Você está na página 1de 8

COMO GANHAR O MEU MARIDO DESCRENTE PARA JESUS?

O advérbio “como” indica modo, forma, ou jeito o que quer dizer que, quem faz a
pergunta que acima esta, quer saber o modo, a forma, ou o jeito a adotar para
conseguir ganhar o seu marido descrente para si e para Jesus.

Este conteúdo foi elaborado particularmente para mulheres que se encontram nessa
realidade. Na verdade e um desafio muito grande: no lar, na igreja, na família e na
sociedade ter um marido descrente; parece uma cruz, guerra ou maldição. Mais o
sangue de Jesus tem todo o poder para mudar a situação, por isso o próprio Jesus se
fez maldição para remover a nossa (Gl 3:13), e ele se apresentou em nosso meio para
desfazer as obras do maligno (1jo 3:8), e pelo seu espírito santo todos os maridos
descrentes (por mais que sejam malandros, bagunceiros, viciados, endemoninhados,
endurecidos, enfim) são convencidos a livrarem-se do seu casamento com o diabo (Jo
16:18). Portanto, ainda e tempo!

A SITUAÇÃO

Mas, o que faz que uma crente caia nos braços de um descrente?

As razões que poderíamos nós aqui mencionar que levam uma mulher cristã a cair nos
braços de um homem descrente são várias: ou uniu-se com ele quando os dois eram
ainda descrentes, ou uniu-se com ele mesmo que já era cristã mas porque o amou
muito, ou começaram juntos já crentes e ao longo da vida ele recuou e se fez
mundano… Só para citar algumas.

E agora? Será que a Bíblia contraria e nega a ideia de unir-se com o descrente?

Sim! A Bíblia nega e contraria esta ideia: o princípio Paulino de “jugo desigual abrange
até a área sentimental dos filhos e filhas de Deus (2Cor 6:14-18).

“E se eu já caí nessa situação, o que faço?”

Ora, a fé não serve de motivo para o divórcio com o marido descrente (1Cor 7:-14), até
que o próprio descrente decida ir-se embora, nesse caso, a crente não é obrigada a
sofrer ou permanecer solitária por um filho de Satanás que se foi (1Cor 7:15); e se
também ele trair a cristã (adulterar) ela não é obrigada a tolerar se quiser livrar-se dele
(Mat 19:3-9).

“E se não houver nada suficiente para separarmo-nos e por muitos motivos não der
mais para me unir a outra pessoa, sendo o que quero é ganhá-lo para Jesus. O que
faço?”

1
Esta intenção é boa e agradável a Deus que odeia o divórcio (Ml 2:14-16). Para tal, não
precisa tomar banho nem amarrar corda na cintura; o que vai precisar é apenas
colocar em prática o modo, a forma ou o jeito a que a Bíblia dá às mulheres que têm
maridos descrentes. Com certeza que vai o ganhar para si e para o Senhor Jesus!

Qual é então, esse jeito?

Aqui esta:

1 – SONHE!
Se você é realmente cristã, então sonhe. Sonhar é desejar, é pretender, é perspectivar,
é ser optimista, é ter confiança e esperança; é ver com os olhos da mente; é ter
expectativa de que “ ainda que esteja morto viverá; ainda que seja duro vai dar certo
(2Rs 4:18-26).

É preciso sonhar, lutar e sacrificar-se por aquilo que se deseja alcançar, pois se você
não sonhar em ver o seu marido transformado pelo Senhor Jesus, ninguém vai sonhar
em seu lugar. Antes que alguém sonhe alguma coisa por seu marido, primeiro sonhe
você por ele (2Rs 2:1-6).

Portanto, crie primeiro o desejo de ganhá-lo para Cristo e então comece a trabalhar
em direcção a isso.

2 – CUMPRA O TEU PAPEL DE MULHER E NÃO CONCORRA COM ELE

O JEITO MAIS fácil de destruir o seu lar, é competir com o marido. Não importa o nível
de valor que o seu marido tenha, saiba respeitar limites; aquilo que der para fazer
todos, façam, mas aquilo que se caracteriza mais com você mulher, faca você.

E necessário diferenciar os papéis entre homem e mulher, porque a falta disso provoca
competição e a competição provoca brigas e esta por fim provoca separação. E
necessário que as mulheres se conformem com o seu se mulher, porque os homens
nunca sonharam em ser mulheres, (exceptuando aqueles doentes que não sabem
quem são).

Portanto, cumprir o papel significa, reservar-me dentro dos limites das minhas
funções, fora disso os responsáveis são outros.

