Você está na página 1de 102

Tradução:

Meirinha

Revisão:
Lyndinha

Leitura Final & Formatação:


Elena

Julho/2019
A mãe de Ali se casou com o pai de Drake quando
eles eram apenas crianças pequenas. Eles se tornaram
melhores amigos instantaneamente e passaram anos
como cúmplices, mas tudo mudou no ensino médio.

Tudo o que ela tem que fazer é passar pelo baile de


boas-vindas e então ela e Drake podem seguir caminhos separados,
mas quando ele pede para ser o encontro dela, de repente ela vê o
garoto que ela amou uma vez.

Drake ama Ali desde o dia em que se conheceram e nada mudou


desde então. Ele teve que mantê-la no comprimento do braço porque
ele não pode ter um feliz para sempre com ela.

Eles foram criados como irmãos e ela não merece esse tipo de
fofoca. Mas quando chega a hora da baile de boas-vindas, ele não pode
deixar ninguém mais estar ao lado dela. É hora de ceder ao que seu
coração sempre quis e pelo que esperou.

Aviso: Esses melhores amigos de infância não podem fazer isso


dar certo... ou podem? Caía de amores com a gente enquanto estes dois
finalmente percebem o que está certo na frente
deles e se atrevem a segurá-lo. Nós prometemos
que vale a pena esperar!
Capítulo Um
Ali

Cinco Anos De Idade

"Eu estou num castelo?" Eu grito quando eu solto meu cinto


de segurança antes que minha mãe possa estacionar o carro.

"Ali-bug." Ela me repreende, apontando para o cinto de


segurança.

"Desculpe!" Eu grito enquanto abro a porta do carro e pulo


para fora.

"Você mora em um castelo, Sr. Hawthorne?" Eu pergunto,


correndo em direção a ele.

Conheço o Sr. Hawthorne há algum tempo. Ele é o chefe da


minha mãe no trabalho. Eu acho que ele é dono disso ou algo
assim. Eu salto em direção a ele e ele se inclina para me pegar no
ar.

"David." Ele me lembra quando ele me levanta.

"Você mora em um castelo, David?" Eu pergunto novamente.

É difícil me lembrar de chamá-lo de David. Todos os outros o


chamam de Sr. Hawthorne, até a mãe quando ela está no
trabalho. A única vez que ela o chama de David é quando estamos
sozinhos com ele ou ela está falando comigo sobre ele. Eu pude vê-
lo um montão desde que minha mãe tem que me levar para
trabalhar com ela às vezes. Ele me deixa brincar em seu escritório
e, quando pedimos o almoço, ele sempre me surpreende.

"Eu estava pensando em morar aqui." Ele sorri para


mim. "Mas um castelo precisa de uma princesa." Eu sei que ele
está me provocando. Eu também sei que isso não é
realmente um castelo, mas parece um. Não só isso, mas há muita terra
em toda parte. Mamãe e eu não temos quintal, então temos que dirigir
até o parque se quisermos brincar lá fora.

"Desculpe, mamãe." Eu digo antes que ela possa me repreender


novamente. Saí do carro rápido demais, mas era um castelo e fiquei
animada.

"Você conhece alguma princesa, Ali?" David me pergunta.

"Não uma real." Eu torço o nariz quando penso e lembro que David
sempre me chama de princesa.

"Você não é minha princesa?" Pergunta ele.

Quando olho para minha mãe, vejo que ela está mordendo o lábio
inferior.

"Sua?" Eu pergunto, não entendendo o que ele quer dizer.

"Bem, eu gostaria que você fosse, se você me desse essa honra."


Eu olho para minha mãe para ver o que ela diz.

"David e eu queremos nos casar, Ali-bug." Eu grito quando eu jogo


meus braços em torno de David e o abraço com força. "Bem, isso foi
mais fácil do que eu pensava que seria." Eu ouço minha mãe dizer com
uma risadinha em sua voz.

"Nós temos que nos casar e viver neste castelo?" Todo o corpo de
David treme enquanto ele tenta cobrir uma risada. "Isso significa que
você será meu pai?"

Eu nunca tive um pai antes, mas às vezes eu finjo que David é o


meu. Ele é sempre tão gentil comigo e com minha mãe, e não temos
outra família além de nós duas.

"Se você quiser que eu seja." Eu aceno afirmativamente com a


cabeça e sinto minhas tranças tremerem. "Mas você sabe que eu tenho
um filho, princesa, então eu vou ser pai dele também."

Eu penso na foto do garoto com cabelos escuros que está em sua


mesa. Eu nunca o encontrei antes, mas ouvi David falar sobre ele.
David se vira um pouco e vejo o mesmo garoto da foto parado
na entrada da casa e ele está nos observando. David me coloca de
pé no chão enquanto o garoto se aproxima de mim.

"Drake, esta é Ali." Drake parece com David e eu sorrio para


ele. Ele me estuda por um segundo e é o mesmo rosto que David
faz quando está olhando para a tela do computador no
trabalho. Depois de um momento ele estende a mão para mim e
eu aceito, mas ele não solta como deveria.

"Você quer brincar?" Ele pergunta.

Ele não parece que ele brica. Ele está de camisa e calça e está
tão limpo. Talvez seja por isso que ele se parece tanto com seu
pai. Eles se vestem da mesma maneira. Eu normalmente não gosto
de brincar com garotos porque eles não querem brincar com
minhas bonecas. Talvez ele possa querer.

"Sim." Eu concordo e deixo a mão dele ir. Eu corro de volta


para o carro para pegar minha mochila, em seguida, corro de volta
para ele e abro-a. "Eu tenho Barbies."

Ele olha para o boneco Ken que eu seguro para ele e por um
segundo eu acho que ele vai me dizer não. Mas ele estende a mão
e pega e acena com a cabeça.

"Ok." Diz ele e eu sorrio ainda maior.

Não só estou conseguindo um pai, mas também estou


ganhando um irmão. Este é o melhor dia de todos.
Capítulo Dois
Drake

Nove Anos de Idade

"Moçada, eu disse para irem dormir há meia hora atrás." Carmen


diz quando ela entra no meu quarto.

Ali e eu temos jogado o novo jogo Mario Brothers desde que


chegamos correndo da escola. Ela o ganhou no aniversário dela na
semana passada e nós quase vencemos todas as fases.

"Mamãe, vamos, estamos quase no fim." Ali implora e eu a apoio.

"Mais cinco minutos. Por favor."

“Não, vocês dois têm aulas de natação e futebol amanhã. Você se


torna um urso se ficar acordado até mais tarde.” Ela desliga a televisão
e nós dois ligamos nossos controles para carregá-los.

Ali pisa alto enquanto vai ao banheiro para escovar os


dentes. Estou tão bravo quanto ela, mas não gosto de mostrá-lo na
frente de Carmen. Ela é minha madrasta, mas ela é basicamente minha
mãe desde o dia em que a conheci.

Minha mãe de verdade morreu quando eu era apenas um bebê e


meu pai me criou sozinho até que ele a conheceu. Claro que ele tinha
ajuda com babás temporárias e de tempo integral, mas quando Carmen
se juntou a nós, ela era como uma mãe de verdade. Ela me ensinou
como amarrar meus sapatos e como fazer biscoitos. Eu realmente não
sabia o que estava perdendo até que ela aparecesse, e agora eu não
quero fazer nada que possa fazê-la ir embora.

"Mãe?" Eu digo enquanto Ali está fora do alcance da voz.

"Sim, amigo?" Ela está caminhando pelo meu quarto guardando


uma pilha de roupa e eu me sento na beira da cama.
Eu devo ter ficado quieto por muito tempo porque ela se vira e olha
para mim. "Está tudo bem, Drake?"

"É Muffins para mães1 amanhã e eu, hum, queria saber se


você viria para a minha classe." Eu olho para os meus pés
enquanto eu os chuto para frente e para trás. Eu não sei por que
estou tão nervoso em perguntar a ela.

Eu a sinto caminhar e se sentar na cama ao meu lado. Depois


de um momento, olho para cima e a vejo sorrindo docemente para
mim.

“Eu sei que é amanhã. Eu verifiquei no meu calendário toda


a semana. É claro que eu estarei lá, você sabe disso.” Ela coloca
um braço em volta de mim e eu me inclino em sua suavidade. Ela
é sempre tão quente, eu posso ver por que meu pai gosta de
abraçá-la.

"Ok, legal." Eu tento dar a impressão de que eu não estivesse


preocupado, mas no fundo o nó no meu estômago se solta.

“Eu vou para a sala de Ali e depois vou para a sua. Mas não
se preocupe, eu vou guardar espaço.” Ela pisca para mim e eu
sorrio novamente, percebendo que eu estava preocupado sem
motivo.

Ali e eu estamos na mesma série, mas como conversávamos


um com o outro sem parar do jardim de infância e até a primeira
série, nossos pais nos separaram. Eu ainda consigo vê-la ao longo
do dia e nós temos o recreio ao mesmo tempo, então não é tão
ruim. Ela é minha melhor amiga, então eu gostaria que
pudéssemos passar todo o nosso tempo juntos.

"Noite, mamãe." Ali chama quando ela sobe no colchão de ar


no chão que já está pronto. Mamãe colocou aqui para o aniversário
de Ali e está aqui desde então.

"Noite, Ali-bug." Ela se inclina e a abraça quando eu me deito


na minha cama e ela vem e faz o mesmo comigo.
______________
1 Muffins com a mãe é geralmente uma celebração que é realizada nas escolas americanas para reunir
alunos e mães. Este evento geralmente ocorre antes ou depois do dia das mães. Muitas escolas pedem que
as mães venham para a escola com seus filhos e desfrutem de um muffin com a criança em homenagem ao
dia especial.
"Durma um pouco, amigo", ela diz enquanto me cobre. "Mal
posso esperar por amanhã." Ela sussurra antes de apagar a luz e
fechar a porta.

Assim que a porta se fecha, sinto minha cama mergulhar e Ali


rasteja para o meu lado. "Quanto tempo você acha que temos antes
que possamos começar a jogar de novo?"

"Talvez devêssemos dormir um pouco?" Eu digo, nunca querendo


ser aquele que deixa a mamãe louca. Eu guardo todas as minhas
coisas sorrateiras para o papai.

“Não, ela vai mandar o papai aqui se ela nos ouvir. Lembre-se
que eles se revezam.”

"É verdade." Eu digo sorrindo para ela e pego os controles do jogo


novamente.

"Abaixe o volume." Ali assobia quando o console de jogos ganha


vida.

"Lembre-se apenas que se o papai aparecer eu vou fingindo estar


dormindo." Eu digo, porque nós dois sabemos que ele não vai ficar
bravo com Ali.

"Você é terrível em fingir dormir."

"Aqui, você pega o preto, tá mais carregado." Eu digo, entregando


a ela.

"Obrigado."

“Você é o Mario dessa vez. Você é melhor com os saltos.” Eu a


vejo brincar um pouco antes de me juntar a ela. Ela é sempre tão feliz
quando está jogando e, apesar de estarmos ambos cansados, eu não
recusaria a chance de jogar com ela.

Acabamos ficando muito mais tempo do que pensávamos, mas


vencemos todas as fases do jogo. Depois, nós dois caímos na minha
cama e desmaiamos, mas, pouco antes de adormecer penso em como é
legal viver com minha melhor amiga. Eu nunca entendi quando alguns
dos meus amigos na escola reclamaram de suas irmãs. Ali é incrível.
Capítulo Três
Ali

Treze Anos de Idade

Eu alcanço minha mochila e tiro da mão de Drake. "Não


mexa nas minhas coisas." Eu digo para ele, mas imediatamente
me sinto culpada. Eu vou culpar os hormônios que mamãe disse
que estão me deixando mal-humorada.

Drake olha para mim com uma expressão chocada e depois


seus olhos se estreitam. Eu não sou geralmente brusca com ele
porque nunca há uma razão para ser. Drake é meu melhor amigo,
mas estou preocupada que as coisas possam mudar.

"Eu estava apenas pegando uma caneta." Seus olhos se


movem para a minha mochila mais uma vez e agora ele nunca vai
deixar isso passar.

Ele vai querer saber por que eu estou tão defensiva sobre a
minha bolsa. Eu não queria estar, foi apenas minha primeira
reação. Eu sou nova em toda essa coisa de menstruação e mamãe
me disse para manter um absorvente comigo em todos os
momentos. Eu coloquei um na minha mochila, não pensando que
Drake poderia mexer nela.

Eu deveria saber. Ele sempre perde suas canetas ou lápis e


vasculha minha bolsa para conseguir uma nova. Ele estende a
mão e eu sei que ele não está pedindo para eu dar-lhe uma
caneta. Ele quer a mochila.

"Tanto faz." Eu lanço para ele e ele pega.

Eu jogo os piores passes para ele no quintal quando ele quer


que eu o ajude a praticar suas habilidades no futebol. Eu não
estou tentando ser ruim nisso, mas de alguma forma eu sou
péssima e ele ainda consegue pegar todos eles. Ele me diz que é bom
jogar tanto comigo, porque isso faz com que ele trabalhe mais para pegar
a bola. Eu não sei se isso é verdade ou se ele está tentando me fazer
sentir melhor.

Quando ele abre minha mochila, saio da sala de jantar onde


estamos fazendo o dever de casa. Eu vou direto para o meu quarto
porque meu rosto já está quente. Eu não sei por que estou
envergonhada, porque sei que é normal. É estranho e eu não quero falar
sobre isso com Drake. Eu já tive que ouvir isso da minha mãe, da
enfermeira da escola e na minha aula de saúde.

Eu acho que estou mais chateada com as coisas mudando entre


Drake e eu. Isso nos torna diferentes e nos define mais como menino e
menina. É como se houvesse uma nova parte da minha vida e eu não
gosto que ele não faça parte dela de alguma forma. Eu não posso nem
fazer sentido na minha cabeça.

Eu caio na minha cama e olho para o teto, sabendo que preciso


voltar lá para embaixo. Drake precisa de ajuda com seu projeto de
ciências e eu tenho uma lição de matemática que eu preciso fazer. Eu
tenho que encarar a música em algum momento e acabar com essa
conversa estranha. Talvez eu tenha sorte e ele não diga nada.

Minha porta se abre e eu pulo da cama para ver algo branco na


mão de Drake.

"Você pegou da minha bolsa!" Eu grito apontando para o quadrado


branco em sua mão. Meu rosto arde de vergonha tão intensamente que
sinto o calor.

"Sim, porque você não deveria tê-lo!" Agora ele é o único a gritar
comigo. Ele entra no meu quarto e fecha a porta atrás dele. Ele já trocou
o uniforme da escola por uma camiseta e shorts de ginástica. Ele não
suporta os uniformes da escola, mas eles não me incomodam.

"Eu preciso disso." Eu coloco minhas mãos sobre o meu rosto,


rezando para que um buraco se abra no chão para me engolir. Oh Deus,
isso não está acontecendo.

"Você precisa de uma nota de Ben?"


Eu deixo cair as mãos do meu rosto para olhar Drake em pé
a poucos metros da minha cama. Ele tem aquele mesmo rosto
severo que papai mantém quando está em uma reunião ou em
uma teleconferência.

“Ben?” Do que ele está falando? Ele levanta a mão e eu vejo que
ele não está segurando o meu absorvente, mas um pedaço de papel
dobrado.

"Oh." É tudo o que eu digo porque não tenho absolutamente


nenhuma ideia do que estamos falando.

"Ele é um idiota."

Ben é um idiota, mas não para mim. Eu o vi ser um idiota


algumas vezes, então eu aceno com a cabeça em concordância.

"Então por que ele está lhe dizendo para enviar uma
mensagem para ele?" Drake sacode o papel em sua mão.

"Isso estava na minha mochila?"

"Sim."

Eu tento alcançar a nota para olhar, mas Drake dá um passo


atrás para que eu não possa agarrá-la. Eu estou supondo que tem
o número de Ben nela.

"Você quer mandar uma mensagem para ele?" Pergunta


ele. “Talvez meu pai estivesse certo e nós somos jovens demais
para ter celulares.” Eu começo a rir porque ele nunca se pareceu
mais com meu pai do que nesse momento. "Não é engraçado." Ele
está agitado e eu rio mais forte.

“Não, eu não quero mandar mensagens para ele. Eu não


sabia que ele colocou uma nota na minha mochila.” Eu digo
através do riso.

"Eu vou ter uma conversa com ele." Lágrimas escorriam pelas
minhas bochechas com a expressão de Drake.

“Eu não posso. Você parece muito com o papai agora.”

Finalmente Drake sorri e se senta na cama ao meu


lado. "Você terminou?"
"Eu acho que sim." Eu digo, mas meu corpo continua tremendo
enquanto eu seguro o riso.

"Fique longe de Ben." Acrescenta ele quando eu finalmente me


controlo. Eu vou ficar longe do Ben. Ele é um idiota e eu confio em
Drake.

"Ben quem?" Eu provoco, e ele balança a cabeça antes de se


levantar e estender a mão. Eu pego e ele me puxa para os meus pés.

“Eu preciso de ajuda com meu projeto de ciências.”

"Eu sei." Eu solto um longo suspiro, me sentindo muito melhor.

"Ali?"

"Hmm?" Eu digo enquanto o sigo do meu quarto e desço as


escadas.

"Não muda nada." Ele para de andar para olhar para mim. Nós
estamos na escada e ele está dois degraus abaixo do meu, então estamos
na verdade com os olhos nivelados pela primeira vez. Percebo então que
ele viu o absorvente na minha mochila. “Eu só quero que você saiba
disso. Se você tiver, por acaso, um acidente ou algo assim, você pode
me dizer. Eu posso te dar o que você precisar ou o que for.” Ele se
apressa a dizer, e eu posso ver que ele está realmente tentando não
deixar isso ser desconfortável.

"Você está dizendo que se eu precisar de um absorvente, você vai


me pegar um?" Eu não sei por que, talvez seja porque eu estive rindo
histericamente e ainda estou montando essa onda, mas parece bom
provocar sobre isto.

"É isso que eu estou dizendo."

Eu sorrio e ele estende a mão e puxa a ponta do meu longo rabo


de cavalo que está pendurado no meu ombro.

"Eu sei que você faria." Digo a ele.

Eu poderia ter ficado envergonhada por contar a ele sobre isso ou


ter medo de que as coisas pudessem mudar entre nós, mas se eu sei de
uma coisa é que Drake estará sempre lá para mim. Ele sempre está e
eu não posso ver isso mudando nunca. Pelo menos espero que isso
nunca aconteça.
Capítulo Quatro
Drake

Quinze Anos de Idade

"Merda."

"Você não deveria xingar." Ali faz tsks- tsks e eu reviro os


olhos.

"Eu acho que isso é besteira."

"Só para você saber, eu estou somando o quanto você deve


ao pote do palavrão." Ela sorri para mim e eu quero ficar com raiva,
mas ela parece tão fofa quando faz aquela cara.

"Olha, eu preciso de um induto de cinco segundos para que


eu possa desabafar." Eu tento novamente colocar o carro na
primeira marcha e o motor para. "Merda."

"Eu acho que você precisa de um induto de cinco horas."

"Apenas me ajude, ok?" Eu tento manter a irritação fora da


minha voz quando eu falo com ela porque eu sei que não é culpa
dela. Eu estou apenas exasperado por eu não conseguir aprender
isso.

“É tudo sobre timing. Você tem que fazer no momento certo.”

Eu olho para ela com o canto do meu olho e vejo suas coxas
nuas. Eu olho para longe rapidamente e penso sobre por que
estamos aqui e tento manter o foco.

Nossos pais têm nos ensinado a dirigir e os dois insistem que


aprendamos a dirigir carro com um câmbio. Eles até compraram
um caminhão velho para dirigirmos na parte de trás da nossa terra
para que pudéssemos praticar. Claro, Ali aprendeu
tudo como um astro do rock, mas algo sobre a embreagem e o câmbio
não funcionam com o meu cérebro.

“Coloque o pé esquerdo na embreagem e o direito no freio. Ligue-o


e mude para a primeira marcha.”

Ela coloca a mão sobre a minha e me ajuda a encontrar a cambio


de marchas. Eu não penso em como ela é macia contra a minha
pele. Nem mesmo por um segundo.

"Agora, tire o pé do freio e atinja o acelerador lentamente enquanto


deixa a embreagem sair."

Estou ouvindo o som suave de sua voz enquanto sigo suas


instruções, mas um som alto quebra minha concentração e o caminhão
para bruscamente.

"Merda."

Ela olha para mim e depois para o telefone que está no colo dela.

"Quem é?" Eu pergunto, tentando olhar para a tela.

Ela coloca debaixo da sua coxa bronzeada e eu olho para longe.

"Ninguém." Eu me viro para ela e levanto uma sobrancelha. Ela


suspira e olha para longe. "Não é nada."

"Se você quer manter segredos de mim, tudo bem." Eu digo e tento
mover o caminhão de novo.

“Eu disse que não é nada. Por que você apenas assume que estou
escondendo algo de você?”

O som das engrenagens rangendo faz com que ela faça uma careta
quando eu saio de primeira marcha.

"Por que você continua escondendo seu telefone de mim toda vez
que recebe uma mensagem de texto?"

“E você é tão inocente? Eu vi a mensagem de Jenna no Snapchat


para você - aquela que ela enviou para mim por 'acidente'.” Ali levanta
os dedos em aspas no ar e eu paro o caminhão de novo.
"Merda." Eu bato no volante e olho para Ali, que está olhando
pela janela. “Você sabe que ela só fez isso para te chatear. Eu disse
exatamente três palavras para Jenna na minha vida e foi para dizer a
ela para te deixar em paz.”

"Isso não é o que ela fez parecer." Ali cruza os braços sobre o
peito e eu olho para a minha velha camisa de acampamento que
está surrada e caindo de um dos ombros dela.

"Em quem você vai acreditar?" Ela encolhe os ombros, sem


dizer uma palavra, e eu posso ver que ela está ficando em um de
seus humores.

Não é como costumava ser quando éramos crianças e as


coisas eram fáceis entre nós. Ela ainda é minha melhor amiga,
mas eu sinto que há essa parede nos dividindo e está crescendo o
tempo todo. Eu costumava pensar que nada poderia ficar entre
nós, mas é como se algum novo obstáculo aparecesse todos os
dias.

"Eu acho que quando você me disser sobre Isaac explodindo


seu telefone, eu sei que você não está escondendo nada."

"Drake." Ela diz baixinho, mas estou cansado de ser legal.

“Não é da minha conta, Ali. Faça o que diabos você quiser.”


Eu piso na embreagem, coloco o caminhão em marcha e desço o
campo de grama em direção à casa.

"Ele me perguntou sobre ajudá-lo com sua lição de biologia,


isso é tudo."

