Você está na página 1de 90

Ana Carolina Martins de Lana

Abertura de
Empresas
Abertura de
Empresas
Ana Carolina Martins de Lana

Abertura de
Empresas

Natal/RN
2014
presidente
PROF. PAULO DE PAULA

diretor geral
PROF. EDUARDO BENEVIDES

diretora acadêmica
PROFA. LEIDEANA BACURAU

diretora de produção de projeto


PROFA. JUREMA DANTAS

FICHA TÉCNICA

gestão de produção de materiais didáticos


PROFA. LEIDEANA BACURAU

coordenação de design instrucional


PROFA. ANDRÉA CÉSAR PEDROSA

projeto gráfico
ADAUTO HARLEY SILVA

diagramação
MAURIFRAN GALVÃO

designer instrucional
WANNYEMBERG KLAYBIN DA SILVA DANTAS

revisão de língua portuguesa


PROFA. ANA AMÉLIA AGRA LOPES

revisão das normas da ABNT


LUÍS CAVALCANTE FONSECA JÚNIOR

ilustração
RAFAEL EUFRÁSIO DE OLIVEIRA
Catalogação da Publicação na Fonte (CIP).
Ficha Catalográfica elaborada por Luís Cavalcante Fonseca Júnior - CRB 15/726.

L243a Lana, Ana Carolina Martins de.


Abertura de empresas / Ana Carolina Martins de Lana ;
edição e revisão do Instituto Tecnológico Brasileiro (ITB). –
Natal, RN : 2014.
85 p. : il.

ISBN 978-85-68100-32-5
Inclui referências

1. Administração. 2. Abertura de empresas. 3. Organização


de empresas. I. Instituto Tecnológico Brasileiro. II.Título.

RN/ITB/LCFJ CDU 658


“Abrir a primeira empresa
é como ganhar asas! Ser empreendedor é voar!”
(José Caetano de Mattos Neto).
Índice iconográfico

Atividade Vocabulário Importante

Mídias Curiosidade Querendo mais

Você conhece? Internet Diálogos

O material didático do Sistema de Aprendizado itb propõe ao aluno uma linguagem objetiva, sim-
ples e interativa. Deseja “conversar” diretamente, dialogar e interagir, garantir o suporte para o es-
tudante percorrer os passos necessários a sua aprendizagem. Os ícones são disponibilizados como
ferramentas de apoio que direcionam o foco, identificando o tipo de atividade ou material de estudo.
Observe-os na descrição a seguir:

Curiosidade – Texto para além da aula, explorando um assunto abordado. São pitadas de conheci-
mento a mais que o professor pode proporcionar ao aluno.

Importante! – Destaque dado a uma parte do conteúdo ou a um conceito estudado, que seja con-
siderado muito relevante.

Querendo mais – Indicação de uma leitura fora do material de estudo. Vem ao final da competência,
antes do resumo.

Vocabulário – Texto explicativo, normalmente curto, sobre novos termos que são apresentados no
decorrer do estudo.

Você conhece? – Foto e biografia de uma personalidade conhecida pelas suas obras relacionadas
ao objeto de estudo.

Atividade – Resumo do conteúdo praticado na competência em forma de exercício. Pode ser apre-
sentado ao final ou ao longo do texto.

Mídias – Contém material de estudo auxiliar e sugestões de filmes, entrevistas, artigos, podcast e
outros, podendo ser de diversas mídias: vídeo, áudio, texto, nuvem.

Internet – Citação de conteúdo exibido na Internet: sites, blogs, redes sociais.

Diálogos – Convite para discussão de assunto pelo chat do ambiente virtual ou redes sociais.
Sumário
Apresentação institucional 09
Palavra do professor autor 11
Apresentação das competências 13

Competência 01
Identificar os tipos de empresas 17
O que é uma empresa? 17
Setores da economia 18
Tipos de empresas 19
Primeiro caminho - Microempreendedor Individual 19
Segundo Caminho - Empresa de Responsabilidade Limitada 20
Terceiro caminho – Microempresas 22
Quarto caminho – Grandes Empresas 22
Resumo 23
Autoavaliação 23

Competência 02
Identificar as tributações para cada tipo de empresa 27
O que é imposto? 27
Tipos de Impostos 28
Imposto federal 28
Imposto estadual 29
Simples nacional 30
Lucro real 31
Lucro presumido 33
Tributação paga pelo MEI 34
Tributação paga pelo EIRELI 36
Tributação paga pela microempresa 36
Tributação paga pela Empresa de Pequeno Porte e Microempresa 36
Resumo 38
Autoavaliação 38

Competência 03
Listar documentos para o registro da empresa 43
Documentos pessoais 43
Documentos da empresa 43
Junta comercial 44
Oficialização da empresa 45
Prefeitura 46
Inscrição estadual 46
Previdência Social 47
Resumo 69
Autoavaliação 69

Competência 04
Diferenciar marca e patente, analisando a legislação vigente 53
O que é marca? 53
Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) 55
Procedimento para registro de uma marca 55
O que é Patente? 56
Processamento do pedido de registro 56
Resumo 58
Autoavaliação 58

Competência 05
Definira identidade visual 63
O que é identidade visual? 63
Teoria Gestalt 64
Logotipo 67
Slogan 67
Domínio virtual 70
Como registrar o domínio 71
Resumo 71
Autoavaliação 71

Competência 06
Reconhecer a importânciada ética nas empresas 77
Conceito de ética 77
Sociedade 77
Compromisso trabalhista 78
Processo de encerramento de uma empresa 79
Resumo 81
Autoavaliação 81

Referências 83
Conheça o autor 85
Apresentação institucional

Abertura de Empresas
O Instituto Tecnológico Brasileiro (itb) foi construído a partir do sonho de educadores e
empreendedores reconhecidos no cenário educacional pelas suas contribuições no desen-
volvimento econômico e social dos Estados em que atuaram, em prol de uma educação de
qualidade nos níveis básico e superior, nas modalidades presencial e a distância.
Esta experiência volta-se para a educação profissional, sensível ao cenário de desen-
volvimento econômico nacional, que necessita de pessoas devidamente qualificadas para 9
ocuparem vagas de trabalho e garantirem suporte ao contínuo crescimento do setor pro-
dutivo da nação.
O Sistema itb de Aprendizado Profissional privilegia o desenvolvimento do estudante a
partir de competências profissionais requeridas pelo mundo do trabalho. Está direcionado
a você, interessado na construção de uma formação técnica que lhe proporcione rapida-
mente concorrer aos crescentes postos de trabalho.
No Sistema itb de Aprendizado Profissional o estudante encontra uma linguagem clara
e objetiva, presente no livro didático, nos slides de aula, no Ambiente Virtual de Aprendiza-
gem e nas videoaulas. Neste material didático, um verdadeiro diálogo estimula a leitura, o
projeto gráfico permite um estudo com leveza e a iconografia utilizada lembra as modernas
comunicações das redes sociais, tão acessadas nos dias atuais.
O itb pretende estar com você neste novo percurso de qualificação profissional, con-
tribuindo decisivamente para a ampliação de sua empregabilidade. Por fim, navegue no
Sistema itb: um estudo prazeroso, prático, interativo e eficiente o conduzirá a um posicio-
namento profissional diferenciado, permitindo-lhe uma atuação cidadã que contribua para
o seu desenvolvimento pessoal e do seu país.
Palavra do professor autor

Abertura de Empresas
Olá, seja bem-vindo ao mundo da administração de empresas.
Neste estudo, vamos abordar todo o procedimento para criação e registro de uma em-
presa. Este é o primeiro passo para a realização da gestão empresarial, e é nesse momen-
to que são colocados em prática todo o planejamento de um projeto.
Para isso, faz-se necessário seguir alguns passos predefinidos para oficializar o registro
da empresa, sob pena de sofrer graves consequências da sua não legalização, como mul- 11
tas, dificuldades financeiras, entre outros problemas.
Você vai aprender todos os caminhos e atalhos para registrar uma empresa, indepen-
dente da categoria em que ela se encaixa. E, ao longo de todas as competências, você
encontrará várias oportunidades de colocar em prática o que foi aprendido.
A partir de agora, você realizará uma caminhada para a oficialização do negócio, e jun-
tos iremos percorrer passo a passo.
Preparados?
Abertura de Empresas

12
Apresentação das competências

Abertura de Empresas
Como em toda caminhada, iremos fazer um breve alongamento, abordando o conceito
de empresa e seus tipos, veremos o conceito de setores econômicos, desvendaremos a
teoria da empresa e, paralelamente, faremos um estudo da legislação vigente, sobre cada
categoria de empresa. Após a contextualização do tema, vamos percorrer todas as etapas
para criação e registro de uma empresa, apontando de forma clara e objetiva o que deve
ser feito antes, durante, e depois do processo de registro, sendo um guia baseado nas le- 13
gislações vigentes para os diversos tipos de empresa.
Na nossa primeira competência, identificaremos o conceito de empresa e os ramos de
atividade econômica. Além disso, diferenciaremos os tipos de empresa existentes.
Em um momento posterior, na segunda competência, diferenciaremos tributo, imposto
e taxa; e avaliaremos a necessidade de recolhimento de cada uma. Além disso, iremos
estabelecer uma relação entre as tributações recolhidas e os tipos de empresas.
Em nossa terceira competência, listaremos e mostraremos toda a documentação ne-
cessária para a abertura, registro e operação da empresa, e descreveremos todo o cami-
nho para se adquirir a licença para funcionamento.
Na quarta competência, diferenciaremos marca e patente, analisando a legislação vi-
gente. Descreveremos quais os direitos e obrigações da empresa após a consolidação da
marca e do registro da patente.
Na quinta competência, estabeleceremos o conceito de identidade visual, sua impor-
tância para a consolidação da empresa no mercado de consumo, bem como aspectos
importantes a serem considerados no momento de sua formulação.
E, na sexta competência, reconheceremos a importância da ética nas empresas.
Competência
01
Identificar
os tipos de empresas
Identificar
os tipos de empresas
Nesta competência será feito um mapeamento do conceito de empresa, do surgimento
desse termo e dos setores da economia.

O que é uma empresa?


A palavra empresa, apesar de ser muito utilizada, dificilmente é analisada no seu sen-
tido real.

Qual seria a sua definição de empresa?

Abertura de Empresas
Podemos considerar a empresa como uma unidade produtora de bens e serviços,
que visa o desenvolvimento de determinado setor da economia e o lucro econômico.

Desde os primórdios, observamos a presença do ato de comercializar. Porém, a conso- 17


lidação da palavra empresa e os pilares que a sustentam, só surgiram após a Revolução
Industrial, momento em que a empresa assume um papel de extrema importância para o
desenvolvimento da sociedade.

Segundo Requião (2010), o primeiro autor a abordar a empresa a partir de uma teoria
foi Alberto Asquini, que desenvolveu então a Teoria Poliédrica da Empresa, classificando-a
em quatro perfis diferentes, descrito no Quadro 1:

Perfil subjetivo: O empresário é quem exercita Perfil funcional: A empresa é uma atividade que
a atividade econômica organizada, de forma realiza produção e circulação de bens e serviços,
continuada. mediante organização de fatores de produção
(capital, trabalho, matéria prima etc.).
Perfil corporativo: A empresa é uma instituição,
Perfil objetivo (patrimonial): Os bens estão uma organização pessoal, formada pelo
unidos para uma atividade específica, que é o empresário e pelos colaboradores (empregados e
exercício da atividade econômica. prestadores de serviços), todos voltados para uma
finalidade comum.

