Você está na página 1de 8

Porto Maravilha

Novembro | 2010 | no 3

OPINIÃO
Porto do Rio faz 100 anos

DESTAQUE
UPP Social na Providência

SEGURANÇA
Mais ordem e segurança nos arredores

CIDADE
FGTS assina acordo de investimentos de R$ 3,5 bilhões

Imagem ilustrativa
Grandes empresas se instalam na região

PROJETO PORTO MARAVILHA


A maior parceria público-privada do Brasil é da cidade do
PortoRio
Maravilha | 1
EDITORIAL

Mudança urbana e social em curso no Porto EXPEDIENTE


prefeitura da cidade do rio de janeiro
secretaria de desenvolvimento economico
instituto pereira passos
Evolução das obras, entrada de recursos do FGTS e projetos sociais
Coordenação Rogério Riscado e Daniel Lima
já transformam o cotidiano da região portuária do Rio. Edição Monte Castelo Idéias
Jornalista responsável Gisele Macedo
Este ano de Elevado da Perimetral na região por- no espaço perdurem e fiquem como Repórteres Maíra Amorim, Natália Soares e Helena Roballo
2010, em que se tuária. Uma intervenção de grande im- um legado positivo para a cidade e os FOTOS Luiz Fernandes, J.P. Engelbrecht e André Melo
Programação Visual Ana Tereza Barrocas | Assessoria
celebra o cente- portância, que permitirá aos cariocas seus habitantes.
de Disseminação de Informações | IPP
nário do Porto do Rio, está chegando retomar a paisagem e o espaço urbano
Felipe Góes imagens DAS págs 6-7 Carlos Gustavo Nunes Pereira - GUTA
em sua reta final com muitos motivos ocultados há tanto tempo pelo viaduto, Secretário de Desenvolvimento
para comemoração. além de propiciar a melhoria no inten- Presidente do Instituto Pereira Passos CDURP | Companhia de Desenvolvimento Urbano da
Região do Porto do Rio de Janeiro
O andamento das obras de reurba- so tráfego (imagens à direita).
Rua Gago Coutinho, 52 | Laranjeiras | Rio de Janeiro | RJ
nização e as melhorias na infraestrutu- Nenhum projeto de revitaliza- CEP 22221-070 | Tel 2976 6636 | cdurp@cdurp.com.br
ra seguem como planejado, avançando ção urbana, porém, se reduz ape- www.portomaravilha.com.br.
agora para as avenidas Venezuela, Ro- nas a grandes obras. Nesta edição Siga-nos no twitter: @portomaravilha
drigues Alves e para a Rua Camerino. do Porto Maravilha, você também
A requalificação do Morro da Concei- poderá conhecer os projetos sociais Av. Rodrigues Alves hoje.
ção está em desenvolvimento, o que que estão caminhando na região,
dará aos moradores uma melhor qua- como a evolução da UPP Social no
lidade de vida. Morro da Providência e o ousado Pla-
Outra grande notícia foi o acordo no Municipal de Integração de Assen-
entre o Porto Maravilha e a Caixa Eco- tamentos Precários Informais, o Morar
nômica Federal, que disponibilizará in- Carioca, que pretende transformar o
vestimentos de R$3,5 bilhões do FGTS cenário das favelas de toda a cidade até
para o início das obras da segunda fase 2020, levando equipamentos e servi-
do projeto. Essa etapa engloba a aber- ços públicos às comunidades. Afinal,
tura de uma nova avenida, paralela à só pelo engajamento social poderemos
Av. Rodrigues Alves e a demolição do fazer com que as intervenções físicas Av. Rodrigues Alves depois da implantação do projeto.

