Você está na página 1de 8

AGÊNCIA DE INTERCÂMBIO CULTURAL

Introdução

Misturar passeio e aprendizado vem atraindo cada vez mais


pessoas, que estudando meio período, aproveitam o tempo livre
para fazer turismo, ou até mesmo conciliar a aprendizagem do
idioma a outra atividade, como por exemplo, aulas de música,
cursos profissionalizantes ou de extensão universitária.

É nesta fatia de mercado que as agências de intercâmbio


cultural atuam, proporcionando redução nos preços, se
comparados a pacotes de viagens. Como exemplo, podemos ter :
- Dois semestres em uma High School (escola de nível médio,
equivalente ao nosso 2º grau), incluindo escola, hospedagem e
alimentação, com custo médio de US$ 5 mil;
- Um curso de férias de quatro semanas, com ensino e estada
incluídos, girando em torno de de US$ 2 mil.

Comparativamente, e dependendo das flutuações cambiais –


constatam empreendedores da área - , acaba compensando
mandar o filho estudar fora do que mantê-lo no país em escolas
particulares. Alia-se também a esta vantagem o contexto
mundial que com realidades com a da globalização dos
mercados, exige cada vez mais a fluência em um ou mais
idiomas estrangeiros.

Deste modo, pesa na decisão de mandar o filho para outro país o


fator financeiro e o de proporcionar formação mais competitiva.

Os interesses dos estudantes variam conforme a faixa etária.


Colegiais de quinze a dezoito anos ambicionam um programa de
“high school” para estudar até um ano em escolas públicas de
outros países, morando com famílias nos EUA, Austrália ou
Inglaterra, entre outros. A partir dessa idade os interesses se
voltam para cursos de idiomas, extensão universitária ou
estágios profissionais.

De modo geral a demanda pelos serviços das AGÊNCIAS DE


INTERCÂMBIO CULTURAL tem crescido 40% ao ano, o que
significa quase o dobro da taxa de expansão do turismo
convencional.

Segundo a BELTA – Brazilian Educational & Language Travel


Association, associação que reúne vinte agências de intercâmbio
cultural e de “turismo educacional”, anualmente cerca de 30 mil
brasileiros fazem esses programas,
oferecidos por cerca de 50 (cinquenta) agências de
intercâmbio–número estimado das empresas do setor no país.

O “boom” deste tipo de empreendimento foi no início da década


de 90, tomando impulso a partir do Plano Real,quando o câmbio
facilitou a concretização do sonho de estudar fora do país.

Atuar no ramo exige a abertura da empresa como agência ou


operadora de turismo, porque ao cuidar detalhadamente da
viagem e da estadia, a empresa assume compromissos iguais ou
maiores que os de uma agência de viagens.

Normalmente são as entidades e escolas no exterior que cuidam


da adaptação do estudante à família que o recebe. Algumas
entidades o fazem de forma voluntária e outras de forma
remunerada (como um tipo de ajuda de custo).

Incluem-se como funções das agências, selecionar


adequadamente os alunos e acompanhar sua estada no país
estrangeiro.

Observar atentamente estes dois pontos, e conduzí-los da


melhor forma trará bons resultados e projetará de maneira
positiva a imagem da empresa.

Outro serviço que a empresa poderá oferecer são serviços de


“orientação cultural” para quem está partindo para o
intercâmbio. Eles funcionam como uma preparação pré-
intercâmbio, que ensina desde como abrir uma conta bancária
até como preparar um prato típico brasileiro.

FICHA TÉCNICA

INVESTIMENTO (equipamentos e instalações) :


Videocassete, TV em cores, microcomputadores (02), máquinas
de escrever elétricas (02), móveis de escritório, telefones (02),
fax, ponto comercial(+_60 m² ).
NÚMERO DE PESSOAS TRABALHANDO: 06 (seis) pessoas.
O dono, atendentes (03), auxiliar(01), office-boy (01).
CAPITAL DE GIRO : R$ 20.000,00 (vinte mil reais)
FATURAMENTO MÉDIO MENSAL: R$15.000,00(quinze mil reais)
RISCO : médio

Legislação Específica

DECRETO nº 84.934/80 Dispõe sobre as atividades e serviços


das Agências de Turismo, regulamenta o seu registro e
funcionamento, e dá outras providências;

RESOL. NORM. CNTUR nº 04/83 Estabelece, para os fins do Art.