Quadro 1 – Teoria Poliédrica


Fonte: autoria própria (2014).
De acordo com a figura acima, podemos observar que Asquini estabelece quatro perfis
diferentes para definir uma empresa. Em cada perfil há um enfoque específico para a defi-
nição de empresa.

No perfil subjetivo, a empresa é vista como o próprio empresário, pessoa responsável


pelo processo de gerenciamento da organização; no perfil funcional há um enfoque para a
atividade de produção em si, considerando a empresa como o próprio processo contínuo
de produção.

De acordo com o perfil patrimonial, a empresa é definida pelo estabelecimento em que


é formada, e por todo o conjunto de bens que lhe confere identidade. Por fim, o perfil cor-
porativo define a empresa como um complexo composto pelo empresário e seus colabora-
dores, traçando desta forma, um perfil amplo que interliga o todo, e não somente as partes
como os perfis abordados anteriormente.

De acordo com o Código Civil Brasileiro, a economia adota o perfil funcional, organi-
Abertura de Empresas

zando a produção e circulação de bens e serviços, a partir do alinhamento dos fatores de


produção (matéria prima, capital e trabalho).

Agora que você já sabe o conceito de empresa, vamos analisar o contexto em que ela
pode estar inserida.

18
Setores da economia
Inicialmente, podemos dizer que uma empresa pode estar inserida em setores da eco-
nomia, que estão divididos em 3 grupos: setor primário, setor secundário e setor terciário.

Figura 1 – Setores da economia


Fonte: autoria própria (2014).
Pesquise sobre o desenvolvimento dos três setores da economia no Brasil, e tente
criar hipóteses que justifiquem o crescimento ou diminuição de cada um. Não se
esqueça de compartilhar sua resposta no Fórum.

Tipos de empresas
Uma tarefa que costuma ser bem complexa para um futuro empresário é a escolha
pela classe de empresa que pretende abrir. Para tal, você vai estudar quais os tipos de
empresas existentes e como essas variações são definidas de acordo com os parâmetros
de faturamento anual e número de funcionários.

Agora que você já sabe para onde quer ir, irá descobrir qual o melhor caminho a percor-
rer, evitando quaisquer imprevistos que venham a prejudicar nossa caminhada.

Abertura de Empresas
Para isso vamos traçar o perfil dos quatro tipos de empresas:

Primeiro caminho - Microempreendedor Individual


A primeira categoria a ser estudada e a do Microempreendedor Individual (MEI), que
recebeu especial atenção em 19 de dezembro de 2008 com a consolidação da Lei nº 128,
19
que rege as condições e implicações para o registro nessa categoria (BRASIL, 2008).

As características do Microempreendedor Individual são:

- Ter faturamento anual de, no máximo, 60mil reais;

- Ter, no máximo, um funcionário.

A única restrição para o registro do MEI é que o dono da microempresa não deve ter
vínculos com outra empresa (seja sócio ou titular).

O MEI abrange os autônomos. O baixo custo para se registrar na categoria torna um


grande atrativo, visto que além da legalização o empreendedor irá garantir benefícios pre- Autônomos: São
as pessoas que
videnciários, redução de carga tributária, facilidade para adquirir créditos frente às institui-
trabalham por
ções financeiras, isenção de taxas para o registro da empresa e muitos outros benefícios conta própria,
como: costureiras,
que garantem segurança e estabilidade.
artesãos, padeiro,
animador de fes-
Além disso, o Brasil conta com um órgão responsável por garantir apoio aos empreen-
tas, esteticistas,
dedores: o SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (SEBRAE), manicures, alfaia-
tes, confeiteiros,
que possui uma equipe de funcionários treinados e qualificados para tirar as dúvidas dos
marceneiros e
empreendedores, bem como conduzi-los para um melhor gerenciamento de seus negócios. muitos outros.
São oferecidos diversos cursos profissionalizantes de forma a orientar cada passo de um
empreendimento, além de contar com uma equipe disposta a tirar dúvidas corriqueiras.

Curiosidade
De acordo com o Serviço Brasileiro De Apoio às Micro E Pequenas Empresas
(SEBRAE), (2012[?]), no Brasil, o número de MEIs já ultrapassa 2.600.000

Segundo Caminho - Empresa de


Responsabilidade Limitada
Abertura de Empresas

O segundo tipo de empresa é denominada de Empresa de Responsabilidade Limitada


(EIRELI), podemos considerá-la como um pequeno grupo estabelecido dentro da catego-
ria do MEI.

De acordo com a Lei nº 12.441 de 2011, a EIRELI se caracteriza por ser constituída por
uma única pessoa (assim como no MEI) e a totalidade do capital social deve ser devida-
20
mente integralizado, não sendo inferior a 100 salários mínimos (BRASIL, 2011).

Internet
Acompanhe essa reportagem que faz uma análise desse tipo de empresa.
<http://www.websoftware.com.br/blog-20111122-EIRELI-sera-novo-mo-
delo-de-empresa-individual-limitada-valido-a-partir-2012-sera-avanco-pa-
ra-brasil-e-franquias>.

Vamos entender melhor as particularidades do EIRELI?

- Na categoria EIRELI, diferente do que ocorre no MEI, faz-se necessário um capital so-
cial mínimo integralizado, no valor de 100 salários mínimos, o que totaliza em média 60mil
reais, diferente do que ocorre na categoria MEI em que não há necessidade de um capital
social mínimo.
- Além disso, não há necessidade de sócios na categoria EIRELI, uma grande conquista
alcançada, visto que ate então, todas as categorias necessitavam de sócios ou sociedade.
A figura abaixo aborda de forma resumida as características de todas as categorias de em-
presas, destacando em verde a EIRELI, vamos analisar?

UMA PESSOA NOVA LEI CRIA EMPRESA INDIVIDUAL DE RESPONSABILIDADE LIMITADA

Microempreendedor Empresa Individual de


TIPO DE EMPRESA
Individual (MEI) Responsabilidade Limitada (EIRELI)

FATURAMENTO ANUAL Até R$ 36 mil Livre

Um titular pode ter sociedade com


NÚMERO DE SÓCIOS Apenas um, o titular outra empresa, desde que não seja da
mesma modalidade

RESPONSABILIDADE

Abertura de Empresas
O titular responde
EMPRESARIAL integralmente; não há Remete-se somente ao patrimônio da
separação entre patrimônio empresa; não envolve o patrimônio
pessoal e da empresa pessoal do empresário

CAPITAL SOCIAL Livre Não inferior a 100 vezes o maior salário


mínimo vigente

Figura 2 – EIRELI
Fonte: <http://administracaodeempresa.files.wordpress.com/2012/01/11168714.jpeg>.
Acesso em: 06 nov. 2014.
21

Desta forma, a categoria EIRELI chegou para facilitar o que até então dificultava no pro-
cesso de legalização de muitas empresas. Sendo, portanto, uma ótima alternativa para quem
não deseja colocar em jogo o patrimônio pessoal, diante das obrigações da empresa.

Sua principal característica é a segregação do capital pessoal com as obrigações


da empresa, limitando os riscos. Visto que na MEI o empreendedor responde por
todas as obrigações com o seu patrimônio pessoal, enquanto que na EIRELI há uma
separação, onde os patrimônios pessoais não são ligados às obrigações do empre-
endedor, assim como no próprio nome da categoria, a responsabilidade passa a ser
ilimitada, ao contrário do que acontece com o MEI.
Atividade 02
De acordo com o assunto estudado, você aprendeu que uma EIRELI é um
tipo particular de MEI. Então, comente quais aspectos devem ser analisados
para que o microempreendedor decida o tipo de empreendimento que deve
ser registrado. Não se esqueça de compartilhar sua resposta no Fórum.

Terceiro caminho – Microempresas


A terceira classe de empresas a ser estuda é a das Microempresas (ME), que, de acordo
Abertura de Empresas

com a Lei Geral das Micro e Pequenas empresas, abrange as empresas com receita bruta
anual de até 240mil.

Após a categoria das Microempresas(ME), temos as Empresas de Pequeno Porte


(EPP) que abrange as empresas com faturamento anual superior a R$ 240mil e inferior a
R$2,4milhões.
22

Quarto caminho – Grandes Empresas


O último tipo de empresa que você irá estudar é referente às grandes empresas que são
aquelas que possuem uma maior capacidade produtiva, maior número de funcionários e
consequentemente um maior faturamento.

Para o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2011),uma empresa é con-


siderada de grande porte, se tiver mais de 500 funcionários (no caso da indústria), ou se ti-
ver mais de 100 funcionários (no caso do comércio e de serviços). Porém, há controvérsias
sobre a exatidão do porte da empresa, a partir da quantidade de funcionários.
Capital social: é a
quantidade de di- De acordo com a Lei nº 10.165 de 27 de dezembro de 2000, se enquadra como empre-
nheiro necessário sa de grande porte, a pessoa jurídica que tiver receita bruta anual superior a R$ 12milhões.
para constituir as
atividades de uma Essa categoria de grandes empresas pode ser classificada em Sociedade Anônima -
empresa.
S.A. que são as empresas que possuem o capital social dividido em pequenas parcelas
negociáveis no mercado financeiro (ações).

As Sociedades Anônimas (S.As) podem ainda ser fechadas ou abertas. O art. 4º da


Lei das Sociedades Anônimas diz que “para os efeitos desta lei, a companhia é aberta ou
fechada conforme os valores mobiliários de sua emissão, estejam ou não admitidos à ne-
gociação no mercado de valores mobiliários”. (BRASIL, 211, extraído da internet).

A aberta é aquela em que os valores mobiliários (ações, debêntures, partes benefi-


ciárias etc.) são admitidos à negociação nas bolsas de valores ou mercado de balcão,
devendo, portanto, ser registrada e ter seus valores mobiliários registrados perante a CVM
Valores mobiliá-
(Comissão de Valores Mobiliários), enquanto que a fechada não emite valores mobiliários rios: são títulos
negociáveis nesses mercados. emitidos que
garantem direitos
a quem os recebe.

Internet

Abertura de Empresas
Para acessar a lei na íntegra acesse: <http://www.planalto.gov.br/cci-
vil_03/leis/l6404consol.htm>.

Resumo 23
Ao final deste estudo você aprendeu o conceito de empresa, desvendou os três setores
da economia e a Teoria da Empresa defendida por Asquini.

Além disso, aprendeu a distinguir os tipos de empresa e em qual classe se enquadra a


empresa que você irá abrir. Se tem características de uma Microempresa Individual, uma
EIRELI, uma Microempresa, uma Empresa de Pequeno Porte ou uma Grande Empresa, a
partir dessa definição, vai caminhar para o registro.

Autoavaliação
1. Marque a alternativa que apresenta o ramo da atividade econômica responsável pelo
processo de transformação de matéria prima em mercadoria.

a) Indústria;

b) Serviços;

c) Comércio;

d) Fabricação.
2. Relacione a coluna da esquerda com a coluna da direita.

