Você está na página 1de 6

Argila

Argila do período quaternário (400.000 anos), Estônia.

Categoria: Filossilicatos

Cor: branco, vermelho, café, rosa, preta.

Fórmula química: Al2O3 · 2SiO2 · H2O

Propriedades ópticas

Transparência Opaco

O termo argila corresponde aos minerais que apresentam tamanho inferior a 2 mm em


uma rocha. Essa definição granulométrica é uma herança dos estudos petrógrafos
efetuados pela microscópica óptica no fim do século XIX, quando os cristais que
apresentavam tamanho inferior a 2 µm não podiam ser distinguidos, sendo classificados
pela denominação genérica "argila". Hoje, a denominação argila difere em função dos
campos de estudo. Assim, em geotécnica, na qual o que interessa é sobretudo o
comportamento mecânico dos solos, designa-se argila os materiais de granulometria
inferior a 4 mm. Em mineralogia, argila não se refere simplesmente a partículas
definidas por um determinado tamanho, mas a certos minerais. O termo é, nesse caso,
usado para descrever os filossilicatos, e mais particularmente, aos argiloso minerais. A
argila é dividida em dois tipos; primárias e secundarias:

Primarias: e retirada da decomposição do solo por ações física da natureza. Conforme


passam os anos, geralmente são extraídas em forma de pó.

Secundarias: é extraída de elementos, que são conduzidas através das chuvas e do vento,
geralmente são encontradas em forma pastosa.

Mineralogia

Formada pela alteração de rochas, como as que contêm feldspato, a argila pode ser
encontrada próxima de rios, muitas vezes formando barrancos nas margens. Apresenta-
se em diversas cores (branca, amarelada ou avermelhada) e constitui uma família de
minerais filossilicáticos hidratados aluminosos de baixa cristalinidade e diminutas
dimensões (partículas menores do que 1/256 mm ou 4 mm de diâmetro), como a
caolinita, esmectita, montmorillonita, illitas, etc. Geralmente, apresenta-se estável nas
condições termodinâmicas e geoquímicas da superfície terrestre ou de crosta rasa.

No solo, a fração de argila, componente comum das lamas ou barros, como são
conhecidos popularmente, é constituída de minerais desse grupo das argilas aos quais se
agregam hidróxidos coloidais floculados e diversos outros componentes cristalinos ou
amorfos.

Origem e transformação

A argila origina-se da desagregação de rochas feldspáticas, por ataque químico (por


exemplo, pela água ou pelo ácido carbônico) ou físico (erosão, vulcanismo), que produz
a fragmentação em partículas muito pequenas.

Normalmente as jazidas são formadas pelo processo de depósito aluvial, ou seja, as


partículas menores (e, portanto, mais leves), partículas inferiores a 2 micra (0.002mm),
são levadas pela corrente de água e depositadas no lugar onde a força hidrodinâmica já
não é suficiente para mantê-las em suspensão. Esses locais são os chamados depósitos
argilíticos.

As argilas assim geradas são chamadas de secundárias, já que a argila primária


permanece no local onde se originou, sendo este o caso da formação das jazidas de
caulino.

Num processo inverso, de litificação, a argila pode se transformar em rocha sedimentar


se um depósito de argila for desidratado e submetido a compactação (normalmente pela
pressão de camadas superiores), dando origem a rochas clásticas mais finas (lutitos ou
pelitos) cujos exemplos podemos citar: os folhelhos, que se apresentam bem
estratificados, e os argilitos, que possuem pouca ou nenhuma estratificação.

Granulometria

Dentro da classificação granulométrica das partículas do solo, a argila ocupa o


seguinte lugar:

Classificação Diâmetro dos Grãos

Argila < 0,001 mm

Silte 0,06 - 0,001 mm


Areia 2,0 - 0,06 mm

Entretanto, a classificação USCS que é utilizada habitualmente em engenharia usa os


limites de tamanhos máximos de 4,75 mm para a areia e de 0,075 mm para a argila e
silte.

Dispersão de argilas

As argilas fazem parte da constituição mineralógica de partículas físicas dos solos,


junto com as partículas de silte e areia. No solo essas partículas estão intimamente
misturadas. Para podermos quantificar o teor de argila, silte e areia de um solo, devemos
proceder a separação dessas partículas. A separação da argila que constitui os solos dá-
se pelo processo de dispersão, mais conhecido por dispersão de argilas.

Emprego

Trabalhando argila, vulgarmente chamada barro, na Roda de Oleiro.

