Você está na página 1de 27

Direito Tributário

Constituição de 145 a 156 e 157 a 162 (partições) e 195

Lei de Normas Gerais CTN- Lei 5172/66 Artigos 1 a 18, 75 a 82 e 96

Introdução

Garantia propriedade no brasil, visa bem estar comum.

Receita é a entrada, que venha acrescer o seu vulto, como elemento novo e positivo.

Classificação das Receitas

Receitas Originarias: Obtidas pela exploração do estado, onde o estado não age com poder de
soberania (ius imperii) mas como particular. Ex: Preços Públicos (Tarifas), Laudêmios, foros,
alugueis, royetes, terreno de marinha.

Receitas derivadas: Obtidos com uso de soberania do estado, a partir do patrimônio do


particular. Ex: Reparação de guerra, multas de atos ilícitos, confisco e tributos.

Receitas Originarias (Patrimoniais ou Derivadas


Empresariais)
Exploração do Patrimônio O Estado Explora seu próprio Origem no patrimônio
patrimônio partículas
Regime Jurídico Predominante de Direito Direito Privado
Privado
Característica O Estado explora seus O estado usa seu poder de
próprio patrimônio império e obriga o particular
de contribuir
Fonte Contrato Lei
Exemplos Preço Público e Tarifa Multas
Royalties Tributos
Compensação Reparação de Guerras

Compensação: é assegurada nos termos de lei, participação dos resultados da exploração de


petróleo ou gás natural, recursos hídricos, recursos minerais ou compensação financeira por
essa exploração. Receita Originaria.

Compensação tem como natureza de indenização pela perda de recursos naturais, royalties.

Tributação e Orçamento:
Orçamento: Plano Plurianual, as diretrizes orçamentárias e orçamentos anuais. Os tributos
devem constar no orçamento público.

Sistema Tributário Nacional: Estabelece os princípios gerais, espécies de tributos,


competências das pessoas para instituir e legislar sobre eles, as limitações e repartição de
receitas.

Repartição da Receita Tributária: Depois de arrecadado o tributo a divisão para estados e


municípios.

Código Tributário Nacional: Nasceu como lei ordinária e hoje tem poder de Lei complementar
onde somente lei complementar pode modificar ou revogar atos de leis;

Teoria da recepção: é a teoria onde estabelece relações sobre o CTN de 1966, onde que após a
constituição da CF/88 tudo que aborda a Constituição e está dentro do CTN foi recepcionado e
tudo que não está na CF não se aplica.

CTN – Aspecto Formal – Lei Ordinária

CTN – Aspecto Material – Lei Complementar

Conceitos do Direitos Tributários

Direito tributário é ramo que rege relações jurídicas entre o estado e particulares, referente as
atividades financeiras do estado, na obtenção de receitas

Ramo que estuda a relação de obtenção de recursos públicos;

Ramo do direito que se ocupada de relações do fisco e as pessoas sujeitas a imposições


tributarias de qualquer espécie, limitando o poder de tributar e protegendo o cidadão de
abusos desse poder.

Princípios: Legalidade e não confisco;

Imunidade tributária: Livros, jornais, cds ,dvd musicais e papeis estão protegidos de tributos;

Sujeito Ativo: União, Estado e Município

Sujeito Passivo: Contribuinte, responsável tributário

Bitributação Bis IN Idem

Bitributação quando entes tributantes diversos exigem do mesmo sujeito passivo tributos do
mesmo fato gerador/base de cálculo.

Bis in Idem: Ocorre quando o mesmo ente tributário exige do mesmo sujeito passivo tributos
decorrentes do mesmo fato gerador.

Bitributação esta como regra proibida no brasil.

União Artigo 153

Estado Artigo 155

Município Artigo 156

Existe exceções que pode ser permitida: Iminência ou casos de guerra externas,
compreendendo ou não em sua competência tributarias (apenas a União);
Bis In idem (o Mesmo ente cobrando o mesmo imposto IR e IR GUERRA)

Bitributação (União cobrando impostos que não são de sua competência ICMS e ICMS Guerra)

Segunda situação incidência de bitributação da renda duplo pagamento de taxas em países


que não tem acordo ex: Uruguai; ocorrera bitributação.

Contribuição social pode conter bitributação ou bis in idem em relação ao imposto.

Competências Tributarias (Aula 06)

É a aptidão para criar tributos através de leis tosos seus elementos. Exercitar dar nascimento
no plano abstrato, podendo alimentá-lo, isenta-lo.

Apenas pessoas politicas tem competência tributária sendo elas União, Estados e Municípios.

Características:

 Privativa: cada pessoas tem seus próprios tributos;


 Incaducavel são impostos sobre grandes fortunas
 Exercício Facultativo: liberdade de criar ou não tributo; Ex: ISS
 Inaplicável: não pode sair da raia;
 Irrenunciável não pode ser renunciado
 Indelegável não pode delegar o que recebeu por delegação, o que pode ser delegável
é a capacidade tributaria

Competência Legislativa Plena

Compreende as limitações contidas na constituição federal nas constituições dos estados e nas
leis orgânicas do distrito federal e dos municípios;

Município pode fazer convenio para apuração de ITR porem não pode efetuar isenção de ITR,
pois estará ferindo a característica de Irrenunciabilidade de tributos.

