Você está na página 1de 15

AMLC Versão 1.

39
Controlador de pesagem
Manual do Usuário
INTRODUÇÃO FUNCIONALIDADES BÁSICAS

O AMLC é um módulo para leitura de células de carga Leitura da célula de carga


projetado para o controle autônomo de sistemas de
pesagem com comunicação RS485 Modbus RTU. Leitura bidirecional de células de carga com
sensibilidade entre 1 e 3mV/V, alimentação em 5Vcc
Possui 7 modos de funcionamento selecionáveis por para até 8 células de 350Ω em paralelo.
chaves DIP no próprio módulo:
A amostragem do peso é feita numa velocidade de
 Transdutor de pesagem analógico 100 vezes por segundo com resolução de 20.000
 Transdutor de pesagem digital Modbus RTU divisões (célula de 2mV/V) ou 30.000 (3mV/V).
 Balança integradora de correia
 Balança dosadora de correia Rede de comunicação RS485 Modbus
 Ensacadeiras e Envasadoras
 Checkweigher estática e dinâmica A rede RS485 utiliza o protocolo Modbus RTU e pode
endereçar até 15 módulos AMLC.
 Controlador PID (tensionamento)
Entradas digitais e analógicas
A mudança da chave reconfigura o módulo para o
modo selecionado, dispensando o uso de menus de
As 6 entradas digitais 24Vcc (E1 a E6) tem funções
programação para o ajuste das funções.
definidas conforme o modo de operação selecionado.
O AMLC possui elevada estabilidade e precisão de
As entradas E1 a E5 podem funcionar como entradas
pesagem e foi projetado para uso em ambientes
analógicas para ler potenciômetros quando a entrada
industriais rigorosos.
E6 estiver fazendo a leitura da tensão da fonte 24V.

Saídas digitais
LIGAÇÕES DO AMLC
Existem 5 saídas PNP 24Vcc para 1A protegidas
contra curto circuito e sobrecargas, com funções
definidas pelo modo de operação selecionado.

A operação das entradas e saídas é sinalizada pelo


led amarelo E/S, que liga momentaneamente a cada
transição de estado On-Off ou Off-On de uma E/S.

Saída analógica

O AMLC possui uma saída analógica de 0 a 10Vcc


com 10.000 níveis de resolução para retransmissão do
sinal de peso ou controle da velocidade de inversores
de frequência (conforme o modo selecionado).

Leds de sinalização

Tx (vermelho): pisca a cada comunicação na


porta serial RS485.
E/S (amarelo): pisca a cada transição do estado
lógico das entradas e saídas digitais
Zero (verde): liga com peso ou tara zero.

Página 1 de 15
AM8T – Manual do Usuário

Filtro digital ajustável pelo usuário A IHM faz o upload dos registradores do data logger
do AMLC e apresenta graficamente na tela as leituras
Um filtro digital ajustável permite eliminar a influencia do peso bruto em vermelho e do peso filtrado em
das vibrações mecânicas na leitura da balança. preto. Na tela, cada divisão representa 200ms ou 20
leituras do peso e tempo do registro é de até 10s.
Alarme de sobrecarga na célula

Se o sinal da célula de carga exceder 2mV/V existe


uma sobrecarga na célula que será sinalizada pelo
piscamento simultâneo dos 3 leds e pelo bit 15.

Ajuste de Tara da balança

É possível eliminar a indicação de peso residual na


balança para que indique zero. A tara pode ser feita
remotamente pela IHM ou clp através do bit 10 e o
valor original antes da tara fica indicado no registro 5.

Data Logger incorporado


O AMLC possui a capacidade de registrar em tempo real até 1000
leituras (10s) do sinal da célula de carga, simultaneamente com a A imagem mostra 3 segundos das leituras do AMLC
leitura da saída do filtro digital e de uma entrada analógica para
potenciômetro, permitindo a posterior geração de gráficos na IHM. numa balança instalada sobre uma mesa submetida
às vibrações de um motor desbalanceado e com o
A leitura é automática e disparada por uma brusca variação no prato recoberto por uma manta de borracha macia.
peso, mas também pode ser controlada por um sinal de disparo
numa entrada digital. Este exemplo tem 3 fases:

Calibração com e sem peso de calibração 1. Nos primeiros 600ms a balança está com 500g e
mostra as oscilações (batimentos) causadas pelo
A calibração exige o zeramento da balança, através desbalanceamento do motor.
de um botão acessível pelo furo na tampa do AMLC, a
colocação de um peso de calibração na balança, a 2. Agora colocamos bruscamente um peso de 1 kg e
digitação numa ihm do valor deste peso e a finalização notamos um aumento na amplitude da vibração e
da calibração pelo acionamento do mesmo botão. a subida do peso filtrado, esta fase dura 1100ms.

A calibração também pode ser feita remotamente por uma ihm ou 3. Finalmente, colocamos suavemente um peso de
clp através dos bits 19 (botão) e 20 (leds). 2kg e observamos a subida do peso seguida pela
gradual atenuação da vibração até a estabilização.
A calibração sem peso é feita pela digitação da capacidade da
célula de carga em lugar do peso na sequência acima, a qualidade Vemos que a vibração que aparecia na fase 1
da calibração depende da precisão do sinal de saída da célula e só continua presente pois é causada pelo motor.
funciona para células com sinal de 2mV/V.
O intervalo de tempo entre cada 2 picos da oscilação
As indicações do peso e de pico permanecem em zero até ocorrer indica o período (duração) de cada ciclo, porém, para
uma primeira calibração.
melhorar a precisão desta medida podemos contar
Os 4 coeficientes de calibração ficam armazenados nos registros todos os picos do gráfico e dividi-los pelo tempo total:
5010 a 5013 e podem ser copiados para futuro download em caso
de substituição de um AMLC sem necessidade de recalibração. Vamos contar os picos nos primeiros 400ms da fase 2:
400ms / 7 picos = 57ms (17Hz) *
Operação sem comunicação Modbus
Este valor (57ms) deve ser escrito no registrador
Alguns modos de operação podem operar com ajustes por
potenciômetros, sem ihm, quando o ALMC for utilizado sem a Modbus 5000 e representa o melhor ajuste possível
comunicação Modbus (endereço 0000). do filtro desta balança, pelo critério de velocidade de
resposta versus atenuação, pois é o período da
frequência natural de vibração da balança.
AJUSTE DO FILTRO DIGITAL
Se desejarmos mais atenuação, podemos utilizar sub-harmônicas
O filtro pode ser ajustado de 20 a 5000ms, permitindo desta frequência multiplicando este valor por 2 (114ms) ou por 3
a filtragem de vibrações mecânicas a partir de 0,14Hz. (171ms) e colocá-lo no filtro, observando depois se a velocidade de
resposta ainda está aceitável, pois quanto mais atenuação provocar,
mais lento será o filtro. *
O filtro é ajustado depois da descoberta da frequência
natural de vibração da balança, através da análise do O ajuste de fábrica do filtro é de 200ms.
gráfico das vibrações em uma IHM Weintek equipada
com um software específico, ou num PC através do * Escolhemos ajustar o filtro no início da Fase 2 porque é onde
aplicativo AMLC Monitor. Ambos são fornecidos pela ocorre a menor freqüência de vibração, e porque um filtro para baixa
Tecnolog gratuitamente. frequência (57ms ou 17hz) permanece eficiente nas frequências
mais altas como as que ocorrem nas fases 1 e 3 (35ms ou 29Hz).

Página 2 de 15
AM8T – Manual do Usuário

Filtro digital ajustável


TRANSDUTOR DE PESO ANALÓGICO
O filtro pode ser ajustado para eliminar a influencia
Modo 0*: É selecionado quando todas as 8 chaves das vibrações mecânicas na leitura do peso, este
DIP estão na posição zero (desligadas). ajuste é feito na chave DIP nº 4 (Baudrate) que, para
baixo (desligada) seleciona o filtro lento (200ms) e
Neste modo, o AMLC opera como um transdutor para cima (ligada) seleciona o filtro rápido (80ms).
analógico cego, não utilizando comunicação Modbus,
o que é determinado pelo endereço 0000 (zero), ou Saída analógica 0 a 10V
seja, quando as chaves 5, 6, 7 e 8 estão desligadas. A saída analógica SA tem resolução de 10.000 níveis e, por default,
transmite o peso filtrado, na faixa de 0 a 10V (0 a 100% do sinal da
Entradas digitais / analógicas (setpoints) célula de carga 2mV/V).

A saída deve sempre ser calibrada para operação correta.


As entradas E1, E2 e E3 funcionam como entradas
analógicas com resolução de 1000 níveis para leitura Após a calibração, a saída SA vai indicar o peso já descontado da
de potenciômetros alimentados pela tensão de tara e, se for ligada a um indicador digital 0 a 10V, vai operar como
alimentação 24V do AMLC, que deve também ser o display de uma balança digital, inclusive com a função TARA.
ligada ao terminal de entrada E6 / V+. **Limitações técnicas no circuito impedem o zeramento completo da
saída SA que fica sempre com um resíduo de 10 a 20mV.
A faixa de ajuste é definida como 0 a 100% do peso
utilizado para a calibração da saída analógica SA. O ganho máximo da saída é até 500%, o que possibilita ajusta-la
para fornecer 10V com apenas 20% de sinal na célula de carga.

