Você está na página 1de 9

O FUTURO LÍDER PELO OLHAR DO ASPIRANTE DA

ESCOLA NAVAL: CARACTERÍSTICAS E


DIFICULDADES NO CONTEXTO
CONTEMPORÂNEO
“Se for sábio, um comandante será capaz de reco-
nhecer as circunstâncias em mutação e agir com ra-
pidez. Se for sincero, seus homens não terão dúvidas
quanto à certeza de recompensas e de castigos. Se for
humano, ele ama a humanidade, tem compaixão pe-
los outros e reconhece sua diligência e labuta. Se for
corajoso, obtém a vitória ao aproveitar a oportuni-
dade sem hesitação. Se rigoroso, seus soldados são
disciplinados porque têm por ele um medo respeitoso
e temem o castigo.”
(Tu Mu, A arte da guerra)

VINICIUS SAMPAIO CORRÊA


Guarda-Marinha

SUMÁRIO
Um breve histórico sobre liderança
O contexto contemporâneo
As características do líder moderno e os novos paradigmas de liderança
Empowerment
Liderança transformacional
Inteligência emocional
Construção da cultura organizacional
Os líderes do passado, do presente e do futuro: algumas características imutáveis
O olhar do aspirante: experiência e aprendizado na Escola Naval
Conclusão

UM BREVE HISTÓRICO SOBRE entre os demais indivíduos e capaz de condu-


LIDERANÇA zir aquele grupo na busca do objetivo comum,
muito embora sendo um deles.
O fragmento de texto acima, escrito há
mais de 2.500 anos, prova que o fenôme-
no da liderança é tão antigo quanto as socie-
Considerando os mais diversos aspec-
tos, que variam desde a luta pela subsis-
tência até a defesa da vida e do ideal em um
dades humanas. Desde o surgimento das aglo- conflito armado, a história tem deixado re-
merações mais primitivas, existe a necessida- gistros singulares da importância de saber
de de uma figura central, de papel destacado liderar homens: dos chefes de tribos primi-
O FUTURO LÍDER PELO OLHAR DO ASPIRANTE DA ESCOLA NAVAL: CARACTERÍSTICAS E DIFICULDADES NO
CONTEXTO CONTEMPORÂNEO

tivas aos empresários, dos faraós egípcios sociedade e que vão de encontro a princí-
aos chefes de Estado modernos, dos ge- pios fundamentais desta ciência. Sendo
nerais romanos aos atuais chefes militares, assim, surge a questão: como o líder do
de Alexandre a Hitler, Stálin, Bolívar e ou- futuro deve estar preparado, técnica e psi-
tros tantos, das concepções clássicas de cologicamente, para adequar os conceitos
Sun Tzu ao efervescente fascínio por de liderança aos desafios impostos pela
James Hunter, passando por Clausewitz e contemporaneidade a fim de alcançar seus
Mahan, para citar poucos exemplos. objetivos e conduzir seus homens?
Embora situadas em diferentes momen-
tos históricos, envolvidas em contextos O CONTEXTO CONTEMPORÂNEO
diversificados e caracterizadas por interes-
ses específicos, existe um elo entre todas O século XX assistiu ao avanço acele-
as figuras acima lembradas: a necessidade rado do fenômeno da globalização. O en-
e o fascínio por conduzir homens de forma curtamento de distâncias entre diferentes
a cumprir, voluntariamente, a sua vontade. partes do globo, proporcionado, literalmen-
É essa a mola que impulsiona o estudo de te, pelo progresso nos meios de transporte
uma das mais complexas e fascinantes ci- e, subjetivamente, pelo desenvolvimento
ências sociais, considerada desta forma por de uma rede global de comunicações e dis-
ser antropológica e situacional. seminação de informações, fez surgir uma
Nas últimas décadas, o exercício da li- concepção de “aldeia global”.
derança tem encontrado maiores desafios, Nessa “aldeia”, é possível saber, em tem-
especialmente no que se refere à liderança po real, sobre um acontecimento do outro
militar. Estes desafios são impostos pelos lado do mundo. É possível conversar com
novos valores que emergiram em nossa uma pessoa em outro continente por meio
204 RMB1oT/2009
O FUTURO LÍDER PELO OLHAR DO ASPIRANTE DA ESCOLA NAVAL: CARACTERÍSTICAS E DIFICULDADES NO
CONTEXTO CONTEMPORÂNEO