Tipos Competência Tributarias

Competência privativa da união:

Instituir impostos sobre importação de produtos estrangeiros(II), exportação pra o exterior


(IE), rendas e proventos de qualquer natureza, produtos industrializados (IPI), operações de
créditos, cambio e seguro, valores mobiliários (iof) propriedade rural (ITR ou IPTR), Grandes
fortunas, empréstimos compulsórios, contribuições especiais e ouro. 7 Impostos

Compete aos estados e Distrito Federal

Transmissão causa mortis e doação de qualquer bens ou direitos (ITCMD), operações relativa
circulação de mercadorias e sobre prestação de serviços de transporte interestadual ou
intermunicipal, ainda que se iniciem no exterior (ICMS) propriedade de veículos auto motores
(IPVA). 3 Impostos

Competências Municipais

Propriedade predial e territorial (IPTU), Transmissão Inter Vivos acessão física de imóveis,
exceto os de garantia, (ITBI), Serviços de qualquer natureza (ISS ou ISSQN) 3 Impostos

Contribuição para custo do serviços de iluminação pública.


Competência Tributaria Comum

Taxas e Contribuição de Melhoria: Inominados e Indiscriminados. Competência Comum

Impostos Nominados discriminados. Competência Privativa.

Competências Tributarias Especial

Empréstimos compulsórios, contribuições sociais, de intervenção no domínio econômico e de


interesse de categorias profissionais e econômicas

Competência Residual

União poderá instituir lei complementar impostos não previstos, desde que não sejam
acumulativos.

Novas Contribuições para seguridade social.

Competência residual taxas de melhorias

Estados, sobre serviços, poder de polícia e obras públicas.

Competência Tributaria Extraordinária

União poderá instituir em caso de guerra. Criando impostos. IOF Federal e IOF Guerra.

Suprimido gradativamente conforme.

Competência Cumulativa

Na união quando ela está em um território quando está dividido em municípios ou quando não
é. Onde a União pode cobrar estadual, federal e municipal.

DF cobra imposto municipal e estadual.

Competência Concorrente

União deve legislar sobre o direito tributário com os estados, df e municípios, estabelecer as
normas gerais.

Competência Suplementar

Se a união deixar de legislar total ou parcialmente sobre normas gerais, em matéria tributarias
dos estados, df e municípios vão poder legislar sobre suas peculiaridades.

Questões

A competência Tributária não pode ser delegável em qualquer situação, não podendo o ente
renuncia-la ou transferi-la a autor ainda que por meio de lei.

São titulares de competência tributária própria as pessoas jurídicas de direito público, dotadas
de poder legislativo.

Conceitos e Classificação de Tributos


Toda prestação pecuniária compulsória em moeda cujo valor nela se possa exprimir, não
constitua ilícito, instituído em lei e cobrada mediante atividade administrativa plenamente
vinculada.

Prestação pecuniária em moeda ou cujo valor se possa exprimir: O tributo pe uma prestação
em especial ou em bens que possuam valor em dinheiro. O pagamento não se podem dar em
bens (in natura) ou em serviços (in labore). A união e alguns estados permite pagar o tributos
com créditos acumulados, caso do IPI, ICMS, PIS e Confins....

Dação em pagamento em bens imóveis desde que haja lei previa.

STF entende que mesmo que a lei do ente político permita a dação em bens moveis como
forma de pagar débitos tributários, isso feriria o princípio da licitação de materiais

Compulsoriedade

Decore do exercício da soberania do estado sobre o particular. Onde ninguém será obrigado
fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei, ninguém pode se escusar de
cumprir a lei alegando que não a conhece.

Que não constitua sanção de ilícito

A obrigação de pagar nasce de um fato licito. Difere de uma sanção que é de ato ilícito.

Multa

É sanção por ato ilícito, visa coibir o ato ilícito, multa é toda prestação pecuniária compulsória
em moeda cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada.

Tributo

Não tem finalidade sancionatória, visa arrecadar ou intervir situações sociais e econômicas,
tributo é toda atividade pecuniária compulsória em moeda cujo valor possa exprimir que não
constitua sanção de ilícito, mediante atividade administrativa plenamente vinculada.

Importante

É possível a tributação de rendimento de atividades ilícitas.

Medida provisória pode instituir tributo no brasil.

Tributos que a serem criados por Lei Complementar

Novos impostos de competência residual da união;

Novas contribuições sociais (residual da união)

Imposto sobre grandes fortunas;

Empréstimos compulsórios (guerra, calamidade, caráter urgente relevante interesse nacional)


Cuidado

 Tributo que pode ser instituído por lei ordinária também pode ser instituído por
medida provisória ou por lei delegada;
 Tributo que necessita de lei complementar apenas com lei complementar;

Tributos de Impostos de Importação, Imposto de Exportação, IPI e Iof podem ter majorações
através de decretos e atos do poder executivos

Cobrança

Cobrança mediante administrativa plenamente vinculada, atividade de cobrança e arrecadação


é totalmente submissa a lei, de modo no exercício do exercício o agente efetuar dispensa por
amizade ou por ser grande empregador da cidade ou mesmo o tributo causar dificuldades
financeiras)

Tributo Vinculado

O fato gerador é uma atividade estatal especifica relativa ao contribuinte ex: taxas e
contribuições de melhorias.

Taxas de lixo...

Tributo Não Vinculado

Situação que independe de qualquer atividade estatal especifica relativa ao contribuinte

Ex: Imposto

Tributo de Receita Vinculada

Os recursos arrecadados só podem ser utilizados com despesa determinadas.

Empréstimos compulsórios, cide combustíveis.

Tributos Receitas Não Vinculados

Recursos arrecadados que pode ser utilizados com quaisquer despesas previstas no
orçamento.

Natureza Jurídica

É atribuída pelo fato gerador da respectiva obrigação.

