Você está na página 1de 26

Seminário Meio Ambiente, Direitos Humanos e

Energia
O setor elétrico no Estado Democrático de Direito
4a. CCR/MPF - Brasília, 11 e 12 de junho de 2015

Bacias Hidrográficas e Avaliação de


Conflitos Socioambientais

Profa. Dra. Andréa Zhouri


GESTA/UFMG
Apresentação:

 Gênese do conflito socioambiental


 Governamentalidade e violência
 Conceito de atingido
 Deslocamento in situ
 Paradigma da adequação ambiental
 Flexibilização das normas
 Defesa dos direitos socioambientais
MAGALHÃES, S.B. Hidrelétricas, Sociedade e Ambiente no estado do Pará.
Projeto de Pesquisa aprovado pela Fapespa, EDITAL Nº 05 /2014
MAGALHÃES, S.B. Hidrelétricas, Sociedade e Ambiente no estado do Pará.
Projeto de Pesquisa aprovado pela Fapespa, EDITAL Nº 05 /2014
Fearnside, P.M. 2015.
Amazon dams and waterways:
Brazil’s Tapajós Basin plans.
Ambio doi: 10.1007/s13280-
015-0642-z
Minas Gerais - 210 hidrelétricas em operação
Gênese do Conflito

Planejamento centralizado: foco nas obras


(geração/oferta)
Avaliações dos impactos: ponto de vista das obras
Pano de fundo: ideologia do desenvolvimento (abstrato)
Inexorabilidade da obra: flexibilização das normas

necessidade essencial da obra


alternativa técnica e locacional
plano jurídico: suspensão de segurança
Governamentalidade e violência

 Construção de sujeitos governáveis (legíveis)

 Legibilidade: padronização do tecido social


Conceito de atingido: patrimonal/hídrico
(Vainer,1999)
Participação: formal e tardia

Mediação de conflitos:
 administração dos efeitos adversos
(TACs, mesas de negociação)
Consequências
 Esvaziamento da política (dissenso, contraditório)

Desconsideração sobre a realidade local socioambiental,


econômica e cultural.

 Violência física, material, simbólica e epistêmica.

Destituição do estatuto de sujeito (sujeito de


direitos)

 Não consideração dos deslocados in situ


Ex: atingidos a jusante
Representação gráfica do modo de construir o ambiente na
região.
Fonte: Arquivo Gesta 2005.
Caso a jusante de Irapé

O cultivo das vazantes e tabuleiros antes


da UHE Irapé

Plantio nas vazantes às margens do Rio Jequitinhonha, maio de 2005.


Comunidade de Prexedes
Fonte: Arquivo GESTA.
A perda das vazantes

Margens do Rio Jequitinhonha tomadas por matagal, maio de 2011.


Comunidade de Prexedes.
Fonte: Arquivo GESTA.
A perda das vazantes


Plantio nas vazantes às margens do Lodo cobrindo as margens do Rio
Rio Jequitinhonha, maio de 2005. Jequitinhonha. Comunidade de
Fonte: Arquivo GESTA. Prexedes, maio de 2011.
Fonte: Arquivo GESTA.
ACP 2006.38.13.012165-7
Relatório GESTA 2011 constata:

 Comprometimento das atividades produtivas a


partir da supressão das vazantes;
 Desestruturação da capacidade de controle,
alocação e gerenciamento da mão de obra
familiar;
 Desarticulação do sistema horta-roça e
mantimento-mistura;
 Comprometimento do fundo de manutenção
 Prognóstico de insegurança alimentar.
O deslocamento in situ - processos em que
as pessoas permanecem no lugar, mas têm suas
condições de existência significativamente
alteradas, modificando sua posição social,
em especial suas condições de
vulnerabilidade e risco.

Deslocamento compulsório - relações de inclusão


e exclusão a partir das quais as pessoas
perdem acesso e controle sobre suas
condições de existência e reprodução
social, incluindo, recursos naturais e materiais,
moradia, segurança, redes de solidariedade,
confiança e parentesco (FELDMAN et al, 2003).
Imposição de um quadro de insegurança
administrada no que se refere à avaliação
dessas famílias sobre o uso compulsório da
água do rio Jequitinhonha impactada pela
barragem.

Conclui pela existência de um manifesto e


indubitável nexo entre a intervenção da UHE
Irapé no ambiente e a vulnerabilização dessa
população afetada.
Sentença do juiz

Em que pese o brilhante Relatório ...O que se


observa é que o Relatório confeccionado pelo
GESTA possuiu cunho muito mais
sociológico e antropológico, do que
técnico, sendo, inclusive, muito mais
amplo do que o objeto da lide, faltando
ao Grupo, conforme relatado pelo perito oficial,
profissionais ou pesquisadores especializados
em problemas de qualidade de água e
impactos ambientais decorrentes de
construção de represas. (Juiz Federal, Teófilo
Otoni 06/05/2013. Grifos acrescidos)
Sentença do juiz

Nos esclarecimentos o perito foi bastante claro,


demonstrando vasto conhecimento do assunto,
e fez brilhante separação entre o
objeto da pericia e as aspirações da
sofrida população ribeirinha do
Jequitinhonha. Todavia, é preciso ressaltar
que a lide está adstrita ao problema da
qualidade da água e não da resolução
de problemas de cunho sociológico e
antropológico. (Juiz Federal, Teófilo Otoni
06/05/2013)
Paradigma da Adequação
Ambiental

Aposta no consenso - jogo da mitigação, da


compensação e do ajustamento de conduta
(TAC)

Inexorabilidade dos projetos de barragem

Social versus ambiental - ciências sociais versus


ciências naturais, com hierarquização a favor
de uma visão técnica apartada do mundo real,
mas tida como objetiva.
Paradigma da Adequação Ambiental

Série de silenciamentos. Violência epistêmica.

Supervalorização das ciências naturais - efeito de


naturalização do conhecimento à pretensão de
objetividade.
Desqualificação do conhecimento antropológico,
entendido como discurso que reproduz a visão
nativa.

Silenciamento do saber tradicional.


Defesa dos direitos socioambientais
 Democratização dos processos decisórios (desde o
planejamento);
 Princípios da equidade ambiental (AEA),
contemplando a possibilidade da não execução de
projetos;
 Justiça: reconhecimento da alteridade - sujeitos
coletivos, com projetos de vida distintos e legítimos
frente à visão hegemônica de desenvolvimento;
 Audiência Pública Prévia ao Termo de Referência (TR);
 Consultoria ambiental independente das empresas
(constituição de um fundo a ser co-gerido por Estado e
Sociedade).
Defesa dos direitos socioambientais

Avaliação de Equidade Ambiental


(FASE, ETTERN/ IPPUR-UFRJ, 2011)
www.conflitosambientaismg.lcc.ufmg.br
Obrigada!

GESTA - Grupo de Estudos em Temáticas


Ambientais
gesta@fafich.ufmg.br
www.fafich.ufmg.br/gesta