Você está na página 1de 26

COMO PROCEDER?

VIVO EM UNIÃO ESTÁVEL


E Q U E RO ME SE PA RA R.
UM GUIA COMPLE TO COM O PASSO A PASSO.

Bárbara Corrêa
ADVOCACIA - OAB/RS 87.113
Índice
Introdução 3
Diferença entre União Estável Registrada e União Estável de Fato 4
Iniciando o processo: onde pedir a “separação”? 6
Tipos de dissolução da União Estável 9
Quem �ica com a guarda dos �ilhos? 12
Como é feita a divisão dos bens? 14
Documentos necessários para a separação 17
Acordo Verbal: se optarmos pela via consensual, é seguro fazer um Acordo Verbal? 20
Como escolher um advogado? 23
Contato 25

VIVO EM UNIÃO' ESTÁVEL E QUERO ME SEPARAR: COMO PROCEDER? 2


Introdução
A união estável hoje é reconhecida como entidade familiar,
assegurando os mesmos direitos daqueles que são casados.
Assim, vive em união estável o homem e a mulher que
possua uma convivência pública, contínua e duradoura e
estabelecida com o objetivo de constituição de família.
Ainda, são deveres da união a lealdade, o respeito e a
assistência, e de guarda, sustento e educação dos �ilhos.

VIVO EM UNIÃO' ESTÁVEL E QUERO ME SEPARAR: COMO PROCEDER? 3


Diferença

União estável registrada


e União estável de fato.

Bárbara Corrêa
ADVOCACIA - OAB/RS 87.113
Entenda a diferença:
O primeiro passo para aquele que vive em união estável se separar é
respondendo a seguinte pergunta: “Vocês registraram essa união
estável no cartório/tabelionato?

Se a resposta for sim, trata-se de união estável registrada, se a resposta


for não, trata-se de união estável de fato. E, sendo uma união de fato, o
advogado irá primeiramente provar para o Juiz que existiu um
relacionamento para depois informar que acabou, mas não se preocupe,
um advogado especialista na área saberá tomar essas providências.
Feito este pequeno esclarecimento, vamos ao que interessa.

VIVO EM UNIÃO' ESTÁVEL E QUERO ME SEPARAR: COMO PROCEDER? 55


Iniciando o processo

Onde pedir a “separação”?

Bárbara Corrêa
ADVOCACIA - OAB/RS 87.113
Onde pedir a “separação”?
O pedido de separação será feito no que irão ajudar a identi�icar se é o seu caso
Tabelionato de Notas (extrajudicial) ou no ou não... São elas: (a) sua união estável
Poder Judiciário (judicial). possui registro (escritura pública de união
estável feita no Tabelionato)? (b) vocês
Contudo existem algumas uniões estáveis que possuem �ilhos menores? (c) vocês possuem
não precisam de medida alguma para bens para dividir/partilhar?
colocarem �im a vida em comum, nem judicial
e nem extrajudicial, e isso será devidamente Se você respondeu “não” para todas as
esclarecido pelo advogado na hora do perguntas acima, não precisa fazer nada
primeiro atendimento. formalmente, apenas deixar de ter o
relacionamento, pois sua união estável é
Entretanto, já posso fazer algumas perguntas apenas de fato, e não possuindo �ilhos e nem

VIVO EM UNIÃO' ESTÁVEL E QUERO ME SEPARAR: COMO PROCEDER? 7


Onde pedir a “separação”?
!
bens/patrimônio, não há o que regularizar ou No entanto, para escolher a opção
partilhar. Viu, bem simples! Sem registro, sem extrajudicial, ou seja, no Tabelionato, o casal
bens, sem �ilhos, não há necessidade de deve preencher alguns requisitos, a saber:
dissolução! Ressaltando que se há alguma (i) deve ser consensual, amigável, devendo o
especi�icidade no seu caso, isso deve ser casal estar de acordo com a partilha/divisão
!
levado a um advogado especialista. dos seus bens; (ii) o casal não pode ter �ilhos
menores; além de (iii) esta união ter sido
Porém, se você respondeu “sim”, mesmo que registrada no Tabelionato.
!
para apenas uma das perguntas acima, terá
que dar entrada ao pedido de dissolução de Lembrando que tanto para a via judicial
união estável, que pode ser no Tabelionato quanto a via extrajudicial a lei exige que o
de Notas ou no Poder Judiciário. pedido seja feito por intermédio de um
advogado.

