Você está na página 1de 51

Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo

nos setores elétrico e construção civil

Como especificar
a galvanização a fogo
Ricardo Suplicy Goes
Gerente Executivo do ICZ – Instituto de Metais não Ferrosos
ricardo.goes@icz.org.br / Tel.: 11 – 3214-1311

1
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Agenda:
1. Apresentação do ICZ;
2. Galvanização por Imersão a Quente (a fogo);
3. Aplicações da galvanização por imersão a Quente;
4. Como especificar a galvanização a fogo

2
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

ICZ
VISÃO: LIDERAR E APOIAR OS SETORES DOS METAIS ZINCO, NÍQUEL E CHUMBO
NO DESENVOLVIMENTO E DISSEMINAÇÃO DE SUAS APLICAÇÕES E USO
SUSTENTÁVEL NO BRASIL.

ESTRATÉGIA

AÇÕES DE MARKETING CONGREGAR OS REPRESENTAR OS


PROMOVENDO AS PRODUTORES, SEGMENTOS E SEUS
VANTAGENS DO USO TRANSFORMADORES E INTERESSES EM
DOS METAIS NÃO CONSUMIDORES DOS INSTITUIÇÕES
FERROSOS. METAIS NÃO FERROSOS INTERNACIONAIS,
NA DIREÇÃO DE AGÊNCIAS
INTERESSES COMUNS GOVERNAMENTAIS,
DOS SEGMENTOS. INSTITUTOS DE CLASSE
E O MERCADO.

3
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

A corrosão no Brasil – Ambientes Agressivos (ABNT NBR 14643)

Extensão litorânea:
7.408 Km (até 9.198 km)
Concentração PIB:
95% da economia brasileira
depende da região costeira
CX
ISO Concentração populacional:
70% dos brasileiros vivem na faixa
9223 situada até 200 Km do litoral

Taxa de corrosão do aço no


litoral:
3,2 a 153 vezes superior à de
uma área rural

4
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Galvanização por imersão a quente geral


DEFINIÇÃO: É um processo de revestimento de zinco no aço ou ferro fundido
ou aço patinável, que se encontram na forma de peças, estruturas, de vários
formatos, tamanhos, complexidade, interna e externamente.
CONHECIDO TAMBÉM COMO:
ZINCAGEM POR IMERSÃO A QUENTE
ZINCAGEM A FOGO
GALVANIZAÇÃO A FOGO
Zinco

Ferro

5
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Galvanização por imersão a quente contínua


Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

O PROCESSO DE GALVANIZAÇÃO POR IMERSÃO A QUENTE.


Galvanização Geral (processo por batelada)

1. Desengraxe (NaOH); 5. Fluxagem (ZnCl2 e NH4Cl) (diminuir tensão


2. Lavagem (água); superficial) (favorecer a molhabilidade);

3. Decapagem (HCl); 6. Secagem;

4. Lavagem (água); 7. Banho em zinco fundido (450°C);


8. Passivação (solução cromatizante) e/ou
Resfriamento.
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Exemplo de banho em zinco fundido

8
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como a galvanização a fogo aumenta a vida útil do aço


Oferece dupla proteção: Barreira e Catódica.
Por barreira:
CAMADAS DUREZA DAS CAMADAS (VICKERS)

9
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como a galvanização a fogo aumenta a vida útil do aço


Catódica

O2 Ar Umidade CO2
Zn ZnO Zn(OH)2 ZnCO3
Em 24h 24h a 3 meses 3 a 12 meses

Camada aderente e insolúvel

10
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Sistema duplex: pintura sobre a superfície galvanizada


Sinergismo
1. Ação cooperativa de duas ou mais substâncias, de modo que o efeito resultante é maior
que a soma dos efeitos individuais destas.
A durabilidade do Sistema Duplex é determinada pela seguinte fórmula:

