Você está na página 1de 152

NÚCLEO DE LAZER

COMUNITÁRIO
Chaiane Fernandes
NÚCLEO DE LAZER
COMUNITÁRIO

Universidade de Ribeirão Preto


Faculdade de Arquitetura e Urbansimo
Trabalho Final de Graduação

Chaiane Fernandes

Orientador:
Marcelo Carlucci

Ribeirão Preto
2018
1 APRESENTAÇÃO
Agradecimentos ...........................9
Introdução ..............................11

SUMÁRIO
Pesquisa de Campo .......................12

Lazer e suas ramificações ................19


2 FUNDAMENTAÇÃO Espaço público e lazer ..................22

TEÓRICA O controle e a segurança ................28


O espaço público x o espaço privado.......30

3 A CIDADE DE
A cidade de Cravinhos ...................31
Evolução histórica da cidade ............33
CRAVINHOS O lazer na cidade de Cravinhos ...........34

O Clube .................................45

4 O CLUBE
implantação da área;
entrada;
espaço de lazer;
praça de alimentação;
quadras esportivas;
salões;
banheiro;
as pisinas.

5 REFERÊNCIAS
Referências Projetuais ..................55
SESC Ribeirão Preto ..........................56
Parque Madureira .............................70
PROJETUAIS Cantinho do Céu ..............................80
6 LEVANTAMENTOS
Levantamentos .............................85

área de intervenção;
uso do solo;
vegetação;
equipamneos;
hierarquia viária;
figura fundo;
gabarito;
insolação e ventilação;
tipologias arquitetônicas;
caracterizção da área.

Processo Projetual........................107

7 PROCESSO programa de necessidade inicial;


fluxograma inicial;
espacializção do programa inicial;
PROJETUAL plano de massa inicial;
pré estudos;
etapas de desenvolvimento.

Projeto ............................................117

Premissas Projetuais ...............................118

8
Implantação ........................................125
PROJETO Planta Nível Zero ..................................126
Planta Nível Quatro ................................127
Cortes .............................................128
A Praça ............................................134
O Edifício .........................................144

Considerações Finais ...............................149

9 REFERÊNCIAS Referência Bibliográficas ................151


BIBLIOGRÁFICAS
1
APRESENTAÇÃO
À Lucimara,
Paulo Lima.
Agradecimentos
À minha família, pelo carinho
e paciência, principalmente
a minha mãe que sempre me
encorajou nesse processo e
em toda a vida. À equipe
que formei durante esses
anos, pela oportunidade e
experiências únicas. À todos
professores que compartilharam
seus conhecimentos nessa
jornada, destacando-se meu
orientador Dr. Marcelo
Carlucci que contribuiu
para a minha formação.
Figura 1: Clube Recreativo.
Foto Divulgação: Acervo Pessoal.
11
O conceito de lazer relações de convívio público.

Introdução
está atrelado atualmente ao
tempo que sobra do horário de Especificadamente esse estudo
trabalho e/ou do cumprimento será voltado para um novo
de obrigações cotidianas projeto mas continuando com a
de cada indivíduo e, cada ideia de clube recreativo, de
vez mais, é procurado pela uma extensa área desativada
população para o exercício onde, anteriormente,
de um direito resguardado funcionava um clube recreativo.
pela constituição. O lazer Atualmente desativado e em
pode ser praticado em espaços estado de deterioração.
públicos ou privados que Quando ativo representava um
viabilizam a satisfação de importante lugar de programas
necessidades individuais e familiares pois possuía
coletivas trazendo conforto, diversas atividades tal como públicos voltados ao lazer
bem-estar e comodidade. quadras esportivas, piscinas em escala nacional e local.
Assim a ideia inicial deste e praça de alimentação.
trabalho consiste em estudar Pretende-se investigar as Como metodologia
todas as áreas de lazer potencialidades dessa área o presente trabalho se
da cidade de Cravinhos, e reestabelecer tudo aquilo utilizará de pesquisas em
interior do estado de São que foi perdido com o passar campo, consulta a arquivos
Paulo, para melhor concepção do tempo. A reestruturação público, observações e
e adaptação das mesmas. e reativação desse espaço registros fotográfico in loco
trará valorização econômica e e entrevistas com moradores e
A cidade possui poucos urbana e a volta de um espaço usuários, além de pesquisa de
habitantes e oferece algumas de lazer de qualidade para referências bibliográficas,
atividades voltadas ao lazer os habitantes de Cravinhos. também pretende-se realizar
como o parque ecológico pesquisas relacionadas ao
municipal, espaços verdes O objetivo é analisar lazer no espaço público e como
espalhados pelos bairros, o panorama de utilização do ele se privatizou no decorrer
praças e clubes recreativos espaço público em relação dos anos, como o lazer
privados. Porém, essas áreas ao lazer em Cravinhos e agrega na vida das pessoas
ainda não estão adequadamente verificar a possibilidade de e o quão ele é importante
exploradas e possuem algumas potencializa-los a partir na cidade contemporânea.
deficiências para suprirem as das referências conceituando Em seguida, será discutido
necessidades da população. as temáticas de cultura sobre as áreas de cultura e
Além de oferecerem um visual e lazer mediante o uso de lazer na cidade de Cravinhos
positivo para a cidade, espaço público; pesquisar e através de pesquisas
esses espaços resultam da os acontecimentos voltados inventar novas formas de
consolidação do compromisso a lazer atuais na cidade e criar espaços recreativos
de alcançar a plenitude das pesquisar sobre os espaços acessíveis para a população.
12

Pesquisa de Campo
Gráficos feito pelo google

Idade

Sexo

Habitante na cidade de
Cravinhos?
13

Há quanto tempo mora na cidade


de Cravinhos?

Gostaria de um clube recreativo na cidade?

Se tivsse, frequentaria?

Se esse clube existisse,


quantas vezes na semana
frequentaria?
Pesquisa de Campo
Gráficos feito pelo google

Com quem iria para o clube?

Como você chegaria até lá?

Quais benefícios um clube


recreativo poderia trazer
para a ciidade de Cravinhos?
16
2
FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
19
Lazer é uma palavra com industrial, os mesmos passam
significados diversos nos dias a ter horas exatas trabalhadas
atuais. É o tempo que sobra do semanais com direito a dias
trabalho e/ou do cumprimento de descanso, ganhando um
de obrigações de cada dia de lazer, ou seja, com
indivíduo. Cada vez mais há as modificações ocorridas
uma vasta procura por espaços na sociedade, as pessoas
de lazer por estes estarem passaram a trabalhar menos.
atrelados à necessidade de Porém, mesmo com a redução de
descanso inerente ao ser horas trabalhadas a população

Lazer e suas ramificações


humano e de seu direito não sabe muito o que fazer
como cidadão. Esses espaços, no tempo livre. E o lazer na
sejam públicos ou privados, cultura contemporânea não é
buscam atender a essas mais reconhecido, visto que,
necessidades individuais e na amplitude da vida cotidiana
coletivas, promovendo bem- é comum presenciar indivíduos
estar psicológico e afetivo. praticando horas extras de
serviço para melhorar sua
Segundo o sociólogo situação financeira ao invés de
francês Dumazedier: praticar atividades de lazer
O lazer é um necessárias à sua saúde mental.
conjunto de ocupações às quais
o indivíduo pode entregar-se de Lazer na educação escolar
livre vontade, seja para repousar,
seja para divertir-se, recrear- Atualmente, o conceito
se e entreter-se, ou ainda,
para desenvolver sua informação de lazer e recreação são
ou formação desinteressada, sua assuntos muito discutidos. É
participação social voluntária essencial para a plenitude da
ou sua livre capacidade criadora
após livrar-se ou desembaraçar-
vida humana, um direto social
se das obrigações profissionais, de todo cidadão que está na
familiares e sociais (DUMAZEDIER, Constituição da República
2004, p34).
Federativa do Brasil em seu
Até meados do início artigo 6º (BRASIL, 1988).
do século XIX, o sistema de As atividades de lazer
trabalho na vida das pessoas oferecem também um leque de
era imposto sem pensar possibilidades de inúmeras
no lazer, atividade que atividades, englobadas pelo
representava apenas o tempo conceito de “educação física”.
livre em casa após o trabalho As escolas são um espaço
. Após a revolução industrial estratégico para trabalhar o
e o surgimento da tecnologia
20
lazer. Algumas escolas abrem forma de trazer subsídios
suas portas para oferecerem ao lazer. Como por exemplo
cursos para os alunos das na escola Carlos Drumont de
mesmas e é aberta para o Andrade, zona oeste da cidade
público. Foi uma forma do Rio de Janeiro, onde foi
encontrada para chamar atenção realizada uma pesquisa em
dos adultos e das crianças 2012 relacionada a um projeto
com o objetivo de motivá-las que é oferecido ao público
a participarem das atividades onde se desenvolve múltiplas
oferecidas pelo o instituto, atividades aos sábados,
estimulando o desenvolvimento diferente do processo habitual
de novas competências para da escola. (QUEM,2012).
essas pessoas a sempre terem
atividades diversas fugindo
do monotonismo da tv e do O lazer para o indivíduo com
tempo gasto em redes sociais. deficiência
Deixar essas pessoas buscarem ‘’ A Terapia Ocupacional
algo que seja prazeroso onde é uma profissão de saúde
vão despertar a vontade e que auxilia o indivíduo a
a necessidade de sair fora recuperar, desenvolver e
do estado do tédio e das construir habilidades que
obrigações do dia-a-dia. são importantes para sua
independência funcional,
No Brasil, a formação saúde, segurança e integração
do profissional de Educação social’’. (NOORDHOEK,
Física tem correspondido à 2005).
essa concepção de lazer, visto
que é o tempo prazeroso fora Hoje em dia é comum
das aulas obrigatórias onde os observar que há uma certa
alunos se sentem livres para preocupação das ações
exercitar as coordenações educativas em buscar
físicas e psíquicas, onde atividades culturais e
eles conseguem ter acesso de lazer para as pessoas
mais amplo ao esporte (luta, com deficiências. Devido a
dança, ginástica, jogos etc). isso, aumentou a procura de
profissionais ocupacionais
Por meio de uma análise pois eles apontam que o
de estudo, pertinente ao lazer faz parte da vida
tema, foi possível identificar cotidiana das pessoas e
e compreender essa relação para esse público, clientes
entre educação física como de terapeutas ocupacionais,
21
o lazer é essencial. Federal do Brasil estabelece
no Artigo 5º que: “Todos
Portanto é necessário a são iguais perante a lei,
inclusão desses indivíduos em sem distinção de qualquer
diversas modalidades do lazer. natureza, garantindo-
Com a inserção dos mesmos no se aos brasileiros e aos
espaço de lazer, acrescentará estrangeiros residentes no
visões culturais e sociais de País a inviolabilidade do
diferentes civilizações que direito à vida, à liberdade,
cada indivíduo produzirá, como à igualdade, à segurança e à
também o ato de satisfazer a propriedade’’ (BRASIL, 1988).
necessidade humana é uma forma
de vivenciar, socializar, Dentro de uma sociedade
interagir, observar e democrática e contemporânea
oferecer promoção a saúde. ainda há uma certa
discriminação na questão da
Os impactos e inclusão social em relação
consequências de uma a pessoas portadoras de
sociedade capitalista podem deficiência. Segundo a lei, é
ser descritas de diferentes fundamental que a sociedade
maneiras. Entretanto, a crie condições para esse
ocupação de terapeutas público se integre e sejam bem
ocupacionais muitas vezes vistos e respeitados perante
é visto pela sociedade como ao restante da sociedade.
pessoas que não se “encaixam
no mercado de trabalho
pelo pequeno esforço de
produtividade’’ (OLIVEIRA,
2016) ou até mesmo os
preconceitos que dificultam o
acesso desse público a diversos
ambientes. Em razão disso,
os terapeutas ocupacionais
trabalham para possibilitar
aos indivíduos que “sejam
vistos, incentivados e saíam
da margem impostas pela
sociedade.’’ (OLIVEIRA, 2016).
Dentre as concepções
de igualdade, a Constituição
22
Em relação ao debate espaço fechado, ou seja, a
contemporâneo, o espaço população passa a ter mais
público é um termo difundido contato com o espaço público
em várias perspectivas. No intensamente. A proposta
século XIX, espaços públicos moderna de liberar todo solo
como praças eram utilizados da cidade para as pessoas,
como locais de encontros. No através da edificações sobre
entanto, havia uma segregação pilotis conduziu o pedestre
na ocupação desses espaços em ter sensação de estar
função do gênero e raça. Os dentro e fora do edifício.
indivíduos do sexo masculino
e brancos que tinham certo Assim a escala do pedestre
prestigio eram seus principais tem mostrado mais afetiva com
Espaço público e lazer