Notas
formações podem ser obtidas no site Patrimônio Histórico e Artístico Na- história. Desde então, é lá que fazemos
www.concursoportoolimpico.com.br cional – IPHAN. as festas, além de centralizar o creden-
ciamento, a assessoria de imprensa,
Concurso Porto Olímpico IPN recebe prêmio do IPHAN Festival do Rio na região portuária seminários e reuniões de negócios”,
A Prefeitura do Rio, o Instituto dos O Instituto Pretos Novos – IPN é um Um dos maiores encontros de cinema afirmou. O Festival do Rio foi realiza-
Arquitetos do Brasil do Rio de Ja- sítio arqueológico e histórico que da América Latina, o Festival do Rio do entre os dias 23 de setembro e 7 de
neiro (IAB-RJ), e o Comitê Olím- abriga as ossadas de um antigo ce- escolheu como sede, pelo terceiro ano outubro e teve, nesta edição, um públi-
pico Brasileiro (COB) estão promo- mitério de escravos. Localizado no consecutivo, a região portuária. Se- co recorde de 250 mil pessoas.
vendo um concurso com o objetivo bairro da Gamboa, o Instituto é co- gundo a diretora do evento, Walkiria
de selecionar projetos para os equi- ordenado desde de 2005 pelo casal Barbosa, a mudança foi uma aposta no Siga-nos no Twitter
pamentos olímpicos permanentes Petrucio e Merced Guimarães. Con- potencial da área. “Nós montávamos, O Porto Maravilha está no twitter desde
e temporários a serem construídos siderado uma referência dos laços en- todos os anos, uma tenda em Copa- maio. No perfil @portomaravilha, você
na região do Porto, como a Vila de tre África e Brasil, o IPN recebeu este cabana, mas assim que conhecemos encontra notícias sobre o andamento
Mídia, a Vila de Árbitros e o Centro ano o Prêmio Rodrigo Melo Franco o galpão da Ação da Cidadania, que das obras, boletins sobre interrupções
de Convenções. Serão escolhidos os de Andrade, condecoração mais im- fica na Saúde, nos apaixonamos. É um de tráfego, além de saber o que acontece
quatro melhores projetos. Outras in- portante concedida pelo Instituto do lugar ótimo, bem localizado e que tem na agenda cultural da região portuária.

2 | Porto Maravilha
DESTAQUE

UPP Social abre espaço para oportunidades


Serviços públicos, trabalho do túnel João Ricardo, e à coleta de
lixo”, conta Silvia Ramos.
e melhoria da infraestrutu- A coordenadora do programa es-
ra são alguns dos objetivos clarece que cada comunidade tem
suas especificidades, apesar dos mui-
da iniciativa tos problemas em comum, como, por
exemplo, a informalidade do comér-
Chegou a hora de dar o próximo cio. Na Providência, a Secretaria está
passo. Após a implantação das Uni- fazendo um levantamento, com o au-
dades de Polícia Pacificadora (UPP), xílio de antropólogos, para desenhar
as comunidades estão recebendo a o perfil dos moradores. Também será
segunda fase do processo: a chamada Baile de debutantes realizado no Centro Cultural José Bonifácio pela UPP. efetuado um diagnóstico socioeconô-
UPP Social. Desenvolvido pela Secre- mico para se estabelecer uma linha de
taria Estadual de Assistência Social, o retomar esses espaços, o Estado abre braço social da iniciativa, a Providên- comparação com a evolução dos locais
projeto tem como objetivo produzir e as portas para ações que antes eram cia começa a se habituar à atuação do antes e depois da implantação do pro-
coordenar as iniciativas privada, go- precárias ou que não tinham lugar, por poder público. “Existia uma relação grama. Aos poucos, o relacionamento
vernamental e da sociedade civil. O causa do domínio do tráfico, como ati- traumática dos moradores com a po- vai se estreitando. O comandante da
trabalho começou no Morro da Provi- vidades filantrópicas e empresariais”, lícia. O projeto começou sendo visto UPP, capitão Glauco Schorcht, organi-
dência e está em andamento também explica. “Na Providência, uma empre- com desconfiança, mas a mudança de zou, em agosto, um baile de debutantes
na Cidade de Deus e no Borel (com- sa que oferece televisão por assinatu- comportamento está sendo rápida. Já para 600 adolescentes, onde os “prínci-
plexo que engloba outras sete comu- ra acabou de fechar um contrato para realizamos reuniões com moradores e pes” eram policiais. “Foi um sucesso e
nidades). Segundo a subsecretária da oferecer pacotes para os moradores”, comerciantes para ouvir as demandas tem fila de espera para o ano que vem.
pasta, Silvia Ramos, coordenadora da exemplifica. e tivemos muita participação. As pri- Estamos trabalhando para minarmos a
UPP Social, o programa é a consoli- Sétima localidade a ganhar uma meiras que ouvimos foram relaciona- resistência à nossa presença e ficarmos
dação do processo de pacificação. “Ao UPP e primeira a receber as ações do das à infraestrutura, como a limpeza cada vez mais próximos”, comenta.