 DSD = K ( DG + DP ), onde:
• DSD: Durabilidade do Sistema Duplex;
• DG: Durabilidade da Galvanização a fogo (determinada pela espessura do zinco);
• DP: Durabilidade da Pintura (determinada pela resistência interna da película de tinta e
aderência ao substrato).
• K: Coeficiente de Sinergia (depende do ambiente e do sistema de pintura)

11
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Sistema duplex: pintura sobre a superfície galvanizada


FATORES SINÉRGICOS (Exemplos)

AMBIENTES FATOR
Ambiente de baixa agressividade 2,0 a 2,7
Industrial e Marinho 1,8 a 2,0
Água do mar ( imerso ) 1,5 a 1,6

EXEMPLO: (valores estimados para ambiente C3)

AÇO PINTADO – 10 anos


AÇO GALVANIZADO – 45 anos
AÇO GALVANIZADO e PINTADO = (10+45)x2,0= 110 anos de vida útil.

12
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Sistema duplex: pintura sobre a superfície galvanizada

Fonte: IZA (International Zinc Association)

13
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Aplicações de galvanização a fogo

Torres de Torres de
Transmissão Estruturas Metálicas Comunicação

Estruturas Met. Fixadores Tubos Pórticos

Silos Guarda corpo


Pivôs de
Irrigação Vigas de Aço Grades de Pisos

14
Postes Placas Cordoalhas Defensas
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Aplicações de galvanização a fogo


FIXADORES
A galvanização na rosca do parafuso fornece a proteção
contra corrosão dos fios de rosca da porca.
Utilizar a norma NBR 14267
Elementos de fixação –
Peças roscadas com
revestimentos de zinco por
imersão a quente -
Especificação

Rosca da porca Pino ou parafuso


reusinada acima da galvanizado por
medida imersão a quente.
especificada, depois
da galvanização.
( isenção de
revestimento
residual )
15
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Aplicações de galvanização a fogo

Aplicações Oil & Gas

Pisos

Pipe Rack

eletrocalha Racks pata Tanques Radiadores

Eletrodutos
Guarda Corpo curvados Flanges Spools

16
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Aplicações de galvanização a fogo


Suportes de painéis fotovoltaicos Vergalhões Galvanizados

17
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Desenvolvimento sustentável:
É o desenvolvimento que não esgota os recursos para as gerações futuras.

Segurança

Zn e Aço 100% Reduz Custo de


recicláveis Manutenção

18
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Materiais alternativos em relação ao galvanizado:


 ALUMÍNIO;
 AÇO PATINÁVEL / CORTEN;
 AÇO INOXIDÁVEL;
 LIGAS ESPECIAIS;
 BRONZE;
 LATÃO;
 TITÂNIO.
Todos têm suas aplicações ideais em função:

 AGRESSIVIDADE DO AMBIENTE;
 PROPRIEDADES MECÂNICAS;
 MONTAGEM / CONSTRUÇÃO DO PRODUTO FINAL;
 PREÇO (ANÁLISE CUSTO x BENEFÍCIO);
 DISPONIBILIDADE;
 ACABAMENTO FINAL;
 ACESSO PARA MANUTENÇÃO;
 DURABILIDADE ESPERADA.
19
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?

Scopo do projeto

• Qual é o grau de agressividade do ambiente em que o aço estará exposto?

• Qual a expectativa da vida útil do aço definida pelo projeto?

• Quais são os custos previstos, iniciais e de manutenção, para o sistema de


proteção, ao longo da Vida Útil de Projeto?

20
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

• Qual é o grau de agressividade do ambiente em que o aço estará exposto;


CATEGORIAS DE CORROSIVIDADE NORMA ABNT NBR 14643

Obs.: A velocidade de corrosão do Zinco é de 10 (C2) a 300 (C5) vezes menor que
o velocidade de corrosão do ferro conforme a categoria de corrosividade (quanto
mais agressivo o ambiente, mais benéfico o uso do Zn).
Nota: Camada medida em micrometros (µm) 21
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Categorias de corrosividade
Exemplos
• A cidade de São Paulo é considerada
pela Norma como C3, ou seja, perda
de zinco situada entre 0,7 e 2,1
micrômetros por ano, durante o
primeiro ano.

