Você está na página 1de 16

Quarta-feira • 29 de julho de 2020 •

PUB
1073
•1

29 julho 2020
Ano 20
quarta-feira
 0.75 iva incluído
Diretor: Luís Baptista-Martins
semanário

Política
Fábio Pinto
é técnico da
Secretaria de
IPG com o maior
aumento de vagas
Estado da Ação
Social
Sediado na Guarda, órgão gover-
namental tem sido um autêntico

do país
“porto de abrigo” para militantes
e dirigentes do PS distrital e con-
celhio _______________________ 4

Politécnico da Guarda tem 805 vagas para o ano letivo 2020/2021, são mais 71
Pinhel
que no anterior. A UBI mantém os mesmos lugares disponíveis, 1.037, número
250 anos da
“cidade-falcão” que está inalterado desde 2018 Pág.5
celebrados
com vinho
Apresentado no sábado, o “Pinhel
Cidade Falcão 1770-2020” é uma
“edição especial” selecionada
pela Adega Cooperativa local para
homenagear «as gentes que traba-
lham a terra» e fazem do vinho o
produto de referência do concelho,
disse Rui Ventura _____________ 10

Economia
Luís Veiga diz
que aumento da
atividade turística
na região «é pura
ficção»
O interior não vai sair naturalmente
beneficiado após a pandemia. A
concessão da Serra da Estrela está
a limitar o desenvolvimento da
área montanhosa enquanto destino
turístico e os autarcas deviam «co-
operar» para desenvolver a região.
Estas são algumas das ideias defen-
didas pelo administrador executivo
do grupo IMB Hotels ____________ 6

Manteigas
Hotel Vila Galé
com «boa procura»
nos dois primeiros
meses
Encaixado” no sopé do Vale Glaciar
Ciclovia novamente adiada
na Guarda
do Zêzere, o hotel passa quase des-
percebido, mas é o novo atrativo Câmara aprovou abertura de novo concurso público por metade do valor do an-
de Manteigas e a primeira unidade terior, cujo preço-base era de 3,5 milhões de euros. Será o terceiro procedimento
de montanha do grupo hoteleiro construir cerca de 9 quilómetros de ciclovia/ pedovia ao logo da VICEG Pág.4
português ___________________ 8

PUB

GUARDA | 2020
2• • Quarta-feira • 29 de julho de 2020

Entrevista
no  fio  da  navalha

Cara
a
cara

IPG «Manteigas está a


recuperar muito melhor
O Instituto Politécnico da Guarda (IPG)
tem mais 71 vagas para preencher este ano, de
acordo com informação divulgada pela Direção-
Geral do Ensino Superior (DGES). O número

do que as zonas do
total de lugares disponíveis subiu para 805 para
o ano letivo de 2020/2021, o que representa um
aumento de 10 por cento face ao ano letivo an-
terior, quando houve 734 vagas. Foi a instituição
com o maior aumento a nível nacional. O IPG

litoral no turismo»
“ganhou” mesmo 125 vagas desde 2017, um
aumento total de 18 por cento em três anos. De-
pois de anos sem novos cursos, o IPG tem este
ano duas novas licenciaturas que contribuirão
para atrair mais alunos.
Esmeraldo Carvalhinho, Presidente da Câmara de Manteigas
P – O que tem planeado Manteigas para tempo um concelho de excelência turística. O
o pós-Covid de forma a relançar a atividade hotel Vila Galé abriu há dois meses, recrutou
económica do concelho? 65 por cento dos seus trabalhadores em Man-
R – A pandemia obrigou-nos a tomar teigas – estamos quase numa situação de pleno
várias medidas de apoio às famílias e às emprego porque temos menos de 3 por cento
empresas. A 4 de abril testamos bombeiros, de desemprego –. Os restantes tiveram que
funcionários dos lares e o corpo técnico e au- vir de fora. Neste momento há jovens casais a
Luís Veiga xiliares do centro de saúde para perceber como
estávamos em termos de Covid-19. Houve al-
fixarem-se por cá para não terem que deixar o
ordenado na estrada. Estamos a fixar popula-
Um entendimento claro, real e objetivo guns casos positivos e isolamos imediatamente ção e isso nota-se no ensino pré-primário, onde
dos problemas da região, é isto que revela Luís essas pessoas, os seus conviventes e familiares temos mais crianças este ano letivo.
Veiga. Em entrevista a O INTERIOR, onde foram e paramos rapidamente uma cadeia de trans-
abordados vários temas relacionados com o missão. Se assim não fosse poderíamos ter aqui P – Esse crescimento já não
subdesenvolvimento da região, o responsável um caso que nos daria “água pela barba”, pois acontecia há quanto tempo?
pelo maior grupo hoteleiro da Beira Interior, seria extremamente grave para um município R – Não acontecia, pelo
considerou que «é pura ficção» concluir-se de pequena dimensão como o nosso. Com menos, desde 2005 quando
que a há um grande crescimento de turistas isto afirmamos que erámos um município fui candidato à Câmara pela
na região. Contrariando a lógica otimista que seguro e desde então não temos tido casos. primeira vez. Está a acon-
reina, o empresário admite friamente que o setor Há três meses começámos a apoiar famílias tecer agora e de forma
turístico (e toda a economia) da região não estão e quem ficou desempregado, bem como significativa por haver
as empresas afetadas pela redução da oportunidades de tra-
a sair beneficiados no “novo normal”.
atividade. Aumentámos para 36 mil balho. Neste momen-
euros o valor do Fundo de Emer- to há um conjunto
gência Social, destinado a ajudar de atividades que
as famílias carenciadas em de- estão mais dispo-
terminados momentos no pa- níveis para prestar
gamento de despesas básicas serviços e têm que
e que vai até ao máximo de mil ter trabalhadores,
euros por família. Já apoiamos que são gente de cá,
alguns agregados desde o início mas também pessoas
Misericórdia da Covilhã da pandemia. de outros municípios que,
mais cedo ou mais tarde, vão
A Santa Casa da Misericórdia da Covilhã P – E em relação às empresas, fixar-se no concelho.
pretende construir uma Unidade de Cuidados à economia local?
Continuados Integrados na cidade. No edifício, R - Poderíamos ter feito como muitas autar- conheça que chegamos a muitos mais turistas P – O que pede aos emigrantes que
construído de raiz, serão prestados cuidados quias, que andaram a distribuir cheques pelas e cidadãos com esta divulgação. As unidades regressem a Manteigas para passar férias?
sociais e de saúde e criados mais de 70 novos empresas e famílias, mas isso não resolve proble- hoteleiras estão com uma ótima lotação, há R – Que cumpram as regras, mas eles já
postos de trabalho. Num tempo de incerteza, o ma nenhum. Não fomos populistas e entendemos mesmo hotéis que estão cheios e ao fim de sabem o que fazer porque vêm de países onde
entrar ativamente na atividade económica, desde semana não têm disponibilidade. O mesmo se têm que cumprir medidas muito apertadas.
projeto é arrojado, tanto quanto o dinamismo
logo lançando obras municipais que, numa pri- passa com os restaurantes. Não estamos ainda Nós vamos estar vigilantes, ainda na semana
da direção da instituição. Além disso, é um
meira fase, estimámos em 600 mil euros e que a atingir patamares de 2019, mas estamos a passada pedi à GNR para acompanhar de perto
serviço que faz falta na região e que promete
neste momento já vão em 800 mil euros. Com recuperar muito melhor do que as zonas do um grupo de pessoas que veio de outra zona do
ser inovador. isto mobilizamos a atividade da construção civil, litoral. Somos um concelho com potencial de país para obrigar ao cumprimento das medidas
uma área que é subsidiária de outras atividades atração turística completamente diferente dos recomendadas pela DGS. Não me parece que seja
como o comércio, a indústria e os serviços... outros nesta região interior e mesmo da Serra absolutamente necessário haver um período de
Outra medida importante foi realocar verbas da Estrela. quarentena, o que é preciso é que todos cumpram
do Orçamento da Câmara que não foram usadas as determinações das autoridades de saúde.
devido à Covid, porque houve atividades que não P – Completamente diferente porquê?
se realizaram, e o reforço das transferências do R – Antecipámo-nos ao dizer que queríamos P – Se não vierem, receia o impacto
Estado. A aposta foi no marketing territorial, na ser alternativa ao turismo do litoral, mas também económico que isso terá na economia local?
notoriedade do concelho, e que tem feito com porque Manteigas não é um território qualquer. A R – Os nossos emigrantes são importantes,
que Manteigas tenha crescido desde 2010 até Serra da Estrela é uma marca turística importan- mas neste momento aquilo que contribui efe-
hoje em termos turísticos. Foi essa estratégia tíssima e relevante, mas o território de Manteigas tivamente para a manutenção do crescimento
que permitiu ao concelho dar a volta à crise dos tem características únicas em termos de recursos económico do concelho são mais os turistas.
têxteis e lanifícios. naturais, é incomparável. A nível do Geopark, por São eles que verdadeiramente já sustentam
exemplo, a maior parte dos geossítios e de grande a nossa economia de forma permanente e
P – Manteigas quer ser alternativa às relevância científica nacional e internacional não sazonal. Os últimos dados, relativos a
praias. Como o vai fazer? estão no nosso concelho. 2018, apontavam para um crescimento de 2,8
Rita Cunha Mendes R – Fui, na região, o primeiro autarca a
dizer que queremos ser alternativa ao turismo P – O turismo de natureza é o grande
milhões de euros fruto da atividade turística.
Ainda não temos os números de 2019, mas
A Secretaria de Estado da Ação Social de massas no litoral. Manteigas tem espaços atrativo ou Manteigas tem outros? não tenho dúvida nenhuma que continuaram
continua a dar emprego a militantes e dirigen- abertos, naturais, magníficos, onde se respira R – Temos dos melhores trilhos da região, a crescer. Entretanto, abriram dois hotéis e a
tes do PS da Guarda. Depois de Pedro Pires, ar puro, e os recantos mais belos da Serra da diria até do país. São 16 percursos pedonais, Câmara tem atualmente para aprovação o pro-
Cláudio Heitor Rebelo e de Marisa Neves de Estrela. Reforçámos para mais de 105 mil cerca de 200 quilómetros, perfeitamente sinali- jeto de arquitetura de uma unidade de turismo
Sousa, chegou a vez de Fábio Pinto, ex-líder euros as verbas para a promoção turística e é zados e agora até acessíveis através de uma app rural, cuja construção já está adjudicada, e para
da Federação da JS, integrar o gabinete de visível e notória a forma como Manteigas está para smartphones. O concelho é também muito apreciação mais dois pedidos de viabilidade e
Rita Cunha Mendes. O jovem fisioterapeuta é na comunicação social, nas redes sociais, na procurado para a prática de BTT, ciclismo de mais outro projeto em fase de apresentação
o novo “técnico especialista” da Secretaria televisão. Também estamos a promover-nos estrada, trail e parapente, onde somos o me- de peças processuais. O primeiro investimen-
de Estado. fora do país para que, logo sejam retomadas as lhor local da Península Ibérica para parapente to é de um grupo francês e vai surgir na zona
viagens aéreas, possamos voltar a ter turistas competitivo. Portanto só temos que aproveitar urbanizável de Manteigas, mesmo a seguir à
estrangeiros. o que temos e que não se fez durante muito escola de hotelaria. Além do turismo, temos
tempo porque havia outro modelo de desenvol- uma empresa que já investiu mais de meio
P – E já se notam resultados dessa cam- vimento. Com o desaparecimento dos têxteis milhão de euros na adaptação de instalações
panha neste primeiro mês de Verão? fomos forçados a pegar e a tratar bem os nossos na antiga Sotave para produzir refrigerantes e
R – Já, mas não é só por isso, embora re- “ovos de ouro” e queremos ser dentro de pouco bebidas não alcoólicas.
Quarta-feira • 29 de julho de 2020 • •3