O mundo globalizado impõe aos líderes milita-


res do presente e do futuro que saibam como
lidar com todas estas variáveis, aprendendo as
novas teorias, a fim de adequar conceitos
clássicos de liderança aos cenários modernos,
aos combatentes modernos

de um clique ou da simplicidade espantosa lidar para se adaptar ao contexto global,


dos cada vez mais multifacetados telefo- conservando seus pilares ideológicos.
nes celulares. Nesse novo mundo, a mistu- Como desenvolver em seus homens o
ra e a assimilação de diferentes culturas, espírito de corpo, responsável pela uni-
hábitos e costumes deram origens a novos dade das forças, sendo eles acostumados,
grupos humanos, derrubaram antigos em seu dia-a-dia, a valorizar cada vez mais
paradigmas e consolidaram o modo de pen- o egocentrismo, permitindo-se apenas à
sar da sociedade contemporânea. preocupação consigo mesmos? Como en-
Antigos valores e conceitos éticos fo- sinar e incutir os basilares valores de hie-
ram substituídos por rarquia e disciplina
novos. As sociedades em jovens cada vez
atuais caracterizam-se, Como ensinar e incutir os mais acostumados à
em sua devastadora liberdade e ao des-
maioria, pelo consu- basilares valores de comprometimento?
mismo, imediatismo, hierarquia e disciplina em De onde buscar a ab-
egocentrismo e isola-
cionismo, entre outros
jovens cada vez mais negação e o espírito
de sacrifício, pregan-
fatores. acostumados à liberdade e do até mesmo a doa-
O desafio para a li- ao descomprometimento? ção da vida em prol
derança militar: como do objetivo, em uma
transformar conceitos sociedade consumis-
tradicionais, tornando-os compatíveis com ta e gananciosa?
as necessidades humanas modernas? Some-se a isto o fato comprovado de
Inseridos nesta nova sociedade que o grau de instrução dos subordinados
globalizada estão os indivíduos que com- de hoje é, comparativamente, muito supe-
põem um grupo especial: os militares. A rior ao dos subordinados de três, quatro
profissão militar, tradicionalmente, prega e décadas atrás, fazendo com que os méto-
cultiva alguns valores fundamentais à sua dos autocráticos comuns já não sejam os
existência que vão de encontro àqueles que mais adequados para aplicação na rotina
a nossa sociedade valoriza atualmente. do dia-a-dia, embora ainda eficazes em si-
Surge daí o questionamento sobre como tuações extremas.
RMB1oT/2009 205
O FUTURO LÍDER PELO OLHAR DO ASPIRANTE DA ESCOLA NAVAL: CARACTERÍSTICAS E DIFICULDADES NO
CONTEXTO CONTEMPORÂNEO