Eu soltei uma risada sem graça. "Eu tenho certeza que ele
fez." Eu balanço minha cabeça e mudo de marcha sem parar e eu
acho que é a raiva que está me ajudando a descobrir como
funciona esse maldito caminhão.

“Ele estava sendo legal comigo. O que é mais do que posso


dizer de algumas pessoas.”

"Você já pensou que os caras ficam longe de você porque eu


sou seu irmão?" E talvez porque eu os ameacei, mas eu não digo
isso a ela.
"Tenho certeza de que é exatamente por isso que ninguém me
chama para sair."

"Você é muito jovem para namorar." É a minha resposta rápida e


eu me arrependo, porque soa como o papai.

"Ok, pai", diz ela em uma voz desagradável e isso me irrita.

Eu paro na parte de trás da casa e paro o caminhão bruscamente


antes de desligá-lo. "Eu não preciso mais da sua ajuda com isso."

"Você deve ao pote de palavrão trinta e dois dólares."

Eu saio do caminhão e bato a porta, mas antes de entrar eu me


inclino para a janela aberta. "Fique longe de Isaac."

Ela não olha para mim e parte de mim é grata. Eu não quero ver a
dor em seus olhos, então eu me afasto. Por que não podemos voltar ao
tempo em que ficávamos acordados a noite toda jogando videogame e
andávamos de bicicleta por horas? Eu penso no incrível verão em que
pegamos o slip-n-slide2 e como quebrei dois dedos por causa da rampa
que ela me fez construir. Ou quando mamãe e papai nos levaram para
Nova York para o Natal e assistimos o espetáculo das luzes da árvore de
natal no Rockefeller Center e bebemos chocolate quente até ficarmos
enjoados. Por que não podemos voltar a como as coisas eram?

Porque nós não somos mais crianças.

______________

2
Capítulo Cinco

Ali

Dezessete Anos de Idade

"E tudo parece terrível." Eu gemo enquanto estou em frente


ao espelho de três lados.

Quem teve a ideia desse tipo de espelho deveria ser


esbofeteado. Eu não sei se sou eu ou o vestido, mas pareço uma
bagunça quente. Provavelmente não ajuda que este é o décimo
segundo vestido que eu já experimentei. Eu não sabia que isso ia
ser um mini treino e eu não estou devidamente preparada para
isso.

"Fique ereta." Minha mãe balança a cabeça para mim


enquanto ela puxa meu ombro para me endireitar. "É claro que
parece ruim quando você encolhe os ombros."

"Meus seios vão sair." Eu puxo o vestido para que um mamilo


não tente escapar. Nada fica bem por causa deles e eles estão fora
de controle.

"Eu não tenho ideia de onde você conseguiu isso." Mamãe me


provoca com uma risadinha.

Eles surgiram do nada no verão passado. Mamãe é pequena


por toda parte, mas nós duas estamos no time das baixinhas. Ela
é magra, mas eu de alguma forma explodi com curvas. Eu sinto
que sou muito pequena para o meu tipo de corpo e isso me deixa
desconfortável. Mamãe fica dizendo que eu vou me acostumar com
isso, mas eu juro que está piorando. Não é apenas minha
aparência, mas eu juro que minhas entranhas estão bagunçadas
também. Eu vou culpar o meu período.

Lindsey acha que eu sou louca e que garotas matariam por


peitos como o meu. Talvez elas iriam, mas encontrar roupas que se
encaixam é uma porcaria. Estou desproporcionalmente pesada nos
seios e tudo parece errado. Eu só queria usar meu jeans e uma camisa
para este Baile. Inferno, eu me contentaria com o meu uniforme
escolar. Quando estou em casa fico bem em moletons porque quero
estar confortável.

"Querida. Nós só precisamos obter tamanhos maiores e os


ajustaremos onde for necessário.” Os olhos de mamãe amolecem e
quando eu olho no espelho para mim mesma, pareço estar prestes a
chorar. Talvez eu esteja. Quem sabe, porque minhas emoções estão em
todo lugar. "Isso é para ser divertido." Ela me lembra, e eu solto um
longo suspiro. Ela está certa, isso deveria ser divertido e eu estou
arruinando isso com a minha atitude.

"Eu nem sequer tenho um encontro." Eu a lembro.

Eu não tinha planos de ir ao baile e ninguém me convidou, mas


papai é o motivo de estarmos aqui. Eu sou sempre uma otária por ele,
e quando ele me puxou para o lado na semana passada e me disse que
mamãe estava tão animada com o Baile de Boas Vindas, mas
preocupada que eu não tivesse mencionado isso, eu sabia o que ele
queria.
Eu amo meu pai e ele tem sido tão bom para nós duas, mas o que
eu mais amo nele é o quanto ele ama minha mãe. Ele saiu do seu
caminho para me pedir para fazer a coisa do Baile de Boas-vindas por
ela e eu me dobrei em menos de meio segundo. Ele estava certo, porém;
eu deveria estar mais animada com isso. Eu não quero olhar para trás
e me arrepender de não ir ao Baile porque eu tinha algum chip no meu
ombro por não pertencer lá ou porque o Baile de Boas-vindas não era a
minha praia. Minha mãe me ensinou que eu preciso colocar meu melhor
pé na frente4 .

______________
3 Expressão idiomática americana que significa alguém cujo comportamento indica que ele tem algo a
provar. Quer devido a um complexo de inferioridade, uma forte convicção apaixonada por suas crenças
pessoais, um sentido de ser vítima ou tratado injustamente, ou uma resistência a acatar o conselho de uma
pessoa mais experiente; ou refere-se a uma pessoa que tende a exibir um ar de autoconfiança e/ou
superioridade ou bravata exagerados.

4 Mostrar- se da melhor ou mais positiva forma possível nas situações adversas; causar uma impressão
favorável.
"Drake não tem um encontro também." Diz a mãe, acenando
com a mão desprezando desdenhosamente a minha desculpa. “Eu
não acho que as pessoas tenham encontros para o Baile de Boas-
vindas mais. Do que eu ouvi todo mundo só sai em grupo.” Ela
balança a cabeça concordando consigo mesma e é meio que
adorável.

Ela está meio certa; a maioria das pessoas vai


desacompanhado ou em grupos. Os meninos e meninas da escola
pulam de namorar uma pessoa para outra e eu não consigo
acompanhar todas as mudanças. Eu fiz muitas aulas de biologia
e pus na minha cabeça que sair com uma pessoa da minha escola
seria como ficar com todas elas. Deus sabe o tipo de germes que
eu pegaria, então eu preservo minha boca para mim mesma.

Quanto a Drake, não entro em seus negócios com o que ou


quem ele está pegando porque é melhor assim. Na escola eu fico
fora do seu caminho e ele fica fora do meu. Nós nos tornamos como
óleo e água desde o ensino médio. Se nos mantivermos longe um
do outro, não temos chance de brigar, algo que nossos pais
detestam. Essa é a única coisa que temos em comum: não
gostamos de perturbar nenhum deles.

É muito fácil manter distância. Nossa escola é grande e nós


ficamos em grupos diferentes. Ele está sempre com os atletas,
enquanto eu circulo entre a minha equipe de natação e o que é
chamado de Gifts5, o apelido para os talentosos e superdotados6.
Somos o grupo que geralmente está na biblioteca e frequenta todas
as classes de AP7 que podemos. Eu ultimamente estive mais com
eles desde que a temporada de natação acabou e eu não estou
mais tentando entrar em um time de natação de faculdade. As
mudanças no meu corpo não me ajudaram a nadar melhor, e
embora eu sempre gostarei de nadar, não quero mais fazê-lo
competitivamente. Já que esse período do meu tempo está livre, o
passei colocando todo o meu foco em minhas matérias.
______________
5 Talento, dom, presente.

6 Gifted and Talented.

7 Advanced Placement (AP): é um programa nos Estados Unidos e Canadá criado pelo College Board, que
oferece currículos e exames de nível universitário para estudantes do ensino médio. As faculdades e
universidades americanas podem conceder créditos de colocação e curso a estudantes que obtiverem
pontuações altas nos exames de AP no Ensino Médio.
Eu seria uma mentirosa se não admitisse que Drake é responsável
por uma pequena parte de eu não querer mais nadar. Ele me mostrou
um dia quando ele pulou na piscina e facilmente colocou voltas em cima
de mim ao nadar comigo. Ele nem teve que se esforçar para me vencer,
foi tão fácil para ele. Feriu meu orgulho, não que eu o deixei saber
disso. Natação nunca foi minha paixão, apenas algo que fiz para constar
em minhas inscrições para a faculdade. No entanto, ainda me incomoda
que ele me provoque até nas pequenas coisas. Eu tento e deixo rolar por
mim e mostro que não me importo, mas como agora com a mamãe lendo
meu rosto, tudo sempre aparece. Eu não sou boa em esconder minhas
emoções, mas eu ainda tento.

Uma vendedora põe a cabeça dentro do provador. "Eu tenho mais."


Diz ela em uma voz animada de vendedora.

Mamãe se aproxima e tira os vestidos dela enquanto eu tento sair


do que eu estava vestida. Meu telefone toca dentro da minha bolsa e eu
quase tropeço na parte inferior do vestido tentando chegar até
ele. Mamãe ri de mim enquanto me ajuda a tirá-lo antes que eu pegue
meu telefone e veja que Lindsey me mandou uma mensagem da praça
de alimentação. Eu deveria encontrá-la lá depois de fazer compras.

É uma foto de Drake sentado com Liam. Ela é totalmente


apaixonada por Liam, mas não tenho certeza se ele percebe. Ele é mudo
- por escolha, porque eu o ouço murmurar um punhado de palavras
quando ele está dizendo olá de volta para minha mãe para ser
educado. É provavelmente por isso que ele e Drake se dão tão
bem. Ambos são idiotas que não dão a mínima.

Lindsey: Por favor?

Ela manda as mensagens sabendo que eu não quero me encontrar


com Drake, mas se eu fizer isso dará a ela uma desculpa para estar
perto de Liam. Eu juro que corações dançam sobre a cabeça dela
quando ele grunhe. Lindsey é a única pessoa que se lembra que Drake
é meu meio-irmão. Todo mundo sempre se esquece porque causa do
tamanho da brecha que nos colocamos entre nós.

Quando passamos um pelo outro nos corredores, não damos ao


outro um segundo olhar. É triste quando penso nisso. Ele costumava
ser todo o meu mundo, mas agora, quando olho para ele, fico zangada. É
irracional e não entendo, então evito-o. É no que eu sou melhor agora.

Lindsey: Eu fico te devendo.


Eu olho para a nova pilha de vestidos, sabendo que vou ceder
a vontade dela. “Mais vinte minutos. Eu devo encontrar David
para a noite do encontro.” Mamãe diz, já sabendo o que eu vou
perguntar.

Eu: Tudo bem. Vejo você em vinte.

Ela vai me dever um grande momento por causa disso.

"Lindsey?" Mamãe pergunta enquanto ela remexe a nova


pilha de vestidos.

"Sim, vamos nos encontrar na praça de alimentação." Eu


tenho uma relação de amor e ódio com a praça de
alimentação. Eles têm a melhor comida, mas também sei que
muitas pessoas da escola estarão lá. Estou surpresa por não ter
encontrado alguém ainda, mas isso provavelmente é porque minha
mãe reservou um camarim só para ela e eu.

“Drake também está no shopping. Você pode ir para casa


com ele?” Ela não olha para mim quando faz a pergunta, então eu
não tenho que mascarar do meu rosto sobre o pensamento de
compartilhar um pequeno espaço com ele.

“O que for mais fácil para você. Eu vou tirar esse.” Mamãe e
eu viemos juntas e eu não sei se Lindsey veio dirigindo sozinha. Eu
sempre posso pegar um Uber às escondidas e ninguém jamais
saberia.

Mamãe ofega quando pega um dos vestidos da pilha.

“Uau.” Até meus olhos se arregalam ao vê-lo. É de tirar o


fôlego quando ela me traz e me ajuda a colocá-lo.

"Parece um vestido de noiva." Diz a mamãe, fechando o lado


para mim. Meus olhos encontram os dela no espelho e posso ver
que os dela estão se enchendo de lágrimas.

"Mãe." Eu me viro para ela, sorrindo enquanto olho para mim


mesma. O vestido é perfeito e não acho que vá precisar de
alterações.

"É como se fosse feito para você." Ela beija minha bochecha
e eu digo um silencioso agradecimento ao meu pai por me
convencer a fazer isso. Baile de Boas-vindas pode ser ruim, mas esse
momento valeu a pena. "Apenas olhe."

Ela me vira para encarar o espelho novamente e pela primeira vez


eu não me sinto estranha na minha pele. O vestido realmente parece
que foi feito para mim. Minhas curvas preenchem em todos os lugares
certos e eu não pareço uma garotinha. Branco com o estilo sereia
agarrado às minhas curvas, pareço uma mulher.

"Nós vamos escolher sapatos mais tarde." Diz ela e eu gemo,


fazendo-a rir.

“Eu não posso usar saltos a noite toda. Eu vou me machucar.” Eu


não sou a mais graciosa das meninas e é por isso que eu escolhi a
natação como o meu esporte. Às vezes é como se eu tivesse dois pés
esquerdos e posso tropeçar subindo as escadas sem sapatos.

“Nós vamos resolver isso. Nós sempre fazemos.”

O vestido é longo e eu estou pensando que eu poderia colocar tênis


por baixo ou algo assim. Embora por alguma razão, quanto mais eu olho
para o vestido no espelho, mais eu quero tentar usar saltos. Isso está
me fazendo pensar em muitas coisas que eu quero fazer e que eu não
fiz antes.

"Podemos fazer maquiagem também?" Minha mãe congela e você


pensaria que eu disse a ela que eu estou grávida ou algo assim. Mas ela
sabe que eu estou no controle de natalidade desde que tivemos essa
conversa há quase um ano atrás.

“Eu pensei que nós poderíamos fazer um dia disto. Cabelo,


maquiagem e unhas.” Mamãe parece tão animada enquanto ela fala que
eu juro que ela pode explodir. Eu sei que desde que David entrou em
nossas vidas podemos aproveitar mais das coisas boas da vida, e mamãe
adora usá-los em mim quando eu a deixo.

"Parece divertido." Estou começando a pensar que ela está


certa. Eu preciso ficar confortável na minha pele, e uma parte disso
pode ser tentando coisas diferentes.

"Vou arranjar tudo." Ela sorri enquanto me ajuda a sair do


vestido. "Nós vamos ficar com este." Ela diz para a vendedora quando
ela sai do vestiário. Eu me visto e paro para me olhar no espelho. Eu
estou com uma camisa solta e meu jeans favorito e solto meu cabelo,
me libertando. Eu vasculho minha bolsa para encontrar o brilho
labial que Lindsey deixou nela e o passo em meus lábios.

"Pronta?" Mamãe pergunta quando eu saio.

"Sim." Eu digo a ela, deslizando meus óculos de volta. Eu não


preciso deles o tempo todo e eles são necessários apenas para ler,
mas eu leio tanto que eu sempre os uso. Agora, parece estranho
quando eu não estou lendo.

Eu paro quando estamos prestes a sair da loja e me decido


por tirá-los e colocá-los na minha bolsa. Eu só estou indo comer,
então eu não preciso deles.

Mamãe sorri para mim. "Eu amo quando você usa o cabelo
solto." Ela está pronta para ir com o vestido em uma bolsa sobre o
braço. "Eu vou levar para casa." Ela diz enquanto me dá outro
beijo na bochecha. "Divirta-se hoje à noite e está liberada do seu
toque de recolher se você quiser."

Reviro os olhos enquanto a vejo sair pela porta da frente da


loja, depois caminho em direção à praça de alimentação. Se
alguém vai se atrasar ou voltar depois do toque de recolher é o
Drake. Não que eu tenha prestado muita atenção, mas ambos
recebemos um toque de recolher e eu nunca testei o meu. Estou
sempre em casa antes da hora limite e Drake entra minutos antes
do seu. Desde que ele completou dezoito anos, ele só tem toque de
recolher para as noites em que terá aula pela manhã. Qualquer
outro dia ele só tem que ligar e avisá-los se ele vai voltar ou não
pra casa naquela noite, mas ele não fez isso ainda. Ok, talvez eu
preste atenção, mas não quero. Por alguma razão estúpida, parece
que não consigo parar.

Eu vejo a praça de alimentação lotada e eu gemo quando vejo


Lindsey sentada em uma mesa cheia de pessoas. Por que ela
precisava que eu viesse? Ela já está sentada com meu irmão e um
punhado de outros veteranos. Ela está pressionada no lado de
Liam e ele está duro como uma tábua. Eu quero rir, mas Drake
olha para mim e meu bom humor desaparece.

“Aqui!” Lindsey grita para mim do outro lado da praça de


alimentação.
Metade das pessoas se viram e eu solto um longo suspiro. Ótimo. A
cada passo eu faço Drake parecer mais e mais aborrecido comigo. Eu
olho para longe e finjo que não o conheço, porque, honestamente, não
o conheço mais. O garoto que já foi meu melhor amigo olha para mim
com tanta raiva e eu não entendo o que aconteceu. O que uma vez
tivemos se foi e agora ele é um estranho para mim.

Eu ainda posso sentir seus olhos em mim e tenho certeza que ele
quer me dizer para cair fora. Ele provavelmente iria, mas tenho a
sensação de que mamãe já mandou uma mensagem para ele dizendo
que eu poderia precisar de uma carona. Mamãe é a única razão pela
qual Drake ainda é gentil comigo ou reconhece minha existência, não
porque ele quer.

Apenas mais alguns meses, eu me lembro. Então eu estou fora


daqui. Eu tenho debatido sobre morar em casa enquanto vou para a
faculdade, mas acho que é claro que algo tem que mudar. Não é como
se Drake estivesse indo a algum lugar. Ele sempre vai fazer parte da
minha vida. Eu posso apenas tornar as coisas um pouco mais
suportáveis se eu não precisar vê-lo todos os dias.
Capítulo Seis

Drake

"Se eu tiver que ouvir mais sobre o Baile de Boas-vinda eu


vou vomitar." Digo a mim mesmo, mas alto o suficiente para as
meninas ao meu lado ouvirem.

"Deus, Drake, você é tão dramático." Court ri através do nariz


o que me dá nos nervos. Mas tudo me dá nos nervos ultimamente.

"Ele está apenas chateado, ele teve que dar voltas extras no
treino hoje." Kira entra na conversa e eu faço uma careta para
ela. “Eu estava assistindo Josh e vi você. O que você fez para
deixar o treinador tão irritado?”

"Nada." Eu digo e me inclino para trás na minha cadeira.

Eu não queria ir ao shopping hoje à noite, mas mamãe me


mandou uma mensagem dizendo que Ali precisava de uma
carona. O que eu deveria fazer? Eu realmente não tinha uma
escolha naquele momento, então eu mandei uma mensagem para
Liam que precisávamos fazer a viagem. É só do outro lado da
cidade, mas há tantas pessoas da nossa escola aqui e eu sabia que
não seria capaz de manter um perfil discreto.

Com certeza, assim que nos sentamos na praça de


alimentação, vieram as bruxas malvadas. Court, Kira e Dakota são
as co-capitães da equipe de líderes de torcida. Aparentemente,
costumava haver apenas uma, mas alguém decidiu que uma
pessoa na equipe não poderia ter tanto poder, então elas
dividiam. Pessoalmente, acho que uma droga dar a três pessoas
tanto poder. Agora elas apenas se alimentam um do outro, mas
ninguém diz nada a elas. Eu nunca percebi o quanto eu odiava
loiras até as três entrarem no time da escola. Agora todas as
chances que eles têm, uma delas está na minha frente e eu não
posso fugir.

Não ajuda que eu seja o capitão do time de futebol, por isso


estou sempre por perto quando temos treinos e jogos. Depois de
hoje, no entanto, eu realmente não sei mais onde estou. Eu briguei com
Eric e o treinador ameaçou me expulsar da equipe. Nós entramos no
campeonato estadual e lá haverá olheiros. Se tenho alguma esperança
de ser escolhido, preciso manter a cabeça no jogo. Eu cerro meus
punhos debaixo da mesa e penso em bater em Eric de novo.

"Vamos lá, Drake, diga-nos com quem você está indo ao Baile."
insiste Dakota e se inclina para me deixar olhar pelo decote da blusa.

Eu olho ao lado dela para Wes e vejo que ele está com o braço
envolto nas costas da cadeira dela. Eu não entendo o relacionamento
deles. Ele a deixa flertar abertamente na frente das pessoas e parece
não se importa que ela o traia quando estamos em jogos fora. Eu
também não entendo por que Dakota quer Wes como namorado quando
ele mal consegue lembrar o nome dela. As pessoas são tão idiotas.

"Eu estou indo desacompanhado." Murmuro enquanto pego uma


batata frita para ocupar minha boca. Eu me afasto do olhar dela.

"Ali está quase terminando de experimentar vestidos."

O som do nome da minha irmã faz meus ouvidos se


animarem. Liam está ao meu lado e do outro lado dele está Lindsey, a
melhor amiga de Ali. Eu me inclino mais perto para tentar ouvir o que
ela está dizendo.

"Quem?" Court pergunta, e soa sarcástico em sua boca. Ela sabe


exatamente quem é Ali.

"Ali." Lindsey repete e dá o mais brilhante sorriso falso para


Court. “Ela tinha uma reserva na Neiman Marcus. Acho que ela
escolheu seu vestido.”

“Eu não sabia que ela iria. Ela é da nossa série?” Court olha para
Kira e Dakota, que fingem ser burras. Será que elas realmente só
fingem?

"Oh sim, ela é a ruiva que está na AP de cálculo com meu primo."
Diz Dakota e, em seguida, todas concordam.

Eu mantenho minha boca fechada porque eu não gosto delas me


associando com Ali. Algumas pessoas podem pensar que isso me faz um
idiota, mas essas garotas são cruéis. É melhor mantê-la longe disso. Eu
não sei por que Lindsay está sentada conosco, mas acho que Liam
tem uma queda por ela.

"Você sabe que meu pai está alugando uma limo Hummer8 para
todos nós." Court diz para mim enquanto ela rouba uma batata
frita do meu prato. "Você vai com a gente, certo?"

Eu empurro minha bandeja em direção a ela porque eu não


quero mais nada dela depois que ela as tocou. Ela sorri para mim
e pega outra e eu estou muito perto de me levantar da mesa e ir
para o estacionamento.

Lindsey se aproximou de Liam e conversa baixo, e Dakota


está dizendo a Kira sobre sapatos que estão à venda em algum
lugar e não consigo ouvir mais nada. Eu gostaria de poder ir
embora, mas sei que Ali precisa de uma carona. Eu também não
quero que as pessoas me vejam levando-a para casa. Não é como
se fosse uma viagem agradável para qualquer um de nós. Nós
provavelmente vamos viajar em silêncio enquanto ela olha pela
janela como se eu tivesse pisado em seu filhote de cachorro.