I - Setor primário;

II - Setor secundário;
a) III,II,I;
III - Setor terciário.
b) I,II,III;
( ) Telemarketing, serviços bancários;
c) III,I,II;
( ) Indústria de automóveis, construtora civil;
d) II,I,III.
( ) Agricultura, pesca, extrativismo vegetal.

3. Marque a alternativa que apresenta o tipo de empresa que deve ter no máximo um fun-
cionário e faturamento anual de até 60mil reais.

a) Microempresa;
Abertura de Empresas

b) EIRELI;

c) MEI – Microempreendedor Individual.

d) LTDA.

24 4. De acordo com a Teoria Poliédrica da Empresa desenvolvida por Asquini, em qual dos
perfis a economia brasileira se enquadra:

a) Perfil funcional;

b) Perfil subjetivo;

c) Perfil corporativo;

d) Perfil objetivo ou patrimonial.

5. Relacione a coluna da esquerda com a coluna da direita

I – Microempreendedor Individual;

II – Empresa de Pequeno Porte;

III – Microempresa.

( ) Faturamento igual ou maior que 240mil ou a) I,II,III;

inferior a 2,4milhões; b) III,I,II;

( ) Faturamento de até 60mil por ano; c) III,II,I;

( ) Faturamento maior que 60mil e menor ou igual a 240mil. d) II,I,III.


Abertura de Empresas
Competência
02 25

Identificar as tributações
para cada tipo de empresa
Identificar as tributações
para cada tipo de empresa
Nesta competência, iremos abordar os diversos tipos de impostos e seus devidos fins,
além de traçar a relação de cada tipo de empresa com a tributação especifica de acordo
com sua categoria. Será nosso segundo passo para a caminhada rumo ao registro de uma
empresa, pois a partir da tributação, você aluno poderá saber em qual categoria a empresa
que irá registrar pode se enquadrar.

O que é imposto?
Os impostos são valores pagos em moeda nacional para o Estado, com a finalidade de

Abertura de Empresas
investir nas principais áreas de necessidades básicas da população: educação, saúde,
transporte, segurança, cultura, obras públicas, entre outros. Esses valores são retirados
da renda do cidadão, do seu patrimônio e sobre tudo o que é consumido. Ou seja, desde
o seu salário, até ao consumir uma água mineral na rua, em tudo se insere a cobrança de
tributos.

27

Fonte: Oliveira (2014).

A palavra imposto, do latim, impositutem significa impor, colocar por imposição a deter-
prestação pecuni-
minada pessoa, como obrigação. Gaston Jeze (1945)definiu imposto da seguinte forma: o ária: pagamento
em dinheiro
imposto é uma prestação pecuniária exigida pela autoridade devida, de modo permanente
e sem remuneração, para cobrir uma função pública necessária.

Agora que sabemos a definição de imposto, vamos estudar os seus tipos.


Tipos de Impostos
Os impostos são divididos, inicialmente, em diretos e indiretos. Os diretos são os impos-
tos que o governo arrecada sobre o patrimônio (bens) e renda (salário, aluguel e rendimen-
tos) do cidadão, são pagos geralmente por declaração feita pela receita federal (órgão do
governo responsável pelo recolhimento dos impostos).

Os indiretos incidem sobre os produtos e serviços consumidos, ao comprar um produto


no mercado, por exemplo, você paga no caixa o imposto indireto que já vem embutido no
valor do produto final.

Fonte: <http://contaazul-prod-webserver.s3.amazonaws.com/blog/wp-content/
uploads/2012/07/o-que-e-lucro-real.jpeg>. Acesso em: 06 nov. 2014.

Atividade 01
Compartilhe no fórum, sua opinião sobre o recolhimento dos impostos dire-
tos no seu país. Você, aluno, os considera justo ou abusivos?

Além da divisão em direto e indireto os impostos possuem outra classificação, relacio-


nada com o órgão que promove o recolhimento, se é o governo federal, o governo estadual
ou municipal. Vamos analisar detalhadamente essa divisão agora:

Imposto Federal
Os impostos federais são aqueles destinados a União.

Dentro da categoria dos impostos federais, temos os seguintes impostos cobrados:


- COFINS: Contribuição para financiamento da Seguridade Social, que é o conjunto de
políticas sociais, cujo fim é amparar e proteger o cidadão e a sua família em situações
como a velhice, a doença e o desemprego;

– CSLL: Contribuição Sobre o Lucro Líquido;

– IRPJ: Imposto de Renda de Pessoa Jurídica;

– IPI: Imposto sobre Produtos Industrializados;

– INSS: Imposto Nacional para a Seguridade Social;

– PIS: Programa de Integração Social.

Imposto Estadual
Como exemplo de um imposto categorizado como estadual, temos:

Abertura de Empresas
– ICMS: Imposto sobre Circulação de Mercadorias, no Brasil este imposto é o mais re-
presentativo, por estar diretamente relacionado a todas as mercadorias que circulam
dentro e fora do país.

Imposto Municipal
De acordo com a Constituição Federal, art. 156, os impostos municipais são: 29

– ISS: Imposto sobre Serviços;

– IPTU: Imposto sobre Propriedade Territorial Urbana;

– ITBI: Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis;

– INSS: Imposto Nacional para a Seguridade Social. (BRASIL, 1988).

Internet
Para acessar na íntegra a Constituição Federal, acesse o link: <http://
www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Neste en-
dereço, você encontrará detalhes sobre todos os impostos citados.
Regimes de tributação
Agora que você já sabe quais os tipos de impostos, vamos analisar os três tipos de
regime de tributação: o Simples Nacional, o Lucro Real e o Lucro Presumido. A escolha do
regime tributário deve ser feita no início de cada ano-calendário (mês de janeiro), e você
deve levar em conta os seguintes aspectos:

– Ramo de atividade da empresa;

– Composição societária;

– Média de faturamento;

– Margem de lucro esperado para os negócios.

Vamos analisar cada regime e suas principais características.

Simples nacional
Abertura de Empresas

O Simples nacional é um regime tributário diferenciado, simplificado e favorecido, pre-


visto na Lei Complementar 123 de 2006, aplicável às Microempresas (ME) e às empresas
de Pequeno Porte (EPP).

30

Internet
Para acessar a lei na íntegra acesse:<http://www.planalto.gov.br/cci-
vil_03/leis/lcp/lcp123.htm>.

Desde a Constituição Federal, em seus artigos 170 e 179, foi dado um tratamento
diferenciado às pequenas e médias empresas, de forma a garantir a sua desoneração e
facilidade, buscando tratar de forma diferenciada a categoria que até então não recebia
grande assistência do governo.

Porém, foi com a Lei nº 9.317 de 1996 que foi criado o Simples Nacional com o objetivo
de unificar os impostos recolhidos pelos municípios, estados, DF e União.

O Simples Nacional é regido por um comitê chamado Comitê Gestor do Simples Nacio-
nal (CGSN) composto por 8 integrantes, sendo estes:

– 04 representantes da União;
– 02 representantes dos Estados e DF;

– 02 representantes do Município.

Sua principal função é recolher os tributos em guia única, através do Documento de


Arrecadação do Simples Nacional (DAS).

Internet
Em 2007, o CGSN listou atividades que são vedadas pelo Simples Nacio-
nal. Acesse o link e veja: <http://www.receita.fazenda.gov.br/Legislacao/
Resolucao/2007/CGSN/Resol06.htm>.

Abertura de Empresas
Vamos listar abaixo as principais vantagens do simples nacional:

– Desoneração e desburocratização;

– Recolhimento único mensal de todos os impostos através do DAS;

– Aplicação de percentuais favorecidos e progressivos (quem lucra mais paga mais), inci- 31
dentes sobre uma única base de cálculo, a receita bruta.

No Brasil temos em média 6 milhões de empresas, sendo 99,1% destas, empresas de


pequeno porte e microempresa, onde 80% são optantes pelo simples, mostrando a forte
presença desse regime de tributação (SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUE-
NAS EMPRESAS, 2012).

Lucro real
O artigo 247 do Regulamento do Imposto de Renda - RIR/99, afirma que lucro real é
o lucro líquido do período de apuração dos tributos, ajustado pelas adições, exclusões ou
compensações prescritas ou autorizadas pela legislação fiscal.

O regime tributário tem como base o faturamento mensal ou trimestral da empresa e incide
apenas sobre o lucro efetivo, não sendo consideradas as outras despesas incidentes.
Internet
Querendo mais acesse: <http://www.receita.fazenda.gov.br/Legislacao/
rir/L2Parte1.htm>.

Vamos analisar abaixo as empresas que por determinação legal devem optar pelo regime
tributário de Lucro Real.

I - cuja receita total, no ano-calendário anterior, seja superior ao limite de R$


78.000.000,00 (setenta e oito milhões de reais) ou a R$ 6.500.000,00 (seis milhões
e quinhentos mil reais) multiplicados pelo número de meses de atividade do ano-
Abertura de Empresas

-calendário anterior, quando inferior a 12 (doze) meses (limite estabelecido pela Lei
12.814/2013);

II – cujas atividades sejam de bancos comerciais, bancos de investimentos, bancos de


desenvolvimento, caixas econômicas, sociedades de crédito, financiamento e inves-
timento, sociedades de crédito imobiliário, sociedades corretoras de títulos, valores
32 mobiliários e câmbio, distribuidora de títulos e valores mobiliários, empresas de ar-
rendamento mercantil, cooperativas de crédito, empresas de seguros privados e de
capitalização e entidades de previdência privada aberta;

III – que tiverem lucros, rendimentos ou ganhos de capital, oriundos do exterior;

IV – que, autorizada pela legislação tributária, usufrua de benefícios fiscais relativos à isen-
ção ou redução do imposto;

V – que, no decorrer do ano-calendário, tenham efetuado pagamento mensal pelo regime


de estimativa, na forma do art. 2 da Lei 9.430/1996;

VI – que explorem as atividades de prestação cumulativa e contínua de serviços de as-


sessoria creditícia, mercadológica, gestão de crédito, seleção e riscos, administração
de contas a pagar e a receber, compras de direitos creditórios resultantes de vendas
mercantis a prazo ou de prestação de serviços (factoring).

VII – que explorem as atividades de securitização de créditos imobiliários, financeiros e


do agronegócio.

Vale ressaltar que também estão obrigadas ao de Lucro Real as empresas imobiliárias.
Curiosidade
Segundo a Receita Federal, 3,5% das empresas do Brasil adotam o regime
tributário de Lucro Real.

Lucro presumido
A palavra presumir, de acordo com o dicionário Aurélio, tem o significado de julgar com
certas possibilidades, considerar como provável, supor, suspeitar. Assim como o sentido
de sua palavra, o lucro presumido se baseia na presunção de lucro recebido pela empresa,
com sua mera aproximação, não há exigência de uma receita bruta mínima, porém o teto
de faturamento atual é de R$78milhões (esse valor foi atualizado em janeiro de 2014 com

Abertura de Empresas
a Lei nº 12.814).

Internet 33
Para analisar a lei na íntegra acesse <http://www.planalto.gov.br/cci-
vil_03/_Ato2011-2014/2013/Lei/L12814.htm>.

