Você está na página 1de 27

Métodos de Estudo Bíblico 2

Índice

I) INTRODUÇÃO ....................................................................................................................... 3
II) CINCO PRINCÍPIOS PARA O ESTUDO CORRETO DA BÍBLIA ................................. 4
III) MÉTODOS DE ESTUDO BÍBLICO ................................................................................ 5
IV) MÉTODO ANALÍTICO DE ESTUDO DA BÍBLIA....................................................... 6
V) ANALISE SINTÉTICA DE ESTUDO DA BÍBLIA ........................................................... 13
VI) MÉTODO TÓPICO DE ESTUDO DA BÍBLIA ............................................................ 16
VII) MÉTODO BIOGRÁFICO DE ESTUDO DA BÍBLIA.................................................. 19
VIII) BIBLIOGRAFIA .............................................................................................................. 27

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 3

I) INTRODUÇÃO

A atualidade evangélica é pressionada pelo progresso do mundo moderno, a


conhecer sua Igreja (denominação); ter uma posição doutrinária coerente e certa condição
para interpretar os ensinos da Bíblia. Isto requer estudo suficiente para evitar uma
interpretação bíblica distorcida ou incorreta.
A Bíblia pode ser mal interpretada como foi por Satanás, continua sendo na vida e
obra de seus súditos por todo o mundo.
É por esta razão fundamental que precisamos aprofundar nos estudos da palavra.
Precisamos de alimento sólido e não apenas migalhas. Precisamos aprender a arte de
mastigar e não de ficar somente a sugar mamadeiras. Precisamos pensar com alguma
honestidade e não de continuar o processo de lavagem cerebral religiosa. Disse um líder
cristão: “O cristianismo costumava ser um toque de trombeta chamando para a vida santa,
pensamento elevado e sólido da Bíblia. Agora é um tímido e apologético convite para um
suave debate”.
Portanto, a interpretação da Bíblia é mais do que mero jogo com que se distrai o
teólogo. Ela abre amplamente as nossas vidas em Cristo. É a vida cristã em plenitude. Esta
vida é pra ser desfrutada quando aprendemos as regras básicas e depois as passamos para
outros.
Estaremos mostrando a você, dentro destas páginas alguns métodos de estudar a
Bíblia, que vão ajudar você a aprender e poder transmitir a outros.
A Bíblia interpreta-se a si mesma. Ela foi constituída por inspiração divina.
O estudo da Bíblia é para todos a metodologia de estudo bíblico é necessário para
evitar que o leitor busque uma interpretação incorreta, o que sempre gera controvérsia,
confusão teológica e heresia.
Exemplo de controvérsias: Eva e a serpente, Gn 3.
Jesus e Satanás, Mt 4.6-11.
São muitas as situações em que a Bíblia pode ser mal empregada: Quando você
ignora o que a Bíblia diz sobre dado assunto. É sempre por esta porta que o inimigo entra.
A porta de não saber ou ignorar o que a Bíblia diz sobre determinados assuntos. Exemplos:
Ordenação ao ministério a homossexuais. Não há texto dizendo não pode! Mas em Lv.
18.22 que concorda com Rm. 1.26-27, vai oferecer uma base bíblica para se fugir de tal
problema...
Quando você toma um versículo fora do contexto, ex. Jo. 16.24 onde Jesus disse:
“Até agora nada tens pedido em meu nome; pedi, e recebereis, para que a vossa alegria seja
completa”. Para alguns isto é uma carta aberta dada aos discípulos. Mas naquela mesma
noite, pouco depois dessa afirmação, Jesus ora no Getsêmani com estas palavras: “Passa de
mim este cálice;...” Mc. 14.36. É, portanto, necessário analisar o contexto em que está o
versículo etc.
Quando você lê uma mensagem bíblica e a faz dizer o que não diz. Ou seja, você
torce o texto para apoiar seu modo de pensar etc.
Quando você dá ênfase indevida a coisas menos importantes.
Quando você usa a Bíblia para tentar (forçar) Deus a fazer o que você quer, em vez
daquilo que Deus quer que seja feito. Ex. Tomando o texto bíblico de Mt.18.19 “Em
verdade também vos digo que se, dois entre vós,sobre a terra, concordarem a respeito de
qualquer coisa que porventura pedirem, ser-lhe-á dado ou concedido por meu Pai que está

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 4

nos céus”. Muito bem, alguém pode tomar este texto para, ajudando-se um outro irmão na
fé, pedirem a Deus que venha fazer a vontade deles, naquilo que estão pedindo... Isto é,
empregar mal as escrituras sagradas.
Lembre-se: Nem todo mau uso da Bíblia pode ser atribuído a Satanás, por
conseguinte, é necessário aprender a usar com cuidado as Escrituras.

II) CINCO PRINCÍPIOS PARA O ESTUDO CORRETO DA BÍBLIA

1) Fazer investigação original – na fonte e não apenas o que lê ou o que estuda a


