos sus-
buscando as obrigado a posicionar o veícu- pelos policiais, que aguardam ça do Banco do Brasil, antes peitos segura a sua esposa fir-
lo atravessado na rodovia. O o “momento certo”. do primeiro tiro). Deitados no me pelo braço e aponta uma
lojas que tinham homem dá um tiro em um chão, Genário e o pai Fernan- arma de cano longo para sua
câmeras” pneu dianteiro e, ao dar a vol- Hora do agora des veem claramente que são cintura. Ela consegue se soltar
ta para acertar o outro, Isa- A deixa acontece quando to- pessoas “vestidas normalmen- e corre para dentro de casa.
Testemunha ocular 2 quiel corre para o matagal dos saem dos veículos, com te”, porque até então só viram “Meu Deus, ele poderia ter ati-
Identidade preservada com o filho. exceção do Celta, onde estão os “encapuzados”. rado em mim ali”, pensou de-
Pelo menos dois carros do os reféns Genário e Fernan- Não demora e uma rajada pois. Tiroteio segue ao fundo.
bando esperam os próximos des. Filho e pai são retirados e de tiros de fuzil elimina um a - Pula, pula!
veículos. Quem chegar primei- ficam sentados na calçada do um os outros reféns, enquan- Era um dos bandidos dizen-
do a Zé Lima, em cima do ca-
pô, que saísse dali. Havia um
fotossensor não muito longe,
tê-lo em cima do carro não era
suspeito, mas evidente.
-Pula!
O aposentado, apenas com
um calção de dormir, obedece.
“Seja o que Deus quiser”. Caiu
próximo ao acostamento e fi-
cou imóvel esperando que ali
fossem atirar. Em casa, a esposa
reza diante de um pequeno al-
tar que tem em casa, pedindo às
santasque o marido volte são.
Com as pernas tremendo, o
aposentado caminha pela ro-
dovia. Alcança um posto de ga-
solina. Bate na porta, grita, pe-
de que apareça alguém. Nada.
Pega o rumo de volta para a ci-
dade e alcança a casa de um
parente. Liga para a esposa,
que chora aliviada.
A PM fecha o cerco ao Celta
e atira. Edneide, que vinha no
centro do banco traseiro, é al-
vejada com um tiro que atra-
vessa o olho direito. Tem mor-
te imediata. Outro acerta o as-
saltante que também vinha no
banco traseiro. O motorista
acelera o carro para furar o
cerco, quase atropelando um
dos policiais antes de abando-
nar o veículo e fugir, sendo en-
contrado mais tarde.
www.diariodonordeste.com.br Quinta-feira 14de março de 2019 DN 5

Não houve tentativa de socorro às vítimas, diz testemunha


Após os disparos de fuzil que fizeram as vítimas tombarem, policiais não
teriam buscado verificar sinais de vida. Estava clara a morte. Os adolescentes
DESTAQUE
pernambucanos estão entre os primeiros reféns mortos na ação desastrosa.

#CrimesEmMilagres Melquíades Júnior melquiades.junior@diariodonordeste.com.br

Aprimeira
No dia 7 de dezembro, 14
inda no mês de dezem- pessoas, entre elas seis reféns,

A bro, a reportagem reve-


lou que os corpos de cin-
co reféns foram empilha-
dos na caçamba do veícu-
são mortas durante operação
policial que combatia ataques a
dois bancos em Milagres.
Investigação jornalística revela

fotovirou
lo Amarok, de propriedade do mais detalhes da matança
vice-prefeito da cidade,
Abraão Sampaio. Outros cor-
pos, dos suspeitos dos ata-
ques, foram levados em segui-
da em duas ambulâncias.

aúltima
Testemunhas oculares ob-
servaram que, uma vez cessa-
dos os tiros, não houve verifi-
cação de sinais vitais em qual-
quer das vítimas fatais. Antes
do vice-prefeito, chegou ao lo-
cal o Tenente Georges, secre-
tário municipal de Segurança
de Milagres. Um dos policiais
havia lhe pedido, minutos an-

+
tes, que providenciasse veícu- FOTO: ARQUIVO FAMILIAR

los para “juntar os corpos”.


Eram Vinícius com o pai João
Batista e Gustavo com os pais
Claudineide e Cícero. Depois,
os suspeitos. O QUE DIZ A SSPDS
Seria, agora em morte, a se- Emnota,aSecretariadeSeguran-
gunda viagem de carro que fa- çaPúblicaeDefesaSocialdoEsta-
ria na mesma madrugada a fa- dodoCearáinformouqueainvesti-
mília pernambucana após gaçãosegue.“Maisinformações
aterrissagem no Aeroporto de serãorepassadasemmomento
Juazeiro do Norte. Na primei- oportunoparanãocomprometero
ra, quando entravam na Ran- andamentodostrabalhosinvesti-
ger de João Batista, Vinícius ti- gativos,queestãoemfasedecon-
rou uma selfie com seu celular clusão”.Natardedeterça-feira,
e encaminhou para a mãe. Es- 12,osecretárioAndréCostaafir-
tava feliz de rever a tia e o pri- mouquenãotemoslaudosenão
mo quase de sua idade. estáautorizadoafalarsobreocaso

“Chegamos”
O mês de dezembro seria de
muita celebração na família.
Cleoneide segura o celular do
sobrinho e faz a foto do “che-
gamos”, enviada aos familia-
res pelo WhatsApp. Os dois
pais, João Batista e Cícero
Tenório, vão na frente conver-
sando. Tem afinidades de as-
suntos, pois ambos trabalha-
vam com negócios de produ-
tos eletrônicos - João Batista
sempre fazendo as compras Na estrada após chegarem a ocupar uma área quase deser- — Mão na cabeça, vagabundo!
em São Paulo, onde já havia Juazeiro do Norte, Claudineide e o ta. As câmeras mostraram sua Era um dos homens que ha-
morado. filho Gustavo fazem selfie com aproximação. viam chegado e ele observava.
A viagem durou cerca de 50 Vinícius, que foi buscá-los Assustado, entra na padaria e
minutos. Terminaria já passa- Outros ângulos baixa a porta. Passados dez mi-
dos cinco quilômetros depois Um padeiro também observa, nutos, ouve a sequência de ti-
da entrada à direita, que dá pa- sem saber que ali havia re- ros, que demoraria outros 25
ra Milagres. Até terem que vol- féns, apenas percebendo duas minutos. Logo após, outras vo- Familiares
tar, por ordem de seus seques- picapes com faróis altos ofus- zes: “Foram embora”. “Um chegavam para
tradores. cantes. Ainda viu quatro ho- morreu”. Percebendo calma-
Após o primeiro sorriso, só mens descendo “encapuza- ria, resolve sair para a rua. Era
passar Natal em
restou pânico. Chegando ao dos”, dois deles com armas na o momento em que policiais suas cidades de
Centro de Milagres, desceu na mão, espingardas calibre 12. colocavam os corpos da famí-
Rua José Esmeraldo, próximo Ouviu falas nervosas vindas lia na caçamba da Amarok do
origem no Ceará e
ao Bradesco, começando a da direção dos carros. vice-prefeito de Milagres. em Pernambuco
www.diariodonordeste.com.br Sexta-feira 15 de março de 2019 DN 11

Depois da tragédia, parentes das vítimas amargam prejuízos


A loja da família em Serra Talhada foi fechada, o veículo teve perda total. Em
Brejo Santo, parente tenta recuperar o Celta após as rajadas de tiros
SEGURANÇA
#CrimesEmMilagres Melquíades Júnior melquiades.junior@diariodonordeste.com.br

Após periciados, os veículos das


famílias usados pelos
criminosos no ataque aos
bancos em Milagres foram
liberados. Porém, ficou o
prejuízo dos reparos, além da
trágica lembrança das
ocorrências dentro deles

Continuar
ada fica no lugar para

N quem ficou. Continuar a


vida após a morte dos ou-
tros é também transfor-
mar a engrenagem de vi-

semosoutros
ver. Cláudia, esposa de João
Batista, de Serra Talhada, sa-
be muito bem. A loja da famí-
lia, Magalhães Informática,
não durou sem seu idealiza-
dor. O estabelecimento está fe-
chado, e com ele, os rendi-
mentos se foram.
Informática é um ramo com-
plexo, mas era o negócio de
FOTO: JL ROSA

João Batista. Morou um tem-


po em São Paulo, pegando o
jeito de encontrar as novida-
des tecnológicas. Quando vol-
tou a morar em Serra Talha-
da, queria abrir uma loja. O ir-
mão Daniel Magalhães preten-
dia instalar uma de frios. João
pergunta, como quem pede, “Ficamos no
que faça isso temporariamen- prejuízo. A loja era
te em casa, para que ele pudes-
se colocar a empresa de infor-
nosso
mática. Um negócio que vinha rendimento, era o
dando bem certo.
trabalho do meu
Lucro vem depois marido”
“Meu irmão tinha um jeito di-
ferente de fazer negócios. Ele Cláudia Magalhães
não tinha a preocupação de Viúva de João Batista
vender a qualquer custo. Às Fachada da loja de João Batista, morto em Milagres. O estabelecimento funcionou por menos de um mês após a
vezes, chegavam pessoas que morte de seu proprietário. Um aviso está pregado na porta anunciando o fechamento
você via que eram mais humil-
des, ele sugeria produtos “Meu sobrinho
bons, que atendessem àquela porto de Juazeiro do Norte foram para serem periciados. legacia até os consertos no veí-
necessidade. Se fosse outro es- com esposa e filho. Familiares de Edneide culo, que não apagam as mar-
tem 10 anos, ficou
tava preocupado em vender o Também o veículo da famí- Cruz, em Brejo Santo, conse- cas da violência: tiros por to- sem o pai. Quem
mais caro, o que desse maior lia, uma Ford Ranger tomada guiram de volta o Celta, este dos os lados. Pelo menos um
retorno”, explica Daniel. pelos criminosos durante a usado pelos criminosos, tam- dos projéteis furou o tanque
vai arcar com os
João Batista fazia viagens de tentativa de roubo aos ban- bém onde morreram a pró- de combustível, que precisou custos de criar?”
rotina a São Paulo para trazer cos, teve declarada perda to- pria Edneide e um dos suspei- ser remendado, demandando
novidades. Tinha o apoio de tal. Além disso, celulares dos tos dos ataques. Mas Genário custos altos, quase R$ 5 mil. Daniel Magalhães
Cícero Tenório que, em 6 de reféns ainda estão de posse da Laurentino, o irmão, precisou Uma complicação para a famí- Tio de Vinícius Magalhães
dezembro, chegava no aero- investigação, recolhidos que custear desde o reboque na de- lia simples de agricultores.
12 DN 15 de março de 2019 Sexta-feira www.diariodonordeste.com.br

SEGURANÇA Familiares dos reféns cobram Justiça


Filhos, viúva, irmãos e irmãs dos reféns mortos em Milagres tentam retomar
suas vidas após as perdas. Em Serra Talhada (PE), parentes cobram uma
resposta do Governo do Ceará e reclamam da falta de qualquer contato

#CrimesEmMilagres Melquíades Júnior melquiades.junior@diariodonordeste.com.br

Cinco pessoas da mesma família


de Serra Talhada, em
Pernambuco, foram mortas na
Dorememória
emSerraTalhada
madrugada de 7 de dezembro
de 2018, no município de
Milagres, no Cariri. Parentes
tentam retomar a vida

T
êm coisas que vêm — Não, mãe. Uns bandidos so, João Batista (filho de Antô- dia 6 de dezembro, quando
de repente: pegaram eles - disse, antes de nia), e o filho mais velho, Viní- João Batista estava certo de ir
— Mamãe, venha concluir. cius. Sthefany, sua sobrinha, tarde da noite a Juazeiro bus-
cá. — CADÊ VINÍCIUS? E JOÃO perdeu pai (Cícero), mãe (Clau- car Claudineide, sua cunhada,
Era Joana Darque BATISTA? E O PESSOAL QUE dineide) e o irmão (Gustavo). seu marido Cícero e Gustavo,
chamando Antônia, VEIO DE SÃO PAULO? A família de Serra Talhada, filho do casal.
que estava de joelhos — Também, mãe. em Pernambuco, quer saber o — Minha loira, posso levar
na igreja, às 5h da ma- Porque “também” vira al- que vai acontecer de agora em Vinícius comigo? Porque eu li-
nhã, em oração cole- gum consolo para não repetir diante sobre o caso de Mila- guei pros meus amigos e nin-
tiva na vigília para a palavra “morreu”. gres. Porque com eles já acon- guém tá atendendo.
Santa Edwirges. Se afasta um “Acabou-se todo mundo”, teceu e é inesquecível. — Pode levar, filho, leve.
pouco até a sacristia. concluiu Antônia de Lourdes. “Têm dias que eu tô ótima, A essa altura, João Vitor, 10
— Diz, Darque. A mãe de João Batista sai gri- têm dias que tô arrasada”, diz anos, irmão mais novo, queria
— Não, venha mais pra cá. tando pelas ruas. “Meu filho. Cláudia. No dia em que nos en- ir também.
— Diz, Darque. Meu neto. Todo mundo”. contramos, em sua casa, esta- — Não, você vai ficar, por-
— Não, mãe… Toda perda é trágica. Per- va “mais ou menos”. Era 8 de que você vai cuidar de sua
Mãe sente: der alguém numa tragédia é março, Dia Internacional da mãe.
— Minha filha, aconteceu ser refém da surpresa. E a mor- Mulher, uma data sempre co- O menino chorou, depois
um acidente com João Batista? te matada, não morrida, pare- memorada pelo casal desde aceitou. Ainda brincou uma
Sabia que o filho tinha viaja- ce guardar em si uma dor ain- que eram só namorados, há partida de dominó com o pai,
do para Juazeiro, buscar Clau- da mais precoce. Antônia e mais de 20 anos. De receber a última antes de dormir. Foi a
dineide, Gustavo e Cícero. Cláudia (perderam filhos) ten- presentes e declarações do ho- última.
— Foi. tam entender, mas principal- mem que só a chamava de “mi- A despedida de casa, Cláu-
— Oh, meu Deus! Foi veloci- mente esperam que lhe enten- nha loira”. Nem precisava da- dia guarda, porque João fitou
dade, não foi? dam. Cláudia perdeu o espo- ta, só pretexto. Foi assim no a esposa e beijou:
www.diariodonordeste.com.br Sexta-feira 15 de março de 2019 DN 13

SEGURANÇA
O chefe de polícia abaixa a
cabeça e sai. Com menos de
cinco minutos, vem uma mo-
ça e lhe anuncia a morte.

