Você está na página 1de 574

Tratores

6300, 6500 e 6600


OPERAÇÃO E TESTES

MANUAL TÉCNICO
Tratores 6300,6500 e 6600 Operaçã
e Testes
MTCQ33711 13SEP01 (PORTUGUESE)

John Deere Brasil


MTCQ33711 (13SEP01)
Impresso no Brasil
PORTUGUESE
Introdução
Introdução

LEIA ESTE MANUAL cuidadosamente para saber máquina.


como operar e fazer a manutenção corretamente na
sua máquina. A falha nestes procedimentos poderá GARANTIA é uma parte do programa de apoio ao
causar ferimentos e ainda danos ao equipamento. produto, para os clientes que operam e mantém seu
Este manual e os avisos de segurança na sua equipamento como descrito neste manual. A garantia
máquina devem ser seguidos. é explicada no Manual do Proprietário e Certificado de
Garantia que você deve ter recebido do
MEDIDAS neste manual são métricas. Concessionário. Consulte-o para mais detalhes.

LADO DIREITO E LADO ESQUERDO são INFORMAÇÕES:


determinados a partir da posição do operador sentado
e pronto para operar a máquina. John Deere Brasil S.A.

ESCREVA OS NÚMEROS DE SÉRIE nos espaços Homepage: www.johndeere.com.br


apropriados na seção adequada neste manual. Grave
todos os números de série de sua máquina, para E-mail: johndeere@johndeere.com.br
ajudar na recuperação da mesma em caso de roubo.
Seu concessionário, também precisa destes números, Lembre que a sua melhor fonte de informações
quando você solicitar peças de reposição. Arquive os para nossos produtos e serviços é o seu
números de série em um lugar seguro e não na Concessionário local.

CQ,INTROD –54–01OCT98–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=2
Conteúdo
05
SEÇÃO 05—Segurança Grupo 20—Direção Hidrostática—Danfoss
Grupo 05—Normas de Segurança Grupo 21—Direção Hidrostática—Eaton
Grupo 25—Freios
SEÇÃO 240—Sistema Elétrico
Grupo 10—Ferramentas Especiais Para Eletricidade SEÇÃO 270—Sistema Hidráulico
240
Grupo 15—Manutenção em Conectores de Chicotes Grupo 05—Diagnóstico de Anomalias — 100 Litros
Elétricos Grupo 06—Provas Preliminares
Grupo 20—Identificação do Multiteste Grupo 07—Diagnóstico de Anomalias
Grupo 25—Circuito de Alimentação e Partida Grupo 08—Diagnóstico do Sistema Hidráulico -
Grupo 30—Tomada de Potência — TDP Bomba de Engrenagens
Grupo 35—Tração Dianteira Grupo 10—Diagnóstico e Calibração do Sistema de 250
Grupo 40—Bloqueio do Diferencial Levante Hidráulico
Grupo 45—Circuito de Luzes Grupo 15—Circuitos Hidráulicos
Grupo 50—Circuito de Recarga da Bateria Grupo 20—Bomba Hidráulica de Engrenagens
Grupo 55—Monitoração do Trator Externas
Grupo 60—Unidade de Controle de Levante — Grupo 25—Válvula, Resfriador de Óleo e Filtro
255
HCU Grupo 30—Elevador Hidráulico
Grupo 65—Cabine Grupo 35—Válvulas de Controle Remoto
Grupo 40—Bomba Hidráulica de Êmbolos Axiais
SEÇÃO 250—Transmissão SyncroPlus SEÇÃO 290—Cabine
Grupo 05—Diagnóstico de Anomalias Grupo 05—Provas de Funcionamento 256
Grupo 10—Provas e Regulagens Grupo 10—Diagnóstico de Anomalias — Sistema
Grupo 15—Funcionamento — Transmissão de Ar-Condicionado
SyncroPlus Grupo 15—Ventilação e Calefação — Diagnóstico
Grupo 20—Embreagem Perma Clutch II de Anomalias
Grupo 25—Câmbio de Marchas Grupo 20—Funcionamento — Sistema de
Grupo 30—Câmbio de Grupos Ar-Condicionado
260

Grupo 25—Diversos
SEÇÃO 255—Transmissão PowrQuad
Grupo 05—Funcionamento
Grupo 10—Diagnóstico de Anomalias
Grupo 15—Regulagens do Câmbio de Marchas 270
Grupo 20—Funcionamento — Transmissão
PowrQuad

SEÇÃO 256—Transmissão de Força


Grupo 15—Embreagem da Tração Dianteira 290
Grupo 20—Diagnóstico da TDM, Bloqueio do
Diferencial e TDP

SEÇÃO 260—Direção e Freios


Grupo 05—Funcionamento e Provas INDX
Grupo 10—Localização de Avarias
Grupo 15—Comprovações

Todas as informações, ilustrações e especificações deste manual são


baseadas nas informações mais recentes e disponíveis no momento da
publicação deste. Fica reservado o direito de realizar mudanças a
qualquer momento sem aviso prévio.
COPYRIGHT  2001
DEERE & COMPANY
Moline, Illinois
All rights reserved
A John Deere ILLUSTRUCTION Manual

MTCQ33711 (13SEP01) i Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=1
Conteúdo

05

240

250

255

256

260

270

290

INDX

MTCQ33711 (13SEP01) ii Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=2
05

Seção 05
Segurança
Conteúdo

Página

Grupo 05—Normas de Segurança


Reconhecer as Informações sobre
Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .05-05-1
Observar as Mensagens de Segurança . . . . . .05-05-1
Substituir os Adesivos de Segurança . . . . . . . .05-05-1
Manuseio Seguro de Lı́quidos e
Combustı́veis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .05-05-2
Impedir a Explosão de Gases na Bateria . . . . .05-05-2
Estar Preparado em Caso de Emergência . . . .05-05-2
Remover a Pintura Antes de Soldar ou
Aplicar Calor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .05-05-3
Cuidado Com as Fugas de Alta Pressão. . . . . .05-05-3
Manutenção Segura do Radiador . . . . . . . . . . .05-05-4
Evite Ligar Involuntariamente a Máquina. . . . . .05-05-4
Evitar Aplicar Calor Próximo a Linhas de
Fluido Pressurizadadas . . . . . . . . . . . . . . . . .05-05-4
Trabalhe em Local Ventilado. . . . . . . . . . . . . . .05-05-4
Usar Roupa Adequada . . . . . . . . . . . . . . . . . . .05-05-5
Manutenção Segura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .05-05-5
Estacionamento do Trator . . . . . . . . . . . . . . . . .05-05-6
Utilizar Dispositivos Elevadores Adequados . . .05-05-6
Apoio Seguro da Máquina. . . . . . . . . . . . . . . . .05-05-6
Trabalhar com Limpeza. . . . . . . . . . . . . . . . . . .05-05-7
Iluminação Adequada da Área de Trabalho . . .05-05-7
Evitar Acidentes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .05-05-7
Utilizar as Ferramentas Corretamente . . . . . . . .05-05-8
Montagem de Pneus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .05-05-8
Manutenção Segura da Tração Dianteira . . . . .05-05-9
Estrutura de Proteção Contra Capotamento . . .05-05-9
Despejo Correto de Dejetos . . . . . . . . . . . . . .05-05-10
Segurança Viva com Ela . . . . . . . . . . . . . . . . .05-05-10

MTCQ33711 (13SEP01) 05-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=1
Conteúdo

05

MTCQ33711 (13SEP01) 05-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=2
Grupo 05
Normas de Segurança
05
Reconhecer as Informações sobre 05
1
Segurança

Este é o simbolo preventivo de segurança. Ao vê-lo em


sua máquina ou nesta publicação, esteja sempre
consciente do risco de lesões ou acidentes relacionados

–UN–07DEC88
com o manejo do equipamento.

T81389
CQ,SGALERTA –54–14JUL98–1/1

Observar as Mensagens de Segurança

Leia atentamente as mensagens de segurança nesta


publicação e em seu Trator. Mantenha os decalcos
correspondentes em bom estado. Substitua os adesivos
deteriorados ou perdidos.Familiarize-se com o
funcionamento de seu Trator e seus Comandos.

–UN–23AUG88
Mantenha-o em boas condições de trabalho. Qualquer
modificação não autorizada pode resultar em deficiência
de funcionamento e/ou segurança, e reduzir sua vida útil.

TS201
CQ,SGMENSEG –54–01OCT98–1/1

Substituir os Adesivos de Segurança

Substituir os adesivos deteriorados ou perdidos. Consultar


o Manual de Operação com relação à posição correta dos
mesmos.

–UN–23AUG88
TS201
AG,LT04177,255 –54–29SEP98–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 05-05-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=7
Normas de Segurança

05
05 Manuseio Seguro de Lı́quidos e
2
Combustı́veis

Manuseie o combustı́vel com precaução, já que é


altamente inflamável. Não fume ao reabastecer, nem
aproxime-se às chamas e chispas.

–UN–23AUG88
Desligue o motor antes de reabastecer. Abasteça em
lugar apropriado e limpe o combustı́vel que tenha
derramado. Não perfurar nem incinerar recipientes sob

TS227
pressão.

Não guardar trapos impregnados de óleo. Eles podem


inflamar-se espontaneamente.

CQ,SGLIQ –54–01OCT98–1/1

Impedir a Explosão de Gases na Bateria

O gás que se desprende da bateria é explosivo. Guarde-a


sempre bem longe de lugares onde existe o perigo de
faı́scas ou chamas.

Nunca verificar a carga da bateria colocando um objeto

–UN–23AUG88
metálico nos pólos. Utilizar um voltı́metro de alta
descarga ou um densı́metro.

TS204
CQ,SGBAT –54–01OCT98–1/1

Estar Preparado em Caso de Emergência

Esteja preparado em caso de emergência. Ter a mão


uma caixa de primeiros socorros e um extintor. –UN–23AUG88
TS291

CQ,SGEMERG –54–01OCT98–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 05-05-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=8
Normas de Segurança

05
Remover a Pintura Antes de Soldar ou 05
3
Aplicar Calor

Evitar a inalação de vapores e poeira potencialmente


tóxicos.

–UN–23AUG88
Podem ser gerados vapores nocivos ao aquecer a pintura
em serviços de solda ou no uso do maçarico.

Fazer todos os trabalhos ao ar livre ou em lugar bem

TS220
ventilado. Guardar a tinta e o solvente em lugar
apropriado.

Remover a tinta antes de aplicar calor:

• Utilizar jato de areia ou lixadeira, evitando de inalar o


pó.
• Em caso de utilizar solvente, limpar com água e sabão
a superfı́cie tratada antes de soldar. Retirar das
imediações os recipientes de solventes e restos de
materiais inflamáveis. Ventilar o local durante 15
minutos antes de soldar ou aplicar calor.

CQ,SGPINT –54–01OCT98–1/1

Cuidado Com as Fugas de Alta Pressão

Os fluidos sob pressão que vazam do sistema hidráulico


podem ter tanta força que penetram na pele, causando
lesões graves. Portanto, é imprescindı́vel aliviar a pressão
do sistema antes de afrouxar ou desconectar qualquer

–UN–23AUG88
tubulação e assegurar-se que todas as conexões e
adaptadores estejam bem apertados antes de aplicar
pressão ao sistema. Não aproxime o corpo e as mãos de
vazamentos a alta pressão. É difı́cil localizar a fuga de

X9811
óleo hidráulico que sai por um orifı́cio pequeno. Utilize
para isso um pedaço de cartão.

Se, apesar desta precaução, um fluı́do sob alta pressão


lhe atravessar a pele, procure um médico imediatamente,
pois essas lesões podem causar infecções graves.

CQ,SGFUGAS –54–01OCT98–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 05-05-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=9
Normas de Segurança

05
05 Manutenção Segura do Radiador
4

Perigo de queimadura!

Com o motor desligado, primeiro solte a tampa de


expansão até o primeiro estágio para aliviar a pressão
antes de removê-la completamente.

–UN–23AUG88
TS281
CQ,SGRADIAD –54–01OCT98–1/1

Evite Ligar Involuntariamente a Máquina

Evite possı́veis acidentes ou morte por ligar


involuntariamente a máquina.

Não dê partida curto-circuitando terminais.

–UN–11JAN89
NUNCA dê partida no motor estando no solo. Ligue o
motor somente a partir do assento do operador, com a
transmissão em neutro ou em park.

TS177
CQ,STBYPASS –54–11SEP98–1/1

Evitar Aplicar Calor Próximo a Linhas de


Fluido Pressurizadadas

Utilizar chama perto de tubos sob pressão, pode originar


uma nuvem de lı́quido inflamável que pode causar
queimaduras graves nas pessoas próximas. Evitar

–UN–15MAY90
esquentar com maçarico ou soldar perto de tubos que
contenham lı́quidos sob pressão ou outros materiais
inflamáveis. Os tubos podem ser cortados acidentalmente
pelo calor desprendido do maçarico.
TS953

CQ,SGCALOR –54–01OCT98–1/1

Trabalhe em Local Ventilado

Os gases de exaustão do motor podem causar doença ou


morte. Se for necessário fazer o motor trabalhar em lugar
fechado, remova os gases de exaustão da área com uma
extensão do cano de escapamento.
–UN–23AUG88

Se você não tiver uma extensão para o cano de


escapamento, abra as portas e deixe o ar externo entrar
no ambiente.
TS220

CQ,SGAR –54–14JUL98–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 05-05-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=10
Normas de Segurança

05
Usar Roupa Adequada 05
5

Evitar roupa solta e utilizar equipamento de segurança


adequados conforme o tipo de trabalho.

A exposição prolongada ao ruı́do pode afetar o ouvido.


Como medida preventiva, proteger seus ouvidos com

–UN–23AUG88
protetor auricular.

O manejo seguro da máquina requer toda a atenção do


operador. Não colocar fones para escutar o rádio durante

TS206
o trabalho com a máquina

CQ,SGROUPA –54–01OCT98–1/1

Manutenção Segura

Familiarize-se com os procedimentos de manutenção


antes de efetuar os trabalhos. O local de trabalho deve
estar limpo e seco.

Não efetuar nenhum trabalho de lubrificação, reparação


ou ajuste com o motor em funcionamento.

Manter as mãos, pés e roupas sempre longe de


componentes móveis.

Posicionar todos os comandos em ponto morto e desligue


todas as funções elétricas. Não deve haver pressão no
sistema hidráulico. Baixar o implemento ao solo. Desligar
o motor e tirar a chave do contato. Deixar que o motor
esfrie.

Apoiar cuidadosamente todas as partes da máquina


levantadas para trabalhos de manutenção.
–UN–23AUG88

Todos os componentes devem estar em bom estado e


corretamente montados. Trocar qualquer peça gasta ou
quebrada. Limpar qualquer acumulação de graxa, óleo ou
sujeira.
TS218

Desconectar o cabo terra ( - ) da bateria antes de


efetuar trabalho de solda no Trator ou ajustar o
sistema elétrico.

CQ,SGMANUT –54–01OCT98–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 05-05-5 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=11
Normas de Segurança

05
05 Estacionamento do Trator
6

Parar a máquina, baixar os implementos até o solo antes


de abandonar o Trator.

Parar o motor, pôr a transmissão em posição de


estacionamento, tirar a chave do contato e fechar a

–UN–24MAY89
cabina (se existente). Calçar as rodas.

TS230
CQ,SGESTC –54–01OCT98–1/1

Utilizar Dispositivos Elevadores Adequados

A elevação incorreta de componentes pesados pode


causar lesões graves ou danos importantes na máquina.

Seguir o procedimento recomendado no manual para a


extração e instalação de componentes pesados.

–UN–23AUG88
TS226
CQ,SGDISP –54–01OCT98–1/1

Apoio Seguro da Máquina

Baixe sempre o implemento ao solo antes de trabalhar


com o Trator. Quando for necessário trabalhar sob a
máquina ou equipamento elevado, calce-os de maneira
segura.

–UN–23AUG88
Não use blocos de pedra ou outros materiais que possam
ceder sob uma carga contı́nua. Não trabalhe embaixo de
uma máquina que esteja apoiada somente por macaco.
Observe sempre as instruções de manuseio dado neste TS229

Manual.