editorial Luís Baptista-Martins


baptista-martins@ointerior.pt

O distrito da Guarda
Entre as “causas” que mais tempo sempre me ocuparam, a regio-
nalização foi porventura aquela a que mais reflexão dediquei.
Quando era mais jovem aprendi que Portugal era uno, tinha as
fronteiras «mais antigas da Europa» e a sua força era a unidade “na-
cional”. Assunto encerrado: não fazia sentido regionalizar. Nos Açores
chegou a haver um movimento independentista, mas na verdade o que
queriam era chamar a atenção sobre a insularidade. E na Madeira o
grito independentista era essencialmente para conseguir dinheiro para
melhorar a vida dos madeirenses. Tudo legítimo e razoável.
Confesso mesmo que quando comecei a ler Eduardo Lourenço
cheguei a sentir e a defender uma vocação iberista. Mas depois,
depois fui viver para o País Basco e percebi que a identidade cultural
leva à autodeterminação dos povos e que, mesmo quando defen-
demos viver numa comunidade supranacional, como a Europa (ou
Espanha), temos de defender em primeiro lugar o nosso território,
o sítio de que gostamos e onde queremos viver no futuro – nós
e os nossos. Pode parecer bacoco, localista, provinciano ou bair-
rista, mas o que mais me pode preocupar do que defender o sítio
onde vivo? Mesmo quando sei que o bem comum é o meu bem;
mesmo quando defendemos o país, é a todos os portugueses que
defendemos; e mesmo quando defendemos o planeta todo, é a hu-
manidade que defendemos, é o nosso futuro que defendemos – mas
quando interpreto que quando defendemos a comunidade, é a mim e
aos meus que defendo…
Depois de tantas reflexões sobre o mundo, sobre a Europa, sobre a
Ibéria ou sobre Portugal, do que eu gosto mesmo é da minha região, da
minha terra. Não por falta de mundo ou sequer de mundividência, mas
porque em primeiro lugar temos de defender o nosso meio, o nosso
território, as nossas aldeias, vilas e cidades – aquelas onde vivemos e
as que têm problemas e realidades análogas à nossa. Não é bairrismo
ou pequenez, é a grandeza de defender a região onde vivemos e onde
queremos viver. É regionalismo, sem ser provincianismo. É defender o
que é nosso e a que queremos dar futuro. É ser resiliente e corajoso, é
ser criativo e lutador, porque só assim podemos influenciar o futuro,
o nosso e o da nossa comunidade. Sou regionalista. Não tenho qual-
opinião quer interesse político-partidário (nunca tive, nem quero ter), ainda
Fidélia Pissarra que intervenha civicamente e defenda, como os que mais defendem,
a nossa região – e como poucos!

A verdade faz-se na sociedade Infelizmente, a regionalização, constitucionalmente definida, foi


sempre adiada pela mentira e o medo dos políticos. Neste momento
estamos perante a constituição de macrorregiões, definidas por in-
O António tem quarenta hectares de bom pinhal no estados que mandam crianças e jovens morrer em
teresses orgânicos e planos territoriais impostos pela Europa. Vão
meio de nada, a última vez que pensou em vender os guerras despropositadas e ilegítimas, sob o pretexto
avançar. Nós estamos na região Centro. Uma coisa acéfala, diversa e
pinheiros com vinte anos, davam-lhe cerca de 1.500€ de que o céu lhes há de reconhecer o sacrifício, mas
com poucos problemas ou virtudes em comum. Ainda assim, admito
por hectare. 60 mil por vinte anos de posse da terra o sacrifício dos nossos jovens bombeiros não parece
que possa ser um caminho… Estranho que demore tanto a institu-
esquecida nas serras do Centro de Portugal não o con- merecer o reparo de ninguém. É como se a santidade
cionalizar e, pior, que esteja prevista, sem discussão pública e sem
venceram. O Manuel, primo do António, é que não este- da profissão fosse impermeável à critica e à razão e a
participação direta dos cidadãos. Vai haver mesmo uma assembleia
ve para esperar 20 anos por 60 mil euros e preencheu morte de alguns ajudasse a manter essa aura sobre
eleitoral, que deverá ser constituída pelos presidentes de Câmara (o
os hectares, da sorte que lhe calhou, com eucaliptos. os outros. Pelo menos que eu saiba, nunca nenhum
Centro tem 100) que escolherá uma liderança, sem haver debate e
O José, primo dos dois, não esteve cá para florestas e comandante dos bombeiros foi julgado ou condenado
sufrágio universal – como se vê pelas comunidades intermunicipais,
vendeu-lhes a sua encosta. Investiu o dinheiro da venda pela morte de um seu subordinado. Se os militares
um erro colossal: o amiguismo, o carreirismo e a escolha entre iguais,
nuns papéis do BES com o resultado que se viu. O fogo são responsabilizados sempre que um soldado morre
longe do debate e da cidadania.
veio e, em menos de um ai, queimou os eucaliptos do sem razão, porque é que quando morre um bombeiro
Defendo cada vez mais as pequenas regiões, com problemas co-
Manuel e, ainda mais depressa, os pinheiros do António. só vão atrás dos incendiários ou, pior ainda, atrás
muns, com desígnios e ambições semelhantes, com identidade própria.
Agora, quando se juntam na aldeia, os conterrâneos dos incêndios? Na era da tecnologia para tudo e mais
Acredito cada vez mais na identidade distrital – o distrito da Guarda,
riem-se à socapa do capitalista José para, de imedia- alguma coisa, não há tecnologia que possa prever a
entre o Côa e o Dão, entre o Douro e a Serra da Estrela. Entretanto, o
to, lamentarem a perda das árvores dos seus primos. evolução de um fogo, estudar-lhe o feitio e antecipar
distrito da Guarda vai ser mais uma vez retalhado, pelas mudanças de
A um não reconhecem direito a reclamar do Estado, a consequência? O que é que jovens com 20 anos
orientação na Justiça e a “transferência” de 12 concelhos do Tribunal
que não zelou pelos seus interesses, mesmo não nos andam a fazer no meio das chamas, entregues à sua
Administrativo de Castelo Branco para o Tribunal Administrativo de
tendo custado nada. Aos outros lamentam a ausência sorte? Não há requisitos para se ser bombeiro? Aqueles
Viseu. Uma imbecilidade que os nossos autarcas não contestam e a
do Estado, que não zelou pelos seus interesses, mesmo cursos e formações todas, com alguns dos bombeiros
cidadania aceita em silêncio. Mais um golpe na nossa comunidade.
tendo-nos custado não sei quantos aviões de combate a que costumam frequentá-los a nunca terem posto os
Mais um murro no estômago de 170 mil pessoas que vivem neste
incêndios. Do braseiro, que só se ficou pela ameaça de pés no incêndio florestal, servem para quê? Qualquer
distrito e terão de resolver as suas diferenças administrativas e fiscais
os matar porque, entretanto, outros morreram, ninguém resposta, que não incorpore uma nova verdade sobre
nos distritos vizinhos. Defender a regionalização é isto: é exigir a in-
fala. Por absurdo que pareça esta é a normalidade do o assunto dos fogos e dos bombeiros, só confirmará
tegração regional dos serviços descentrados. É defender um Tribunal
Verão acima do Tejo. que a sociedade, pelas razões mais esconsas, arranja
Administrativo e Fiscal para a Guarda para as empresas e pessoas
Pois bem se esta normalidade, digamos que piró- sempre forma de legitimar os próprios absurdos. Neste
dos 14 concelhos do distrito tratarem dos seus assuntos aqui. É não
mana, já traduz graves problemas do foro psiquiátrico, caso, o doloroso absurdo da morte de uns quantos,
continuar a pactuar com a transferência de serviços para outras loca-
nem sei que grau de psicopatia se há de atribuir a esta a quem convencem que são heróis, pondo-lhes um
lidades. É não admitir mais facadas no âmago na nossa resiliência e
sobrevalorização do “sacrifício” da vida num estado capacete na cabeça e uma mangueira na mão, a cada
direito a viver na nossa terra.
de direito, laico e moderno? Criticam-se, e bem, os Verão que passa.

PUB
4• • Quarta-feira • 29 de julho de 2020

Ciclovia novamente adiada


na Guarda
Câmara aprovou abertura de novo concurso público por
metade do valor do anterior, cujo preço-base era de 3,5
milhões de euros
LM
A construção de uma ciclovia/
pedovia que acompanha a Via-
tura de Cintura Externa da Guarda
(VICEG) voltou à estaca zero. A
autarquia cancelou o segundo con-
curso público, cujo preço-base era
de 3,5 milhões de euros, e vai abrir
novo procedimento por metade
desse valor. A decisão foi aprovada
por maioria na reunião do executivo,
realizada excecionalmente na pas-
sada quinta-feira, com a abstenção
do vereador Sérgio Costa.
Em causa está, segundo disse
o presidente do município, a neces-
sidade de adequar a intervenção
aos recursos disponíveis. «É preciso
diminuir o volume de obra para
alinhar o projeto com os valores de
uma candidatura ao FEDER, de 1,3
milhões de euros», explicou Carlos
Chaves Monteiro, acrescentando que
a autarquia suportará a componente
nacional do investimento. «A CCDRC
avisou-nos que não há mais um
Autarquia já vai no terceiro concurso público lançado para construir cerca de 9 quilómetros de ciclovia/ pedovia ao logo da VICEG
cêntimo para o projeto», revelou o
edil, adiantando que o novo pro- «bastante elevado» para o projeto. como as ligações aos bairro de São para redistribuir por todo o país região», desafiou.
cedimento terá um preço-base de O PS não se opôs e votou fa- Domingos e do Pinheiro, às Av. de e na Região Centro em particular, Nesta sessão, o presidente da
1,7 milhões de euros. Um valor que voravelmente os dois pontos, en- São Miguel e de Salamanca e à C+S uma vez que as taxas de execução Câmara revelou que a requalificação
foi conseguido com a eliminação do quanto Sérgio Costa lamentou que de São Miguel», apontou, entre dos Municípios estão muito baixas», do Largo Frei Pedro foi adiada para
alargamento da ponte da Estação e a alteração proposta coloque «em outras, durante a reunião, que foi disse Sérgio Costa. «É preciso saber o próximo Plano Estratégico de
do prolongamento da ponte pedonal causa parte do projeto político do pública. Quanto ao financiamento, executar depressa e bem, para que Desenvolvimento Urbano porque
sobre a VICEG, duas intervenções PSD» para a Guarda. «Com a alega- o vereador do PSD sem pelouros os fundos adicionais possam ser «não há apoios e o atual PEDU, de
contempladas no projeto inicial. ção de que não tem financiamento a considerou que a Câmara deveria atribuídos seja por “overbooking”, 7 milhões de euros, já vai em 8 mil-
«Não tivemos outra alternativa 85 por cento para tudo, o presidente recorrer ao regime de “overbook- seja por um mecanismo de acel- hões, acima do contratualizado». Por
para não perder este apoio e fazer da Câmara anulou o concurso que ing” dos fundos comunitários que eração ou por qualquer outro que isso, a intervenção nas Ruas Tenente
a obra», declarou o presidente aos estava pronto a adjudicar e propôs estima poder acontecer porque as permita a atribuição das verbas Valadim e do Encontro será feita sem
jornalistas no final da reunião, ad- a abertura de um novo por 1,7 taxas de execução dos municípios remanescentes, caso contrário a apoios comunitários e com verbas
mitindo que os 3,5 milhões de euros milhões de euros, mas retirando estão «muito baixas». «É mais que Guarda arrisca-se a perder milhões da Câmara. «Avançarão ainda este
do concurso anterior eram um valor parte do percurso da intervenção, certo que haverá muitos milhões de euros para outros municípios da ano», disse Chaves Monteiro.

