Você está na página 1de 76

1

#ALLIANZ
FOR LIFE

Voltamos à vida juntos!


Júris e Prémios
ÍNDICE/INDEX 4 Juries and Awards

Competição Internacional
7 International Competition

Competição Nacional
13 National Competition

Novíssimos
16 Brand New

18 Silvestre

Foco Silvestre Silvestre Focus


24 Mati Diop

27 IndieJúnior

Retrospectiva Retrospective
32 Ousmane Sembène

Retrospectiva Retrospective
36 Forum 50

40 IndieMusic

@INDIELISBOA
43 Director’s Cut

Boca do Inferno
@INDIELISBOAIFF
45 Mouth of Madness

Sessões Especiais
+351 926 784 660
48 Special Screenings

LisbonTalks
52 Universidade Lusófona

Programação
53 Programme

DESCARREGUE A APP DO 66 Indústria


67
FESTIVAL E CONSULTE TODA
A PROGRAMAÇÃO/DOWNLOAD
Industry
THE OFFICIAL APP TO CHECK
THE FULL PROGRAM
68 Informações úteis
69 Useful Information

Ficha Técnica
70 Credits

ISSN 2184-7282
INDIELISBOA.COM/APP
JÚRIS E PRÉMIOS JURIES AND AWARDS

JÚRIS OFICIAIS
Prémio Melhor Curta de Animação Prémio Melhor Realização para
OFFICIAL JURIES Longa Metragem Portuguesa
Best Animation Award
500 Euros Best Director in a Portuguese Feature Film
1.000 Euros
Júri da Competição Internacional Prémio Melhor Curta de Documentário
Best Documentary Award Prémio Dolce Gusto para Melhor
de Longas Metragens 500 Euros Curta Metragem Portuguesa
International Feature Film Competition Jury Dolce Gusto Award for Best Portuguese Short Film
Prémio Melhor Curta de Ficção 2.000 Euros
Grande Prémio de Longa Metragem Best Fiction Award
da Cidade de Lisboa 500 Euros Prémio Novo Talento
Feature Film Grand Prize City of Lisbon New Talent Award
15.000 Euros JOANA PIMENTA 1.500 Euros
Vive e trabalha em Lisboa, nos EUA e no Brasil.
Prémio Especial do Júri CANAIS TVCINE LOUISE RINALDI
TVCine Special Award Os seus filme Campo de Aviação e As Figuras
Louise trabalhou em distribuição durante cinco
Aquisição dos direitos do filme para Portugal Gravadas na Faca com a Seiva das Bananeiras,
Rights acquisition for Portugal anos, especialmente para a empresa francesa
foram exibidos e premiados e em todo o
Ecce Films. Desde 2019 é programadora no
CAROLINE MALEVILLE mundo. É doutorada em Cinema e Estudos
festival Premiers Plans — Angers.
Após várias experiências em instituições de Visuais pela Universidade de Harvard. Trabalha
e lecciona nas universidades de Harvard e Louise worked in distribution for five years,
distribuição e cinema, ingressou na Cinemateca
Rutgers e actualmente é directora interina do especially for the french company Ecce
Francesa em 2005. É responsável pela pro-
Film Study Center da Universidade de Harvard. Films. She is a programmer for Premiers
gramação desde 2009 e organiza reuniões
Plans — Angers Film Festival, since 2019.
regulares dedicadas à criação cinematográ- Lives and works in Lisbon, the U.S. and Brazil.
fica contemporânea jovem. Her films An Aviation Field and The Figures MICHAEL WAHRMANN
After various experiences in distribution and Carved Into the Knife by the Sap of the Banana Realizador e produtor. Os seus filmes Avós
cinema institutions, she joined the French Trees, have been shown and awarded all over (2009), Oma (2011), The Beast (2016) e a sua
Cinematheque in 2005. Responsible for the world. She holds a PhD in Film and Visual longa-metragem Avanti Popolo (2012) foram
Studies and Critical Media Practice from Harvard exibidos em muitos festivais internacionais e
programming since 2009, she organizes
University. She works and teaches at Harvard nacionais, como a Quinzaine des Réalisateurs
regular meetings dedicated to young
and Rutgers and is currently interim director of em Cannes, Berlinale, Roterdão e Brasília e
contemporary cinematographic creation.
the Film Study Center at Harvard University. receberam mais de 60 prémios. Como pro-
CRISTINA NORD dutor, fundou a Sancho & Punta.
JORGE JÁCOME
Crítica de cinema, escritora e curadora alemã.
Realizador de cinema. No seu trabalho, feito de Realizador e produtor. Os seus filmes Avós
Entre 2002 e 2015, foi editora de cinema da
derivas narrativas, procura investigar a relação entre (2009), Oma (2011), The Beast (2016) e a sua
secção de cultura do jornal alemão “taz. jornal
utopias, melancolia, desaparecimento e desejo. longa-metragem Avanti Popolo (2012) foram
die tageszeitung ”. É directora da secção Forum
Vencedor do grande prémio de curta metragem exibidos em muitos festivais internacionais e
do Festival de Berlim desde Agosto de 2019.
do IndieLisboa em 2019 com o filme Past Perfect. nacionais, como a Quinzaine des Réalisateurs
German film critic, writer and curator. em Cannes, Berlinale, Roterdão e Brasília
Film director. In his work, made up of derived
Between 2002 and 2015, she was film e receberam mais de 60 prémios. Como
narratives, he seeks to investigate a relationship
editor for the culture section of the produtor, fundou a Sancho & Punta.
between utopias, melancholy, disappearance
German “taz. die tageszeitung” newspaper.
and desire. Winner of the IndieLisboa Short Film NÚRIA CUBAS
She has been section head of the
Grand Prize in 2019 with the filme Past Perfect. Estudou cinema e literatura. Co-fundou o
Berlinale Forum since August 2019.
FILMADRID International Film Festival em 2015,
NUNO RODRIGUES
MAMADOU BA que dirige desde então. Faz parte do comité de
Co-fundador do Curtas Vila do Conde Festival
Activista e militante anti-racista decolo- seleção da Competição Oficial do Punto de Vista —
Internacional de Cinema. Em 1999, fundou
nial. Membro Fundador da Associação Festival Internacional de Documentários de Navarra.
a Agência - Agência Portuguesa de Curtas-
Luso-Senegalesa, da Rede Anti-Racista de
Metragens e lida com a promoção e distri- She studied film and literature. Co-founded
Portugal, da Diáspora Afrique, e da Aliança das FILMADRID International Film Festival in 2015,
buição de curtas-metragens portuguesas em
Pessoas Africanas e de Ascendência Africana a festival she has directed ever since. She is
mercados internacionais. É director e coorde-
na Europa. Integra a direcção do Movimento part of the selection committee of the Official
nador da Galeria Solar desde 2005.
SOS Racismo. Competition of Punto de Vista — International
Co-founder of Curtas Vila do Conde
Decolonial anti-racist activist. Founding International Film Festival. In 1999, he founded Documentary Film Festival of Navarra.
member of the Luso-Senegalese Association, Agência – Portuguese Short Film Agency,
the Portuguese Anti-Racist Network, the handling the promotion and distribution
Diaspora Afrique, and the Alliance of African of Portuguese short films on international Júri da Competição Novíssimos
People and of African Descent in Europe. markets. Since 2005 he is the director Brand New Competition Jury
Director of the SOS Racism Movement. and coordinator of the Solar Gallery.
Prémio Novíssimos The Yellow
Color + Portugal Film
The Yellow Color + Portugal Film Brand New Award
Júri da Competição Internacional Júri da Competição Nacional
2.000 Euros em serviços + promoção e venda
2.000 Euros in services + promotion and sales
de Curtas Metragens National Competition Jury
Short Film International Competition Jury ANDRÉ MIGUEL FERREIRA
Prémio ALLIANZ para Melhor
Licenciado em Teatro pela ESTC. Actualmente
Grande Prémio de Curta Metragem Longa Metragem Portuguesa
Short Film Grand Prize ALLIANZ Award for Best Portuguese Feature Film frequenta a Pós-graduação em Fotografia e (Pós)
4.000 Euros 7.500 Euros Cinema, na NOVA — FCSH. Estas Mãos São Minhas

4
foi a sua estreia enquanto realizador, vencendo Journalist, programmer and producer. PhD and led some Portuguese underground
a competição Novíssimos no IndieLisboa 2019. student in Artistic Studies at FCSH-UNL, she bands since 1983, among which “Santa
Has a degree in Theater by ESTC. Currently is the editor of BUALA, a portal of critical Maria, Gasolina em Teu Ventre!”.
attends Postgraduate studies in Photography thinking about the global south. In cinema,
PEDRO AZEVEDO
and (Post) Cinema, at NOVA — FCSH. Estas Mãos she works in production and scriptwriting.
Programador do Musicbox e director do
São Minhas was his debut as a director, winning PEDRO BORGES Festival Aleste. Nos tempos livres e não só,
the Brand New competition at IndieLisboa 2019. Há trinta anos a trabalhar no negócio do cinema. Pedro Azevedo é DJ e, enquanto La Flama
FELIPE BRAGANÇA Desde 2006 tocando para a frente a Midas Blanca, é o anfitrião do Baile Tropical.
39 anos, cineasta brasileiro criado entre o cen- Filmes e dando a ver alguns dos mais extraor- Artistic programmer of Musicbox and director
tro histórico do Rio de Janeiro e os subúr- dinários realizadores do mundo — estreando- of the Festival Aleste. In his spare time and
bios da Baixada Fluminense. Dirigiu 4 longas, -os, editando-os, produzindo-os. Desde 2014 more, Pedro Azevedo is a DJ and, while La
2 médias e 5 curtas estreados em festivais também entretido com o cinema Ideal, que no Flama Blanca, he is the host of Baile Tropical.
como Cannes, Berlin, Locarno, Rotterdam e entremeio se viu como o único cinema indepen-
Sundance. É colaborador constante em roteiros dente de estreia da cidade de Lisboa.
de filmes de realizadores como Karim Ainouz, For thirty years now working in the film JÚRIS NÃO OFICIAIS
Helvécio Marins Jr. e Marina Meliande. business. Since 2006 managing Midas NON-OFFICIAL JURIES
39 years old, Brazilian filmmaker raised Filmes and revealing some of the most Os júris não oficiais são parceiros do festi-
between the historic center of Rio de Janeiro daring filmmakers in distribution, DVD and val, atribuindo prémios consoante categorias
and the suburbs of Baixada Fluminense. He Portuguese film production. Since 2014 also determinadas e com os seus próprios critérios,
directed 4 feature films, 2 medium-length managing Cinema Ideal, which became in the dentro da programação do IndieLisboa 2020.
films and 5 short films screened in festivals meantime the sole existing cinema in Lisbon. The non-official juries are partners
such as Cannes, Berlin, Locarno, Rotterdam of the festival, and attribute awards
and Sundance. He is a regular contributor to curtas shorts
following their own criteria, within the
film scripts by directors such as Karim Ainouz, ALEXANDRA RAMIRES IndieLisboa 2020 programming.
Helvécio Marins Jr. and Marina Meliande. Alexandra Ramires tem trabalhado regular-
SELMA UAMUSSE mente em cinema de animação desde 2009.
Cantora moçambicana nascida em 1981 a viver Água Mole é o seu primeiro filme de anima- Júri Amnistia Internacional
em Portugal desde 1988. Prepara-se para lan- ção co-realizado com Laura Gonçalves. ELO é Amnesty International Jury
çar em 2020 o seu segundo disco em nome o seu primeiro filme em nome individual com
Prémio Amnistia Internacional
próprio, “Liwoningo”. estreia marcada para 2020. Amnesty International Award
1.500 Euros
Mozambican singer born in 1981, living Alexandra Ramires has been working
in Portugal since 1988. She is preparing regularly in animation cinema since 2009. IVO CANELAS
to launch in 2020 her second album Água Mole is her first animation film Actor
in her own name, "LIWONINGO" co-directed with Laura Gonçalves. ELO is
RITA FERRO RODRIGUES
her first solo film to be released in 2020.
Jornalista/Apresentadora
FILIPE RAPOSO Journalist/TV Host
Júri Silvestre Pianista, compositor e orquestrador. Para além
Silvestre Jury da música colabora regularmente como com- SANDRA DIAS PEREIRA
positor e intérprete em Cinema e Teatro. Membro da Direcção da Amnistia Internacional
Prémio Silvestre para Melhor Longa Metragem Portugal
Silvestre Award for Best Feature Film Pianist, composer and orchestrator.
1.500 Euros In addition to music, he regularly Member of the Direction of Amnesty
collaborates as a composer and International Portugal
Prémio Silvestre para Melhor Curta Metragem
Silvestre Award for Best Short Film interpreter in Cinema and Theater.
1.000 Euros

Júri Árvore da Vida


longas e curtas features and shorts
Árvore da Vida Jury
PAULO CUNHA Júri IndieMusic
Professor e programador. Doutor em Estudos IndieMusic Jury Prémio Árvore da Vida para Filme Português
Contemporâneos pela Universidade de Árvore da Vida Award for Best Portuguese Film
Prémio IndieMusic 2.000 Euros
Coimbra. Integra a comissão organizadora IndieMusic Award
das Jornadas Cinema em Português e a coor- 1.000 Euros
denação do Grupo de Trabalho Cinemas Pós-
JOANA BARRA VAZ Júri do Público
Coloniais e Periféricos da Associação de
Realizadora, argumentista e compositora. Audience Jury
Investigadores da Imagem em Movimento.
Realizou o documentário musical ”Meu Caro Competição Internacional, Competição
Professor and programmer. PhD in Amigo Chico”, escrito em conjunto com Maria Nacional, Silvestre, Novíssimos, IndieJúnior,
Contemporary Studies from University of João Marques e exibido no IndieLisboa em 2012. Boca do Inferno
Coimbra. Member of the organizing committee
Director, screenwriter and composer. She International Competition, National
of the Portuguese Cinema Days and
made the music documentary "Meu Caro Competition, Silvestre, Brand New,
coordination of the Post-Colonial and Peripheral
Amigo Chico", written jointly with Maria João IndieJunior, Mouth of Madness
Cinemas Working Group of the Association
Marques and shown at IndieLisboa in 2012.
of Researchers of the Moving Image. Prémio Longa Metragem
JORGE FERRAZ Feature Film Award
longas features 2.000 Euros
Guitarrista, compositor, sociólogo e professor do
MARTA LANÇA
ensino superior. Fundou e liderou algumas bandas Prémio Curta Metragem
Jornalista, programadora e produtora. Short Film Award
Doutoranda em Estudos Artísticos na FCSH- portuguesas underground desde 1983, entre as
1.000 Euros
UNL, é editora do BUALA, portal de pensamento quais os “Santa Maria, Gasolina em Teu Ventre!”.
Prémio do Público IndieJúnior
crítico sobre o sul global. Em cinema, tem cola- Guitarist, composer, sociologist and IndieJunior Audience Award
borado em produção e escrita de argumento. professor of higher education. He founded 500 Euros

5
6
COMPETIÇÃO
INTERNACIONAL
INTERNATIONAL
COMPETITION
Secção composta por
primeiras, segundas e
terceiras obras nunca antes
mostradas publicamente
em Portugal. Foram

Baamum Nafi
finalizadas no ano em
que decorre o festival ou
no ano anterior. Nesta
secção concorrem longas
e curtas metragens (em
programas separados).
Section presenting first,
second and third works
never publicly shown in
Portugal. These films were
finalized in the year in
which the festival takes
place or in the previous
year. In this section, feature
and short films compete
in separate programmes.

Babai
EL AÑO DEL DESCUBRIMIENTO BAAMUM NAFI BABAI
THE YEAR OF THE DISCOVERY NAFI’S FATHER Artem Aisagaliev, Rússia/EUA ∙ Russia/USA, fic.,
Luis López Carrasco, Espanha ∙ Spain, doc., Mamadou Dia, Senegal, fic., 2019, 109’ 2020, 65’
2020, 200’ 27 QUI/THU, 21:30, CAPITÓLIO ∙ C.127 31 SEG/MON, 22:00, CINEMA IDEAL ∙ C.131
28 SEX/FRI, 19:00, CULTURGEST GA ∙ C.199 29 SÁB/SAT, 21:30, CULTURGEST GA ∙ C.129 Se não adormeceres vem aí o papão e leva-te!
1992 foi um ano importante para Espanha: os A primeira longa de Mamadou Dia chega-nos Na mitologia eslava quem rapta as criancinhas
Jogos Olímpicos de Barcelona e em Sevilha, duplamente premiada no Festival de Locarno é Babai. O filme de Aisagaliev contém esse
a Exposição Universal. Mas a narrativa de um (Leopardo de Ouro Cineastas do Presente e medo onírico do crescimento, mas é sobretudo
país próspero e moderno teve o seu reverso. Melhor Primeiro Filme). Rodado na sua cidade uma vertiginosa viagem sensorial pelas primei-
Como numa grande obra enciclopédica ilu- natal, Matal no Senegal, esta é a história de ras impressões visuais e sonoras da infância.
minista, o realizador irá escutar as conversas dois irmãos, Tierno e Ousmane, que se zan- Dois irmãos e um pai bastante severo. O mundo
de um típico bar de Cartagena, dando voz às gam por causa do casamento dos seus dois rasga-se diante dos olhos, são memórias sem
pessoas — trabalhadores, desempregados, filhos. O segundo quer casar o seu rapaz com nitidez, pedaços de alegria, de humilhação. É
manifestantes — que viveram a chegada da a filha do primeiro, a bela Nafi. O que está em a excitação traumática e cromática da infância.
crise económica, o fecho das fábricas e várias causa é o alastrar do fundamentalismo numa If you don’t fall asleep the bogey man will
revoltas incendiárias. pequena comunidade. come for you! In the Slavic mythology it’s
1992 was an important year for Spain: Mamadou Dia’s first feature film comes to Babai who kidnaps the children. Aisagaliev’s
Barcelona’s Olympic Games and the Universal us doubly prized at Locarno Film Festival film contains this oneiric fear of growing up,
Exposition of Seville. But the narrative of a (Golden Leopard in the Filmmakers of the but is above all a vertiginous and sensorial
prosperous and modern country had his Present competition and First Feature). Shot voyage through the first visual and sonorous
reverse. Like in a great illuminist encyclopaedia, in his hometown, Matal in Senegal, this is the impressions of childhood. Two brothers and
the director will listen to the conversations in a story of two brothers, Tierno and Ousmane, a rather severe father. The world tearing apart
typical bar in Cartagena, giving voice to people that clash because of the wedding of their before the eyes, these are blurry memories,
— workers, unemployed, demonstrators — that two children. The second wants his boy to pieces of happiness and humiliation.
lived the arrival of the economic crisis, the close marry his brother’s daughter, the beautiful
of factories and several incendiary revolts. Nafi. What is also at stake is the spreading
of fundamentalism in a small village.

7
L’île aux oiseaux
Eyimofe
BARZAJ/BARZAKH A FEBRE/THE FEVER IL N’Y AURA PLUS DE NUIT
Alejandro Salgado, Espanha ∙ Spain, doc., 2019, 73’ Maya Da-Rin, Brasil/França/Alemanha ∙  THERE WILL BE NO MORE NIGHT
26 QUA/WED, 21:45, CULTURGEST PA ∙ C.133 Brazil/ France/Germany, fic., 2019, 98’ Eléonore Weber, França ∙ France, doc., 2020, 75’
Segundo a crença islâmica, barzaj designa um 27 QUI/THU, 19:30, CINEMA IDEAL ∙ C.111 1 TER/TUE, 19:15, CULTURGEST PA ∙ C.501 \
estado de limbo, entre o inferno e o paraíso, 30 DOM/SUN, 21:45, CULTURGEST PA ∙ C.113 To shoot: disparar uma arma ou filmar com uma
após a morte terrena. Na cidade espanhola de O filme que arrecadou em 2019 o prémio da câmara. A analogia bélica nasce com o próprio
Melilha, no norte de África, vários jovens encon- crítica no Festival de Locarno é um drama cinema. Este documentário de Eléonore Weber
tram-se nesse limbo, ansiando por uma passa- acerca das pressões de um modo de vida (Les Hommes Sans Gravité, IndieLisboa 2008)
gem para a Europa. Vivem em espera, habitando urbano e moderno. No centro da primeira fic- é composto exclusivamente por imagens filma-
as cavernas e frestas do complexo montanhoso ção da realizadora brasileira Maya Da-Rin está das por soldados americanos e franceses no
junto ao porto. Nesse espaço ancestral e sem Justino (Regis Myrupu), um homem de meia Iraque, Síria ou Afeganistão. Do cimo dos seus
tempo, acendem fogueiras, fumam, cantam, vis- idade, viúvo, de origem indígena que traba- helicópteros, uma mira varre a noite, observa
lumbram no negro — do céu e do mar — a luz lha no porto de Manaus. Quando a sua filha o o comportamento de pessoas-manchas-térmi-
de uma outra vida. informa que quer ir estudar enfermagem para cas suspeitas, filma e tem o poder de tirar ou
a cidade de Brasília, este vê-se acometido de de manter a vida.
According to the Islamic faith, barzakh
uma estranha febre…
designates a state of limbo, between To shoot: a gun or a movie camera. The
hell and paradise, after earthly life. In the The film that won Locarno’s FIPRESCI award military analogy is born with the beginning of
Spanish city of Melilha, situated in the in 2019 is a drama about the pressures of a cinema. Eléonore Weber’s (Les Hommes Sans
North of Africa, several young people are modern and urban lifestyle. The first fiction film Gravité, IndieLisboa 2008) documentary is
in this limbo, yearning for a passage to of the Brazilian director Maya Da-Rin focuses exclusively based upon footage recorded by
Europe. They live waiting, inhabiting the on the life of Justino (Regis Myrupu), a middle- French and American soldiers in Iraq, Syria and
caves and crevices in the mountains next aged native widower, that works in the port Afghanistan. From the top of their helicopters,
to the harbour. In this timeless, ancestral of Manaus. When his daughter tells him that a viewfinder scans the night and watches for
space, they light fires, sing and search in she wants to go and study nursing in the city suspicious activity from moving heat dots.
the darkness for the light of another life. of Brasilia he starts having strange fevers… They have the power to take or keep lives.

EYIMOFE/THIS IS MY DESIRE GHOST TROPIC L’ÎLE AUX OISEAUX/BIRD ISLAND


Arie Esiri/Chuko Esiri, Nigéria/EUA ∙ Nigeria/ Bas Devos, Bélgica/Países Baixos ∙  Maya Kosa/Sergio da Costa, Suíça ∙ Switzerland,
USA, fic., 2020, 115’ Belgium/Netherlands, fic., 2019, 85’ doc., 2019, 62’
27 QUI/THU, 21:30, CULTURGEST GA ∙ C.223 2 QUA/WED, 21:30, CULTURGEST GA ∙ C.239 26 QUA/WED, 19:00, CULTURGEST GA ∙ C.527
1 TER/TUE, 21:30, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.225 O cinema de Bas Devos (We Know, IndieLisboa 2 QUA/WED, 19:15, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.529
Todos os anos Nollywood, a Hollywood nige- 2010) é particularmente atento a movimentos Depois de terem estado na competição nacio-
riana, produz cerca de mil filmes. Destes quase imperceptíveis e identidades ofuscadas. Este nal com Antão, o invisível (2017), eis que a
nenhuns viajam para fora de África. Caso dife- seu último filme, rodado em 15 noites, segue dupla regressa com este misto de “documentá-
rente para a primeira longa metragem dos o trajecto nocturno de Khadija, mulher de 58 rio zoológico” e retrato ficcional, passado num
irmãos gémeos Esiri que, a partir de duas his- anos que, ao perder o último metro, tem de ir santuário de aves em Genebra. Com influência
tórias, em certo sentido também elas gémeas, para casa a pé. Retrato minimalista, mas tam- de Bresson, o enquadramento rectangular, a
abordam o desejo de sair para a Europa. Mofe, voz off do jovem Antonin pairando sob aquele
bém uma aventura singela e humana que vê na
um homem que faz reparações numa fábrica “local sagrado”, mas também o argumento eco-
noite urbana dos sem abrigo, dos seguranças,
e Rosa, empregada de bar e cabeleireira, pro- lógico e uma observação minuciosa, tudo faz
dos imigrantes, o espaço da descoberta, da
curam uma saída da colorida e aprisionante parte desta ilha mágica que nos cativa o olhar.
vulnerabilidade e dos laços entre as pessoas.
capital, Lagos. After being in the festival with Antão, o invisível
The cinema of Bas Devos (We Know,
Every year Nollywood, the Nigerian Hollywood, (2017), the directors make their return with this,
IndieLisboa 2010) is particularly attentive to
produces around a thousand films. Most of half “zoological documentary”, half fictional
imperceptible movements and overshadowed
these don’t travel outside Africa. The first portrait, that takes place in a Geneve’s bird
feature film by the twin brothers Esiri, based identities. Ghost Tropic, shot in just 15 days, sanctuary. The rectangular framing, the young
on two “twin” stories that precisely depict follows the night journey of Khadija, a Antonin’s voice over hovering above that
the desire of going to Europe is a different 58-year-old woman that realises she lost her “sacred place”, but also an ecological argument
case. Mofe, a middle-aged repairman in a last subway and has to walk home. This is a and a detailed sense of observation, all is part
factory, and Rosa, a young hairdresser and minimalist portrait and a humane adventure of this magical island that captivates our gaze.
bartender, both looking for a way out of the that looks at the night of the homeless, the
colourful and imprisoning capital Lagos. securities, the night as a space for discovery,
vulnerability and bonds between people.

8
Holem Wood is a housing estate in the
LÚA VERMELLA/RED MOON TIDE VICTORIA north of England, built in the 50’s in
Lois Patiño, Espanha ∙ Spain, fic., 2020, 84’ Sofie Benoot/Liesbeth De Ceulaer/Isabelle order to supply homes for the working-
29 SÁB/SAT, 18:30, CULTURGEST GA ∙ C.535 Tollenaere, Bélgica ∙ Belgium, doc., 2020, 71’ class people. With the years it became an
Em 2014, o IndieLisboa mostrou o documen- 31 SEG/MON, 19:30, CINEMA IDEAL ∙ C.641
isolated place. There lives Tyler, a 16-year-
tário Costa da Morte passado nessa região No deserto de Mojave jaz a cidade inacabada
old boy who has never attended school.
galega, de onde é natural Patiño. A sua paisa- de California, planeada nos anos 60 para rece-
gem e histórias contêm uma forte carga oní- ber centenas de milhares de habitantes, a par GENIUS LOCI
de Los Angeles ou San Diego. Mas não foi bem Adrien Mérigeau, França ∙ France, anim., 2019, 16’
rica e fantástica que aqui são exploradas nesta
assim: vivem lá hoje, no meio de ruas vazias, Na cidade, o caos tudo devora e transforma
ficção sobrenatural sobre a procura de Rubio,
pouco mais de 10.000 pessoas. O trio de rea- com a sua inquietação. Uma noite, Reine, uma
um mergulhador que teria resgatado dezenas
lizadoras belgas segue alguns destes novos jovem solitária, sente-se atraída por algo mís-
de cadáveres de náufragos. As imagens estão
pioneiros que procuram novos começos, rela- tico, uma espécie de guia, como uma pretensa
paralisadas com seus habitantes e as palavras
tando as suas experiências, dando nomes às unidade.
flutuam como aparições, entre fantasmas, bru-
xas e monstros. ruas, fazendo a pé longas viagens de explo- In the city, chaos devours and transforms
ração do espaço. everything with its unrest. One night,
In 2014, IndieLisboa exhibited the
documentary Costa da Morte taken place In the Mojave Desert lies the unfinished city Reine, a young loner, becomes attracted
in that Galician region, where Patiño is of California, planned in the sixties to receive by something mythical, a sort of a
from. Its landscapes and stories possess thousands of inhabitants, like Los Angeles guide, a supposed oneness.
a strong oneiric and fantastic dimension. or San Diego. Today, in the middle of empty
BREAKFAST IN KISUMU
These are explored in this supernatural streets, the city has a few more than 10 Rebecca Achieng Ajulu-Bushell, Reino Unido/
fiction about the search for Rubio, a thousand people. The trio of Belgian directors Quénia/África do Sul ∙ United Kingdom/Kenya/
diver that rescued several shipwrecked follows these new pioneers, that look for new South Africa, doc., 2019, 37’
bodies. Images are paralysed here with beginnings, telling about their experiences, A vida do activista e professor queniano Rok
its inhabitants. Words float as apparitions, giving names to streets or making long Ajulu foi um filme de aventuras e de luta con-
between ghosts, witches and monsters. walking journeys of exploration of the space. tra o apartheid. A sua filha presta-lhe home-
nagem usando a película 16mm, o VHS, o DV
para filmar muitos dos locais que fizeram do
pai um herói pela liberdade.
The life of Rok Ajulu, a Kenian professor and
SI YO FUERA EL INVIERNO MISMO CI CURTAS 1/IC SHORTS 1
89’ activist, was an adventure film and a life of
IF I WERE THE WINTER ITSELF
Jazmín López, Argentina, fic., 2020, 92’ 31 SEG/MON, 21:45, CULTURGEST PA ∙ C.159 struggle against apartheid. His daughter
30 DOM/SUN, 19:30, CINEMA IDEAL ∙ C.595 pays him homage using 16mm, VHS, DV
POSLEDNJA SLIKA O OCU formats to capture many of the places that
O que significa (ainda) acreditar no poder revo-
THE LAST IMAGE OF FATHER turned him into a freedom fighter hero.
lucionário do cinema? Quatro amigos juntam-
Stefan Djordjevic, Sérvia ∙ Serbia, fic., 2019, 20’
-se numa casa de campo para refazer partes de
Durante 7 anos, Stefan Djordjevic viu o seu
obras icónicas desse poder, como La Chinoise CI CURTAS 2/IC SHORTS 2
pai apenas uma vez antes dele morrer. Com
(1967) de Godard ou Nicht löschbares Feuer 83’
base nas imagens e memórias que reteve, o
(1969) de Harun Farocki. Depois de Leones, 1 TER/TUE, 19:00, CULTURGEST GA ∙ C.161
realizador dá-nos uma terna história de des-
sua obra de estreia (IndieLisboa 2013), o estilo
elíptico de Jazmín López está de volta. Nunca pedida de um pai, doente terminal, que pro- O CORDEIRO DE DEUS
cura encontrar uma nova casa para o seu filho. THE LAMB OF GOD
sabemos de onde vem o som, nem para onde
David Pinheiro Vicente, Portugal/
pode partir a câmara. Rui Poças é o diretor For 7 years, Stefan Djordjevic saw his father França ∙ Portugal/France, fic., 2020, 15’
de fotografia. only once before he passed away. Based on Após a estreia de Onde o Verão Vai: Episódios
What does it mean to (still) believe in his memories of him, he gives us a tender da Juventude (Festival de Berlim, 2018) David
the revolutionary power of cinema? Four goodbye story about a terminally ill father Pinheiro Vicente continua a dar-nos um cinema
friends get together in a countryside that looks for a new home for his son. sensorial, do toque e do olhar. Produzido por
estate to recreate parts of political iconic Gabriel Abrantes, esta é a Páscoa do cresci-
CITY OF CHILDREN
works like Godard’s La Chinoise (1967) or Arantxa Hernández Barthe, Reino Unido ∙ United mento, do desejo e da carne.
Farocki's Nicht löschbares Feuer (1969). Kingdom, doc., 2019, 16’ After the première of Onde o Verão Vai:
After Leones (Indielisboa 2013), her first Holem Wood, situada no norte de Inglaterra, é Episódios da Juventude (Berlin Film Festival,
feature, Jazmín López elliptic style is back. uma zona residencial construída nos anos 50 2018) David Pinheiro Vicente continues with
We never know where the sound comes para as classes trabalhadores. Com a passagem his sensorial cinema, of touch and gaze.
from or where the camera will go. Rui
do tempo tornou-se uma zona isolada. Nela vive Produced by Gabriel Abrantes, this is the
Poças is the director of photography.
Tyler um rapaz de 16 anos que nunca foi à escola. Easter of growing up, desire and the flesh.
Si yo fuera el invierno mismo
Lúa Vermella

9
SUKAR and filmed in 16mm, this physical comedy SYMBIOSIS
Ilias Dupuis-El Faris, França/Marrocos ∙ France/ is also an homage to the city of New York. Nadja Andrasev, França/Hungria ∙ France/
Morocco, fic., 2019, 9’ Hungary, anim., 2019, 13’
Eis um dia quente na praia de Casablanca em TOOMAS TEISPOOL METSIKUTE Uma melga que se escapa de boa. Uma tatua-
Marrocos. Através do delicado e divertido estilo HUNTIDE ORGU/TOOMAS BENEATH gem de um tigre. Coleccionar provas de infideli-
de El-Faris… o desejo que nasce na adolescên- THE VALLEY OF THE WILD WOLVES dade. Voyeurismo de traição. O adultério e a caça.
cia… a brincadeira e a curiosidade das crian- Chintis Lundgren, Estónia/Croácia ∙ Estonia/ Repensar as relações e a sexualidade. Animação
ças… os adultos a serem adultos em vão. Croatia, anim., 2019, 18’ adulta. O sorriso e o orgasmo solitário. 
O pai lobo perdeu o seu trabalho, mas como A mosquito escapes by the skin of his teeth.
Another hot day in Casablanca’s beach in
é um bonzão resolve começar a trabalhar às A tiger tattoo. Collecting evidence of infidelity.
Morocco. Through El-Faris’s delicate and funny
escondidas como gigolô para manter a famí- Betrayal voyeurism. Adultery and the hunt.
style we witness the emergence of desire in
lia. Por sua vez, a mãe lobo, que está grávida, Rethinking relationships and sexuality. Adult
adolescence, the playfulness and curiosity of
também tem os seus segredos envolvendo animation. The smile and the lonely orgasm. 
children and adults trying to be adults in vain.
seminários de emancipação feminina.
BATALHA
BUGS AND BEASTS BEFORE THE LAW
Father wolf lost his job, but since he is Clara Lazarim/Ricardo Mollan Saito/Caio
Alexis Mitchell/Sharlene Bamboat, Canadá/
Castor/Guilherme Cerqueira César, Brasil ∙ Brazil,
Alemanha ∙ Canada/ Germany, doc./exp., 2019, 33’ a hot male he secretly starts working as
doc., 2019, 15’
O coletivo artístico Bambitchell explora, na a gigolo in order to support his family. Num só plano de cinema podem caber os tur-
linha do facto, da ficção e do ensaio, um con- Mother wolf also has her secrets, involving bulentos destinos de uma democracia. Na rua,
junto de julgamentos na idade medieval que female empowerment seminars. dois realizadores entrevistam a jornalista Marília
colocava no banco dos réus vários animais, Melhado. Com as eleições, o clima político no
mas também objectos inanimados, por crimes Brasil é tenso e apoiantes de Jair Bolsonaro
como o trespasse, roubo ou morte.
CI CURTAS 3/IC SHORTS 3
atentam à liberdade de opinião.
84’
The artistic collaboration Bambitchell explores, 1 TER/TUE, 21:45, CULTURGEST PA ∙ C.163 A single cinema shot can contain the
between fiction, fact and essay, a number of turbulent destinies of a democracy. In
medieval trials where animals and inanimate FIEBRE AUSTRAL the street, two filmmakers interview
objects were accused of different crimes AUSTRAL FEVER the journalist Marília Melhado. With the
such as trespassing, thievery or murder. Thomas Woodroffe, Chile, fic., 2019, 21’ elections, the political atmosphere is tense
Qual a distância que vai da dor ao prazer? and a group of Bolsonaro’s supporters
MOVING Quais os limites da sensitividade do corpo? attack the freedom of opinion.
Adinah Dancyger, EUA ∙ USA, fic., 2019, 8’
Inspirado nas imagens violentas, eróticas e
Quem vive nas grandes cidades vai perceber o THIS MEANS MORE
sedutoras da pintora chilena Carmen Silva, tia Nicolas Gourault, França ∙ France, doc./anim., 2019, 22’
drama. Uma jovem tem uma tarefa sisífica pela
do realizador, esta é a história de uma ferida Imagens de simulação de uma multidão são
frente: carregar um colchão escada acima para
o seu apartamento. Quase sem palavras e fil- que produz prazer. confrontadas com os testemunhos de apoian-
mada em 16mm, esta comédia física é também What’s the gap between pleasure and tes do Liverpool que recordam a tragédia do
uma homenagem à cidade de Nova Iorque. desastre do estádio de Hillsborough em 1989,
pain? What are the body’s limits in terms of
onde morreram 96 pessoas. Os estádios como
People living in big cities will relate to this sensitivity? Inspired by the violent, erotic
lugar de libertação, mas também de controlo.
drama. A young woman has a Sisyphean and seductive images of the Chilean painter
Carmen Silva, aunt of the director, this is a Images of crowd simulation are confronted
task ahead: to carry a mattress up the stairs
with testimonies from Liverpool Football
to her apartment. Almost without words story of a wound that produces pleasure.
Club’s supporters who recall Hillsborough’s
stadium disaster, in 1989, where 96
people died. Stadiums are reflected as
places for both release and control.

ABISSU
Toomas teispool metsikute huntide orgu

Matteo Moeschler, França ∙ France, fic., 2019, 13’


Num estilo delicado, Moeschler ensaia o
regresso de um jovem do campo à sua cidade
de origem. O êxtase do reencontro, a possi-
bilidade de recomeço, a amizade e o amor, as
ruas nocturnas vazias.
In a delicate style, Moeschler portrays the
return of a young man from the countryside to
his hometown. The ecstasy of the reencounter,
the possibility of a fresh start, friendship
and love, the deserted streets at night.

CI CURTAS 4/IC SHORTS 4


85’
2 QUA/WED, 21:45, CULTURGEST PA ∙ C.165

DOUMA UNDERGROUND
Tim Alsiofi, Líbano ∙ Lebanon, doc., 2019, 11’
Enquanto as bombas caíam em Ghouta, um
subúrbio de Damasco, os civis escondiam-se
nas suas caves até que o inferno acalmasse.
Fiebre Austral

Tim Alsiofi era um deles e procurava, com a


ajuda da sua câmara e da poesia, uma forma
de expressão e de sobrevivência.

10
2D, o 3D, a pintura a pastel sobre impressões
live-action ou métodos como a pintura sobre
vidro e serigrafia, esta é uma jornada onírica
em torno de símbolos de morte, cores garri-
das e problemas sem resolução.
Combining several animation techniques like
digital 2D characters, 3D graphic elements,
pastel drawing on live-action print-outs
or silkscreen printing, this is an oneiric
journey around symbols of death, bright
colours and problems with no answer.
Tendre

OS ÚLTIMOS ROMÂNTICOS DO MUNDO


Henrique Arruda, Brasil ∙ Brazil, fic., 2020, 23’
Estamos em 2050. O mundo vai acabar den-
tro de poucas horas numa espécie de nuvem
rosa de algodão doce. A palavra de ordem é:
amem-se. Pois quem pegou pegou e lá no céu
ninguém trepa não.
Os Últimos Românticos do Mundo

We are in 2050. The world is hours away


from its ending, coming in the form of a
cotton candy pink cloud. The order for
everyone is: love yourselves. Because
those who got lucky got lucky, and in
heaven there is no more fooling around.