respeito da Bíblia. Atos dos Apóstolos 17.11 diz que os bereanos escutavam a
palavra e examinavam as Escrituras para saber se era como diziam.
2) Faça sempre uma reprodução escrita. Escrever e reunir os seus pensamentos é
uma das diferenças chaves entre ler a Bíblia e estudar a Bíblia. Alguém disse: “Os
pensamentos desembaraçam quando passam da mente, pelos lábios, para as pontas
dos dedos”. Anote, guarde, um dia no futuro, você pode precisar.
3) Fazer estudo constante e sistemático. At. 17.11 diz-nos que os bereanos estudavam
diariamente as Escrituras (constantes) e deve-se levar em conta o método.
Sistematicamente significa que você deve evitar pegar um texto aqui, outro ali e
certo versículo acolá.
4) Delineie um programa de estudo da Bíblia que possibilite desenvolver um
equilibrado entendimento de toda palavra de Deus.
5) O estudo deve ser “Passa-a-vel”. A intenção de Deus é, não só de que cresçamos e
amadureçamos em nosso andar com Ele, mas também de que ajudemos outros a
desenvolverem ao máximo o seu potencial em prol do Reino de Jesus Cristo.
6) Cada crente deve ver-se como um elo entre duas gerações. Devemos passar a outros,
o que tivemos o privilégio de aprender. Paulo disse a Timóteo: “E o que da minha
parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e
também idôneos para instruir a outros”. (II Tm. 2.2). Então, a nossa metodologia do
estudo da Bíblia deve incluir o elemento de passa-a-bilidade para facilitar este
grande ideal.
7) Você deve aplicar o que aprendeu à sua vida pessoal primeiramente. Deus espera
que Sua palavra seja encarada com seriedade. Tiago diz: “Tornai-vos, pois,
praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganando vos a vós mesmos” (Tg.
1.22).
Em todo estudo da Bíblia deve ser considerado os quatro pilares ou pontos
fundamentais que são: Observação, Interpretação, Correlação e Aplicação. Estas partes são
básicas para o estudo da Palavra, independentemente do tipo de estudo que você esteja
empenhado fazer, ( tais como: analítico, sintético, tópico, etc.). É recomendado analisar
cada um individualmente com alguma largueza. Estas quatro partes: Observação,
Interpretação, Correlação e Aplicação deve ser apresentada cada uma delas, partindo do
ponto mais simples para o mais avançado. Ao aplicar estas partes ao estudo das escrituras,
você será levado a escolher o próprio nível de dificuldade, acrescentando varias técnicas à
medida que se torne necessário.

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 5

III) MÉTODOS DE ESTUDO BÍBLICO

• Método de Análise do Versículo no Estudo da Bíblia.


• Estudo de um só versículo da Bíblia com referência ao seu contexto imediato.
Se desejar, considere a possibilidade de decorar o versículo. Esta combinação de
estudo da Bíblia e memorização de textos – dela é imbatível, como meio de firmar o
versículo no seu coração.

Analise Básica do Versículo


I Tessalonicenses 5.17: “Orai sem cessar”

Passo Um:
- Verifique o contexto e assinale os limites. Existem Bíblia que assinalam as divisões em
parágrafos. Se o contexto for muito longo, pode subdividi-lo, ou escolher outro versículo
para estudar.

Em I Ts. 5.17 os versículos anteriores e subseqüentes são:


“Regozijai-vos sempre” (16) e “Em tudo daí graças porque esta é a vontade de Deus em
Cristo Jesus para conosco” (vr. 18).

Passo Dois:
- Anote quaisquer observações e/ou possíveis aplicações. Procure também dificuldades,
estabelecendo especificamente qual é a dificuldade.
I Tess. 5.16 a 18.

Observações: Há 3 ordens – regozijai-vos, orai, daí graças


• Obs: Todas as ordens tem modificadores – sempre, sem cessar e em tudo.
• Obs: A frase esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco” parece
aplicar-se aos três versículos.
• Obs: Você pode intercambiar os modificadores entre si, sem mudar o sentido dos
versículos – Regozijai-vos sempre, daí graças sempre, orai sempre, e assim por
diante, com os outros elementos modificativos.
• Aplicação: Dar graças (vr.18) não é dos meus pontos fortes. Tenho a tendência de
resmungar acerca de tudo.
• Aplicação: Eu me regozijo ( às vezes), mas nem “sempre”.
• Interpretação: Os modificadores expressam a idéia de coisas perpétuas, isto é, de
que nunca haverá ocasião em que não devam ser feitas.
• Interpretação: Pode-se tomar o vr. 17 “Literalmente”?
É possível “orar sem cessar”? Ou Paulo aqui esta falando simplesmente de uma atitude?

Passo Três:
Interpretação: Reescreva resumidamente cada um dos vrs. Com suas próprias palavras.
Expressar o cerne do pensamento ou idéia principal que o escritor está comunicando.

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 6

Vr.16 – Nunca pare de regozijar-se A vontade de


Vr.17 – Nunca pare de orar Deus
Vr. 18 – Nunca pare de dar graças Para você

Passo Quatro:
Correlação: Veja as referencias bíblicas de cada um destes versículos, verificando outra
idéia parecida na Bíblia;.

“O Melhor comentário da Escritura é a Escritura”.

I Tess. 5.16 a 18
Vr. 16 – Filipenses 4.4
Vr. 17 – Efésios 6.18
Vr. 18 – Romanos 1.21; Efésios 5.20

Aplicação: Das possíveis aplicações escolha aquela que Deus quer que você execute,
colocando o problema, um exemplo do problema, a solução, e a coisa especifica que Deus
quer que você faça para aplicar a solução.

IV) MÉTODO ANALÍTICO DE ESTUDO DA BÍBLIA

“Estudo Analítico é o exame cuidadoso do capítulo ou da passagem Bíblica”.


O propósito é compreender o que o escritor tinha em mente quando escreveu
àqueles a quem se dirigia.
É básico para o completo conhecimento da palavra, permitindo ao estudante
deparar-se com o porque o escritor disse do modo como disse. O objetivo é reconstituir tão
claramente quanto possível o pensamento original do escritor.

I Pedro 2
a) Leia a passagem cuidadosamente. Bombardeie a passagem com
perguntas, como, quem? Que? Onde? Quando? E como? Anote em
uma folha em branco
b) Problemas
Observação
c) Referencias Bíblica

d) Possíveis Aplicações

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 7

I Pedro 2
Observações

[I] – V. 1 Seguir este conselho é alienar-se do mundo, pois é assim que o mundo
age. Não segui-lo é alienar-se de Deus.

[C] – V. 3 Salmo 34.8


[O] – Vs. 1.11 A santificação é uma das ênfases de I Pedro. Ela deve dar-se em três
direções:
(1) Para com Deus (1.13) – esperar, ter fé, apropriar-se da graça de
Deus;
(2) Para com os outros (2.1) – relacionada com os últimos seis dos Dez
Mandamentos; e;
(3) Para consigo mesmo (2.11) – estes são pecados que primariamente
ferem a pessoa que os comete.

