Você está na página 1de 8

HISTÓRIA DO BRASIL

Livro Autor O que ler Observações


O clássico História do Brasil é unanimemente recomendado porque serve como uma
introdução à extensa matéria sobre a história nacional.
Embora seja um livro relativamente longo (tem mais de 500 páginas), ele cobre
virtualmente todos os tópicos do edital sem ater-se a detalhes que dificultem a leitura. A
função desse livro é prover ao candidato aquela base tão necessária à compreensão de
1 História do Brasil Boris Fausto (-) 8º acontecimentos mais complexos.
É uma introdução dos principais personagens e eventos que, mais tarde, serão
desdobrados em leituras específicas.
Os candidatos que optam por pular esse livro e dirigir-se imediatamente às outras leituras
recomendadas tendem a ficar perdidos em meio a tantos nomes e acontecimentos.
Essa obra descreve a formação territorial do Brasil, um assunto amplamente explorado
pela banca. Embora você tenha que estudar todos os tópicos do edital, alguns deles devem
ser priorizados, pois aparecem com maior frequência na prova.
Essa é a principal fonte disponível sobre tratados de limites e história da diplomacia
Navegantes, Bandeirantes, Synesio Sampaio brasileira. Além de fundamental para a prova objetiva, esse texto tem importância
2 Tudo
Diplomatas Goes Filho incalculável para a terceira fase do Concurso de Admissão à Carreira Diplomática
(CACD).
A utilidade dessa obra vai muito além das informações escritas, pois os mapas localizados
nas últimas páginas do livro são bem detalhados e facilitam enormemente a compreensão
do assunto.
3 História Geral do Brasil Maria Yedda Só 6º Atenção: Essa obra é a “bíblia” da Independência e da Formação do Estado Imperial.
Linhares (org.) Nenhum outro livro cobre essa parte da matéria de maneira tão completa.

Você pode se sentir tentado a ler o livro inteiro quando perceber que muitas das
informações contidas nos outros capítulos não estão em nenhuma outra obra indicada para
o CACD. Não faça isso!
Os demais capítulos são excessivamente detalhados e têm informações desnecessárias para
a sua prova.
Dedique todo o seu tempo ao Capítulo 6, escrito por Marcello Basile, e ainda assim você
sentirá que a leitura é densa e que precisa ser repetida diversas vezes para que a totalidade
do conteúdo seja absorvida.
Esse livro tem a capacidade de transformar um candidato medíocre em alguém capaz de
acertar todas as questões sobre o período que se estende da Independência até o final do
Segundo Reinado.
O conceito de “tempo saquarema” é uma das ideais basilares do Segundo Reinado.
Qualquer candidato ao CACD que já tenha estudado História do Brasil por mais de 2 anos
sabe que esse período é um dos mais complicados do edital.
Ilmar Rohloff de
4 Tempo Saquarema Todos É por isso que recomendo essa obra em adição ao História Geral do Brasil, organizado por
Mattos
Maria Yedda Linhares.
Esse livro é a única exceção da lista, pois apesar de não ser necessariamente vital para a
sua aprovação, vai facilitar sua vida enormemente.
O livro é enorme, mas a boa notícia é que você só precisa ler o primeiro capítulo. Não é
necessário conhecer a movimentação das tropas no campo de batalha.
As informações mais relevantes são:
Os motivos de cada um dos atores participantes;
A formação e o desfazimento dos sistemas de alianças.
Francisco
5 Maldita Guerra Só 1º É bom lembrar que o autor dessa obra é professor da Universidade de Brasília e que as
Doratioto
provas são claramente influenciadas por sua interpretação dos eventos históricos.

Se eu tivesse que escolher uma linha de pensamento para seguir durante as provas
objetivas e discursivas do CACD, certamente optaria por aquela do professor Francisco
Doratioto.
6 História do Brasil Nação: 1808 – Lilia Moritz 1-4, de Essa coleção é a leitura mais agradável dentre todas as obrigatórias. Os textos são bem
2010 Schwarcz todos, escritos, o vocabulário não é rebuscado e as informações aprendidas ali despencam na
exceto v. 5 prova.