CI CURTAS 6/IC SHORTS 6


81’
While bombs fell in Ghouta, a suburb of Airbnb. Segunda presença no IndieLisboa. 3 QUI/THU, 21:45, CULTURGEST PA ∙ C.169
Damascus, civilians were hiding in their caves A young girl returns to her home in Barcelona, SEABIRD
until hell was over. Tim Alsiofi was one of them but she hardly recognises the places due Arthur Vermorel, França ∙ France, fic., 2020, 22’
and, with the help of his camera and poetry, to the effects of tourism. She walks through A memória do amor tem certos brilhos. Ela
was trying to survive and express himself. the neighbourhood like in a dream. Her também possui o som do mar, o piar dos pás-
TENDRE old apartment, the one where she lived saros na floresta, um passado disfarçado de
Isabel Pagliai, França ∙ France, doc., 2020, 43’ a past love, is now an Airbnb rental. aparição. Numa tarde soalheira, Pedro reen-
O Verão está uma brasa. E junto ao lago, Mia, contra Inês.
11 anos, pergunta a Hugo, com os seus já vete- The memory of love has a certain glow. It also
CI CURTAS 5 /IC SHORTS 5
ranos 15 anos, como foi a sua história de amor 83’ possesses the sound of sea, the chirping of
com Chaïnes. A linguagem da infância e da 3 QUI/THU, 19:15, CULTURGEST PA ∙ C.167 birds, a past disguised as apparition. On a
memória em torno do amor, do toque, do sunny afternoon, Pedro reencounters Inês.
(YOU’LL MAKE IT IN) FLORIDA
insulto, da tormenta, do beijo…
Phil Chernyak, EUA ∙ USA, fic., 2019, 20’ DÉJEUNER SUR L’HERBE
Summer is hot. By the lake Mia, 11-years- Quão perfeita pode ser uma viagem num carro LUNCH ON THE GRASS
old, asks Hugo, a 15-year-old boy, about mágico pelas maravilhas do Estado da Florida? Jocelyn Charles/Jules Bourgès/Nathan Harbonn
his love story with Chaïnes. The language Ironia ácida, guiada pelos confins da memória Viaud/Pierre Rougemont, França ∙ France, anim.,
2019, 7’
of childhood and its memories around de juventude de Chernyak, na qual a candura
A ciência e o oculto, os ovnis e os crisopídeos.
questions of love, touch, torment, kisses... Disney faz conchinha com séries vintage como
A vida prega partidas e nem um brilhante cien-
Benji ou Flipper.
BLACK SHEEP BOY tista está a salvo, naquela fatídica tarde de
James Molle, França ∙ France, anim., 2020, 15’ How perfect can a magic roadtrip through piquenique junto ao lago.
A busca mais velha do mundo, pela felicidade the wonders of the state of Florida be? Acid
Science and the occult, UFOs and green
e pelo conhecimento. Nesta animação cuja irony, guided by the pits of Chernyak’s youth
lacewings. Life plays tricks on us and not
estética evoca os primeiros videojogos, segui- memory, where Disney’s sweetness meets
even a brilliant scientist is safe, on that
mos as aventuras de um pequeno homem de vintage TV series such as Benji or Flipper.
fatidic evening of a picnic by the lake.
pixéis que procura um consolo espiritual junto
RODEO/DETOUR
de um sábio leão. SHÀNZHÀI SCREENS
Mario Valero, Espanha/França ∙ Spain/France,
Paul Heintz, França/China ∙ France/China, doc.,
The oldest search in the world, a quest for doc./exp., 2020, 33’
2020, 23’
happiness and knowledge. In this animation Como fazer face a um ano complicado? Filmá-lo.
Todas as noites em Shenzhen, na China, um
that invokes the aesthetics of the early Mario Valero assina este filme de viagem, entre
sem número de pintores de réplicas põe-se ao
video games, we follow the adventures cidades e entre rostos, uma vida condensada
trabalho. Paul Heintz, terceira participação no
of a pixelated little man that looks for em MiniDV, um diário de estações, um atalho.
festival (Non-contractuel, 2016 e Foyers, 2019),
spiritual consolation near a wise lion. How to go through a complicated vai registar o seu quotidiano, entre a arte e o
year? Maybe film it. Mario Valero directs trabalho de colarinho azul.
POL.LEN
Blanca Camell Galí, França ∙ France, fic., 2019, 16’ a travel journal, between cities and
Every night in Shenzhen, China, a group
Uma rapariga regressa a casa em Barcelona, faces, a life condensed in MiniDV a
of copyist painters starts working.
mas já pouco reconhece devido aos efeitos diary of the seasons, a detour.
Paul Heintz’s third participation in the
do turismo. Caminha pelas ruas como por um THERE WERE FOUR OF US festival (Non-contractuel, 2016 e Foyers,
sonho estranho. O seu velho apartamento, Cassie Shao, EUA ∙ USA, exp./anim., 2019, 7’ 2019) will register their daily lives,
onde viveu um amor passado, é agora um Combinando técnicas de animação como o between art and blue-collar work.

11
Avant notre heure

Älgen
SUSPENSÃO cos desse período, esta é uma viagem pela sua abordam snacks de bacon. Eis o humor nór-
POISE mente, entre a loucura e a genialidade. dico desta dupla de realizadores, que venceu
Luis Soares, Portugal, anim., 2020, 7’ o prémio do público do festival em 2016 com
From 1922 to 1924, the German art historian
Em 2013, Soares venceu o prémio Novíssimos Small Talk.
Aby Warburg was committed to a psychiatric
do IndieLisboa com a curta de animação Outro
asylum in Kreuzlingen, Switzerland. Using When children play, adults play as well: some
Homem Qualquer. Agora regressa para dar
his writings and clinic reports from that are DJing with microwaves, the others turn
imagem e som a um movimento preciso de
period, this is a journey through his themselves to bacon snacks. This is the Nordic
suspensão: um homem triste no seu quarto
mind, between madness and genius. humour of two directors whose work we
num momento de indecisão.
previously met in 2016, with the short Small
NOTES ON THE WHITE PLASTIC
In 2013, Soares won a prize at Indielisboa Talk, winner of the festival's audience award.
CHAIR: THE MOVIE
in the section Brand New with the short
APRDELESP, México ∙ Mexico, exp., 2019, 16’ ABIDING
animation film Outro Homem Qualquer. Now
Em quase todas as esplanadas de Verão pode- Ugo Petronin, Holanda ∙ Netherlands, doc./exp.,
he returns to give image and sound to a mos ver, à volta da mesa ou empilhadas, aque- 2019, 5’
precise moment of suspension: a sad man las cadeiras plásticas brancas muito leves. Este Pela janela de um comboio, Petronin impres-
in his room facing a moment of indecision. é um filme-ensaio, assinado por um coletivo de sionou uma tira de película numa câmara sem
AVANT NOTRE HEURE arquitetos mexicanos, sobre a famosa cadeira obturador, expondo-a a um fluxo contínuo e
Chloé Terren, França ∙ France, fic., 2019, 22’ monobloco. sequencial de luz. O resultado é a dissolução
O filme de graduação de Chloé Terren na escola In almost every summer terrace one can find, do espaço entre frames e os elementos de uma
La Fémis é um misto de Janela Indiscreta ver- stacked up or around a table, those very paisagem a perder a sua solidez. 
são gentrificação, com uma história de amor light white plastic chairs. This is a film essay, Taken from a train window, Petronin
familiar. Raphaël toma conta do apartamento directed by a collective of Mexican architects, imprinted manually a single image strip,
da sua avó enquanto esta fica num lar. O neto around this famous monobloc chair. using a shutterless camera, exposing it to a
tem de decidir o que lhe vai contar. continuous influx of light. The result is the
ÄLGEN
Chloé Terren’s graduation film is a mix between Erik Svetoft, Suécia ∙ Sweden, anim., 2019, 8’ dissolution of the space between frames,
Rear Window in times of gentrification, Nesta animação de final de curso de Erik elements of landscape losing their solidity.
with a familiar love story. Raphaël is taking Svetoft, os animais estão presos num zoo e MARDI DE 8 À 18
care of his grandmother’s apartment, while servem de entretenimento e humilhação. Cá TUESDAY FROM 8 TO 6
she stays in a nursing home and has to fora as cores fortes anunciam a destruição Cecilia de Arce, França ∙ France, fic., 2019, 26’
decide whether to tell her the truth or not. da natureza. Um filme de dança e libertação. Névine é monitora numa escola secundária,
In Erik Svetoft’s graduation animation empenhada num trabalho ingrato entre profes-
CI CURTAS 7/IC SHORTS 7 project, animals are trapped in a zoo and sores, administração e alunos. Logan, um aluno
77’ are the subject of entertainment and de que ela gosta bastante, insiste em recuperar
4 SEX/FRI, 19:15, CULTURGEST PA ∙ C.171 humiliation. Outside, the strong colours um boné dos perdidos e achados. Um gesto
announce the destruction of nature. com inesperadas repercussões.
THE MEMORY ATLAS
Domenico Centrone, Bélgica/Itália/Portugal ∙  A film about dance and liberation. Névine is a secondary school monitor that
Belgium/Italy/Portugal, doc., 2019, 10’ likes her thankless job. She has to deal
FUN FACTORY
De 1922 a 1924, o historiador de arte alemão Even Hafnor/Lisa Brooke Hansen, Noruega/ with teachers, administration and students.
Aby Warburg esteve internado numa clí- Alemanha ∙ Norway/Germany, fic., 2019, 12’ Logan, a pupil she is fond of, wants to
nica psiquiátrica em Kreuzlingen, na Suíça. Quando as crianças brincam, os adultos brin- get a cap back from lost and found. This
Acedendo aos seus escritos e a relatórios médi- cam: uns fazem de DJ com micro-ondas, outros will bring unexpected consequences.
The Memory Atlas
Fun Factory

12
COMPETIÇÃO
NACIONAL
NATIONAL
COMPETITION
A Competição Nacional
reúne longas e curtas
metragens portuguesas
que têm, na sua maioria,
a primeira apresentação

Ana e Maurizio
mundial no IndieLisboa.
The National Competition
brings together Portuguese
feature and short films that
have, for the most part,
their world premiere at
the festival.

A Arte de Morrer Longe


ANA E MAURIZIO A ARTE DE MORRER LONGE ENTRE LEIRAS
Catarina Mourão, Portugal, doc., 2020, 64’ THE ART OF DYING AFAR THE LIFE WE KNOW
27 QUI/THU, 19:00, CULTURGEST GA ∙ C.121 Júlio Alves, Portugal, fic., 2020, 90’ Cláudia Ribeiro, Portugal, doc., 2020, 82’
30 DOM/SUN, 22:00, CINEMA IDEAL ∙ C.123 31 SEG/MON, 21:30, CULTURGEST GA ∙ C.107 30 DOM/SUN, 19:00, CULTURGEST GA ∙ C.219
A pintora Ana Marchand sempre se sentiu um 4 SEX/FRI, 21:45, CULTURGEST PA ∙ C.109 2 QUA/WED, 19:30, CINEMA IDEAL ∙ C.221
tanto deslocada na sua família. Donde lhe viria Adaptando uma obra do escritor Mário de Cláudia Ribeiro passou sete meses — desde o
o amor pela arte e pela viagem? Em jovem Carvalho, Júlio Alves (Sacavém, IndieLisboa tempo das plantações às colheitas — acompa-
viu um livro de viagens escrito pelo seu tio, 2019) ensaia uma comédia agridoce sobre as nhando o trabalho no campo das irmãs Ana e
Maurizio Piscicelli, e finalmente compreen- relações conjugais, as separações e a comu- Glória, no lugar de Passinhos de Cima, entre
deu. Catarina Mourão (Pelas Sombras, A Toca nicação. Arnaldo (Pedro Lacerda) e Bárbara o Douro e o Tâmega. Um lugar isolado, que
do Lobo, O Mar Enrola na Areia) acompanha (Ana Moreira) pretendem terminar a sua rela- o padeiro, o peixeiro, o merceeiro e os filhos
Ana na sua travessia familiar e espiritual. Quem ção. Não sabemos o motivo, apenas que ambos de ambas visitam uma vez por semana. Um
foi Maurizio? Quem é Ana? O rosto de um, o partilham a “paternidade” de uma tartaruga. filme sobre o retrato de uma forma de vida,
rosto do outro. A reencarnação são as várias Quem ficará com a tartaruga? Para onde que- a agricultura de subsistência, mas também
vidas que vivemos. rerá ela ir? Num jogo do empurra, o animal sobre o humor e ironias da representação e
The painter Ana Marchand always felt a segue o seu caminho. da hospitalidade.
bit dislocated in her family. The love of art Adapting a novel by the Portuguese writer Mário Cláudia Ribeiro spent seven months —
and travel, where did she get those from? de Carvalho, Júlio Alves (Sacavém, IndieLisboa since the time of plantation till the crops
As a young woman she saw a travel book 2019) gives a bittersweet comedy about conjugal — capturing the work in the fields of the
written by her uncle Maurizio Piscicelli and relationships, separations and communication. sisters Ana e Glória, in Passinhos de Cima,
finally understood. Catarina Mourão (Pelas Arnaldo (Pedro Lacerda) and Bárbara (Ana between the rivers Douro and Tâmega. It is an
Sombras, A Toca do Lobo, O Mar Enrola na Moreira) want to end their relationship. We isolated place, which the baker, the fish seller,
Areia) follows Ana’s familiar and spiritual don’t know the reason, but we know they share the grocer and their sons visit once a week.
journey. Who was Maurizio? Who is Ana? the “paternity” of a turtle. Who will stay with This a film on a way of life, the subsistence
The face of one, the face of the other. the turtle? Where would it want to go? In this agriculture, but also about the humour and
Reincarnation are the several lives we live. push-play game, the animal goes its way. the ironies of representation and hospitality. 

13
O FIM DO MUNDO
Basil da Cunha, Suiça/Portugal ∙ 
Switzerland/Portugal, fic., 2019, 107’
29 SÁB/SAT, 18:30, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.563
2 QUA/WED, 18:45, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.565

A Metamorfose dos Pássaros


Sete anos depois de Até Ver a Luz, Basil da
Cunha regressa à Reboleira para contar esta
história de regressos, de fins, um retrato de
uma juventude e de um espaço social. Spira,
18 anos, está de volta ao bairro após anos num
centro de detenção juvenil. Os amigos conti-
nuam lá, assim como as festas ou os esque-
mas para ganhar a vida. As retroescavadoras
destroem as casas do bairro, Iara entretanto
A group of people, one table, one anniversary.
tornou-se uma mulher e o tráfico é sonho e
pesadelo.
CN CURTAS 1/NC SHORTS 1 And all the small rituals that we’ve seen before:
77’ from the initial hunger until the numbness
Seven years after Até Ver a Luz, Basil da 26 QUA/WED, 21:45, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.173 and the slow joy of a get together meal.
Cunha returns to Reboleira to tell this story 3 QUI/THU, 18:45, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.175
So much can be revealed about people
of returns, endings, a portrait of a youth and
MOÇO/DRIVING BY THE PEASANTS’ LAND by the simple act of being at the table.
a social space. Spira, 18 years old, is back
Bernardo Lopes, Portugal, fic., 2020, 13’
after years in a juvenile detention centre.
Um dia João, jovem adolescente, decide não
Friends are still there, so are parties and BUSTARENGA
regressar a casa. Porque lá moram uma mãe
schemes to make a living. Bulldozers tear Ana Maria Gomes, Portugal/França ∙
infeliz e um pai ausente. Com Carlotto Cotta. Portugal/France, doc., 2019, 35’
down houses in the neighbourhood, Iara in
Produzido por Luís Galvão Telles e Justin Ana Maria Gomes regressa à aldeia de
the meantime became a woman, and drug
Amorim. Bustarenga no interior de Portugal e começa
trafficking is both a dream and a nightmare.
One day, João, a young adolescent, a ouvir o “mantra” habitual: “já com essa idade
decides not to return home. Because there e ainda solteira e sem filhos?” Um filme acerca
lives an unhappy mother and an absent das pressões sociais e dos lugares de uma
A METAMORFOSE DOS PÁSSAROS father. With Carlotto Cotta. Produced by ainda dominante masculinidade.
THE METAMORPHOSIS OF BIRDS Luís Galvão Telles and Justin Amorim.
Catarina Vasconcelos, Portugal, doc., 2020, 101’ Ana Maria Gomes returns to Bustarenga,
1 TER/TUE, 21:45, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.115 PARTO SEM DOR/PAINLESS LABOUR a village in the interior of Portugal, and
3 QUI/THU, 22:00, CINEMA IDEAL ∙ C.117 Maria Mire, Portugal, doc./exp., 2020, 22’ starts to hear the usual “mantra”: “already
Premiada na nova secção Encounters do Festival Os vizinhos pregam-nos partidas, fazem-nos with that age and still single and no kids?”
de Berlim, esta é uma obra que pertence às famí- surpresas. Cesina Bermudes, médica obstetra A film about the social pressures and the
lias e seus mistérios. Em particular, a família da reformada, bateu uma vez à porta da casa de places of a still dominant masculinity.
realizadora e a figura de Beatriz, sua avó, que Mire oferecendo ajuda. A realizadora agra-
se casou com Henrique, oficial da marinha, aos deceu e, com a sua memória e criatividade,
CN CURTAS 2/NC SHORTS 2
21 anos. Com o marido no mar, Beatriz tratou devolveu o gentil gesto. 79’
de seis filhos, entre os quais Jacinto, o pai da Sometimes neighbors play tricks and 28 SEX/FRI, 21:45, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.177
cineasta. Ser mãe, imaginar, viver sem liberdade, surprise us. Cesina Bermudes, a reformed 3 QUI/THU, 21:30, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.179
tudo é metamorfose criativa e emocional nesta obstetrics doctor, once knocked at O CORDEIRO DE DEUS
primeira longa de Vasconcelos. Mire’s door offering help. The director THE LAMB OF GOD
Awarded at the Berlin Film Festival, this work thanked and, with her memory and David Pinheiro Vicente, Portugal/
belongs to the families and its mysteries. creativity, returned the gentile gesture. França ∙ Portugal/France, fic., 2020, 15’
In particular, the director’s family and her Após a estreia de Onde o Verão Vai: episódios
MESA
grandmother Beatriz, who got married at da juventude (Festival de Berlim, 2018) David
João Fazenda, Portugal, anim., 2020, 7’
21 with the navy officer Henrique. With her Pinheiro Vicente continua a dar-nos um cinema
Um grupo de pessoas, uma mesa, um aniver-
husband away at sea, Beatriz raised their sensorial, do toque e do olhar. Produzido por
sário. E todos aqueles pequenos rituais que
six children. And among them, Jacinto, Gabriel Abrantes, esta é a Páscoa do cresci-
já vimos: da fome inicial ao torpor e alegria
the filmmaker’s father. To be a mother, mento, do desejo e da carne.
lenta de uma refeição em conjunto. Tanto se
to imagine, to live without freedom,
pode compreender sobre as pessoas através After the première of Onde o Verão Vai:
everything is a creative and emotional
de um simples acto como o de estar à mesa. episódios da juventude (Berlin Film Festival,
metamorphosis in Vasconcelos’ first feature.
2018) David Pinheiro Vicente continues with
his sensorial cinema, of touch and gaze.
Produced by Gabriel Abrantes, this is the
Easter of growing up, desire and the flesh.

SEMANAS DE AREIA, MESES


DE CINZA, ANOS DE PÓ
Rita Macedo, Portugal/Alemanha ∙ Portugal/
Germany, doc./exp., 2020, 19’
Rita Macedo (Implausible Things; This Particular
Nowhere — IndieLisboa 2014 e 2015) viveu
nos anos 90 em Macau com a sua família.
Parto Sem Dor

Através de um olhar reflexivo, a autora laça


a sua memória e a História. Ambos momen-
tos de uma mesma finitude e transformação.

14
Rita Macedo (Implausible Things; This An encounter with nature, contact and Regada é uma experiência de imersão nos ele-
Particular Nowhere — IndieLisboa 2014 and affection, the movement of a familiar circle. mentos, tudo é vivido através dos sentidos,
2015) lived in the nineties in Macao with her numa paisagem sonora e visual.
A RAINHA
family. With a reflexive look, the filmmaker Lúcia Pires, Portugal, fic., 2020, 17’ In Serra do Açor, Rafael Toral’s family
unites her memory and History. Both moments No Oeste de Portugal surge subitamente uma works on the land. In particular, a task
of the same finitude and transformation. mulher misteriosa. Todos a tinham visto, mas of renovation, after a devastating fire.
SOMEWHERE IN OUTER SPACE THIS ninguém sabia quem era. Mãe, fada, anjo, dona Regada is an experience of immersion in
MIGHT BE HAPPENING SOMEHOW de uma vinha? Com recurso a depoimentos e the elements, everything lived through the
Paulo Malafaya, Portugal, doc., 2019, 17’ imagens de arquivo, Lúcia Pires (Fauna, 2018) senses, in a sonorous and visual landscape.
Inspirado pelo cinema diarístico de Jonas questiona a efabulação e a existência sem
A CHUVA ACALANTA A DOR
Mekas, Malafaya organiza as filmagens que prova. Leonardo Mouramateus, Portugal/
fez no último ano e meio da sua vida. Poesia Brasil ∙ Portugal/Brazil, fic., 2020, 28’
Suddenly a mysterious woman appears
visual, entre a nostalgia da beleza e a caça das “Quanto pesa uma nuvem?”, pergunta Lucrécio.
in the West of Portugal. Everybody had
imagens, entre o aborrecimento e a dança. O filósofo romano vê o seu desejo afectado
seen her, but no one knew her. Mother,
Inspired by the diaristic cinema of Jonas fairy, angel, owner of a wine business? pelo desespero, habitando o abismo entre
Mekas, Malafaya organises the videos Lúcia Pires’s (Fauna, 2018) film questions a ciência e a magia. Baseado num conto de
he’s been shooting for the past year and confabulation and existence without a proof. Marcel Schwob, Mouramateus cruza, com iro-
half of his life. A visual poem between nia, o clássico e o contemporâneo.
CORTE
the nostalgia of beauty and the hunt for “How much does a cloud weigh?”, asks
Afonso Rapazote/Bernardo Rapazote, Portugal,
images, between boredom and dancing. fic., 2020, 28’ Lucretius. The roman philosopher has
ERRAR A NOITE/NIGHTENDER A morte da rainha deixou a corte vazia de pre- his desire affected by despair, inhabiting
Flávio Gonçalves, Portugal, fic., 2020, 28’ senças femininas durante vários anos. Entre the abyss between science and magic.
Paulo trabalha num bar e quando acaba o seu uma chávena de chá e uma ironia tão fina Based on a Marcel Schwob’s short
turno, erra pela noite lisboeta. Entre o tom quanto a ponta de um sabre, Corte é um jogo story, Mouramateus crosses, with irony,
romântico e desolado, Flávio Gonçalves (De de xadrez envolvendo um assassinato e um the classic and the contemporary.
manhã, IndieLisboa 2013) filma na poesia da nascimento, uma luta pela sucessão ao trono.
A MORDIDA/THE BITE
noite. Uma poesia feita de encontros, de luzes The death of the queen left the court empty of Pedro Neves Marques, Brasil/Portugal ∙ Brazil/
ferozes, de corpos que amam e temem.  feminine presences for several years. Between a Portugal, fic., 2019, 26’
Paulo works in a bar and when his shift is cup of tea and a irony as sharp as a saber end, Num laboratório modificam-se geneticamente
over he wonders through the Lisbon night. Corte is a chess game involving a murder and os mosquitos macho para transmitir um gene
Between a romantic and desolate tone, Flávio a birth, a fight for the succession to the throne. letal às fêmeas. Um homem, uma mulher e
Gonçalves films in the poetry of the night. uma mulher transgénero vivem uma relação
poliamorosa. Contra a epidemia reaccionária,
A poetry made of encounters, ferocious CN CURTAS 4/NC SHORTS 4
lights and bodies that love and fear. 87’ a autonomia da intimidade e da reprodução.
31 SEG/MON, 18:45, CULTURGEST GA ∙ C.185 In a laboratory, male mosquitoes are modified
4 SEX/FRI, 21:30, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.187 in order to transmit a lethal gene to the
CN CURTAS 3/NC SHORTS 3
89’ MEINE LIEBE females. A man, a woman and a woman
30 DOM/SUN, 21:45, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.181 Clara Jost, Portugal, doc./fic./exp., 2020, 6’ transgender live in a polyamorous relationship.
4 SEX/FRI, 18:45, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.183 Uma rapariga compra um tomateiro. Cola-o Against the epidemic of the reactionary, the
num vaso grande demais e o tomateiro depri- autonomy of intimacy and reproduction.
SUSPENSÃO/POISE
Luis Soares, Portugal, anim., 2020, 7’ me-se. Acaba por dar apenas um tomatinho,
CARNAGE
mas é tempo de dizer adeus. Adeus tomati- Francisco Valente, Portugal/EUA ∙ Portugal/USA,
Em 2013, Soares venceu o prémio Novíssimos
nho, até qualquer dia. doc., 2020, 9’
do IndieLisboa com a curta de animação Outro
Homem Qualquer. Agora regressa para dar A girl buys a tomato plant. She puts it in a Nova Iorque, 2020. Uma cidade entre as pro-
imagem e som a um movimento preciso de vase too big for its size. The tomato plant fecias de John Carpenter (They Live; Escape
suspensão: um homem triste no seu quarto gets depressed. It only gives one little from New York) e as de um Trump redentor.
num momento de indecisão. tomato. But still it is time to say goodbye. Os arranha-céus apontam para o céu, mas,
Goodbye little tomato, see you sometime. ao mesmo tempo, enclausuram como muros.
In 2013, Soares won a prize at Indielisboa
in the section Brand New with the short REGADA New York, 2020. A city caught in between
animation film Outro Homem Qualquer. Now Francisco Janes, Portugal, doc./exp., 2020, 18’ the prophecies of John Carpenter (They Live;
he returns to give image and sound to a Na Serra do Açor, a família de Rafael Toral tra- Escape from New York) and Trump’s supposed
precise moment of suspension: a sad man balha sobre a terra. Em particular uma tarefa redemptive power. Skyscrapers point to the sky,
in his room facing a moment of indecision. de renovação, após um devastador incêndio. but, at the same time, cage up like border walls.

A DANÇA DO CIPRESTE
Mariana Caló/Francisco Queimadela, Portugal,
doc./exp., 2020, 37’
A dupla Francisco Queimadela e Mariana Caló
(A Trama e o Círculo, 2015 e Sombra Luminosa,
2018) realiza esta viagem sensorial, entre o
documental e a imaginação. Um encontro com
a natureza, o contacto e o afecto, o movimento
de um círculo familiar.
The duo Francisco Queimadela & Mariana
Caló (A Trama e o Círculo, 2015 and Sombra
A Mordida

Luminosa, 2018) directs this sensory journey,


between documentary and imagination.

15
NOVÍSSIMOS
BRAND NEW
Secção competitiva
constituída por filmes de
jovens cineastas. Alguns
realizaram o seu filme
em contexto escolar,
outros foram destemidos
ao ponto de realizarem
sozinhos uma primeira
obra, independentemente

Sábàtina
de qualquer apoio.
Portugal continua a afirmar
novas vozes no contexto
cinematográfico que
queremos apoiar e mostrar.
Competitive section
comprising films by
Portuguese young filmmakers.
Some directed their film
in a school context; others
were fearless enough to
direct a first film without any
support. Portuguese cinema

Estrada para o Céu


continues to affirm surprising
new voices that the festival
wants to support and show.
Lazarus came back from the dead. constroem uma nave e partem em busca de
NOVÍSSIMOS 1/BRAND NEW 1 Where do we go after we’re dead? In Club Splendida, algures no espaço.
84’ the National Museum of History and Caio Soares defines his film as a “queer-
26 QUA/WED, 19:00, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.555 Science, taxidermy suspends the end and camp science-fiction web series” that
maintains eternity. Between going and tries to explore the dynamics of the small
ESTRADA PARA O CÉU
staying, there is no on and off button. collective structures. In other words, five
Pedro Vaz Simões, Portugal, fic., 2020, 17’
Os espaços em que vivemos e os espaços em SÁBÀTINA friends build a spaceship and start to look
que imaginamos viver. Uma mãe e um filho Rafael dos Santos, Portugal, anim., 2019, 2’ for Club Splendida, somewhere in space.
habitando juntos num apartamento da cidade. “O diabo, um bebé e outros animais encon-
SELVAJARIA
Mas cada um na sua paisagem: uma ida aos tram-se para celebrar qualquer coisa, após
SAVAGERY
píncaros da terra via google; um veado em terem morrido.” Assim descreve Rafael dos Camila Vale, Portugal, fic., 2020, 33’
Santos a sua estreia no cinema. Um ritual de Uma rapariga vive rodeada de aparelhos,
perigo; o que fazer?  
estupefacção, um ciclo de experimentação, cabos e o brilho de ecrãs. O seu trabalho é
The spaces we live in and the spaces we dois minutos e pouco sobre o que morre e vive.  de arranjar máquinas estragadas. A sua soli-
imagine to live. A mother and a son in a city
“The Devil, a baby and other animals get dão é quebrada, momentaneamente, pelas
apartment. But each in his own landscape:
together to celebrate something, after having presenças online, por partilhas de sonhos e
a travel to the pinnacles of Earth through viagens lynchianas.
died.” This is the way dos Santos describes
google; a deer in danger; what do to?
his first cinematic work. A stupefaction A girl lives surrounded by gadgets, cables
LÁZARO ritual, an experimentation cycle, two and a and the brightness of screens. Her work is
LAZARUS half minutes about what lives and dies.  fixing broken machines. Her loneliness is
Concha Silveira/David Cruces/Alba Dominguez, momentarily broken by online presences,
CLUB SPLENDIDA
Portugal, doc./exp., 2019, 8’ the sharing of dreams and lynchian voyages.
Caio Amado Soares, Alemanha/
Lázaro ressuscitou do reino dos mortos. Para Portugal ∙ Germany/Portugal, fic., 2019, 24’
onde vamos depois de morrer? No Museu Caio Soares define este seu filme como uma
Nacional de História e da Ciência, a taxidermia “série web de ficção científica queer-camp”,
suspende o fim e mantém a eternidade. Entre o que procura explorar as dinâmicas das peque-
ir e ficar, não há um interruptor que faça on e off. nas estruturas colectivas. Isto é, cinco amigos

16
Elba has been through a lot. Her daily routine posicionamento dos objectos à sua volta. Por
NOVÍSSIMOS 2/BRAND NEW 2 is made of house chores and field work, infelicidade vive numa casa-barco onde a osci-
85’ taking care of the animals, writing “letters in lação e instabilidade são a norma.
27 QUI/THU, 19:00, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.557 the air” to eternity. The collective of directors
Nestor is a man who suffers from obsessive-
Los Segundos filmed a letter of reply,
ODE À INFÂNCIA/ODE TO CHILDHOOD compulsive behaviours, affecting the position
Luís Vital/João Monteiro, Portugal, anim., 2019, 7’ inspired by Elba’s resistance and strength. 
of the objects around him. Unfortunately,
Pela mão do seu pai, uma tímida menina vai LANIAKEA SUPERCLUSTER he lives in a houseboat, where the
ao parque brincar. Mas quando descobre uma Rodrigo Ralha, Portugal, doc./exp., 2019, 11’ oscillation and instability are the norm.
outra menina cheia de energia brincam sem Laniakea Supercluster é um superaglomerado
parar. No final daquele dia mágico nada ficará de galáxias que contém a nossa Via Láctea.
como dantes. Neste filme-viagem, ora melancólico, ora NOVÍSSIMOS 3/BRAND NEW 3
inquietante, avançamos musicalmente pelos 102’
A shy girl visits the park with her protective
elementos que somos. O animal, a água, o céu, 29 SÁB/SAT, 15:30, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.559
father. But when she meets another girl full
manequins e pedras quebradas. 31 SEG/MON, 18:45, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.561
of energy they play nonstop. At the end of
that magical day, nothing will be like before.  Laniakea is a galaxy supercluster that contains ALTAS, AS GAIVOTAS
our Milky Way. In this melancholic, disquieting Marianne Harlé, Portugal, fic., 2020, 18’
À TARDE, SOB O SOL/AFTERNOON SUN
film-journey, we proceed musically through Amélia chega a um porto industrial. As fábri-
Gonçalo Pina, Portugal, fic., 2020, 10’
the elements we’re made of. The animal, the cas, os pequenos barcos, a água paciente na
O desejo não é um assunto para as palavras. É
sim uma leveza que pesa nas tardes sem vento,
water, the sky, mannequins and broken stones. noite. Num impulso resolve meter-se num dos
nas roupas molhadas a secar, nos banhos de barcos. Mas neste seu mundo, há também o
CONTRAFOGO
água calda na piscina. À noite, os insectos Carolina Vieira, Portugal, doc./exp., 2020, 10’ mundo dos outros. Por exemplo, um pescador
são atraídos pela luz, pois o desejo não é um Um pequeno teatro de sombras. A família mais velho que ali vai para trabalhar.
assunto para as palavras. encena a cineasta. A realizadora-tela revela- Amélia comes to an industrial port. Factories,
Desire is not a subject for words. It is instead a -nos, pelo cinema, a relação com a sua famí- little boats, the patient water in the night.
lightness that weighs on windless afternoons, lia. Pessoa e sombra, campo contracampo, o In an impulse she decides to use one of
on wet clothes drying in the sun, on warm quotidiano do que nos rodeia molda-nos, e the boats. But in her own world, there is
water pool baths. At night, insects are drawn to por sua vez, queima, transforma-se.  also the world of others. Namely, of an
light, because desire is not a subject for words. A small shadow play. The family directs older fisherman that goes there to work.
the director. The filmmaker turned
THE SACRIFICE OF THE DRUIDS LA LEYENDA NEGRA
projection screen reveals us, through
Reinaldo Pinto Almeida, Portugal, doc./exp., Patricia Vidal Delgado, EUA/Portugal ∙ 
2020, 7’ cinema, the relationship with her family.
USA/Portugal, fic., 2020, 84’
A luz revela, mas pode sacrificar. A partir de Person and shadow, shot reverse shot,
O ano passado a curta The Hood de Patrícia
um trabalho de improvisação visual e sonora, the surrounding everyday moulds us
Delgado esteve em competição nacional no
Reinaldo Almeida explora as ligações entre and, in turn, burns and transforms.
IndieLisboa. A realizadora portuguesa, sediada
a lenda dos druidas e uma misteriosa casa. SUB CORRENTE em Los Angeles, estreia-se agora no formato
Exercício de atmosfera que une o que nos UNDER CURRENT longo, com esta história de crescimento de
contam e o que queremos contar. Alice dos Reis, Portugal, fic., 2020, 16’
uma jovem estudante latina, Aleteia, que pro-
Light reveals, but can also sacrifice. Na obra de Alice dos Reis, artista residente
cura prosseguir os seus estudos universitá-
Working with visual and sonorous entre Lisboa e Amesterdão, o mundo marinho
rios. Com estilo realista e olhar atento esta é
improvisation, Reinaldo Almeida explores tem sido objecto de reflexão. Nesta ficção,
também uma visão sobre o momento tenso
os cardumes de krill carregam nanocâmaras.
the connection between the legend of da política americana e as divisões existentes
Estarão conscientes das imagens que pro-
the druids and a mysterious house. An na comunidade hispânica. 
duzem e que são objecto do olhar humano? 
atmosphere exercise that ties what we
In the work of Alice dos Reis, an artist Last year Patrícia Delgado’s short film Hood
are told and what we want to tell.
working and living between Amsterdam and was presented in the national competition
MULHER COMO ÁRVORE at IndieLisboa. The Portuguese director,
Lisbon, the sea world has been the subject
Flávio Ferreira/Helder Faria/Alejandro Vásquez/
of reflection. Here, krill swarms carry nano- L.A. based, signs now her first feature film,
Daniela Cajias/Carmen Tortosa, Portugal, doc.,
2020, 18’ cameras. Are they conscious of the images a coming of age story of a young Latin
Elba já viveu muito. A sua rotina é feita de they produce as seen by a human gaze?  student, Aleteia, who looks forward to
tarefas em casa e no campo, do cuidado pursuing her studies at the university. With
NESTOR
dos animais, de “cartas no ar” que escreve à João Gonzalez, Portugal/Reino Unido ∙  a realistic style and attentive look, this is
eternidade. O colectivo de realizadores Los Portugal/United Kingdom, anim., 2019, 6’ also a vision of the tense American political
Segundos filmou uma carta de resposta, a Nestor é um homem que sofre de um distúr- atmosphere at the moment, as well as the
partir da resistência e força de Elba. bio obsessivo compulsivo, relacionado com o dissensions within the Hispanic community.
Mulher como Árvore

La Leyenda Negra

17
SILVESTRE
Mostrando obras de
jovens cineastas e
autores consagrados,
esta secção competitiva
encontra na singularidade
a sua norma. Mostramos,
sob a asa de Silvestre,

Breve Miragem de Sol


obras que rejeitem
fórmulas consagradas,
que despertem novas
linguagens e cuja
rebeldia espelhe o
espírito do festival.
Showing works by young
filmmakers and renowned
authors, this section finds
the norm in its singularity.
Under the wing of Silvestre
we show works that reject
consecrated formulas, which
awaken new languages ​​
and whose rebellion mirrors
the spirit of the festival.