A Natureza específica de um tributo é dada pelo cotejo entre o seu Fato gerador e a sua base
de cálculo

Finalidade dos Tributos

Fiscal: Quando seu objetivo é arrecadação de recursos financeiro para o estado;

Extrafiscal: Quando seu objetivo principal é interferência do domínio econômico, buscando


efeitos diversos

Para fiscal: quando seu objetivo é a arrecadação de recursos para o custeio de atividades em
princípio que integram funções próprias do estados;
Transferência de Encarcargos Financeiro

Podem ser de forma direta ou indireta

Direto: a carga econômica é suportada pelo realizador do fato imponível IR

Indireto: Carga econômica é transferido para terceira pessoa que é o consumidor final ICMS

Tributos progressivos ou regressivos são aqueles cujas as alíquotas aumentam ou diminuem


conforme critério especifico

Empréstimos Compulsórios

Somente a União pode instituir empréstimos compulsórios

Só podem ser instituídos por meio de lei complementar;

Autorizados mediante:

Calamidade pública;

Guerra

Investimentos públicos de caráter urgente;

Lei deverá fixar obrigatoriamente o prazo do empréstimo e as condições de seu resgate,

STF a restituição deverá se dar na mesma espécie que foi recolhido;

No caso de investimento público de caráter urgente e de relevante interesse nacional, o


empréstimo compulsório submete-se ao princípio da anterioridade anual;

Importância de restituir

Contribuição de Melhoria

Competência comum: União estados df e municípios

Tributos que surgem através de realização de obra pública, decorra valorização imobiliária.
Trata-se de um tributo vinculado. Cada imóvel beneficiário terá um acréscimo de valor.

Recapeamento de asfalto não justifica a cobrança da contribuição de melhoria.

Tributo não pode ser cobrado antes da realização da obra,

Será devida a contribuição de melhoria nos casos de valorização de imóvel nos caos de:

Abertura, alargamento, iluminação, arborização, esgotos, praças, ampliação de parques,


campos de desportos, pontes, túneis, viadutos, ampliação de transito, serviços de gás,
drenagem, construção de Estradas de terras e casos paisagísticos;

Ele auxilia ao não enriquecimento injusto

Tem como sujeito passivo o proprietário do imóvel ao tempo de seu lançamento

Tributo que tempo por fato gerador a valorização imobiliária decorrente de uma obra pública
concluída.
Taxas

São tributos de competência comum (Município, estado e União)

Aquele que presta serviço ou de policia

Taxa de Serviço Ou taxa de Polícia, tendo fato gerador e base de cálculo diferentes;

Pode de Polícia: atividade que limita ou disciplina direitos, interesse e liberdade, regula pratica
de atos ou abstenção de fato, em razão de interesse público, concernente de higiene, ordem,
costumes, disciplina, atividades econômicas dependentes de autorização ou concessão, dos
direitos privados e públicos. É regular por órgão competente nos limites da lei, sem abuso ou
desvio de poder. Taxas de deificação, porte de arma, sanitária.... Supremacia do interesse
público sobre o privado.

Serviços Públicos: Competência comum, quem faz o serviço cobra;

Serviços Utilizados efetivamente: Quando está sendo usado efetivamente pelo contribuinte
usado, está em disposição. Ex: Serviços de esgoto,

Serviços Utilizados Potencialmente: quando sendo de utilização compulsória sejam postos a


sua disposição mediante atividade administrativa. Ex: Taxa de Lixo, esgotos e etc

Serviço público especifico: Quando possam ser destacadas unidades autônomos de


intervenção de utilidade ou necessidade Ex: Limpeza Publica

Serviço Divisível: quando suscetíveis de utilização separadamente por parte de cada um dos
seus usuários Ex: Atendimento domiciliar, iluminação publica

Taxas de Serviços:

Taxa efetiva usufruída a qualquer título, especifico, qual serviço está sendo fornecido

Taxa Serviço Potencial, colocado em disposição, quanto ta sendo utilizado;

Taxas: Sepultamento e Coleta Publica.

Iluminação publica não pode ser cobrado como taxas

Uti universe não consegue mensura quantos estão usando

Uti single é possível mensurar quem faz o uso

Serviçso de Segurança Publica e Limpeza não podem ser remunerads mediante taxa. Serviço
de limpeza não pode ser confundido com coleta domiciliar

Classificação

Utilidade Publica (conveniência)

Transporte, Energia, Gaz, telefone

Proprios do Estado

Segunraça publica, policia higiene e Saude Publica

Improprios do Estados
Quem presta autarquias, fundações empresas de sociedade mista

Serviços Gerais

Policia e Iluminação Publica

Serviços Individuais

Taxas

Serviços Individuais

Serviços Administrativos

Contribuições Especiais

Em regra são vinculadas, para fiscais, exclusiva da União

Subdividida entre:

 Contribuições Sociais CS
 Contribuições de Domínio econômico CIDE
 Contribuição de interesse das categorias profissionais ou cooperativas

Impostação de Combustível Cide Combustível

Poderão ter alíquotas:

Advalore tem como base faturamento, e a receita bruta ou valor da operação

Especificas: Tendo por base a unidade de medida. Emenda Constitucional

Contribuições da União

Contribuições especiais Competência Exclusiva da união

Exceção: Contribuições previdenciárias dos servidores E, M e DF;

Exceção 2: Contribuição custeio de iluminação pública DF e Municipio; (COSIP e CIP)

Contribuições Sociais

São 3 espécies:

Seguridade social:

Receita ou Faturamento COFINS

Lucro CSLL

Importação de Bens ou Serviços Pis/Passep e Confins de Importação

Outras Bases

A seguridade social será financiada por toda sociedade direta ou indireta, no termo da lei:
Folha de pagamento, receitas e faturamento, lucro, receitas de concursos e prognósticos

Contribuição Especiais Residuais

Poderão ser consideradas outras contribuições desde que instituídas por lei complementar,
Sejam não acumulativas, não se repitam base de cálculo ou fato gerador

Contribuições Sociais Gerais

São as destinadas a custear atividades do poder público na área social, mas que não sejam
destinadas a seguridade social.