Perder um filho
“Foi o pior momento, saber
que um filho seu morreu, e da
forma como foi”. Dessa “for-
ma como foi” que a família
queria esclarecimentos das
forças de segurança do Ceará,
até eles serem informados,
por meios próprios, que inves-
tigadores afirmaram os tiros
terem partido dos fuzis.
“A gente não quer punir nin-
guém, até porque a justiça di-
vina vai tomar conta de tudo,
mas a gente quer responsabili-
zar as pessoas que realmente
têm que ser responsabiliza-
das”, afirma Daniel Maga-
lhães, irmão de João Batista.
Tenta ser uma peça forte na
família já muito unida, e perce-
be que a tragédia não afetou
somente a eles. “Os policiais
são pais de família, sei que
não estão lá para matar ino-
centes. Eu acredito na Justiça,
acredito no laudo da Polícia,
FOTO: JL ROSA no sistema de inteligência,
que é pra isso que serve: prote-
ger o cidadão. Mas não houve
proteção em nenhum momen-
to à minha família lá. Não hou-
ve disparo de arma de bandi-
do, que a gente sabe. A Polícia
não diz, mas a gente sabe”.
Por ora, a família segue e es-
pera esclarecimentos. Quan-
do o inquérito for concluído, e
a denúncia for apresentada
formalmente, pretende acio-
nar a Justiça para que o Estado
do Ceará faça algum reparo
aos que ficaram. A loja da famí-
lia, no centro de Serra Talha-
da, está fechada, e não há
mais rendimentos dos negó-
cios. Estefferson Nogueira, ad-
vogado de defesa, diz estar
confiante no trabalho dos in- “O que ajuda
vestigadores.
João Vitor dá forças à mãe,
nossa família a se
Cláudia, que fortalece Sthe- segurar com tudo
fany, a sobrinha que ficou em
São Paulo e perdeu pai, mãe e
isso é a fé e a
irmão. união”
Quase diariamente, as duas
Antônia de Lourdes relembra os momentos festivos da família Magalhães na casa de seu filho João Batista compartilham no WhatsApp a Antônia de Lourdes
insônia da madrugada: Perdeu filho e neto
— Tia, eu tô sem sono.
— Cê sabe que eu te amo e nada, nada. Dormiu mal, se segura. — Eu também, filha.
muito? mas amanheceu. Saindo do — Ô, Cláudia, mataram o — Tia, parece que a gente tá
— Sei. Eu também te amo quarto, a campainha toca. Era galego… passando por uma provação “Diziam que ia
muito, João. Reginaldo, seu cunhado. A outra pior notícia da vida tão grande que um dia a gente
Cláudia volta da porta e dá Ele tinha ouvido falar das da mulher veio já na Delegacia vai ter uma grande recompen-
chegar
um outro abraço. mortes, dos nomes, mas foi de Polícia de Brejo Santo. Viní- sa, vai ter alguma maravilha assistência
— João, sabia que eu te amo? com um fio de esperança até a cius não tinha levado docu- na nossa vida. Olha, tia, têm
Nunca esqueça disso. casa do irmão, ver se estava mento, o delegado queria ter horas que me dá um desespe-
psicológica. Veio
— Eu sei. dormindo. Cláudia abre o por- certeza, e perguntou a ela algu- ro. Dá vontade de eu ir aí pe- nada”
E foi. tão, Reginaldo olha para a ga- ma característica. gar você e o João Vitor e a gen-
Já passava de três horas da ragem vazia e enche os olhos, — É um loirinho de olho ver- te sumir no meio do mundo. Vera Magalhães
madrugada, Cláudia liga, liga abraça a cunhada como quem de. E tá com tênis vermelho. Sem destino… Perdeu irmão e sobrinho
14 DN 16 de março de 2019 Sábado www.diariodonordeste.com.br

SEGURANÇA Testemunhas relatam o medo por “saber demais”


Reféns que presenciaram a ação em Milagres e outras testemunhas que
tiveram a casa invadida continuam preocupados. Familiares de Edneide
temem por suas vidas desde que relataram a ação dos policiais na madrugada

#CrimesEmMilagres Melquíades Júnior melquiades.junior@diariodonordeste.com.br

Após revelar, com


exclusividade, de onde partiram
os tiros que mataram os reféns,
a reportagem acompanha o
temor das testemunhas da
Omedode
quemviu
ocorrência. Pessoas hoje
reféns do medo

O
peso da verdade dói “porque Deus não deixou”, gido com um tiro na cabeça: a ram a movimentação dos poli-
de diferentes formas conforme disse um dos PMs mulher refém grita. Era Clau- ciais para retirar as imagens
para Genário. Per- em depoimento, por tê-los dineide em desespero. Logo das câmeras dos estabeleci-
deu a irmã e a paz. confundido com os crimino- após, vem uma sequência de mentos ao redor.
Viu o que não que- sos. As balas corriam a miúdo disparos de fuzis, fazendo to- Mas viram que antes de apa-
ria, mas não conse- em sua direção e na de seu da a família tombar. Enquan- gar as cenas tentaram as pala-
gue negar o que lhe pai, Fernandes, enquanto es- to isso, dois suspeitos tentam vras: um dos policiais que ati-
veio aos olhos. Não tavam deitados próximo ao se esconder da chuva de balas rou contra o Celta preto toma-
bastasse tudo, viu Banco do Brasil, de frente pa- atrás do poste, cravejado com do pelos criminosos teria con-
suas palavras no cen- ra o Bradesco. “Deu pra ver tu- balas e pintado com sangue. firmado para outros que resta-
tro de reportagens em todo o do”. ‘Tudo’, agora, tem a ver No alto, um cartaz pregado ram um homem e uma mu-
País: “vocês mataram minha com os cinco parentes de Ser- anunciando “Hercólubus, o gi- lher mortos no carro.
irmã”. ‘Vocês’ seriam os poli- ra Talhada feitos de escudo pe- gante planeta vermelho se — Você matou minha irmã.
ciais, os mesmos que minutos los assaltantes. aproxima da Terra”. Verme- No mesmo instante à conclu-
antes tentaram lhe matar tam- Do chão onde estava, viu lho ficava o poste. Genário e são de Genário, o PM retira o
bém, mas só não conseguiram um dos adolescentes ser atin- Fernandes também observa- que disse, agora “não tinha
www.diariodonordeste.com.br Sábado 16de marçode 2019 DN 15

SEGURANÇA
mulher no carro não”. gitivo (de nome Robson, que
— Você matou minha irmã. depois seria o primeiro captu-
“Dava pra gente
Sua irmã e os outros. E rado) empurra a porta e faz en- ver que não era
Genário viu. Fernandes viu. Fi-
caram com medo, mas não
trarem os dois em casa.
A essa hora, uma das filhas,
bandido, que
querem recusar o compromis- de 7 anos, grita desesperada- tinha criança,
so com a verdade. “Nós somos mente. Além dela, Adilânia mulher. Estavam
evangélicos, sabemos que se- tem um bebê de um ano, uma
rá feita a justiça divina, pois menina de 11 e um menino de de mãos dadas,
Deus é maior que tudo. Quere- 13. O homem ordena silêncio, em fila”
mos deixar quieto agora. O e que apaguem as luzes.
que tivemos ali foi um livra- — Vão pro quarto! Genário Laurentino
mento grande. Mas, na vida, a Robson observa toda a movi- Agricultor, ex-refém, sobre os
gente tem que ser verdadeiro. mentação da Polícia pela jane- disparos que mataram cinco
Uma criança no meio disso aí, la veneziana. Os PMs vão e vol- pessoas também reféns
uma mulher, os trajes que eles tam na rua em busca do fugiti-
estavam dava para qualquer vo. Procuram até nos telha-
um reconhecer. A parte não dos, e nada.
estava escura. Aquela área es- Uma das irmãs de Adilânia li-
tava toda clara. Dava pra ver ga para saber se também ou-
bem. Estavam de mãos dadas, via os tiros. Tomada de refém,
andando em fila. E os bandi- dizia apenas que ‘sim’, en-
dos por detrás deles”. quanto era acompanhada pa-
ra qualquer lugar que fosse
O segundo descaminho dentro de casa. Quando a PM
Fernandes pergunta a um dos vai embora, Robson liga para
policiais onde estariam sua es- a “mãe”, dizendo que muitos
posa e a filha. Um dos agentes morreram, e precisa de dinhei-
convida para irem procurar. ro para sair.
Entram na viatura e seguem Quando o dia amanhece, Ro-
por mais de 20 minutos por es- bson ordena que Adilânia siga
tradas carroçáveis. Estavam até a Lotérica e saque uma
com os homens que efetua- quantia com um cartão que
ram os disparos contra eles lhe entregou. Temendo pelos
próprios e os outros. O tempo filhos, a mulher obedece. Pas-
passava e o grupo rodava en- sa em frente à cena do crime,
tre uma carroçável e outra. vê a movimentação policial.
Os ex-reféns ficaram assusta- Câmeras foram periciadas após tentativa de apagar os arquivos Vai à Lotérica e volta com R$
dos, porque, pela segunda 340. Entrega a Robson.
vez, eram levados para um lu- — Agora, preciso de uma
gar que não sabiam qual. Des- roupa do seu filho.
sa vez pela Polícia, aquela mes- Troca-se com bermuda
ma que fez tudo o que viu e ou- jeans, blusa amarela e chinela
viu. O medo só continuou. marrom do menino de 12
Foram as primeiras declara- anos. Sai da casa em busca das
ções de Genário, Fernandes e topics “de linha” que levam a
Lurilda, a mãe de Edneide, Brejo Santo.
que desconstruíram a fala da Aliviada, Adilânia corre pa-
Polícia: de uma operação exi- ra a casa da mãe com os qua-
tosa que frustrou ataque a ban- tro filhos e conta tudo. Logo a
cos. Não foi bem assim, e des- Polícia é avisada e consegue
de então o que era trágico vi- prender Robson dentro do co-

13
rou muito pior. letivo na estrada.
A ex-refém é chamada à De-
De mudança legacia para reconhecer o sus-
Pelo menos duas famílias mu- peito. Robson é colocado fren-
daram de casa e de bairro por te a frente com ela e a mãe, CÂMERAS RECLAMADAS
conta da ocorrência em Mila- sendo esta encarada por ele. paraperícia.Masalgumasforam
gres. Contamos suas histórias, “Deu um medo muito grande. declaradasinoperantes,comoada
com exclusividade, ainda no Ele ficou encarando assim, a Lotérica,nocircuitoexterno,eda
mês de dezembro. Têm em co- gente”, disse Terezinha, apa- FarmáciaSantaCecília.
mum a presença dos suspei- vorada e, ao mesmo tempo, TestemunhasrevelamqueaPM
tos dos ataques em algum mo- aliviada que não fez nada com tentouapagararquivosdeimagens
mento da fuga. A primeira in- os netos. “O trauma que fica”.
vasão deu-se na casa de
Adilânia Pereira. Lugar amaldiçoado

R$ 340
Às duas da madrugada, sem A outra mudança de residên-
sono, estava de frente para a cia foi de José da Silva, o ‘Dé’,
TV fazendo o crochê para ven- na localidade de Campo agrí-
da. É seu passatempo e renda. cola, às margens da BR 116, em
Os tiroteios começaram, mas Milagres. Revelamos sua histó- FORAM SACADOS
ela achou que fossem fogos. ria com exclusividade ainda porAdilânia,tomadaderefémcom
Inapropriados “numa hora em dezembro. Um dos suspei- osquatrofilhosduranteafugados
dessas”. Abre a porta e já vê tos, desarmado e rendido, foi suspeitosdoataqueemMilagres.
um homem entrando na rua, executado dentro da casa de Comestevalor,Robsoniniciariafuga
correndo em sua direção. Não José pela PM que, em relató- emdireçãoàcidadedeBrejoSanto,
deu tempo fechar a porta. O fu- Câmera próxima dos reféns feitos de escudo é declarada “inoperante” rio, alegou “confronto”. masacaboupresopelamanhã
Verso Ícone dos anos 1990, tiaras são uma das apostas da temporada P. 2 e 3