[O] – Vs.4.8 Três citações do At. são usadas para exibir o uso de pedra com
referencia a Jesus Cristo (Is. 28.16; Sl. 118.22; Is. 8.14).

[O] – Vs. 9.10 Quem somos?


Somos...
(1) Raça eleita – a palavra eleita (“eleitos”) é empregada em 1.2
também.
Fomos eleitos para a obediência (1.2), e fomos eleitos para o
serviço (2.9).
A santificação é a nossa meta, e a obediência é o processo.
(2) Sacerdócio real – no versículo 5 sacerdócio santo; - aqui é
sacerdócio real, com as figuras provavelmente tomadas de
Melquisedeque, o rei-sacerdote do AT (Gn. 14).
(3) Nação Santa – coletivamente somos o povo de Deus e formamos
uma nação singular, povo cujo carimbo distinto é a santidade.
Nosso alvo não é sermos parecido com o mundo, mas, sim parecido
com Jesus Cristo.
(4) Propriedade exclusiva – peculiar – somos povo especialmente
aparelho para ser possessão de Deus. A palavra peculiar, usada em
algumas versões, significa “produzido ou adquirido por alguém
para si mesmo” – ou seja, refere-se a algo que é privativo de uma
pessoa. Deus nos adquiriu para sermos um povo para ele.
[A] Nem sempre fomos aquelas quatro coisas, razão por que devemos
louvar a Deus porque Ele nos mudou:
1) Das trevas para a Luz – do pecado para a gloriosa salvação.
2) De condição de não povo para a de povo de Deus - da
insignificância para propósito e sentido.
3) Da ausência de misericórdia para tê-la em abundância – não
temos de enfrentar o juízo por nossos pecados.

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 8

[A] – V. 13 “Toda instituição humana”. Devemos obedecer a todas as leis que não
violem as leis de Deus, quer o governo seja favorável quer seja hostil, e
o fazemos por causa do Senhor (ver At. 4.19; 5.25).
[O] – Vs. 15, 19, As duas razões dadas nesta porção para submissão e serviço são:
20 (1) Demonstrar ao mundo que a vocação de Deus – é para uma vida em
prol do bem, e não do mal; e;
(2) A Deus – agrada tal conduta, visto que reflete o caráter de Jesus
Cristo (ver versículo 21,25).
[O] – Vs.13,15 As duas ordens dadas nesta parte são sujeição e serviço (“sujeita-
vos”...”pela pratica do bem”).
[O] – Vs. 13, 14, Os dois grupos aos quais devemos sujeitar-nos e aos quais devemos
18 servir são o governo e aos empregadores.
[O] – Vs.13-20 Possível esboço deste trecho:
“Servos Submissos – o exemplo de Crente para o Mundo”.
(1) Despotismo divino (v. 16) – perspectiva certa
(2) Demonstração (v. 17) – atitude certa
(3) Diretriz Divina (v. 13,18) – estilo de vida certo
(4) Dois Grupos (v. 13,14,18).
(5) Duas Razões (v. 15,19,20).
[O] – V.25 Somos bem parecidos com ovelhas extraviadas, mas Cristo nos trouxe
de voltar para si. Revela o que Ele é:
(1) Pastor – uma das mais antigas descrições de Deus na Bíblia (ver Is.
40.10). Ele tomava conta das suas ovelhas – do seu povo- melhor
do que o pastor da Judéia tomava conta das suas ovelhas – dos
animais.
(2) Bispo, ou supervisor – esta palavra designa aquele que
superintende, guarda e protege. É o que Cristo é para o seu povo.
(Mt. 28.20).

1 Pedro 2
Pensamentos – Chave e Sumário
Versículo Pensamento Chave Versículos Sumário de Pensamentos
1 Livre-se do seu pecado
2 Como os bebês, peça com ardor
Livre-se do seu pecado;
o leite da Palavra 1–3
absorva a palavra
3 Supondo que você provou a
bondade de Deus
4 Cheque-se á Pedra de Deus 4–8 Como Pedra angular Cristo
5 Você é a pedra que vive para a alicerça o edifício ou é
honra de Deus rejeitado
6 O AT diz-nos que creiamos na
pedra angular
7 Os descrentes rejeitam a pedra
angular de Deus

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 9

8 Em sua desobediência, tropeçam


em Cristo
9 Deus o escolheu para proclamar
a Cristo Antes você rejeitava a Cristo,
9 – 10
10 Outrora você era estranho a mas agora lhe pertence
Cristo, mas agora lhe pertence
11 Fique longe dos desejos carnais
12 Veja que os inconversos A santidade é o melhor
11 – 12
glorifiquem a Deus pelo que testemunho
você pratica
13 Obedeça às leis da terra
14 A lei pune os maus e louva os
bons
15 Que a sua prática do bem Aos Crentes, como homens
silencie os que condenam o 13 – 17 livres, cabe obedecer à lei e
evangelho amar os outros
16 Use a sua liberdade para o bem,
e não para o mal
17 Ame os outros – teme a Deus
18 Os servos devem obedecer a
seus senhores
19 Deus recompensará o servo cujo
Os servos devem sujeitar-se
senhor é cruel 18 - 20
mesmo a senhores cruéis
20 Você é especialmente
recompensado quando sofre por
fazer o bem
21 Nisto você deve seguir o
exemplo de Cristo
22 Cristo nunca pecou
23 Ultrajado por fazer o bem, não A reação de Cristo aos que
revidava 21 -25 rejeitaram é exemplo para
24 Seu sofrimento foi castigo que nós
recebeu por nossos pecados
25 Como ovelha desgarrada, você
retornou a ele

I Pedro 2 – Esboço

[A] – Vs. 1-10 Estudando a palavra de Deus, o cristão deve refletir o caráter de
Cristo, que é a pedra angular de Deus, rejeitada pelos homens.
(1) Dispa-se do mundo; beba a palavra (Vs. 1-3)
(2) Pedra de tropeço ou salvação (Vs. 4-8)
(3) Mostra de contraste (Vs. 9-10)
[A] – Vs. 11-25 Cristo estabeleceu um exemplo para os cristãos sobre como reagir ante
um mundo que não o conhece.

