Você está na página 1de 6

 

   
​Atividades Língua Portuguesa 
Preparatório IFAL 

1) (Advise) Observe a tirinha disposta abaixo e responda às questões 1, 2 e 3:   

01  –  Comparando  a  atitude  de  Manolito  no  segundo  e  no  terceiro  quadrinhos,  podemos 
afirmar que: 
 
A)  No  segundo  quadrinho,  Manolito  demonstra  desinteresse pela pergunta de Mafalda; e, 
no terceiro, ele demonstra surpresa.  
B)  No  segundo  quadrinho,  Manolito  demonstra  interesse  pela  pergunta  de  Mafalda; e, no 
terceiro, ele demonstra desinteresse.  
C)  No  segundo  quadrinho,  Manolito  demonstra  desinteresse pela pergunta de Mafalda; e, 
no terceiro, ele demonstra interesse.  
D)  Tanto  no  segundo  como  no  terceiro  quadrinhos,  Manolito  demonstra  interesse  pela 
pergunta de Mafalda.  
E)  Tanto  no  segundo  como  no  terceiro  quadrinhos,  Manolito  demonstra  desinteresse 
pela pergunta de Mafalda.  
 
02 – No terceiro quadrinho, a fala da personagem Mafalda expressa: 
 
A) O interesse de Mafalda pelo que Manolito estava lendo. 
B) O interesse de Mafalda pelo mercado de valores. 
C) O interesse de Mafalda pelos valores materiais e imateriais.  
D)  O  interesse  de  Mafalda  pelos  valores  materiais,  característico  do  perfil  psicológico  da 
personagem.  
E)  O  interesse  de  Mafalda  pelos  valores  imateriais,  característico  do  perfil psicológico da 
personagem. 
 
03  –  Considerando  o  trecho:  “Não,  dos  que  servem  para  alguma  coisa”,  que  ideia  está 
implícita na fala de Manolito?  
 
A)  A  ideia de que os valores morais, espirituais, artísticos e humanos têm mais utilidade de 
que os valores materiais.  
B) A ideia de que os valores morais, espirituais, artísticos e humanos não têm utilidade.  
C) A ideia de que os valores materiais ​têm mais utilidade que os valores morais, espirituais, 
artísticos e humanos.  
D)  A  ideia  de  que  os  valores  morais,  espirituais,  artísticos  e  humanos  têm  a  mesma  dos 
valores materiais.  
E) A ideia de que não podemos comparar valores materiais e imateriais. 
 
4) (Asperhs) Observe a tirinha disposta abaixo e responda à questão 4: 
 
Muito além da sonolência  
 
A  falta  de  sono  já  é  fator  de  risco  isolado  para  diversas  doenças.  Ela  pode  ser  tão 
decisiva para o aparecimento do diabetes quanto a má alimentação e o sedentarismo.  
Até  trinta  anos  atrás,  os  parcos  conhecimentos  sobre  os  malefícios  das  noites 
maldormidas  para  a  saúde  permitiam  aos  médicos  uma  certeza:  "A  privação  de  sono 
causa...  sonolência".  A  história  é  lembrada  pelos  especialistas em tom de galhofa. Sabe-se 
agora  que,  sem  o  repouso  noturno  adequado,  o  corpo  e  a  mente  perdem  muito  mais  do 
que  a  chance  de  repor  as  energias  gastas  durante  o  dia.  Por  problemas  de  saúde, 
necessidade  de  trabalho  ou  farra,  a  privação  de  sono  leva  o  organismo  a  um 
descompasso  cujas  consequências  vão  muito  além  da  (óbvia)  sonolência.  "As  pesquisas 
mais  recentes  nos  permitem  classificar  a  falta  de  sono  como  fator  de  risco isolado para 
uma  série  de  doenças",  diz o biólogo Rogério Santos da Silva, pesquisador do Instituto do 
Sono,  da  Universidade  Federal  de  São  Paulo.  As  noites  em  claro  estão  associadas  a 
alguns  dos  mais  comuns  e  perigosos  distúrbios  da  modernidade,  como  a  hipertensão,  o 
infarto,  o  derrame  e  a  depressão.  No  caso  das doenças metabólicas, como a obesidade e 
o  diabetes, dormir mal é tão perigoso quanto não se alimentar de forma equilibrada e não 
praticar exercícios físicos.  
 