Por exemplo, se a calibração foi feita com um peso de Calibração da saída analógica SA
3Kgf a faixa de ajuste dos potenciômetros é 0 a 100%
deste valor, ou seja, 0 a 1000 equivale a 0 a 3Kgf. A calibração dos ajustes de zero e do ganho (span) é
fundamental para o funcionamento correto do AMLC.
O valor ajustado nas 3 entradas define o ajuste do
setpoint das 3 saídas de controle (S1, S2 e S3) Este procedimento exige um peso de calibração e a
ligação de um multímetro de boa precisão e pelo
menos 6000 contagens (FLUKE 175 ou equivalente)
entre a saída analógica SA (+) e o 0V (-) da fonte.

Para fazer o ajuste do zero** e eliminar o peso morto


(tara) da balança, é necessário pressionar por 5
segundos o botão existente no AMLC acessível pelo
pequeno furo na letra O do logo TECNOLOG (use um
clipe como ferramenta).

Neste momento, o AMLC zera a saída analógica


independentemente do peso existente sobre a balança
e pisca os 3 leds em sequência, indicando que
aguarda a informação do peso de calibração.

Agora, devemos colocar o peso sobre a balança e


E4: TARA - Zeramento para eliminação do peso da ajustar a saída analógica através do acionamento
estrutura. momentâneo das entradas E4 (desce) ou E5 (sobe)
E5: LIMPA TARA - Remove a TARA existente. até o multímetro indicar a leitura desejada do peso.

Durante a calibração as entradas E4 (desce) e E5 *Por exemplo, se o peso for 3kgf devemos ajustar a
(sobe) são utilizadas para ajustar a saída analógica. saída para que o multímetro indique 3000mV.

Saídas digitais de controle Uma vez atingido o valor desejado, devemos encerrar
a calibração pressionando 3 vezes o botão. Os leds
As saídas S1, S2 e S3 são alarmes de ultrapassagem vão piscar 3 vezes indicando o fim da calibração.
dos setpoints ajustados nas entradas analógicas pelos Atenção: A calibração deve considerar se a faixa de indicação de
potenciômetros E1, E2 e E3, ligados em conjunto com peso desejada é compatível com a capacidade útil da célula de
a entrada E6(V+) para leitura da tensão da fonte 24V. carga utilizada.

S4: Balança sem peso (zero) ou com tara zero. *No exemplo acima, a célula utilizada poderia ser de 5,10 ou 20kgf,
mas com a célula de 5kgf a leitura ficaria limitada a 5,000V, pois
S5: Sobrecarga na célula de carga de 2mV/V (10mV). acima disto já estaria em sobrecarga, já com uma célula de 10kgf
poderíamos usar toda a capacidade da mesma, onde 10,000V
indicariam 10,000kgf. Mas, se a célula utilizada fosse de 20kgf
teríamos uma folga de 10kgf, o que nos permitiria usar uma tara de
10kgf e ainda ter leituras de até 10kgf com resolução de 1g.

Página 3 de 15
AM8T – Manual do Usuário

TRANSDUTOR DE PESAGEM MODBUS Memória de carga máxima (peak hold)


Memoriza no registrador Modbus 4 o máximo valor atingido pela
Modo 0: É selecionado pelas 3 primeiras chaves na célula de carga. Esta leitura é feita na velocidade de 100 leituras por
posição zero (desligadas). É diferente do modo 0* segundo, sem filtragem, e pode ser zerada pelo acionamento da
porque utiliza a comunicação serial, e assim precisa entrada E3.
dos ajustes da velocidade e do endereço na rede.
Data Logger incorporado
É o modo básico de operação do AMLC e todas as O AMLC possui a capacidade de registrar em tempo real (100l/s)
suas principais funções permanecem ativas nos até 1000 leituras (10s) do sinal da célula de carga, sincronizado com
demais modos de operação, tais como o filtro a leitura da saída do filtro digital e de um potenciômetro ligado na
entrada E5.
digital, os registradores de peso, tara e calibração,
seus respectivos bits e o Data Logger. Esta função permite a posterior geração numa IHM ou PC do gráfico
Força x Deformação de ensaios com até 10 segundos de duração.
A leitura do peso será feita no registrador 2 por uma
A leitura é automática e disparada por uma brusca variação (5%) no
IHM ou CLP através da interface RS485 Modbus RTU. peso, mas pode também ser controlada pela entrada digital E4.

O desempenho do transdutor como balança depende A quantidade de leituras é ajustada entre 0 a 1000 nos registradores
muito do ajuste do filtro digital, veja detalhes em 997 (disparo pela entrada E4) e 998 (disparo pelo 5%) e a coleta
pode ser acompanhada em tempo real no registrador 999 (contador
“Ajuste do filtro digital” (pag. 2).
de amostras).

Entradas digitais (registrador Modbus 11) As leituras ficam armazenadas nos registradores:

1000 a 1999 – peso bruto


E1: TARA – Zeramento da balança
2000 a 2999 – peso filtrado
E2: LIMPA TARA - Remove a TARA existente 3000 a 3999 – leitura do potenciômetro E5
E3: LIMPA PICO – Zera o registro de peso máximo
E4: TRIGGER - Controla o disparo do data logger. Calibração inicial da balança
E5: ENTRADA DIGITAL livre (bit 4), ou quando habilitada
pelo registrador 5008 e entrada E6, entrada analógica para Uma calibração é necessária para a correta indicação
POTENCIÔMETRO. Permite a leitura de potenciômetros
com resolução de 0 a 1000 no registrador Modbus 17.
do peso, este procedimento exige comunicação com
E6: ENTRADA livre (bit 23) e tensão da fonte (V+) uma IHM, um peso de calibração e uma espera de
pelo menos 15 minutos após a energização para
As 6 entradas digitais podem ser lidas numa IHM ou CLP aquecimento e estabilização dos circuitos do AMLC.
endereçadas como uma palavra no registrador Modbus 11 ou como
bits individuais nos endereços 0, 1, 2, 3, 4 e 23. O procedimento se inicia com o ajuste do zero da
Tara e Limpa tara também podem ser feitas pelos bits 10 e 11.
balança e para tanto é necessário pressionar por 5
Saídas digitais de controle (registrador Modbus 10) segundos o botão oculto, acessível pelo furo na letra
O do logo TECNOLOG (use um clipe como
S1, S2 e S3 são saídas de alarme controladas pelos ferramenta) ou, ligar via serial o bit 19 por 5 segundos.
setpoints ajustados nos registradores 5002, 5003 e Neste momento, o AMLC zera o registrador 2 (peso)
5004 com histerese ajustada nos registradores 5005, independentemente do peso antes existente, liga o bit
5006 e 5007. 20 e pisca os 3 leds em sequência, indicando que
aguarda a informação do peso de calibração.
Podem ser utilizadas como saídas digitais de uma IHM
ou CLP controladas pelos bits Modbus 5, 6 e 7, se o Devemos então colocar o peso de calibração sobre a
valor dos respectivos setpoints estiver zerado. balança e escrever no registro 5001 a leitura desejada
para este peso, que não pode ultrapassar 32768
S4: Balança sem peso (zero) ou com tara zero (bit 14) unidades. Neste momento, o registrador 2 passa a
S5: Sobrecarga na célula de carga de 2mV/V (10mV) indicar o mesmo valor do peso de calibração e a
As saídas digitais podem ser controladas por uma IHM ou CLP
calibração pode ser encerrada, pressionando 3 vezes
endereçadas como palavra no registrador Modbus 10 ou como bits o botão ou o bit 19. O AMLC vai confirmar, piscando
individuais nos endereços 5, 6, 7, 8 e 9. os leds 3 vezes e desligando o bit 20.

Saída analógica 0 a 10V (registrador Modbus 12) A faixa máxima de indicação de peso nos registradores 0, 1 e 2 é
+- 32768 unidades no formato de número inteiro com sinal (signed
integer), sem ponto decimal e sem unidade de engenharia que, se
A saída analógica SA tem resolução de 10.000 níveis necessários, podem ser colocados na indicação da ihm ou do clp.
e, por default, transmite o valor do peso filtrado, na
faixa fixa de 0 a 10V (0 a 100% do sinal da célula de A resolução da indicação do peso é determinada pela escolha do
número de dígitos do peso de calibração, onde no exemplo de uma
carga de 2mV/V), assim, se uma tara for feita com
célula de 20kg e peso de calibração de 1kg, podemos escrever no
20% do peso máximo da célula, a saída SA fica registrador 5001 os valores 100, 1000 ou 10000 e no display da ihm
limitada de 0 a 8V. indica-los respectivamente como 1,00kg, 1000g ou 1000,0g.
Se desejarmos que a saída SA transmita linearmente o valor do A resolução máxima é sempre 20.000 divisões da célula de carga.
peso calibrado devemos calibrá-la com um multímetro, conforme
descrito no modo 0* anterior. Podemos fazer também uma calibração sem peso, escrevendo no
registrador 5009 a capacidade da célula de carga utilizada.

Página 4 de 15
AM8T – Manual do Usuário

Totalizadores com pré-determinadores


BALANÇA INTEGRADORA DE CORREIA
São registradores de 32 bits que indicam o peso totalizado:
Modo 1: É selecionado pelas 3 primeiras chaves na
101/100: Totalizador parcial (para zerar, escrever 0 ou ligar E5)
posição 001 e precisa dos ajustes da velocidade e do 103/102: Totalizador de vazão perpétuo (para zerar, consultar)
endereço da comunicação Modbus.
O registro 5101/5102 é o preset do totalizador de vazão 101/100.
Desenho de uma balança integradora de correia Este valor, se diferente de zero, faz a saída S3 pulsar ao atingir o
preset e zerar o totalizador para iniciar uma nova carga (batelada).