Custeios dos serviços sociais autônomos (SESC, SENAI, SENAC...)

Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico

Tributo extrafiscal com finalidade de intervir na economia do pais. Trata de tributo vinculado a
arrecadação

Cide Combustíveis

Alíquota pode ser diferenciado por produto ou uso;

Reduzida e estabelecida por ato do poder executivo

Sendo os recursos arrecadado destinados:

Pagamento de subsídios de preços e transporte de álcool e combustíveis;

Ao financiamento de projetos ambientais relacionados a insdutria do petróleo e fog as

Progrmas de financiamento de programas de infra estrutura

Cide Royalties

COSIP

Os municípios poderão constituir contribuição para custeio de iluminação pública, sendo


cobrada na fatura de energia elétrica.

Contribuição Corporativas

São as contribuições de interesse das categorias profissionais e econômicas

Custeio dos Conselhos de Fiscalização e Regulamentação de Categorias profissionais: CREA,


CRM, CRC

Oab não tem tributaria.

Contribuição para fiscal, apesar de serem tributos, nem todas são destinadas a órgãos ou
entidades públicas.

Constribuições Especiais, são tributos finalisticamnete afetados;


Espécies Tributarias

União Estados Municípios

II ICMS IpTU

IE ITCD ISS

EPI IOVA ITBI

IDE

IR

ITR

IGF

Impostos; Taxas; Empréstimos Compulsórios e Contribuições de Melhoria e Para fiscais.

Limitações do Poder Tributar

Fixa os limites de tributar;

Imunidade ocorre quando elimina a capacidade legislativa;

Imunidade constitucional não é clausula pétrea, não garantida ou direito individual

Podendo ser suprimida por emenda constitucional

Imunidade

Imunidade não se confunde com as outras formas desonerativas de tributos: Isenção, Redução
da base de cálculo, alíquota zero, não incidência, credito presumido, credito prêmio e etc..

As forma de imunidade tributarias é a desoneração tributária conferida pela CF, não existe
imunidade por lei infraconstitucional.

Imunidade: Não incidência prevista na CF, não ocorre fato gerador.

Isenção: Dispensa legal do pagamento do tributo. Ocorre fato gerador.

Não Incidência: Prevista em lei, não ocorre o fato gerador.

Alíquota zero: Prevista em lei ou decreto ocorre fato gerador

Imunidade Isenção
Regida pela CF Regida pela Legislação Infra
Não pode ser revogado, nem mesmo por Poder ser revogada em qualquer tempo
emenda constitucional,
Não há nascimento de obrigação tributaria A obrigação tributaria
Não há o direiro de cobrarar Há direito de cobrar, mas ele não é exercido
Imunidades Especificas:

Direito de petição aos poderes públicos; Certidões em repartição públicas para defesa de seus
direitos; Ação popular que vise ato lesivo;

São Gratuitos:

Habeas corpus, Habeas Data, Certidão de Nascimento e Obito.

Imunidade especificas Contribuição

São isentas as entidades de assistência social;

Ipi imune nas exportação

ITR imune em pequenas glebas rurais definidas em lei;

ICMS imune sobre operação de mercadorias pra exterior, Imunidade do petróleo no estado de
consumo, energia elétrica, ouro, prestação de serviços de radiofusão, de televisão

ITBI imune quando o sócio incorpora ao patrimônio, fusão de empresa, incorporação, cisão e
extinção

ISS lei complementar pode propor a exclusão ou isenção, porem nunca IMUNIDADE.

Imunidade Objetiva

Diretamente sobre o objeto. Ex. `Petróleo e Energia

Podem ocorrer suspensão do repasses;

Os recursos obtidos tem que ser gastos no pais;

Imunidade Genérica

Vedada a União, estados e Municípios

Institui IMPOSTOS sobre:

Patrimônio, renda ou serviços; (imunidade Reciproca)

Templos; (imunidade Religiosa)

Patrimônio, renda ou serviços dos partidos políticos, fundações, entidades sindicais,


instituições de educação e de assistência social sem fins lucrativos

Imunidade sobre Livros, jornais e periódicos (Imunidade Objetiva)

Fonogramas e videogramas produzidos no brasil,

Imunidade Reciproca

Exploração direta de atividade econômica;

As empresas de economia mista não pode ter privilégios fiscais, para não proporcionar
concorrência desleal;

Ex. Agua e esgoto;


Pela Jurisprudência alcança a imunidade sociedade de economia mista delegatórias de serviços
públicos que não atuem em ambiente de concorrência;

Pode se estender empresas pública e economia mista prestadoras de serviços públicos;

São verificados o estatuto social, composição e controle acionário, isso ocasionou a CASAN não
obter imunidade reciproca

Quando uma escola ou entidade é estadual ou da União a não cobrança de IPTU é por força da
Imunidade Reciproca.

Entidades de Assistência social são IMUNES

Produção de livros, cds e jornais são imunes apenas de impostos;

Princípios Constitucionais Tributários

Legalidade Tributaria: Proibido exigir tributo ou aumentar sem lei.

Exceção a lei:

II,IE,IPI, IOF Cide Combustíveis

Princípios Legais

Instituição ou Extinção de lei

Majoração e redução de lei;

Fixação de alíquota

Exclusão, suspensão e extinção leis

Não precisam de lei

Fato gerador tributário;

Prazo de pagamento de tributo

Atualização monetária da base de calculo

Isonomia

Tratar iguais os iguais e os desiguais desiguais

Imposto terá caráter individual conforme capacidade econômica do contribuinte;

Irretroatividade

Lei não pode retroagir;

Anterioridade

Não pode ser retirado por emenda constitucional, pois é pétrea;

Anualidade
Nenhum Será cobrado em cada exercício sem previa autorização orçamentaria, ressalvada
tarifa aduaneira e o imposto lançado por motivo de guerra

Vigência é o nascimento da lei

Eficácia é geração de efeitos;

Anterioridade Mínima

Cobrar tributos depois 90 dias depois da data de publicação,

Anterioridade

Cide Combustivel

IPi

Cont. Seg. Social

Icms Combustivel

Noventena

IPTU

IPVA

IR

Liberdade de Trafego

Vedada limitação de trafego e bens.

