Você está na página 1de 4

A importancia da avaliação do cliente

Apesar do avanço tecnologico alcançado pela


enfermagem nos ultimos anos em relação a
prevenção e ao tratamento de feridas, as ulceras por
pressão continuam sendo um probelma no cotidiano
da pratica de enfermagem - trata-se de uma
realidade que causa danos incalculaveis em termos
de dor e sofrimento ao cliente, alem de acarretar um
alto custo economico para os serviços de saude.
Historicamente, percebe-se que o surgimento de tai
lesões era atribuido exclusivamente á falta de
cuidado por parte da equipe de enfermagem. Cabe
mencionar que Florence Nightingale considerava as
ulceras por pressão resultado da falta de cuidado da
enfermeira, transformando-a em um problema
exclusivo da enfermagem.
Atualmete, porem, esse paradigma com relação a
genese das ulceras por pressão vem mudando de
forma gradativa, pois, apesar de a compressão do
tecido entre dois planos constituir a causa essencial
para o seu aparacimento, ha entre os profissionais
maior consciencia de que em fatores externos - tais
como força mecanicas- raramente ocorrem de forma
isolada. Não se pode ignorar a influencia de fatores
intrinsecos e individuais que podem afetar o
metabolismo tecidual, fragilizar os tecidos ou
comprometer a oxigenação entre eles: a redução da
mobilidade ou a imobilidade, o defcit sensorial, o
nivel de conciencia, a deficiencia nutriconal, a idade
avançada, a presença de doenças agudas, cronicas,
severas ou terminais e o uso de medicamentos,
alem de historia previa de ulceras por pressão.
Dessa forma, é possivel observar que alem dos
fatores intrinsecos e extrinsecos, o enfermeiro deve
tambem avaliar os problemas sociais e emocionais
apresentados pelo cliente,alem das condutas
adotadas pela equipe de saude, as quais muitas
vezes provocam a redução da mobilidade ou ate
mesmo a imobilidade.
È importante ressaltar que tal mudança de
paradigma não caracteriza a iminuição da
responsabilidade da enfermagem na prevenção da
ulcera, mas revela a necessidade de avaliação
personalizada e integral do cliente, visando a
detecção de fatores de risco e a determinação da
probabilidade apresentada pelo cliente para o
desenvolvimento dessas lesões.
Essa avaliação deve ser feita de forma
sistematizada, preferencialmente no momento da
admição e quando as circunstancias do estado do
cliente forem modificadas, facilitando a
implementação de um plano de prevenção
individualizado.
A escala de avaliação de rio para desenvolvimento
de ulceras por pressão, a ser implementada, deve
ser selecionada pelo enfermeiro responsavel pelo
serviço. De acordo com Blanes, Yosbitome e Ferreira
(2003), dentre as escalas existentes, nenhuma foi
considerada melhor ou mais apropriada para o uso
na maioria dos serviços, sendo recomendada, assim,
a utilização de uma, que seja adequada a realidade
de cada instituição e ao perfil da clientela.
Apos a avaliação, o cliente tera o seu score de risco
definido, determinando a frequencia de mudança de
decubito e as posições a serem variadas alem de
outros cuidados preventivos, tais como a hidratação
da pele, o uso de colchões, e o uso de aliviadores de
pressão, entre outros, considerando as limitações e
possibilidades de cada cliente e da instituição.
Vale ressaltar que, independente do perfil do cliente,
quando ele é acometido pele ulcera por pressão,
constitui-se um grande problema, tanto para a
familia quanto para a instituição hospitalar, pois
essas lesões, alem de prolomngar o sofrimento do
cliente, dificultam a sua reabilitação, aumentando o
tempo de permanencia na instituição e os riscos em
relação a sua vida. Os custos relativos ao tratamento
aumentam não somente com os materiais, mas
tambem com o tempo dedicado pela equipe de
saude para o tratamento dessas lesões.
Diante das inplicações éticas e legais que envolvem
o surgimento das ulceras por pressao, enfatiza-se
tambem, na avaliação do cliente, a importancia do
registro da presença dessas lesões no momento da
admissão, alem de seus estagios e caracteristicas.