Cemetery
BREVE MIRAGEM DE SOL CEMETERY LOS CONDUCTOS*
BURNING NIGHT Carlos Casas, França/Reino Unido/Polónia/ Camilo Restrepo, Colômbia/França ∙ Colombia/
Eryk Rocha,Brasil/França/Argentina ∙ Uzbequistão ∙ France/United Kingdom/Poland/ France, fic., 2020, 70’
Brazil/France/Argentina, fic., 2019, 98’ Uzbekistan, doc., 2019, 85’ 26 QUA/WED, 18:45, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.531
1 TER/TUE, 19:30, CINEMA IDEAL ∙ C.145 27 QUI/THU, 18:45, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.157 30 DOM/SUN, 18:45, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.533
Paulo não consegue pagar a pensão de ali- Nga é um elefante velho e cansado e Sanra Filmado em 16mm, a primeira longa de
mentos à ex-mulher. Para poder voltar a ver o o seu fiel guia. Podia ser o início de um filme Camilo Restrepo (La impresión de una guerra,
filho, começa a trabalhar como taxista nas noi- da Disney, mas não. Antes um filme de aven- IndieLisboa 2016 e Cilaos, IndieLisboa 2017) é
tes do Rio de Janeiro. Pelas janelas do carro, turas em slow motion? Casas fará o especta- uma fuga, uma alucinação e uma febre. Pinky
pelas histórias dos seus passageiros, começa dor devir elefante, comungando do seu olhar escapa a uma seita e refugia-se numa fábrica
a viagem e a autópsia a uma cidade, onde o impassível e sereno. É uma viagem em que de t-shirts ilegais. Há uma hipnótica viagem a
sol já só chega por miragem. Existências noc- homem e animal buscarão o mítico cemitério fazer por corredores, tintas, slogans e armas. O
turnas, sombras cansadas, solidão e silêncio dos elefantes, onde aquele poderá acabar os objectivo é a libertação. Um cinema que sonha
que observam. Prémio de representação para seus dias. Mas é sobretudo um filme cosmo- uma outra Colômbia: sem opressão, corrupção
Fabrício Boliveira no festival de cinema do lógico, sobre a morte, a reencarnação, a hipó- ou instrumentalização religiosa.
Rio de Janeiro. tese do não humano.
Fimed in 16mm, Camilo Restrepo’s first
Paulo cannot afford to pay alimony to his Nga is a tired and old elephant. Sanra, his faithful feature film (La impresión de una guerra,
ex-wife. In order to be able to see his son guide. This could be the beginning of a Disney IndieLisboa 2016 e Cilaos, IndieLisboa 2017)
again, he starts working at night as a taxi driver film. But no. Is this a slow-motion adventure film? is an escape, an hallucination and a fever.
in Rio de Janeiro. Through the windows of Casas will transform the spectator’s gaze into Pinky runs away from a sect and takes
the car, through the stories of his passengers, the impassive and serene look of the elephant. refuge in a factory of illegal t-shirts. There
starts the journey and autopsy of a city. A city It is a journey where man and animal will look is a hypnotic journey to be made between
* FORA DE COMPETIÇÃO

for the mythical elephant cemetery, where


OUT OF COMPETITION

where the sun only arrives through a mirage. corridors, paints, slogans and guns. The
Nocturnal existences, tired shadows, solitude Nga can finish his days. But this is above all a aim is liberation. A cinema that dreams of
and silence that observe. Fabrício Boliveira cosmological film about death, reincarnation another Colombia: without oppression,
won the acting prize at Rio Film Festival. and the hypothesis of the non-human. corruption or religious instrumentalization.

18
JEANNE/JOAN OF ARC HER NAME WAS EUROPA OUVERTURES
Bruno Dumont, França ∙ France, fic., 2019, 138’ Anja Dornieden/Juan David Gonzalez Monroy, The Living and the Dead Ensemble, França/
27 QUI/THU, 21:45, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.507 Alemanha ∙ Germany, doc./exp., 2020, 76’ Reino Unido ∙ France/United Kingdom, doc.,
5 SÁB/SAT, 21:30, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.509 2 QUA/WED, 19:00, CULTURGEST GA ∙ C.253 2020, 132’
Joana d’Arc é um símbolo da espiritualidade A dupla Dornieden e Monroy, também conhe- 28 SEX/FRI, 22:00, CINEMA IDEAL ∙ C.569
ocidental e o coração da psyche social francesa. cida por OJOBOCA, trabalha a ficção e a fábula Em 2017, o realizador Louis Henderson e o pro-
Em 2017, Dumont realizou Jeannette, l’enfance a partir de argumentos científicos. Aqui essa dutor Olivier Marboeuf foram ao Haiti onde tra-
de Jeanne d’Arc, um musical baseado numa base é a investigação sobre o auroque, uma balharam com um grupo de artistas do país na
peça de Charles Péguy. Jeanne é a sequela que espécie de bovino selvagem, primeiro caso tradução para crioulo haitiano e na represen-
recupera, do filme anterior, Lise Prudhomme, documentado de extinção no séc. XVII. Com tação de uma peça. Tratava-se de “Monsieur
de apenas 10 anos, para encarnar a heroína. recurso a película em 16mm e uso inventivo Toussaint” de Édouard Glissant, que acompa-
Não estamos aqui no realismo histórico, mas do som, o desaparecimento e a tentativa de nha os últimos dias do herói da independência
sim na modernização de um mito a partir de recuperação deste mítico animal é o ponto de haitiana, Toussaint Louverture. Desse traba-
uma infância que se renova, de uma condição partida para uma relação com uma também lho e de momentos de improvisação nasce o
feminina que se liberta. mítica noção de Europa.  filme, obra colectiva de ressurreição e reden-
ção histórica.
Joan D’Arc is a symbol of occidental spirituality The duo Dornieden and Monroy, also known
and of a certain social French psyche. In as OJOBOCA, works fiction and fable from In 2017, the director Louis Henderson and the
2017, Dumont directed Jeannette, l’enfance the use of scientific arguments. Here we producer Olivier Marboeuf went to Haiti to
de Jeanne d’Arc, a musical based on a play have the investigation about the Auroch, work with a group of artists on the translation
by Charles Péguy. Jeanne is the sequel that a species of wild bovine, first documented to Haitian Creole and the rehearsing of a
recuperates from the first film the 10-year- case of extinction in the seventeen play. This was Édouard Glissant’s “Monsieur
old Lise Prudhomme for the role of Joan. We century. With 16 mm film and an inventive Toussaint”, about the last days of the Haitian
are not in historical realism here, but in the use of sound, the disappearance and revolutionary hero Toussaint Louverture. From
modernisation of a myth from an ever-renewing efforts to recuperate this mythical animal this work, as well as improvisation moments,
childhood, from a freed female condition. are the starting points for a relationship the film was born. A shared authorship work
with an also mythical idea of Europe.
La femme de mon frère of resurrection and historical redemption.
Jeanne

LA FEMME DE MON FRÈRE ISABELLA OVERSEAS


A BROTHER’S LOVE Matías Piñeiro, Argentina/França ∙ Sung-a Yoon, Bélgica/França ∙ Belgium/France,
Monia Chokri, Canadá ∙ Canada, fic., 2019, 107’ Argentina/France, fic., 2020, 78’ doc., 2019, 90’
25 TER/TUE, 19:00, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.100 30 DOM/SUN, 21:30, CULTURGEST GA ∙ C.503 2 QUA/WED, 21:30, CAPITÓLIO ∙ C.571
3 QUI/THU, 21:30, CULTURGEST GA ∙ C.515 5 SÁB/SAT, 18:45, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.505 Numa escola filipina as alunas aprendem a
Em 2014, o IndieLisboa mostrou a curta Como acontecia com Éric Rohmer, que sempre fazer as tarefas domésticas e a cuidar de
Quelqu’un d’extraordinaire, a estreia na reali- gostou de trabalhar por séries de filmes, tam- bebés. O objectivo é serem contratadas para
bém Piñeiro tem-se dedicado àquilo que chama trabalhar em casas no estrangeiro. Mas apren-
zação de Monia Chokri, que conhecemos dos
de “Shakespereadas”. Filmes que adaptam dem mais do que isso. Como lidar com a agres-
filmes de Xavier Dolan. A sua primeira longa
comédias do dramaturgo inglês às relações são verbal de uma patroa descompensada?
metragem desenvolve, numa hilariante e inte-
de uma geração contemporânea jovem. Aqui Como reagir a um assédio sexual? Como supor-
ligente comédia, o mesmo tema do filme ante-
a peça é Medida por Medida e no seu centro tar a distância e a saudade dos filhos que fica-
rior: a passagem à idade adulta de uma jovem
está um mosaico preciso, de temporalidade ram nas Filipinas? Este é um filme que reflecte
mulher. Neste caso, Sophia (a extraordinária
não linear, em que as escolhas profissionais sobre a escravatura moderna num mundo
Anne-Élisabeth Bossé), recém doutorada que, e pessoais da actriz Mariel (María Villar) são globalizado. 
sem perspectivas profissionais, vive (ainda) postas em equação.
In a Philippine school young women learn
com o seu irmão mais velho.
Similarly to Éric Rohmer, who always liked how to do domestic chores and to babysit.
In 2014, IndieLisboa programmed the short film to organise his films through series, Piñeiro Their goal is to be hired and work abroad
Quelqu'un d'extraordinaire, Monia Chokri’s debut has also been doing what he calls the in their bosses’ households. But they learn
work, an actress we know from Xavier Dolan’s “Shakespeareads”. Films that adapt comedies by more. They have to know how to deal with
films. Her first feature film, an intelligent and the English dramaturg to the relationships of a sexual, verbal and physical abuse. And how
CERIMÓNIA DE ABERTURA

hilarious comedy, develops the same theme: the contemporary youth generation. Here the play is to resist being far from their loved ones. This
OPENING CEREMONY

coming of age of a young woman. In this case Measure for Measure and in its centre is a precise is a film that addresses female condition, as
it’s Sophia (the extraordinary Anne-Élisabeth mosaic, of a nonlinear temporality, in which well as modern slavery in a globalised world.
Bossé), who recently got her PhD degree but the professional and personal choices of the
doesn’t have bright professional options. She actress Mariel (María Villar) are being equated.
still lives with her older brother, her best friend.

19
Todos os Mortos
Rizi
RESPONSABILIDAD EMPRESARIAL SI C’ÉTAIT DE L’AMOUR/IF IT WERE LOVE TIPOGRAFIC MAJUSCUL*
CORPORATE ACCOUNTABILITY Patric Chiha, França ∙ France, doc., 2020, 82’ UPPERCASE PRINT
Jonathan Perel, Argentina, doc./exp., 2020, 68’ 27 QUI/THU, 22:00, CINEMA IDEAL ∙ C.591 Radu Jude, Roménia ∙ Romania, doc., 2020, 128’
25 TER/TUE, 21:30, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.575 1 TER/TUE, 22:00, CINEMA IDEAL ∙ C.593 29 SÁB/SAT, 22:00, CINEMA IDEAL ∙ C.629
28 SEX/FRI, 19:15, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.577 Quinze bailarinos, em tournée, dançam a peça 5 SÁB/SAT, 21:45, CULTURGEST PA ∙ C.631
No período da ditadura argentina (1976 -1983), Crowd da coreógrafa Gisèle Vienne. O palco é O ponto de partida de Tipografic majuscul é a
vários foram os cúmplices do sector social pista de dança, em homenagem às raves dos história verídica de uns graffitis que surgiram
que contribuíram para a repressão, sem nunca anos 90. Impulsos eróticos, encontros alea- em 1981 pintados na sede do partido comu-
terem sido responsabilizados. Em novembro de tórios, amor em super slow motion. O realiza- nista, em Botoșani, com mensagens críticas
2015, o Ministro da Justiça e Direitos Humanos dor documenta o seu trabalho, mas eis que ao regime de Ceaușescu e toda a investiga-
elaborou um extenso relatório com 25 casos a dança cai no abismo criativo do cinema. E ção subsequente para encontrar e “corrigir” o
comprovados dessa responsabilidade por as fronteiras — entre corpos, entre relações, culpado. Recorrendo a uma peça que a ence-
parte de várias empresas. Esse livro nunca foi entre palco e realidade — tornam-se cada vez nadora Gianina Cărbunariu fez sobre o caso,
publicado e Perel procura aqui torná-lo visível, mais fluídas, nesta jornada através da noite, do mas também a vídeos de arquivo, Jude pro-
defronte da sede de muitas dessas empresas. amor e da dança. blematiza acerca da formatação do indivíduo
In the period of Argentina dictatorship (1976 Fifteen dancers tour the piece Crowd by the em tempos ditatoriais.
-1983) there were several civil accomplices choreographer Gisèle Vienne. The stage is The starting point of Uppercase Print is the
that contributed to repression and were a dance floor, in homage to the 90’s raves. true story of some graffities that appeared
never taken to justice. In November 2015, Erotic impulses, random encounters, love in in 1981, in the wall of the Communist Party
the Ministry of Justice and Human Rights super slow motion. The director documents headquarters, in the city of Botoșani. There
issued a report with 25 of those cases their work, but suddenly dance falls into was a subsequent investigation to find the
of proved corporate responsibility. That cinema’s creative pit. And the boundaries author of these subversive messages towards
book was never printed. Perel tries here to - between bodies, relationships, stage and the regime of Ceaușescu. Based on a play
render that book visible, in front of many reality - become more and more fluid, in this by Gianina Cărbunariu about this case, but
of these companies’ headquarters. journey through love, dance and the night. also archive videos, Jude questions the
moulding of individuals in dictatorship times.

RIZI* STATE FUNERAL TODOS OS MORTOS


DAYS Sergei Loznitsa, Lituânia/Holanda ∙ Lithuania/ ALL THE DEAD ONES
Tsai Ming-Liang, Taiwan/França ∙ Netherlands, doc., 2019, 135’ Caetano Gotardo/Marco Dutra, Brasil/
Taiwan/France, fic., 2019, 127’ 25 TER/TUE, 21:00, CULTURGEST PA ∙ C.609 França ∙ Brazil/France, fic., 2020, 120’
30 DOM/SUN, 18:00, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.583 31 SEG/MON, 18:30, CULTURGEST PA ∙ C.611 26 QUA/WED, 21:30, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.633
4 SEX/FRI, 21:45, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.585 As notícias da morte de Josef Stalin em Março 31 SEG/MON, 21:45, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.635
O cinema belo, frágil e contemplativo de Tsai de 1953 deixaram a URSS em estado de cho- No ano passado o IndieLisboa, no programa Brasil
Ming-Liang está de volta. Kang, (o seu actor que. A partir de imagens de arquivo, a maioria em Transe, mostrou filmes de importantes autores
habitual Kang-sheng Lee) é um homem só, inéditas, Loznitsa mostra-nos todos os proce- do emergente e combativo novo cinema brasi-
que vive na sua casa e que sente uma miste- dimentos desde o anúncio de morte às cerimó- leiro, entre os quais Seus Ossos e Seus Olhos de
riosa dor. Non vive em Bangkok num pequeno nias fúnebres. Alternando o preto e branco Caetano Gotardo. Em 2018 tínhamos visto já As
apartamento. Quando os dois se encontram, com a cor (em especial o vermelho associado Boas Maneiras de Juliana Rojas e Marco Dutra.
partilhando a sua solidão, a arte do realizador ao regime), mas também os rostos tristes, as Agora, a dupla Gotardo/Dutra traz-nos uma his-
taiwanês explode lentamente num conjunto lágrimas, as pessoas de luto, tudo torna evi- tória de duas famílias e de assombrações trazidas
infinito de significados. Rizi esteve em com- dente o culto em torno da personalidade do pelo espectro da escravatura, numa São Paulo da
petição no último festival de Berlim. líder soviético. viragem para o século XX.
Tsai Ming-Liang’s beautiful, frail, contemplative In March 1953, the news about the death Last year, IndieLisboa put up a program
cinema is back. Kang (his usual actor Kang- of Joseph Stalin shocked the URSS. called Brazil Entranced with many important
sheng Lee) is a man that lives alone in his Using archive footage, mostly unseen, names of the emergent new and politically
house and starts to feel a mysterious pain. Non Loznitsa shows us all the steps from the engaged Brazilian cinema, among them Your
lives in Bangkok in a small apartment. When announcement and the preparations to the Bones and Your Eyes by Caetano Gotardo. In
the two men meet, sharing their loneliness, the funeral ceremonies. Alternating black and 2018 we saw Good Manners by Juliana Rojas
* FORA DE COMPETIÇÃO
OUT OF COMPETITION

Taiwanese director’s art slowly explodes, in an white with colour (especially red, the colour and Marco Dutra. Now, Gotardo and Dutra
almost endless number of meanings. Rizi was of the regime), but also the sad faces, the together give us a story of two families and the
in competition in the last Berlin Film Festival. tears, the mourners, everything renders clear hauntings of slavery and colonization, in São
the personality cult around the soviet leader. Paulo at the turn of the twentieth century.

20
envia e-mails às amigas e domina a internet. É
uma rainha entre os seus gadgets e a restante
memorabilia. Este é o seu retrato.
Grandma is not like any other. Her Édouard is
already gone, but she doesn’t give herself to
loneliness. She dresses with strong colours,
sends emails to her friends, and dominates the
internet. She’s a queen between her gadgets
The Works and Days

and her memorabilia. This is her portrait.

ARNOLD SCHWARZENEGGER —
THE ART OF BODYBUILDING
Babeth M. VanLoo, Holanda/EUA ∙ Netherlands/
USA, doc./exp., 2020, 8’
VanLoo filmou Schwarzenegger nos anos 70,
num concurso de culturismo. As imagens em
VENDRÁ LA MUERTE Y TENDRÁ TUS ZABIJ TO I WYJEDŹ Z TEGO MIASTA* 16 mm foram utilizadas numa instalação artís-
OJOS/DEATH WILL COME AND SHALL KILL IT AND LEAVE THIS TOWN tica entretanto perdida. Restam as poses, sem
HAVE YOUR EYES Mariusz Wilczyński, Polónia ∙ Poland, anim., 2019, 88’
sincronia, com a escultura do homem-músculo
José Luis Torres Lleiva, Chile/Alemanha/ 6 DOM/SUN, 19:30, CINEMA IDEAL ∙ C.659
a ganhar um novo poder, trazido pelo tempo.
Argentina ∙ Chile/Germany/Argentina, fic., 2019, 90’ Concebida ao longo de uma década, a pri-
30 DOM/SUN, 19:15, CULTURGEST PA ∙ C.639 meira longa do animador Mariusz Wilczyński VanLoo filmed Schwarzenegger in the 1970’s
O que acontece quando soubermos que vamos mostra-se bem nesse doloroso e cru olhar para in a bodybuilding contest. The original 16mm
morrer? A luz mudará? Os pássaros piarão mais trás. A cidade de Łódź possui uma atmosfera material was used in an art installation that is
intensamente? A morte vem habitar a relação beckettiana e autobiográfica, um espaço indus- now lost. The images remained, with the poses,
de duas mulheres, juntas há muito tempo. Uma trial, pejado de fumos, luzes fortes e agrestes, no sound, and the human living sculpture
delas doente terminal, a outra irá ficar e deve personagens bizarras. Os episódios trágicos e gaining a new power with the passing of time.
cuidar. Numa pequena casa de bosque per- satíricos, como a morte e preparação do corpo
INK IN MILK
manecem o amor das duas, as conversas, o da sua mãe para o enterro, ou as visitas atri- Gernot Wieland, Alemanha ∙ Germany, doc.,
toque dos corpos, a memória. Mas, implacá- buladas com o pai, habitam a memória labi- 2019, 12’
vel, o desespero vai cavando fundo os rostos ríntica do cineasta. A existência é uma complexa teia de aconte-
no grande plano. cimentos trágico-cómicos. Tudo se liga com
Developed over a decade, the first feature
What will happen when we know we’re going of the animator Mariusz Wilczyński shows tudo. Um trauma de escola, uma visita a um
to die? Will light change? Will birds sing us well this hurtful and raw recollection. amigo numa instituição psiquiátrica, diagramas
more intensely? Death comes to inhabit the The city of Łódź has a Beckettian and infantis, desenhos com tinta, filmes super 8 e
relationship of two women, together for a autobiographical atmosphere. An industrial esculturas de plasticina e madeira.
long time. One is terminally ill, the other will space, filled with smokes, strong rough lights, Existence is a complex web of tragic-
stay and nurse. In a small house in the woods bizarre characters. The tragic and satirical comic events. Everything is connected to
the love of the couple remains, their talks, the episodes, like the death and preparation for everything. A school trauma, a visit to a
touch of their bodies, memory. But, inexorably, the funeral of his mother’s corpse, inhabit friend at a psychiatric institution, childlike
despair is digging deep in close up faces. the labyrinthic memory of the filmmaker. diagrams, ink paintings, super 8 film clips,
sculptures of plasticine and burnt wood.

SAPPHIRE CRYSTAL
Virgil Vernier, França ∙ France, doc./fic., 2019, 31’
THE WORKS AND DAYS (OF TAYOKO SILVESTRE CURTAS/SHORTS 1
Vernier é um grande e irónico observador.
SHIOJIRI IN THE SHIOTANI BASIN) TUDO SOBRE NÓS/ALL ABOUT US
C.W. Winter/Anders Edström, EUA/Suécia/ A partir de um workshop dado a alunos da
81’
Japão/Hong Kong/China/Reino Unido ∙ USA/ 26 QUA/WED, 19:15, CULTURGEST PA ∙ C.597 Universidade de arte e design de Genebra, o
Sweden/Japan/Hong Kong/China/United realizador foi à noite suíça filmar conversas de
Kingdom, doc., 2020, 525’ A MENTIRA/THE LIE uma juventude rica e extravagante, num retrato
(com intervalos/with intermissions) Rafael Spínola/Klaus Diehl, Brasil/
29 SÁB/SAT, 10:30, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.627 de luxo, vaidade e ostentação.
Alemanha ∙ Brazil/Germany, doc./exp., 2019, 10’
Inspirado nos poemas gregos e latinos que Com recurso a imagens pertencentes ao Museu Vernier is a great ironic observer. After a
davam lugar de destaque às artes da agricul- da Stasi e a documentos pessoais do avô de workshop with students at the Geneva
tura — como são os casos de Os Trabalhos e Klaus Diehl, esta é uma viagem pelo arquivo University of Art and Design, the director
os Dias de Hesíodo e de Geórgicas de Virgílio -, que não contém apenas a história oficial. Nela went into the swiss night and filmed the
esta é uma obra que acompanha o trabalho no pairam os detalhes fundadores de um regime: conversations of a rich and extravagant
campo de uma família japonesa, numa pequena recados, medos, afectos e amores. youth, in a portrait of vanity and ostentation.
vila perto de Kyoto. Catorze meses de rodagem
Using images from the Stasi Museum
convertem-se nestas nove horas que são uma
magnífica ode ao trabalho, à terra, à paisagem
and personal documents that belonged SILVESTRE CURTAS/SHORTS 2
sonora e à passagem do tempo e das estações.
to Klaus Diehl’s grandfather, this is a O MUNDO/THE WORLD
voyage through the archive that never 78’
Inspired by the Greek and Latin poems that 27 QUI/THU, 21:45, CULTURGEST PA ∙ C.599
contains just the official story. In it hover
highlighted the arts of agriculture - like the
the founding details of every regime: SIGNAL 8
Works and Days by Hesiod and Georgics
personal notes, fears, affections and love. Simon Liu, Hong Kong , exp., 2019, 14’
by Virgil - this a film that accompanies the
farm work of a Japanese family, in a little FRISSON D’AMOUR/SHIVER OF LOVE A cidade de Hong Kong vive à espera de uma
* FORA DE COMPETIÇÃO

ruptura trazida pelo crescimento constante. A


OUT OF COMPETITION

village next to Kyoto. Fourteen months Maxence Stamatiadis, França ∙ France,


of shooting translate into a nine-hour doc., 2019, 20’ tapeçaria de imagens em 16 mm de Simon Liu
film that is a magnificent ode to working, A minha avó não é como as outras. O seu reflete uma sinfonia urbana dissonante, entre
to the land, to the soundscape and the Édouard morreu faz tempo, mas ela não dá momentos que alternam a alienação e os ele-
passage of time and the seasons. espaço à solidão. Veste-se de cores garridas, mentos da natureza. 

21
The city of Hong Kong is waiting for a
dangerous hazardous event, caused by
exponential growth, that may never arrive.
Liu’s tapestry of 16mm images reflects this
dissonant urban symphony, alternating
moments of alienations and natural elements.

AVERAGE HAPPINESS
Maja Gehrig, Suíça ∙ Switzerland, anim., 2019, 7’

Average Happiness
O dia em que os diagramas enlouqueceram,
os gráficos bailaram e as pirâmides etárias se
mostram todas “sensualonas”. Gehrig ironiza
sobre o poder normalizador das estatísticas
e das eficientes apresentações Powerpoint.
This was the day when diagrams got mad,
Agora com um olhar particular sobre a tecno- Awarded at Rotterdam Film Festival, this
graphics started to dance and the age
logia digital e seus paradoxos. film applies the idea to human relationships,
pyramids got really hot. Gehrig ironizes
Awarded in 2018 at IndieLisboa, with Waste in particular teacher and student.
about the normative power of statistics and
the efficient Powerpoint presentations. No.5 the Raft of the Medusa, the artist MY GALACTIC TWIN GALACTION
returns to the festival with his Waste series, Sasha Svirsky, Rússia ∙ Russia, anim., 2020, 7’
I AM (FOR THE BIRDS) a reflection on the human production of Quantos e-mails recebemos como spam e vai-
Stephen Sutcliffe, Reino Unido ∙ United Kingdom,
waste. This time with a particular look at -se a ver são missivas que nos informam de
doc./exp., 2019, 3’
digital technologies and its paradoxes. problemas maléficos na nossa galáxia vizi-
Na sua secretária na biblioteca Brynmor Jones,
o poeta Philip Larkin tinha uma fotografia de nha? Quantos e-mails nos dizem que temos
um gémeo galáctico que nos chama para o
Guy The Gorilla, atracção no zoo de Londres. SILVESTRE CURTAS/SHORTS 3
Esta breve colagem de Sutcliffe é uma medi- ajudarmos? Svirsky regressa ao IndieLisboa
HISTÓRIAS RARAS/RARE STORIES
tação acerca do trabalho e da forma como 82’ (Lavo, 2019).
este pode ser uma prisão.  28 SEX/FRI, 19:15, CULTURGEST PA ∙ C.601 How many emails do we receive as spam
In his desk at the Brynmor Jones Library, the and then they turn out to warn us about
FORMER CULT MEMBER HEARS
poet Philip Larkin had a photograph of Guy MUSIC FOR THE FIRST TIME evil forces in a neighbouring galaxy? How
The Gorilla, a famous attraction at the London Kristoffer Borgli, Noruega/EUA ∙ Norway/USA, many emails tell us that we have a galactic
Zoo. This Stephen Sutcliffe’s short collage is a fic., 2020, 12’ twin in need of our help? Sasha Svirsky
meditation on work and how it can be a prison. Sabemos como os membros de certas seitas returns to IndieLisboa (Lavo, 2019).
religiosas acabam por viver apartados da reali-
VALERIO’S DAY OUT GOD’S NIGHTMARES
dade. O filme de Kristoffer Borgli (Whateverest,
Michael Arcos, Colômbia/EUA ∙ Colombia/USA, Daniel Cockburn, Reino Unido ∙ United Kingdom,
fic., 2019, 9’ IndieLisboa 2013) é sobre uma dessas jovens doc./exp., 2019, 6’
Feito em VHS e recorrendo a imagens de que nunca tinha ouvido música. Até agora. O cinema como pesadelo de Deus. Nesta
Youtube, este é a história de um simpático We know that members of certain religious comédia metafísica, Deus teme a queda da
serial killer: um jaguar chamado Valerio, cults tend to live withdrawn from reality. sua condição superior. Os fragmentos de toda
que escapou do zoo de Nova Orleães, Kristoffer a história do cinema são o espelho alucinado
matando vários animais. Depois de captu- Borgli (Whateverest, IndieLisboa 2013) film is dessa forma inferior, desse ser um homem.
rado decide fazer um vídeo-diário para a about one of these young women that had Cinema as God’s nightmare. In this
sua cara metade. never heard music before. Until this day. metaphysical comedy, God fears the fall from
Made in VHS and with YouTube images, COMMUNICATING VESSELS his superior condition. Fragments from the
this is a story of a sympathetic serial killer: a Annie MacDonell/Maïder Fortuné, history of cinema are the hallucinatory mirror
jaguar named Valerio. When he escaped the Canadá ∙ Canada, doc./exp., 2020, 35’ of that inferior form, that of being a man.
New Orleans zoo, he killed several animals. Vasos comunicantes. Fenómeno pelo qual um
TX-REVERSE
After being captured he decides to make fluido se distribui de forma equilibrada em
Virgil Widrich/Martin Reinhart, Áustria ∙ Austria,
a video diary for his significant other. recipientes de formas ou volumes diferentes. doc./exp., 2019, 5’
Esta curta, premiada em Roterdão, aplica essa No final dos anos 90, Reinhart e Widrich inven-
WASTE NO.6 HOW GREAT
Jan Ijäs, Finlândia ∙ Finland, doc., 2019, 45’ ideia ao que sucede nas relações humanas, em taram o processo “tx-transform” que inverte
Premiado no IndieLisboa em 2018 por Waste especial professor e aluno. os eixos cinemáticos do tempo e do espaço.
No.5 the Raft of the Medusa, o artista Jan Ijäs Communicating vessels. A phenomenon in Agora filmaram num cinema de Berlim, com
volta ao festival prosseguindo com a sua refle- which liquid fills connected containers to the 135 actores e usando uma OmniCam-360. O
xão acerca da produção humana de detritos. same level, despite its differences in shape. resultado é algo nunca antes visto.
My Galactic Twin Galaction

Communicating Vessels

22
Die seismische Form

Apiyemiyekî?
Arnold Schwarzenegger — The Art of Bodybuilding
Tx-reverse

At the end of the nineties, Reinhart and to reflect on matter and form. Human body negro utilizados em película não impressa.
Widrich invented the “tx-transform” process and analogue film come together with a Explosões sonoras de luz a furar a emul-
that inverts the cinematic axis of time and seismic, geological condition. A solidity são fotoquímica, viagens ao fim do mate-
space. Now they filmed in a cinema in Berlin, that seems stable, masking volatility. rial, o inconsciente óptico de um épico
with 135 actors, using a OmniCam-360. The cosmológico. 
A BRIGHT SUMMER DIARY
result is something never seen before. Lei Lei, China/EUA ∙ China/USA, doc., 2020, 28’ Literal symbolism. In Canapa’s hands,
HARD, CRACKED THE WIND A partir de uma fotografia tirada com a sua the roots of cinema become slices
Mark Jenkin, Reino Unido ∙ United Kingdom, fic., mãe no final dos anos 80, Lei Lei (presente of black radish on unexposed film.
2019, 17’ no IndieLisboa em 2016 com Missing One Sonorous explosions of light piercing
Mark Jenkin, que venceu em 2019 o prémio do Player e 2017 com Books on Books) reflete the photochemical emulsion, a journey
público para melhor longa metragem do fes- sobre o estatuto da imagem como arquivo to the end of material, the optical
tival (Bait), faz agora um filme sobre o poder de nostalgia, fusão de memórias individuais unconscious of a cosmological epic. 
assombrado da criação. Uma jovem poeta e coletivas. 
encontra uma mala com as suas iniciais. Lá DAISIES CLOUD PASSING
Starting with a photograph that Lei Lei
dentro um fantasma que procura quem lhe Peter Todd, Reino Unido ∙ United Kingdom,
(present in 2016 IndieLisboa with Missing doc./exp., 2019, 1’
termine um poema.
One Player and in 2017 with Books on Muitas vezes no cinema o momento deci-
Mark Jenkin, that won the festival’s Audience Books) and his mother took at the end
sivo ocorre num piscar de olhos. Poucos
Award in 2019 with Bait, directs a film of the eighties, the artist reflects about
segundos. Tempo que basta para se instalar
about the haunting power of creation. A images as nostalgia archives and fusion
a beleza. As nuvens são o obturador natural. 
Cornish poet finds a briefcase with her of collective and individual memories.  
initials. Inside there is a ghost looking Many times in cinema the decisive moment
for someone to complete his poem. APPARITION takes place in a blink of an eye. A few
Ismaïl Bahri, Tunísia/França ∙ Tunisia/France,
seconds. Time enough for beauty to install
doc./exp., 2019, 3’
itself. Clouds are the natural shutter. 
SILVESTRE CURTAS/SHORTS 4 Ver com as mãos. Uma fotografia foi tirada por
OLHAR PARA TRÁS alguém no dia da independência da Tunísia, APIYEMIYEKÎ?
BRING HISTORY BACK em 1956. Neste filme premiado em Roterdão, Ana Vaz, Brasil/França/Holanda/
82’ Bahri mostra-nos essa imagem, opaca à luz, Portugal ∙ Brazil/France/Netherlands/Portugal,
29 SÁB/SAT, 21:45, CULTURGEST PA ∙ C.603 mas revelada, pedaço a pedaço, pela coreo- doc./exp., 2019, 28’
grafia e movimento de umas mãos. Parte-se de uma memória visual colec-
DIE SEISMISCHE FORM/ tiva, constituída por mais de 3000 dese-
THE SEISMIC FORM To see with one’s hands. A picture was
nhos, feitos pelo povo indígena brasileiro,
Antoinette Zwirchmayr, Áustria ∙ Austria, taken by someone on the day of Tunisia’s
doc./exp., 2020, 15’ Waimiri-Atroari. Neles vemos um processo de
independence, in 1956. Awarded at Rotterdam,
Na sua quarta presença no festival, Zwirchmayr this film shows us that image, opaque in the aprendizagem, mas também a violência a que
baseia-se num texto de Jean Baudrillard para light, but revealed, piece by piece, by the foram submetidos durante a ditadura militar.
reflectir sobre a matéria e a forma. O corpo choreography and movement of the hands. The film departs from the collective visual
humano, o analógico da película encontram-se memory made from over 3000 drawings
FURTHER RADICAL
com uma condição sísmica, geológica. Solidez made by the Waimiri-Atroari, a native people
Stefano Canapa, França ∙ France, anim./exp.,
que parece estável, mascarando a volatilidade. 2020, 7’ from Brazil. In these we see a learning
In her fourth presence in the festival, Simbologia literal. As raízes do cinema nas process, but also the violence they were
Zwirchmayr uses a text by Jean Baudrillard mãos de Canapa são pedaços de rabanete subjugated during the military dictatorship.

23
FOCO SILVESTRE
SILVESTRE FOCUS Mati Diop

Olhar para a filmografia de uma cineasta que admiramos é como


abrir um presente quando somos crianças – primeiro acontece a excita-
ção do embrulho, depois o prazer da descoberta do conteúdo.
A ainda curta obra da franco-senegalesa Mati Diop tem dois
eixos centrais: os filmes em que a costela africana falou mais alto:
Atlantiques, Mille Soleils e Atlantique (os dois primeiros foram exibi-
dos no IndieLisboa, Mille Soleils venceu o Grande Prémio em 2014)
e os filmes em que a sua costela europeia se mostrou, próxima dos
seus compagnons de route da Fresnoy, Crotty, Abrantes, entre outros:
Snow Canon, Big in Vietnam e Liberian Boy.
O foco no trabalho de Mati Diop surge num momento em que a
sua última obra, Atlantique (Grande Prémio – Cannes 2019) fecha o ciclo
iniciado com a curta Atlantiques. Gémeos separados por um “s”, estes
filmes não podem (não devem) ser dissociados. Isto porque na curta
metragem de estreia, Diop filma jovens a debater a possível fuga de um
Senegal sem futuro e na longa metragem estes jovens desaparecem
ainda no primeiro terço do filme para se concentrar nas mulheres que
ficam. Esta diáspora necessária resulta da impossibilidade de um terri-
tório que cresce, mas não tem futuro. Falar de política em Diop significa
criar um universo sobrenatural que se mistura com a realidade. É traba-
lhar o tempo, numa lógica de desorientação. E é aqui que o cinema de
Diop, herdeiro dos pioneiros do cinema senegalês, Ousmane Sembène
e Djibril Diop Mambéty, seu tio, entra na contemporaneidade. As perso-
nagens falam wolof como em muitos dos filmes de Sembène e a reali-
zadora cita directamente Touki Bouki, como uma clara jóia de família.
O trabalho com os actores é também demonstrativo desta sua
dupla condição, realizadora e actriz. A autora não acredita em estereó-
tipos e vai à procura dos seus actores, na sua maioria, amadores. É neles
que faz o seu investimento emocional, porque as personagens são tão
verdadeiras que doem.
O cinema de Diop não tem fronteiras de género ou duração. Os
filmes são o que pedem. Por isso, no meio há duas médias metragens,
Big in Vietnam e Snow Canon, com temáticas muito diferenciadas que
estrearam ambas no Festival de Roterdão no mesmo ano. Em Big in
Vietnam começamos a pressentir o seu cinema de fantasmas, de evo-
cação das memórias dos espaços e da presença da sua cinefilia, já Snow
Canon parece feito paredes meias com Benjamin Crotty, onde o terreno
da ficção narrativa entra por problemáticas do cinema de género, assim
como Liberian Boy, que entra no domínio da narrativa coreografada só
com um actor.
A questão do corpo é outra das suas problemáticas. Os corpos-
-objecto, -desejo, -trabalho são manifestações fortes de uma espécie de
busca sensorial que também pressentimos em Claire Denis, com quem
Diop trabalhou. A enorme Mati já fez isto tudo numa filmografia tão curta.
Que virá a seguir?
Miguel Valverde

24
Looking at a filmmaker's filmography, someone we admire, is like
opening a present when we are children – first comes the excitement of
the package, then the pleasure of the discovery of its content.
Franco-senegalese Mati Diop's (still) emerging work has two cen-
tral axes: the films in which her African side speaks louder: Atlantiques,
Mille Soleils and Atlantique (the first two screened at IndieLisboa, Mille
Soleils winning the Short Film Grand Prize in 2014) and the films in which
her European side was shown, close to her compagnons de route of
Le Fresnoy, Crotty and Abrantes, among others: Snow Canon, Big in
Vietnam and Liberian Boy.
The focus on Mati Diop's work comes at a time when her latest
work, Atlantique (Grand Prix – Cannes 2019) closes the cycle started with
the short Atlantiques. Twins separated by an "s", the films cannot (should
not) be dissociated. This is because in her debut short Diop films young
people debating a possible escape from a Senegal with no future and
in the feature film these young people disappear in the first part of the
film, while she focuses on the women who stay. This necessary diaspora
results from the impossibility of living in a territory that grows without a
future. Speaking of politics in Diop means creating a supernatural uni-
verse that mixes with reality. It means working with time, in a logic of
disorientation. And this is where Diop's cinema, heir to the pioneers of
Senegalese cinema, Ousmane Sembène and Djibril Diop Mambéty, her
uncle, comes into contemporary times. The characters speak Wolof as
in many of Sembène's films and the director directly mentions Touki
Bouki, as a clear family jewel.
The work with the actors is also a demonstration of her double
condition, as director and an actress. Diop does not believe in stereo-
types and searches for her actors, mostly amateurs. She makes her
emotional investment in them, because the characters are so real that
we feel their pain.
Diop's cinema has no genre or duration boundaries. The films fol-
low their flow. So, in the middle we find two medium-length films, Big in
Vietnam and Snow Canon, with very different themes, that premiered at
Rotterdam Festival in the same year. In Big in Vietnam we start to envi-
sion her cinema of ghosts, evoking the memories of spaces, and the
presence of her cinephilia. Snow Canon seems to be a shared construction
with Benjamin Crotty, where the domain of narrative fiction enters into
the problematics of genre cinema, as well as Liberian Boy, entering the
domain of a choreographed narrative with only one actor.
The issue of the body is another recurring issue. The bodies-object,
-desire, -work are strong manifestations of a kind of sensory search that
we also find in Claire Denis, with whom Diop worked. The tremendous
Mati has done all this in such a short filmography. What will come next?
Miguel Valverde

25
Big in Vietnam
Atlantique

Snow Canon
Mille soleils

por um grupo de amigos senegaleses, uma via- A young boy dances and imitates
ATLANTIQUE gem que pode bem ser entre a vida e a morte.  Michael Jackson, while listening to
ATLANTICS Directed while still attending Le Fresnoy the electronic music of Wilbert Gavin.
Mati Diop, França/Senegal/Bélgica ∙ France/ Improvisation, release and energy.
film school, this documentary was the
Senegal/Belgium, fic., 2019, 106’
inspiration for the director’s first feature SNOW CANON
29 SÁB/SAT, 21:50, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.125
film. A group of Senegalese friends that Mati Diop, França ∙ France, fic., 2011, 34’
Trabalhadores de uma obra na capital do
Senegal não recebem há meses. Um deles, o aspires to cross the ocean, in a journey that A primeira ficção de Diop ergue-se sob uma
jovem Souleiman, decide atravessar o oceano may also be between life and death.  outra “travessia”: o crescimento de uma ado-
em busca de uma melhor vida. Ada, de 17 anos, MILLE SOLEILS lescente francesa. Vanina, a passar férias nos
apesar de prometida a outro homem, espera A THOUSAND SUNS Alpes franceses, deseja estar com a melhor
o regresso do seu amor. Inspirada na figura de Mati Diop, França/Senegal ∙ France/Senegal, amiga, mas é com Simon e Mary Jane, seus
Penélope, mas também em Romeu e Julieta, doc., 2013, 45’ babysitters, que procura uma conexão.
Atlantique é um conto de espíritos, traumas e Mille Soleils, vencedor do IndieLisboa em 2014,
Diop’s first fiction is about another “journey”:
crescimento. Grande Prémio do Júri do Festival conta o regresso da realizadora ao Senegal,
the coming of age of a French teenager.
de Cannes de 2019. revisitando dois atores do filme Touki Bouki
Vanina is spending holidays in the French
(1971), realizado pelo seu tio, Djibril Diop
Workers of a building site in Senegal’s capital Alps and wishes to be with her best friend.
Mambéty. Memórias reais e liberdades de fic-
don’t get paid for months. Soulemain, one of But it’s with Simon and Mary Jane, her
them, decides to cross the ocean in search ção, o cinema e/é a sua família.
babysitters, that she seeks for a connection.
for a better life. 17-year-old Ada, despite Winner of IndieLisboa in 2014, Mille Soleils
being promised to another man, waits for is about the return of the director to BIG IN VIETNAM
the return of her love. Inspired by the figure Senegal to revisit two actors of the film Mati Diop, França ∙ France, fic., 2012, 29’
of Penelope, but also Romeo and Juliet, Touki Bouki (1971), directed by her uncle, Uma realizadora francesa de origem vietna-
Atlantique is a tale of spirits, trauma and Djibril Diop Mambéty. Real memories, mita deserta o plateau onde rodava uma ver-
growth. Cannes Grand Jury Prize of 2019. fiction liberties and cinema as family. são de Ligações Perigosas para subir a bordo
de um barco fantasma. Depois de Atlantiques,
Diop voltou com este filme a vencer o pré-
MATI DIOP 1 MATI DIOP 2
61’ mio de melhor curta-metragem no festival
68’
27 QUI/THU, 19:15, CULTURGEST PA ∙ C.537 28 SEX/FRI, 21:45, CULTURGEST PA ∙ C.539 de Roterdão.
A French-Vietnamese director deserts
ATLANTIQUES LIBERIAN BOY
Mati Diop, França ∙ France, doc., 2009, 16’ Mati Diop/Manon Lutanie, França/ the movie set where she was filming a
Realizado quando ainda estudava cinema na Canadá ∙ France/Canada, fic., 2015, 5’ version of Dangerous Liaisons by Laclos,
Le Fresnoy, este documentário serviu de ins- Um rapaz dança e imita Michael Jackson to board a ghost ship. After Atlantiques,
piração para a sua primeira longa metragem. perante a música electrónica de Wilbert Gavin. Diop wins again best short film at
Um relato de desejo de travessia do oceano Improvisação, libertação e energia.  Rotterdam Festival with this fantasy.