CQ,SGAPOIO –54–01OCT98–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 05-05-6 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=12
Normas de Segurança

05
Trabalhar com Limpeza 05
7

Antes de começar um trabalho:

Limpar a área de trabalho e a máquina.

–UN–18OCT88
Verificar que se dispõe de todas as ferramentas e
dispositivos necessários.

Preparar as peças de reposição necessárias.

T6642EJ
Ler todas as instruções detidamente, não abreviar.

CQ,SGLIMP –54–01OCT98–1/1

Iluminação Adequada da Área de Trabalho

Iluminar a área de trabalho adequadamente porém com


segurança. Utilizar uma luz portátil para iluminar o interior
da parte inferior da máquina. O bulbo deve estar
protegido por uma grade de segurança. O filamento
incandescente de um bulbo quebrado acidentalmente

–UN–23AUG88
pode causar um incêndio.

TS223
CQ,SGILUMINA –54–01OCT98–1/1

Evitar Acidentes

Prender o cabelo se ele estiver grande. Não usar gravata,


cachecol nem roupas soltas ou colares. Ao engatar estes
objetos na máquina, podem ocorrer lesões graves.

Tirar anéis e outras jóias para evitar curto-circuitos ou o


–UN–23AUG88

perigo de engatar na máquina.


TS228

CQ,SGACID –54–01OCT98–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 05-05-7 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=13
Normas de Segurança

05
05 Utilizar as Ferramentas Corretamente
8

Empregar as ferramentas adequadas para cada trabalho.


A utilização de ferramentas, peças de reposição e
procedimentos inadequados afeta a qualidade das
reparações.

–UN–08NOV89
Utilizar ferramentas pneumáticas ou elétricas
exclusivamente para desenroscar fixações.

Utilizar o diâmetro de chave correto para desenroscar ou

TS779
apertar fixações. NÃO empregar ferramentas que não
sejam do sistema métrico. Evitar lesões causadas por
chaves inadequadas.

Utilizar unicamente peças de reposição que estejam


dentro das especificaçõe John Deere.

CQ,SGFERR –54–01OCT98–1/1

Montagem de Pneus

A separação violenta entre pneu e aro pode causar


lesões muito graves e até mortais.

A montagem de pneus deve ser feita por pessoas


experientes que possuam as ferramentas necessárias
para isso. É mais seguro confiar esse trabalho a uma
borracharia.

Preste atenção à pressão de inflação correta dos pneus.


Nunca exceda ao valor máximo recomendado pelo
fabricante.

Nunca esquentar ou efetuar trabalhos de soldagem em


uma roda com o pneu montado. O calor pode originar um
aumento da pressão de inflação procando a explosão do
pneu. As soldagens podem debilitar ou deformar a
estrutura da roda.

Ao inflar pneus utilize uma mangueira com extensão que


–UN–23AUG88

lhe permita colocar-se em um lado e não em frente ou em


cima do pneu. Utilize uma gaiola de segurança se houver
disponibilidade.
TS211

Inspecione pneus e rodas diariamente. Não trabalhe com


pneus inflados insuficientemente, danificados, com rodas
deterioradas ou sem todos os parafusos e porcas.

CQ,SGPNEU –54–01OCT98–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 05-05-8 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=14
Normas de Segurança

05
Manutenção Segura da Tração Dianteira 05
9

Quando se efetuar trabalhos de manutenção em tratores


com tração dianteira que exijam a elevação e o giro das
rodas traseiras através do motor, deve-se também
levantar as rodas dianteiras. Em caso de falha do sistema

–UN–06AUG94
elétrico ou hidráulico, poderia colocar-se em marcha
acidentalmente o eixo dianteiro, arrastando o trator para
fora de seus apoios, inclusive estando o interruptor da
TDM desconectado. Neste caso, o trator pode colocar-se

L124515
em movimento, se as rodas dianteiras não estiverem
suspensas do solo.

CQ,SGTRACAO –54–01OCT98–1/1

Estrutura de Proteção Contra Capotamento

Se a estrutura protetora contra capotamento estiver ou for


removida por qualquer razão, comprovar que todas as
peças sejam instaladas corretamente. Apertar os
parafusos com o torque correto. Esta estrutura não deve
ser perfurada, serrada ou enfraquecida.

–UN–23AUG88
TS212
CQ,SGEPCC –54–01OCT98–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 05-05-9 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=15
Normas de Segurança

05
05 Despejo Correto de Dejetos
10

O despejo incorreto de dejetos pode prejudicar o meio


ambiente e a ecologia. Dejetos potencialmente
contaminantes utilizados em equipamentos John Deere
incluem substâncias ou componentes como por exemplo

–UN–26NOV90
óleo, combustı́vel, fluı́do de freio, filtros e baterias.

Utilizar recipientes herméticos ao drenar resı́duos


lı́quidos. Nunca utilizar vasilhames ou outros recipientes

TS1133
utilizados para comestı́veis e bebidas, evitando assim
erros graves.

Não despejar dejetos no solo, em valetas ou arroios,


barragens ou lagos, etc.

O gás utilizado em sistema de ar condicionado que


escapam para o ar podem deteriorar a atmosfera do
planeta. Pode existir uma reciclagem de refrigerantes
usados, com ajuda de centros de serviços especializados.

Informe-se em repartição governamental local do meio


ambiente ou sua Concessionária, a forma correta de
reciclar estas substâncias usadas, e as possibilidades de
realizar estes despejos de dejetos.

CQ,SGDESP –54–01OCT98–1/1

Segurança Viva com Ela

Antes de entregar a máquina ao cliente, comprovar que a


mesma funciona corretamente, especialmente os
sistemas de segurança. Instalar todas as proteções.
–54–07OCT88
TS231

CQ,SGSEG –54–01OCT98–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 05-05-10 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=16
Seção 240
Sistema Elétrico
Conteúdo 240

Página Página

Grupo 10—Ferramentas Especiais Para Interruptor da Tomada de Potência . . . . . . . . .240-30-1


Eletricidade Relé K3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-30-1
Ferramentas Especiais . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-10-1 Conectores da TDP. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-30-2
Informações Gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-10-2 Circuito da TDP. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-30-3

Grupo 15—Manutenção em Conectores de Grupo 35—Tração Dianteira


Chicotes Elétricos Funcionamento da Tração Dianteira . . . . . . . .240-35-1
Desconexão do Circuito Elétrico . . . . . . . . . . .240-15-1 Interruptor da Tração Dianteira . . . . . . . . . . . .240-35-1
Conector Metri Pack . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-15-1 Solenóide . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-35-1
Conector Weather Pack . . . . . . . . . . . . . . . . .240-15-2 Conectores da Tração Dianteira . . . . . . . . . . .240-35-2
Extração de Terminais . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-15-3 Circuito da Tração Dianteira . . . . . . . . . . . . . .240-35-3
Instalação de Terminais . . . . . . . . . . . . . . . . .240-15-4
Substituição de Terminais . . . . . . . . . . . . . . . .240-15-4 Grupo 40—Bloqueio do Diferencial
Descascador de Fios . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-15-4 Funcionamento do Bloqueio do Diferencial . . .240-40-1
Instalação de Um Terminal . . . . . . . . . . . . . . .240-15-4 Interruptor do Freio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-40-1
Relé K7 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-40-2
Grupo 20—Identificação do Multiteste Relé K4 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-40-2
Medições de Voltagem . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-20-1 Solenóide . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-40-3
Medidas de Corrente Elétrica de Pequena Conectores do Bloqueio do Diferencial . . . . . .240-40-4
Intensidade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-20-2 Circuito de Bloqueio do Diferencial . . . . . . . . .240-40-5
Medida de Corrente Elétrica — Até 10
Ampéres . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-20-3 Grupo 45—Circuito de Luzes
Medidas de Resistência . . . . . . . . . . . . . . . . .240-20-4 Circuito de Luzes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-45-1
Medidas de Continuidade . . . . . . . . . . . . . . . .240-20-5 Chave de Luzes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-45-1
Medições de Temperatura. . . . . . . . . . . . . . . .240-20-5 Relé K5 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-45-2
Chave de Comutação Alta e Baixa . . . . . . . . .240-45-2
Grupo 25—Circuito de Alimentação e Partida Faróis de Estrada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-45-2
Circuito de Alimentação e Partida . . . . . . . . . .240-25-1 Relé K6 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-45-3
Localização dos Fusı́veis e Relés — Sem Sinaleiras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-45-3
Cabine . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-25-3 Faroletes Dianteiros e Traseiros . . . . . . . . . . .240-45-3
Localização dos Fusı́veis e Relés — Com Relé do Pisca Alerta e Direcional — K11 . . . .240-45-4
Cabine . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-25-4 Relé K8 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-45-4
Bateria . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-25-5 Relé K9 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-45-4
Fusı́vel Geral. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-25-5 Relé K10 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-45-5
Chave Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-25-5 Chave Direcional do Pisca . . . . . . . . . . . . . . .240-45-5
Interruptor de Ponto Morto . . . . . . . . . . . . . . .240-25-6 Bloco de Diodos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-45-6
Relé K2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-25-6 Conectores do Circuito de Iluminação . . . . . . .240-45-7
Solenóide da Bomba Injetora . . . . . . . . . . . . .240-25-7 Circuito Elétrico de Iluminação . . . . . . . . . . . .240-45-8
Relé de Partida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-25-7
Motor de Partida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-25-7 Grupo 50—Circuito de Recarga da Bateria
Relé K1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-25-8 Circuito de Recarga da Bateria . . . . . . . . . . . .240-50-1
Conectores do Circuito de Partida. . . . . . . . . .240-25-9 Alternador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-50-1
Circuito de Alimentação e Partida . . . . . . . . .240-25-10 Lâmpada Indicadora . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-50-2
Horı́metro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-50-2
Grupo 30—Tomada de Potência — TDP
Tomada de Potência — TDP . . . . . . . . . . . . .240-30-1 Continua na próxima página

MTCQ33711 (13SEP01) 240-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=1
Conteúdo

Página Página

Gases Explosivos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-50-3 Conectores da Caixa de Fusı́veis . . . . . . . . . .240-65-5


Regras Importantes. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-50-3 Identificação dos Fios dos Circuitos
240 Teste de Uma Bateria Delco Freedom . . . . . .240-50-4 Elétricos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-65-8
Recarga da Bateria . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-50-5
Teste do Alternador. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-50-7
Conectores do Circuito de Carga da
Bateria . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-50-8
Circuito de Carga da Bateria . . . . . . . . . . . . . .240-50-9
Check de Uma Bateria — Fluxograma . . . . .240-50-10

Grupo 55—Monitoração do Trator


Instrumentos do Painel . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-55-1
Indicador de Temperatura — Termômetro. . . .240-55-1
Sensor de Temperatura . . . . . . . . . . . . . . . . .240-55-2
Indicador de Combustı́vel . . . . . . . . . . . . . . . .240-55-2
Sensor de Pressão do Óleo do Motor . . . . . . .240-55-3
Tacômetro do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-55-3
Sensor de Rotação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-55-3
Indicador de Pressão do Óleo do Motor . . . . .240-55-4
Indicador de Restrição do Filtro de Ar . . . . . . .240-55-4
Sensor de Restrição do Filtro de Ar . . . . . . . .240-55-5
Indicador de Restrição do Filtro de Óleo da
Transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-55-5
Sensor do Filtro de Óleo da Transmissão . . . .240-55-6
Sensor de Baixa Pressão do Óleo da
Transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-55-7
Sensor de Alta Temperatura de Óleo da
Transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-55-7
Bloco de Diodos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-55-8
Conectores do Circuito Elétrico dos
Instrumentos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-55-9
Circuito Elétrico dos Instrumentos . . . . . . . . .240-55-11

Grupo 60—Unidade de Controle de Levante — HCU


Unidade de Controle de Levante — HCU . . . .240-60-1
Unidade de Controle Hidráulico. . . . . . . . . . . .240-60-1
Interruptor Sobe e Desce . . . . . . . . . . . . . . . .240-60-2
Controle de Levante . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-60-2
Amortecimento do Levante Hidráulico . . . . . . .240-60-3
Controle de Velocidade de Descida . . . . . . . .240-60-3
Controle do Limite de Altura . . . . . . . . . . . . . .240-60-4
Sensibilidade de Carga . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-60-4
Sensor de Posição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-60-4
Sensor de Carga. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-60-5
Motor de Passo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-60-5
Supressor de Transiente . . . . . . . . . . . . . . . . .240-60-5
Conectores do HCU . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-60-6
Esquema Elétrico do HCU . . . . . . . . . . . . . . .240-60-7

Grupo 65—Cabine
Comando Elétrico do Ar Condicionado . . . . . .240-65-1
Esquema Elétrico da Cabine . . . . . . . . . . . . . .240-65-3
Conectores Diversos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .240-65-4

MTCQ33711 (13SEP01) 240-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=2
Grupo 10
Ferramentas Especiais Para Eletricidade
Ferramentas Especiais

Pedir o Kit de ferramentas para eletricidade N.º 33683


para o Departamento de Peças da John-Deere.

AG,LT04177,1106 –54–22FEB99–1/7 240


10
LX000871 –UN–12OCT94 1
Ferramenta de extração . . . . . . . . . . . . . . . . .JDG364

Remover terminais de conectores.

AG,LT04177,1106 –54–22FEB99–2/7

JDG776 –UN–12OCT94

Ferramenta de extração . . . . . . . . . . . . . . . . .JDG776

Separação de conectores elétricos

AG,LT04177,1106 –54–22FEB99–3/7

JDG777 –UN–12OCT94

Ferramenta de extração . . . . . . . . . . . . . . . . .JDG777

Separação de conectores elétricos.

AG,LT04177,1106 –54–22FEB99–4/7

LX001151 –UN–12OCT94

Separação de conectores elétricos.. . . . . . FKM10019-1

Montagem de conexões elétricas.

AG,LT04177,1106 –54–22FEB99–5/7

Alicate especial. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . FKM10469

–UN–09DEC98
Montagem de conexões elétricas.

FKM10469

Continua na próxima página AG,LT04177,1106 –54–22FEB99–6/7

MTCQ33711 (13SEP01) 240-10-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=19
Ferramentas Especiais Para Eletricidade

Multı́metro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . DQ80744

Medições elétricas diversas

240

–UN–03FEB99
10
2

CQ168750
AG,LT04177,1106 –54–22FEB99–7/7

Informações Gerais

Os conectores elétricos devem conectar-se e terminais diferentes para correntes diferentes. Ao


desconectar-se com facilidade. Se for necessário utilizar terminais de diferentes materiais, pode-se
forçar com ferramentas, é possı́vel que alguma coisa produzir corrosão dos mesmos, o que pode afetar o
está mal. Ao se forçar os conectores, pode-se produzir rendimento do equipamento.
danos irreparáveis no mecanismo de fechamento, nos
contatos ou em ambos. Ao separar os terminais dos conectores, é importante
usar a ferramenta de extração adequada e fazer o
Ao trocar conectores, deve-se ter certeza de que está trabalho com suavidade. O corpo do conector pode
trabalhando com o terminal correto. ficar danificado se o terminal for puxado. Os danos
provocados impedirão que o novo terminal encaixe no
Lembre de que as duas metades do conector são conector, sendo necessário sua substituição.
reflexo de um no outro. Observar o número de
terminais no corpo do conector. A conexão incorreta Ao instalar um novo terminal em um fio, tenha certeza
de circuitos pode provocar reações anômalas do de descascar o fio corretamente. A zona descascada
sistema elétrico. tem um fim especı́fico. Se mal feita, pode dar lugar a
um mau contato ou a falta de contato, e ainda pode
Ao reparar um conector elétrico é importante usar os dar problemas na montagem do terminal no conector,
terminais adequados. Alguns conectores usam causando avaria prematura por falta de isolamento.

AG,LT04177,1107 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-10-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=20
Grupo 15
Manutenção em Conectores de Chicotes Elétricos
Desconexão do Circuito Elétrico

Desconectar o cabo de terra (negativo) antes de fazer


manutenção no sistema elétrico.
240
15

–UN–19SEP94
1

LX000872
AG,LT04177,1108 –54–22FEB99–1/1

Conector Metri Pack

NOTA: O trator possui conectores de 1 polo a 8 pólos.

A — Terminal macho
B — Terminal fêmea

–UN–26APR95
LX000873
AG,LT04177,1109 –54–22FEB99–1/5

Separação de terminais macho e fêmea.