3 – PROCURA SUPERAR ELE EM VIRTUDES

Virtude (disposição habitual para a prática do bem; boa qualidade moral).

Virtudes “disposição habitual para a pratica do bem; boa qualidade moral”. Procure
imitar aquela primeira-dama de provérbios 31:10 para diante;

2
Esforça-te em ser boa para ele; não seja só mulher, mas tente ser também irmã e mãe
para ele; aceita os defeitos dele e procura vence-los com amor. Só mulheres simples é
que ganham maridos descrentes “sem palavra alguma”(1Ped 3:1).

4 – SEDUZA ELE COM BELEZA E ROMANTISMO.

Você só se sente feia porque quer; se você fosse realmente feia, ele nem olharia para
você e nem estaria no mesmo teto com você! Se ele chegou a ponto de escolher você,
é porque alguma coisa de atraente há em você, e não só alguma coisa, é porque você é
toda atraente!

Portanto, arrume-se bem. Ajuste bem os vestidos. Use cheirinhos. Os batons e vernizes
existem? Seja simpática. Seja apaixonada. É hora de amor? Entrega-te. Faça propostas,
por exemplo: “dá pra ir a outro lugar”? No casamento não existem segredos nem
vergonhas, pois são “uma só carne”; enquanto ele estiver com você, o corpo dele é teu
calcado, use quando e quantas vezes quiser (Gen 2:21-25; 1Cor7:3-5).

Pronuncie palavras carinhosas e de paixão ao ouvido dele (Ct 1:16-17); massagie o


coração dele;

Transforme o vosso quarto num paraíso de leite e mel; diversifique e dinamize os


acessórios da cama; deixe algumas flores sobre a cama durante o dia.

Tenha a cultura de lembrar e valorizar as datas comemorativas, principalmente


aquelas da vossa historia, por exemplo o dia do “sim” do namoro, o dia do pedido, do
casamento ou o dia do aniversário. Não deixe um dia como este passar em branco; se
não tiver nada com que possa celebrar, no mínimo escreva um bilhete ou diga algumas
palavras! «Palavras agradáveis são como favo de mel: doces para a alma e medicina
para o corpo (Pv 16:24)». Que alma há que não se sente bem, engrandecida,
valorizada, respeitada e amada quando recebe boas palavras?! “Pequenas brasas
queimam grandes matas”.

5 – APRENDA A SATISFAZÊ-LO SEXUALMENTE NO VOSSO MATRIMÓNIO

O Sexo tem sido, humanamente falando, o maior motivo de alegria de viver tanto para
santos como para ímpios e o motivo nº 1 de

Casamentos! É muito provável que se não houvesse Sexo não haveria matrimónios.
Por isso, esse “prato” preparado pelo próprio CRIADOR deve ser bem degustado. E,
para um petisco bem degustado a ponto de se lamber o fundo do prato, deve-se ter
em conta as implicâncias ligadas à satisfação, como por exemplo que, não só os
homens ejaculam, “as mulheres também ejaculam a seu jeito feminino”.

O ponto mais alto de satisfação sexual chama-se orgasmo; a actividade sexual só é


completa quando os dois atingem esse ponto.

Não é nossa intenção sugerir nenhum dos métodos animalesco e virtual para se chegar
a satisfação (tendo em conta as nossas destinatárias – crentes). Entretanto, dentre

3
várias sugestões que se podem dar, incluindo dos entendidos na matéria, para a
satisfação sexual no matrimónio, aqui nós destacamos três:

1 - A Paz de espírito

2 - A Boa Dieta Alimentar

3 - O Tempo de Provocação

1 – A Paz de espírito

O Sexo é uma expressão da alma e do espírito. É uma forma de exteriorizar emoção e


imaginação. O sexo é feito primeiramente na imaginação (espírito), sentido na emoção
(alma) e desfrutado no corpo.

Sendo o sexo uma expressão da alma e do espírito e o corpo o meio de desfrutá-lo


apenas, o amor, o carinho e outras virtudes que são o principal alimento da alma e do
espírito – são muito importantes para que a outra pessoa participe no ato sexual não
só com corpo mas também com alma e espírito.

A paz de espírito passa pela cultura de boa convivência: o respeito mútuo, a


confiabilidade, a fidelidade, as risadas, as palavras agradáveis, as boas surpresas,
enfim. Tudo o que contribui para o bom estado e boa disposição da alma e do espírito
deve ser aplicado como ingrediente para o alcance de satisfação sexual no matrimónio.