As argilas possuem inúmeros usos, inclusive medicinais. Por sua plasticidade enquanto
úmida e extrema dureza depois de cozida a mais de 800 °C, são largamente empregadas
na cerâmica para produzir vários artefatos, que vão desde tijolos até semicondutores
utilizados em computadores.

Curiosidades Sobre a Argila

A argila é um dos três medicamentos mais antigos e poderosos da humanidade,


juntamente com a água e as plantas.

Composição:

A argila contém sílica, alumínio, ferro, titânio, cálcio, sódio, potássio, manganês e por
vezes até magnésio. As proporções destes compostos variam conforme a sua origem,
mas todas têm elevada porcentagem de sílica e alumínio, o que explica as suas
propriedades cicatrizantes e antiflinflamatórias.

Os minerais encontrados nas argilas funcionam como potencializados de conforme a


sua concentração. Quando estes minerais estão em doses ínfimas, são chamados de
oligoelementos, mas seu efeito remineralizante se faz notar mesmo nestas quantidades.
Os seus íons negativos têm a capacidade de atrair e absorver toxinas provenientes dos
íons positivos, reduzindo os níveis de toxicidade e produzindo efeitos antissépticos,
antibióticos e cicatrizantes.

Na estética:

Em estética, os tratamentos da pele com argila são de extraordinária eficácia, sendo um


excelente exemplo o efeito benéfico que têm na limpeza e clareamento de pele e como
complemento nos tratamentos de redução de estrias.

Depois de um tratamento de argila deve lavar-se a pele com água corrente sem
quaisquer produtos cosméticos, sempre tonificar para fechar os poros.

Argila na construção civil:

Rocha constituída por partículas muito finas e vários minerais tal como os silicatos. É a
matéria-prima utilizada na execução de cerâmicos (tijolos, telhas, mosaicos), aplicados
em alvenarias e revestimentos.

Argila como material de construção.

A argila como material de construção começou a ser utilizada pela sua abundância,
pelo custo reduzido e por ser um material que, na presença de água, pode ser moldado
facilmente, secando e endurecendo na presença de calor. Além disso, o uso dos produtos
cerâmicos produzidos a partir do cozimento das argilas surgiu da necessidade de um
material similar às rochas, nos locais onde havia escassez das mesmas. Os materiais
argilosos se diferenciam entre si pelas diferentes proporções de sílica, alumina e água
em sua composição, além da estrutura molecular diferenciada. Os principais materiais
argilosos que têm importância como material de construção são a caolinita, a
montmorilonita e a ilita. De acordo com a estrutura do material, as argilas podem ser
classificadas em: estrutura laminar e estrutura foliácela. As argilas de estrutura laminar
têm seus minerais arranjados em lâminas e são as argilas utilizadas na fabricação dos
produtos cerâmicos. Entre as argilas de estrutura laminar podemos destacar:

Caolinita: são as argilas consideradas mais puras. Utilizadas na fabricação de


porcelanas, materiais refratários e em cerâmicas sanitárias.

Montmorilonita: Por ser um material muito absorvente é pouco utilizada sozinha. É


aplicada em misturas às caolinitas para corrigir a plasticidade.

Micáceas: utilizadas na fabricação de tijolos.


Solo Argiloso

O solo argiloso, chamado de “solo pesado”, é uma terra úmida e macia, composto por
mais de 30% de argila, alumínio e ferro.

Após a chuva, os terrenos de solos argilosos, que absorvem bastante água, ficam
encharcados. Por outro lado, na época de seca, esse tipo de solo tende a formar uma
camada dura e pouco arejada do terreno, prejudicando o desenvolvimento da vegetação.

Características do Solo Argiloso

Grãos pequenos (micrósporos) e compactos;

Impermeável a líquidos;

Grande retenção de água;

Alta impermeabilidade;

Grande concentração de nutrientes;

Pouca acidez;

Propício para o cultivo e atividade agrícola;

Mais resistentes à erosão.


Referências:

Bruce Velde; Alain Meunier (2008). The Origin of Clay Minerals in Soils and
Weathered Rocks .

http://bibliotecajuarezgomesdesaneec.blogspot.com/2013/02/curiosidades-sobre-
argila.html - acessado em outubro de 2018.

https://www.engenhariacivil.com/dicionario/argila -acessado em outubro de 2018.

https://pt.scribd.com/document/352810440/Argila-Como-Material-de-Construcao
-acessado em outubro de 2018.

https://www.todamateria.com.br/solo-argiloso/ - acessado em outubro de 2018.

Você também pode gostar