O lucro é determinado através da aplicação de um percentual sobre os valores globais


da receita auferida. Na tabela abaixo temos esses percentuais:

Espécies de atividades Percentuais sobre a receita


Revenda a varejo de combustíveis e gás natural 1,6%
- Venda de mercadorias ou produtos;
- Transporte de cargas;
- Atividades imobiliárias;
- Serviços hospitalares;
8%
- Atividade rural;
- Industrialização com materiais fornecidos pelo encomendante;
- Outras atividades não especificadas (exceto prestação de serviços);
Espécies de atividades Percentuais sobre a receita
- Serviços de transporte (exceto o de cargas);
16%
- Serviços gerais com receita bruta até R$ 120.000/ano.
- Serviços profissionais (médicos, dentistas, advogados, contado-
res, auditores, engenheiros, consultores, economistas, etc.);
- Intermediação de negócios;
- Administração, locação ou cessão de bens móveis/imóveis
ou direitos; 32%
- Serviços de construção civil, quando a prestadora não empregar
materiais de sua propriedade nem se responsabilizar pela execu-
ção da obra (ADN Cosit 6/97).
- Serviços em geral, para os quais não haja previsão de percen-
tual específico.
- No caso de exploração de atividades diversificadas, será aplicado
1,6 a 32%
sobre a receita bruta de cada atividade o respectivo percentual.

Tabela 1 – Percentuais recolhidos sobre a receita de cada atividade econômica


Fonte: Portal Tributário ([20--]).
Abertura de Empresas

Analisando a tabela acima, podemos perceber que a maior carga tributária incide sobre
a prestação de serviços.

Tributação paga pelo MEI


34
O MEI se caracteriza por ser uma forma simples e descomplicada de registro, além
de ser a categoria mais barata e com menos incidência de impostos. E, a partir de agora,
vamos traçar passo a passo todos os custos que um MEI terá, desde o seu registro até o
desenvolvimento de sua atividade a cada mês.

Como vimos na primeira competência, o custo para se registrar como MEI é zero, tendo
apenas o pagamento mensal como forma de contribuição, que será totalmente destinado
ao empreendedor individual, para sua aposentadoria.

O pagamento da contribuição mensal do MEI deve ser feito até o dia 20 de cada mês,
através de carnê, em caso de atraso sofrerá uma multa de 0,33% ao dia, chegando essa
multa ao valor máximo de 20%. Vamos listar abaixo o valor pago mensalmente para cada
ramo de atividade.

- R$ 37,20 comércio e indústria;

- R$ 41,20 serviços;

- R$ 42,20 comércio e serviços;


O valor pago mensalmente representa 5% do salário mínimo vigente, variando con-
forme seu ajuste anual. O MEI se caracteriza por ser enquadrado no Simples Nacional,
isento dos tributos federais, tais como Imposto de Renda, PIS, Cofins, Imposto sobre
Propriedade Industrial (IPI) e o CSLL. E, ao efetuar o pagamento mensal o Microempre-
endedor Individual tem acesso a benefícios como auxílio maternidade, auxílio doença,
aposentadoria, entre outros.

O Microempreendedor Individual tem como despesas legalmente estabelecidas,


APENAS, o pagamento mensal de R$ 36,20 (INSS), acrescido de R$ 5,00 (pres-
tadores de serviço) ou R$ 1,00 (comércio e indústria) por meio de carnê emitido
através do Portal do Empreendedor, além de taxas estaduais/municipais que de-
vem ser pagas dependendo do estado/município e da atividade exercida (Fonte:
<http://www.portaldoempreendedor.gov.br/mei-microempreendedor-individual>.

Abertura de Empresas
Acesso em: 06 nov. 2014.).

Vamos analisar, agora, o custo que o MEI terá ao contratar um funcionário (limite para
a categoria).

- 3% de contribuição previdenciária patronal;


35
- Retenção de 8% de contribuição previdenciária;

- Base de cálculo: 01 salário mínimo vigente ou o piso da categoria.

Fazendo uma análise minuciosa dos valores acima, teremos um custo total com o fun-
cionário de R$ 760,00.

Vamos calcular?

Previdência Patronal (3%) R$ 22,80

FGTS (8%) R$ 60,80

Salário mínimo R$ 760,00

TOTAL R$ 843,60

Desta forma, o gasto final de um MEI que contrata um funcionário, será de R$ 760,43
+ a mensalidade de acordo com seu ramo de atividade.

Caso o MEI faça compra de suas mercadorias em outro estado, sofrerá a incidência do
imposto estadual que é o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias (ICMS), desta forma,
tem um maior incentivo a comercialização local.
Tributação paga pelo EIRELI
Como visto em nossa primeira competência, em janeiro de 2012 entrou em vigor a Lei
nº 12441 que criou a Empresa Individual de Responsabilidade Limitada, devendo ser cons-
tituída pela integralização de seu capital, no valor total de 100 salários mínimos vigentes,
atualmente em R$ 62.200,00. Mas você deve estar se perguntando: o que significa isso?
Significa que para abrir uma EIRELI, ao contrário do que acontece no MEI, faz-se necessário
um capital pré determinado pela lei, nesse caso, no valor de R$ 62.200,00 o que restringe
bastante a inserção nesta categoria.

Vale destacar que o regime de tributação por sua vez, deve ser trimestral, podendo ser
calculada sobre o lucro real ou lucro presumido, de acordo com o faturamento:

- Receita bruta acima de 78milhões – lucro real;

- Empresas com faturamento até 78milhões – lucro presumido.


Abertura de Empresas

Tributação paga pela microempresa


A microempresa possui tributação de bens com alíquotas especiais: 0,00 de Imposto
de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ)e CSLL para comércio, indústria e maioria dos serviços
prestados. Para saber qual a alíquota específica que será utilizada, deve-se levar em consi-
36 deração a receita bruta dos últimos 12 meses e aplicar com os valores das tabelas de I a V.

Analise os exemplos a seguir:

ENQUADRAMENTO
MICROEMPRESA
LIMITES EM R$
IMPOSTOS E 60.000,01 A 90.000,01 A
ATÉ 60.000,00
CONTRIBUIÇÕES 90.000,00 120.000,00
PERCENTUAIS POR FAIXA DE RECEITA BRUTA ACUMULADA %
IRPJ ZERO ZERO ZERO
PIS/PASEP ZERO ZERO ZERO
CSLL ZERO 0,40 1,00
COFINS 1,80 2,00 2,00
CONTRI/PREV 1,20 1,60 2,00
SUBTOTAL I 3% 4% 5%
ICMS E/OU ISS ATÉ 1,00
TOTAL GERAL 4,5% 5,5% 6,5%

Quadro 2 – Percentuais de recolhimento de cada imposto


Fonte: Brasil (2012).
Tributação paga pela Empresa de Pequeno
Porte e Microempresa
As pequenas empresas, com receita bruta anual de até 2,4 milhões de reais, podem
optar entre o regime do Lucro Real, Lucro Presumido ou o Regime Especial Unificado de
Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pe-
queno Porte, conhecido como Simples Nacional.

Em qualquer uma das situações acima, a empresa estará sujeita ao recolhimento dos
seguintes tributos sobre as suas operações:

– IRPJ;

– CSLL;

– PIS;

– COFINS;

Abertura de Empresas
– Contribuição Previdenciária;

– IPI (caso desenvolva atividade industrial);

– ICMS (caso atue na atividade de comércio, transporte ou comunicação);

– ISS (caso seja uma prestadora de serviços).


37
O Regime do Lucro Real costuma ser o mais oneroso para empresas desse porte. Em
razão disso, o mais comum é que se opte pelo Regime do Simples Nacional ou até mesmo
pelo Lucro Presumido.

Nesta tributação, as alíquotas do IRPJ e da CSLL são aplicadas sobre um percentual


determinado da receita bruta da empresa. Já no regime do Simples Nacional, os tributos
são recolhidos de forma unificada, com a aplicação de alíquotas que variam de acordo com
o valor da receita bruta, conforme a Lei Complementar nº 123/06, que regula o simples.
Figura 3 – Quantidade de micro e pequenas empresas no Brasil
Fonte: <http://www.diegomaia.com.br/blog/wp-content/uploads/numero-de-micro-empre-
sas-no-Brasil.jpg>. Acesso em: 06 nov. 2014.
Abertura de Empresas

Resumo
Ao final deste estudo você aprendeu o conceito de imposto, bem como os seus diver-
sos tipos. Além disso, traçou uma relação direta com cada tipo de empresa e seu devido
38 regime de tributação, um estudo de fundamental importância para desvendar a melhor
opção tributária para a empresa que você aluno irá abrir, como forma de garantir uma total
legalidade e cumprimento das obrigações junto ao governo.

Autoavaliação
1. Relacione a coluna da direita com a coluna da esquerda.

I – Imposto federal;

II – Imposto estadual;

III - Imposto municipal.

( ) IPI;

( ) ICMS;

( ) ISS;

( ) PIS.
a) I, II, III,III;

b) II,I,I,II;

c) III,II,II,I;

d) I, II, III, I.

2. Maria é doceira e deseja se cadastrar como MEI, assinale a alternativa que apresenta o
valor que deverá ser pago mensalmente, visto que ele se enquadra no ramo de presta-
ção de serviços.

a) R$ 36,20;

b) R$ 41,20;

c) R$ 37,20;

Abertura de Empresas
d) R$ 45,00.

3. Marque a alternativa que apresenta o valor recolhido pelo MEI para a contribuição pre-
videnciária de seu funcionário.

a) 3%;
39
b) 8%;

c) 7%;

d) 5%.

4. Marque a alternativa que apresenta o regime de tributação unificado, diferenciado e


simplificado abordado na lei complementar 123.

a) Lucro presumido;

b) Lucro real;

c) Simples nacional;

d) Imposto federal.

5. Assinale a alternativa que apresenta o regime tributário que tem como base de cálculo
o lucro efetivo auferido pela empresa.

a)Lucro real;
b)Lucro simples;

c)Lucro presumido;

d)Simples nacional.
Abertura de Empresas

40
Abertura de Empresas
Competência
03 41

Listar documentos
para o registro da empresa
Listar documentos
para o registro da empresa
Nesta competência, iremos abordar toda a documentação necessária para o proces-
so de registro de uma empresa, um passo primordial para o início das atividades de
forma eficiente.

Vamos listar todos os órgãos responsáveis pelo registro de cada etapa em específico.
Lembrando que cada estado ou município atende a uma legislação específica, porém ire-
mos conhecer detalhadamente a documentação que é comum a todos:

Documentos pessoais

Abertura de Empresas
Podemos fazer uma divisão em duas categorias de documentação necessária para o
registro de uma empresa, a primeira se enquadra nos documentos pessoais de quem re-
presenta a empresa e dos seus sócios, devendo ser disponibilizado 02 (duas) cópias au-
tenticadas de:

- Identidade (RG); 43
- CPF;

- Comprovante de residência.

Vale ressaltar que, no momento de apresentação da documentação, não serão aceitos


documentos que apresentem identificação do número de identidade e CPF juntos, sendo
necessária a apresentação de ambos, separadamente

Documentos da empresa
Na segunda categoria de documentos necessários para o registro, temos os documen-
tos da empresa, que são:

- Contrato social;

- Contrato de locação do imóvel;

- 02 (duas) cópias autenticadas do IPTU;


O contrato social é um documento que contém as principais informações da empresa
como: objetivo, ramo, aspecto societário e formação do capital social.