ocupantes, inclusive para o tratamento das quadras como


a prática de esportes. grandes jardins cria um espaço
livre por onde os pedestres
Mas as praças desse período poderiam percorrer e acessar
também eram lugares para os equipamentos da vizinhança.
anunciar notícias sobre a Essa proposta modernista não
cidade e seus habitantes. “O se realizou plenamente, ainda
espaço público, nos séculos que a liberação de um espaço
XIX e XX, tem sido definido de passasse a ter grande valor
forma otimista como o espaço ao estabelecer um diálogo
do coletivo, compreendido do edifício e a cidade,
não como pertence a um porém se não houver alguma
indivíduo, uma classe ou uma finalidade acabam acarretando
corporação, mas ao povo como outros rumos, como espaços
um todo’’ (GHIRARDO, 2002). marginalizados, sem utilidade
e abandonado. As grandes
Após o século XIX, a quadras de Brasília por
concepção de espaço, do ponto exemplo revela muito bem
de vista da arquitetura, essa questão: muitas vezes
mudou drasticamente do são espaços residuais sem
movimento moderno para a uso, onde o lazer não se
pós-modernidade. Diante realiza plenamente. Mas, por
do crescimento urbano, a outro lado, alguns espaços
vida social passa ser mais dessas super quadras são
progressista e a população razoavelmente utilizados
começa se inserir mais no para o lazer. Talvez não
cenário urbano. Cenário este tão intensamente quanto
que desmembra a concepção de os modernistas desejavam.
23

Imagem da unidade da
habitação de Marselha é
um exemplo de térreo
livre pouco utilizado.
Figura 2: Unidade Habitacional
de Marselha. Foto Divulgação:
A cidade de Dite. Disponível
em:<http://a-cidade-de-dite.
blogspot.com.br/2009/11/unidade-
de-habitacao-marselha-franca.
html>. Acesso em:03 abril. 2018.
24

Figura 3: Superquadra de Brasília. Foto Divulgação: Pinterest.


Disponível em:<https://br.pinterest.com/pin/482870391273927505/?lp=true>.
Acesso em: 03 abril. 2018.

Outra imagem: Duas imagens de super quadra, uma mostrando


o vazio não utilizado, outra mostrando alguma utilização
25

Figura 4: Croqui da Lina Bo Bard para o Masp. Foto Divulgação: Arquitetas invisíveis
Disponível em:<https://www.arquitetasinvisiveis.com/lina-bo-bardi?lightbox=dataItem-
igzf0pfq2>. Acesso em:03 abril. 2018.

O caso do grande espaço livre sobre o Museu de Arte de São Paulo (Masp) é um exemplo importante.
Foi projetado como um intenso programa de lazer e diversão, segundo o desenho de Lina Bo Bardi.
No entanto nada disso foi implantado e, ainda assim, o edifício conseguiu permanecer até
apresentando uma noção genérica e importante de espaço público, como realização de feiras, eventos
e manifestações públicas, sendo, ao mesmo tempo, um local de passeio e circulação cotidiana.
26

MASP
Figura 5: Museu de Arte de São Paulo Foto Divulgação: A vida no centro
Disponível em: <http://avidanocentro.com.br/o_que_fazer/paulista-
cultural-grande-evento-une-todos-os-centros-culturais-da-avenida-
paulista/>. Acesso em:03 abril. 2018.
27
Os modernistas a trazer novas experiências O parque mais antigo do mun-
defendiam a tese de que a ao público.Em 1851 ocorreu a do é o Bakken, em Klam-
cidade deveria ser um espaço primeira grande exposição em penborg, a norte de
para todos. No entanto, a Londres que teve como símbolo Copenhague, na Dinamar-
utopia moderna veio por terra o Crystal Palace, inaugurando ca, que abriu em 1583. No
sobretudo após a Segunda a era das exposições mundiais Brasil, o primeiro parque de
Guerra Mundial, provocando para exibir a tecnologia de diversão itinerante foi em
uma revisão de seu discurso. ferro e vidro. Assim como a 1954 realizado no Ibirapuera
Revisão esta que colocaria torre Eiffel que foi construída na cidade de São Paulo, para
em xeque a real capacidade para exposição com tempo comemorar o IV centenário de
da arquitetura moderna de determinado para mostrar que São Paulo. Porem hoje o par-
solucionar os problemas o ferro estava sendo o auge que temático mais conheci-
sociais enraizados nas por ser muito resistente e do no mundo é o Disneyworld.
cidades da segunda metade do conseguia adequar qualquer
século XX. Como prova disso, tipo de estrutura, seja As feiras e os parques de
após as guerras, a definição reta ou curva, exibindo ao diversões são lugares que
sobre o espaço público começa mundo a capacidade fabril e oferecem a ideia de consumo,
a sair da instância pública e, sua grande possibilidade de monitorados e controlados.
gradativamente, passa para as produzir em massa reduzindo Essas espaços são pólos
mãos da propriedade privada. o tempo trabalhado e gerando econômicos que através de
Emergem os interesses da capital. (BARBUY, 1996). mídias buscam mostrar,
sociedade de consumo sobre convidar e estimular as
os espaços urbanos antes Desde essas feiras univer- pessoas a viverem nesse mundo
voltados ao lazer e ao convívio sais que tinham como objetivo temático e utópico que é
de todos, desvinculados do atrair o público para expor oferecido. Tudo o que eles
capital. (CIRIGLIANO, 2016). as experiências do momento, buscam é atrair o público
elas também aglutinavam con- para o espetáculo baseada na
Com a crise das dições baseada em espetácu- criação de um lugar ilusório.
teorias modernistas, surgem los. O autor expressa que o
os postulados pós modernos, espetáculo faz parte da so-
que tentam retomar a ideia ciedade, porem sempre em pro-
da elitização dos espaços cesso de alienação, “falsa
urbanos do século XIX. consciência’’. (GUY DEBORD,
O século XX introduz na 2003). Os atuais parques de
vida urbana o Parque de diversão surgiram com a mesma
Diversões, um sucedâneo das finalidade das feiras univer-
feiras universais europeias sais, pois tinham como obje-
que tiveram grande impacto tivo embasar a ideia futuris-
cultural, social, e político ta cercada de tecnologias com
na civilização ocidental. A métodos de certificar o triun-
Europa foi o primeiro lugar fo econômico e industrial.
28
O conceito de controle da infraestrutura da cidade
e monitoramento surgiu no mas têm acesso restrito.
século XIX com a ideia do
panóptico. O panóptico era Com o crescimento
a idealização de um sistema desordenado das cidades,
penitenciário concebido pelo apareceram uma série de
filósofo inglês Jeremy Bentham problemas urbanos induzindo
em 1785, que permitia a um ao processo de marginalização.
único vigilante, a partir de Com isso, a população acaba
uma torre central, observar optando por espaços privados,
destinando o espaço público
O controle e a segurança

todos os prisioneiros, sem


que fosse percebido. Era apenas para tráfego de veículos
a ideia de ver e monitorar e pedestre. Além de gerar
sem ser visto. Ainda nos a falta de interesse pelos
dias de hoje desmembramentos espaços públicos isso causa
dessa ideia com a difusão o esvaziamento das praças. No
de reality shows e câmeras passado, as praças eram bem
de vigilância em muitos frequentada pois eram locais
dos estabelecimentos que de encontros e lazer, assim a
frequentamos em nosso dia a dia. imagem da cidade é vista com
outro olhar, desumanizando
Com muita frequência, a imagem da cidade (CASTRO;
nos deparamos com espaços GOMES; BATISTA, 2012).
públicos sendo controlados e
monitorados 24 horas por dia, No caso especifico
vigilância esta justificada do lazer ele é um direito
pelo pretexto da segurança. estabelecido na constituição
Além da proliferação do brasileira, porém ainda não
monitoramento por vídeo foram definidas diretrizes,
de espaços públicos, no objetivos ou regras que devem
Brasil, temos ainda uma orientar a efetivação do lazer
apropriação indevida dessas na vida do cidadão. Perante
áreas voltadas ao controle uma sociedade contemporânea
do capital privado. É comum e capitalista, os espaços
o fechamento de ruas ou de lazer são abertos a todos
acessos a determinadas áreas que podem pagar: um público
que deveriam ser totalmente branco, suburbano e de classe
públicas. São exemplos disso alta, apesar da raça não ser tão
as ruas e bairros murados e importante quanto a classe.
convertidos em condomínios Hoje, alguns lugares
horizontais, que desfrutam
29
do cenário urbano de acesso Atraídos pela a ideia de
público estão sendo rejeitados segurança que traduzem,
pela própria população devido as pessoas preferirem
a aproximação de pessoas ir em busca dos mesmos.
que não se enquadram nos
termos de status social – Devido os conflitos
moradores de rua, ambulantes, ocorridos no espaço urbano,
usuários de drogas, entre criou-se a difusão de novos
outros. É comum defrontar- modelos de morar e sociabilizar
se com milícias expulsando no espaço, baseados no
moradores de rua, que acabam capital privado e no consumo.
habitando esses espaços Hoje se dá certa importância
temporários por não terem com a marca e a imagem da
onde morar e para a população cidade para privilegiar
esses ambientes tornam-se melhor o turismo e o grande
inseguros para frequentar. atrativo, o espetáculo.