Eu não sou um idiota, não importa o que ela pensa, mas há


tanta coisa que eu posso fazer quando ela está por perto. E quando
estamos sozinhos não é como costumava ser. Ela era minha
melhor amiga, mas em algum lugar ao longo do caminho as coisas
mudaram e ela não olha mais para mim do mesmo jeito. Agora
minhas ações a deixam triste e não importa o que saia da minha
boca, não está certo.

Um grupo de caras da equipe de futebol chega e a Brigada


Loira fica mais ruidosa. Estou pronto para enfiar um garfo de
plástico no meu ouvido quando vejo Ali andando em nossa direção.

Seu cabelo vermelho está solto e sobre um ombro e ela não


está usando os óculos. Fico imediatamente irritado, porque ela
provavelmente os perdeu. Ela já fez isso duas vezes neste ano e eu
tive que dizer à mamãe para comprar outro. Ela estava com muito
medo ou muito envergonhada para fazer isso ela mesma.
______________

8
Ela sorri para mim e por um segundo eu estou surpreso. Ela está
saltitando em seus tênis Vans quando se aproxima, levanta a mão e
acena. Por um segundo eu sinto meu peito quente e um sorriso puxa
meus lábios quando eu começo a levantar a minha mão.

Então, com o canto do olho, vejo Lindsey acenar e percebo que ela
estava sorrindo para ela.

"Oh meu Deus, eu não posso esperar para que você veja o meu
vestido." A voz de Ali é tão animada e todo o calor me deixa.

"Então eu acho que estamos indo para o Baile." Lindsey ri, e Ali se
inclina para perto dela.

“Desculpe, senhoras, mas Drake está cansado do tema Baile.”


Court fala para as duas e Ali corta os olhos para mim.

Eu abro minha boca para dizer a Court para se lascar, mas então
Kira a interrompe.

“Vamos a Chanel ou não? Eu tenho o cartão de crédito da minha


mãe e ela disse que eu posso pegar os sapatos.”

Um dos caras da minha equipe vem até mim e começa a falar sobre
o jogo do próximo final de semana. Ele está falando alto para que eu
possa ouvi-lo sobre a multidão na mesa, mas isso tampa qualquer
conversa que Ali esteja tendo com Lindsey.

Estou frustrado e irritado porque, tanto quanto eu deveria me


importar com esse fim de semana, não consigo dar a mínima. Eu devo
realmente me importar, mas tudo que eu quero fazer é escutar a
conversa de Ali sobre o vestido que ela escolheu.

"Você vem?" A voz nasal de Dakota me puxa para fora dos meus
pensamentos e eu olho para cima para ver a Brigada Loira parada
esperando.

Elas realmente acham que eu vou comprar sapatos com elas? Eu


vejo Wes ao lado dela, então talvez elas pensassem, mas eu nego
balancando minha cabeça.

“Não, estou prestes ir embora. Eu tenho que dormir um pouco.”


"Você deve estar cansado de todas aquelas voltas." Kira lança um
último golpe enquanto ela pisca para mim e as garotas se afastam.

A maioria dos caras foi buscar comida, então agora é uma boa hora
para sair. "Você está pronta?" Eu digo para Ali e ela olha para longe de
mim e balança a cabeça. "Liam?"

"Estou bem." Ele diz e Lindsey sorri.

"Eu me ofereci para dar-lhe uma carona já que vocês estão indo
para o centro da cidade."

"Legal." Eu digo e levanto-me, sem olhar por cima do ombro para


Ali.

Há pessoas suficientes aqui e sei que algumas delas podem estar


me observando. As líderes de torcida sumiram e essa era minha
principal preocupação. Eu também não preciso olhar para trás para
saber que Ali está perto de mim. Há algumas coisas que você sente e eu
sei quando ela está perto de mim.

Eu chego ao meu BMW e aperto o botão de desbloqueio. Eu entro


no banco do motorista e, alguns instantes depois, a porta se abre no
lado do passageiro e Ali entra.

O carro foi um presente dos meus pais no meu aniversário de


dezoito anos. Eu não estava esperando, mas eles continuaram falando
sobre o quão bom eu sou e como eles estão orgulhosos. Toda a conversa
me deixou desconfortável. Se eles soubessem de tudo, provavelmente
não teriam me deixado olhar para este carro, quanto mais dirigir. Mas
eu não estava prestes a recusar um conjunto de rodas grátis. Eu deveria
estar trabalhando duro para ganhar seu orgulho e tomar boas decisões,
mas eu continuo tropeçando e fodendo e minha cabeça não está no
jogo. Assim como o treinador disse hoje.

“Você pode ligar o aquecedor? Estou com frio.” Ali sussurra.

Eu aperto meu queixo quando eu o ligo para ela e saio do


estacionamento. Por que ela tem que falar tão suavemente como se ela
fosse quebrar os vidros se ela levantasse a voz? Eu odeio isso, mas nós
já brigamos antes sobre como ela não se defende por si mesma ou usa
suas palavras.
O que diabos ela vai fazer se ela for para a faculdade e eu não
estiver lá para defende-la? O pensamento me deixa ainda mais irritado
e eu aperto o volante com força suficiente para deixar meus dedos
brancos.

"Com quem você vai ao baile?" Eu consigo parecer um pouco


relaxado e estou muito orgulhoso do meu esforço.

"O que importa?" Ela olha para mim por um segundo antes de
olhar pela janela.

Eu suspiro e balanço minha cabeça. "Apenas puxando conversa."

Por que temos que fazer isso de um lado para o outro toda vez? O
que aconteceu conosco?

"Court parecia ansiosa por um encontro."

Estou chocado ao ouvi-la dizer isso, mas não surpreso. Court fez
com que todos soubessem que ela está atrás do quarterback. Ela estava
dando em cima do namorado de Kira, Josh, no ano passado, até que eu
fui promovido para a sua posição.

"Court é uma cabeça de vento.” Eu digo quando entro na


autoestrada.

"Caras gostam disso." Ela solta uma risada amarga e está muito
escuro para eu ver seu rosto.

"Nem todos os caras."

O silêncio cai entre nós e está ficando tenso. Não podemos


continuar tendo essas conversas ou um de nós vai quebrar. Eu não
ficarei chocado se for eu.

"Mas você vai para o baile?" Eu sondo e ela confirma com um


aceno. "Mamãe e papai deram permissão para você ir?"

Ela vira ligeiro os olhos em minha direção e eu posso apenas ver o


conjunto apertado de seus lábios. "Eu preciso pedir permissão?" Ela
espera e, em seguida, inclina a cabeça para o lado. "Você pediu?"

"Eu tenho dezoito anos."


"Drake, você é exatamente doze semanas mais velho que eu."

Eu odeio o quão irritada ela soa quando ela diz meu nome. Quando
eu não digo nada, ela cruza os braços sobre o peito.

Nós seguimos o resto do caminho em absoluto silêncio e eu me


sinto uma merda. Eu não sei o que estamos fazendo de errado, mas há
coisas entre nós que não foram ditas e que está tornando o nosso tempo
juntos miserável. Estamos prestes a nos formar e ir para a
faculdade. Nós dois fomos aceitos para um par delas, mas os planos
ainda não estão definidos. Eu ainda estou tentando conseguir uma
bolsa de estudos pelo futebol e as faculdades estão praticamente
batendo na nossa porta para conseguir Ali como acadêmica.

Nós não podemos continuar assim.

Quando chego à casa, coloco o carro no estacionamento e


desligo. Assim que ela agarra a maçaneta eu estendo a mão e pego seu
pulso.

"Ali." Eu digo baixinho, mas ela não olha para mim


imediatamente. "Eu sinto Muito."

"Para quê?" Ela estala e a expressão em seus olhos é uma mistura


de raiva e tristeza.

"Pelo o que quer que seja que eu fiz para te deixar puta."

“Você sente muito por eu estar fula? Isso é um pedido de desculpas


meia-boca até mesmo para você, Drake.”

"Isso não é o que estou dizendo." Eu suspiro e a solto. Ela é tão


suave e minhas mãos são ásperas do treino.

Ela respira e depois se vira para mim. Mesmo no escuro eu posso


ver quão azuis são os olhos dela. "Está bem. Não se preocupe com
isso. Obrigado por me dar uma carona.”

"Nós devemos apenas ir juntos." Eu deixo escapar, e no segundo


que as palavras deixam minha boca, eu quero pegá-las de volta.

"O quê?" Suas sobrancelhas se juntam quando ela olha para mim.

"Hum, eu quero dizer ao Baile de Boas-vindas." Eu gagejo por um


momento e depois percebo que ela já me ouviu, então
eu poderia muito bem ir até a borda do penhasco. “Devemos ir
juntos. Então você tem uma carona.”

Eu quero encontrar um buraco em algum lugar e pular nele para


que eu possa desaparecer desta conversa estranha.

"Oh." Ela diz suavemente e depois olha para o outro lado. “Tenho
certeza que posso ir com Lindsey. Isso não é um problema."

"Eu posso levá-la também." Por que eu ainda estou falando?

"Ok". A palavra sai lentamente enquanto ela está pensando sobre


isso. "Eu posso mandar uma mensagem para ela e ver."

Eu não digo mais nada quando ela sai do carro e eu a sigo para
dentro. O carro do papai não está e então eu lembro que ele disse que
ele e a mamãe teriam a noite do encontro hoje.

Quando entro, fecho a garagem e acerto o alarme, sabendo que


eles chegarão tarde. Eu coloco minhas chaves no balcão e entro na sala
a tempo de ver Ali indo para as escadas.

"Você vai para a cama?" Eu pergunto e ela se vira para acenar para
mim.

Assim como a primeira vez que a vi, seus olhos azuis chocantes
enxergam através de mim.

"Boa noite, Drake." Ela diz suavemente, e desta vez não me sinto
mal quando ela diz meu nome.

"Boa noite, Ali." Eu sussurro enquanto ela se vira para sair.


Capítulo Sete

Ali

"Aqui." Eu digo enquanto escrevo o resto do problema de


matemática para Lindsey. Ela quase tinha conseguido, mas
cometeu um pequeno equívoco porque estava distraída. Ela
normalmente é melhor que eu em matemática.

"Você tem que vir para a faculdade comigo." Lindsey


brinca. "Eu não sei como eu perdi isso." Ela apaga o que eu escrevi
e faz o problema em sua própria caligrafia para estar segura.

"Isso é porque você não está pensando direito." Eu olho por


cima do ombro para ver Liam sentado em seu assento habitual no
canto. Nós não temos assentos atribuídos, mas a maioria das
pessoas se sentam no mesmo lugar todos os dias.

"Ele está olhando para mim?" Eu não posso dizer para onde
ele está olhando, para ser honesta. Ele está olhando em nossa
direção. Se eu tivesse que adivinhar é para ela, mas parece que ele
está tentando ouvir o que estamos dizendo.

"Sim." Eu respondo, tirando o olhar de trás para a frente da


sala de aula e esperando a aula começar.

"Ele ainda está olhando?" Ela pergunta novamente.

Eu bufo. "Já faz cinco segundos."

"Eu sei, mas olhar é tudo o que posso conseguir dele."

Eu não tenho certeza do que está errado com Liam porque


Lindsey é linda e inteligente. Ela está interessada por ele desde
que ele apareceu na nossa escola este ano. Ele é o primeiro cara
que ela já mostrou atração e ele não dá a ninguém a hora do
dia. Exceto Drake. Eu não tenho certeza se eles são amigos porque
eles realmente gostam um do outro ou por causa do futebol. É
literalmente o trabalho de Liam proteger Drake no campo. Ele é o
centro e leva a bola até o quartebacker, se certificando antes que
Drake não tenha a porcaria batida fora dele. Isto é, se
alguém pudesse pegá-lo. Eu vou a todos os jogos, já que é sempre um
assunto de família e até mesmo eu notei o quão bem eles
trabalham juntos. Eles são um bom ajuste e mostram isso no campo.

"Eu quero ir ao baile com ele." Ela lambe os lábios antes de roubar
um olhar por cima do ombro. Liam pode não falar muito, mas ele não
dá a mínima se você o criticar. Ele continua olhando para nós e ela
estala a cabeça para trás. Eu vejo como ela fica vermelha e é meio fofo
vê-la nervosa com alguma coisa. Ela é sempre tão fria e desinteressada
por caras.

"Drake sugeriu que fôssemos juntos." Eu ofereço e todo o rosto de


Lindsey se ilumina.

“Nós poderíamos ir em grupo, já que eles estão sempre


juntos. Então seria como se estivéssemos em um encontro.”

"Isso significaria que Drake e eu estaríamos num encontro." Eu a


lembro. Ela se esqueceu que somos meio - irmãos?

Ela revira os olhos. "Vocês não são irmão e irmã de verdade."

Meu peito aperta e não tenho certeza se gosto ou não dessa


resposta. É o mesmo sentimento que tive quando Drake teve a ideia de
irmos juntos. Ele nem gostou de estar no carro comigo, mas agora ele
quer ir ao Baile juntos? Oh Deus, e se o papai o colocou nisso?

Eu empurro meus óculos no meu nariz. "Não é tão estranho


assim?" Acho que mamãe e papai ficariam animados com a gente indo
no mesmo carro e está começando a fazer sentido porque ele sugeriu
que fôssemos juntos.

Em casa nós tentamos ser civilizados, mas é claro que as coisas


não são como eram antes. Drake e eu podemos vir da mesma casa, mas
vivemos em dois mundos diferentes. Eu sei que Drake não me quer no
dele porque ele mantém seu grupo de amigos longe de mim. Mesmo no
shopping eu podia dizer que ele não me queria sentada com todos. Ele
praticamente correu para nos tirar de lá. Não só isso, acho que ele
estava tentando me deixar pra trás enquanto caminhávamos até o carro
dele. Eu tive que acelerar a caminhada para acompanhá-lo. Se ele está
tão envergonhado de ser visto comigo ou não queria que as pessoas
soubessem que vivemos juntas, por que ele está fazendo essa coisa toda
de Baile de Boas-vindas? Não faz qualquer sentido e eu odeio quando
as coisas não se somam.
"Não." Lindsey dá de ombros. "Você com certeza irritaria as
BBs ." Ela balança as sobrancelhas.
9

As BBs são as capitãs de cabelos loiros da equipe de líderes


de torcida. Tivemos o luxo de sua companhia na praça de
alimentação, o que era raro. Nossos dois grupos geralmente não se
misturam e nós mais ou menos nos ignoramos. No começo eu
pensei que era porque nenhum de nós dividia as aulas, mas no
ano passado eu descobri que elas não gostam de Lindsey ou de
mim.

Meu estômago fica em cólicas achando que pode ser algo que
Drake disse sobre mim para elas. Ele está nesse grupo, mas não
posso vê-lo fazendo isso. Por mais que ele não queira estar perto
de mim, ele ainda é protetor comigo às vezes. Eu acho que é pelos
nossos pais mais do que qualquer coisa. Ele faz isso por obrigação.

"Eu prefiro ficar fora do radar delas." Murmuro.

Eu não sou uma solitária patológica, mas gosto de manter


minha pequena bolha e não chamar atenção. Eu tenho minhas
mãos cheias com todas as aulas de posicionamento avançado que
estou tendo. Eu quero ir para a faculdade de Boston com Lindsey,
mas eu quero tentar obter uma bolsa de estudo. Eu sei que já
tenho vaga garantida se eu quiser ir desde que meu pai estudou
lá. Ele estaria mais do que disposto a pagar pela faculdade, mas
eu tenho necessidade de me provar. Drake ainda tem que escolher
a sua universidade, então quem sabe onde ele vai acabar? Ele com
certeza vai pegar uma carona com o futebol.

"Oh Deus, como podemos sair do radar de Eric?" Lindsey


sussurra baixinho enquanto se inclina para trás em sua cadeira.

Eu olho em direção à porta para ver Eric entrando na sala de


aula. Ele me dá um sorriso gigante. Eu não sei por que Lindsey
não gosta de Eric. Ele é sempre bom e não me incomoda. Ele olha
para Lindsey e depois caminha direto para nós.

"Tiveram um bom fim de semana?" Ele pergunta enquanto


empurra seu cabelo loiro fora de seu rosto.

______________
9 Originalmente Blonde Brigade ou brigada loira.
“Tudo bem.” Eu dou de ombros.

"Ela encontrou um vestido para o baile." Lindsey joga lá. Ela pode
não dar a mínima para Eric, mas a garota gosta de conversar. É por isso
que acho que trabalhamos tão bem juntas como melhores amigas. Ela
pode preencher silêncios que poderiam me fazer sentir estranha.

"Você vai?" Eric pergunta enquanto ele cai no assento ao lado do


meu, parecendo surpreso.

"Sim. Minha mãe está meio animada com a coisa toda.” Eu admito.

"Não é onde você normalmente se senta." Lindsey se inclina para


frente, apontando para Eric.

"Temos alguns minutos." ele responde, sem olhar para ela. Eu olho
para o meu relógio e percebo que ele está errado. A aula já deveria ter
começado, mas o Sr. Nixon está atrasado.

Antes que eu possa corrigi-lo Eric é levantado de sua cadeira pelas


costas de sua camisa.

"Que porra é essa?" Ele late, e eu ouço algumas risadas e suspiros


de outros estudantes na sala de aula.

Eu olho de olhos arregalados para Liam, que dá a Eric um olhar


irritado antes de soltar sua camisa e empurrá-lo na direção onde ele
normalmente se senta. Eric vai e eu não o culpo. Liam é um cara grande
e quase tão largo quanto ele é alto. Ele não é gordo, mas o cara é tão
sólido quanto uma parede de tijolos.

"Você acha que ele estava com ciúmes?" Lindsey se inclina para
frente e sussurra. "Eric estava falando com você, no entanto, então o
que foi isso?" Sua voz desaparece quando ela cai de volta em seu
assento.

"Liam não tem uma coisa por mim." Eu a tranquilizo, sabendo o


que ela está pensando. "Confie em mim. Ele vem até a minha casa e
nem olha na minha direção. Sou invisível para ele.” Para Drake também,
para ser sincera.

“Estou sendo idiota. Eu deveria desistir dessa minha paixão, mas


não posso.” Ela franze os lábios, furiosa consigo mesma.
"Não podemos decidir sobre quem nos apaixonamos." Eu a
cutuco com o cotovelo.

Um sorriso puxa seus lábios quando o Sr. Nixon entra na


sala e finalmente começa sua aula. Felizmente voa porque estou
morrendo de fome e nosso período de almoço é o próximo. Eu não
acho que o assunto passou por Lindsey porque ela se mexia o
tempo todo e eu sei que ela está morrendo de vontade de me
perguntar uma coisa.

"Nós não estamos compartilhando batatas fritas hoje." Digo


a ela enquanto saímos juntas. Eu pulei o café da manhã hoje
porque eu ouvi mamãe e Drake na cozinha e eu não queria
enfrentá-los. Eu estava com medo de que toda a coisa do Baile de
Boas-vindas pudesse surgir novamente e ainda não tenho certeza
do que vou fazer.

"Eu vou pedir três batatas fritas se você concordar com a


ideia do Baile." Era disso que ela queria voltar a falar.

Eu dou uma olhada nela. "Eu nem sei se Liam está indo."

"Mas você vai perguntar?"

Eu não posso dizer não para o olhar esperançoso em seus


olhos. "Tá bom. Eu vou perguntar.” Nós largamos nossas mochilas
no mesmo lugar em que sempre sentamos no refeitório.

"Você manda uma mensagem para seu irmão e eu pego nossa


comida." ela diz e sai.

"Ele não é meu irmão." Murmuro, mas ela já se foi.

Seus longos cabelos escuros balançam enquanto ela se move


através da multidão de pessoas e eu caio no meu lugar e tiro meu
celular fora da minha bolsa. Eu começo a mandar um texto para
Drake para que eu possa acabar logo com isso. Será a primeira
coisa que ela perguntará quando voltar com nossa comida.

"Eu gosto do seu cabelo solto." Eu olho para cima para ver
Eric de pé pairando sobre mim.

"Obrigado."
Ele se senta ao meu lado enquanto eu mando a mensagem.

Eu: Liam vai ao baile?

"Então, Baile de boas-vindas." Eric retoma e eu começo a entrar


em pânico. Ele não vai me convidar, não é? Toda essa coisa de Baile
está começando a tirar anos da minha vida.

"Por que Liam agarrou você assim?" Eu mudo de assunto


rapidamente e o sorriso de Eric cai.

“Porque ele é um idiota e faz o que Drake lhe diz. Drake acha que
é dono desta escola, mas a temporada de futebol está quase no fim.”
Eric sorri e se inclina para mais perto.

“Você não joga futebol também?” Eu achava que todo mundo da


equipe era íntimo, mas agora que penso nisso não vejo Eric em
campo. Eu sei que ele está no time, mas eu me esqueci dele. Eu também
me pergunto por que ele está na minha mesa e não acabou com as BBs
onde Drake está.

Meu celular vibra na minha mão.

Drake: Por que você se importa se Liam está indo?

Ele não pode simplesmente responder a pergunta? Eu não posso


dizer a ele que estou perguntando para Lindsey, por causa do código de
garota e toda essa porcaria.

Me: Eu só quero saber.

"Sim, eu jogo."

Eu olho Eric e avalio sua estatura curta, mas ligeira. Eu acho que
ele pode estar com futebol assim como se eu estive com a natação. Eu
fiz isso porque precisava de algo para colocar em minhas inscrições de
faculdade. Esse é o meu palpite, pelo menos para Eric. Ele está em
algumas das minhas aulas de AP, então ele meio que se mistura com
ambas os grupos.

"Eu vou ao baile também." Ele estende a mão e toca as pontas do


meu cabelo.

Ah não, ele vai me convidar. Eu estou como um peixe fora d'água


porque não fui convidada para sair antes. Eu não sei
se isso deveria me incomodar ou não, mas se eu tivesse passado
por isso antes, eu poderia saber o que fazer nessa situação.

"Legal." É tudo que eu digo, olhando de volta para o meu


telefone e fingindo que é superinteressante.

"Você tem já tem um encontro?" Ele pergunta, e eu luto


contra o meu medo.

"Cara, Liam e Drake parecem chaateaaados." Lindsey arrasta


a última palavra enquanto coloca uma bandeja de comida na
mesa. Graças a Deus ela voltou e me salvou do Eric. "Eu acho que
eles estão discutindo."

Eu olho para onde eles estão sentados e sigo sua linha de


visão. Liam e Drake parecem estar em uma conversa acalorada
enquanto estão ao lado de sua mesa. Como se Drake sentisse
meus olhos nele, sua cabeça gira em minha direção, seus olhos se
prendem aos meus por um momento e então se movem para Eric.