O contador de bateladas 105 indica a quantidades de pulsos de S3


e, ao atingir o preset 5103, pulsa a saída S4 e volta a zero.

Calibração de zero e span da balança integradora


A célula de carga deve estar montada no cavalete de medição, a
esteira deve estar vazia e em movimento e a entrada E2
(habilitação) deve estar ligada.

A comporta do silo alimentador deve estar toda aberta e a esteira na


velocidade máxima para garantir que a calibração seja feita na
vazão máxima da balança.

A calibração inicia pelo ajuste do zero da esteira que ocorre ao se


pressionar por 5 segundos o botão acessível pelo pequeno furo na
letra O do logo TECNOLOG (use um clipe como ferramenta) ou
remotamente pelo bit 19.
A balança integradora totaliza a quantidade de material que passa
pela esteira e mede também a vazão instantânea do material por Neste momento, o AMLC liga os bits 20 e 24 e pisca os 3 leds em
unidade de tempo, normalmente em kg/hora ou t/hora. sequência rápida, indicando que está fazendo o cálculo do zero
médio da esteira durante o tempo programado no registro 5106.
O AMLC pode operar com balanças integradoras com ou sem
sensor de velocidade, mas com sensor são mais precisas pois ficam Este tempo deve ser igual ou um múltiplo de uma volta completa
insensíveis às variações na velocidade da esteira. da esteira para permitir que toda ela seja pesada e o seu peso
médio encontrado, pode ser ajustado entre 2 a 240s (default 2s).
O sensor de velocidade é ligado na entrada E4 e, no caso sem
sensor, a saída S1 deve ser ligada na entrada E4 para gerar os Após o tempo ajustado no 5106 o bit 24 desliga e os leds passam a
pulsos em lugar do sensor de velocidade. piscar na sequëncia lenta indicando que o zero já foi calculado e
Recomendamos que o sensor produza um pulso a cada 2mm (no que aguarda a passagem pela esteira do peso de calibração*, que
máximo a cada 50mm) de esteira. será uma quantidade de produto previamente conhecida pelo
usuário, ou obtida posteriormente pela pesagem de uma caçamba
A cada pulso na entrada E4 o peso existente sobre o cavalete de ou caminhão.
pesagem naquele momento é somado ao acumulador dos
totalizadores de vazão (integradores). Após a passagem de todo este produto e com a esteira novamente
vazia (e até mesmo parada), este peso de calibração* deve ser
Entradas digitais e analógicas escrito no registrador Modbus 5100 do AMLC e logo depois o botão
zero deve ser pressionado 3 vezes. Imediatamente os leds vão
E1: TARA - Zeramento da balança* piscar 3 vezes confirmando o término da calibração e o bit 20 será
E2: HABILITAÇÃO - Habilita a integração do peso. desligado.
E3: LIMPA TARA - Elimina a TARA existente.
E4: SENSOR VELOCIDADE - Lê pulsos entre 2 a 200Hz Durante a calibração o AMLC soma o peso bruto filtrado (registro 1)
E5: LIMPA TOTALIZADOR – Zera totalizador parcial lido a cada pulso em E4. Ao fim da calibração este valor total bruto é
E6: ENTRADA livre (bit 23) e tensão da fonte (V+) convertido para o valor indicado pelo usuário no registrador 5100.

*Um pulso na entrada E1 ou no bit 25 inicia um novo cálculo do *O peso de calibração define a unidade e a resolução utilizada
zero médio, conforme o tempo ajustado em 5106, para eliminar para a indicação no totalizador de vazão (g ou kg).
erros decorrentes do acúmulo de material sobre a esteira. Exemplos: Se calibrada em g, o totalizador indicará em g também.
Este ajuste não afeta a calibração pois apenas corrige o offset do Se calibrada em 0,00kg vai totalizar em 0,00kg.
zero da esteira integradora sem modificar o ajuste de ganho (span).
*O valor deste peso deve ser escolhido entre 0 e 32768 unidades.
Saídas digitais e analógicas
Registrador da vazão instantânea (kg/h ou t/h)
S1: PULSOS 100Hz. Gerador de pulsos para E4
S2: Pulsa a cada XXXX unidades de peso em 5105* O registrador 104 indica a vazão horária conforme a unidade
S3: Pulsa 0,5s ao atingir preset do totalizador parcial definida na calibração dividida por 100, ou seja, indica em 0,0kg/h
S4: Pulsa 0,5s ao atingir preset de bateladas se for calibrada em g, ou em 0,0t/h se calibrada em kg.
S5: Sem função, disponível para o usuário (bit 9)
SA: 0 a 10V - Valor do peso conforme calibrado no modo 0* Exemplo: Se temos 1000g sobre o cavalete de pesagem durante 1
minuto, a vazão horaria é 1000g x 60min = 60000g/h que no registro
* Se o registrador 5105 foi ajustado como 1000 kg, cada pulso na 104 é dividida por 100 resultando como 600 ou seja 60,0kg/h.
saída S2 representa 1000 kg integrados pela esteira.
A vazão é filtrada no tempo ajustado no registro 5107 (default 2 s).
Ajuste do filtro digital
Velocidade da esteira em mm/s
Recomendamos deixar o filtro do peso no ajuste de fabrica (200ms).
Ver na página 2 detalhes sobre este ajuste. O registrador 106 mostra a velocidade da esteira calculada através
da relação mm/pulso do sensor de velocidade indicada em 5104.

Página 5 de 15
AM8T – Manual do Usuário
Totalizadores com pré-determinadores
BALANÇA DOSADORA DE CORREIA São registradores de 32 bits que indicam o peso totalizado:

Modo 2: É selecionado pelas 3 primeiras chaves na 101/100: Totalizador de vazão parcial (para zerar, escrever 0).
posição 010 e precisa dos ajustes da velocidade e do 103/102: Totalizador de vazão perpétuo (para zerar, consultar)
endereço da comunicação Modbus.
O registrador 5101/5102 é o preset do totalizador da vazão 101/100.
Este valor, se diferente de zero, pulsa a saída S3 ao atingir o preset,
Todas as características e ajustes do modo anterior, e zera o totalizador para iniciar uma nova carga (batelada).
Modo 1: Balança integradora de correia continuam
válidos, inclusive o método de calibração (página 5), O contador de bateladas 105 indica a quantidades de pulsos de S3
que será feita na máxima vazão e na máxima e, ao atingir seu preset 5103, pulsa a saída S4 e volta a zero.
velocidade do inversor de frequência (10V = 60Hz).
Registradores da vazão (kg/h ou t/h)
Desenho típico de balança dosadora de correia
Após a calibração (em g ou kg) o registrador 5203 mostra a vazão
máxima resultante da calibração e o registrador 104 indica a vazão
instantânea, ambas divididas por 100, ou seja, respectivamente
em 0,0kg/h ou 0,0t/h.

O registrador 104 mostra a vazão instantânea filtrada pelo tempo


ajustado no registro 5107 (default 2 s). Este valor (tempo) pode ser
modificado a qualquer momento para atenuar as oscilações na
indicação da vazão, mas não podemos esquecer que isto também
vai influenciar a velocidade de resposta do controle PI.

Saída analógica SA (registrador 12)

O controlador PI controla o valor da saída analógica SA de 0 a 10V,


ou seja, 0 a 100% da velocidade do inversor de freqüência.

Durante a calibração da vazão (pág. 5) a saida analógica SA é


automaticamente fixada pelo AMLC em 10V (60hz no inversor).

A saída analógica SA poderá ser comandada em controle manual


Esta balança é basicamente uma integradora de entre 0 a 10000 no registrador 12 quando a entrada E5 ou o bit 26
correia, mas agora equipada com um motor com estiverem ligados e a entrada E6 desligada.
inversor de freqüência para controlar a velocidade da O desligamento da E5 ou bit 26 faz o comando da saída SA ser
transferido de forma suave para o controlador PI (bumpless).
correia e assim controlar a vazão do material.
Um controlador tipo PI ajusta a saída analógica SA para controlar Ajustes do Controlador PI
a velocidade do motor e manter a vazão instantânea do material no
O ajuste (setpoint) da vazão da correia é feito através da ihm no
setpoint desejado.
registrador Modbus 5200 ou pelo potenciômetro E5, quando este
estiver habilitado pelas entradas E3 e E6.
O AMLC opera com ou sem sensor de velocidade da correia.
O sensor é lido pela entrada E4 que pode receber pulsos até a A faixa de ajuste do potenciômetro é de 0 a 100% da vazão
freqüência de 200Hz. Recomendamos que o sensor produza um máxima indicada pelo registrador 5203.
pulso a cada 2mm (no máximo 50mm) de esteira.
O valor do setpoint (5200) é comparado com o valor da vazão
No caso sem sensor, devemos interligar a entrada E4 com a instantânea (registrador 104) para calcular o erro, que será
saída S1, que vai gerar pulsos na frequência de 0 até 100Hz, multiplicado pelos ganhos PB e Ti para determinar o valor das
proporcionais ao valor fornecido pela saída analógica 0-10V. ações proporcional e integral que somadas pelo controlador PI
controlam a saída analógica SA entre 0 e 100%.
Entradas digitais
Os ajustes de fabrica dos ganhos do controlador são BP = 20000
E1: Tara – Zeramento da balança (200,00%) e Ti = 10 (0,10 minutos), valores que normalmente
funcionam com qualquer balança, mas que, se for necessário,
E2: Habilitação do modo Dosadora e das saídas podem ser modificados. *
E3: Setpoint pelo potenciômetro/Remoto p/IHM
E4: Sensor de velocidade - Lê pulsos até 200Hz O ajuste do ganho proporcional BP é feito no registrador 5201 e do
E5: Controle manual da SA / Potenciômetro ganho da ação integral Ti no registrador 5202.
E6: Habilita o potenciômetro em E5 (Tensão V+) O ganho proporcional utiliza o formato banda proporcional BP, que
é o erro necessário para levar a saída do controlador a 100%. Ou
Saídas digitais seja, se BP é 5,0% um erro de 5% já coloca a saída em 100%.
* Atenção: Aumento no valor de BP diminui a ação proporcional.
S1: PULSOS 100Hz. Gerador de pulsos para E4
S2: Pulsa a cada XXXX unidades de peso em 5105* O ganho integral Ti é expresso em minutos x100, que é tempo
necessário para a ação integral igualar o valor do ganho
S3: Pulsa ao atingir preset de peso no totalizador proporcional, assim se Ti for 1,00 minuto, a ação integral cresce a
S4: Pulsa ao atingir preset de bateladas cada minuto, com incrementos iguais ao valor da ação proporcional.
S5: Sem função, disponível para o usuário (bit 9) * Atenção: Aumento no valor de Ti diminui a ação integral.

