Você está na página 1de 4

História Geral - Espcex

1. A ascensão dos partidos fascistas na Itália (1922) e na Alemanha (1933) apresenta muitas diferen-
ças, mas, ao mesmo
tempo, tem aspectos comuns. A esse respeito podemos afirmar:

I - Diversos grupos sociais na Alemanha e na Itália se sentiam ameaçados politicamente após a Pri-
meira Guerra Mundial e também após a revolução na Rússia pela ascensão política dos movimentos
da esquerda revolucionária.

II - O discurso sobre a superioridade racial unia italianos e alemães em um mesmo projeto ideológi-
co e constituía uma base sólida de aliança entre o Partido Fascista Italiano e o Partido Nacional-So-
cialista dos Trabalhadores Alemães.

III - Após a Primeira Guerra Mundial, crescia entre italianos e alemães, e mesmo em toda a Europa,
uma forte descrença na adoção da democracia liberal como o modelo político a ser seguido. Com is-
so, teorias autoritárias ganharam espaço no cenário político desses países.

IV - A rápida recuperação militar e econômica da Alemanha e da Itália precedeu a ascensão dos


partidos fascistas que sustentavam uma plataforma política militarista e expansionista.

São afirmativas corretas:

a. I, II, III e IV.


b.I e III, apenas
c.III e IV, apenas.
d.II e IV, apenas.
e.I e IV, apenas.

2. Aponte, dentre as alternativas abaixo, aquela que explica a ascensão democrática dos Nazistas
ao poder.
[A] A Revolução Russa de 1917 já havia instaurado o comunismo em países como a Polônia, a
Hungria e a Tchecoslováquia e continuava avançando em direção à Europa Ocidental, causando me-
do na população alemã, que resolveu eleger um partido claramente anticomunista.
[B] A grave crise econômica iniciada com a queda da Bolsa de Nova York, em 1929, aumentou ain-
da
mais o sentimento de humilhação imposto pelo Tratado de Versalhes, gerando em grande parte da
população o desejo por um líder carismático capaz de resgatar a honra nacional. Isso justificava a
escolha de um partido ultranacionalista que promulgava a existência de uma raça superior.
[C] A morte do Presidente alemão Paul von Hindenburg levou à necessidade de escolher outro líder
carismático, com capacidade de resgatar a honra nacional. Hitler, do Partido Nazista, personificava
esse líder.
[D] O Fascismo na Itália, um regime claramente ditatorial, estava se expandindo por outros países
da Europa, como Portugal, Hungria e Polônia. Isso amedrontou a população alemã, que optou por
eleger, democraticamente, o Partido Nazista.
[E] O sucesso da Guerra Civil Espanhola, que derrotou o socialismo naquele país, com apoio do
Partido Nazista, trouxe esperanças ao povo alemão, que resolveu eleger seus integrantes.

3. (PUC RJ/1995) As transformações ocorridas após o término da Primeira Guerra Mundial assina-
lam a crise da sociedade liberal clássica. Nessa conjuntura surgem os movimentos fascistas, buscan-
do afirmar-se como uma alternativa política tanto ao liberalismo quanto ao movimento operário.
Sobre o Fascismo são corretas as afirmações abaixo, com EXCEÇÃO de uma. Assinale-a.
a) na Itália os fascistas não precisaram tomar o poder através da força; Mussolini foi chamado pelo
rei Vitório Emanuel a formar o governo após a Marcha sobre Roma e 1922.
b) o Fascismo tinha na apologia do Estado Nacional e no combate ao capitalismo as sua principais
bases ideológicas.
c) na Alemanha uma das realizações do regime totalitário nazista foi a eliminação dos partidos e
sindicatos de trabalhadores, visando a combater o avanço do socialismo.
d) o Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães, liderado por Hitler, ao assumir a pos-
tura de defensor da ordem contra o “perigo” comunista, recebeu o apoio da classe média alemã.
e) O fascismo foi um regime político totalitário, pois pretendeu controlar todos os aspectos da vida
social subordinando-os ao Estado.

4. (PUC RJ/1996) Sobre o fascismo italiano é correto afirmar:


I. O parlamento italiano, dominado por uma maioria liberal, ao promover uma política de restrição
dos direitos civis, permitiu que a ideia de um Estado forte, capaz de garantir a cidadania a todos os
membros da nação, ganhasse força.
II. A instabilidade social e política após a Primeira Guerra Mundial provocou uma descrença em re-
lação aos partidos tradicionais e aos princípios do Estado liberal, permitindo o surgimento de solu-
ções autoritárias para a crise.
III. Os fascistas conseguiram chegar ao poder de forma legítima graças a uma aliança com os parti-
dos de esquerda, principalmente os comunistas, todos interessados em construir uma alternativa ao
frágil liberalismo italiano.
IV. O Partido Fascista abrigava uma organização paramilitar, muito disciplinada, que atuava perse-
guindo e intimidando seus adversários políticos.
Assinale a alternativa que contém a(s) afirmativa(s) corretas(s):
a) somente I e II.
b) somente II e IV.
c) somente I, III e IV.
d) somente I e III.
e) somente II e III.