Definitivamente, o mundo globalizado no empowerment, na delegação de compe-


impõe aos líderes militares do presente e tências. Embora envolva um certo risco e
do futuro que saibam como lidar com to- tome algum tempo para qualificação do
das estas variáveis, aprendendo as novas militar, a delegação é válida na medida em
teorias, a fim de adequar conceitos clássi- que desenvolve o subordinado, tornando-
cos de liderança aos cenários modernos, o mais capaz e confiante e, por consequên-
aos combatentes modernos. Torna-se pri- cia, fortalece todo o grupo em que está in-
mordial um conhecimento sobre os aspec- serido. Além disso, libera o líder para preo-
tos psicológicos e práticos, relacionados cupar-se de forma integral com outras ati-
aos novos paradigmas de liderança, apli- vidades que requeiram, impreterivelmente,
cando-os à condução dos subordinados. sua coordenação direta.
Em seu livro Sun Tzu e arte da guerra
AS CARACTERÍSTICAS DO LÍDER moderna, Mark McNeilly fala sobre o assun-
MODERNO E OS NOVOS to: “A meta eventual a ser atingida ao longo
PARADIGMAS DE LIDERANÇA do tempo é os subordinados conhecerem tão
bem o pensamento do comandante que o
Dentro do contexto de adequação às ca- tempo gasto nas comunicações é reduzido,
racterísticas das sociedades modernas na enquanto aumenta a compreensão partilha-
formação do líder e na forma como este age da das lideranças (...) isso é chamado de com-
sobre seus subordinados, surgem diversas preender a intenção do comandante”. E con-
teorias que propõem métodos – inovadores tinua, dando um exemplo da Primeira Guerra
ou pura revisão de conceitos clássicos – Mundial que, embora situado num contexto
que possam servir de instrumento para o passado, ilustra perfeitamente o que se quer
desempenho do papel de liderança. Sobre mostrar aqui:“Na Primeira Guerra Mundial, o
alguns destes instrumentos, tratados como exército alemão tinha um conceito muito pa-
novos paradigmas, comentaremos a seguir. recido com o da intenção do comandante,
chamado Weisungshrung, traduzido como
Empowerment ‘orientação da liderança’. Este conceito ma-
terializou-se em paralelo com a criação do
“A tarefa da liderança não mais seria a conceito de membro da tropa de assalto, sur-
de instalar grandeza na humanidade, mas gido na tentativa de se livrar da guerra de
tão-somente liberá-la, porque a grandeza trincheiras.(...) o exército alemão formou as
já se encontra lá instalada.” (J. Buchan) unidades de elite Sturmtruppen, que eram al-
No passado, os líderes costumavam con- tamente treinadas, altamente motivadas, que
centrar todo o poder decisório em suas mãos, eram capazes de agir com independência (...)
até mesmo no que se referia a tarefas bási- Naquela situação, altamente dinâmica e flui-
cas do cotidiano. Essa aglutinação do po- da, quando seria impossível manter-se em
der, embora válida em alguns casos, mos- contato com o líder, não fazia sentido seguir
trou-se ineficaz em algumas situações, de as ordens exatas de um comandante, daí o
conflito ou não, em que, na falta do líder e conceito de orientação da liderança.”
concomitante necessidade de uma mudan- Cabe, contudo, ressaltar que existem
ça de atitude, o subordinado não sabia como maneiras corretas de se alcançar a efetiva
agir, visto que não era estimulado para tal. delegação. Antes de tudo, é preciso definir
Por esse motivo, a tendência moderna a quem delegar e como fazê-lo, devendo
de comando está cada vez mais baseada ser feito de forma clara e específica. É im-
206 RMB1oT/2009
O FUTURO LÍDER PELO OLHAR DO ASPIRANTE DA ESCOLA NAVAL: CARACTERÍSTICAS E DIFICULDADES NO
CONTEXTO CONTEMPORÂNEO

A estruturação de um ambiente em que todos se sintam capazes,


confiantes e partes integrantes de um grupo unido em prol de um
objetivo comum, conhecendo as necessidades, dificuldades e aspirações
da unidade, são aspectos fundamentais para o desenvolvimento das
atividades requeridas com máximo grau de eficiência

portante que sejam priorizados os resulta- te da liderança autocrática e da liderança


dos que devem ser alcançados e não os transacional, baseadas, a primeira, no poder
procedimentos a serem seguidos, de forma do líder e submissão dos subordinados e, a
a possibilitar o desenvolvimento da segunda, em um sistema de recompensas; a
criatividade do subordinado; embora pro- liderança transformacional se assegura no es-
cedimentos relativos à segurança devam tímulo e atenção pessoal, buscando criar lide-
ser, sim, destacados. Apesar de tudo, a rados comprometidos, leais e participativos.
delegação da autoridade não exclui a res- Segundo esse conceito, o líder do futuro
ponsabilidade do superior. terá o papel de educador, responsável por dar
Os líderes são cada vez mais maestros e condições para o autodesenvolvi-mento de
não mestres, devendo, portanto, ser capa- seus subordinados, por meio da demanda cres-
zes de liberar o talento em seus subordina- cente da participação destes no processo.
dos e conduzi-los ao sucesso, à correta Obviamente, este conceito, bastante co-
execução da missão. mum no meio empresarial, deve ser
detalhadamente analisado para ser aplicado
Liderança Transformacional ao âmbito militar, de modo a não prejudicar
os pilares de hierarquia e disciplina sobre os
“Os chefes contam as sementes da maçã. quais nossas Forças Armadas se apóiam.
Os líderes imaginam quantas maçãs exis-
tem em uma semente” (Ian Percy) Inteligência Emocional
O conceito de liderança transformacional
tem se mostrado bastante adequado para a “Inteligência emocional é, por exemplo,
grande maioria das situações com as quais os a capacidade de criar motivações para si
líderes se deparam atualmente. Diferentemen- próprio e de persistir num objetivo apesar