* Se o registrador 5105 foi ajustado como 1000 e a vazão foi Reduções nos valores de BP e Ti aumentam os ganhos e a
calibrada em Kgf, cada pulso recebido por um contador digital ligado velocidade de resposta, mas podem deixar o sistema instável.
na saída S2 representa 1.000 kgf integrados pela esteira.

Página 6 de 15
AM8T – Manual do Usuário

ENSACADORAS / ENVASADORAS Auto ajuste do peso desejado

A habilitação do auto ajuste ocorre com a colocação


Modo 3: É selecionado pelas 3 primeiras chaves na de um valor diferente de zero no registrador 300 (peso
posição 011 e precisa dos ajustes da velocidade e do desejado), que somente deve ser feita, após já terem
endereço na rede RS485 para comunicação Modbus. sido feitos todos os ajustes dos cortes para
O desempenho das ensacadoras depende muito da filtragem, veja operação normal da ensacadora.
detalhes em “Ajuste do filtro digital” na página 2.
O auto ajuste é feito ao fim da temporização T2 ou na
Calibração: É feita através do botão oculto, ou do bit 19, conforme
descrito na página 4 (modo 0), não precisa trocar de modo.
ligação do bit de estabilização 16 e consiste em
comparar o resultado da pesagem (registrador 304),
Programas dentro do modo Ensacadoras com o peso desejado (registrador 300) e assim
calcular o erro ocorrido a cada pesagem.
Existem 5 opções de programas, cada um ativado Quando a média do erro das 3 últimas pesagens
pelo seu respectivo temporizador: ultrapassar 1 contagem (resolução da balança), esta
diferença (registrador 305) será subtraída (se +) ou
T1 - BALANÇA GERAL (básico utilizado em todos os programas) somada (se -) ao valor dos cortes nas próximas
T3 - ENSACADORAS COM PESAGEM NO SACO pesagens.
T4 - ENSACADORA COM PRÉ-PESAGEM
T7 - BALANÇA DE FLUXO POR BATELADAS O auto ajuste pode ser reinicializado (ressetado) a qualquer
momento pela escrita do valor zero no registrador 305.
T8 - ENVASADORAS ROTATIVAS

A lógica da Balança Geral é controlada pelos Pré-ajuste do Auto Ajuste


temporizadores T1, T2 e T9 e todas suas funções são No início da operação após uma energização, ou após uma
utilizadas nos outros 4 programas. modificação nos valores dos cortes ou do peso desejado (300), a
primeira pesagem sempre será utilizada para pré-ajustar o auto
Os temporizadores T3, T4, T7 e T8 não podem ser ajuste e assim acertar o peso desejado já na primeira pesagem.
ativados simultaneamente, para evitar conflitos. Esta pesagem será dividida em 2 etapas, onde na primeira será
carregado 50% do valor desejado (300) para descobrir a quantidade
Os temporizadores são ajustáveis entre 0 a 300,00s de material em voo (306) existente após o fechamento da última
(0 a 30000) e todos saem ajustados de fábrica como 0 válvula e utilizar este valor para calcular o auto ajuste (305).
Logo após, a pesagem reinicia para completar a segunda etapa já
(desabilitados). com a correção do auto ajuste efetuada, garantindo que o erro seja
muito reduzido.
LÒGICA DA BALANÇA GERAL
Esta operação acontece apenas na primeira pesagem e nas
A pesagem começa pela temporização T1 que faz subsequentes a correção é feita pela média das 3 ultimas pesagens.
uma tara para eliminar o peso residual e liga as
O pré-ajuste fica desativado ao se escrever zero no registro 5327.
saídas de corte grosso S1 e corte fino S2, abrindo
válvulas ou ligando o inversor de freqüência da rosca Correção do peso por pulsos de dosagem
alimentadora, iniciando o carregamento da balança.
No ensaque de produtos com problemas de fluência
Quando o peso atinge o primeiro corte, desliga a saída ou em situações onde o último corte não mantém
S1 e, ao atingir o peso do segundo corte, desliga a repetibilidade, o algoritmo do auto ajuste pode não
saída S2. funcionar corretamente, nestes casos o AMLC pode
ser programado para gerar pulsos na válvula ou no
O temporizador T9 pode estabelecer um tempo mínimo entre os
cortes para evitar que uma oscilação do peso no corte grosso se
inversor para fazer pequenas dosagens adicionais e
sobreponha ao corte fino. assim completar o peso da embalagem.

Balanças com inversor de frequência podem ter até 3 cortes, Esta função é ativada pela colocação de um valor no
controlados pela ligação em código binário das saídas S1 e S2 ou registro do peso desejado (300) e um valor na
pela saída analógica 0-10V, com as velocidades ajustadas de 0 a temporização T11 (registro 5326) que estabelece a
100% nos registradores 5310, 5311 e 5312, neste caso as saídas
duração do pulso de correção.
S1 e S2 devem ficar desconectadas.
Os pulsos ocorrerão após o final do último corte e só
Após o desligamento das saídas (fim dos cortes), liga cessarão após o peso ficar acima do desejado (300).
o bit 27 e aguarda a temporização T2 para registrar o
valor desta pesagem no registrador 304 (última A operação com pulsos de correção garante que
pesagem), e depois, se estiver habilitado, fazer o auto nenhum ensaque fique abaixo do peso desejado.
ajuste do peso.
Os pulsos de correção não afetam o algoritmo do auto ajuste e o bit
Se T2=0 (inativo) esta etapa será ativada pela ligação do bit 16 27 (fim da pesagem) e o registro 304 (ultima pesagem) só são
(estabilização), que liga quando a variação de peso for menor ou atualizados após o final do último pulso.
igual a uma divisão a cada 200ms, ou seja, quando o material em
voo terminou de cair e o filtro já estabilizou a leitura do peso. É importante monitorar o alarme de falta de material (bit 13) para
evitar que a máquina fique pulsando indefinidamente.

Página 7 de 15
AM8T – Manual do Usuário

Entradas digitais (conforme o programa utilizado): Contador de produção com pré-determinador

E1: Livre / Prende-saco (botão com retenção) O registrador 301 armazena a quantidade de
E2: CANCELA(desliga as saídas e reinicia o ciclo) pesagens feitas pela balança, para reinicia-lo, basta
E3: INÌCIO - Inicia a pesagem escrever zero no registrador.
E4: Bloqueia descarga/Potenciômetro Corte grosso
E5: Desliga saída S4 / Potenciômetro Corte fino Ao atingir o valor ajustado no pré-determinador 5308
E6: Livre (bit 23) / Leitura da tensão da fonte 24V liga o bit 12 e interrompe a pesagem automática. Se
ligado E3 reinicia a pesagem.
Saídas digitais (conforme o programa utilizado):
Totalizador das pesagens
S1: Corte 1 grosso
S2: Corte 2 fino A cada nova pesagem, o valor do registrador da última
S3: Livre / Prende o saco / checkweigher pesagem (304) é somado ao totalizador geral
S4: Livre / Saída multifuncional programável (registradores 303/302).
S5: Livre / Aciona tombador / Abre caçamba Para reiniciar o totalizador, basta escrever zero nos
registradores.
Funcionamento das saídas digitais nos cortes
Bits de monitoramento e alarme
Os pesos dos cortes são ajustados pela comunicação
serial nos registradores 5300, 5301 e 5302. O bit 13 (alarme de falta de material) liga se 2s após o
início da pesagem não ocorrer aumento no peso.
Registrador com valor zero indica que aquele corte não existe.

