Você está na página 1de 11

Fisiologia da Circulação

Profª.: Celina Cordeiro

Função da Circulação Modelo Circulatório


Atender as necessidades dos tecidos

• Transportar nutrientes até os tecidos


• Remover produtos de excreção
• Levar hormônios
• Manter líquidos e função celular

Características Físicas da Circulação

1
Partes Funcionais da Circulação Estrutura Vascular

• Artérias
• Arteríolas
• Capilares
• Vênulas
• Veias

Composição da Parede dos Vasos Parede Arterial

Contração Ventricular Volumes de Sangue

9%

16%

7%

13%

7%
84%
7%

64%

2
Áreas de Secção Transversa Velocidade Pressões Sanguíneas
do Fluxo
cm²
Aorta 2,5
Pequenas artérias 20
Arteríolas 40
Capilares 2500
Vênulas 250
Pequenas veias 80
Veias cavas 8

Interrelação entre Pressão, Fluxo e


Lei de Ohm
Resistência

P1 P2 Q = P
Q R
Resistência
Gradiente de Pressão

Fluxo Sanguíneo Fluxo Laminar

Fluxo Sanguíneo Global

Débito Cardíaco

5000 ml/min

3
Fluxo Turbulento Condutância  Diâmetro4

• Pequenas alterações no diâmetro


de um vaso causam enormes
alterações de sua capacidade de
conduzir sangue quando o fluxo
sanguíneo é aerodinâmico.
Q • Diâmetro aumenta 4x 
aumento de 256x do fluxo

Condutância Níveis de Hematócrito

Condutância = 1
Resistência
• O ponto de mais alta resistência encontra-se
na arteríolas, onde o raio se reduz de forma
mais ou menos abrupta.

Viscosidade do Sangue Viscosidade do Sangue

Proteínas do Plasma
1,5x H2O

Concentração Tipos

4
Viscosidade do Sangue na
Distensibilidade Vascular
Microcirculação

• Artérias
1. Efeito de Fahraeus-Lindqvist (d<1,5mm) – Acomodar o DC pulsátil do coração
– Uniformizar as pulsações da pressão
– Propiciar fluxo regular e contínuo pelos tecidos
2. Viscosidade   =  velocidade do fluxo • Veias
( 1 mm/s) – Mais distensíveis de todos os vasos
3. Constricções nos pequenos vasos – Pequenos aumentos de pressão fazem
armazenamento de ½ l de sangue extra
– Função de reservatório para armazenamento

Complacência Vascular Complacência Retardada

Complacência  Distensibilidade

Complacência = Distensibilidade x Volume

Pulsações da PA Transmissão do Pulso

• Distensibilidade do sistema arterial


proporciona fluxo para os tecidos nas fases
de sístole e diástole
• Distensibilidade + resistência arterial reduz
a zero as pulsações de pressão nos
capilares
• O fluxo sanguíneo tecidual não é afetado
pelo pulso do bombeamento cardíaco

5
Progressão do Pulso Veias
• Capacidade de contrair-se e dilatar-se
• Armazenamento de sangue
• Disponibiliza este sangue
• Bomba venosa
• Regula o DC

Pressões Venosas

Pressão atrial direita


Repouso

Pressão venosa central

Exercício

Retorno Venoso Pressão Hidrostática

1. Aumento do volume sanguíneo


2. Aumento do tônus dos grandes vasos em
todo o corpo
3. Dilatação das arteríolas
Fatores PAD = Fatores DC
– Capacidade de bombeamentodo coração
– Tendência do sangue de fluir dos vasos
periféricos para o coração

6
Pressões torácica e abdominal Válvulas Venosas

Bomba Venosa

Movimento e Contração
Muscular

Coração

 Pressão Venosa = 25 mmHg

7
Reservatórios Sanguíneos Microcirculação
• Baço • Artérias distributivas(diâmetro máximo =
• Fígado 2mm)
• Grandes veias abdominais • Arteríolas
• Plexo venoso por sob a pele • Metarteríolas(esfíncter pré-capilar)
• Coração e pulmões* • Capilares
• Shunts arteriovenosos
• Vênulas(diâmetro máximo = 0,1mm)

Rede Microcirculatória

Contração de Esfíncteres

8
Funções

1. Trocas metabólcas
2. Regulação do volume do espaço extracelular
3. Termorregulação corporal
4. Difusão de hormônios e outros mensageiros
químicos
5. Regulação do fluxo e volume sanguíneo

Parede Capilar Difusão Capilar

9
Fluxo Sanguíneo Tecidual Mecanismos de Controle do Fluxo

• Aporte de O2 aos tecidos


• Glicose, aminoácidos, ácidos graxos…
• Remoção de CO2 dos tecidos Controle Agudo Controle a Longo
Prazo
• Remoção de H+ dos tecidos e manutenção de
outros íons
• Transporte de hormônios e outras substâncias
específicas para diferentes tecidos

Controle Agudo Teoria da Demanda de O2

• Efeito do metabolismo tecidual


• Regulação do fluxo quando a
disponibilidade de O2 é alterada
Alteração da intensidade metabólica
1. Teoria vasodilatadora (adenosina, CO2, ácido
lático, compostos de fosfato de adenosina,
histamina, K+ e Hidrogênio)
2. Teoria da demanda de O2(feedback negativo
com presença de [O2]

Controle Metabólico Especial Regulação a Longo Prazo

• Alteração da vascularização tecidual


– Alteração do grau de vascularização
Hiperamia Reativa Hiperemia Ativa – Tempo: alguns dias, meses ou até anos
– Necessidade de oxigênio pelo tecido
• Crescimento de novos vasos
Ausência de fluxo Aumento de metabolismo – Tecidos isquêmicos
– Crescendo rapidamente FC
– Metabolismo   alto

10
Fatores de Crescimento Angiogênese

11