(http://veja.abril.com.br/020909/muito-alem-sonolencia-p114.shtml)  
 
04. No texto:  
 
a)  Há  um  comentário  pertinente  acerca  da  saúde  nos  tempos  atuais  conhecido  já  há 
trinta anos, mas divulgado só agora.  
b)  Os  especialistas  em  insônia  riem  dos  conhecimentos  de  seus  antepassados,  pois 
nunca chegaram a encontrar as causas verdadeiras para a falta de sonolência.  
c)  Os  pesquisadores de hoje chegaram a encontrar relação entre a falta de sono e várias 
doenças metabólicas, algo em que não se pensava há trinta anos.  
d)  Dormir  bem  além  de  repor  as  energias  perdidas  é  fator  determinante  para  a  cura  de 
uma série de doenças.  
e)  O  descompasso  no  organismo  que  a  privação  do  sono  causa,  pode  ser  curada  com  o 
fim das farras e do trabalho excessivo.  
 
5) (PCICONCURSOS)​ ​Observe o texto disposto abaixo e responda às questões 5, 6 e 7:  
 
Nenhum  esporte  é  mais  simples e independente do que a corrida.Talvez seja essa 
a  razão  para  o  número  de  adeptos  da  prática  ter  aumentado  consideravelmente  nos 
últimos  anos.  Além  dos  já  conhecidos  benefícios  para  a  saúde  —  principalmente  para  o 
bom  funcionamento  do  coração,  —  a  corrida  também  é  procurada  para  aliviar o estresse, 
a depressão e a ansiedade. Segundo os praticantes, correr ainda pode ser um ótimo meio 
para fazer novos amigos.  
A  corrida  tem  vários  aspectos  positivos,  entre  eles,  a  facilidade  da  adesão.  Não 
precisa  de  academia,  equipamentos  e  parceiros.  Quem  começa  a  correr  pega  gosto,  fica 
engajado por anos, dizem os médicos do Instituto de Medicina Esportiva, em São Paulo. 
 
(Adaptado de D’AVILA, Marcos. “Folha de São Paulo”. Julho de 2005.) 
 
05. A leitura do texto nos diz que a corrida é um esporte simples porque 
 
(A) faz bem para o coração.  
(B) quem começa a correr pega gosto.  
(C) é procurada para aliviar o estresse.  
(D) ajuda a fazer novos amigos.  
(E) sua prática não exige muita coisa.  
 
06. Conclui-se que a corrida é um esporte independente porque 
 
(A) precisa de um par de tênis para sua prática.  
(B) não provoca depressão.  
(C) tem vários aspectos positivos.  
(D) não precisa de academia, equipamentos e parceiros.  
(E) acaba com a ansiedade.  
 
07. Por ser simples e independente, a prática da corrida, nos últimos anos,  
 
(A) fez diminuir o número de doentes do coração.  
(B) não exigiu mais acompanhamento médico.  
(C) teve o número de praticantes aumentado.  
(D) tem sido motivo para fazer amigos.  
(E) tem sido exigido um bom preparo físico para sua prática.  
8)​ ​(PCICONCURSOS) Observe o texto disposto abaixo e responda às questões 8 e 9: 
 
 
Pará repõe floresta nativa com eucalipto 
 
O  governo  do  Pará,  Estado  líder  em  desmatamento,  mudou  as  diretrizes  de  seu 
programa  de  recomposição  de  áreas  destruídas  na  Amazônia  e  passou  a  contabilizar 
espécies  exóticas,  como  eucalipto,  para  aumentar  os números e se aproximar da meta de 
1 bilhão de árvores.  
Quando  lançou  o  programa  "1  Bilhão  de  Árvores  para  a  Amazônia",  em  maio  deste 
ano,  o  governo  previu  somente  o  plantio  de  espécies  nativas.  Mas  65%  do 
reflorestamento  deverá  ser  feito  com  eucalipto - planta original da Austrália -, segundo a 
Sema  (Secretaria  de  Estado  de  Meio  Ambiente).  A  preferência  pelo  eucalipto  decorre do 
menor  tempo  de  maturação  -  em  torno  de  seis  anos  -  em  relação  a  espécies  nativas 
brasileiras.  
A  Sema  diz  que  o  programa  segue  o  Código  Florestal  brasileiro.  A  legislação 
permite  o  plantio  de  "espécies  exóticas  como  pioneiras",  de  forma  temporária, "visando a 
restauração  do  ecossistema  original".  Contudo,  depois  da  primeira  extração,  a 
recomposição da floresta deverá ser, obrigatoriamente, com nativas.  
 
(Adaptado da Folha de São Paulo de 28 de novembro de 2009) 
 
08.  Por  que  o  governo  do  Pará  passou  a  recompor  as  áreas  destruídas  na  Amazônia 
plantando eucalipto? 
 
(A) Porque o eucalipto é uma planta exótica, original da Austrália.  
(B) Para aumentar a quantidade de árvores plantadas e atingir a meta do programa.  
(C) Porque o eucalipto tem um menor tempo de maturação. 
(D)  Porque  a legislação brasileira permite que espécies exóticas sejam plantadas de forma 
temporária. 
 
09.  Qual  a alternativa que melhor justifica, segundo o texto, o fato da legislação brasileira 
permitir o plantio de espécies exóticas para recomposição das florestas do Brasil? 
 