Balança de 1 corte: 5300 = Corte 1, 5301 = 0, 5302 = 0 O bit 14 (balança vazia) liga quando a balança está
com peso zero.
Ao iniciar a pesagem, a saída S1 liga e ao atingir o corte 1, desliga.
Saídas multi-funçionais programáveis
Balança de 2 cortes: 5300 = Corte 1, 5301 = Corte 2, 5302 = 0

No inicio S1 e S2 ligam, quando o peso atinge o corte grosso S1 A saída S4 pode ser utilizada em todos os programas
desliga e, depois, ao atingir o corte 2, S2 desliga também. com uma das 3 opções abaixo, habilitadas pelos
respectivos registradores (evitar conflitos).
Balança com inversor em multi-speed e até 3 cortes: 1, 2 e 3

As saídas S1 e S2 devem acionar 2 entradas multi-speed do 1- Final do ensaque ou controle da alimentação (T5)
inversor e no início ambas são ligadas. Quando o peso atinge o
primeiro corte S1 desliga, depois, no segundo corte, S2 desliga Após o fechamento da última válvula (corte), e ao fim
também. Se ajustada para 3 cortes, S1 é religada acionando a da temporização T6 (se existir), liga a saída S4 que
velocidade 1 e ao atingir o terceiro corte a saída S1 é desligada.
permanece ligada durante o tempo T5, ou até ser
5300 = Corte 1: S1+S2 velocidade alta (velocidade 3 em binário) desligada pela entrada E5.
5301 = Corte 2: S2 velocidade 2
5302 = Corte 3: S1 velocidade 1 2- Checkweigher (5319 e 5320) ou erro no envase (5325)

Entradas analógicas para setpoints dos cortes Após o tempo de estabilização T2, verifica se a última
pesagem (304) ficou dentro dos limites aceitáveis
Em ensacadoras operadas sem IHM, ou seja, sem comunicação estabelecidos por 5319 e 5320, caso contrário, liga a
Modbus (endereço 0000), os setpoints das saídas S1 e S2 são
fornecidos por potenciômetros com resolução de 1000 níveis ligados saída S4 (ou S3*) que permanece ligada até ser
nas entradas E4 e E5 e E6(V+), todos alimentados em 24Vcc. desligada por uma nova pesagem.
A faixa de ajuste é 0 a 100% do peso de calibração Se T10 (5325) e T8 estiverem ativados a saída S3 liga
se ocorrer um erro no envase (ver página 10).
Saída analógica 0 a 10V (registrador Modbus 12)
*Excepcionalmente, nas balanças de fluxo (T7) e envasadoras (T8),
Pode ser utilizada para o controle da velocidade de a saída da checkweigher passa a ser a saída S3. Liberando a saída
inversores de frequência ou de calhas vibratórias com S4 para operação nas opções 1 (reversão) ou 3 (sobrecarga).
até 3 velocidades decrescentes ativadas de acordo
com os ajustes nos registradores dos cortes: 3- Alarme de sobrecarga (5321)

5310 = velocidade alta, reduz ao atingir o corte 1 grosso (5300) Se for colocado um valor no registrador 5321, a célula
5311 = velocidade 2, desliga ou reduz ao atingir o corte 2 (5301) de carga será monitorada para detectar sobrecargas,
5312 = velocidade 3, desliga ao atingir o corte 3 (5302)
5313 = vibração stand-by com máquina parada (se necessária)
e quando este valor for ultrapassado, será acionado o
alarme de sobrecarga na saída S4. A saída só
Se os setpoints 5310 até 5313 estiverem zerados, a desliga quando a sobrecarga for eliminada.
saída analógica poderá ser controlada remotamente
Obs: Por ser ajustável este alarme é diferente do alarme de
através do registrador 12. sobrecarga do bit 15 que está fixado em 100% da célula de 2mV/V.

Página 8 de 15
AM8T – Manual do Usuário

ENSACADORAS COM PESAGEM NO SACO ENSACADORA COM PRÉ-PESAGEM


Este programa é habilitado pelo uso da temporização T3 e Este programa é habilitado pelo uso da temporização T3 e T4 e
utiliza a lógica da balança geral já descrita na página 7. utiliza a lógica da balança geral já descrita na página 7.

Desenho típico Ensacadora com pesagem no saco Desenho típico de Ensacadora com pré-pesagem

Lógica da Ensacadora com pesagem no saco: Lógica da Ensacadora com pré-pesagem:


O operador coloca o saco no bocal de enchimento e O operador coloca o saco no bocal de enchimento,
aperta um botão (E3) ou liga o bit 21, que aciona a aciona o botão E3 (ensaca) ou bit 21, que liga a saída
saída S3 para prender o saco, que liga o led E/S e S3 (prende saco), que liga o led E/S e pode optar
inicia a seqüencia de pesagem da balança geral. ainda por acionar a entrada E1 (retém o saco).
Após o fim da pesagem, liga o bit 27, testa se a Aguarda o término do enchimento da balança*, ou se
entrada E4 está desligada (libera descarga), desliga o já estiver cheia, verifica se a entrada E4 está
led E/S e a saída S3, liberando o saco. desligada (libera descarga) para então acionar a saída
Neste ponto a saída multifuncional S4 pode ser ativada. S5, abrindo a comporta durante o tempo T3 para
liberar o material no funil de ensacamento.
A seguir, liga a saída S5 durante o tempo T3 para
expulsar o saco (tombador) e termina o processo com Após o tempo T3, se confirmado o esvaziamento
o desligamento de S5. total** da caçamba, desliga a saída S5 para fechar a
comporta e iniciar uma nova pesagem, conforme a
Inicia uma nova pesagem se E3 permanecer ligada. balança geral, iniciando também a temporização T4
para aguardar o material escorrer do funil para o saco.
A ligação da entrada E2 ou do bit 22 interrompe o ciclo
** Material retido na caçamba acima do limite 5314, impede o
atual e desliga todas as saídas, e quando desligados, fechamento da comporta e liga o alarme de material retido bit 17.
permitem uma nova pesagem. O operador deve fazer uma tara ou limpar a caçamba para fechar.
Esta função fica desabilitada se 5314 for igual a zero (default).

Ao fim da temporização T4, a saída S3 é desligada


para soltar o saco. Porém, se a entrada E1 ainda
estiver acionada, só vai liberar o saco quando E1 for
desligada. Entrada E3 ligada inicia nova pesagem.

A ligação da entrada E2 ou bit 22 interrompe o ciclo


atual, que será imediatamente reiniciado se E3 = 1.

*Neste ponto a saída multifuncional S4 pode ser ativada.

Página 9 de 15
AM8T – Manual do Usuário

BALANÇA DE FLUXO POR BATELADAS ENVASADORAS ROTATIVAS


Este programa é habilitado pelo uso da temporização T7 e Este programa é habilitado pelo uso da temporização T8 e
utiliza a lógica da balança geral já descrita na página 7. utiliza a lógica da balança geral já descrita na página 7.

Desenho típico de Balança de fluxo por bateladas Desenho típico de uma envasadora rotativa

Entradas digitais: Saídas digitais:

E1: Livre S1: Corte 1 - grosso


E2: Cancela ciclo S2: Corte 2 - fino
E3: Inicia a pesagem S3: Checkweigher (ver pag. 8)
E4: Livre S4: Multifuncional (ver pag. 8)
E5: Desliga a saída S4 S5: Fim do envase
E6: 5º bit do endereço*
Lógica da Balança de fluxo:
Lógica da Envasadora
O operador liga E3 ou bit 21, dando início a pesagem
O processo de enchimento inicia com a colocação do
pela abertura das válvulas de corte da balança geral.
A realização de uma tara a cada pesagem é opcional (ver ajustes de frasco na plataforma de envase onde aguarda o
T1 na balança geral). acionamento da entrada E3 ou do bit 21, para ligar o
led E/S e iniciar o ciclo de envase com a lógica da
Quando a balança atinge o valor programado fecha balança geral já descrita anteriormente.
as válvulas* e liga o bit 27, depois aguarda o tempo de
estabilização T2 para então testar se a entrada E4 Após o fechamento da válvula de corte fino, liga bit 27,
está desligada (libera descarga) e então ligar S5 e T7 aguarda o tempo de estabilização T2, faz o auto
para abrir a comporta e liberar o material pesado (E4 ajuste (se habilitado) e desliga o led E/S.
ligada bloqueia a descarga).
Neste momento as saídas S3 ou S4 podem ser ativadas.
* Neste ponto a saídas multifuncionais S3 e S4 podem ser ativadas.
Liga a saída S5 durante o tempo T8, sinalizando o fim
Após o tempo T7, ou quando a caçamba esvaziar do envase).
(peso abaixo do limite de material retido 5314), desliga
S5 para fechar a comporta. E3 determina o início de um novo ciclo de pesagem.
Uma nova pesagem ocorrerá enquanto E3 permanecer ligada, ou
até atingir o valor do pré-determinador de pesagens / bateladas. A ligação da entrada E2 ou do bit 22 interrompe o ciclo
A ligação da entrada E2 ou do bit 22 interrompe o ciclo e desliga atual e desliga todas as saídas, e quando desligados
todas as saídas, e quando desligados permitem nova pesagem. permitem uma nova pesagem.