As antigas funções Esses novos modelos


do espaço público foram idealizam a cidade e se
absorvidas pelos shoppings tornam verdadeiros cenários.
centers - são bons exemplos A cidade de Las Vegas e
de espaços privados, surgidos Hollywood tornaram-se grandes
nos Estados Unidos, e que, exemplos de busca pelo
mais tarde, disseminaram- espetáculo, pois são cidades
se no resto do mundo. Esse onde arquitetos e urbanistas
tipo de espaço privado surgiu valorizam a ideia de consumo,
para substituir centros em espaços monitorados e
comerciais localizados nos controlados. Essas cidades
centros das cidades, como são polos econômicos que,
também substituir o lazer através de mídias, buscam
nas praças para esse espaço mostrar, convidar e estimular
fechado. Geralmente são as pessoas a viverem nesse
implantados nos melhores mundo temático e utópico
lugares da cidade, ou em vias que esses lugares oferecem.
de passagem estratégicas, Esses tipos de cidades não
como às margens de rodovias possuem um conceito, tudo o
com grande fluxo de carros. que eles buscam é atrair o
As atividades que ocorriam público para o espetáculo.
nesses espaços públicos (CIRIGLIANO, 2016)
foi possível ser praticado
nesses espaços fechados.
30
Com as mudanças do espaço público. Não só apenas

o espaço privado
espaço urbano no decorrer pelas invasões do tráfego
dos séculos, as cidades acentuado, como também pela
contemporâneas tiveram outra falta de segurança no espaço
percepção a respeito do espaço urbano, levando a falta de
público. Espaço público é uma interesse pela vida urbana.
característica fundamental Assim o papel do espaço público
da cidade, é um espaço aberto na cidade contemporânea,
para toda sociedade diferente gradativamente está sendo
de espaço privado que limita questionado, pois mesmo sendo
o ir e vir livremente. espaços de interesse público,
há sempre uma ideia contraria
Segundo (ASCHER, 1995), do poder político e das
o termo espaço público empresas privadas valorizando
aparece pela primeira vez a ideia do consumo.
num documento administrativo
de 1877, no quadro de um Através das mídias e
processo de intervenção grupos de empresas privadas
O espaço público x

pública, agrupando na mesma que alienam os telespectadores


categoria os espaços verdes, divulgando como é viver
as ruas pedonais, as praças, a em lugares privados, como
valorização da paisagem urbana condomínios e shoppings,
e o mobiliário urbano. Isto desperta-se o interesse das
é, espaço público constitui pessoas a conhecerem esses
um fator muito importante, locais, pois desempenham
pois é o ambiente onde a função de vigilância e
acontecem as manifestações, controle, proporcionando
os encontros, o poder de uma fantasia de comodidade e
ir e vir livremente e os segurança, que acaba levando
sentimentos de coletividade. as pessoas a substituírem os
espaços públicos, localizados
Gradativamente, com a no coração da cidade por
pressão do trabalho, é habitual locais ‘’ perfeitos’’
as pessoas procurarem e que a elite impõe. Com a
utilizarem espaços públicos, valorização desses espaços
seja parques ou praças para imobiliários, o indivíduo
fins de descanso. Porém para o não quer mais conhecer e
pedestrianismo, em escala de frequentar espaço de domínio
locomoção, deixou a desejar, público, gerando o abandono
pois, com o tráfego excessivo das praças, parques e centros
de automóveis tirou a vida do urbanos (CIRIGLIANO, 2016).
3
A cidade de Cravinhos
Figura 6: Cidade de Cravinhos. Disponível em:<http://ar.geoview.info/vista_de_cravinhos,1131508p
na-bo-bardi?lightbox=dataItem-igzf0pfq2>. Acesso em:03 abril. 2018.
33
explorar as terras paulistas forças na área agrícola e
com sua família, em busca potencializa a economia local.
de solos férteis para o
cultivo do café na região. A criação do distrito
ocorreu no ano de 1893
O encontro de um núcleo e foi possível ganhar
para o cultivo cafeeiro status de cidade apenas em
situava-se em uma região 1897. Entretanto, segundo
próxima à cidade de Ribeirão Alencar, o ano de fundação
Preto (SP), com pequenas de uma cidade é a partir
lavouras maquiadas por mudas da construção de uma Igreja
Evolução histórica da cidade
de flores com especialidades (ALENCAR, 2008). No caso de
O município de Cravinhos de cravinas, a fazenda Cravinhos, a igreja de origem
localiza-se na região Cravinhos. Assim, a família situa-se na praça Garibaldi,
administrativa de Ribeirão Pereira Barreto adquire a a antiga matriz São Benedito.
Preto, ao nordeste do estado fazenda para introduzir Cravinhos firmou-se como
de São Paulo. A cidade surge as produções de café, que cidade do Estado de São Paulo
no século XIX com a expansão atinge seu auge na segunda após o destaque significativo
do ciclo cafeeiro no planalto metade do século XIX, por da produção cafeeira, porém,
ocidental paulista. Seu apresentar fertilidade e a medida em que passaram
surgimento data-se de 1876, gerar capital rapidamente. os anos, o crescimento de
com a Fazenda Cravinhos, Silvestre afirma que o café Ribeirão Preto ofuscou o
adquirida por Luís Pereira foi a mola propulsora do desenvolvimento da cidade,
Barreto. Considerado o grande progresso material e que praticamente estagnou
fundador da cidade, nasce cultural da região. Atraídos seu crescimento urbano.
em 1840, em Resende, em um pelas plantações de café,
povos de lugares distintos Na década de 30, foi necessária
município no Rio de Janeiro.
buscam trabalho e o solo uma mudança radical em relação
Intelectual nas áreas da
fértil da região e começam a agricultura cafeeira,
filosofia, medicina e agronomia,
a imigrar para a região devido à quebra de bolsa
com uma família de grande
cravinhense para residirem, de valores em Nova York, o
poder econômico, formou-se
o que resultou no surgimento que levou a substituição do
em medicina na Universidade
de culturas diferentes e foi plantio do café pela cana
de Bruxelas, na Bélgica.
possível agregar novos hábitos de açúcar. As novas práticas
Volta para sua cidade natal
e práticas para região, assim agropecuárias se firmaram e
em 1865, mudando-se 4 anos
como o surgimento da estrada se expandiram pela terra
depois para Jacareí, em São
de ferro no local, que cravinhense; para tanto, em
Paulo. Nessa época, surge o
acelerou ainda mais a criação 1970, o cultivo da cana de
interesse em Pereira Barreto
de novos povoados, mais açúcar ganhou força suficiente
pelo café, devido a decadência
tarde tornando-se cidades. para fazer parte da história
da produção cafeeira no Rio
O comércio começa a ganhar da cidade (SILVESTRE, 2013).
de Janeiro. Então, começou a
34
Cravinhos é reconhecida sociais, culturais e
O lazer na cidade de Cravinhos por seu potencial fabril, educacionais, Cravinhos
possuindo grande concentração possui poucos habitantes e
de indústrias que margeiam oferece poucos lugares para
a cidade e consolidam sua operar atividades, mesmo
importância industrial. Com a população valorizando a
o avanço do setor primário, vida em cidades pequenas,
usinas e indústrias, elas muitas vezes carecem de
incluindo internacionais, opções para o lazer. Mesmo
gera-se emprego e melhora- assim, seus habitantes não
se a economia local. substituem a vida serena
que levam ali para morar
Cravinhos é definido em cidades grandes. Mesmo
como um dos centros com o reconhecimento da
industriais mais importantes importância e do valor que
da região, desta maneira as as cidades pequenas tem,
pessoas se deslocam apenas a falta em opções de lazer
para chegar até os serviços levam os habitantes a irem
que as indústrias oferecem, em cidades vizinhas em busca
sendo que outros setores da de entretenimento. Como é o
cidade, incluindo as áreas de caso da população se deslocar
lazer, ficam desfavorecidas. até a cidade de Ribeirão
Em razão disso, a cidade não Preto em busca de novidades,
oferece áreas potencializadas entretenimento e o principal
e reconhecidas voltadas destino do lazer, o shopping.
ao lazer para se tornar
turística. Essa situação
acaba repercutindo na
necessidade de estudar todas Análise do município
as áreas de lazer da cidade
para melhorar a percepção e Esta análise da cidade,
adaptação das mesmas, não nos mostra os equipamentos
apenas para seus habitantes de cultura e lazer (clubes
como para as pessoas que se recreativos, centro
deslocam de cidades vizinhas cultural, praça e ginásio).
para o trabalho em Cravinhos. Não foram consideradas as
escolas nesta análise, pois
Em vista da cidade de
entende-se que estas são
Ribeirão Preto que contém
voltadas para um público alvo
diversidade em atrativos
especifico: os estudantes.
35

1
1
2
4

5
3

Figura 7: Vista aérea de Cravinhos.


Fonte: Google Maps.

LAZER PARQUE CULTURA PRAÇA ESPORTE

1- Clube da XV 1- Parque Ecológico 1- Casa Libanesa 1- Praça Matriz 1- Ginásio


2- Clube Recreativo Campo
3- Cravinhos Tênis Clube
4- Clube Geraldo Ximenes
5- Centro de Referência do Idoso
36

Figura 8: Centro de Referência do Figura 9: Aulas da oficina de


idoso. Foto Divulgação: Imobiliária crochê. Foto Divulgação: Prefeitura
Sanclei. Disponível em:<https:// Municipal de Cravinhos. Disponível
www.imobiliáriasanclei.com.br/ em:<http://www.cravinhos.sp.gov.
surpreenda-se-com-cravinhos>. br/>. Acesso em:22 mar. 2018.
Acesso em: 22 mar.2018.

Centro de referência do idoso


Um primeiro núcleo de lazer lugares turísticos da região.
significativo da cidade é O objetivo é incentivar os
o Centro de Referência do idosos nas atividades que
Idoso (CRI) de Cravinhos que são oferecidas. É o único
foi destinado para o público centro público que conseguiu
idoso e para a realização de sucesso, não só pelos agentes
atividades distintas. O centro organizadores públicos
realiza aulas de crochê, como também pelos seus
tricô, bocha, natação, festas colaboradores.
e viagens para museus e
37

Figura 10: Casa Libanesa. Foto: Figura 11: Casa Libanesa. Foto
Acervo pessoal. Divulgação: Prefeitura Municipal de
Cravinhos. Disponível em:<http://
www.cravinhos.sp.gov.br/conteudo/
exposicao-relembra-a-historia-do-
clube-atletico-de-cravinhos.html>.
Acesso em: 28 agos.2018.

Casa Libanesa

Outro núcleo de cultura espaço é conhecido por Memorial informação e contato com as
e lazer, a Casa Libanesa Casa Libanesa, ocupado pela diferentes formas de arte e
está localizada na rua XV Secretaria de Cultura da cultura para todas as classes
de Novembro, sendo esta a cidade, que realiza uma sociais. São realizadas
primeira e principal rua atividades culturais em suas palestras, exposições,
da cidade de Cravinhos. A dependências. A Secretaria oficinas culturais,
casa inicialmente abrigava Municipal de Cultura tem apresentações teatrais,
um armazém de tecidos, como objetivo criar um espaço entre outros - preservando o
com antigos proprietários com variedades culturais, local, que ficou como comodato
libaneses. Atualmente, o possibilitando o acesso à para a prefeitura.
38
Parque ecológico
Não podemos deixar de citar direto com a natureza. ao ar livre, espaços para
também o Parque ecológico realizar piqueniques e uma
Fazendinha Dr. Renato e O pavimentação, circundante grande área para o playground.
Armando Pagano, que começou às três lagoas existentes,
a ser construído em 2008 e se abrange a área toda do parque Após a criação do parque as
tornou um cartão postal para e serve para a realização festas da cidade, como: o
cidade. Pensando na qualidade de caminhadas, Além das carnaval de rua, os encontros
de vida da população, o caminhadas a pavimentação de carros antigos, pescaria
parque criou espaços amplos contem com uma extensa ciclo na semana santa e a festa da
para realização de contato faixa, iluminação, academia cidade acontecem no parque.