3º da Lei nº 6.505/77 e de acordo com o Art. 35 do Decreto nº
84.934/80, as condições a que deverão obedecer as Agências de
Turismo no exercício das atividades e na prestação de serviços
turísticos;

RESOL. NORM. CNTUR nº 12/84 Altera os artigos 11 e 12 da


Resolução Normativa CNTUR nº 04, de 28 de janeiro de 1983;

DELIB. NORM. nº 136/84 Disciplina conteúdo e forma de


inserção das informações que deverão constar de anúncios na
imprensa ou do material promocional e peças de propaganda,
divulgados pelas Agências de Turismo ou com sua anuência;

DELIB. NORM. nº 161/85 Dispõe sobre o regulamento comercial


entre as Agências de Turismo e seus usuários, para a operação
de viagens e excursões turísticas;

DELIB. NORM. 310/92 Cria normas técnico-administrativas de


procedimentos para o exame dos pleitos de credenciamento
para operação no mercado de câmbio de taxas flutuantes
(BACEN);

DELIB. NORM. nº 382/97 Inclui a corretagem de seguros entre


os serviços permissíveis e não privativos das agências de
turismo.

Registro Especial
PRIMEIRO - A primeira condição para uma agência de
intercâmbio Cultural funcionar legalmente é REGISTRÁ-LA
(como qualquer empresa de natureza comercial)na JUNTA
COMERCIAL do Estado em que está sendo instalada;

SEGUNDO : Após registro na Junta, a sua empresa deverá OBTER


O CARTÃO CGC - Cadastro Geral de Contribuintes - na Receita
Federal (este documento é necessário para adquirir o alvará de
licença expedido pela Prefeitura Municipal);

TERCEIRO : A partir de então, a empresa providenciará seu


REGISTRO junto à Empresa Brasileira de Turismo - EMBRATUR.
Não há, atualmente, em nosso Estado, nenhum órgão que
represente a EMBRATUR, portanto, há a necessidade desse
procedimento ser efetuado diretamente na EMBRATUR, em
Brasília. Este registro, apesar de ter deixado de ser obrigatório
em 1986 pelo Decreto Nº 2.294, continua dando uma boa dose
de credibilidade às agências de viagens.

Para obter o registro da EMBRATUR, basta apresentar a


documentação legal da empresa, preencher alguns formulários e
pagar 2 (duas)taxas: a de classificação e a de vistoria (que deve
ser renovada a cada 4 anos). O empresário recebe, via correio, o
certificado de classificação, dentro do prazo de 40 a 60 dias
(veja anexo 1).

É interessante, também, que a empresa se cadastre no SNEA -


Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias, de acordo com os
procedimentos contidos no anexo 2, bem como a respectiva
autorização, conforme o anexo 3.

A agência que não se associar a esse Sindicato não consegue


cadastro para pleitear crédito junto às companhias aéreas.

E crédito é vital para uma pequena agência, já que as operações


de compra de passagens envolvem grandes somas de recursos e
prazos curtíssimos de pagamento.

Anexos

ANEXO 1 - DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA CADASTRAMENTO


DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TURISMO NA EMBRATUR.
1. REQUERIMENTO solicitando o cadastro na EMBRATUR;
2. FICHA de cadastro preenchida;
3. CÓPIA DO CONTRATO social, arquivado na Junta Comercial
como firma Ltda. ou S/A, contendo no objetivo social, o seguinte
termo: A sociedade exercerá a atividade de Agência de Viagens,
Turismo e Intercâmbio Cultural, conforme legislação em vigor
ou, então, de Agência de Viagens;
4. CÓPIA DO CGC - Cadastro Geral de Contribuinte;
5. PAGAMENTO DA TAXA DE SERVIÇO no valor de R$ 314,54
(agência localizada na capital) ou de R$ 440,35 (agência
localizada no interior), recolhida, integralmente, em favor da
EMBRATUR (através do Banco do Brasil,Agência Nº 3602-1,
Conta corrente nº 170500-8 / depósito identificado nº
18500118203-003-8) para o caso de Agência de Viagens e
Turismo. No caso de Agência de Viagens, as taxas são,
respectivamente, R$ 251,63 e R$ 314,54;
6. TERMO DE COMPROMISSO.

ANEXO 2 - DOCUMENTOS E PROCEDIMENTOS NECESSÁRIOS


PARA O
REGISTRO DE AGÊNCIAS DE VIAGEM NO SINDICATO
NACIONAL DAS EMPRESAS AEROVIÁRIAS.