Ele vai de chateado a lívido quando ele enfia o celular no


bolso e começa a andar na minha direção.
Capítulo Oito

Drake

Eric salta para cima quando ele me vê andando mais como um


touro, mas pouco antes de eu chegar à mesa, eu me sinto uma mão forte
agarrar meu braço uma voz me deixa frio.

“Mais uma briga e não tenho escolha senão por você no banco. Isso
é realmente o que você quer?” O treinador Chris diz em voz baixa
enquanto eu sinto o sangue batendo nos meus ouvidos.

Eric sorri e pega sua bolsa, indo embora da mesa como se estivesse
tudo bem. Eu sacudo meu braço e observo enquanto o treinador entra
na minha frente.

"Se você for para o banco, quem você acha que será seu
substituto?" Suas sobrancelhas se juntam em um olhar severo e eu
percebo o que ele quer dizer.

Eric é meu substituto e ele vem tentando posições diferentes este


ano desde que eu dei a ele zero tempo de jogo como quarterback. Raiva
aquece meu pescoço enquanto eu olho por cima do ombro do Treinador
para Ali. Sua cabeça está inclinada em direção a Lindsey e elas estão
sussurrando uma para a outra.

“Uma coisa é fazer isso no campo, mas se você fizer isso no meio
de um refeitório lotado as minhas mãos estarão amarradas, filho.”

Eu olho para ele puto porque sei que ele está certo. Eu aceno
silenciosamente em compreensão e ele solta uma expiração forte.

“Você trabalhou muito duro por isso para jogar fora por causa de
uma merda como ele. Nós dois sabemos que ele não está conseguindo
uma bolsa pelo futebol para qualquer lugar, então a única coisa que
você está fazendo é arruinar suas chances.” Quando eu não respondo,
ele me dá um olhar duro. "Você me entende?"

"Sim, treinador."
Ele espera uma batida e é a minha vez de soltar um
suspiro. Quando vê que estou sob controle o treinador Chris recua e
volta para a sua mesa.

Liam se aproxima e me entrega minha bolsa. Então a


campainha toca e o primeiro almoço acaba. Ali tem o segundo
almoço, então ela fica sentada. Mas seus olhos estão em mim
enquanto passo pela mesa dela.

"Verifique o seu telefone." Eu digo quando eu passo e ela


balança a cabeça e olha para longe.

Liam anda silenciosamente ao meu lado até sairmos do


refeitório e chegarmos ao pátio.

"Você quer me dizer o que foi aquilo?"

"Não." Eu respondo enquanto pego meu celular e envio uma


mensagem para Ali.

Eu: Cuidado com Eric. Ele está apenas usando você.

"Drake." Liam estala, e eu estou surpreso porque ele


normalmente não levanta a voz.

"O que?" Eu respondo, ainda querendo uma briga depois do


que aconteceu.

"O que está acontecendo com você?" Ele para no meio do


gramado e olha para mim com expectativa.

Meu telefone vibra e é um texto de Ali.

Ali: Eu acho que posso cuidar de mim mesma.

Eu aperto meu telefone em frustração e depois esfrego meus


olhos.

"Eu não sei. Estou apenas estressado.” Eu enfio meu telefone


de volta no meu jeans antes de enviar uma mensagem de texto
pela qual vou me arrepender. “Eu tenho muito nos meus ombros
com este jogo das Boas-vindas e o que isso significa para o meu
futuro. E além disso eu tenho que me preocupar com alguém vindo
na minha irmã só para foder comigo.”
"Você sabe que eu gosto de Lindsey, certo?" Seus olhos são
sinceros, ansiosos para eu acreditar nele, e embora eu tenha tido um
lapso de autocontrole Liam não faria isso comigo. Tentar e ficar com
minha irmã. Meia-irmã, eu mentalmente corrijo.

"Sim, eu sei." Suspiro.

Ele balança a cabeça e começa a andar de novo.

O sol brilhando lá fora é um tapa na cara do meu humor. Deveria


estar chuvoso e frio porque é assim que estou me sentindo. Eu pensei
que convidar Ali para ir comigo ao baile das Boas-vindas eliminaria
todas as besteiras sobre encontros e danças, mas só colocou mais
pressão sobre isso. Estou todo confuso por dentro e não quero pensar
nisso; Não tenho tempo para pensar nisso.

Quando chegamos à sala de aula eu me sento no fundo com Liam


ao meu lado. Eu levo um segundo para deixar o professor iniciar a
palestra antes de pegar meu telefone.

Eu: Desculpe por mais cedo.

Eu aperto enviar e espero, sem saber se ela vai ler antes da


próxima aula. Eu não sinto muito sobre o que eu disse, mas eu posso
perceber que eu a assustei e eu odeio ver esse olhar em seu rosto.

Ali: Tudo bem. Eu também não sou fã de Eric.

Alívio como eu nunca esperei enche meu peito e eu me ajeito no


assento e respiro. De repente, o nó dentro de mim está solto e tudo por
causa de algumas simples palavras.

Eu: Liam vai comigo para o baile das Boas-vindas.

Eu posso saber que ele não estava interessado em Ali, mas ouvi-lo
dizer isso me fez sentir um pouco menos mesquinho. Eu também estou
disposto a desistir de mais informações agora que eu sei que ela
provavelmente estava perguntando por causa de Lindsey.

Ali: Você não deveria estar na aula de economia?

Um sorriso puxa o canto dos meus lábios.

Eu: Todas essas batatas fritas eram para você?


Ali: Sim. Com ciúmes?

Por uma fração de segundo, lembro como era brincar com


ela. De rir e nos divertir e não nos preocuparmos com grupos
sociais na escola e quem está namorando quem. Trocando essas
mensagens com ela, me lembro do sorriso que ela teve no dia em
que tirou o aparelho e como comeu tantas costelas naquela noite
que mal conseguia andar. Todas as melhores lembranças da
minha vida são com ela envolvida, e esses dois últimos anos no
colegial abriram um abismo entre nós.

Eu: Sim. Eu não consegui comer.

Ali: Eu ouvi que a Brigada Loira não permite comida na mesa de


qualquer maneira.

Eu: Vamos matar aula e ir para o Joe.

Eu não sei por que eu mandei o texto, mas assim que o faço
eu me preocupo que eu não deveria tê-lo
mandado. Costumávamos ir ao Joe's às sextas-feiras depois da
Little League e comprávamos sorvete e cachorros-quentes. Ainda é
um dos lugares favoritos de Ali.

Ali: Eu não posso.

Eu: Ok.

Eu envio a resposta rápida e enfio meu celular na minha


mochila. Minha súbita onda de nostalgia me fez esquecer que
somos muito diferentes para sermos agora como costumávamos
ser. Meu celular vibra, mas eu o ignoro enquanto a Sra. Lance
continua falando. Pelo menos eu tentei, mas é melhor apenas
manter minha distância. Em poucas semanas estarei longe
daqui. Dela. O pensamento faz o meu interior doer mais do que
antes e eu tenho que me concentrar em outra coisa.

Há uma parte escura de mim que dói e é a razão pela qual eu


ataco. Ela mexe dentro de mim como uma fera furiosa e eu tenho
medo que se eu invocar isso, isso vai me consumir. Eu sei
exatamente por que eu mantenho distância de Ali, e é uma
sentença que eu carrego comigo todos os dias.

É porque estou apaixonado pela minha irmã.


Capítulo Nove

Ali

"Dia." Meus olhos se abrem ao som da voz de Drake. Eles se


arregalam quando vejo que ele está deitado na cama comigo.

Ele está sobre o cobertor completamente vestido em sua camisa e


um par de jeans. É dia de jogo. Eles sempre usam suas camisas no dia
do jogo, mas isso não é qualquer jogo. É o jogo das Boas-vindas e é um
grande negócio para toda a nossa família.

"Feliz aniversário." Seu sorriso torto é tão doce e não consigo me


lembrar da última vez que Drake esteve no meu quarto, muito menos
na minha cama.

“O que você está fazendo?” Sai dos meus lábios quando eu me


sento.

Ele tem feito muita porcaria estranha nas últimas semanas. Pode
não parecer estranho para outras pessoas, mas ele tem sido amigável e
enviando-me mensagens de textos aleatórias aqui e ali. Ele me gritava
do andar de baixo para eu ir tomar café da manhã, então eu tive que me
juntar a todos a cada manhã.

Ele está tornando impossível evitá-lo. Toda vez que eu me viro


quase tropeço nele. Lindsey está amando cada segundo disso porque,
onde quer que Drake esteja, Liam está também. Eu pensei que Drake
estivesse mais perto porque Liam pediu a ele. Se eu estou lendo correto
os grunhidos de Liam, ele está totalmente com Lindsey.

Essas coisas em casa, no entanto, não têm nada a ver com Liam e
Lindsey, então tem que ser outra coisa. Mamãe e papai poderiam ter
dito algo a ele sobre ser mais legal comigo? Eles poderiam ter visto que
não estamos mais perto e perguntaram a ele sobre isso. Eu sei que nós
dois nos inclinamos para trás porque meu pai é minha kryptonita e
mamãe é de Drake.

Ele se senta segurando um cupcake e acende a vela. "É seu


aniversário." Ele me lembra.
Eu sei que é meu aniversário, mas ainda não entendi por que
ele está na minha cama. Ele traz o cupcake mais perto de mim e
eu me vejo balançando a cabeça, um sorriso puxando meus lábios.

"Faça um desejo."

Meus olhos encontram os dele quando me inclino para frente


e os fecho. Faço meu desejo e apago a vela e, quando abro os olhos,
ele ainda está sentado ali. Eu gostaria que isso fosse real, porque
eu sinto muita falta dele. Quando vejo que ele ainda está lá, na
minha cama e não parece chateado, meu coração dispara.

Ele puxa a vela do cupcake e a segura para mim. Eu sugo a


cereja do fim por hábito e não é até que eu estou realmente fazendo
isso que eu percebo o que isso parece. Estou lambendo a cobertura
do fim da vela enquanto ele a está segurando e me
observando. Nós dois estamos na minha cama e eu percebo a
posição em que estamos e isso envia uma emoção estranha através
do meu corpo.

"Obrigado." Eu disparo, empurrando para trás, e meu rosto


aquece. Ele não me provoca enquanto puxa a embalagem do fundo
do cupcake.

"Eu não quero ofuscar seu aniversário com o jogo das boas-
vindas." ele me diz me entregando o cupcake. É muito cedo para
doces, mas eu dou uma mordida de qualquer maneira. É meu
aniversário e Drake conhece meu tipo favorito de cupcake. O dele.

Ele sabe como fazer a melhor cobertura que já


experimentei. Ele costumava fazer isso para mim o tempo
todo; então as coisas mudaram e parei de pedir. De vez em
quando, quando ele ainda os faz, eu sempre furto um e o como no
meu quarto. Eu não o vi fazendo isso na noite passada, então isso
significa que ele acordou cedo só por mim e meu coração palpita.

"Não é grande coisa." Eu digo a ele depois de engolir minha


mordida.

Ele se aproxima e seu polegar roça minha bochecha. Nós dois


congelamos quando nossos olhos se fixam e o mesmo zumbido
atravessa minha pele. Algo tem sido diferente nas últimas
semanas, mas isso não é nada disso. Ele solta a mão rapidamente
e sai da cama. Eu observo com o canto do olho quando ele
rapidamente solta sua camisa da calça e deixa-a cair na frente dele.

"É um grande negócio e eu queria ser o primeiro a lhe dizer feliz


aniversário."

Eu lambo meus lábios e o vejo se afastar da minha cama. Ele


sentiu a mesma coisa quando me tocou? Eu aperto minhas pernas
juntas, grata por ter um cobertor sobre elas. Meus mamilos apertam e
eu tento puxar o cobertor sem fazer parecer óbvio.

"Obrigado." Eu digo novamente.

Ele balança a cabeça enquanto se vira para sair e quase corre para
a porta fechada do meu quarto. Ele respira fundo antes de sair e fecha
a porta atrás dele. Quando eu olho para baixo eu posso ver claramente
através da minha camisa de dormir fina e eu gemo, empurrando o resto
do cupcake na minha boca.

É por isso que as coisas mudaram.

Eu não posso controlar as reações do meu corpo em torno dele e


não ajuda que ele continue aparecendo em todos os lugares. Eu caio de
volta na cama e outro gemido me deixa quando seu cheiro enche meus
pulmões. Quanto tempo ele estava deitado ao meu lado? Meu corpo
começa a formigar tudo de novo e eu tenho a necessidade de escorregar
minha mão em meu short, mas eu luto contra isso. Isso seria tão
errado. Eu disse a mim mesmo que não faria isso de novo. Eu não
deveria pensar no meu meio-irmão enquanto me toco, mas é tudo que
minha mente evoca quando eu queimo. Estou começando a pensar que
algo está errado comigo. Não importa o quanto eu tente imaginar um
homem sem rosto, de alguma forma Drake está sempre lá.

Eu preciso tomar banho, então eu saio da cama para me


arrumar. Quando estou limpa e vestida, pego minha bolsa, mas mal saio
da porta do meu quarto antes que meus pais estejam em cima de
mim. Quando entro na cozinha, vejo Drake fazendo torrada francesa. Se
o dia continuar assim, eu não vou poder me encaixar no meu vestido do
Baile das boas-vindas amanhã.

Eu como cada bocado antes de sair para a escola. Drake diz que
devemos ir juntos, então eu entro em seu carro. O caminho é curto e
Drake tenta fazer conversa fiada, mas é difícil para mim olhar para
ele. Eu continuo pensando que, de alguma forma, ele sabe que eu fiquei
excitada enquanto ele estava na minha cama.
Quando ele entra no estacionamento eu saio do carro antes
mesmo de parar completamente. Isso não o detém, e suas longas
pernas me alcançam facilmente.

“Eu falei com a mamãe e ela disse que você estaria pronta
amanhã por volta das dezoito horas. Fiz uma reserva para que
pudéssemos ir jantar primeiro.” Isso está começando a parecer um
encontro, mas se mamãe e papai não estão vendo isso e nem
qualquer outra pessoa, então talvez eu seja a única a pensar
assim. Talvez eu esteja querendo demais, mas eu empurro esse
pensamento louco da minha cabeça.

"Eu mandei fazer para nós camisas!" Nós dois nos viramos
ao som da voz de Lindsey. Ela está correndo em minha direção
com uma sacola na mão. Ela não me entrega quando chega até
nós, mas abre a bolsa e puxa a camisa.

"Feliz aniversário." Ela me puxa para um abraço e esfrega a


camisa entre nós. "Eu sabia que você não iria pegar o espírito de
equipe, então eu fiz isso por nós."

Ela se inclina para trás para que eu possa ver a


camisa. Agora eu sei por que ela estava me mandando mensagens
ontem à noite. Ela tinha as mãos cheias. Eu viro a camisa para ver
Hawthorne escrito nas costas. Eu sei que é para Drake, mas é meu
sobrenome também desde que papai me adotou anos atrás. Ela
colocou muito tempo e esforço nelas e em algum lugar um
unicórnio está perdendo glitter.

"Eu gosto disso." Diz Drake ao meu lado. Ele está lutando
contra um sorriso e não tenho certeza se ele está mentindo.

"Eu pensei que deveríamos ser a torcida personalizada de


vocês caras, já que todos nós vamos ao Baile das Boas-vindas
juntos." Ela se vira e vejo o sobrenome de Liam na dela.

"Não é como um encontro." Eu deixo escapar, ainda me


sentindo autoconsciente sobre esta manhã. E se Drake vir que eu
estou começando a sentir algo por ele que eu não deveria?

Eu ficaria totalmente mortificada por ele me sentasse e


tivesse o mesmo tipo de conversa que o ouvi ter com outras garotas
na escola. Que seu foco é futebol e não buceta. Embora eu tenha
certeza que ele não falaria assim comigo. Eu nunca o ouvi usar
essa palavra, mas tenho certeza que ele usa. Toda a esperança de que
nós mantivéssemos algum tipo de relacionamento parental no futuro
seria arruinada porque eu me arrastaria para debaixo dos meus
cobertores e nunca sairia.

Eu posso sentir Drake endurecendo ao meu lado e isso me deixa


inquieta enquanto coloco meu cabelo atrás da minha orelha. Eu o tenho
usado desse jeito ultimamente e vetado meus óculos também quando
não preciso deles. Eu tenho saído mais e mais da minha concha. Pelo
menos é o que Lindsey diz. Acho que é como minha mãe disse, estou
ficando mais confortável em minha própria pele. Parei de tentar
esconder tanto o meu corpo e visto roupas mais justas. Eu me senti
mais confortável, mas agora estou instável novamente e sei que é por
causa de Drake.

"Vamos lá, vamos trocar de roupas, aniversariante." Lindsey


engancha o braço dela com o meu e me puxa com ela. Eu olho por cima
do ombro para ver Drake nos observando e desta vez não consigo ler o
rosto dele. Não é raiva, mas seja o que for, é intenso.
Capítulo Dez

Drake

Eu vi Ali algumas vezes ao longo do dia e sei que não é


exatamente o meu nome na parte de trás da camisa dela, mas é o
meu número. Houve algumas garotas ao redor da escola usando
camisetas de orgulho10 e números de pintura em suas bochechas,
mas vendo Ali com o número sete em seu peito me fez andar com
cabeça nas nuvens.

Quando ela chegou à escola, eu tinha decorado seu closet


com serpentinas, balões e um sinal para que as pessoas
soubessem que era seu aniversário. Então, no almoço, paguei a
um calouro pra buscar sua comida favorita, porque eu sabia que
as pessoas me vigiavam. O quarterback deixando o campus logo
antes do jogo teria sido o principal material de fofoca. Eu a vi
comendo quando saí do refeitório e o sorriso que ela me deu valeu
a pena. Eu até consegui que Wes, o namorado de Dakota, fizesse
uma mensagem no meio dos anúncios da manhã, e embora eu não
estivesse na sala dela, ouvi dizer que ela corou e enterrou a cabeça
nas mãos.

Minhas aulas foram curtas porque a equipe queria mais


tempo para repassar as jogadas antes do jogo hoje à noite. Passei
horas no vestiário antecipando o jogo à frente e me preparando
para entrar em campo. Minha mente estava afiada e focada, mas
Ali nunca estava longe de meus pensamentos.

Algo mudou de novo entre nós e não é como antes. Nós nos
afastamos um do outro, mas esta manhã, quando eu estava
deitado ao lado dela, pude sentir algo mudar. Quando ela sorriu
para mim eu não senti a mesma tensão, como uma parede entre
nós, mas ao invés disso havia uma expressão em seus olhos que
eu não via há anos.

______________
10 Camisetas que representam alguma ideologia (orgulho negro, orgulho LGBT).
"Hey, Drake." Court arrulhou quando eu saí do escritório do
treinador Chris para o corredor.

Acabamos por fazer algumas alterações de última hora na lista de


jogadas para hoje à noite e eu queria estar preparado.

"Hey." Eu tento contorná-la e ela dá passos para minha frente.

"Observe alguma coisa em mim?" Ela olha para mim com os lábios
entreabertos e eu olho para baixo em seu uniforme de líder de
torcida. Ela tem meu número pintado em sua bochecha e um botão em
seu uniforme com o meu nome nele.

"Obrigado." Murmuro porque o que mais devo dizer? "Eu tenho


que chegar ao vestiário."

"Eu aposto que você faz." Ela faz um show de me olhando de cima
a baixo e isso faz minha pele arrepiar.

"O que você quer, Court?" Eu pergunto, porque estou cansado de


perder tempo.

“Só queria saber se você vai à festa de Kira depois do jogo hoje à
noite. Os pais dela foram viajar no fim de semana e ela fará uma festa
na piscina.”

"Eu tenho planos com a minha família." Todos nós vamos para o
Joe’s depois do jogo e vai ser como nos velhos tempos. Eu tenho
esperado isso ansiosamente por toda a semana.

“Sim, mas eles fecham às oito. A festa não vai começar até mais
tarde. Certamente o quarterback pode dá uma fugidinha até lá.” Ela se
aproxima mais rápido do que eu esperava e sinto seu corpo pressionar
contra o meu enquanto sua mão desliza pelo meu peito. "Eu adoraria
mostrar meus agradecimentos por todo o seu trabalho duro no campo
este ano."

"Whoa..." Eu vou dar um passo para trás e colocar minhas mãos


para cima, mas justo naquele momento Ali sai pela porta no final do
corredor.

Um olhar para a posição em que estamos e vejo a dor em seu


rosto. Eu chamo atrás dela, mas ela já está se movendo na direção
oposta e não me ouve.
"Foda-se." eu assobio me afastando de Court.

Court vira-se, vê as costas de Ali e acena


menosprezando. “Eu pensei que fosse um professor. Enfim, venha
hoje à noite. Eu tenho um biquíni novinho em folha e preciso que
você me diga se eu parecer gorda nele.” Ela joga beijos no ar e
caminha ao meu redor no corredor.

Eu não fiz nada de errado, mas de alguma forma eu sei que


eu estraguei tudo.

"Drake." O treinador Chris chama e ele tem sua prancheta


debaixo do braço. "Apresse-se, é hora de ir."

Parte do acordo com Jogo das Boas-vindas é que antes do


jogo anunciem o vencedor do rei e da rainha do Baile. É um grande
show acontecendo quando estou pronto para entrar em campo e
acertar alguma coisa.

Depois que a equipe se veste, vamos para o campo e


esperamos que todas as meninas indicadas nos acompanhem. Os
caras ficam de um lado e as meninas do outro, chamando os
vencedores. Eu não tenho prestado atenção em nada disso, mas é
tudo sobre o que a Brigada Loira tem falado. Kira e Dakota são
chamadas primeiro como terceiro e segundo lugares. Alguns dos
caras da equipe são chamados e eles as levam até a frente.

Eu examino a multidão no segundo em que entro no campo


e vejo meus pais no lugar de sempre. Ambos têm seus telefones
gravando e tirando fotos sem parar, o que é embaraçoso e doce ao
mesmo tempo. Quando eu não vejo Ali, meu coração começa a
bater mais rápido e meus olhos se movem através do mar de
pessoas.

Alívio me atinge quando eu vejo ela e Lindsey fazendo o seu


caminho na fila para os meus pais com bebidas e lanches em suas
mãos. Eu respiro e volto do momento de pânico e tento me
concentrar. Eu preciso colocar minha cabeça no
jogo. Literalmente.

O nome de Court é chamado como a rainha do baile e para


meu completo choque e horror, meu nome é chamado como o
rei. Fomos informados antes sobre o que fazer se formos
chamados, mas eu não estava prestando atenção às instruções.
Há um ligeiro cutucão nas minhas costas e Liam acena para eu
andar para frente. Eu olho de volta para Court para ver que ela está me
esperando impacientemente com um sorriso apertado. Eu dou um
passo para frente e estendo meu braço para que ela possa enrolar o dela
nele e acenar para a multidão com o outro. As pessoas estão aplaudindo
e gritando, mas a única coisa que vejo é Ali congelada no meio do
caminho para os meus pais com uma caixa de pipoca quase caindo de
sua mão.