• Fortaleza/CE – C5 - Marinha
• Cubatão/SP – C4 – Industrial
• Belém/PA – C2 – Rural

( C1,C2,C3,C4 e C5 – categorias de
corrosividade )

Fonte: Corrosão Atmosférica 17 anos - ALMEIDA, Neusvaldo Lira; PANOSSIAN, Zehbour

22
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Influência do pH no grau de agressividade do ambiente

Obs.: A maioria dos metais passivam-se em meios básicos


23
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

• Qual a expectativa da vida útil do aço definida pelo projeto?

Vida útil do aço galvanizado a fogo em função do ambiente exposto


Durabilidade (anos)

Camada média de Zinco (µm)

24
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Qual a
expectativa da
vida útil do
aço definida
pelo projeto?

25
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

• Quais são os custos previstos, iniciais e de manutenção, para o sistema de


proteção, ao longo da Vida Útil de Projeto?
200

150

Galvanizada
100
Pintada

50

0
2, al

7, o s
o

15 o s

20 s

25 o s
12 n o s

17 n o s

22 n o s

os
10 s
an

o
o
ci

an

an

an

an

an

an
i

a
in

5
5

,5

,5

,5
5

26
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Processo Normatizado
Para garantir que no projeto seja especificado a galvanização por imersão a quente, visando o aumento
da vida útil do aço/ferro fundido através da proteção contra a corrosão, é importante notar os seguintes
setes pontos:

1. No pedido frisar “Produto Galvanizado por Imersão a Quente conforme norma ABNT NBR 6323:2016
- GALVANIZAÇÃO DE PRODUTOS DE AÇO OU FERRO FUNDIDO – ESPECIFICAÇÃO.

2. Para terminologia utilizar a norma ABNT NBR 7414:2015 - GALVANIZAÇÃO DE PRODUTOS DE AÇO
OU FERRO FUNDIDO POR IMERSÃO A QUENTE – TERMINOLOGIA.

3. Pode solicitar ao galvanizador um certificado de qualidade onde deverá constar os valores das
medições das espessuras do revestimento que devem estar de acordo com o especificado na norma.
Para cada secção da peça (espessura da peça) há um mínimo de espessura de revestimento
galvanizado a ser respeitado;

27
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Processo Normatizado
4. No recebimento, medir camada conforme ABNT NBR 7399, aparelho simples para medição, leitura
direta em micrometros, camada conforme especificação ABNT NBR 6323:2016, se proveniente de
Galvanoplastia a camada será de no máximo 20 micrometros e somente ocorrerá aderência
superficial;

5. Pode-se solicitar também ao galvanizador os ensaios pertinentes apresentados neste trabalho, com
os resultados informados em certificados de qualidade;

6. O cliente também pode solicitar o certificado de análise do Zinco na cuba da galvanização, cuja
pureza mínima é de 98% de zinco, conforme especifica a ABNT NBR 6323:2016;

7. Judicialmente (litígio) a análise metalográfica (micrografia) é o tira teima.


Nota: Para esta análise é importante utilizar o reagente Nital 2% para ataque, ou seja, 2 ml de HNO3
(ácido nítrico) concentrado em 100 ml de álcool etanol ou metanol 95%.

28
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Processo Normatizado
 ABNT NBR 6323:2016 Galvanização de Produtos de Aço ou Ferro Fundido-Especificação.
 Requisitos Gerais (composição do banho do zinco, composição química e quaisquer
propriedades do metal base que possam interferir no resultado da galvanização por
imersão a quente);
 Preparação da superfície (ventilação de enclausuramento, perfurações para evitar
bolsões de ar e resultar em superfícies não galvanizadas, cantos rebarbados para permitir
o fluxo e drenagem livre do zinco, isenção de pintura na superfície, dimensionamento das
estruturas para minimizar a ocorrência de distorções);
o Solda: antes e depois da galvanização, cordões de solda livres de escória e de fluxo,
rejeitar peças soldadas com alumínio ou que tenham insertos de alumínio.
 Inspeção (amostragem, massa, aderência, uniformidade e espessura do revestimento).

