Você está na página 1de 6

Simulados para estudos.

Aula Dia 29/06.Profa. Gislene Caramez

A Prática Educativa - Como ensinar. ZABALA, Antoni (2002)

01. (VUNESP/2013) No livro “A prática educativa: como ensinar”, Zabala


(1998:13) inicia o primeiro capítulo afirmando que “um dos objetivos de
qualquer bom profissional consiste em ser cada vez mais competente em seu
ofício”. Esta competência é adquirida mediante o conhecimento e a experiência
e será determinada pelas seguintes variáveis:

(A) as avaliações externas; os conteúdos procedimentais; o relacionamento


com a gestão; a diversidade dos alunos; a localização da escola; o acervo de
materiais.
(B)  o currículo; a diversidade social; a formação do professor; as atividades
propostas; o uso dos guias didáticos; o engajamento político.
(C)  o planejamento das aulas; o registro das ações; a prática educativa; a
intencionalidade; a avaliação; o conhecimento dos alunos.
(D) o relacionamento interpessoal; a formação de sujeitos acríticos; a
representação do professor na escola; a interação do aluno com o objeto de
conhecimento; a proposta e as condições de trabalho.
(E)  as sequências didáticas; o papel do professor e dos alunos; a organização
social da aula; a utilização do tempo e dos espaços; a organização dos
conteúdos; os recursos didáticos; a avaliação.

02) Zabala, na obra A Prática Educativa: como ensinar, destaca a crítica


feita ao livro didático, elaborado conforme um modelo estritamente
transmissor. Segundo o autor, as críticas aludem a vários aspectos,
sendo correto apontar o seguinte:
A) focalizam de forma acentuada o contexto dos alunos
B) transmitem conteúdos em geral ultrapassados
C) transmitem conteúdos reveladores de inúmeras concepções, deixando em
aberto a verdade
D) focalizam de forma radical a construção do conhecimento, esquecendo o
saber já acumulado
E) impedem o desenvolvimento de propostas mais próximas da realidade e da
experiência dos alunos
03) Zabala, em A Prática Educativa, destaca que os professores estão
fortemente preocupados em oferecer modelos interpretativos que
integrem conteúdos teoricamente isolados ou específicos para
incrementar seu valor formativo. A alternativa correta, com base no que
disse Zabala, é:
A) Os conteúdos têm mais potencialidade de uso e de compreensão quando
são trabalhados correlacionados entre si.
B) Esta é uma visão inadequada, pois o aprofundamento em determinado
conhecimento certamente levará à melhor compreensão do tema.
C) A melhor forma de seleção de conteúdos para estudo deve ter como
referência a disciplina.
D) A integração de conteúdos traz uma enorme confusão para a compreensão
e, no final, se sabe um pouco de cada coisa e efetivamente nada sobre o
objeto do conhecimento.
E) A interface de conhecimento deve se dar não no processo de seleção dos
conteúdos, mas na prática de sala de aula.
GABARITO
1 2 3
E E A

MATURANA. Amar e brincar. Lembrando os fundamentos da


condição humana
1-No livro Amar e Brincar : Fundamentos esquecidos por um ano, Maturana e
Verden-Zoller sustentam que emoções, relacionam-se a redes de
conversações, definem uma cultura como forma específica de coexistência em
uma comunidade humana. Em outras palavras, isso quer dizer que
a) a vida humana define uma linhagem humana do ponto de vista biológico.
b) o idioma, mantido geração após geração, definido nos idiomas existentes
atualmente.
c) uma vida humana é cultural, cultura que decorre o entrelaçamento de
"emocionar" com "línguagear".
d) nas comunidades humanas, como emoções consensuais foram esquecidas.
e) uma vida humana acontece como uma rede de coordenadas que
fundamenta a coexistência comunitária.
2-Segundo Verden-Zoller, no livro Amar e Brincar : Fundamentos esquecidos
por humanos, ou Eu é uma dimensão social humana que realiza por meio da
corporeidade e surto como um entrecruzamento específico das diferentes
conversas que produzem e definem uma comunidade social em que eu seja
vive com outros Eus em mútua aceitação. Assim, toda criança deve adquirir
seu Eu. Nessa perspectiva, o professor contribui com a construção de Eu de
seus alunos quando
a) nenhum processo interacional com criança preocupada com sua
aprendizagem cognitiva.
b) nenhum processo interacional percebe a mesma coisa e a criança como
participa efetivamente desta relação.
c) não vê o mesmo processo interacional.
d) sua atenção está além da interação, isto é, nas consequências do processo
interacional.
e) limitar a participação da criança no processo interacional.
3-Segundo Maturana, obra Emoções e Linguagem em Educação e Política ,
“se diz que uma criança é uma certa maneira, é inteligente, inteligente ou boba,
estabeleceu nossa relação com ela, de acordo com o que dizemos, e a criança,
a menos que aceite e respeite, aceite uma armadilha de não aceitar e não
respeite por si mesma; não se aceita, não aceita o outro ”. Nessa perspectiva,
para o desenvolvimento de boas relações na escola, é necessário:

() criar um espaço de convivência que favorece o desenvolvimento das


relações com a mesma e com outras pessoas;
() convidarmos nossas crianças a olhar o que fazem, e, principalmente, levar
essas crianças a competir;
() não desvaloriza nossas crianças em funções que não sabem; valorizemos
seu sabre.
Para concluir uma ideia do enunciado, analise como afirmativas, classifique
cada uma delas como verdadeira (V) ou falsa (F), e marque uma alternativa
que contém a classificação correta, de cima para baixo.
a) V, V, V.
b) V, F, F.
c) F, V, V.
d) V, F, V.
e) F, V, F.