Exceto pedágio e ICMS interestadual;

Transparência dos Tributos

Determinar medidas para que os consumidores sejam esclarecidos acerda dos impostos

Limitações Constitucionais da União

Uniformidade Demográfica

Isenção heterônima um ente resolve isentar tributos que não são de suas competências;]

Legislação Tributaria

Lei ordinárias são normas jurídicas aprovadas pelo poder legislativo (união, estados e
Municípios)

Regra vigência dentro do território

Legislação Tributaria

A lei não pode alterar a definição e conteúdo e alcance dos institutos, conceitos e formas do
direito privado, com objetivo de alterar.

Interpretação Gramatical ou Literal


Interpretação logica o que se quis dizer

Interpretação verificar a realidade da época

Interpretação Teleológica finalidade

Sistemática compara com outras leis

Interpretação Benigna

A lei que define infrações ou lhe comina penalidade, interpreta-se de maneira mais favorável
ao acusado, em caso de dúvida.

Lei complementar não institui contribuição de melhoria;

Resoluções do Senado Federal

ITCD Alíquotas Máximas 8%

IPVA Mínimas

ICMS Máximas e Mínimas Exportação 10% 7% 4% e 13%

A lei delegada não pode criar ou aumentra os impostos de competência residual da União pois
a constituição veda a delegação em matéria reservada a lei complementar

Lei complementar

Pode instituir através de lei Complementar:

 Empréstimos compulsórios
 Impostos Residuais

Decreto

Majoração de alíquota de impostos sobre operações de credito, cambio e valores mobiliários;

Obrigação Principal

Obrigado a pagar tributo ou multa, fonte lei, extinção junto com credito com ela decorrente

Obrigação Acessória

Objeto prestações de fazer ou não fazer (desde que não seja pagamento), fonte legislação
tributária, interesse da fiscalização ou arrecadação dos tributos e possui autonomia.

Fato gerador

É uma circunstância da vida representada por um fato ou ato previsto em lei.

Fato gerador Instantâneo

A sua realização ocorrem em determinado instante, iniciando se e completando se em so


instante. Ex: Quando saiu produto IPI, IE e II.

Fato Gerador Continuado


Cuja realização leva um determinado período para se completar ou seja. Ex. Janeiro IPTU, IPVA
e ITR

Fator Gerador

Momento que se verifiquem as situações matérias que são próprias,

Situação jurídica: Tipiocos de formalidade jurídico, quando a definição efetivamente ocorre.


Ex. doação de bens e imóveis.

Elisão

Procedimento Licito; Planejamento tributário ou fiscal, em geral antes o fato gerador;

Evasão

Procedimento ilícito, após fato gerador.

Atos ilícitos ou que ferem a lei podem gerar fato gerador de tributos.

Sujeito ativo

Sujeito ativo de obrigação jurídica de direito público, titular de competência para exigir seu
cumprimento.

Prestar informações sobre impostos é uma obrigação tributária assessoria

Ao notificar ao imposto territorial rural todos respondem;

Substituição para Frente

Refinarias pagam tributos dos distribuidores e postos de uma vez

Diferimento é passar a responsabilidade para empresa posterior

Sujeito Passivo

Contribuinte sujeito passivo direta, relação direta com fato gerador;

Locador pode delegar pagamento de IPTU ao locatário, convecção particulares não podem ser
oposta a fazenda pública;

Solidariedade Passiva

Compra em conjunto de um imóvel, os quais tem interesse em comum, quando designadas


pela lei,

Responsabilidade por Transferência

Transferido por ato descrito em lei, por sucessão Imobiliária, inter vivos, causa mortis,
sucessão, societária e comercial;

Responsabilidade por Sucessão

Quem compra ativo compra passivo;

Quinhão dividas;

Sucessão pessoas Jurídicas


Fusão duas empresas se fundem para uma terceira, as dividas serão de responsabilidade a
nova empresa;

Cisão quando uma empresa se divide em duas ou mais onde as empresas são solidariedarias
passivas as dívidas anteriores respondendo por 100% da mesma;

Sindico e comissário pelos tributos devidos pela massa falida

Responsabilidade de Terceiro Pessoal – Infrações

Pode ser solidaria e pessoal, resultados com excessos de poderes ou infrações de lei. Os
mandatários prepostos e empregados, diretores ou representantes de pessoas jurídicas de
direito privado.

Os bens do sócio de uma pessoa jurídica comercial, não respondem em caráter solidário por
dívidas fiscais assumidas pela sociedade.

Denuncia espontânea é cobrado tributo e juros.

Questões

O espolio é pessoalmente responsável pelos tributos devidos pelo cujus até a data da abertura
da sucessão.

Quando efetuada uma fiscalização e a regularização posterior a fiscalização a responsabilidade


pela infração cometida não ficou excluída, pois não se considera espontânea a denúncia
apresentada após o início do procedimento de fiscalização, ainda que tenha sido pago o valor
integra da contribuição devida e dos juros de mora devidos.