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 10

(1) A vida santificada é o melhor testemunho (Vs. 11-12)


(2) Submissão – o exemplo cristão para o mundo (Vs. 13-20)
(3) Submissão - o exemplo de Cristo para o crente (Vs. 21-25)

Observação: Em todo o estudo da Bíblia deve ser considerados os quatro pilares ou


pontos fundamentais que são: Observação, Interpretação, Correlação e Aplicação. Estas
partes são básicas para o estudo da palavra, independentemente do tipo de estudo que você
esteja empenhado de fazer, (tais como: analítico, sintético, tópico, etc.) é recomendado
analisar cada um individualmente com alguma largueza. Estas quatro partes: Observação,
Interpretação, Correlação e Aplicação devem ser apresentadas cada uma delas, partindo
do ponto mais simples para o mais avançado. Ao aplicar estas partes ao estudo das
escrituras, você será levado a escolher o seu próprio nível de dificuldade, acrescentando
varias técnicas à medida que se torne necessário.

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 11

Um Exemplo a Seguir

Santificados Santificados Como A reação


Cristo Quem
para para que devemos de Cristo à
Rejeitado Somos
Crescermos Observemos Viver Rejeição
2:1-3 2:4-8 2:9-10 2:11-12 2:13-20 2:21-25
Crescer Chegar-se Proclamar Abster-se Sujeitar-se Seguir
Destino Dever
Ser Submisso
Para o seu bem Para o bem do mundo
Cristo a Pedra Cristo o Pastor
Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com
Métodos de Estudo Bíblico 12

Análise Sintético
Passo Um: 3 – Referências
Romanos
Doutrina Implicação Aplicação

O crente e a liberdade cristã


O descrente e o pecado

Doutrina da imputação

Planos para o futuro e


Um futuro para Israel
Mensagem universal
Livramento no AT –

E crente e o mundo
O crente e o pecado
O descrente liberto

Ilustração: Abraão
O descrente e a lei

O crente e a Igreja

observações finais
Escolha soberana
O crente Liberto
O crente e a lei
Introdução

elaborada
1:1-17 1:18- 2:17- 3:21- 10:1- 11:1- 12:1- 13:1- 14:1- 15:8-
4:1-25 5:1-21 6:1-23 7:1-25 8:1-39 9:1-33
2:16 3:20 31 21 36 21 14 15:7 16:27
Pecado Salvação Santificação Seleção Serviço
Homem Deus Homem – Deus(HS) Deus Homem
Descrente em pecado (Deus o Filho) Crente em Pecado (Deus o Pai)
Vida pela fé Serviço pela fé
Escravo do pecado Escravo de Deus Escravo servindo a Deus
Justiça de Deus Justiça de Deus Justiça de Deus Justiça de Deus Justiça de Deus
Na lei Imputada Obedecida Na eleição Manifestada
A necessidade da salvação O caminho da salvação A vida da salvação O escopo da salvação O serviço da salvação

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 13

V) ANALISE SINTÉTICA DE ESTUDO DA BÍBLIA

“Estudo amplo, global, de um livro da Bíblia”.


“O método sintético de estudo da Bíblia aborda cada livro da Bíblia como uma
unidade e procura entender o seu sentido como um todo”.
Não se interessa pelos pormenores, mas pelo escopo global do livro.
O que o escritor, movido pelo Espírito Santo, tinha em mente quando escreveu?
Qual é o pensamento-chave ou idéia principal do livro?
Como atinge ele o seu objetivo?São desta espécie as questões relevantes para o
método sintético.

Estudo Sintético Básico


[O] – Passo Um Leia o livro atentamente. Tome uma folha de papel e anote
observações no alto. Inclua nesta folha:
1) Observações: Anote pensamentos-chaves ou argumentos principais; também coisas
como lugares, acontecimentos e nomes importantes.
2) Dificuldades: Quando for incapaz de seguir o pensamento do escritor, anote quando
isto ocorre e exatamente o que não entende.
3) Referências: Anote acontecimentos importantes que o escritor usa, anote partes da
Bíblia. Por exemplo: Rm. 10.18-21 reporta-se a uma serie de citações
do VT. (Sl. 19.4; Dt 32:21; Is.65.1,2). Entender o contexto de cada
uma das citações o ajudara a descobrir o fluxo de argumentos de
Paulo no livro de Romanos.
[I] – Passo Dois Leia o livro inteiro pela segunda vez, explorando-o intensivamente.
Registre os pensamentos-chaves ou temas importantes do livro. Não
deixe que as divisões de capítulos e versículos destruam a unidade do
livro, pois essas divisões não estavam ali quando o escritor escreveu
originalmente o seu livro.

Romanos – Observações
Vrs. Observações
1.18 Paulo começa a epistola estabelecendo o fato do pecado humano. Primeiro trata
do mundo em geral (1.8-32); depois, do moralista – (2.1-16); finalmente do
Judeu (2.17-3.9).
3.21-26 Aqui vemos a solução do nosso problema – a morte de Cristo – bela e lógica
seqüência de ensino de Paulo.
2.7 Que significa isso? Estará Paulo dizendo aqui que a pessoa pode construir seu
caminho para o céu?
3.1 [A] Os judeus tinham tremenda vantagem. Dá-se o mesmo comigo, como homem
nascido numa herança cristã. Devo arrolar todas as vantagens que tenho, que
grande parte do mundo não tem.
4.1 Porque Paulo fala de Abraão depois de Cristo?
5.12-21 Qual é a substância do argumento de Paulo nesta passagem? Que está
procurando comunicar?