Pré-determinador de bateladas O processo de dosagem pode ser monitorado para identificar falhas
como garrafa quebrada ou ausente e também falta de produto.
O registro T10 (5325) estabelece o tempo máximo de envase para
Se o registrador 5315/5316 para ajuste do preset de peso total interromper o ciclo e ligar o bit 28 e a saída S3, caso as válvulas
(pré-determinador de bateladas) ficar diferente de zero sua função não fechem antes do fim desta temporização (vazamento ou falta de
será ativada e a cada pesagem seu valor será comparado com o produto).
valor do acumulador parcial de bateladas 307/308. O teste também verifica se após 10% deste tempo e até o fim do
corte 1, existe um persistente aumento no peso, caso contrário,
Quando a diferença entre estes registradores ficar inferior ao valor fecha as válvulas e interrompe o ciclo (garrafa quebrada ou
da batelada, o AMLC carrega este valor na última batelada para que ausente).
ela complete a pesagem total e atinja o valor pré-determinado,
interrompendo a pesagem automática e ligando o bit 12.
O valor do peso total acumulado ao final das bateladas fica Atenção:
registrado no registrador 309/310.
*Excepcionalmente no programa envasadoras rotativas, que é
ativado quando T8 é diferente de zero, a capacidade de
Exemplo: Se o preset de peso total (5315/5316) é 21000kg e cada
endereçamento do AMLC fica ampliada para até 31 endereços.
batelada está ajustada para 2000kg, ao fim de 10 bateladas teremos
20000kg, ou seja, falta ainda 1000kg para completar o peso total.
Para este objetivo a entrada digital E6 (V+) deve ser utilizada em
Neste momento, o valor da próxima e última batelada será reduzida
para 1000kg e, ao fim desta batelada, a soma resultante das 11 conjunto com a chave DIP como sendo o 5º bit do endereço.
bateladas será colocada no registrador 309/310.
Página 10 de 15
AM8T – Manual do Usuário

BALANÇA DINÂMICA CHECKWEIGHER Após o trigger, o AMLC aguarda o tempo de estabilização ajustado
no registrador 5404 para depois calcular a média das leituras de
peso feitas durante o tempo ajustado no 5405, ao fim do qual o bit
Modo 4: É selecionado pelas 3 primeiras chaves na posição 100 e 18 pulsa (200ms) sinalizando o fim da leitura e incrementando o
precisa dos ajustes da velocidade e do endereço na rede para registrador contador de pesagens 401.
comunicação Modbus.
Recomendamos ajustar o tempo de estabilização 5404 entre 3 a 4
Os ajustes do filtro, peso, tara e calibração são os mesmos do vezes o valor do filtro e o tempo de leitura 5405 igual ao do filtro.
modo 0: Transdutor Modbus.(000)
O resultado da média das leituras de peso é carregado no
Esquema típico de uma checkweigher dinâmica registrador 400 (ultima pesagem) para ser comparado com o
setpoint de peso correto (5400) e determinar qual foi o erro.

Saídas para rejeição (S1) e expulsão (S2) do produto

O erro é comparado com os limites de erro superior (5401) e de


erro inferior (5402) para decidir se o produto será rejeitado pela
saída S1, que possui uma memória para 10 pesagens sucessivas.
O atraso no acionamento de S1 é ajustado em 5410 de acordo com
a velocidade da esteira e a duração do pulso é ajustada no 5411.

Após a pesagem, a saída S2 pulsa para retirar o produto da


balança, com atraso e largura ajustados nos registros 5406 e 5407.

A balança check weigher dinâmica faz a pesagem de produtos em Se 5406 (atraso) = zero, S2 não liga quando ocorre a rejeição.
Se 5406 (atraso) for diferente de zero e a largura (5407) for zero,
movimento sobre uma esteira na linha de produção, verificando seu
a saída S2 fica sempre ligada, só desligando durante a pesagem.
peso e descartando os produtos fora da tolerância especificada.

Em check weighers estáticas, o produto cai sobre a balança para Saídas para correção do peso em ensacadoras volumétricas
ser pesado, sendo depois empurrado para uma esteira ou
descartado, se estiver fora da tolerância. Uma média das pesagens é feita para determinar o peso médio e,
O algoritmo do AMLC funciona com os 2 tipos de check weighers. quando a diferença entre a média e o setpoint (5400) ultrapassar 1
contagem (resolução da balança), a saída S3 (acima) ou S4
(abaixo) pulsa para acionar o mecanismo de ajuste da dosagem na
Gráfico de pesagem numa checkweigher dinamica ensacadora. Entre cada acionamento, existe uma pausa de pelo
menos 3 pesagens para evitar oscilações.

Se 5409 (largura dos pulsos) for zero, a largura será proporcional a


diferença existente entre o peso médio e o setpoint, multiplicada
pelo fator ms/g (5415). O atraso dos pulsos é ajustado em 5408.

Se o fator ms/g (5415) for igual a zero, a média acima descrita não
acontece e S3 ou S4 pulsam sempre que houver uma rejeição pela
saída S1 com a largura do pulso ajustada em 5409

Tara automática para compensar resíduos sobre a balança

Uma tara para eliminar erros residuais entre cada pesagem ocorre
No gráfico podemos observar em cada pesagem o momento do sempre que o peso ficar abaixo do limite 5414 e permanecer
trigger, quando o filtro começa a medir o patamar do peso. estável durante o tempo de tara automática 5413 (se habilitado).

Neste exemplo o filtro está ajustado em 50ms, o tempo de Alarme de material retido sobre a balança
passagem do produto é 150ms e o intervalo entre pesagens é
250ms, ou seja, neste caso temos aproximadamente 2,5 pesagens Para iniciar um novo ciclo o AMLC aguarda o tempo ajustado em
por segundo. Mas, se intervalo fosse reduzido para 100ms, o AMLC 5412 (default 50ms) e verifica se o peso caiu pelo menos 10%
poderia atingir uma velocidade de até 4 pesagens por segundo. abaixo do trigger ajustado em 5403. Caso contrário, liga a saída de
alarme S5 e interrompe a pesagem até este peso ser eliminado.
Ver detalhes sobre a filtragem na página 2 “Ajuste do filtro digital”.
Saídas digitais de controle (registrador Modbus 10)
Algoritmo da pesagem:
S1: * REJEITA produto fora da tolerância
S2: EXPULSA produto da balança
S3: * ACIMA Peso acima da tolerância.
S4: * ABAIXO Peso abaixo da tolerância.
S5: ALARME de resto de produto sobre a balança.

* Se o valor dos ajustes de atraso e largura destas saídas for zero,


elas ficam livres para comando pelo usuário via RS485.

Entradas digitais (registrador Modbus 11)

E1: TARA Elimina o peso do saco ou residual


E2: Sensor de produto (ao desligar: borda – do pulso)
E3: Sensor de produto (ao ligar: borda + do pulso)
A pesagem começa quando o peso sobe e atinge o ponto de E4: REJEITA a pesagem atual ou a próxima pesagem
disparo (trigger), conforme o valor % ajustado no registro 5403 E5: Sem função, disponível para o usuário (bit 4)
(default 50%) ou, se o valor deste registrador for zero, o disparo é E6: Entrada livre (bit 23) e tensão da fonte (V+)
feito pelo acionamento das entradas E3 (borda +) ou E2 (borda -).
Durante a pesagem o led amarelo E/S fica ligado.

Página 11 de 15
AM8T – Manual do Usuário
Calibração inicial do sistema
CONTROLADOR PID (TENSIONAMENTO) A calibração dos ajustes de zero e do ganho (span) exige o uso de
uma IHM e de um peso de calibração.
Modo 5: É selecionado pelas 3 primeiras chaves na
posição 101 e precisa dos ajustes da velocidade e do Para fazer o ajuste do zero é necessário pressionar por 5 segundos
o botão oculto acessível pelo pequeno furo na letra O do logo
endereço na rede para comunicação Modbus.
TECNOLOG.
Os ajustes do filtro, peso, tara e calibração são os mesmos do
Neste momento, o AMLC zera o display de peso e pisca os 3 leds
modo 0: Transdutor Modbus.(000)
em seqüência, indicando que aguarda a informação do peso de
calibração.
Exemplo típico: Desbobinador de papel ou filmes
Devemos então pendurar o peso de calibração para esticar o filme
e digitar na IHM (5001) a leitura desejada no display para este peso.

Uma vez digitado o valor desejado, podemos conferi-lo no display


da IHM (5000) e encerrar a calibração pressionando 3 vezes o
botão. O AMLC vai piscar os leds 3 vezes confirmando o término da
calibração.

A resolução da indicação do peso é determinada pela escolha do


número de dígitos do peso de calibração, onde no exemplo de uma
célula de 20kg e peso de calibração de 1kg, podemos escrever no
registrador 5001 os valores 100, 1000 ou 10000 e no display da ihm
indica-los respectivamente como 1,00kg, 1000g ou 1000,0g.
A resolução máxima é sempre 20.000 divisões da célula de carga.

O máximo valor apresentável no display é de + - 32768 unidades.