A — JDG776

–UN–12OCT94
LX005649
AG,LT04177,1109 –54–22FEB99–2/5

Reparação de terminais macho ou fêmea.

A — JDG777

Separação de um terminal fêmea de um conector de


30 pólos.
–UN–12OCT94

Com a ajuda de uma ferramenta pontiaguda (A), empurrar


a lingüeta de bloqueio para destravar o terminal e, mover
o terminal para fora do conexão.
LX005650

Continua na próxima página AG,LT04177,1109 –54–22FEB99–3/5

MTCQ33711 (13SEP01) 240-15-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=21
Manutenção em Conectores de Chicotes Elétricos

Instalação do isolamento

NOTA: Os isolamentos estão diferenciados pela cor para


três espessuras de cabos.
240
Vermelho — Cabo de 1 mm2 (17 AWG)

–UN–24OCT96
15
2 Verde — Cabo de 1 mm2 (17 AWG)
Cinza — Cabo de 2,5 mm2 (13 AWG)

LX1015909
Montar o isolamento correto no cabo.

IMPORTANTE: O isolamento deve entrar com folga


no cabo, mas não deve haver folga
excessiva entre o isolamento e o
isolamento do cabo.

Descascar o fio aproximadamente 6 mm. Alinhar o


isolamento com a borda de isolamento do fio.

AG,LT04177,1109 –54–22FEB99–4/5

Instalação de um terminal

NOTA: Montar os terminais usando um alicate especial.

O isolamento do cabo é unido ao terminal em uma única


operação.

–UN–24OCT96
A — KML10469

LX1015910

AG,LT04177,1109 –54–22FEB99–5/5

Conector Weather Pack

NOTA: O trator possui conectores de 1 polo a 6 pólos.

A — Terminal macho
B — Terminal fêmea
–UN–26APR95
LX000875

Continua na próxima página AG,LT04177,1110 –54–22FEB99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 240-15-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=22
Manutenção em Conectores de Chicotes Elétricos

Instalação de terminal com retentor

A — KML10019
B — Retentor
240

–UN–26APR95
15
3

LX000878
AG,LT04177,1110 –54–22FEB99–2/2

Extração de Terminais

A — Extrator de terminais

Usar a ferramenta JDG364.

–UN–18OCT94
LX009378
AG,LT04177,1111 –54–22FEB99–1/2

A — Extrator de terminais

–UN–18OCT94
LX009380
AG,LT04177,1111 –54–22FEB99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 240-15-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=23
Manutenção em Conectores de Chicotes Elétricos

Instalação de Terminais

NOTA: Colocar o terminal fêmea no diâmetro


correspondente do alicate especial.
240
A — KLM10019-1

–UN–27NOV95
15
4

LX012371
AG,LT04177,1112 –54–22FEB99–1/1

Substituição de Terminais

Com a ajuda de uma chave de fenda pequena, empurrar


a lingüeta de bloqueio (A). Extrair o cabo do terminal.

Dobrar a lingüeta de bloqueio até sua posição original,

–UN–08NOV95
antes de proceder a instalação de uma nova capa de
terminal.

L114830
AG,LT04177,1113 –54–22FEB99–1/1

Descascador de Fios

A — KLM10019-1

–UN–08NOV95
L107073

AG,LT04177,1114 –54–22FEB99–1/1

Instalação de Um Terminal

Dobrar a lingüeta de bloqueio (A) até sua posição original,


antes de proceder a instalação.
–UN–12OCT94
LX001142

AG,LT04177,1115 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-15-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=24
Grupo 20
Identificação do Multiteste
Medições de Voltagem

As conexões (L) e (M) são de uso geral.

Conecte os cabos do multiteste nos terminais (L - fio


240
vermelho) e (M - fio preto).

–UN–03FEB99
20
1
L — Volts e Ohms — fio vermelho
M — Comum — fio preto
N — miliampéres — fio vermelho

CQ171580
O — Ampéres — fio vermelho

AG,LT04177,1116 –54–22FEB99–1/3

Pela chave rotativa (B), selecione a escala de volts; por


exemplo 20 V.

–UN–03FEB99
CQ171530
AG,LT04177,1116 –54–22FEB99–2/3

Ligue o multiteste no botão (E).

Aperte o botão (G) para que fique selecionada a escala


de DC (H), indicando que o aparelho está pronto para
medir tensões contı́nuas até 20 V.

–UN–03FEB99
AC (H) indica que o multiteste está pronto para medir
tensões alternadas. (rede elétrica).

NOTA: Deve-se ter em mente que as medidas de

CQ171570
voltagem são feitas em paralelo.

E—Liga / desliga
F—Fixa o visor na leitura máxima
G—Seleciona corrente alternada ou contı́nua
H—Indicador de leitura de corrente alternada ou
contı́nua
I—Painel de leitura
J—Seleciona Volts, Ampéres, Ohms ou ºC

AG,LT04177,1116 –54–22FEB99–3/3

MTCQ33711 (13SEP01) 240-20-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=25
Identificação do Multiteste

Medidas de Corrente Elétrica de Pequena


Intensidade

NOTA: Estas medidas devem ser feitas por um técnico


240 experiente que realmente conhece o instrumento
de medidas.

–UN–03FEB99
20
2
Selecione a chave rotativa (C) para 200 mA, por exemplo:

CQ171540
AG,LT04177,1117 –54–22FEB99–1/3

Mude de posição o fio vermelho (L), de V para mA (N).

–UN–03FEB99
CQ171580
AG,LT04177,1117 –54–22FEB99–2/3

Ligue o multiteste. O painel deve informar DC (H) e mA


(J).

O instrumento está pronto para uso.

NOTA: Deve-se ter em mente que as medidas de

–UN–03FEB99
corrente são feitas em série, ou seja, o circuito
elétrico deve ser interrompido.

IMPORTANTE: Não se deve medir correntes maiores


da que foi selecionado pela escala do CQ171570

instrumento.

AG,LT04177,1117 –54–22FEB99–3/3

MTCQ33711 (13SEP01) 240-20-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=26
Identificação do Multiteste

Medida de Corrente Elétrica — Até 10


Ampéres

Selecione a chave rotativa (C) para 10A.


240

–UN–03FEB99
20
3

CQ171540
AG,LT04177,1118 –54–22FEB99–1/3

Mude de posição o fio vermelho para (O).

O fio preto deve permanecer em (M).

–UN–03FEB99
CQ171580
AG,LT04177,1118 –54–22FEB99–2/3

Ligue o multiteste. O painel deve informar DC (H) e A (J).

O instrumento está pronto para uso.

NOTA: Deve-se ter em mente que as medidas de


corrente são feitas em série, ou seja, o circuito

–UN–03FEB99
elétrico deve ser interrompido.

IMPORTANTE: Não se deve medir correntes maiores


da que foi selecionado pela escala do

CQ171570
instrumento.

AG,LT04177,1118 –54–22FEB99–3/3

MTCQ33711 (13SEP01) 240-20-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=27
Identificação do Multiteste

Medidas de Resistência

IMPORTANTE: Tenha certeza de que não há presença


de tensão no componente sob teste;
caso exista, desligue a alimentação do
240
circuito, pois a existência de tensão

–UN–03FEB99
20
4 com o instrumento na escala de
resistência poderá danificar o mesmo.

Gire a chave rotativa (B) para a posição de Ohms

CQ171550
(sı́mbolo de uma ferradura).

Posição dos fios:


Fio preto em COM (M)
Fio vermelho em V (L)

AG,LT04177,1119 –54–22FEB99–1/2

Ligue o multiteste. O painel deve mostrar o sı́mbolo de


Ohms (J) (sı́mbolo de uma ferradura).

O instrumento está pronto para medir resistências, tais


como bobinas de relés, continuidade de fios, aterramento,
contato elétrico nas chaves seletoras de funções, etc.

–UN–03FEB99
CQ171570
AG,LT04177,1119 –54–22FEB99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 240-20-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=28
Identificação do Multiteste

Medidas de Continuidade

Gire a chave seletora de funções (D) para a posição


diodo.
240
Ligue o instrumento. O visor deve mostrar um sı́mbolo de

–UN–03FEB99
20
diodo. 5

O instrumento está pronto para medir continuidade de


diodos em posição direta. Deve-se ouvir um bip durante a

CQ171560
operação de teste.

Invertendo a posição de medição, o painel deve mostrar


OL, que quer dizer circuito aberto.

Esta função também serve para medir continuidade de


fios, aterramento, contato de relés, contato elétrico nas
chaves seletoras de funções, etc.

–UN–03FEB99
Posição dos fios:
—Fio preto COM (M)
—Fio vermelho V (L)

CQ171580
AG,LT04177,1120 –54–22FEB99–1/1

Medições de Temperatura

Gire a chave seletora de funções (P) para temperatura,


por exemplo 200 °C.

Retire as pontas de prova do multı́metro.

–UN–03FEB99
Conecte o termopar na posição (R) TEMP.

Ligue o multiteste.

O painel deve indicar o sı́mbolo de °C, e a temperatura. CQ171590

NOTA: A temperatura medida é a que está submetida a


ponta do termopar.
–UN–03FEB99
CQ171600

AG,LT04177,1122 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-20-5 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=29
Identificação do Multiteste

240
20
6

MTCQ33711 (13SEP01) 240-20-6 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=30
Grupo 25
Circuito de Alimentação e Partida
Circuito de Alimentação e Partida

Componentes principais

O circuito de partida consta de uma bateria, chave geral,


240
relé de partida, interruptor de segurança de partida e

–UN–21SEP98
25
motor de partida. 1

A bateria está instalada sob a plataforma de operação no


lado direito.

CQ162830
Levante o tapete e erga a tampinha para a verificação da
carga da bateria.

AG,LT04177,1124 –54–22FEB99–1/7

O motor de partida está situado ao lado do motor, junto à


caixa do volante do motor.

–UN–24FEB99
CQ171760
AG,LT04177,1124 –54–22FEB99–2/7

O relé de partida está fixado na parte traseira do motor


junto ao fusı́vel geral.

–UN–24FEB99
CQ171750

Continua na próxima página AG,LT04177,1124 –54–22FEB99–3/7

MTCQ33711 (13SEP01) 240-25-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=31
Circuito de Alimentação e Partida

O interruptor de segurança de partida está instalado na


tampa da caixa de câmbio (transmissão SyncroPlus).

240

–UN–09DEC98
25
2

CQ170920
AG,LT04177,1124 –54–22FEB99–4/7

O interruptor de segurança de partida (ver flecha) está


instalado na parte inferior da caixa de câmbio
(transmissão PowrQuad)

–UN–12APR99
CQ184000
AG,LT04177,1124 –54–22FEB99–5/7

Sem cabine

A central de fusı́veis está localizada na plataforma de


operação, do lado esquerdo do assento do operador.

Retire a tampa para ter acesso aos mesmos.

–UN–21SEP98
CQ162840

AG,LT04177,1124 –54–22FEB99–6/7

Tratores com cabine

A central de fusı́veis está localizada na plataforma de


operação, do lado esquerdo do assento do operador.

Retire a tampa para ter acesso aos mesmos.


–UN–13APR99
CQ184010

AG,LT04177,1124 –54–22FEB99–7/7

MTCQ33711 (13SEP01) 240-25-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=32
Circuito de Alimentação e Partida

Localização dos Fusı́veis e Relés — Sem Cabine

240
25
3

–54–24FEB99
CQ163160
Fusı́veis: Relés:
F1 - Partida (30A) K1 - Segurança de partida
F2 - Luzes (30A) K2 - Alimentação da bomba injetora
F3 - Pisca Alerta (20A) K3 - Segurança na TDP
F4 - Conector/Diagnóstico e Programação(10A) K4 - Bloqueio do diferencial
F5 - Solenóide Bomba Injetora (20A) K5 - Faróis de estrada
F6 - Painel de Instrumentos (20A) K6 - Habilita o relé K11
F7 - Interruptor TDP/Interruptor Tração Dianteira K7 - Luzes do freio
Auxiliar (10A) K8 - Faróis de serviço
F8 - Unidade de Controle do Levante Hidráulico - K9 - Pisca esq.
UCLH (10A) K10 - Pisca Dir.
F9 - Faroletes dianteiros/traseiros (20A) K11 - Pisca alerta
F10 - Relé K11/Sinaleiras (20A)
F11 - Relés K5 e K6 (10A)
F12 - Luz alta/baixa (20A)

AG,LT04177,1125 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-25-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=33
Circuito de Alimentação e Partida

Localização dos Fusı́veis e Relés — Com Cabine

240
25
4

–54–12AUG99
CQ171360
Fusı́veis
F1 — Partida (30A) F15 — Compressor do ar-condicionado (10A)
F2 — Luzes (30A) F16 — Rádio / Luz de cortezia (10A)
F3 — Pisca alerta (20A)
F4 — Conector/diagnóstico e programação (10A) Relés
F5 — Solenóide bomba injetora (20A) K1 — Segurança de partida
F6 — Painel de instrumentos (20A) K2 — Alimentação da bomba injetora
F7 — Interruptor TDP e Interruptor da tração dianteira K3 — Segurança da TDP
(10A) K4 — Bloqueio do diferencial
F8 — Unidade de controle de levante hidráulico UCLH K5 — Faróis de estrada
(10A) K6 — Habilita o relé K11
F9 — Faroletes dianteiros/traseiros (25A) K7 — Luzes do freio
F10 — Relé K11/Sinaleiras (20A) K8 — Relé do compressor
F11 — Relé K5 e K6 (10A) K9 — Pisca esquerdo
F12 — Luz alta/baixa (20A) K10 — Pisca direito
F13 — Limpador de para-brisa (20A) K11 — Pisca alerta
F14 — Ventilador do ar-condicionado (30A) K12 — Ventilador

AG,LT04177,1419 –54–12APR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-25-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=34
Circuito de Alimentação e Partida

Bateria

Função: Suprir corrente elétrica para todo o circuito do


trator, quando o motor estiver desligado.
240
Caracterı́stica: Freedom, blindada, não necessita de 25

–UN–19SEP94
manutenção ou reposição de água. Possui um visor que 5
indica o estado de carga da bateria. (verde - carregada, e
preto - falta de carga.)

LX000872
AG,LT04177,1126 –54–22FEB99–1/1

Fusı́vel Geral

Função: Proteger o circuito de partida do motor.

Funcionamento: É um fusı́vel de alta corrente (160 A)


em forma de fio, com a finalidade de se romper quando

–UN–24FEB99
houver uma sobrecarga no chicote elétrico.

CQ171740
AG,LT04177,1127 –54–22FEB99–1/1

Chave Geral

Função: Liga todo o sistema elétrico do trator.

Funcionamento:

–UN–26OCT98
1ª. estágio: Alimenta todos os circuitos do trator.

2ª estágio: Os circuitos permanecem ligados e também


aciona o circuito de partida.

NOTA: Esta chave é protegida por um fusı́vel de 30 A CQ162320


(F1).

AG,LT04177,1128 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-25-5 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=35
Circuito de Alimentação e Partida

Interruptor de Ponto Morto

Função: Dispositivo de proteção que evita que se dê a


partida no motor com a caixa de câmbio engrenada.
240
Funcionamento: Para que se dê partida no motor é

–UN–09DEC98
25
6 necessário que a alavanca de marchas esteja na posição
P (Park).

Permanecer Aberto: Não permite a partida no motor.

CQ170920
Permanecer Fechado: Permite a partida do motor com a
caixa de câmbio engrenada.

–UN–12APR99
CQ184000
Figura superior - SyncroPlus
Figura inferior - PowrQuad
AG,LT04177,1129 –54–22FEB99–1/1

Relé K2

(Ver localização na Central de Fusı́veis neste Grupo)

Função: Serve de proteção para o circuito de partida.

Funcionamento: Desliga o solenóide da bomba injetora


sempre que se fizer ligação direta no motor de partida.

Permanecer em Repouso: Permite a partida normal e


direta, ficando o circuito sem proteção.

Permanecer Comutado: Não permite que se dê partida


normal e direta, porque desativa o solenóide da bomba
injetora .O motor gira sem injeção.