O espolio é a pessoa responsável pelos tributos devidos pelo cujus até a data da abertura da
sucessão ainda que os correspondentes créditos tributários da fazenda pública estejam em
curso de constituição aquela data e se refiram a fatos geradores de obrigação tributária,
ocorrido nos últimos 5 anos anteriores a abertura da sucessão

A pessoa natural ou jurídica de direito privado que adquirir outra a qualquer título, fundo
comercial ou estabelecimento e continuar a mesma exploração sob a mesma ou outra razão
social ou sob firma ou nome individual responde pelos tributos relativos ao fundo ou
estabelecimento adquirido devido até a dará do ato, subsidiariamente com o alienante, se este
prosseguir na exploração ou iniciar dentro de seis meses a contar da data de alienação, nova
atividade no mesmo ou outro ramo de comercio, indústria ou profissão.

Capacidade Passiva depende da aptidão jurídica de qualquer pessoa para figurar no polo
negativo da obrigação tributária, assim determinada no termos da lei.

A responsabilidade por infração e cominação de penalidade pecuniária em nosso sistema


tributário podem ser abolidas pela denúncia espontânea da infração apresentada antes do
início de qualquer procedimento administrativo

Credito Tributário

Decorre da obrigação principal prevista em lei, notificado através de uma notificação valida,

Lançamento tributário é o auto de infração;


Lançamento tributário tem natureza jurídica mista, declarado da obrigação tributária;

Lançamento regularmente notificados so pode ser alterado em virtude de:

 Impugnação do sujeito passivo;


 Recurso de oficio
 Iniciativa de oficio da autoridade administrativa;

Questões

O credito tributário decorre da obrigação principal e tem a mesma natureza desta;

Lançamento por homologação está sujeito ao prazo prescricional se não foi adimplido

Credito tributário no hipótese do devedor tributário, devidamente citado, não pagar nem
apresentar bens à penhora e não sendo encontrado bens penhoráveis, o juiz determinara a
indisponibilidade de seus bens e direitos, limitada ao valor total exigível.

Lançamento Tributaria

Modalidades de lançamento:

Pode declaração ou misto

O lançamento é efetuado com base na declaração do sujeito passivo ou terceiros quando o


outro na forma da legislação tributária presta a autoridade administrativa de informações.

Ex. ITR, ISS de sociedade uni profissional (Passivo presta declaração o fisco confere e o passivo
paga)

Lançamento de Oficio/Direto

Lançado pela autoridade administrativa, quando se comprove falsidade ou erro são indícios
pra realização do auto de infração, quando se comprove omissão, dolo, fraude e simulação

Pode ser feito refeito o lançamento quantas vezes necessário desde que não tenha caído
direito de lançar

Ex. IPTU (Fisco calcula e passivo paga)

Auto Lançamento/Homologação

Ocorre quando os tributos cuja legislação atribui ao sujeito passivo o dever de antecipar o
pagamento sem prévio exame da autoridade administrativa, para posterior homologação.

O pagamento antecipado extingue o credito;

Menos participação do Fisco.

Ex. O passivo reúne as documentação, paga as taxas e o fisco no final homologa (IPI), IR, II IOF,

Exercícios

Lançamentos por declaração ou mistos (IE, II)

Lançamento de oficio ou direto (IPTU e IPVA)

Lançamento por homologação ou Auto lançamento (IR,ICMS, IPI, ITR, ITCMD, ITBI, ISS, IOF)
Prazo de homologação de pagamento antecipado de ICMS é de Cinco anos a contar da
ocorrência do fato gerador da respectiva obrigação;

O lançamento pode ser efetuado e revisto por oficio quando se comprove que o sujeito
passivo agiu com dolo, fraude, ou simulação

O lançamento tributário ocorre o lançamento o qual é reportado a data de sua ocorrência do


fato gerador da obrigação e rege-se pela lei então vigente, ainda que posteriormente
modificada ou revogada.

Lançamento por Homologação

Homologação expressa ou tácita após 5 anos dívida é considerada extinta, salvo se


considerada fraude ou doloso.

Suspenção de Exigibilidade

Moratória: caráter geral pela pessoa jurídica de direito público para instituir o tributo que se
refira, pela união quanto tributos de competências dos estados, distrito federal ou municípios;

Em caráter individual por despacho de autoridade administrativa, autorizada por lei nas
condições do inciso anterior.

Podendo ser atingida por região ou setor.

Moratória tem caráter específico que depende de comprovação do contribuinte e despacho de


autoridade administrativa competente;

Não gera direito adquirido;

Moratória não é caso de exclusão de credito tributário e sem extinção;

Se não preencher os itens estabelecidos em moratória deverá pagar o tributo acrescido com o
juros de mora.

Deposito do seu montante integral

O deposito somente suspende a exigibilidade do credito tributário se for integral em dinheiro

Deposito integral do montante do credito tributário pode ser anterior ou posterior a


constituição definitiva do credito tributário.

Hipóteses de Suspenção de exigibilidade do Credito Tributário

 Moratória
 Deposito de montante integral
 Reclamações e Recursos
 Concessões de medida liminar/ mandato de segurança;

Extinção do Credito Tributário

Pagamento: ocorre quando o sujeito satisfaz o credito tributário;

Pagamento e Penalidades: imposição de penalidades não ilide o pagamento integral de


créditos tributários;
Pagamento de Presunções: o pagamento de um credito não importa em presunção de
pagamento; Ex. Parcelamento

Legislação quando não estipular prazo de pagamento o mesmo terá que ser pago 30 dias após
a notificação, pagamento antes tem desconto;

Juros de mora de 1% ao mês quando não tiver lei estipulando;

Restituição do pagamento

Cobrança de credito indevido, cálculo de montante do debito;

Não depende de prévio protesto

Cobranças indevidas;

Erros do sujeito passivo (Alíquotas.)