Morar Carioca: urbanização da Providência


O Plano Municipal de Integração de Mangueira e da Pedreira/Nova Jeru- nizar, os moradores serão reassenta- ção popular do governo federal Minha
Assentamentos Precários Informais, salém (Costa Barros). dos por meio do programa de habita- Casa, Minha Vida”, explica Queiroz.
da Secretaria Municipal de Habitação, “O projeto faz parte do Plano de
pretende urbanizar todas as favelas da Legado Urbano das Olimpíadas de
cidade até 2020, levando às comunida- 2016”, diz o arquiteto Bruno Queiroz,
des serviços e infraestrutura. da gerência de projetos da Secretaria
Imagine o Rio com todas as suas Municipal de Habitação. Até 2012,
favelas urbanizadas, com moradias serão investidos R$ 2 bilhões, com
dignas para todos os moradores, vias recursos da Prefeitura, do governo
asfaltadas e sinalizadas, serviços pú- federal e do Banco Interamericano de
blicos funcionando a pleno vapor. Desenvolvimento (BID). Até 2020, o
Pois este é o objetivo do Plano Muni- aporte total somará R$ 8 bilhões. Se-
cipal de Integração de Assentamen- gundo dados do Instituto Pereira Pas-
tos Precários Informais, o Morar Ca- sos, a cidade tem, hoje, 1.020 favelas,
rioca. O projeto pretende urbanizar que foram reorganizadas, no projeto,
todas as comunidades da cidade até como favelas isoladas ou complexos,
2020 e está licitando obras para os totalizando 625 comunidades. Dessas,
morros da Providência (Centro), Ba- 54 já foram reurbanizadas. “No caso
Projeto Morar Carioca no Morro da Providência.
bilônia/Chapéu Mangueira (Leme), de locais onde não será possível urba-

Porto Maravilha | 3
CIDADE

Projeto Porto Maravilha: a maior parceria p


Consórcio Porto Novo, for- ços da área, como iluminação públi-
ca e coleta do lixo. “Chegamos ao TRECHO DO ELEVADO DA PERIM
mado por Odebrecht, OAS momento irreversível do projeto”, Construção d
afirmou o presidente da Companhia sob o Morro d
e Carioca Engenharia, será de Desenvolvimento Urbano do Implantação do
Porto (CDURP), Jorge Arraes. “A Binário do Porto
o responsável pelas obras PPP garantirá a qualidade das obras
de requalificação urbana e e dos serviços. Como ambos fica-
rão a cargo do consórcio, este não
realização de serviços nos irá ofertar nada que lhe cause pre-
juízos na manutenção. No contra- Construção das
próximos 15 anos to, existe uma série de dispositivos rampas de acesso ao
que preservam o interesse público. Binário
O futuro já chegou à Região Por- É o concessionário que financia as
tuária. No dia 27 de outubro, o con- obras, permitindo ao município ob-
Reurbanização do
sórcio Porto Novo, formado pelas ter ganhos com a valorização da re- Morro da Providência

Av. Francisco Bicalho


empresas Norberto Odebrecht, OAS gião”, esclarece.
e Carioca Engenharia, foi o escolhi- O primeiro passo fundamental
do para executar a segunda fase do para a execução da segunda fase Reurbanização do
projeto Porto Maravilha. Com o va- do projeto aconteceu em setembro, Morro do Pinto
lor total de R$ 7,6 bilhões, essa será quando o prefeito Eduardo Paes e
a primeira Parceria Público-Privada a presidente da Caixa Econômica
(PPP) do município, cuja concessão Federal, Maria Fernanda Ramos
vai durar 15 anos. Coelho assinaram um acordo de
Além de realizar as grandes in- investimentos de R$ 3,5 bilhões
tervenções previstas, como a der- do FGTS.
rubada do Elevado da Perimetral, o As operações do Consórcio Por-
consórcio também será responsável to Novo na região deverão ser ini-
pela oferta e manutenção dos servi- ciadas em janeiro de 2011. Novo sistema viário da região.