AG,LT04177,1130 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-25-6 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=36
Circuito de Alimentação e Partida

Solenóide da Bomba Injetora

Função: Permitir o fluxo ou não de óleo diesel na bomba


injetora.
240
Funcionamento: Com a chave geral na posição 1, o

–UN–24FEB99
25
solenóide fica energisado, permitindo o funcionamento da 7
bomba injetora.

Solenóide danificado: Corta o fluxo de óleo diesel para

CQ171770
a bomba injetora.

NOTA: Este solenóide está protegido por um fusı́vel de


20 A (F5).

AG,LT04177,1131 –54–22FEB99–1/1

Relé de Partida

Função: Ligar o motor de partida.

Funcionamento: Componente intermediário entre a


chave de partida e o motor de partida, com a finalidade

–UN–24FEB99
de reduzir a corrente elétrica que chega na chave,
prolongando a vida da mesma.

Permanecer em Repouso: Não permite que se dê

CQ171750
partida.

Permanecer Comutado: O motor de partida ficará


rodando continuamente.

AG,LT04177,1132 –54–22FEB99–1/1

Motor de Partida

Função: É um motor elétrico responsável pela partida do


motor diesel.

Funcionamento: Possui um interruptor com contatos de


–UN–24FEB99

alta capacidade de corente elétrica, acionado por uma


bobina elétrica (solenóide), para alimentar o campo do
estator, fazendo girar o motor elétrico.
CQ171760

AG,LT04177,1133 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-25-7 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=37
Circuito de Alimentação e Partida

Relé K1

(Ver localização na Central de Fusı́veis neste Grupo)

Função: Faz parte do circuito de proteção de partida.


240
25
8 Funcionamento: Desabilita o relé K2 no momento da
partida.

Permanecer em Repouso: Não permite que se dê


partida, porque comuta o relé K2.

Permanecer Comutado: Permite a partida normal e


direta, ficando o circuito sem proteção.

AG,LT04177,1134 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-25-8 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=38
Circuito de Alimentação e Partida

Conectores do Circuito de Partida

240
25
9

VM 2.50 (012) 1
CHAVE GERAL
VM 2.50 (012) 2

VM 1.00 (062) 3

VM 2.50 (042) 4

VM 2.50 (022) 5

MR 1.00 (571) 6

CZ 0.50 (388) 8

PT0.50 (010)

MR 1.00 (301)
PT 1.00 (010) RELÉ DE
BR 2.50 (309) PARTIDA

BR 2.50 (309) MOTOR DE


PARTIDA

VM 1.00 (302) BOMBA


INJETORA

–54–27NOV00
CQ201090
CQ201090
506 X 409

AG,LT04177,135 –54–27NOV00–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-25-9 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=39
Circuito de Alimentação e Partida

Circuito de Alimentação e Partida

240
25
10

–54–24FEB99
CQ171860

AG,LT04177,1135 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-25-10 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=40
Grupo 30
Tomada de Potência — TDP
Tomada de Potência — TDP

Tem por função acionar implementos que necessitem do


movimento proveniente do motor do trator.
240
Possui um interruptor localizado no console lateral.Se o

–UN–21SEP98
30
motor para e voltar a funcionar com a TDP ligada, um 1
dispositivo de segurança impede o funcionamento da
TDP. É necessário desligar e voltar a ligar a TDP.

CQ162680
AG,LT04177,1136 –54–22FEB99–1/1

Interruptor da Tomada de Potência

Função: Liga e desliga a transmissão da tomada de


potência.

Funcionamento: Na posição OFF a transmissão

–UN–09OCT98
permanece desligada. Nesta condição o relé K3 fica
energizado, levando tensão até o terminal da chave.Na
posição ON, a chave aciona o solenóide da transmissão,
e a lâmpada piloto no painel de instrumentos.

CQ162130
NOTA: O circuito é protegido por um fusı́vel de 10 A
(F7).

AG,LT04177,1137 –54–22FEB99–1/1

Relé K3

(Ver localização na Central de Fusı́veis em 240-25)

Função: O relé K3 está em série com a chave de


acionamento.

Funcionamento: Ao ligar a chave geral o relé K3 fica


energisado. Ao acionar o interruptor da TDP o relé K3
desliga, passando corrente elétrica pelos seus terminais
para o solenóide da TDP.

Permanecer em Repouso: Ao ligar o interruptor da TDP,


a transmissão da TDP ficará acionada.

Permanecer Comutado: A TDP ficará inoperante.

AG,LT04177,1138 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-30-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=41
Tomada de Potência — TDP

Conectores da TDP

VM 2.50 (012) 1
CHAVE GERAL
VM 2.50 (012) 2

240 VM 1.00 (062) 3


30 VM 2.50 (042) 4
2 5
VM 2.50 (022)
MR 1.00 (571) 6

CZ 0.50 (388) 8

PT0.50 (010)

LR 1.00 (573) 1

INTERRUPTOR
VM 1.00 (032) 3 TDP

AM 1.00 (574) 4

LR 0.50 (573) 9

PT 1.00 (010) A
SOLENÓIDE
DA
AM 1.00 (574) B
TDP

–54–27NOV00
CQ201120

CQ201120
444 X 562

AG,LT04177,136 –54–27NOV00–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-30-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=42
Tomada de Potência — TDP

Circuito da TDP

240
30
3

–54–24FEB99
CQ171870

AG,LT04177,1139 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-30-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=43
Tomada de Potência — TDP

240
30
4

MTCQ33711 (13SEP01) 240-30-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=44
Grupo 35
Tração Dianteira
Funcionamento da Tração Dianteira

A tração dianteira pode ser ligada e desligada em


qualquer marcha de avanço ou retrocesso, sem
necessidade de utilizar a embreagem, mesmo o trator
240
operando sob carga. 35
1
1. Para aumentar a vida útil dos pneus, conectar a tração
dianteira somente quando necessitar. NÃO LIGÁ-LA
ao conduzir o trator em estradas.
2. NÃO INSTALAR correntes nas rodas dianteiras do
trator, isto poderá causar sérios danos ao trator.

AG,LT04177,1140 –54–22FEB99–1/1

Interruptor da Tração Dianteira

Para engrenar e desengrenar a tração dianteira pressione


a tecla (A).

Função: Ligar e desligar a tração dianteira.

–UN–21SEP98
Funcionamento: Na posição OFF a tração dianteira fica
desligada (o solenóide fica energisado). CQ162450

Na posição ON, o solenóide fica desligado.

AG,LT04177,1141 –54–22FEB99–1/1

Solenóide

Função: Desligar a transmissão dianteira do trator.

Funcionamento: Toda vez que receber uma tensão


elétrica proveniente do interruptor, o solenóide é
–UN–09DEC98

energisado, desligando a tração dianteira.

NOTA: O circuito é protegido por um fusı́vel de 10 A


(F7).
CQ170680

AG,LT04177,1142 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-35-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=45
Tração Dianteira

Conectores da Tração Dianteira

VM 2.50 (012) 1
CHAVE GERAL
VM 2.50 (012) 2

240 VM 1.00 (062) 3


35 VM 2.50 (042) 4
2 5
VM 2.50 (022)
MR 1.00 (571) 6

CZ 0.50 (388) 8

PT0.50 (010)

VM 1.00 (032) B
INTERRUPTOR DA
CZ 1.00 (558) A
TRAÇÃO DIANTEIRA

CZ 1.00 (558) A SOLENÓIDE


DA
PT 1.00 (010) B TRAÇÃO
DIANTEIRA

–54–27NOV00
CQ201130
CQ201130
423 X 380

AG,LT04177,137 –54–27NOV00–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-35-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=46
Tração Dianteira

Circuito da Tração Dianteira

240
35
3

–54–24FEB99
CQ171880

AG,LT04177,1143 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-35-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=47
Tração Dianteira

240
35
4

MTCQ33711 (13SEP01) 240-35-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=48
Grupo 40
Bloqueio do Diferencial
Funcionamento do Bloqueio do Diferencial

Se as rodas traseiras patinam em velocidades diferentes,


aplique o bloqueio do diferencial através do botão (A).
240
Para desbloquear o diferencial, pise no pedal do freio.

–UN–21SEP98
40
1
IMPORTANTE: Evite fazer curvas fechadas com o
bloqueio do diferencial acionado para
evitar desgaste prematuro do

CQ162430
conjunto.

Função:Fazer com que a ação do diferencial seja


anulada.

Funcionamento: Quando o trator tracionar os rodados


traseiros, as duas rodas atuarão em conjunto, não
permitindo que uma das rodas patine separadamente.
Para acionar o bloqueio do diferencial, é necessário
acionar o interruptor do bloqueio do diferencial.

Para liberar o diferencial, basta que se acione o pedal do


freio.

AG,LT04177,1144 –54–22FEB99–1/1

Interruptor do Freio

Função: Desbloqueio do diferencial e ligar as luzes do


freio.

Funcionamento: Os pedais dos freios acionam dois

–UN–24FEB99
interruptores em paralelo, de forma que quando os pedais
estão em repouso, o relé K4 fica sem alimentação,
permitindo o uso do bloqueio do diferencial.

CQ171850
Quando o pedal do freio é acionado, o relé K7 é
energisado, ligando as luzes do freio e desbloqueando o
diferencial. Permanecer em Repouso: Não permite
desbloquear o diferencial e as lâmpadas do freio não
acenderão.

Permanecer Comutado: Não se consegue bloquear o


diferencial e as lâmpadas do freio permanecerão ligadas.

AG,LT04177,1145 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-40-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=49
Bloqueio do Diferencial

Relé K7

(Ver localização na Central de Fusı́veis em 240-25) Permanecer em Repouso: Permite o bloqueio do


diferencial, contudo, ao pisar no freio, não acenderão
Função: Permitir o bloqueio do diferencial e acender as lâmpadas do freio e o diferencial não desbloqueará.
240
40 as lâmpadas do freio.
2 Permanecer Comutado: Não permitirá o bloqueio do
Funcionamento: Na posição de repouso permite o diferencial, as lâmpadas de freio ficarão ligadas,
acionamento do bloqueio do diferencial. mesmo sem acionar os pedais do freio.

Na posição de energisado, vai acender as luzes do


freio.

AG,LT04177,1146 –54–22FEB99–1/1

Relé K4

(Ver localização na Central de Fusı́veis em 240-25) Permanecer em Repouso: Não acionará o bloqueio
do diferencial.
Função: Alimentar o solenóide do bloqueio do
diferencial. Permanecer Comutado: Permanecerá bloqueado,
mesmo sem acionar o interruptor do bloqueio do
Funcionamento: É um relé normalmente aberto, que diferencial.
ao ser energisado, se auto sustenta.
Desbloqueando no instante em que estiver com o pé
Na posição fechado (auto sustentado) ele aciona o no freio.
solenóide, mantendo bloqueado o diferencial.

AG,LT04177,1151 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-40-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=50
Bloqueio do Diferencial

Solenóide

Função: Acionar o bloqueio do diferencial.

Funcionamento: É uma bobina que ao ser energisada,


240
acionará o bloqueio do diferencial.

–UN–24FEB99
40
3
Solenóide danificado: Não aciona o bloqueio do
diferencial.

CQ171810
NOTA: Toda a vez que o bloqueio do diferencial for
acionado, acenderá uma lâmpada indicadora no
painel de instrumentos.

AG,LT04177,1152 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-40-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=51
Bloqueio do Diferencial

Conectores do Bloqueio do Diferencial

VM 2.50 (012) 1
CHAVE GERAL
VM 2.50 (012) 2

240 VM 1.00 (062) 3


40 VM 2.50 (042) 4
4
VM 2.50 (022) 5

MR 1.00 (571) 6

CZ 0.50 (388) 8

PT0.50 (010)

VM 050 (032) 2

AZ 0.50 (116) 3 INTERRUPTOR


DO
FREIO

AM 1.00 (514)
INTERRUPTOR
AZ 1.00 (516) DO BLOQUEIO
DO DIFERENCIAL

–54–27NOV00
AZ 1.00 (516)
SOLENÓIDE DO
PT 1.00 (010) BLOQUEIO DO
DIFERENCIAL

CQ201140
CQ201140
464 X 399

AG,LT04177,138 –54–27NOV00–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-40-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=52
Bloqueio do Diferencial

Circuito de Bloqueio do Diferencial

240
40
5

–54–24FEB99
CQ171890

AG,LT04177,1153 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-40-5 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=53
Bloqueio do Diferencial

240
40
6

MTCQ33711 (13SEP01) 240-40-6 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=54
Grupo 45
Circuito de Luzes
Circuito de Luzes

Função: Serve para sinalizar o trator e iluminar quando


em operação noturna.
240
Funcionamento: Possui no painel de instrumentos uma 45
chave, que ao ser acionada, liga as luzes de alerta, pisca 1
direcional, luzes de estrada e campo.

AG,LT04177,1154 –54–22FEB99–1/1

Chave de Luzes

Função: Ligar os circuitos de alerta e iluminação.

Funcionamento: Possui quatro posições descritas a


seguir:

–UN–21SEP98
Posição 1. Posição desligada. (OFF). A chave luzes é
protegida por um fusı́vel de 30 A (F2). (Localização, ver
Central de Fusı́veis).

CQ162210
Posição 2. Energisa os relés K5 e K6, liga o pisca alerta
e habilita a chave do pisca direcional. Também liga a
iluminação do painel de instrumentos. É protegido pelos
fusı́veis F9 de 20 A, F 11 de 10A e F12 de 20A.

Posição 3. Estrada. Liga as duas sinaleiras traseiras.


Permanecem ligados o pisca alerta e os intrumentos do
painel. Possibilita a comutação de luz alta e baixa. É
protegido por um fusı́vel F10 de 20 A.

Posição 4. Campo. Liga os faroletes dianteiros e traseiro.


Desliga o pisca alerta, possibilita a comutação de luz alta
e baixa. Permanecem ligadas as lâmpadas do painel de
instrumentos. É protegido pelos fusı́veis F9 de 20 A e F12
de 20 A.

AG,LT04177,1155 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-45-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=55
Circuito de Luzes

Relé K5

(Ver localização na Central de Fusı́veis em 240-25) Permanecer em Repouso: Com a chave de luzes na
posição 2 liga os faróis de estrada.
Função: Habilita a chave de comutação de luz alta e
240
45 baixa. Permanecer Comutado: Com a chave de luzes em
2 qualquer posição os faróis de estrada não ligam.
Funcionamento: Com a chave de luzes na posição 2,
o relé é energisado os faróis de estrada ficarão
inoperante. Na posição 3 da chave de luzes, o relé
não energisa, permitindo ligar os faróis de estrada.

AG,LT04177,1156 –54–22FEB99–1/1

Chave de Comutação Alta e Baixa

Função: Comutar luz alta e baixa.

Funcionamento: Com a chave de luzes na posição 3 e 4


possibilita a comutação entre luz alta e baixa.

–UN–24FEB99
Chave danificada: Não acenderá os faróis de estrada.
Não ligará os faróis de luz alta ou baixa.

CQ171960
AG,LT04177,1157 –54–22FEB99–1/1

Faróis de Estrada

Função: Iluminar o caminho a percorrer pelo trator e


servir como luzes de sinalização.

Funcionamento: Os faróis se acenderão toda a vez que


a chave de luzes estiver na posição 3 e 4.

AG,LT04177,1158 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-45-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=56
Circuito de Luzes

Relé K6

(Ver localização na Central de Fusı́veis em 240-25) relé do pisca alerta e direcional. Com a chave de
luzes na posição 4 o relé K6 fica desligado do circuito
Função: Habilitar o relé do pisca alerta e direcional elétrico, tornando inoperante o relé do pisca alerta e
240
somente quando a chave de luzes estiver na posição direcional. 45
2 e 3. 3
Permanecer em Repouso: Relé do pisca alerta e
Funcionamento: Com a chave de luzes na posição 2, direcional fica habilitado.
o relé K6 está energisado, habilitando o relé do pisca
alerta e direcional. Com a chave de luzes na posição Permanecer Comutado: Relé do pisca alerta e
3, o relé K6 está em repouso, habilitando novamente o direcional também fica habilitado.

AG,LT04177,1159 –54–22FEB99–1/1

Sinaleiras

Função: Funciona como item de sinalização (Segurança).

–UN–21SEP98
CQ162460
AG,LT04177,1160 –54–22FEB99–1/1

Faroletes Dianteiros e Traseiros

Função: Iluminar o trabalho em operações noturnas.