O estado psicológico conta muito no desempenho sexual (lembre-se, o sexo é feito


primeiro na mente), se nessa mente existir espinhos como aborrecimento, raiva,
estresse, ressentimentos, tristeza, desinteresse e até mesmo cansaço psicológico: o
desempenho que se espera da outra pessoa não existirá.

Em face disso, a questão que se coloca é a seguinte:

O que é que pode ajudar a dinamizar a entrega tanto de homem como de mulher ao
ato sexual no matrimónio? A resposta é: INCITE o seu espírito! Capriche bem o estado
moral da outra pessoa!

2 – A Boa Dieta Alimentar

Praticar sexo com fome é cansativo e sugante. O carro precisa de combustível para
andar, o televisor de corrente eléctrica para funcionar. E o homem?

Ao homem para além do estado psicológico, ele também precisa de Energia(a


capacidade que um corpo possui de realizar trabalho). Esta energia ou capacidade que
o homem necessita para realizar trabalhos fisicamente, vem dos alimentos (a
conhecida energia química orgânica).

O corpo humano que é o único instrumento que a mente utiliza para realizar as suas
imaginações, depende, a sua força e resistência, da comida, de boa alimentação que é
a única fonte que fornece a energia orgânica capaz de combinar com o organismo
humano através de nutrientes que reforçam as células e estas por sua vez estimulam e
aumentam a reserva da capacidade do funcionamento do corpo.

4
Razão pela qual, quando a pessoa tem fome também fica com pouca força para
trabalhar. A fome indica a diminuição da reserva de energia química orgânica, as
células estão desmaiadas e consequentemente a vida física que corre no nosso sangue,
é por isso, quando a fome se prolonga, a pessoa morre, é porque a energia química
orgânica esgotou.

Essa energia é necessária para um ato sexual resistente e prologado. Quanto mais
energia tiver a pessoa, maior é a capacidade de realizar a obra; porque durante o ato
sexual, essa é a reserva energética que ela vai agastar enquanto trabalha a mente e o
corpo, que se observa no transpirar da pele e no alívio ou descarga que se sente
depois que se atinge o orgasmo pela ejaculação (feminina ou masculina).

Portanto, sempre que houver possibilidade, alimente bem o seu parceiro para
conseguir ir até onde você chega!

3 – Tempo de Provocação

Provocar, em outros termos, é estimular, incentivar, despertar, influenciar, etc.,


positivamente; ou insultar, desafiar, tentar, mexer com o estado de alguém
negativamente.

Mesmo que a pessoa esteja moralmente bem e fisicamente energética, nem sempre a
necessidade sexual está acordada.

Geralmente quando o nosso pensamento fica ligado à resolução de um assunto


(principalmente nesse mundo de correrias), naquele momento o nosso corpo desliga-
se sensacionalmente de muitas necessidades contra-atuais, até que apareça algum
estímulo, então se despertará para as outras necessidades.

É por esse desligamento ou standby que se tem sugerido que o sexo deve ser feito
antes de ser feito ou começar antes de começar.

A sugestão “Tempo de Provocação” leva-nos ao cenário do momento do próprio ato,


na hora da cama.

Se a paz de espírito prepara o campo psicológico e a boa dieta alimentar abastece a


reserva energética, o tempo de provocação importa mais na excitação, ou seja, na
duração de excitação na mulher e erecção no homem.

Os peritos nesta matéria têm aconselhado e a experiência prática confirma, que o


aquecimento do corpo, ou seja, o alto estímulo do corpo, a alta excitação sexual tanto
no homem como na mulher até aquele ponto em que “quase se perde a cabeça e a
santa fala em mistérios”, depende do tempo de provocação ali mesmo na cama.

Geralmente, o homem não precisa de cerimónia para se excitar, basta visualizar a


nudez (e se for de uma santa que capricha bem a partes exteriores do seu corpo e as
peças interiores aquelas de cores vivas, pior ainda) será suficiente para “levantar-se do
chão”. A questão porém é a seguinte: quanto tempo vai demorar esse
“levantamento”? Este é o problema que provoca desgosto, desapontamento raiva,
arrefecimento sentimental e até mesmo separação em alguns relacionamentos; e
outros, no caso de homens, para ajeitar a situação então recorrem ao uso de drogas

5
para aguentar a “batida” da senhora, por ser que nesse ato a mulher é quem mais
exige do homem do que este daquela, pela razão das estruturas biofísicas: o homem
alcança o seu orgasmo e liberta-se com mais facilidade e rapidez que a mulher.