Querendo mais
Vá até o AVA, e na opção “arquivos anexos” você terá um exemplo de Con-
trato social.

Após o recolhimento de toda a documentação necessária, faz-se o encaminhamento


destes para cada órgão específico: junta comercial, prefeitura, previdência social e secre-
taria da fazenda.
Abertura de Empresas

Vamos verificar abaixo todos os caminhos e destinos a serem percorridos separa-


damente.

Junta Comercial
44 Vamos começar, agora, o estudo dos órgãos que devemos comparecer com os do-
cumentos listados acima. O primeiro órgão analisado será a Junta Comercial, órgão
presente em todos os estados e que tem a finalidade de efetivar os serviços de registro
das empresas.

Fonte: <https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xaf1/v/t1.0-9/s720x720/552005_37
4660252567954_444640389_n.jpg?oh=2f1d3f24210d1515d7b33bb899c17684&oe=54DF5D
EA&__gda__=1425048245_ca4467304ff5b74f00508c8085da3ed9>. Acesso em: 06nov. 2014.

O primeiro passo deve ser o de comparecer até a Junta Comercial ou cartório de registro
de pessoa jurídica, para verificar a disponibilidade do nome comercial para seu posterior
registro, visto que, caso já tenha alguma empresa registrada com o nome escolhido, deverá
ser escolhido outro nome.

Oficialização da empresa
Após a verificação do nome comercial, seguimos para o processo de oficialização da
empresa, e para isso é exigido os seguintes documentos:

– Contrato social;

– Cópia autenticada do RG e CPF;

– Ficha de Cadastro Nacional (FCN) 1 e 2 em uma via. Essa ficha corresponde às prin-
cipais informações da empresa, devendo ser preenchida através do site da Junta Co-
mercial do estado de registro. Após a ficha ser preenchida, deverá ser informado o
código de Classificação Nacional de Atividades Econômicas, verificado de acordo com

Abertura de Empresas
as divisões listadas na tabela de Classificação Nacional de Atividades Econômicas
(CNAE).

– Pagamento de taxas por meio de guia de recolhimento.

45
Querendo mais
Vá até o AVA, e na opção arquivos anexos, você terá um exemplo de Ficha
de Cadastro Nacional (FCN).

O processo de formalização do Microempreendedor Individual (MEI) é feito gratuitamen-


te acessando o site do Portal do Empreendedor (<http://www.portaldoempreendedor.gov.
br/), sendo um processo simples quando comparado com as outras categorias de empresa.

Após a oficialização da empresa, será disponibilizado o Número de Identificação de


Registro da Empresa (NIRE), podendo ser disponibilizado por carimbo ou selo. E, em posse
deste número, o próximo passo será o cadastro da empresa como contribuinte. Isso requer
estar em dia com as obrigações fiscais. Em outras palavras a empresa deve ser contribuin-
te, garantindo sua plena capacidade de funcionamento. Esse registro deve ser feito no site
da Receita Federal (<http://www.receita.fazenda.gov.br/>).

Todos esses procedimentos fazem com que a empresa obtenha uma inscrição no Ca-
dastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), representado por um número que identifica a
empresa, equivalente ao número do CPF para nós pessoas físicas.
Abertura de Empresas

Fonte: <http://www.feconmg.org.br/imagens/noticias/noticia78/270.jpg>.
Acesso em: 06 nov. 2014

Após todo o processo de recolhimento da documentação necessária, registro do


CNPJ, faz-se necessário a autorização de alguns órgãos específicos, dos quais vamos
tratar agora:
46

Prefeitura
Para o funcionamento do estabelecimento comercial, deve-se constatar a autorização
da prefeitura para tal atividade, sendo necessária a apresentação de certos documentos.

O alvará de funcionamento pode ser feito na Prefeitura, Administração Regional ou Se-


cretaria Municipal da Fazenda, sendo necessário apresentar alguns documentos:

– Formulário próprio da prefeitura;

– Consulta prévia de endereço aprovada;

– Cópia do CNPJ;

– Cópia do contrato social;

– Laudos dos órgãos de vistoria.

Inscrição estadual
A inscrição estadual da empresa deve ser feita na Secretaria da Fazenda e a torna con-
tribuinte do ICMS. Para isso é necessáriaà apresentação dos seguintes documentos:

– DUC: Demostrativo Unificado do Contribuinte, que informa todos os pagamentos dos


tributos municipais - em aberto e pagos - servindo como comprovante de quitação das
obrigações fiscais do município (3 vias);

– DCC: Declaração de Colheita e Comercialização emitida para empresas envolvidas com


atividades agrícolas (1 via);

– Comprovante de residência dos sócios (cópia autenticada ou original);

– Cópia autenticada do contrato de locação ou escritura pública do imóvel;

– Número de cadastro do contador;

– Cópia do CNPJ;

– Cópia do ato constitutivo;

– Identidade e CPF dos sócios.

Abertura de Empresas
Previdência Social
Para o funcionamento pleno, a empresa deve cumprir com todas as suas obrigações
previdenciárias frente aos seus funcionários, como medida de responsabilidade e compro-
misso com o estado. 47
Desta forma, deve realizar o cadastro na Agência da Previdência, no prazo máximo de
30 dias após o início das atividades.

Vamos relembrar os órgãos responsáveis por cada registro?

Fonte: <http://www.significados.com.br/foto/registro-de-empresa-af_bg.png>. Acesso em: 06 nov. 2014.


Por fim, deve-se solicitar a autorização para a emissão de notas fiscais. Lembrando
que as empresas prestadoras de serviços devem comparecer à prefeitura e empresas do
comércio e as indústrias devem comparecer à Secretaria Estadual da Fazenda.

Prefeitura → Prestadoras de serviços.

Secretaria da Fazenda → Empresas do comércio e indústria.

Resumo
Nesta competência, percorremos o terceiro passo para o registro da empresa, verificando
toda a documentação necessária para a oficialização e liberação das atividades empresariais.

Verificamos os principais órgãos que devem autorizar o funcionamento do estabeleci-


mento, bem como a apresentação de documentos específicos, em suas devidas quantida-
des e formas de apresentação.
Abertura de Empresas

Autoavaliação
1. Marque a alternativa que apresenta a documentação pessoal necessária para o proces-
so de registro de uma empresa.

a) Contrato social e CPF;


48
b) Alvará de funcionamento e contrato social;

c) Identidade, CPF e comprovante de residência;

d) Somente contrato social.

2. Assinale qual o documento que apresenta o objetivo da empresa, seu ramo de atividade,
aspecto societário e formação do capital social.

a) Alvará de funcionamento;

b) Contrato social;

c) Ficha de cadastro nacional;

d) NIRE – Número de Inscrição de Registro da Empresa.

3. Identifique nas alternativas abaixo, a que apresenta o órgão responsável pelo forneci-
mento do NIRE- Número de Inscrição de Registro da Empresa.
a) Junta comercial;

b) Prefeitura;

c) Previdência social;

d) Secretaria da fazenda.

4. Para o pleno funcionamento, a empresa deve se cadastrar para garantir todas as contri-
buições sociais de seus funcionários.Marque a alternativa que apresenta o órgão res-
ponsável por este registro:

a) Secretaria da fazenda;

b) Previdência social;

c) Junta comercial;

Abertura de Empresas
d)Prefeitura.

5. Relacione a coluna da esquerda com a da direita.

I – Documentos pessoais;

II – Documentos da empresa.
49
( ) Contrato social;

( ) CPF;

( ) Contrato de locação;

( ) Comprovante de residência.

a) I,I,II,II;

b) II,I,II,I;

c) I,I,I,II;

d) I,II,II,II.
Abertura de Empresas
Competência
04 51

Diferenciar marca
e patente, analisando a legislação vigente
Diferenciar marca
e patente, analisando a legislação vigente

Vivemos em um mundo repleto de produtos e uma diversidade de marcas para o que


procuramos consumir. Ao comprarmos um celular, por exemplo, temos uma enorme varie-
dade de marcas, cada uma com suas especificidades.

Ao entrar em um mercado, procuramos o produto que desejamos em setores específi-


cos, são prateleiras repletas de produtos com a mesma finalidade, porém feitos de forma
distinta e com o diferencial de cada marca.

São constantes as escolhas feitas de acordo com a preferência da marca ou até mesmo

Abertura de Empresas
a consolidação desta no mercado, segundo Aaker (1998) as pessoas tendem a comprar
uma marca conhecida, pois se sentem confortáveis com o que lhes é familiar.

E para todo esse processo de reconhecimento e consolidação no mercado, faz-se ne-


cessário o processo de registro da marca, bem como o processo de patentear o produto,
esses assuntos serão tratados nesta competência.

Mas você sabe o significado de marca e patente? 53

O que é marca?
De acordo com Kotler (1998), marca é um nome, termo, sinal, símbolo ou combinação
desses componentes que tem o propósito de identificar bens ou serviços e diferenciá-los
dos concorrentes.

Constantemente, nos deparamos com uma grande quantidade de marcas no


mercado,onde cada uma delas busca se manter competitiva, almejando constantemente o
maior número de clientes possível.

São diversos os fatores de escolha de uma marca frente à outra. Em alguns casos
temos o preço como fator diferencial, em outros temos a qualidade do produto, o status
oferecido pela marca, e assim nos deparamos com diversas opções de produtos, de acordo
com o que cada marca tem a oferecer.

A marca pode ser constituída por letras, nomes, símbolos ou a combinação destes ele-
mentos.
De acordo com a legislação brasileira, as marcas podem ser divididas de acordo com a
sua natureza e sua apresentação. Vamos analisar os quadros abaixo:

Em função de sua natureza, as marcas podem ser:

A marca usada para distinguir produto de outro idêntico, semelhante ou


Marca de Produto afim, de origem diversa.
A marca usada para distinguir serviço de outro idêntico, semelhante ou
Marca de Serviço
afim, de origem diversa.
A marca usada para atestar a conformidade de um produto ou serviço
com determinadas normas ou especificações técnicas, notadamente
Marca de Certificação
quanto a qualidade, natureza, material utilizado e metodologia
empregada.
A marca usada para identificar produtos ou serviços provindos de
Marca coletiva
membros de um determinado grupo ou entidade.

Quadro 3 – Tipos de marcas de acordo com sua natureza


Fonte: Brasil (1996).
Abertura de Empresas

Quanto à apresentação, podemos dividir as marcas em:

A marca composta exclusivamente por letras e/ou números do nosso


Marca Nominativa alfabeto, sinais gráficos e de pontuação.
A marca composta exclusivamente por elementos figurativos, que
Marca Figurativa
podem ser desenhos ou letras de outro alfabeto.
54
A marca composta por uma mistura de elementos nominativos e
Marca Mista
figurativos.
A marca composta pela forma plástica de um produto ou de embalagem
Marca Tridimensional que seja distintiva, podendo conter também, elementos figurativos e
nominativos.

Quadro 4 – Tipos de marca de acordo com sua apresentação


Fonte: Brasil (1996).

Atividade 01
Aponte uma marca de produto que você faça uso regularmente. Cite dois mo-
tivos pelos quais você a usa, frente a concorrência.