Operação do sistema
O AMLC controla o freio eletromagnético para manter
constante o tensionamento do filme compensando as A partida é feita com a habilitação da saída analógica pela entrada
variações no diâmetro do rolo e na velocidade. E2 (pode ser desabilitada através do bit 33) no modo manual e
depois é colocado em modo automático pela entrada E3.
A força exercida pelo filme sobre o cilindro rotativo é
A qualquer momento podemos parar o sistema pelo acionamento
medida pelas células de carga e é comparada com o da entrada E1 (emergência) que carrega um valor fixo (5510) na
valor desejado ajustado no controlador PID, que saída analógica SA e desativa o controle PID.
através da saída analógica 0-10V vai agir sobre o freio
para corrigir o erro eventualmente existente. Ajustes do Controlador PID
O AMLC permite tanto o controle de desbobinadores pela O setpoint é ajustado no registrado 5500 ou pelo potenciômetro E5,
frenagem do rolo, como o de bobinadores por inversores de conforme 5502, o registrador 500 indica o setpoint ativo atual.
frequência no modo torque.
A faixa de ajuste do setpoint é 0 a 100% da faixa útil da célula de
carga após a calibração (capacidade da célula – zero inicial).
Entradas digitais e analógicas (registrador 11)
O controlador PID calcula o valor da saída analógica SA entre 0 a
E1: Emergência: carrega o valor do registro 5510 na SA (bit 0) 100%, a cada 50ms, pelo resultado da soma dos valores das ações
E2: Habilitação do controle via saída analógica (bit 1) proporcional, integral e derivativa, Um filtro ajustável em 5507
E3: Automático / manual da saída analógica (bit 2) limita a velocidade de resposta da SA entre 50 (1) a 1000ms (20).
E4: Potenciômetro p/controle manual da saída 0-10V
E5: Potenciômetro para setpoint do controlador PID Os ajustes de fábrica do controlador são BP = 10000 (1000,0%),
E6: Leitura da tensão fonte (V+) dos potenciômetros Ti = 10 (0,10 min), Di = 10 (0,10 min), filtro da SA= 10 (0,5s)
A habilitação dos ajustes via potenciômetros é feita pelo valor do Os ganhos são ajustados nos registros: 5503 (proporcional BP),
registrador 5502, onde 0 = nenhum, 1 = E4 e 2 = E4 e E5. 5504 (integral Ti), 5505 (derivativo Di) e 5507 (filtro da saída SA).

Saídas digitais de controle (registrador Modbus 10) *O ganho proporcional utiliza o formato banda proporcional BP, que
é o erro necessário para levar a saída do controlador a 100%. Ou
S1: Alarme de erro de operação no PID seja, se BP é 5,0% um erro de 5% já coloca a saída em 100%.
S2: Alarme de mínima, liga se abaixo do SP 5508
S3: Alarme de máxima, liga se acima do SP 5509 O ganho integral Ti expressado em minutos x100, é tempo que a
S4: Livre, disponível para o usuário (bit 8) ação integral leva para igualar o ganho proporcional frente a um
S5: Livre, disponível para o usuário (bit 9) erro constante, assim se Ti for 1,00 minuto, a ação integral cresce
constantemente e em 1 minuto, iguala o valor da ação proporcional.
Saída analógica SA 0 a 10V (registrador Modbus 12)
O ganho derivativo Di expressado em minutos x100, é o tempo que
O controlador PID comanda a saída analógica entre 0 a 10V, ou 0 a o ganho proporcional levaria para atingir o valor do ganho derivativo
100% do torque máximo de frenagem ou do inversor de frequência. frente a uma variação constante no erro, assim se Di for 1,00
minuto, a ação derivativa antecipa imediatamente um valor que o
No controle manual, selecionado por E3 e sinalizado pelo bit 2, a ganho proporcional BP levaria um minuto para atingir.
saída analógica é controlada pela ihm no registrador 5501 ou pelo
potenciometro E4 (se habilitado). Atenção: Aumentos no valor de BP e TI diminuem as ações
enquanto aumento no valor de Di aumenta a ação derivativa.
A transferência do controle da saída analógica de manual para
automático é feita suavemente (bumpless) pelo controlador PID. * Se o ganho BP for ajustado como zero a ação proporcional fica
desativada e o ganho aplicada nas ações Ti e Di fica igual a 1.

Página 12 de 15
AM8T – Manual do Usuário

CONFIGURAÇÃO DO AMLC RECARGA DOS PARÂMETROS DE FÁBRICA


A configuração do controlador é feita pelo ajuste da Caso seja necessário recarregar os parâmetros do
posição das chaves digitais DIP no painel frontal, AMLC na condição default(de fábrica), basta energizar
numeradas de 1 a 8. o módulo com o botão de calibração pressionado.

A chave digital colocada para cima representa o valor O primeiro led (vermelho) fica ligado indicando que a
1 (ligada) e para baixo, o valor 0 (desligada). recarga foi feita. Para voltar à condição de operação
normal basta desligar e religar o módulo.
CHAVES 1 a 3: Modo de operação

Existem 8+1 modos ajustáveis de 0 a 7 em binário.


COMUNICAÇÃO MODBUS RTU
Posição Modo de operação
000* Transdutor analógico saida 0-10vcc Ajustes do AMLC para comunicação Modbus RTU:
000 Transdutor de pesagem Modbus
 ENDEREÇO: 1 a 15
001 Balança integradora de correia  BAUD RATE: 19200 ou 57600.
010 Balança dosadora de correia  PARITY BIT: NONE
011 Ensacadora / Envasadora  DATA BIT: 8
100 Check Weigher
 STOP BIT: 1
101 Controlador de tensionamento
Os seguintes comandos para leitura e escritura de
110 Reservado registradores (16 bits) estão implementados:
111 Reservado
Função Descrição
* Todas as chaves para baixo (em zero): modo 000 combinado com 03 Read Holding Registers
o endereço 0000 na rede, ou seja, sem comunicação Modbus. 04 Read Input Registers
06 Write Single Register
16 Write Multiple Registers
O modo ativo ajustado na chave dip pode ser lido
remotamente pela ihm ou pelo clp no registrador
Modbus 65001. As duas funções de leitura (03 e 04) acessam os
mesmos registradores e podem ser trocadas à
CHAVE 4: Velocidade de comunicação: vontade.

Posição Baud Os seguintes comandos para leitura e escritura de


0 19200 bps bits estão implementados:
1 57600 bps
Função Descrição
Obs: No modo analógico 000*, esta chave seleciona o filtro lento 01 Read coil
(desligada) ou flitro rápido (ligada) 02 Read discrete Input
05 Write coil
CHAVES 5 a 8: Endereço do módulo na rede

Endereços de 1 a 15 em código binário: O AMLC suporta transmissões no modo Broadcast,


onde todos os escravos recebem os comandos de
Posição Endereço
escrita do mestre, mas não enviam respostas tipo
0000 0*
0001 1 acknowledge ao mestre. As mensagens em broadcast
0010 2 são identificadas pelo endereço zero.
... ...
1111 15
Atenção: O AMLC atende rigorosamente às normas da
Contar as chaves da direita para a esquerda. interface Modbus RTU, mas, devido a sua elevada
velocidade de resposta (2ms), alguns equipamentos
Exemplo: a chave 8 ligada e as chaves 7, 6 e 5 (ihm’s ou clp’s) mais lentos poderão apresentar
desligadas selecionam o endereço 0001. problemas de comunicação. Neste caso, verifique se o
* No modo 011 com o programa envasadoras rotativas (T8) a mestre da rede pode trabalhar com tempos de
capacidade de endereçamento do AMLC fica estendida para 31 resposta do escravo de 2ms (19200 bauds) ou 1ms
endereços. Para tanto a entrada digital V+ deve ser utilizada em (57600 bauds).
conjunto com a chave DIP como o 5º bit do endereço.

** A utilização do endereço 0000 nos modos 000 e 011 indica


que o modo selecionado vai operar sem comunicação Modbus,
ou seja, será comandado pelos potenciômetros.