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 14

6.1-4 Belo quadro de nossa identificação com Cristo em Sua morte, sepultamento e
ressurreição.

Todo o livro – Esboço


1) Necessidade do homem (1.1-3.20)
2) Solução de Deus (3.21-5.21)
3) Implicação para os cristãos (6.1- 8.39)
4) Implicação para os judeus (9.1- 11.36)
5) Aplicação (12.1 – 16.27)
9.3 [A] Paulo queria ser “anátema, separado de Cristo” por amor dos seus
compatriotas. E eu, tenho essa espécie de amor pelas pessoas? – um verdadeiro
desafio!
11.1-32 Paulo parece indicar que há um futuro para Israel? Este é para a nação ou só
para certos indivíduos? Que significa “todo o” no versículo 26?
12.19 [A] “Não vos vingueis a vós mesmos” – creio que tenho propensão para ser
vingativo com aqueles que acho que me ofenderam.
13.2 Esta passagem implica em que as treze colônias americanas erraram ao
declarar a sua independência da Grã-Bretanha em 1776?
14.1-23 Passagem que fala das liberdades cristãs. Tem implicações de grande alcance
para a igreja de hoje. Note o método de pergunta e resposta que Paulo usa na
comunicação.
[I] Passo Três Leia o livro com atenção pela terceira vez. Peça ao Espírito Santo que o
capacite a abordá-lo com mente sã. Ao ler essa vez, procure o tema principal
ou idéia maior que o escritor esta comunicando. É o pensamento-chave do
livro – o principio organizador que dá unidade ao livro. Escreva o pensamento-
chave com suas próprias palavras.

Romanos – Pensamento-chave
Romanos 1.16,17 – O justo viverá pela fé.
[C] Passo Quatro Leia o livro pela quarta vez. Faça como se explorasse pela primeira vez.
Desenvolva um amplo esboço do livro. Não use o esboço que se
encontra em muitas bíblias de estudos, é sua exploração, portanto, faça
o seu próprio esboço. Dê um titulo às varias divisões do seu esboço e dê
um titulo ao livro.

Romanos – Esboço

Um Catecismo Cristão
I – Doutrina: 1.1 – 5.21
a) Introdução, 1.1-17
b) O problema do homem, 1.18 – 3.20
c) A solução de Deus, 3.21 – 5.21
II – Implicações: 6.1 – 11.36

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 15

A) Crentes, 6.1 – 11.36


1) E o pecado, 6.1-23
2) E a lei, 7.1-25
3) Libertos, 8.1-39
B) Judeus, 9.1 – 11.36
1) Escolha soberana, 9.1-33.
2) Mensagem Universal, 10, 1-21.
3) Um futuro para Israel, 11:1-36.
12.1 – 16.27
A) O crente e a igreja, 12.1-21
III – Aplicações: B) O crente e o mundo, 13.1-14
C) O crente e a Liberdade Cristã, 14.1-15.7
D) Planos para o futuro e Observações Finais, 15.8 – 16.27
[C] Passo Cinco Resuma o lastro histórico do livro. Você pode extrair muito desta
informação do próprio livro, outras informações em Dicionários etc.
(Dicionários Bíblicos)

Procure determinar o seguinte:


1. Quem escreveu o livro? Como o escritor é apresentado ao livro? Que revela ele acerca
de si mesmo?
2. Para quem foi escrito o livro? Onde viviam os destinatários? Como era a geografia e
que tipo de gente eram eles?
3. Quando e onde foi escrito o livro? Em que circunstancias e ambiente estava o escritor
quando escreveu?
4. Por que foi escrito o livro? Que estava na mente do escritor quando se sentou para
escrever? Havia problemas especiais que ocasionaram a produção do livro? O livro foi
destinado a comunicar algo em particular?

Romanos – Quadro de Fundo


1. A carta começa reivindicando a autoria de Paulo (1.1). Quando o escritor descreve
o seu ministério mais tarde (cap. 10), o tom é de Paulo. As idéias, o estilo da carta e
o vocabulário confirmam a alegação de que Paulo escreveu. Os chamados pais da
igreja e outros – através dos séculos referem-se a Paulo como o escritor que a
produziu. Jamais tendo visitado Roma em suas viagens missionárias, Paulo
comunica entusiasmo e acolhida aos romanos (1.4-12); a forma que o seu contato
com eles será mutuamente edificante.
2. Existem teorias sobre como teve inicio a igreja de Roma (como a de que foi
fundada pelo apostolo Pedro), mas a melhor delas é a de que foi iniciada pelos
judeus de Roma convertidos em Jerusalém no dia de Pentecostes (At. 2). Muitos
judeus viviam em Roma, tendo sido levados para lá quando a Palestina foi
conquistada por Roma em 63 a. C.
3. Diz Paulo que terminou a primeira fase do seu ministério e esta pronto para ir a
Espanha (ver. 15.22). De caminho, pretende, visitar Roma, viajando primeiro para
Jerusalém. Febe é mencionada nesta carta (16.1), e ela era de Corinto. Isto, ao lado
de outras evidencias, indica que Paulo estava na cidade de Corinto quando escreveu
Romanos. Isto se deu durante a sua terceira viagem, por volta de 57, 58 A.D.
4. Visto que Paulo nunca tinha exercido o ministério em Roma, não tinha de enfrentar
problemas especiais. Queria apresentar-se a igreja e obter apoio dela para sua

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 16

posterior atividade missionária na Espanha. Dizem alguns que Paulo queria


conciliar divergências que existiam entre os judeus e os gentios, mas o mais
provável é que simplesmente quisesse expor um compêndio das suas idéias sobre a
teologia do Evangelho.

[A] – Passo Seis Das aplicações, escolha aquela que Deus quer que você trabalhe.