8 de ABRIL de2019 Ano 38/Nº 13243


SEGUNDA-FEIRA R$ 3,00
Fundador:Edson Queiroz
www.diariodonordeste.com.br

Fatose
contradições
Milagres: reportagem tem acesso à denúncia
do MPCE. Texto ignora evidências e relatos de
testemunhas e isenta PMs da matança P.2 A 5

Preço de ovos Cartas e


de Páscoa afetos nos
sobe até 39% 293 anos de
neste ano P.30 e 31 Fortaleza P. 8 a 10
2 DN 8 de abril de 2019 Segunda-feira www.diariodonordeste.com.br

DESTAQUE PAPÉIS REVELADOS

#CrimesEmMilagres Melquíades Júnior melquiades.junior@diariodonordeste.com.br

Aconta
dosmortos

“ A
pós os fatos, as versões. Em te- dos a surpreender, as narrati- peitos presos de participação
se, sustenta-se melhor a que ti- vas das testemunhas, incluin- na quadrilha. A reportagem te-
ver mais evidências de verda- do os próprios sequestrados, ve acesso ao documento, con-
de. Ou a depender do peso de foi um balde de água fria. siderado intempestivo por
quem fala. Quando o saldo A madrugada não acabou, uns e incoerente por outros es-
parcial já resultava em seis re- mas o que se disse à noite não pecialistas consultados e que
Dois infratores encapuzados, féns mortos, a preocupação se sustentou de dia. Não mais já é motivo de divergências
utilizando-se de um ‘escudo pós-desastre era sobre na con- somente pelo que disseram as dentro do próprio Ministério
ta de quem iriam as mortes testemunhas, mas pela subse- Público. Ele foi oficiado quan-
humano’ formado pelos dos sequestrados para escudo quente investigação da Polícia do ainda era dada prorroga-
reféns, danificaram as portas humano pela quadrilha que Civil. No entanto, em desali- ção de 90 dias para conclusão
atacaria os bancos de Mila- nho com evidências aponta- das investigações justamente
dos dois bancos, gres. Se nas primeiras horas das no próprio Inquérito Poli- para apontar, “sem restar dú-
acionando-se, assim, os ao amanhecer do dia foi apon- cial 429/2018, o Ministério Pú- vidas”, a autoria das mortes.
tado êxito da operação poli- blico do Estado do Ceará ofere- Esta investigação jornalísti-
alarmes” cial, porque era essa a inten- ceu denúncia, em 5 de feverei- ca do Sistema Verdes Mares,
Trecho de denúncia dos promotores do Gaeco, do ção primeira, de ser a “surpre- ro deste ano, apontando 14 la- que já percorre quatro meses,
Ministério Público do Estado sa” para criminosos acostuma- trocínios na conta de nove sus- desde a tragédia de 7 de de-
www.diariodonordeste.com.br Segunda-feira 8 de abril de 2019 DN 3

Ministério Público do Ceará ignora contradições em 1ª denúncia


Reportagem teve acesso à denúncia do MPCE oferecida à Justiça. O documento, DESTAQUE
que isenta os policiais militares das mortes em Milagres ao apontar 14 latrocínios,
possui contradições, é acusado de “intempestivo”, e já motivo de divergências
dentro do próprio órgão fiscalizador

zembro de 2018, consiste nistério Público cita “fuzis”


não somente no acesso a do- para exemplificar os arma-
cumentos sigilosos e suas di- mentos de grosso calibre
versas informações contidas, que estariam em posse dos
mas na busca constante e no assaltantes.
acesso direto a pessoas rela-
cionadas ao caso, incluindo Primeiras contradições
testemunhas, o que em vá- O depoimento do major Ca-
rias situações tem proporcio- valcante, usado para emba-
nado riqueza de detalhes samento na peça do Ministé-
maior do que constam em de- rio Público é, até para al-
poimentos do próprio inqué- guns investigadores, a pala-
rito. Temos revelado com ex- vra que mais contrasta com
clusividade, desde dezem- as evidências colhidas pela
bro de 2018, detalhes da ma- própria Polícia Civil. A pri-
tança. Em março de 2019, meira delas é que não foi en-
trouxemos a notícia de que contrado nenhum fuzil,
reféns e suspeitos foram mor- nem ao menos munição des-
tos pela PM, fato apontado se armamento de posse da
por testemunhas e confirma- quadrilha. O grupo foi des-
do com dados periciais e pro- baratado: primeiro e segun-
cessuais. do escalões mortos e o res-
tante preso. Até a casa que
A denúncia do MP serviu de base para a quadri-
De posse das centenas de pá- lha, no município de Barro,
ginas do inquérito policial tinha cordéis detonantes, ar-
que apura as ações decorren- mas, munições e equipa-
tes do ataque a bancos em Mi- mentos para arrombamen-
lagres, o Grupo de Atuação to. O cerco fechou-se, literal- Com a investigação em curso sobre intervenção policial pelas mesmas mortes, MP reforça “14 latrocínios”
Especial de Combate às Orga- mente. Mas nenhum fuzil.
nizações Criminosas (Gae- A importância do arma-
co), do Ministério Público do mento no caso está em que
Estado, denunciou nove pes- a Perícia Forense constatou
soas por 14 latrocínios. Do
Ceará, Cícero Rozelir e Eve-
residual de calibre 5,56 (fu-
zis) nos corpos. SSPDSjácita8mortes
por“intervenção”e
raldo Moreira; de Alagoas, O alegado socorro às víti-
Girlan Santos, Geronilma Se- mas, conforme já revelamos
rafim, Jaine Pereira e Denil- em edição anterior, não

OABquerdados
son Moreira; de Sergipe, ocorreu. Quando chegou ao
Gian Sidney e Robson José; local o tenente Georges, se-
da Bahia, Elivan de Jesus. cretário de Segurança de Mi-
De acordo com a denún- lagres, os policiais do Gate
cia, fazem parte da quadrilha pediram que retirasse os cor-
interestadual especializada pos. Foi assim que chegou o Os oito suspeitos mortos na Polícia. O mesmo “cuidado”
em ataque a bancos. Para os vice-prefeito municipal, ação em Milagres estão na para não “atrapalhar as Denúncia do
sete promotores que assi- Abraão Sampaio, no seu veí- conta de mortos por investigações” e evitar “pré Gaeco foi
nam o documento, seriam, culo Amarok branca, e três “intervenção policial”, julgamentos”, e apontando
especialmente, os responsá- policiais empilhavam os cor- conforme apurou o Sistema para o que seria “um peso e
oferecida à Vara
veis diretos pelas 14 mortes pos na caçamba do veículo. Verdes Mares em relação às duas medidas”, a Comissão de Delitos de
em Milagres no dia 7 de de- Minutos depois, chegaram estatísticas de Crimes de Segurança Pública da
zembro de 2018. as duas ambulâncias da cida- Violentos Letais e Ordem dos Advogados do
Organização
O documento relaciona, de para recolher os demais. Intencionais (CVLI), da Brasil (OAB), subseção Criminosa do
dentre outros, o depoimento Os promotores do Gaeco Secretaria de Segurança Ceará pretende entrar com
do major Cavalcante, coman- estavam de posse dessas in- Pública e Defesa Social uma representação
Ceará
dante do grupo de 12 PMs do formações e dos depoimen- (SSPDS). O mesmo não se diz solicitando transparência da
Gate, tendo dito “que deu pa- tos dos reféns sobreviventes com relação aos seis reféns comissão investigadora.
ra identificar que os acusa- (Genário, Fernandes e Luril- assassinados, apontados “A sociedade precisa
dos usavam fuzis”. Do depoi- da) quando estes disseram como vítimas de “latrocínio”. começar a discutir sobre os
mento destacado, o oficial terem sido os policiais que Somente essa informação motivos que levam ao sigilo
diz que “imediatamente, atiraram contra eles. demandaria uma atualização de certas investigações. E se

25
após o cessar fogo, providen- O Ministério Público admi- de número para a denúncia for verdade que os policiais já
ciou um socorro das pessoas te não se tratar, na denún- oferecida pelo MP, mas já estivessem esperando os
alvejadas no local”. cia, de “eventuais excessos afeta o próprio contexto ‘bandidos’ chegarem, torna o
Por fim, que as vítimas so- ocorridos no contexto da in- enredado no documento dos caso ainda mais grave, pois
breviventes (Genário e Fer- tervenção policial”, objeto promotores de Justiça. demanda maior necessidade OITIVAS FORAM
nandes) foram “prontamen- de outro inquérito, mas ba- A Secretaria de Segurança de equilíbrio na ação tão SOLICITADASnadenúnciado
te identificadas como tal pela seia-se no enredo dado pelo Pública e Defesa Social letal”, afirma o advogado MinistérioPúblicodoEstado,sendo
equipe policial, que verbali- comandante da ação poli- continua optando pelo Deodato Ramalho, cincovítimas(entreelastrêsreféns)
zou para que deitassem no cial sob suspeição desde de- silêncio em toda a operação presidente da Comissão, que e20testemunhas,incluídosos12
chão como proteção”. Após zembro em relação às mes- que envolve a possibilidade cobrará dados nesta semana policiaisdoGatequeatuaram
enunciar o depoimento, o Mi- mas mortes em questão. de erro ou crime por parte da ao Governo do Estado. diretamentenamadrugada
4 DN 8 de abril de 2019 Segunda-feira www.diariodonordeste.com.br

DESTAQUE Núcleo do MPCE prepara segunda denúncia, agora sobre PMs


Promotores do Núcleo de Investigação Criminal (Nuinc) preparam
denúncia a partir de inquérito que investiga atuação dos policiais.
Especialistas sugerem “ação peculiar” no MP ao denunciar assaltantes
quando mortes em questão podem ter autoria policial. Confirmação:
Polícia de Sergipe repassou placas dos veículos à PM cearense

#CrimesEmMilagres Melquíades Júnior melquiades.junior@diariodonordeste.com.br

Ainvenção
Grupo de Atuação Especial de
Especialistas ouvidos pela Combate às Organizações Cri-
reportagem relacionam que a minosas (Gaeco).
disparidade entre denúncias ao Esta denúncia, de dois me-
fim dos inquéritos relativiza os ses atrás, vem antes de outra,
fatos e responsabilidades, que ainda é preparada pelo
podendo favorecer no âmbito

dadúvida
Núcleo de Investigação Crimi-
jurídico os responsáveis pela nal (Nuinc), também do MP,
ação resultante dessa vez sobre a conduta dos
policiais na operação.
Para especialistas consulta-
dos, uma denúncia antecipa-
da sobre autoria de mortes
quando outra denúncia futura
poderia apontar para falhas
das forças de segurança, pare-
ce “ato falho do MP”, ou “den-
tro de uma racionalidade mui-

N
ão é necessário se 14 latrocínios” desconsidera no contexto do ataque às agên- to peculiar”.
concluir um inquéri- que ao menos quatro dessas cias do Bradesco e do Banco
to para que o Ministé- mortes ocorreram horas após do Brasil. Ainda o fuzil
rio Público possa ofe- a tentativa frustrada de roubo De acordo com a denúncia, A reportagem apurou que no
recer uma denúncia aos bancos, quilômetros dis- porque “foram 14 os mortos curso da investigação policial
à Justiça, desde que tantes da cena inicial. Para es- decorrentes da ação delitiva tentou se avaliar a veracidade
as possíveis atualiza- tas, nos relatos dos PMs, foi orquestrada pela organização de dois pontos enunciados
ções, feitas na forma “confronto”, no depoimento criminosa, devendo todos os nos depoimentos dos policiais
de aditamentos, das testemunhas, evidências seus membros (coautores e do Grupo de Ações Táticas Es-
guardem coerência de execução. partícipes), em princípio, res- peciais (Gate), elite da PM cea-
com o alicerce da peça. Não De qualquer jeito, distante ponder pelas 14 mortes (não rense e diretamente envolvi-
bastassem evidências da inves- de situação de roubo. Mas importa se de vítimas ou de da na operação: de que os as-
tigação em Milagres aponta- nem uma nem outra foram comparsas; independente de saltantes possuiriam fuzis e ati-
rem para falhas da ação poli- consideradas na denúncia do quem puxou o gatilho). São os ravam contra os reféns. Além
cial na madrugada, a denún- MP, resumindo todas a latrocí- atos e suas consequências”, de não haver qualquer evidên-
cia do Ministério Público “por nio (roubo seguido de morte) disseram os promotores do cia nos autos para as duas, tes-

SECRETARIA DE MORTES PLACAS DOS CARROS


SEGURANÇA DURANTE O DIA O Centro de Operações Policiais
Em dezembro, a SSPDS anunciou O Ministério Público relacionou em Especiais (Cope) de Sergipe afirma
afastamento dos 12 policiais denúncia 14 latrocínios, ter repassado as placas dos carros
do Gate envolvidos na operação até o de posse da quadrilha antes de
encerramento das investigações, mas como incluir nesse mesmo juízo entrar no Ceará,
as mortes durante a caçada policial,
mas ao menos oito deles voltaram a horas após o frustrado ataque aos mas PMs teriam afirmado que não
atuar nas ruas em janeiro, mês dos bancos na madrugada? receberam a informação. Onde
atentados no Estado. esse dado parou e por quê?