26
INDIEJÚNIOR
Esta secção fundamental
do IndieLisboa é dedicada
aos espectadores mais
novos. O IndieJúnior visa
contribuir para a
formação estético-

Jacob, Mimmi e os Cães Falantes


-cultural de crianças e
jovens através de uma
experiência artística
e lúdica diferenciada
do seu habitual
consumo de imagens
em movimento, seja na
televisão ou no circuito
de cinema comercial. A
programação de filmes
é complementada por
um conjunto de oficinas,
actividades culturais
e espaços de criação
pensados para os mais
pequenos e suas famílias.
This key section of the

A Bruxa e o Bebé
festival is dedicated to
younger viewers. IndieJunior
aims to contribute to
the aesthetical and
cultural education of
JACOB, MIMMI E OS CÃES FALANTES TUDO EM FAMÍLIA
children and youngsters JEKABS, MIMMI UN RUNAJOSIE SUNI TODA A FAMÍLIA / + 3 ANOS
through an artistic and Edmunds Jansons, Letónia/Polónia ∙ Latvia/ sessão com locução ao vivo/live voice over, 45’
Poland, anim., 2019, 70’, + 7 anos ∙ children over 7 29 SÁB/SAT, 15:30, CULTURGEST GA ∙ C.422
playful experience, 5 SÁB/SAT, 21:00, CAPITÓLIO ∙ C.412 4 SEX/FRI, 21:00, CAPITÓLIO ∙ C.424
differentiated from their Jacob vive na cidade e sonha em ser arqui-
tecto como o seu pai. Um dia, quando este A BRUXA E O BEBÉ/THE WITCH & THE BABY
habitual consumption of tem de viajar em trabalho, Jacob vai passar Evgenia Golubeva, Rússia/Reino Unido ∙ Russia/
moving images, whether uma semana com a prima Mimmi e o seu pai. United Kingdom, anim., 2020, 5’
A bruxa está a sentir-se velha. Por isso resolve
on television or in the Eles vivem num subúrbio da capital da Letónia,
fazer um feitiço para ficar jovem. Mas falta-
Riga. Lá tudo parece diferente e mais calmo.
commercial cinema circuit. Quando as crianças percebem que o parque -lhe um ingrediente muito especial: um bebé.
Film programming is vai ser destruído e no seu lugar vão construir A pequenina princesa do reino mais próximo

complemented by a set of altos edifícios, vão tentar travar as obras. E parece ser uma excelente escolha. Será?
recebem a preciosa ajuda de uma matilha de
workshops, cultural activities cães especiais.
The witch is feeling old. So she decides to
do a spell to make her young again. But she
and creative spaces Jacob lives in the city and dreams of is missing a very special ingredient: a baby.
especially designed for the becoming an architect like his father. One The infant princess from the nearby kingdom
little ones and their families. day, when his dad has to go away for work, seems to be an excellent choice. Is it?
Jacob spends the week with his cousin Mimmi
and her father. They live in the suburbs of PAPÁ A PASSOS LARGOS
Riga, Latvia’s capital. There everything seems PAPA À GRANDSPAS
different and calmer. When the boys realise the Célia Rivière, França ∙ France, anim., 2019, 4’
local park will be replaced by skyscrapers, they Quando temos pressa parece que tudo anda
will try to stop the construction. And they will devagar. Esta tarde o pai de Mathieu vem bus-
get precious help from a pack of special dogs. cá-lo à creche. Mas.... e se o seu velho carro
verde não quiser pegar? 

27
O Passarinho e as Abelhas
No País da Aurora Boreal
When we are in a hurry it seems that A truck driver reaches the end of a road and BORDA FORA
everything is slower. This afternoon Mathieu’s opens the back door of his vehicle. From there PŘES PALUBU!
father is picking him up at the nursery school. fly away a flock of birds. All but one, small Filip Pošivač/Barbora Valecká, República
Checa/Eslováquia ∙ Czech Republic/Slovakia,
But what if his old green car doesn’t start? and shy, that doesn’t seem to want to leave... anim., 2019, 12’
NO PAÍS DA AURORA BOREAL LAÇOS Continua a chover e a Arca de Noé está prestes
AU PAYS DE L’AURORE NORÉALE TIES a partir. Mas a ave kiwi e o camaleão não estão
Caroline Attia, França/Suíça ∙ France/ Dina Velikovskaya, Rússia/Alemanha ∙ Russia/ na lista de passageiros. Os dois amigos deci-
Switzerland, anim., 2019, 15’ dem entrar no barco e viajar clandestinos. O
Germany, anim., 2019, 8’
Desde que os seus pais morreram, Colin vive que vai acontecer quando forem descobertos?   
Há uma ligação muito forte entre pais e filhos.
com o seu avô, Karl. Um dia, Karl sai para caçar
Uma jovem deixa a casa da família para ver o It is still raining and Noah’s Ark must soon
uma nerval, um tipo de baleia, e Colin esconde-se
mundo. Mas o mundo dos seus pais está tão leave. But the kiwi bird and the chameleon
na casa trenó do seu avô. É tempo de perder os aren’t on the passenger list. The two friends
ligado ao seu que, ao ir-se embora, põe-no
medos e aprender os segredos do Grande Norte.  decide to travel as stowaways. What
em risco. Por vezes esta ligação pode tam-
Since his parents died, Colin has been bém ser destrutiva. happens when they are discovered?
living with his grandfather, Karl. When Karl
There is a strong connection between A MÁQUINA DE LAVAR LOIÇA
leaves to hunt a narwhal, Colin becomes a
parents and their child. A young woman THE DISH WASHER
clandestine passenger in his grandfather’s Alexandra Majova/Katerina Karhankova,
leaves the parental home to see the
house-sled. He must overcome his fears República Checa ∙ Czech Republic, anim., 2019, 7’
world. But the world of her parents is so Os pratos sujos amontoaram-se na casa dos
and learn the secrets of the Great North. 
tightly connected with her that by leaving, ursos Ned e Mishka, mas eles não têm vontade
A DESGRAÇA DO SR. RAPOSA she puts it at risk. It turns out that this de arrumar. Como estão com fome, Ned lem-
THE MISFORTUNE OF MISTER FOX connection can be also destructive. bra-se de telefonar ao guaxinim: para ele, lavar
Sarah Salard, França ∙ France, anim., 2020, 2’
a louça não deve ser um problema.
Pobre Sr. Raposa! Os irmãos estão sempre à
briga e é ele quem paga as favas. Desta vez CRESCER A BRINCAR! + 3 ANOS The dirty dishes have really piled up at
ficou sem um braço. É tempo de fazerem as 40’ the bears’ house of Ned and Mishka,
pazes e de tratarem do Sr. Raposa.  29 SÁB/SAT, 11:15, CINEMA SÃO JORGE MO ∙ C.406 but they don’t feel like tidying up.
30 DOM/SUN, 17:00, CINEMA SÃO JORGE SALA 3 ∙ C.408 They’re getting hungry so Ned gets
Poor Mister Fox! Brothers are always
5 SÁB/SAT, 11:15, CINEMA SÃO JORGE MO ∙ C.410 the idea of calling a raccoon for whom
fighting and it is he who suffers most. This
washing up should be no problem. 
time an arm popped out. It’s time for the O BACIO DO HIPOPÓTAMO
children to make up and treat Mister Fox.  LE POPOTIN DE L’HIPPOPO O PASSARINHO E AS ABELHAS
Célia Rivière, França ∙ France, anim., 2019, 3’ DER KLEINE VOGEL UND DIE BIENEN
ONDA DE CALOR Lena von Döhren, Suíça ∙ Switzerland, anim.,
O hipopótamo descobre que tem um rabiosque
HEATWAVE 2020, 5’
Fokion Xenos, Grécia/Reino Unido ∙ Greece/ bem grande. Os animais vêm da savana para
Estamos na Primavera. O passarinho toma
United Kingdom, anim., 2019, 7’ o ver e dar a sua opinião. Mas como ninguém conta dos primeiros ramos que surgem na
No meio de uma onda de calor louco, duas está de acordo, começa uma batalha de fru- árvore. As flores desabrocham, uma a uma,
crianças encontram uma maneira de refres- tos podres. Tudo termina bem e cada rabinho atraindo a atenção das abelhas. Despertado
car toda a gente! Um divertido filme de stop encontra um bacio à medida. pelo seu doce néctar, o passarinho segue as
motion, animado numa técnica híbrida de amiguinhas até ao prado cheio de flores.
The hippopotamus discovers he has a big
recortes, animação de volumes e marionetas.
behind. Animals came from the savannah It is springtime. The little bird is taking
In the midst of a heatwave of insanity, to see it and give their opinion. But since care of the first leaves on the tree. Then
two children find a way to cool everyone everyone disagrees, a battle of rotten the blossoms open up one by one, and
down! A playful stop motion short fruit starts. Everything ends well, when the bees come buzzing along. Awakened
film animated in a hybrid technique each bottom finds a proper potty.  by the sweet taste of nectar, the little bird
between cut out, clay animation and follows them over the flower meadow. 
thousands of replacement pieces. A LINHA
ESPECTÁCULO NO JARDIM DE INFÂNCIA
FUSSEL
OS PÁSSAROS LE SPECTACLE DE MATERNELLE
Alex Berweck, Alemanha ∙ Germany, anim., 2019, 5’
LES OISEAUX Loïc Bruyère, França ∙ France, anim., 2019, 8’
Fussel, o monstro simpático, vai numa viagem No teatro o professor mocho prepara os seus
Célia Rivière, França ∙ France, anim., 2019, 4’
de aventuras. O objectivo? Descobrir o que alunos para o espectáculo do final do ano.
Um camionista chega ao fim de uma estrada
está no final do cordão vermelho.    Infelizmente para ele, muitas coisas inespera-
e abre a porta traseira do seu camião. De lá
saem a voar um bando de pássaros. Todos Fussel, the friendly monster, is going on das vão acontecer antes de subir a cortina e
menos um, pequeno e tímido, que parece não an adventurous journey. His goal? To find o show não será bem o esperado. 
ter muita vontade de partir…   out what’s at the end of the red string. In the theatre, an owl headmaster prepares

28
his kindergartners for the end of year show. UM LINCE NA CIDADE A scientist is immersed in observing the
Unfortunately for him, many unexpected UN LYNX DANS LA VILLE clouds. He counts how many there are,
events will happen before the curtain goes Nina Bisiarina, França/Suíça ∙ France/ measures their distance to the ground and
Switzerland, anim., 2019, 7’
up and the show won’t go as planned.  weighs the water which they are made of.
Era uma vez um lince curioso que deixa a flo-
But suddenly everything changes when
resta, atraído pelas luzes da cidade. Nessa
a cloud doesn’t quite fit his registers.
COM OS PÉS NA NATUREZA noite diverte-se muito, até que adormece num
+ 5 ANOS parque de estacionamento. No dia seguinte,
49’ coberto de neve, os habitantes ficam surpre- PERDER E GANHAR + 9 ANOS
30 DOM/SUN, 15:30, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.400 sos por encontrar uma criatura tão estranha.     Esta sessão foi programada pelos alunos do
5 SÀB/SAT, 16:30, CULTURGEST GA ∙ C.402 5.º A da Escola Básica Marquesa de Alorna, no
6 DOM/SUN, 11:30, CINEMA IDEAL ∙ C.404
A curious lynx leaves its forest, attracted by âmbito da actividade educativa
the city lights. He has a lot of fun there until “Eu Programo um Festival de Cinema”.
OS CINCO DESAJUSTADOS he falls asleep in the middle of a parking lot. 45’
LES CINQ MALFOUTUS In the early morning, locals are astonished 30 DOM/SUN, 11:15, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.418
Célia Rivière, França ∙ France, anim., 2019, 4’ to find this strange animal covered in snow. 5 SÁB/SAT, 15:30, CULTURGEST PA ∙ C.420
Era uma vez cinco desajustados. O primeiro
estava cheio de buracos. O segundo todo A FOLHA GUARDAS DO GINÁSIO
dobrado em dois, como uma carta. O ter- LÍSTEK ATHLETICUS — GARDIEN DE GYMNASE
Aliona Baranova, República Checa ∙ Czech Nicolas Deveaux, França ∙ France, anim., 2017, 2’
ceiro era mole e dormia sem parar. O quarto
Republic, anim., 2020, 6’ Todos os animais fazem desporto, mas depois
era ao contrário, mãos no chão e pés no ar.
Um forte marinheiro recebe uma folha de é ao elefante que calha arrumar o ginásio.
E o quinto não se aproveitava nada, uma bola
Outono de uma menina. Isso lembra-lhe a sua Como gostaria ele de ser um grande jogador
bizarra.
casa. Tanto tempo desde que partiu, as sau- de basquetebol...
Once upon a time there were five misfits. dades são muitas. O marinheiro apressa-se a
All animals do sports but then it’s up to
The first was full of holes. The second was regressar e ver os seus velhos pais. O que irá
the elephant to tidy up the gym. How we
folded in two, like a letter. The third was soft encontrar?
would like to be a basketball champion...
and slept all day. The fourth was reversed,
A strong sailor gets an autumn leaf from
hands on the ground and feet on air. The fifth AO LARGO
a little girl. It reminds him of his home. So
had nothing of worth, a sort of bizarre ball.  AU LARGE
long since he left and he misses home a
lot. The sailor rushes to return and meet MATHILDE PEPINSTER,
A SELVA DE BETÃO
his old parents. What will he find there? 
BÉLGICA ∙ BELGIUM, ANIM., 2019, 6’
BETONOVÁ DŽUNGLE
Marie Urbánková, República Checa ∙ Utilizando uma técnica de animação de volu-
 Czech Republic, anim., 2019, 8’ O HUGO E O HOLGER mes, Mathilde Pepinster imagina a história
HUGO & HOLGER de um homem que, de visita ao supermer-
Às vezes parece que nada de muito interes-
Teddy Halkier Kristiansen, Dinamarca ∙ Denmark,
sante acontece na nossa casa, mas, quando cado, pensa que é um esquimó e que vive
anim., 2019, 14’
menos esperamos, a aventura começa.  rodeado de gelo. 
Hugo sempre quis ter um cãozinho. Um dia
Sometimes it seems nothing interesting conhece Holger e o seu sonho concretiza-se. Using a stop motion animation technique,
happens at our home, but suddenly, when Mas afinal Holger não é um cão mas sim um Mathilde Pepinster imagines the story of a
we least expect, the adventure begins. elefante bebé. Um filme sobre a amizade e man that visits the supermarket but thinks
sobre o mundo de brincadeira e descoberta he is an eskimo, living surrounded by ice.  
PRINCE KI-KI-DO: EM FUGA
através dos olhos de uma criança.
PRINCE KI-KI-DO: ON THE RUN LAÇOS DE FAMÍLIA
Grega Mastnak, Eslovénia ∙ Slovenia, Hugo always wanted to have a puppy dog. FAMILY BONDS
anim., 2019, 5’ One day he meets Holger and his dream Maria Schmidt, Alemanha ∙ Germany, anim.,
O príncipe pintainho Ki-Ki-Do vive no cimo comes true. But Holger is not a dog after all, 2019, 7’
da sua torre de pedra na floresta negra. Ele but a baby elephant instead. A film about De manhã, a raposinha acorda e os seus
é pequeno como Calimero, mas forte como friendship and the playful world full of pais patos dão-lhe o pequeno-almoço: uma
Hércules. Quando a floresta está em perigo, discoveries seen through the eyes of a child. cenoura. Sai para brincar e vê na floresta uma
lá vai ele ajudar, com os seus companheiros, raposa adulta que caça um pássaro. Esse
QUANTO PESA UMA NUVEM?
os mosquitos tigre, Tine e Bine. encontro vai perturbar as relações familiares
HOW MUCH DOES THE CLOUD WEIGH
The small chick called Prince Ki-Ki-Do lives Nina Bisyarina, Rússia ∙ Russia, anim., 2019, 6’ da raposinha. 
on top of a stone tower in a dark forest. Um cientista está ocupado a observar as nuvens. In the morning, the little fox wakes up and
He’s as small as Calimero but as strong as Conta quantas são, mede a distância destas ao his duck parents feed him breakfast, a carrot.
Hercules. When the forest is in trouble, there solo, pesa a água de que elas são feitas. Mas de He goes out to play and finds an adult fox
he goes to help, with his two companions, repente tudo muda, quando surge uma nuvem in the forest hunting a bird. This encounter
tiger mosquitoes Tine and Bine. que não corresponde àquilo que registou. will trouble little fox’s family bonds. 
Guardas do Ginásio
O Hugo e o Holger

29
Flores de Papel

Beleza
CHÁ DAS CINCO cia. Dois irmãos, já crescidos, entram numa PARAÍSO DOS MÚSCULOS
AFTERNOON TEA casa cheia de detalhes de antigamente. As PUMPERS PARADISE
Andrea Szelesová, República Checa ∙ Czech cores, os cheiros, as flores do papel de parede, Eddy Hohf, Alemanha ∙ Germany, anim., 2019, 4’
Republic, anim., 2019, 2’ Se o mundo fosse apenas uma questão de ter
tudo recordações de felicidade.
Um nobre espera ansiosamente a sua noiva, músculos e estar em forma, era preciso usar a
que vai finalmente conhecer. Vão tomar chá So flowery are the memories of our
imaginação para treinar durante todas as acti-
juntos. Quando ela chega há algo de errado childhood. Two brothers, all grown up,
vidades do dia. 
com o seu vestido. Mas por vezes o importante enter a home full of details of the past. The
If the world was just a question of
é não dar parte de fraco. colours, the smell, the wall paper flowers,
having muscles and being fit, we
all of these are souvenirs of happiness. 
A noble man is anxiously waiting to finally needed to use our imagination to be
meet his bride. They are going to have tea DIFERENÇAS able to train in all our daily activities.
together. When she arrives, there is something IKTAMULI
wrong with her dress. But sometimes the Anne-Christine Plate, Alemanha ∙ Germany, BELEZA
important thing is not to lose face.  anim., 2019, 5’ BEAUTY
Christina Willings, Canadá ∙ Canada, doc., 2018, 23’
Um filme sobre os pensamentos e sentimentos
A MINHA VIDA EM VERSALHES Bex, Lili, Fox, Tru e Milo são cinco crianças não-
de uma mãe que tem um filho com deficiên-
LA VIE DE CHATEAU -binárias cada uma tentando modelar o que
Clémence Madeleine Perdrillat/Nathaniel cia mental. Enquanto ela se move com ele no
é ser totalmente humano. E fazê-lo implica
H’limi, França ∙ France, anim., 2019, 28’ dia-a-dia, os seus sentimentos ambivalentes
lidar com agressores, explicando-se aos pais
Um dia, Violette, uma menina parisiense de oito e a sua luta para o aceitar fazem-lhe frente.
ou navegando nas águas desconhecidas das
anos, perde os seus pais. O seu tio Régis, que The film depicts thoughts and feelings of relações. 
trabalha no Palácio de Versalhes, leva-a para a mother with her mentally disabled son.
viver com ela. São tempos difíceis, a saudade Bex, Lili, Fox, Tru e Milo are five gender-creative
While she moves with him through everyday
é muita, mas com a ajuda de um inesperado kids each engaged in shaping their own sense
life, her ambivalent feelings, her struggles
amigo, tudo vai ficar bem.  of what it means to be fully human. And to
to accept him as he is, get into her way. do it means dealing with bullies, explaining
One day, Violette, an eight-year-old Parisian
BRINCAR ÀS ESCONDIDAS themselves to their parents, or navigating
girl loses her parents. Her uncle Régis, who
HIDE N’ SEEK the uncharted waters of relationships. 
works at the Palace of Versailles, takes her
Barbora Halířová, República Checa ∙ Czech
to live with him. These are tough times, she TRAMPOLIM SINCRONIZADO
Republic, anim., 2019, 7’
misses her home, but with the help of an ATHLETICUS — TRAMPOLINE
Por detrás de um jogo infantil, uma história
unexpected friend, everything will be ok. SYNCHRONISÉ
sobre a percepção do tempo. Para ganhar o Nicolas Deveaux, França ∙ France, anim., 2019, 2’
jogo, o menino torna-se num velho e a sua Os animais observam as focas e a sua perfeita
LEVANTAR A VOZ! + 12 ANOS vida, um jogo de escondidas. Visões poéticas performance sincronizada no trampolim. Os
Esta sessão foi programada pelos alunos do 9.º A da E.S 2,3 D.
Filipa de Lencastre, no âmbito da actividade educativa que surgem a partir de memórias de infância hipopótamos são os que prestam mais aten-
“Eu Programo um Festival de Cinema”.
43’ e tocam os adultos. ção pois quando chegar a sua vez não querem
29 SÁB/SAT, 11:30, CINEMA IDEAL ∙ C.414 Behind a children’s game there is a story fazer má figura.
5 SÀB/SAT, 11:30, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.416 about the perception of time. To win the Animals watch seals give a perfect,
FLORES DE PAPEL game, the young boy becomes an old synchronized performance on the trampoline.
LES FLEURS DU PAPIER man and his life one hide and seek game. Hippopotami are the ones paying the
Marine Varguy, França ∙ France, anim., 2019, 3’ Poetic visions are created from childhood most attention because when their turn
Como são floridas as memórias da nossa infân- memories but they also touch adults. comes they don’t want to look bad.
A Minha Vida em Versalhes

Brincar às Escondidas

30
the gender assigned at birth”. There will be films that made the history of cinema and
several guests, focusing on the social transition which are, above all, very fun. The screen is
OFICINAS E in the family and school environment. This the place where everything happens, but for

ACTIVIDADES debate has the support of AMPLOS\s. that we will create sets and make objects
move and even stand upside down without

WORKSHOPS
any effort! Through a great interaction
SONHOS AÉREOS/AERIAL DREAMS between parents and children and with a
Pais e filhos e crianças + 5 anos/Parents and
AND ACTIVITIES children over 5 · 40’
lot of imagination, anything can happen.
Stop motion, live action, gymnastics and
29 SÁB/SAT, 16:30, JARDIM PALÁCIO GALVEIAS, visual arts, all in the same workshop. And
SALA DE OFICINAS ∙ C.W09
DIA DA FAMÍLIA TARDE FAMÍLIAS INDIEJÚNIOR at the end a film to show the family!
29 SÁB/SAT, 17:20, JARDIM PALÁCIO GALVEIAS,
FAMILY DAYAFTERNOON INDIEJUNIOR FAMILIES SALA DE OFICINAS ∙ C.W11
TUDO EM FAMÍLIA/ALL IN THE FAMILY Oficina de expressão plástica e arte cinética UMA FOLHA DE CADA VEZ
29 SÁB/SAT, 15:30, CULTURGEST GA ∙ C.422
Edições Orfeu Negro; Concebida e dinamizada UM FILME QUE SE FEZ!
pela arte-educadora Ana Teresa Magalhães
Uma sessão especial de curtas metragens
Grátis mediante inscrição prévia através do site ONE LEAF AT A TIME
com locução de Pedro Cardoso, 45’ indielisboa.com/indiejunior/oficinas crianças + 5 anos/children over 5 · 60’
VER PÁGINA 27. 5 SÁB/SAT, 15:30, JARDIM PALÁCIO GALVEIAS,
Com um ligeiro sopro podemos criar uma
A special short films screening with voi- SALA DE OFICINAS ∙ C.W13
multiplicidade de gestos e movimentos. Nesta
5 SÁB/SAT, 17:30, JARDIM PALÁCIO GALVEIAS,
ceover acting by Pedro Cardoso, 45 ’ oficina, damos asas à nossa imaginação e SALA DE OFICINAS ∙ C.W15
SEE PAGE 27. construímos mobiles habitados por aves, Bilhete: 6€ por pessoa (lotação limitada)
FESTA AO AR LIVRE/OPEN-AIR PARTY feitas de materiais naturais, como folhas, No filme A Folha, de Aliona Baranova, que
29 SÁB/SAT, 16:30-19:00, JARDIM PALÁCIO GALVEIAS sementes e paus. Inspirados pelo álbum Os faz parte da programação do IndieJúnior, um
Depois da sessão Tudo em Família*, começa a Pássaros**, de Germano Zullo e Albertine marinheiro recebe uma folha de Outono de
festa ao ar livre do IndieJúnior para miúdos e (edições Orfeu Negro), descobrimos como uma menina. Isso lembra-lhe a sua casa. Tanto
graúdos. Oficinas sobre Os Pássaros, em par- um pequeno gesto faz toda a diferença e nos tempo desde que partiu, as saudades são mui-
ceria com a editora Orfeu Negro, jogos inspi- permite encontrar o equilíbrio para a realiza- tas. Para animar uma folha num filme de anima-
rados na programação do IndieJúnior, DJ set ção dos nossos sonhos! ção é preciso desenhar muitas, muitas folhas,
**Os Pássaros, de Célia Rivière, é também um mas se formos muitos a desenhar é bem mais
e pista de dança, serão algumas das propostas
filme inspirado neste álbum que pode ser visto na simples e o resultado pode ser bem divertido
numa tarde que promete ser muito animada. sessão de cinema Tudo em Família.
e inesperado! Nesta oficina vamos descobrir
Todas as actividades são gratuitas mas de par- Plastic expression workshop and kinetic art by pub- técnicas e materiais diferentes para criar folhas
ticipação limitada. lisher Orfeu Negro; Designed by art educator Ana
de outono originais. Cada participante vai con-
Teresa Magalhães
After the All in the Family screening, a tribuir para fazer um filme surpreendente!
fun open-air party begins. Workshops Free with prior registration at
Ticket: 6 € per person (limited capacity)
on The Birds, in partnership with the indielisboa.com/indiejunior/oficinas
In the film The Leaf, by Aliona Baranova, a
publisher Orfeu Negro, games inspired With a slight puff we can create a multiplicity sailor receives an autumn leaf from a girl.
by the IndieJunior program, DJ set and a of gestures and movements. In this It reminds him of home. So long since he
dance floor, will be some of the activities workshop, we free our imagination and left, he misses it so much. To animate a
in this fun afternoon. All activities are free build mobiles inhabited by birds, made of leaf in a film you need to draw many, many
with a limited number of participants. natural materials, such as leaves, seeds and leafs, but if we all draw them it's much
sticks. Inspired by the book The Birds** easier and the result can be quite fun and
FILME + DEBATE/FILM + DEBATE by Germano Zullo and Albertine (Orfeu unexpected! In this workshop we will discover
QUANDO A IDENTIDADE DE Negro), we discover how a small gesture different techniques and materials to create
GÉNERO NÃO COINCIDE COM makes a difference and allows us to find the original autumn leaves. Each participant
O GÉNERO QUE FOI ATRIBUÍDO balance for the realization of our dreams! will contribute to make an amazing film!
À NASCENÇA/WHEN GENDER ** The Birds, by Célia Rivière, is also a film
inspired by this book that programmed
IDENTITY DOES NOT COINCIDE WITH in the screening All in the Family CINEMA SIMULTÂNEO
THE GENDER ASSIGNED AT BIRTH CINEMA PARA PAIS + CINEMA-OFICINA PARA FILHOS
Pais e filhos, professores/ SIMULTANEOUS CINEMA
Parents and children, teachers ∙ 90’ FAZ E FILMA EM FAMÍLIA CINEMA FOR PARENTS + WORKSHOP FOR CHILDREN
3 QUI/THU, 18:00, BIBLIOTECA PALÁCIO GALVEIAS, LET'S MAKE A FILM crianças +7 anos· enquanto os pais vão a uma
SALA POLIVALENTE pais e crianças +3 anos/ sessão de cinema/while the parents go to the
Entrada Livre (limitada à lotação da sala) parents and children over 3 · 60’ screening · children over 7
A curta metragem Beleza, de Christina Willings, 30 DOM/SUN, 11:30, CINEMA SÃO JORGE 2 ∙ C.W07 27 QUI/THU, 18:50, CINEMA SÃO JORGE 2 ∙ 90’ ∙ C.W01
um documentário sobre cinco crianças não biná- 30, DOM/SUN, 15:45, CINEMA SÃO JORGE 2 ∙ C.W08 28 SEX/FRI, 18:50, CINEMA SÃO JORGE 2 ∙ 60’ ∙ C.W03
rias, será o ponto de partida para o debate sobre Bilhete: 6€ por pessoa (lotação limitada) 5 SÁB/SAT, 18:50, CINEMA SÃO JORGE 2 ∙ 90’ ∙ C.W05
Uma oficina para conheceres alguns dos filmes Bilhete: 6€ por pessoa (lotação limitada)
“Quando a identidade de género não coincide
que fizeram a história do cinema e que além Cinema simultâneo é uma actividade descon-
com o género que foi atribuído à nascença”.
traída com filmes e artes plásticas num horá-
Serão vários os convidados para o debate que de tudo são muito divertidos. O ecrã é o lugar
rio que permite aos pais irem à sessão das 19h
aborda este tema focando a transição social na onde tudo acontece, mas para isso vamos criar
do cinema São Jorge, enquanto os filhos vêem
família e ambiente escolar. Para este debate con- cenários, fazer mexer objectos e até fazer o
filmes divertidos e escolhidos a dedo sobre a
tamos com o apoio da AMPLOS (Associação de pino sem qualquer esforço! Através de uma história do cinema, e criam objectos relaciona-
Mães e Pais pela Liberdade de Orientação Sexual grande interacção entre pais e filhos e com dos com a actividade cinematográfica.
e Identidade de Género). muita imaginação, tudo pode acontecer. Stop
Ticket: 6 € per person (limited capacity)
Free admission (limited to room capacity) motion, live action, ginástica e artes plásticas,
Simultaneous cinema is a relaxed activity
The short film Beauty, by Christina Willings, a tudo na mesma oficina. E no final sai um filme
with films and visual arts that allows
documentary about five non-binary children, para mostrar à família! parents to go to the 19h screening at
will be the starting point for the debate on Ticket: 6 € per person (limited capacity) São Jorge, while children watch fun films
“When gender identity does not coincide with A workshop to get to know some of the and create cinema-related objects.

31
RETROSPECTIVA
RETROSPECTIVE

Ousmane
Sembène
“Tu nous regardes comme des insectes”, disse Ousmane “O cinema serve
Sembène a Jean Rouch. Para Sembène o cinema sempre foi uma
arma política, mais forte que a sua prolífica obra escrita, que não
simplesmente como tela
chegava a uma população nacional maioritariamente iletrada. sobre a qual reflectimos
Quis expor em imagens a brutalidade das relações coloniais: o juntos. O importante é que
cinema como um instrumento de descolonização e revolução.
o cinema se torne olho,
Em Borom Sarret o condutor de uma carroça é desapos-
sado do seu instrumento de trabalho, pela ousadia de pisar a
espelho e consciência.“
linha que separa as classes senegalesas em Dakar. Encontrando já O.S.
neste primeiro filme as suas bandeiras — a luta de classes, o femi-
nismo, a recusa da europeização da cultura senegalesa, a hipocrisia do neo-colonialismo e do governo
pós-independência —viajamos por Dakar numa magnífica cópia restaurada.
Finalmente uma imagem de África vinda de dentro! No continente africano existe a vontade de
um cinema que contrapõe preconceitos e clichés europeus. Niaye confirma-o, no retrato de uma comu-
nidade em desarmonia, e na personagem de um filho-soldado que regressa louco de uma guerra que
não era sua. La noire de.., também apresentado em cópia restaurada, estreou-se com uma duração mais
curta devido a questões burocráticas (assim é também o cinema africano, com dificuldades de finan-
ciamento e tentativas de ingerência), deixando de fora várias cenas cortadas que conhecemos apenas
do guião. Ao colocar uma bela e bem-vestida mulher senegalesa num barco que chega a França, à sua
espera um homem branco de fato, Sembène semeia as falhas nas estruturas que pretende desmoronar. A
sua primeira longa, Mandabi, é também o primeiro filme inteiramente falado em Wolof. Mandabi resistiu
às tentativas do produtor de o transformar numa comédia à francesa filmada em África para confrontar
os espaços da comunidade (de identidade e pertença) com os espaços neo-coloniais (de assimilação
ou alienação), a mesma dualidade vivida em Tauw, a curta que realiza de seguida.
Em Emitai, também rodado inteiramente em Wolof, encontramos de novo as mulheres como agen-
tes da revolução: elas escondem a colheita e recusam-se a entregá-la aos soldados franceses. Também
em Ceddo é uma mulher que desfere o golpe na tirania da religiosidade, atestando de novo uma impor-
tante afirmação recorrente nesta filmografia: da revolta não se dissocia o papel da mulher. À época o
presidente Senghor censura a estreia de Ceddo. Como poderia um filme em que uma mulher mata um
líder islâmico estrear no Senegal? Entre estes dois filmes, Sembène filma ainda Xala, obra que mais se
demora a criticar a burguesia intelectual senegalesa assimilada e a poligamia.
Forma e conteúdo têm sublime apogeu em Camp de Thiaroye, talvez a sua magna obra: o filme
abre com a imagem do jovem soldado Pays tocando o arame farpado do campo para onde regressam os
soldados negros, já em solo africano, depois de terem combatido pela França na II G.M.. Uma compara-
ção difícil de esquecer. "Nous sommes pas des citoyens françaises, nous sommes des sujêts françaises",
diz Diatta, um dos protagonistas, e a sua descrença ainda hoje ecoa. Por mais três filmes — Guelwaar,
Faat Kiné e Moolaadé — Sembène continuará a apontar o dedo à sociedade senegalesa assimilada, à
burguesia, à hipocrisia do “homem moral” religioso, à negritude do projecto de Senghor, até nos deixar
em 2007. Em Guelwaar com o dedo em riste à religiosidade e em Faat Kiné e Moolaadé dignificando e
homenageando a mulher senegalesa moderna e livre.
Mafalda Melo
Retrospectiva co-programada com a Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema.

32
La noire de...

Ceddo
“Film simply serves as a “Tu nous regardes comme des insects” said Ousmane
Sembène to Jean Rouch. For Sembène, cinema always was a polit-
canvas on which to reflect
ical weapon, stronger than his prolific written work, which did not
together with each other. reach a largely illiterate national population. He wanted to expose
What is important is that the brutality of colonial relations in images: cinema as an instrument
cinema becomes eye, of decolonization and revolution.
mirror, and awareness.” In Borom Sarret, the driver of a cart is stripped of his working
tool, because he dared crossing the line separating the Senegalese
O.S.
classes in Dakar. Sembène’s marks are already present in this first
film — the class struggle, feminism, the refusal of the europeanization of Senegalese culture, the hypocrisy of
neo-colonialism and post-independence government — we travel through Dakar in a magnificent restored print.
Finally an image of Africa from within! On the African continent there is a desire for a cinema that
opposes European prejudices and clichés. Niaye confirms this, in the portrait of a community in disharmony,
and in the character of a young soldier who returns mad from a war that was not his to fight. La noire de..,
also presented in a restored copy, premiered with a shorter duration due to bureaucratic issues (this too is
African cinema, with funding difficulties and interference attempts), leaving out several scenes cut that we
only know from the script. By placing a beautiful and well-dressed Senegalese woman on a boat arriving in
France, a white man in a suit awaiting her, Sembène is already clawing the structures he intends to help col-
lapse. His first feature, Mandabi, is also the first film entirely spoken in Wolof. Mandabi resisted the producer’s
attempts to turn it into a French comedy filmed in Africa to confront the spaces of the community (of iden-
tity and belonging) with the neo-colonial spaces (of assimilation or alienation), the same duality experienced
in Tauw, the short film that followed.
In Emitai, also shot entirely in Wolof, again we find women as agents of the revolution: they hide the
harvest and refuse to hand it over to French soldiers. Also in Ceddo, it is a woman who strikes the tyranny
of religiosity, again attesting to a recurring statement in this filmography: the role of women is not to be
dissociated from revolution. At the time, President Senghor censored Ceddo’s premiere. How could a film in
which a woman kills an Islamic leader premiere in Senegal? Between these two films, Sembène also films Xala,
a work that criticizes at length the assimilated Senegalese intellectual bourgeoisie and polygamy.
Form and content hit a sublime peak in Camp de Thiaroye, perhaps his magnum opus: the film opens
with the image of the young soldier Pays touching the barbed wire on the camp to which the black sol-
diers are returning, already on African soil, after having fought for France at WWII, a comparison hard to for-
get. “Nous sommes pas des citoyens françaises, nous sommes des sujêts françaises”, says Diatta, one of
the protagonists, his disappointment still echoing today. For three more films — Guelwaar, Faat Kiné and
Moolaadé — Sembène will continue to point the finger at the assimilated Senegalese society, the bourgeoi-
sie, the hypocrisy of the religious “moral man”, the négritude of Senghor’s project, until his death in 2007. In
Guelwaar he aims at the core of religiosity and in Faat Kiné and Moolaadé he dignifies and honors the modern
and free Senegalese woman.
Mafalda Melo

Retrospective co-programmed with Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema.