Eu ando até a frente, onde um professor está esperando com uma


coroa, e me encolho. Saio da quadra no segundo que consigo e me afasto
enquanto ela coloca a coisa idiota na minha cabeça. O jogo ainda nem
começou e já é um desastre.

Todos nós temos que ficar juntos para tirar nossas fotos, mas eu
me recuso a tocar novamente em Court. Eu continuo olhando para Ali
e quando ela se senta ao lado da mamãe, ela está escondida um pouco
para que eu não possa ver seu rosto. Frustração, aborrecimento,
impaciência, tudo isso rola pela minha pele enquanto eu arranco a coroa
e a atiro para debaixo do banco, enquanto os árbitros indicam que o
jogo deve começar.

Eu pego meu capacete e faço o que vim fazer. Eu tento colocar tudo
fora da minha cabeça enquanto eu passo no campo com a minha equipe
e com os olheiros assistindo. Eu faço uma oração silenciosa por mim
mesmo para que eu possa de alguma forma explicar tudo isso para
Ali. Pois como a grande Paula Abdul disse uma vez, damos dois passos
para frente e um passo para trás.

O jogo é duro e está empatado quase o tempo todo, mas faltando


apenas três segundos, eu faço um lance no endzone para a vitória. Liam
me agarra e toda a equipe salta como uma pilha de cães enquanto
celebramos a vitória e o final da temporada. No segundo em que estou
no ar, examino a multidão e vejo Ali de pé aplaudindo. Eu aponto para
ela com uma mão e acaricio meu peito com a outra. Esse costumava ser
o nosso sinal quando eu jogava na little league. Ela hesita por uma
fração de segundo e então a vejo fazer a mesma coisa de volta para
mim. Uma mão acariciando seu coração e a outra apontando
diretamente para mim.

Nesse momento, posso imaginar como é ser uma estrela do rock.

O treinador Chris nos manda para o vestiário para tomar banho e


trocar de roupa. Todo mundo está empolgado e
gritando quando chegamos lá. Eu faço um trabalho rápido de me
limpar e vestir uma camisa nova. Eu pego minha bolsa e corro
para fora do vestiário, meus pés leves e felizes.

Meus pais e Ali estão esperando na saída e no momento em


que a vejo eu não posso me ajudar. Eu sorrio de orelha a orelha
quando eu a pego em meus braços e a giro ao redor. Ela grita de
alegria quando meus pais riem e sem pensar eu beijo sua
bochecha. Ela congela contra mim e eu me pego, percebendo o que
acabei de fazer. Eu ri para encobrir e depois de um segundo eu a
coloco de pé. Seu rosto está vermelho brilhante e ela olha para
longe e eu me apresso para disfarça.

"Eu acho que seu desejo se tornou realidade." Eu digo, e ela


olha para mim em confusão. "Você quer dizer que seu desejo de
aniversário não era para eu ganhasse?" Eu coloco minha mão
sobre o meu coração e finjo estar ferido.

"Cale a boca." Ela revira os olhos, mas o olhar de felicidade


em seu rosto não pode ser escondido.

"Estamos tão orgulhosos de você." Meu pai diz enquanto me


puxa para um abraço e quebra definitivamente o pequeno
momento de tensão que passou entre Ali e eu, embora eu não ache
que eles tenham notado isso.

"E o Rei do Baile de Boas-vindas também." Mamãe interveio,


me abraçando.

Eu endureço com o lembrete e pelo canto do olho vejo que Ali


também o fez. Como continuamos a bater nessas minas
terrestres?

"O treinador disse que ele foi abordado por vários olheiros
após o jogo." meu pai diz para mim em voz baixa.

"Da Universidade de Boston?" Eu conjecturo e ele encolhe os


ombros.

"Ele não disse, mas ele espera ouvir mais até amanhã." Eu
aceno quando meu pai pega minha bolsa de ginástica de mim e
nós fazemos o nosso caminho para o estacionamento.
"Por que vocês, crianças, não vão juntos e nos encontraremos com
vocês no Joe’s?" Mamãe sugere, e eu olho para Ali.

Talvez um pouco de tempo sozinhos seja bom. Eu poderia


explicar o que aconteceu com Court. "Sim, parece bom para mim." Eu
afirmo rapidamente antes de Ali ter a chance de discordar.

Desta vez, quando chegamos ao meu carro, eu seguro a porta


aberta para ela até que ela deslize para dentro. Meu corpo está em alta
depois de jogar e ganhar e eu tenho uma abundância de energia para
queimar. Eu respiro enquanto ando para o lado do motorista e entro.

Por que de repente tenho vontade de transar até não poder me


mexer?
Capítulo Onze

Ali

"O jogo foi louco." Eu digo, olhando para Drake.

Ele estava sorrindo largamente alguns momentos atrás, mas


agora ele está quase instável desde que ficamos sozinhos no
carro. Ele não estava assim no campo. Foi tão intenso que eu me
esqueci de todo o resto. Realmente me senti como nos velhos
tempos enquanto me sentei com meus pais e aplaudi Drake. Eu
esqueci de tudo e aproveitei o momento e não deixei toda a porcaria
confundir minha mente e arruinar o que foi uma boa noite. Uma
que nos lembraremos para sempre.

A adrenalina do jogo está desaparecendo e eu ainda estou


chocada, ele me pegou e beijou minha bochecha. Eu senti lágrimas
nos meus olhos quando ele se virou para olhar para mim enquanto
estava no campo e tocou seu peito e em seguida apontou para
mim. Eu não conseguia me lembrar da última vez que fizemos
isso. As coisas estão mudando de novo, só não tenho certeza em
quê. Eu deveria entender quando tudo é melhor do que onde
estivemos por esses dois anos.

"Você vai para a sua faculdades de escolha." Eu sorrio


orgulhosamente para ele.

Ele ganhou isso colocando no futebol o que eu pus nos


estudos. Ele vai fazer um nome para si mesmo e eu me pergunto
se, quando ele finalmente enfeitar o campo de algum time da NFL,
ele ainda vai tocar seu peito e apontar para mim. Eu engulo,
pensando que pode ser para outra pessoa que ele apontará um
dia, mas eu empurro o pensamento para longe. Esta noite é sobre
comemorar e eu não vou nos pôr para baixo. Por muito tempo nós
estivemos nos distanciando, mas talvez agora seja minha chance
de nos unir. Logo nós dois vamos para a faculdade e talvez nunca
mais nos veremos. Quão louco é que semanas atrás eu queria
exatamente isso? O pensamento agora faz meu estômago parecer
oco por dentro. É o mesmo sentimento de quando o vi com a
Court. Eu realmente não gosto daquelas garotas.
"Você já escolheu uma?" Ele me pergunta e eu balanço a cabeça
negando.

Eu tenho convites e algumas cartas iniciais de aceitação. Eu


também tenho a minha seleção de universidades, mas nem todas as
minhas vêm com bolsas completas como a de Drake virá. Eu estou de
olho em Boston e fiquei surpresa quando ouvi meu pai e ele
mencionarem isso. Eles já devem ter falado sobre isso, mas eu não achei
por algum motivo que ele ficaria em uma faculdade local.

"Muito tempo." Diz ele quando ele sai do estacionamento. "Você vai
me deixar saber quando se decidir?" Ele insiste.

"Claro." Eu dou de ombros.

Eu olho para ele e ele está olhando diretamente para mim. Meus
olhos encontram os dele e eu vejo quando ele olha para a minha
boca. Eu faço o mesmo, imaginando como seria sua boca pressionada
contra a minha. Eu não tenho a mesma sensação que normalmente me
acomete quando penso em beijar alguém. Em vez disso, meu ritmo
cardíaco aumenta.

"Não se esqueça da festa de Kira!" Eu ouço alguém e eu desvio


meus olhos para longe de Drake para ver a Brigada Loira parada na
frente do carro. Ele está fora do seu lugar, mas ainda não se
moveu. Estamos apenas sentados no estacionamento bloqueando o
caminho. Court tem uma expressão presunçosa no rosto enquanto
ajusta a coroa ainda em sua cabeça.

"Saia da frente!" Drake grita de volta para elas.

Drake é quem grita com ela, mas ela estreita os olhos em mim até
que elas finalmente saem do caminho. Quando elas fazem isso, Drake
decola e eu posso sentir sua tensão no ar. Ele tem maneiras de
demonstrar seus humores - elas podem ocupar um quarto inteiro. Eu
não acho que ele queira fazer isso, mas eu sempre posso distingui-los.

"Você vai?" Eu pergunto. Eu sei que vamos jantar, mas ele pode
estar planejando ir mais tarde.

"Não." Sua resposta é curta e direta.

Eu sempre achei que ele fosse para as festas depois dos jogos, mas
eu nunca tive muita certeza. Eu só fico sabendo o que ele faz fora da
escola e de casa através de fofoca. Você tem que tomar isso como
um grão de sal, tipo como essa coisa de não namorar. Ele disse há
anos que seu foco está no futebol. Pelo menos foi sobre isso que
eu ouvi algumas das garotas da escola reclamarem quando se trata
de Drake.

As pessoas esquecem que sou sua meia-irmã ou pensam que


não estou ouvindo quando falam perto de mim. Eu não faço parte
da mesma turma e eles provavelmente pensam que eu não
importo. Mas meus ouvidos se animam um pouco quando ouço o
nome de Drake.

"Onde está a sua coroa?" Eu pergunto, percebendo que ele


não tem isso. Court ainda tinha a dela e eu aposto que ela vai usá-
la pelo resto de sua vida.

“Acho que deixei no campo. Eu não sei.” Ele encolhe os


ombros quando sua expressão se transforma em uma de
desagrado.

Eu posso dizer que ele realmente não se importa onde


está. Eu vi o rosto dele quando eles anunciaram seu nome como o
rei. Ele ficou tão surpreso quanto eu. Eu não sei por que, porque
deveríamos ter visto isso chegando. Ele relutantemente ficou de pé
e fez o que tinha que fazer, mas não parecia feliz com isso. Eu até
vi o treinador dar-lhe um olhar duro para ir junto com os
acontecimentos.

Eu soltei uma risadinha. "Eu acho que você tem que usá-la
para a dança."

"Eu não estou colocando essa fudida coisa para a dança." Ele
balança a cabeça inflexivelmente.

“Tenho certeza que não será pelo tempo todo. Quero dizer,
você tem que fazê-lo durante a dança com Court.” Meu estômago
dá um nó enquanto eu digo isso.

Eu não quero vê-los dançando. Eu odiei vê-los em pé juntos,


sendo coroados. Eu odiei vê-la enganchar os braços com ele e eu
odiei vê-los no corredor esta tarde. A única graça salvadora foi o
rosto de Drake. Ele não queria estar perto de Court. Eu não
deveria gostar tanto disso, mas eu gosto de ver Court ficar irritada
quando Drake não dá a ela a hora do dia. Meu rosto cai quando penso
em como Drake costumava não me dar a hora do dia.

"Eu não vou dançar com ela também." Suas mãos no volante
apertam com tanta força que eu juro que o ouço gemer em protesto. “Eu
andei até lá e peguei a coroa. Terminado."

Ele entra no estacionamento do Joe e encontra um lugar nos


fundos, longe de todos os outros. Eu vejo que o carro de mamãe e papai
já está aqui e eles provavelmente entraram para nos arrumar uma
mesa. Ele desliga o motor e eu alcanço a maçaneta da porta. Eu não vou
brigar com ele sobre dançar com Court. Estou feliz que ele não queira,
mas vamos ver como isso vai acontecer amanhã. Ela pode causar uma
cena gigante.

Eu congelo quando a mão de Drake desce na minha coxa. Eu


troquei para shorts jeans para o jogo porque estava muito quente. Seus
dedos são macios no início, mas depois cavam em minha coxa em um
aperto possessivo.

“Diga-me que você sabe que não estou com a Court ou com
qualquer outra pessoa daquela brigada. Diga-me que você sabe que eu
não estaria com alguém que faz a sua missão de vida colocar os outros
para baixo.”

Eu subo meus olhos de seu aperto em mim e para os seus


olhos. Ele tem razão. Quando ele coloca isso assim e eu realmente penso
além do que possa parecer eu sei que ele nunca ficaria com elas.

"Não, eu não acho que você gosta delas assim."

"Eu não gosto delas de maneira nenhuma." ele corrige.

Eu estava tentando ser diplomática sobre isso, mas ser direto com
o que Drake sabe ser. Agora estou pensando em que tipo de garota
Drake gosta. Seu polegar esfrega para frente e para trás do lado de fora
da minha coxa e, de repente, é a única coisa em que posso me
concentrar.

"Drake." Eu sussurro, porque não consigo pensar em mais nada


para dizer. Meu corpo começa a formigar todo igual ao que aconteceu
nesta manhã, quando ele estava na minha cama e seu polegar roçou
minha bochecha. Aquele dedão está causando estragos no meu corpo.
"Nenhuma." Seu aperto na minha coxa é tão forte quando o
polegar faz uma pausa. Meu corpo inteiro se incendeia e eu luto
para não ofegar enquanto meus pulmões se esvaziam. "De jeito
nenhum."

Ele se inclina para frente quando ele diz isso e muito


gentilmente sua boca toca a minha. É apenas uma carícia suave,
mas eu me sento lá, sem me mexer, enquanto ele pressiona
mais. Eu estou completamente imóvel enquanto sua língua roça
meu lábio inferior e ele toma o menor sabor de mim.

Então é como se o sonho se rompesse quando ele me solta,


se afasta e salta do carro. Meu rosto aquece e não consigo
compreender o que acabou de acontecer. Por que eu não o beijei
de volta? Eu fiquei lá chocada e agora me arrependo. Ele
provavelmente acha que eu não queria o beijo e eu quero rastejar
em um buraco e desaparecer para sempre.

Minha porta se abre um segundo depois e Drake estende a


mão para mim.

"Não pense demais." Ele diz enquanto olha para mim


docemente.

Como não pensar nisso? Ele me beijou e eu sou sua meia-


irmã. Isso está errado em muitos níveis, mas de tudo, eu estou
com raiva de mim mesma por não tê-lo beijado de volta. Eu não
agarrei o momento roubado que parecia tão certo.

Ele coloca o braço em volta de mim enquanto andamos e eu


não sei se é para ser casual ou como se fôssemos um casal.

"Você está pensando demais nisso."

Eu ouço o riso em sua voz e com isso um pouco da


preocupação que estava se formando rapidamente desaparece. Eu
lambo meus lábios, tentando ver se posso saboreá-lo, mas preciso
me concentrar em outra coisa.

Quando chegamos à frente do restaurante, ele abre a porta


para mim. "Eu vou fazer você me beijar de volta." Ele diz ao lado
do meu ouvido quando eu deslizo por ele.
Seu braço cai do meu ombro e não tenho tempo para responder
porque mamãe e papai estão lá acenando para nós da mesa deles.

Drake coloca a mão nas minhas costas enquanto me guia e puxa


a cadeira para mim. Mamãe e papai parecem tão felizes quando seus
olhos se movem entre nós. Eu posso dizer que eles estão gostando que
estamos unidos porque eu vi os dois rostos se iluminarem quando Drake
me apontou em sua comemoração. Se eles soubessem como estávamos
nos dando bem, não ficariam tão felizes com isso.

"É como nos velhos tempos." Mamãe sorri enquanto me sento no


meu lugar.

"Você vai dividir as costelas comigo?" Drake me cutuca do lado


antes de levantar o braço e colocá-lo causalmente na parte de trás da
minha cadeira. Então eu o sinto enganchar seu pé sob a minha cadeira
enquanto ele me puxa para mais perto dele. Mãe bufa e papai ri um
"Sim, certo."

"Eu não compartilho comida." Eu só compartilho quando há algo


que eu não quero comer e Drake gosta.

Eu provoco de volta e me pergunto como ele pode ser tão


brincalhão agora. Eu não posso me ajudar, mas faço isso sozinha
porque é como nos velhos tempos. Mas depois daquele beijo eu não
quero os velhos tempos de volta.

Eu quero algo novo.


Capítulo Doze

Drake

Quando terminarmos de comer, mamãe e papai dizem que


irão ao cinema, então eu me ofereço para dar uma carona para
Ali. No caminho eu estendo a mão e coloco em sua coxa nua e
parece tão natural e bom.

Eles já deram presentes de aniversário para Ali esta manhã


e imploraram que ela fosse ao cinema com eles. Eu disse a ela que
iria também, mas ela disse que estava cansada depois de um longo
dia e precisava descansar para amanhã. Quando mamãe e papai
disseram que então iriam para casa passar o resto da noite com
ela, ela insistiu que eles fossem se divertir. Demorou um pouco de
persuasão, mas eles foram e Ali entrou no carro comigo.

"Eu acho que você quebrou o recorde de costelas hoje à


noite." Eu sorrio para ela e ela cora.

"Eles deveriam ter me comprado uma camiseta ou algo assim


para o Baile." Ela bate na barriga que ainda é macia e fofa. "Eu
não vou poder me encaixar no meu vestido amanhã."

"Eu tenho certeza que você vai ficar incrível." Eu seguro seu
olhar por um segundo enquanto paramos na luz vermelha do
semáforo e meu polegar traça a seda de sua coxa.

Ela limpa a garganta e olha para o outro lado. "Obrigado por


fazer o meu dia especial, mesmo que seja o seu dia também."

"Bem, ainda não acabou." Ela se vira para olhar para mim e
levanta uma sobrancelha.

"O quê?" Ela começa a sorrir e eu balanço a cabeça.

"É uma surpresa."

Quando chegamos em casa, entramos e jogo as chaves no


balcão da cozinha e pego Ali pela mão.
"Venha comigo." Eu digo, puxando-a comigo para o meu quarto.

"É mais limpo aqui do que no meu quarto." Ela brinca enquanto
se senta na beira da cama.

"Eu sei." Eu a provoco, vou até a minha mesa e pego a


caixinha. “Eu não tinha certeza de quando te dar isso, mas parece ser o
momento certo. Feliz aniversário, Ali.”

Ela sorri para mim quando pega na mão e depois a abre. "Drake."
Ela olha para mim com os olhos arregalados e, em seguida, olha para a
caixa. "São reais?"

"Sim. Você gosta deles?” De repente eu não tenho certeza, mas


parecia certo quando eu os vi. O diamantes rosa de corte princesa me
lembrou dela e como costumávamos brincar de Barbies por horas. Ela
adorava vesti-las e depois colocá-las nuas e esfregar seus corpos de
plástico juntos.

"Claro que eu faço. Adorei. Oh Deus, e se eu os perder?” O pânico


atinge seus olhos e eu tenho que segurar uma risada.

"Eu os coloquei no seguro." Eu pego a caixa dela e tiro-os para


fora. "Vamos ver como eles ficam em você."

Ela pega suas argolas e as coloca na minha mesa de cabeceira, e


eu me inclino para frente para colocar os diamantes nela. Eles são
quase tão grandes quanto seus lóbulos, mas eu queria que as pessoas
os notassem. Ela merece toda a atenção e não é que eu quero que os
caras a notem, mas eu estou cansado das pessoas desprezá-la. Ela é
muito boa para eles de qualquer maneira, mas ela não é invisível.

"Linda." eu digo quando olho para ela e coloco seus cabelo atrás
da orelha. Há uma pausa entre nós e eu me levanto e pego a mão
dela. "Venha ver."

Eu a puxo para a minha penteadeira com o grande espelho na


frente dela. Eu fico atrás dela e vejo seu reflexo do topo de sua cabeça
até suas coxas. Ela está de short jeans e a camisa com o meu
número. Eu posso sentir o calor saindo de seu corpo enquanto ela sorri
para si mesma no espelho e vira a cabeça de um lado para o outro para
ver os diamantes brilharem.
Eu me aproximo e me encaixo até que minha frente esteja
pressionada contra suas costas. Espero que ela dê um passo à frente
ou se afaste, mas quando minha mão se aproxima e toca seu quadril,
ela não se move. Em vez disso, seus olhos se fixam com os meus no
espelho e eu deixo meus dedos percorrerem a parte da frente até o
pedaço nu de pele entre os shorts e onde a camisa subiu.

"Drake." Ela sussurra quando meus dedos vão para o botão


em seu shorts, mas ela não me diz para parar.

Com um toque dos meus dedos eles se abrem e eu pressiono


meu pau dolorido contra sua bunda.

Sua respiração engata quando eu puxo a frente de seu short


para se abrir e mergulho meus dedos no calor de sua calcinha.

"Isso está errado." Diz ela, sua voz tão suave, como se ela não
quisesse que eu ouvisse.

"É." Eu me inclino para frente e pressiono meus lábios na


pele macia de seu pescoço. Eu toco o fundo de sua calcinha de
algodão e ele está molhado contra sua buceta.

Sua boca se abre quando eu empurro o material para o lado


e, em seguida, corro as pontas dos meus dedos ao longo de seus
lábios inferiores. Eles são tão fodidamente suaves e molhados e
enquanto eu os acaricio meus dedos ásperos dançam sobre seu
clitóris.

“Você é meu irmão, Drake. O que mamãe e papai vão dizer?”


Ela pergunta enquanto abre as pernas para que eu possa
empurrar meus dedos dentro dela.

“Eles não precisam saber. Ainda não de qualquer maneira.”


Eu impulsiono para dentro de sua boceta apertada só para ter uma
ideia, para conhecê-la. Então eu trago meus dedos de volta para
seu clitóris e acaricio um pouco mais. Ela geme e balança os
quadris para a frente, seus olhos observando a minha mão
desaparecendo em seus shorts.

"Podemos fazer isso?" Ela está séria agora e movendo seus


quadris mais rápido.
“Nós não devemos, mas eu não posso me ajudar. Você é tão bonita,
Ali, e eu te quero tanto.”

Sua bunda empurra contra o meu pau e eu sinto a


protuberância nas minhas calças ameaçando se libertar. Dói e tudo o
que posso pensar é encontrar alívio dentro de sua boceta macia e rosada
e eu cerro os dentes. Seu clitóris é como uma pequena pérola sob o meu
toque e eu esfrego o pico molhado mais e mais até que ela está
balançando comigo.

"Talvez hoje à noite, quando mamãe e papai forem para a cama,


eu possa entrar em seu quarto e desejar-lhe um feliz aniversário." Eu
digo contra seu ouvido e ela fecha os olhos. Ela concorda com a cabeça
enquanto o rubor se arrasta pelo peito e pelo pescoço. "Você ainda está
no controle de natalidade, certo?"

Seus olhos se arregalam e por um segundo ela para de se mover


contra mim, mas depois ela relutantemente concorda.