FUZIL
Em depoimento, um dos
policiais afirmou que
“claramente” os assaltantes CAMINHÃO DENÚNCIAS SOBREVIVENTES
portavam fuzis,
INTERCEPTADO DO MP O Governo do Estado afirmou que
mas, após desarticulada a Em depoimento, policiais afirmaram prestaria “assistência necessária”
quadrilha e apreendidos A investigação da Polícia Civil, por
que os suspeitos teriam aos reféns sobreviventes e os
os armamentos, inclusive meio da CGD, apura a suposta
interceptado caminhão durante a fuga, familiares das vítimas,
no local que serviu de responsabilidade dos PMs
mas caminhoneiro, nas mortes, mas não entrou em contato com
base, só havia pistolas,
espingardas e revólveres e em depoimento, explica que a mas antes da conclusão do inquérito nenhum deles até o momento.
munições relacionadas abordagem ocorreu nos o MP já denuncia, e enfatiza, os
preparativos do ataque. assaltantes pela autoria das mortes.
www.diariodonordeste.com.br Segunda-feira 8 de abril de 2019 DN 5

DESTAQUE

Polícia Civil de
Sergipe teria
repassado as
placas de ao
menos dois
veículos do bando

CGD solicitou
autorização
judicial para ter
acesso a novos
dados coletados
na investigação

temunhas viram que os tiros peciais (Cope) repassou as in-


partiam de fora da localização formações da chegada da qua-
dos suspeitos, pegos de sur- drilha para a Polícia Militar do
presa. Ceará, incluindo as placas dos
“É no mínimo estranho que veículos Saveiro branca e uma
os suspeitos atirassem contra picape L200 Triton. O secretá-
os próprios reféns que esta- rio de Segurança André Costa
riam ali justamente para ser es- negou, em entrevista, que a
cudo. E mais inusitado: fazê-lo polícia cearense soubesse das
antes de os policiais abrirem placas, mas foi justamente o
fogo, ao ponto de eles verem o acompanhamento delas (alia-
que ocorre. Gravíssimo, con- do às escutas telefônicas) que
tudo, é quando a fala do poli- fez a Polícia sergipana conta-
cial, contra todas as evidên- tar a força de segurança cea-
cias anteriores, ainda assim é rense para a aproximação da
endossada por omissão na pe- quadrilha.
ça. O MP é uma instituição sé- A partir de 5 de dezembro
ria demais pra manter algo tão (a dois dias do ataque), savei-
insustentável”, comenta um ro placa OEP 8836 (já utilizada
advogado especialista em di- em outro ataque um mês an-
reito penal ao conhecer o do- tes) e L200 placa JUM 4545 (re-
cumento da denúncia obtida conhecidamente adulterada)
pela reportagem – diante do si- eram monitorados dia e noite
gilo judicial, prefere preservar pela Polícia – além das escutas

12
a identidade. telefônicas. A ‘deixa’ foram os
A própria denúncia do MP últimos reparos feitos na
entende que havia “escudos L200 (roubada 15 dias antes)
humanos” e que estes seriam por José Eraldo (apontado co-
os familiares pernambucanos. mo comandante da quadrilha SUSPEITOS departiciparda
Percebendo inconsistên- e morto na ação) em uma ofici- quadrilhadeataqueabancosem
cias, também diante dos autos pela Polícia Civil. A conclusão para explicar a negativa e na situada no Complexo de MilagresteriamchegadoaoCeará
do inquérito a que também ti- ajudará na fundamentação do acrescentou que uma comis- Taiçoca, município de Nossa em5dedezembro,quandojáeram
vemos acesso, o especialista processo que a família preten- são de promotores acompa- Senhora do Socorro (SE). monitoradospelaPolíciaCivilde
reflete sobre o que chama de de mover contra o Estado do nha as investigações em anda- De lá, chegaram a Itabaiana, Sergipe
“suposto e perigoso movimen- Ceará. mento, “acerca da apuração onde permaneceram por 20
to orquestrado”. “O mais su- Tentamos contato com os das condutas individualizadas minutos, passando em Canin-
gestivo seria aguardar a con- promotores de Justiça do Gae- que causaram diretamente ca- dé do São Francisco por volta

R$10 mil
clusão dos inquéritos e então co que assinam a denúncia, da uma das mortes no contex- de 10h do dia 5 de dezembro.
distribuí-los para denúncias”. mas nenhum quis falar, pelo to da atuação policial”. Na sequência, deslocaram-se
Já o advogado Stefferson No- caráter sigiloso do documen- para Delmiro Gouveia (AL), fi-
gueira, que faz a defesa dos fa- to. Reiteramos pedir esclareci- PM recebeu as placas cando estacionados por duas
miliares das vítimas de Serra mentos sobre as informações O resultado da operação em horas. A partir de 13h40, des- SERIA A QUANTIA aserpagaao
Talhada (cinco dos seis reféns que já temos, sem necessitar Milagres tornou-se mais grave locam-se a caminho do trevo suspeitoGianSidneyparajogar
mortos), diz aguardar a con- que elas fossem inicialmente na medida em que houve pla- Ibó/BA, na divisa com Pernam- gramposnaBR116,paradificultaro
clusão do inquérito, e que a transmitidas, mas a justificati- nejamento. A Polícia Civil de buco. Dali, a Polícia sergipana alcancedospoliciaisduranteafuga.
denúncia final guarde coerên- va foi a mesma. O Ministério Sergipe, por meio do Comple- não tinha mais dúvidas, o pró- Ainformaçãofoidadaporeleem
cia com o que foi investigado Público do Estado emitiu nota xo de Operações Policiais Es- ximo destino seria Milagres. depoimentoàPolíciaCivil
STJ Desembargador e advogados condenados por venda de liminares P.14

9 de ABRIL de2019 Ano 38/Nº 13244


TERÇA-FEIRA R$3,00
Fundador:Edson Queiroz
www.diariodonordeste.com.br

CasoMilagres:MP
querpenamáxima
Procurador-geral de Justiça defende tese de latrocínio e afirma que
Ministério Público quer pena máxima para assaltantes P.2 E 3

Para especialistas, retirada de


lombadas eletrônicas pode
FOTO: KID JÚNIOR

JOGADA
Basquete
aumentar acidentes P.6 e 7
Cearense se
classifica
P.36

Espetáculo
do Coletivo
Nossa Voz
estreia
VERSO
2 DN 9 de abril de 2019 Terça-feira www.diariodonordeste.com.br

DESTAQUE VERSÕES JURÍDICAS


#CrimesEmMilagres Melquíades Júnior melquíades.junior@diariodonordeste.com.br

Procurador-geral de Justiça defende a tese de latrocínio


Eles (assaltantes) são Plácido Rios afirma que denúncia oferecida pelo Ministério
responsáveis por tudo. Não é Público tem jurisprudência e não há incompatibilidade caso a
dizer que mataram os reféns. próxima denúncia venha a apontar os PMs pelas mortes
Mas que o assalto foi

Emnomeda
condição sine qua nom para
tudo o mais ter acontecido. Se
o roubo não fosse realizado,
nada teria acontecido”
Plácido Barroso Rios

penamáxima
Procurador-Geral de Justiça do Ceará, que não
descarta delitos cometidos pelos policiais militares,
objeto de próxima denúncia do MPCE

O
procurador-geral de Justiça acompanhado por outro nú- nos tribunais. É jurisprudên-
(PGJ), Plácido Barroso Rios, cleo do MPCE. cia. A tese é para desmotivar,
defende que não há inconsis- “Houve muitas atecnias, e censurar fortemente o bandi-
tência na denúncia do Ministé- os policiais vão responder pe- do. Para ele entender que se
rio Público que responsabili- los delitos que eles tenham co- ele vai pegar refém, se prepa-
za, ao apontar latrocínio, os metido, mas eles (assaltantes) ra, (que) a pena é 20 a 30
suspeitos de ataque a banco são responsáveis por tudo. anos”, afirma o procurador-ge-
por todas as mortes decorren- Não é dizer que mataram os re- ral, que preside tanto o Grupo
tes da ação em 7 de dezembro féns. Mas que o assalto foi con- de Atuação Especial de Comba-
no município de Milagres. Pa- dição sine qua nom para tudo te às Organizações Criminosas
ra o procurador, não há in- o mais ter acontecido. Se o rou- (Gaeco), que denuncia os assal-
compatibilidade caso (em tom bo não fosse realizado, nada te- tantes, quanto o Núcleo de In-
de suposição) os policiais mili- ria acontecido. Não é uma tese vestigação Criminal (Nuinc),
tares tenham apertado o gati- mirabolante que o Ministério que denunciará os policiais mi-
lho para as mortes, assunto Público tá adotando. É aceita litares por delitos cometidos.
www.diariodonordeste.com.br Terça-feira 9de abril de 2019 DN 3

DESTAQUE
minosa, posse de arma de fo-
go, roubo de veículos e seques-
tro, suficientes para manter a
prisão preventiva, o represen-
tante do Ministério Público ad-
mitiu que se trata de defender
a tese da “pena máxima”. Pa-
ra isso, haveria mais que fun-
damentos para considerar o
evento das mortes. Indagado
se não haveria incompatibili-
dade em apontar duas diferen-
tes qualificações de crime re-
sultantes em uma mesma víti-
ma (sendo latrocínio para os
assaltantes e homicídio para
os policiais), a exemplo dos re-
féns, Plácido Rios enfatiza que
é perfeitamente cabível e coe-
rente os dois possíveis aponta-
mentos, sem discordância.

A tese na prática
Para melhor entendimento
das colocações do procurador-
geral, citamos o caso do refém
empresário João Batista, mor-
to enquanto era mantido como
escudo com os familiares. De
acordo com o procurador-ge-
ral, não haveria incompatibili-
O procurador questionou a dade (em tom de suposição) se
reportagem de ontem, em o PM tiver apertado o gatilho,
que revelamos o teor da de- ser, então, denunciado por ho- Desde os primeiros dias após a tragédia em Milagres, a investigação jornalística tem revelado, com
núncia do MPCE e apontamos micídio e, ao mesmo tempo, os exclusividade, detalhes do massacre que resultou em 14 mortos, sendo seis reféns: familiares de Pernambuco
contradições, conforme co- assaltantes por latrocínio pela estavam como escudo, de mãos dadas, na hora da execução; vice-prefeito de Milagres recolheu os corpos;
nhecemos informações conti- morte do empresário. suspeito é executado numa casa em comunidade; policiais tentam apagar as imagens das câmeras, família é
das nos inquéritos. Desde de- Os novos desdobramentos, feita refém dentro de casa na madrugada; perícia confirma tiros de fuzil; foram todos mortos pela PM
zembro, a investigação do Sis- diante das seguidas revela-
tema Verdes Mares tem revela- ções da reportagem, mostram
do importantes fatos e desdo-
bramentos da ocorrência de
o tamanho da madrugada em
Milagres. Sob a cortina do “se- Mortedevítimana
fuganãocaracteriza
Milagres, em meio ao silêncio gredo de Justiça”, organismos
dos órgãos envolvidos na in- que se debruçam sobre o caso
vestigação, sob sigilo judicial. estão diante de uma nova eta-

latrocínio,dizSTF
Após descrever os princi- pa: não é mais a narrativa dos
pais detalhes da matança, a re- policiais divergindo das teste-
velação principal, em março munhas oculares (e as câme-
de 2019, foi a confirmação de ras de vigilância), mas sobre o
que suspeitos e reféns foram que fazer diante de todo o apu-
mortos pelos fuzis da PM. rado pela Polícia Civil. Em decisão anterior, que processo, a bala que atingiu
Especialistas em Direito Pe- tem servido de a vítima partiu da Polícia. A
“É uma interpretação” nal consultados pelo Sistema jurisprudência para casos 1ª turma do STF enfatizou
Em visita ao SVM, “no intuito Verdes Mares, em divergência parecidos com o de que os fatos que levaram à
de esclarecer”, Plácido apon- ao entendimento do Ministé- Milagres, o Ministro Marco morte da vítima ocorrem em
ta que não há divergências en- rio Público, acreditam estar Aurélio Melo, fase posterior à
tre os promotores quanto à de- mantida uma clara incompati- acompanhado pelos demais consumação do roubo. O artigo 109,
núncia por latrocínio. “Essa te- bilidade para latrocínio e homi- ministros da 1ª turma do Assim, a acusação de parágrafo 5º, da
se jurídica é uma interpreta- cídios sobre as mesmas mor- Supremo Tribunal Federal latrocínio como fato
ção, mas todos os colegas con- tes. Por questões de haver sigi- (STF), afirma que “concluir contínuo ao roubo seria Constituição
cordaram, ‘a gente tem que ir lo judicial das informações pelo crime de latrocínio descabida. prevê que, se
pro latrocínio consumado, pe- compartilhadas para análise, quando a morte não esteve Essa jurisprudência não é
na de 20 a 30 anos’. A gente optou-se por não identificar: ligada ao roubo é um passo seguida no entendimento restarem
sempre partiu do prisma: eles “Essa intenção de atribuir as demasiadamente largo”. do Ministério Público do ‘inconclusões’
são responsáveis por tudo”. responsabilidades aos even- De acordo com a denúncia, Ceará, que, em sua própria
Afirma, ainda, que “a Justiça tuais participantes da tentativa de 2008, o condenado e denúncia, até cita outra nas denúncias do
diz que quando o réu está pre- de roubos, mortes, que na ver- outros comparsas fizeram decisão também de Marco MP, cabe à
so, preciso denunciá-lo. Por is- dade não foram pra garantir o um assalto em um Aurélio Melo, em que
so, nós corremos”. resultado do roubo, como no estacionamento no Distrito atesta para a caracterização Procuradoria
Questionado pela reporta- caso da abordagem da Polícia, Federal e levaram uma de latrocínio, mas nesse Geral da
gem sobre a necessidade da são totalmente suspeitas. Está vítima na fuga. Ao caso no contexto de
denúncia por latrocínio meses dizendo que qualquer evento passarem por uma barreira comparsas (serem
República (PGR)
antes das conclusões do inqué- com morte que acontecer qua- policial, foram perseguidos, responsabilizados), não solicitar o
rito, e quando já se poderia lifica o crime. Mas posso num houve tiroteio e a vítima quando o suposto autor da
configurar/denunciar (contra único fato ter responsáveis di- morreu. Conforme os morte é o policial, caso em
deslocamento de
os assaltantes) associação cri- ferentes, autônomos? Nunca”. laudos periciais do que se insere Milagres. competência
16 DN 10 de abrilde 2019 Quarta-feira www.diariodonordeste.com.br