Justiça

Câmara da Guarda contesta PSD defende criação de Tribunal


Administrativo e Fiscal na Guarda
transferência para TAF A transferência de doze muni-
cípios do distrito da Guarda para a
ou sede) ao distrito da Guarda, por
forma a ser apurada a aproximada

de Viseu
jurisdição do Tribunal Administrati- pendência que transitaria para uma
vo e Fiscal (TAF) de Viseu, aprovada nova estrutura a criar no distrito. O
na semana passada em Conselho deputado quer também saber se
de Ministros, levou o deputado do «em algum momento» o Governo
O Governo tomou uma «péssima» decisão ao que fez» quando o Governo do PSD criou o TAF em Cas-
PSD Carlos Peixoto a questionar a ponderou instalar um novo TAF no
alterar a jurisdição dos Tribunais Administrativos e telo Branco. Polémica à parte, a eleita queixou-se que
ministra da Justiça sobre a criação de distrito da Guarda. Se isso aconte-
Fiscais (TAF) de Castelo Branco e Viseu, em vez de os espaços verdes da cidade estão «pouco cuidados» e
uma instância do género no distrito ceu, Carlos Peixoto pergunta porque
criar um tribunal na Guarda, considera o presidente que a cidade «está suja com os detritos da limpeza de
da Guarda. não foi tomada ou pensada «essa
do município. jardins e bermas». O presidente da Câmara concordou
No requerimento, apresentado decisão».
«É uma péssima decisão, para a Guarda e para o e adiantou ter já oficiado às empresas contratadas para
na quinta-feira na Assembleia da Também a Distrital do PSD
país, porque são necessários na região novos juízos terem «mais cuidado e zelo no seu trabalho».
República, o eleito pelo círculo da veio a terreiro sugerir ao Gover-
para dar uma resposta mais rápida a períodos longos
Guarda alega que está em causa no que estude a possibilidade da
de decisão que não são compatíveis com as necessida-
des do próprio Estado e dos particulares», defendeu Emigrantes devem cumprir «a ponderação do custo/ benefício criação deste tribunal na Guarda.
entre a criação de uma estrutura Com a alteração de jurisdição, «o
Carlos Chaves Monteiro no final da reunião quinzenal
do executivo, excecionalmente antecipada para esta
recomendações da DGS judiciária nova, mas que funcione e Governo não parece estar a resol-
Carlos Chaves Monteiro pede aos emigrantes que um recauchutamento que pode pa- ver qualquer problema de fundo,
quinta-feira. Para o autarca, o distrito da Guarda ficou
vierem passar férias à região que «cumpram escrupulo- recer menos dispendioso, mas que porque é sabido que o TAF de Viseu
«dividido» entre os tribunais de Castelo Branco e Viseu
samente» as recomendações das autoridades de saúde causa um dano económico colateral sofre igualmente de incontestáveis
e a solução não irá «resolver nenhum problema à justi-
para evitar eventuais contágios de Covid-19. ou indireto bem mais expressivo». atrasos e demoras na conclusão
ça administrativa e fiscal do país nem da região». «Não
«Como cidadãos responsáveis e preocupados, os Na sua opinião, a tutela tem «obri- dos processos pendentes, tal como
é boa para o TAF de Castelo Branco, que está afundado
nossos emigrantes têm que cumprir escrupulosamente gatoriamente» que analisar os dados no TAF de Castelo Branco», susten-
em processos e demora anos a decidir, nem para o TAF
todas as recomendações, como o uso de máscara, a estatísticos, entre eles o número tam os sociais-democratas. «Esta
de Viseu, que irá afundar-se com a transferência de
higienização das mãos e o distanciamento físico, que de processos pendentes no TAF de não é, de todo, uma solução para o
mais doze concelhos do nosso distrito», criticou Chaves
são transversais a todo o mundo», disse o autarca aos Castelo Branco respeitantes a partes problema», considera a estrutura
Monteiro, segundo o qual «mais eficiência administra-
jornalistas no final da reunião. O edil guardense apelou e intervenientes com residência ou liderada por Carlos Condesso, que
tiva e fiscal não se faz com a divisão de um distrito».
à «consciência cívica» de cada um, alertando que, com o sede no distrito da Guarda. pede à ministra da Justiça que «es-
O edil guardense revelou que a Câmara colocou
regresso dos emigrantes, são, «desde logo», as famílias Nesse sentido, o social-demo- tude e pondere a possibilidade da
«à disposição um edifício para instalação do TAF na
«que estão em causa», tendo referido que não é adepto crata pede à ministra Francisca criação de um novo Tribunal Admi-
Guarda, mas a ministra da Justiça nem respondeu». Na
de que cumpram a quarentena. Para Carlos Chaves Van Dunem que esclareça «quantos nistrativo e Fiscal na Guarda, para
sua opinião, «o Governo apregoa uma coisa relativa-
Monteiro, «é importante que os nossos emigrantes processos estão pendentes nos Tri- que passe a haver uma distribuição
mente ao interior e depois faz outra». Cristina Correia,
venham passar férias às suas terras de origem porque bunais Administrativos e Fiscais de mais equilibrada de processos
vereadora da oposição, também gostaria de «ter cá esse
contribuem para dinamizar a economia local». No Castelo Branco que tenham como nesta área territorial, por forma
tribunal» e admitiu não concordar com a opção do Mi-
início da sessão foi cumprido um minuto de silêncio autores, réus ou intervenientes, a resolver, de uma vez por todas,
nistério da Justiça. No entanto, a socialista fez questão
em homenagem a Tiago Gonçalves. cidadãos, empresas ou entidades a morosidade na conclusão dos
de perguntar ao presidente da Câmara «onde estava e o
publicas com ligação (residência processos».
Quarta-feira • 29 de julho de 2020 • •5

IPG com o maior Nomeação


Fábio Pinto contratado para a Secretaria
de Estado da Ação Social

aumento de vagas Fábio Pinto, ex-presidente da


Federação da JS da Guarda, diretor
de campanha do partido nas últi-
mas legislativas e número quatro
ex-presidente do Departamento
das Mulheres Socialistas, que
ocupava o quinto lugar na lista às
legislativas e foi contratada para

do país
da lista então liderada por Ana secretária pessoal de Rita Cunha
Mendes Godinho, é a mais recente Mendes, o sexto elemento da lista
contratação para o gabinete da se- que PS apresentou na Guarda
cretária de Estado da Ação Social, nas eleições de 2019. Sediada na
Rita Cunha Mendes. cidade mais alta, a Secretaria de
Natural da Guarda, o dirigente, Estado da Ação Social tem sido um
Politécnico da Guarda tem 805 vagas para o ano letivo 2020/2021, fisioterapeuta de profissão, foi autêntico “porto de abrigo” para
mais 71 que no anterior. UBI mantém as 1.037 vagas apesar da nova recentemente nomeado como téc- militantes e dirigentes do PS dis-
nico especialista, tendo o respetivo trital e concelhio. É o caso de Pedro
licenciatura em Física e Aplicações despacho sido publicado a 14 de Pires, que é, desde 2019, adjunto
AR julho em “Diário da República” da secretária de Estado, enquanto
«com efeitos a 8 de junho de 2020». o medense Claúdio Heitor Rebelo
Junta-se a Marisa Neves de Sousa, é chefe de gabinete.

Vila Nova de Foz Côa


António Guterres homenageado
no Museu do Côa
DR

António Guterres, atual se-


cretário-geral da ONU, vai ser
homenageado esta quinta-feira
no Museu do Côa, que celebra uma
década de funcionamento.
Na ocasião, o grande auditório
do equipamento cultural de Vila
Nova de Foz Côa será batizado
com o nome do antigo primeiro-
ministro, cujo Governo optou por
suspender a construção de uma Manuel Heitor, e a ministra da
barragem hidroelétrica no rio Côa Coesão Territorial, Ana Abrunho-
para salvaguardar as gravuras sa. A jornada inclui, entre outras
rupestres entretanto descobertas. iniciativas, a assinatura do contrato
Para Bruno Navarro, presidente de financiamento do projeto dos
da Fundação Côa Parque, trata-se Passadiços do Côa.
de uma «homenagem simbólica Será também apresentado o
a quem se deve a salvaguarda Colab More – Laboratório Colabo-
das gravuras». Na cerimónia, que rativo Montanhas de Investigação:
começa cerca das 11h40, deverão Pólo do Vale do Côa e Centro Inte-
estar presentes, além de António rior, que ficará instalado na Mêda.
Guterres e do autarca local, Gus- O projeto resulta da colaboração da
Número de vagas no IPG tem vindo aumentar desde 2017
tavo Duarte, a ministra da Cultura, Fundação Côa Parque com o Insti-
O Instituto Politécnico da incerteza», mas considera que a ser Medicina, com um total de Graça Fonseca, o ministro da Ciên- tuto Politécnico de Bragança, entre
Guarda (IPG) tem mais 71 vagas «a abertura de mais vagas abre a 140 vagas. Seguem-se Engenha- cia, Tecnologia e Ensino Superior, outros parceiros empresariais.
para preencher este ano, de porta a mais estudantes». ria Informática e Gestão, ambos
acordo com informação divulga- De acordo com a DGES, um com 70 vagas. Este último viu o
PUB
da pela Direção-Geral do Ensino dos fatores que contribuiu para o número aumentar, comparativa-
Superior (DGES). O número total aumento no Instituto guardense mente aos 65 lugares disponíveis
de lugares disponíveis é de 805 foi o número de vagas «em ciclos no ano passado. Ciências Biomé-
para o ano letivo de 2020/2021, de estudos que visam a formação dicas, Ciências Farmacêuticas e
o que representa um aumento de em competências digitais», que Ciências do Desporto terão as
10 por cento face ao ano letivo passou de 111 para 117 (mais mesmas 60 vagas (cada). A nova
anterior, quando houve 734 va- 5,4 por cento). Estas novas seis licenciatura em Física e Aplica-
gas. Foi a instituição com o maior vagas foram incluídas no curso de ções terá o mesmo número de
aumento a nível nacional. Engenharia Informática, que tem vagas da licenciatura lançada
A evolução deste indicador agora 67 lugares para preencher. em 2019, Matemática e Aplica-
no IPG tem sido positiva, com Esta é a licenciatura com mais ções: 20. De acordo com a UBI
aumentos sucessivos de ano para vagas do Politécnico. Seguem-se haverá no próximo ano letivo
ano: em 2017 abriram 680 vagas, Desporto, com 55 vagas, Comu- 31 formações de 1.º Ciclo e/ou
em 2018 o número aumentou nicação e Relações-Públicas e mestrado integrado em funcio-
para 699 e em 2019 foram 734. Comunicação Multimédia, com namento. «Outra novidade para
O IPG “ganhou” assim 125 vagas 50 vagas cada. 2020/2021 é a reestruturação
desde 2017, um aumento total do mestrado integrado em Enge-
de 18 por cento em três anos, se- UBI mantém o número nharia Civil, que passa a 1.º Ciclo
gundo a nota enviada pela DGES. de vagas desde 2018 com a duração de três anos» lê-se
Joaquim Brigas diz que este ainda na mesma nota.
acréscimo reflete a «estratégia de Na Universidade da Beira De acordo com a informação
crescimento» que tem vindo a ser Interior (UBI) vão abrir 1.307 divulgada pela DGES, no âmbito
desenvolvida, sendo por isso o vagas para licenciaturas e mes- do regime geral de acesso 2020
reconhecimento do «esforço que trados integrados no próximo serão disponibilizadas um núme-
o Politécnico tem vindo a fazer» ano letivo, segundo a DGES. Este ro total de 52.129 vagas no país,
para combater a falta de alunos. O número mantém-se inalterado das quais 51.408 são destinadas
presidente do IPG sublinha tam- desde 2018, embora existam ao concurso nacional e 721 aos
bém o «aumento da oferta for- novas licenciaturas na instituição concursos locais. Estes números
mativa» – que se consolida com (Matemática e Aplicações, lança- representam «um aumento de 1
duas novas licenciaturas em Bio- da em 2019, e Física e Aplicações, por cento face ao ano anterior»,
tecnologia Medicinal e Mecânica que vai abrir este ano). De acordo sendo que as vagas disponibiliza-
e Informática Industrial – após com nota divulgada pela UBI, foi das nas instituições localizadas
«mais de dez anos sem entrada atualizada a «distribuição das no interior cresceram 2 por cen-
em licenciamento de uma nova vagas para incluir o novo cur- to, enquanto nas demais regiões
licenciatura». Questionado sobre so, aumentar cinco em Gestão aumentaram 0,8 por cento. O
as expetativas relativamente ao e igual número em Engenharia prazo de candidatura à primeira
preenchimento destas vagas, o Aeronáutica». fase do concurso nacional de
responsável assume que «es- O curso com o maior número acesso ao ensino superior públi-
tamos num período de enorme de lugares disponíveis continua co decorre entre 7 a 23 de agosto.
6• • Quarta-feira • 29 de julho de 2020