"Eu não sei quanto tempo nós temos." Eu me ajoelho no chão e a


viro para mim enquanto puxo seu short pelas suas coxas.

"Drake, não deveríamos estar fazendo isso." Diz ela enquanto sai
de seu short e calcinha. Sua buceta nua livre de pelos está bem na
frente da minha boca.

“Não precisamos contar a ninguém. Pode ser o nosso segredo.” Eu


me inclino para frente e coloco um beijo em sua coxa e ela olha para
mim.

"Talvez só um pouco." Ela se curva enquanto eu beijo meu


caminho até sua buceta e, em seguida, a toco com a minha língua.

Antes que ela tenha a chance de mudar de ideia, eu enfio a minha


língua na buceta dela e chupo seu clitóris. Ela agarra meu cabelo e
puxa-o com força enquanto ela rola sua boceta no meu rosto. Ela está
encharcada de doçura suculenta e eu bebo. Ela pode ser minha irmã,
mas sua buceta tem gosto de uma deusa.

Um segundo ela está segurando seu desejo e no próximo ela está


encostada na cômoda com as pernas abertas, com meus dedos a
fodendo com força e rapidez.
"Drake!" Ela grita quando seu orgasmo bate e seu doce creme
reveste meus dedos.

Só então eu ouço a porta da frente abrir e fechar e minha mãe


chamar das escadas.

"Ei crianças, estamos em casa!" Nós paramos por meio


segundo antes de Ali freneticamente puxar seu short. “Os
ingressos para o filme estavam esgotados. Vocês acreditam nisso?”

Seus passos sobem as escadas e Ali vai até a cadeira na


minha mesa de estudos e pega o telefone. Ela finge olhar para ele,
mas seu rosto está corado e seus mamilos duros estão
pressionando contra a camisa.

Eu pulo na minha cama e coloco um travesseiro no meu colo


para esconder meu pau enquanto pego meu telefone e faço o que
ela está fazendo. É então que vejo uma dúzia de textos perdidos de
Liam e abro-os.

"Vocês querem pipoca e assistir algo aqui em casa hoje à


noite?" Mamãe diz enquanto ela entra no meu quarto.

"Claro." Ali levanta-se da cadeira toda sorrisos. "Eu vou


colocar meu pijama." Ela me dá um rápido olhar e cora antes de
sair do meu quarto.

"E você, Drake?" Mamãe diz.

Eu verifico minhas mensagens mais uma vez.

Liam: Court está na festa de Kira dizendo a todos que você está
pegando sua irmã. Ela disse que ela tem fotos de você e ela se beijando em
seu carro. Onde você está?

"Na verdade, acho que vou sair um pouco."


Capítulo Treze

Ali

Ele saiu. Eu ainda não consigo acreditar que ele foi embora.

Esse pensamento joga um loop na minha cabeça o dia todo. Eu


desci a noite passada para encontrar meus pais começando um filme e
Drake tinha saído. Mamãe me disse que ele decidiu sair depois de tudo
e eu descaradamente fingi que precisava do telefone da minha mãe para
poder rastreá-lo. Nós todos sabemos que ela nos acompanha e meu
coração afundou quando vi que ele foi à festa. Eu não entendo por que
e minha mente preocupada não consegue parar de pensar em todos os
detalhes.

Eu alcanço e toco os brincos que ele me deu. Mesmo estando com


raiva de Drake, não consegui tirar a noite passada. Eles são tão bonitos
e eu sinto que uma parte dele está comigo quando eu os uso. Eu gosto
do peso deles e da marca silenciosa que ele deixou para trás. Eu não
quero saber quanto custaram, mas eu sei desde cedo que os
Hawthornes estão mais do que bem. Vivemos no que eu pensava ser um
castelo na primeira vez que o vi.

Quando David me adotou, junto com seu sobrenome fui


presenteada com um fundo fiduciário. Eu não queria o dinheiro dele,
mas eu amo como ele sempre tratou Drake e eu da mesma forma. Essa
é uma área que nunca tivemos problemas. Mamãe era do mesmo jeito e
eu acho que a única coisa que faz mamãe e eu mais perto é o vínculo da
feminilidade.

"Eles são impressionantes." Diz mamãe.

Ela está me olhando no espelho enquanto eu toco os brincos de


novo. Não importa o quanto eu tente, não consigo parar de brincar com
eles. Eu acho que é para verificar se eles ainda estão lá e que eu não
tinha sonhado com eles. E o que Drake e eu fizemos em seu quarto não
foi minha imaginação.
"Eles combinam com você." Mamãe sorri enquanto me
entrega o gloss que o maquiador nos convenceu a comprar. Eu o
enfio na pequena bolsa que combina com o meu vestido.

Eu planejava usar o meu cabelo solto, mas eu queria mostrar


meus brincos, então o cabeleireiro os prendeu em um penteado
meio pra cima e metade solto. Minha massa de cachos está
realmente sob controle hoje à noite enquanto os longos cabelos
escuros caem pelas minhas costas.

"Eles combinam com o vestido também." Acrescento.

"Querida, esses brincos combinam com tudo." Mamãe aperta


meu braço e eu rio com ela. “Correr, cozinhar, limpar, deitar só de
pijama. Eles sempre serão iguais.”

"Você está certa." Eu concordo.

Ela caminha até o meu vestido e o tira da bolsa. "Vamos lá,


quero ver tudo junto."

Quando mamãe me acordou cedo para o nosso dia de spa,


fiquei me perguntando como poderíamos passar um dia inteiro nos
preparando. Mas não demorou muito para eu aprender que você
pode totalmente. Tem sido divertido e me ajudou a esquecer sobre
Drake por um tempo, embora ele sempre voltasse para a frente da
minha mente e eu me perguntasse novamente por que ele partiu
na noite passada. Por que ele não entrou no meu quarto como ele
sugeriu? Eu posso ter trancado a porta, mas ele sabe como abrir
a fechadura. Ele me ensinou quando eu tinha oito anos.

Eu entro no vestido e mamãe me ajuda a ajustá-lo. Ele


continua como uma luva e os olhos de mamãe começam a
lacrimejar como no vestiário. "Você está tão linda."

"Mamãe!" Eu tento silenciá-la, porque se ela chorar eu vou


chorar também.

Drake pode ter estado muito hoje na minha cabeça, mas eu


gostei do tempo com a minha mãe, e eu poderia facilmente entrar
no modo chorão agora. Papai e Drake nos deram uma vida que é
mais do que poderíamos esperar. Não é sobre dinheiro, é sobre o
quanto eles se importam conosco.
"Está bem, está bem. Eu vou me controlar.’’ Ela dá um aceno
severo. "Vire-se e olhe." Eu me viro para enfrentar o espelho alto
em seu quarto.

"Oh meu." eu sussurro. Eu lembro do vestido ser de tirar o fôlego


antes, mas agora eu vejo que ele é assassino. Eu me sinto como uma
princesa. Mamãe estava certa. Eu precisava entrar em minha própria
pele. Drake pode ter corrido na noite passada, mas eu me senti sexy
quando ele me tocou. Ele trouxe à luz porque meu corpo estava
desejando seu toque.

"É meio sexy também." Mamãe diz baixinho. Ela quer que eu a
ouça, mas está tentando se livrar disso. "Falando de..."

"Não, obrigado." Eu a interrompo, não querendo ter essa conversa.

“Eu tenho que fazê-la, Ali. É um Baile e...” Ela dá um olhar


conhecedor.

"Eu vou com Drake." Eu a lembro.

Não que isso realmente importe por causa do que fizemos ontem à
noite. Meu rosto aquece quando uma enxurrada de imagens dele com o
rosto entre minhas coxas invade minha mente. Como ele empurrou os
dedos dentro de mim e pegou o que queria. Ele sabia o que eu precisava,
sem eu ter que pedir por isso e não tenho certeza se poderia tê-lo
feito. Foi horrível não ter aproveitado meu orgasmo antes que nossos
pais quase nos pegassem.

Mamãe balança a mão com desdém como se isso não


importasse. Ela não tem ideia de como está errada. Mas depois da noite
passada eu estou começando a pensar que Drake mudou de ideia. Eu
sei que ele é atraído por mim com base no tamanho de seu pau duro
que senti pressionado na minha bunda. Ele também concordou comigo
que não deveríamos estar fazendo o que estávamos fazendo.

Entre quase ser pego e a emoção do dia, ele poderia ter dado pra
trás. Mas é difícil acreditar nisso, porque Drake nunca desiste de
nada. Ele sempre foi um tipo de tudo ou nada. Eu odeio que não posso
simplesmente perguntar a ele. Houve um tempo em que eu poderia
perguntar a ele qualquer coisa. Ele seria quem eu teria procurado, e
agora não tenho ninguém para conversar sobre isso. Eu poderia falar
com Lindsey, mas não tenho certeza se quero compartilhar isso
ainda. Não quando não sei onde Drake está mentalmente conosco. Eu
preciso falar com ele e a raiva se inflama dentro de mim quando
penso nele simplesmente saindo.

“Você não tem ideia de como a noite terminará. Então,


apenas aja com segurança...” Minha mãe me diz rapidamente,
apertando meus braços.

"Estou segura." Me apresso em dizer. Eu não quero falar


sobre isso e, felizmente, Lindsey salva o dia enquanto entra.

"Vocês estão aqui?" Ela pergunta, abrindo a porta sem


esperar resposta. “Puta merda. Você não me disse que seu vestido
era tão irrado.” Ela entra na sala e seus olhos se arregalam.

"O seu também." Eu digo e eu olho para ela. Ela não está
para brincadeiras hoje à noite com seu vestido sexy de duas
peças. Ela dá um pequeno encolher de ombros e sorri. Eu amo a
confiança dela.

"Eu já tive a conversa sobre sexo." Ela levanta a mão para a


minha mãe para impedi-la antes que ela possa abrir a boca.

"Apenas me certificando." Mamãe caminha até Lindsey e lhe


dá um abraço e beijo na bochecha.

"Eu vou ter certeza de que os meninos estão prontos." Mamãe


nos diz e sai da sala.

"Liam não será capaz de resistir mais a você." Digo a ela


quando a porta se fecha.

"Você deveria ter visto os olhos dele quando ele me pegou


para vir até aqui." Ela balança as sobrancelhas. "Eu o ignorei
porque eu sou louca."

Eu caí na gargalhada, mas não fico nem um pouco


chocada. "Ele pode me perseguir agora." Diz ela acidamente.

Sim, nesse vestido apertado, acho que todo mundo vai


persegui-la. Eu juro que ela parece ter saído de uma revista.

"Por que você não respondeu as minhas mensagens de


texto?" Ela se vira para nos olhar no espelho lado a lado. "Porra,
ficamos bem."
"Porcaria. Eu coloquei meu telefone na bolsa que minha mãe me
deu esta manhã e esqueci disso.” Eu caminho para pegá-lo.

"Drake já viu você?" Eu nego com a cabeça enquanto verifico para


ter certeza de que tenho tudo o que preciso. Eu vejo que tenho um
monte de textos, mas não os leio. Eles são todos provavelmente da
Lindsey.

Suas sobrancelhas sobem em sua testa.

"O que? Por que importa se Drake me viu?”

"Nada." Ela agarra meus braços. "Eu quero ver isso." Ela me puxa
do quarto e eu quase tropeço nos meus calcanhares. Ela está muito
animada com isso. “E foda-se a Brigada Loira. Elas precisam se
importar com seus próprios negócios.” Acrescenta Lindsey. Eu não
tenho ideia do que ela está falando.

Eu vejo o papai primeiro quando chegamos ao topo da escada e eu


dou-lhe um grande sorriso porque ele já está com a câmera dele na
mão. Ele grava tudo, o que é adorável. Eu até o peguei me gravando
enquanto eu estava estudando. Ele acha que tudo é um momento para
ser capturado, o que é muito legal. Eu me pergunto se Drake será um
pai assim. O pensamento aleatório quase me faz cair sobre minha
bunda, mas Lindsey aperta meu braço com força e me salva.

Drake sai da sala de estar e entra na entrada principal na parte


inferior das escadas. Nossos olhos se encontram e, por um momento,
enquanto desço as escadas, esqueço que ele saiu ontem à noite. Eu me
perco nele e ele me dá um sorriso caloroso. Mas isso não toca seus olhos
e eu sei que algo está errado. Eu posso sentir isso porque eu posso ler
o humor dele.

Mamãe e papai nos fazem posar para um milhão de fotos antes de


finalmente sairmos e nos dirigirmos para o jantar. A viagem é
estranhamente quieta e Lindsay faz o seu melhor para puxar conversa
o que não vai longe.

"Você não está atendendo mais o seu telefone?" Drake pergunta


quando finalmente chegamos ao estacionamento do restaurante.

“Ela estava ocupada se preparando. Olhe para ela.” Lindsey choca


o inferno fora de mim quando do banco de trás ela bate na parte de trás
da cabeça Drake. "Você nem sequer disse a ela que ela está bonita."
O rosto de Drake se transforma em choque para combinar
com o meu. Eu não tenho certeza se é porque Lindsey bateu na
parte de trás da cabeça dele ou porque fica claro para ele que ele
não disse isso. Ele realmente não disse nada, para ser justo.

"Vamos comer." Eu digo para mudar de assunto enquanto


Drake para na frente do manobrista.

Ele anda para o meu lado e abre a porta. Ele se inclina para
perto. "Eu sempre acho que você está linda, Ali."

Eu posso ouvir o arrependimento em sua voz e eu não sei se


é por não dizer algo sobre como eu pareço hoje à noite ou por
concordar com esse Baile. Eu aceno concordando. O que eu digo
para isso?

Quando nos sentamos à nossa mesa, o silêncio cai sobre nós


quatro. Eu sinto que todo mundo sabe de algo que eu não sei e
isso está me incomodando.

Nós pedimos a nossa comida e Lindsey tenta o seu melhor


para começar a conversa novamente. Eu percebo que Liam não
pode parar de tocá-la agora. Meu, como as mesas mudaram. Eu
também noto que Drake fica me encarando abertamente, mas sem
dizer nada.

"O que?" Eu estalo quando finalmente fico farta.

Não é como se eu pudesse perguntar qualquer outra coisa


com outras pessoas aqui. O que Drake e eu fizemos foi errado, mas
eu também queria muito isso. Mais do que tudo, quero que ele
queira e lute por isso. Ele acordou algo dentro de mim que eu não
acho que posso voltar ao controle. Em algum nível básico eu sei
que ele pode lidar com o meu corpo e dar a ele e a mim o que eu
preciso.

Sua mão alcança a parte de trás do pescoço e ele aperta. Ele


faz isso quando está pensando muito em algo.

"Nós deveríamos faltar ao Baile." Ele tenta parecer indiferente


quando diz isso.

"Você não pode faltar, você é o rei." Lindsey lembra. Eu olho


para o meu colo e brinco com o guardanapo.
O que eu realmente quero é que um buraco negro se abra e me
engula. Ele mudou de ideia e não quer ir comigo.

"Eu preciso usar o banheiro." Eu vou me levantar, mas Drake me


antecipa e puxa minha cadeira. Eu agradeço rápidamente antes de
pegar minha bolsa e ir para o banheiro feminino. Não sei qual é o meu
plano quando chego lá porque não é como se eu pudesse me livrar de
Drake. Eu não só moro com ele, mas ele é a carona de todos nós.

Eu vou ter que engolir isso. Eu não vou conseguir meu algo novo
com Drake. Eu não sei o que é isso, mas meu coração dói com a perda
de algo que eu não sabia que queria tão desesperadamente.

Eu acho que estou apaixonada pelo meu meio-irmão e ele não


consegue se afastar rápido o suficiente de mim. Ele não está me tocando
como ontem e ele ainda não me contou por que ele saiu como ele
fez. Quando ele disse que deveríamos manter isso em segredo por
enquanto, eu concordei, mas agora pareço algo vergonhoso, como se eu
tivesse que ser escondida. Eu odeio que ele queira me esconder, mas
uma pequena parte de mim reza que ele só esteja fazendo isso para me
proteger. Esse é o Drake que eu lembro e espero que seja o Drake que
ele ainda é.
Capítulo Quatorze

Drake

Eu me sinto como um pedaço completo de merda, mas estou


tentando o meu melhor para não estragar isso para Ali. Ela parece
totalmente deslumbrante e tudo que eu quero fazer é puxá-la para
os meus braços. Mas eu não posso e isso está me matando.

"Talvez você devesse ir falar com ela." Eu digo para


Lindsey. Ela acena e vai atrás dela.

Eu quero ser o único a correr para o banheiro, mas tudo o


que Ali não precisa agora é que arruine as coisas para ela.

"Você tem que dizer a ela." Diz Liam.

"Porra, isso é uma bagunça."

Ontem à noite fui à casa de Kira e o lugar estava


lotado. Todos da nossa série e vários de series anteriores estavam
lá e estava fora de controle. Foi como algo saído de um filme e no
segundo em que cheguei, sabia que era uma má ideia. Mas eu
tinha que encontrar Court e dizer a ela para ficar de boca fechada.

Quando cheguei aos fundos da propriedade, Court estava ao


lado da banheira de hidromassagem, no que tinha que ser apenas
um par de cordas amarradas juntas, porque não cobria o
suficiente para ser chamada de roupa de banho. Eu mantive meus
olhos nos dela enquanto pegava uma toalha e a empurrava para
ela. Eu disse a ela que precisávamos conversar e ela aceitou isso
como um convite para me pegar sozinho.

Eu me certifiquei de que Liam estivesse comigo o tempo todo


para que ela não começasse sua merda, e quando a confrontei
sobre a foto e o boato de que ela estava espalhando, ela não
negou. Ela já tinha mostrado a todos e disse que o nosso grande
segredo fora revelado e era o que consegui por foder minha irmã.

Eu fiquei furioso e ataquei, mas felizmente Liam estava lá


para me pegar e me tirar de lá. Mas já era tarde e o
estrago estava feito. Todo mundo viu minha reação, então eles sabiam
que havia alguma verdade no que Court estava dizendo. Não havia como
fechar a caixa de Pandora, e o segredo que guardei em meu coração por
tanto tempo foi revelado. Num piscar de olhos.

"Você não tem nada do que se envergonhar, mas ela não pode ir
nesse Baile as cega." A voz de Liam é solene quando ele balança a
cabeça. “Dê a ela uma chance de se defender por si mesma. Eu acho
que você ficará surpreso.”

Eu penso por um segundo e percebo que ele está certo. Se eu não


der a Ali a oportunidade de enfrentar a repercussão por si mesma, então
vou acabar machucando-a ainda mais. Afasto-me da mesa e jogo meu
guardanapo.

Andando até a parte de trás do restaurante, vejo a placa do


banheiro feminino. Eu abro a porta para encontrar uma pequena sala
vazia. Eu ando por outra porta e vejo Ali na pia com lágrimas nos olhos
e Lindsey ao lado dela com a mão em seu ombro.

"Posso ter um segundo com a minha irmã?" Eu pergunto, e Lindsey


olha para Ali para confirmação.

Quando Ali acena, eu espero Lindsey sair antes de me aproximar


dela.

"Eu estraguei tudo." Eu digo, e Ali pisca para mim algumas vezes
em surpresa.

"Como?" Seus olhos estão implorando quando eu chego mais perto


dela, em seguida, enfio as mãos nos bolsos para me impedir de alcança-
la.

"Porque eu quero você e eu não quero que o mundo exterior


atrapalhe isso." Eu balanço minha cabeça enquanto eu tento fazê-la
entender. “Court me mandou uma mensagem ontem à noite. É para
onde eu fui.”

"Você foi ver Court depois de nós..." Ela para e uma imagem de
mim de joelhos comendo sua buceta empurra em minha mente.

"Eu fui vê-la porque ela tinha uma foto nossa nos beijando do lado
de fora do Joe’s."
"Oh Deus." Seu rosto empalidece e ela leva os dedos à boca.

"Não é mais segredo." Eu digo, mas estou surpreso com o quanto


me sinto melhor agora que contei a Ali.

"Mamãe e papai?" Ela pergunta simplesmente, e eu dou de


ombros.

"Tenho certeza que é apenas uma questão de tempo, mas por


enquanto eu não acho que eles tenham escutado sobre isso." Eu
dou outro passo para frente e desta vez fico bem perto dela. Eu
coloco meu dedo sob seu queixo e o inclino para trás para que ela
possa olhar para mim. "Se formos a este baile esta noite, todos
saberão que estamos juntos."

"E você não quer que eles saibam." Ela diz suavemente. Eu
posso ver a dor em seus olhos.

"Não." Eu balanço minha cabeça negando. “Eu não dou a


mínima pra quem mais saiba. Tudo que eu sempre quis foi
proteger você. Eu te amo, Ali. Eu te amei desde que era menino e
agora eu te amo como homem. Estou cansado de esconder o que
sinto e te afastar para impedir que isso aconteça, porque estou
preocupado com as consequências. Eu não estou mais fazendo
isso e não vou deixar você fazer isso também.”

“Drake.” Meu nome é um sussurro em seus lábios antes de


me inclinar e beijá-la.

Ela agarra meu smoking enquanto meus braços envolvem


sua cintura. Sua boca se abre e ela tem um gosto quente e
doce. Meu pau palpita entre as minhas pernas. Eu toco sua língua
com a minha e é suave como sua buceta. Eu não acho que posso
esperar até hoje à noite para tê-la. Porque eu vou tê-la antes que
a noite acabe.

Eu a puxo contra mim e a viro para que ela fique de costas


contra a porta. Eu tranco a fechadura e ajoelho enquanto começo
a empurrar seu vestido para cima.

"O que você está fazendo? Não podemos fazer isso aqui...” Ela
diz, mas segura o material em volta da cintura.
"Me diga Não quando comer esta buceta." Eu rosno, puxando o
material de algodão para o lado e chupando seus lábios doces e
macios. "Você é minha." Eu esperei tempo suficiente. As
comportas se abriram e não há como voltar atrás. Não vou mais
me negar a minha garota Ali.

"Sim." Ela engasga, revirando os quadris contra a minha boca e


empurrando sua buceta para perto de mim.

"Nós vamos para este Baile esta noite de mãos dadas e eu vou
deixar todos verem que você pertence a mim." Eu passo a língua sobre
seu clitóris e ela assobia.

Ela abre as pernas mais largamente e agarra meu cabelo enquanto


ela pega seu prazer.

Não demora muito para que a respiração dela caia e as pernas


fiquem tensas. Eu sinto sua liberação, picante e doce na minha língua,
e eu a lambo limpa. Desta vez, quando ela goza, todo o seu corpo relaxa
contra mim e eu tenho que segurá-la.

"Eu vou ter você no meu pau hoje à noite." Eu digo e puxo o vestido
de volta para o lugar. Eu me abaixo e seguro meu pau para apertá-
lo. “Não importa o que aconteça, eu terminarei a noite dentro de você.”