SEGURANÇA Denunciada por latrocínio em Milagres obtém habeas corpus


Mãe de um dos suspeitos de ataque aos bancos do Município e também
denunciada pelo Ministério Público, Geronilma Serafim obtém do Tribunal de
Justiça autorização para prisão domiciliar. Ela detém a guarda da neta de 6 anos

#CrimesEmMilagres Melquíades Júnior melquíades.junior@diariodonordeste.com.br

Emprisão
Nove pessoas foram presas
preventivamente horas após os
ataques em Milagres. Quatro
delas durante uma tentativa de
resgate dos demais, de acordo
com a Polícia Civil

domiciliar
enunciada pelo Ministé- co), os denunciados seriam

D rio Público do Ceará por


latrocínio, como integran-
te da quadrilha especiali-
zada em atacar bancos,
Geronilma Serafim da Silva,
de 45 anos, conseguiu um ha-
beas corpus. O Tribunal de Jus-
responsáveis diretos pelas
mortes decorrentes de opera-
ção policial para frustrar ata-
que às agências do Banco do
Brasil e do Bradesco na madru-
gada de 7 de dezembro em Mi-
lagres, no Cariri.
tiça atendeu ao pedido da de- Geronilma Serafim é mãe
fesa e transformou a prisão de Mackson Júnior, apontado
preventiva em prisão domici- como integrante da quadrilha
liar. A decisão teve como rela- de ataques a bancos e morto
tor o desembargador Sérgio na operação do Grupo de
Luiz Arruda Parente. Ações Táticas Especiais (Ga-
O principal argumento para te), em Milagres.
o provimento deu-se pelo fato
de Geronilma ser a responsá- A hora do flagrante
vel pela neta, de apenas seis Em depoimento à Polícia Civil
anos. A decisão foi amparada ainda em dezembro, Geronil-
pela modificação do Código ma afirmou ter ficado saben-
de Processo Penal, com a in- do da morte de seu filho, Ma-
clusão do artigo 318, que pre- ckson, no Ceará. Teria partido
coniza a substituição da pri- na mesma manhã de Delmiro
são preventiva por domiciliar Gouveia, em Alagoas, para Mi-
em situações nas quais não te- lagres (CE) com outro filho,
nha cometido crime com vio- Denilson Moreira, a nora Jaine
lência ou grave ameaça à pes- Pereira (casada com Mack-
soa, nem contra o filho ou de- son) e o vizinho Girlan Araújo.
pendente. Chegando à cidade, teria dado
“Os indícios de autoria e ma- carona a um homem dizendo
terialidade apontam que a pa- não saber que se tratava de
ciente não praticou, em tese, um suspeito dos ataques.
crime mediante violência ou Na abordagem da es-
grave ameaça nem contra trada, policiais milita-
seus descendentes”, afirmou res não tiveram dú-
o desembargador no docu- vida de que se tra-
mento, acrescentando que a tava de uma ação
criança, de quem Geronilma deliberada para
detém a guarda, estaria a so- resgate dos sus-
frer expressivos revezes da au- peitos de ataque.
sência do convívio materno. No veículo Fiat

+
“Algo que a Constituição Fede- Strada em que vinham foi en-
ral, o Estatuto da Criança e do contrada uma pistola. Após a
Adolescente, o Marco Legal prisão de todos em flagrante,
da Primeira Infância visam a um dos policiais achou sus-
todo custo prevenir e, tanto peito o comportamento
PRESOS E DENUNCIADOS quanto possível, evitar”. de Jaine Pereira, nora de
GianSidneyWynneSantos A decisão do Tribunal de Jus- Geronilma, que segura-
ElivandeJesusdaLuz tiça ocorreu em 6 de feverei- va uma bolsa na fren-
CíceroRoselirdaSilvaCaldas ro, um dia após o Ministério te do umbigo. An-
RobsonJosédosSantos Público estadual denunciar tes de se iniciar a
EveraldoMoreiradaSilva Geronilma e outras oito pes- revista, Jaine reti-
GirlanAraújodosSantos soas por 14 latrocínios. No en- rou uma sacola de
GeronilmaSerafim(domiciliar) tendimento do Grupo de Atua- dentro da calça con-
JainePereiraNogueira ção Especial de Combate às Or- tendo dezenas de cápsu-
DenilsonMoreiradaSilva ganizações Criminosas (Gae- las de pistola.
www.diariodonordeste.com.br Quarta-feira 10 de abrilde 2019 DN 17

Pesquisadores criticam execuções como postura punitiva do Estado


Estudiosos do Ceará e Rio de Janeiro apontam que as forças de segurança,
num contexto nacional, estariam mais preocupadas em legitimar uma ordem
SEGURANÇA
que, para existir, precisa eliminar o outro, seja ele “bandido” ou não

#CrimesEmMilagres Melquíades Júnior melquiades.junior@diariodonordeste.com.br

Lógicadoextermínio A violência exacerbada, de que


as forças de segurança tanto são
autoras quanto vítimas, é objeto
de análise de pesquisadores que
se dedicam aos estudos das
conflitualidades

ão haveria clamor social, tem valor. Ou deveria ter. Infe- aumento do controle”, explica do quando há o que chamou

N ou questionamento so-
bre a atuação da Polícia
Militar em Milagres se
não houvesse reféns, e
apenas suspeitos, automatica-
mente qualificados de “bandi-
dos” fossem mortos. A avalia-
lizmente, o modus operandi e
a estratégia de defesa, as mor-
tes acabam sendo justificadas.
Na Chacina das Cajazeiras, em
Fortaleza, a primeira coisa
que fizeram em relação às víti-
mas foi verificar se tinham an-
o pesquisador.

Mata e morre
Na prática, um controle que
começaria pelos ‘aparelhos
de repressão’: “em nome de
uma lógica de Estado, o instru-
de embuste de legitimidade
para os atos.
Cada região do País tem
suas especificidades, isso de-
ve ser considerado em cada
análise sobre o que é feito e o
que pode ser mudado. Na vio-
ção é do Laboratório de Estu- tecedentes criminais. Porque, mento é a Polícia, e o móvel lência não seria diferente,
dos e Pesquisa Conflitualida- se tivessem, já estaria justifica- dessa ação instrumentalizada mas também tem muito de
de e Violência (Covio), da Uni- do”, explica Rômulo Silva, so- é a repressão. Nessa lógica, a igual. No Rio de Janeiro, a
versidade Estadual do Ceará ciólogo, jornalista e doutoran- Polícia é a que mais mata, mas “guerra contra o tráfico”
(Uece), e também da Funda- do da Uece. Ele é membro do também a que mais morre. E criou, na visão das forças de
ção Getúlio Vargas (FGV). Covio e diz que, sendo negro e não morrer só em função de segurança, a lógica do inimi- “Quando um
Pesquisadores das duas ins- da periferia, carrega também estar num confronto bélico, go. O risco disso é que chega-
tituições foram convidados a os estigmas sociais. mas em função da carga psico- mos ao nível da intolerância.
policial puxa o
comentar o contexto em que Mas em relação ao caso de lógica que é jogada em cima Em nome de um controle de gatilho, com
se insere o caso de Milagres e a Milagres, cujos detalhes te- desses sujeitos, que são os po- Estado, as pessoas são julga-
constatação foi de consenso: mos revelado nos últimos me- liciais. Eles vão para o front das por cor, classe e o com
justificativa ou
há um modelo ostensivo e le- ses e, inclusive, gerado mal-es- também a partir de um proces- quem anda. Se alguém é assas- não, não está
tal que opera as forças de segu- tar na Polícia Militar e no Mi- so de formação cultural e insti- sinado na favela, seja pela Polí-
rança no País que não está nistério Público? tucional fundamentada na ló- cia ou não, a ótica é de que me-
fazendo isso
dando conta do problema, so- Para o professor e pesquisa- gica do inimigo”. recia. E o que não se encaixar sozinho. Existe
bretudo ao piorá-lo. dor Geovani Facó, coordena- O especialista em conflituali- perfeitamente na lógica do
“Quando um policial puxa o dor do Covio, existe uma lógi- dade e violência aponta, para merecimento fica na conta
uma racionalidade
gatilho, com justificativa ou ca de Estado, de poder, “e tu- tragédias como a de Milagres, dos danos colaterais. Pode ser por trás”
não, não está fazendo isso sozi- do o que estiver fora dela vai uma dualidade: de um lado, o caso de Milagres. Mas ainda
nho. Existe uma racionalida- ser compreendido, se não co- investimento em viaturas, ar- que não seja, não chega a ser Rômulo Silva
de por trás. O que precisa ser mo inimigo, como algo perigo- mamentos; de outro, falta de exceção”, comenta Mariana Pesquisador do Laboratório de
feito, e isso em nível nacional, so. Primeiro, criam-se percep- qualificação técnica, mas num Grassi, da Diretoria de Análise Estudos e Pesquisa
é repensar a política de Segu- ções que vão se naturalizando, contexto em que até mesmo de Políticas Públicas (Dapp), Conflitualidade e Violência
rança Pública. Partimos do de classes e territórios perigo- os excessos fazem parte de da Fundação Getúlio Vargas, (Covio), da Universidade Estadual
princípio de que toda vida sos, sobre os quais é preciso o uma lógica de Estado, sobretu- do Rio de Janeiro. do Ceará (Uece)
FOTO: THIAGO GADELHA

Poste cravejado por tiros de fuzil,


onde reféns foram mortos no
município de Milagres
12 DN 21 de maiode 2019 Terça-feira www.diariodonordeste.com.br

SEGURANÇA Justiça aceita denúncia contra 19 PMs por crimes em Milagres


Do total de 35 militares indiciados pela Polícia Civil, apenas 19 foram
denunciados pelo MPCE. O vice-prefeito virou réu por contribuir na alteração da
cena do crime. Inquérito pediu a prisão preventiva de 15 PMs, mas MP opinou por
afastamento de funções; Justiça arquivou participação dos demais envolvidos
Cinco reféns de uma mesma familia
foram mortos pelos policiais
quando tentavam se esconder
atrás de um poste

#TragédiaemMilagres Melquíades Júnior melquiades.junior@diariodonordeste.com.br

Justiça aceitou, ontem, a


denúncia do Ministério Público
do Estado contra policiais Policiaismilitares
viramréus
militares envolvidos nas mortes
de 14 pessoas, entre elas seis
reféns, durante tentativa de
roubo a bancos em Milagres em
dezembro de 2018

O
Ministério Público Costa Neto, Edson Nascimen- ram na intenção de apagar Abraão Sampaio e o tenente
do Estado acolheu, to do Carmo e Paulo Roberto imagens de câmeras. Georges Aubert, secretário de

14
em parte, o relatório Silva dos Anjos são denuncia- Segurança daquele municí-
policial que investi- dos diretamente pelas mortes Morte da cearense pio. De acordo com a Polícia
gou a atuação dos mi- dos reféns Cícero e Gustavo Nenhum policial, no entanto, Civil, o tenente coronel Cícero
litares envolvidos na Tenório, Claudineide Campos foi denunciado pelo MPCE pe- Henrique, que estava na saída
PMS DENUNCIADOS POR operação que levou (pai, filho e mãe, respectiva- la morte da cearense Francis- da cidade dando suporte à
SETE HOMICÍDIOS às 14 mortes no muni- mente) e João Batista e Viní- ca Edneide. Embora a Perícia operação, surgiu na cena dos
AdenúnciadoMinistérioPúblico cípio de Milagres na cius Magalhães (pai e filho). tenha constatado que o tiro crimes minutos após o cessar
contemplou14policiaismilitares madrugada de 7 de “As imagens da câmera ins- partiu dos policiais do Grupo fogo e liderou a retirada dos
pelasmortesdecincodosseis dezembro de 2018. A denún- talada em um estabelecimen- de Ações Táticas Especiais (Ga- corpos e projéteis, bem como
refénsededoisassaltantes.OMP cia, aceita ontem pelo juiz Jud- to comercial na rua José Esme- te), o entendimento é de que a destruição de imagens das
nãoapontouresponsáveispela son Pereira Spíndola Júnior, raldo comprovam que, apesar houve troca de tiros com os câmeras do supermercado Bu-
mortedarefémFranciscaEdineide da Vara Única da Comarca de da condição indefesa dos re- ocupantes do veículo em que rungandas.
Milagres, reconhece que to- féns, os denunciados segui- estavam a cearense Francisca
dos foram mortos pelos poli- ram atirando contra os mes- Edneide e a mãe, Maria Luril- Imagens recuperadas