Reforma anulação

Tributos indiretos: quem arcou com o ônus solicita restituição ou autoriza outro a faze-lo

Extinção

Decadência: Restituição se extingue se após 5 anos do pagamento após 5 anos, solicitando


antes dos 5 anos,

O pagamento pode ser pago através de moeda corrente, cheque ou vale postal, nos casos
previstos em lei em estampilha ou processo mecânico;

A legislação pode determinar as garantias exigidas para o pagamento por cheque ou vale
postal

Se o cheque não for liquidado o pagamento do tributo não se considera feito

Compensação

Forma de extinção de credito tributários com

Precatórios

Poder liberatório de pagamento de tributos; é um dívida do ente político com particular;

Transação existe uma negociação entre união e pessoa jurídica as quais chegam em um
consenso de tributo e encera dívida, onde ambos efetuam abertura de mão de um percentual,
negócio jurídico que necessita de lei previa;

Já a compensação existe uma montante de dívida do PJ e um montante a receber da união, no


qual abate a dívida e o montante q sobra fica pra próxima;

Remissão

Perdão da dívida, através de um despacho documentado, remissão total ou parcial de credito


tributário, condições pecuniárias, não gera direito adquirido. (Tributo+Juros+Multa) Perdão de
todos. Considerado benefício, favor ou renúncia fiscal. Pode ser de caráter geral, integral.
Causas da Remissão: Situação econômica do Contribuinte, enchentes, calamidades, erro ou
ignorância do sujeito passivo, valor reduzido do debito, equidade das características pessoais,

Anistia exclusão apenas da multa a penalidade

Decadência

Perda de direito subjetivo, perda pelo decurso de tempo, do direito da constituição tributaria,

Exceção número um 5 anos após contar a data que se der definitiva a decisão que anular o
vício normal antes efetuado,

Em regra não se interrompe ou suspende.

Prescrição

Perda do direito de cobrar, através do credito valido feito pela pessoa correta

Possui hipóteses de suspenção e interrupção

Ex. Direito de entrar com ação para cobrar credito.

Imóvel limítrofe rural e urbano recebeu notificação de IPTU e ITR, deve propor consignação em
pagamento;

Litigio Transação

Decadência desaparecimento do direito de constituir o credito tributário;

Decadencial de cinco anos a contar do primeiro dia de exercício seguinte a aquele que foi
lançado, e prescricional de cinco anos a contar da conciliação definitiva de credito tributário

Exclusão de Credito Tributário

Exclusão: Esse credito significa evitar que ele se constitua não dispensa o cumprimento das
obrigações acessórias dependentes da obrigação principal

Isenção: é a exceção feita por meio de lei a regra jurídica de tributação, estabelecendo prazos.

Atinge tributos antes a sai concessão, porem em casos de lei pode alcançar tributos após a
concessão.

Anistia perdão das infrações cometidas; não se aplica em crimes ou contravenções;

Ao aplicar isenção fiscal a revogação da mesma dependera apenas de lei, decreto não tem
poder de revogar o ato;

Decadência ocorre cinco anos a partir do primeiro dia ado exercício seguinte aquele em que o
lançamento poderia ter sido efetuado, este não é realizado;

Garantias e Privilégios

Garantias são regras que asseguram direito, facilitam a entrada do estado no patrimônio
particular para receber a prestação relativa ao tributo

Privilegio são regras que põe créditos tributários numa posição de vantagem frente aos demais
Presunção de fraude: venda ou oneração de bens e renda por sujeito passivo em débitos para
com a fazenda pública.

Créditos com privilégios especiais:

Extra concursais: IPTU e IPVA

Recuperação judicial: plano de recuperação judicial;

Indisponibilidade de bens determinada quando o contribuinte no prazo legal não pagar e não
for encontrado bens passiveis de penhora

A presunção de fraude de execução pode ser invocada pela fazenda pública quando o
executado aliena ou onera bens a partir da inscrição do debito fiscal como dívida ativa

Garantias e privilégios são extra concursais os créditos tributários decorrente de fatos


geradores ocorridos no curso do processo de falência

Penhora on line

Administração Tributaria

Confere ao estado o poder e dever de fiscalizar em termos da lei;

Na forma de lei ou convenio pode ser compartilhada cadastro de forma integrada fiscal
perante lei;

Diligencia ir até o local;

RUDF – registro de utilização de documentos fiscais

TO – Termos de Ocorrência

Mediante autoridade administrativa perante autorização escrita:

Tabeliães

Escrivães, Bancos, Casas bancarias, instituições financeiras, empresas de administração de


bens

Administração Financeira
Toda movimentação financeira superior a 2 mil reais a pessoa física e empresas acima de 6 mil
reais;

Auxilio da Força Policia: Federal, Estadual ou Municipal quando vítima de embaraço ou


desacato no exercício de suas funções

Dívida Ativa

Dívida ativa local dentro de uma repartição onde são cobrados todos os débitos e créditos.
Depois de esgotado o prazo de pagamento.

Fato Gerador Lançamento 30 dias para reclamação ou Recurso Credito exequível D.A

Termo de Inscrição de Dívida Ativa:

Nome do devedor;

Quantia devida;

Origem e natureza do credito

Data que foi inscrita

Processo administrativo

Nulidade

Quando errado Nome;

Omissão;

Presunção relativa, admite o sujeito passivo pode apresentar;

Presunção absoluta não admite prova contraria;

Certidão de Negativa

A lei poderá exigir a prova de quitação de determinado tributo, quando exigido expedição de
vista de requerimento do interessado. Sempre adquirida em 10 dias após entrada do
requerimento da solicitação;

Pode ser cobrada taxas;

Créditos não vencido, certidão positiva com efeitos de negativa;

Credito não vencido;

Credito com suspenção de exigibilidade

Servidor que emitir certidão com dolo e fraude, responde de modo administrativa, penal e civil
de reparação de dano;

Contagem do Prazo do Direito Tributário

Exclui o 1 dia nós inclui o último;