–UN–21SEP98
CQ162220

AG,LT04177,1161 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-45-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=57
Circuito de Luzes

Relé do Pisca Alerta e Direcional — K11

(Ver localização na Central de Fusı́veis em 240-25) NOTA: Em funcionamento normal, K11 emite um som
caracterı́stico e intermitente.
Função: Gerar um sinal intermitente de corrente
240
45 elétrica necessário para o funcionamento do pisca Permanecer em Repouso: A saı́da de K11 será de
4 alerta e direcional. zero volt.

Funcionamento: Este relé K11 entrará em Permanecer Comutado: A saı́da será de 12 V


funcionamento toda a vez que receber alimentação do contı́nua.
relé K6. Na saı́da emitirá um sinal intermitente para os
relés K9 e K10.

AG,LT04177,1162 –54–22FEB99–1/1

Relé K8

(Ver localização na Central de Fusı́veis em 240-25)

Função: ligar os dois faroletes dianteiros e traseiros

Funcionamento: com a chave de luzes na 3ª posição, o


relé K8 fica energizado, acendendo os faroletes.

Este circuito é protegido pelo fusı́vel F9 de 20 A.

AG,LT04177,1206 –54–24FEB99–1/1

Relé K9

(Ver localização na Central de Fusı́veis em 240-25) Permanecer em Repouso: Não acende a lâmpada do
pisca alerta esquerdo.
Função: Ligar com sinal intermitente o pisca alerta
esquerdo. Permanecer Comutado: A lâmpada do pisca alerta
esquerdo ficará continuamente acesa.
Funcionamento: O relé K9 recebe um sinal
intermitente do relé K11, que faz com que ele comute
no mesmo ritmo de K11, ligando e desligando o pisca
alerta esquerdo.

AG,LT04177,1163 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-45-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=58
Circuito de Luzes

Relé K10

(Ver localização na Central de Fusı́veis em 240-25) Permanecer em Repouso: Não acende a lâmpada do
pisca alerta direito.
Função: Ligar com sinal intermitente o pisca alerta
240
direito. Permanecer Comutado:A lâmpada do pisca alerta 45
direito ficará continuamente acesa. 5
Funcionamento: O relé K10 recebe um sinal
intermitente do relé K11, que faz com que ele comute NOTA: Os relés K9 e K10, e a chave direcional
no mesmo ritmo de K11, ligando e desligando o pisca acendem as lâmpadas de aviso no painel de
alerta direito. instrumentos.

AG,LT04177,1164 –54–22FEB99–1/1

Chave Direcional do Pisca

Função: Ligar o pisca esquerdo e direito (B).

Funcionamento: Recebe alimentação contı́nua do relé


K6 na entrada, e toda a vez que a chave direcional for

–UN–21SEP98
comutada para a esquerda ou direita, ligará a sinaleira
oposta, permanecendo a outra sinaleira a piscar,
recebendo um sinal intermitente do relé correspondente.

CQ162230
Permanecer Ligada: Toda a vez que a chave de luzes
for comutada para a posição 2 ou 3, as luzes alta ou
baixa permanecerão ligadas.

Permanecer Desligada (contatos queimados): As luzes


alta e baixa não acenderão.

AG,LT04177,1165 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-45-5 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=59
Circuito de Luzes

Bloco de Diodos

Para localizar, ver flecha na figura

Função: Conduzir corrente elétrica somente em um


240
45 sentido e manter separado os dois circuitos das luzes do
6 pisca alerta e direcional esquerda e direita.

Funcionamento: Cada diodo recebe corrente elétrica dos


relés K9 e K10 e fornecem uma amostra desta corrente
ao relé do pisca direcional K11.

Diodos em Curto Circuito: Ao ser acionado o pisca


alerta ou as luzes direcionais, as luzes do pisca alerta
esquerda e direita permanecerão acesas (não piscam).

Diodos Interrompidos: O funcionamento das luzes do


pisca alerta e direcional é normal, somente o tempo de
comutação do relé K11 (relé do pisca direcional) é mais

–54–01NOV00
lento.

CQ200780
AG,LT04177,1166 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-45-6 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=60
Circuito de Luzes

Conectores do Circuito de Iluminação

VM 2.50 (012) 1
CHAVE GERAL
VM 2.50 (012) 2

VM 1.00 (062) 3 240


VM 2.50 (042) 4 45
7
VM 2.50 (022) 5

MR 1.00 (571) 6

CZ 0.50 (388) 8

PT0.50 (010)

CZ 1.50 (118) M

AM 1.50 (124) H
BR 1.00 (129) L CHAVE
DE
CZ 1.50 (158) C LUZ
VM 4.00 (122) B

AM 1.50 (114)
CHAVE
VL 1.50 (117) COMUTADORA
BR 1.50 (119) ALTA / BAIXA

LR 1.50 (103) 49a

VD 1.00 (125) L CHAVE


DIRECIONAL
VD 1.00 (115) R

PT 0.50 (050 K11 2)


MR 0.50 (141 K11 5)
AZ 0.50 (126 K11 8) RELÉ DO
PISCA
VL 0.50 (127 K11 4)
DIRECIONAL
AZ 0.50 (126 K11 1)

BR 1.00 (119) 2

AM 1.00 (114) 3 FAROL FAROL


E
ESQUERDO DIREITO
PT 1.00 (010) 1

VD 1.00 (125) A

CZ 1.00 (128) B
SINALEIRA
AZ 1.00 (136) C ESQUERDA

PT 1.00 (010) D

VD 1.00 (115) A
–54–27NOV00

CZ 1.00 (128) B
SINALEIRA
AZ 1.00 (136) C DIREITA

PT 1.00 (010) D
CQ201170

CQ201170
512 X 584
AG,LT04177,139 –54–27NOV00–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-45-7 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=61
8
45
240

512 X 584
CQ201380
002 B+ 12V

MTCQ33711 (13SEP01)
F9 25A

F2 30A
134
CHAVE DE LUZES RELÉ DO
PISCA F3 20A
OFF K11
Circuito Elétrico de Iluminação

ALERTA
ESTRADA 126 1 102 Indic Indic
1
CAMPO 126 127 Temp. Comb.
DETENTES 8 6 127
6 3
B 122 4 86 30 86 30
124 5
H 2 K9 K10

F10 126 2 85 87 87A 85 87 87A


20A 128

126
M
118 49A
L F11 10A 131
129

132
124
141
050

050
125

131
050
115

F12 20A
C

240-45-8
L R
OFF
158 134

128
86 30 86 86 ESQUERDO

DIREITO
30 30
NEGATIVO
Circuito de Luzes

NEGATIVO

K5 K6 K8 7 115 115

131
87A 87 85 87A 87 85 87A 87 85 8 9 125 125

Bloco Simb
Simb
Pisca
136

de Pisca
Diodos Dir
C A Esq
136

050

ALTA
BAIXA
119
050

050
LUZES DO FREIO (2)

PISCA ALERTA DIR (2) 115

SINALEIRA (2) 128


RELE DO FREIO

PISCA ALERTA ESQ (2) 125


NEGATIVO

LUZ ALTA (2)


LUZ BAIXA (2) 114
FARO DIAN 147
NEGATIVO

FARO TRAS 147

SE2
010 SE4 SE4
010 010 010 010 010 010 010 SE5
050 SPG

AG,LT04177,1167 –54–22FEB99–1/1
CQ206150 –54–05JUN01

Tratores John Deere — Oper. e Testes


PN=62
091301
Grupo 50
Circuito de Recarga da Bateria
Circuito de Recarga da Bateria

Função: Fornecer corrente elétrica para todos os


instrumentos elétricos do trator e recarga da bateria.
240
Funcionamento: Este circuito estará em operação 50
sempre que o motor diesel estiver em funcionamento. 1

AG,LT04177,1168 –54–22FEB99–1/1

Alternador

Função: Gerador de corrente elétrica para os circuitos


elétricos do trator.

Funcionamento: Passa a fornecer corrente elétrica toda

–UN–21SEP98
a vez que o motor diesel é colocado em funcionamento.
Em operação normal (motor diesel em alta rotação), ele
deve fornecer no mı́nimo 12V, no máximo 14,5 V, e
corrente máxima de 52 A.

CQ162850
Não carrega: Os fios podem estar oxidados, quebrados
ou soltos. O regulador de voltagem pode estar danificado
ou com as escovas (carvão) gastas. A correia do
alternador pode estar frouxa. Pode haver danos internos
como diodos queimados ou bobinas em curto circuito.

Carrega em excesso: Verificar o regulador de voltagem.

AG,LT04177,1169 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-50-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=63
Circuito de Recarga da Bateria

Lâmpada Indicadora

–UN–03NOV98
Função: Avisar toda a vez que o circuito de carga está
inoperante.
240
50 Funcionamento: Ao girar a chave de ignição para o

CQ160760
2 primeiro estágio, a lâmpada indicadora (A) acenderá,
neste instante ela fornecerá uma corrente elétrica
necessária para excitar o alternador. Quando o alternador
passar a fornecer corrente elétrica, a lâmpada indicadora
apagará, indicando que o circuito está em carga.

Lâmpada queimada: O alternador não será excitado,


portanto não entrará em funcionamento.

Lâmpada acesa: Mesmo com o motor diesel em


funcionamento, indica que o circuito de carga está
inoperante.

AG,LT04177,1170 –54–22FEB99–1/1

Horı́metro

Função: Marcar as horas de funcionamento do motor


diesel.

Funcionamento: Está ligado ao D+ do alternador. Toda a

–UN–21SEP98
vez que o alternador estiver em carga, o horı́metro estará
em funcionamento.

Não funciona: Toda a vez que o alternador não gerar


corrente elétrica, o horı́metro também não funcionará, ou CQ162200

o horı́metro pode estar danificado.

AG,LT04177,1171 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-50-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=64
Circuito de Recarga da Bateria

Gases Explosivos

CUIDADO: Proteja os olhos e o rosto. Cigarros


acesos, chamas ou centelhas poderão explodir
a bateria. Não carregue nem ajuste as conexões 240
dos pólos sem treinamento e instruções 50

–UN–23AUG88
3
adequadas.

CUIDADO: Veneno — Causa queimaduras


graves por conter ácido sulfúrico. Evite o

TS204
contato com a pele, olhos ou roupas. No caso
de acidente, lave com água corrente e chame
um médico imediatamente.

AG,LT04177,1172 –54–22FEB99–1/1

Regras Importantes

• Sempre desconecte o cabo negativo antes.


• Não bata na bateria ou a incline mais do que 45º.
• Remova a corrosão (zinabre) dos terminais e do
suporte antes de instalar uma nova bateria.

–UN–19SEP94
• Instale a bateria nivelada e aperte as conexões
conforme especificação.
Torque de aperto entre 5,6 a 7,9 Nm (0,6 a 0,8 Kg.m; 4 a
5 lb-ft).

LX000872
• Sempre conecte o cabo negativo por último.

AG,LT04177,1173 –54–22FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-50-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=65
Circuito de Recarga da Bateria

Teste de Uma Bateria Delco Freedom

Passo 1 - Inspeção visual:

Verifique a ocorrência de danos óbvios, tais como


240
rachaduras ou caixa e tampa quebradas, que permitem a

–UN–24FEB99
50
4 perda de eletrólito. Se observar quaisquer danos fı́sicos
evidentes, substitua a bateria. Determine a causa dos
danos e corrija.

CQ171990
Passo 2 - Verificação do Indicador de Teste Observe o
indicador de teste e proceda conforme recomendado:
A — VERDE: estado de carga suficiente para teste. Vá
para o passo 3.
B — ESCURO: estado de carga insuficiente para o teste.
Recarregue a bateria (ver Recarga da Bateria) até que o
ponto verde fique visı́vel.
C — CLARO: Indica nı́vel baixo de eletrólito. Substitua a
bateria e verifique o sistema elétrico do trator.

AG,LT04177,1174 –54–23FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-50-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=66
Circuito de Recarga da Bateria

Recarga da Bateria

As seguintes regras básicas aplicam-se a quaisquer do que o dobro da recarga de uma bateria de
condições de recarga da Bateria Delco Freedom. veı́culo pequeno (pequena) e totalmente
descarregada.
240
• Não carregue a bateria com o indicador de teste • Temperatura. Exemplo: uma bateria a -23°C requer 50
claro; neste caso, substitua a bateria. um tempo de recarga muito maior do que se 5
• Taxas de recarga entre 3 e 50 ampères são estivesse a 27°C.Quando um recarregador rápido é
geralmente satisfatórias, desde que não ocorra conectado a uma bateria fria, no inı́cio a corrente
vazamento de eletrólito ou que a bateria fique será muito baixa, porém, à medida que a bateria for
excessivamente quente (cerca de 50°C), a corrente aquecendo, irá aceitar uma corrente maior.
de recarga deve ser reduzida ou interrompida • Estado de carga. Exemplo: uma bateria
temporariamente para permitir o resfriamento. A completamente descarregada requer mais do que o
temperatura da bateria pode ser estimada dobro da recarga de uma bateria com meia carga.
tocando-se a caixa ou sentindo a temperatura da Em virtude de o eletrólito ser praticamente água e
mesma. não ser bom condutor em uma bateria totalmente
• A bateria está com carga suficiente quando o ponto descarregada, a corrente aceita é muito baixa a
verde no indicador de teste estiver visı́vel. Não é princı́pio. Em seguida, à medida que a corrente de
necessário recarga adicional. Balance ou incline recarga provoca o aumento do teor de ácido do
(máximo 45°) a bateria durante a recarga para soltar eletrólito, a corrente de recarga também irá
eventuais bolhas que possam prender o flutuador de igualmente aumentar.
teste e veja se o ponto verde aparece. • Capacidade do recarregador. Exemplo: um
O tempo necessário para a recarga irá variar em recarregador com capacidade para fornecer apenas
virtude de: 5 ampères irá requerer um tempo mais longo do
• Tamanho da bateria. Exemplo: uma bateria Heavy que um recarregador com capacidade para fornecer
Duty (grande) totalmente descarregada requer mais 30 ampères ou mais.

AG,LT04177,1175 –54–23FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-50-5 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=67
Circuito de Recarga da Bateria

Recomendações Importantes

Utilize preferencialmente o método de recarga em


paralelo.
240
Utilize um recarregador com tensão final de carga de 16

–UN–24FEB99
50
6 volts, equipado com voltı́metro com precisão de 1%.

Siga as instruções do fabricante do recarregador. No


inı́cio, a disponibilidade de corrente pode não ser

CQ171990
suficiente para manter 16 volts, mas esta voltagem deve
ser atingida no final, para assegurar uma recarga
suficiente.

Se a bateria inicialmente estiver profundamente


descarregada, poderá demorar bastante tempo para
aceitar corrente de carga. Verifique periodicamente a
temperatura, vazamento de eletrólito ou excessiva
formação de gases. Reduza ou interrompa a recarga
nestes casos até a temperatura abaixar.

A temperatura máxima do eletrólito recomendada é de


52°C.

No final da recarga, a bateria apresentará indicador de


teste verde.Se o indicador de teste ainda estiver escuro,
verifique se as conexões elétricas estão limpas e
adequadas, e então repita a recarga. Se o ponto verde
ainda não aparecer, substitua a bateria.

A área de recarga deve ser bem ventilada.

Observe todas as recomendações de segurança.

AG,LT04177,1176 –54–23FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-50-6 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=68
Circuito de Recarga da Bateria

Teste do Alternador

1 - Inspeção Visual

Verifique se a correia do alternador e os cabos da bateria


240
e do alternador estão apertados e em bom estado. 50
7
1 - Verificação do Alternador

Conecte um voltı́metro em paralelo com o alternador,


ligando o terminal positivo do voltı́metro no terminal de
saı́da do alternador, e o terminal negativo do voltı́metro
em um ponto de massa próximo do alternador.

Com o motor desligado, a leitura do voltı́metro deve estar


entre 12 e 13 volts.

Ligue o motor em rotação moderada (aproximadamente


1.500 rpm). Observe o valor da tensão na saı́da do
alternador. Este valor deve estar entre 13,5 V e 14,7 V.

–UN–24FEB99
Se o valor obtido estiver fora desta faixa, o
alternador/regulador de voltagem deve ser reparado.