4
ciais militares, mas distingue mos até a calçada da Farmácia da, esta sobrevivente. O laudo pericial que recupe-
as justificativas: oito suspeitos Santa Cecília, quando esta- Foram denunciadas, no to- rou as imagens apagadas ates-
de assalto teriam sido mortos vam a menos de 10 metros do tal, 20 pessoas, sendo 15 milita- tou que o disco que continha
em “legítima defesa”, outros injustificável alvo”, diz o Minis- res por homicídio qualificado o registro foi formatado duas
MILITARES VIRARAM RÉUS dois foram executados e cinco tério Público. e quatro militares e um civil vezes entre 6h52 e 7h52 da sex-
POR FRAUDE PROCESSUAL dos seis reféns (familiares de Conforme revelado com ex- por fraude processual, pois ta-feira, 7 de dezembro. As
Alémdosdenunciadospelos Pernambuco) teriam sido as- clusividade pelo Diário do Nor- houve alteração na cena do cri- imagens foram apagadas pe-
homicídios,outrosquatromilitarese sassinados em circunstância deste em março deste ano, to- me. Entre os denunciados por los militares Joaquim Tavares
ovice-prefeitodeMilagresviraram de dolo eventual, quando não dos os reféns foram mortos pe- fraude estão o tenente-coro- de Medeiros e Antônio Nata-
réusporfraudeprocessual. é a intenção direta, mas se as- la PM com tiros de fuzil. Tam- nel Cícero Henrique (ex-co- nael Vasconcelos Braga, am-
SegundooMP,elestentaram sumiu o risco. bém confirmamos, ainda em mandante do BPChoque), o vi- bos do Gate. O vice-prefeito
atrapalharasinvestigações Os policiais José Azevedo dezembro, que policiais agi- ce-prefeito de Milagres, de Milagres, Abraão Sampaio,
www.diariodonordeste.com.br Terça-feira 21de maio de 2019 DN 13

Militares viram réus


A Justiça aceitou a denúncia do Ministério Público contra policiais militares pelas mortes
de cinco reféns. Outros PMs foram inocentados
Denunciados por homicídio Denunciados por homicídio
SEGURANÇA
doloso de cinco reféns doloso de um assaltante
1 José Azevedo Costa Neto (Capitão PM Gate) 12 Sandro Ferreira Alves (Cotar)
2 Edson Nascimento do Carmo (Sargento PM Gate) 13 Elienai Carneiro dos Santos (Cotar)
3 Paulo Roberto Silva dos Anjos (Cabo PM Gate) 14 José Maria de Brito Pereira Júnior (Cotar)
15 Diego Oliveira Martins (Cotar) duas diferentes circunstân-
Denunciados por homicídio
doloso de dois assaltantes Denunciados por fraude processual cias. A execução do suspeito
4 Leandro Vidal dos Santos (PM de Milagres) Lucas Torquato, revelada em
16 Cícero Henrique Beserra Lopes
5 Fabrício de Lima Silva (PM de Milagres) (Coronel Comandante do BPChoque) dezembro pela nossa reporta-
6 Alex Rodrigues Rezende (PM de Milagres) 17 Joaquim Tavares de Medeiros Neto (Tenente PM Gate)
gem, ocorreu na comunidade
7 Daciel Simplício Ribeiro (PM de Milagres) 18 Antônio Natanael Vasconcelos Braga (Cabo PM Gate)
de Campo Agrícola, quando a
8 José Marcelo Oliveira (Cotar) 19 Georges Aubert dos Santos Freiras vítima já estava rendida e pre-
9 João Paulo Soares de Araújo (Cotar) (Tenente PM e secretário da Segurança de Milagres) sa na casa de um morador. O
10 José Anderson Silva Lima (Cotar) 20 Abraão Sampaio de Lacerda (vice-prefeito de Milagres) seu comparsa, Rivaldo Azeve-
11 Sérgio Saraiva Almeida (Cotar) do, foi levado preso na viatura
pelos policiais. Estão enqua-
drados por homicídio qualifi-
1 Equipe major Cavalcante Ru
aA
formada pelos policiais bíl cado de ambos os assaltantes
io C
ruz os policiais Leandro Vidal dos
José Alex Sampaio Mendes 2 Santos, Alex Rodrigues Rezen-
Teógenes Nunes de Oliveira 3 de, Daciel Simplício Ribeiro e
Francisco Lopes dos Santos
Fabrício de Lima Silva, inte-
grantes do Policiamento Os-
2 Equipe comandada tensivo Geral (POG) de Mila-
pelo capitão Azevedo
Fortaleza gres, e os PMs José Marcelo de
composta pelos policiais
Oliveira, José Anderson Silva
Paulo Roberto Silva dos Santos
Lima, João Paulo Soares de
a

Edson Nascimento do Carmo


Silv

Araujo, Sérgio Saraiva Almei-


João Marcos Leitão da Costa
da, Sandro Ferreira, Diego Oli-
aldo

as

Milagres
rg

veira, Alienai Carneiro dos


mer

Va

3 Equipe comandada Santos e José Maria de Brito,


te
é Es

en

pelo tenente Medeiros


nic ra

todos integrantes do Coman-


l

id
ipa
Mu feitu
s

formada pelos policiais


es
o

do Tático Rural (Cotar).


R. J

Pr
Pre

Antônio Natanael Vasconcelos Braga


R.

ira

Francisco Lauro de Castro da Silva


Executado após prisão
Made

Alex Teixeira Rogério


De acordo com imagens do cir-
into

Farmácia
cuito interno da delegacia de
Rua P

Bandido morto Supermercado Milagres, após preso, Rivaldo


Farmácia
Reféns mortos Banco do Brasil foi levado ao destacamento,
1


R. Pa
dre mas apenas PMs teriam entra-
Câmera Misae
l G om
es do no lugar para pegar uma ar-
Direção das equipes da PM Bradesco
ma. Rivaldo teria indicado o lo-
cal que serviu de base para a
Fonte: Ministério Público do Ceará Diário do Nordeste quadrilha na zona rural do mu-
nicípio de Barro e, após pas-
sar a informação, executado
pelos PMs.
“Houve clara execução. O
Rivaldo quem levou os poli-
ciais até o imóvel. Eles não
iriam descobrir nunca onde ti-
nha sido a base da quadrilha”, É importante
disse um dos investigadores à salientar que
também está entre os denun- nossa reportagem.
ciados por fraude processual, O MPCE interpretou como havia uma mulher
pois houve alteração na cena “legítima defesa” a ação que e dois
do crime, ao retirar os corpos levou às mortes dos outros oi-
dos reféns na caçamba de seu to suspeitos de ataques a ban- adolescentes
veículo Amarok, conforme a cos. Embora a desastrosa ope- entre os
nossa investigação jornalística ração que frustraria o roubo
revelou ainda em dezembro tenha envolvido diretamente reféns, bem assim
de 2018. 12 policiais do Gate, estes fo- que todos eles
“As vítimas levadas ao hospi- ram divididos em três equipes
tal na caçamba do veículo do na madrugada. trajavam roupas
denunciado já estavam todas A equipe liderada pelo en- comuns e
mortas, inclusive foram leva- tão comandante do Gate ma-
das direto para o necrotério, jor Antônio Cavalcante aproxi- obviamente não
já que apresentavam lesões in- mou-se pela rua Padre Misael portavam
compatíveis com a vida, pois Gomes, enquanto a equipe co-
provocadas na cabeça”, rela- mandada pelo tenente Medei- armas, de modo
tam os promotores de Justiça, ros aproximou-se pela Aveni- que não seria
com base no depoimento do da Getúlio Vargas; e a equipe
médico plantonista Francisco comandada pelo capitão Aze-
difícil
Erlon Furtado. vedo avançou pela rua José Es- diferenciá-los de
O Ministério Público do Esta- meraldo da Silva. Os confron-
do ainda denunciou por homi- tos comandados pelas equi-
assaltantes de
cídios dolosos diretos dos as- pes de major Cavalcante e te- banco”
saltantes Lucas Torquato Loio- nente Medeiros foram classifi-
la Reis e Rivaldo Azevedo dos cados como legitima defesa, Trecho da denúncia do
Santos. Ambos foram executa- Em 13 de março, o Diário do Nordeste revelou, com exclusividade, que enquanto a equipe do capitão Ministério Público
dos por policiais do Cotar em todos os reféns foram mortos pela PM Azevedo executou os reféns. sobre as mortes de cinco reféns
14 DN 22 de maiode 2019 Quarta-feira www.diariodonordeste.com.br

SEGURANÇA “Uma de nossas equipes foi intimidada pelos PMs”, diz delegado
As investigações que se seguiram à ação desastrosa da Polícia Militar em
Milagres foram alvo de pressão e situações de constrangimento envolvendo
investigadores e testemunhas. Delegados defendem que o pedido de prisão
preventiva dos militares, desconsiderado pelo MP, era “mais que necessário”

#TragédiaEmMilagres Melquíades Júnior melquiades.junior@diariodonordeste.com.br

Crime
cebeu a visita inesperada dos
Delegados defenderam a ação suspeitos do assalto Lucas Tor-
da Justiça que tornou acolheu a quato e Rivaldo Azevedo San-
denúncia do Ministério Público tos na manhã após os ataques.
contra os 19 policiais e o Integravam a quadrilha que

imperfeito
vice-prefeito de Milagres por tentou roubar os bancos, mas
envolvimento nas 14 mortes no naquele momento eram dois
município de Milagres homens se dizendo assaltados
e que precisavam de um telefo-
ne para fazer ligação. Entre a
chamada realizada e os dois se
esconderem no quarto (um de-
baixo da cama), não se passa-
ram mais que dez minutos.
Ambos foram rendidos por mi-

T
litares do Comando Tático Ru-
odo caminho para defesos”, feitos alvos a sete as testemunhas, com medo de ral (Cotar).
apagar um rastro metros de distância. falar”. Mas não teria se limita- — Cadê o dinheiro, vagabun-
também deixa ou- As várias narrativas de alte- do a uma aproximação “des- do? Cadê? – indagava um PM.
tros rastros e a Polí- ração das cenas do crime, rela- necessária”. Lucas foi morto debaixo da
cia Civil sabia disso. tadas nesta série de reporta- De acordo com os investiga- cama. No depoimento dos mi-
Um dos primeiros gem meses antes do anúncio dores, um homem tentou se litares, “houve troca de tiros
passos na investiga- oficial, davam uma dimensão passar por advogado de uma e, no revide, o indivíduo aca-
ção era refazer o ca- do que se supõe atrapalhar in- das testemunhas durante o de- bou alvejado”.
minho da Polícia Mili- vestigações. E esse é um dos poimento dentro da Delega- Rivaldo, levado preso, foi re-
tar, senão na madru- grandes incômodos da Polícia cia. Não era qualquer testemu- tirado com algemas e “sem le-
gada dos ataques, logo na ma- Civil por o Ministério Público nha da madrugada dos ata- sões”, mas apareceria morto
nhã que sucedeu. Porque pas- não ter confirmado o pedido ques, mas José da Silva, o ‘Dé’, minutos depois a caminho da
sar algumas horas do dia ten- de prisão preventiva de 15 testemunha-chave, o homem cidade de Barro. Mais uma in-
tando apagar imagens das câ- PMs: estariam tentando atra- que, com a esposa e a filha verídica “troca de tiros”.
meras dos estabelecimentos palhar as investigações. mais nova na porta de casa, re- — Conhece ele?
comerciais era revelar que al- Equipes de policiais civis in- — Nunca vi
go elas tinham a dizer. Não tegrantes da comissão de in- ‘Dé’ nunca viu nem pediu
adiantaram as duas tentativas vestigação do caso foram se- pelo homem que se dizia seu
de destruir os arquivos com a guidas em diligências entre os advogado na Delegacia e que-
formatação dos discos rígidos. municípios de Barro e Mila- ria acessar os autos. Depois do
A imagem do supermercado gres, enquanto buscavam as episódio, a oitiva das testemu-
Burunganda seria reveladora: testemunhas para prestarem nhas saiu de Milagres para o
após todos os suspeitos em ce- depoimentos. “Eles se coloca- município de Brejo Santo.
Equipes de policiais civis foram na mortos, ou evadidos, três vam de forma muito próxima,
seguidas em diligências entre os policiais atiraram sucessiva- ostensiva, isso acabava geran-
municípios de Barro e Milagres mente de fuzil na direção de do uma situação intimidatória
cinco reféns, “visivelmente in- não só para equipe como para
www.diariodonordeste.com.br Quarta-feira 22 de maio de 2019 DN 15

SEGURANÇA

Cinco meses depois, Estado faz contato com familiares de vítimas


Pela primeira vez desde que os seis reféns foram mortos pela PM,
representantes do Governo do Estado e do Ministério Público do Estado
visitam as famílias para “prestar apoio” e “saber o que estão precisando”

#TragédiaemMilagres Melquíades Júnior melquiades.junior@diariodonordeste.com.br

Ahorado‘perdão’ No dia 9 de maio, uma promotora


de Justiça e representantes do
Governo do Estado do Ceará
estiveram em Brejo Santo e
Serra Talhada (PE), para um
primeiro contato com os