VI) MÉTODO TÓPICO DE ESTUDO DA BÍBLIA

“Estudo Tópico: Investigação sobre um tópico escolhido, em toda a Bíblia ou


numa porção dela”.
Na epistola aos Romanos, Paulo apresenta certos números de tópicos diferentes e os
une, tecendo com eles a mensagem que quer transmitir. Exemplo desses tópicos são a fé, a
graça, a justificação, o Espírito Santo, e o pecado. O tratamento que dá a cada um desses
tópicos não é completo, mas dá a você algum discernimento sobre o que Deus acha deles.
Isto acontece com todos os escritores da Bíblia. Cada um deles toca numa porção de
tópicos ao desenvolver o seu assunto.
No método tópico de estudar a Bíblia você “caça” um tópico escolhido através da
Bíblia. A que distancia vai nessa caçada dependera do tempo de que dispõe e do seu
objetivo global. Para o estudante médio quanto maior for o tópico, mais estreito terá de ser
o estudo.
Por exemplo, estudar o pecado na Bíblia prometeria ser tarefa colossal. Mesmo o
estudo do ensino de Jesus sobre o pecado seria enorme.
Ou você evitará assuntos desse porte, ou os estreitara mais ainda, como, ensino de
João sobre o pecado, em sua primeira carta.
Um tópico menor pode ser tratado com muito menor amplitude. Se, por exemplo,
você resolve estudar a palavra vitória na Bíblia, poderá pesquisar todos os 66 livros e verá
que na Bíblia inteira ela aparece somente 11 vezes (versão inglesa).
Às vezes o tópico em estudo tem sinônimos: leis, estatutos, mandamentos, juízos,
preceitos, testemunhos são termos usados uns pelos outros em Salmos.
Para fins de ilustração usaremos a palavra Hospitalidade como nosso tópico para
estudo.
Escolha a palavra para estudar e os limites do estudo, como um livro, uma parte da
Bíblia, ou a Bíblia toda. Escreva o propósito ou objetivo do estudo. Use referências. Anote
essas referências em uma folha de papel.

Tópico para Estudar = Hospitalidade

Referências?
1. Mt. 25.35
2. Lc.7.44-46
3. Lc. 11.5-8
4. Rm. 12.13
5. I Tm. 3.2
6. Tt. 1.8
7. Hb. 13.2
8. I Pd 4.9

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 17

Anote toda e qualquer minúcia observada. Bombardeie as referências com


perguntas tais: Quem? Que? Onde? Quando? Por que? E Como?

Observações
Definição:
1. Hospitalidade é “acolher” e “obsequiar estranhos”.
2. Hospedaria: Casa de hospedagem paga.
3. Hospedável: que pode hospedar ou ser hospedado. “o que se destina à
generosa e cordial recepção de visitas”.
4. Hospício: Hospital para insanos mentais.
5. Hospital: casa em que se recebem e tratam os doentes.
6. Hospitaleiro: aquele que bondosamente dá hospedagem; acolhedor,
caridoso.
7. Hospitalidade: é tratamento, recepção ou disposição hospitaleira.

O Juízo de Jesus sobre as noções por sua aceitação ou rejeição dele e


dos seus irmãos, no contexto da provisão.
[O] Mt. 25.35
A lista é um dos elementos puramente essenciais: comida, bebida,
abrigo, roupa e companhia.
[A] Minha tendência é acolher os que eu conheço, em vez de suprir o
forasteiro.
Jesus contrasta o hospedeiro que faz a recepção com a forasteira
hospitaleira. O hospedeiro não providenciou nenhuma cortesia para o
seu convidado, ao passo que a estranha providenciou água, saudações e
[O] Lc 44:46
unção.
Contraste: Simão com Marta e Maria, que ofereceram ardente acolhida a
Jesus em sua casa (Lc.10.38; Jo 12.2).
Há um preço na satisfação das necessidades de outros: inconveniência
(era tarde e a família se acomodava para passar a noite), tempo e
recursos.
[O] Lc 11-5 a 8
Por causa de uma amizade, a pessoa sentiu-se com liberdade para ir a
ele buscar ajuda numa hora de necessidade.
Hospitalidade é atender às necessidades de outros.
O suprimento de necessidade e a prática da hospitalidade são
mencionados em conjunto .
1. Os crentes são os destinatários únicos.
[O] Rm.12.13
2. sinônimos; dedicados, entregues, consagrados (1 Cor. 16.15).
3. A hospitalidade não é uma decisão de adotar um procedimento, mas
o reflexo de um estilo de vida.
Que significa ser hospitaleiro? Indica mais do que uma ação ocasional,
[O] I Tm 3.2
mas um modo de viver, um estilo de vida.

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 18

Em Gn. 18, Abraão e Sara não estavam esperando hóspedes. Todavia,


quando os forasteiros se aproximavam, Abraão correu ao encontro dele,
deu-lhes água para lavarem os pés, e pediu a Sara que preparasse uma
refeição completa. O custo para eles foi tempo, esforço e provisões.
Apesar disso, não hesitaram, mas ardorosamente se deram a si mesmos
(ver, 2 Cor. 8.5).
Os dirigentes da igreja devem amar a hospitalidade.
A hospitalidade não pode ser separada das pessoas e da preocupação e
interesse por elas.
Em João 4, vemos Jesus como um viajante cansado e faminto à beira do
poço encontra-se com a mulher samaritana. E Jesus conversa com a
[O] Tt 1.8 mesma lhe oferecendo água viva que satisfaria as mais profundas
necessidades de sua vida.
Os discípulos ficaram chocados, ao vê-lo conversar com ela.
2 Reis 4-8 a 10 – Um casal sunamita, possuidor de recursos financeiros,
preparou um quarto com cama, mesa, cadeira e candeeiro para o profeta
itinerante Eliseu, para que tivesse um lugar onde ficar.
Eu me faço tão envolvido com as minhas atividades e com os meus
amigos, que negligencio os estranhos, como os visitantes que vão a
igreja sem que eu os cumprimente. Se eu fizesse a minha parte
juntamente com os demais da igreja, não haveria necessidade de
comissão de recepção.
Os anjos ainda fazem visita?
Quais são os relatos bíblicos de gente que acolheu anjos sem saber
quem eram eles?
[A] Hb. 13.2
1. Gn 18.2-15 - Abraão
2. Gn 19.1-22 - Ló
3. Jz 6.11.24 - Gideão
4. Jz 13.1-21 - a mãe e o pai de Sansão.
As visitações angélicas eram para a comunicação de mensagens;
todavia, em cada caso foram acolhidos, não por serem anjos, mas
porque as pessoas por eles visitadas abriram as suas casas e as suas
vidas para estranhos.
Uma vez que a hospitalidade inclua dar, é aplicável a admoestação de II
Cor. 9.7: “Cada um contribua segundo tiver proposto no seu coração,
não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com
[O] [C] I Pd
alegria”.
4.9
A hospitalidade deve refletir uma atitude de ardor de coração, não o
cumprimento de um dever.