A coleção é dividida em 5 livros e todos têm estrutura idêntica. Você não precisa ler os
livros inteiros, basta dedicar-se aos 3 capítulos principais de cada obra:
Introdução;
2 (Vida Política);
3 (O Brasil no Mundo);
4 (O Processo Econômico).
Existe, sim, uma possibilidade de a banca extrair dados dos demais capítulos e cobrá-los
na prova, mas isso é raríssimo e, por essa razão, não justifica o esforço adicional.
Você vai notar que os demais capítulos versam sobre: População, Sociedade e Cultura.
Não seria razoável afirmar que essas facetas da história brasileira não são importantes para
o CACD, mas estão muito longe de serem centrais para a sua prova.
Pensando nisso, preciso fazer uma ressalva acerca do quinto e último volume da coleção, o
livro intitulado Modernização, Ditadura e Democracia.
Essa leitura é de suma importância, pois há inúmeras interpretações para esse período
histórico, mas essa é justamente aquela que a banca utiliza.
O autor, Jorge Ferreira, tem uma excelente coleção de livros chamada “O Brasil
Republicano”, mas as obras, com exceção do Volume 3 (que é o próximo item da minha
lista) oferecem mais informações do que você precisa nesse momento.
7 A Democracia no Brasil (1945-1964) Jorge Ferreira todos
O livro recomendado, A Democracia no Brasil (1945-1964), é bem curto, daqueles que a
gente lê de uma vez só, mas menciona os principais fatos do período e explica de maneira
bastante didática a formação dos partidos políticos da época.
Se você é daqueles que se confunde com as siglas partidárias e tem dificuldade em lembrar
qual político pertence a qual partido, esse livro vai te garantir pontos valiosos na prova.
Esse livro explora mais profundamente aquilo que está no “A Democracia do Brasil (1945-
1964)”.
Os tópicos mais importantes são:
A polarização ideológica;
A formação dos partidos políticos.
O Brasil Republicano (O Tempo da Embora seja possível passar no CACD sem ler esse livro por completo, é recomendável
8 Jorge Ferreira Todos
Experiência Democrática) que você esteja familiarizado com o posicionamento desse autor, particularmente em
relação aos assuntos discutidos no capítulo sobre as Crises da República.
Atenção: para aqueles que já leram o livro História do Brasil, do Bóris Fausto, a banca não
concorda com aquilo que ele escreveu sobre o Brasil republicano. Você deve responder às
perguntas da sua prova de acordo com o posicionamento de Jorge Ferreira. Isso é bastante
importante, tome nota!
Um dos principais livros de toda a bibliografia do CACD. Aborda o tema da Política
Externa Brasileira e une a matéria de História do Brasil à de Política Internacional.
Na realidade, o História das Relações Internacionais do Brasil é a ponte que conecta duas
História das Relações Internacionais das principais matérias da prova (tanto em conteúdo quanto em quantidade de pontos).
9 Doratioto e Vidigal Todos
do Brasil
O livro é curto, fácil de ler, agradável e ainda foi escrito por Francisco Doratioto.
Não é possível fazer o CACD em segurança sem ter lido essa obra, pelo menos, algumas
vezes. Caso você não a tenha comprado ainda, faça isso agora.
Esse livro costumava ser a principal leitura sobre Política Exterior do Brasil, mas, para sua
sorte, isso mudou.
A verdade é que esse livro, apesar de ainda manter-se relevante, foi parcialmente
substituído pelo História das Relações Internacionais do Brasil, de Francisco Doratioto.
História da Política Exterior do Embora sua importância tenha sido relativizada nos últimos anos, ele ainda é o livro que
10 Cervo e Bueno Todos
Brasil mais oferece conteúdo factual, característica importante na preparação para um certame
que se torna mais competitivo a cada dia.
Essa leitura é difícil, repleta de datas, cargos, nomes e conferências. É o tipo de preparação
que se faz no longo prazo. Não tente ler tudo de uma vez, principalmente se você ainda
não estiver devidamente familiarizado com o restante da matéria.
