Você está na página 1de 53

PANORAMA DO SETOR

SUCROALCOOLEIRO

LUIZ CARLOS CORRÊA CARVALHO


CANAPLAN / ALTO ALEGRE
III SIMPÓSIO INTERNACIONAL – STAB
ÁGUAS DE S. PEDRO, 23/11/05
AÇÚCAR E ETANOL – UM
CENÁRIO POSITIVO
TEMAS: • QUESTÕES GLOBAIS
ENVOLVENDO O SETOR

• CRESCIMENTO DOS
MERCADOS
INTERNO E EXTERNO
AÇÚCAR E ÁLCOOL

• SINERGIAS FUNDAMENTAIS
CANA / SOJA; ETANOL /
BIODIESEL

• SIMBIOSES NA CADEIA
PRODUTIVA
ETANOL / FFV; E OUTROS
A QUESTÃO
ENERGIA
PREÇO MUNDIAL DO PETRÓLEO WTI
CASO BASE , CASOS MAIS FRIO E MAIS QUENTE
PRODUÇÃO E DEMANDA MUNDIAL DE PETRÓLEO
2002, 2010 e 2025 (milhões de barris por dia)
Consumo Produção
“É virtualmente impossível para a Arábia
Saudita manter uma produção de 20 a 25
milhões de barris/dia…. Há uma genuína
probabilidade da Arábia Saudita estar agora
produzindo mais do que o correto, em seus
gigantes campos de petróleo”.

“O tempo de acreditar, mas verificar, é


agora, antes que o crepúsculo chegue e a
escuridão, em seguida, tome conta”.
Matthew R. Simmons, Twilight in the Desert, 2005
ORIENTE MÉDIO: RESERVAS DE PETRÓLEO
E GÁS NATURAL (final de 2003)

Petróleo Gás Natural


(bi barris) (tri m3)
Arábia Saudita 262,7 6,68
Oriente Médio 726,6 71,72
Mundo (Total) 1.147,7 175,78
O. Médio % Mundo 63,3 40,8
A. Saudi. % Mundo 22,9 3,8
A. Saud. % O. Médio 31,2 9,3
Fonte: BP Statistical Review of World Energy
…é tudo culpa deles (Ago 27, 2005)
Crescimento Demanda (2000 - 2004)

China

América Norte

India Resto da Ásia

Oriente Médio

EU 25 Europa & Eurasia

Africa
TOTAL = 5,000 kb/d
América Latina

0 200 400 600 800 1,000 1,200 1,400 1,600 1,800


1000 b/d

Fonte: Robert Skinner, Oxford Inst. For Energy Studies, “Oil in the World Energy Mix”, London, Nov/2005
1) A evolução do veículo desde
o Séc. XX até as
perspectivas do carro
elétrico movido a hidrogênio;
2) A correlação direta entre
carro, emissão de carbono e
aquecimento do planeta.
Mudança de Temperatura (ºC)

CO2 na Atmosfera
Hemisfério Norte

Níveis de CO2

TºC Medido

TºC Refeito

Anos
POPULAÇÃO MUNDIAL POR REGIÃO, 1970-2025
(milhões)
História Projeções

Economias em
Desenvolvimento
Participação
do Total

Países
Desenvolvidos

Economias em Transição
PIB & ENERGIA PER CAPITA: META DOS PAÍSES
EM DESENVOLVIMENTO

meta
Demanda Mundial de Energia Primária
7 000

6 000 Oil

5 000

Natural gas
4 000
Mtoe

U.S. Oil
3 000 Coal
China Coal
2 000 Other renewables

1 000 Nuclear power


Hydro power
0
1970 1980 1990 2000 2010 2020 2030

Duas entradas no World’s ‘Energy Balance Sheet’


definem a Energy & Climate Challenges

Fonte: Robert Skinner, Oxford Inst. For Energy Studies, “Oil in the World Energy Mix”, London, Nov/2005
MUNDO:
PERSPECTIVAS PARA A ENERGIA RENOVÁVEL