5. (UFT TO/2012) Os mercadores e autoridades de Meca, para quem o culto aos ídolos era uma
fonte de lucro, não aceitaram o monoteísmo de Maomé e passaram a persegui-lo. Maomé e seus se-
guidores fugiram para Yatreb (atual Medina), a 400 quilômetros de Meca, onde fundou uma comu-
nidade de fiéis em 622 d.C. Esse episódio que marca as origens do islamismo ficou conhecido co-
mo:
a) Ramadã
b) Jihad
c) Muazin
d) Khaid
e) Hégira

6. (ACAFE SC/1998) O Neocolonialismo, ocorreu durante o século XIX, alterando as relações en-
tre a Europa e outros continentes.
Sobre esse processo é FALSO afirmar:
a) As indústrias conquistaram rapidamente os mercados de muitos países latino-americanos, causan-
do, nestes últimos, uma dependência econômica típica do Imperialismo.
b) As potências europeias não necessitavam mais de colônias fornecedoras de matéria-prima, mas
apenas de mão-de-obra barata.
c) A ocupação de diversas áreas da Ásia e África levou a uma série de revoltas que simbolizaram a
indignação e resistência dos povos colonizados.
d) A industrialização permitiu um grande enriquecimento dos países europeus que puderam melho-
rar as condições de vida de seus trabalhadores.
e) A ascensão do capitalismo industrial não foi um fenômeno restrito à Europa, atingindo também
EUA e Japão durante o transcurso do século XIX.

7. (UNIFOR CE/1998) Em relação ao New Deal, conjunto de medidas adotadas pelo governo ame-
ricano, em razão das consequências da crise de 1929, que objetivavam a recuperação econômica do
país, pode-se afirmar que:
a) Revelou a inadequação do intervencionismo estatal sobre a economia como forma de promover o
desenvolvimento social.
b) Impôs um novo pensamento econômico: o do planejamento estatal objetivando a coletivização
dos meios de produção.
c) Criou condições para a desregulamentação da economia, consolidando os ideais do capitalismo
comercial e de livre cambismo.
d) Acentuou os antagonismos entre as potências imperialistas, gerando instabilidade política entre
as nações, contribuiu para a eclosão da nova guerra mundial.
e) Representou um marco na passagem do capitalismo clássico, liberal e concorrencial para o capi-
talismo monopolista e estatal.

8. (UNIFICADO RJ/1995) O Entreguerras (1918-1939) pode ser considerado, no seu conjunto, co-
mo um período de crises econômicas. Assinale a opção que expressa corretamente um problema re-
lacionado às conjunturas desse período.
a) A rápida recuperação da produção europeia impulsionada pelos novos mercados abertos pela ex-
pansão colonial.
b) A crise alemã de 1924 representou um desdobramento da decadência da economia dos EUA, o
principal centro econômico do mundo.
c) A crise de 1929, iniciada nos EUA, propagou-se rapidamente, pelos países capitalistas, cujas eco-
nomias estavam em interdependência com a norte-americana.
d) Os desajustes da economia mundial tiveram como principal causa o abalo provocado pela Revo-
lução Russa.
e) A reconversão foi caracterizada pela expansão da industrialização, em escala mundial, principal-
mente em economias periféricas.

9. (PUC RS/2000) Dentre os fatores desencadeadores da Primeira Guerra Mundial, NÃO se pode
citar:
a) o colapso da diplomacia de Bismarck, baseada em acordos internacionais que visavam à manu-
tenção do equilíbrio europeu, e sua substituição por uma política de poder mundial, adotada pela
Alemanha guilhermina.
b) a competição industrial, comercial e naval entre a Alemanha, país então recém-chegado à corrida
neocolonialista, e a Inglaterra, então a maior potência econômica mundial.
c) o desejo da monarquia dual Austro-Húngara de reunir os eslavos da Península Balcânica numa
monarquia triádica, visando à estabilidade de uma área ameaçada pelo expansionismo russo e pelo
nacionalismo sérvio.
d) os sistemas de alianças antagônicos e potencialmente conflitantes: de um lado, a Tríplice Entente
e, de outro, os Impérios Centrais.
e) a desestabilização do status quo europeu provocada pelos Estados Unidos e França, visando a
despertar os sentimentos nacionalistas das inúmeras nacionalidades submetidas ao jugo dos velhos
impérios.

10. (UFJF MG/1998) A expansão imperialista e a corrida neocolonialista por novos mercados ge-
rou tensões que levariam ao primeiro grande confronto entre as nações industrializadas da Europa.
Sobre a I Guerra Mundial (1914-1918) assinale a alternativa CORRETA:
a) a I Guerra Mundial foi responsável pela união dos interesses alemães e ingleses em torno dos me-
lhores mercados africanos;
b) as origens da I Guerra Mundial vinculam-se à expansão dos regimes totalitários na Alemanha e
Itália;
c) o fato de a Rússia não se ter envolvido na I Guerra Mundial foi fundamental para a eclosão da
Revolução Socialista de 1917;
d) o término da I Guerra Mundial assinalou o fim das instabilidades políticas entre os países europe-
us e consolidou definitivamente a hegemonia da Inglaterra e da França;
e) a I Guerra Mundial refletiu na economia brasileira, incentivando o crescimento industrial via "po-
lítica de substituição de importações".