33
Camp de Thiaroye
Faat Kiné

religious leader. Different stages of growth, the theatres describing the removed scenes.
BOROM SARRET + modern and the traditional in confrontation,
LA NOIRE DE... + TAUW in the streets of a changing Dakar.
85’
EMITAÏ
25 TER/TUE, 21:30, CINEMATECA FR ∙ C.141 GOD OF THUNDER
5 SÁB/SAT, 19:00, CINEMATECA FR ∙ C.143
CAMP DE THIAROYE Ousmane Sembène, Senegal, fic., 1971, 103’
Ousmane Sembène, Senegal/Argélia/ 29 SÁB/SAT, 21:30, CINEMATECA E ∙ C.215
BOROM SARRET Tunísia ∙ Senegal/Algeria/Tunisia, fic., 1988, 157’
2 QUA/WED, 15:30, CINEMATECA FR ∙ C.217
THE WAGONER 29 SÁB/SAT, 15:30, CINEMATECA FR ∙ C.147
Durante a 2.ª Guerra Mundial, as forças colonia-
Ousmane Sembène, Senegal, doc., 1963, 20’ 4 SEX/FRI, 21:30, CINEMATECA E ∙ C.149
listas francesas do governo de Vichy requisitam
É já com quarenta anos e com vários roman- Talvez a obra-prima de Ousmane Sembène e o
grito mais intenso de condenação das injusti- o bem mais precioso que têm os habitantes da
ces publicados que Sembène começa a filmar.
ças do colonialismo. No rescaldo da 2.ª Guerra aldeia senegalesa de Efock: o arroz. A minoria
Nesta sua segunda curta, seguimos um con-
Mundial, os soldados senegaleses regressam étnica dos Diola reorganiza-se para a resis-
dutor de carroça pelas ruas pobres e desola-
das de Dakar. da Europa e, antes do retorno a casa, são colo- tência: enquanto os anciãos rezam a Emitaï,
cados no acampamento militar de Thiaroye. o Deus do trovão, as mulheres, mais pragmá-
Sembène was already forty and with some
Perante as más condições de acomodação e ticas, escondem a colheita. Esta história de
novels under his pen when we became a
a redução de pagamento, os soldados revol- silenciosa resistência esteve censurada 5 anos
filmmaker. In his second short film, we follow a
tam-se e são massacrados às mãos do exér- após a sua estreia em toda a África francófona.
poor cart driver through the streets of Dakar.
cito francês. Vencedor do prémio especial do
During WWII, French colonialist forces from
LA NOIRE DE... Júri em Veneza.
Vichy’s government requested the most
BLACK GIRL Maybe Sembène’s masterpiece and one of
Ousmane Sembène, Senegal/França ∙ Senegal/ precious good in the Senegalese village of
France, fic., 1966, 65’ cinema’s most intense condemnations of Efock: rice. The ethnical minority of the Diola
colonialism. At the end of WWII, Senegalese
A longa metragem inaugural de Sembène é organise for resistance: while traditional elders
soldiers are coming home from Europe and
tida como o primeiro filme de um realizador da pray to Emitaï, the God of thunder, the women,
placed in Thiaroye’s military camp. Given
África subsariana a ter atenção internacional. more practical, hide the crops. This silent
the poor conditions they are kept and also
Baseado num conto homónimo do autor, ela resistance story was censured for 5 years
the cut in severance pay, the soldiers revolt.
acompanha a vinda, de Dakar para a Riviera after its release in all francophone Africa.
The tragedy happens with their massacre
francesa, de Diouana, uma jovem senegalesa,
at the hands of the French army. Winner
contratada como babysitter por um casal fran-
cês. Este é um trajecto de silenciosa rebelião,
of the jury special grand prize in Venice. FAAT KINÉ
Ousmane Sembène, Senegal, fic., 2001, 120’
na passagem dos sonhos ilusórios por uma
31 SEG/MON, 21:30, CINEMATECA E ∙ C.227
vida melhor a uma realidade de exploração. CEDDO
Ousmane Sembène, Senegal, fic., 1977, 120’ 8 TER/TUE, 19:00, CINEMATECA FR ∙ C.229
Sembène’s first feature is considered to
27 QUI/THU, 21:30, CINEMATECA E ∙ C.153 Quase uma década após o seu filme anterior,
be the first Sub-Saharan African film by an
3 QUI/THU, 15:30, CINEMATECA FR ∙ C.155 Sembène assina o que seria o primeiro volume
African filmmaker to receive international
Ceddo é o nome dado aos últimos detentores de uma planeada trilogia sobre o heroísmo
attention. Based on an author’s homonymous
do espiritualismo africano antes da chegada quotidiano da mulher africana. Faat Kiné é
short story, it tells the coming from Dakar
do islamismo e cristianismo. Numa aldeia sene- mãe solteira numa Dakar moderna, plena de
to the French Riviera, of Diouana, a young
galesa do séc. XVII, o rei Demba War cede às contradições e aspirações de mudança. Vive
Senegalese woman, hired as a babysitter
pressões do líder islâmico e os ceddo raptam com os seus dois filhos, de dois ex-maridos,
by a French couple. This is a silent rebellion
a sua filha para prevenir a conversão forçada tendo de lidar não apenas com a pressão social
path, going from illusory dreams of a
à nova religião. Este “micro épico”, como foi da sua condição, mas também lutar pelas suas
better life to a reality of exploration.
apelidado, foi à época censurado e conta-se
aspirações profissionais num mundo dominado
TAUW que Sembène distribuía, à saída dos cinemas,
pelo patriarcado.
Ousmane Sembène, Senegal, fic., 1970, 24’ panfletos que descreviam as cenas removidas.
Tauw e Ouman são irmãos. Tauw, o mais velho, Nearly a decade after his previous film,
Ceddo is the name for the last holders of
procura, em vão, um emprego. Ouman, 11 anos, Sembène directs here the first of a planned
African spiritualism before the arrival of
procura, em vão, apoios para o seu líder reli- trilogy about the daily heroism of the African
Islam and Christianity. Set in a Senegalese
gioso. Diferentes fases de crescimento, o village in the XVII century, The king Demba woman. Faat Kiné is a single mother in a
moderno e o tradicional em confronto, nas War sides with the Islamic leader. The ceddo modern Dakar, full of contradictions and
ruas de uma Dakar em mudança após a inde- organise and kidnap his daughter in order hopes of change. She lives with her two
pendência. to prevent forced religious conversion. children, of two ex-husbands, having to
Tauw e Ouman are brothers. Tauw, the eldest, This “micro epic”, as it has been described, deal not only with the social pressure of her
looks in vain for a job. Ouman, 11 years old, was censured and, so the story goes, condition, but also fight for the professional
looks in vain for monetary support for his Sembène used to distribute flyers at film goals in a world dominated by patriarchy.

34
Guelwaar
Emitai

film received the international critics’ prize in Venice.


GUELWAAR NIAYE + MANDABI
Ousmane Sembène, França/Alemanha/Senegal/ 140’
EUA ∙ France/Germany/Senegal/USA, fic., 1992, 115’ 2 QUA/WED, 19:00, CINEMATECA FR ∙ C.549
XALA
28 SEX/FRI, 21:30, CINEMATECA E ∙ C.247
Ousmane Sembène, Senegal, fic., 1975, 123’
5 SÁB/SAT, 15:30, CINEMATECA FR ∙ C.551
2 QUA/WED, 21:30, CINEMATECA FR ∙ C.651
7 SEG/MON, 15:30, CINEMATECA FR ∙ C.249
NIAYE 11 SEX/FRI, 19:00, CINEMATECA FR ∙ C.653
Esta comédia de enganos começa com a morte
Ousmane Sembène, França/Senegal ∙ Nos anos pós-independência, no Senegal man-
de Guelwaar (que significa “o nobre”), padre e France/Senegal, fic., 1964, 35’ tém-se a influência ocidental. Um ganancioso
activista católico. Quando a família vem recla- Inspirado em factos reais, Niaye narra através de homem de negócios retira dividendos dessa
mar o corpo à morgue apercebe-se que este um griot — um contador de histórias africano — situação e, como prova do seu sucesso, casa-
desapareceu e que foi enterrado por engano o caso de uma jovem cuja inesperada gravidez -se com a sua terceira mulher. Mas eis que, ao
num cemitério muçulmano. Sátira a uma África vem escandalizar a comunidade e agitar os valo- tentar consumar o casamento, se vê atacado
atolada pelos pequenos conflitos, por uma res tradicionais de uma pequena vila senegalesa. por uma terrível xala, uma maldição que o
burocracia paralisante e pelos dogmas e cren-
Based on real events, Niaye tells us, deixa impotente. Baseada no romance que
ças religiosas em confronto. A ironia fina e os
through the words of a griot — a traditional Sembène escreveu dois anos antes, esta é uma
pequenos detalhes revelam toda a mestria
African storyteller — the case of a young simbólica sátira acerca da impotência social e
de Sembène.
woman that suddenly turns up pregnant. política do seu país.
This comedy of errors starts with the death The situation will challenge the traditional In the years after Senegal’s independence,
of Guelwaar (translated as “noble one”), a morals of a small Senegalese village. the western influence is still a reality. A greedy
catholic activist priest. When the family comes
MANDABI businessman profits from the situation
to the morgue to claim the body, they realise
Ousmane Sembène, França/Senegal ∙ France/ and marries a third wife as proof of his
he is gone and was buried by mistake in a
Senegal, fic., 1968, 105’ success. But when he tries to consummate
muslin cemetery. This a satire to an Africa
Um homem senegalês de meia idade, desem- marriage, he is afflicted with a xala, a curse
ridden with small conflicts, a paralyzing
pregado, vive com as suas duas mulheres e that renders its victims impotent. Based on
bureaucracy and the clashing religious
filhos em Dakar. Quando recebe um vale pos- his novel with the same name, Sembène
dogmas and beliefs. The subtle irony and the
tal vindo do seu filho, trabalhador em Paris, directs a symbolic satire about the social
small details reveal Sembène’s masterful skills.
começam os problemas burocráticos para o and political impotence of his country.
levantar. Sembène foca-se, pela primeira vez,
MOOLAADÉ na corrupção da vida quotidiana do seu país,
Ousmane Sembène, Serra Leoa/França/ cumprindo o sonho de fazer um filme todo
Marrocos/Tunísia/República dos Camarões/ falado em Wolof. O olhar crítico valeu-lhe a
Burquina Faso ∙ Sierra Leone/France/Morocco/
censura no Senegal e um prémio internacio-
Tunisia/Cameroon/Burkina Faso, fic., 2004, 124’
nal da crítica no Festival de Veneza.
1 TER/TUE, 15:30, CINEMATECA FR ∙ C.545
5 SÁB/SAT, 21:30, CINEMATECA E ∙ C.547
A Senegalese middle-aged man, unemployed,
O último filme de Sembène e segundo de uma lives with his two wives and kids in Dakar. When
he receives a money order from his son, working in
planeada trilogia sobre o heroísmo da mulher
Paris, bureaucratic problems arise in order to cash
africana. Numa pequena vila senegalesa, Collé
the money. Sembène turns his attention, for the
Ardo, a segunda mulher de um próspero agri-
first time, to the corruption of daily life in his coun-
cultor, prepara o casamento de sua filha. Eis
Moolaadé

try, fulfilling his dream to direct a film entirely spo-


que resolve acolher quatro meninas que pro-
ken in his Wolof language. Despite censorship, the
curam refúgio na sua casa para escapar ao
ritual de “purificação”, que consiste na sua
excisão genital. Tal atitude inicia um conflito
que divide irremediavelmente os membros da
sua comunidade.
This is Sembène’s last film and the second
of a planned trilogy about the heroism of
the African woman. In a small Senegalese
village, Collé Ardo, the second wife of a
prosperous farmer, plans her daughter’s
marriage. But suddenly, she decides to shelter
four young girls that are trying to escape the
“purification” ritual of female circumcision.
Mandabi

Her attitude causes a conflict in the village,


dividing the members of her community.

35
RETROSPECTIVA
RETROSPECTIVE

50 Anos Forum Berlinale


Years
Cultura/contracultura Em Fevereiro de 2020, decorreu a 50ª edição do Berlinale Forum,
um programa com curadoria e organização independente do Arsenal
— comemoração dos — Institut für Film und Videokunst e. V., como parte da Berlinale. Para
50 anos do Forum comemorar esta ocasião especial, o Forum e seu irmão mais novo, o
da Berlinale Forum Expanded, criaram um plano simples mas convincente: durante
e depois do festival, o público teve a oportunidade de ver e rever os
filmes exibidos em 1971. Algumas destas obras — como Eldrige Cleaver, Black Panther, de William Klein,
um retrato do activista — são francamente políticos, outros são realizados por um colectivo, assim con-
testando a divisão tradicional do trabalho no cinema, como The Woman’s Film (Newsreel # 55), diri-
gido por Women’s Caucus — San Francisco Newsreel. Os filmes apresentados em 1971 estão em sintonia
com o seu zeitgeist, o que significa que reflectem as lutas e convulsões da época, sejam anti-coloniais,
pelos direitos das mulheres, gays ou civis. Filmes que questionam o status quo e abrem espaço para um
mundo e uma estética ainda por vir.
Tudo isto se aplica também ao Forum Internacional do Novo Cinema (o nome do Forum Berlinale
à época), que pode ser visto como uma reacção à turbulência política dos anos que antecederam a sua
criação, que quis desafiar o seu público, mostrar formas cinematográficas anteriormente desconheci-
das ou sub-representadas e documentar, como afirmou Ulrich Gregor, um dos membros fundadores e
director até 2001, “a multiplicidade e complexidade de novas formas de cinema entre cinema de van-
guarda, filme narrativo e documentário”.
Pela escolha dos filmes, o Forum provou que estava profundamente preocupado com os fenó-
menos políticos. A pergunta crucial para este programa é: o que resta desse legado? O que aconteceu
à ideia de contracultura tão omnipresente em 1971? Faz sentido relacionarmo-nos com essa ideia? Ou
será profundamente enganador, já que as sociedades capitalistas do século XXI tendem a absorver cada
passo da crítica para se tornarem mais resistentes? O que é um cinema político formalmente arriscado
hoje em dia? O IndieLisboa junta-se a estas vozes para colocar as mesmas perguntas, apresentando
uma parte do programa que foi apresentado no Arsenal em Fevereiro. Com o apoio do Goethe-Institut
e em colaboração com a Cinemateca Portuguesa, tentaremos ajustar as questões acima colocadas ao
contexto específico e encontrar respostas que funcionem tanto a nível local, como global.
Berlinale Forum
Eldrige Cleaver, Black Panther

W.R. — Misterije Organizma

36
Angela — Portrait of A Revolutionary
Culture/Counterculture – In February 2020, the 50th edition of the Berlinale Forum took place,
a program independently curated and organised by Arsenal — Institute
Celebrating 50 Years for Film and Video Art as part of the Berlinale. To celebrate this special
of Berlinale Forum occasion, Forum and its younger sibling Forum Expanded came up with
a simple but compelling plan: during and after the festival, the audience
had the opportunity to watch and rewatch the films shown in 1971. Some of them — like William Klein’s Eldrige
Cleaver, Black Panther, a portrait of a Black Panther activist — are outspokenly political, others are directed
by a collective and thus contest the traditional division of labour in filmmaking, such as The Woman’s Film
(Newsreel #55), directed by Women’s Caucus — San Francisco Newsreel. The films presented in 1971 are in
tune with their zeitgeist, meaning that they reflect the struggles and upheavals of that era, be they antico-
lonial, for women’s, gays’ or civil rights. They question the status quo and open up room for a world and an
aesthetics yet to come.
All this goes also for the International Forum of New Cinema itself (that is how the Berlinale Forum
was called back then). It can be understood as a reaction to the political turbulence of the previous years, it
sought to challenge its audiences, it showed previously unknown or underrepresented cinematic forms and
documented, as Ulrich Gregor, one of the founding members and director until 2001, once put it, “the mul-
tiplicity and complexity of new film styles between avant-garde cinema, narrative film and documentary”.
By the choice of its films, the Forum proved that it was deeply concerned with political phenomena. The
crucial question for this program is: What’s left of this legacy? What happened to the notion of counter-culture
so omnipresent in 1971? Does it make sense to relate to that notion? Or is it be deeply misleading, as capitalist
societies in the 21st century tend to absorb each and every piece of critique in order to grow more resistant?
What would be a political cinema that is formally daring nowadays? IndieLisboa now joins these voices to
ask the same questions, presenting a part of the programme that was presented at Arsenal. With the sup-
port of the Goethe-Institut and in collaboration with Cinemateca Portuguesa we will try to adjust the before
mentioned questions to the specific context and find answers that work both on a local as on a global level.
Berlinale Forum

37
El cuarto poder

Soleil Ô
70’s. A fight for the control of information como Nixon ou Reagan. Mas esta é também
EINE PRÄMIE FÜR IRENE + and the need to find trustworthy sources. uma obra além da ideologia, o retrato de um
THE WOMAN’S FILM ANGELA — PORTRAIT OF
revolucionário romântico, num exílio lírico e
91’ comovente.
A REVOLUTIONARY
3 QUI/THU, 19:00, CINEMATECA FR ∙ C.195
Yolande du Luart, França/EUA ∙ France/USA, After being accused of attempted murder,
10 QUI/THU, 19:00, CINEMATECA FR ∙ C.197 doc., 1971, 60’ Eldrige Cleaver, militant of the Black Panther
EINE PRÄMIE FÜR IRENE Foi quando estava a estudar cinema na Party, is exiled in Algeria. The director and
A BONUS FOR IRENE Universidade da Califórnia, que Luart e alguns photographer William Klein will make a portrait
Helke Sander, Alemanha ∙ Germany, fic., 1971, 50’ colegas também estudantes fizeram este docu- of a multifaceted man, listening to his activist
Numa crítica aos filmes berlinenses que abor- mentário. No centro do filme, a filósofa Angela discourse on revolution, on the American
davam os dilemas laborais, mas sempre no Davis, nome importante ligado ao partido struggle, his own political rivals such as Nixon
masculino, Sander inverte a premissa. Irene, comunista americano, aos Black Panthers e or Reagan. But this is also a film that goes
mãe solteira, trabalha numa fábrica de máqui- ativista pelos direitos das mulheres e contra beyond ideology, a portrait of a romantic
nas de lavar e tem de lidar com discriminação, a discriminação racial. Seguindo a sua dimen- revolutionary, in a lyric and moving exile.
assédio e falta de solidariedade. são privada e carreira política, este retrato tor-
In a critique to the Berliner films that depicted nou-se num exemplo de verdadeiro manifesto
revolucionário.  MES VOISINS + SOLEIL Ô
labour problems always through masculine
139’
lens, Sander changes the point of view. Irene, It was when studying in UCLA that Luart 28 SEX/FRI, 15:30, CINEMATECA FR ∙ C.541
single mother, works in a washing machine and some colleagues decided to do
factory and has to deal with discrimination, this documentary. At its centre we find MES VOISINS
sexual harassment and lack of solidarity. the philosopher Angela Davis, someone MY NEIGHBOURS
Med Hondo, França ∙ France, doc., 1971, 35’
connected to the American Communist
THE WOMAN’S FILM (NEWSREEL #55) Hondo analisa as condições sociais e políticas
Newsreel, EUA ∙ USA, doc., 1971, 41’ Party, to the Black Panthers and an activist
dos seus vizinhos em Paris. Migrantes africa-
As realizadoras Judy Smith, Louise Alaimo e for women’s rights and against racial
nos, vítimas de racismo e exploração laboral,
Ellen Sorrin lideraram um processo de produ- discrimination. We follow her private life
cuja situação o realizador retrata entre a gra-
ção colectivo, inteiramente no feminino, que as well as political career, in a portrait that
vidade e a falsa leveza.
deu origem a este importante documento his- became a true revolutionary manifest.
tórico acerca das condições de vida das mulhe- Hondo analyses the social and political
res no início dos anos 70 em São Francisco. conditions of his neighbours in Paris. African
ELDRIGE CLEAVER, migrants, victims of racism and labour
The directors Judy Smith, Louise Alaimo BLACK PANTHER exploration, whose situation the director
and Ellen Sorrin led a female collective William Klein, França/Argélia ∙ France/Algeria,
doc., 1970, 75’ explores with gravity and false lightness.
production process that gave origin
to this important historical document 26 QUA/WED, 15:30, CINEMATECA FR ∙ C.207 SOLEIL Ô
3 QUI/THU, 21:30, CINEMATECA E ∙ C.209 OH, SUN!
about the difficult life conditions of
Após acusação de uma tentativa de assassi- Med Hondo, França/Mauritânia ∙ 
women in the 70’s in San Francisco.
nato, Eldrige Cleaver, militante do movimento France/Mauritania, fic., 1970, 104’
Black Panther Party, exila-se na Argélia. O rea- O realizador e actor da Mauritânia, Med Hondo,
EL CUARTO PODER + ANGELA – lizador e fotógrafo William Klein fará aqui o espantou o mundo do cinema com este seu
PORTRAIT OF A REVOLUTIONARY retrato de um homem multifacetado, escu- primeiro filme (vencedor do Leopardo de Ouro
105’ tando o seu discurso ativista sobre a revolu- em Locarno), rodado durante quatro anos e
29 SÁB/SAT, 19:00, CINEMATECA FR ∙ C.201
ção, a luta na América, os seus rivais políticos, com um baixo orçamento. Esta é a luta de um
9 QUA/WED, 19:00, CINEMATECA FR ∙ C.203

EL CUARTO PODER
Helena Lumbreras/Mariano Lisa, Espanha ∙ 
Spain, doc., 1971, 45’
O casal de cineastas, fundadores do colectivo
militante Class Cinema Collective, analisa neste
The Moon and the Sledgehammer

filme-ensaio, o papel da imprensa na ditadura


espanhola nos anos 70. Uma luta pelo controlo
da informação e a necessidade de procura de
fontes fidedignas.
The filmmakers couple, founders of the
militant collective Class Cinema Collective,
analyses in this film-essay the role of the
press in the Spanish dictatorship in the

38
emigrante mauritano em Paris, em face das
precárias condições de trabalho, remuneração
discriminatória, humilhação e indiferença. Um
manifesto original, com influências do cinema
verité, da montagem eisensteiniana, da sátira
e do absurdo. 
The director and actor from Mauritania, Med
Hondo, surprised the world of cinema with his
first film (Golden Leopard at Locarno), shot

Nicht der Homosexuelle ist pervers, sondern die Situation, in der er lebt
over four years and with a low budget. It is the
struggle of a Mauritian emigrant in Paris, facing
precarious work conditions, discriminatory
paying, humiliation and indifference. An
original manifesto, echoing cinema verité,
eisensteinian montage, satire and the absurd.

MONANGAMBEEE + PHELA-NDABA
61’
27 QUI/THU, 15:30, CINEMATECA FR ∙ C.543

MONANGAMBEEE
Sarah Maldoror, Argélia ∙ Algeria, fic., 1969, 16’
Sarah Maldoror, cineasta maior da causa da
libertação africana, assina aqui o seu primeiro
filme. A denúncia da tortura no colonialismo
português em Angola, bastando uma palavra
com significado desconhecido para dar ori-
gem à violência. When Philip Travelyan met the Page family,
Sarah Maldoror, a major filmmaker of the living in the woods in a Sussex rural area, he
African liberation cause, directs here her was fascinated. The father, a septuagenarian,
first film. The denunciation of Portuguese lived with his own four grown up children, in
colonialist torture in Angola, sufficing a word a world apart, without water or electricity. It
with unknown meaning to trigger violence. was 1969, but the family lived like it was the
end of the nineteenth century. Filmed in super
PHELA-NDABA (END OF THE DIALOGUE) 16mm, in a realistic, observational style, this is
Members of the Pan Africanist Congress, África still today a cult documentary on technology
do Sul ∙ South Africa, doc., 1970, 45’
development and alternative ways of life.

Phela-ndaba
Em 1970, membros do Congresso Pan-Africano
formaram um colectivo cinematográfico. Um
grupo de sul africanos exilados em Londres NICHT DER HOMOSEXUELLE
utilizou imagens de arquivo e vídeos filma- IST PERVERS, SONDERN DIE
dos em segredo no seu país para realizar o SITUATION, IN DER ER LEBT
que seria um dos primeiros filmes sobre o IT IS NOT THE HOMOSEXUAL WHO W.R. — MISTERIJE ORGANIZMA
Apartheid. IS PERVERSE, BUT THE SOCIETY IN W.R. — MYSTERIES OF THE ORGANISM
WHICH HE LIVES Dušan Makavejev, Alemanha /Jugoslávia ∙ 
In 1970, members of the Pan Africanist Rosa von Praunheim, Alemanha ∙  Germany/ Yugoslavia, fic., 1971, 84’
Congress formed a cinematographic Germany, doc., 1971, 67’ 1 TER/TUE, 21:30, CINEMATECA E ∙ C.645
collective. A group of South Africans exiled 31 SEG/MON, 19:00, CINEMATECA FR ∙ C.553 Esta obra prima de Makavejev esteve banida
in London used archive images and videos Dois anos após a abolição da Secção 175 do na Jugoslávia durante 16 anos. Isto porque no
secretly filmed in their country to direct one Código Criminal que criminalizava a homosse- filme se estabelece uma relação entre a repres-
of the first films about the Apartheid regime. xualidade na Alemanha, o filme de Praunheim
são/libertação sexuais e os sistemas políticos e
tornou-se uma obra fundamental do cinema
sociais. A partir de uma relação entre uma mulher
político. Desencadeou debates sobre a visibi-
jugoslava marxistaa e um patinador soviético, o
THE MOON AND THE lidade da cultura gay e movimentos pela sua
realizador homenageia a obra do psicanalista
SLEDGEHAMMER libertação em muitos países. O filme mostra
Philip Trevelyan, Reino Unido ∙ United Kingdom, austro-americano Wilhelm Reich. A sua monta-
a vinda de Daniel da província para a cidade
doc., 1971, 65’ gem frenética e seus diferentes registos são eles
e sua passagem por diferentes subculturas
4 SEX/FRI, 15:30, CINEMATECA FR ∙ C.619 mesmos um orgasmo cinematográfico.
gay. E ouvimos vozes até aqui em silêncio.
Quando Philip Trevelyan conheceu a família Makavejev’s masterpiece was banned in
Two years after the abolition of Section
Page, a viver num bosque na zona rural de Yugoslavian for 16 years. In part because it
175 of the German criminal code, which
Sussex, ficou fascinado. O pai, septuagená- explores the connection between sexual
criminalized homosexual acts, Praunheim’s
rio, vivia com os seus quatro filhos adultos, repression/liberation and the political social
film became a fundamental work for political
num mundo à parte, sem água ou electrici- cinema. It triggered society debates on the systems. The film depicts the affair between
dade. Estávamos em 1969, mas a família vivia visibility of gay culture and movements a Jugoslav Marxist woman and a soviet
ainda como no final do séc. XIX. Filmado em for its liberation in several countries. The skater, while paying tribute to the work
super 16mm, num estilo realista e observacio- film shows Daniel leaving the countryside of Wilhelm Reich, the Austrian-American
nal, esta é ainda hoje uma fascinante obra de for the city and his passage through famous psychoanalyst. The film’s frantic
culto sobre o avanço tecnológico e as múlti- different gay subcultures. And we hear montage and its different elements compose
plas formas de viver. voices that were in silence until then. a kind of cinematic orgasm in itself.

39
INDIEMUSIC

A ligação entre o cinema


e a música está no
epicentro desta secção
competitiva. No IndieMusic
abraçamos filmes sobre
músicos e bandas de todo
o mundo, mergulhando
não raras vezes nos
contextos históricos,
políticos e sociais

Billie
que acompanham as
movimentações musicais.
The link between film and
music is at the epicentre
of this competitive section.
IndieMusic embraces films
about musicians and bands
from around the world, often
immersing themselves in the
historical, political and social
contexts that accompany

A Vida Dura Muito Pouco


musical movements.

BILLIE CAOS E AFINIDADE ELETRONICA:MENTES


James Erskine, Reino Unido ∙ United Kingdom, CHAOS AND AFFINITY Dácio Pinheiro/Denis Giacobelis/Paulo Beto,
doc., 2019, 96’ Pedro Gonçalves, Portugal, doc., 2020, 82’ Brasil ∙ Brazil, doc., 2019, 79’
25 TER/TUE, 21:30, CULTURGEST GA ∙ C.135 4 SEX/FRI, 19:00, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.151 27 QUI/THU, 21:30, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.211
29 SÁB/SAT, 19:30, CINEMA IDEAL ∙ C.137 Viagem pela música improvisada em Portugal, 29 SÁB/SAT, 19:15, CULTURGEST PA ∙ C.213
Billie Holiday é uma lenda do jazz norte- em particular em Lisboa, tendo como foco o já Ao contrário do samba ou da bossa nova,
-americano. No final dos anos 60, como pre- extinto Bar Irreal. Com entrevistas e concertos a música eletrónica brasileira não tem sido
paração para uma biografia que nunca chegou filmados de nomes como Gabriel Ferrandini, objecto de abordagem pelo cinema. Este docu-
a escrever, a jornalista Lipnack Kuehl gravou Adriana Sá ou Lantana, Caos e Afinidade dá mentário procura preencher essa lacuna, tra-
mais de 200 horas de entrevistas com outros a ver uma realidade cultural pouco retratada, çando um percurso histórico que começa nas
músicos, mas também familiares, amigos e de um conjunto de artistas e locais nacionais experiências pioneiras de Jocy de Oliveira e
amantes da cantora. James Erskine acede pela onde esta música tem lugar. Pedro Gonçalves Jorge Antunes, nos anos 60, e vem até aos dias
primeira vez a este material para uma aborda- assina aqui a sua primeira longa metragem. de hoje, com nomes como Alexx kidd, Savio
gem à sua vida que restaura também algumas Lopes, passando pelo trabalho da editora Cri
This is a travel through the improvised music
performances a cores e imagens de arquivo du Chat e de veteranos como Anvil FX, Loop
in Portugal, in particular Lisbon, with focus on
de Holiday. B. ou Apollo Nove.
the now closed bar Irreal. Based on interviews
Billie Holiday is a North American jazz legend. and filmed concerts with artists like Gabriel Unlike samba or bossanova, Brazilian
At the end of the sixties, while preparing a Ferrandini, Adriana Sá and Lantana, Chaos electronic music has not been gathering
biography that was actually never written, and Affinity shows us a cultural reality not well too much attention cinemawise. This
the journalist Lipnack Kuehl taped more than known. And also, a group of artists and venues documentary tries to fill that gap, tracing an
200 hours of interviews with other musicians, where this improvised music takes place. historical path that starts with the pioneer
but also family members, friends and lovers Pedro Gonçalves directs his first feature film. experiments of Jocy de Oliveira and Jorge
of the singer. James Erskine accesses this Antunes in the 60’s and goes until today,
material to direct a film about her life, while with the work of musicians like Alexx kidd
restoring key performances and other archive or Savio Lopes. The film also features the
footage into colour for the first time. music of some important electronic artists
like Anvil FX, Loop B. or Apollo Nove.

40
GIMME SHELTER* THE HEART IS A DRUM LAUREL CANYON: A PLACE IN TIME
Albert Maysles/David Maysles/Charlotte Zwerin, Jacob Frössén, Suécia ∙ Sweden, doc., 2019, 74’ Alison Ellwood, EUA ∙ USA, doc., 2020, 160’
EUA ∙ USA, doc., 1970, 91’ 31 SEG/MON, 21:30, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.617 26 QUA/WED, 21:00, CULTURGEST GA ∙ C.519
4 SEX/FRI, 21:30, CULTURGEST GA ∙ C.241 O músico alemão Klaus Dinger foi um dos Em meados da década de 60 e início de 70,
Gimme Shelter, que celebra agora cinquenta membros fundadores da banda NEU!, e bate- Laurel Canyon foi o epicentro da contracultura.
anos, é não apenas um objeto imprescindível rista dos Kraftwerk. Foi também um dos pio- Muitos eventos musicais ali ocorriam e estre-
para compreender o que foi o Cinema Directo, neiros da chamada batida Motorik, sonoridade las de rock habitavam naquela zona. O docu-
como também um dos melhores documen- de marca de muita da música experimental mentário de Alison Ellwood recorre a vídeos,
tários musicais da história do cinema. Este alemã dos anos 60 e 70, com influência em outakkes, demos e fotografias raras para des-
acompanha as últimas semanas da tournée artistas como Iggy Pop, ou grupos como os velar esse período mítico e fazer-nos regressar
americana dos The Rolling Stones, em 1969, Joy Division ou Primal Scream. Jacob Frössén no tempo, explorando as histórias de músicos
com especial foco nos trágicos acontecimen- traça aqui a história de Dinger e a hipótese de como Mamas and the Papas, Bob Dylan, Joni
tos que levaram à morte de um fã às mãos um trauma amoroso ter estado por detrás da Mitchell, The Doors ou Frank Zappa.
dos Hell’s Angels que faziam a segurança no criação dessa célebre batida. In mid-late 1960s and early 1970s,
Altamont Free Concert, o último da digressão.
The German musician Klaus Dinger was one Laurel Canyon was the epicentre of the
The classic Direct Cinema musical of the founders of NEU! and a drummer for counterculture. Many musical events took
documentary Gimme Shelter is celebrating Kraftwerk. He was also one of the creators place there and many rock stars lived at
its 50th anniversary. Considered one of the for the Motorik beat, that influenced much of that place. Alison Ellwood’s documentary
best rock films of all time, it chronicles the the German experimental music of the 60’s uses rare videos, outtakes, demos and
last weeks of The Rolling Stones US tour and 70’s and later artists and bands like Iggy photos in order to pull the curtain on that
in 1969. With special focus on the tragic Pop, Joy Division or Primal Scream. Jacob mythical period, make us go back in time
incidents that led to the death of a fan at the Frössén goes after Dinger’s story and the and explore the stories of musicians like
hands of Hell’s Angels, responsible for the hypothesis that behind the creation of that Mamas and the Papas, Bob Dylan, Joni
security of the famous Altamont concert. famous beat there was a failed loved affair. Mitchell, The Doors or Frank Zappa.

HACER UNA DIAGONAL


CON LA MUSICA + SOA
81’
3 QUI/THU, 18:45, CULTURGEST GA ∙ C.251
HACER UNA DIAGONAL CON LA MUSICA
MAKING A DIAGONAL WITH MUSIC
Aura Satz, Reino Unido ∙ United Kingdom, doc.,
2020, 10’
A compositora electroacústica Beatriz Ferreyra é
uma das pioneiras da música concreta nos anos
50 e 60. A sua técnica de caça aos sons, os pro-
cessos de montagem e espacialização sonoras

White Riot
são aqui discutidos, num filme cheio de portas a
ranger e cães a ladrar.
The electroacoustic composer Beatriz Ferreyra
is a pioneer of early musique concrète
during the 50’s and 60’s. Here she discusses KEYBOARD FANTASIES: THE OTHER, LIKE ME
her ‘sound hunting’ recording techniques, BEVERLY GLENN-COPELAND STORY Marcus Werner Hed/Dan Fox, Reino
sound montage and spatialization, in a film Posy Dixon, Reino Unido/Canadá/Bélgica/ Unido ∙ United Kingdom, doc., 2020, 82’
Holanda/EUA ∙ United Kingdom/Canada/ 2 QUA/WED, 21:30, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.567
full of creaking doors and barking dogs.
Belgium/Netherlands/USA, doc., 2019, 63’ Em 1970, na cidade de Hull em Inglaterra,
SOA 1 TER/TUE, 19:15, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.511 nasceu um colectivo artístico que iria desa-
Raquel Castro, Portugal, doc., 2020, 71‘ Beverly Glenn-Copeland escreveu e lançou, fiar o mundo da arte. COUM Transmissions,
Estamos rodeados por todos os tipos de sons, a partir do seu estúdio caseiro em Huntsville, liderado pelos artistas Genesis P-Orridge and
mas qual o grau de consciência que temos deles? Ontario, o álbum de folk eletrónico Keyboard Cosey Fanni Tutti, trabalhavam na área da
A realizadora e investigadora Raquel Castro tem Fantasies em 1976. Apesar de inovadora em performance, desafiando os limites impostos
trabalhado, a partir do conceito de paisagem muitas das sonoridades a cassete caiu no aos temas do sexo, pornografia e violência.
sonora, a forma como os sons, os silêncios, os esquecimento. Três décadas depois, graças Quando se viraram para a música criaram a
ruídos, as frequências, e todos os espectros à cortesia de um colecionador de raridades banda Throbbing Gristle, precursora da elec-
sonoros — do infra ao ultra-som — caracteri- japonês, o disco foi reeditado e conheceu final- trónica industrial. Este é um documentário
zam cada lugar e nos afetam e transformam. Um mente o seu público. E eis que, o agora músico sobre o seu trabalho.
filme ensaio também sobre cidadania, ecologia e Glenn-Copeland, começa a sua primeira tour-
In 1970, in the city of Hull in England, an
responsabilidade pelo som que geramos. née aos 74 anos.
artistic collective was born that was about
We are surrounded by all kinds of sounds, Back in 1986, Beverly Glenn-Copeland, wrote to challenge the world of art. COUM
but how far are we conscious about them? and self-released Keyboard Fantasies, in Transmissions was led by the artists Genesis
The director and investigator Raquel Castro Huntsville, Ontario. Despite its innovating folk- P-Orridge and Cosey Fanni Tutti who worked
has been working with the concept of sound electronica hybrid sonorities, the cassette on performance that challenged the limits
landscape. And in particular the way sounds, was forgotten. Suddenly, three decades later, imposed on themes such as violence, sex
silences, noises, frequencies and all spectral a rare-record collector in Japan reissued the
* FORA DE COMPETIÇÃO

and pornography. When they turned to


OUT OF COMPETITION

densities — infra or ultrasounds — can shape album and finally the music found its listeners. music, they created the band Throbbing
each place and all of us. This is also a film essay The musician, now Glenn Copeland, starts Gristle, precursor to industrial electronica.
about citizenship, ecology, and the responsibility its first international tour at the age of 74. This is a documentary about their work.
we have for the sounds we produce.