Conecte o voltı́metro em paralelo com a bateria —

CQ172030
observe a polaridade e se o indicador de teste está verde.
Observe o valor de tensão da bateria. Este valor também
deve estar entre 13,5 V e 14,7 V.
Para valores fora dessa faixa, verifique os cabos quanto a
conexões ou alta resistência elétrica, que podem estar
provocando uma diferença de tensão entre a saı́da do
alternador e a bateria.

–UN–24FEB99
CQ172040

AG,LT04177,1177 –54–23FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-50-7 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=69
Circuito de Recarga da Bateria

Conectores do Circuito de Carga da Bateria

VM 2.50 (012) 1
CHAVE GERAL
VM 2.50 (012) 2

240 VM 1.00 (062) 3


50 VM 2.50 (042) 4
8
VM 2.50 (022) 5

MR 1.00 (571) 6

CZ 0.50 (388) 8

PT0.50 (010)

VM 1.00 (072) 1
REGULADOR
2 DE
PT 1.00 (010) VOLTAGEM

VM 1.00 (082)
D+ ALTERNADOR

–54–27NOV00
CQ201180
CQ201180
506 X 409

AG,LT04177,140 –54–27NOV00–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-50-8 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=70
Circuito de Recarga da Bateria

Circuito de Carga da Bateria

Fusível Geral
240
50
Chave Geral 9
+

BATERIA
12 v A OFF
(9)
B AUX

A OFF
F1 30A

ACESSÓRIO F6
20A
OFF
ON
DETENTES PARTIDA

002
LIGADO
012

4 (ALX) SIMBOLIZADOR
RECARGA
BATERIA
BAT
6 (ST)
(5)
BAT
5 (IGN) 002

(6)

002
050 SPG

3 (ACC)

B L
7 (AUX) HORÍMETRO
G
CARCAÇA

8 (GND)

ALTERNADOR
55 A
388

NEGATIVO

SE7 SE7
050 SPG
–54–25JUN01

050
SPG
CQ206720

CQ206720
512 X 584

AG,LT04177,1178 –54–23FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-50-9 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=71
Circuito de Recarga da Bateria

Check de Uma Bateria — Fluxograma


Falha na
Partida

240 Verifique o indicador


50 de Teste
10

Claro A cor do Verde


Indicador
Está?

Preto
Efetue a Recarga

Não Indicador Sim


Verde?
Teste a Bateria
Substitua a Bateria

Não Bateria
OK?

Sim
Verifique Correia /
Cabos / Terminais do
Alternador e da Bateria

Repare o Alternador / Teste o Alternador


Regulador de
Voltagem

Não Alternador
OK?

Sim
Localise e Elimine o Verifique a Corrente
Consumo Elevado de de Fuga
Corrente

Não Valores
Elevados?

Sim
Teste o Motor
Repare o Motor de de Partida
Partida
–54–05JUN01

Não Motor de
Partida
OK?
Sim
CQ206160

Sistema de Recarga e
Partida OK.

AG,LT04177,1179 –54–23FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-50-10 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=72
Grupo 55
Monitoração do Trator
Instrumentos do Painel

Função: É um conjunto de instrumentos e lâmpadas que


servem para sinalizar/alertar e indicar ao operador as
condições de funcionamento do trator.
240

–UN–21SEP98
55
Funcionamento: Os instrumentos do painel são 1
alimentados pela chave geral e, cada instrumento ou
lâmpada indicadora está ligada a um sensor
correspondente.

CQ162150
A—Indicador de Restrição do filtro do óleo
hidráulico da Transmissão
B—Indicador de Restrição do Filtro de Ar.
C— Indicador de Pressão do óleo do Motor.
D—Horı́metro.
E—Indicador de Acionamento da TDP.
F—Indicador do Bloqueio do Diferencial.
G—Indicador de Carga da Bateria.
H—Indicador temperatura do refrigerante do
motor.
I—Tacômetro.
J—Indicador de Combustı́vel.
K—Indicador do Pisca Direcional.

AG,LT04177,1180 –54–23FEB99–1/1

Indicador de Temperatura — Termômetro

Função: Indica a temperatura de trabalho do motor.

Funcionamento: É alimentado pela chave geral, e


recebe corrente elétrica proveniente do sensor de

–UN–21SEP98
temperatura localizado no motor do trator.

Indica temperatura errada: O sensor ou o instrumento


podem estar danificados.

NOTA: O indicador de temperatura possui uma lâmpada CQ162190


que serve para iluminação deste instrumento.

AG,LT04177,1181 –54–23FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-55-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=73
Monitoração do Trator

Sensor de Temperatura

Função: Variar a resistência conforme a temperatura de


trabalho do motor.
240
Funcionamento: A resistência interna deste sensor varia

–UN–24FEB99
55
2 com a temperatura, consequentemente a corrente
enviada ao termômetro será maior ou menor.

Danificado: Sempre que o painel de instrumentos estiver

CQ171780
em funcionamento, o termômetro indicará sempre a
mesma temperatura.

AG,LT04177,1182 –54–23FEB99–1/1

Indicador de Combustı́vel

Função: Indicar a quantidade de combustı́vel no


reservatório.

Funcionamento: Ao receber alimentação da chave geral,

–UN–21SEP98
e corrente elétrica proveniente da bóia, o indicador de
combustı́vel indica a quantidade de combustı́vel no
reservatório.

CQ162180
Indica a quantidade errada de combustı́vel: A bóia ou
o indicador podem estar danificados ou somente a bóia
pode estar trancada.

NOTA: O indicador de combustı́vel possui uma lâmpada


que serve para iluminação deste instrumento.

—Bóia sensora de combustı́vel


A—Terminal do potenciômetro
–UN–24FEB99

B—Ponto de aterramento
CQ181660

AG,LT04177,1183 –54–23FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-55-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=74
Monitoração do Trator

Sensor de Pressão do Óleo do Motor

Função: É um interruptor normalmente fechado que é


aberto atrvés da pressão do óleo do motor.
240
Funcionamento: No instante em que o motor está

–UN–24FEB99
55
desligado, o sensor de pressão está fechado, mantendo a 3
lâmpada indicadora acesa no painel. Com o motor em
funcionamento a pressão de óleo (1bar no mı́nimo a 850
rpm) é suficiente para abrir os contatos do sensor de

CQ166080
pressão, desligando a lâmpada no painel.

AG,LT04177,1184 –54–23FEB99–1/1

Tacômetro do Motor

Função: Serve para indicar a rotação de trabalho do


motor.

Funcionamento: Com o motor diesel em funcionamento,

–UN–24FEB99
o tacômetro recebe pulsos de corrente elétrica
proveniente do sensor de rotação. Ao receber um número
de pulsos maior, o tacômetro indicará uma rotação maior.

CQ171800
Indica a rotação errada do motor: O tacômetro ou o
sensor de rotações podem esta danificados.

AG,LT04177,1185 –54–23FEB99–1/1

Sensor de Rotação

Função: Serve para enviar pulsos de corrente elétrica ao


tacômetro.

Funcionamento: Estando o motor diesel em


–UN–24FEB99

funcionamento, este sensor envia corrente elétrica


pulsante ao tacômetro.

Não indica a rotação: A bobina do sensor pode estar


CQ171950

queimada ou aberta, fio do sensor solto ou o tacômetro


no painel de instrumentos pode estar danificado.

AG,LT04177,1186 –54–23FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-55-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=75
Monitoração do Trator

Indicador de Pressão do Óleo do Motor

–UN–03NOV98
Função: Indicar a pressão do óleo do motor diesel.

Funcionamento: É alimentado pela chave geral. Toda a


240
55 vez que a pressão de óleo estiver baixa (motor parado ou

CQ160770
4 baixa pressão de lubrificação), um sensor localizada no
bloco do motor aterra o fio proveniente da lâmpada do
painel de instrumentos.

Lâmpada sempre acesa: Sensor de pressão do óleo do


motor danificado ou pressão de lubrificação muito baixa.

Lâmpada não acende: A lâmpada pode estar queimada,


fios soltos ou sensor danifica.

AG,LT04177,1187 –54–23FEB99–1/1

Indicador de Restrição do Filtro de Ar

Função: Avisa ao operador que o filtro de ar precisa ser


limpo ou trocado.

Funcionamento: É alimentado pela chave geral do trator.

–UN–17SEP98
Um sensor localizado junto a admissão de ar do motor
aterra ou não o fio da lâmpada do painel de instrumentos,
conforme a depressão de ar.

CQ160790
Lâmpada sempre acesa: Sensor do filtro de ar
danificado ou filtro de ar sujo.

Lâmpada não acende: A lâmpada pode estar queimada,


fio solto ou sensor danificado.

AG,LT04177,1188 –54–23FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-55-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=76
Monitoração do Trator

Sensor de Restrição do Filtro de Ar

Função: Comuta sempre que houver depressão na


admissão de ar.
240
Funcionamento: O sensor funciona como uma chave

–UN–24FEB99
55
normalmente aberta. 5

Permanecer fechado: A lâmpada do filtro de ar vai


permanecer ligada.

CQ171730
Permanecer aberto:A lâmpada do filtro de ar não vai
acender quando a pressão de óleo baixar.

AG,LT04177,1189 –54–23FEB99–1/1

Indicador de Restrição do Filtro de Óleo da


Transmissão

Função: Avisar ao operador que o filtro da transmissão


deve ser trocado.

–UN–24FEB99
Funcionamento: A lâmpada simbolizadora de restrição
do filtro de óleo da transmissão recebe alimentação da
chave geral. Toda a vez que o sensor do filtro da
transmissão comutar (fazer aterramento), a lâmpada

CQ171790
indicadora do painel vai acender.

AG,LT04177,1190 –54–23FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-55-5 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=77
Monitoração do Trator

Sensor do Filtro de Óleo da Transmissão

Sensor do Filtro de Óleo da Transmissão (B)

Função: Comuta (abre ou fecha) sempre que houver


240
restrição no filtro da transmissão.

–UN–16DEC99
55
6
Funcionamento: O sensor (B) é uma chave normalmente
aberta, que fecha sempre que houver restrição no filtro,
fazendo com que a lâmpada indicadora acenda no painel

CQ194440
de instrumentos.

Sensor de Temperatura do Óleo da Transmissão (D)


A—Sensor de pressão de óleo da transmissão
Função: Comuta (abre) sempre que a temperatura o óleo B—Sensor de restrição do filtro de óleo da
transmissão
for baixa. C—Sensor de alta temperatura do óleo da
tranmissão
Funcionamento: O sensor de temperatura (D) é uma D—Sensor da baixa temperatura do óleo da
chave normalmente fechada, que abre sempre que a transmissão
temperatura do óleo hidráulico for baixa, impedindo que a
lâmpada do painel indique que o filtro está obstruı́do.
Quando o óleo está na temperatura de trabalho, este
sensor fica fechado, abilitando o funcionamento normal do
sensor do filtro de óleo da transmissão.

IMPORTANTE: Ao substituir o chicote elétrico em


tratores PowrQuad com número de
série abaixo de 10028, deve-se
também instalar o sensor de baixa
temperatura (D), ou conectá-lo ao
novo chicote se ele já existe. Se esta
operação não for feita, a luz do sensor
de obstrução do filtro nunca irá
acender.

AG,LT04177,1191 –54–23FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-55-6 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=78
Monitoração do Trator

Sensor de Baixa Pressão do Óleo da


Transmissão

O sensor de baixa pressão do óleo da transmissão (A)


liga a lâmpada indicadora no painel de instrumentos 240
sempre que a pressão cair abaixo de 10,5 bar.

–UN–16DEC99
55
7
IMPORTANTE: Caso a lâmpada ligar, pare
imediatamente o trator e verifique a
causa.

CQ194440
A—Sensor de baixa pressão de óleo da transmissão
B—Sensor de restrição do filtro de óleo da
transmissão
C—Sensor de alta temperatura do óleo da tranmissão
D—Sensor da baixa temperatura do óleo da
transmissão

AG,LT04177,127 –54–07NOV00–1/1

Sensor de Alta Temperatura de Óleo da


Transmissão

O sensor de alta temperatura do óleo da transmissão (C)


liga a lâmpada indicadora no painel de instrumentos
sempre que a temperatura for superior a 105°C.

–UN–16DEC99
IMPORTANTE: Caso a lâmpada ligar, pare
imediatamente o trator e verifique a
causa.

CQ194440
A—Sensor de baixa pressão de óleo da transmissão
B—Sensor de restrição do filtro de óleo da
transmissão
C—Sensor de alta temperatura do óleo da tranmissão
D—Sensor da baixa temperatura do óleo da
transmissão

AG,LT04177,128 –54–07NOV00–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-55-7 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=79
Monitoração do Trator

Bloco de Diodos

Ver flecha na figura

Função: Testar as lâmpadas simbolizadoras do filtro de


240
55 ar e do filtro da transmissão.
8
Funcionamento: Quando a chave geral estiver na
posição de partida, nesta posição a chave geral aterra um
lado dos diodos, fazendo com que estes conduzam
corrente elétrica ligando as luzes simbolizadoras do filtro
de ar e da transmissão.

Diodos abertos: As lâmpadas não serão testadas


durante o perı́odo de partida do motor diesel.

Diodos em Curto: As duas lâmpadas simbolizadoras


permanecerão acesas, mesmo com os sensores em bom
estado.

–54–01NOV00
CQ200780
AG,LT04177,1192 –54–23FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-55-8 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=80
Monitoração do Trator

Conectores do Circuito Elétrico dos Instrumentos

240
VM 0.50 (072) RESTRIÇÃO 55
FILTRO 9
AM 0.50 (704) HIDRÁULICO
VM 0.50 (072) PRESSÃO
ÓLEO DA
VL 0.50 (507)
TRANSMISSÃO
VM 0.50 (072)
TEMPERATURA
CZ 0.50 (508) ÓLEO
TRANSMISSÃO

CZ 1.00 (208) 1
BOMBA
PT 1.00 (050) 2 DE
ÁGUA

PT 0.50 (050) B PRESSÃO


VL 0.50 (507) A DE ÓLEO
DA TRANSMISSÃO

BR 0.50 (505) A FILTRO DE


ÓLEO
VD 0.50 (509) B
DA
TRANSMISSÃO

VD 0.50 (325) A SENSOR DE


B ROTAÇÃO
PT 0.50 (050)
DO MOTOR

VL 0.50 (347) SENSOR DE


PRESSÃO DO
ÓLEO DO MOTOR

BR 0.50 (509) SENSOR DE


BAIXA TEMPERATURA
DO ÓLEO DA TRANSMISSÃO

BR 0.50 (559) SENSOR DE


TEMPERATURA
DA ÁGUA

CZ 0.50 (508) SENSOR DE ALTA


TEMPERATURA DO
ÓLEO DA TRANSMISSÃO
–54–27NOV00

LR 1.00 (353) A
BÓIA DE
PT 1.00 (050) B COMBUSTÍVEL
CQ201190

CQ201190
512 X 584

Continua na próxima página AG,LT04177,141 –54–27NOV00–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 240-55-9 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=81
Monitoração do Trator

VD 0.50 (505) 1
240 AM 0.50 (574) 2
55 MR 0.50 (351) 3
10
VM 0.50 (082) 5
VM 0.50 (082) 6
AZ 0.50 (516) 7
VL 0.50 (347) 8
PAINEL
VM 1.00 (072) 9
10
DE
VD 0.50 (325)
INSTRUMENTOS
AM 0.50 (134) 11

PT 0.50 (050) 13
LR 1.00 (353) 14
VD 0.50 (125) 15
VD 0.50 (107) 16
BR 0.50 (359) 17

MR 0.50 (351) SENSOR


PT 0.50 (050) DO
FILTRO DE AR

PRESSOSTATO DO FILTRO DE
AM 0.50 (704) A ÓLEO HIDRÁULICO
PT 0.50 (010) B TRATORES COM BOMBA
DE 100 LITROS

–54–05JUN01
CQ206170
CQ206170
506 X 409

Continuação

AG,LT04177,141 –54–27NOV00–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 240-55-10 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=82
512 X 584
CQ200940