% TOTAL ANO
13,5 2005
20,0 2030
>30,0 2050
FATORES IMPORTANTES:
Intensidade e disponibilidade das fontes renováveis;
Maturidade das tecnologias para os renováveis;
Regras de mercado e governo
Rick Sellers, IEA, 2005
IMPACTOS DA AGRICULTURA COM A PRODUÇÃO DA
BIOMASSA PARA ENERGIA

“6 EJ SERÁ O VOLUME DE ETANOL DE


BAIXO CUSTO ( 240 BILHÕES DE LITROS)
QUE PODERÁ SER PRODUZIDO GLOBALMENTE
COM A EXPANSÃO DA PRODUÇÃO DE
BRASIL E ÍNDIA”
IEA, 2004
A QUESTÃO
AÇÚCAR E
ÁLCOOL
CANA-DE-AÇÚCAR É UM EXEMPLO CLARO
E POSITIVO DE CICLO DE VIDA DE ENERGIA
(1 unidade de energia entrada, resulta em 8.2 a 10.2 unidades de energia)
CASO BRASIL

Açúcar +
Outros Açúcares

Energia Combustíveis
elétrica Líquidos

Bagaço
& SUB-PRODUTOS;
Palhas

+ SINERGIAS
EVOLUÇÃO DA MOAGEM DE CANA NO BRASIL

Açúcar – 130.000 t/dia


Etanol – 100.000 m3/dia
Flexibilidade
milhão tons

180 – 200 dias

Etanol Açúcar

Fonte: Ruete, H., IEA meeting,Paris, 2005


ÁREA COM CANA-DE-AÇÚCAR – CENTRO/SUL - BRASIL

2.Área de Cerrado:24% do total


*Área de Cana:0,6%do total
*Área potencial para expansão
da cana:12% do total
*Entre 1992 e 2003, 94% da
expansão total foi
nas unidades
existentes

Área atual: 5,5 M ha


Potencial: 20 vezes

1.Área total Brasil:850 M ha


7% para agricultura
(50% para soja e milho)
35% pastagens
55% florestas
Fonte: Adaptado de Ruete, H., IEA meeting,Paris, 2005
PERSPECTIVAS DE EXPANSÃO DA ÁREA COM CANA-DE-AÇÚCAR
– CENTRO/SUL - BRASIL

IND. UNITS
N/NE -126
C/S - 219
TOTAL- 345

(50 new )

Fonte: Ruete, H., IEA meeting,Paris, 2005


RENDA
RELAÇÃO ENTRE A RENDA E O CONSUMO
KG DE AÇUCAR/CAPITA DE AÇÚCAR NO MUNDO ( 2002 )

PIB REAL / CAPITA (US$ 2002)

Pontos a observar: Consumo na Ásia


Adoçantes sintéticos
OMC e liberalização
Fonte: LMC Sweetener Analysis, mar/04
O MERCADO GLOBAL DE ADOÇANTES
(AÇÚCAR BRANCO EQUIVALENTE)

Unidade 1985 1990 1995 2000 2003


Açúcar mm ton 91.5 101.5 108.9 117.2 129.6
Sintéticos mm ton 7.2 8.5 11.5 13.8 16.9
Frutose mm ton 6.2 7.6 9.7 11.7 11.7
Total mm ton 104.9 117.6 130.1 142.7 158.2
Mercado % 87.2 86.3 83.7 82.0 81.9
Açúcar
Mercado % 6.9 7.2 8.8 9.8 10.6
Sintéticos
Mercado % 5.9 6.5 7.5 8.2 7.4
Frutose
Fonte: Estimativas ISO.
MERCADO DE AÇÚCAR
MERCADO INTERNO:
- Cresce 1,7 a 2% ao ano (alimento).
Quanto crescerá como matéria prima para a sucroquímica?