Intermediária/Avançada
José Murilo de Carvalho escreve com maestria. Dentre os autores de obras recomendadas
para o CACD ele se destaca. Embora alguns trechos dos livros possam parecer marginais
às questões da prova, a maneira como autor descreve a situação do país em diferentes
momentos históricos facilita muito a compreensão de eventos maiores.
Uma das principais ferramentas para a resolução de questões de História do Brasil é a
compreensão do contexto histórico e é precisamente isso que José Murilo de Carvalho
oferece nesta obra.
É bastante comum encontrar candidatos à carreira diplomática que dedicam horas, dias e
até mesmo meses à memorização de datas e fatos. Esses estudantes tentam estabelecer,
José Murilo de mecanicamente, estruturas cronológicas em suas mentes sem investir horas de estudo
11 A Formação das Almas
Carvalho naquilo que mais importa, o contexto.
É possível passar no CACD sem ler A Formação das Almas, mas a ajuda que o livro é
capaz de fornecer compensa, e muito, as duas horas necessárias para sua leitura.
A Formação das Almas aborda o desenvolvimento do pensamento republicano no Brasil, a
criação dos símbolos nacionais e a estrutura que agrega tudo isso, o Positivismo.
Além disso, o livro contém as melhores ilustrações de toda a bibliografia para o CACD.
Há imagens de bandeiras antigas do Brasil, de personagens históricos e de desenhos
jornalísticos da época. Pode parecer um detalhe, mas as referências visuais também
ajudam na absorção das informações contidas nos textos.
12 Os Bestializados José Murilo de Mais uma obra de José Murilo de Carvalho sobre o período republicano. Enquanto a obra
Carvalho recomendada anteriormente – A Formação das Almas- trata do pensamento republicano e
do estabelecimento dos símbolos nacionais, Os Bestializados é um livro mais factual.
Dentre os eventos abordados na obra está a Revolta da Vacina, que o autor explica
brilhantemente. Para falar a verdade, somente a partir desse texto consegui entender com
clareza por quais motivos a população do Rio de Janeiro tinha tamanha aversão à política
de vacinação imposta pelo governo.
As descrições sobre o funcionamento da cidade do Rio de Janeiro e sobre as dificuldades
enfrentadas pela população à época da Proclamação da República já são o suficiente para
colocar esse livro entre os mais interessantes da bibliografia.
Se você quiser trazer a lógica do início do período republicano para mais perto, se você
quiser verdadeiramente compreender o pensamento do brasileiro mediano daquela época,
leia Os Bestializados. O livro é fantástico e suas 164 páginas podem ser lidas rapidamente.
Esse livro é muito mais denso que os dois anteriores. Aqui, sim, é cabível utilizar a
classificação: Bibliografia Avançada.
A leitura suave, típica dos livros de José Murilo de Carvalho, não fica tão evidente nesta
obra porque há um claro esforço para corroborar cada argumento com dados específicos
por meio de tabelas e números.
Essa abordagem do autor é compreensível uma vez que o texto descreve períodos bastante
confusos da história do Brasil, como a composição dos partidos políticos imperiais.
A Construção da Ordem – Teatro de José Murilo de Quem aí é capaz de explicar facilmente as idas e vindas do Partido Liberal e do Partido
13
Sombras Carvalho Conservador?
São muitos gabinetes, inúmeros detalhes e, mais ainda, consecutivas reviravoltas. Um
prato cheio para a banca do CACD.
Candidatos ao Itamaraty adoram procrastinar quando chega a hora de estudar este período.
Não seja como os outros, estude agora, enquanto você tem bastante tempo, e deixe que os
demais fiquem desesperados na véspera da prova.
Como você já se comprometeu a aprofundar-se nos detalhes do período republicano,
aproveite para alcançar um novo patamar de compreensão do período imperial também.
14 A Diplomacia na Construção do Rubens Ricupero Esse talvez seja o livro mais importante da lista. Rubens Ricupero é um dos autores mais
Brasil (1750-2016) respeitados pela banca do CACD e, como seu livro engloba virtualmente todo o conteúdo,
faz sentido acompanhar sua linha de raciocínio ao longo do processo de desenvolvimento
da política externa brasileira.