VIVO EM UNIÃO' ESTÁVEL E QUERO ME SEPARAR: COMO PROCEDER? 8


Melhor acordo

Tipos de Dissolução da
União Estável.

Bárbara Corrêa
ADVOCACIA - OAB/RS 87.113
Tipos de Dissolução da União Estável
A dissolução/separação pode ser consensual de pensão alimentícia, guarda dos �ilhos
ou litigiosa. menores, en�im, questões que são de�inidas
no momento da separação.
Antes mesmo de o casal dar entrada ao
pedido de separação eles devem se questionar A separação é algo sempre muito delicado
se existe a possibilidade de pôr �im a vida em para o casal, mas através da modalidade
comum de forma consensual, ou seja, em consensual é possível tornar todo esse
acordo. procedimento menos doloroso, além de
mais rápido e mais barato.
Será consensual quando o casal está de
acordo com o término da relação, bem como As vantagens da via consensual são
com os seus termos, como por exemplo: a inúmeras e isto pode ser esclarecido a
forma que irão partilhar os bens, os valores vocês por um advogado especialista em

VIVO EM UNIÃO' ESTÁVEL E QUERO ME SEPARAR: COMO PROCEDER? 10


Tipos de Dissolução da União Estável
!
direito de família, mas já posso adiantar se recusa a aceitar que o relacionamento
algumas vantagens que sempre ressalto em acabou. Neste caso, um pro�issional
meus atendimentos, como por exemplo, gerar especializado na área se torna de maior
menos estresse ao casal e aos �ilhos (a que valor ainda, pois aqui será feita a defesa
considero mais importante, inclusive), além técnica de seus interesses.
!
do fato de que serão vocês que irão decidir
como se dará a partilha dos bens.
!
Porém, sabemos que nem sempre o acordo é
uma opção, sobrando apenas a via litigiosa,
que é quando o casal não entra em um acordo
sobre os termos da separação, ou algum deles

VIVO EM UNIÃO' ESTÁVEL E QUERO ME SEPARAR: COMO PROCEDER? ;;'11


Filhos

Quem fica com a guarda


dos filhos?

Bárbara Corrêa
ADVOCACIA - OAB/RS 87.113
Quem fica com a guarda dos filhos?
Existem duas espécies de guarda comumente Contudo, caso seja da forma litigiosa,
aplicadas nos dias atuais, são elas: embora a guarda compartilhada hoje seja a
(i) a guarda compartilhada, ou seja, a guarda é regra, não havendo um bom relacionamento
do pai e da mãe ao mesmo tempo; e (ii) a entre os pais, normalmente a guarda �ica
unilateral, quando a guarda é somente do pai, com a mãe, sendo que a guarda apenas do
ou somente da mãe. pai se dá em situações excepcionais, onde é
analisado o caso em especí�ico.
Importante destacar que se o casal tenha
optado pela via consensual, podem escolher
qualquer uma das opções citadas acima, pois
o Juiz, via de regra, irá concordar.

VIVO EM UNIÃO' ESTÁVEL E QUERO ME SEPARAR: COMO PROCEDER? 13


Divisão de bens

Como é feita a divisão


!

dos bens?

