Você está na página 1de 2

Mandalas

 
 

A palavra mandala (substantivo masculino) é originária do sânscrito e significa


círculo. Segundo os estudiosos, os mandalas funcionam como canais de energia
que ajudam a equilibrar o organismo.  O Mandala é uma representação
geométrica da dinâmica entre o homem e o cosmos.
Sua estrutura de combinações variadas de círculos, desenhos, figuras, quadrados
e triângulos em torno de um centro simbolizam a união do plano espiritual com o
material, servindo para organizar visões religiosas do mundo, sistemas cósmicos e
simbólicos. 
Mas além das funções religiosas e místicas que cumprem no Oriente, os Mandalas
viajaram também para o Ocidente, onde lhe são reconhecidos virtudes
meditativas que  ajudam a reunir forças dispersas e a entrar em contacto com o
nosso universo interior.
Observar um mandala é uma forma de trabalhar o nosso universo interior de um
modo criativo, que nos ajuda também a reunir energias dispersas e a melhorar a
nossa concentração, induzindo ao estado de relaxamento.
Eles  prestam-se muitíssimo bem para ajudar a desbloquear ou despertar
sentimentos e sensações que encontram dificuldade em manifestar-se
exteriormente. Ajudam a deixar mágoas para trás, conseguir mais ânimo, acalmar
a mente, etc.

 
Meditação com Mandalas

TONGLEN

Tonglen é uma prática meditativa das mais antigas do budismo tibetano e largamente
ensinada pelo Dalai Lama. Podemos inseri-la em nossas práticas meditativas como um
exercício a ser feito sempre que nos sintamos audazes e corajosos.

1. Tome o tempo que for necessário para descansar sua mente, até que consiga
atingir um estado de abertura e serenidade.
2. Integre-se às texturas do ar. Inspire a sensação de calor, de peso, densidade e
escuridão e expire a sensação de frescor, luminosidade, leveza. Inspire
completamente através de todos os poros e expire igualmente - até sentir-se uno
com o movimento contração/expansão, sístole/diástole.
3. Trabalhe com uma situação pessoal - uma sensação de dor que é real é verdadeira
para você. Por exemplo, uma dor física, ou então um transtorno de ordem astral,
ou um trauma de ordem psicológica. Ao praticar para sanar uma situação de
desconforto que estamos sentindo, praticamos simultaneamente para todos que
estão nesse tipo de sofrimento.
4. Inspire toda a dor do mundo e expire toda a felicidade possível.

Se estivermos fazendo a prática por alguém que amamos, podemos estendê-la para
todos que se encontrem na mesma situação - como se estivéssemos todos no
mesmo barco com todas as pessoas. Também podemos praticar o tonglen para as
pessoas que consideramos inimigas - aquelas que nos feriram ou feriram outros.
Direcione o tonglen para elas, tendo em mente que elas têm a confusão e
estupidez que nossos amigos e nós mesmos poderíamos ter. Inspire a dor delas e
expire alívio para elas.

A prática do tonglen é considerada uma técnica meditativa das mais revolucionárias


e poderosas que existem. Através dela expandimos infinitamente a nossa
compaixão e compreendemos o que querem dizer os físicos quando afirmam que as
coisas não são tão sólidas como parecem ser. Além de que, ela nos habilita a
ajudar os outros nas mais impossíveis situações. Na situação de caos e desordem
em que se encontra a humanidade neste momento, o tonglen é uma prática
emergente.