Devido ao fato de o livro ser recente, gerações mais antigas de aprovados no CACD não
chegaram a ter contato com ele. As coisas mudam e, enquanto obras como História da
Política Exterior do Brasil (Amado Cervo e Bueno) começaram a perder relevância no
certame, A Diplomacia na Construção do Brasil (1750-2016) tem sido cada vez mais
indicada por professores.
O livro é bastante longo, são mais de 700 páginas, e não pode ser lido casualmente como
as demais indicações desta lista. Apesar disso, é importante deixar claro que textos de
Rubens Ricupero sempre são importantes no contexto do CACD.
Se você ainda tem algum tempo livre no seu cronograma de estudos, é uma boa ideia
começar a explorar essa obra.
O livro aborda o desenvolvimento das relações entre Brasil e Estados Unidos durante a
chancelaria do Barão do Rio Branco. Não se trata de um conjunto de páginas que
bombardeia o leitor com dados. O objetivo aqui não é exaurir o conteúdo do período, mas
apresentar os principais eventos de maneira concisa e compreensível.
Além de ser uma obra que cobre duas disciplinas ao mesmo tempo, História do Brasil e
15 A Aliança não Escrita Bradford Burns Política Internacional (mais precisamente Política Externa Brasileira), o texto é dedicado a
um dos períodos mais importantes para o Brasil nas relações internacionais.
Nenhum outro livro discute o tempo do Barão tão agradavelmente quanto A Aliança Não
Escrita. É fundamental que os futuros diplomatas conheçam as interações brasileiro-
americanas profundamente e esse livro proporciona uma ótima oportunidade de observar
mais de perto como os anos entre 1902 e 1912 transformaram o mapa do Brasil.
BLOG O BARÃO
História do Brasil – Professor Marcus Dezemone

Escolher um único livro para indicar como essencial à preparação para o CACD é uma tarefa muito difícil. Por essa razão, peço licença
para trapacear, com a melhor das intenções, indicando uma coletânea composta por cinco volumes, em linguagem acessível e ao mesmo tempo
atualizada com a historiografia recente.
A obra em questão é História do Brasil Nação, dirigida por Lília Moritz Schwarcz, com o ambicioso objetivo de contemplar o longo
recorte temporal iniciado em 1808, que se entende até 2010.
Para vencer o desafio da extensa temporalidade, cada livro se concentra num período específico, com organização de um especialista
reconhecido, responsável por escrever a introdução ao volume. O primeiro livro trata da Crise Colonial e da Independência, da transferência da
sede do Império Português aos anos finais do Primeiro Reinado, sendo organizado pelo embaixador Alberto da Costa e Silva. No segundo
volume, o historiador José Murilo de Carvalho, membro da Academia Brasileira de Letras, reuniu acadêmicos para apresentarem o cenário da
Construção Nacional, do conturbado Período das Regências até o fim do Segundo Reinado, com o fim da escravidão e a proclamação da
república. A Primeira República, de 1889 a 1930, é o período em tela no terceiro volume, sob organização da própria Lilia que dirige a coletânea.
Os dois últimos livros abordam recortes muito amplos, não tanto pela cronologia, mas pela complexidade: da Revolução de 1930 ao Golpe de
1964, com a coordenação de Angela de Castro Gomes, e da crise dos anos 1960 até 2010, sob os auspícios de Daniel Aarão Reis Filho. Ambos
discutem as transformações aceleradas pelas quais o país passou, com urbanização e industrialização, autoritarismo e democracia.
A estrutura de cada livro é a mesma, sempre com 5 artigos, dedicados à população e sociedade, política interna, política externa,
economia e cultura. Os artigos sobre polícia, economia e política externa são leituras obrigatórias, tendo sido utilizados como textos de questões
objetivas e discursivas desde a publicação da primeira edição em 2011.
Por tudo isso, a coletânea História do Brasil Nação é obra indispensável aos que estão iniciando seus estudos, revisando sua preparação
ou buscando aprofundamento para as provas do CACD, auxiliando inclusive em outras disciplinas, como História Mundial, Economia e Política
Internacional. É investimento necessário e altamente recomendável a todos que pretendem conciliar rigor acadêmico com clareza para o estudo
da história nacional.