29
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Processo Normatizado
 ABNT NBR 6323:2016 Galvanização de Produtos de Aço ou Ferro Fundido-Especificação.
 Requisitos Gerais (composição do banho do zinco, composição química e quaisquer
propriedades do metal base que possam interferir no resultado da galvanização por
imersão a quente.
Liga Zn4E Liga ZnNi Liga ZnBi
Liga de Zinco SHG contendo Liga de Zn SHG contendo de Aumenta a fluidez do banho;
alumínio na faixa de 50 a 90 0,47% a 0,53% de Ni. Utilizada Reduz excesso de Zn →melhor
ppm. como liga de adição no banho acabamento;
Quando aplicada, permite de Zn. Elimina o efeito do Si nos Liga 1% Bismuto
melhor homogeneização do aços reativos, permitindo a
banho de galvanização por obtenção de camadas mais
imersão a quente, melhor uniformes e de menor
escorrimento do zinco e melhor espessura.
uniformidade da camada nas
peças galvanizadas.

30
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Aço não Aço Reativo
Reativo Formação
Formação das somente da
camadas camada
intermetálicas intermetálica de
de Zn Fe e na Zn Fe espessa e
superfície uma frágil, com
camada de aparência cinza
Zinco puro, fosca, de
com aparência crescimento
brilhante. rápido.

Revestimentos mais espessos e aparência cinza fosca.


A diferença na aparência é resultado do rápido crescimento intermetálico zinco-ferro.
Esse crescimento da camada intermetálica não pode ser controlado pelo galvanizador.
Entretanto, se ele souber a composição do aço de antemão, ele pode utilizar alguns
controles de processo para minimizar esse efeito.

31
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


EFEITO SANDELIN – Ocorre com Si em 0,1% no aço.

Se um revestimento de espessura maior que o


especificado for solicitado para um determinado
projeto, é necessário que o silício do aço seja Aço
requisitado na faixa de 0,15 a 0,25% no Cordão
Aço não
processo da fabricação. de
reativo reativo
solda

32
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Aparência cinza fosca no aço reativo.
CAUSA: Aço com teor de fósforo acima de 0,04%.

33
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Processo Normatizado
 ABNT NBR 6323:2016 Galvanização de Produtos de Aço ou Ferro Fundido-Especificação.
 Requisitos Gerais (composição do banho do zinco, composição química e quaisquer
propriedades do metal base que possam interferir no resultado da galvanização por
imersão a quente.
 Preparação da superfície (ventilação de enclausuramento, perfurações para evitar
bolsões de ar e resultar em superfícies não galvanizadas, cantos rebarbados para permitir
o fluxo e drenagem livre do zinco, isenção de pintura na superfície, dimensionamento das
estruturas para minimizar a ocorrência de distorções);

34
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Processo Normatizado

Respiro adjacente a alça Alça de içamento distante do


de içamento – Não furo de respiro
enclausuramento de ar

Ar enclausurado
poderá resultar em
área sem revestimento
não corrigível
Alça de içamento
oposto ao furo de
drenagem

35
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Processo Normatizado

Abertura de inspeção ventila-


ção

Defletores
recortados nos Furos de enchimento / ventilação e
cantos drenagem podem ser abertos antes da
fabricação
Furo de
enchimento e
drenagem

Cantoneiras em ângulo devem, se


possível, ser interrompidas antes da
base da flange principal.
Posição dos furos não mais do
que 10 mm da solda 36
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Processo Normatizado
EXEMPLOS
Entalhes em “V” ou
Furos de ventilação e drenagem (mesmo em seções abertas) em “U” podem ser
cortados nas
extremidades ou nos
cantos das
extremidades dos
perfis antes de soldar.