Figura 13: Parque ecológico. Foto


Figura 12: Parque ecológico. Divulgação: A cidade on. Disponível
Foto Divulgação: Imobiliária em:<https://www.acidadeon.com/
Sanclei. Disponível em:<https:// ribeiraopreto/onclick/GFOT,0,3,287
www.imobiliáriasanclei.com.br/ 53,pescaria+em+cravinhos+nesta+sex
surpeenda-se-com-cravinhos>. Acesso ta-feira+santa.aspx>. Acesso em 28
em: 22 mar.2018. agos.2018.
39
Praça Matriz
A Praça Matriz São José, banda no coreto. Além dessa com que chamem atenção da
conhecida como Praça tradição dos musicais, a população a caminhar na praça
Central ou Praça Matriz passou praça é cercada para que para olhar as novidades. Em
por uma grande revitalização as empresas privadas de datas comemorativas, a praça
e sempre está recebendo trenzinho alegórico consigam é toda decorada e, todos
manutenção proporcionando montar seus aparelhos – anos acontece a feira dos
acessibilidade e bem estar cama elástica e pula-pula. livros e todas as escolas
das pessoas. Semanalmente, Além desses atrativos, levam os alunos para entrar
aos domingos, após a missa, existe também as feirinhas em contato com a cultura.
acontece o musical com a realizadas no local que faz

Figura 14: Praça Matriz. Foto


Divulgação: Prefeitura Municipal de Figura 15: Praça Matriz: Foto Divulgação:
Cravinhos.Disponível em:<http:// Prefeitura Municipal de Cravinhos.
www.cravinhos.sp.gov.br/conteudo/ Disponível em:<http://emribeirao.
pracas-da-matriz-sao-jose-e- com/regiao/cravinhos/feira-do-livro-
central-passam-por-revitalizacao. de-cravinhos-acontece-de-08-a-12-de-
html>. Acesso em>: 22mar. 2018. maio-23264>. Acesso em:20 ago. 2018.
40
Centro de lazer Geraldo Ximenes
Quanto aos clubes privados fundamental, dotado de falta de organização e de
propriamente ditos, Cravinhos recepção, salão multiuso com responsabilidades técnicas,
conta com duas opções. A palco, cozinha, banheiros, o mesmo se encontra fechado.
primeira, o Centro de Lazer vestiários, quatro piscinas, Hoje, aberto apenas para
Geraldo Ximenes, foi um sendo uma adulto, uma de treinamento de futebol.
clube inaugurado ao lado recreação e uma infantil.
de uma escola de ensino Devido a marginalização, a

Figura 16: Centro de Lazer Geraldo Figura 17: Centro de Lazer Geraldo
Ximenes: Foto Divulgação: Prefeitura Ximenes: Foto Divulgação: Prefeitura
Municipal. Disponível em:<http:// Municipal. Disponível em:< http://
www.cravinhos.sp.gov.br/conteudo/ www.cravinhos.sp.gov.br/conteudo/
centro-de-lazer-e-reinaugurado- caninde-sera-inaugurado-em-breve.
com-torneio-de-futebol.html>. html >. Acesso em:31 ago. 2018.
Acesso em:31 mai. 2018.
41
Cravinhos Tênis Clube
A segunda opção de clube na disso, o clube possui quadras para realização de festas e
cidade é o clube recreativo poliesportivas, piscinas eventos. Esse clube recreativo
de domínio privado chamado para as crianças, playground, por ser privado restringe a
Cravinhos Tênis Clube, salão coberto e áreas de lazer entrada do público e é aberto
criado em 1958. A maior ao ar livre. Além desses ao público somente nos eventos
atração desse local é a espaços recreativos comuns, realizados pelo mesmo, como
uma grande piscina de cinco há ambientes distintos como por exemplo, casamentos
metros de profundidade. Além salões que podem ser alugados e festas de aniversário.

Figura 18: Cravinhos Tênis Clube. Figura 19: Cravinhos Tênis Clube.
Foto Divulgação: Cravinhos Tênis Foto Divulgação: Cravinhos Tênis
Clube. Disponível em:< https://www. Clube. Disponível em:< https://www.
facebook.com/cravinhostenisclube/ facebook.com/cravinhostenisclube/
photos/a.1573327589566383.10737418 photos/a.1573327589566383.10737418
29.1515067268725749/19102275125430 29.1515067268725749/19102275125430
54/?type=3&theater>. Acesso em: 31 54/?type=3&theater>. Acesso em: 31
mai.2018. mai.2018.
42

Figura 21: Clube da XV. Foto


Divulgação: Prefeitura Municipal de
Cravinhos. Disponível em:< http://
www.cravinhos.sp.gov.br/conteudo/
predio-do-clube-recreativo-passa-
Figura 20: Clube da XV. Foto por-reforma.html#prettyPhoto>
Divulgação: Lucas Fonseca. Acesso em: 25 agos. 2018.

Clube da XV
Fora da modalidade clube pela população local como aos finais de semana, eventos
recreativo, mas também um um patrimônio histórico privados e eventos públicos.
espaço de lazer reconhecido e cultural. Atualmente, O salão era destinado também
pelo público, há o clube o edifício está passando para a realização de teatros
da XV, assim chamado por por reformas, desde a sua e eventos organizados
se localizar na rua XV de estrutura até na ampliação de pelas escolas para atender
Novembro, criado em 1980. atividades. Quando ativo, era a educação das crianças.
O edifício é reconhecido realizado eventos noturnos
43

Figura 23: Ginásio Municipal de


Figura 22: Ginásio Municipal de Esporte. Foto Divulgação: Prefeitura
Esporte. Foto Divulgação: EduPontes. Municipal de Cravinhos. Disponível
com. Disponível em:<http://www. em:<http:http://www.cravinhos.
edupontes.com/2012/01/cravinhos- sp.gov.br/conteudo/abertura-dos-
futebol-feminino-peneira-de.html>. jogos-regionais-dos-idosos-de-
Acesso em: 28 agos. 2018. cravinhos-encanta-e-emociona.
html>. Acesso em: 31 agos. 2018.

Ginásio Municipal de Esporte


Além dos jogos regionais
Cravinhos é um grande palco
para os jovens, Cravinhos
de esporte que reune alunos
abre jogos regionais para os
das escolas municpais
idodos, (JORI).
para organizar torneios.
Torneios que são disputados Essa abertura do JORI foi um
nas modalidades de queima e grande sucesso onde conseguiu
futsal, ambos masculino e reunir muitos idosos vindos
feminino. de varias localidades.
44

Figura 24: Clube Recreativo.


Foto Divulgação: Acervo Pessoal.
45
Diante uma sociedade urbano o bairro Jardim Itamarati
industrial, espaços como foi construído e uma grande
clubes recreativos públicos área fora reservada para a
voltados ao lazer não são construção de uma grandiosa
mais valorizados. Um fator obra de lazer para satisfazer
decorrente disso é a falta a população do bairro, onde
de igualdade em relação a habitavam muitas famílias.
esses ambientes, pois muitas Esse grandioso espaço era do

O Clube
vezes são lugares de acesso poder público, sem uma sede
privado, e apenas uma minoria o espaço foi cedido para a
da população tem condição de diretoria do Clube Brechelo
frequentar esses espaços. Fco, tornando frente do
O restante da população espaço para a realização de
frequenta apenas espaços de uma área de lazer mais ampla.
lazer que são oferecidos pelo Porém por falta de recursos e
poder público, como praças, dificuldades, a diretoria do
parques e ginásio. Brechelo propôs uma parceria
com o Clube Recreativo para
Espaços recreativos com construção de um clube
outros tipos de atividades social e lazer, com quadras,
de lazer dependem de muito piscinas, saunas, salão
monitoramento e esforço de festas e etc. Quando a
administrativo e, por conta diretoria do clube desiste da
disso, essas atividades são associação eles ficam restrito (TRIBUNA, 2013).
ignoradas pelo poder público. aos associados por causa da
Devido a isso, o ponto Todas as segundas feiras
desistência de parceria.
fundamental deste trabalho o clube era fechado para a
é retomar a ideia de criar Mesmo com essa confusão manutenção, de terças aos
um espaço recreativo para a toda o clube permaneceu domingos o clube funcionava
prática do lazer e valorizar funcionando por muitos anos, das 09:00 as 22:00, porém
o uso no espaço urbano. Para pois o imóvel acabou passando as áreas das piscinas eram
isso optamos por desenvolver por várias comissões que fechadas ao final da tarde. Para
um projeto de um novo projeto tomaram frente da diretoria fazer parte das atividades do
mas continuando com a ideia do clube. Com a falta de clube a população deveria ter
de clube recreativo que atividades e a falta de título do espaço, pago por
está abandonado, conhecido manutenção começou a se tornar mês. Diferentes dos outros
como Clube Campo, que abandonado e deteriorado clubes da cidade o título era
abrange uma área extensa de e, consequentemente levou mais acessível e para pessoas
aproximadamente 12mil m². a falência e devido a isso que não tivessem o título
a prefeitura retoma o local conseguiam entrar apenas com
Em meados do ano de 1980 para se tornar Municipal. um valor reduzido.
46

1- Entrada
Quanto a estrutura básica oferecida, ainda
podem ser identificados os seguintes espaços e 2- Espaços de lazer ao ar livre
equipamentos:
3- Praça de alimentação;
4- Quadras esportivas;
5- Os salões;
6- Banheiros;
7- Piscinas;
Implantação da área

Fi
Fo

Figura 25: Implantação do clube.


Foto Divulgação: Google Maps.
47

Entrada
Figura 26: Clube Recreativo Campo. Figura 27: Clube Recreativo Campo.
Foto Divulgação: Acervo Pessoal Foto Divulgação: Acervo Pessoal

As imagens a seguir
demonstra a atual situação
do clube que se encontra em
estado de abandono, local
onde abrigou por muitos
anos as instalações do
Clube Recreativo, até o seu
fechamento pela prefeitura
de Cravinhos.

Figura 28: Clube Recreativo Campo.


Foto Divulgação: Acervo Pessoal
48

Espaço de lazer

Figura 29: Clube Recreativo Campo.


Foto Divulgação: Acervo Pessoal
49

Praça de alimentação

Figura 30: Clube Recreativo Campo.


Foto Divulgação: Acervo Pessoal

Figura 31: Clube Recreativo Campo.


Foto Divulgação: Acervo Pessoal
50

Quadras esportivas
Figura 32: Clube Recreativo Campo. Figura 33: Clube Recreativo Campo.
Foto Divulgação: Acervo Pessoal Foto Divulgação: Acervo Pessoal
51

Os Salões

. Figura 34: Clube Recreativo Campo. Figura 35: Clube Recreativo Campo.
Foto Divulgação: Acervo Pessoal Foto Divulgação: Acervo Pessoal
52

Figura 36: Clube Recreativo Campo.


Foto Divulgação: Acervo Pessoal
O banheiro

Figura 37: Clube Recreativo Campo.


Foto Divulgação: Acervo Pessoal
53

Figura 38: Clube Recreativo Campo.