Novo acesso viário à região portuária do Rio de Janeiro


A Prefeitura do Rio inaugurou no da nova avenida e o prefeito Eduar-
dia 5 de novembro, a Avenida Prefei- do Paes falou sobre sua importância
to Júlio Coutinho, novo acesso viário para a vida dos cariocas: “- Este é,
que liga a Avenida Brasil ao Porto sem dúvida, mais um importante
do Rio de Janeiro. Com sua criação, passo para que possamos melhorar
serão desviados do trecho inicial da os acessos à cidade e o trânsito no
via expressa cerca de 1.300 veículos Rio. Os moradores das zonas Oes-
de grande porte por dia, reduzindo- te, Norte e da Baixada Fluminen-
se consideravelmente os engarrafa- se, que passam pela Avenida Brasil
mentos naquela região. todo dia, sabem o sofrimento que é
Com 3 Km de extensão, o novo aquela entrada. Por isso, retirando
acesso liga a pista sentido Zona Oes- os caminhões desse trecho, um dos
te da Avenida Brasil à área de con- mais complicados da via expressa,
têineres do Porto, passando pelos beneficiamos a operação portuária e Prefeito inaugura nova via de acesso ao Porto.
fundos do Cemitério São Francisco reduzimos o impacto dos engarrafa-
Xavier (Rua Carlos Seixas), no Caju. mentos sobre a vida da cidade.” milhões, gerando 150 empregos di- a Avenida Brasil e a construção de
Ao final da solenidade, as autorida- A intervenção durou 16 meses e retos. O trabalho incluiu o prolon- duas pontes (sobre o Rio Dom Carlos
des percorreram de jipe todo o trajeto teve investimento total de R$ 24,2 gamento da Rua Carlos Seixas até e o Eixo do Anil).

4 | Porto Maravilha
CIDADE

público-privada do país é da cidade do Rio.


METRAL QUE SERÁ DEMOLIDO
Empresas de grande porte se instalam na região
do Túnel
da Saúde Construção dos Túneis portuária, incentivando a revitalização da área.
da Av. Rodrigues Alves
e do Binário

Reurbanização do GVT investe R$ 5 milhões na nova sede na região.


Morro da Conceição
O processo de revitalização da região portuária vem conquistando
grandes companhias, como Tishman Speyer e as construtoras CHL e
Sandria, que estão se instalando ou construindo na área. O Banco Cen-
tral do Brasil também vai para a região, o novo prédio ficará na altura
do Armazém 8, próximo à Cidade do Samba. Já a Sandria Projetos e
e Va rgas Construções está investindo R$ 150 milhões e a CHL, R$ 100 milhões,
re s id e n t
Av. P em edifícios comerciais.
A primeira a inaugurar suas novas acomodações foi a GVT, ope-
radora de telefonia fixa e banda larga de atuação nacional. A empresa
ocupa, desde o fim de setembro, um galpão de 4.700 metros quadrados
na Avenida Rodrigues Alves, após investir cerca de R$ 5 milhões na
reforma do espaço. “A localização estratégica possibilitará agilidade
no atendimento e facilitará o deslocamento de nossas equipes de cam-
po pela cidade”, afirma Amos Genish, presidente da companhia que,
até dezembro, deve criar 1.600 empregos diretos e indiretos na cidade.
Grande parte desses trabalhadores ficará na região portuária.
Uma das maiores desenvolvedoras imobiliárias do mundo, a Tish-
man Speyer se prepara para iniciar, no primeiro semestre de 2011, as
obras de um edifício corporativo de alto padrão que seguirá certifica-
ções internacionais de sustentabilidade (imagem abaixo). O projeto é
de, aproximadamente, R$ 200 milhões, e está localizado num terreno
de 13 mil metros quadrados na Avenida Rio de Janeiro, onde ficava o
antigo Moinho Marilu. As obras devem terminar em 2013. “Temos uma
localização privilegiada, com uma vista linda, e incentivos fiscais que
tornam ainda mais vantajosa a construção”, destaca Ana Carmen Alva-
renga, diretora de desenvolvimento da empresa.