Aumento da atividade
S turística na região «é
Sociedade pura ficção» SC

Fundão
Morreu vereador
Paulo Águas DR

O grupo IMB Hotels, liderado por Luís Veiga, emprega 220 trabalhadores, número que não sofreu alterações com durante o confinamento
O vereador da Câmara do
Fundão, Paulo Pires Águas, O interior não vai sair número que não sofreu alterações durante o administrador refere ainda outra preocupação:
faleceu no passado domingo, naturalmente beneficiado após confinamento. «Cerca de 150 pessoas» estive- «Como é que o Geopark Estrela vai conviver com
aos 56 anos. a pandemia. A concessão da ram em “lay-off”, situação que já não se verifica uma situação – que não é normal na Europa dos
O eleito na lista do PSD Serra da Estrela está a limitar neste momento, de acordo com o responsável, nossos dias – de haver uma concessão com a
encontrava-se de férias nos o desenvolvimento da área que diz estar «praticamente tudo a funcionar» qual não há sequer diálogo?».
Açores e ter-se-á sentido mal montanhosa enquanto destino de forma normal. O hotel Vanguarda, na Guarda,
enquanto fazia mergulho, turístico e os autarcas deviam e o Sport Hotel, na Covilhã, foram as exceções ”Interioridade” só se combate com
acabando por falecer. A autar- «cooperar» para desenvolver a que nunca estiveram em “lay-off” e chegaram «cooperação»
quia declarou luto municipal, região. Estas são algumas das a servir de «retaguarda aos hospitais centrais
com bandeira a meia haste. ideias defendidas por Luís Veiga, respetivos». A questão da Serra da Estrela não é, no
Em comunicado, o município administrador executivo do A unidade onde a recuperação está ser entanto, o único entrave ao desenvolvimento
presidido por Paulo Fernandes grupo IMB Hotels, que diz ser mais rápida é o H2otel, em Unhais da Serra, da região. Segundo Luís Veiga, não há «lobby
realçou a «forma empenhada, necessário resolver a «questão que reabriu a 20 de junho e tem agora uma na região», razão pela qual o poder central
dedicada e extremamente pro- política» da região. taxa de ocupação de cerca de 40 por cento. Nos anuncia medidas para o interior que «não têm
fissional com que o vereador restantes hotéis do grupo a taxa «é de menos resultado absolutamente nenhum», como é o
Paulo Águas desempenhou a de 20 por cento», algo que, em parte, se deve caso da redução das portagens.
sua função na Câmara do Fun- A economia do interior não sairá natural- às medidas de segurança adotadas pelo grupo: O responsável afirma que a visão dos em-
dão. É uma enorme perda para mente beneficiada durante o período pós-Covid, «Após uma saída, temos 48 horas de quarentena presários locais «é que deve ser criada uma
a família, para os amigos, para a não ser que as empresas aqui sediadas sejam em todos os quartos. Isso leva a que a taxa de estrutura, uma agência de desenvolvimento
a autarquia, para o concelho suficientemente competitivas. Esta é uma das ocupação seja claramente limitada de alguma regional para a Beira Interior, que agregue as
do Fundão e para a região». principais conclusões de Luís Veiga, adminis- forma», explica Luís Veiga. duas CIM [Comunidades Intermunicipais]».
Paulo Águas era vereador a trador executivo do grupo IMB Hotels, que se Isto só pode ser feito se for resolvida a «ques-
tempo inteiro desde 2017. Ti- mostra contido ao avaliar o período de retoma Concessão da Serra da tão cultural» e a «questão política» que diz
nha a seu cargo os pelouros da económica na região. Estrela é «o maior entrave ao existir na região. A primeira relaciona-se
Gardunha, Desenvolvimento Em entrevista a O INTERIOR, o empresário desenvolvimento» com a «mentalidade de aceitarmos tudo» e
Rural, Agricultura, Ordena- afirma que a procura por áreas rurais para pe- «não exigirmos do Governo tudo a que te-
mento do Território, Valori- ríodos de lazer não aumentou após a pandemia A retoma da atividade turística na Beira mos direito». A segunda prende-se com os
zação dos Produtos Locais, e que essa crença «é pura ficção». «Quando se Interior inclui, necessariamente, a Serra da autarcas: «Cada um olha para a sua capelinha
Internacionalização, Avaliação diz que o turismo rural está completamente Estrela. Esta é uma área que, para o empresário, e não conseguem – também no âmbito das
e Monitorização. Era docente cheio… não está mais nem menos do que estava tem as suas potencialidades subaproveitadas, Comunidades Intermunicipais – trabalhar em
da Escola Superior Agrária do nos anos anteriores. No Verão sempre houve especialmente devido ao regime concessionário conjunto», critica Luís Veiga. «Esta falta de
Instituto Politécnico de Cas- uma grande apetência do mercado pelo turismo praticado e que diz ser «o maior entrave ao de- rede, de ligação, de cooperação entre todos,
telo Branco desde 1991, nas rural», afirma, razão pela qual o aumento da senvolvimento» da área. Luís Veiga critica que leva a que nos mantenhamos sem voz neste
áreas de Ciências Agrárias e procura não é fruto da preocupação sanitária. exista uma concessionária – a Turistrela – com momento», lamenta. E deixa o apelo: «Isto tem
Tecnologias; Valorização, Uti- «De norte a sul do país há casos de sucesso, de o «exclusivo do desporto e do turismo» e que, de partir de baixo para cima, ou seja, da região
lização e Gestão de Resíduos recuperação rápida. Isto não tem nada a ver segundo o empresário, «não faz absolutamente para o Governo. É necessário fazer a estrutura
Orgânicos; Promoção Am- com o facto de estar no interior ou não estar nada que contribua para o dinamismo» da Serra e chegar lá com um caderno de encargos que
biental; Infraestruturas rurais no interior, mas sim com a competitividade das da Estrela. «Nós estamos a pagar por isso», na diga que temos a estratégia para 2020/2030»,
e ordenamento do território. empresas», considera Luís Veiga. medida em que este destino fica identificado que irá permitir planear e executar os anuncia-
O grupo IMB emprega 220 trabalhadores, «como “low-cost”» e perde competitividade. O dos os fundos europeus atribuídos a Portugal.

Jogos tradicionais
AJTG dinamiza programa “JogAprende”
A Associação de Jogos Tradi- divertidas» para os mais novos e criativo e muito pedagógico». A pessoais das crianças e jovens par-
cionais da Guarda (AJTG) dinamiza começou na segunda-feira. Até 4 ideia é que fazer com que estes ticipantes. ais informações e ins-
pelo terceiro ano consecutivo o de setembro, de segunda a sexta- jogos de antigamente colaborem crições pelo telefone 271221729
programa de voluntariado “Gera- feira, sempre das 14h30 às 17h30, na aprendizagem das diversas dis- ou por email ajtguarda@sapo.pt.
ção Z”, apoiado pelo IPDJ, com o as crianças e jovens do 1º ao 6º ciplinas destes alunos. A inscrição O “JogAprende” segue as medidas
projeto “JogAprende”. ano podem experimentar «jogos custa 5 euros para apoiar os custos recomendadas pela Direção-Geral
A atividade promete «tardes tradicionais num formato original, associados a seguro de acidentes da Saúde.
Quarta-feira • 29 de julho de 2020 • •7

Aluna do IPG vence prémio Sabugal


Município apoia
candidatos ao
em concurso internacional ensino superior
O município do Sabugal vai

de design
DR
disponibilizar apoio aos alunos
que se candidatem ao concurso
nacional de acesso ao ensino
superior.
O serviço funcionará no
Ana Pereira, finalista do o azeite se encontra. O gargalo Centro Dr. José Diamantino
curso Design de Equipamento do é constituído por uma peça de dos Santos, edifício da Biblio-
Instituto Politécnico da Guarda aço que levanta ao abrir a tampa teca Municipal, após marcação
(IPG), recebeu o segundo pré- para servir o azeite», explica Ana prévia através dos telefones
mio do concurso internacional Pereira. 271 752  230 e 271 751 040.
Verallia Design Awards 2020, Os jovens serão ajudados no
arrecadando 1.300 euros com o Projeto de alunas da UBI preenchimento da respetiva
projeto “Nível d’Azeite”, informou escolhido pelo público candidatura, submissão de re-
a instituição através de comuni- querimento de bolsa de estudo,
cado. Também a Universidade da complemento de alojamento,
A aluna, autora da «única Beira Interior (UBI) foi distingui- entre outras informações a
proposta portuguesa no pódio», da com Vera Gomes, Beatriz Va- prestar. A primeira fase de aces-
concebeu «uma garrafa criativa lente e Gabriela Menu, estudantes so ao ensino superior decorre
que representa todo o processo de Design Industrial, a con- de 7 a 23 de agosto, decorrendo
de fabrico do azeite, desde a quistarem o prémio do público a segunda de 28 de setembro a 9
apanha da azeitona até chegar a com o projeto “Gota D’Ouro”. «As de outubro. Haverá uma tercei-
casa dos consumidores», adianta alunas alcançaram 874 votos na ra possibilidade de 22 a 26 de
o IPG. O projeto, coordenado pelo votação que decorreu na página outubro. Segundo a autarquia
professor Rui Carreto e desen- de Facebook da Verallia España», raiana, esta ação acontece no
volvido na unidade curricular de acordo com a UBI. âmbito do Plano Integrado e
Projeto V, partiu do conceito de A sétima edição do concurso Inovador de Combate ao Insu-
uma escala de medições, onde de Vidro e Criação, organizado cesso Escolar (PIICIE).
no lugar da escala se encontra pela Verallia – empresa que fab-
metade de uma gota de azeite rica embalagens de vidro para
e no lugar dos números estão alimentos e bebidas – tinha
pequenas gotas de azeite. «Em como objetivo a criação de um apresentados podem ser pro- vencedor chama-se “Orobroy” e
cada gota está descrito o pro- modelo de garrafa de azeite. «O duzidos e comercializados por garantiu a Alicia López, da Escola
cesso de produção do azeite, principal objetivo foi oferecer clientes da Verallia», adianta de Desenho LCI de Barcelona,
começando da gota de cima para aos alunos uma experiência a organização. Na edição deste um prémio de 2.500 euros e a
baixo. Há medida que o azeite for de trabalho o mais próxima ano participaram 227 alunos de garantia de que a sua proposta
Contacte-nos!
acabando vamos poder notar em possível do ambiente profis- instituições de ensino superior será produzida e comercializada Tel: 271212153
que fase do processo de confeção sional. Alguns dos desenhos de Espanha e Portugal. O projeto pela Verallia.