Foto Divulgação: Acervo Pessoal

As piscinas
Figura 39: Clube Recreativo Campo.
Foto Divulgação: Acervo Pessoal
5
REFERÊNCIAS PROJETUAIS
56

Localização: Centro de Ribeirão


Preto – São Paulo
Arquiteto: Oswaldo Corrêa
Gonçalves
Ano projeto: 1966
Ano Concurso: 2013
Proprietário: SESC

As ações do SESC promovem que a instituição do SESC


atividades que contribuem produz chamou muito atenção,
o desenvolvimento pois a população consegue se
socioeconômico e cultural, apropriar do espaço. Outro
SESC Ribeirão Preto

oferecendo melhor condição fator são as atividades que


de vida voltada ao lazer é oferecido: área voltada
para a população. Um fator para esporte, piscinas,
muito importante é que o SESC bibliotecas, etc.
disponibiliza espaços que são
públicos atuando no campo da Um projeto sobre um projeto.
educação, saúde, cultura, Assim se traduz a proposta
lazer e assistência. do concurso para o Sesc
de Ribeirão Preto para a
O Sesc – O Serviço Social do ampliação das atividades do
Comércio é uma instituição espaço. Diante a ampliação do
brasileira privada, com SESC, incorpora-se novos usos
âmbito nacional. A unidade a essas atividades atualmente
inserida na cidade de Ribeirão desenvolvidas, formando um
Preto do estado de São Paulo conjunto edificado que acresce
foi inaugurada em 1966 e é de uma área, rearticulam-se
autoria do arquiteto Oswaldo os diferentes acessos – de
Corrêa Gonçalves. público, veículos e pessoal
técnico-administrativo –,
A partir da leitura projetual em função da hierarquia do
foi possível destacar alguns sistema viário Resulta uma
aspectos para usar como solução de concentração em
referência. Primeiramente, nova construção vertical.
a ideia voltada ao lazer
Figura 40: Parque Aquático-Sesc. Foto
Divulgação: Sesc Ribeirão Preto. Disponível
em:< https://www.sescsp.org.br/unidades/19_
RIBEIRAO+PRETO/#/content=tudo-sobre-a-
unidade#/uaba=facilidades>. Acesso em:31
ago.2018.

Figura 41: Ginásio de Esportes-Sesc. Foto


Divulgação: Sesc Ribeirão Preto. Disponível
em:< https://www.sescsp.org.br/unidades/19_
RIBEIRAO+PRETO/#/content=tudo-sobre-a-
unidade#/uaba=facilidades>. Acesso em:31
ago.2018.

Figura 42: Galpão de Eventos-Sesc. Foto


Divulgação: Sesc Ribeirão Preto. Disponível
em:< https://www.sescsp.org.br/unidades/19_
RIBEIRAO+PRETO/#/content=tudo-sobre-a-
unidade#/uaba=facilidades>. Acesso em:31
ago.2018.
58

SESC Ribeirão Preto

O SESC está localizado na


zona central da cidade de
Ribeirão Preto. Através do
concurso a instituição do
SESC foi ampliado e em seu
projeto foi incorporado novas
atividades ao seu programa.
O SESC se encontra ao lado
das ruas Álvares Cabral, rua
Tibiriçá e a rua Visconde
do Rio Branco com umas das Implantação do Projeto
Implantação do Projeto
avenidas principais da Centro de
cidade, Francisco Junqueira Ribeirão Preto
Centro de Ribeirão Preto
que agrega um fluxo intenso de
veículos, permitindo melhor SESC
SESC
acesso para o edifício.
A instituição é muito Figura 43 - 44
frequentada, principalmente
aos finais de semana pois é Brasil – São Paulo – Região
oferecido vários tipos de Administrativa de Ribeirão
Preto – Área Urbana de
atividades para população que Ribeirão Preto
buscam lazer. Fonte: Google Maps.
59

SESC- Implantação

área existente
Área existente
ampliação
Ampliação do edifício
do edifício
Figura 45. Foto Divulgação: Concurso
Sesc. Disponível em:< https://
concursosdeprojeto.org/2013/08/09/
primeiro-lugar-sesc-ribeirao-
preto-sao-paulo/>. Aceso em: 31
ago.2018.
60

1
Ru
á a
iç Ál
Ti bir va
re
Rua s
Ca
br
al

Ru
a
Vi
sc
on
de
do ra
Ri q uei
o Jun
co
Br
an n cis
co Fra
Av.

EDIFÍCIO PRINCIPAL
-Atividades esportivas
2 EDIFÍCIO DE APOIO

-Administração e operações
-Convivência
-Restaurante

-Auditório

TO
EDIFÍCIO EXISTENTE
NA MNE
-Acesso ACIO
EST
SO
-Biblioteca acesso público
ACES
-Exposições
-Odontologia
-Sala de atividades
61

3
Na imagem 1: O edifício esta
localizado no terreno da
esquina da avenida Francisco
Junqueira da cidade de
Ribeirão Preto.
Na imagem 2: Foi feito um estudo
volumétrico para o melhor
entendimento com relação os
edifícios. O volume maior,
destacado em cor amarela
considerado o principal
edifício esta concentrado
CIRCULAÇÕES
as atividades esportivas,
Térreo do edi- convivência, restaurantes e
fício existente
e passarela como o auditório. O edifício ao
acesso publico lado na cor laranja é onde

4
acontecem as operações e toda
parte de administração. O
edifício existente do SESC,
destacado em branco ficou com
os acessos para a biblioteca,
as exposições, a odontologia
e a sala de atividades.
Na imagem 3: O esquema
mostra como as circulações
acontecerão. O acesso da
passarela será de acesso
público.
Na imagem 4: O ultimo esquema
vai mostrar a relação que
o edifício faz com a área
da piscina e com as outras
UNIDADE AO CONJUNTO fachadas do edifico.
Relação com o edifício
Anexo e piscina
62

1-1-Estacionamneto/ Bicicletário
Estacionamento/ Bicicletário
ESCALA GRÁFICA
2 a 10 Setor de apoio operacional
2 a 10 Setor de apoio operacional

11- Área
11- Área Técnica
Técnica
63

12-
12- Conjunto Aquático
Conjunto Aquático
13-
13- Vestiários
Vestiários
1414 aa 18-
18-Conjunto
ConjuntoCamarim
Camarim

19- Terraço Camarim


19- Terraço Camarim

ESCALA GRÁFICA
64

20-
20-Biblioteca
Biblioteca

21- Central
21- Central dedeAtendimento + Loja+ loja
atendimento

22-
22-Área paraExposições
Área para Exposições

23-
23-Conjunto Aquático
Conjunto Aquático
24-
24-Internet Livre
Internet Livre

25-Turismo
25- Turismo Social
Social

26-Doca
26- Doca

27-Controle
27- Controle

28-Acesso
28- Acesso da Administração
Administração
65

29-Teatro
29- Teatro

30- Cafeteria
30- Cafeteria

31-
31- Sanitário
Sanitário

32-Foyer
32- Foyer
33-
33-Odontológia
Clinica Odontológica

34-
34-Espaço Infantil
Espaço Infantil

35-Sala
35- Sala Curumim
Curumim

36-
36-Salas Oficinas
Salas para Oficinas Culturais
66
67

ACESSIBILIDADE
Acessos independentes e ocupação
da lajes dos edifícios anexos como
terraços

ORGANIZAÇAO PROGRAMÁTICA
Continuidade / Sobreposição
68

Aspectos da referência a se- A partir dos estudos


rem incorporado no projeto das atividades do Sesc, foi
Os espaços de resgatado a ideia de integrar
integração, além de terem o edifício para a área
um elemento arquitetônico molhada do clube, garantindo
visualmente bonito, a vista a total visão, sem perder a
de quem esta dentro do prédio ideia principal - integração
é privilegiada para todas as e convívio. Além disso,
fachadas, Uma delas voltada o programa do instituto
para as piscinas, é uma forma que está bem organizado e
de associar o prédio com os distribuído. Em espaços de
espaços abertos e, sem fugir apoio, convívio, atividades
dessa linha de raciocínio esportivas e acessos públicos.
do convívio, foram criados
espaços para leitura e As imagens abaixo irão mostrar
alguns espaços de acessos bem essa questão do prédio em
públicos. relação ao edifício.
69
70

Localização: Zona Norte


Rio de Janeiro - RJ
Arquiteto: Ruy Rezende
Arquitetos
Ano projeto: 2012
Ano de Ampliação: 2015
Proprietário: Concorrência
Pública
Parque Madureira - RJ

A iniciativa da Prefeitura cachoeiras artificias.


transformou um extenso
terreno baldio em uma área Destaque para a Praça do
de lazer publica que resultou Samba, um dos maiores palcos
nesse projeto, alterando o a céu aberto da cidade, o
cenário urbano de maneira Centro de Educação Ambiental,
a transformar a vida dos criado com o objetivo de
seus habitantes. O terreno disseminar conceitos de
é composto de uma faixa sustentabilidade, a Praia
comprida, apresentando um de Madureira e o Skate Park.
percurso linear que faz Além disso, o parque conta
limite com a ferrovia com com edificações com paredes e
as linhas de transmissão de tetos verdes, recuperação da
energia fauna e da flora da região,
energia solar, controle de
O projeto do Parque Madureira resíduos sólidos, sistema
foi inaugurado em 2012 onde de reuso de água, pisos
seu espaço abriga quadras permeáveis e utilização de
polivalentes, de futebol, lâmpadas LED.
playgrounds, academia da
terceira idade, academias
ao ar livre, ciclovia e
estações de bicicleta, área
para prática de bocha e tênis
de mesa, pistas de skate,
palco e centro de visitantes
em espaço verde de jardins e
71

Figura 64. Foto Divulgação: Parque


Madureira. Disponível em:< https://
www.archdaily.com.br/br/789177/
parque-madureira-ruy-rezende-
arquitetos>. Aceso em: 31 ago.2018.
Figura 65. Foto Divulgação: Parque
Madureira. Disponível em:< http://
www.operacaourban.com.br/parque_
de_madureira.php>. Aceso em: 31
ago.2018.
73

Madureira
Parque

O parque Madureira está Implantação do Projeto


localizado na zona norte da Figura 66
cidade do Rio de Janeiro . O Centro do Rio de Janeiro
parque iniciou sucessivamente Brasil – Rio de Janeiro – Área Urbana
Parque Madureira do Rio de Janeiro.
e foi se expandindo cada vez
mais e, hoje é um grande parque
linear que ocupa uma média de
1500 m de comprimento e 80m
de largura, contando com um
área que pode ser expandida.
O parque se encontra ao lado
da rua Parque Madureira com
a avenida dos italianos que
corta o parque. O parque é
muito frequentado não só
pela população que reside na
região, assim como pessoas
de lugares distintos que
saem em buscar de lazer
visitam o parque, pois ele
oferece várias atividades.
76

Parque Madureira

Praça do Samba Nave do Conhecimento Circuito Lagos


A praça do samba A Nave do conhecimento é Sede da Olimpíada 2016, o Rio
é um espaço amplo um edifício de categoria de Janeiro espalhou atrações
que contém um palco publica que abriga centros temáticas sobre os jogos em
com capacidade de tecnológicos destinado vários pontos da cidade. Um
realizar shows, peças à vivência no mundo da dos locais mais visitados é
e estilos musicais. internet. São oferecidos o Boulevard Olímpico, uma
O palco é coberto gratuitamente cursos, oficinas instalação com o logotipo
por uma concha de de capacitação digital e dos Jogos. Na imagem podemos
concreto que garante atividades interativa e perceber um monte de crianças,
o conforto acústico acervos digitais, oferecendo adolescentes e adultos
do entrono imediato. diplomas para alunos que aproveitando a queda-d’água
A praça em formato participam. da cascata que fica nos Arcos
elíptico, com Olímpicos.
arquibancada ao lado
oposto ao palco. Fi
Ma
ww
pa
ar
77

Figura 69. Foto Divulgação: Parque Figura 70. Foto Divulgação: Parque
Madureira. Disponível em:< https:// Madureira. Disponível em:< https://
www.archdaily.com.br/br/789177/ www.archdaily.com.br/br/789177/
parque-madureira-ruy-rezende- parque-madureira-ruy-rezende-
arquitetos>. Aceso em: 31 ago.2018. arquitetos>. Aceso em: 31 ago.2018.