A
lém da dor das perdas, o si- ço João, a esposa Cláudia e os fi- to o nome do meu filho e meu “Quero falar em nome do go- familiares dos reféns mortos
lêncio é perturbador para lhos, netos de dona Toinha. neto na intenção da missa. Mas vernador (Camilo Santana).
os familiares dos seis re- Moravam vizinho à matriarca. se eu tivesse o nome dos assal- Foi dele a iniciativa de nos
féns mortos. Chegavam Descem três mulheres e dois tantes que também morreram mandar. ‘Vão lá’. Eu estava no
de São Paulo para o Natal homens. Outros dois ficam nos eu colocava também. São to- dia, ele tomou a notícia no
e foram executados. Ninguém volantes dos carros. dos filhos de Deus”. meio de um evento, então as
disse nada, além do que sabem — Demorou, hein? A essa altura, a família já sa- informações foram muito de-
pelos jornais. Ninguém vai Regina Magalhães, irmã de bia que foram todos mortos sencontradas. Então eu tinha
atrás deles, “nem para um pedi- João, pergunta como quem de- por policiais militares. que fazer esse registro por de-
do sincero de desculpas”. Por sabafa, desentala. A comitiva é ver de justiça”.
isso, foi um misto de angústia e recebida e entra na casa, vão to- Assistência psicológica Horas após a ocorrência de
ansiedade uma ligação de al- dos para a sala. Cláudia, a viúva, tinha uma Milagres, Camilo comemorou
guém dizendo que “amanhã es- Daniel, o irmão mais velho, consulta médica e só conse- nas redes sociais que a Polícia
tá indo um pessoal aí do Gover- ouve atento cada fala dos visi- gue chegar no meio da conver- frustrou ataques a dois ban-
no do Ceará pra conversar com tantes: uma promotora de Justi- sa. A psicóloga, Monique Bri- cos. Indagado depois em cole-
vocês”, em Serra Talhada, Esta- ça, uma assistente social, uma to, fala em dar assistência a ela tiva, afirmou que “é estranho
do de Pernambuco. psicóloga e um coronel da PM. e João Victor, que perdeu, um refém de madrugada no
Os irmãos de João Batista, Em cerca de uma hora, expli- além do pai, o irmão mais ve- banco. Vamos aguardar essa
empresário assassinado com o caram que gostariam de aju- lho. “Ajuda é bem vinda, mas investigação”. No mesmo dia, “Não existia vida a
filho e outros três parentes, dar, saber do que a família esta- eu precisei tanto nesses me- pediu desculpas pela declara-
não dormiram tranquilos a noi- va precisando. Confessaram ses, como vai ser?”. Ficou a su- ção, mas nas redes sociais, ser socorrida.
te de quarta para quinta, na ex- um certo receio, de não sabe- gestão de sessão terapêutica nunca diretamente aos que se Entendemos que
pectativa sobre quem eram es- rem como seriam recebidos, por videoconferência. sentiram ofendidos. Nunca
sas pessoas e o que queriam di- mas que já havia um otimismo. A promotora de Justiça, Jo- até aquela manhã de quinta. isso atrapalhou as
zer. A sensação de alívio veio Qualquer tensão vai se que- seana França, cita o núcleo do Encerrada a visita, a comiti- investigações.
quando “Fernando”, um co- brando com a fala de coração Ministério Público de atendi- va sai para almoçar e seguir pa-
nhecido da cidade, esclareceu aberto de dona Toinha. mento a vítimas de violência. ra Brejo Santo. Encontro mar- Qualquer leigo
ter recebido a tal ligação de um “O povo tem mania de fazer Cláudia aproveita para lem- cado com Fernandes Laurenti- identificaria a
primo tenente no Ceará, que- vingança com as próprias brar que não receberam ainda no e Maria Lurilda, sobrevi-
rendo saber o telefone da famí- mãos. Mas nós queremos a jus- os pertences (celulares, reló- ventes e pais de Edineide,
situação, em
lia “do caso de Milagres”. tiça de Deus. A gente não quer, gio e veículo) apreendidos. morta pela PM no carro da fa- razão do estado
Amenizada a dúvida, a famí- jamais, vingança pra nossa fa- “Que a vinda de vocês não mília tomado pelos assaltan-
lia ficou reunida, na manhã de mília. A gente quer viver o res- seja em vão, e tomem nossa tes. A reunião, tranquila, acon-
dos corpos
9 de maio, quinta-feira, na casa to da vida com essa dor que dor como de vocês”, pontua tece num sítio na zona rural. encontrados”
de dona Toinha, mãe de João não vai sair, mas nunca pensar Daniel Magalhães, depois de Hoje, completam-se duas se-
Batista. Dois carros encostam que tem um inimigo ali. Meus ter ouvido todos e pergunta- manas desde a visita de repre- Muriel Vasconcelos
próximo à casa cinza de porta filhos foram criados em tempo do, “afinal, o que vocês que- sentantes do Governo do Esta- Promotor de Justiça, durante
branca, sem muro e de calçada tranquilo. Nunca brincavam rem?”. do e do Ministério Público e as coletiva do Ministério Público
larga, em que, à noite, costuma- com arma de brinquedo. Sem- O coronel Andrade Mendon- famílias aguardam, ainda, o realizada, na tarde de ontem, em
vam ficar em cadeiras de balan- pre respeitaram o outro. Eu bo- ça se pronunciou por último: que de fato irá acontecer. Juazeiro do Norte
10 DN 23 de maiode 2019 Quinta-feira www.diariodonordeste.com.br

SEGURANÇA Imagens recuperadas revelam intenção de PMs em destruir provas


Não havia mais confronto no momento exato da execução de cinco reféns
pelos PMs, revelam três câmeras. O melhor ângulo vinha do equipamento do
supermercado, que um militar apagou, mas a Perícia Forense recuperou

FOTO: THIAGO GADELHA


Detalhe do poste onde cinco reféns, deitados, tentaram se esconder dos tiros disparados por equipe de militares do Gate

#TragédiaemMilagres Melquíades Júnior melquiades.junior@diariodonordeste.com.br

O relatório final da Polícia Civil,


que investigou a ação dos
policiais militares na operação Asevidênciasque
nãofaltavam
em Milagres, traz diversos
indícios que revelam a tentativa
de atrapalhar a investigação,
como a destruição de imagens

T
iros certeiros fizeram largura da rua estreita. Não da cena principal do crime. aparecido atirando pela reta-
tombar quatro sus- mais que sete metros separa- Com o cabo Costa na retaguar- guarda da equipe de Azevedo.
peitos de assalto. Os vam os reféns dos fuzis. A equi- da, capitão Azevedo, cabo Sil- Costa, então, atira, mas o ho-
reféns João Batista, pe do capitão Azevedo vinha va e sargento Carmo tinham mem foge. Ainda seguindo pe-
Vinícius, Cícero, Gus- de outras ruas, conforme já es- possibilidade de disparo à la rua, a equipe vê um dos as-
tavo e Claudineide tava planejado no grupo do frente. A equipe vê duas cami- saltantes com lanterna na
correm para se escon- WhatsApp criado horas antes nhonetes paradas na frente mão - ele já tinha se afastado
der dos tiros da PM para a operação: 12 homens di- dos bancos e o sistema de fu- dos bancos após os primeiros
no poste de luz ao la- vididos em três equipes avan- maça do Bradesco acionado. disparos. Era Claudervan San-
do do Bradesco. Dei- çariam para a frente dos ban- tana de Araújo, que morre en-
tam próximos à calçada. O cos de diferentes ruas. Equipe avança tre dois canteiros de flores, na
que não atingiu o poste foi di- A equipe de Azevedo en- Azevedo ordena a Silva que frente da Prefeitura.
reto para a cabeça e outras trou pela rua Abílio Cruz, do- avance até uma árvore na pra- Não mais que dois minutos
partes dos corpos dos reféns. brou à esquerda na Rua Joa- ça da Prefeitura; no mesmo antes de matar todos os re-
Às 2h36min58s, câmeras da quim Furtado, entrando à di- instante, o capitão vê o veícu- féns, capitão Azevedo e equi-
Farmácia Coelho e do super- reita pela rua Almir Braga até lo Ranger (pertencente à famí- pe avançam pela calçada da
mercado Burundanga mos- a Prefeitura. A essa altura, os lia de Pernambuco) sair do lo- Farmácia Coelho. Uma das câ-
tram a composição liderada suspeitos do assalto estavam cal. Na esquina da Farmácia meras mostra o oficial dispa-
pelo capitão Azevedo dispa- em movimentação na frente Santa Cecília, um dos suspei- rando na direção dos cinco re-
rando na direção da família. das agências. A rua continua, tos é morto por outra equipe, féns. As pessoas, poucas ho-
Os militares seguem avançan- com o nome de Esmeraldo da a do major Cavalcante. Um ou- ras antes saídas do Aeroporto
do, até ficarem na distância da Silva. Pronto: já estão no raio tro suspeito de assalto teria de Juazeiro do Norte, vindas
www.diariodonordeste.com.br Quinta-feira 23de maio de 2019 DN 11

02:37:39
SEGURANÇA
de São Paulo para Serra Talha-
da (PE), estavam com roupas
comuns e cara limpa, enquan-
to todos os assaltantes esta-
riam encapuzados. “Não ha-
via mais assaltantes vivos na
cena do crime”, aponta o rela-
tório da Polícia Civil, ainda en-
fatizando que “no momento
em que a equipe chega à posi-
ção dos disparos, a situação
de confronto inexistia”. Mes-
mo assim, insistiu em disparar
na direção do poste.
2h40: várias composições
começam a chegar para dar
apoio na localização e prisão
dos demais integrantes do gru-
po que fugiram.
3h04: chegada do carro do
tenente Georges, secretário
Municipal de Segurança em
Milagres; 3h11: Abraão Sam-
paio, vice-prefeito, chega em
seu veículo Amarok. Militares do Gate disparam a poucos metros dos cinco reféns que tentam se esconder atrás do poste na lateral do
O relatório diz que tenente- Bradesco. No momento, os assaltantes já tinham sido alvejados ou fugido, e não havia mais confronto
coronel Henrique e o tenente
Georges, com o vice-prefeito
Abraão Sampaio, atuaram
“no intuito de desconfigurar a 02:36:58
cena do crime, no afã de difi-
cultar o trabalho investigati-
vo, uma vez que era perceptí-
vel, desde o início, que ali ha-
via acontecido uma tragédia:
vítimas reféns foram mortas
pela ação policial”.
Os embaraços teriam se se-
guido. A guia recebida do Hos-
pital Municipal de Milagres in-
formava que as mortes dos re-
féns (incluindo Edineide, mor-
ta dentro do Celta da família
tomado pelos assaltantes em
fuga) teriam se dado uma hora
e 20 minutos após a ocorrên-
cia. A Perícia contesta, “uma
vez que pelo aspecto externo Momento exato dos primeiros disparos da equipe policial na direção dos Relatório final da Polícia Civil afirma que os reféns tentaram se esconder
do corpo, com grau de destrui- reféns que estavam ao lado do Bradesco dos tiros deitados na calçada, atrás do poste
ção da calota craniana encon-
trado, não se permite duvidar
que o corpo tivesse sofrido
morte instantânea mesmo a 06:35:21
um leigo”. Esperavam, menos
ainda, essa sugestão de ‘socor-
ro’ vinda do médico e vice-pre-
feito, que desde então afirma
ter agido no intuito de socor-
rer as vítimas. “As imagens das
“Excludente de ilicitude” câmeras de
O advogado Ricardo Valente segurança,
Filho, do Conselho de Defesa
do Policial no Exercício da outrora apagadas
Função (CDPEF), da Secreta- pelos policiais do
ria de Segurança, defende que
a ação policial configura exclu- Gate,
dente de ilicitude. “Os poli- demonstram que
ciais estavam de serviço. No
cumprimento do dever legal.
a intenção dos
Foram recebidos a bala, preci- militares era de
savam agir”. Sobre a situação
dos reféns pernambucanos,
ludibriar as
Ricardo afirma que “elas não investigações”
gritaram, não pediram socor-
ro, não acenaram, sem comu- Às 6h35, dois PMs encapuzados falam com um homem que parece ser o dono do comércio do qual as câmeras Trecho de relatório final da
nicação verbal ou visual”. foram periciadas. Após a conversa, um dos militares fala pelo rádio comunicador, em seguida entram no local Polícia Civil
VERSO Cearense Igor Caracas lança seu primeiro disco solo

11 de JUNHO de 2019 Ano38/Nº 13307


TERÇA-FEIRA R$3,00
Fundador:Edson Queiroz
www.diariodonordeste.com.br

CasoMilagres
Policiaisdão
versãosobre
atragédia

Em entrevista exclusiva ao Sistema Verdes


Mares, policiais envolvidos no caso afirmam
ter revidado "clarão" de tiros P.2 A 5