RMB1oT/2009 207
O FUTURO LÍDER PELO OLHAR DO ASPIRANTE DA ESCOLA NAVAL: CARACTERÍSTICAS E DIFICULDADES NO
CONTEXTO CONTEMPORÂNEO

dos percalços; de controlar impulsos e sa- se relaciona com a imprevisibilidade do dia-a-


ber aguardar pela satisfação de seus dese- dia, ganha importância para o exercício da li-
jos; de se manter em bom estado de espírito derança, devendo ser trabalhada em conjunto
e de impedir que a ansiedade interfira na com as habilidades técnicas e intelectuais.
capacidade de raciocinar; de ser empático
e autoconfiante.” (Daniel Goleman) CONSTRUÇÃO DA CULTURA
Ultimamente, os testes de QI vêm per- ORGANIZACIONAL
dendo sua importância, na medida em que
o conceito do desenvolvimento de múlti- “Sabe qual é o melhor navio da Mari-
plas inteligências se dissemina. Tão impor- nha? O seu.”
tante quanto fazer cálculos matemáticos e Enquanto exercendo uma função de li-
atuar com destreza nos aspectos acadêmi- derança, o indivíduo deve estar preocupa-
cos é saber lidar com as diversas situações do em trabalhar os aspectos inerentes ao
que fazem parte do dia-a-dia. espírito de grupo entre seus liderados, pos-
Nesse contexto, surge como destaque a sibilitando, verdadeiramente, a formação de
aptidão da inteligência emocional. Segundo uma “família”. Este aspecto prova sua rele-
esse conceito, o líder deve ter moldadas em vância, uma vez que, envolvidos em uma
sua personalidade as situação de combate,
cinco dimensões da cada membro deve
inteligência emocional Uma vez identificado com o confiar plenamente
e suas competências: nos outros, sendo ne-
– Na área intrapes- grupo, o indivíduo dará o cessário para tal o es-
soal: autopercepção e máximo de si para o tabelecimento prévio
a u t o c o n s c i ê n c i a ; sucesso coletivo. Criar este de vínculos que permi-
auto-regulação e con- tam tal confiança. A
trole de emoções; e ambiente favorável é fortificação desses
automotivação; função do líder! vínculos está intima-
– Na área interpes- mente relacionada à
soal: empatia; apti- existência de uma cul-
dões sociais para o relacionamento. tura organizacional, fortemente agregada ao
O conjunto dessas características, quan- inconsciente de cada membro do grupo.
do encontradas em um indivíduo que exerça A identificação com as crenças da insti-
papel de liderança, permite uma análise do tuição, o aprendizado das práticas, costu-
papel desempenhado pelo mesmo, no intui- mes e jargões e a difusão da idéia do “seu
to de examinar suas avaliações e decisões; navio” ou do “seu batalhão”, aliados ao
tomar consciência de suas intenções; con- incentivo à participação nas decisões que
trolar suas emoções, considerando que a agreguem força a este sentimento de “fa-
atitude do líder afeta toda a disposição dos zer parte do todo”, compõem um conjunto
subordinados; trabalhar seus graus de per- de características inerentes ao espírito de
cepção e seu modo de comunicação, ouvin- grupo, as quais devem ser trabalhadas pelo
do e recebendo feedback; e trabalhar sua líder, ajudando a formar o capital social da
empatia para com os subordinados, fortale- unidade, do navio, da tropa e, em última
cendo seu poder de influenciar os demais. análise, da instituição militar.
Desse modo, podemos concluir que o de- A estruturação de um ambiente em que
senvolvimento da inteligência emocional, que todos se sintam capazes, confiantes e par-
208 RMB1oT/2009
O FUTURO LÍDER PELO OLHAR DO ASPIRANTE DA ESCOLA NAVAL: CARACTERÍSTICAS E DIFICULDADES NO
CONTEXTO CONTEMPORÂNEO

