Você está na página 1de 2

O que é pecado?

Pecado é rejeitarmos ou ignorarmos a Deus no mundo que ele criou, rebelando-nos


contra ele e vivendo sem tê-lo como referencial em nossa vida, não sermos ou
fazermos o que ele requer em sua lei — o que resulta em nossa morte e na
desintegração de toda a criação.
Qualquer que comete pecado também comete iniquidade; porque o pecado é
iniquidade. 1 JOÃO 3.4
OSWALD CHAMBERS
O pecado é uma relação fundamental; não é fazer a coisa errada; é ser errado, ser,
deliberada e enfaticamente, independente de Deus. A religião cristã baseia tudo na
natureza positiva e radical do pecado. Outras religiões falam de pecado, mas só a Bíblia
trata do pecado. A primeira coisa que Jesus Cristo enfrentou nos homens foi a
hereditariedade do pecado e, como temos ignorado isso em nossa apresentação do
Evangelho, a mensagem do Evangelho perdeu sua pungência e seu poder de
entusiasmar.
JOHN LIN
Uma forma muito importante de entendermos o pecado é que se trata da rebeldia
contra a lei de Deus. É não fazermos o que ele requer de nós, não vivermos conforme
nos chamou para viver e, assim, não sermos, em plenitude, quem Deus nos criou para
ser. Pecado é viver sem a referência de Deus, não o vendo como a realidade definidora
de nossas vidas, em volta de quem toda a nossa vida tem de ser centrada. Quando não
vivemos como se Deus fosse quem ele é, violamos sua lei e todas as boas, amáveis e
protetoras diretrizes que ele nos deu para viver melhor e mais plenamente.
Pense nisso da seguinte forma: se você fosse caminhar por um penhasco dizendo “Não
preciso viver pela lei da gravidade; costumo seguir minhas próprias regras”, estaria,
por um lado, desobedecendo a uma regra e a um mandamento bem específico – ou
seja, “Não caminhe pelo penhasco na direção do precipício”. Por outro lado, também
não estaria vivendo de acordo com a lei da gravidade. Estaria vivendo como se a
gravidade não tivesse consequência ou importância em sua vida. Mas você não pode
dizer que a lei da gravidade é arbitrária, que é injusto ter de obedecer a ela. Jamais
diríamos isso, pois entendemos que a gravidade é algo sob cuja referência vivemos. É
claro que existem diretrizes a serem honradas e limites que devem ser reconhecidos.
Você sabe o resultado de caminhar para um precipício e tentar quebrar a lei da
gravidade: morte e desintegração.
Quando não vivemos como se Deus fosse Deus, quando quebramos sua amorosa lei,
quando falhamos em honrar quem ele é, quando dizemos ou deixamos implícito por
nossos atos que ele não tem nenhuma consequência ou importância para nós nesta ou
naquela parte de nossa vida, falhamos em ser plenamente quem Deus nos criou para
ser. E isso nos leva à morte e à desintegração.
A seguinte ilustração pode ajudar. Nosso sistema solar existe em harmonia somente
quando todos os planetas orbitam em volta do mesmo centro: o Sol. Se, porém, os
planetas decidissem, por conta própria, sobre como fazer sua órbita, o que
aconteceria? Morte e desintegração. O sistema solar, conforme o conhecemos, se
desmoronaria e desintegraria, pois os planetas não estariam orbitando em torno do
centro correto. Não estariam vivendo tendo o Sol como referência. Portanto, tudo
desmoronaria e seria destruído.

Não viver tendo Deus como referência não apenas conduz à nossa morte e à
desintegração pessoal; é a razão pela qual todo o cosmo está sujeito à morte e à
desintegração. Deus criou Adão e Eva para serem o cerne e o pináculo da criação. No
entanto, quando eles pecaram, a desobediência em relação à amorosa lei de Deus teve
implicação não somente sobre suas vidas, como também sobre a vida de todo o
cosmo.
Paulo escreve que “o salário do pecado é a morte” (Rm 6.23). O pecado leva à morte.
No entanto, o evangelho diz que Jesus Cristo experimentou a morte para que
pudéssemos viver. De algum modo, ele foi dilacerado na cruz, espiritualmente
desmontado, para que fôssemos feitos íntegros. Ele morreu pelo nosso pecado, para
que nós vivêssemos. Experimentou a morte e a desintegração. Pagou a pena por
nossos pecados, para que não precisássemos pagar por eles.
ORAÇÃO
Senhor do Universo, todos os teus caminhos são bons. Seguimos os caminhos de
morte quando seguimos nosso próprio rumo. Ajuda-nos a ver o pecado como o
veneno que é. Que tua lei, e não o espírito de rebeldia contra a lei, dê à nossa mente e
à nossa vida tua forma. Amém.