Seus lábios se abrem enquanto eu me inclino e a beijo com


força. Eu ainda posso saborear sua buceta em mim e ela geme com o
gosto. Eu penso sobre como seria entrar em sua boca e depois beijá-
la. Talvez possamos fazer um sessenta e nove e então eu posso ter os
dois. Eu rosno contra ela e então me forço a quebrar o beijo. Eu
descanso minha testa na dela para recuperar o fôlego e ela envolve as
mãos em volta dos meus pulsos.

"Eu também te amo, Drake." Diz ela, sorrindo para mim.

"Que tal irmos jantar e depois fazemos a nossa entrada no Baile?"

"Não mais nos escondendo?" Ela morde o lábio inferior e olha para
mim nervosamente.

"Não mais nos esconder."

Ela solta um profundo suspiro e depois se prepara. "Vamos fazer


isso."
Capítulo Quinze

Ali

Drake puxa a cadeira para mim e eu me sento à mesa. Eu


me sinto mais leve e sei que não foram apenas suas palavras, mas
o orgasmo com o qual ele balançou meu corpo. A borda que eu
estava andando o dia todo se foi e por agora eu me sinto calma e
relaxada. Ainda há uma dor que precisa ser curada, mas sei que
Drake vai cuidar disso mais tarde. Por enquanto vamos aproveitar
a nossa noite juntos.

"Por que você está corando?" Lindsey pergunta com um


sorriso no rosto. Eu não sabia que eu estava, mas minhas
bochechas estavam quentes. Não é de corar, é do que Drake fez
comigo e dessa vez eu consegui curtir um pouco mais.

"Cala a boca." Eu digo baixinho, fazendo-a rir enquanto


Drake se senta ao meu lado. Ao contrário da noite passada,
quando ele sorrateiramente puxou minha cadeira para mais perto
dele debaixo da mesa, esta noite ele agarra-a abertamente e puxa-
a o mais perto possível dele.

"Finalmente." Lindsey deixa cair a cabeça para trás


dramaticamente e deixa escapar um longo suspiro de alívio.

"O que você quer dizer com 'finalmente'?" Ela fez muitos
comentários sobre Drake antes, mas estou surpresa que ela
pensou que isso realmente aconteceria.

"Eu sabia que isso estava chegando." Ela aponta de um lado


para o outro entre Drake e eu. "Demorou uma eternidade antes
que vocês finalmente cedessem a isso."

"Você sabia que algo estava acontecendo?" Eu olho para Liam


e, como sempre, não consigo ler seu rosto.

“Sim, eu sabia que algo estava acontecendo. Vocês dois


evitam um ao outro como a peste e eu sei que vocês não se odeiam,
então tinha que ser outra coisa. Acho que todos nós sabemos agora.”

Liam balança a cabeça em concordância com ela. "Todos os


caras, exceto o fodido idiota Eric sabe sobre não falar sobre Ali ou você
perde sua merda."

"Você vê?" Eu olho para Drake, que encolhe os ombros como


Liam. Ninguém me convidou para o Baile das Boas-vindas além de Eric
e ele só convidou porque Drake ficaria todo irritado.

“Ele te evita, mas não quer outros homens perto de você e ele se
esforça para ter certeza de que você tenha as coisas que você precisa
para te fazer feliz. Todas essas pequenas coisas se somam.”

"Eu sei que nos evitamos, mas..." Eu paro, sem saber sobre as
outras coisas que ela está falando.

"Ele me manda mensagens sobre você." Lindsay diz e eu olho para


Drake em surpresa.

"Você manda mensagens para ela?" Eu não achei que eles se


falassem, exceto para ser legal quando ela estava em nossa casa.

"Algumas vezes." Drake responde com outro daqueles dar de


ombros. Ele e Liam realmente os domina.

“Ele faz muito isso. Ele está sempre perguntando se chegamos


aonde estávamos indo com segurança e se estamos fora de casa. Ele
pergunta se você comeu todo o seu almoço ou até mesmo se você parece
tão mal-humorada às vezes...” Ela sussurra “sobre sua menstruação.”
E meu rosto aquece novamente. “Eu não disse nada por que achei que
vocês dois deviam descobrir isso sozinhos. Na pequena chance de eu
estar errada, eu poderia fazer as coisas realmente estranhas entre
vocês.”

Estou chocada com as palavras dela.

"Eu te disse, Ali, eu estou apaixonado por você." Meu coração salta
uma batida da mesma forma que quando ele me disse a primeira vez.

"Algumas pessoas não podem ver o que está bem na frente de seus
rostos." Lindsey olha para Liam. Como as coisas mudam. Ele continua
tentando tocá-la e ela se esquiva. Ela realmente vai fazê-lo trabalhar por
isso agora.
"Eu vejo." A voz de Liam é baixa e retumbante como um
grunhido. "Confie em mim, eu fodidamente vejo." Desta vez, sua
expressão realmente muda e eu vejo o mesmo brilho em seus olhos
que Drake revelou quando colocou as mãos em mim. "Pare de se
afastar de mim." Minha boca se abre quando ele a puxa da cadeira
e a coloca em seu colo. Você não pode fugir de um cara como Liam
e acho que todos nós estamos vendo isso agora. "Eu estava
esperado que a temporada de futebol acabasse." Ele diz a ela. "Eu
sabia que uma vez isso começasse..."

Lindsey o interrompe. "E sobre a próxima temporada ou a


temporada depois disso?" Oh, ela já está planejando anos à
frente. Isso me faz pensar sobre onde estarei no ano que vem e
onde Drake vai acabar.

Ele se inclina e sua boca toca minha orelha. “Não pense


demais, Ali. Vamos ficar juntos."

Deixo escapar um suspiro que não percebi que estava


segurando. Deus, ele realmente me conhece. Não só isso, mas ele
pode lidar comigo. Eu não sabia que precisava de cuidados até que
ele fizesse isso. Eu acho que eu também estava sentindo falta
disso, mas Drake está tomando conta de mim às escondidas e é
realmente adorável. Se eu pudesse me apaixonar mais por ele do
que eu já sou, então isso iria me fazer mais apaixonada ainda.

"Eu estava chegando lá." Liam oferece, mas ainda assim


Lindsey não está cedendo.

"Ele é um planejador." Drake diz em defesa de Liam.

“Bem, eu sou impaciente. É algo que você terá que aprender


a lidar.” Ela levanta o queixo desafiadoramente, mas não faz um
movimento para sair do colo de Liam. O garçom vem até a nossa
mesa, mas Liam dá uma olhada para o homem e ele se vira e vai
embora.

"Eu nunca vou ter minha comida." Eu sussurro para Drake,


e ele ri enquanto envolve seu braço em volta de mim. Lindsey pode
lutar o dia todo com alguém quando fica brava. Seus dedos
deslizam para frente e para trás no meu ombro nu.

"Eu tinha que falar com seu pai também." Acrescenta Liam,
nos pegando de surpresa.
Lindsey é super apegada com o pai dela, já que são apenas os
dois. Mamãe até perguntou a Lindsey se ela queria se juntar a nós para
o nosso dia de spa, mas ela nos recusou porque seu pai já havia feito
planos para eles. Lindsey pode não ter uma mãe, mas o pai dela se
certifica de preencher os dois papéis.

"Você falou com o meu pai?" Ela suaviza em seu aperto enquanto
meus olhos saltam entre eles.

"Sim. Por que você acha que ele não foi um idiota quando eu
cheguei lá para buscá-la?”

"Porque ele estava de bom humor?" Ela pisca, um pouco chocada


por não ter pensado nisso.

Eu pensei que o Sr. K estivesse legal com tudo porque achava que
era um evento em grupo, então não era nada demais. Parece que Liam
prestou muito mais atenção do que pensávamos se ele sabia que tinha
que falar com o pai dela primeiro.

"Sim." Ele sorri antes de se inclinar e beijá-la.

Eu posso sentir meu próprio sorriso bobo enquanto os observo até


que Drake pigarreia porque que eles não se largam.

“Vocês podem fazer isso depois? Minha garota está com fome.”

Liam relutantemente se inclina para trás e Lindsey volta pra sua


cadeira, parecendo atordoada. Eu me inclino em Drake e o deixo pedir
para mim porque ele conhece todos os meus favoritos, então nós caímos
em uma conversa fácil. Nós rimos e conversamos e parece tão natural.

Por um momento eu penso que perdendo muito tempo, mas na


verdade faz parte do crescimento. Aprendemos quem somos e
encontramos nosso caminho enquanto nadamos em meio a um
conjunto de emoções. Estou feliz que todos estejam na mesma página
agora. Eu me permito apreciar o jantar e todos os toques de Drake antes
de partirmos para o Baile.

"Você está pronta para isso?" Drake pergunta.

Ele beija meu ombro quando eu saio do carro e sua mão trava com
a minha. Eu posso dizer que ele está tenso, não porque ele se importa
com o que as pessoas podem dizer sobre ele, mas porque ele está
preocupado comigo e como eu vou lidar com isso.
"Estou pronta para terminar logo com isso."

"Foda-se isso." Lindsey entra na conversa. "Nós não nos


vestimos para terminar com isso. Nós vamos nos divertir e todo
mundo pode beijar nossas bundas.”

Liam a puxa para mais perto e murmura algo sobre ele ser o
único a beijar sua bunda. Drake não esconde que estamos juntos
quando ele coloca o braço em volta de mim.

Eu olho para ele e de repente deixo escapar: "Eu não quero


que você dance com Court."

“Eu nunca iria. Eu só vou dançar com uma garota.” Ele se


inclina e toca seus lábios contra os meus. "Minha garota." Diz ele
antes de me beijar em frente à escola. Eu me inclino para ele
enquanto o beijo se aprofunda e minha língua desliza em sua boca
para roubar um gosto.

"Sem DPA11 no terreno da escola." Eu ouço o latido atrás de


nós e me empurro para longe de Drake.

"Treinador, eu juro que quando a temporada acabar, vou te


dar um soco..."

O treinador Chris está lá sorrindo para nós. "Entre." Diz ele,


apontando para as portas e lutando contra uma risada.

Drake me mantém perto quando entramos juntos e algumas


pessoas olham para nós. Se não fosse por Court chamar a atenção
de todos, acho que as pessoas teriam esquecido que Drake e eu
somos meio-irmãos. Ela fez questão de espalhar isso e eu tenho
um pequeno vislumbre desse fato quando eu finalmente dou uma
olhada no meu telefone. Junto com um milhão de textos de Drake
me dizendo que ele sentia minha falta e que ele não podia esperar
para me ver, há alguns me dizendo para responder as suas
mensagens.

Ninguém diz nada enquanto fazemos o nosso caminho, e na


verdade, sempre que passamos por um dos caras do time de
futebol americano, eles fazem high-five com Drake e Liam.
______________
11 No original PDA: Public display of affection (Demonstração pública de afeto).
"Dance comigo." Drake exige quando ele me puxa para a pista de
dança.

Eu esqueço todos os outros e deixo ele me guiar e tudo parece


normal. Algumas pessoas olham para nós, mas acho que olhariam sem
importar com quem Drake estivesse. Ele não é conhecido por ser visto
com alguém.

"Pausa para o banheiro." Lindsey grita sobre o som algumas


músicas depois.

Drake me dá um beijo antes que ele me deixe ir. "Vou pegar uma
bebida para você." Ele me diz e eu concordo com a cabeça.

Estou agradecida por ter concordado em vir porque estou tendo


uma das melhores noites da minha vida. As pessoas podem olhar tudo
o que quiserem porque eu não me importo. O ensino médio terminará
em breve e estaremos no mundo real. O que eles pensam de nós não
importa.

"Estou fora de forma." Brinca Lindsey quando entramos no


banheiro.

Eu retoco meu batom enquanto espero que ela termine, e sorrio,


pensando que Drake está fazendo o meu gloss valer cada centavo gasto.

"Ele não está fazendo a nossa dança!" Eu me viro ao som do grito


de Court.

Ela está de pé na entrada do banheiro, parecendo mais que


puta. Lindsey sai de seu reservado para olhar para Court. Ela revira os
olhos com desdém e vai lavar as mãos.

"Ele tem que dançar comigo." Diz Court novamente quando ela
percebe que não vou me envolver com ela.

"Ele não tem que fazer nada." Eu caminho em sua direção para
que possamos sair do banheiro, mas ela está no meu caminho. "Você
deixaria seu homem dançar com uma garota que está tentando colocar
suas garras nele?"

"Então ele não está fazendo isso porque você disse a ele que ele
não pode." Ela estreita os olhos como se tivesse ganho uma pequena
vitória. Ela está tão errada. Se eu não existisse, ele ainda não dançaria
com ela.
"Oh, eu disse a ele para não dançar com você." Eu admito,
sem vergonha sobre isso. Quando se trata de Drake eu não estou
escondendo como me sinto mais. "Mas confie em mim, ele não iria
dançar com você de qualquer maneira, então deixe-a pra lá." Há
tantas coisas mais dolorosas que eu poderia dizer, mas isso só me
rebaixaria ao seu nível e ela não vai fazer com que eu seja essa
pessoa.

"Você é nojenta." Ela cospe. Talvez ela esteja procurando


uma briga, mas eu não vou dar a ela. "Ele é seu irmão." Ela assobia
como uma cobra.

"Meio-irmão." Eu corrijo. "E eu tenho certeza que meu irmão


e eu vamos fazer todos os tipos de coisas repugnantes hoje à noite."
Eu contorno Court dando-lhe esse pequeno golpe verbal.

"Nem pense nisso."

Eu me viro ao som da voz de Lindsey e vejo que ela segura o


pulso de Court no ar. Ela ia me bater.

Lindsey a empurra e solta. Court tropeça nos calcanhares e


cai no chão. Dakota e Kira ficam ali, de olhos arregalados e
confusos.

"Obrigado." Eu digo a Lindsey porque eu não teria visto isso


chegando.

Algumas outras garotas que estão no banheiro riem,


claramente apreciando a visão de Court no chão do banheiro.

Lindsey passa por ela e depois revira os olhos para a Brigada


Loira. "Jesus, ajude sua amiga, bonecas de plástico."

Elas entram em ação quando saímos do banheiro e deixamos


para trás uma Court atordoada.

"Eu não posso acreditar que ela ia bater em você." Lindsay se


admira quando clareia o que aconteceu no banheiro.

“Eu não estou surpresa. Ela mostrou para todos aquela foto
de Drake e eu nos beijando. Ela nos seguiu desde o jogo até o
Joe’s. Ela estava procurando por algo para vencer Drake. Não sei
por que ela pensou que isso a colocaria em seus braços. Eu só
espero que ela tenha compreendido a mensagem alto e
claro.” Drake e eu estamos juntos e nada que ela possa fazer ou dizer
vai mudar isso. Ela pode tentar nos envergonhar ou jogar um ataque,
mas isso não vai mudar nada no final.

"Eu senti sua falta." Diz Drake quando voltamos para os caras.

Nós não lhes falamos sobre o banheiro. Em vez disso, bebemos e


comemos bolo e dançamos até que meus pés doem. Eu não vejo
ninguém da Brigada Loira depois disso. Na verdade, algumas garotas
passam por aqui e dão a Lindsey e a mim cotoveladas brincalhonas. Eu
estou supondo que as outras garotas no banheiro estão contando a
história e parece que elas gostaram que alguém fizesse strike nos egos
inflados das BBs.

"Você está pronta, Ali girl12 ?" Drake me pergunta.

"Há mais tempo do que você imagina." Eu olho para ele e é tão bom
estar de volta em seus braços. Eu não sei como fiquei sem isso por tanto
tempo.

“Então vamos sair daqui. Eu terminei de esperar, e se Eric não


parar de olhar para os seus seios, eu não vou ser tão legal quanto você
foi com Court.”

"Você ouviu?"

"Eu sei tudo quando se trata de você."

"Há algumas coisas que você não sabe." Eu digo com um


sorriso. Minhas bochechas esquentam quando penso nessas coisas.

"Estou prestes a saber tudo." Eu rio quando ele me levanta em


seus braços e me leva para fora do Baile. O treinador Chris apenas
balança a cabeça quando passamos por ele.

"Você sempre foi um sabe-tudo." Eu digo e dou um tapa em seu


peito de brincadeira.

"Isso é você." Ele pisca para mim quando chegamos ao carro. "ou
será você no momento em que eu terminar com você hoje à noite." Ele
me deposita no meu lugar e eu seguro sua gravata.
______________
12 Drake faz um trocadilho com o nome de ALI, que é uma gíria que também significa menina.
"Você nunca vai terminar comigo."

"Nunca." Ele concorda antes de sua boca cair na minha.

Eu nunca vou terminar com ele também. Assim foi


determinado a ser.
Capítulo Dezesseis

Drake

Quando chegamos em casa já passara da hora do toque de


recolher e todas as luzes da casa estão apagadas. Havia uma luz
noturna acessa no corredor no topo da escada e iluminava o caminho
para os nossos quartos. Mamãe e papai ficam no primeiro andar e eu vi
a luz do seu quarto se apagar quando entramos. Eles sabiam que
chegaríamos tarde, mas tenho certeza de que queriam se certificar de
que estivéssemos em casa antes de irem dormir.

Eu pego a mão de Ali na minha enquanto subimos as escadas e eu


vou para o quarto dela. Eu tranco a porta e envolvo meu braço ao redor
dela.

"Você acha que pode ficar quieta?" Eu pergunto, e ela balança a


cabeça, mordendo o lábio.

"Eu poderia ter tomado você em algum lugar legal, mas quando eu
me masturbo, eu imagino você nesta cama." Meus dedos encontram o
zíper do vestido nas costas e eu o deslizo para baixo
lentamente. “Quando eu gozo, eu imagino você com sua mão em sua
calcinha, esfregando essa pequena e doce boceta.”

"Drake." Ela diz suavemente enquanto eu tiro o vestido de seu


corpo e o coloco na cadeira próxima.

"Eu sei o que gosto, Ali girl, e você também." Eu lambo meus lábios
lembrando de mais cedo. "Não me diga que não é doce." Eu aceno para
a cama e ela se move em direção a ela. "Vá para debaixo das cobertas."

Eu tiro meu smoking e jogo em uma pilha ao lado da cama. Eu


deixo minha boxer enquanto eu entro debaixo das cobertas com ela e,
em seguida, rolo pra ficar de lado e pertinho dela. Sem uma palavra eu
puxo sua calcinha até que fique em seus joelhos, então eu empurro
meus dois dedos na sua umidade.
"Eu pensei em fazer isso tantas vezes." Ela geme, e eu coloco minha
mão sobre sua boca. "Mas os irmãos mais velhos não é suposto fazer
isso."

Eu esfrego esse doce ponto apertado dentro de sua vagina e ela


levanta seus quadris. Ela não pode abrir as pernas mais por causa de
sua calcinha e eu gosto que elas a mantenham no lugar.

"Porra, você está sempre tão molhada quando vai para a cama?"
Eu assobio e ela confirma com a cabeça. “Deus, eu aposto que você fica
aqui esfregando sua boceta tão rápido quanto eu fico esfregando meu
pau duro. Nós dois desesperados por algo que pensávamos que não
poderíamos ter.”

Eu acelero e esfrego seu clitóris ao mesmo tempo e sinto sua


vagina escorrer com sucos.

"Você vai me deixar colocar meu pau agora?" Eu pergunto quando


o calor e necessidade me tomam por inteiro. Ela concorda com a cabeça
e então geme sob minha mão.

Eu subo nela e tiro minha mão. Com meus dedos ainda dentro
dela eu puxo a frente da minha cueca boxer e tiro meu pau. Eu esfrego
em sua buceta e depois tiro meus dedos. Ela está quente e molhada e
aberta para mim enquanto eu empurro meu pau onde minha mão
estava. Sua calcinha está mantendo as pernas semifechadas, então não
posso ir longe demais. Isso vai me impedir de ficar muito animado e
transar com ela muito rápido. Eu quero isso legal e lento e quero que
ela aproveite cada momento.

"Só um pouco assim, então eu vou entrar." Eu digo beijando-a


suavemente.

Eu impulsiono contra ela em um ritmo superficial enquanto eu


faço o meu pau ficar todo molhado. Eu posso sentir ele deslizar dentro
dela um pouco enquanto eu balanço lentamente para dentro e para
fora. Sua respiração engata e ela tenta pegar mais de mim, mas eu não
quero machucá-la.

"Shhh." Eu digo quando a cama range e eu a lembro de desacelerar


para que fique quieta. "Eu não quero que mamãe e papai ouçam." Eu
sussurro perto de seu ouvido e ela aperta em torno de mim. "Estou feliz
por você estar no controle de natalidade porque eu não acho que posso
sair."
Ela geme de novo e eu empurro um pouco mais até que eu sei que
não posso mais me segurar. Eu me mantenho imóvel enquanto meu
pênis lateja e eu sinto a dor quente nas minhas costas quando sêmen
dispara para baixo e depois para fora do meu pau. Eu gozo duro e
enterro meu rosto em seu pescoço enquanto perco o controle. Eu cerro
meus dentes e sussurro como ela é gostosa bem quando vejo estrelas
em meus olhos. Eu nem mesmo estou dentro dela e já é muito melhor
do que eu imaginava. É quente e pegajoso e eu fico viciado
instantaneamente.

"Vire-se." Eu digo me puxando para fora de seu calor e, em


seguida, chutando minha cueca boxer.

Ela tira a calcinha e abre as pernas em convite enquanto ela põe a


bunda no ar. Eu caio sobre ela com meu pau duro e cheio, deslizando
por trás. É mais profundo instantaneamente e desta vez ela tensiona
quando ela toma mais.

"No travesseiro." Eu ordeno quando ela começa a gemer e mover


seus quadris. "Se o papai me pegar com meu pau em você, ele vai se
certificar de que eu não vou fazer isso de novo." Seus gemidos são
abafados pelo travesseiro desta vez, mas ela empurra sua bunda contra
mim. "Você não quer isso, não é Ali girl?"

Ela toma mais de mim e eu olho para baixo, surpreso ao ver que
estou todo dentro. Ela me toma como uma campeã, e quando eu puxo
de volta é uma tragada doce e lenta. Sua boceta me aperta tão forte que
é como se ela não quisesse que eu saísse e eu mergulho de volta. As
molas em sua cama rangem, então eu tenho que ir em um ritmo
comedido quando tudo que eu quero fazer é martelá-la no colchão. É
lento e conforme meu pau longo e grosso a estica vejo uma mancha de
sangue colorindo os lençóis.

Eu me inclino para perto e beijo o lugar sob seu ouvido enquanto


empurro para casa. "Eu peguei a cereja da minha irmã." Eu sorrio
quando digo as palavras provocativamente brincalhonas. Meu pau fica
ainda mais duro e ela aperta em torno de mim.