(A)  A  legislação  brasileira  permite  o  uso  de  plantas  exóticas  para  restauração  das 
florestas  porque  elas  têm  um  período  de  maturação  bem  menor  que  o  das  espécies 
nativas, gerando efeitos no ecossistema em menor espaço de tempo.  
(B)  O  uso  de  plantas  exóticas  ajuda  a  alcançar  as  metas  de  programas  de  restauração 
das florestas mais rapidamente do que as plantas nativas.  
(C)  O  plantio  de  plantas  exóticas  para  recomposição  das  florestas  é  permitido  de 
maneira  temporária,  de forma que após atingir a restauração do ecossistema original elas 
devem ser substituídas por plantas nativas.  
(D)  O  Brasil  permite  o  uso  de  plantas  exóticas  para  restauração  das  florestas  pois  elas 
causam um impacto positivo no ecossistema bem maior que o das plantas nativas. 
 
 
 
10) (PCICONCURSOS) Observe o texto disposto abaixo e responda às questões 10 e 11: 
 
DOCUMENTO  
Mário Quintana  
 
Encontro  um  caderno  antigo,  de  adolescente.  E,  em  vez  das  simples  anotações 
que  seriam  preciosas  como  documento,  descubro  que  eu  só  fazia  literatura.  Afinal, 
quando  é  que  um  adolescente  já  foi  natural?  E,  folheando,  aquelas  velhas  páginas,  vejo, 
compungido,  como  as  comparações  caducam.  Até  as  imagens  morrem,  dizia  Braz  Cubas. 
Quero crer que caduquem apenas. Eis aqui uma amostra daquele “diário”.  
“Era  tal  qual  uma  noite  de  tela  cinematográfica.  Silenciosa,  parada,  de  um  suave 
azul  de  tinta  de  escrever.  O  perfil  escuro  das  árvores  recortava-se  cuidadosamente 
naquela  imprimadura  unida,  igual,  que  estrelinhas  azuis  picotavam.  Os  bangalôs  dormiam. 
Uma? duas? três horas da madrugada? Nem a lua sequer o sabia. A lua, relógio parado...”  
Pois  vocês  já  viram  que  mundo  de  coisas  perdidas?!  O  cinema  não  é  mais 
silencioso. Não se usa mais tinta de escrever. Não se usam mais bangalôs. 
  E  ninguém  mais  se  atreve a invocar a lua depois que os astronautas se invocaram 
contra ela.  
 
10- O título do texto se refere:  
 
a) ao caderno como documento de uma época pessoal do autor;  
b) ao caderno como fonte de informações perdidas;  
c) aos dados documentais oficiais do autor;  
d) ao diário como textos inéditos de uma obra literária;  
e) aos textos publicados pelo autor quando menino.  
 
11 - “Encontro um caderno antigo, de adolescente.”; nessa frase introdutória o autor:  
 
a) se refere a um caderno de um adolescente desconhecido;  
b) se refere a um tipo característico de caderno;  
c) se lembra de um fato passado há anos;  
d) já esclarece ao leitor que fala de si mesmo;  
e) declara que procurava algo importante em sua vida.  
 
12. Após analisar as sentenças abaixo, assinale a alternativa correta. 
 
 
Na frase “Carlos mudará de profissão”, tem−se como pressuposto que Carlos 
 
a) ganha pouco. 
b) tem profissão. 
c) recebeu uma proposta de emprego melhor, por isso, mudará de profissão. 
d) pode estar contrariado. 
e) pode ter profissão. 
 
 
 
13) Analise a imagem abaixo e selecione a alternativa correta. 
 

 
fonte: ​http://pedropower-supertmjovem.blogspot.com/2011/03/hoje19-pelo-twitter-o-roteirista-da.html?m=0 
 
 
A imagem acima utiliza como ferramenta de construção.. 
 
a)  o  pressuposto,  já  que  nos  permite  observar  que  Mônica,  Magali,  Cebolinha  e 
Cascão estão, simplesmente, atravessando uma faixa de pedestres. 
b)  a  intertextualidade  implícita,  já  que,  numa  primeira  observação,  não 
percebemos aspectos que nos remetam diretamente à fonte. 
c)  o  subentendido,  já  que  a  ilustração  nos  permite  conhecer,  com total certeza, o 
destino de Mônica, Magali, Cebolinha e Cascão. 
d)  a  intertextualidade  explícita,  já  que,  por  meio  do  cenário,  das  roupas  que  os 
personagens  estão  vestindo  e  a  posição  dos  corpos,  nos  conecta  diretamente  à 
fonte:  a  clássica  fotografia  dos  quatro  integrantes  da  banda  america  ​Beatles 
atravessando uma faixa de pedestres.