A propriedade sobre uma marca é obtida através do registro concedido pelo Instituto
Nacional de Propriedade Industrial (INPI), esse registro assegura ao responsável pela mar-
ca, o uso exclusivo desta em todo o território nacional, podendo ser utilizado por outras
pessoas por meio de autorização.O registro da marca vigora por 10 (dez) anos, sendo pror-
rogado por igual período, quantas vezes o proprietário da marca desejar.
Instituto Nacional de Propriedade
Industrial (INPI)
O INPI é uma autarquia federal, criada em 1970 e vinculada ao Ministério do Desenvol-
vimento, Indústria e Comércio Exterior. Dentre suas atividades, temos o registro de:

– Marcas;

– Desenhos Industriais;

– Programas de Computador;

– Topografias de Circuito.

Além disso, o INPI é responsável pelo processo de concessão de patentes e averbações


de contrato de franquia e das distintas modalidades de transferências tecnológicas.

Procedimento para registro de uma marca

Abertura de Empresas
O primeiro passo para o registro de uma marca consiste na busca previa se o nome já
esta sendo utilizado, essa pesquisa deve ser realizada no site do INPI <http://www.inpi.
gov.br/portal/>.

Após a pesquisa e a confirmação de que o nome da marca está disponível, você deve
realizar um cadastro no site para ter acesso através de login e senha. Para efetivar o cadas- 55
tro, você deve preencher uma ficha com informações pessoais.

Posteriormente ao cadastro e preenchimento da ficha,você deverá encaminhar a se-


guinte documentação, juntamente com o comprovante de pagamento da Guia de Recolhi-
mento da União(GRU):

– Formulário de registro da marca;

– Comprovante de pagamento;

– Imagem digital da marca.

Os valores de registro da marca variam de R$ 142,00 a R$ 530,00.

Internet
Para analisar os valores para registro de uma marca, acesse o site do INPI:
<http://www.inpi.gov.br/images/docs/marcas_2.pdf>.
O que é Patente?
Patente é um título de propriedade que confere ao seu titular o direito de exclusividade
de exploração de uma invenção, em um determinado território, por um limitado período de
tempo em troca da descrição da invenção.

As patentes podem ser de dois tipos:

– Patente de Invenção: produtos ou processos que atendam aos requisitos de atividade


inventiva, novidade e aplicação industrial. Tem validade de 20 anos a partir da data de
depósito.

– Modelo de Utilidade: objeto de uso prático, suscetível de aplicação industrial, que apre-
sente nova forma ou disposição, envolvendo ato inventivo, que resulte em melhoria
funcional no seu uso ou em sua fabricação. Tem validade de 15 anos, a partir da data
de depósito.
Abertura de Empresas

De acordo com a Lei da Propriedade Industrial, Art. 8, para ser patenteável, deve-se
atender aos requisitos de:

– Novidade absoluta;

– Atividade inventiva;

– Aplicação industrial.
56
Desta forma, para ser registrado como patente, deve-se seguir o padrão acima, repre-
sentando uma novidade absoluta que não esteja presente no mercado, uma atividade
inventiva e uma aplicação industrial que apresente todos os processos utilizados para a
criação do objeto de patente, inclusive a atividade humana a ser utilizada.

Internet
Para ter acesso a Lei da propriedade industrial na íntegra, acesse o site do
INPI <http://www.inpi.gov.br/images/docs/marcas_2.pdf>.

Processamento do pedido de registro


O processamento do pedido de registro da marca consiste na chave do processo, visto
que, nesta etapa, é verificada se todas as condições estabelecidas estão em conformidade
para se dar continuidade ao processo e garantir a exclusividade sobre a marca.

Na etapa de processamento, são verificadas se todas as condições estão em conformi-


dade e livres para o registro. Caso todas as condições estejam em conformidade, o pedido
de registro será publicado na Revista da Propriedade Industrial (RPI), tornando público o
processo de registro, garantindo desta forma, a intervenção e contestação de terceiros
no prazo de até 60 (sessenta dias), que possam ter seus interesses prejudicados com tal
registro.

Transcorridos os 60 (sessenta dias) sem nenhuma contestação, o pedido de registro


passa para a etapa seguinte, a etapa do exame de registrabilidade, que consiste na anali-
se técnica do pedido, podendo ser formuladas exigências que devem ser respondidas no
prazo de 60 (sessenta dias).

Em todas as etapas, tem-se como base o princípio da especialidade de marcas, que


busca garantir a não colidência com outra marca já registrada no mesmo segmento. Assim

Abertura de Empresas
como, caso as exigências não sejam respondidas, o registro será arquivado.

Transcorridas as duas etapas acima, teremos a conclusão do exame que poderá ter
como resposta: sobrestamento, deferimento ou indeferimento.

Vamos analisar pelo Quadro abaixo:

Pagar as taxas finais para expedição do 57


Seu pedido de registro de marca certificado e proteção ao primeiro decênio,
Deferimento obedecendo aos prazos legais (ordinário ou
foi aprovado
extraordinário).
(consulte a tabela de retribuições).
Caso deseje, o usuário pode recorrer desta
Seu pedido de registro de marca deci-são, apresentando uma petição de
Indeferimento foi negado recurso contra o indeferimento do pedido de
registro. (consulte a tabela de retribuições).
Seu pedido de registro de marca
se encontra momentaneamente
paralisado, por existirem Acompanhar o seu pedido de registro de
Sobrestamento
anterioridades pendentes de marca.
decisão.

Quadro 5 – Resultados do exame de registrabilidade


Fonte: Inpi (2012[?]).

Após o processo de deferimento do registro, o responsável pagará o valor referente a


documentação, tendo desta forma o prazo de 10 (dez) anos para uso exclusivo da marca,
podendo prorrogar por igual período.

Todo o processo de registro pode ser acompanhado pelo site do INPI <http://www.inpi.
gov.br/portal/>.
Resumo
Nesta competência, tratamos do conceito de marcas e patentes, bem como o caminho
que deve ser percorrido para o processo de registro destes, de forma a garantir o uso exclu-
sivo e autonomia para quem a registra.

Apresentamos os dois caminhos percorridos para a então liberação do registro da


marca, analisando os prazos definidos, bem como as possíveis conclusões de pedido:
deferimento,indeferimento e sobrestamento.

Autoavaliação
1. Nome, termo, sinal, símbolo ou combinação dos mesmos, que tem o propósito de iden-
tificar bens ou serviços e diferenciá-los dos concorrentes.

O conceito acima se refere a:


Abertura de Empresas

a) Produto;

b) Marca;

c) Patente;

d) Logotipo.
58

2. Título de propriedade que confere a seu titular o direito de exclusividade de exploração


de uma invenção, em um determinado território, por um limitado período de tempo, em
troca da descrição da invenção.

O conceito acima se refere a:

a) Marca;

b) Logomarca;

c) Patente;

d) Slogan.

3. Marque a alternativa que apresenta o instituto responsável pelo processo de registro


das marcas.

a) IBGE;

b) Receita Federal;
c) Sebrae;

d) INPI – Instituto Nacional de Propriedade Industrial.

4. De acordo com a Lei da Propriedade Industrial nº 9279 é patenteável a invenção que


atenda aos requisitos de:

I – Planos comerciais;

II – Novidade;

III – Métodos de ensino;

IV – Atividade inventiva;

V – Aplicação industrial.

a) II, IV e V;

Abertura de Empresas
b) I, II e III;

c) III,IV e V;

d) I,IV e V.

5. Marque a alternativa que apresenta o prazo de duração de registro de uma marca. 59


a) 10 anos;

b) 20 anos;

c) 2 anos;

d) 5 anos.
Abertura de Empresas
Competência
05 61

Definir
a identidade visual
Definir
a identidade visual
Em nosso dia a dia, constantemente nos deparamos com situações em que precisamos
constatar quem somos, seja para efetuar uma assinatura de contrato, seja para realizar
uma inscrição. Nestas situações rotineiras que exigem de nós uma identificação.

Da mesma forma, as empresas também necessitam de algo que as identifique e as


façam conhecidas pelo o que são e pelo o que representam. No mundo empresarial, cha-
mamos isso de identidade visual.

Nesta competência, vamos tratar do conceito de identidade visual, as teorias que em-
basam seu estudo e técnicas para a formação de uma identificação harmoniosa. Além

Abertura de Empresas
disso, iremos tratar do domínio virtual, uma ferramenta usada cada vez mais por toda a
sociedade, como alternativa de presença comercial.

O que é identidade visual?


Segundo Ribeiro (1987), a identidade visual é um conjunto sistematizado de elemen-
63
tos gráficos que identificam visualmente uma empresa, uma instituição, um produto ou
um evento, personalizando-os, tais como logotipo, um símbolo gráfico, uma tipografia, um
conjunto de cores.

Assim como acontece com as pessoas, a identidade visual retrata o ser da empresa,
devendo ser levados em consideração diversos aspectos na hora de sua elaboração, como
por exemplo:

– Cultura da empresa;

– Posicionamento no mercado;

– Objetivos;

– Foco;

– Missão.

Desta forma, de acordo com as informações acima, o designer gráfico, profissional ca-
pacitado para desenvolver a identidade visual, estabelecerá formas de desenvolver um
trabalho enraizado às características da empresa.
Teoria Gestalt
A teoria Gestalt tem sua origem na Alemanha em 1523, tendo como base a tradução
da palavra Gestalt, que de acordo com a bíblia significa o que é colocado diante dos olhos.

Hoje, abordada no mundo inteiro, a teoria Gestalt busca integralizar as partes em opo-
sição ao todo, ou seja, busca analisar a multiplicidade de interpretações.

Analise a figura 3 abaixo:


Abertura de Empresas

Figura 3 – Exemplo da lei de Gestalt


Fonte: <http://chocoladesign.com/wp-content/uploads/2014/01/RubinGestalt.gif>.
Acesso em: 07 nov. 2014.

64 Podemos perceber, que há duas formas de percepção da imagem, uma delas apresenta
dois perfis de um rosto, a segunda representa uma taça. Desta forma, a Teoria Gestalt bus-
ca identificar a percepção de um todo junto com a percepção das partes.

Abaixo temos os sete fundamentos básicos da Gestalt:

– Continuidade: é a impressão visual de como as partes se sucedem através da organiza-


ção perceptiva da forma.

Fonte: <http://prismacores.files.wordpress.com/2012/11/continuidade.
png?w=300&h=190>. Acesso em: 07 nov. 2014.
– Segregação: quando há percepção de separar e identificar um elemento.

Fonte: <http://prismacores.files.wordpress.com/2012/11/segregacao1.
png?w=267&h=300>. Acesso em: 07 nov. 2014..

– Semelhança: os objetos similares se agruparão entre si.

Abertura de Empresas
65

Fonte: <http://prismacores.files.wordpress.com/2012/11/semelhanca.
png?w=300&h=294>. Acesso em: 07 nov. 2014.

– Unidade: um conjunto de elementos menores em certa ordem, forma uma imagem maior

Fonte: <http://prismacores.files.wordpress.com/2012/11/img-unificacao.
png?w=300&h=300>. Acesso em: 07 nov. 2014.
– Proximidade: os elementos próximos tendem a se agrupar, constituindo uma unidade.
Abertura de Empresas

Fonte: <http://prismacores.files.wordpress.com/2012/11/img-unificacao.
png?w=300&h=300>. Acesso em: 07 nov. 2014.