Figura 71. Foto Divulgação: Parque


Madureira. Disponível em:< https://
www.archdaily.com.br/br/789177/
parque-madureira-ruy-rezende-
arquitetos->. Aceso em: 31 ago.2018.
78

Skate Park Arena Carioca


Praia

Centro de educação
ambiental

Além das opções de lazer o O mirante quanto a praia


parque agrega edifícios para a artificial são espaços mais
escolarização das pessoas – O frequentados, pois em dias de
centro de educação ambiental, verão a população vão em busca
é a sede administrativa com de divertimento e refresco.
conceitos de sustentabilidade
com sua fachada recoberta de Dentro do parque há uma ampla
verde. estrutura de lazer e cultura,
a arena carioca é um espaço
Há áreas molhadas destinados com acesso a cultura adotada
para banhos e brincadeiras pela secretaria a municipal
contando com projetos de de cultura, oferecendo
lagos e cascatas para prender espetáculos de musica, dança
a atenção das pessoas. etc.
Além desses locais de
brincadeiras há uma ampla
estrutura para praticar o
esporte, como parque esportivo
onde fica concentrado a cancha
de bocha, das mesas de jogo
de dama, academia para a
terceira idade e Pista de
Skate.
Figura 73;74;75;76;77;78. Foto Divulgação: Parque Madureira. Disponível em:< https://www.archdaily.
com.br/br/789177/parque-madureira-ruy-rezende-arquitetos>. Aceso em: 31 ago.2018.
79
80

Localização: Grajaú
São Paulo
Arquiteto: Boldarini
Arquitetura e Urbanismo
Ano projeto: 2008
Ano de Conclusão da Obra: 2012
Proprietário: Prefeitura de São
Paulo

mas também o resgate da


Cantinho do céu - SP

autoestima de seus moradores.


O Parque Cantinho do Apesar das especificidades
Céu destaca-se como um dos encontradas no Cantinho do
mais significativos projetos Céu, esta iniciativa pode
de espaço público da cidade de referenciar muitas ações
São Paulo por aliar qualidade em municípios brasileiros
de projeto ao compromisso onde há ocupação irregular e
social. carência de espaços públicos.
Antes da reurbanização O programa funcional do parque
o local, que antes era tomado associa usos de recreação
por vielas de terra, lixo e e lazer à preservação da
casebres, agora conta com margem com a manutenção e
academia para a terceira reconstituição de espécies
idade, pista de skate, mesas vegetais nativas, evitando
de ping-pong, quadra de bocha, o assoreamento da represa
campo de futebol, playground, e promovendo a qualidade de
decks de madeira, sendo um vida dos moradores. O projeto
flutuante e um parque linear. considerou as situações
A sua implantação especiais identificadas ao
possibilitou não apenas a longo da área, tendo como
ampliação da qualidade de prioritárias as condições Fi
vida à uma área periférica, topográficas, acessibilidade em
destituída de qualquer opção e a articulação com as obras ar
de lazer e entretenimento, de urbanização em curso. pu
81

Figura 79: Foto Divulgação: Cantiho do céu. Disponível


em:<https://www.arcoweb.com.br/projetodesign/
arquitetura/boldarini-arquitetura-urbanismo-parque-
publico-19-01-2011>. Acesso em:31 ago. 2018.
Figura 80: Foto Divulgação: Cantiho do céu. Disponível em:<http://au17.pini.
com.br/arquitetura-urbanismo/217/olhar-para-dentro-boldarini-arquitetura-
e-urbanismo-sao-paulo-255697-1.aspx>. Acesso em:26 out. 2018.
83

Céu-SP
do
Cantinho

Brasil – São Paulo – Estado de São


Paulo – Área Urbana de São Paulo.

O Parque Cantinho do Céu


está localizado no extremo
sul da cidade, no distrito
de Grajaú, nas margens
da represa Billings. A
intervenção abrange o
Complexo Cantinho do Céu,
que compreende o Residencial
dos Lagos, Cantinho do
Céu e Jardim Gaivotas. A
comunidade, cerca de 10 mil
famílias, ocupa uma área de
cerca de 1.500.000m² com
moradias precárias e carência
de infraestrutura básica

Implantação do Projeto

Centro de São Paulo

Cantinho do Céu
84

Antes
Depois
Figura 81 e 82: Foto Divulgação: Cantiho do céu. Disponível em:<https://
www.archdaily.com.br/br/01-157760/urbanizacao-do-complexo-cantinho-do-ceu-
slash-boldarini-arquitetura-e-urbanismo>. Acesso em:26 out. 2018.
85

Figura 83: Foto Divulgação: Cantiho do céu.


Disponível em:<http://www.solucoesparacidades.
com.br/wp-content/uploads/2013/08/AF_Inic%20
Insp06_SP_PARQUE%20CANTINHO%20DO%20CEU_Web.
pdf>. Acesso em:26 out. 2018.

Foram previstas de 20 a 30% de remoções a partir de critérios


técnicos que definiram as situações de impossibilidade de
implantação do esgoto sanitário, liberação das linhas de
drenagem, complementação do sistema viário e supressão de
áreas de risco. Esta alternativa possibilitou a conformação
de uma área de aproximadamente 7 km de extensão, onde o
projeto do Parque Linear foi desenvolvido, constituindo um
conjunto de espaços públicos aberto
86

margens da represa Billings.


de moradias irregulares nas
Imagens – Antes da remoção

Figura 84;85 e 86: Foto Divulgação: Cantiho do céu. Disponível em:<http://


www.solucoesparacidades.com.br/wp-content/uploads/2013/08/AF_Inic%20Insp06_SP_
PARQUE%20CANTINHO%20DO%20CEU_Web.pdf>. Acesso em:26 out. 2018.
87

solucoesparacidades.com.br/wp-content/uploads/2013/08/AF_Inic%20Insp06_SP_
Figura 87;88 e 89: Foto Divulgação: Cantiho do céu. Disponível em:<http://www.

PARQUE%20CANTINHO%20DO%20CEU_Web.pdf>. Acesso em:26 out. 2018.

Imagem – Vista do cenário implantado na área que circula toda


extensão da favela. Com a remoção das habitações irregulares,
foi possível implantar pavimentação adequada para o entrono,
assim criando lazer na área de App em volta da represa.
88

Figura 90;91 e 92: Foto Divulgação: Cantiho do céu. Disponível


em:<http://www.solucoesparacidades.com.br/wp-content/
uploads/2013/08/AF_Inic%20Insp06_SP_PARQUE%20CANTINHO%20DO%20
CEU_Web.pdf>. Acesso em:26 out. 2018.

de recreação para as crianças.


Imagens – Implantação de centro
89

em:<http://www.solucoesparacidades.com.br/wp-content/
Figura 93; 94 e 95: Foto Divulgação: Cantiho do céu. Disponível

uploads/2013/08/AF_Inic%20Insp06_SP_PARQUE%20CANTINHO%20DO%20
CEU_Web.pdf>. Acesso em:26 out. 2018.
Imagem - Como podemos notar,
a pavimentação interpela toda
a extensão das habitações.
Somado a isto, na área verde
foi implantado vários sistema
de recreação e lazer. Nesta
imagem por exemplo, mostra
os decks que segue a função
de escada e auditório,
para filmes, que a noite
serve como meio de cultura.
90

Imagem – Como podemos notar, a caminhabilidade tornou – se o


centro das perfeições, segundo os moradores. A iluminação
e a arborização também foi um ponto forte para a melhoria.

Figura 96 e 97: Foto Divulgação: Cantiho do céu. Disponível em:<http://www.solucoesparacidades.com.br/wp-


content/uploads/2013/08/AF_Inic%20Insp06_SP_PARQUE%20CANTINHO%20DO%20CEU_Web.pdf>. Acesso em:26 out. 2018.
91

Figura 98 e 99: Foto Divulgação: Cantiho do céu. Disponível em:<http://www.solucoesparacidades.com.br/wp-


content/uploads/2013/08/AF_Inic%20Insp06_SP_PARQUE%20CANTINHO%20DO%20CEU_Web.pdf>. Acesso em:26 out. 2018.
6
LEVANTAMENTOS
94

O Terreno
A escolha do terreno aconteceu
através de uma busca por
espaços vazios para inserir o
projeto de lazer e recreação.
Assim, a quadra onde o
antigo clube está inserido
foi uma escolha de extrema
importância, pois encontra-se
em estado de deteriorização e
abandono.

Área Urbana de Cravinhos- Brasil-


São Paulo – Região Administrativa
de Cravinhos – Clube Recreativo
95

Área de Intervenção
Área de intervenção Centro Cidade de Cravinhos

Figura 102: Clube Recreativo


Campo. Foto Divulgação:
Prefeitura Municipal de
Cravinhos.
Disponível em:< http://
www.cravinhos.sp.gov.br/
conteudo/pracas-da-matriz-sao-
jose-e-central-passam-por-
revitalizacao.html> Acesso
em>: 22mar. 2018.
96
P38

P39

P40
Bar

P27

P41

P28

Dis
pen
sa P16

Coz
P29

inha

Lav
age
m
P30

P17
es
iát
rio
Fe
m
in

P31
in
o

P18

ira
re
Flo
P32

Salã
o
P19

P33

P34
P20

P21

P22

P23

P24

P25

Pla
P26

nta
Nív
0
el Q
uat
5

Uso do Solo 10
15
ro
Conforme o mapa uso do solo, percebe-se que o entorno predomina lotes residenciais, com
poucas áreas comerciais e sem presença de 2prestações
0me
de serviços. Ao lado da área do projeto
onde, atualmente se encontra sem uso, existe tros um espaço institucional.
97
P38

P39

P40
Bar

P27

P41

P28

P42

Dis
pen
sa P16

Coz
P29

inha

P43

Lav
age
m
P30

.C P17

W
Ve

.C
P44
st

W

rio
Fe
m
in
Ve

P31
in
st

o

rio
M
as

P18
cu
lin
o

ira
re
Flo
P32

Salã
o
P19

P33

P34
P20
En
ad tr
a

P35

P21
En
tra
da

P36

P22

P37

P23

P24

P25

Pla
P26

nta
Nív
0
el Q
Vegetação uat
5
10
ro
Conforme o mapa, vemos as arborizações
15 nas ruas do entorno – são muito escasso e as massas
arbóreas no decorrer do córrego ribeirão Preto e grande aglomerado de vegetação em uma
instituição, a lado da área de projeto. Como
20m podemos perceber, precisamos elevar o nível de
etro
vegetação no entorno para melhorar a qualidade s
de vida dos habitantes.
98

Equipamentos
Urbanos
P38

P39

Bar

A cidade de Cravinhos
P40

P27

mostrou-se um território P41

dotado de vários equipamentos


P28

que são espelhados pela P42

Dis
pen
sa

cidade, atendendo a demanda


P16

Coz
P29

inha

populacional. Como pode-


P43

Lav
age
m

se observar no mapa, alguns


P30

.C P17

W
Ve

equipamentos públicos,
.C
P44
st

W

rio
Fe

se concentram na avenida
m
in
Ve

P31
in
st

o

rio

principal da cidade, avenida


M
as

P18
cu
lin
o

Pedro Amoroso. Sendo eles:S Flo


re
ira
P32

a
Igreja Católica adotado de lão
uma praça, posto de saúde
P19

P33

e um posto policial visam


atender e dar assistência P34
P20
En

para a população na escala


tra
da

do bairro. P35

P21
En
tra

Já os mobiliários são
da

escasso, tanto no bairro,


P36

quanto na área de projeto.