Esta imagem é apenas uma referência volumétrica e não representa o desenho da fachada.

Porto Maravilha | 5
OPINIÃO

Área de Preservação do Ambiente Cultu


A Prefeitura deu inicio em mar- ocupação lenta e gradual da várzea passar dos anos transformando-se localiza entre as ruas Camerino e
ço 2010 às obras de urbanização no e permitiu o acesso à estreita região num porto secundário de descarga Barão de Teffé.
trecho inicial da Região Portuária, que circundava, por meio de praias de mercadorias (alimentos, animais Em meados do século XIX os
que compreende a área que se es- e enseadas a pequena cordilheira e madeira) vindas do recôncavo, embarcadouros da região passaram a
tende da Praça Mauá até a rua Ba- que se iniciava no Morro da Con- das terras ao fundo da baía e das receber o café vindo do Vale do Pa-
rão do Teffé, incluindo, também o ceição e terminava no antigo Saco serras ao longe. raíba aumentando sua importância
histórico Morro da Conceição. de São Diogo, uma ponta da Baía de Em 1769 a área ganha mais uma como o principal porto da cidade,
Os ambientes renovados e infra- Guanabara que penetrava território atividade portuária, desta vez sinis- suplantando o do Largo do Paço. Os
estruturados, ao lado dos novos in- adentro e que hoje compreenderia o tra. Incomodado com o desembar- aterros sucessivos já mostravam na
vestimentos privados e do estimulo trecho que se inicia na Rodoviária que de escravos no Largo do Paço região uma extensa faixa plana ga-
à inserção social da população e Novo Rio e termina no viaduto das (Praça XV) o Vice-Rei Marquês de nha às águas da baía, com cerca de
das instituições ali existentes em Forças Armadas tendo como eixo a Lavradio determinou a transferência 100m de largura, indo desde a Prai-
conjunto com a construção de no- Av. Francisco Bicalho. dos navios que transportavam escra- nha (atual Praça Mauá) até o morro
vos espaços culturais fazem parte Este pequeno trecho de costa e vos para o Valongo, tirando da vista da Saúde. Foi naquele momento que
dos objetivos do projeto de Requa- seus morros de retaguarda (Con- da população da cidade a imagem se construiu o primeiro grande ar-
lificação da Região Portuária do ceição, Saúde, Livramento, Provi- degradante da chegada das embar- mazém do Porto nas chamadas do-
Rio de Janeiro. dência, Gamboa e Pinto) permane- cações vindas da África. Segundo cas de Pedro II, e que se encontra no
Há algumas décadas se discute ceram desocupados por um longo Brasil Gerson, em História das Ruas mesmo local (Barão de Teffé) tendo
o futuro daquela região que, tendo tempo. Ele só começaria a se de- do Rio, visitando a cidade, em 1792, se transformado em centro social e
sido cessadas ou diminuídas as ati- senvolver quando os frades Capu- Lord Macartney estimou em 5.000 cultural do Comitê da Cidadania
vidades portuárias que a caracteri- chinhos Franceses se estabelece- os escravos vendidos anualmente só Contra a Fome e a Miséria.
zaram ao longo de toda a história ram no Morro da Conceição, onde no Valongo, ao preço médio de 28 O morro da Conceição já se en-
do Rio de Janeiro, apontava a ne- construíram uma igreja de devoção esterlinas por cabeça. No Valongo contrava totalmente ocupado na
cessidade de um novo tipo de apro- à santa. Nas terras em volta surgi- logo se estabeleceu o cemitério dos ocasião e sua aparência o aproxi-
priação e inserção na malha urba- riam pequenos sítios que abaste- pretos novos (escravos recém chega- mava dos bairros altos de Lisboa:
na tanto do ponto de vista físico, ciam a cidade de alimentos. O lo- dos), cujos despojos vêm sendo en- casas baixas, janelas coloridas, can-
como social e econômico, uma vez cal adquire importância maior nas contrados em excavações feitas no tarias de pedra, longos beirais, azu-
que ela havia se colocado à margem primeiras décadas do século XVIII local até os dias atuais. lejos nas fachadas sempre pintadas
do desenvolvimento urbano como quando, após a retirada dos corsá- A presença da corte portugue- de branco. Becos, pequenos largos,
um todo. rios franceses em 1711 levando o sa no Brasil iria impulsionar ainda vielas e escadarias completavam o
resgate pago pela cidade para sua mais a região e trazer para ela ativi- cenário, que mesmo modificado re-
Um pouco de história liberação, foi construída a fortale- dades mais nobres: em 1817 desem- sistiu até os dias de hoje.
A presença da região no espaço za que ainda lá hoje se encontra e, barca com toda a pompa no sopé Na vertente norte do Morro
da cidade do Rio de Janeiro é antiga, em seguida, o palácio arquiepisco- do Morro de São Bento a Princesa dois eventos marcaram a paisa-
quase tão antiga quanto o primei- pal (atual Museu do Exército), am- austríaca D. Leopoldina, que vinha gem: o primeiro foi o alargamento,
ro processo de expansão da velha bos classificados como monumen- desposar o Imperador D. Pedro. na década inicial de 1900, da rua
vila colonial no morro do Castelo. tos nacionais e como tais, tombados Pouco mais tarde, em 1843, uma do Sacramento (Av. Passos) e seu
Tão logo a vila ocupou os espaços pelo IPHAN. Do alto do morro se outra princesa, desta vez da casa prolongamento até a rua Camerino
disponíveis no morro, cessados os iniciou a construção de uma mura- de Nápoles, D. Teresa Cristina des- (antiga do Valongo), também alar-
perigos de invasores franceses e de lha que seguiria pela rua da Vala cia no chamado Cais da Imperatriz gada, interligando a região portuá-
ataques dos indígenas, os portugue- (Uruguaiana) até o Morro de Santo para se casar com D. Pedro II. Para ria à Praça Tiradentes e o segundo,
ses começaram a traçar novos cami- Antonio. A muralha, que nunca foi a ocasião o arquiteto Grand-Jean a construção do Jardim do Valongo.
nhos para a descida e ocupação das terminada, reforçaria o sistema de de Montigny havia projetado a pri- O belo jardim suspenso, sete metros
várzeas que circundavam a vila de defesa da cidade protegendo-a de meira praça monumental da cidade, acima da rua, foi obra do arquiteto
São Sebastião. O primeiro caminho possíveis invasões de estrangeiros ornada por estátuas de mármore Luis Rei, tendo sido inaugurado
que se formou foi o que, descendo e indígenas vindos do sertão cario- (hoje instaladas em frente ao Pa- em 1906 durante o governo Pereira
pela ladeira da Misericórdia se es- ca. Mesmo sem a proteção da mu- lácio da Cidade) e tendo ao centro Passos. O Jardim, em estilo român-
tendia direto até o morro de Mano- ralha a região continuou a crescer uma coluna de pedra comemorativa tico, com ornamentos de cimento
el de Brito, depois chamado de São em direção ao Valongo e passou a do evento. Esta coluna ainda se en- imitando pedras,rochedos, casca-
Bento. A rua, então chamada Direi- receber pequenos aterros e trapi- contra no local, adornando a atual tas, lagos e pontes, foi executado
ta (atual 1º de Março) determinou a ches que foram aumentando com o praça Jornal do Comércio que se para resolver os problemas de ins-