41
LE REGARD DE CHARLES
AZNAVOUR BY CHARLES
Marc di Domenico, França ∙ France, doc., 2019, 75’
29 SÁB/SAT, 21:30, CAPITÓLIO ∙ C.521
5 SÁB/SAT, 19:00, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.523
Desde que Charles Aznavour recebeu uma
câmara, em 1948, das mãos de Edith Piaf, que
o acto de filmar se tornou parte do seu quo-
tidiano. O cantor mantinha um vídeo diário,
no qual registou momentos importantes da
sua vida, viagens, concertos, amantes e ami-
gos. Antes de morrer expressou o desejo de
com aquele material fazer um filme. Marc di
Domenico, ele próprio tendo filmado Aznavour
durante 3 anos, concretiza esse desejo, ace-
dendo aqui a esse espólio pessoal.
Since Aznavour received his first camera from
Edith Piaf in 1948, that filming became a part
of his daily life. The singer kept a video diary
where he recorded key moments of his life,
travels, concerts, lovers and friends. Before he

Le Regard de Charles
died he expressed the desire to make a film
out of this material. Fulfilling his wish, Marc di
Domenico accesses these personal files, while
filming himself the French singer for 3 years.

RICARDO + A VIDA DURA SHOW ME THE PICTURE: WHITE RIOT


MUITO POUCO THE STORY OF JIM MARSHALL Rubika Shah, Reino Unido ∙ United Kingdom,
52’ Alfred George Bailey, Reino Unido/EUA ∙ United doc., 2019, 80’
Kingdom/USA, doc., 2019, 92’ 28 SEX/FRI, 21:30, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.647
28 SEX/FRI, 19:00, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.581
30 DOM/SUN, 21:30, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.587 1 TER/TUE, 21:30, CAPITÓLIO ∙ C.649
RICARDO 3 QUI/THU, 21:30, CAPITÓLIO ∙ C.589 No final dos anos 70, a Frente Nacional
Luís Sobreiro, Portugal, doc., 2020, 29’ Muito do que conhecemos da mitologia musical Britânica defendia posições xenófobas de
Em 2014 um gajo apareceu de calções colori- e contracultura dos anos 60 devemos às ima- extrema direita. Como resposta nasceu um
dos em palco, para uma performance durante gens e ao talento fotográfico de Jim Marshall. elemento central do punk rock britânico, o
o concerto dos Sensible Soccers no festival São dele algumas das fotografias mais conheci- movimento anti-racista Rock Against Racism.
Paredes de Coura. Desde aí nunca mais foi das de músicos como Bob Dylan ou The Rolling O filme de Rubika Shah retrata o surgimento
esquecido. Mas quem é ele? Ricardo é um Stones. E ainda momentos marcantes como o desse movimento, sob o impulso do fotógrafo
mockumentary sobre Ricardo.   último concerto dos The Beatles, os concer- de música Red Saunders, e ao qual se junta-
In 2014, a guy appeared on stage in colourful tos de Johnny Cash na prisão de Folsom ou riam bandas como The Clash ou Sham 69, num
shorts, for an artistic performance during Jimi Hendrix a queimar a sua guitarra. Esta é momento em que uma geração desafiava o
Sensible Soccers concert, at the Paredes a crónica de vida de um artista ímpar, do lado status quo através da música.
de Coura festival. Since then he was de cá da sua câmara. At the end of the 70’s, British National
never forgotten. But who is he? Ricardo Much of what we know about the musical Front supported right wing extremist and
is a mockumentary about Ricardo. mythology and counterculture of the 60’s we xenophobic positions. As a response the
owe to the images and the photographic talent movement Rock Against Racism was created,
A VIDA DURA MUITO POUCO —
of Jim Marshall. He captured many important a central element to the British punk rock.
CELEBRANDO A OBRA DE JOSÉ PINHAL
Dinis Leal Machado, Portugal, doc., 2020, 23’ photos of musicians like Bob Dylan or The Rubika Shah’s film portrays the beginning
Nos anos 80, José Pinhal gravou um par de Rolling Stones and historical moments like The of this movement, under the impulse of
cassetes num estúdio de Matosinhos e depois Beatles last concert, Johnny Cash’s concerts the music photographer Red Saunders.
foi esquecido. Foi apenas nos anos 2000 que at Folsom prison or Jimi Hendrix burning his Bands like The Clash or Sham 69 would join
a sua música começou a ser recuperada, em guitar. This film chronicles the life of a singular these protest years, in a moment where a
festas e na internet, transformando-o num dos artist, behind and outside his camera. youth generation defied the status quo.
mitos da música popular portuguesa.
In the eighties, José Pinhal recorded a couple
Show Me the Picture: The Story of Jim Marshall

of cassettes and then he was forgotten. It


was only in 2000 that people started to
listen to his music again, turning him into a
myth of the popular Portuguese music.

42
DIRECTOR’S
CUT
Filmes novos que
mergulham na memória
do cinema como sua

La dialectique peut-elle casser des briques?


principal inspiração e
matéria-prima e filmes que
retrabalham o património
visual cinematográfico.
New films that plunge into
the memory of cinema
as its main inspiration
and films that rework
the cinematographic
visual heritage.

Fantasmas do Império
LA DIALECTIQUE PEUT-ELLE CASSER FANTASMAS DO IMPÉRIO FILMFARSI
DES BRIQUES?/CAN DIALECTICS Ariel de Bigault, Portugal/França ∙ Portugal/ Ehsan Khoshbakht, Irão/Reino Unido ∙ 
France, doc., 2020, 112’ Iran/United Kingdom, doc., 2019, 84’
BREAK BRICKS? (RESTORED VERSION)
René Viénet, França/Hong Kong ∙ France/Hong 28 SEX/FRI, 19:00, CINEMATECA FR ∙ C.231 4 SEX/FRI, 19:00, CINEMATECA FR ∙ C.233
Kong, fic., 1973, 90’ O trabalho de Ariel de Bigault tem estado O cinema iraniano é hoje sinónimo de poesia e
26 QUA/WED, 19:00, CINEMATECA FR ∙ C.513 ligado às rotas da lusofonia. Em Fantasmas humanismo. Mas nem sempre foi assim. Ehsan
No início dos anos 70, o situacionista e cineasta do Império somos guiados pelo actor são-to- Khoshbakht, co-director do festival Il Cinema
René Viénet comprou os direitos de um filme mense  Ângelo Torres através do cinema por- Ritrovato, recorre à sua coleção privada de fil-
de kung fu chinês e, adicionando-lhe legendas tuguês que explorou o nosso passado colonial. mes em VHS e a algumas bobinas que sobre-
e mais tarde dobragem, transformou-o numa Vários realizadores como Fernando Matos Silva, viveram à censura, para nos fazer viajar pelo
hilariante comédia burlesca avant garde. Era a João Botelho ou Margarida Cardoso ajudam a filmfarsi. Este é o termo que designa o cinema
técnica do “détournement”, que reformulava compreender o imperialismo, o colonialismo, popular anterior à revolução de 1979, onde rei-
e recontextualizava obras de arte para certos a propaganda vista através desse “álbum de navam os musicais de puxar a lágrima ou fil-
fins. E assim, um filme de artes marciais pas- família” que é o imaginário colectivo cinema- mes cravejados de sexo, violência e comédia.
sou a conter aforismos revolucionários e lutas tográfico português.  Today, Iranian cinema is associated with
opondo proletários e burocratas. Ariel de Bigault’s work has been connected poetry and humanism. But it wasn’t always
At the beginning of the 70’s, René Viénet, to the routes of the Lusophone World. In like that. Ehsan Khoshbakht, co-director of
situationist and filmmaker, bought the rights of Fantasmas do Império we are guided by Il Cinema Ritrovato festival, reaches for his
a Chinese kung fu film and, by adding subtitles the santomean actor Ângelo Torres through VHS private collection and also some reels
and later sound dubbing, transformed it into some works of the Portuguese cinema that of films that survived censorship, to create a
an hilarious burlesque avant garde comedy. explored its colonial past. Some directors journey through filmfarsi. This is the term that
It was the technique of “detournement”, that as Fernando Matos Silva, João Botelho designates the popular cinema before the 1979
reformulated and recontextualised works of art or Margarida Cardoso help to understand revolution, where tearful musicals, violence,
for other means. And so, a martial arts film was imperialism, colonialism, and propaganda sex and comedy dominated film screens.
now containing situationism aphorisms and seen through the “family album” which is the
fights opposing proletarians and bureaucrats. Portuguese cinematic collective imaginary.

43
SLUČAJ MAKAVEJEV ILI
PROCES U BIOSKOPSKOJ SALI
THE MAKAVEJEV CASE OR TRIAL
IN A MOVIE THEATER
Goran Radovanović, Sérvia ∙ Serbia, doc., 2019, 74’
1 TER/TUE, 19:00, CINEMATECA FR ∙ C.605
A estreia de W.R. — Os Mistérios do Organismo
(1971) de Makavejev — que poderemos ver no
ciclo “50 anos do Fórum da Berlinale” — provo-
cou um grande debate na sociedade jugoslava
de então. A associação entre sexo e o comunismo
era tida por ofensiva. A obra de Radovanović
retrata esse debate, através de gravações clan-
destinas da altura, ao mesmo tempo que traça
o perfil de uma era do socialismo tardio no país
e sua reduzida liberdade artística. 
The premiere of Makavejev’s W.R. - Misterije
organizma (1971) - that we’ll be able to see in the
programme “50th anniversary of the Berlinale
Forum” - stirred a big debate in the Yugoslavian

El Tango del Viudo y Su Espejo Deformant


society of that time. The association between
sex and communism was seen as offensive.
Radovanović's film portraits that debate,
with access to clandestine recordings of it,
and is also a story about late socialism in the
country with its reduced artistic freedom.

ANNA/NANA/NANA/ANNA
DC CURTAS/DC SHORTS Mark Rappaport, EUA/França ∙ USA/France,
Slučaj Makavejev ili Proces…

105’ doc., 2019, 26’


27 QUI/THU, 19:00, CINEMATECA FR ∙ C.189
Por vezes, a cinefilia é encontrar num filme
que antecede o sono alguém que não contáva-
ABSOLUTE STREET mos ver ali. Neste caso, foi a actriz Anna Sten,
Jan Ijäs, Finlândia ∙ Finland, doc., 2019, 3’ vedeta do cinema mudo russo, que surge aos
Film foi a única obra de Samuel Beckett para olhos de Rappaport, anos depois, num filme
o cinema. Nela queria ter imagens de exterior dos anos 50 de Edward Dmytryk.
de uma rua, rua essa que descrevesse uma “rua Sometimes cinephilia is finding someone
absoluta”. Jan Ijäs dá-nos agora a ver a pro- we didn’t expect, while watching a film
EL TANGO DEL VIUDO Y SU cura dessa “rua absoluta”, no Verão de 1964, before sleep. In this case, it was the actress
ESPEJO DEFORMANTE/THE TANGO em Nova Iorque. Anna Sten, star of Russian silent film, that
OF THE WIDOWER AND appears before Rappaport’s eyes, years
Film was Samuel Beckett’s only work for
ITS DISTORTING MIRROR later, in a 50’s film by Edward Dmytryk.
cinema. In it, he wanted to have exterior
Raúl Ruiz/Valeria Sarmiento, Chile, fic., 2020, 64’
images of a street, a street he would CONRAD VEIDT — MY LIFE
26 QUA/WED, 21:30, CINEMATECA FR ∙ C.205 Mark Rappaport, EUA/França ∙ USA/France,
describe as an “absolute street”. Jan Ijäs
Foi ainda no Chile que Ruiz começou a realizar doc., 2019, 60’
shows us the search, in the summer of
esta história de amor incondicional e fantasmas. A nova autobiografia ficcional de Rappaport
1964 in New York, for this “perfect street”.
Em 1973, o Golpe Militar forçou-o ao exílio dei- (The Double Life of Paul Henreid; Chris Olsen —
xando inacabada aquela que seria a sua primeira ECLIPSE — UNE ESTHÉTIQUE The Boy Who Cried, IndieLisboa 2018) é sobre o
longa. Anos depois apareceram as bobinas do DE LA CENSURE/ECLIPSE — AN actor germânico Conrad Veidt. A primeira ima-
que havia sido rodado. Valeria Sarmiento, sua AESTHETIC OF CENSORSHIP gem que nos vem à cabeça quando pensamos
viúva, com a ajuda de especialistas em leitura Gilles Ribero/Noé Grenier/Gwendal Sartre, em Veidt é a do sonâmbulo Cesare, no filme Das
de lábios, pôde reconstruir os diálogos e ter- França ∙ France, doc., 2018, 16’ Cabinet des Dr. Caligari (1920), obra precursora
A censura no cinema visou produzir um do expressionismo alemão. Contudo, Veidt atra-
minar este filme sobre um homem a quem lhe
corte ou uma opacidade nas imagens de cer- vessou todo o mudo e no sonoro procurou livrar-
aparece o fantasma da sua viúva.
tos filmes por questões morais ou políticas. -se do estigma do vilão germânico.
It was still in Chile that Ruiz started to direct
Acedendo a cartas dos censores do cinema Rappaport’s new fictional autobiography
this unconditional love story with ghosts. In
francês nos anos 50, 60 e 70, imagina-se aqui (The Double Life of Paul Henreid; Chris Olsen
1973, the military coup forced him to exile
o que seria isso de uma “estética da censura”. — The Boy Who Cried, IndieLisboa 2018) is
and he left unfinished what would be his first about the German actor Conrad Veidt. When
feature. Years later, film reels appeared of what Censorship in cinema aimed at producing cuts
we think of Veidt, the first image that comes
was shot. Valeria Sarmiento, his widow, with or an opacity in the images of certain films, to mind is of the somnambulist Cesare, in
the help of specialists in reading the actors’ due to political and moral reasons. Accessing Das Cabinet des Dr. Caligari (1920). However,
lips, was able to reconstruct the dialogue letters from censors of the French cinema Veidt had a career until the end of silent film
and finish this film about a man to whom of the 1950’s, 1960s and 1970s, one imagines and in the talkies he tried to free himself
the ghost of his deceased wife appears. what might be an “aesthetic of censorship.” from the stereotype of the German villain.

44
BOCA DO
INFERNO
MOUTH OF
MADNESS
Nesta secção
programam-se obras
que rasgam fronteiras
de registo e temas, sem
tabus. São programados
filmes desconcertantes,

Dreamland
temas fracturantes,
obras que serão
melhor compreendidas
(e digeridas) sob o
signo da meia-noite.
This section presents films
that tear language and
genre boundaries without
taboos. Disconcerting
films, controversial themes,
and works that are best
understood (and digested)
under the sign of midnight.

The Other Lamb


DREAMLAND GREENER GRASS THE OTHER LAMB
Bruce McDonald, Canadá/Luxemburgo/Bélgica ∙  Dawn Luebbe/Jocelyn DeBoer, EUA ∙ USA, fic., Malgorzata Szumowska, Irlanda/Bélgica/
Canada/Luxembourg/Belgium, fic., 2019, 92’ 2019, 95’ EUA ∙ Ireland/Belgium/USA, fic., 2019, 97’
26 QUA/WED, 21:30, CAPITÓLIO ∙ C.191 31 SEG/MON, 21:30, CAPITÓLIO ∙ C.243 30 DOM/SUN, 21:30, CAPITÓLIO ∙ C.621
31 SEG/MON, 19:00, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.193 4 SEX/FRI, 19:30, CINEMA IDEAL ∙ C.245 Estamos no seio de uma comunidade muito
Depois de Pontypool ou This Movie Is Broken Ahh…os subúrbios americanos com as suas singular. Um homem, conhecido como o Pastor,
(IndieLisboa 2011), o humor distópico e a cool- taras e manias. DeBoer e Luebbe — argumen- e o seu rebanho, composto por um conjunto
ness violenta de Bruce McDonald estão de tistas, realizadoras e actrizes do filme — fazem- de mulheres que o seguem, adoram e para
volta. Nesta dreamland, os vampiros modernos -nos entrar nesse mundo habitado por ferozes ele trabalham. A fazer lembrar obras como
convivem com as lendas de jazz e os dedos soccer moms, adultos de aparelho nos dentes, The Handmade’s Tale (Bruce Miller) ou The
mindinhos são um “bem” quase tão precioso roupas rosinhas ou azulinhas a condizer, inter- Village (M. Night Shyamalan), a realizadora
quanto as inocentes meninas para casamen- câmbio de bebés, cãezinhos e crianças, carros polaca Malgorzata Szumowska procura refletir
tos de arromba. O genial Stephen McHattie, de golfe e jogos de futebol. Nesta deliciosa sobre os rituais separados da civilização, mas
secundado por Juliette Lewis e Henry Rollins, comédia negra em tons garridos parece que sobretudo a lógica da dominação masculina
são os actores deste sangrento e moderno David Lynch acasalou com Wes Anderson e sobre o mundo feminino.
conto de fadas. deram à luz este filme.
We are inside a very peculiar community.
After Pontypool or This Movie Is Broken Ahh… the American suburbs with all its strange A man, known as the Shepherd, and his
(IndieLisboa 2011), the dystopian humour and rituals. DeBoer and Luebbe — screenwriters, flock, composed of a group of women
the violent coolness of Bruce McDonald are directors and actresses in the film — crafted of different ages that follow, adore and
back. In this dreamland, modern vampires this world inhabited by fierce soccer moms, work for him. Resembling works such as
are face to face with jazz legends, and pinkie adults wearing braces, matching pink and The Handmade’s Tale (Bruce Miller) or
fingers are a “good” almost as precious blue outfits, baby exchanges, little dogs The Village (M. Night Shyamalan), the
as innocent girls for wild wedding parties. and babies, golf carts and football matches. Polish director Malgorzata Szumowska
The genius Stephen McHattie, backed by In this delicious dark comedy in cheerful reflects about the rituals separated from
Juliette Lewis and Henry Rollins, are the colours, it is as if David Lynch mated with civilization, and above all on the logic of the
actors in this bloody modern fairy-tale. Wes Anderson to give birth to this film. masculine domination over the feminine.

45
Spalovač mrtvol

Vivarium
SPALOVAČ MRTVOL YUMMY VIVARIUM
THE CREMATOR Lars Damoiseaux, Bélgica ∙ Belgium, Lorcan Finnegan, Irlanda/Dinamarca/Bélgica/
Juraj Herz, Eslováquia ∙ Slovakia, fic., 1968, 92’ fic., 2019, 88’ EUA ∙ Ireland/Denmark/Belgium/USA,
1 TER/TUE, 21:30, CULTURGEST GA ∙ C.607 28 SEX/FRI, 21:30, CAPITÓLIO ∙ C.655 fic., 2019, 97’
3 QUI/THU, 21:45, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.657 1 TER/TUE, 19:00, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.643
Poucos filmes mostram tão bem a mentali-
Havia uma menina que queria reduzir as mami- Nada como estarmos confortáveis na nossa
dade e a paranóia social que desembocou no
nhas. À sua mãe, por sua vez, fazia-lhe jeito casinha. Mas nem sempre. Um jovem casal
nazismo, como esta obra prima de Juraj Herz,
outro lifting à cara. O namorado da primeira andava em busca do lar perfeito. E parecia
que após a sua estreia esteve banida duas
apoia tudo o que elas decidirem. E lá vão a ter encontrado. Até que subitamente perce-
décadas na Checoslováquia. No final dos anos beu que não conseguia sair do labirinto do seu
uma clínica de cirurgia estética no leste euro-
30, acompanhamos a vida de Mr Kopfrkingl, novo bairro, constituído por casas igualmente
peu. Ou, como se chama na terra do cinema
homem feliz, casado, duas filhas e que trabalha de terror, um restaurante para zombies. Uma perfeitas. Este thriller de ficção científica, com
num crematório em Praga. Mas a presença da comédia gore, uma orgia de sangue e violên- Imogen Poots e Jesse Eisenberg, é uma refle-
morte e o gérmen da discriminação vão con- cia, que te fará pensar bem antes de pedires xão acerca do que significa isso de ter a casa
taminando o seu quotidiano. Apresentado em carne mal passada da próxima vez.    dos nossos sonhos e constituir família.
cópia digital restaurada.  There is nothing like being cosy at our home.
Once there was a young woman that wanted
Few films show so well the mentality and the to reduce her titties. Her mother was also Not always. A young couple was looking for
social paranoia that led to Nazism, as this Juraj in need of another facelift. The boyfriend the perfect home. And it seemed they had
Herz’s masterpiece, which was banned for supports everything they want. And so found it. But then suddenly they realised
two decades in Czechoslovakia after its initial they go to this plastic surgery clinic in the they were trapped inside the new labyrinth-
release. At the end of the thirties, we follow east of Europe. Or, as we call it in the land like neighbourhood, composed of equally
the life of Mr Kopfrkingl, a happily married man of horror, a restaurant for zombies. A gore perfect houses. This science fiction thriller film,
with two children, who works at the Prague’s comedy, an orgy of blood and violence staring Imogen Poots and Jesse Eisenberg,
that will make you think twice before is a reflection about what it really means to
crematorium.  The presence of death and the
ordering your steak rare the next time.  have your dream home and build a family.
germen of discrimination will contaminate
his daily life. Digital restorated copy.

THE TWENTIETH CENTURY


Matthew Rankin, Canadá ∙ Canada, fic., 2019, 90’
25 TER/TUE, 18:45, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.623
29 SÁB/SAT, 21:30, CINEMA SÃO JORGE 3 ∙ C.625
A primeira longa de Matthew Rankin é uma
maravilhosa bizarria camp. Cenários que fazem
lembrar o expressionismo alemão, a estética da
televisão dos anos 80, ou a influência de gente
como Guy Maddin, John Waters ou mesmo os
primeiros trabalhos de Peter Jackson. O alvo:
a história e costumes canadianos. Uma diver-
Yummy

tida pseudo biopic que imagina os primeiros


anos de formação do antigo primeiro ministro
do país, William King, o político e o choninhas.
Matthew Rankin’s first feature film is a truly
wonderful camp bizarrerie. Sets that call
for German expressionism, 80’s television
aesthetics and the influences of artists like
Guy Maddin, John Waters or even the first
works of Peter Jackson. The target: Canadian’s
modes and history. This funny pseudo biopic
The Twentieth Century

imagines the first formative years of the


former Prime Minister of the country, William
King, the politician and the naïve boy.

46
BI CURTAS/MoM SHORTS
88’
28 SEX/FRI, 19:30, CINEMA IDEAL ∙ C.139

NORTEÑOS
Grandmas, Reino Unido ∙ United Kingdom, fic.,
2018, 8’
Barry é capaz de ter morto a sua avozinha à
martelada. Agora precisa de uma ajudinha da
sua ex-namorada. O amor vê-se nas peque-

Danny's Girl
nas coisas.
Barry might have hammered his granny to
death. Now he needs a little help from his
ex-girlfriend. Love is shown in the details.

DANNY’S GIRL
Emily Wilson, EUA ∙ USA, fic., 2020, 13’
Há um dia em que o nosso amor online tem
de virar offline. Isso aconteceu a Danny que
foi conhecer a sua namorada virtual pela pri-
meira vez e as coisas não correram bem como
ele esperava.
There comes the day when our online love has
to turn offline. That happened to Danny that
met his virtual girlfriend for the first time and

The Fall
things didn’t come out quite as he expected.

REGRET
Santiago Menghini, Canadá ∙ Canada, fic., 2020, 16’
Um homem de negócios tem de enfrentar os
momentos difíceis que se seguem à morte do
seu pai. Demónios interiores, emoções não
resolvidas, espaços desertos.
A businessman has to face the
difficult moments after the death of
his father. Inner demons, non-resolved
emotions, deserted spaces.

HITTE

Bad Hair
HEAT
Thessa Meijer, Holanda ∙ Netherlands, fic., 2019, 2’
Quando faz muito calor a melhor coisa a fazer
é entrar numa gelataria e pedir um geladinho.
THE FALL SOMETHING DOESN’T FEEL RIGHT
Mas há pessoas com olhares bem escaldantes. Jonathan Glazer, Reino Unido ∙ United Kingdom, Fergal Costello, Irlanda ∙ Ireland, fic., 2019, 10’
fic., 2019, 7’
When it’s very hot the best thing to Por vezes as pessoas são ingratas e não valo-
Nesta curta comissariada pela BBC Films,
do is to get a good ice cream. But rizam as horas de dedicação e esforço que um
Jonathan Glazer (Under the Skin) filma uma
sometimes people have very hot stares. assassino em série deposita no seu trabalho.
multidão de mascarados que persegue e pune
Outra coisa irritante são as vítimas que não se
FARSE um homem de máscara. Crítica social, inspi-
sabem comportar.
FARCE rada pelo quadro de Goya, El sueño de la razón
Robin Jensen, Noruega ∙ Norway, anim., 2019, 11’ produce monstruos. Sometimes people are unfair and don’t value
Eis uma espécie de triângulo amoroso entre the hours of dedication and effort a serial killer
In this short film, commissioned by BBC
um homem, uma mulher e um triturador de Films, Jonathan Glazer (Under the Skin) deposits in his work. Another annoying thing
carne. Ou de como o amor por vezes pode films a masked mob that pursues and are the victims that don’t know how to behave. 
ser porcalhão. punishes a masked man. Social critique,
NO, I DON’T WANT TO DANCE!
This is some sort of a love triangle between inspired by the Goya’s painting, El sueño
Andrea Vinciguerra, Reino Unido ∙ United
a man, a woman and a meat grinder. Or de la razón produce monstruos. Kingdom, anim., 2019, 3’
as sometimes love can be messy. HOT AND TASTY A dança é uma forma criativa e saudável de
Laura Jayne Hodkin, Reino Unido ∙ United nos expressarmos através do corpo. Ou talvez
KARV Kingdom, anim., 2019, 4’
BAD HAIR não. Esta deliciosa animação de Vinciguerra
Quem nunca no final de uma noite de copos
Oskar Lehemaa, Estónia ∙ Estonia, fic., 2019, 14’ mostra a dança como um perigo quotidiano.
começou a sonhar com comida? E quanto mais
Pobre Leo. Ele sabe que isso de as mulheres Há momentos em devemos dizer: “não, eu não
gordurosa melhor, certo? A animação de conclu-
preferirem os carecas não é bem assim. Mas a quero dançar!”
são de curso de Laura Hodkin é sobre uma des-
salvação chega sob a forma de um misterioso sas noites em que o primeiro crime é o nutritivo.  Dance is a creative and healthy way of
líquido-maravilha que faz crescer o cabelo. expressing yourself through the body.
Who could say they never started to dream
Poor Leo. He knows the idea that women about food at the end of a boozing night Or maybe not. Vinciguerra’s delicious
prefer bald men is not completely true. out? And the greasier the better, right? Laura animation shows dance as a daily danger.
But salvation is coming his way: a marvel Hodkin’s graduation film is about one of those There are moments where one should
and mysterious hair-growth liquid. nights when the first crime is a nutritional one.  say: “no, I don’t want to dance!” 

47
SESSÕES
ESPECIAIS
SPECIAL
SCREENINGS
Estão programados
nesta secção o filme
de encerramento
e outras estreias e

Um Animal Amarelo
programas temáticos
relativos à edição.
This section comprises
the closing film and other
theatrical releases and
thematic programmes.

Last and First Man


28 1/2 FOJOS LAST AND FIRST MAN
Adriano Mendes, Portugal, fic., 2020, 93’ Anabela Moreira/João Canijo, Portugal, Jóhann Jóhannsson, Islândia ∙ Iceland,
4 SEX/FRI, 18:45, CULTURGEST GA ∙ C.103 doc., 2020, 104’ fic./exp., 2020, 70’
A vida é feita de ciclos e o cinema de Adriano 2 QUA/WED, 21:50, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.235 3 QUI/THU, 19:00, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.517
Mendes mostra-nos isso. Depois da sua pri- Nos últimos anos, Anabela Moreira e João O compositor islandês Jóhann Jóhannsson (End
meira longa, O Primeiro Verão (melhor obra Canijo têm documentado, em várias obras, of Summer – grande prémio de curta metragem
secção Novíssimos, IndieLisboa 2014) — filme as terras do Norte e do centro português – IndieLisboa 2015), autor de bandas sonoras
quente, da juventude a despontar no amor (Portugal — Um Dia de Cada Vez, 2015; Diário inesquecíveis, trabalhava na sua primeira longa-
e no Verão — eis-nos chegado ao momento das Beiras, 2017). Este seu mais recente filme é -metragem quando nos deixou precocemente
em que é preciso arranjar um trabalho. 28 1/2 rodado em Castro Laboreiro, terra mais a norte em 2018. Filmado em 16mm, a preto e branco,
segue uma jovem nessa procura, numa Lisboa de Portugal, onde se observa o quotidiano Jóhannsson imaginou um mundo futurista, soli-
gentrificada, no qual a carência, a atracção, a dos seus habitantes e a presença ensombrada tário e belo, no qual a raça humana dá lugar aos
partilha, o final do amor, surgem ao mesmo dos lobos que saem dos covis para atacar as monumentos da sua presença. Narrado pela actriz
tempo e sem avisar. suas presas. À terra chamam-lhe o buraco do Tilda Swinton, esta é uma singular e kubrickiana
fim do mundo. viagem visual e sonora. 
Life is made of cycles and Adriano Mendes’s
cinema shows us that. After his first feature In the last years, Anabela Moreira and João The Icelandic composer Jóhann Jóhannsson,
Primeiro Verão (best work in Brand New Canijo have been documenting villages in the (winner of IndieLisboa Short Film Grand Prize
Section, IndieLisboa 2014) — a warm film north and centre region of Portugal (Portugal in 2015) author of unforgettable soundtracks,
about youth beginning the affairs of love – Um Dia de Cada Vez, 2015; Diário das was working on his debut feature film, when
and Summer — now it’s time to find a job. 28 Beiras, 2017). This recent film is shot in Castro we left us too soon in 2018. Filmed in 16
1
/2 follows a young woman in that search, in Laboreiro, in the far north of Portugal, where mm., black and white, Jóhannsson imagines
a gentrified Lisbon, where need, attraction, one observes the daily life of its inhabitants a futuristic world, solitary and beautiful, in
sharing and the end of love, all come up and the overshadowed presence of the wolves which the human race is making way to the
at the same time and without warning. that leave their lairs to attack the prey. One monuments of its presence. Narrated by the
calls the land the end-of-the-world’s pit. actress Tilda Swinton, this is a singular and
Kubrickesque visual and sonorous voyage.

48
brother helps a sister die happy. The fairy tale
PARA CÁ DO MARÃO + AGÊNCIA DA CURTA METRAGEM — is also a tale of fucking and oxygen masks.
ADEUS SENHOR ANTÓNIO 20 ANOS GABRIEL ABRANTES
43’ 69’ OS CONSELHOS QUE VOS DEIXO — 2
5 SÁB/SAT, 17:00, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.573
Bruno Aleixo (João Moreira), Portugal, fic., 1’
2 QUA/WED, 19:15, CULTURGEST PA ∙ C.119

PARA CÁ DO MARÃO OS CONSELHOS QUE VOS DEIXO — 1 CÂNTICO DAS CRIATURAS


BEFORE THE MOUNTAINS Bruno Aleixo (João Moreira), Portugal, fic.,, 1’ CANTICLE OF ALL CREATURES
José Mazeda, Portugal, fic., 2020, 20’ O aparecimento de Bruno Aleixo, o ursinho Miguel Gomes, Portugal, fic., 2006, 24’
Foi na rodagem na região de Trás-os-Montes, rezingão com cara de mau (juntamente com Inspirado no Cântico do Irmão Sol ou Cântico
do filme Terra Fria (1992) de António Campos, os seus amigos, Busto, Renato ou o Homem das Criaturas, que São Francisco de Assis
que o produtor, agora realizador, João Mazeda do Bussaco), no panorama do humor portu- escreve em 1224, esta curta de Miguel Gomes
ouviu contar esta história verídica. Um roubo guês, não deixou pedra sobre pedra. A sua reactiva o seu alcance. Na cidade de Assis em
de água, um homicídio, uma questão de primeira aparição foi nesta série de curtos 2005 e na lembrança do louvor das pequenas
honra, uma tragédia na aldeia de Gralhas, em vídeos publicados na internet em que Bruno, criaturas a um santo desmemoriado.
Montalegre.  numa alusão a António Aleixo, Este Livro Que Inspired in the Canticle of the Sun or Canticle of
It was during the shooting of António Campo’s Vos Deixo, dá conselhos sobre xixi, drogados the Creatures, that Saint Francis of Assis wrote in
Terra Fria (1992) in the region of Trás-os- ou roupa de dormir. 1224, Gomes’ short film reactivates its scope. In
Montes, that the producer, now director, The appearance of Bruno Aleixo, the grumpy the city of Assis in 2005 and also in the remem-
João Mazeda heard this true story. A theft little bear with a mean face (together with brance of the small creatures’ praise towards a
of water, a homicide, a question of honour, a his friends Busto, Renato and Homem do forgetful saint.
tragedy in the village of Gralhas, Montalegre.  Bussaco), in the Portuguese humor scene
left no stone unturned. His first apparition OS CONSELHOS QUE VOS DEIXO — 3
ADEUS SENHOR ANTÓNIO Bruno Aleixo (João Moreira), Portugal, fic., 1’
GOODBYE MISTER ANTÓNIO was in this series of brief videos published
Júlia Buisel, Portugal, fic., 2020, 23’ on the internet in which Bruno, in an allusion BALADA DE UM BATRÁQUIO
Após uma longa carreira como anotadora e to the book of the poet António Aleixo, Leonor Teles, Portugal, doc., 2016, 11’
actriz de cinema, Buisel estreou-se em 2017 na Este Livro Que Vos Deixo, gives advice on Balada de um Batráquio (IndieLisboa 2016)
realização com Quantas Vezes Tem Sonhado pee, drug addicts or sleeping clothes. deu a Leonor Teles o Urso de Ouro para melhor
Comigo? (IndieLisboa 2018). Agora adapta curta metragem em Berlim. Um gesto pessoal
COELHO MAU
novamente Fernando Pessoa, um conto sobre e político contra o preconceito sobre a comu-
BAD BUNNY
uma mulher corcunda que escreve uma carta
Carlos Conceição, Portugal/França ∙ Portugal/ nidade cigana, que recolocou o cinema por-
ao seu amor. France, fic., 2017, 30’ tuguês no encalço da justiça e da mudança.
After a long career as a continuity and actress, No universo cinematográfico de Carlos Batrachian's Ballad (IndieLisboa 2016) gave
Buisel started directing in 2017 with Quantas Conceição o maravilhoso não é mundo à parte Leonor Tales the Golden Bear for best short film
Vezes Tem Sonhado Comigo? (IndieLisboa da realidade. Complementam-se, sacrificam-
in Berlin. A personal political gesture against the
2018). Now she adapts once more Fernando -se um pelo outro. Um irmão ajuda uma irmã
prejudice towards the romani community, that
Pessoa, a short story about a hunchback a morrer feliz. O conto de fadas é também um
relocated Portuguese cinema in the search for
that writes a letter to her loved one. conto de fodas e máscaras de oxigénio.
justice and change.
In the cinematic universe of Carlos Conceição,
the marvellous is not a world apart from reality. OS CONSELHOS QUE VOS DEIXO — 4
They complement, sacrifice one for another. A Bruno Aleixo (João Moreira), Portugal, fic., 1’

UM ANIMAL AMARELO
A YELLOW ANIMAL
Felipe Bragança, Brasil/Portugal/Moçambique ∙ 
Brazil/Portugal/Mozambique, fic., 2020, 114’
5 SÁB/SAT, 21:30, CULTURGEST GA ∙ C.637
A 5ª longa metragem de Felipe Bragança
(Tragam-me a Cabeça de Carmen M., co-rea-
lizado com Catarina Wallenstein, IndieLisboa
2019) procura perceber que arte é possível a Adeus Senhor António

partir dos fantasmas contraditórios que assom-


bram a identidade brasileira. Co-produzido pela
produtora Som e a Fúria, e com a colaboração
de João Nicolau no argumento, o filme acom-
panha Fernando, um falido cineasta brasileiro,
e a viagem de aventuras e milagres em busca
de suas memórias. 
Bragança’s fifth feature film (Tragam-me
a Cabeça de Carmen M., co-directed with
Catarina Wallenstein, IndieLisboa 2019) tries
to understand which art is possible under the
contradictory ghosts that haunt Brazilian’s
FILME DE ENCERRAMENTO

identity. Co produced by the Portuguese


Cântico das Criaturas

production house Som e a Fúria, and with the


CLOSING FILM

collaboration of João Nicolau in the screenplay,


the film follows Fernando, a broke Brazilian
director in his journey full of adventures
and miracles in search of his memories.

49
Programa
Cinema e 5L
Cinema & 5L
Program

Este ciclo é o resultado de uma


parceria entre o IndieLisboa e o
Lisboa 5L, o novo festival literário
da cidade de Lisboa, promovido
pela Câmara Municipal de Lisboa
e consagrado às cinco dimensões
culturais que dão título à iniciativa:
língua, literatura, livros, livrarias e

L’enfant sauvage
leitura. Neste ciclo, serão exibidos
e comentados cinco filmes, mais
quatro documentários sobre escri-
tores, em que o cinema adapta,
interpreta, transforma ou docu-
menta cada uma destas cinco
dimensões.
This cycle is the result of a part-
nership between IndieLisboa and
Lisboa 5L, the new literary festival

858 pages plus au sud


in the city of Lisbon, promoted by
the Lisbon City Council and ded-
icated to the five cultural dimen-
sions that give the initiative its title:
language, literature, books, libraries
and reading. In this cycle, five films, 858 PAGES PLUS AU SUD THE BOOKSELLERS
plus 4 documentaries about writers, Grégory Buchert, França ∙ France, doc., 2011, 59’ D.W. Young, EUA ∙ USA, doc., 2019, 99’
sessão apresentada por clara rowland sessão apresentada por rosa azevedo
will be screened and commented. 2 QUA/WED, 22:00, CINEMA IDEAL ∙ C.105 3 QUI/THU, 19:30, CINEMA IDEAL ∙ C.613
Films in which the cinema adapts, Quanto tempo leva a ler uma página de Ulisses, 5 SÁB/SAT, 21:45, CINEMA SÃO JORGE SMO ∙ C.615
de James Joyce? E de carro, quantas páginas Nos anos cinquenta existiam quase quatro
builds, transforms or documents por quilómetro? Os trabalhos de Buchert jun- centenas de livrarias em Nova Iorque. Hoje
each of these five dimensions. tam o humor, a literatura e a reflexão crítica. subsistem menos de cem. D.W. Young retrata
Tal como acontece neste 858 Pages Au Sud, o negócio de livros raros na cidade, num
no qual, evocando a morte do pai há mais de momento de viragem. Das lojas antigas e seus
vinte anos, procura bater um velho record dele clichés — homens de tweed, ávidos leitores
que envolve a leitura do clássico do escritor entre pilhas de livros -, e as lojas mais moder-
irlandês, uma caravana e uma viagem-perfor- nas, com livreiros jovens, cheios de ideias que
mance literária a caminho do sul da Europa.  pressupõem uma interacção mais presente
com a comunidade.
How long does it take to read a page
of Ulysses, by James Joyce? And on a In the fifties, there were almost four hundred
car trip, how many pages per kilometre? book shops in New York. Today there are
Buchert’s works combine humor, literature less than a hundred. D.W. Young portraits the
and critical reflection. This is just the case rare book business in the city in a changing
in 858 Pages Au Sud, in which the author moment. From the old shops and their clichés
evokes his father’s death, more than 20 - men in tweed, avid readers guarded by
years ago, and tries to beat his old record book piles - and the more modern shops, with
that involves reading the Irish writer’s young booksellers, full of ideas that involve a
classic, a caravan and a literary voyage- more present interaction with the community.
performance, heading to the south of Europe.