MTCQ33711 (13SEP01)
Fusível Geral
002 B+ 12V

Chave Geral

+
BATERIA
12 v A OFF
B AUX 134 INST PWR

A OFF LT PWR
F1 30A 11

ACESSÓRIO
F6 30A
OFF
ON
DETENTES PARTIDA
Circuito Elétrico dos Instrumentos

LIGADO

ILUMINAÇÃO
ALIMENTAÇÃO
INDICADOR INDICADOR TACÔMETRO

012
ILUMINAÇÃO
ALIMENTAÇÃO
COMBUSTÍVEL MOTOR
4 (ALX) TEMPERATURA

022
BAT
6 (ST)

FILTRO DE AR

PRESSÃO DO ÓLEO
FILTRO DA TRANSMISSÃO

BAT
5 (IGN)
PRESSÃO (BAIXA) ÓLEO DA TRANSMISSÃO
TEMPERATURA DO ÓLEO DA TRANSMISSÃO

RESTRIÇÃO DO FILTRO HIDRÁULICO (100 L)

3 (ACC)

050 SPG
BLOCO DE BLOCO DE

240-55-11
7 (AUX)
507
508

505

DIODOS DB1 DIODOS DB2


351
704

347

CARCAÇA

359
353
325
1 2 3 4 5 1 2 3

NEGATIVO
NEGATIVO
NEGATIVO
NEGATIVO
NEGATIVO
Monitoração do Trator

8 (GND)
388

SENSOR
SENSOR SE1
ÓLEO DO
FILTRO DA
MOTOR
TRANSM
NEGATIVO P P P P t
P
SENSOR DE SENSOR SENSOR SENSOR
388

SENSOR
388

ROTAÇÃO FILTRO OBSTRUÇÃO PRESSÃO TEMPERATURA


DO MOTOR DE AR FILTRO ÓLEO DA ÓLEO DA
t HIDR. TRANSM TRANSM.
SENSOR DE BÓIA DE

388
TEMPERATURA COMBUSTÍVEL SENSOR
SE1 SE1
DO MOTOR BAIXA
TEMP

SE7
050 SPG

AG,LT04177,1193 –54–23FEB99–1/1
CQ200940 –54–08NOV00

Tratores John Deere — Oper. e Testes


PN=83
091301
11
55
240
Monitoração do Trator

240
55
12

MTCQ33711 (13SEP01) 240-55-12 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=84
Grupo 60
Unidade de Controle de Levante — HCU
Unidade de Controle de Levante — HCU

Muitas funções do trator anteriormente eram atuadas por


funções mecânicas ou hidráulicas comandadas pelo
operador, agora são automáticas e comandadas
240
eletronicamente. 60
1
Para começar, uma Unidade de Controle de Levante
(HCU) foi adotada.
Este dispositivo eletrônico recebe informações dos
sensores, do operador e, processa as informações
recebidas providenciando o controle de diversos
componentes elétro-hidráulicos.

NOTA: A Unidade de Controle é definida como um


dispositivo que gera códigos de diagnóstico.

AG,LT04177,1194 –54–23FEB99–1/1

Unidade de Controle Hidráulico

Função: Controla a posição dos braços de levante.

Funcionamento: O comando do circuito é


elétro-hidráulico tendo como gerenciador um sistema
eletrônico (caixa preta).

–UN–11DEC98
CQ168370

AG,LT04177,1195 –54–23FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-60-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=85
Unidade de Controle de Levante — HCU

Interruptor Sobe e Desce

Função: Levantar ou baixar os braços de levante.

Funcionamento: O interruptor (B) que está normalmente


240
60 em neutro, pode ser acionado com apenas um toque, tem

–UN–02JAN95
2 como função de levantar e baixar o implemento até a
altura (ou profundidade) e velocidade de descida
previamente ajustadas.

LX009159
AG,LT04177,1196 –54–23FEB99–1/1

Controle de Levante

Função: Ajustar a profundidade de trabalho do


implemento.

Funcionamento: Esta alavanca permite um preciso

–UN–07APR00
controle de levante especialmente para implementos que
operam abaixo do nı́vel do solo.

Alavanca para frente: Implemento baixa.

LX006730
Alavanca para trás: Implemento sobe.

Alavanca na posição cadeado: Sobe o implemento


totalmente e bloqueia todas as funções, para transporte.

AG,LT04177,1197 –54–23FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-60-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=86
Unidade de Controle de Levante — HCU

Amortecimento do Levante Hidráulico

O trator é equipado com “Função de Amortecimento do


Levante Hidráulico”, isto protege o trator de solavancos
quanto está andando com implemento erguido.
240

–UN–07APR00
60
Para ativar a função de amortecimento, primeiro mova a 3
alavanca de controle (com o motor em funcionamento)
para a posição do cadeado.
Então puxe o mais possı́vel para trás (além do zero), para

LX006730
a posição de transporte (veja a seta).

O controle de sensibilidade não deve estar no final de


posição à esquerda.

Para desligar a função de amortecimento, empurre a


alavanca de controle do levante para frente. Da posição
de transporte para a posição além do zero (para a
posição de baixar).

NOTA: Tanto o uso do controle remoto (no paralama


esquerdo) quanto o desligamento do motor tem o
efeito de desligamento da função de
amortecimento.

AG,LT04177,1404 –54–26MAR99–1/1

Controle de Velocidade de Descida

Função: Ajustar a velocidade de descida de implementos


engatados nos três pontos.

Funcionamento: É um controle rotativo (A) em que o


–UN–07APR00

operador ajusta a velocidade de descida dos braços de


levante.
LX006732

AG,LT04177,1198 –54–23FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-60-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=87
Unidade de Controle de Levante — HCU

Controle do Limite de Altura

Função: Controlar o limite de altura.

Funcionamento: É um controle rotativo (A) em que o


240
operador ajusta a altura desejada do levante hidráulico.

–UN–07APR00
60
4

LX006728
AG,LT04177,1199 –54–23FEB99–1/1

Sensibilidade de Carga

Função: Permitir que a reação do implemento nos braços


de levante seja adequada às velocidades do sistema
hidráulico do trator.

–UN–07APR00
Funcionamento: É um controle rotativo em que o
operador seleciona o tipo de trabalho de acordo com o
implemento acoplado, e ajusta a sensibilidade hidráulica
desejada .

LX006751
AG,LT04177,1200 –54–23FEB99–1/1

Sensor de Posição

Função: Informa à Unidade de Controle Hidráulica a


posição dos braços de levante.

–UN–03MAR95
LX007569

AG,LT04177,1201 –54–23FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-60-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=88
Unidade de Controle de Levante — HCU

Sensor de Carga

Função: Informar à Unidade de Levante Hidráulica o


esforço de resistência que o implemento impõe ao trator.
240
60
5

–UN–03MAR95
LX010200
AG,LT04177,1202 –54–23FEB99–1/1

Motor de Passo

Função: Serve para abrir e fechar as válvulas do


comando hidráulico.

Funcionamento: Recebe corrente elétrica da Unidade de

–UN–03MAR95
Levante Hidráulico para posicionamento da válvula de
direcionamento do óleo hidráulico, de acordo com o
comando dado pelo operador.

LX009958
AG,LT04177,1203 –54–23FEB99–1/1

Supressor de Transiente

Função: Proteger o HCU (B) contra descargas elétricas e


indutivas provocadas pelo desligamento de relés e
solenóides.
–UN–24FEB99

–UN–24FEB99

Funcionamento: O Supressor (A) serve para cortar os


picos de tensão acima de 42 V gerados por cargas
indutivas, de modo que estas não interfiram nos
pré-ajustes memorizados pelo microprocessador do HCU.
CQ168371

CQ172020

AG,LT04177,1204 –54–23FEB99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-60-5 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=89
Unidade de Controle de Levante — HCU

Conectores do HCU
BR 1.00 (859) A1
VM 1.00 (802) A2
MR 0.50 (871) A
LR 0.50 (873) B PT 1.00 (050) A3
VD 0.50 (875) C CZ 1.00 (858) B1
240
CZ 0.50 (838) D VD 0.50 (925)
60 B2
VL 0.50 (877) E
6 AM 0.50 (834) F MR 0.50 (871) B3
COMANDOS
BR 0.50 (839) G DO AZ 0.50 (826) C1
AZ 0.50 (876) H HCU MR 0.50 (823) C2
AM 0.50 (924) C3

MR 0.50 (871) A VL 0.50 (824) D2


AM 0.50 (874) B CZ 0.50 (821) D3
LR 0.50 (873) C
POTENCIÔMETRO VD 0.50 (875) E1
SENSIBILIDADE AZ 0.50 (876) E2

VM 1.00 (802) A AM 0.50 (884) F1


PT 1.00 (050) B
VM 0.50 (312) C VL 0.50 (877) F2
D
CALIBRAÇÃO
VD 0.50 (925) CZ 0.50 (878) F3
VM 1.00 (052) E
AM 0.50 (924) F
VD 0.50 (885) G2
AM 0.50 (874) G3

VL 0.50 (824) A VM 0.50 (312) H2


CZ 0.50 (821) B
AM 0.50 (834) H3
PT 0.50 (050) C
PT 0.50 (050) D VD 1.00 (855) J1
CONECTOR
MR 0.50 (823) E CZ 0.50 (838) J2
AZ 0.50 (826) F DO
BR 0.50 (839) J3 HCU
CONTROLE REMOTO AM 1.00 (854) K1
LR 0.50 (883) K2
VM 1.00 (052) A LR 0.50 (873) K3
VM 1.00 (822) B
PT 1.00 (050) C
CHICOTE PRINCIPAL

VM 1.00 (822) A
BR 1.00 (859) A
VM 1.00 (802) B
CZ 1.00 (858) B
VD 1.00 (855) C DIODO SUPRESSOR
AM 1.00 (854) D DE
MOTOR DE PASSO TRANSIENTE

LR 0.50 (883) A LR 0.50 (873) A SENSOR


SENSOR B
VD 0.50 (885) B CZ 0.50 (878) DE
DE TRAÇÃO MR 0.50 (871) C
MR 0.50 (871) C POSIÇÃO
ESQUERDO

LR 0.50 (883) A SENSOR


AM 0.50 (884) B
DE TRAÇÃO
MR 0.50 (871) C
DIREITO
–54–05JUN01
CQ206180

CQ206180
512 X 584

AG,LT04177,142 –54–27NOV00–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-60-6 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=90
512 X 584
CQ206190
F4
10A 002 B+ 12 V

MTCQ33711 (13SEP01)
SE1

F8
Esquema Elétrico do HCU

10A 802
CONECTOR
DIAG/PROGR.
CONTROLE SENSOR CONTROLE
TVP DA
VELOCIDADE DE DE 052
DE POSIÇÃO E
CARGA
CONTROLE DESCIDA PROFUNDIDADE 802
LIMITE 873 A
INTERRUPTOR DE
SOBE E DESCE DE 925
D
802

LEVANTE B ALTURA
CARGA 924
883 F
SUBIR
A MAX
B B 312
VELOC B C SENSOR SENSOR C
SUBIR ALTURA PAR
925
924
312

1 3 MAX 3 MAX CARGA CARGA


C A 2 2 2 C A TORCIDO B
DIR ESQ
C C
3 1 1 B B

OFF
SUBIR
874
871
873

DESCER
A A

838
834
839

240-60-7
878
885

877
875
876
884

871 871
ELX
CCD+
CCD-
DOG MODO

D F G E C H
802
925
924
312

J2 H3 J3 F2 E1 E2 F3 G3 B3 K3 F1 G2 K2 A2 B2 C3 H2
Unidade de Controle de Levante — HCU

UNIDADE DE CONTROLE DE LEVANTE (HCU)

C2 C1 D2 D3 A3 B1 A1 K1 J1
SPG

823
826
824
821
MOTOR DE
050

858
859
854
855

PASSO
6 4 3 1 B

OFF
SUBIR
DESCER
SPG

INTERRUPTOR A
CONTROLE D
050

REMOTO C
5 2
050 SPG 050 SPG

AG,LT04177,1205 –54–23FEB99–1/1
CQ206190 –54–05JUN01

Tratores John Deere — Oper. e Testes


PN=91
091301
7
60
240
Unidade de Controle de Levante — HCU

240
60
8

MTCQ33711 (13SEP01) 240-60-8 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=92
Grupo 65
Cabine
Comando Elétrico do Ar Condicionado

Limpador de Pára-brisas e Sistema de Lavagem

O interruptor do limpador do pára-brisas (A) tem duas


240
posições:

–UN–23SEP98
65
1
1. Velocidade lenta
2. Velocidade rápida

CQ171140
O sistema de lavagem é acionado mediante o interruptor
(A) (empurre-o em direção ao teto da cabine).

Verifique e reabasteça o depósito de água (B) do


limpador de pára-brisas.

–UN–23SEP98
CQ171150
AG,LT04177,131 –54–09NOV00–1/6

Ventiladores (dois) e Saı́das de Ar

O ventilador tem quatro velocidades que se conectam


com o interruptor (A). Através de saı́das de ar (B)
pode-se direcionar o fluxo de ar para a direção desejada.

–UN–23SEP98
CQ171160
AG,LT04177,131 –54–09NOV00–2/6

Calefação

A calefação se ajusta sem escalas através do botão


regulador. Para aumentar o calor, gire o botão para
direita.
–UN–23SEP98

Ponha o ventilador e as saı́das de ar nas posições


desejadas.
CQ171170

Continua na próxima página AG,LT04177,131 –54–09NOV00–3/6

MTCQ33711 (13SEP01) 240-65-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=93
Cabine

Termostato do Ar Condicionado

Regular o ar condicionado através do botão indicado.


Quanto mais se gira o botão à direita mais frio se
produzirá. Ponha o ventilador e as saı́das de ar nas
240
posições desejadas.

–UN–21SEP98
65
2
IMPORTANTE: Conecte o ar condicionado várias
vezes durante o ano por pelo menos 2
ou 3 minutos, também nas épocas

CQ171180
frias do ano, com o objetivo de
lubrificar as peças móveis do sistema
como por exemplo o compressor de
ar.

AG,LT04177,131 –54–09NOV00–4/6

Luz de Cortezia

A luz de cortesia (A) é acionada através do interruptor (B)

–UN–21SEP98
CQ171190
AG,LT04177,131 –54–09NOV00–5/6

O pressostato (C) funciona como uma chave de


segurança, desligando a embreagem do compressor do
ar condicionado, se a pressão estiver alterada.

O pressostato atua sempre que:


–UN–13NOV00

• A pressões cair abaixo de 29 PSI.