P22

Nao há lixeiras, telefones


P37

públicos etc. O novo projeto P23

visa compreender essa falta


de mobiliários e agregar
no o entorno da área de P24

intervenção.
P25

Pla
P26

nta
Nív
0
el Q
uat
5
10
15
ro
99

Hierarquia
Viária
P38

P39

P40
Bar

P27
A maioria das ruas do entorno
P41

P28 da área de projeto são vias


locais devido a escala de
bairro. As vias coletoras,
P42

Dis
pen
sa P16

Coz
P29

representadas na cor azul,


inha

fazem distribuição ao longo


P43

Lav
age
m
P30

W
.C P17

de vários bairros com fluxo


Ve

.C
P44
st

menor, por serem vias de


W

rio
Fe
m
in
Ve

acesso a conexão de bairros.


P31
in
st

o

rio
M

Já a via arterial destacado


as

P18
cu
lin
o

na cor vermelha, destaca-se


a
reir
Flo
P32

Salã
o
P19
a Av. Pedro Duarte Amoroso,
P33

que possui fluxo intenso todos


os dias, por concentrar
comércios e serviços e por
P34
P20
En

ser o caminho direto para


tra
da

P35

P21
atravessar a cidade.
En
tra
da

Foram marcados os principais


pontos de ônibus do município
P36

que interligam a cidade que


P22

P37

foi computado uma média


P23
de meia em meia hora, além
de servirem como pontos de
ônibus suburbano.
P24

A cidade não possui ciclo


faixa e do ponto de vista da
P25

vida cotidiana dos habitantes,


N
há falta desse recurso, pois
as pessoas fazem bastante
Pla percurso a pé e o uso de
P26

nta bicicletas é constante.


Nív
0
el Q
uat
5
10
15
ro
100
P38

P39

P40
Bar

P27

P41

P28

P42

Dis
pen
sa P16

Coz
P29

inha

Lav
age
m
P30

P17
Ve

C
st

rio
Fe
m
in
Ve

P31
in
st

o

rio
M
as

P18
cu
lin
o

a
reir
Flo
P32

Salã
o
P19

P33

P34
P20
En
ad tr
a

P35

P21

P22

P23

P24

P25

Pla
P26

nta
Nív
0
el Q
Figura Fundo uat
5
10
ro
Conforme o mapa apresentado, é possível 1notar
5 que o entorno da área de projeto possui um
traçado com vias retilíneas, quadras retangulares. e ocupação intensa. Com relação a ocu-
pação dos edifícios na quadra, entende-se que20os
me
tros
lotes são bem ocupados em quase a totali-
dade, não restando vazios.
101
P38

P39

P40
Bar

P27

P41

P28

P42

Dis
pen
sa P16

Coz
P29

inha

P43

Lav
age
m
P30

.C P17

W
Ve

.C
P44
st

W

rio
Fe
m
in
Ve

P31
in
st

o

rio
M
as

P18
cu
lin
o

ira
re
Flo
P32

Salã
o
P19

P33

P34
P20
En
ad tr
a

P35

P21
En
tra
da

P36

P22

P37

P23

P24

P25

Pla
P26

nta
Nív
Gabarito 0
5 el Q
uat
10
Analisando a imagem, podemos ver claramente que a predominância são edifícios baixos, ou ro
seja, um gabarito baixo para a região, contendo
15 apenas algumas elevações mais altas de até
dois pavimentos como está representado no mapa. Assim como os edifícios são de gabarito
baixo a circulação de ventilação e insolação 2consegue
0me percorrer melhor entre a vizinhança
tros
, fazendo com que não comprometa a área de projeto.
P40
Bar

102
P27

P41

P28

P42

Dis
pen
sa P16

Coz
P29

inha

P43

Lav
age
m
P30

.C P17

Ve
.C
P44

st
W


rio
Fe
m
in
Ve
P31

in
st

o

rio
M
as
P18

cu
lin
o
ira
re
Flo
P32

Salã
o
P19

P33

P34
P20
En
ad tr
a

P35

P21
En
tra
da

P36

P22

P37

P23

P24

P25

Pla
P26

nta
Nív
0
el Q
uat
5

Insolação e Ventilação ro
10
15

Como podemos observar no mapa insolação e ventos, o sol nasce ao leste e morre no oeste. O
bairro por ser de caráter residencial com gabarito baixo, toda parte 2da
0me área de intervenção
tros
tem maior potencial, o que automaticamente estimula produzir qualquer tipo de projeto sem
nenhuma interferência , ou seja com esses estudos o projeto pode ser pensado de forma
apresentar espaços usufruindo do sol, seja da manha ou da tarde. O vento vem da região
sudeste para noroeste cruzando a área.
P33

103
P34
P20

En
tra
da
P35

P21
En
tra
da

P36

P22

P37

P23

P24

P25

Pla
P26

nta
Nív
0
el Q
uat
5
10
15
ro

Caracterização da Área 20m


etro
s

A cidade de Cravinhos está pois é fundamental para educação das vegetação no entorno e na própria
localizada na região sudeste do pessoas, para o desenvolvimento da área para melhorar a qualidade de
estado de São Paulo e tem cerca de cultura e até mesmo como atrativos vida dos habitantes e o melhor
40mil habitantes. Assim como outras econômicos para a cidade. A área conforto no espaço.
cidades do pais, principalmente em em que propomos a implantação de
cidades pequenas, sofrem com a falta um centro esportivo agrega um Assim, esse estudo tem como
de espaços adequados para praticar potencial muito importante por objetivo construir um núcleo de
o lazer. Muitas vezes a própria estar concentrada em um bairro lazer comunitário de atividades
população fazem má apropriação dos ótimo da cidade, e ter várias vias de lazer, esporte e entretenimento
equipamentos públicos oferecido, de fáceis acessos. Seu entorno é no bairro Itamarati que A área se
discriminando o território e predominantemente residencial, encontra desativada e deteriorada e
seus espaços. Além disso, outro com gabarito baixo, possibilitando através do interesse pela população
fator aliado a insuficiência de a implantação de qualquer projeto, em solicitar a reativação do
lazer nas cidades e a falta de que possa ter influencia de sombra e espaço de lazer que traga melhoria
comprometimentos com planejamento sol, assim como o tamanho da área aos habitantes do bairro.(Anexo I).
de espaços para população pela será adequado ao programa. Não apenas para atender os anseios
administração municipal. desse publico alvo, é interessante
Um fator frágil da área é a escassez atender a cidade e ser um grande
A escassez dos equipamentos de lazer de área verde, e desta maneira é referencial.
e cultura comprometem a população interessante elevar a quantidade de
104

Tipologia arquitetônica do entorno

Na antiga entrada do clube recreativo fica a escola infantil municipal, Maria  Antonia  Lo
Turco Emeb, localizado na rua Nicolau Carneiro Leão. Esse instituto infantil é um marco
referencial, ele atende a população do bairro e é bem conhecido por estar proximo ao clube.
A escola adota cores vibrantes por abrigar crianças o dia todo. Utilizando uma linguagem
moderna para esconder a cobertura usando a platibanda.

Do lado oposto da entrada do clube se encontra a rua Maria G. Simões, onde a tipologia
arquitetônica é padronizada com o restante das fachadas do entorno do clube. O telhado, a
maioria das residências utilizam a telha de barro, vazando um beiral para o lado externo,
sem a presença de platibanda. Algumas usando telha eternite.

As fachadas das residências na rua Corifeu de Azevedo Marques também segue a mesma linguagem,
as entradas são composta de muros altos, com cores neutras e chamativas. Algumas com arvores
ou com jardins menores na entrada

O lado oposto da rua Corifeu de Azevedo Marques, se encontra a rua Ilíria Alves Corifeu. Uma
rua comprida com varias tipologias arquitetônicas, seguindo a mesma linguagem das outras
fachadas. Com muros altos, cores neutras e vibrantes. Algumas com presença de vegetação
e utilização de revestimentos de tijolos, pedras e ate mesmo cimento. As calçadas são
largas, ótima para a caminhabilidade
105

Figura 111. Acervo Pessoal.

Figura 112. Acervo Pessoal.

Figura 113. Acervo Pessoal.

Figura 114. Acervo Pessoal.


7
Processo Projetual
108

Programa de Necessidades Inicial


Número Ambiente Área Interno/Externo
01 Portaria 8m² Interno
02 Recepção 15m²
Setor Administrativo
Interno
03 Secretária 15m² Interno
04 Tesouraria 12m² Interno
1103m²

05 Arquivo 6m² Interno


06 Depósito 8m² Interno
07 Copa 8m² Interno
08 Sanitário 10-25m² Interno
09 Guarita de Segurança 6m² Interno
10 Estacionamento 1000m² Externo
11 Salas Multiuso 100m² Interno

Lazer Passivo
12 Teatro ao ar livre 300m² Externo
550m²

13 Biblioteca 50m² Interno


14 Oficina 100m² Interno
15 Área de Vivencia 1000m² Interno / Externo
Vivência

16 Praça de Alimentação 175m² Interno / Externo


1775m²

17 Área de Churrasco Livre Externo


18 Espaço de Eventos 600m² cada Interno
8928m²

19 Piscinas 1150m² Externo


20 Sauna 8m²cada Interno
21 Quadras de Esporte 850m² Interno / Externo

Lazer Ativo
2356m²

22 Arquibancada 250m² Interno / Externo


23 Playground 25m² Externo
24 Academia ao ar livre 40m² Externo
25 Coordenação Esportiva 15m² Interno
26 Casa de Máquina 10m² Interno
27 Vestiário 25m² Interno
Serviço
45m²

28 Vestiário Funcionários 10m² Interno


29 Refeitório 10m² Interno
109

Fluxograma do Clube Inicial


1- Entrada Guarita

Estacionamento
Portaria

Recepção

Secretaria Tesouraria Arquivo

Sanitários Copa

2- Lazer Passivo 3- Vivência 4-Lazer ativo

Salas Multiuso Teatro ao ar livre Área de Vivência Praça de Alimentação Casa de Piscinas
Máquina
Biblioteca Oficinas Área para Churrasco Sauna
Vestiário
Espaços de Eventos Quadras
Arquibancadas
Coordenação
Playground dos
esportes
Academia ar livre

4-Serviços

Refeitório Depósito Vestiário W.c funcionários


110

Espacialização do Programa Inicial

LAZER ATIVO
SERVIÇO
5942m²

LAZER
PASSIVO
1088m²

SETOR
VIVÊNCIA
ADMINISTRATIVO
1912m²
1445m²
111

Plano de Massas Inicial

Oeste Leste
112

1
Os primeiros estudos
para o clube recreativo
consistia em um espaço
bem distribuido para as
atividades do programa.
Pré Estudos

Foram realizados os
estudos de caminhos e
blocos para mostrar as
edificações.
As quadas não estavam
alinhadas em direção ao
norte, pois a ideia era
mante-las cobertas.
113

2
Logo,
mudanças
as primeiras
foram
apresentadas. O projeto
dos caminhos começou
a ganhar forma e,
consequentemente, os
edifícios teve o mesmo
alinhamento com o mesmo
pé direito de quatro
metros, porém em cotas
diferentes.
As quadras no último
croqui estava alinhada
em direção norte, pois
a ideia de projeto havia
mudado.
114

Etapas de Desenvolvimento
115
8
Projeto
118
O conceito é criar um novo
projeto mas continuando com a
ideia de clube recreativo de uma
extensa área desativada onde,
anteriormente, funcionava um
clube recreativo. Atualmente
desativado e em estado de
deterioração. para o espaço

Premissas Projetuais
que se encontr0.
O partido apresentado no novo
núcleo de lazer comunitário
consiste em nortear a abertura
física e visual da área para
todos os moradorados do
entorno e qualquer público maior fluxo de pessoas na área,
que esteja passando. por estar oferecendo total
liberdade de acesso para todos,
Como objetivo a criação de contando com possibilidde
um espaço totalmente público de pequenos eventos devido
agregado ao clube. O espaço ao teatro ao ar livre, aos
que se encontra em abandono equipamentos de academia
e transmetia insegurança ao ar livre, playground
para a populçao,com o novo e quadras poliesportivas
projeto a ideia é transformar atraiam a atenção do público
o lote em um local de lazer, geral, efetivamente tornando
vivência, recreação e o local mais seguro.
esporte, uma vez que a cidade
apresenta uma crescente A proposta da implantação dos
demanda por atividades de edifícios térreo, adequando-
lazer e entretenimento. Com se ao gabarito da região
funcionamento semi-público, sendo um inserido na cota 0
não haverá controle de com sua forma curva baseado
entrada, porém, para usufruir nas lihas curvas dos caminhos
do clube será necessário projetado na implantação e,
realizar uma espécie de outro inserido na cota 4 com
cadastro na prefeitura, sua volumetria baseado nos
resultando em uma carteirinha projetos do arquiteto Alvar
para a entrada gratuita. Aalto por ter uma forma
ôrganica da arquitetura
A implantação proporcionará moderna.
119
A criação da volumetria do edifício destacou-se em seu entorno, pois seu terreno possibilitou a criação de um
edifício apoiado em outro, levando a sensação de volume duplo, sendo convidativo foi de grande importância o
aproveitamento do desnível do terreno.