MERCADO EXTERNO:
- Substituição do espaço a ser criado com a saída da União
Européia do mercado internacional:
Quanto? 5 a 7 milhões de ton (talvez mais pelo efeito
beterraba para etanol).
- Crescimento do consumo per capita na Ásia (processo de
urbanização):
Ex.: China: de 9 kg/capita para 16 kg/capita entre 2005 e
2015: 12.000.000 t para 21.000.000 t (+ 9 milhões t)
MERCADO DE ÁLCOOL

1. Crescimento acelerado no mercado


interno, como função do FFV;
- Redução paulatina (lenta) do consumo de
anidro pela redução da gasolina;
2. Crescimento do mercado externo:
- Ritmo difícil de definir
- Políticas públicas a definir nos vários
países – tendência de positivos incentivos
BRASIL – ETANOL e AÇÚCAR 2010 – EXPANSÃO
ÁREA REQUERIDA
ÁLCOOL (bilhão litros)
MERC. INT. MERC. EXT. TOTAL ÁREA TOTAL
(milhão ha)

2005 14.3 2.4 16.7 3.00


2010 21.5 5.0 26.5 4.18
(-) 7.2 2.6 9.8 1.18
Taxa Anual (%) 3,497 15,811 9,674 6,859
AÇÚCAR (milhão toneladas)
2005 10.0 16.0 26.0 3.19
2010 11.0 21.0 32.0 3.43
(-) 1.0 5.0 6.0 0.24
Taxa Anual (%) 1,924 5,589 4,240 1,461
Aç. + Álc. 1.04 mm ha 0.38 mm ha 1.42 mm ha
73% 17% 100%
Nota: Considerado ganho de produtividade de 2% a.a.
0%
10%
20%
30%
40%
50%
60%
70%
80%
90%
100%

95/96 66,3% 33,70%

96/97 66,1% 33,89%

97/98 66,4% 33,56%

98/99 57,9% 42,14%

99/00 54,8% 45,18%

Fonte : Unica – Relatórios Quinzenais e Bioagência


ÁLCOOL
00/01 54,9% 45,06%

01/02 57,0% 43,00%


AÇÚCAR
REGIÃO CENTRO/SUL

02/03 50,2% 49,77%

03/04 52,0% 47,95%


EVOLUÇÃO DO MIX AÇÚCAR-ÁLCOOL

04/05 50,3% 49,72%

05/06 51,5% 48,50%


CUSTO DO AÇÚCAR

Fonte: CTC
CURVA DO APRENDIZADO
PREÇOS PAGOS AO ETANOL E À GASOLINA NO BRASIL

market
MERCADO(ethanol prices)
(PREÇOS)

Condições market
MERCADO(Rotterdam-
(ROTTERDAM)
Gasoline price)
GASOLINA
Do Mercado

Produção Acumulada de Etanol ( 1000 m3 )


Fonte: Goldemberg,J. & Macedo,I., 2005
R$/m3 Cotações Semanais - ANIDRO - ESALQ - 04/05 x 05/06 R$/sc
1.100,00 36,00

1.050,00 35,00

1.000,00 34,00

950,00 33,00

900,00 32,00

850,00 31,00

800,00 30,00

750,00 29,00

700,00 28,00
Açúcar-Esalq 05-06
650,00 Anidro-Esalq-04-05 27,00
Anidro-Esalq-05-06
600,00 26,00
Média Safra 04/05
550,00 Média Safra 04/05+15% 25,00

500,00 24,00
06/05/05
20/05/05
03/06/05
17/06/05
01/07/05
15/07/05
29/07/05
12/08/05
26/08/05
09/09/05
23/09/05
07/10/05
21/10/05
04/11/05
18/11/05
02/12/05
16/12/05
30/12/05
13/01/06
27/01/06
10/02/06
24/02/06
10/03/06
24/03/06
07/04/06
21/04/06
05/05/06
Fonte: Bioagência
EFEITO FLEX FUEL
MAIO 2005 A ABRIL 2006 : 1 MILHÃO DE
NOVOS FFV
IMPACTO NA DEMANDA DE ETANOL:
1,1 BILHÃO LTS

FUTURO (CURTO PRAZO)....90% DO TOTAL DE VENDAS DE CARROS NO BRAZIL


2011 : 1,7 MILHÃO DE NOVAS VENDAS; FROTA FFV: 10,4 MILHÕES
0,19 MILHÕES DE VENDAS DE CARROS A GASOLINA

TENDÊNCIAS:
1. CAPACIDADE OCIOSA DE ETANOL DEVE TERMINAR EM 2006/07
2. NOVA OFERTA DE ETANOL VIRÁ DE NOVAS PLANTAS INDUSTRIAIS
3. ETANOL (2010) DEVERÁ REPRESENTAR 60% DO MIX DE PRODUTOS
EFEITO REDUÇÃO DAS EXPORTAÇÕES DA U.E.
milhão toneladas, valor refinado