Bárbara Corrêa
ADVOCACIA - OAB/RS 87.113
Como é feita a divisão de bens?
A divisão dos bens ocorrerá de acordo com o pública de união estável, mas caso a união
regime de bens adotado pelo casal. seja de fato, o regime é automaticamente o
da comunhão parcial de bens.
Atualmente temos quatro regimes que podem
ser aplicados a quem vive em união estável, A partilha dos bens do casal sempre se dará
são eles: regime da comunhão parcial, regime meio a meio, no entanto, o signi�icado de
da comunhão universal de bens, regime da “bens do casal” vai mudar de acordo com o
separação de bens e regime da participação regime adotado.
�inal nos aqüestos.
Abaixo segue um pequeno resumo do que é
Dica: Se você não sabe ou não lembra o considerado “bens do casal” de acordo com
regime escolhido, ele está escrito na escritura cada regime:

VIVO EM UNIÃO' ESTÁVEL E QUERO ME SEPARAR: COMO PROCEDER? 15


Como é feita a divisão de bens?
!
a) Comunhão parcial: pertencerá ao casal d) Participação �inal nos aquestos: trata-se
os bens adquiridos durante o casamento, a de um regime misto em que, apesar de,
exceção dos bens doados e herdados por durante a união, ter os mesmos efeitos da
apenas um deles. separação de bens (item “c”), com o término
b) Comunhão universal: pertencerá ao casal da união, terá os mesmos efeitos da
!
os bens adquiridos antes e durante o comunhão parcial de bens (item “a”), ou
casamento. seja, será partilhado os bens adquiridos
c) Separação de bens (também conhecida durante o casamento.
!
como separação total, absoluta ou
convencional): continuará sendo de
propriedade de cada um os seus bens
individuais, não havendo, em regra, bens do
casal.

VIVO EM UNIÃO' ESTÁVEL E QUERO ME SEPARAR: COMO PROCEDER? 16


Documentação

Documentos necessários
!

para a separação.

Bárbara Corrêa
ADVOCACIA - OAB/RS 87.113
Documentos necessários
Conforme já dito acima, caso sua união estável Além disso, serão necessários os
seja de fato, ou seja, sem registro, e a via documentos padrões, comuns a qualquer
escolhida seja a litigiosa, primeiramente ação, bem como os que provem a aquisição e
deverá se provar que existiu uma união propriedade dos bens a serem partilhados,
estável. Para isso, o advogado solicitará a você como:
provas do relacionamento, no intuito de
demostrar que houve uma relação pública, • Documentos que demonstrem os seus
contínua e duradoura e estabelecida com o rendimentos da parte interessada;
objetivo de constituição de família. ex. carteira de trabalho, demonstrativo de
pagamento, extrato de conta corrente.
- Da prova da união estável:
• Nome, RG e CPF do/a interessado/a;
É seu advogado que irá lhe informar quais são
os documentos necessários de acordo com o • Comprovante de residência atualizado
seu caso, contudo citarei alguns que do/a interessado/a,
geralmente são os mais comuns, como: ex. conta de água, luz ou correspondência.
• Fotos do casal;
• Mensagens trocadas; • Nome, RG e CPF da parte contrária;
• Contas de luz, água, internet, entre outras,
demostrando a residência em comum; • Endereço atualizado da parte contrária;
• Testemunhas da união.

VIVO EM UNIÃO' ESTÁVEL E QUERO ME SEPARAR: COMO PROCEDER? 18


Documentos necessários
!
• Escritura pública de união estável
atualizada, se houver; • Certidão da matrícula, ou
Esta deve ser retirada no Tabelionato de contrato/compromisso de venda e compra
Notas em que foi realizado. de bem imóvel, se houver;
A certidão da matrícula deve ser retirada no
•! Certidão de nascimento dos �ilhos menores; Registro de Imóveis da cidade do imóvel.
Esta deve ser retirar no Cartório em que a
pessoa foi registrada. • Documento de propriedade do veículo, se
!
houver;
• Relação dos bens móveis que pretende
partilhar, com as notas �iscais, se houver;

VIVO EM UNIÃO' ESTÁVEL E QUERO ME SEPARAR: COMO PROCEDER? 19


Acordo Verbal

Se optarmos pela via


!

consensual, é seguro fazer


um acordo verbal?