GABARITO

1 2 3
C B D

O SENTIDO DA ESCOLA.
Nilda Alves, Regina Leite Garcia

1- As professoras Ana e Marta, da escola Antônio Josué, organizaram em suas


práticas pedagógicas um trabalho de pesquisa para os 4º. e 5º. anos, turmas
que trabalham respectivamente. A ideia estava em avançar em suas atividades
para um tema relevante e significativo que viesse ampliar a compreensão clara
sobre as questões culturais e locais.
Na proposta 1 inicial do trabalho as professoras solicitaram aos alunos uma
pesquisa com avós, tios, pais e vizinhos sobre quais atividades artísticas e
culturais gostam, com quais se envolvem; no bairro que mora é oferecida
alguma atividade desta que gosta? Oferecem atividades culturais, estas são
alegres e despertam para a música, a dança, o teatro, ou filmes?
Com esta pesquisa organizaram a proposta de atividade 2. Estudos das
entrevistas na sala de aula, discutirem pontos importantes sobre cultura e
atividades que a comunidade tem acesso; levantamento de dados sobre os
bairros que mais oferecem estas atividades e outras atividades que marcam o
reconhecimento sobre esta questão estudada pelas duas turmas.
A partir dos estudos de Nilda Alves ( 2001) sobre as propostas implementadas
para ampliar ‘ o leque aberto do conhecimento’ podemos afirmar:
I-Nestas experiências as professoras mostram um novo modo de lidar com o
saber e com o que não sabem, e, então, pesquisam e constroem juntamente
com os alunos novos conhecimentos.
II- Os dois atores, professor e aluno, são protagonistas da cena educacional,
estão em busca de conhecer e reconhecer o que se oferece às comunidades
sobre a questão que envolve a cultura.
III- As duas professoras estão comprometidas com o ensinar de modo que os
alunos compreendam como se fortalece a cultura de modo individualizado e
centralizado nos bairros e comunidades.
A-Todas as alternativas são desafiadoras e fortalecem a ideia da autora.
B-Somente a alternativa III é desafiadora e fortalece a ideia da autora.
C-Nenhuma alternativa é desafiadora e fortalece a ideia da autora.
D-A alternativa III é a que não está coerente com os desafios e a ideia da
autora.
E-Somente a alternativa I é desafiadora e fortalece a ideia da autora

2- Ainda sobre a proposta pedagógica das professoras Ana e Marta e o que


defendem as autoras Alves e Garcia Leite na obra O sentido da escola (2001)
sobre a ‘pedagogização do conhecimento’ consideramos que
A-Ambas fizeram a escolha sobre conhecimentos que irão desenvolver em
suas práticas pedagógicas com a compreensão clara sobre o que serão
produzidos (os chamados conteúdos pedagógicos), com critérios que
reconhece o que serão ensinados e aprendidos e que ampliarão os saberes
sobre espaço/tempo e questões sociais.
B- Somente Ana professora do 4º ano atende as propostas de escolha sobre
conhecimentos serão produzidos (os chamados conteúdos pedagógicos), com
critérios que reconhece o que serão ensinados e aprendidos e que ampliarão
os saberes sobre espaço/tempo e questões sociais.
C- Ambas fizeram a escolha sobre conhecimentos que serão produzidos (os
chamados conteúdos pedagógicos), no entanto estes temas são exteriores à
escola e não contemplam os 4º e 5º anos escolares;
D- Ambas fizeram escolhas de temas transversais o que já não mais indicados,
pois hoje o que prevalece são questões que estão definidas na Base Nacional
Comum curricular que nega o trabalho para reconhecer espaço/tempo e
questões sociais;
E-Ambas fizeram a escolha sobre conhecimentos que serão produzidos (os
chamados conteúdos pedagógicos), com critérios que reconhecem quem irá
aprender, no entanto as propostas desenvolvidas em sala não fortalecem para
ampliar e compreender espaço/tempo e questões sociais.

3-
"O que ocorre com a utilização da teoria/prática é que o conhecimento, ou
melhor, a construção do conhecimento muitas vezes acaba sendo feita
linearmente...”
“ Evidencia a discrepância de conceitos quando se fala nestas posições. O
linear e a dialética são construções dicotômicas. Uma centraliza a relação, a
outra marca uma visão que se fortalece na ação-reflexão e prática”.
As duas ideias de Alves Nilda na obra O sentido da Escola (2001) nos permite
afirmar que:
A- São ideias que compartilham com as relações históricas e auto gestionárias;
B-São ideias que compartilham com as relações históricas e progressistas;
C- A ideia I marca a abordagem tradicional e a II avança para a compreensão
sobre as diferenças claras e evidentes sobre abordagem tradicional e a
abordagem progressista;
D- São ideias que compartilham com as relações históricas tradicionais;
E-São ideias fragmentadas que solicitam aos docentes o compromisso com
práticas multigestionárias.

GABARITO

1 2 3
D A C

Você também pode gostar