6 | Porto Maravilha
OPINIÃO

ural da cidade, Porto do Rio faz 100 anos


Palácio da Cidade e suas réplicas atividades principais foram transfe-
deverão voltar ao Jardim do Valon- ridas para o porto do Caju e a área
go ao final das obras da Fase 1 do inteira mergulhou em intenso pro-
Projeto de Requalificação da Re- cesso de ociosidade e degradação.
gião Portuária. Os anos 2.000 marcaram um novo
A transformação do Rio de Ja- período de discussões e projetos
neiro em capital federal após a para a área. Finalmente em 2009 a
1608 proclamação da República iria pro- Prefeitura do Rio criou a base legal
vocar uma imensa onda de trans- para a revitalização e requalifica-
formações na cidade, as maiores ção da área. Foi definida uma nova
delas no Centro e tendo como ícone legislação mais adequada ao desen-
a imponente Avenida Central (Rio volvimento da área, criados meca-
Branco) e na região portuária onde nismos de gestão e financiamento
seria realizado um imenso aterro dos investimentos e finalmente ini-
para abrigar as instalações do que ciadas as obras que deram partida
foi o porto mais moderno da Ame- ao Projeto de Requalificação da
1710 rica Latina. Iniciada em 1904, nos Região Portuária.
Governos do Presidente Rodrigues Inicia-se um novo tempo para
Alves e do Prefeito Pereira Passos, o Porto do Rio. Além do alto sig-
a obra do novo porto, cujo cais che- nificado social, cultural e econô-
gava a 3.300m de extensão e 17,5ha mico para a região, na área onde
de superfície, constou ainda da se desenvolve a Fase 1 do projeto
construção 20 armazéns principais encontram-se situados vários mo-
diretamente debruçados sobre as numentos históricos preservados
águas da baía e 52 secundários se- tombados por diferentes níveis de
1817
parados por uma larga avenida de governo quase todos citados ao lon-
40 metros de largura. As interven- go deste texto: o antigo Palácio Ar-
ções duraram cerca de 6 anos tendo quiepiscopal , a Fortaleza da Con-
sido inauguradas em 20 de julho de ceição, o Observatório do Valongo,
1910, faltando 700m de cais para a a igreja de São Francisco da Prai-
sua conclusão. nha, o conjunto de casas e o Jardim
Elemento marcante na paisagem do Valongo, o Edifício A Noite, o
da região é o edifício A Noite. Inau- Prédio da Polícia Federal, o Palace-
1930 gurado em 1930, com seus 22 pavi- te D. João VI (onde se instalará o
mentos foi considerado o primeiro Museu de Arte do Rio) e o Prédio
arranha-céu da América Latina e do- do Touring no cais da Gamboa. In-
minou por muito tempo a paisagem sere-se aí também todo o Morro da
do Centro do Rio. Hoje é considera- Conceição, classificado pela Pre-
do monumento da cidade e como tal feitura como área de Preservação
foi tombado pelo município. do Ambiente Cultural da cidade.
Os anos seguintes foram marca- O ciclo de decadência e deteriora-
dos por vários acontecimentos que ção da região portuária começa fi-
2002 terminaram por dar a configuração nalmente a se reverter a partir da
que a região como um todo hoje reintegração à cidade de um espaço
tabilidade da encosta íngreme do tuas trazidas da antiga praça Mu- possui. As mais importantes delas urbano históricamente ligado aos
Morro da Conceição trazendo mais nicipal projetada por Grand-Jean foram a construção da Presidente primórdios da ocupação urbana do
nobreza a esta parte do morro e à de Montigny e que representavam Vargas nas décadas de 1930/40 e da Rio de Janeiro e potencialmente
rua Camerino, é hoje tombado pelo quatro deuses romanos: Minerva, Avenida Perimetral (entre as déca- importante para o processo de de-
Município do Rio de Janeiro. Sobre Mercúrio, Marte e Ceres. Em 2002 das de 1960/70). A região Portuária senvolvimento da metrópole.
o terraço suspenso, com 1.530m2 as estátuas, por terem sofrido van- entrou em progressiva decadência
de área, foram dispostas 4 está- dalismo foram transferidas para o nas décadas que se seguiram. Suas Augusto Ivan de Freitas Pinheiro