50
HERDEIROS DE SARAMAGO
100'
5 SÁB/SAT, 19:30, CINEMA IDEAL ∙ C.237

PAULO JOSÉ MIRANDA


Graça Castanheira, Portugal, doc, 2020, 25'

ONDJAKI
Graça Castanheira, Portugal, doc, 2020, 25'

JOÃO TORDO
Graça Castanheira, Portugal, doc, 2020, 25'

ADRIANA LISBOA
Graça Castanheira, Portugal, doc, 2020, 25'
Os documentários Herdeiros de Saramago,
da autoria de Carlos Vaz Marques, são dedi-
cados aos escritores que venceram o prémio
Saramago criado em 1999. Nesta sessão pode-
remos ver quatro deles, sobre a carreira e vida
de João Tordo, Adriana Lisboa, Paulo José
Miranda e Ondjaki. O olhar delicado e atento
ao detalhe de realização de Graça Castanheira
permite-nos entrar no quotidiano dos artistas,
e viajar das palavras escritas às palavras ditas.
The Booksellers

The documentaries Herdeiros de Saramago,


created by Carlos Vaz Marques, are dedicated
to the writers that won the Saramago
literary prize. In this session we will see four
of these films, about the career and life of
João Tordo, Adriana Lisboa, Paulo José
Miranda and Ondjaki. The delicate and
detailed attentive gaze of Graça Castanheira’s
direction allows us to enter in the daily
life of these artists, while travelling from
the written words to the spoken ones.
Francisca

L’ENFANT SAUVAGE FRANCISCA RESURREZIONE


THE WILD CHILD Manoel de Oliveira, Portugal, fic., 1981, 167’ RESURRECTION
François Truffaut, França ∙ France, fic., 1970, 83’ sessão apresentada por pedro mexia Tonino De Bernardi, Itália ∙ Italy, doc., 2019, 117’
sessão apresentada por joão costa 5 SÁB/SAT, 22:00, CINEMA IDEAL ∙ C.237 sessão apresentada por ricardo vieira lisboa
6 DOM/SUN, 22:00, CINEMA IDEAL ∙ C.525 O filme que encerra a denominada “tetralogia 4 SEX/FRI, 22:00, CINEMA IDEAL ∙ C.579
Truffaut tinha como um dos seus temas a refle- dos amores frustrados”, filmado a partir do A obra de De Bernardi (Elettra, IndieLisboa
xão sobre a natureza da educação. Podemos romance Fanny Owen de Agustina Bessa Luís, 2018) vai beber sobretudo à literatura, música
constatar isso em filmes como Les 400 Coups representou o início de um segundo fôlego e também ao cinema experimental ameri-
ou Farenheit 451, como também nesta adapta- para a carreira do mestre Manoel de Oliveira. cano dos anos 70. Neste seu novo filme, o
ção das memórias científicas de Jean Itard, um Ele narra os amores e disputas, vagamente tempo estende-se desde setembro de 2012,
médico francês que, em 1798, encontrou numa reais, vagamente míticos, em particular de em Nápoles, até 2019. Um conjunto de actores
floresta um menino de 12 anos — o “menino sel- José Augusto (Diogo Dória) e Camilo Castelo foi lendo, ao longo dos anos, o último romance
vagem” — que havia estado até aí separado da Branco (Mário Barroso) pela bela Francisca/ de Tolstói, Ressurreição. Não só mudam os
civilização. Truffaut encarna o médico, o mes- Fanny (Teresa Menezes). Apresentado aqui espaços de Turim, Milão, Berlim, como alguns
tre, o pai Itard, nesse difícil processo educativo. numa cópia restaurada. dos artistas, entretanto falecidos, ressuscita-
One of Truffaut’s cinema reflecting themes The film that culminates the so-called dos pelo cinema.
is the nature of education. One can see this “tetralogy of frustrated love”, based on The work of De Bernardi (Elettra, IndieLisboa
in films like Les 400 Coups or Farenheit Agustina Bessa Luís’s novel Fanny Owen, 2018) gets his influence from literature, music
451, orin this adaptation of the scientific represented a second wind for the master and experimental American cinema from
memories of Jean Itard. He was a French Manoel de Oliveira’s. career. It narrates the the 70’s. In his new film, time passes since
doctor who found, in 1798, a 12-year-old loves and disputes, vaguely real, vaguely September 2012 in Naples to 2019. A group
boy — the “wild child” — who had been until mythic, in particular of José Augusto (Diogo of actors read, over the years, the chapters of
then apart from civilization. Truffaut plays Dória) and Camilo Castelo Branco (Mário the last of Tolstoy’s novels Resurrection. It’s
the doctor, the master, the father Itard in Barroso) towards the beautiful Francisca/ not only the spaces of Turin, Milan, Berlin that
this long and difficult educational process. Fanny (Teresa Menezes). Restored version. changed, but also cinema’s power to “resurrect”
some of the artists that died in the meantime.

51
LISBONTALKS
indielisboa.com/lisbontalks

The Woman’s Film (Newsreel #55)


Conversas em torno do
cinema português e dos
focos e retrospectivas
do festival. Este ano
dedicadas aos actores
forms of cinematic resistance are still relevant practices which need to aim at representing
e à representação no today, far beyond a mere aestheticisation of reality. We bring together actors from different
audiovisual nacional. social issues? And how important is the idea generations and experiences to understand
of a living archive that shows in the present what needs to be changed in a structurally
Conversations around what, also on a social level, is still relevant? racist system (also) behind the camera.
Portuguese cinema
and the focuses and ACTORES: ESTADO DO MEIO HUMOR NO CINEMA PORTUGUÊS
AUDIOVISUAL/ACTORS: THE STATE OF HUMOUR IN PORTUGUESE CINEMA
retrospectives of the festival. 90’, português/portuguese
PLAY OF THE AUDIOVISUAL SECTOR
This year dedicated to 90’, português/portuguese 2 QUA/WED, 17:00, ONLINE
O humor no cinema português está vivo e reco-
actors and acting in the 28 SEX/FRI,17:00, ONLINE
menda-se. São disso exemplo os recentes fil-
Num clima de agravamento social, económico
context of the Portuguese e político, tomamos o pulso a uma classe pro- mes Diamantino (2018), Tristeza e Alegria na
audiovisual sector. fissional profundamente fértil e numerosa para Vida das Girafas (2019), Technoboss (2019),
dar tempo de antena a preocupações da sua e O Filme do Bruno Aleixo (2019). Reunimos
prática laboral como sejam as questões de quem o escreve, realiza e representa para con-
empregabilidade, enquadramento legal, o versar sobre a alegria, engenho e desafios de
almejado estatuto do intermitente, e outras. o pôr em prática e de o fazer ressoar junto do
FORUM 50 & OUSMANE SEMBÈNE: Uma discussão ampla à procura de mapear público. Disparatar, é preciso.
O CINEMA COMO FORMA DE e apontar soluções aos presentes desafios Humour in Portuguese cinema is alive and
REFLEXÃO E ACÇÃO POLÍTICA enfrentados por aqueles que dão a cara pelo well. Recent films such as Diamantino (2018),
FORUM 50 & OUSMANE SEMBÈNE: meio audiovisual português – os actores. Sadness and Joy in the Life of Giraffes (2019),
CINEMA AS A FORM OF REFLECTION Technoboss (2019), and Bruno Aleixo’s
Amidst a worrying social, economic and
AND POLITICAL ACTION Film (2019) are exemples of that. We bring
political climate, we take stock of a deeply
90’, inglês/english together those who write, direct and act it
fertile and abundant professional class to give
27 QUI/THU, 18:00, CINEMATECA PORTUGUESA E to talk about the joy, artistry and challenges
airtime to concerns of their work practice such
Debate em torno das retrospectivas do of putting it into practice and making it
as issues of employability, legal framework, the
IndieLisboa 2020. Muitas das questões cen- resonate with the public. All hail goofiness.
ever desired status of the intermittent worker,
trais da secção Forum do Festival de Berlim
and others. A broad discussion seeking to
reflectem-se também na cinematografia de
Ousmane Sembène: as críticas à violência e
map and point out solutions to the challenges TRABALHO DE ACTRIZ, TRABALHO
às estruturas coloniais, mesmo após o fim dos
faced by those who are the public face of the DE ACTOR: UMA CONVERSA
regimes, o feminismo e a luta de classes desem-
Portuguese audiovisual sector - the actors. INTERGERACIONAL/AN ACTOR’S
penham um papel central nos seus filmes. Que WORK: AN INTERGENERATIONAL
significado têm estes filmes para nós hoje em REPRESENTATIVIDADE: O PAPEL CONVERSATION
90’, português/portuguese
dia? Como os vemos, também no contexto dos INTERNO DO AUDIOVISUAL 3 QUI/THU, 17:00, ONLINE
debates actuais que voltam a trazer muitas das PORTUGUÊS NUMA MUDANÇA DE Na aprendizagem do ofício da interpretação a
lutas daquele tempo ao centro das atenções? PARADIGMA/REPRESENTATIVITY: passagem de conhecimento entre gerações, quer
Que formas cinematográficas de resistência THE INTERNAL ROLE OF THE formal quer informalmente, assume um papel de
são ainda hoje relevantes, muito para além de PORTUGUESE AUDIOVISUAL SECTOR especial importância. Numa conversa informal e
uma mera estetização das questões sociais? E IN A SHIFT OF THE PARADIGM expansiva convidamos diferentes gerações de
quão importante é a ideia de um arquivo vivo 90’, português/portuguese actores a partilhar e discutir o que é isso de ser
que mostra no presente o que, também a nível 1 TER/TUE, 17:00, 90’, ONLINE intérprete, possíveis caminhos e experiências
social, ainda se faz sentir? Falta trabalhar mais e melhor na representativi- de formação e carreira, contrastes dos tempos,
A discussion around the retrospectives at dade no audiovisual português. Propõe-se um novas oportunidades, conselhos, e momentos
IndieLisboa 2020. Many of the topics central foco em torno das actuais políticas e práticas especiais nos seus percursos individuais.
to the Forum section of the Berlin Film Festival discursivas, guionistas e de casting de actores
In learning the craft of acting, the transfer of
are also reflected in Ousmane Sembène's que se querem representativas da realidade.
knowledge between generations, whether
filmography: the criticism of violence and Juntamos intérpretes de diferentes gerações
formally or informally, assumes a role of
colonial structures - even after the end of the e experiências para com eles entender o que
particular importance. In an informal and
regimes, feminism and class struggle, all play precisa de ser mudado num sistema estrutural-
expansive conversation we invite different
a central role in his films. What significance mente racista também por detrás da câmara.
generations of actors to share and discuss
do these films have for us today? How do we More and better work remains to be done on what it is like to be an actor, possible paths and
see them, also in the context of the current representation in the Portuguese audiovisual experiences of training and career, contrasts
debates that bring back many of the struggles industry. We propose a focus around the current of the times, new opportunities, advice, and
of that time to the centre of attention? What discursive, scriptwriting and casting policies and special moments in their individual journeys.

52
QUARTA
2625 TUESDAY
TERÇAWEDNESDAY
10:30 15:30 18:30 21:30

BILLIE
James Erskine,
CULTURGEST doc., 96’
p. 40 • c.135
grande auditório

21:30
STATE FUNERAL
Sergei Loznitsa, doc., 135’
p. 20 • c.609
CULTURGEST
pequeno auditório

21:00

GRELHA DE PRO-
CERIMÓNIA DE ABERTURA
OPENING CEREMONY
CINEMA
LA FEMME DE MON FRÈRE/
SÃO JORGE A BROTHER’S LOVE
sala manoel

19:00
Monia Chokri, fic., 107’
de oliveira p. 19 • c.100

THE TWENTIETH RESPONSABILIDAD


CINEMA CENTURY EMPRESARIAL/
Matthew Rankin, CORPORATE
SÃO JORGE fic., 90’
ACCOUNTABILITY

18:45
21:30

sala 3 p. 46 • c.623
Jonathan Perel, doc./exp., 68’
p. 20 • c.575

NESTE DIA SÃO SE REALIZAM SESSÕES NESTA SALA.


CINEMA IDEAL ON THIS DAY THERE ARE NO SCREENINGS AT THIS VENUE.

BOROM SARRET +
CINEMATECA LA NOIRE DE... +
TAUW
PORTUGUESA Ousmane Sembène, fic.,
21:30

sala m. félix ribeiro 20’ + 65’ + 24’


p. 34 • c.141

CINEMATECA
PORTUGUESA NESTE DIA SÃO SE REALIZAM SESSÕES NESTA SALA.
esplanada
ON THIS DAY THERE ARE NO SCREENINGS AT THIS VENUE.
cinema ao ar livre
open air cinema

CAPITÓLIO NESTE DIA SÃO SE REALIZAM SESSÕES NESTA SALA.


cinema ao ar livre
ON THIS DAY THERE ARE NO SCREENINGS AT THIS VENUE.
open air cinema

OUTROS NESTE DIA SÃO SE REALIZAM SESSÕES NOUTROS ESPAÇOS.


ESPAÇOS ON THIS DAY THERE ARE NO SCREENINGS AT OTHER VENUES.

Competição Internacional Competição Nacional Novíssimos Retrospectiva Boca do Inferno Sessões Especiais Sessão com Conviado dependente de
Sessão ao ar livre
Silvestre IndieJúnior IndeMusic Director’s Cut LisbonTalks Conviado restrições de viagem
International Competition National Competition Brand New Retrospective Mouth of Madness Special Screenings Open air screening
Guest Guest dependant on travel restrictions
30 QUINTA THURSDAY
10:30 15:30 18:30 21:30

L’ÎLE AUX LAUREL CANYON:


OISEAUX/ A PLACE IN TIME
CULTURGEST BIRD ISLAND Alison Ellwood, doc., 160’
p. 41 • c.519
grande auditório Maya Kosa, Sergio da

21:00

19:00
Costa, doc., 62’
p. 8 • c.527

SILVESTRE CURTAS/SHORTS 1 BARZAJ/


TUDO SOBRE NÓS/ BARZAKH
CULTURGEST ALL ABOUT US Alejandro Salgado,
81’ doc., 73’
pequeno auditório

19:15
21:45
p. 21 • c.597 p. 8 • c.133

NOVÍSSIMOS 1/ CN CURTAS 1/
CINEMA BRAND NEW 1 NC SHORTS 1
SÃO JORGE 84’ 77’
p. 16 • c.555 p. 14 • c.173
sala manoel
21:45

19:00
de oliveira

LOS CONDUCTOS TODOS OS MORTOS/


Camilo Restrepo, fic., 70’ ALL THE DEAD ONES
CINEMA p. 18 • c.531
Caetano Gotardo,
SÃO JORGE Marco Dutra, fic., 120’

18:45
21:30

sala 3 p. 20 • c.633

NESTE DIA SÃO SE REALIZAM SESSÕES NESTA SALA.


CINEMA IDEAL ON THIS DAY THERE ARE NO SCREENINGS AT THIS VENUE.

ELDRIGE CLEAVER, LA DIALECTIQUE EL TANGO DEL VIUDO Y SU ESPEJO


CINEMATECA BLACK PANTHER PEUT-ELLE CASSER DEFORMANTE/THE TANGO OF THE
William Klein, doc., 75’ DES BRIQUES? WIDOWER AND ITS DISTORTING MIRROR
PORTUGUESA p. 38 • c.207
René Viénet, fic., 90’ Raúl Ruiz, Valeria Sarmiento, fic., 64’
21:30

15:30
19:00

sala m. félix ribeiro p. 43 • c.513 p. 44 • c.205

CINEMATECA
PORTUGUESA NESTE DIA SÃO SE REALIZAM SESSÕES NESTA SALA.
esplanada
ON THIS DAY THERE ARE NO SCREENINGS AT THIS VENUE.
cinema ao ar livre
open air cinema

DREAMLAND
Bruce McDonald,
CAPITÓLIO fic., 92’
cinema ao ar livre p. 45 • c.191
21:30

open air cinema

OUTROS NESTE DIA SÃO SE REALIZAM SESSÕES NOUTROS ESPAÇOS.


ESPAÇOS ON THIS DAY THERE ARE NO SCREENINGS AT OTHER VENUES.
26
27QUARTA THURSDAY
QUINTAWEDNESDAY
10:30 15:30 18:30 21:30

ANA E MAURIZIO EYIMOFE/


Catarina Mourão, doc., 64’ THIS IS MY DESIRE
p. 13 • c.121
CULTURGEST Arie Esiri, Chuko Esiri,
grande auditório
fic., 115’

21:30

19:00
p. 8 • c.223

MATI DIOP 1 SILVESTRE CURTAS/SHORTS 2


61’ O MUNDO/
p. 26 • c.537
CULTURGEST THE WORLD
78’
pequeno auditório

19:15
21:45
p. 21 • c.599

NOVÍSSIMOS 2/ JEANNE/
CINEMA BRAND NEW 2 JOAN OF ARC
SÃO JORGE 85’ Bruno Dumont, fic., 138’
p. 17 • c.557 p. 19 • c.507
sala manoel
21:45

19:00
de oliveira

CEMETERY ELETRONICA:MENTES
Carlos Casas, Dácio Pinheiro,
CINEMA doc., 85’ Denis Giacobelis,
SÃO JORGE p. 55 • c.157 Paulo Beto, doc., 79’

18:45
21:30

p. 40 • c.211
sala 3

A FEBRE/ SI C’ÉTAIT DE
THE FEVER L’AMOUR/IF IT
Maya Da-Rin, WERE LOVE
CINEMA IDEAL fic., 98’ Patric Chiha, doc., 82’
19:30
22:00

p. 8 • c.111 p. 20 • c.591

MONANGAMBEEE + DC CURTAS/
CINEMATECA PHELA-NDABA DC SHORTS
16’ + 45’ 105’
PORTUGUESA p. 39 • c.543 p. 44 • c.189

15:30
19:00

sala m. félix ribeiro

FORUM 50 & OUSMANE SEMBÈNE: CEDDO


CINEMATECA O CINEMA COMO FORMA DE Ousmane Sembène,
PORTUGUESA REFLEXÃO E ACÇÃO POLÍTICA/ fic., 120’
esplanada CINEMA AS A FORM OF REFLECTION p. 34 • c.153
21:30

18:00

cinema ao ar livre AND POLITICAL ACTION


90' • p. 52
open air cinema

BAAMUM NAFI/
CAPITÓLIO NAFI’S FATHER
Mamadou Dia, fic., 109’
cinema ao ar livre p. 7 • c.127
21:30

open air cinema

ACTIVIDADE INDIEJÚNIOR

CINEMA SIMULTÂNEO
Cinema São Jorge 2, 90’
OUTROS p. 31 • c.W01
18:50

ESPAÇOS

Competição Internacional Competição Nacional Novíssimos Retrospectiva Boca do Inferno Sessões Especiais Sessão com Conviado dependente de
Sessão ao ar livre
Silvestre IndieJúnior IndeMusic Director’s Cut LisbonTalks Conviado restrições de viagem
International Competition National Competition Brand New Retrospective Mouth of Madness Special Screenings Open air screening
Guest Guest dependant on travel restrictions
QUINTA
3028 FRIDAY
SEXTATHURSDAY
10:30 15:30 18:30 21:30

EL AÑO DEL
DESCUBRIMIENTO/
CULTURGEST THE YEAR OF THE
grande auditório DISCOVERY

19:00
Luis López Carrasco, doc., 200’
p. 7 • c.199

SILVESTRE CURTAS/SHORTS 3 MATI DIOP 2


HISTÓRIAS RARAS/ 68’
p. 26 • c.539
CULTURGEST RARE STORIES
82’
pequeno auditório

19:15
21:45
p. 22 • c.601

RICARDO + CN CURTAS 2/
CINEMA A VIDA DURA NC SHORTS 2
SÃO JORGE MUITO POUCO 79’
p. 14 • c.177
sala manoel Luís Sobreiro + Dinis Leal Machado,
21:45

19:00
doc., 29’ + 23’
de oliveira
p. 42 • c.581

RESPONSABILIDAD WHITE
EMPRESARIAL/ RIOT
CINEMA CORPORATE Rubika Shah,
SÃO JORGE ACCOUNTABILITY doc., 80’

19:15
21:30

sala 3 Jonathan Perel, doc./exp., 68’ p. 42 • c.647


p. 20 • c.577

BI CURTAS/ OUVERTURES
MoM SHORTS The Living and the Dead
88’ Ensemble, doc., 140’
CINEMA IDEAL p. 47 • c.139 p. 19 • c.569
19:30
22:00

MES VOISINS + FANTASMAS


SOLEIL Ô DO IMPÉRIO
CINEMATECA Med Hondo, fic., 35’ + 104’ Ariel de Bigault,
PORTUGUESA p. 38 • c.541 doc., 112’

15:30
19:00

sala m. félix ribeiro p. 43 • c.231

CINEMATECA GUELWAAR
Ousmane Sembène,
PORTUGUESA fic., 115’
esplanada p. 35 • c.247
21:30

cinema ao ar livre
open air cinema

YUMMY
Lars Damoiseaux,
CAPITÓLIO fic., 88’
cinema ao ar livre p. 46 • c.655
21:30

open air cinema

ACTORES: ESTADO ACTIVIDADE INDIEJÚNIOR

DO MEIO AUDIOVISUAL CINEMA SIMULTÂNEO


ACTORS: THE Cinema São Jorge 2, 60’
OUTROS p. 31 • c.W03
STATE OF PLAY...
18:50

17:00

ESPAÇOS online, 90' • p. 52


26
29QUARTA SATURDAY
SÁBADOWEDNESDAY
10:30 15:30 18:30 21:30

TUDO EM FAMÍLIA LÚA BAAMUM NAFI/


TODA A FAMÍLIA VERMELLA/ NAFI’S FATHER
CULTURGEST + 3 ANOS RED MOON Mamadou Dia, fic., 109’
p. 7 • c.129
grande auditório 45’ TIDE

21:30

15:30
18:30
+ FESTA
Lois Patiño, fic./exp., 84’
p. 27 • c.422
p. 9 • c.535

ELETRONICA:MENTES SILVESTRE CURTAS/SHORTS 4


Dácio Pinheiro, OLHAR PARA TRÁS
Denis Giacobelis,
CULTURGEST Paulo Beto, doc., 79’
BRING HISTORY BACK
pequeno auditório 82’

19:15
21:45
p. 40 • c.213
p. 23 • c.603

CRESCER A NOVÍSSIMOS 3/ O FIM ATLANTIQUE/


CINEMA BRINCAR! BRAND NEW 3 DO MUNDO ATLANTICS
SÃO JORGE + 3 ANOS 102’ Basil da Cunha, fic., 107’ Mati Diop, fic., 106’
p. 17 • c.559 p. 14 • c.563 p. 26 • c.125
40’

11:15
sala manoel

15:30
18:30
21:50

p. 28 • c.406
de oliveira

THE WORKS AND DAYS THE TWENTIETH


CINEMA (OF TAYOKO SHIOJIRI IN THE SHIOTANI BASIN) CENTURY
C.W. Winter, Anders Edström, doc., 525’ (com intervalos/with Intermissions) Matthew Rankin,
SÃO JORGE p. 21 • c.627 fic., 90’
21:30

10:30
sala 3 p. 46 • c.625

LEVANTAR A VOZ! BILLIE TIPOGRAFIC


+ 12 ANOS James Erskine, MAJUSCUL/
43’ doc., 96’
p. 40 • c.137
UPPERCASE PRINT
CINEMA IDEAL p. 30 • c.414
Radu Jude, doc., 128’

11:30
19:30
22:00

p. 20 • c.629

CAMP DE THIAROYE EL CUARTO


Ousmane Sembène, fic., 157’ PODER + ANGELA
CINEMATECA p. 34 • c.147
– PORTRAIT OF A
PORTUGUESA

15:30
REVOLUTIONARY
19:00

sala m. félix ribeiro 45’ + 60’


p. 38 • c.201

CINEMATECA EMITAÏ
Ousmane Sembène,
PORTUGUESA fic., 103’
esplanada p. 34 • c.215
21:30

cinema ao ar livre
open air cinema

LE REGARD DE
CAPITÓLIO CHARLES/
cinema ao ar livre
AZNAVOUR BY
CHARLES
21:30

open air cinema


Marc di Domenico, doc., 75’
p. 42 • c.521

ACTIVIDADES INDIEJÚNIOR

FESTA AO AR LIVRE
Jardim Palácio Galveias
OUTROS
16:30 + 17:20
16:30

ESPAÇOS SONHOS AÉREOS


p. 31 • c.W09 + c.W11

Competição Internacional Competição Nacional Novíssimos Retrospectiva Boca do Inferno Sessões Especiais Sessão com Conviado dependente de
Sessão ao ar livre
Silvestre IndieJúnior IndeMusic Director’s Cut LisbonTalks Conviado restrições de viagem
International Competition National Competition Brand New Retrospective Mouth of Madness Special Screenings Open air screening
Guest Guest dependant on travel restrictions
30 QUINTA
DOMINGOTHURSDAY
SUNDAY
10:30 15:30 18:30 21:30

ENTRE LEIRAS/ ISABELLA


THE LIFE WE KNOW Matías Piñeiro,
CULTURGEST Cláudia Ribeiro, doc., 82’ fic., 78’
p. 13 • c.219 p. 19 • c.503
grande auditório

21:30

19:00
VENDRÁ LA MUERTE A FEBRE/
Y TENDRÁ TUS OJOS THE FEVER
CULTURGEST José Luis Torres Lleiva, fic., 90’ Maya Da-Rin,
p. 21 • c.639 fic., 98’
pequeno auditório

19:15
21:45
p. 8 • c.113

PERDER E GANHAR COM OS PÉS RIZI/ CN CURTAS 3/


CINEMA + 9 ANOS NA NATUREZA DAYS NC SHORTS 3
SÃO JORGE 45’ + 5 ANOS Tsai Ming-Liang, 89’
p. 29 • c.418 fic., 127’ p. 14 • c.181
49’

11:15
sala manoel
21:45

15:30
18:00
p. 29 • c.400 p. 20 • c.583
de oliveira

CRESCER A LOS CONDUCTOS SHOW ME THE


BRINCAR! Camilo Restrepo, fic., 70’ PICTURE: THE STORY
CINEMA p. 18 • c.533
+ 3 ANOS OF JIM MARSHALL
SÃO JORGE 40’ Alfred George Bailey, doc., 92’

18:45
21:30

17:00
sala 3 p. 28 • c.408 p. 42 • c.587

SI YO FUERA EL ANA E MAURIZIO


INVIERNO MISMO/ Catarina Mourão, doc., 64’
p. 13 • c.123
CINEMA IDEAL IF I WERE THE
WINTER ITSELF
19:30
22:00

Jazmín López, fic., 92’


p. 9 • c.595

CINEMATECA NESTE DIA SÃO SE REALIZAM SESSÕES NESTA SALA.


PORTUGUESA ON THIS DAY THERE ARE NO SCREENINGS AT THIS VENUE.
sala m. félix ribeiro

CINEMATECA
PORTUGUESA NESTE DIA SÃO SE REALIZAM SESSÕES NESTA SALA.
esplanada
ON THIS DAY THERE ARE NO SCREENINGS AT THIS VENUE.
cinema ao ar livre
open air cinema

THE OTHER
CAPITÓLIO LAMB
Malgorzata Szumowska,
cinema ao ar livre fic., 97’
21:30

open air cinema p. 45 • c.621

ACTIVIDADE INDIEJÚNIOR ACTIVIDADE INDIEJÚNIOR

FAZ E FILMA FAZ E FILMA


OUTROS EM FAMÍLIA EM FAMÍLIA
Cinema São Jorge 2, 60’ Cinema São Jorge 2, 60’

11:30
15:45

ESPAÇOS p. 31 • c.W07 p. 31 • c.W08


SEGUNDA
2631QUARTA MONDAY
WEDNESDAY
10:30 15:30 18:30 21:30

CN CURTAS 4/ A ARTE DE
NC SHORTS 4 MORRER LONGE/
CULTURGEST 87’ THE ART OF
p. 15 • c.185
grande auditório DYING AFAR

18:45
21:30
Júlio Alves, fic., 90’
p. 13 • c.107

STATE FUNERAL CI CURTAS 1/


Sergei Loznitsa, doc., 135’ IC SHORTS 1
p. 20 • c.611
CULTURGEST 89’
p. 9 • c.159
pequeno auditório

21:45

18:30
DREAMLAND TODOS OS MORTOS/
CINEMA Bruce McDonald, ALL THE DEAD ONES
fic., 92’ Caetano Gotardo,
SÃO JORGE p. 45 • c.193
Marco Dutra, fic., 120’
sala manoel
21:45

19:00
p. 20 • c.635
de oliveira

NOVÍSSIMOS 3/ THE HEART


CINEMA BRAND NEW 3 IS A DRUM
102’ Jacob Frössén, doc., 74’
SÃO JORGE p. 17 • c.561 p. 41 • c.617

18:45
21:30

sala 3

VICTORIA BABAI
Sofie Benoot, Liesbeth De Artem Aisagaliev, fic., 65’
Ceulaer, Isabelle Tollenaere, p. 7 • c.131
CINEMA IDEAL doc., 71’
19.30

p. 9 • c.641
22:00

NICHT DER HOMOSEXUELLE IST PERVERS,


CINEMATECA SONDERN DIE SITUATION, IN DER ER LEBT/
IT IS NOT THE HOMOSEXUAL WHO IS PERVERSE,
PORTUGUESA BUT THE SOCIETY IN WHICH HE LIVES
19:00

sala m. félix ribeiro Rosa von Praunheim, doc., 67’


p. 39 • c.553

CINEMATECA FAAT KINÉ


Ousmane Sembène, fic.,
PORTUGUESA 120’
esplanada p. 34 • c.227
21:30

cinema ao ar livre
open air cinema

GREENER
CAPITÓLIO GRASS
Dawn Luebbe,
cinema ao ar livre Jocelyn DeBoer,
21:30

open air cinema fic., 95’


p. 45 • c.243

OUTROS NESTE DIA SÃO SE REALIZAM SESSÕES NOUTROS ESPAÇOS.


ESPAÇOS ON THIS DAY THERE ARE NO SCREENINGS AT OTHER VENUES.

Competição Internacional Competição Nacional Novíssimos Retrospectiva Boca do Inferno Sessões Especiais Sessão com Conviado dependente de
Sessão ao ar livre
Silvestre IndieJúnior IndeMusic Director’s Cut LisbonTalks Conviado restrições de viagem
International Competition National Competition Brand New Retrospective Mouth of Madness Special Screenings Open air screening
Guest Guest dependant on travel restrictions
301 QUINTA THURSDAY
TERÇA TUESDAY
10:30 15:30 18:30 21:30

CI CURTAS 2/ SPALOVAČ
IC SHORTS 2 MRTVOL/THE
CULTURGEST 83’ CREMATOR
p. 9 • c.161
grande auditório Juraj Herz, fic., 92’

21:30

19:00
p. 46 • c.607

IL N’Y AURA CI CURTAS 3/


PLUS DE NUIT/ IC SHORTS 3
CULTURGEST THERE WILL BE 84’
p. 10 • c.163
pequeno auditório

19:15
NO MORE NIGHT

21:45
Eléonore Weber, doc., 75’
p. 8 • c.501

VIVARIUM A METAMORFOSE DOS PÁSSAROS/


CINEMA Lorcan Finnegan, THE METAMORPHOSIS OF BIRDS
fic., 97’ Catarina Vasconcelos, doc./fic., 101’
SÃO JORGE p. 46 • c.643 p. 14 • c.115
sala manoel
21:45

19:00
de oliveira

KEYBOARD EYIMOFE/
CINEMA FANTASIES: THE THIS IS MY DESIRE
BEVERLY GLENN- Arie Esiri, Chuko Esiri,
SÃO JORGE fic., 115’

19:15
21:30

COPELAND STORY p. 8 • c.225


sala 3 Posy Dixon, doc., 63’
p. 41 • c.511

BREVE MIRAGEM SI C’ÉTAIT DE


DE SOL/ L’AMOUR/IF IT
CINEMA IDEAL BURNING NIGHT WERE LOVE
Eryk Rocha, fic., 98’ Patric Chiha, doc., 82’
19:30
22:00

p. 18 • c.145 p. 20 • c.593

MOOLAADÉ SLUČAJ MAKAVEJEV ILI PROCES U


Ousmane Sembène, BIOSKOPSKOJ SALI/THE MAKAVEJEV
CINEMATECA fic., 124’
p. 35 • c.545
CASE OR TRIAL IN A MOVIE THEATER
PORTUGUESA Goran Radovanović, doc., 74’

15:30
19:00

sala m. félix ribeiro p. 44 • c.605

CINEMATECA W.R. – MISTERIJE ORGANIZMA/


W.R. – MYSTERIES OF THE ORGANISM
PORTUGUESA Dušan Makavejev, fic., 84’
esplanada p. 39 • c.645
21:30

cinema ao ar livre
open air cinema

WHITE
CAPITÓLIO RIOT
Rubika Shah,
cinema ao ar livre doc., 80’
21:30

open air cinema p. 42 • c.649

REPRESENTATIVIDADE: O PAPEL INTERNO DO AUDIOVISUAL


PORTUGUÊS NUMA MUDANÇA DE PARADIGMA
OUTROS REPRESENTATIVITY: THE INTERNAL ROLE OF THE PORTUGUESE
AUDIOVISUAL SECTOR IN A SHIFT OF THE PARADIGM
17:00

ESPAÇOS online, 90' • p. 52


2 QUARTA
26 WEDNESDAY
QUARTAWEDNESDAY
10:30 15:30 18:30 21:30

HER NAME WAS GHOST


EUROPA TROPIC
CULTURGEST Anja Dornieden, Juan David Bas Devos, fic., 85’
Gonzalez Monroy, p. 8 • c.239
grande auditório

21:30

19:00
doc./exp., 76’
p. 19 • c.253

AGÊNCIA DA CI CURTAS 4/
CURTA METRAGEM IC SHORTS4
CULTURGEST — 20 ANOS 85’
p. 10 • c.165
pequeno auditório 69’

19:15
21:45
p. 49 • c.119

O FIM FOJOS
CINEMA DO MUNDO Anabela Moreira,
Basil da Cunha, fic., 107’ João Canijo, doc./fic., 104’
SÃO JORGE p. 14 • c.565 p. 48 • c.235
sala manoel

18:45
21:50

de oliveira

L’ÎLE AUX OTHER,


CINEMA OISEAUX/ LIKE ME
BIRD ISLAND Marcus Werner Hed,
SÃO JORGE Maya Kosa, Sergio Dan Fox, doc., 82’

19:15
21:30

sala 3 p. 41 • c.567
da Costa, doc., 62’
p. 8 • c.529

ENTRE LEIRAS/ 858 PAGES


THE LIFE WE KNOW PLUS AU SUD
Cláudia Ribeiro, doc., 82’ Grégory Buchert, doc., 59’
CINEMA IDEAL p. 13 • c.221 p. 50 • c.105
19:30
22:00

EMITAÏ NIAYE + MANDABI XALA


Ousmane Sembène, Ousmane Sembène, Ousmane Sembène,
CINEMATECA fic., 103’ fic., 35’ + 105’ fic., 123’
PORTUGUESA p. 34 • c.217 p. 35 • c.549 p. 35 • c.651
21:30

15:30
19:00

sala m. félix ribeiro

CINEMATECA
PORTUGUESA NESTE DIA SÃO SE REALIZAM SESSÕES NESTA SALA.
esplanada
ON THIS DAY THERE ARE NO SCREENINGS AT THIS VENUE.
cinema ao ar livre
open air cinema

OVERSEAS
Sung-a Yoon,
CAPITÓLIO doc., 90’
cinema ao ar livre p. 19 • c.571
21:30

open air cinema

HUMOR NO CINEMA PORTUGUÊS


HUMOUR IN PORTUGUESE CINEMA
OUTROS online, 90' • p. 52
17:00

ESPAÇOS

Competição Internacional Competição Nacional Novíssimos Retrospectiva Boca do Inferno Sessões Especiais Sessão com Conviado dependente de
Sessão ao ar livre
Silvestre IndieJúnior IndeMusic Director’s Cut LisbonTalks Conviado restrições de viagem
International Competition National Competition Brand New Retrospective Mouth of Madness Special Screenings Open air screening
Guest Guest dependant on travel restrictions
3 QUINTA THURSDAY
10:30 15:30 18:30 21:30

HACER UNA DIAGONAL LA FEMME DE


CON LA MUSICA + SOA MON FRÈRE/
CULTURGEST Aura Satz + Raquel Castro, A BROTHER’S
grande auditório doc., 10’ + 71’ LOVE

18:45
21:30
p. 41 • c.251 Monia Chokri, fic., 107’
p. 19 • c.515

CI CURTAS 5/ CI CURTAS 6/
IC SHORTS 5 IC SHORTS 6
CULTURGEST 83’ 81’
p. 11 • c.167 p. 11 • c.169
pequeno auditório

19:15
21:45
LAST AND YUMMY
CINEMA FIRST MAN Lars Damoiseaux,
Jóhann Jóhannsson, fic., 88’
SÃO JORGE p. 46 • c.657
fic., 70’
sala manoel
21:45

19:00
p. 48 • c.517
de oliveira

CN CURTAS 1/ CN CURTAS 2/
CINEMA NC SHORTS 1 NC SHORTS 2
77’ 79’
SÃO JORGE p. 14 • c.175 p. 14 • c.179

18:45
21:30

sala 3

THE BOOKSELLERS A METAMORFOSE DOS PÁSSAROS/


D.W. Young, doc., 99’ THE METAMORPHOSIS OF BIRDS
p. 50 • c.613
Catarina Vasconcelos, doc./fic., 101’
CINEMA IDEAL p. 14 • c.117
19:30
22:00

CEDDO EINE PRÄMIE FÜR IRENE +


Ousmane Sembène, THE WOMAN’S FILM
CINEMATECA fic., 120’ 50’ + 41’
PORTUGUESA p. 34 • c.155 p. 38 • c.195

15:30
19:00

sala m. félix ribeiro

CINEMATECA ELDRIGE CLEAVER,


BLACK PANTHER
PORTUGUESA William Klein, doc., 75’
esplanada p. 38 • c.209
21:30

cinema ao ar livre
open air cinema

SHOW ME THE
CAPITÓLIO PICTURE: THE STORY
cinema ao ar livre
OF JIM MARSHALL
Alfred George Bailey, doc., 92’
21:30

open air cinema p. 42 • c.589

TRABALHO DE ACTRIZ, TRABALHO ACTIVIDADE INDIEJÚNIOR


FILME + DEBATE
DE ACTOR: UMA CONVERSA
INTERGERACIONAL/AN ACTOR’S QUANDO A IDENTIDADE DEGÉNERO
OUTROS
WORK: AN INTERGENERATIONAL NÃO COINCIDE COM O GÉNERO QUE
17:00
18:00

ESPAÇOS CONVERSATION FOI ATRIBUÍDO À NASCENÇA


online, 90' • p. 52 Bilioteca Palácio Galveias, Sala Polivalente, 90’ ∙ p. 31 •
FRIDAY
4 SEXTAWEDNESDAY
26 QUARTA
10:30 15:30 18:30 21:30

28 1/2 GIMME
Adriano Mendes, SHELTER
CULTURGEST fic., 93’ Albert Maysles, David Maysles,
p. 48 • c.103
grande auditório
Charlotte Zwerin, doc., 91’

18:45
21:30
p. 41 • c.241

CI CURTAS 7/ A ARTE DE
IC SHORTS 7 MORRER LONGE/
CULTURGEST 77’ THE ART OF
p. 12 • c.171
pequeno auditório

19:15
DYING AFAR

21:45
Júlio Alves, fic., 90’
p. 13 • c.109

CAOS E AFINIDADE/ RIZI/


CINEMA CHAOS AND AFFINITY DAYS
SÃO JORGE Pedro Gonçalves, doc., 82’ Tsai Ming-Liang,
p. 40 • c.151 fic., 127’
sala manoel
21:45

19:00
p. 20 • c.585
de oliveira

CN CURTAS 3/ CN CURTAS 4/
CINEMA NC SHORTS 3 NC SHORTS 4
89’ 87’
SÃO JORGE p. 15 • c.183 p. 15 • c.187

18:45
21:30

sala 3

GREENER RESURREZIONE/
GRASS RESURRECTION
Dawn Luebbe, Tonino De Bernardi, doc.,
CINEMA IDEAL Jocelyn DeBoer, 117’
19:30
22:00

fic., 95’ p. 51 • c.579


p. 45 • c.245

THE MOON AND THE FILMFARSI


SLEDGEHAMMER Ehsan Khoshbakht,
CINEMATECA Philip Trevelyan, doc., 65’ doc., 84’
PORTUGUESA p. 39 • c.619 p. 43 • c.233

15:30
19:00

sala m. félix ribeiro

CINEMATECA CAMP DE THIAROYE


Ousmane Sembène, fic., 157’
PORTUGUESA p. 34 • c.149

esplanada
21:30

cinema ao ar livre
open air cinema

TUDO EM FAMÍLIA
CAPITÓLIO TODA A FAMÍLIA
cinema ao ar livre
+ 3 ANOS
45’
21:00

open air cinema p. 27 • c.424

OUTROS NESTE DIA SÃO SE REALIZAM SESSÕES NOUTROS ESPAÇOS.


