Você está na página 1de 2

Discípulos Radicais (Atos 16:16-26)

Radical no seu amor por Cristo; radical na convicção de fé; radical na


disposição e determinação de pregar o evangelho; radical no testemunho como
discípulo do Senhor; radical na determinação de servir e seguir a Cristo até as
últimas consequências. Paulo e Silas foram discípulos radicais. Vejamos as
características de tal radicalismo:

1 – Eles foram pacíficos, porém ousados vs.16-18

Em nenhum momento os discípulos do Senhor usaram de violência física ou


verbal com alguém. Eles não repreenderam a moça, mas ao espírito mal que
nela estava; eles não mediram forças ou se defenderam com os senhores
daquela moça, mas também não se intimidaram nem se dobraram diante da
manifestação do mal. Eles não lutaram com os guardas, mas não negaram o
que haviam feito em Cristo;

2 – Eles foram perseguidos, porém destemidos vs. 19-20

Eles certamente lembraram da promessa do Senhor: “Eu estarei convosco


todos os dias até a consumação dos séculos.” Eles não estavam sós, a
presença do Mestre da Galiléia que os fortalecia. A dor e o medo certamente
rondaram e tentaram dominar os discípulos de Jesus, mas uma força maior
afastou o medo e eles viram as estruturas das celas sendo abaladas e as
cadeias se romperem pela manifestação do poder do Altíssimo.

3 - Eles foram açoitados, porém firmes na fé; vs. 22,23

Não percebemos os discípulos titubear na fé em nenhum momento. Eles não


retrocedem na postura, eles não negaram sua fé, antes ficaram firmes, como
quem sabia em quem criam. Enquanto firmes na fé eles foram consolados pelo
Espírito Santo, pelo Espírito de vida, pelo Espírito de Cristo, pelo Espírito de
alegria, pelo Espírito consolador. Consolados pela certeza de que maior que as
dores e humilhações que estavam passando seriam as glórias e alegrias porvir;
consolados pela honra de sofrer pelo Mestre, de participar das dores do
Senhor.

4 – Eles foram presos, porém livres no Senhor vs. 24-26

Eles estavam presos com grades e correntes, mas estavam livres na alma,
livres na consciência diante de Deus e de seus algozes; livres para voar nas
asas da esperança do reino de Deus, livres para adorar e cantar louvores a
Deus, livres para exaltar ao Senhor dos senhores e Rei dos reis; livres para
pregar as boas novas do evangelho de que Jesus Cristo veio ao mundo,
morreu e ressuscitou para perdoar e salvar os pecadores. Livres para viver em
Cristo e para Ele, mas também livres para morrer por Cristo se necessário
fosse.
Conclusão:

Os vs 27-34 mostram o resultado do radicalismo de Paulo e Silas. A graça de


Deus se manifestou, o carcereiro e sua família foram salvos e os discípulos de
Cristo foram acolhidos e cuidados pelo agora, “irmão carcereiro”.

Os discípulos de Cristo devem saber que por causa de Cristo, por amor a Ele e
para sua glória passarão por perseguição. Quanto mais fiel for o discípulo de
Jesus maiores serão as perseguições.

“Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão


perseguidos.”(2 Timóteo 3:12)

“Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos


perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós. 12 Regozijai-vos e
exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram
aos profetas que viveram antes de vós.” (Mateus 5:11-12)

“Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes,
aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo.” (Mateus
10:28)

Ser discípulo de Jesus é ser radical. A exemplo dos profetas, dos


apóstolos, dos cristãos primitivos, dos pais da igreja; dos reformadores, da
igreja perseguida nos países islâmicos e de cristãos diversos no mundo; somos
discípulos de Jesus e portanto chamados ao mesmo tipo de radicalismo que
viveram os nossos irmãos e irmãs em Cristo.

Quem põe a mão no arado não pode olhar para trás (Lc. 9:62). Seguir a
Cristo é uma decisão radical, é o compromisso mais sério que podemos
assumir; quem decide seguir a Cristo, vive Nele e para Ele, não tem mais
tempo a perder com os embaraços dessa vida. Para quem conhece o amor de
Cristo não existe outra alternativa a não ser segui-lo, como bem disse Pedro:
“Para quem iremos, só tu tens as Palavra de vida eterna.” (João 6:68) O
discípulo de Cristo está disposto a tudo isso porque achou Nele o maior de
todos os tesouros(Mt. 13:44). Achou Nele a vida abundante (Jo10:10);Achou o
melhor amigo(Jo15:15);Achou o bom pastor(Jo 10:11);Achou o salvador(At4:12

Para refletir e compartilhar:

1 – O que significa ser um cristão radical?

2 - É possível ser discípulo de Cristo e não ser radical¿?

3 – O que Paulo e Silas viveram no início da igreja, muitos irmãos e irmãs


vivem ainda hoje em alguns países por amor a Cristo. O que podemos
aprender e fazer diante dessa realidade?

Você também pode gostar