Hospitalidade = Pensamentos-chave

• Tópicos para estudar => Hospitalidade

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 19

Propósito do Estudo:
Aprender o conceito bíblico de hospitalidade, de modo que

Usemos o nosso lar como a Bíblia ensina.

Mt. 25.35 - aceitação do estranho e provisão para ele


Lc.7.44-46 – providenciar as cortesias da hospitalidade.
Lc. 11.5-8 – o preço de satisfazer as necessidades dos outros.
Referências:
Rm. 12.13- suprindo necessidade, entrega à prática da
Hospitalidade.
Tt. 1.8 – um amigo da hospitalidade sem resmungar.
Atitudes que manifestam hospitalidade – I Pe 4.9 – Tt. 1.8 – I Tm.
Hospitalidade
3.2 – Rm. 12.13.
– Categorias
Definição de hospitalidade – Mt. 25.35 – Lc. 7.44-46 – Rm. 12.13.
Custos e prêmios da hospitalidade – Lc. 11..5-8 – Hb.13.2.
Aplicação

VII) MÉTODO BIOGRÁFICO DE ESTUDO DA BÍBLIA

O Estudo Biográfico pesquisa sobre o caráter das personagens bíblicas.


Esta espécie de estudo bíblico é divertida, pois você tem a oportunidade de sondar
o caráter das pessoas que o Espírito Santo colocou na Bíblia, e de aprender de suas vidas.
Paulo, escrevendo aos corintios, disse: “Estas causas lhes sobrevieram como exemplos, e
forma escritas para advertência nossa, de nós outros sobre quem os fins dos séculos tem
chegado” (I Cor. 10.11).
Sobre alguns personagens bíblicos muito material foi escrito. Quando você estuda
pessoas como Jesus, Abraão e Moisés, pode precisar restringir o estudo a áreas como, “ A
vida de Jesus como nos é revelada no Evangelho de João”, “Moisés durante o êxodo”, ou
“que diz o Novo Testamento sobre Abraão”. Lute sempre para manter os seus estudos
bíblicos em tamanho manejável.

Estudo Biográfico Básico: Com o propósito de ilustração, usaremos a historia de Raabe


neste estudo.

Raabe – Referências
[C] – Passo Um
Js – capitulo: 2.1 – prostituta residente em Jericó.
2.3 – o rei de Jericó manda tomar de Raabe informações sobre os
espias.
2.4 – ela escondera os espias e mente ao rei
2.5 – de propósito desvia dali os homens da cidade.
2.6 – esconde os espias sobre as camas de linho
2.8-9 – reconhece que o Senhor tomara posse de Jericó

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 20

2.10 – os rumores do êxodo e da vitória sobre os amorreus


2.11 – o medo do povo e o fato de que o Senhor é Deus de todos e
de tudo.
2.12-13 – Raabe roga segurança para si e para sua família
2.14 – os espias fazem a promessa
2.15 – ela lhes providencia o meio de fuga
2.16 – dá-lhes um plano para segurança deles
2.17-20 – os espias planejam a segurança dela
2.21 – o sinal do compromisso dela.
6.22-23 – salvamento de Raabe e de sua família.
Mt – cap. 1.5 lugar de Raabe na genealogia de Jesus Cristo.
Hb - cap. 11.31 pela fé Raabe não morreu, porque acolheu aos espias.
Tg – cap. 2.25 foi justificada por sua ação de fazer partir em paz os espias.
[O] – Passo Dois
2) Observações Anote todo e qualquer pormenor que notar sobre essa pessoa.
Quem era? Que fazia? Onde morava? Quando viveu? Porque fez o
que fez? Como o levou a efeito? Anote as minúcias sobre ela e seu
caráter
Dificuldades: Escreva o que você não entende acerca dessa pessoa e de
acontecimentos de sua vida.
Possíveis Aplicações: Escolha aquela em que o Espírito Santo o orientar.
3) Observações Com divisão em parágrafos, escreva um breve esboço da vida da
pessoa. Inclua os acontecimentos e características
importantes,declarando os fatos, sem interpretação. Quando
possível, mantenha o material em ordem cronológica.
Raabe – Esboço de sua vida
1. Raabe era uma prostituta da cidade de Jericó, situada alem do
Rio Jordão na terra de Canaã. Ela e outros membros da sua
comunidade tinham ouvido como Deus tinha permitido que os
israelitas atravessassem o Mar Vermelho em terra seca, e
também como tinham derrotado os dois reis dos amorreus.
2. Quando os espias chegaram à sua porta, ela os acolheu em paz e
os escondeu do rei de Jericó, que buscava suas vidas. Ela mentiu
ao rei, dizendo que não estavam ali, e mandou os homens da
cidade com falsa pista atrás deles.
3. Raabe solicitou segurança aos espias, para si e para sua família,
dando-lhes testemunho de que cria que Deus de Israel era o Deus
do céu e da terra, baseada no que tinha ouvido de Seus atos.
4. Os espias lhe prometeram salvamento se ela não revelasse o
paradeiro deles, e que teria sua família em casa quando
tomassem Jericó. A prova do compromisso mútuo era um cordão
de escarlata pendente da sua janela.
5. A vida de Raabe foi poupada na queda de Jericó e mais tarde a
vemos como trisavó do rei Davi, e assim, na linguagem de Jesus
Cristo.
6. O Novo Testamento registra ainda a sua fé e justificação por seu
ato de acolhida aos espias.