Vazamentos da Lava Jato geram onda de reações P.18 e 19

Estado tem 19 mortes por influenza neste ano P.10 e 11


2 DN 11 de junho de 2019 Terça-feira www.diariodonordeste.com.br

DESTAQUE RELATO DOS MILITARES


#CrimesEmMilagres Kilvia Muniz/ Melquíades Júnior segurança@verdesmares.com.br

Ooutrolado
datragédia
P
oliciais militares que atuaram conheceram que os próprios via causado transtornos em vá-
na madrugada de 7 de dezem- depoimentos seriam sugesti- rias cidades” – a última delas se-
bro em Milagres falam pela pri- vos de identificação, uma vez ria Abaré, na Bahia, um mês an-
meira vez desde que foram de- que o Ministério Público indivi- tes, com explosão de banco e
nunciados por homicídio e frau- dualiza as denúncias, já fora de fuga, mas sem registros de mor-
de processual. No encontro sigilo. No encontro, ocorrido tes.
com a reportagem, na presença em um escritório de advoca- A movimentação do grupo
de um advogado, três PMs di- cia, durante três horas, os mili- criminoso era acompanhada à
zem só ter agido “dentro da tares falaram, com uma bandei- espreita pelos militares. “Está-
lei”, negam alteração na cena ra do Brasil e outra do Ceará ao vamos usando rádio, não mui-
do crime e acusam reféns sobre- fundo, observados pelo advo- to, pelo fato de em outra ocor-
viventes de terem mentido. gado Ricardo Valente Filho, rência que participei o rádio foi
Naquele dia, ao tentar impe- presidente do Conselho da De- rastreado. Ali, estávamos usan-
dir o roubo de duas agências fesa do Policial da Secretaria de do o WhatsApp. Uma das equi-
bancárias da cidade, PMs atua- Segurança Pública. pes informou que os elemen-
ram e causaram a morte de 14 “À medida em que íamos tos estavam parados em frente
pessoas, sendo oito assaltantes nos aproximando, os tiros ao banco. E ali começaram os


e seis reféns. No último dia 20 eram disparados em nossa dire- disparos. Recordo que as vidra-
de maio, a Justiça aceitou a de- ção”. O PM narra sua versão so- ças do Bradesco estavam que-
núncia contra 14 militares por bre como teria ocorrido a pro- bradas, havia o alarme do ban-
sete homicídios e contra ou- gressão, quando as equipes co acionado”, diz um dos PMs.
tros quatro PMs e o vice-prefei- avançam no território com o Teriam, então descido dos car-
to de Milagres, Abraão Sam- objetivo de neutralizar forças ros para o confronto. “O pri-
paio, por fraude processual. inimigas. meiro disparo que dei foi quan-
O que pude observar era Durante a entrevista, os mili- O “start”, início da progres- do o cara atirou em nossa dire-
indivíduo atirando e o tiro tares dizem ter atirado a longa são, teria sido após tiros dispara- ção, ao perceber o primeiro po-
distância em direção ao poste dos pelos suspeitos de assalto. licial avançar de uma esquina
passando por mim. Dava (ao lado do Bradesco, onde es- Estesestariamemfrenteaosban- para outra. Quando ele avan-
pra sentir” tavam os reféns) porque um cos, e os PMs, às 2h do dia 7, em çou, foi visto. O cara começou
indivíduo estaria disparando ruas próximas dentro de carros a atirar em direção a ele. Eu ia
contra a guarnição, embora descaracterizados, porque uma deixar meu policial ser atingi-
dissessem não conseguir vê- viatura oficial chamaria atenção do? Não, eu atirei no bandido”.
“Foram 12 policiais contra lo, “só um vulto” e o “clarão” para o que poderia acontecer, já
dos disparos que, segundo que “o Gate só se desloca quan- Inimigo atrás do poste
30 indivíduos armados. eles, seria de fuzis. Também do é ocorrência das mais graves Um dos policiais ouvidos pela
Provavelmente, na negam ter ouvido gritos de quepodeexistir”. reportagem afirma ter atirado
Claudineide (refém morta), Por volta de 23h30 do dia 6, em um suspeito a partir da
verdade, com certeza, alegados por várias testemu- fizeram um reconhecimento área lateral da Prefeitura. “Eu
armados de fuzil” nhas no inquérito processual. da área onde ficam as agências não gritei ‘larga a arma, mão
bancárias, oito metros distante na cabeça, Polícia Militar’, por-
A vez de falar uma da outra. Horas antes, ain- que antes de eu falar ele atira
“O Gate (Grupo de Ações Táti- da em Fortaleza, tiveram a pri- em mim, não só em mim, mas
“Se eu matei aquelas pessoas cas Especiais) só se desloca meira reunião sobre um ata- nos meus companheiros. Fui
quando a ocorrência é das que a banco prestes a aconte- pra esquina (ao lado da Prefei-
(reféns) pelo amor de Deus mais graves que pode existir”, cer no Cariri, conforme repas- tura), me abriguei, ele atirou,
peço perdão a Deus todo dia disse um dos militares, para se sou a Coordenadoria de Inteli- eu atirei nele. O fuzil do (cole-
referir à tropa de elite da PM de gência (Coin), da Secretaria de ga) policial deu pane, ele ficou
por essa possibilidade” que faz parte. Para a entrevis- Segurança Pública. “Nossa in- sem condição de reagir e foi pa-
Depoimento de policiais envolvidos no episódio de ta, pediram que seus nomes tenção era de captura, de pren- ra minha retaguarda, tomei a
Milagres que pediram para não se identificar não fossem revelados, mas re- der aquela quadrilha que já ha- frente dele e continuei atiran-
4 DN 11 de junho de 2019 Terça-feira www.diariodonordeste.com.br

DESTAQUE Provas periciadas e relatos de testemunhas compõem a ação penal


A conclusão das investigações e a denúncia do Ministério Público sobre os
crimes em Milagres já estão na mão da Justiça, e será dada a largada para
novos relatos na preparação da defesa e sustentação de teses

Laudos e versões
14
PMS DENUNCIADOS POR
SETE HOMICÍDIOS
O que di
os PMS
zem
AdenúnciadoMinistérioPúblico Conclus
elencou14policiaismilitarespelas da Polícião do inquérito
mortesdecincodosseisrefénsede a Civil
doisassaltantes.OMPnão Mortes d
apontouresponsáveispelamorte Não foi re
os reféns
darefémFranciscaEdineide passada
criminoso info
s estariam rmação de que os
em direç com refé Não foram
ão ao pos ns. Os tiro encontra
reféns, d te, onde s homem a dos vestí
eram-se estavam tirando d gios de u
indivíduo porque h os PMs. Ima o poste e m
lá dispara avia um m direçã

4
ndo contr gens de c o aos
a os PMs os tiros e âmeras m
m direçã o
quando n o ao poste stram que
ão havia ocorriam
situação
Alteraçã de confro
Não houv
o da cena do nto.
MILITARES SÃO RÉUS POR
crime. O
e nenhum
a alteraçã crime
FRAUDE PROCESSUAL trabalho o na cena
ocorreu d feito pela do Imagens
Alémdosdenunciadospelos entro da operação do circuit
o treinam legalidad de um su o interno
ento reali e e confo permerca de segura
homicídios,outrosquatromilitares zado pela rme do mostr nç
eovice-prefeitodeMilagres
tropa de
elite
que, seg
undo o re am policia a
limpando latório, esta is
viraramréusporfraudeprocessual. a cena do riam
ludibriar crime, no
SegundooMP,elestentaram
as investi sentido d
gações e
atrapalharasinvestigações Retira da dos c
Não houv orpos
e nenhum
crime. Nã a alteração
o haveria na cena d
sim, soco reti o
rro às vítim rada dos corpos, Os corpo
s dos refé
respirand as, algum e hospital s ns já teria
o e se me as delas em vida. m chegad
inclusive xendo. U examinado N ão chega o ao
, foi soco m suspeit s, foram ram a ser
rrido com o, M dir
vida édico plan e to ao necro
examinad tonista afi tério.
o por não rma não te
haver con r
Morte em dições de
vida
Em depo residênc
Tático Ru
imento, p
oliciais d
o Coman
ia
ral
em legítim (Cotar) afirmam te do Testemun
a defesa r dispara has afirm
revidar “in contra su do homens fo am que u
justa agre speitos, p i morto q m dos
ssão” ara rendido. uando já
A segund estava
suspeito a morte o
já preso, correu co
imagem d conforme mo
e um site revela
de notícia
Gritos do s local
Não houv
e grito do
s r e f é n s
não cheg s reféns.
ou a grita Uma mulh
r em des e
disso, nin
guém teri espero. A r Diversas
testemun
qualquer a acenad lém re has, entr
gesto qu o ou feito féns sobre e morado
em perig e mostra gritos de viventes, res e
o sse que e
stava desespero afirmam ter ouvid
relatos le de uma m o
vam a cre ulher. Os
referindo r que esta
a Claudin vam se
eide
Imagens
Não há p apagada
apagado
rova de q
ue os mil s
as image itares teri
imagem re ns das câ am Em depo
cuperada meras. A imento, o
dois milit mostraria confirma dono do
ares conv apenas o que dois superme
populare ersando s vestindo policiais rcado
s com fardamen militares
procurou to e usando
acerca da capuz o
filho que s câmera
acompan s e pediu
ficava o a hasse os ao
rquivo. P PMs até
HD foi fo erícia con onde
rmatado firma que
duas vez o
es

Fonte: Redação Diário do Nordeste


www.diariodonordeste.com.br Terça-feira 11 de junho de 2019 DN 5

Imagens recuperadas mostram PMs recolhendo objetos


Uma hora e meia após realizar disparos fatais, policiais militares são vistos
recolhendo objetos no chão ao redor dos pontos onde os tiros foram feitos em
DESTAQUE
direção a um poste de iluminação pública que abrigava os reféns

#MortesEmMilagres Melquíades Júnior/Kílvia Muniz segurança@verdesmares.com.br

Cenárioalterado Relatório da Polícia Civil afirma


que policiais militares apagaram
imagens de câmeras que
flagraram o momento das
mortes de assaltantes e reféns
nos assaltos a banco no
município de Milagres

âmera do supermercado

C Burundanga, 5h06 da
manhã de 7 de dezem-
bro. Dois policiais farda-
dos caminham pela calça-
da de lojas e residências, a
mesma em que, uma hora e
meia antes, a equipe comanda-
da pelo capitão José Azevedo
realizava a progressão e dispa-
ros até encontrar os reféns caí-
dos ao lado de um poste.
De acordo com o inquérito
policial, os homens recolhem
objetos do chão da calçada na
Rua José Esmeraldo da Silva
próximo à Farmácia Coelho,
nas redondezas do ponto on-
de fizeram os disparos, revela-
dos em outro vídeo. As ima-
gens, que mostram os dispa- De acordo com os peritos, os
ros dos PMs na calçada e poste- arquivos recuperados haviam sido
rior recolhimento de objetos apagados por duas vezes. Para a
no chão, são as mesmas apaga- Polícia Civil, militares foram os
das do circuito de segurança responsáveis pela violação
do supermercado e, semanas
depois, recuperadas pela Perí-
cia Forense. De acordo com o doze policiais do Gate, após
inquérito, tais imagens foram perceberem a tragédia, come-
apagadas pelos militares. çaram a praticar atos objeti-
Em depoimento, o proprie- vando apagar os rastros da
tário do estabelecimento con- operação, recolhendo os cor-
firma que foi procurado pelos pos das vítimas e dos assaltan-
PMs sobre as imagens das câ- tes, sem qualquer indício de
meras e, em seguida, pediu ao que estivessem vivos (exceto
filho que os acompanhasse um dos assaltantes, que foi so-

+
até o escritório, no pavimento corrido com vida), além de es-
superior, de onde teriam aces- tojos ejetados pelas armas
so aos arquivos. quando dos disparos. Não bas-
De acordo com os peritos, tassem essas ações, ainda for-
os arquivos recuperados ha- mataram o HD do DVR do sis-
viam sido apagados por duas tema de câmeras de seguran- IMAGENS APAGADAS
vezes, sendo extraídos exata- ça do Supermercado”. OHDdoDVRfoiformatadoduas
mente os horários que coinci- “A Perícia foi muito feliz nes- vezes,umaprimeiravezporvolta
diam com ocorrência, do iní- se ponto, porque conseguiu das6h52easegundaàs7h52do
cio dos disparos até a chegada identificar que algumas ima- dia7(primeirohoráriocompatível
de dois militares à frente do es- gens haviam sido apagadas e comaentradadospoliciaisnoes-
tabelecimento, em diálogo foram reconstruídas, o que tabelecimentocomercial).Orela-
com o possível proprietário. não foi esclarecido, e vai ser tórioafirmaque“doispoliciais
“Não restam dúvidas”, diz o no momento oportuno dos au- tiveramacessoaosistemadecâ-
inquérito policial, “que a ope- tos, é se foram os policiais que merasdosestabelecimentos
ração policial fugiu ao contro- fizeram isso. Ninguém sabe
le, ocasionando a morte de re- ainda quem mexeu nesse siste- DEFESA NEGA
féns. É notório, por ocasião de ma de câmeras”, defende Ri- Paraoadvogadodepartedospoli-
vários depoimentos das teste- cardo Valente Filho, presiden- ciais,RicardoValenteFilho,ains-
munhas arroladas, da análise te do Conselho de Defesa do truçãoprocessualaindavaitrazer
das imagens das câmeras de Policial no Exercício da Fun- muitasrevelações.Segundoele,
segurança e laudos periciais ção da Secretaria da Seguran- tudoseráesclarecidocomoanda-
relacionados aos autos que os ça Pública. mentodaaçãopenal