66

Fonte: <http://prismacores.files.wordpress.com/2012/11/pregnancia.
png?w=300&h=247>. Acesso em: 07 nov. 2014.

– Fechamento: obtém-se a sensação de fechamento visual pela continuidade de elemen-


tos numa ordem estrutural definida.

Fonte: <http://prismacores.files.wordpress.com/2012/11/fechamento.
png?w=276&h=300>. Acesso em: 07 nov. 2014.
Atividade 01
Pesquise exemplos de uma identidade visual de algumas empresas e, jun-
to com o que mais lhe chama atenção, vá ate o fórum e compartilhe essas
imagens com os seus colegas.

Logotipo
Logotipo é um símbolo constituído por uma palavra graficamente particularizada que
gera associações sucessivas. De modo a garantir uma ligação do logotipo com sua marca.

O logotipo pode ser representado graficamente em desenho, por elementos gráficos e


tipografia (tipos de letra), ou por apenas um deles. Em alguns exemplos, temos logotipos

Abertura de Empresas
apenas definidos pela tipografia, como os exemplos abaixo:

67

Em outros casos, temos logotipos que apenas a forma gráfica já gera uma associação
automática do que foi visto, com a marca específica.

Slogan
O slogan, palavra em inglês, que traduzida ao pé da letra significa grito de guerra, deve
ser representada por uma palavra ou frase curta e de fácil memorização, gerando uma
associação à empresa ou produto, e garantindo uma publicidade forte.

Vamos analisar abaixo alguns exemplos:


Nos exemplos acima, percebemos que, além do logotipo, temos frases ou palavras que
complementam a imagem. No caso da loja C&A, temos a frase “Abuse e Use” como forma
de atrair o público ao consumo de suas mercadorias.

No caso do Bombril, temos a frase: 1001 utilidades, de forma a representar ao consu-


midor que o produto pode ser usado para várias atividades.
Abertura de Empresas

Desta forma, o slogan serve como complemento ao logotipo, criando uma publicidade
com a finalidade de chamar atenção do consumidor e mostrar seu diferencial frente aos
concorrentes.

68

Atividade 02
No comércio da sua cidade existem marcas e empresas locais, compar-
tilhe com seus colegas no fórum dois exemplos de slogan que, em sua
opinião, geram uma associação direta ao produto.

Agora que sabemos o que significa logotipo e slogan, vamos fazer uma análise sobre
uma ferramenta bastante utilizada para o realce da marca frente a concorrência, a COR,
pois além de um logotipo e slogan bem feito, a escolha da cor ideal garante a harmonia do
objetivo da empresa com o público-alvo.Vamos analisar no próximo tópico.

Constantemente, profissionais da área de publicidade e propaganda, bem como pro-


fissionais de design e psicologia, estudam e analisam o impacto das cores nas pessoas.
Tanto no sentido de influenciá-las como no sentido de gerar desejos e vontades.
Desta forma, no momento de elaboração de uma logomarca, deve-se atentar para a es-
colha das cores a serem utilizadas, levando em consideração o objetivo da empresa, bem
como sua ideologia e perfil.

Na figura abaixo, vamos analisar o impacto das cores em quem a visualiza.

Abertura de Empresas
Figura 8 – Guia emocional das cores
Fonte: <http://2.bp.blogspot.com/-xWOKbaMvGhI/UdYFqIqfaMI/AAAAAA
AACZA/H5dg7VdshYA/s960/cores-criativas.jpg>. Acesso em: 07 nov. 2014.

69
Ao analisarmos a figura acima, percebemos que cada cor tende a gerar um estímulo
diferente. No ramo da publicidade, tem-se focado muito nesses estímulos, criando-se lo-
gomarcas a partir de cores que chamem a atenção do cliente e cores que garantam que a
mensagem chegue de forma eficiente.

A cor amarela, primeira abordada na figura, passa a ideia de clareza e calor, sendo bas-
tante usada em marcas de combustível e bateria.

A cor laranja, por sua vez, remete alegria e confiança, bastante usada em produtos des-
tinados a jovens; o vermelho se caracteriza por ser uma cor que ativa a atenção de quem
vê, incentivando a coragem e juventude.

O lilás, bastante presente em produtos infantis, místicos, religiosos e redes sociais, ati-
va a criatividade e o imaginário. Verde, remete ao crescimento e saúde, bastante usada em
produtos naturais, que preservem a natureza e garantam o bem estar.

A cor cinza, representa o equilíbrio e a estabilidade, fatores muito importantes na defi-


nição da identidade de uma empresa. Por fim, o azul remete a confiança, sendo bastante
usado em marcas de computador e linhas aéreas.
Domínio virtual
Apesar de usarmos constantemente, pouco se sabe que o domínio representa o en-
dereço virtual para se acessar determinado site, ou seja, o domínio nada mais é do que o
próprio site que digitamos para navegar em determinada página na internet.

Vamos observar o exemplo abaixo:

http://www.sistemaitb.com.br/

Analisando o domínio acima, percebemos que este encontra-se dividido em 4 (quatro)


partes.

– www: iniciais da palavra World Wibe Web que traduzindo significa uma rede de alcance
mundial, ou seja, em qualquer parte do mundo, ao se digitar esse endereço eletrônico
Abertura de Empresas

teremos o acesso direto ao site da instituição itb;

– sistemaitb: representa o nome do domínio;

– com: representa a finalidade do domínio;

– br: representa o país em que foi registrado o domínio.


70 De acordo com a finalidade do domínio, ele pode ser:

Endereço Quem usa?

.net Provedores de Internet

.edu Instituições de Ensino

.gov Governos

.com Sites Comerciais

.org Instituições Não Governamentais

Figura 6 – Principais domínios


Fonte: Autoria própria (2014).

Analisando os quadros acima, percebemos que há uma divisão, de acordo com a fina-
lidade do site, os domínios terminados em “.net”, por exemplo, representam sites relacio-
nados a provedores de internet. Os que contém “.edu” estão relacionados a instituições
educacionais. Os terminados em “.gov” representam sites ligados ao governo federal de
cada país, como os sites da Receita Federal, do Ministério da Educação (MEC), da saúde e
outros. Os domínios terminados em “.com”, indicam sites comerciais e os domínios “.org”
tratam das organizações não governamentais fundadas com o objetivo de promover algum
benefício a sociedade ou a um grupo específico de pessoas.

Agora que sabemos toda a estrutura de um domínio, vamos aprender a registrá-lo e


garantir uma fundamental ferramenta que agrega valor a empresa, junto ao seu mercado
consumidor.

Como registrar o domínio


Antes de registrar um domínio, é necessário verificar se este já não foi utilizado por ou-
tra pessoa. Essa pesquisa, bem como o registro são feitos acessando o endereço:

<https://registro.br/>

Existem algumas regras para o formato do domínio, das quais podemos citar:

- O tamanho mínimo de 2 e máximo de 26 caracteres;

Abertura de Empresas
- Os caracteres válidos são letras de "a" a "z", números de "0" a "9" e o hífen;

- O domínio não pode conter somente números, nem iniciar ou terminar por hífen.

E, por Fim, o custo anual de um domínio varia entre R$ 30,00 , caso você decida regis-
trar o domínio por 1 ano e R$ 27,30, se você optar em registrar o domínio por 10 anos.

71

Mídias
Que tal uma leitura? O livro, Grandes marcas Grandes negócios do autor
José Roberto Martins, trata dos equívocos que não podem ser cometidos na
criação de uma marca.

Resumo
Ao final desta competência, você aprendeu o que é identidade visual, qual sua finalida-
de e descobriu a importância de se formar uma identidade voltada para os objetivos e perfil
da empresa. Além disso, analisou formas de tornar o slogan e logotipo atrativos para seus
clientes, garantindo a identidade plena da empresa.

Por fim, analisamos o que é domínio virtual, suas diversas categorias e a forma de
registrá-lo.
Autoavaliação
1. Conjunto sistematizado de elementos gráficos que identificam visualmente uma empre-
sa, uma instituição, um produto ou um evento. A frase citada representa o conceito de:

a) Identidade visual;

b) Logotipo;

c) Slogan;

d) Domínio.

2. Relacione a coluna da direita com a da esquerda.

I – Logotipo; ( ) Conjunto sistematizado de elementos gráficos que identifi-

II – Slogan; cam visualmente uma empresa;


Abertura de Empresas

III – Identidade Visual. ( ) Palavra em inglês que traduzida ao pé da letra representa


grito de guerra;

( ) Símbolo que faz ligação direta a marca.


a) I,II,III;

b) III,I,II;
72 c) III, II,I;

d) II,III,I.

3. Relacione a coluna da esquerda com a da direita, de acordo com a finalidade de um


domínio.

I - ". edu"; ( ) Sites comerciais;

II - ".gov"; ( ) Sites de instituições de ensino;

III - ".com". ( ) Sites relacionados a órgãos do governo federal.

a) I,II,III;

b) III,I,II;

c) III,II,I;

d) I,III,II.
4. Marque a alternativa que apresenta um exemplo de domínio governamental.

a) www.itb.com;

b) www.receitafederal.gov.br;

c) www.vetorial.net;

d) www.operacaosorriso.org.br.

5. Endereço disponibilizado na web, como forma de garantir a interação da empresa com


seu mercado consumidor. Marque a alternativa que apresenta tal conceito.

a) Domínio;

b) Identidade Visual;

c) Slogan;

Abertura de Empresas
d) Logotipo.

73
Abertura de Empresas
Competência
06 75

Reconhecer a importância
da ética nas empresas
Reconhecer a importância
da ética nas empresas
O processo de abertura e administração de uma empresa requer uma constante postu-
ra ética e profissional frente às obrigações e compromissos selados pela empresa.

Desde a contratação de um novo funcionário, até o momento de pagamento dos tributos


e obrigações, faz-se necessário uma plena conduta ética para evitar consequências graves.

Antes de começarmos nossos estudos, quero lançar uma questão: o que você entende
por ética?

Conceito de Ética

Abertura de Empresas
A Ética é o estudo fundamentado nos valores morais que orientam o comportamento
humano em sociedade. A palavra tem origem do grego ethikos, que significa caráter.

Dessa forma, ser ético é agir de forma íntegra e honesta, desviando-se de atitudes
erradas e fraudulentas. Cumprir com as obrigações é um dos principais pilares na gestão
empresarial, seja no pagamento de tributos, na assinatura da carteira de trabalho de seus 77
funcionários.

Fonte:<http://2.bp.blogspot.com/-iYcovEYqd3M/UP_evrKGR4I/AAAAAAAALwk/frj2oRdIkKk/s1600/valores.jpg>.
Acesso em: 07 nov. 2014.

Atividade 01
Comente com seus colegas, no AVA, três exemplos de atitudes que de-
monstram comportamento ético.
Sociedade
Muitas vezes o empreendedor não possui todo o capital para abrir e iniciar a operacio-
nalização da empresa, então ele recorre a um empréstimo, porém, dependendo do valor
solicitado, pode ser um mau negócio para a agência que financiará o empreendimento.
Então, um sócio como fonte de recurso financeiro para o início das atividades da empresa
é o primeiro motivo de um empresário querer uma sociedade.