tes integrantes de um grupo unido em prol – Coragem – “Se um general não for
de um objetivo comum, conhecendo as corajoso, será incapaz de vencer dúvidas
necessidades, dificuldades e aspirações da ou criar grandes planos.” (Shen Pao-hsu)
unidade, é aspecto fundamental para o de- – Decisão – “O chefe não pode ficar mui-
senvolvimento das atividades requeridas to tempo indeciso entre duas soluções. Deve
com máximo grau de eficiência. Isso por- fixar com rapidez a sua opinião e encerrar
que, uma vez identificado com o grupo, o toda a discussão.” (Comandante Lebaud)
indivíduo dará o máximo de si para o su- – Clareza – “Aquele cujas fileiras esti-
cesso coletivo. Criar este ambiente favorá- verem unidas quanto ao propósito será vi-
vel é função do líder! torioso.” (Sun Tzu, A arte da guerra)
– Motivação – “A força moral do solda-
OS LÍDERES DO PASSADO, DO do aumenta quando é bem comandado.”
PRESENTE E DO FUTURO: (General Osório)
ALGUMAS CARACTERÍSTICAS – Justiça – “Quando se trata as pesso-
IMUTÁVEIS as com benevolência, justiça e correção se
deposita confiança nelas, o exército estará
Embora a ascensão de novos valores e a unido num só ponto de vista e todos esta-
mudança de determinados paradigmas te- rão contentes por servir a seus líderes.”
nham gerado novos desafios para o desem- (Chang Yü, A arte da guerra)
penho da liderança militar, impondo uma
adequação dos métodos e práticas dos líde- O OLHAR DO ASPIRANTE:
res modernos, existem algumas característi- EXPERIÊNCIA E APRENDIZADO NA
cas que, devido à força de sua essência, ESCOLA NAVAL
permaneceram inabaláveis como inerentes
àqueles que se propõem a liderar homens. A análise aqui construída sobre o papel da
Tais características referem-se ao cará- contemporaneidade na formação dos líderes é
ter e à personalidade do líder e são, desde resultado da visão de um aspirante da Escola
os primórdios das sociedades, relaciona- Naval, baseado nas experiências vivenciadas
das como fundamentais para o desempe- durante sua formação e no aprendizado teóri-
nho da liderança. Isso tanto é verdade que co, componente do currículo escolar.
muitos escritores, teóricos e, principalmen- Quanto à construção dessa visão, gran-
te, grandes líderes, ao longo dos séculos, de parte dela provém do contato com os
já falaram sobre tal assunto. oficiais do Comando do Corpo de Aspiran-
Entre outros traços, os líderes do futu- tes, que, por meio de suas experiências pró-
ro, assim como os do passado e do presen- prias, contadas aos aspirantes, oferecem
te, devem apresentar: casos para análise e estudo de situações
– Honra – “A honra é a virtude que exalta que, em breve, farão parte do nosso cotidia-
vontade e não permite a capitulação, a in- no (permito-me aqui usar a primeira pessoa).
dignidade, a covardia, a renúncia à luta, o Do mesmo modo, a observação das ati-
abandono dos estandartes, das armas e dos tudes e decisões dos seus superiores per-
camaradas.” (Sérgio A. de A. Coutinho, A mite aos aspirantes, por meio do resultado
chefia e a liderança militares) obtido em cada caso, avaliar o tipo de lide-
– Exemplo – “Dar o exemplo não é a rança que está sendo utilizada e sua efeti-
melhor maneira de influenciar os outros. É va aplicabilidade e eficácia. Isto tudo con-
a única.” (Albert Schweitzer) tribui para a formação do futuro líder, uma
RMB1oT/2009 209
O FUTURO LÍDER PELO OLHAR DO ASPIRANTE DA ESCOLA NAVAL: CARACTERÍSTICAS E DIFICULDADES NO
CONTEXTO CONTEMPORÂNEO