PUB
8• • Quarta-feira • 29 de julho de 2020

Hotel Vila Galé com «boa


procura» em Manteigas
Nova unidade do grupo hoteleiro português abriu portas há dois meses na Serra da Estrela, um dos destinos
«mais importantes» da região Centro
LM
A Serra da Estrela tem mais da Estrela. A unidade vai dispo-
uma “estrela”. “Encaixado” no nibilizar trilhos de trekking ou
sopé do Vale Glaciar do Zêzere, o hiking, passeios de jipe ou moto 4,
hotel Vila Galé passa quase des- e divulgará também junto dos seus
percebido, mas é o novo atrativo clientes as praias fluviais da região.
de Manteigas e a primeira unidade «É um bom ponto de partida para
de montanha do grupo hoteleiro conhecer o Poço do Inferno, o Co-
português. Dois meses após a vão d’Ametade ou mesmo chegar à
sua abertura, adiada devido à Torre», acrescenta Carlos Alves. E
pandemia, o hotel tem tido «boa para recuperar forças nada melhor
aceitação e procura», registando do que a gastronomia tradicional
uma taxa de ocupação da ordem serrana servida num restaurante
dos 54 por cento em julho. com vista para Manteigas.
Investir cerca de 10 milhões O novo hotel do grupo Vila
de euros na Serra da Estrela não Galé permitiu criar 40 postos de
foi um capricho: «É um dos des- trabalho e os seus responsáveis
tinos mais importantes do Centro também admitem que as porta-
do país, que já vai tendo procura gens nas autoestradas que servem
significativa não só no Inverno, a região, onde há «poucas vias de
mas todo o ano, por parte de por- qualidade», possam ser «um en-
tugueses e estrangeiros», afirma trave» para quem queira vir até à
o diretor operacional do Vila Galé. Serra da Estrela. «Para promover
Carlos Alves acrescenta que o ainda mais o interior e diminuir
grupo andava a estudar a região as assimetrias com o litoral, talvez
«há algum tempo» e Manteigas ter um custo de portagem mais
«pareceu-nos a localização certa acessível pudesse ser um fator de
para abrir o nosso primeiro hotel atratividade. Todavia, teremos de
Unidade de quatro estrelas está “encaixada” no sopé do Vale Glaciar do Zêzere
de montanha e diversificar ainda trabalhar para melhorar a oferta
mais o nosso portefólio». O edifí- pequenas do grupo, mas mesmo rior e salão de eventos são outras um pouco mais sobre a região. no destino, diversificando com
cio tem uma arquitetura discreta, assim tem 91 quartos, nove deles valências. Carlos destaca «a modernidade ofertas de qualidade por forma a
linhas suaves, e está devidamente familiares. A piscina exterior para O tema do hotel é “Mitos, len- da arquitetura, as facilidades – a torná-lo de tal forma notável que
integrado na paisagem natural do adultos e outra para crianças, res- das, costumes e tradições da região banheira de hidromassagem ao as portagens deixem de ser um fa-
Vale Glaciar. Com quatro estrelas, taurante, “lobby bar”, spa Satsanga serrana”, que estão espalhados ar-livre será um ex-líbris – e a tor», defende o diretor operacional
está é uma das unidades mais com piscina interior, jacuzzi exte- pelo hotel e permitem conhecer localização» do Vila Galé Serra do Vila Galé.

PUB

«Manteigas tem mais camas do que algumas


cidades»
O hotel Vila Galé é a maior unidade do pequeno do distrito da Guarda – ir das
concelho de Manteigas e teve um «contri- unidades de 5 estrelas até ao alojamento
buto significativo» para a criação de em- local, o que acredita permitir «abarcar
prego, declara o presidente do município. vários nichos de mercado».
Escusando-se a «relevar uns pro- Esmeraldo Carvalhinho considera
jetos em relação a outros», Esmeraldo que chegou «o momento» do Governo
Carvalhinho prefere sublinhar que rever a concessão da exploração turística
Manteigas tem atualmente «mais camas na Serra da Estrela, pois o monopólio
do que algumas cidades à nossa volta, o da Turistrela «não se justifica, é ilegal,
que é um sinal claro de que, em termos porque é contrário ao nosso regime
de desenvolvimento turístico, estamos democrático e às normas da União
muito bem». O autarca não deixa, no en- Europeia, e deve terminar porque está
tanto, de assinalar a importância do Vila completamente ultrapassado». Segundo
Galé: «Uma empresa que tem um milhão o autarca, a serra «nunca beneficiou nada
de clientes a circular pelos hotéis em desta concessão», que está «a travar mais
Portugal e no Brasil garante-nos um nú- investimentos» na região. Esta opinião
mero significativo de visitantes anuais», já foi transmitida à vice-presidente do
afirma. Com este e outros projetos, já a Turismo de Portugal, numa reunião rea-
funcionar ou em fase de licenciamento, lizada em novembro do ano passado que
o edil socialista destaca também o facto juntou os autarcas serranos a propósito
da oferta existente no concelho que é o da elaboração de um novo caderno de
“coração” da Serra da Estrela – e o mais encargos para a Turistrela.

Covilhã
Misericórdia vai construir unidade
de cuidados continuados
A Santa Casa da Misericórdia da Covilhã e 30 utentes em cuidados de média dura-
pretende construir uma Unidade de Cuida- ção/ reabilitação. Ali trabalhará um corpo
dos Continuados Integrados na cidade. multidisciplinar de profissionais, estando
Trata-se de «um projeto missão que prevista a criação de «mais de 70 novos
deve ser encarado como um todo nacional, postos de trabalho». Os responsáveis da
mobilizador de pessoas e instituições», in- Misericórdia reuniram na passada quarta-
forma a instituição em comunicado enviado feira com a Câmara da Covilhã e o Centro
a O INTERIOR. O projeto contempla a cons- Hospitalar Universitário da Cova da Beira
trução de raiz de um edifício onde serão para articular o «objetivo comum de pres-
prestados cuidados sociais e de saúde a tar um serviço inovador aos residentes na
30 utentes em cuidados de convalescença Covilhã e na região».
243x325_Move_Mujer_Port.pdf 1 13/7/20 15:13

Quarta-feira • 29 de julho de 2020 • •9

PUB

Ganhe Pontos Repsol Move na


compra da sua garrafa de gás
O gás da Repsol é a energia mais eficiente e versátil, que cobre todas as
necessidades da sua casa ou do seu negócio, onde quer que esteja, agora com
nova imagem. Disponível em diferentes capacidades ganhe Pontos Repsol Move
que poderá trocar por uma grande variedade de artigos.

Descubra mais em repsol.pt, ligue para o 800 200 270


ou leia o código QR com o seu Smartphone.

Conheça a
nova imagem
em repsol.pt
10 • • Quarta-feira • 29 de julho de 2020

“Pinhel Cidade Falcão” –


o vinho dos 250 anos da
cidade de Pinhel
É com vinho que se celebram mundos ao vinho de Pinhel e da
DR

os 250 anos de Pinhel como cidade. Beira Interior». Depois de desta-


Não como se previra, que a pande- car a importância económica da
mia não permite, mas com glamour fileira do vinho, o autarca disse
e prova do novo néctar produzido que o enoturismo é o caminho de
pela Adega Cooperativa de Pinhel futuro e revelou que «este fim de
por encomenda do município. semana as casas de alojamento
Apresentado no sábado, no local do concelho estão repletas»,
Jardim 5 de Outubro, no centro sublinhando assim a importância
da cidade, o “Pinhel Cidade Fal- e o crescimento do turismo num
cão 1770-2020” é um vinho de concelho onde «há meia dúzia
2015 (Beira Interior - Tinto DOC), DR
sendo uma “edição especial” para
assinalar os 250 anos de elevação
de Pinhel à categoria de cidade
por vontade do rei D. José I (a 25
de agosto de 1770). O novo vinho
começou esta semana a ser ven-
dido pela autarquia no Posto de
Turismo da “cidade Falcão” em
garrafas de 0,75, 1,5, 3 e 5 litros.
Para Rui Ventura, presidente
do município, este vinho é uma
«homenagem às gentes que traba-
lham a terra» e fazem do vinho o
Rui Ventura e Agostinho Monteiro brindam com o vinho evocativo dos 250 anos da cidade de Pinhel
produto de referência do concelho.
«São 250 anos que Pinhel quis de anos não havia alojamento presente e do futuro e é um vinho chado, presidente do Turismo do
comemorar de forma diferente», turístico». que está na sua plenitude, adulto, Centro; Pedro Ribeiro, presidente
destacou o autarca, acrescentan- Quanto ao vinho “Pinhel Cida- para se beber já». Luís Ribeiro da Associação de Municípios Por-
do que os «1.400 produtores que de Falcão”, é um néctar produzido acrescenta que o “Pinhel Cidade tugueses do Vinho, entre outras
há neste concelho merecem esta em 2015 nas vinhas mais antigas Falcão” «representa muito bem a personalidades ligadas ao setor,
homenagem», apesar «das muitas do concelho, «com agradáveis tradição aromática dos vinhos de como Rodolfo Queirós, presidente
dificuldades» e ainda mais «no mo- notas de frutos vermelhos e re- Pinhel, com entrada de boca muito da Comissão Vitivinícola Regional
mento que vivemos» de pandemia. buçado, distinguindo-se pela sua suave, das castas Rufete e Marufo, da Beira Interior, ou Agostinho
Mas se a Covid-19 não per- elegância e harmonia», adianta com Touriga Franca e Tinta Roriz». Monteiro, presidente da direção da
mite as comemorações previstas, o enólogo Luís Ribeiro. Para o A cerimónia contou ainda com Adega de Pinhel, e muitos pinhe-
Rui Ventura assegurou que «no responsável técnico da Adega de a presença de Fernando Martins, lenses que não quiseram deixar
próximo ano, menos limitados, Pinhel, «este vinho é um marco, diretor regional de Agricultura de participar nesta homenagem à
vamos em conjunto dar mais é uma fotografia do passado, do e Pescas do Centro; Pedro Ma- cidade e ao vinho.

Esplanadas na Praça Velha são «ótima


PUB

iniciativa» que devia manter-se


Leilão Eletrónico Clientes e funcionários dos espaços criados no “coração” da Guarda
elogiam a iniciativa e há quem sugira que se tornem permanentes
SC

Fim: 31/07 «Acho que deviam pensar re-


19h00 almente em dinamizar este espaço,
que é a sala de visitas da nossa
cidade e que está tão mal aprovei-
tado». A opinião é de Cidália Costa,
cliente frequente das recém-criadas
esplanadas na Praça Velha, e ex-
pressa a posição de muitos outros
guardenses.
A iniciativa da Câmara Mu-
nicipal é aplaudida por clientes,
funcionários e proprietários dos
bares noturnos que agora se vêm
impedidos de abrir ao público.
«Todos os bares passaram um mo- Dividido em quatro zonas de quatro metros quadrados, o recinto vai funcionar
em julho e agosto
mento complicado. Acho que isto foi
vai funcionar em julho e agosto e esse, em que pudéssemos estar a
VMV: 55.000€ uma ótima iniciativa para reativar
um bocadinho a economia local, e os concessionários, empresários da conviver com a História», reitera, por
APART. T3+1 + SÓTÃO é uma maneira de aproveitar este
espaço da Praça Velha que estava
restauração e bares, estão isentos
de taxas e usam estruturas cedidas
sua vez, André Silva, covilhanense
«de passagem» pela cidade mais alta
um bocado “abandonado”», consi- pela autarquia. que valoriza o facto de ser um «es-
Excelente investimento para arrendamento dera Pedro Cavaco, funcionário do «Nós viajamos pelas cidades paço aberto» que permite cumprir
Gingibre. Carlos Santos, proprietário europeias e durante todo o Inverno as normas de distanciamento social.
Anúncio, Regulamento e Condições Gerais de Venda do Praxis Bar, admite que o lucro há esplanadas, não sei porque é que As “barraquinhas” da Praça Velha
disponíveis em aqui conseguido «não vai cobrir os aqui não há também», considera Rei- surgiram no âmbito do programa “Isto
naldo Almeida, médico guardense. (Não) é um Festival” e têm como ob-
www.solventium.pt prejuízos» provocados pela parali-
sação da economia, mas «é uma boa
ajuda e mantém-nos com uma casa
«Se compararmos com Salamanca,
aqui tão perto, que tem esplanadas
jetivo ajudar os «pequenos negócios
no pós-pandemia» e «dinamizar a
231 422 006 | 937 478 697 | 939 397 614 aberta». Dividido em quatro espaços o ano inteiro, faz todo o sentido se praça no Verão», refere Carlos Chaves
de 4 metros quadrados, o recinto calhar a Guarda ter um espaço como Monteiro, presidente do município.
Quarta-feira • 29 de julho de 2020 • • 11