Exportação
limite
Meta de
OMC
exportação
da C. E
PRODUÇÃO MUNDIAL DE ETANOL
POR CONTINENTE

Fonte: F.O.Licht’s World Ethanol and Biofuel Report, pg. 79, vol 4, no 4, 25/10/2005
COMÉRCIO MUNDIAL DE ETANOL
(BILHÃO DE LITROS)
OFERTA DEMANDA

REGIÃO 2005 2010 2005 2010


BRASIL 16,5 26,0 14,0 20,5
EUA 15,0 20,0 13,0 18,5
U.E. 3,5 7,2 5,0 12,0
CHINA 3,0 4,0 3,0 4,5
OUTROS 4,0* 7,5 7,0 9,2
TOTAL 42,0 64,7 42,0 64,7
* CANADÁ, A.LATINA, ÁFRICA, ÁSIA(JAPÃO / CORÉIA)

Fonte: NYBOT;Projeções Canaplan


ESTRATÉGIA GLOBAL
BIOCOMBUSTÍVEIS AGRICULTURA
PRODUÇÃO IMPACTOS:
E USO ALIMENTO & ENERGIA

SINERGIA
MILHO SOJA
TRIGO ETANOL // BIODIESEL COLZA
CANA PALMA/OUTROS

*MERCADO COM PRODUTO ADICIONAL PARA AGRICULTORES


*AUMENTO NOS PREÇO DOS PRODUTOS AGRÍCOLAS
*SINERGIA ENTRE ETANOL E BIODIESEL SIGNIFICA:
- CUSTOS MENORES DE PRODUÇÃO
- P&D MAIS ACELERADOS
- IMPLEMENTAÇÃO MAIS RÁPIDA
- OUTRAS POSSIBILIDADES (MADEIRA E SEUS DERIVADOS)
SINERGIAS
“BIODIESEL PODERÁ TER A SUA PRODUÇÃO
AMPLIADA NAS EMPRESAS DE AGRIBUSINESS
QUE SE UTILIZAM DE GRANDE VOLUMES DE
DIESEL….. CERTAMENTE ELAS PAGAM ALTOS
PREÇOS PELO DIESEL POIS ESTÃO DISTANTES
DAS REFINARIAS”

EMPRESAS CONSUMO ANUAL DE DIESEL

VALE DO RIO DOCE 758 MILHÕES LTS/ANO


AGRIBUSINESS CANA 958 MILHÕES LTS/ANO
AGRIBUSINESS SOJA 1.689 MILHÕES LTS/ANO
TOTAL 3.405 MILHÕES LTS/ANO
BIODIESEL B20 - DEMANDA 681 MILHÕES LTS/ANO
OU: 85% DA META DO BRASIL PARA BIODIESEL 2%...........

Fonte:BUNGE, com base em CVRD (2003), Macedo (2004/2005), NREL (2004), FAO (2004)
SINERGIAS DO ETANOL E BIODIESEL
ALIMENTO
FOSSIL

FUEL

ENERGIA

ELÉTRICA
BIOCOMBUSTÍVEIS
ALIMENTOS E ENERGIA
•HÁ RELAÇÃO DE MERCADO ENTRE AS
AGRICULTURAS ?
•HÁ DIFICULDADES DE ESPAÇO?
Fonte:Bioagência
O MUNDO DO AÇÚCAR EM 2005

1.U.E.: A grande novidadade


A saída como exportadora em 2006 MAS, pressão da última
exportação em 2005:
Preços: + US$ 12c/lb (a partir de março 2006)
> US$ 12 c/lb (2o semestre 2006)

2. Saídas 2005:
Demanda de VHP pressionada pelas exportações de açúcar
refinado da U.E.

3. 2006
Brasil (Centro/Sul) e mais etanol favorecerá preços do açúcar.
O PETRÓLEO E OS GRUPOS DE INTERESSE
A MENSAGEM DO PRÓXIMO PICO DO PETRÓLEO