Assim, a experiência prática deste ato tem revelado que quanto mais demoradas
forem as praticas exteriores, as preliminares;

Quanto mais tempo demorarem os beijos, as carícias, os toques, “os embrulhos e


desembrulhos”, os apalpamentos, as buscas, as descobertas, as lambidas, os
sugamentos e outros insultos;

Quanto mais o sexo externo demorar e recalcado, sacudido e transbordante estiver o


corpo, mais tempo demorará ambos para “rotarem” depois da penetração!

Esta realidade conduz-nos a conclusão de que, a precipitação de penetrar enquanto os


corpos estão frios, apenas pressiona a ejaculação masculina e inibe o alto aquecimento
do corpo que leva ao orgasmo comum, sendo assim, inimigo do prazer sexual.

Sendo que tudo isso está a ser abordado no ponto de vista de estratégia de conquistar
o coração do marido descrente para Cristo,

Neste caso, a mulher crente deverá (conforme a realidade do seu matrimónio), actuar
como despertadora, aconselhando e criando as condições propícias e assim, com
atitudes de intimidade demonstrará ao marido que carece desta dinâmica partilhando
então a responsabilidade da sua execução prática.

Entretanto, que tudo seja feito com amor. O amor de mulher é um instrumento muito
poderoso capaz de amolecer coração de rei e de anjo (Gén 3:6,17; 6:1-4; 2Sam 11:2-
4;1Rs11:1-8).

Assim, a mulher deve saber usar a sua riqueza de mulher que Deus lhe deu para
ganhar o seu marido descrente. Paulo dizia «fiz-me tudo para de as formas chegar a
salvar alguns (1Cor 9:22)».

6 – EXAMINE-SE A SI MESMA

Como método de reduzir brechas e lista de defeitos que o cônjuge incrédulo pode
apontar em você, faça isto. Ao invés de ir nas amigas, dá essa chance a ele mesmo.
Tenha a coragem de lhe perguntar: “Meu maridão, quais são os meus defeitos
morais?”. Esta abertura ajuda a outra pessoa a desabafar os rancores antigos; ajuda a
perceber as falhas que não consegue dar-se conta pessoalmente.

Este exame quando é feito com honestidade, na hora certa, no momento e no lugar
certo como por exemplo, à meia-noite, na vossa cama, abraçados e respirando no
pescoço dele – você recebe informações surpreendentes acerca de si mesma. Pois, o
adepto joga melhor do que o atleta no campo.

Examine-se (1Cor 11:28; 1Jo 3:19-21). Transforme os olhos do seu parceiro em seu
microscópio de casa para detectar e combater na hora certa os vírus de seus defeitos.

6
Agora, ao tomar esta atitude de examinar-se usando ele como microscópio, faça o
seguinte:

Quando lhe revelar algum defeito ele acha em você, peça para ele não jogar isso na
sua cara e prometa-lhe você vai melhorar e lute mesmo para melhorar!

7 – ORE POR ELE

Deus, nosso Pai, é um Ser apaixonado pelas orações das mulheres. Em parte, Deus é
muito sensível às orações das mulheres. Não foi Ele que respondeu às súplicas da Sara,
da Rebeca, da Raquel, da Ruth, da mãe de Sansão, da Ana, da Débora, da Isabel e da
Maria, mãe do Senhor? Não estavam também envolvidas mulheres nas orações que
accionaram o Pentecostes (é pouca coisa)? Não estavam também elas engajadas nas
orações que provocaram a libertação do apóstolo Pedro? Não são elas as donas de
ciclos de orações (ou são eles)?

Deixaria você o “Cão”rotar e defecar na vida do seu esposo sem lhe lançar bombas
espirituais que estão nos seus joelhos?

Entregaria de graça o seu marido ao inferno de fogo eterno?

Se calaria, se faria cega, surda e muda perante alguém que se deita consigo na mesma
cama mas que todos os dias acorda com a sentença no peito: ”condenado ao fogo
eterno”?

Com certeza que você não deixaria. Por isso, tome o compromisso de orar a Deus por
seu marido descrente. Faça que ele ouça citar o seu nome em oração para que tenha
ele a confiança de que tem orado por ele, isto lhe fará perceber que você está
preocupado também com a eternidade dele (mas com humildade e não precisa exibir-
se).

Você sabe que a oração incomoda os céus (Êx 2:23-25), faz a mulher estéril ter filhos
(Gén 25:19-26), faz o mar se abrir (ÊX 14:15-30), faz as muralhas caírem (Js 6:20-25),
fecha as bocas de leões (Dan 6), apaga a fornalha de fogo (Dan 3) e muda o impossível
para possível (At 12)! Por isso, ore por seu marido; ore com fé que esse “Saul um dia
será Paulo”.

7
8