Cultura popular da Guarda


inspira artistas plásticos DR
Sete artistas criaram fazia o pão, desde semear o centeio,
obras alusivas aos passando pela ceifa, o crivo, o moer
festivais de cultura da farinha, até à massa e depois à
popular durante a cozedura» junto de «pessoas mais
iniciativa “Terra d’Artes”, antigas que conhecem o processo».
que termina esta quarta- A artista explora texturas atra-
feira no Parque Urbano vés das taças que remetem para a
do Rio Diz. ideia de armazenamento, «como a
do centeio, que se fazia nas arcas de
madeira para durar o ano inteiro». A
Em residência artística desde investigação que fez foi importante:
a passada quarta-feira estão Pedro «Apenas conhecendo o pão como
Figueiredo, Rui Miragaia, Pedro conhecemos agora não é possível
Amaral, Sofia Gralha, Sara Teixeira, perceber toda a dinâmica que havia
Sidney Cerqueira e Sérgio Lemos. antes, e o esforço que era colocado
Os artistas plásticos têm como neste processo. O tempo que levava
inspiração o ciclo de festivais de cul- para fazer a ceifa e a malha, que era
tura popular que a autarquia realiza manual, eram muitos dias, como se
anualmente. fosse um festival das ceifas», subli-
A cada um cabe criar uma nha a ceramista.
peça alusiva a um desses eventos,
refere Pedro Figueiredo, que está a Tesoura de tosquia
construir uma peça em gesso inspi- de 3 metros
rada na Feira Concurso do Jarmelo.
Trata-se de uma vaca com elementos O escultor Rui Miragaia, que
caraterísticos, como a coleira tradi- trabalha maioritariamente em ferro,
cional do Jarmelo, mas o escultor aceitou este desafio por achar «mui-
quis «fugir ao conceito da vaca tradi- to bom do ponto de vista das raízes
cional», acrescenta. A ideia principal da cultura da região e também como
sendo uma maneira de motivar e Sofia Gralha explora o «clico do pão de antigamente» através de texturas nas taças de barro
da obra é a de «uma rainha sentada
no trono», com o artista a chamar a ajudar os artistas da região». O seu de terminar antecipadamente. A A iniciativa integrada no even- As obras produzidas nesta
atenção para a particularidade de tema é a lã e está relacionado com as Festa da Castanha e da Jeropiga, de to de animação de Verão “Isto semana vão ser expostas no Museu
ser uma «figura desmontável» e de “Jornadas da Lã”, de Corujeira e Trin- Famalicão da Serra, coube a Sidney (não) é um festival’, promovido da Guarda a partir desta quinta-feira.
usar madeira de pinho, que «torna a ta. «Foi tão fácil de perceber que vou Cerqueira, para quem esta “Terra pela Câmara da Guarda, conta Ainda no âmbito da “Terra d’Artes”,
peça mais contemporânea». «A ideia fazer uma homenagem ao meu pai d’Artes” «assentou que nem uma ainda com Sara Teixeira, que vai o Parque Urbano do Rio Diz recebeu
é ser a vaca do Jarmelo dos dias de [Mateus Miragaia] de alguma manei- luva, tendo em conta a pandemia». O ilustrar o tema “Viagem às Raízes”, workshops, música, teatro e sessões
hoje», justifica Pedro Figueiredo. Já ra», desvenda. A obra vai ter cerca pintor admite que está «a ser muito da Arrifana; Sérgio Lemos, cujo de contos.
Sofia Gralha vai criar várias peças a de três metros de altura e é feita em difícil, mas vir para aqui está a ser trabalho de escultura e ilustração O Museu da Guarda comemo-
propósito do festival “Pão Nosso”, chapa de corten (aço). Rui Miragaia maravilhoso». O artista não conhecia inspira-se na Festa da Transumân- ra esta quinta-feira os 80 anos de
de Videmonte. São trabalhos em afirma ainda estar a «tentar chegar o tema, contudo investigou através cia, de Fernão Joanes. Por último, atividade com um programa que
barro artesanal sobre «o ciclo do a um ponto de perfeição» em rela- de fotografias e vídeos e foi buscar Pedro Amaral está a trabalhar inclui a inauguração de duas expo-
pão de antigamente», afirma a ce- ção ao tempo de que dispõe para a inspiração para a pintura que está a sobre o Festival da Cestaria, de sições e uma palestra sobre o poeta
ramista, que foi perceber «como se execução da peça, que gostava muito realizar em acrílico sobre tela. Gonçalo. Augusto Gil.

Ler Jornais é saber Mais


PUB

Assine O INTERIOR
Renove a sua Assinatura
Identificação: Nacional_ ____ Semestral.....(16€) Anual.. (30e)
Nome: _________________________________________________________________________________________________________
Estrangeiro_ Semestral.....(18€) Anual.. (35e)

Morada: ________________________________________________________________________________ Código Postal: _________ - ______ Localidade: _____________________________________________

NIF: ________________________ Telefone/Telemóvel: __________________________________________________ Email: ________________________________________________________________

Modo de Pagamento:
Enviar para: Rua da Corredoura 80, R/C Dto C • 6300-825 Guarda
Transferência Avulsa
IBAN: PT50 001000002256785000177
Data ___/___/______ Assinatura ________________________________________ Assinatura __________________________________________________ Data _____/_____/________
Transfira o valor da Assinatura para o NIB indicado e junte a este cupão o talão comprovativo da transferência.
O Jornal O Interior compromete-se a adoptar as medidas de segurança necessárias para garantir a salvaguarda dos dados
Cheque / Vale Postal nº _____________________ Banco _________________ pessoais / empresas dos assinantes contra a sua eventual utilização abusiva ou contra o acesso não autorizado.
O contrato de assinatura renovar-se-á por iguais e sucessivos períodos de tempo (seis/12 meses), até que qualquer das partes
Numerário denuncie a desistência por meio de comunicação escrita com antecedência mínima de 30 (trinta) dias.
12 • • Quarta-feira • 29 de julho de 2020 Publicidade

Prof. Doutor Dra Assunção Vaz Patto


L. Taborda Barata
Neurologista
Imunoalergologista Consultas de Neurologia
Asma e Doenças Alérgicas Exames: Electromiografia
e Potenciais Evocados
Rua Comendador Campos Melo, nº 29 – 1º Esq, Covilhã;
Tel: 275334876 CLIFIG - Rua Pedro Álvares Cabral -
Cliniform, Rua Mouzinho da Silveira nº 15 R/C, Guarda; Edifício Gulbenkian, s/n
Tel: 271211905 6300-745 Guarda

Prof. Celso Pereira


Imuno-Alergologia
VIDENTE
Com longos anos de experiência
(Doenças Alérgicas)
Ass Graduado HU Coimbra / Trata inveja, mau olhado, espiritual, estudos, negócios,
Fac Medicina UC empresas, amor, problemas familiares, saúde, etc.
Sempre pronto a dar resposta aos seus problemas.
Covilhã: Clínica Médica Serra da Estrela Saiba tudo sobre o seu futuro e o porquê que tudo
Galerias de S. Silvestre - Piso 3 Telf: 960023455
Guarda: Clínica de Fisioterapia da Guarda
corre mal em sua vida?
Av. Rainha D. Amélia, nº 6 - 271238581/96 Não hesite, fale com quem sabe. Tenha FÉ:
Coimbra: 239802700; 968574777 e 918731560 271238451 ou 969012923

Médico ADVOGADOS
Diogo Cabrita Vitor Nascimento
Cirurgião geral Bárbara Brigas
tratamento de varizes e suas
complicações, pequenas cirurgias, Telefone: 271 086 518
hérnias, hidrocelos, vesícula Litiásica. e_mails:
Marcações : (Clínica Cembi) vitor.nascimento-5874c@adv.oa.pt
Telef.: 271213445 barbarabrigas-4041c@adv.oa.pt
Protocolo com a Médis Rua do Encontro, nº 9 - 3º • 6300-704 Guarda

ADVOGADOS
PUB

António Ferreira, Paula Camilo


& Associados
Sociedade de Advogados, RL
AVISO
Telefone: 271 213 346 • Fax: 271 082 765
e_mails: Amílcar José Nunes Salvador, Presidente da Câmara Municipal de Trancoso, torna público, no
cumprimento do disposto previsto no n.º1 do artigo 89.º do Regime Jurídico dos Instrumentos
antonio.ferreira.adv@gmail.com • paula.m.camilo@gmail.com de Gestão do Território, na redação do Decreto-Lei n.º 80/2015 de 14 de maio, a Câmara
Municipal de Trancoso deliberou, na sua reunião ordinária (pública) realizada a 22 de julho
Rua Alves Roçadas, nº 27 A, 1º CM2 de 2020, proceder à abertura do período de discussão pública, pelo período de 30 dias
(ao lado da loja MANGO) sequenciais com início 5 dias após a publicação do presente aviso no Diário da República,
da proposta de revisão do Plano Diretor Municipal (PDM de Trancoso).
6300-663 Guarda No decurso do período de discussão pública, os interessados poderão consultar a proposta
de revisão, bem como os demais elementos que a acompanham, na Divisão de Obras,
Ambiente, Estruturas e Equipamento Urbano, no edifício sede do Município de Trancoso, nos

António Gil
dias úteis, e sábados e domingos no Posto de Turismo de Trancoso, durante as horas normais
Advogado de expediente (9 :00h /17:30h) e no sítio da internet WWW.cm-trancoso.pt.
Mais se informa que os interessados podem, naquele prazo de discussão pública,
Tel. / Fax 271 238 344 apresentar reclamações, observações ou sugestões, apresentadas por escrito, em
documento devidamente identificado, dirigido ao Presidente da Câmara Municipal, entregue
R. Dr. Lopo de Carvalho, 30-2º • 6300-700 Guarda presencialmente, por correio ou por via eletrónica, através do sítio da Internet indicado.

antonio.gil-5388C@adv.oa.pt 24 de julho de2020


Filipe Pinto O Presidente da Câmara Municipal
Fotojornalista
Vende-se
Quinta com Casa, cerca de 12 ha (Amílcar José Nunes Salvador)
à beira do rio Mondego, perto das rotundas
Escadas do Quebra Costas, Nº 2 • 6200-170 COVILHÃ da A25 e IP2 • Lageosa do Mondego
Telef. 275 336 805 • Telem. 919 487 978 • Telem. 964 196 950
E-mail: filipepintofoto@sapo.pt • fotoacademica@hotmail.com Contactos: 966473371 • 271926638 O Interior, nº 1073 de 29/07/2020
Quarta-feira • 29 de julho de 2020 • • 13