Outro motivo bem comum de iniciar uma sociedade é quando um sócio possui o recurso
financeiro e o outro possui alguma competência necessária para a produção do produto ou
execução do serviço. Geralmente essa relação de sociedade inicia-se desde a concepção
do negócio.
Abertura de Empresas

78

Fonte: Oliveira (2014).

E, por fim, há outra situação na qual é importante ter um sócio. É o caso em que o
empreendedor, devido a alguma restrição física (doença, idade avançada etc.) precisa de
alguém que conduza o empreendimento durante sua ausência (Seja ela temporária ou
definitiva).

De todas as formas, deve-se escolher um sócio que seja comprometido com a empresa,
alguém que assuma a responsabilidade pelo gerenciamento e pelos resultados, indepen-
dentes de serem positivos ou negativos.

Compromisso trabalhista
Para realizar suas atividades de forma regular, a empresa deve contar com uma equi-
pe de funcionários que trabalhem de forma legal, e para isso, faz-se necessário assinar a
carteira de trabalho de todos eles, como forma de garantir o recebimento de seus direitos
legais.
Fonte: <http://fotospublicas.s3.amazonaws.com/files/2014/08/trab_dom-
-1024x610.jpg>. Acesso em: 07 nov. 2014.

O fato de assinar a carteira de um trabalhador garante diversos benefícios a ele, ge-


rando por outro lado, grandes obrigações ao empregado. Como pagamento de benefícios,

Abertura de Empresas
FGTS, auxílio transporte e outros.

Tanto o empregado como o empregador arca com despesas e impostos. O empregado,


no caso, tem valores recolhidos mensalmente de seu salário, como forma de arrecadação
de impostos pelo governo, garantindo o fundo previdenciário,auxílios e benefícios.

Desta forma, o Ministério do Trabalho vem combatendo práticas ilegais dentro das em- 79
presas, garantindo a proteção dos empregados.

Esta prática ao combate da irregularidade serve de termômetro para o mercado, onde


cada vez mais, empresas responsáveis garantem o comprometimento para com seus fun-
cionários, gerando renda e oportunidades.

Processo de encerramento de uma empresa


São diversos os fatores que levam uma empresa ao encerramento, apesar de muitos
julgarem que o fato de uma empresa fechar está relacionado com a falência, decorrente da
má administração. Esse processo ocorre, também, por motivos positivos, como mudança
de categoria ou expansão para outro tipo de mercado.

Porém, o processo consiste em uma etapa de medidas a serem tomadas.


Fonte: <http://searacontabilidade.com.br/pagina/image/fechar_empresa.
jpg>. Acesso em: 07 nov. 2014.

O processo de encerramento de uma empresa consiste em duas etapas: o encerramen-


to burocrático e o encerramento prático.
Abertura de Empresas

O primeiro a ser realizado é o encerramento prático, que consiste na quitação de todas


as dívidas da empresa, como por exemplo:

– Demissão de todos os funcionários de forma regular: o processo de demissão de forma


regular consiste na desvinculação de todos os funcionários, realizando o pagamento
de impostos referentes à rescisão do contrato. Não podendo, entretanto, encerrar uma
80
empresa caso haja funcionários em licença, férias ou qualquer benefício que venha a
sofrer prejuízos com a desvinculação do funcionário.

– Encerramento de todo o estoque de mercadorias: uma empresa só poderá fechar suas


portas, no momento em que não existir mais nenhuma mercadoria em estoque.Isso jus-
tifica as grandes liquidações que algumas empresas fazem, objetivando queimar todo o
seu estoque, para o posterior processo de encerramento regular da empresa.

– Pagamento de todas as contas em aberto: a empresa deverá cumprir com todas as suas
obrigações financeiras, quitando as contas futuras a pagar, de forma a regularizar seu
processo de fechamento.

– Encerramento de contas bancárias: todas as contas abertas pela empresa, que até
então serviam de ferramenta financeira devem ser encerradas, de forma a não existir
vínculos da empresa com o sistema financeiro.

– Todos os bens da empresa devem ser extintos: todos os bens pertencentes a empresa,
como cadeiras, mesas, materiais de almoxarifado e outros devem ser extintos, seja na
forma de divisão entre os sócios, doação ou venda, garantindo desta forma, a total ex-
tinção da empresa.
Após o encerramento prático da empresa, o responsável deverá procurar um conta-
dor para realizar o encerramento burocrático da empresa, que consiste basicamente na
emissão de certidões e documentos que informem a regularização da empresa para seu
processo de encerramento.

O contador deverá informar a todos os órgãos percorridos durante o processo de abertu-


ra da empresa, que as atividades da mesma estão encerradas.Tal medida garante a baixa
da empresa nos diversos sistemas, evitando a geração de cobrança de tributos ou outras
obrigações financeiras.

Resumo
Nesta competência estudamos a ética nas organizações e analisamos diversos casos
de formação de sociedades em uma empresa. E ainda, a forma que o quadro dos funcio-
nários da empresa seria formado, e os compromissos com esses profissionais contratados.

Abertura de Empresas
Além disso, vimos que existem vários motivos para o fechamento de uma empresa, e
conhecemos o procedimento correto para fechar legalmente um empreendimento.

Autoavaliação
1. Estudo fundamentado dos valores morais que orientam o comportamento humano em 81
sociedade. O conceito esta relacionado a:

a) Moral;

b) Ética;

c) Responsabilidade;

d) Princípios.

2. Um fator que deve ser analisado ao escolher um sócio é:

a) Saber se o sócio tem problemas familiares;

b) Se ele possui uma família;

c) Saber se o sócio tem restrições no seu nome ou tem histórico de inadimplência;

d) Se ele participa de ações solidárias.

3. Qual das alternativas a seguir NÃO se constitui como um benefício para a empresa ao
contratar um funcionário de forma legal:

a) A empresa poderá fazer marketing da situação legal dos funcionários e assim terá su-
cesso nos negócios;

b) A empresa não será multada;

c) Se um funcionário se ausentar por um problema de saúde, o salário não será pago pela
empresa e sim pelo estado;

d) Não cometer irregularidade fiscal.

4. Marque a alternativa que apresenta o profissional responsável pelo processo burocrático


de encerramento de uma empresa, emitindo os certificados e registros de regularização
do encerramento.

a) Contador;
Abertura de Empresas

b) Empresário;

c) Administrador;

d) Advogado.

82 5. Marque a alternativa que apresenta o órgão responsável pelo combate aos crimes tri-
butários.

a) Policia Federal;

b) COPEI – Coordenação de Pesquisas e Investigações;

c) Justiça Federal;

d) Receita Federal.
Referências
AAKER, David A. Marcas: brand equity gerenciando o valor da marca. São Paulo: Negócio,
1998.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição [da] República Federativa do Brasil.


Promulgada em 05 de outubro de 1988. Presidência da República, Brasília, DF, 05 out.
1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.
htm>. Acesso em: 07nov. 2014.

______. Lei Complementar nº 128, de 19 de dezembro de 2008. Altera a Lei


Complementar nº123, de 14 de dezembro de 2006, altera as Leis nº 8.212, de 24 de
julho de 1991, 8.213, de 24 de julho de 1991, 10.406, de 10 de janeiro de 2002 –
Código Civil, 8.029, de 12 de abril de 1990, e dá outras providências. Diário Oficial [da]

Abertura de Empresas
República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 22 dez. 2008. Disponível
em: <http://www.receita.fazenda.gov.br/legislacao/leiscomplementares/2008/leicp128.
htm>. Acesso em: 07 nov. 2014.

______. Lei nº 10.165, de 27 de dezembro de 2000. Altera a Lei no 6.938, de 31 de


agosto de 1981, que dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e
mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Presidência da 83
República, Brasília, DF, 27 dez. 2011. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/
ccivil_03/leis/L10165.htm>. Acesso em: 07 nov. 2014.

______. Lei nº 10.303, de 31 de outubro de 2001. Altera e acrescenta dispositivos na


Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976, que dispõe sobre as Sociedades por Ações,
e na Lei nº 6.385, de 7 de dezembro de 1976, que dispõe sobre o mercado de valores
mobiliários e cria a Comissão de Valores Mobiliários. Diário Oficial [da] República
Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 31 out. 2001. Disponível em:
<http://www.cvm.gov.br/port/atos/leis/lei10303.asp>. Acesso em: 07 nov. 2014.

______. Lei nº 12.441, de 11 de julho de 2011. Altera a Lei nº 10.406, de 10 de


janeiro de 2002 (Código Civil), para permitir a constituição de empresa individual
de responsabilidade limitada. Presidência da República, Brasília, DF, 11 jul. 2011.
Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12441.
htm>. Acesso em: 07 nov. 2014.

______. Lei nº 9.279, de 14 de maio de 1996.Regula direitos e obrigações relativos à


propriedade industrial. Presidência da República, Brasília, DF, 14 maio 1996. Disponível
em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9279.htm>. Acesso em: 07nov. 2014.
______. Portal do Empreendedor. Manual do Processo Eletrônico de Inscrição do
Microempreendedor Individual (MEI), v. 3. [S.l.: s. n.], 2012. Disponível em: <http://www.
portaldoempreendedor.gov.br/mei-microempreendedor-individual/manual.pdf>. Acesso
em: 07 nov. 2014.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Notas técnicas. [S.l.: s. n.],


2011 [?]. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/industria/
pintec/metodologia.shtm>. Acesso em: 10 nov. 2014.

INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL (INPI). Manual do usuário: sistema


e-marcas, v. 2, [S.l.: s. n.], 2012 [?]. Disponível em: <http://www.inpi.gov.br/images/
stories/downloads/marcas/pdf/manual_e_marcas_2_versao_0603.pdf>. Acesso em: 10
nov. 2014.

KOTLER, Philip. Administração de marketing. 5 ed. São Paulo: Atlas, 1998.


Abertura de Empresas

JEZE, Gaston. O fato gerador do imposto. Revista de Direito Administrativo, São Paulo, v.
2, n. 1, 1945.

OLIVEIRA, R. E. Banco de imagens sistema itb. Natal: ITB, 2014. Somente il.

84 PORTAL TRIBUTÁRIO. Recolhimento por estimativa: lucro real. [S.l.: s. n.], [20--].
Disponível em: <http://www.portaltributario.com.br/>. Acesso em: 07 nov. 2014.

REQUIÃO, Rubens. Curso de Direito Comercial.29. ed. rev. atual. São Paulo: Saraiva,
2010. p. 79.

RIBEIRO, M. Planejamento visual gráfico, Brasília: Linha Gráfica e Editora, 1987.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (SEBRAE). Critérios


de classificação de empresas: EI - ME – EPP. [S.l.: s. n.], 2012 [?]. Disponível em: <http://
www.sebrae-sc.com.br/leis/default.asp?vcdtexto=4154>. Acesso em: 10 nov. 2014.
Conheça o autor
Ana Carolina Martins de Lana

Abertura de Empresas
Graduada em Administração de empresas pela Universidade Federal do Rio Grande do
Norte - UFRN, Pós-graduada em Gestão Financeira pela Universidade Potiguar – UNP, expe-
riência na área de gestão financeira, abertura de empresas e eventos na área de turismo.

85