Recorte
Furos circulares
Pg 16
alternativamen
te cantos das
(mín. 25 mm
diâmetro).
Cantos
extremidades Cantos
recortados
fora das arrendondados.
seções ocas
retangulares

2 furos de drenagem e ventilação mais


próximos dos cantos quanto possível

37
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


NÃO REALIZE IDENTIFICAÇÃO COM TINTA A ÓLEO

Identificações:
Utilize tinta solúvel em
água ou caneta
marcadora correta. Não
use tinta a base de óleo
para marcação no aço.
Não utilize etiquetas
adesivas.

IDENTIFICAÇÃO CORRETA

Etiqueta com a
identificação que foi
marcada em alto
relevo
Inscrição
soldada 38
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo? Processo Normatizado

Projeto inadequado Projeto apropriado


Como resultado do O material pode expandir
aquecimento no banho uniformemente durante o
de zinco, a chapa aquecimento. O risco de
deverá se deformar. A deformação é reduzido.
extensão e localização Furos devem ser abertos na
da deformação depende flange para auxiliar a
da magnitude do drenagem.
estresse interno do
material.

Projeto inadequado Projeto


apropriado 39
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Processo Normatizado

Cantoneira
espessa

Chapa
fina

40
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Processo Normatizado
 ABNT NBR 6323:2016 Galvanização de Produtos de Aço ou Ferro Fundido-Especificação.
 Requisitos Gerais (composição do banho do zinco, composição química e quaisquer
propriedades do metal base que possam interferir no resultado da galvanização por
imersão a quente.
 Preparação da superfície (ventilação de enclausuramento, perfurações para evitar
bolsões de ar e resultar em superfícies não galvanizadas, cantos rebarbados para permitir
o fluxo e drenagem livre do zinco, isenção de pintura na superfície, dimensionamento das
estruturas para minimizar a ocorrência de distorções);
o Solda: antes e depois da galvanização, cordões de solda livres de escória e de fluxo,
rejeitar peças soldadas com alumínio ou que tenham insertos de alumínio.

41
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Processo Normatizado

Remoção de escória de solda Solda em toda a volta.


é essencial Solda descontínua provocará o
aparecimento de choro ácido.

Soldas não devem


invadir as áreas dos
cantos recortados
Solda intermitente

Uma abertura de
pelo menos 2,5 mm
Cantos recortados 42
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Processo Normatizado
Exemplos de soldagem correta

43
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Processo Normatizado
• CHORO ÁCIDO: É a sobreposição de
chapas com solda descontínua que provoca
o aparecimento de manchas de
escorrimento de cor marrom ou
avermelhada (choro ácido).
• CAUSA: agentes químicos do pré-
tratamento que penetram em juntas não
vedadas e se solidificam na forma de
cristais. Após a galvanização e com o passar
do tempo, os cristais, em contato com a
umidade do ambiente, oxidam o aço e se
escorrem pela junta;
• PRECAUÇÕES: Devem ser consideradas
nos respectivos projetos, como especificar
que as juntas devem ser vedadas ou terem
espaço de no mínimo 2,5 mm.
• Pelo galvanizador realizar a secagem
antes da imersão.
• CORREÇÃO: Limpeza com escova e
lavagem.
44
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Processo Normatizado
 ABNT NBR 6323:2016 Galvanização de Produtos de Aço ou Ferro Fundido-Especificação.
 Requisitos Gerais (composição do banho do zinco, composição química e quaisquer
propriedades do metal base que possam interferir no resultado da galvanização por
imersão a quente.
 Preparação da superfície (ventilação de enclausuramento, perfurações para evitar
bolsões de ar e resultar em superfícies não galvanizadas, cantos rebarbados para permitir
o fluxo e drenagem livre do zinco, isenção de pintura na superfície, dimensionamento das
estruturas para minimizar a ocorrência de distorções);
o Solda: antes e depois da galvanização, cordões de solda livres de escória e de fluxo,
rejeitar peças soldadas com alumínio ou que tenham insertos de alumínio.
 Inspeção (amostragem. Massa, aderência, uniformidade e espessura do revestimento).