Ultramaratona Arbitragem

Equipa do
Colmeal da
Xistra despediu-se dos relvados DR
Carlos Xistra despediu-se dos as pessoas percebam que as equi-
Torre vence relvados na penúltima jornada
da Iª Liga, disputada no passado
pas de arbitragem tentam sempre
dar o melhor».
PT281 DR
dia 20, no jogo entre o FC Porto e
Moreirense.
«Nenhum árbitro é maso-
quista e maquiavélico ao ponto
O árbitro, de 46 anos, acabou de querer ser notícia, porque isso
o encontro e tirou a camisola, só acontece quando corre mal.
trazendo por baixo outra com a Queremos ser ainda melhores,
mensagem “Obrigado família e mais competentes, ajudar o futebol
amigos”. Visivelmente emocio- português a evoluir, mas erramos
nado, o covilhanense foi cumpri- como os jogadores erram», subli-
mentado e abraçado por vários nhou, desafiando os jovens a seguir
elementos das duas equipas. «É um a carreira da arbitragem. Carlos
misto de sensações, muita nostal- Xistra deixou ainda subentendido
gia de 28 anos de carreira, mas ao que irá provavelmente abraçar um
mesmo tempo uma sensação de novo desafio a nível institucional,
A equipa do CCDR Colmeal
dever cumprido. Dei sempre o meu mas não adiantou mais porme-
da Torre (Belmonte) venceu,
melhor e tentei acertar todas as nores. O ex-árbitro internacional
em termos coletivos, a Ultra-
decisões. Evidentemente que nem sempre pertenceu aos quadros da
maratona PT281, que decor-
sempre foi assim, queria acertar Associação de Futebol de Castelo
reu de quinta-feira a domingo
muitas mais. O problema é que Branco e atingiu o limite de idade.
de semana entre Belmonte e
nós, quando erramos, é sempre Carlos Xistra iniciou a carreira na
Proença-a-Nova, num total de
em benefício de uns, enquanto época 1992/93 e esteve sempre
281 quilómetros.
os jogadores só erram contra si», nas competições profissionais nas
O quarteto formado por
afirmou Carlos Xistra no final da últimas vinte temporadas, tendo
Filipe Guerra, Hugo Antunes,
partida em declarações à Sport TV. apitado 953 jogos, dos quais 276
Pedro Amaro e Bruno Silva
Na sua opinião, «é importante que na I Liga.
terminou em 33h14m e es-
tabeleceu um novo recorde
da prova. Individualmente,
o grande vencedor foi Vítor
Sp. Covilhã
Rodrigues, seguido de Rui
Luz e Patrycja Berexnowska,
Parte Kukula, chegam Tiago Morgado e André Almeida
que venceu entre as senho- Na semana em que o avan- onato de Portugal, e integraram Kukula. A possibilidade já tinha Verde) e o Marítimo, Kukula fez
ras. Entre os 72 atletas que çado Kukula deixou o Sp. Co- o plantel que continua a realizar sido adiantada pelo presidente do grande parte da carreira no fu-
partiram de Belmonte realce vilhã, os serranos anunciaram treinos individuais nas Penhas da emblema serrano e confirmou-se tebol português, contando com
para Amaro Teixeira (Penta mais dois reforços, o médio Saúde até ao final do mês. O clube na semana passado, quando ao passagens por Feirense, Vizela,
Clube da Covilhã), que con- Tiago Morgado e o defesa cen- aguarda por novas orientações avançado cabo-verdiano assinou Leixões e Sp. Covilhã. Na época
cluiu a distância no top 20 tral André Almeida. da Direção-Geral da Saúde para por duas épocas pelos búlgaros transata marcou sete golos em
com o tempo de 59h58m. Em Os dois atletas, de 26 e 25 iniciar os treinos coletivos, uma do Beroe, quarto classificado do 28 partidas pelos serranos. Atu-
destaque estiveram também anos, respetivamente, são oriun- vez que a IIª Liga arranca a 22 de campeonato. Com a formação almente, o técnico Daúto Faquirá
os estreantes Pedro Santos e dos do Real Massamá, do Campe- agosto. Quem deixou a Covilhã foi dividida entre o Batuque (Cabo tem 18 jogadores à disposição.
Hélio Correia, ambos do Col-
meal da Torre, que foram 21º PUB
e 22º, respetivamente, com o
tempo de 61h58m. Marcada
pelo calor intenso, a Ultrama-
ratona PT281 foi a primeira
prova oficial após a pandemia
e levou os atletas a percorrer
estradões e asfalto pelos con-
celhos de Penamacor, Mon-
santo, Idanha-a-Nova, Castelo
Branco e Vila Velha de Ródão.
A competição é considerada
uma das mais longas e difíceis
da Europa e do mundo, sendo
comparada à mítica Badwater
– corrida na zona do Vale da
Morte, na Califórnia.

Contacte-nos!
Tel: 271212153

Cupão de Anúncios Classificados


Envie o seu anúncio classificado para Jornal O Interior, Rua da Corredoura, 80 R/C Dto C • 6300-825 Guarda
Condições gerais dos classificados
Localização Identificação
do anúncio
1. Preencha o cupão com texto em maiúsculas,
deixando um espaço entre cada palavra. Nome: __________________________________________________________________
Grátis

2. O preço é acrescido de IVA à taxa legal em vigor. Imobiliário


*

3. É obrigatório o envio do número de contribuinte (NIF).


4. A identificação é um campo de preenchimento
Vende-se Aluga-se Morada: ________________________________________________________________
obrigatório. A falta de elementos pode implicar a não Trespassa-se Diversos
publicação do anúncio.
5. A “O Interior” reserva-se o direito de rejeitar a
Emprego Código Postal: ________ - _____ Localidade: ___________________________
Euros
2,50

publicidade que não esteja de acordo com a sua Oferece-se Precisa-se


orientação editorial.
6. A recepção de anúncios para cada edição Veículos Contribuinte nº: _________________ Contacto: ______________________
termina 72 horas antes da data da publicação. Vende-se Procura-se
7. Não se aceitam cópias, faxes ou emails deste cupão. Assinatura ________________________________ Data ___/___/______
Euros
4,00

Diversos
* Grátis até à 2ª publicação, a partir
da qual acresce um custo de 2 euros. Para esclarecimentos pode contactar-nos através do telefone 271212153 ou para ointerior@ointerior.pt

Modo de Pagamento: O recibo ser-lhe-á enviado posteriormente


Transferência Bancária (forma mais rápida e vantajosa) Transferência Avulsa Transfira o valor em questão para o NIB indicado e junte
Autorização de pagamento: Exmos Senhores, por crédito na conta abaixo indicada, queiram proceder,
até nova comunicação aos pagamentos das subscrições que vos forem apresentadas pelo Jornal O Interior. IBAN: PT50 001000002256785000177 a este cupão o talão comprovativo da transferência.

Banco _____________ Balcão _____________ NIB _________________________ Data ___/___/______ Assinatura ________________________________________
Nome do Titular _______________________________________________________ Cheque / Vale Postal nº _____________________ Banco _________________
Data ___/___/______ Assinatura ________________________________________ Numerário
14 • • Quarta-feira • 29 de julho de 2020

FIO
opinião de
PRUMO
opinião
Maria Afonso Acácio Pereira

A inutilidade A falta de peso político da Guarda


das coisas A falta de influência e de peso nacional dos políticos da Guarda
– sejam eleitos locais, membros do Governo ou deputados – ficou,
Monteiro, «a ministra da Justiça nem respondeu».
E assim ficámos.
Há sempre uma porta que fecha o mundo lá uma vez mais, visível na transferência da jurisdição administrativa Por um lado, a região da Guarda ficou com um mapa judiciário
fora. Podemos regressar de lugares longínquos e fiscal dos municípios do distrito da Guarda do Tribunal de Castelo desconchavado: para efeitos de justiça penal e cível, a Guarda é
onde a terra tem outra cor e o ar se respira a dife- Branco para o Tribunal de Viseu. uma comarca que abrange todos os municípios do distrito; já em
rentes altitudes. Podemos estar a chegar do quintal Os municípios de Aguiar da Beira, Almeida, Celorico da Beira, termos administrativos e fiscais, o distrito fica retalhado entre Viseu
mais recolhido onde as flores nos conhecem pelos Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Gouveia, Guarda, e Castelo Branco.
passos. Assim que entramos em casa o gesto de Meda, Pinhel, Seia, Trancoso e Vila Nova de Foz Côa foram subtraídos Por outro lado, a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem,
fechar a porta repete-se. E volta a repetir-se no dia à área de jurisdição do Tribunal Administrativo e Fiscal de Castelo não se digna a ouvir, e muito menos a responder, a representantes
seguinte e no outro. Aqui. Em todo o mundo onde Branco. A partir de agora, o acesso à justiça administrativa e fiscal dos da região.
haja casas. cidadãos, das empresas e das instituições de 12 dos 14 concelhos E esses representantes, a começar pelo próprio presidente da
Gosto de casas. Daquelas onde nunca entrei. do distrito da Guarda tem de passar por Viseu – os concelhos de Câmara da Guarda, metem a viola no saco. Nem se manifestam, nem
Conheço-as por fora. Sei das pedras e da cal. Das Manteigas e do Sabugal permanecem sob a jurisdição do Tribunal reúnem vontades, nem têm uma posição política que transforme
tintas. Das madeiras. Das janelas fechadas. Das de Castelo Branco. esta desconsideração dos interesses da região num caso mediático
janelas abertas. Das escadas até à porta. Dos te- Dos municípios afetados, só Carlos Chaves Monteiro, pre- nacional. Nada!
lhados de duas águas. Às vezes são casas gémeas sidente da Câmara da Guarda, reagiu de forma audível. Segundo Ou se calam, ou confessam a sua impotência aos órgãos de co-
que se prolongam em banda, como se tivessem ele, «o Governo tomou uma péssima decisão, porque são neces- municação locais. A sua capacidade de se afirmarem a nível regional
herdado a mesma genética. Um fole aberto, sopro sários na região novos juízos para dar uma resposta mais rápida e, sobretudo, nacional, é zero.
cansado de um acordeão. Outras egocêntricas, a períodos longos de decisão que não são compatíveis com as Se nem mesmo numa causa tão justa, e tão do interesse dos
ermas, a imperar num campo aberto ou no topo necessidades do próprio Estado e dos particulares». A seguir cidadãos, conseguem entrar na agenda político-mediática nacional,
de um monte. Solitárias. confessou que a sua Câmara colocou à disposição do Governo está tudo dito.
Invento-lhes ocupantes e atribuo-lhes risos um edifício para instalação de um Tribunal Administrativo e Fiscal Assim não vamos lá...
ou silêncios. Crio-lhes conexões. Momentos de na Guarda – o qual concentraria a respetiva jurisdição de todos os
ternura. Algum tempo para a dor. Tento perceber municípios do distrito – mas, segundo o próprio Carlos Chaves * Dirigente sindical
o grito da luz a ferir o soalho. O refúgio nas per-
sianas - pálpebras descaídas. O veludo gasto dos
cadeirões sob a poalha da sala. A canção desafinada
no banho. A cama onde descansar as fadigas. A
cama onde inventar o amor. Às vezes adivinho
divisões de paredes nuas e amarelecidas por uma
persistente falta de claridade. Noutras vive-lhes um
fogo quente impresso num papel de parede que
fortalece e faz sorrir.
Mas é nas casas abandonadas pelo tempo –
flecha que lhes trespassou a coluna vertebral – que
me demoro. Com uma visão monocromática entro-
lhes nas veias. Percorro toda a corrente sanguínea
até à jugular que alguém lhes laminou. Sustenho-

#VaiFicarTudoBem
me no coração. Inspiro para ganhar forças. O cheiro
de fotografias envelhecidas mistura-se com o couro
de sapatos velhos. Teias de aranha tomaram conta
das vozes. Não escuto os sons, mas sei dos seus
segredos. Abotoam-me a pele que sempre se
quer soltar do meu corpo. Trazer de volta a vida
às cinzas da casa. Mas acabo por me afastar para
a deixar morrer. Entre a taipa e a pedra encontrará
o seu túmulo.
Há quem desconheça o que é uma porta de
uma casa e leve o mundo inteiro com os seus
pesares para o interior. Ou quem nunca tenha expe-
rimentado descansar os olhos debaixo de um tecto
e suporte as estrelas nos seus ombros. Há quem www.ointerior.pt
não queira uma casa. Há quem tenha perdido a sua
casa. Há quem não precise de casa e se eternize
na floresta. Ou nos montes. E caminhe descalço a
vida inteira para saber das vibrações da terra. Para
descortinar o oculto dos astros. E há quem percorra
as margens dos rios para não se perder quando
sentir ser o momento de desaguar.
opinião
Há dias, numa das minhas caminhadas, passei
em frente de uma das casas que imagino por den- Nuno Amaral Jerónimo
extremo.acidental@gmail.com
Observatório de Ornitorrincos
tro. Sempre a adivinhei vazia. A pedra que reveste