É sujo e errado dizer isso a ela, mas de alguma forma isso nos
deixa mais excitados.

"Não se preocupe, você também pegou a minha."


Ela empurra sua bunda de volta contra mim e rola seus
quadris. Sua bunda redonda é linda na luz que entra pela janela e não
consigo tirar minhas mãos dela.

Desta vez estou no controle e quando a sinto apertar, sei que vou
me segurar. Ela está bem no limite, e quando eu acho que não aguento
mais, sinto seu corpo se soltar. Eu enterro meu rosto em seu pescoço
enquanto me deito em cima dela e a seguro, continuando a impulsionar
para dentro e para fora. Eu prolongo o último segundo do orgasmo dela
antes que eu finalmente me solte. Quando eu faço isso me bate forte e
é uma onda de puro prazer.

No segundo que a última gota sai de mim, eu puxo para fora e viro-
a de costas antes de me empurrar de volta pra o seu calor. Seus mamilos
duros estão apertados e eu me inclino para sugá-los enquanto deslizo
em nossa liberação misturada.

"Você pode ficar quieta nessa posição?" Eu pergunto enquanto


beijo meu caminho até seu outro mamilo. "Porque eu esperei muito
tempo para ter você, e não estou nem perto de terminar a noite."

"Eu posso ficar quieta." Ela sussurra, estendendo os braços para


mim, e eu coloco todo o meu peso nela.

Meu pau se move mais rápido assim, enquanto suas pernas se


envolvem em torno de mim e ela se abre. Nós não vamos dormir nem
um pouco, mas pelo jeito que ela agarra meu pau eu sei que ela está
bem com isso. Eu sonhei com esse momento e não estou pronto para
terminar. Na verdade, nunca vou estar.

Depois desta noite não vai haver um momento em que eu não


esteja ao lado dela, não importa o que alguém diga. Este é o nosso
momento para virar a esquina e finalmente começar a vida que sempre
quisemos.

"Eu te amo, Ali." Eu olho em seus olhos e ela sorri para mim
enquanto ela acaricia meu rosto.

"Eu também te amo, Drake."


Capítulo Dezessete

Ali

Eu o sinto enrolado em volta de mim quando acordo e sorrio contra


seu peito nu antes de beijá-lo sobre seu coração. Seu pau duro cava no
meu estômago e meus mamilos apertam querendo mais de tudo que
fizemos na noite passada. Drake tem um lado dominante sujo nele que
ele esconde e eu adoro isso.

Nós dois estamos ainda nus e a última coisa de que me lembro é


de lutar contra o sono. Eu não queria ir dormir porque tudo estava
perfeito naquele momento. Agora o sol está inundando meu quarto e sei
que o resto do mundo está esperando por nós. Eu beijo o peito de Drake
para me tranquilizar, tudo ficará bem. Sinto-o tensionar por um
segundo, me alertando de que está acordado.

Ele desliza a mão pelas minhas costas enquanto eu levanto a


cabeça para olhar para ele. Suas sobrancelhas estão juntas e eu sei que
instantaneamente ele tem algo a me dizer, e não é bom.

"O quê?" Eu pergunto, e meus olhos se movem ao redor. Eu sei


que tem que ser algo que aconteceu enquanto dormíamos. O jeito que
ele me tocou na noite passada, eu nunca duvidei de seu amor e desejo
de estar comigo.

"Papai entrou aqui cerca de cinco minutos atrás."

As palavras afundam e todo o sangue foge do meu rosto.

"Nós não passamos a chave na porta?" Eu pergunto.

Ele aceno que sim. “Eu não acho que nós trancamos direito,
entretanto. Eu lembro de ter rodado a chave, mas não acho que tenha
sido empurrada até o fim.” Seus olhos se fecham e eu sei que ele está
com raiva de si mesmo. "Então, quando ele bateu na sua porta, meio
que acabou se abrindo." Ele termina.

Eu deixo cair a minha testa no peito dele. Não era assim que eu
queria que eles descobrissem.
"Vai ficar tudo bem." Nós dois falamos ao mesmo tempo e
uma pequena risada me escapa. Ele está sempre tentando me
tranquilizar, mesmo que ele não tenha tanta certeza das coisas.

"Agora o que?" Eu pergunto. Não podemos ficar escondidos


no meu quarto para sempre.

"Nada."

Eu recuo para olhar para Drake. "O que você quer dizer com
nada?" Eu pergunto, silenciosamente querendo que tudo ficasse
bem.

“Você estava encoberta, mas está claro que estávamos


nus. Ele pareceu um pouco surpreso, mas depois
sussurrou 'desculpe' e deu um passo para trás.”

"Ele disse desculpe?" Eu sussurro, um pouco alto demais.

"Sim. Eu não compreendi porra nenhuma.”

"Ele disse a mamãe?" Eu pergunto como se ele soubesse. Eu


acho que ele o fez porque eu diria a Drake qualquer coisa.

"Eu diria a você." Ele diz o que estou pensando e acenamos.

“Por que eles não estão bravos? Eles não deveriam estar
derrubando a minha porta?” Meus olhos vão para a porta, em
seguida, de volta para Drake.

Os olhos de Drake vão para o meu peito e eu bato nele


novamente. "Desculpe." Ele não parece contristado quando eu
pego o lençol e me cubro. Ele se senta e me puxa para ele até que
eu esteja em seu colo. "Provavelmente porque não há muito que
eles possam fazer sobre isso." Seu rosto suaviza e eu ansiosamente
prendo meus lábios entre os meus dentes. Ele tem razão; não é
como se eles fossem nos expulsar de casa.

"Vai ficar tudo bem." Antes que eu possa responder, ele me


beija suave e lentamente como se tivéssemos todo o tempo do
mundo.

Eu relaxo nele, incapaz de resistir a sua atração. Eu não sei


quanto tempo eu me sento em seu colo preguiçosamente beijando-
o e precisando de mais. Ele deve sentir o que eu preciso
porque ele nos move e então ele está dentro de mim em um impulso
lento.

Eu suspiro porque eu estou um pouco sensível, mas eu não me


importo e meu corpo abre de bom grado para ele. Eu me perco nele
enquanto ele me ajuda a mover meus quadris para cima e para baixo
em seu pênis. Eu gemo e tento ficar quieta porque esta é a última coisa
que deveríamos estar fazendo agora. Mas eu não posso parar e já estou
tão perto.

"Goza para mim, Ali girl." Diz Drake contra a minha boca e eu faço.

Eu gozo nele. Meu corpo inteiro aperta quando sinto sua liberação
profundamente dentro de mim. Eu monto a onda de prazer enquanto
cada centímetro de mim formiga até que eu deixo cair a cabeça em seu
ombro com uma respiração pesada.

"Você sabe como me acalmar." Eu digo com uma risada, beijando


seu pescoço.

Seu pênis empurra dentro de mim e eu me inclino para trás para


olhar para ele. Ele põe as mãos em concha no meu rosto e inclina minha
cabeça para que eu possa olhar para ele.

"Nunca vamos desistir." Seu rosto é tão sério. "Todo mundo vai ter
que chegar a um acordo sobre isso."

Eu não quero brigar com mamãe e papai sobre isso, mas vou lutar
por nós. "Vamos falar com eles."

Seu pênis se agita dentro de mim antes que ele me levante e então
eu gemo quando ele escapa de mim. Ele relutantemente se levanta
enquanto eu caio de costas na cama macia.

"Você quer que eu vá falar com eles primeiro?" Ele pergunta, e eu


me ergo rapidamente de volta. Eu sei que ele faria isso por mim, mas
não posso deixá-lo.

“Não, vamos juntos. Você me esgotou e eu preciso de um minuto


para me recompor.” Ele se inclina e me beija.

“Vou esperar no corredor então. Eu vou ao meu quarto me vestir."

Eu aceno e ele sai do meu quarto. Eu não perco tempo em me


vestir. Eu não sei se estou com pressa de acabar logo
com isso ou de ficar sozinha com Drake novamente. Quando eu
saio do meu quarto ele está parado lá e ele estende a mão para
pegar a minha. Ele me dá um último beijo antes de nos
prepararmos para o que está por vir.

Chego ao pé da escada e sinto o cheiro da comida da


mamãe. Quando entramos na cozinha, ela vem e nos beija nas
bochechas. Papai faz sinal para eu ir até ele e solto a mão de Drake
para ir em direção a ele. Ele está encostado no balcão, vendo
mamãe cozinhar com uma xícara de café na mão. Ele me dá um
abraço lateral e eu coloco meu braço ao redor dele.

"Sente-se à mesa, Drake." Diz mamãe. "Ali-bug, você pode


pegar algo para todo mundo beber?"

Pego imediatamente as xícaras de café e coloco-as na mesa.

"Então, e ontem à noite?" Mamãe pergunta, e eu me


sobressalto pelo ataque direto. "Vocês se divertiram? Como é a
churrascaria? David e eu continuamos falando sobre ir lá e nos
perguntamos se valeria a pena.”

Estou momentaneamente chocada porque ninguém está


mencionando o elefante na sala. Ela está disparando todas as
perguntas erradas, mas eu sou como um cervo preso nos faróis.

"Eles colocam óleo de trufas em tudo, então Ali estava no


céu." Minhas bochechas esquentam com a resposta fácil de
Drake. Isso foi o paraíso, mas Drake é a razão pela qual eu sinto
que estou nas nuvens.

"Eu acho que me lembro de você ligar antes e se certificar de


que eles tinham certas coisas." Mamãe brinca com ele, apontando
a espátula em sua direção.

"Você fez isso?" Eu me viro para olhar para ele e ele me dá


um daqueles ombros.

“Ele está sempre fazendo coisas assim. Ele apenas esconde


isso.” Mamãe sorri docemente como se estivesse tão orgulhosa
dele. "Eu acho que não estamos mais escondendo coisas." Minha
boca se abre. "Feche a boca, querida."

"Nós não estamos em apuros?" Eu finalmente consigo dizer.


"Não, vocês não estão em apuros." Papai diz primeiro. "Nós
sabíamos que isso estava chegando. Quando Drake me disse que vocês
dois estavam indo ao baile juntos, eu sabia que vocês estavam
finalmente colocando as coisas juntos.” Ele se levanta e fica ao lado da
mamãe.

"Eu a amo." A voz de Drake é clara para todo mundo ouvir.

"Eu também o amo." Eu digo.

"É claro que vocês se amam." Os olhos da mamãe são simpáticos.

"É diferente agora." Acrescenta Drake, mas ele não precisava. Está
claro em sua voz.

"Eu sei." Mamãe balança a cabeça para nós.

É a mesma coisa que ela faz quando já sabe o que estamos


fazendo. É como se ela soubesse há mais tempo do que nós e ela poderia
saber, para ser honesta. Mamãe está sempre dois passos à frente.

"Eu tenho duas regras." Ela levanta os dedos. “A primeira é que


vocês têm que ser mais discretos. Eu não posso permitir que você se
amasiem debaixo do nosso telhado.”

Drake silenciosamente ri ao meu lado, mas estou muito


concentrada no que nossos pais estão dizendo.

"Vou levar o seu quase silêncio como um acordo." Ela dispara um


sorriso brincalhão para Drake enquanto ele balança a
cabeça. “Segundo, sem casamento até depois dos vinte e um anos. E
sem casamento significa sem bebês.”

Eu aceno porque isso está indo muito melhor do que eu pensava.

"Ainda. Sem bebês ainda.” Ela esclarece.

Meu rosto fica cinco tons de vermelho porque eu realmente não


quero falar sobre isso agora. Nós devemos facilitar isso. Eu não estou
pronta para piadas sexuais ou bebês.

"Isso foram três coisas, mamãe."

"Drake." Eu o empurro com força para o lado. "Realmente não é


hora pra brincadeiras." eu sussurro.
"Eu tenho novidades." diz papai, e mamãe abaixa a espátula.

“Comida na mesa. Vamos conversar sobre isso enquanto


tomamos o café da manhã.” Eu posso dizer pelos pequenos pulos
da mamãe que isso é uma notícia empolgante.

Eu não sei como estamos mudando de assunto tão


rapidamente, mas está tudo bem para mim. Acho que nossos pais
são como Lindsey e perceberam isso acontecer. Drake me beija na
testa antes de pegar as coisas e levá-las para a mesa.

Mamãe se aproxima e me entrega um papel dobrado quando


me sento. Drake já está colocando comida em meu prato.

"O que é isso?" Eu pergunto.

“É a sua bolsa completa, querida. Você entrou.” Meus olhos


começam a lacrimejar quando vejo o logomarca da Universidade
de Boston no alto da página. Eu consegui e sorrio tão grande que
dói.

"Você conseguiu!" Eu olho para Drake. “Acho que vamos


gostar de lá. Já visitei o lugar.” Drake diz.

"Você também vai para Boston?" Eu sabia que ele mencionou


isso, mas não ouvimos nada de concreto. Eu teria ouvido porque
todo mundo está se perguntando para onde ele vai.

"Onde você for, eu vou." Ele me diz, e eu o beijo. Eu não


deveria, porque meus pais estão bem aqui ao nosso lado, mas
estou tão feliz que não posso me conter.

"Tudo bem, vocês dois." Mamãe corta e eu recuo do


beijo. "Lembre-se das regras." Ela acrescenta enquanto ela e papai
tomam seus lugares.

Eles estão sorrindo tanto quanto eu e todo mundo está feliz


com isso. Eu deveria saber que seria assim. Eles sempre quiseram
o que é melhor para nós e não tenho dúvidas de que Drake é o
melhor para mim. Ele é meu para sempre e todo mundo pode ver
isso. Pelo menos as pessoas nesta mesa podem e são tudo o que
importa. Eles são toda a minha família, pelo menos por enquanto,
porque um dia ela vai crescer.

Apenas ainda não.


Epílogo

Ali

Seis Meses Depois

"Bebê." Eu sinto a barba curta de Drake roçar no meu pescoço.

Eu não quero abrir meus olhos ainda e suspiro. Eu amo quando


ele não faz a barba e tem um pouco de pelo nele. Eu inclino minha
cabeça, deixando-o tomar mais algumas mordidas de mim.

"Hora de se levantar." Eu nego com minha cabeça porque eu não


quero me mover. Drake entrou na minha cama no meio da noite e me
manteve acordada por horas. Ele cheira fresco e limpo e eu quero puxá-
lo para a cama comigo.

"Você tomou banho sem mim." Eu reclamo, não que tomamos


realmente banho juntos.

Fizemos como nossos pais pediram e fomos discretos, mas isso


acaba hoje. Meus olhos se abrem quando lembro o que é hoje. Como eu
poderia esquecer? Quando Drake entrou no meu quarto na noite
passada e ficou sob minhas cobertas, ele disse que estava me tendo
mais uma vez nesta cama antes de irmos embora.

"Vamos, dorminhoca." Ele me puxa da cama e eu me envolvo em


torno dele, não o solto enquanto eu descanso a cabeça em seu ombro.

"Eu posso dormir assim."

"Confie em mim. Eu sei que você pode.” Seu corpo treme com mais
riso. “Vamos lá, Ali girl. Eu quero chegar antes da mamãe e papai em
nossa casa e eu quero te mostrar uma coisa.” Ele dá um tapinha na
minha bunda e eu me inclino para trás para olhar para ele. Ele está
tramando alguma coisa. "Sim, uma surpresa."

"Por que você não disse isso?" Eu me esforço para ele me deixar
descer e ele me beija antes de me deixar ir.

Corro pelo quarto e me troco. Tudo já está empacotado e nossas


coisas estão no caminhão que o papai vai dirigir hoje. Nosso lugar fica
a uma curta distância do campus e a apenas uma pequena viagem para
a casa dos nossos pais.

Nós poderíamos permanecer na casa de nossos pais, mas


precisamos do nosso espaço. Estamos fazendo a coisa de tudo discreto
e queremos ser capazes de andar nus se quisermos. Eu quero fazer
sessões apaixonadas em meu próprio sofá sem mamãe ou papai nos
pegando no flagra.

Ele abre a porta do carro para eu entrar e rouba outro beijo antes
de sairmos em direção ao nosso novo lugar. Quando ele se aproxima do
bairro onde moraremos, eu olho para ele, sabendo que ele está
tramando algo.

"Não fique brava." diz ele.

"Drake, o que você fez?"

"Este lugar tem uma segurança muito melhor."

Eu rolo meus olhos quando ele chega a um belo edifício histórico


e é ainda mais perto do que o outro lugar que escolhemos. Era difícil
encontrar moradias perto do campus e só tinha um punhado de lugares
para escolher.

"Eles estão transformando todo o lugar em condomínios, então eu


escolhi pra gente morar no último andar." São apenas quatro andares,
o que significa que não haverá muitas pessoas no prédio.

"Nós possuímos este edifício?" Ele não parece culpado quando


encolhe os ombros.

"Drake!" Eu bato no ombro dele, fazendo-o rir.

“O ramo imobiliário é um bom investimento.”


Eu saio e olho e me apaixono. O edifício tem suas pedras originais
e possui muita história. Isso me lembra de quando minha mãe me levou
para encontrar Drake e David pela primeira vez. Eu pensei naquela
época que era um castelo, e este será o nosso pequeno castelo por
agora. Por mais que eu queira dizer a ele que ele foi muito ao mar, eu
não consigo fazer isso. Isto é perfeito.

Eu pego sua mão enquanto ele me leva para dentro e vejo que o
elevador tem uma porta tesoura vintage. “Eu os fiz manter tantas
características originais quanto pudessem. Eu sabia que você ia querer
isso.”

"Eu te amo." Eu me inclino para ele enquanto o elevador sobe.

"Eu também te amo." Quando paramos ele aciona uma chave e o


portão se abre.

"Lindsey e Liam ficarão no térreo." Ele diz e eu sorrio.

Ela vai morrer. Eu me pergunto se ela já sabe disso. Ao contrário


de nossos pais, o pai de Lindsay era um defensor do casamento antes
de viver juntos e o casamento foi na semana passada. Ela me disse que
eles tinham conseguido um lugar, então não admira que ela tenha sido
tão esquiva sobre isso.

"Vá olhar a nossa casa, bebê." Ele beija meu pescoço antes de me
cutucar para ir para dentro.

Eu entro e olho em volta pelo belo espaço. Eu não posso acreditar


que esta será a nossa casa juntos.

Quando me viro para olhar para Drake, ele está de joelhos. “Eu sei
que mamãe disse que não podemos nos casar ainda, mas eu ainda quero
que todos saibam que o dia está chegando. Diga-me que você vai se
casar comigo e este lugar é outro capítulo de nossas vidas juntos.” Ele
diz enquanto empurra o anel no meu dedo.

"Um dos muitos capítulos." Eu sussurro, lutando contra as


lágrimas de alegria e me balançando feliz.

Eu começo a cair de joelhos, mas Drake é mais rápido quando ele


me pega em seus braços e me carrega através de nossa nova
casa. Minhas costas atingem a cama e me perco no meu futuro marido
- meu tudo.
Epílogo

Drake

Três Anos Depois

“É estranho termos apenas uma seção para a família sentar?”


Ali me pergunta. Eu sorrio. Ela me dá um tapinha no braço com
seu buquê e depois verifica se há algum dano. "Merda, olhe o que
você me fez fazer."

"Acalme-se, Ali girl." Eu digo, a puxando para mim. Eu


esfrego minhas mãos pelas costas nuas e ela olha nos meus
olhos. “Convidamos as pessoas que amamos e as pessoas que nos
amam. Nada mais importa."

“Eu vi o pastor falando com o papai. E se ele não aparecer?”


Suas sobrancelhas se juntam em preocupação, mas não a faz
parecer menos bonita.

Ela me fez ir com ela para experimentar vestidos de noiva. Eu


tentei lhe dizer que não era tradição, mas ela insistiu que precisava
de mim. Eu não fui de nenhuma ajuda e lhe disse que cada um
deles era “o vestido” e ela finalmente desistiu e pegou a que ela
mais amou. O que foi o meu plano o tempo todo.

Ela está coberta por um vestido de renda branca com mangas


compridas e apertado ao redor de seu corpo. A parte de trás é
completamente sem costas até os quadris e mostra a pele linda
que ela sabe que não posso manter minhas mãos longe.

Nós nos formamos na faculdade há três semanas, e eu joguei


meu último jogo de futebol da faculdade no sábado.
Eu tenho o Draft13 chegando e eu tenho uma chance real com os
profissionais, mas temos tempo para pensar nisso antes de tomarmos a
decisão. Ali e eu queremos uma família e não queremos esperar muito
tempo. Tem sido incrível ter esse tempo juntos sozinhos e na faculdade,
mas sabíamos desde o começo que estamos destinados a ficar juntos e
fazer bebês.

Por que adiar o que nós dois mais queremos?

"Estou nervosa." Ela passa as mãos pelo meu smoking e eu as


capturo nas minhas.

"Você está nervosa por se casar comigo?" Eu sinto um sorriso


puxar meus lábios enquanto ela revira os olhos.

"Claro que não."

"Você está nervosa por ficar na frente de todos e dizer que você me
ama?"

Ela suspira quando ela nega com a cabeça.

"Você está nervosa em ser minha esposa até o fim dos tempos?"

"Não seja bobo, Drake." Ela bate no meu peito e eu pego sua mão
e beijo a palma.

“Eu me certifiquei de que tudo estivesse perfeito. Não há nada para


se preocupar e nada a temer. Eu vou estar no final desse corredor
esperando você caminhar para se tornar minha esposa.” Eu me inclino
para perto e a beijo suavemente antes de descansar minha testa contra
a dela. "Tudo o que você precisa fazer é colocar um pé na frente do
outro."

Ela balança a cabeça e sinto que ela solta um suspiro enquanto


seus ombros relaxam. Há uma pequena batida na porta e então papai a
abre e ele e mamãe entram.

"Vocês estão prontos crianças?" Ele pergunta olhando entre nós.


______________
13Draft é um processo de alocação de jogadores em times de uma liga esportiva profissional. antes do
início da temporada quando existem jogadores que estão inscritos na liga, mas não estão inscritos em
nenhum time, cada time profissional alternadamente escolhe um jogador que deseja contratar.
"Nós estamos." Ali responde por nós dois.

Eu dou-lhe um último aperto quando meu pai se aproxima e pega


suas mãos e eu fico ao lado da mamãe. Decidimos seguir a rota menos
tradicional, desde que já estamos um pouco fora da tradição e todos os
quatro andaremos ao mesmo tempo. Papai acompanhará Ali e eu serei
acompanhado pela mamãe. Quando chegarmos na frente, vamos trocar.

"Eu te amo." Eu digo para Ali e pisco para ela antes de pegar a mão
da mamãe.

"Eu também te amo." Ela me diz de volta e vejo o brilho em seus


olhos.

Este é o primeiro passo de muitos e mal posso esperar para


começar.

Fim!!