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 21

4) Interpretação Registre as virtudes e as fraquezas da pessoa. Por que Deus a


considerou grande? Quando ela falhou?
Raabe – Virtudes e Fraquezas
Virtudes Baseada em bem pequeno conhecimento (rumores), Raabe apostou
toda a sua vida e as vidas de sua família no que ouviu.
Aplicou o que sabia. Deus considera grandeza isto: crer nele e agir
com o que você tem. O povo de Raabe recebera a mesma
informação, e , contudo, não creu.
Fraquezas Ela foi mentirosa e traidor da sua própria Pátria.
Passo Cinco
Versículo-chave
“Pela fé Raabe, a meretriz, não foi destuida com os desobedientes,
porque acolheu em paz aos espias” (Hb. 11.31).

Sua fé foi exercida enquanto ela era meretriz. E Deus a considera


Interpretação
grande naquele estagio de sua vida, não somente depois de ser
aceita na comunidade judaica.
Com base no escasso conhecimento que tinha, ela agiu ocultando os
espias e creu que Jeová era o Verdadeiro Deus do céus e da terra.

Numa sentença, expresse o pensamento-chave quanto à vida da


pessoa.
Passo Seis Pode ser positivo ou negativo. Aqui você esta procurando resumir a
vida da pessoa numa sentença. Deve haver correlação entre este
pensamento-chave e o versículo-chave do Passo Cinco.
Raabe – Pensamento-Chave
Raabe se dispôs correr grandes riscos com Deus, baseada em pouca
informação, e Deus considerou isso um autêntica grandeza.
Das aplicações possíveis registradas em suas Observações, escolha
7) Aplicações
aquela que Deus quer que você ponha em ação.
Raabe - Aplicação
É fácil cair no habito de ler a Bíblia para obter novas compreensões,
e omitir os aspectos da aplicação que transformam a vida. Sou
culpado disto. Desde que o segredo de uma vida transformada esta
em aplicar a Palavra de Deus à minha, e não em aumentar o meu
conhecimento, vou orar e me comprometo a aplicar a verdade da
Escritura toda vez que eu ler a Bíblia.

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 22

Observações: Papel de Detetive


O livro de Hebreus freqüentemente faz uso de comparações e contrates. A figura
constante à pagina 13, é um gráfico de um tratamento semelhante feito em relação a Cristo
e Arão em Hebreus 7.

Contrastes Entre os Dois Sacerdócios


Hebreus 7
Divisões Contrastes
De Melquisedeque / Cristo Em Levi / Arão
Capítulos Versículos
7:2-3 Quem era Melquisedeque
Recebeu dízimos de Abraão Pagou dízimos a Melquisedeque
4
por meio de Abraão
7:4-10
Deu uma bênção 6 Recebeu uma bênção
Viveu para sempre 8 Morreu
Livre de uma lei imperfeita 11 Ligado a uma lei imperfeita
Sacerdócio imutável em Sacerdócio mutável em virtude em
7:11-19 12 / 16
virtude de sua vida virtude de sua herança tribal
Podia aperfeiçoar as pessoas 19 Não podia aperfeiçoar ninguém
7:20-22 Com juramento 20 Sem Juramento
Um sacerdote 23 / 24 Muitos sacerdotes
7:23-25 Vive para sempre 23 / 24 Morte
Capaz de Salvar 25 Incapaz de salvar
Separado do pecado 26 / 27 Pecador
Ofereceu-se uma vez por Oferecia sacrifícios (de animais)
27
7:26-28 todas muitas vezes.
Perfeito 28 Fraco
Deus / Homem 28 Homem

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 23

A ressurreição de Cristo

Seu sacerdócio é Superior

Hebreus 7:1-28

Sua Pessoa Sua Promessa Sua Obra


Os
Mudança Aliança Aptidões
Credenciais Consideração sacrifícios
necessária estabelecida contrastantes
de de sua que Cristo
da velha com dos
Melquisedeque grandeza fez de si
ordem juramento sacerdócios
mesmo
7:1-3 7:4-10 7:11-19 7:20-22 7:23-25 7:26-28
Ordem superior Aliança superior Sacerdócio Superior
Quem ele era Por que Ele veio O que ele fez
Porque Ele é da Ordem de
Não é limitado pelo Sinai Nem é limitado pelo altar
Melquisedeque

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 24

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 25

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 26

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com


Métodos de Estudo Bíblico 27

VIII) BIBLIOGRAFIA

• BERKHOF, Louis. Princípios de Interpretação Bíblica. II Edição. Tradução de

Merval Rosa. Rio de Janeiro, Juerp, 1981.

• BOICE, James M. O alicerce da Autoridade Bíblica. Tradução de Gordon Chown.

São Paulo, Vida Nova, 1982.

• FEE, Gordon D. & Stwart, Douglas. Entendes o que lê? Tradução de Gordon

Chown. São Paulo, Vida Nova , 1986.

• HENRICHSEN, Valter A. Métodos de Estudo Bíblico. São Paulo, Mundo Cristão,

1983.

• PACKER, J. I. O Conhecimento de Deus. São Paulo, Mundo Cristão, 1981.

• PIETERS, Alberts. Os Fundamentos e Mistérios da Fé Cristã. Tradução de Gordon

Chown. São Paulo, Vida Nova, 1979.

Junta de Ensino Teológico do Paraná - juetepar@hotmail.com