Porto Maravilha | 7
SEGURANÇA

Mais ordem e segurança nos arredores


Em 2011, Guarda Municipal pelo desenvolvimento do projeto, de Oliveira, comandante do Batalhão da Conceição, no morro de mesmo
um novo grupamento da Guarda de Policiamento de Áreas Turísticas nome. Construída no século 18, ela
criará grupo específico para Municipal chegará à região no iní- conta que há um projeto de levar a é ocupada pelo Exército desde a
cio de 2011. Será o Grupamento da sede do BPTur para a região. “Em década de 1920, e hoje abriga a 5ª
a região, que pode receber Área Portuária. alta temporada, chegamos a receber Divisão de Levantamento, subor-
“Vamos atuar nos patrulhamen- um milhão de visitantes que chegam dinada à Diretoria de Serviço Ge-
nova sede do BPTur tos comunitário e escolar e cuida- pelo Porto. É uma área importante, ográfico. O comandante da Divisão,
remos do ordenamento nos bairros perto dos aeroportos e da rodoviá- coronel Hélio Gouvêa Prado, afirma
A requalificação do espaço ur- de Saúde, Gamboa, Santo Cristo e ria”, afirma. que participa ativamente de reuni-
bano da região portuária já traz im- em parte do Caju”, detalha o inspe- A região, cujo policiamento é ões com os responsáveis pela área.
pactos positivos para a população tor André Luiz Almeida, que ficará responsabilidade do 5º Batalhão da “Sabemos que nossa presença fun-
local, como a melhoria na seguran- à frente do grupamento. Polícia Militar, também conta com ciona como uma prevenção a cri-
ça. Com implementação acelerada O tenente-coronel Cláudio Costa a presença histórica da Fortaleza mes”, afirma.

CULTURA

Cultura, saúde e esporte na Gamboa


Instituto do ator Marco Gávea. Nanini atua na peça,
que foi ensaiada no galpão.
Nanini e o produtor Fernan- No mês de outubro, hou-
do Libonati oferece espaço ve sessão de cinema infantil,
com dois filmes nacionais para
para espetáculos e aulas crianças, que participam das
aulas de muay thay do profes-
Nascido do desejo do ator Marco sor Alexandre Faria. “São cer-
Nanini de ter um espaço para ensaiar ca de 100 pessoas atendidas,
espetáculos, o Instituto Galpão Gam- entre crianças e jovens. O im-
boa contribui para melhorar a vida de portante da aula é que nós po-
crianças e jovens das comunidades demos trabalhar o comporta-
da região portuária. Ele e o produtor mento e ensinar valores, além
Fernando Libonati, sócios da produto- da disciplina. A ideia é mudar
ra Pequena Central, desde que se ins- a história deles, estimular a
talaram no bairro, há cerca de quatro vontade de vencer na vida.
anos, já desenvolviam um trabalho de Já tenho até um campeão no
Galpão Gamboa oferece oportunidades aos jovens das comunidades da região.
inserção social. Em conjunto com ou- muay thai”, conta.
tras instituições – como o grupo Nós Há também aulas semanais
do Morro e a Ong Spetaculu, que nessa escolha. Fomos muito bem aco- a uma parceria com César Augusto, de ioga para pessoas da terceira idade.
também atua na região, distribuíam lhidos pela comunidade do entorno. programador do Teatro Gláucio Gil. A diretora do Galpão, Eliane Lax, adi-
ingressos a preços populares e contra- Só agora, porém, é que formamos o De 5 a 14 de novembro, a Companhia anta que está em andamento um projeto
tavam jovens para trabalhar em áreas Instituto Galpão Gamboa e estamos Rubens Barbot irá apresentar “40+20”, para oferecer atividades físicas para
como produção, cenografia e figurino conseguindo oferecer atividades de um espetáculo de dança africana. No doentes crônicos, como hipertensos e
de peças, . forma mais estruturada. Tudo come- amplo galpão de três andares, a popu- diabéticos. “Estamos em busca de par-
“O galpão surgiu do desejo de con- çou com uma parceria de amigos, lação local assiste a espetáculos tea- ceria para conseguir os aparelhos, que
tinuarmos querendo oferecer acesso à mesmo”, conta Libonati. Ele diz, ain- trais a preços simbólicos, como “Pte- são caros. Queremos oferecer cultura,
cultura. Encontramos o espaço na re- da, que a programação de espetáculos rodáctilos” – em cartaz até o dia 19 esporte e saúde”, diz. O telefone do
gião portuária e fomos muito felizes está fechada até o fim de 2010, graças de dezembro, no Teatro das Artes, na Galpão Gamboa é 2516 5929.

8 | Porto Maravilha

Você também pode gostar