ESPAÇOS ON THIS DAY THERE ARE NO SCREENINGS AT OTHER VENUES.

Competição Internacional Competição Nacional Novíssimos Retrospectiva Boca do Inferno Sessões Especiais Sessão com Conviado dependente de
Sessão ao ar livre
Silvestre IndieJúnior IndeMusic Director’s Cut LisbonTalks Conviado restrições de viagem
International Competition National Competition Brand New Retrospective Mouth of Madness Special Screenings Open air screening
Guest Guest dependant on travel restrictions
30 THURSDAY
QUINTA SATURDAY
5 SÁBADO
10:30 15:30 18:30 21:30

COM OS PÉS NA SESSÃO DE ENCERRAMENTO


CLOSING SCREENING
NATUREZA
CULTURGEST + 5 ANOS UM ANIMAL AMARELO/
grande auditório 49’ A YELLOW ANIMAL

21:30

16:30
p. 29 • c.402 Felipe Bragança, fic., 114’
p. 49 • c.637

PERDER E GANHAR TIPOGRAFIC


+ 9 ANOS MAJUSCUL/
CULTURGEST 45’ UPPERCASE PRINT
p. 29 • c.420
pequeno auditório Radu Jude, doc., 128’

21:45

15:30
p. 20 • c.631

CRESCER A PARA CÁ DO MARÃO + LE REGARD DE THE BOOKSELLERS


CINEMA BRINCAR! ADEUS SENHOR CHARLES/ D.W. Young, doc., 99’
p. 50 • c.615
SÃO JORGE + 3 ANOS ANTÓNIO AZNAVOUR BY
40’ 20’ + 23’

11:15
sala manoel CHARLES
21:45

17:00
19:00
p. 28 • c.410 p. 49 • c.573
de oliveira Marc di Domenico, doc., 75’
p. 42 • c.523

LEVANTAR A VOZ! ISABELLA JEANNE/


+ 12 ANOS Matías Piñeiro, JOAN OF ARC
CINEMA 43’ fic., 78’ Bruno Dumont, fic., 138’
SÃO JORGE p. 30 • c.416 p. 19 • c.505 p. 19 • c.509

11:30
18:45
21:30

sala 3

HERDEIROS DE FRANCISCA
SARAMAGO Manoel de Oliveira, fic., 167’
p. 51 • c.237
Graça Castanheira,
CINEMA IDEAL doc., 100’
19:30
22:00

p. 51 • c.255

NIAYE + MANDABI BOROM SARRET +


Ousmane Sembène, LA NOIRE DE... +
CINEMATECA fic., 35’ + 105’
p. 35 • c.551
TAUW
PORTUGUESA Ousmane Sembène, fic., 20’

15:30
19:00

sala m. félix ribeiro + 65’ + 24’


p. 34 • c.143

CINEMATECA MOOLAADÉ
Ousmane Sembène,
PORTUGUESA fic., 124’
esplanada p. 35 • c.547
21:30

cinema ao ar livre
open air cinema

JACOB, MIMMI E OS CÃES FALANTES/


CAPITÓLIO JEKABS, MIMMI UN RUNAJOSIE SUNI
Edmunds Jansons, anim., 70’
cinema ao ar livre p. 27 • c.412
21:00

open air cinema

ACTIVIDADE INDIEJÚNIOR ACTIVIDADE INDIEJÚNIOR

UMA FOLHA DE CADA VEZ... CINEMA SIMULTÂNEO


Palácio Galveias, Sala Oficinas 60’ Cinema São Jorge 2, 90’
OUTROS p. 31 • c.W13 p. 31 • c.W05
ACTIVIDADE INDIEJÚNIOR
15:30
18:50

ESPAÇOS
UMA FOLHA DE CADA VEZ...
Palácio Galveias, Sala Oficinas 60’ ∙ p. 31 • c.W15
17:30
Open air screening
6 DOMINGO SUNDAY

Sessão ao ar livre
COM OS PÉS NA ZABIJ TO I WYJEDŹ Z L’ENFANT
NATUREZA TEGO MIASTA/KILL IT SAUVAGE/

22:00
19:30
11:30
+ 5 ANOS AND LEAVE THIS TOWN THE WILD CHILD
CINEMA IDEAL 49’ Mariusz Wilczyński, anim., 89’ François Truffaut, fic., 83’
p. 29 • c.404 p. 21 • c.659 p. 51 • c.525

Guest dependant on travel restrictions


Conviado dependente de
restrições de viagem
7 SEGUNDA MONDAY
FILME PREMIADO/ FILME PREMIADO/
AWARDED FILM AWARDED FILM

22:00
19:30
c.901 c.902
CINEMA IDEAL

Sessão com
Conviado
Guest
GUELWAAR
Ousmane Sembène,
CINEMATECA
15:30

fic., 115’

LisbonTalks
PORTUGUESA p. 35 • c.249

sala m. félix ribeiro

Special Screenings
Sessões Especiais
8 TERÇA TUESDAY
FILME PREMIADO/ FILME PREMIADO/
AWARDED FILM AWARDED FILM

22:00
19:30
c.903

Mouth of Madness
c.904
CINEMA IDEAL

Boca do Inferno
FAAT KINÉ
Ousmane Sembène, fic.,
CINEMATECA
19:00

120’

Director’s Cut
PORTUGUESA p. 34 • c.229

sala m. félix ribeiro

IndeMusic
9 QUARTA WEDNESDAY
FILME PREMIADO/ FILME PREMIADO/

Retrospectiva
Retrospective
AWARDED FILM AWARDED FILM
22:00
19:30

c.905 c.906
CINEMA IDEAL

IndieJúnior
EL CUARTO
CINEMATECA PODER + ANGELA
19:00

– PORTRAIT OF A
PORTUGUESA REVOLUTIONARY
sala m. félix ribeiro 45’ + 60’
p. 38 • c.203

Silvestre
Novíssimos

10 QUINTA THURSDAY
Brand New

EINE PRÄMIE FÜR IRENE +


CINEMATECA THE WOMAN’S FILM
19:00

50’ + 41’
PORTUGUESA
Competição Nacional
National Competition

p. 38 • c.197

sala m. félix ribeiro

11 SEXTA FRIDAY
Competição Internacional
International Competition

XALA
Ousmane Sembène,
CINEMATECA
19:00

fic., 123’
PORTUGUESA p. 35 • c.653

sala m. félix ribeiro


LISBON SCREENINGS
INDÚSTRIA Sessões de visionamento de uma selecção de novos fil-
31 AGOSTO – mes portugueses, curtas e longas metragens, junto de
2 SETEMBRO programadores de festivais e outros profissionais inter-
nacionais. Organizada pela Portugal Film – Agência Inter-
indielisboa.com/industria nacional de Cinema Português, é uma actividade que dá
visibilidade ao mais recente cinema português ainda por
estrear e promove o contacto dos realizadores e produ-
tores nacionais com os profissionais da indústria cinema-
tográfica internacional.

FUNDO DE APOIO AO CINEMA


Instrumento complementar de apoio à finalização de fil- CINE CERCA iniciativa convidada
mes portugueses através da atribuição de prémios de pós-
-produção e criação de música original. Os nove projectos
Residência de escrita de argu-
seleccionados apresentar-se-ão perante um júri internacio-
mento que visa acompanhar
nal para a realização de um pitch que definirá os vencedo-
realizadores francófonos e
res dos prémios a concurso.
lusófonos no desenvolvimento
Prémios dos seus projectos, com men-
Apoio financeiro de €1.500 (Escola das Artes, Universidade Católica Portuguesa
toria de Fabianny Deschamps
(Porto))
e João Pedro Rodrigues. O
Serviços de pós-produção de som (Digital Mix Música e Imagem)
IndieLisboa associa-se à pri-
€6.000 para criação de música original (Fundação GDA)
meira edição da iniciativa com
Serviços de pós-produção de imagem (The Yellow Color)
o objectivo de promover opor-
tunidades de co-produção,
financiamento, colaboração
longa metragem artística e circulação interna-
TERRA PROMETIDA
Margarida Gramaxo, doc.
cional dos quatro projectos de
longa metragem actualmente
curtas metragens
ECO DE UM SOCO NO OSSO
em fase de desenvolvimento.
Gabriela Giffoni, fic.
ugend
JANDIRA ASCENSÃO Mariana Gaivão, doc.
Gustavo Imigrante, exp.
louise et sa mère
O JARDIM DE ÉDEN Agnès Merlet, fic., anim.
Vasco Trabulo Bäuerle, fic.
malo
NAMORADOS A PENAR CANTAM DORMIENTI Maxime Martinot, fic.
Diogo Baldaia, fic., exp.
o tubérculo
SILÊNCIOS Lucas Camargo de Barros, fic. jugend
César Pedro, doc., exp.

TERCEIRO TURNO
Mário Macedo, fic.

VEXATIONS
Leonardo Mouramateus, doc.

WITH FLOWERS
Helena Estrela, doc., fic., exp.

66
INDUSTRY
31 AUGUST –
2 SEPTEMBER

indielisboa.com/industry

PORTUGUESE FILM FUND


Complementary tool to support the completion of Portuguese films
through the awarding of prizes for post-production and creation
of original music. The nine selected projects will appear before an
international jury to carry on a pitch that will define the winners.

Awards
Financial aid of €1.500 (School of Arts, Catholic University of Portugal (Porto))
Sound post-production services (Digital Mix Music and Image)
€6.000 for the creation of original music (GDA Foundation)
Colour grading services (The Yellow Color)

feature
PROMISED LAND
Margarida Gramaxo, doc.
LISBON SCREENINGS
shorts
ECHO AND OF A PUNCH ON THE BONE
Screenings of a selection of Gabriela Giffoni, fic.
new Portuguese films, shorts
FLOATING LOVERS SING DORMIENTI
and features, with festival Diogo Baldaia, fic., exp.
programmers and other inter-
THE GARDEN OF EDEN
national professionals in atten- Vasco Trabulo Bäuerle, fic.
dance. Organized by Portugal
JANDIRA ASCENSÃO
Film – Portuguese Internatio- Gustavo Imigrante, exp.
nal Film Agency, it is an acti-
SILENCES
vity that aims to give visibility César Pedro, doc., exp.
to the most recent Portuguese
SKIN RIVER
cinema still to be released and Mário Macedo, fic.
promotes the contact of direc-
VEXATIONS
tors and producers with pro- Leonardo Mouramateus, doc.
fessionals of the international
WITH FLOWERS
film industry. Helena Estrela, doc., fic., exp.

CINE CERCA invited initiative

Scriptwriting residency that aims to accompany


Francophone and Lusophone filmmakers in the ugend
Mariana Gaivão, doc.
development of their projects, with mentorship
by Fabianny Deschamps and João Pedro Rodri- louise and her mother
gues. IndieLisboa joins the first edition of the ini- Agnès Merlet, fic., anim.

tiative with the aim of promoting opportunities for malo


co-production, financing, artistic collaboration and Maxime Martinot, fic.
international circulation of the our feature length the tuber
projects currently under development. Lucas Camargo de Barros, fic. jugend

67
CINEMA SÃO JORGE
INFORMAÇÕES ÚTEIS Bilheteira Central (para sessões em todas as salas do festival)
Av. da Liberdade, 175
BILHETES Dia 24 de Agosto, das 14h00 às 20h00.
4,50€ Sessões de cinema De 25 de Agosto a 5 de Setembro, das 13h00 até ao início
(excepto sessões na Cinemateca Portuguesa) da última sessão no Cinema São Jorge.
3,20€ Sessões Cinemateca Portuguesa Nos dias com sessões pela manhã, a bilheteira abre meia
6,00€ Oficinas IndieJúnior BILHETES hora antes das sessões.
JÀ À VENDA
Para o Cinema Ideal e Cinemateca Portuguesa, os bilhetes são
vendidos na bilheteira central apenas até ao dia anterior da sessão.
Descontos nas sessões de cinema
A troca de convites nas bilheteiras centrais só poderá ser
3,50€ Jovens até aos 30 anos, maiores de 65 realizada para sessões na Culturgest, no Cinema São Jorge e
anos, desempregados (mediante comprovativo) na Cinemateca Portuguesa.
12,00€ Bilhete Famílias – válido para 4 pessoas nas
Metro Avenida (linha azul) ∙ Autocarros 709*, 711, 732, 736,
sessões IndieJúnior Famílias
746, 783, 207**
* Este autocarro não funciona domingos e feriados./** Serviço de transporte nocturno.
Descontos Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema
(descontos aplicados apenas na bilheteira da Cinemateca) CINEMA IDEAL
2,15€ Estudantes/Cartão Jovem, Maiores de 65 anos Bilheteira Local (apenas para sessões do Cinema Ideal)
1,35€ Amigos da Cinemateca/Estudantes de Cinema Rua do Loreto, 15/17
De 28 de Julho a 24 de Agosto, das 13h00 às 22h00.
VOUCHERS De 25 de Agosto a 5 de Setembro, das 13h00 até ao início
A compra de cadernetas voucher é possível nas bilheteiras da última sessão.
centrais do festival localizadas na Culturgest e no cinema Nos dias com sessões pela manhã, a bilheteira abre meia
São Jorge e em toda a rede Ticketline (rede de balcões e hora antes das sessões.
www.ticketline.pt). A compra de bilhetes para esta sala nas bilheteiras centrais
Os vouchers são válidos para sessões de cinema. do IndieLisboa (Culturgest e Cinema São Jorge) é possível
16€ Caderneta de 5 bilhetes voucher. apenas até ao dia anterior da sessão.
30€ Caderneta de 10 bilhetes voucher. A troca de convites para o Cinema Ideal é feita apenas no
próprio cinema.
55€ Caderneta de 20 bilhetes voucher.
Metro Baixa-Chiado (linha verde/azul) ∙ Autocarro 758,
202** ∙ Eléctrico E24, E28
Venda antecipada de bilhetes e cadernetas voucher ** Serviço de transporte nocturno.
Venda antecipada de 28 de Julho a 24 de Agosto na rede
TicketLine, bilheteira central da Culturgest e no cinema
CINEMATECA PORTUGUESA
Ideal (apenas bilhetes) e no dia 24 de Agosto na bilheteira
Bilheteira Local (apenas para sessões do próprio dia na
central do Cinema São Jorge.
Cinemateca Portuguesa)
Rua Barata Salgueiro, 39
De 25 de Agosto a 11 de Setembro, das 14h30 às 15h30
e das 18h00 às 22h00, excepto dias 30 de Agosto e 6 de
BILHETEIRAS Setembro que estará encerrada.
A compra de bilhetes para esta sala nas bilheteiras centrais
CULTURGEST do IndieLisboa (Culturgest e Cinema São Jorge) é possível
Bilheteira Central apenas até ao dia anterior da sessão.
(para sessões em todas as salas do festival) Os bilhetes para sessões na Cinemateca Portuguesa, não são
Edifício Sede da CGD, Rua Arco do Cego, 50 vendidos on-line.
Metro Marquês do Pombal (linha azul/amarela)/Avenida
De 28 de Julho a 24 de Agosto, das 13h00 às 18h00,
(linha azul) ∙ Autocarros 706, 709*, 711, 720, 727, 732*, 736,
excepto dias 3, 10 e 17 de Agosto (encerrada).
738, 746, 773, 774, 783, 207**
De 25 de Agosto a 5 de Setembro, das 11h00 até ao início * Estes autocarros não funcionam domingos e feriados. / ** Serviço de transporte nocturno.
da última sessão na Culturgest.
Para o Cinema Ideal e Cinemateca Portuguesa, os bilhetes REDE TICKETLINE
são vendidos na bilheteira central apenas até ao dia 28 de Julho a 5 de Setembro.
anterior da sessão. Sessões para todas as salas do festival, excepto
A troca de convites nas bilheteiras centrais só poderá ser Cinemateca Portuguesa, e cadernetas voucher nas
realizada para sessões na Culturgest, no Cinema São Jorge e condições da rede Ticketline, na rede de balcões e online
na Cinemateca Portuguesa. em www.ticketline.pt
Metro Campo Pequeno (linha amarela) ∙ Autocarros 722,
727, 735, 736, 738, 744, 749*, 754, 756*, 767, 783, 206**, 207** InfoLine IndieLisboa: 21 790 51 55
*Estes autocarros não funcionam aos domingos e feriados. /**Serviço de transporte nocturno. InfoLine IndieJúnior: 96 697 28 70

68
CINEMA SÃO JORGE
USEFUL INFORMATION Central Ticket Office (for screenings in all festival venues)
Av. Da Liberdade, 175
TICKETS August 24th, from 14h to 20h.
4,50€ Film screenings (except screenings Between August 25th and September 5th, from 13h00 to
at Cinemateca Portuguesa) the beginning of the last screening at Cinema São Jorge.
3,20€ Cinemateca Portuguesa screenings On days with morning screening, the ticket office opens
6,00€ IndieJunior Workshops half an hour before the screenings.
For screenings at Cinema Ideal and Cinemateca Portuguesa,
tickets are sold at the central ticket office only until the day
Discounts on film screenings
before the screening.
3,50€ People with up to 30 years of age, over 65 or
The exchange of invitations at the central ticket office can
unemployed (IEFP card as proof) only be done for screenings at Culturgest, Cinema São Jorge
12,00€ Family Ticket – valid for 4 people in the IndieJunior and Cinemateca Portuguesa.
Families screenings
Metro Avenida (blue line)
Buses 709 *, 711, 732, 736, 746, 783, 207 **
Cinemateca Portuguesa Discounts * This bus does not run on Sundays and holidays./** Night shuttle service

(discounts applied only at the Cinemateca ticket booth)


2,15€ Students, Cartão Jovem or people over 65 CINEMA IDEAL
1,35€ Friends of the Cinemateca / Film students Local ticket booth (only for Cinema Ideal screenings)
Rua do Loreto, 15/17
VOUCHERS From July 28th to August 24th, from 13h to 22h.
The purchase of voucher passbooks is possible at the Between August 25th and September 5th, from 13h to the
festival’s central ticket booths, located at Culturgest or beginning of the last screening.
Cinema São Jorge, or over at the Ticketline website. On days with morning screening, the ticket office opens
Vouchers are valid for film screenings only. half an hour before the screenings.
16€ 5 ticket voucher. The purchase of tickets for this venue at the IndieLisboa
30€ 10 ticket voucher. central box office (Culturgest and Cinema São Jorge) is
possible only until the day before the screening.
55€ 20 ticket voucher. The exchange of invitations for Ideal Cinema screening is
done only at the venue itself.
Early sale of tickets and voucher passbooks Metro Baixa-Chiado (green / blue line) ∙
Early sale from July 28th to August 24th on the TicketLine Bus 758, 202 ** ∙ Tram E28
website, Culturgest Central Ticket Booth and Cinema Ideal ** Night shuttle service.

(only tickets) and August 24th at Cinema São Jorge’s


ticket booth. CINEMATECA PORTUGUESA
Local ticket booth (only for screenings on the same day
at the Cinemateca Portuguesa)
Rua Barata Salgueiro, 39
TICKET OFFICES Between August 25th and September 11th, from 14h30 to
15h30 and from 18h00 to 22h00, except on August 30th
CULTURGEST and September 6th (closed).
Central Ticket Office (for screenings in all festival venues) The purchase of tickets for this venue at the IndieLisboa
CGD Headquarters Building, Rua Arco do Cego, 50 central box office (Culturgest and Cinema São Jorge) is
Between July 28th and August 24th, from 13h to 18h, possible only until the day before the screening.
except on August 3rd, 10th and 17th (closed). Tickets for screenings at Cinemateca Portuguesa are not
sold online.
Between August 25th and September 5th, from 11h to the Metro Marquês do Pombal (blue / yellow line) / Avenida
start of the last screening at Culturgest. (blue line) ∙ Buses 706, 709 *, 711, 720, 727, 732 *, 736, 738,
For screenings at Cinema Ideal and Cinemateca Portuguesa, 746, 773, 774, 783, 207 **
* These buses do not run on Sundays and holidays./** Night shuttle service.
tickets are sold at the central ticket office only until the day
before the screening.
TICKETLINE.PT
The exchange of invitations at the central ticket office can From July 28th to September 5th.
only be done for screenings at Culturgest, Cinema São Jorge Screenings in all festival venues, except Cinemateca
and Cinemateca Portuguesa. Portuguesa, and voucher-tickets booklets at Ticketline
Metro Campo Pequeno (yellow line) local ticket offices or at www.ticketline.pt.
Buses 722, 727, 735, 736, 738, 744, 749 *, 754, 756 *, 767,
783, 206 **, 207 ** InfoLine IndieLisboa: 21 790 51 55
* These buses do not run on Sundays and holidays./** Night shuttle service.. InfoLine IndieJúnior: 96 697 28 70

69
FICHA TÉCNICA
CREDITS

ORGANIZAÇÃO ORGANISATION ACOLHIMENTO Marisa Pires (estagiária/trainee)


IndieLisboa – Associação Cultural GUEST OFFICE Melanie Rodrigues (estagiária/trainee)
Rosalinda Rita
DIRECÇÃO/DIRECTION LEGENDAGEM
Carlos Ramos ACREDITAÇÕES SUBTITLING
Mafalda Melo ACCREDITATIONS Alexandre Batista
Miguel Valverde Maria Perdigão Pires Gil Chagas
João Ricardo Oliveira
PROGRAMAÇÃO COORDENAÇÃO DE JÚRIS Leonor Pinela
COMITÉ DE SELECÇÃO/ JURIES COORDINATOR Rui Teixeira
PROGRAMMING Ricardo Duarte Inês Barracas (estagiária/trainee)
SELECTION COMMITEE Mário Trabuco (estagiário/trainee)
Ana David DIRECÇÃO TÉCNICA Marisa Pires (estagiária/trainee)
Ana Cabral Martins TECHNICAL MANAGEMENT
Ana Isabel Strindberg André Constantino PROJECCIONISTA
Anastasia Lukovnikova PROJECTIONIST
Carlos Natálio CONTEÚDOS Carlos Manuel Fernandes
Carlos Ramos CONTENTS
Carlota Gonçalves FOTOGRAFIA
Carlos Natálio
Duarte Coimbra PHOTOGRAPHY
Filipa Henriques AUDIOVISUAIS Mariana Abadjieff
Gustavo Beck AUDIOVISUALS
Helena César MOTORISTA
Miguel Canaverde
Inês de Lima Torres DRIVER
Irina Raimundo LISBON SCREENINGS Bruno Paiva
Jéssica Pestana Ana Isabel Strindberg
Mafalda Melo Margarida Moz IT CONSULTANT
Margarida Moz Filipa Henriques Carlos Costa
Mário Lopes
Mickaël Gaspar LISBONTALKS UNIVERSIDADE LUSÓFONA IMAGEM INDIELISBOA 2020
Miguel Valverde Ana David INDIELISBOA 2020 IMAGE
Ricardo Vieira Lisboa Pedro Ponciano
Rui Mendes COORDENAÇÃO DE BILHETEIRAS
TICKET OFFICE COORDINATION EDIÇÃO SPOTS INDIELISBOA/INDIEJÚNIOR
PRODUÇÃO EXECUTIVA Bruno Sousa INDIELISBOA/INDIEJUNIOR SPOTS EDITING
EXECUTIVE PRODUCTION Miguel Canaverde
Patrícia Neves Gomes GESTORES DE SALA
Pedro Pereira VENUE MANAGERS MOTIONS
Carolina Castro Almeida Carolina Rainho Pedro Ponciano
Joana Mesquita Alves Miguel Canaverde
SPONSORING
Raquel Pinhão COORDENAÇÃO DE VOLUNTÁRIOS DESIGN E PRODUÇÃO DE TROFÉU
VOLUNTEERS MANAGEMENT TROPHY PRODUCTION AND DESIGN
GESTÃO FINANCEIRA Toyno
Marginal Voluntariado
FINANCIAL MANAGEMENT Miguel Lopes Fablab Lisboa
Rosária Vale Matriz Aberta
GESTÃO DE LOJAS
MARKETING & COMUNICAÇÃO WEBSITE
STORES MANAGEMENT
MARKETING & COMMUNICATION Upper
Carolina Castro Almeida
Lucas Bicudo
Gonçalo Borges APP
RESTAURANTES
Joana Lourenço Skeleton
RESTAURANTS
João Baptista ALOJAMENTO WEB
ASSESSORIA DE IMPRENSA
PRESS OFFICE Web Hosting
FUNDO DE APOIO AO CINEMA
Susana Bessa PTisp
PORTUGUESE FILM FUND
Carlota Gonçalves PLATAFORMA DE GESTÃO DE
ARTES FINAIS
FINAL ARTS INFORMAÇÃO
DESIGN ESPAÇOS
Rui Guerra DATA MANAGEMENT PLATFORM
INTERIOR DESIGN
Eventival
Carolina Castro Almeida
PRODUÇÃO INDIEJÚNIOR
INDIEJÚNIOR PRODUCTION TRADUÇÕES
Irina Raimundo
TRANSLATIONS
Jéssica Pestana
Alexandre Batista
Catarina Mendonça Boieiro
GESTÃO DE CÓPIAS
Gil Chagas
PRINT TRAFFIC João Ricardo Oliveira
Anastasia Lukovnikova Leonor Pinela
Rui Mendes Margarida Moz
Cátia Soares Mariana Wallenstein
Clara Alves Marta Amaral
Marta Lisboa
INDÚSTRIA Rui Teixeira
INDUSTRY Inês Barracas (estagiária/trainee)
Ana David Mário Trabuco (estagiário/trainee)

70
CINEMA SÃO JORGE EXPOSIÇÕES CONTEÚDO REDES SOCIAIS Maria de Jesus Ferreira
EXHIBITIONS SOCIAL NETWOKS CONTENT Maria do Sameiro André
DIRECTORA Bruno Castro
DIREÇÃO DE PRODUÇÃO
Sara Marques
MANAGER
DIRECTOR ARQUIVO E CONTEÚDOS Teresa Borges
Marina Sousa Uva
Mário Valente ARCHIVE AND CONTENTS Teresa Tainha
ADJUNTA Paula Tavares dos Santos
PRODUÇÃO GABINETE DE RELAÇÕES PÚBLICAS
ASSISTANT DIRECTOR
PRODUCTION PUBLIC RELATIONS OFFICE
Inês Freire SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS Antónia Fonseca
António Sequeira Lopes
ASSISTENTE E FINANCEIROS José Luís Duarte
Fernando Teixeira
ASSISTANT Susana Sameiro (Culturgest Porto) ADMINISTRATIVE AND Nuno Rodrigues da Costa
Catarina Bernardo FINANCIAL SERVICES Pedro Fernandes
ASSESSORIA E PRODUÇÃO
COMUNICAÇÃO ADVISORY AND PRODUCTION DIREÇÃO CINEMATECA JÚNIOR
COMMUNICATION Sílvia Gomes DIRECTION Carla Simões
Francisco Barbosa Cristina Nina Ferreira Maria de Jesus Lopes
AUXILIAR
Pedro Vieira ASSISTENTES
Neva Cerantola
ASSISTANT
COORDENAÇÃO PROJECÇÃO Rui Assunção (Culturgest Porto) ASSISTANTS CABINE DE PROJECÇÃO E BILHETEIRA
VÍDEO E ÁUDIO
Paulo Silva PROJECTION AND TICKET OFFICE
LIVRARIA BOOKSTORE
VIDEO SCREENING AND
Teresa Figueiredo Jorge Teixeira
Rosário Sousa Machado
AUDIO COORDINATOR
Luís Filipe Silva
FRENTE DE CASA E BILHETEIRAS Maximino Fernandes
Fernando Caldeira PARTICIPAÇÃO/FAMÍLIAS
FRONT OF HOUSE AND TICKETING Michael Monnier
PROJECCIONISTAS E ESCOLAS
DIREÇÃO
Miguel de Bastos
PROJECTIONISTS PARTICIPATION/FAMILIES Vitor Almeida
DIRECTION
Carlos Souto AND SCHOOLS Victor Lopes
Rute Sousa
Diogo Viana PRODUÇÃO
Jorge Silva BILHETEIRA ANIM-DEPARTAMENTO DE
PRODUCTION
TICKET OFFICE
TÉCNICO João Belo ARQUIVO NACIONAL DAS
Manuela Fialho
TECHNICIAN ESTAGIÁRIO IMAGENS EM MOVIMENTO
Edgar Andrade
Carlos Rocha TRAINEE ARCHIVE DEPARTMENT
Tiago Cerejo Nuno Fernandes DIRECTOR
COORDENAÇÃO DE FRENTE DE CASA CINEMA IDEAL Tiago Baptista
ACTIVIDADES COMERCIAIS
FRONT OF HOUSE COORDINATOR GERENTES EQUIPA
COMMERCIAL ACTIVITIES
Diana Guedes MANAGERS TEAM
DIREÇÃO Fernando Vidal António Medeiros
BILHETEIRAS
DIRECTION Joana Galhardas César Silva
TICKET OFFICE
Catarina Carmona Filipe Lopes
Carina Rodrigues DIRECTOR TÉCNICO
Carolina Guedes ASSISTENTE TECHNICAL DIRECTOR João das Eiras
Mariana Calisto ASSISTANT Fernando Vidal Jorge Lopes
Mariana Guimarães Sofia Fernandes João Paulo Antunes
DIRECTORA DE COMUNICAÇÃO
Luís Gameiro
Soraia Souto COMMUNICATION DIRECTOR
EQUIPA TÉCNICA Luís Gigante
MANUTENÇÃO Joana Galhardas
THECNICAL TEAM Luzia Valente
MAINTENANCE EQUIPA CINEMA IDEAL Manuel Mozos
DIRECÇÃO TÉCNICA
Mário Silva CINEMA IDEAL’S TEAM Margarida Sousa
TECHNICAL DIRECTOR
Filipa Lobo Paula Ribeiro
José Rui Silva
Sara Ramos Paulo Cartaxo
FUNDAÇÃO CAIXA GERAL DE DIRECÇÃO DE CENA Evandro Moura Sara Moreira
SET DIRECTOR Raquel Rodrigues Teresa Garcia de Matos
DEPÓSITOS – CULTURGEST José Manuel Rodrigues Mafalda Santos Tiago Ganhão
TÉCNICOS AUDIOVISUAIS Joana Correia Vitor Martins
CONSELHO DIRECTIVO
AUDIOVISUAL TECHNICIANS
BOARD OF DIRECTORS DIVISÃO DE GESTÃO
Américo Firmino
PRESIDENTE (coordenador/coordinator) CINEMATECA PORTUGUESA – MANAGEMENT DIVISION
PRESIDENT Ricardo Guerreiro MUSEU DO CINEMA CHEFE DE DIVISÃO
José Ramalho Suse Fernandes
DIRECTOR HEAD OF DIVISION
ADMINISTRADORES ILUMINAÇÃO José Manuel Costa Isabel Arouca
ADMINISTRATORS LIGHTS
SUBDIRECTOR EQUIPA
Manuela Duro Teixeira Fernando Ricardo (chefe/chief)
DEPUTY DIRECTOR TEAM
Mark Deputter Vítor Pinto
Rui Machado Ana Rigueira
MAQUINARIA Américo Gil
SECRETÁRIA DE ADMINISTRAÇÃO SECRETARIADO DE DIREÇÃO
SET TECHNICIAN Eugénia Gonçalves
ADMINISTRATION SECRETARY EXECUTIVE SECRETARY
Nuno Alves (chefe/chief) Helena Rosa
Patrícia Blázquez Sofia Cardoso
Artur Brandão Isabel Ribeiro
ASSESSORIA INFORMÁTICA Marília Duarte
PROGRAMAÇÃO TÉCNICO DE PALCO
STAGE TECHNICIAN IT ASSISTANT Miriam Viana
PROGRAMMING José Prates
Vasco Branco Mitko Elenkov
ARTES PERFORMATIVAS Rafael Santos
AUXILIAR DEPARTAMENTO DE DIVULGAÇÃO
PERFORMING ARTS
ASSISTANT
Mark Deputter E EXPOSIÇÃO PERMANENTE
Nuno Cunha
ARTES VISUAIS VISUAL ARTS PROMOTION AND PERMANENT CAPITÓLIO
Bruno Marchand COMUNICAÇÃO EXHIBITION DEPARTMENT DIRECÇÃO-GERAL
CONFERÊNCIAS E DEBATES COMUNICATION ASSESSORIA DA DIRECÇÂO GENERAL DIRECTION
CONFERENCES AND DEBATES DIREÇÃO DE COMUNICAÇÃO ASSISTANT TO THE DIRECTION Vasco Sacramento
Liliana Coutinho (assessora/advisor) COMMUNICATION DIRECTION Nuno Sena COMERCIAL
Catarina Medina PROGRAMAÇÃO/SALAS DE CINEMA Rita de Abreu
MÚSICA
PROGRAMMING/CINEMA
MUSIC PRODUÇÃO
ASSESSORIA E SERVIÇOS Antonio Rodrigues
Pedro Santos (assessor/advisor) PRODUCTION
DE COMUNICAÇÃO Joana Ascensão
Ana Carvalho
PARTICIPAÇÃO/FAMÍLIAS E ESCOLAS ADVISORY AND Joana Sant'Ana
PARTICIPATION/FAMILIES AND SCHOOLS João Pedro Bénard ESTAGIÁRIO DE PRODUÇÃO
COMMUNICATION SERVICES
Raquel Ribeiro dos Santos Luís Mendonça PRODUCTION TRAINEE
CONTEÚDOS E MATERIAIS Luís Miguel Oliveira João Nogueira
PROMOCIONAIS Maria João Madeira
ESPECTÁCULOS TÉCNICA
CONTENTS AND PROMOTIONAL Pedro Aragão
PERFORMING ARTS PRODUCTION MATERIALS THECNICIAN
Rita Azevedo Gomes Francisco Bernardo
DIRECÇÃO DE PRODUÇÃO Maria João Santos
CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E
PRODUCTION DIRECTOR DESIGN GRÁFICO EQUIPA DE SEGURANÇA
INFORMAÇÃO
Mariana Cardoso de Lemos GRAPHIC DESIGN SECURITY TEAM
DOCUMENTATION AND INFORMATION
PRODUÇÃO Studio Maria João Macedo Prosegur
CENTER
PRODUCTION ASSESSORIA DE IMPRENSA Arnaldo Mesquita EQUIPA LIMPEZA
Jorge Epifânio PRESS OFFICE Isabel Durana CLEANING TEAM
Clara Troni Helena César Joaquim Vacondeus Laranja Encantada

71
72
73
CALL FOR ENTRIES:
1 NOVEMBER 2020

Oscar®- www.interfilm.de
Qualifying
Festival

10 15
November 2020
36th International
Short Film Festival Berlin
18th International Film Festival
29 APRIL > 9 MAY 2021

CALL FOR ENTRIES


deadline 23 dec

indielisboa.com

75
ORGANIZAÇÃO APOIOS INSTITUCIONAIS

CO-PRODUÇÃO PARCEIROS DE PROGRAMAÇÃO PATROCINADOR PRINCIPAL

PATROCINADORES PARCEIROS MEDIA PATROCINADORES DE PRÉMIOS


RÁDIO OFICIAL RÁDIO OFICIAL RÁDIO OFICIAL

JORNAL OFICIAL PORTAL OFICIAL TELEVISÃO OFICIAL

APOIOS

APOIOS À DIVULGAÇÃO

APOIOS INDIEJÚNIOR

APOIOS À PROGRAMAÇÃO INDÚSTRIA

76