TRÊS GRUPOS COM INTERESSES IGUAIS MAS RAZÕES DIVERSAS:

AMBIENTA
LISTAS
EMPRESAS
DE PRODUTO-
PETRÓLEO RES DE
RENOVÁVEIS

FOCO NO AUMENTO FOCO NA SUBSTITUIÇÃO


RAZÕES DAS FONTES FÓSSEIS
DOS PREÇOS (MÚSI-
DIVERSAS POR RENOVÁVEIS
CA NOS OUVIDOS)
O MUNDO DO ETANOL EM 2005
INFORMAÇÕES DECISIVAS

1. FFV e EXPORTAÇÕES DE ÁLCOOL FAZEM AQUECER


A INDÚSTRIA DO ETANOL NO BRASIL.

2. RFS APROVADA NOS EUA.

3. POSITIVO MOVIMENTO NA UNIÃO EUROPÉIA,


AQUECE O USO EM LARGA ESCALA DO ETANOL.

4. ÁSIA SE TORNA IMPORTANTE DESTINO DO ETANOL.

5. G8 E PRIORIDADES DE AÇÃO (KYOTO; ENERGIAS


ALTERNATIVAS; POBREZA; TERRORISMO).
2005: ECONOMIA FAVORECE O
ETANOL NOS EUA
8500
300

8000

US cents/gallon
250
milhões barris

US$ c/galão
mln barrels

7500
200
7000

150
6500

6000 100
2004 2005

Demanda Etanol
Ethanol demand Preço Gasolina
Gasoline prices Ethanol prices
Preço Etanol

Fonte: Berg, C. – Amsterdam, Novembro/05


2005: POLÍTICA FAVORECE O
ETANOL NOS EUA
8

6
bln gallons

4
7,4 7,5
6,8
3 6,1
5,4
4,7
2 4,0
1

0
2006 2008 2010 2012

The RFS schedule


Cronograma RFS

Fonte: Berg, C. – Amsterdam, Novembro/05


2005: U.E.
Fatia de mercado dos biocombustíveis
3,5

2,5
in %

1,5

0,5

0
SV CZ AT SK LI LA ES DE EU- NL FR PT GR HU UK MT FI IE DK
25
U.E. – OBSTÁCULOS PARA CRESCER:
• FATORES FÍSICOS
• FATORES ECONÔMICOS (COMPETIÇÃO COM COMB. FÓSSEIS;
IMPORTAÇÕES; VARIEDADES DE SISTEMAS DE INCENTIVOS)
Fonte: Berg, C. – Amsterdam, Novembro/05
- ÁSIA -
ETANOL E FATORES POSITIVOS

1. O PROGRAMA DE ETANOL DA ÍNDIA FOI EFETIVAMENTE


RENOVADO E MOSTRARÁ EXPANSÃO DE PRODUÇÃO E
USO;

2. TAILÂNDIA SUBSTITUIRÁ O MTBE POR ETANOL EM 2006;

3. FILIPINAS INICIA O USO DO ETANOL NA GASOLINA;

4. CHINA / JAPÃO / AUSTRÁLIA


DEMANDA GLOBAL/REGIÃO DE ETANOL
TAXA ANUAL DE CRESCIMENTO (%)
2001 - 2005
CONTINENTE / REGIÃO %
União Européia 2,9
Europa 2,1
África 3,8
Am. Norte e América Central 18,4
América do Sul 9,7
Ásia 2,8
Oceania (3,1)
Mundo 10,2
Fonte: F.O.Licht’s World Ethanol and Biofuel Report, pg. 83, vol 4, no 4, 25/10/2005
Países & Regiões
Produtores de Cana-de-Açúcar no Mundo

Fonte: Laura Tetti, London, nov/2005


MISTURA DE 10% EM TODA A GASOLINA CONSUMIDA

Ex. 1. Países em desenvolvimento e outros não da OCDE


Volume necessário de Etanol:
32,7 bilhões de litros
Base Brasil......área necessária de 5,6 milhões de ha
(área atual com cana no Brasil)
Ex. 2. Países da OCDE
Volume necessário de Etanol:
84,0 bilhões de litros
Base Brasil.......área necessária de 14,4 milhões de ha
(área atual com cana e pastos em S.Paulo)