Enfim, todos estes aspectos con-


correm para a formação do líder mili-
tar-naval do futuro, enquanto aspi-
rante da Escola Naval.
CONCLUSÃO
A partir do que foi exposto, pode-
se concluir que a emergência de
novos valores, construindo um
novo cenário global, efetivamente
alterou as relações entre líderes e
Assimilação os diversos conceitos relacionados ao seguidores.
tema liderança... permite interligar os ensinamentos A assimilação de novos concei-
teóricos às experiências rotineiras tos relacionados à liderança militar
em tempos de paz torna-se funda-
vez que a assimilação das práticas eficazes mental, uma vez que os subordinados são
e a correção das inconsistentes para cada diferentes, a sociedade é diferente e até a
situação permitem ao aspirante familiarizar- instituição, em nosso caso, a Marinha do
se com o caráter situacional da liderança, Brasil, vem adotando novas posturas. Apon-
ao mesmo tempo em que molda sua perso- tando para a preocupação da instituição em
nalidade como líder. manter elevado o interesse pela permanên-
Outro componente de extrema importân- cia e ingresso de pessoal, com a existência
cia é o aprendizado dos aspectos teóricos, de um ambiente de trabalho produtivo, sau-
abordados em sala de aula. A assimilação dos dável e prazeroso, mantendo o elevado grau
diversos conceitos relacionados ao tema li- de profissiona-lismo, foi concebida e difun-
derança, como percepção, tipos de lideran- dida a Doutrina de Liderança da Marinha
ça, bases de poder, liderança em combate, (EMA-137), que compila alguns dos tópi-
perfil do líder militar, contemporaneidade, pro- cos abordados neste trabalho, entre outros
cessos grupais, entre outros, todos modelos e ferramentas para a liderança.
exemplificados por estudos de caso, permite Em consonância com estes fatores – as
interligar os ensinamentos teóricos às expe- novas características do líder militar e as pre-
riências rotineiras. ocupações da Marinha do Brasil – está a for-
Some-se, ainda, a oportunidade de lide- mação dos aspirantes: os futuros líderes da
rança efetiva oferecida aos aspirantes do nossa instituição. É fato que a base teórica e
quarto ano escolar a fim de que possam pra- prática, no que concerne ao tema da lideran-
ticar os conceitos assimilados para a con- ça, se bem aproveitada, permitirá ao então
dução do Corpo de Aspirantes. Esta tarefa aspirante a construção da personalidade
permite o desenvolvimento da capacidade requerida para liderar, superando os desafios
de decisão e condução dos aspirantes, uma impostos pelo contexto contemporâneo, os
vez que os conflitos, problemas e desafios quais já foram aqui mencionados.
dos demais são trazidos até eles, colocan- Uma vez que saiba agir, considerando
do-os face a face com situações reais de os conceitos clássicos e basilares da lide-
liderança e incutindo-lhes grande nível de rança militar e adequando-os, quando ne-
responsabilidade. cessário, às situações diárias, o futuro lí-
210 RMB1oT/2009
O FUTURO LÍDER PELO OLHAR DO ASPIRANTE DA ESCOLA NAVAL: CARACTERÍSTICAS E DIFICULDADES NO
CONTEXTO CONTEMPORÂNEO

der obterá êxito no exercício de seu dever: um certo período seus interesses pessoais
conduzir homens. em benefício de um objetivo comum, que
“A liderança implica persuadir outras esteja associado às responsabilidades e ao
pessoas no sentido que deixem de lado por bem-estar do grupo.” (Hogan et al, 1994)

CLASSIFICAÇÃO PARA ÍNDICE REMISSIVO:


<VALORES>; Liderança; Autoridade; Comando; Escola Naval; Ética; Exemplo;

BIBLIOGRAFIA
BENNIS, Warren.Líderes. Estratégias para assumir a verdadeira liderança. Editora Harbra, 1988.
BERGAMINI, Cecília W. O líder eficaz. Editora Atlas, 2002.
COUTINHO, Sérgio Augusto de Avelar. A chefia e a liderança militares. Bibliex, 1997.
DIRETORIA DE ENSINO DA MARINHA. Manual de Liderança. 1996.
HESSELBEIN, Francês. O líder do futuro: visões, estratégias e práticas para uma nova era. Editora
Futura, 2000.
MCNEILLY, Mark. Sun Tzu e arte da guerra moderna. Editora Record, 2004.
NOBRE, Érica Barreto.Crenças de superiores e subordinados sobre o perfil do líder militar-naval
brasileiro neste final de século.Tese de Mestrado em Psicologia, UFRJ, 1998.
PASSARINHO, Jarbas Gonçalves. Liderança Militar. Bibliex, 1987.

RMB1oT/2009 211

Você também pode gostar