Bárbara Corrêa
ADVOCACIA - OAB/RS 87.113
Acordo verbal: é seguro?
Embora muitos que vivam em união estável a união e os adquiridos após término desta,
achem que é desnecessário formalizar o onde pode ocorrer a comunicação, tanto de
término, se vocês registraram a relação, bens, lucros e dívidas adquiridas por apenas
possuem �ilhos ou possuem patrimônio, um uma das partes. Realmente, a demora em
acordo particular ou verbal nesses casos formalizar a separação, nessa situação,
pode trazer inúmeros prejuízos, pois para o pode dar muita dor de cabeça!
meio jurídico não houve o término formal da
relação. Então, com segurança, respondo que não
é seguro fazer um acordo verbal! E te
Alguns exemplos do prejuízo que isso pode explico o porquê!
trazer é a possibilidade de confusão
patrimonial entre os bens adquiridos durante Posso citar três principais di�iculdades

VIVO EM UNIÃO' ESTÁVEL E QUERO ME SEPARAR: COMO PROCEDER? 21


Acordo verbal: é seguro?
!
que são muito corriqueiras em meus
atendimentos. O acordo formal, escrito e homologado pelo
Juiz ou Tabelião, é o único capaz de
A primeira está relacionada a provar que foi produzir garantias legais para os
feito um acordo, a segunda di�iculdade é envolvidos, havendo, inclusive, medidas
!
provar os termos desse acordo e, a terceira judiciais especí�icas para se fazer cumprir o
em como cobrar do outro o cumprimento combinado.
do prometido?
!

Realmente, são problemas que podem ser


evitados agindo da forma correta, pois como
já explicado nos itens anteriores desse
e-book, são muitas as questões que devem ser
tratadas quando do término da relação
conjugal.

Lembre-se que o término da relação é uma


situação complexa e envolve decisões que
podem afetar profundamente a vida do
casal e dos seus �ilhos, e por isso não é
aconselhável que sua única garantia seja
apenas a palavra da outra pessoa.
VIVO EM UNIÃO' ESTÁVEL E QUERO ME SEPARAR: COMO PROCEDER? 22
Auxílio

Como escolher um
advogado?

Bárbara Corrêa
ADVOCACIA - OAB/RS 87.113
Como escolher um advogado?
Como em todas as áreas da vida, a orientação experiência necessária para auxiliar em
especializada é sempre a melhor opção e não pontos cruciais, como a divisão de bens,
seria diferente quando o assunto é a escolha guarda dos �ilhos e pensão alimentícia, caso
do advogado que irá trabalhar com questões haja uma discórdia entre o casal.
tão importantes para você e seus �ilhos. No caso de uma dissolução litigiosa, o papel
Um advogado especializado em Direito da de um advogado especialista é vital, pois ele
Família pode reduzir de forma signi�icativa será o responsável por fazer a defesa de seu
os problemas que talvez surjam em um cliente de forma estratégica perante o
processo de separação. Poder Judiciário, pois além de cuidar da
dissolução, terá que ser feita a prova da
É que, além do conhecimento aprofundado no união.
assunto, o advogado especialista possui a

VIVO EM UNIÃO' ESTÁVEL E QUERO ME SEPARAR: COMO PROCEDER? 24


Gostou do conteúdo?
Acompanhe as novidades.
(51) 3115-0106 (51) 99683-3641
barbarabf.correa@gmail.com
Rua Coronel Marcelino, nº 40, Sala 1101, Centro/Canoas.
www.barbaracorrea.com.br
@barbaracorreaadvocacia

Bárbara Corrêa
ADVOCACIA - OAB/RS 87.113
Bárbara Corrêa Advocacia
Escritório de Advocacia especializado no ramo do Direito Negocial, de Família e de Sucessões
(assessoria, consultivo e contencioso), e que prioriza uma atuação preventiva, séria e e�iciente.

Nossos valores têm como base a ética, a transparência e a con�iabilidade de seus clientes.

Para isso, priorizamos um trabalho sério e transparente, tendo como diferencial o atendimento
personalizado e focado em nossa missão, facilitando o contato do cliente com o advogado, seja
para obter esclarecimentos, dúvidas ou informações.

Nossa missão é tornar todo o procedimento menos doloroso e desgastante para nossos clientes
através de um atendimento e acompanhamento humanizado.

Bárbara Corrêa
ADVOCACIA - OAB/RS 87.113

Você também pode gostar