1. CERTIFICADO DE CLASSIFICAÇÃO DO INSTITUTO BRASILEIRO


DE
TURISMO-EMBRATUR. Fotocópia,autenticada em cartório;
2. CONTRATO SOCIAL INICIAL E POSTERIORES ALTERAÇÕES.
Fotocópia, para o caso de Sociedade por Quotas de
Responsabilidade Limitada;
3. Para SOCIEDADE ANÔNIMA, apresentar fotocópia dos
estatutos Sociais vigentes, da Ata da Assembléia Geral
que elegeu a atual Diretoria, assim como a da que
efetivou o último aumento do Capital Social;

4. Capital social mínimo exigido: US$25.000,00 (dólar


comercial/venda, relativo ao último dia útil do mês
anterior ao da assinatura do Contrato ou da efetuação da
Alteração Contratual) para as cidades de São Paulo e Rio
de Janeiro e US$20.000,00 para o interior desses Estados
e demais Estados do país;

5. Fotocópia do Contrato de Locação ou comprovação de


propriedade do local e Alvará de Localização;
6. Fotocópia do C.G.C./MF;

7. Autorização formalizada em documento endereçado à


Diretoria do Sindicato em papel timbrado da firma,
elaborado de acordo com o modelo anexo - ANEXO 03;

8. Informação Cadastral da firma postulante e de seus


sócios, fornecida por firma especializada e na sua
falta, por outro órgão informante;

9. O requerimento de registro, com os documentos


retroenumerados, deverá ser encaminhado ao SNEA por
intermédio de uma Empresa Aeroviária.

10.Juntamente com os documentos encaminhados pela Empresa


Aérea apresentando a postulação da agência, deverá ser
anexada Declaração de Capacitação Técnico-Profissional
de um dos componentes da sociedade, fornecida pela ABAV
e/ou SINDETUR, onde houver.

ANEXO 3 - MODELO DE AUTORIZAÇÃO PARA O SINDICATO


NACIONAL
DAS EMPRESAS AEROVIÁRIAS
(UTILIZAR PAPEL TIMBRADO DA EMPRESA)

"(nome da firma), estabelecida à (endereço completo), no


Estado de ........................, neste ato representada por (nome e
qualificação) e representante legal, e para que surta os seus
devidos e legais efeitos, expede a presente Autorização para que
seja procedida a fiscalização em seu
estabelecimento, no caso de denúncia de usuário ao Sindicato
Nacional das Empresas Aeroviárias, assim como comprometemo-
nos a comunicar, de imediato, todas as alterações que vierem a
ocorrer na Sociedade e concordamos com as cláusulas abaixo
discriminadas:

a) toda e qualquer concessão indevida, praticada por uma


Agência, inclusive por seus prepostos e agentes produtores, será
penalizada com a suspensão da firma do registro de inscrição no
SNEA, pelo prazo de 1 (um) ano. Em caso de reincidência, o
registro será cancelado definitivamente;

b) as prestações de contas e o pagamento das Empresas ou


saldos em favor destas, inclusive através do BSP Brasil,
obedecerão ao sistema estatuído no Regimento Interno da
COPET (Conselho Permanente de Turismo), inclusive no tocante
às respectivas sanções;

c) no caso de a Agência se recusar a devolver os bilhetes de


passagens que lhe foram entregues por consignação, a mesma
será suspensa, inicialmente, por 90 (noventa) dias.

Ao fim das 72 (setenta e duas) horas do pedido de devolução, se


a Agência persistir em não devolver os bilhetes, terá o seu
registro automaticamente cancelado."

ANEXOS 4 - ENTIDADES RELACIONADAS

01 – EMBRATUR - Instituto Brasileiro de Turismo


Setor Comercial Norte, Q-2 / Bl.g
Brasília – DF - 70710-500
(5561) 328.9100
E-mail: webm@embratur.gov.br

Escritório EMBRATUR (Rio de Janeiro)


Rua Uruguaiana, 174, RJ - 8º andar
CEP: 20.050-090

Telefone de informações turísticas: (55 21) 509-6017


Telefone da administração: (55 21) 509-6720
Fax: (55 21) 509-7381/7429
e-mail: rio@embratur.gov.br

02 – BELTA - Brazilian Educational & Language


Association.
Av. Nove de Julho, 3166 – São Paulo/SP
Cep. 01406900
(011) 884.0213

03 – SNEA - SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS


AEROVIÁRIAS.
Av. Mal.Câmara,160-Conj.1737-17ºandar-Ed.Le Bourget
Rio de Janeiro/RJ 20020080
Fax: (5521)220.1194
Tel: (5521)532.6126 / 524.2818
E-mail: info@snea.com.br
webmaster@snea.com.br

04 - ABAV - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AGÊNCIAS DE


VIAGENS.
SAIS. Q-07 Lt.23 - Setor Policial Sul - Brasíliia/DF
Tel: (011)245.1288 / (011)245.5300 / r-218
E-mail: abav.df.com.br

05 - INFRAERO - Empresa Brasileira de Infra-Estrutura


Aeroportuária.

* Av. Washington Luís, 6000 - São Paulo-SP


(011) 531.7718

06 - SINDETUR - Sindicato Nacional das Empresas de Turismo


Av.Dr.Viera de Carvalho,115-11ºandar
São Paulo/SP 01210-010
Tel:(011)224.8544
Fax:(011)220.6115
E-mail: sindetursp@sindetursp.com.br

Você também pode gostar