Você está na página 1de 12

MPS – Ministério da Previdência Social

SPS – Secretaria de Políticas de Previdência Social

ALTERAÇÕES NA ÁREA DE
SAÚDE E SEGURANÇA DO
TRABALHADOR

BRASÍLIA, FEVEREIRO DE 2007


ESTRUTURA ATUAL DO SAT

PREVENÇÃO BENEFÍCIOS
Empresas sob a
orientação e fiscalização
do Ministério do Trabalho INDENIZATÓRIO REPOSIÇÃO
e Ministério da Saúde Empregador DA RENDA
(Responsab. Civil)
Previdência
e Previdência
Social
Social

ASSISTÊNCIA
À SAÚDE
Sistema Único de Saúde- REABILITAÇÃO E
SUS
REINSERÇÃO
Previdência Social
ACIDENTES DO TRABALHO

A Previdência Social tem consciência que


acidentes do trabalho:
• NÃO SÃO casos FORTUITOS:
– eventos desencadeados pela transformação da
natureza pelo homem;
• São PREVISÍVEIS;
• São EVITÁVEIS mediante medidas
preventivas eficazes:
– existência de conhecimento científico e
tecnologia efetiva para a prevenção de grande
parte desses eventos.
RESPONSABILIDADE PELAS MEDIDAS
PREVENTIVAS
• Previdência Social – colabora com os
organismos que se ocupam da segurança,
saúde e o bem estar no trabalho:
– mecanismos de incentivos tributários;
– sistema de informações;
– metodologia do nexo técnico previdenciário;
– construção de uma política nacional;
• Prevenção deve ser parte integrante das
políticas previdenciárias.
PRINCIPAIS ALTERAÇÕES
• INCOPORAÇÃO DA COMPONENTE
EPIDEMIOLÓGICA NA AVALIAÇÃO DA PERÍCIA
MÉDICA
• NEXO TÉCNICO EPIDEMIOLÓGICO – NTE

• REVISÃO DO ENQUADRAMENTO DOS


SETORES DE ATIVIDADE PARA FINS DE
CONTRIBUIÇÃO AO SEGURO DE ACIDENTE
DO TRABALHO (ANEXO V DO REGULAMENTO
DA PREVIDÊNCIA SOCIAL – RPS)

• FATOR ACIDENTÁRIO DE PREVENÇÃO – FAP


NEXO TÉCNICO EPIDEMIOLÓGICO - NTE

• O NTE é a relação estatístico-epidemiológica que


se estabelece entre o código de doença CID e o
setor de atividade CNAE, a partir do estimador de
riscos Razão de Chances (RC) > 1, com 99% de
confiança estatística com base na serie histórica
dos benefícios concedidos pelo INSS (2000-
2004)
• O NTE presume ocupacional o benefício por
incapacidade requerido em que o atestado
médico apresenta um código de doença que
tenha a supra citada relação com o CNAE da
empresa empregadora do trabalhador
requerente.
NEXO TÉCNICO EPIDEMIOLÓGICO - NTE
EXEMPLO: NTE  TUBERCULOSE  DOENÇAS INFECCIOSAS E
PARASITÁRIAS RELACIONADAS COM O TRABALHO (Grupo I da CID-10)

INTERVALO CNAE
CID-10
A15-A19 0810 1091 1411 1412 1533 1540 2330 3011 3701 3702 3811 3812
3821 3822 3839 3900 4120 4211 4213 4222 4223 4291 4299 4312
4321 4391 4399 4687 4711 4713 4721 4741 4742 4743 4744 4789
4921 4923 4924 4929 5611 7810 7820 7830 8121 8122 8129 8610
9420 9601
CNAE DESCRIÇÃO % NOVO
0810-0/01 Extração de ardósia e beneficiamento associado 2%
0810-0/02 Extração de granito e beneficiamento associado 2%
0810-0/03 Extração de mármore e beneficiamento associado 2%
0810-0/04 Extração de calcário e dolomita e beneficiamento associado 2%
0810-0/05 Extração de gesso e caulim 2%
0810-0/06 Extração de areia, cascalho ou pedregulho e beneficiamento associado 2%
0810-0/07 Extração de argila e beneficiamento associado 2%
0810-0/08 Extração de saibro e beneficiamento associado 2%
0810-0/09 Extração de basalto e beneficiamento associado 2%
0810-0/10 Beneficiamento de gesso e caulim associado à extração 2%
Extração e britamento de pedras e outros materiais para construção e
0810-0/99 2%
beneficiamento associado
NEXO TÉCNICO EPIDEMIOLÓGICO - NTE

• Geração de dados mais precisos sobre acidentes


de trabalho e doenças ocupacionais no Brasil,
superando as dificuldades advindas da
subdeclaração da CAT;

• Criação de instrumento que permita melhorar a


gestão da área de benefícios por incapacidade e
melhor formulação de política;

• Alinhamento do investimento das empresas com


objetivos de prevenção de acidentes de trabalho.
REVISÃO DO ENQUADRAMENTO

• Base de aferição: benefícios por incapacidade


concedidos a partir de 2000, cujo nexo
epidemiológico indicou uma associação entre a
atividade econômica e um determinado agrupamento
CID;
• Necessidade de revisão do enquadramento das
empresas para fins da contribuição de 1%, 2% ou
3%;
• Revisão do Anexo V do Regulamento da Previdência
Social - RPS, que contém a relação de atividades
preponderantes das empresas, por código CNAE, e
os correspondentes graus de risco;
• Vigência: 1/6/2007.
FATOR ACIDENTÁRIO DE PREVENÇÃO - FAP

• Contexto Atual:
– São definidos níveis de grau de risco – 1%, 2%
ou 3%;
– Correspondem a alíquotas de contribuição
diferenciadas, rígidas por segmento
econômico. Todas empresas de um mesmo
segmento pagam mesma alíquota;
– Sem evidências de base empírica ou científica
para sua definição;
– Atual Forma de Determinar Alíquotas não
Premia quem Investe em Prevenção.
FATOR ACIDENTÁRIO DE PREVENÇÃO - FAP

• Trata-se de um número por empresa,


compreendido entre 0,5 e 2, que multiplica as
atuais alíquotas de 1%, 2% e 3% com base em
indicador de desempenho calculado a partir das
dimensões: freqüência (NTE), gravidade e
custo;
• Metodologia aprovada pela Resolução nº
1.236/04 do Conselho Nacional de Previdência
Social – CNPS, atualizada pela resolução nº
1.269/06.
• Base de dados para 1º FAP: 2004 a 2006.
• Vigência: 1/1/2008.
SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR
- VANTAGENS -
• AOS TRABALHADORES
• Ambiente de trabalho mais salubre;
• Certeza de que os agravos à sua saúde ou
integridade física serão adequadamente
caracterizados pela Previdência Social.

• AOS EMPREGADORES
• Redução tributária como vantagem competitiva aos
bons empregadores;
• Ganhos de imagem mercadológica quanto ao item
segurança e saúde do trabalho;