O novo progrma de necessidades do edifício curvo está dividido em cinco setores, sendo eles: o vestiário
masculino e feminino conta com oito cabines de vaso sanitário e oito chuveiros cada um. Com acesso independente
do edifício, representado em azul; o espaço infantil com a biblioteca, para acessar o espaço infantil tem que
passar pela recepção que é a porta de entrada do edifício, representado em rosa; a recepção (sendo ela o acesso
para o espaço interno privado do clube), em vermelho; o setor administrativo em roxo com acesso independente
do lado de fora, voltado para a praça e a lanchonete em marrom. O edifício representado na cor cinza é onde se
encontra o salão de festas que tem acesso independente do clube.
120

Projetar diferentes paginações na praça, sendo


cimento vermelho, cimento cinza e o cimento
permeável onde foi projetado jatos d´água. Foi
criando também vários canteiros com bastante
vegetações e espelhos d´água.

Os bancos serão contínuos e fixos no chão.Pintados


de vermelho para serem convidativos
121

5
A ideia do piso proposto na
praça é levar até o interior
do edifício, uma vez que a
paginação de piso é um item
muito importante nos projetos.
Neste caso, convidando as
pessoas a entrarem.

6
As quadras estarão voltadas contra
o norte devido a topografi onde elas
foram inseridas. Portanto entrara um
agrande cobertura cobrido as duas
quadras. Os lances da escada servira
como arquibancada.
122

Play Ground
Mobiliários Sugeridos

Red Ribbon

Bicicletário
123

Lixeiras

Aparelhos
academia

Luminárias
Programa de Atividades
1 Uso Restrito

2
O setor Administrativo deve
ser restrito com entrada
independente do edifício.
O salão também será de acesso
independente, aberto somente
para festas e eventos. Uso Público

O novo clube recreativo

3
contará com grande
participação da população
da cidade de Cravinhos,
já que a quadra onde ele
está inserido será de
Uso Público acesso público. Contando
com as quadras esportivas,
Acesso Privado o teatro ao ar livre, a
academia ao ar livre e o
playground.
O edifício curvo que está
inserido na cota zero
contará com os vestiários,
biblioteca, recepção, a
pisicina, espaço kids e a
lanchonete. Para acessa-
ló, tem que realizar uma
carteirinha na prefeitura
para liberar o acesso.
Implantação

Rua:
Cofire
u Aze
vedo M
arquês

AA

BB
Piscina
Rua: Henrique Quaglio

je
La
PERGOLADO

da
iza
bil
ea
rm
pe
Im
je
La

CAIXA D´ÁGUA
Telh
a Sa

Playground
5% che

5% uíche
nduí

Academia ao ar livre

C. Leão
Sand
Telha

colau
Cobertura de Concreto

Rua: Ni
CC CC
DN

Esporte
Teatro ao ar livre
AA

BB

Rua: Iliara Alves Corifeu

Legenda dos Pisos 0 10 25 50

Cimento Vermelho CimentoPermeável Espelho d´água

Cimento Cinza Escuro Grama Pedra


P01

P03

P05
P02

Ve
st

rio
P38 P07

M
as
P04

cu
lin
o
P09
P39

teca
Biblio
P27
P11

Ve
P06

s
P13

tiá
P16

rio
Espaço Kids

Fe
P28

m
P40

in
in
o
P08

Recepção
P14
P17

P41 P29

P10

P12

P15
P30
P42 P18

Entrada
nete

Entrada
cho
Lan

Setor Administrativo
P31

P19

N
Planta Nível Zero
0 5 10 15
20metros
P38

P39

P27

Bar
P16

P28

P40

P17

P29

Dispensa
P41

Lavagem
P30

Cozinha
P42
P18

P43 P31

Ve
stiá P19

rio
Fe
min
ino
W.C

Salão
W.C

Ve
P44
stiá
rio
Ma P32

scu
a

lino
reir

P20
Flo

P33

P21

P34
Entra
da

P22

P35
Entra
da

P23

P36

P24

P37

P25
N
Planta Nível Quatro
0 5 10 15
20metros
P26
Platibanda

2.30 Telha Sanduíche


10%

3.5

Rampa

Rampa

CORTE AA
Cota 5

Cota 4

Pergolado

Deck Calçada Rua Cota 0


2.5000
7

0 5 10 15
Escala Gráfica
20metros
Rampa de Acesso

Teatro

Canteiro Banco

CORTE BB
Guarda-corpo
Cota
Cota 55

Marquise Cota 4

Banco
Piso Cota 0

0 5 10 15
Escala Gráfica
20metros
10

Linha da calçada
Rampa de Acesso
35

Teatro ao ar livre

Piso

CORTE CC
Cota 5

Cota 4
Entrada Salão
pa de Acesso
Calçada Rua Teatro
2.00
4

Cota 0

0 5 10 15
Escala Gráfica 20metros
A PRAÇA

Academia ao ar livre
Playground
Teatro ao ar livre
Entrada Principal
Rampa de Acesso
As Quadras
As Quadras
Entorno da quadra
O edifício
Acesso para o Clube

Entrada do Clube
Entrada do Salão
Terraço
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Durante o ano de 2018 dediquei
grande parte do meu tempo a
elaboração deste trabalho.
É com imensa gratidão que
finalizo este trabalho, feliz
por ter conseguido chegar até
o ponto que cheguei e ciente
que ainda há melhorias que
podem ser aplicadas ao projeto
e na composição do caderno,
porém todo essa trajetória
irei levar para a vida e
profissionalmente.

Obrigada!
ALENCAR, Expedito Ramalho. História Contemporânea de Campinas: resumo. 1 ed.
Campinas: Komedi, 2008.
BARBUY, Heloisa. O Brasil vai a Paris em 1889: um lugar na Exposição Universal.
Anais do Museu Paulista, v.4 p.211-61, 1996. Disponível em:< http://www.
revistas.usp.br/anaismp/article/viewFile/5342/6872> Acesso em: 22 mar. 2018.

BRASIL.  República Federativa do Brasil. Constituição da República Federativa


do Brasil de 1988.   Brasília, DF, 1988. Disponível em:<http://www.planalto.
gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.html> Acesso em: 27 fev.
2018.

CASTRO, Guilhermina Silva; GOMES, Wilza Reis Lopes; BATISTA, João Lopes.
Evolução, mudanças de uso e apropriação de espaços públicos em áreas centrais
urbanas. Associação Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído, v. 11,
n. 3, p. 197-212, 2012. Disponível em: <http://www.seer.ufrgs.br/index.php/
ambienteconstruido/article/view/13193/13501>.Acesso em: 06 mar. 2018.

CAVALCANTI, Francisco. Deteriorado e destruído pelo tempo: Recreativo-Campo


volta a ser do município. A tribuna. [Cravinhos, Sp] 03 janeiro 2013. Ed.:
1555. Impresso.

DEBORD, Guy. La Societe du Spectable. 1992. 3 edição Trad. Livre. Évreux


Gallimard
DUMAZEDIER, Joffre. Lazer e cultura popular. Trad: Maria de Lourdes Santos
Machado. 3 ed. São Paulo: Perspectiva, 2004.

GAELZER, Lenea. In: VILODRE, S; GARCIA, C. (Org.). Coletânea de texto sobre


recreação e lazer. Porto Alegre: GRECCO, 2013. p.122. Disponível em:<https://
www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/95740/000919186.pdf?sequence=1>.
Acesso em: 27 fev. 2018.
GEHL, Jan. Cidade para pessoas. Trad. Anita Di Marco. 2 ed. São Paulo:
Perspectiva, 2013.

GHIRARDO, Diane. Arquitetura contemporânea. Trad. Maria Beatriz de Medina.


São Paulo: Martins Fontes, 2002.
LIMA, Alexandre. O lazer na escola: Como o lazer tem sido tratado na educação
física escolar?. 2010. Monografia (Trabalho de conclusão de curso em educação
física) – Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional,
Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. Disponível em:< http://
www.eeffto.ufmg.br/biblioteca/1853.pdf > Acesso em: 28 fev. 2018

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
MARTINELLI, Siliani Aparecida. A importância de atividades de lazer na
terapia ocupacional. Cadernos de Terapia Ocupacional. Universidade Federal
de São Carlos, São Carlos, v. 19, n.1, p. 111-118, 2011. Disponível em:<
http://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/
article/view/429/317>. Acesso em: 27 fev. 2018.

MONTANER, Josep Maria. A modernidade superada. Trad. Alicia Penna. 2ed. São
Paulo: G.Gili, 2012.

NOORDHOEK, Johanna; LOSCHIAVO, Fabricia Quintão. Intervenção da Terapia


Ocupacional no Tratamendo de Indivíduos com Doenças Reumáticas Utilizando
a Abordagem da Proteção Articular. Revista Bras Reumatol, v. 45, n. 4, p.
242-244, 2005. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rbr/v45n4/v45n4a08.
pdf>. Acesso em: 27 fev. 2018.

QUEM disse que estou só brincando. Produção de. 2012, 13:50 min, son, color.
Disponível em <http://multirio.rio.rj.gov.br/index.php/assista/tv/1512-
educacao-fisica-e-lazer>. Acesso em: 27 fev. 2018. SILVESTRE, Sebastião Morais
Filho. Cravinhos Resgatando a sua História. Cravinhos: Projeto Crescer,
2013. 157 p.

9
TERAPIA OCUPACIONAL EM DESTAQUE. Alguns dizeres sobre terapia ocupacional
e lazer. 2016. Disponível em:<http://terapiaocupacionalemdestaque.blogspot.
com.br/2016/08/alguns-dizeres-sobre-terapia.html>. Acesso em:< 28 fev. 2018.
 
VENTURI, Robert. Complexidade e contradição em arquitetura. Trad: Álvaro
Cabral. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

 
KNAPP, Ulrich. Separação de isótopos de urânio conforme o processo Nozzle:
curso introdutório, 5-30 de set. de 1977. 26 f. Notas de Aula. Mimeografado.
 
Ribeirão Preto
2018