O Costa no castelo
quase todo o jardim é de uma aridez asfixiante. Só
um estreito rectângulo verde ladeado de parcas
roseiras lhe insuflam alguma vida. Nesse dia o calor
afogueava e na casa a maioria das janelas estavam A comunicação social portuguesa tem sido muito dura nas O anterior governante socialista era conhecido como animal
entreabertas. À medida que me aproximava, o som críticas ao actual Governo da República, e em particular com o feroz. O actual é um político que parece mais Maduro.
vindo do interior tornava-se mais claro. Uma voz de seu líder, o primeiro-ministro português. É uma intensa inda- Francisco Sá Carneiro sonhava com um governo, uma maioria
mulher expelia o fel em cada sílaba. Unicamente a gação, sob a qual todas as afirmações e intenções do Governo e um presidente. António Costa sonha com um governo, uma
raiva que cuspia e o ódio que a envolvia se faziam são escalpelizadas ao pormenor, as políticas apresentadas são maioria, um presidente, um governador do Banco de Portugal,
ouvir. Acelerei o passo tentando não perceber a discutidas profusamente pela sociedade civil, nunca os jornalistas um planificador estratégico, uma companhia de aviação, um
formulação das palavras. No meu peito um nó foi assumindo sem questionar que afirmações feitas por socialistas canal de televisão, um sindicato de jornalistas, uma ordem dos
tomando a repentina forma de soluços compulsi- sejam absolutamente verdadeiras ou maravilhosamente boas. médicos, um social-populista em Madrid, um amigo em Buda-
vos. Como se me tivessem retalhado a carne ou a Esta actuação segue, aliás, o rigoroso e permanente escrutínio peste, e milhões de Bruxelas. O homem sonha, o povo quer, a
alma. A porta daquela casa não se fechara para o da governação feita em sede da Assembleia da República. obra nasce. (Se depois cresce, logo se verá. Mas que nasce com
mundo. E eu não sabia que poderiam existir interio- Quero, por isso, contribuir para um clima mais harmonioso pompa, lá isso nasce).
res assim. Quando essa casa envelhecer e ninguém e pacato do panorama mediático português, deixando alguns S. António, santificado padroeiro de Portugal, era popular e
a habitar não entrarei dentro dela. Passarei apenas elogios à forma de actuação do governante-mor da Nação, e que casto. D. António, aclamado rei de Portugal, foi prior do Crato.
para saber se corre água no pequeno riacho que lhe autorizo desde já que sejam plagiados e glosados em qualquer PM António, incensado caudilho de Portugal, é populista e Castro.
passa ao lado. Talvez nessa altura tenha chegado o meio de comunicação. O Governo liderado por Passos Coelho actuava muitas vezes
tempo de procurar o leito que leva ao mar. O antigo primeiro-ministro Cavaco Silva proferiu a famosa como se estivesse aditivado por “Red Bull”. O Governo do Cama-
frase “Deixem-nos trabalhar”. O actual Grande Irmão gosta rada Costaline age habitualmente como um “Red Bully”.
* A autora escreve de acordo com a antiga de mostrar que está sempre em modo “Deixem-me trabalhar,
ortografia porra”. * O autor escreve de acordo com a antiga ortografia
Quarta-feira • 29 de julho de 2020 • • 15

opinião Economia
Máscaras de proteção: um novo acessório Guarda
Beatriz Cardoso vence concurso
fashion e solidário “Mostra o que Vales”
Joana Dente* por segundo (!) e o número de vendedores de másca- DR

ras, no mesmo período, aumentou cinco vezes (para


Embora as máscaras de quase 20 mil).
proteção sejam indispensáveis O que se pode concluir destas pesquisas?! Que há
no controlo da propagação máscaras para todos os gostos e para todos os bolsos!
do novo Coronavírus, e vistas O algodão e a seda são os materiais mais comuns,
por muitos como símbolo de mas também se encontram máscaras de denim e de
alinhamento político, nada cortiça ou mesmo decoradas com lantejoulas e até
impede que possam também pedras preciosas. Há modelos super originais, como as
revelar um pouco da nossa identidade e até mesmo máscaras com acabamento de laço, feita pela estilista
trazer algum ânimo neste novo e estranho contexto em Collina Strada.
que vivemos atualmente. DR Mas não é necessário ir
Eu diria mesmo que pre- além-fronteiras para comprar
cisamos de evitar julgamentos máscaras de proteção, já que
precipitados e olhar mais Portugal registou um boom
a fundo este tema. Muito de pequenas empresas que
provavelmente, até que uma fabricam máscaras a preços
vacina seja desenvolvida, te- bastante acessíveis e, muitas Beatriz Cardoso venceu o o Prémio Júnior, reservado a
remos que usar máscaras… delas, cheias de singularidade. concurso de caça talentos “Mos- cantores com idades até aos 13
Portanto, parece que colocar Além disso, a confeção e tra o que Vales”, organizado pelo anos e que foi conquistado por
a máscara terá o mesmo tom subsequente venda de más- centro comercial La Vie Guarda. Inês Borrego. O júri foi com-
de normalidade e praticidade caras virou também objeto de A jovem cantora ganhou posto por Dina Monteiro, Pedro
que colocar os óculos ou me- solidariedade a nível mundial e um prémio monetário de 700 Monteiro, António Pacheco e
ter a carteira no bolso. Diria são de facto inúmeros os fabri- euros, enquanto Liliana Olivei- Igor Cardoso, pessoas ligadas à
mesmo que vamos chegar a cantes deste acessório obriga- ra, segunda classificada, levou área musical. A edição 2020 do
um momento, se é que já não tório que criaram campanhas para casa 500 euros. Ana Lima “Mostra o que Vales” teve início
chegámos, em que vamos ter solidárias em torno dele. Há fechou o pódio e levou para casa em junho e cumpriu as regras
opções para combinar com as empresas cujos lucros refe- 250 euros. Este ano, a organiza- da DGS, tendo as eliminatórias
nossas roupas ou até mesmo rentes à venda de máscaras de ção atribuiu pela primeira vez e final sido transmitidas online.
com a ocasião em causa. pano revertem na totalidade a
O que também não cons- favor de sistemas hospitalares
titui novidade para ninguém é e profissionais de saúde.
que as máscaras de proteção, mais concretamente as Quanto a si, lembre-se que sinalizar aos outros
máscaras de pano, se tornaram num autêntico acessório que leva isto a sério, tentando respeitar a segurança
de moda. Muito recentemente, a revista “Vogue” pu- deles e a sua, é também uma incrível oportunidade de
blicou um artigo extenso com a designação “Máscaras se declarar solidário!
para comprar agora” e, no marketplace Etsy consta que Visite-nos no Facebook
num só fim de semana as pesquisas de máscaras de * @joanadente www.facebook.com/ointerior
proteção no site atingiram uma média de nove vezes Jurista / Makeup Artist / Fashion Stylist

PUB
16 • • Quarta-feira • 29 de julho de 2020

opinião
rua da corredoura, 80 - R/C Dto - C 6300-825 Guarda
Redacção/Publicidade: 271212153 • www.ointerior.pt • publicidade@ointerior.pt • ointerior@ointerior.pt
bilhete postal
Belmonte
Sinsígente dcabrita@iol.pt

Homenagem a Zeca Afonso acontece este fim de semana Diogo Cabrita

A morte, por vezes, ofende, outras liberta, outras é desfecho expectável


A Câmara de Belmonte vai rea- DR e o sobrinho do autor de “Grândola, ou desejado! A morte por ninharias indigna mais. A violência desnecessária
lizar diversas ações de homenagem Vila Morena”, João Afonso. Há apenas corrói a relação entre todos os animais. Até os búfalos combatem os leões. Até
a Zeca Afonso este fim de semana. 50 lugares para cada espetáculo as andorinhas rasam junto a nós se chegamos aos ninhos. A violência do dedo
No sábado, às 16h30, haverá devido à pandemia, pelo que é ne- apontado, da questiúncula ruidosa, do mini ditador, do acusador agressivo, da
uma visita encenada, no largo que cessário reservar previamente no intolerância, é a face contrária do provocador. Há tipos que invadem o espaço
tem o nome do cantautor que residiu site do município. Os concertos de alheio sem problemas, os que colocam altifalantes no silêncio da praia, os que
em Belmonte numa fase da sua vida. sábado já estão esgotados. libertam um cão que me morde a perna no areal, os condóminos que impedem
À noite (21 horas), no castelo, está Esta homenagem a Zeca Afonso o idoso de ter elevador no seu piso, os senhorios que deixam degradar tudo, os
marcado um concerto tributo com esteve inicialmente programada inquilinos que se esforçam por destruir.
Joana Carvalho, o grupo TriVenção, para abril, integrada no programa A interface entre pessoas devia ter um nome que especificasse essa fronteira.
Zeca e Outros Amigos. Já no domin- das Festas do Concelho. A pandemia Era o “sinsício da gente” o “sinsígente”. Tudo o que se refere a contundência de
go, pelas 18 horas, será inaugurada obrigou a alterar a data para agosto trânsito, a discussões de vizinhança, a violência de género, esse racismo, essa
uma estátua em homenagem a Zeca «uma data também significativa rela- raiva dos estrangeiros, devia estar nesta linha que se tratava com um comprimido.
Afonso, no largo homónimo. A escul- tivamente ao Zeca Afonso», segundo No fundo, há ali uma invasão do espaço alheio que projeta o pior dos outros. Mas
tura, da autoria do artista guardense existia. A ministra da Cultura, Graça António Dias Rocha. A iniciativa da tudo isso é doença. Há uma maleita quando células trepam sobre suas congé-
Pedro Figueiredo, será colocada em Fonseca, vai estar presente. Estão autarquia é realizada em colaboração neres. Os canais de interligação são mais elevados no Japão que na Reboleira,
substituição de uma placa evocativa ainda previstas atuações musicais com a Empresa Municipal e Associa- ou que em Chelas, ou em Massamá. Um estúpido detesta um vizinho que até
do cantor e compositor que já ali de Carlos Vasconcelos, Rúben Matos ção Desportiva de Belmonte. pode ser, ou não, tão estúpido como o primeiro. Um pega numa arma e desfere
disparos. Acaba uma vida, destrói-se outra e reescrevem-se muitas mais. Surgem
viúvas e órfãos. O suicídio de Pedro Lima vai reescrever pelos menos seis vidas.
Manteigas A morte de um jovem ator em Lisboa constrói mais quatro novas narrativas. A

Assembleia Municipal discute concessão da água morte é como uma tela em branco para os que ficam e é uma dramática ofensa
para todos nós, se evitável. Bruno Candé Marques morreu como no cinema: com

da Fonte Paulo Luís Martins tiros na via pública. Quem o matou queria ajustar contas com ele. Não sei se era
racista. Não sei se era estúpido. Não sei se foi uma altercação ou uma gritaria.
A Assembleia Municipal (AM) espera que a AM seja «responsá- demagógica, tentar impedir que Sei que não houve roubos, nem provocações naquela hora. Deixo a justiça es-
de Manteigas decide na sexta-feira vel» na discussão deste assunto, se avance com esta concessão», clarecer. Deixo tempo para refletir nas verdades que vão contar a realidade. É o
se viabiliza, ou não, o caderno de aprovado por maioria pelo execu- acusa. direito do contraditório. Para mim não há heróis e não há pessoas sempre boas,
encargos e o programa do concur- tivo com os votos contra dos dois O presidente do município nem sempre más. Recuso-me a fazer ideologia da morte. Recuso apoiar esses
so da concessão da exploração da vereadores do PSD. «Estou em crer recorda que foi no início deste narradores de racismo sempre e só num sentido. Decapitaram uma tailandesa
água da Fonte Paulo Luís Martins. que também na AM se constituirá mandato que a autarquia ganhou por dinheiro. Mataram um jovem branco no Campo Grande por um telemóvel.
«É um projeto determinante uma maioria responsável para que em tribunal o regresso da posse da Mataram um miúdo lindo, de Cabo Verde, em Bragança. Anavalharam-se nos
para o futuro de Manteigas pelo o processo seja aprovado», disse a água e contra-ataca dizendo que areais da Caparica e Cascais. Tudo razões fúteis, tudo solúvel se os mecanismos
potencial de criação de postos de O INTERIOR o autarca, que critica esta posição do PSD é «a sua prova de defesa da fronteira fossem mais ativos e mais presentes. Tudo gente estúpida,
doente, mal formada, mas tudo gente! Gente são pessoas! Pessoas formam
trabalho», considera Esmeraldo a «oposição negativa» dos sociais- de vida» e do seu putativo candida-
o tecido social que está cada dia mais doente: pelo calor, pela miséria, pelo
Carvalhinho, que recorda que esta democratas. «Esta força política, to, Nuno Soares. «Para eles nunca
excesso de impostos, pelo confinamento, pelos baixíssimos índices de cultura,
área foi a que mais emprego criou que governou a Câmara antes será momento oportuno para se
pela redução da importância das forças de segurança, a lentidão dos tribunais,
no concelho depois dos têxteis. de mim e deixou perder a pro- concessionar a água porque a sua
o nivelamento por baixo da inteligência e dos diplomas, alguma frouxidão das
O autarca não adianta mais por- priedade da água num processo estratégia é de quanto pior me-
leis que interferem nesta beligerância de fronteira, o reconhecimento do limite...
menores sobre o procedimento e fraudulento, vem agora, de forma lhor», denuncia o edil socialista.

PUB

TERMAS DE
ALMEIDA
Fonte Santa
Um prazer que dá saúde...
+351 271 571 123 | 938 607 662 www.cm-almeida