Prazo so se inicia ou termina em dia normal

Livros de registro devem ser guardados até a prescrição dos créditos tributários;
Advogados não estão obirgados a prestar as autoridades administrativas as informações de
que disponham com relação aos bens, negocioas ou atividades de terceiros, no exercício de
suas próprias funções dos advogados;

Certidão de Negativa se for expedida com dolo ou fraude que contenha erro contra a fazenda
pública, reposaniliza pessoalmente o servidor que a expedir pelo credito tributário e juros de
mora acrescidos;

Conceito de Imposto

O imposto é prestação pecuniária imposta de legalidade pelo estado de qualquer atuação com
obrigado, fato alheio de qualquer produto;

Fato gerador de riqueza;

Elemento finalístico, despesas públicas, princípio da não vinculação e não afetação

Impostos progressivos, regressivos, fixos e proporcionais são IPTU IRF e ITR

Classificação dos Impostos

Progressividade fiscal: mais se ganha mais se paga;

Sociedades Uni profissionais valor fixo n profissionais habilitados

Imposto Progressivo: IRPC, IR, ITR e IPTU

Regressivo: IR

Fixo ISS profissional e ISS Uniprofissionais;

Proporcionais: II, IE, IPI, ITR, IOF, ICMS, IPVA, ITCD, ITBI, ISS

Imposto Ordinários presente na lei e recolhidos regularmente

Impostos Extraordinário pode ser implantado de maneira temporária

ICMS é o imposto indireto, pois o contribuinte de direito recolhe o valor devido e transfere o
ônus econômico para o contribuinte de fato

Não Cumulatividade

É uma ferramenta chamada compensação de créditos (IPI e ICMS) que visa a não cobrança
dupla de imposto, apenas do excedente do valor pago na entrada da mercadoria CREDITO e
Sua saída Debito Tributário;

Imposto cobrado está no livro de entradas,

Seletividade

A seletividade é um direito tributário instituir obediência a capacidade contributiva. Onde


alguns itens tem alíquotas reduzidas comparadas com bebidas, cigarros e artigos de luxos)

Seletividade é maior utilidade menor alíquota, e mais supérfluo mais alíquota;

IPI será seletivo pela essencialidade do produto


ICMS poderá ser seletivo em função da essencialidade;

IPI cigarro 300%

IPI dos itens da Cesta Básica 0% de alíquota

ICMS por ser facultativo a energia elétrica e telefonia tem alíquotas altas de ICMS

ICMS ora segue a seletividade ora não segue

Progressividade

Porcentagem de progressão fiscal e extrafiscal.

IPTU progressivo com tempo (extrafiscal)

Fiscal fixada na base de cálculo

Característica do IPTU é a extrafiscabilidade;

A instituição de tributos com alíquotas progressivas sem ser exageradamente oneroso,


portanto, ser considerado confisco, na instituição do referido tributo, o cuidado com o
princípio da Capacidade contributiva.

Repartição da Receita Tributaria

Relação da União estados e municípios, do maior com menor;

Créditos compulsórios não podem ser recartilhados;

ICMS 25% Municípios

Imposto sem nenhuma divisão tributaria é o IE, II, IOF, ITCD.

IOF ouro não é mercadoria é reserva monetária do pais;

ICMS passadas aos municípios deverão ser distribuídas em três quartos proporcionais ao valor
adicionado nos municípios e um quarto segundo critérios da lei estadual.

Fator Gerador

Ordem cronológica que o estado se apropria do recursos para cobrança do tributo;

Fato gerador da obrigação acesoaria é qualquer situação que, na forma de legislação aplicável,

Elementos Básicos

Legalidade

Economicidade: base de cálculo e aspectos econômico do seu passivo

Causalidade

Momento de Fato Gerador

Quando situação do fato, em circunstancias materiais necessárias

Situação jurídica;
Aspectos do Fato Gerador

Pessoal;

Material;

Temporal;

Aspecto espacial.

Aspecto Subjetivo: Suj. Passivo e Ativo

Aspecto Valorizador: Base de Cálculo e Alíquota;

Fato Gerador Continuo: Cuja realização leva um período de tempo para se completar;

FG Instantâneo: inicia e se completa em um só instante. Exemplo: ICMS, IPI, II, IE

ICMS em estados diferentes considera-se o fato gerador do ICMS e Prestação de Serviços o


momento do início da prestação do serviço de transporte interestadual, no estado de
Rondônia.

Base de Calculo

Redução de base de cálculo é benefício de lei;

Alíquota

É o percentual ou valor fixo que será aplicado para cálculo do valor de um produto, podendo
ser fixa estabelecida a todos os contribuintes.

Alíquota Variável ocorre faixas de alíquotas;

ITCD Alíquota Máxima 8%

ICMS Alíquota Máxima e Mínimas

PIS CONFINS

Contribuições especiais: devem seguir ler complementar, seguir irretroatividade e


anterioridade nominal;

Conselhos: CREA-CRO-CRM

Cofins

São contribuintes as pessoas jurídicas de direito privados em geral inclusive as pessoas e as


equiparadas de pessoas jurídicas, onera em receitas brutas.

Alíquota geral é de 3% ou 7,6% na modalidade não acumulativa

Várias filiais a CONFINS fica centralizada na Matriz

Confins não Cumulativa

Optantes pelo lucro real, faturamento mensal;

Simples Nacional

É o estatuto das ME/EPP


Onde proporciona benefícios ao associativismo, créditos, previdência e Trabalhista

Dentro do Simples se paga: ISS,ICMS...

PIS

São contribuintes do pis as pessoas jurídicas de direito privado e as que lhe são equiparadas
pela legislação do imposto de renda, inclusive empresas prestadoras de serviços, empresas
públicas e sociedades de economia mista;

Parei aula 76