Ex.3. Todos os países


Volume necessário de Etanol:
116,0 Bilhões de Litros
(área atual com soja no Brasil)
ANÁLISES E PERSPECTIVAS - 1

1. AS PROJEÇÕES DAS TENDÊNCIAS DO MERCADO E ALTOS


PREÇOS DO PETRÓLEO GERAM SÉRIAS PREOCUPAÇÕES:
• IMPACTOS NEGATIVOS NO CRESCIMENTO ECONÔMICO;
• AUMENTO DA VULNERABILIDADE ÀS INTERRUPÇÕES DE
OFERTA;
• CRESCENTE AUMENTO DAS EMISSÕES DE CO2.
2. OS ELEVADOS PREÇOS DO PETRÓLEO DERAM SIGNIFICATIVO
APOIO AO AQUECIMENTO DO MERCADO DE ETANOL;
3. OS PRINCIPAIS PROGRAMAS NACIONAIS ASSEGURAM O
CRESCIMENTO FUTURO;
4. POLÍTICAS MAIS VIGOROSAS PODERÃO REDUZIR A TAXA DE
AUMENTO DA DEMANDA E DE EMISSÕES, DE FORMA
SIGNIFICATIVA;
ANÁLISES E PERSPECTIVAS - 2

5. ETANOL NA SUA FORMA PURA OU EM BLENDS COM


COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS IRÁ SE TORNAR CRESCENTEMENTE
UMA COMMODITY DE ENERGIA;
6. MERCADOS DE ETANOL NÃO COMBUSTÍVEL ESTARÃO
SEPARADOS;
7. A CURVA DE OFERTA MUNDIAL FUTURA IRÁ REFLETIR UMA
CRESCENTE BANDA DE PREÇOS.
8. UM SISTEMA REALMENTE SUSTENTÁVEL DE ENERGIA
CHAMARÁ POR MAIS RÁPIDAS TECNOLOGIAS GERADAS E
APLICADAS;
9. URGENTES E DECISIVAS AÇÕES GOVERNAMENTAIS SERÃO
EXTREMAMENTE IMPORTANTES.
10. O MERCADO DE AÇÚCAR E ÁLCOOL PASSARÁ POR UMA
FORMIDÁVEL TRANSFORMAÇÃO, A MAIOR DESDE A DESCOBERTA DA
BETERRABA AÇUCAREIRA E O PROCESSO DE PRODUÇÃO NA
EUROPA (SÉCULO XIX);
ANÁLISES E PERSPECTIVAS - 3

11. TECNOLOGIA, SINERGIA, DIVERSIFICAÇÃO, LOGÍSTICA E


MERCADOS GLOBAIS (OMC) SERÃO OS GUIAS PARA AS
MUDANÇAS QUE VIRÃO;
12. SUB-PRODUTOS SERÃO EXTREMAMENTE IMPORTANTES
PARA REDUZIR OS CUSTOS DE PRODUÇÃO DOS
BIOCOMBUSTÍVEIS E UMA IMPORTANTE DIVERSIFICAÇÃO .
13. EMPRESAS INTERNACIONAIS AMPLIARÃO SUA PRESENÇA NO
BRASIL PARA A PRODUÇÃO DE BIOCOMBUSTÍVEIS, AÇÚCAR E
SUB-PRODUTOS.
14. A ADEQUAÇÃO LOGÍSTICA SE DARÁ EM UM CURTO ESPAÇO
DE TEMPO, COM NOVOS INVESTIMENTOS E UMA FORTE
PARTICIPAÇÃO DA PETROBRÁS;
15. HAVERÁ UMA DIMINUIÇÃO DOS DESEQUILÍBRIOS DE FLUXOS
DE CAIXA, COM O APARECIMENTO DE OPERAÇÕES
FINANCEIRAS ESTRUTURAS, DE BAIXO CUSTO, LASTREADAS
EM CONTRATOS DE EXPORTAÇÃO.