45
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Processo Normatizado
 ABNT NBR 7397: Produto de aço ou ferro fundido revestido de zinco por
imersão a quente – Determinação da massa do revestimento por unidade de área –
Método de ensaio.
 ABNT NBR 7398: – Produto de aço ou ferro fundido galvanizado por imersão a
quente – Verificação da aderência do revestimento – Método de ensaio.
 ABNT NBR 7399: – Produto de aço ou ferro fundido galvanizado por imersão a quente
Verificação da espessura do revestimento por processo não destrutivo – Método de ensaio.

 ABNT NBR 7400: – Galvanização de produtos de aço ou ferro fundido por


imersão a quente – Verificação da uniformidade do revestimento – Método de ensaio.
 ABNT NBR 7414: Galvanização de Produtos de Aço ou Ferro Fundido por imersão a
quente –Terminologia.
46
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Processo Normatizado
Sistema duplex: Aço galvanizado pintado
 ABNT NBR 9209 - Preparação de superfícies para pintura – Processo de fosfatização –
Procedimento (para aços carbono e aços galvanizados).
ABNT NBR 10253 - Preparo de superfície de aço carbono zincado para aplicação de
sistemas de pintura - Procedimento.
ABNT NBR 11297 - Execução de sistema de pintura para estruturas e equipamentos de
aço carbono zincado – Procedimento.
PETROBRAS N – 1021 F - Pintura de Aço Galvanizado, Aço Inoxidável, Ferro Fundido, Ligas
não Ferrosas, Materiais Compósitos Poliméricos e Termoplásticos.
Barras de aço para concreto armado
ABNT NBR 16300:2016 Galvanização por imersão a quente de barras de aço para
armadura de concreto armado - Requisitos e métodos de ensaio. 47
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Processo Normatizado
Normatização de Tubos

 ABNT NBR 5580: Tubos de aço carbono para usos comuns na condução de
fluidos – Especificação.
 ABNT NBR 5590: Tubos de aço carbono com ou sem solda longitudinal,
pretos ou galvanizados – Especificação.
 ABNT NBR 5597: Eletroduto de aço carbono e acessórios, com revestimento
protetor e rosca NPT – Requisitos.
 ABNT NBR 5598: Eletroduto de aço carbono e acessórios, com revestimento
protetor e rosca BSP – Requisitos.
 ABNT NBR 12016: Tubos de aço zincados, PN 150, com junta de engate
rápido, para irrigação – Determinação da resistência à pressão hidrostática –
Método de ensaio.
 ABNT NBR ISO 2408: Montagem de tubos e conexões galvanizados para
instalações prediais de água fria – Procedimento.
 ABNT NBR 7008: Chapas e bobinas de aço revestidas com zinco ou com
liga zinco-ferro pelo processo contínuo de imersão a quente – Especificação.

48
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

Como especificar a galvanização a fogo?


Processo Normatizado
O ICZ coordena a CEE 114 - Comissão de estudo especial de galvanização por Imersão
a quente da ABNT, pertencente ao CB 43 de Corrosão, secretariado pela ABRACO.

Norma de inspetor de galvanização a fogo.


Em elaboração pelo ICZ/ABRACO.

49
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

OBRIGADO PELA ATENÇÃO!

Ricardo Suplicy de Araujo Goes


Gerente Executivo do ICZ
F: 3214-1311 – ricardo.goes@icz.org.br

50
Workshop Mitos e verdades da galvanização a fogo
nos setores elétrico e construção civil

DIFERENÇA GALVANIZAÇÃO A QUENTE X ELETROLÍTICA

Galvanização
a fogo
espessuras de camada
Zinco
fundido de 42 a 200 um

Temperatura de 445 a 460oC

Galvanização
Eletrolítica
espessuras de camada
de 2 a 20 um
51