Página 13 de 15
AM8T – Manual do Usuário
ENSACADEIRAS / ENVASADORAS
300 S 0 .. 30.000 Peso desejado
MAPA DOS ENDEREÇOS MODBUS 301 S 0 .. 32.767 Contador pesagens
303/302 S 32 bits Totalizador geral
As funções do AMLC vêm desativadas, ou seja, com 304 N + - 32.768 Última pesagem
valor zero no registrador, salvo indicação em contrário. 305 S 0 .. 30.000 Valor do auto ajuste
306 N 0 .. 32.767 Material em voo
307/308 N 32 bits Acumulador parcial
A programação de um valor diferente de zero no 309/310 N 32 bits Peso total acumulado
registrador ativa automaticamente a respectiva função. 5300 S + - 32.768 Corte 1 grosso
5301 S + - 32.768 Corte 2
5302 S + - 32.768 Corte 3
Registro Escrita Faixa Descrição 5303 S 0 .. 300,00s T1Tara automática
5304 S 0 .. 300,00s T2 Estabilização
GERAL e ENTRADAS / SAÍDAS
5305 S 0 .. 300,00s T3 Tombador
0 N 0 .. 20.000 Amostragem bruta
5306 S 0 .. 300,00s T4 Escoamento
1 N 0 .. 20.000 Amostragem filtrada
5307 S 0 .. 300,00s T6 atraso na ligação S4
2 N + - 32.768 Peso calibrado
5308 S 0 .. 65535 Preset nº pesagens
Entradas 1(LSB) a 6 e bits
5309 S 0 .. 300,00s T5 duração saida S4
3 N 16 bits 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18,
20, 23 e 24 5310 S 0 .. 1.000 Velocid. alta: grosso
4 N + - 32.768 Última pesagem (= 304) 5311 S 0 .. 1.000 Velocidade 2
5 N Valor da TARA 5312 S 0 .. 1.000 Velocidade 3
6 N + - 32.768 Valor de pico 5313 S 0 .. 1.000 Vibração stand-by.
Saídas 1(LSB) a 5 e bits 5314 S 0 .. 30.000 Limite de material retido
10 S 16 bits 5315/5316 S 32 bits Preset de peso total
10, 11, 19, 21, 22, 25 e 26
11 N 16 bits Entradas E1 a E6(V+) 5317 S 0 .. 300,00s T7 Fecha Comporta
12 S 0 ..10.000 Saída analógica SA 5318 S 0 .. 300,00s T8 Fim do envase
13 N 0 .. 1.000 Potenciômetro 1 5319 S 0 .. 30.000 S4: Limite superior peso
14 N 0 .. 1.000 Potenciômetro 2 5320 S 0 .. 30.000 S4: Limite inferior peso
15 N 0 .. 1.000 Potenciômetro 3 5321 S 0 .. 30.000 S4: Alarme de sobrecarga
16 N 0 .. 1.000 Potenciômetro 4 5322 S 0 .. 30.000 = 300: Peso desejado
17 N 0 .. 1.000 Potenciômetro 5 5323 S 0 .. 30.000 = 10: Saídas e bits
18 N 0 .. 300 Tensão em E6(V+) (x10) 5324 S 0 .. 300,00s T9 Inibição entre cortes
15002 N Contador de resets 5325 S 0 .. 300,00s T10 Tempo máx. envase
Versão firmware 119=1.19 5326 S 0 .. 300,00s T11 Pulso de correção
65000 N 5327 S 0 ou 1(default) Habilita pré--ajuste
65001 N 000...111 Modo ativo (= chave dip)
CHECKWEIGHER
TRANSDUTOR DE PESAGEM MODBUS 400 + - 32.768 Última pesagem
5000 S 20 .. 5000 Tempo do filtro (ms) 401 S 0.. 65535 Contador pesagens
5001 S + - 32.768 Peso para calibração 5400 S 0 .. 32.767 Setpoint peso (SP)
5002 S + - 32.768 Setpoint 1 5401 S 0 .. 32.767 Erro acima do SP
5003 S + - 32.768 Setpoint 2 5402 S 0 .. 32.767 Erro abaixo do SP
5004 S + - 32.768 Setpoint 3 5403 S 0 .. 200 Trigger % do setpoint
5005 S + - 32.768 Histerese 1 5404 S 0 ...30.000 Estabilização (ms)
5006 S + - 32.768 Histerese 2 5405 S 0 .. 30.000 Tempo medição (ms)
5007 S + - 32.768 Histerese 3 5406 S 0 .. 30.000 Retardo saída S2
5008 S 0 ou 1 Habilita potenciômetro E5
5407 S 0 .. 30.000 Duração saída S2
Capacidade da célula de 5408 S 0 .. 30.000 Retardo saídas S3/4
5009 S 0 - 32.768
carga (calibração)
5409 S 0 .. 30.000 Duração saídas S3/4
5010 S 16 bits Calibração Fator A
5410 S 0 .. 30.000 Retardo saída S1
5011 S 16 bits Calibração Fator B
5411 S 0 .. 30.000 Duração saída S1
5012 S 16 bits Calibração Fator C
5412 S 0 .. 30.000 Retardo alarme S5
5013 S 16 bits Calibração Fator D
5413 S 0 .. 30.000 Tempo de tara automática
ESTEIRA INTEGRADORA e DOSADORA 5414 S + - 32.768 Limite da tara automática
Totalizador parcial 5415 S 0 .. 32.767 Fator ms/g (1 contagem)
101/100 S 32 bits
Escrever 0 p/zerar
CONTROLADOR PID (TENSIONAMENTO)
103/102 S 32 bits Totalizador perpétuo.
500 S 0 .. 32.767 Setpoint PID atual
104 N 32.768 Vazão instantânea/100
5500 S 0 .. 32.767 Ajuste do Setpoint PID
105 N 32.768 Contador bateladas
5501 S 0 .. 20.000 Controle manual SA
106 N 327,68 Velocidade esteira
5502 S 0, 1 e 2 Hab. potenciômetros
5100 S 32.768 Peso calibração da esteira
5503 S 0 .. 6000,0 Banda proporcional (%)
5101/5102 S 32 bits Preset do totalizador
5504 S 0 .. 6,00 Ganho integral Ti (min)
5103 S 32.768 Preset de bateladas
5505 S 0 .. 6,00 Ganho derivativo Di (min)
5104 S 327,68 Fator mm/pulso
5507 S 1 .. 20 Filtro da saída SA
5105 S 32.768 Fator peso/pulso
5508 S 0 .. 32.767 SP alarme de mínima S2
5106 S 2 .. 240 Filtro do zero médio (s)
5509 S 0 .. 32.767 SP alarme de máxima S3
5107 S 2 .. 240 Filtro da vazão (s)
5510 S 0 .. 10000 Valor emergência da SA
5200 S 32.768 Setpoint vazão - PID
DATA LOGGER
Banda proporcional (%) do
5201 S 327,68 997 S 1 a 1.000 Nº amostras p/disparo E4
controle PID
998 S 1 a 1.000 Nº p/disparo p/trigger 5%
Tempo integrador PID
5202 S 1 .. 6,00 999 N 0 a 1.000 Amostras lidas
(minutos)
Vazão máxima/100 para 1000/1999 N + - 32.768 Amostras brutas
5203 S 32.768 2000/2999 N + - 32.768 Amostras filtradas
setpoint via potenciômetro
Constantes de calibração 3000/3999 N 0 a 1.000 Leituras entrada E5
5204/5211 S 32.768
da integradora(8 registros)

Página 14 de 15
AM8T – Manual do Usuário

Para tornar mais clara esta informação existe no


TABELA DE ENDEREÇO DOS BITS AMLC o registrador contador de “resets” 15002, que
Os endereços (bits) podem ser lidos pelas funções acumula o número de resets provocados pelo
01 (read coils) e 02 (read discrete inputs) do Modbus. “watchdog” desde sua última energização.

Os bits que permitem escrita podem ser modificados Se for constatada a existência de interferência por
pela função 05 (write coil) mas, em caso de conflito, radiação eletromagnética, evidenciada pela ocorrência
sempre prevalece o resultado do programa do AMLC. de “resets”, medidas simples podem ser tomadas para
amenizar este problema.
Os registradores 3 (bits de leitura) e 10 (bits de escrita) unificam
estes bits numa palavra para facilitar a leitura ou escritura em bloco. A mais eficiente é a instalação de filtros de ferrite
cilíndricos ou toroidais nos cabos de comunicação
BIT ESCRITA DESCRIÇÃO RS485 e da célula de carga, com todos os condutores
0 N Entrada digital 1 dos cabos fazendo pelo menos 3 voltas ao redor da
1 N Entrada digital 2 ferrite.
2 N Entrada digital 3
3 N Entrada digital 4
4 N Entrada digital 5
5 S Saída digital 1
6 S Saída digital 2
7 S Saída digital 3
8 S Saída digital 4
9 S Saída digital 5
10 S Executa TARA
11 S Limpa TARA
12 N Preset de bateladas atingido
13 N Alarme de falta de material
14 N Peso zero A eficiência da filtragem e a qualidade geral da
15 N Sobrecarga na célula (2mV/V) montagem poderá ser aferida pela monitoração do
16 N Peso estabilizado registrador 15002, que deverá permanecer sempre em
17 N Material retido na caçamba zero indicando a ausência de interferências.
18 N Fim da leitura (Check weigher)
19 S Botão de calibração remota
20 N Sinalização remota da calibração ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
21 S Início da pesagem (ensacadeira) 
22 S Cancela pesagem (ensacadeira) Conversor A/D: sigma-delta, 24 bits
23 N Entrada digital E6 (V+) Sensibilidade da entrada: 3mV/V bipolar
24 N Calibração do zero médio Número de divisões: ± 20.000 (30.000 p/3mV/V)
25 S Início da Tara com zero médio Taxa de amostragem: 100 Hz
26 S Correia dosadora em manual Linearidade: 0,001% FE
27 N Pesagem terminada (ensacadeira) Deriva térmica de zero e span: 3 ppm/°C
28 N Erro no ciclo de envase Interface RS485: óticamente isolada
Capacidade de corrente na saída 0-10V: 20mA
Precisão da saída 0-10V: 0,1% + 60 ppm/Cº
CUIDADOS NA INSTALAÇÂO DO AMLC Tensão de alimentação: 24VDC ± 20%
Consumo máximo (sem saídas): 2,5 W
A instalação deve seguir as boas práticas de Dimensões: 98x71x36mm.
blindagem, distanciamento da fiação da célula e da Temperatura operação: -10 a 60 oC
rede RS485 dos cabos de força e de aterramento do Grau de proteção: IP30
painel e da máquina, tudo para reduzir as
interferências provocadas pelo ruído eletromagnético, Especificações válidas após a estabilização térmica do AMLC
especialmente o produzido pelos inversores de depois de, no mínimo, 15 minutos da energização.
frequência.
CONTATO
O AMLC é muito resistente à estas interferências e
está equipado com um circuito de “watchdog” que TECNOLOG Engenharia e Repr. Técnicas LTDA.
provoca automaticamente um “reset” geral no Av. Pernambuco, 2623 Sala 101
processador e na memória ao identificar que o Bairro São Geraldo
processamento perdeu o sincronismo. 90240-005 Porto Alegre – RS
(51) 3076-7800 www.tecnolog.ind.br
Este “reset” é muito rápido e normalmente só poderia
ser percebido pela interrupção da lógica de operação AMLC – Manual do Usuário Revisão A – 20190528
da máquina ou por erros na dosagem.
Página 15 de 15