• A pressão subir acima de 405 PSI.
CQ200980

C—Pressostato
D—Filtro Secador
E—Reservatório de água

AG,LT04177,131 –54–09NOV00–6/6

MTCQ33711 (13SEP01) 240-65-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=94
512 X 584
CQ200960
002 B+ 12 V

MTCQ33711 (13SEP01)
SE1 SE6 SE1

002

002

042
F13 F14 F15
F16
30A 10A
Esquema Elétrico da Cabine

20A 10A
SE4
118
142

203

227 / 236
TERMOSTATO

211

032
OFF T
1 205
236 235
2
86 30 3
K12
OFF RELÉ DO 4
1 VENTILADOR RESISTOR
2 1 235
3 85 87 87A 3
205

203

P 224 224

227
Cabine

CONECTOR
L PARA

240-65-3
RÁDIO

010
216
221 2

236
30 86
3 216 B
2 229 53b
K13
B+ 1 265 53 3 223 4 RELÉ DO 87 85 LUZ DE
COMPRESSOR CORTESIA
31

4 53a 31b
4 217
MOTOR DO
010
010
010

PRESSOSTATO P
LIMPADOR
234

INTERRUPTOR
INTERRUPTOR
DO LIMPADOR
DO VENTILADOR
234
234

EMBREAGEM
COMPRESSOR
010

BOMBA DO M MOTOR M M
LIMPADOR VENTILADOR

050 SPG
CQ200960 –54–09NOV00

AG,LT04177,130 –54–09NOV00–1/1

Tratores John Deere — Oper. e Testes


PN=95
091301
3
65
240
Cabine

Conectores Diversos
CZ 1.00 (118) 1
CZ 1.00 (128) 2
VD 1.00 (115) 3
VD 1.00 (125) 4
240
65 VL 1.50 (227) 6
4 VM 1.00 (142) 7

VL 1.50 (147) 9
AZ 1.50 (136) 10
CONECTOR
AZ 2.50 (216) 11
PRINCIPAL

AZ 1.50 (236) 13
CZ 1.00 (208) 14

VD 1.00 (205) 17

MR 1.00 (571) A
INTERRUPTOR
B DE
MR 1.00 (301)
PONTO NEUTRO

PT 4.00 (050) M12


MASSA
PT 4.00 (010)

LR 1.00 (213) EMBREAGEM


DO COMPRESSOR
AR CONDICIONADO

VD 1.00 (215) A
PRESSOSTATO
PT 0.50 (050) B DO
AR CONDICIONADO

–54–27NOV00
CQ201320

CQ201320
512 X 584

AG,LT04177,143 –54–27NOV00–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-65-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=96
Cabine

Conectores da Caixa de Fusı́veis

240
CZ0.50 (388 DB2 2)
65
AM 0.50 (704 DB2 4) 5
CZ 0.50 (388 DB2 5)
VL 0.50 (507 DB2 1)

CZ 0.50 (508 DB2 3)


MR 0.50 (351 DB1 1)

VD 0.50 (115 DB1 7)


VD 0.50 (125 DB1 9)
VD 0.50 505 DB1 3)

LR 0.50 (313 DB1 4)

MR 0.50 (141 DB1 8)


MR 0.50 (311 DB1 5)

CZ 0.50 (388 DB1 2)


PT 0.50 (050 K4 85)

AZ 0.50 (516 K4 86)


CONEXÕES
AZ 1.00 (516 K4 87)
DA
AM 1.00 (514 K4 30) CAIXA
DE
PT 0.50 (050 K3 85) FUSIVEIS
PT 0.50 (050 K3 85)

LR 0.50 (537 K3 86)


LR 1.00 (573 K3 87)
VM 1.00 (032 K3 30)

PT 0.50 (050 K2 85)

PT 0.50 (050 K2 85)


MR 0.50 (311 K2 86)

MR 0.50 (311 K2 87)


VM 1.00 (302 K2 87A)
VM 1.00 (092 K2 30)

PT 0.50 (050 K1 85)

MR 1.00 (301 K1 86)

LR 0.50 (313 K1 87A)


BR 1.00 (309 K1 30)
–54–01DEC00
CQ201350

CQ201350
512 X 584

Continua na próxima página AG,LT04177,144 –54–27NOV00–1/3

MTCQ33711 (13SEP01) 240-65-5 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=97
Cabine

240
65 AM 1.50 (134 FUS 12B)
6 CZ 1.50 (158 FIS 12A)
MR 1.00 (131 FUS 11B)
BR 1.00 (129 FUS 11A)
CZ 1.50 (128 FUS 10B)
CZ 1.50 (118 FUS 10A)
VM 2.50 (132 FUS 9B)
VM 2.50 (002 FUS 9A)
VM 2.50 (042 FUS 7/8)

VM 2.50 (022 FUS 5/6)

VM 4.00 (002 FUS 1 a 4)


CONEXÕES
VM 2.50 (012 FUS 1B) DA
VM 4.00 (122 FUS 2B) CAIXA
DE
VM 1.00 (102 FUS 3B) FUSIVEIS
VM 1.00 (052 FUS 4B)
VM 1.00 (092 FUS 5B)
VM 1.00 (072 FUS 6B)
VM 1.00 (032 FUS 7B)
VM 1.00 (822 FUS 8B)
VM 1.50 (042 FUS 13A)
AZ 1.50 (236 FUS 13B)
VM 4.00 (002 FUS 14 / 15)

MR 2.50 (211 FUS 14B)


LR 1.00 (203 FUS 15B)
VM 1.00 (062 FUS 16A)
VM 1.00 (142 FUS 16B)
–54–01DEC00
CQ201360

CQ201360
512 X 584

Continuação

Continua na próxima página AG,LT04177,144 –54–27NOV00–2/3

MTCQ33711 (13SEP01) 240-65-6 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=98
Cabine

AM 1.50 (134 K5 30)


VL 1.50 (117 K5 87A)
MR 0.50 (131 K5 86)
PT 0.50 (050 K5 85)
PT 0.50 (050 K5 85)
AZ 0.50 (126 K6 30) 240
CZ 1.00 (128 K6 87A) 65
MR 0.50 (131 K6 87) 7
MR 0.50 (131 K6 86)
PT 0.50 (050 K6 85)
VM 1.00 (032 K7 30)
AM 1.00 (514 K7 87A)
AZ 1.50 (136 K7 87)
AZ 0.50 (116 K7 86)

PT0.50 (050 K7 85)


CONEXÕES
MR 2.50 (211 K12 30) DA
VM 0.50 (032 K12 85) CAIXA
DE
PT 0.50 (050 K12 86)
FUSIVEIS
AZ 2.50 (216 K12 87)
VM 1.00 (102 K9 30)
VD 1.00 (125 K9 87)
VL 0.50 (127 K9 86)
PT 0.50 (050 K9 85)
PT 0.50 (050 K9 85)
VM 1.00 (102 k10 30)

VD 1.00 (115 k10 87)


VL 0.50 (127 K10 86)
PT 0.50 (050 K10 85)
LR 1.00 (203 K13 30)
VD 1.00 (205 K13 85)
VD 1.00 (215 K13 86)
LR 1.00 (213 K13 87)
VM 2.50 (132 K8 30)
VL 2.50 (147 K8 87)
AM 0.50 (124 K8 86)
AM 0.50 (124 K8 86)

M10 CAIXA
DE
JUNÇÃO
–54–01DEC00
CQ201370

CQ201370
512 X 584

Continuação

AG,LT04177,144 –54–27NOV00–3/3

MTCQ33711 (13SEP01) 240-65-7 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=99
Cabine

Identificação dos Fios dos Circuitos


Elétricos
Número dos Fios Cor dos Fios

240 Número do circuito Função Número do circuito Cor do fio no circuito Função
65 000 - 099 Alimentação X50 Preto SPG
8
100 - 199 Luzes XX0 Preto Massa
200 - 299 Acessórios XX1 Marron Qualquer
300 - 499 Motor XX2 Vermelho **
500 - 699 Transmissão XX3 Laranja Qualquer
700 - 799 Hidráulicos XX4 Amarelo Qualquer
800 - 899 Levante XX5 Verde Qualquer
900 - 999 Outros XX6 Azul Qualquer
— — XX7 Violeta Qualquer
— — XX8 Cinza Qualquer
— — XX9 Branco Qualquer

(2) — indica numeração do conector do painel de


instrumentos.

** — +12 volts

AG,LT04177,975 –54–07JUL99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 240-65-8 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=100
Seção 250
Transmissão SyncroPlus
Conteúdo

Página Página

Grupo 05—Diagnóstico de Anomalias Verificação do Acionamento do Câmbio de


Explicação do Diagnóstico de Anomalias . . . .250-05-1 Marchas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-10-11 250
Normas de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-05-1 Regulagem de Acionamento do Câmbio de
Ferramentas Especiais . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-05-2 Marchas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-10-12
Aquecimento do Óleo Hidráulico . . . . . . . . . . .250-05-3 Regulagem do Interruptor de Segurança
Conexões de Provas no Circuito da de Partida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-10-13
Transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-05-3 Verificação do Interruptor de Segurança
Especificações — Circuito de Óleo da de Partida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-10-14
Transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-05-4 Comprovação do Acionamento do
Seqüência de Provas . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-05-5 Câmbio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-10-14
Diagnóstico de Anomalias no Circuito de Regulagem das Alavancas do Câmbio . . . . .250-10-15
Óleo da Transmissão. . . . . . . . . . . . . . . . . .250-05-5 Regulagem do Bloqueio de
Verificar a pressão de lubrificação. . . . . . . . . .250-05-7 Estacionamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-10-16
Comprovação da válvula de derivação do
filtro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-05-8 Grupo 15—Funcionamento — Transmissão
Verificação da pressão da embreagem . . . . . .250-05-8 SyncroPlus
Comprovação da refrigeração da Descrição da Transmissão de 12 Marchas . . .250-15-1
embreagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-05-10 Sistema de Lubrificação . . . . . . . . . . . . . . . . .250-15-2
Verificar o sistema de refrigeração do Acionamento do Câmbio . . . . . . . . . . . . . . . . .250-15-3
óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-05-10 Sincronização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-15-4
Se não foi localizada nenhuma anomalia, Transmissão SyncroPlus (Com Embreagem
verificar os seguintes pontos:. . . . . . . . . . .250-05-11 em Neutro) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-15-6
Folha Para Anotações de Provas Funcionamento do Circuito Hidráulico da
Hidráulicas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-05-12 Transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-15-8
Embreagem do Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-05-13 Componentes da Embreagem
Transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-05-14 PermaClutch . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-15-10

Grupo 20—Embreagem Perma Clutch II


Grupo 10—Provas e Regulagens
Componentes da Embreagem. . . . . . . . . . . . .250-20-2
Normas de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-10-1 Componentes da Embreagem
Feramentas Especiais . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-10-1 (continuação) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-20-3
Especificações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-10-4 Descrição da Embreagem Motor . . . . . . . . . . .250-20-4
Regulagem do Pedal da Embreagem . . . . . . .250-10-5 Atuação da Embreagem . . . . . . . . . . . . . . . . .250-20-5
Verificação da Válvula de Controle da Transmissão de Força com a Embreagem
Embreagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-10-5 Desconectada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-20-6
Verificação da Válvula de Segurança da Transmissão de Força com a Embreagem
Embreagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-10-6 Acoplada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-20-8
Verificação da Pressão de Óleo Bomba de Engrenagem da Transmissão. . . . .250-20-9
Refrigerante. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-10-6 Esquema Hidráulico . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-20-10
Verificação da Pressão de Óleo de Descrição das Válvulas . . . . . . . . . . . . . . . . .250-20-12
Lubrificação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-10-7 Outros Componentes do Circuito de Óleo da
Verificação do Sistema de Refrigeração da Transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-20-13
Embreagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-10-8 Funcionamento da Válvula Centrı́fuga e
Medição de Vazão no Resfriador de Óleo. . . .250-10-9 da Válvula de Sucção . . . . . . . . . . . . . . . .250-20-14
Verificação do Câmbio de Grupos. . . . . . . . .250-10-10
Regulagem do Câmbio de Grupos . . . . . . . .250-10-10 Continua na próxima página

MTCQ33711 (13SEP01) 250-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=1
Conteúdo

Página Página

Funcionamento da Válvula de Controle da Transmissão de Força, Grupo A . . . . . . . . . . .250-30-3


Embreagem e da Válvula de Segurança de Transmissão de Força, Grupo B . . . . . . . . . . .250-30-4
Partida (Pedal da embreagem solto e motor Transmissão de Força, Grupo C . . . . . . . . . . .250-30-5
funcionando) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-20-16 Transmissão de Força, Grupo D . . . . . . . . . . .250-30-6
Funcionamento da Válvula de Controle da Bloqueio de Estacionamento (Park) . . . . . . . .250-30-7
Embreagem e da Válvula de Segurança
de Partida (Pedal da embreagem
pisado). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-20-18
250
Funcionamento da Válvula de Controle da
Embreagem e da Válvula de Segurança de
Partida (Pedal da embreagem retornando
lentamente) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-20-20
Funcionamento da Refrigeração da
Embreagem (Embrear lentamente) . . . . . .250-20-22
Funcionamento da Refrigeração da
Embreagem (Embreagem acionada quase por
completo). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-20-24
Funcionamento da Refrigeração da
Embreagem (Embreagem acionada) . . . . .250-20-26
Funcionamento da Refrigeração da
Embreagem (Desembreando
lentamente) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-20-28
Funcionamento da Refrigeração da
Embreagem (Embreagem
desembreada) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-20-30
Funcionamento da Refrigeração da
Embreagem (Desembrear brevemente) . . .250-20-32
Funcionamento da Válvula Reguladora de
Pressão e Válvula de Derivação do
Filtro - Condições Normais (Filtro de óleo
limpo) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-20-34
Funcionamento da Válvula Reguladora de
Pressão e Válvula de Derivação do
Filtro - Filtro de óleo contaminado . . . . . . .250-20-36
Funcionamento da Válvula Reguladora de
Pressão e da Válvula de Derivação do
Filtro - Filtro totalmente obstruı́do . . . . . . .250-20-38
Válvula de Proteção do Resfriador de
Óleo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-20-40
Funcionamento da Válvula de Descarga de
Lubrificação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-20-40

Grupo 25—Câmbio de Marchas


Descrição do Câmbio . . . . . . . . . . . . . . . . . . .250-25-1
Transmissão de Força da 1ª Marcha. . . . . . . .250-25-4
Transmissão de Força da 2ª Marcha. . . . . . . .250-25-5
Transmissão de Força da 3ª Marcha. . . . . . . .250-25-6
Transmissão de Força — Marcha a ré . . . . . .250-25-7
Interruptor de Segurança de Partida . . . . . . . .250-25-8

Grupo 30—Câmbio de Grupos


Caixa de Grupos — Vista em Corte . . . . . . . .250-30-1
Descrição — Grupo de 12 Marchas . . . . . . . .250-30-2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=2
Grupo 05
Diagnóstico de Anomalias
Explicação do Diagnóstico de Anomalias

Em todos os casos, seguir estritamente a sequência e


CUIDADO: Ao realizar procedimentos de
as especificações das provas na forma descrita.
diagnóstico no sistema hidráulico, observe
as normas de segurança que se relacionam
Num sistema hidráulico, devem ser diferenciados
com este mesmo grupo.
problemas no circuito de óleo da transmissão e o
circuito hidráulico. O problemas no circuito de óleo da
As provas que são descritas a seguir tem como
transmissão afetam os seguintes componentes:Bomba
objetivo de facilitar a localização exata de problemas.
de óleo da transmissão, elementos da transmissão de
Terminar as provas hidráulicas 270-05, seguindo as
força (embreagem motora, embreagem da TDP, tração 250
provas passo a passo. 05
dianteira, bloqueio do diferencial e a transmissão
1
PowQuad), válvulas na carcaça da embreagem,
Estes procedimentos devem ser realizados quando se
resfriador de óleo e a transmissão. Ver a Seção 250,
apresente um defeito hidráulico, quando as funções
255 e 256.
hidráulicas estão lentas, ou o óleo hidráulico se
aquece em excesso ou depois de terminar as
reparações de importância na transmissão ou no
sistema hidráulico.

AG,LT04177,728 –54–11DEC98–1/1

Normas de Segurança

já que estas lesões podem ser a causa de


CUIDADO: Os fluidos sob pressão que
infecções graves.
escapam dos sistema podem penetrar na
pele, causando lesões graves.Aliviar a
pressão do sistema antes de afrouxar ou CUIDADO: Desligue o motor antes de revisar
desconectar qualquer tubo ou ter certeza tubos próximos a peças em movimento.
que todas as conexões estão bem apertadas
e os tubos em bom estado antes de aplicar
CUIDADO: Desligue sempre o motor antes
pressão ao sistema. Pode-se localizar
de conectar um comprovador ao trator.
possı́veis fugas com um pedaço de cartão
sobre as conexões.
CUIDADO: Aplicar sempre o freio de
estacionamento (Park) antes de realizar
CUIDADO: Se você foi atacado por óleo a
provas no trator.
alta pressão, vá imediatamente a um médico,

AG,LT04177,729 –54–11DEC98–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-05-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=103
Diagnóstico de Anomalias

Ferramentas Especiais

NOTA: Pedir as ferramentas conforme catálogo de


ferramentas especiais FECQ31983 para o
Departamento de Peças da John Deere

250
05
2 AG,LT04177,730 –54–11DEC98–1/5

Conjunto de manômetros . . . . . . . . . . . . . . . JT07115

Provas de pressão

–UN–28JUL94
LX001339
AG,LT04177,730 –54–11DEC98–2/5

LX010224 –UN–04JUL95

Engate rápido. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . RE12187

AG,LT04177,730 –54–11DEC98–3/5

Anel “O” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51M7041

Para a medição de pressões.

AG,LT04177,730 –54–11DEC98–4/5

Multı́metro digital . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . DM23XT

Para medição de temperaturas.


–UN–03FEB99
CQ168750

AG,LT04177,730 –54–11DEC98–5/5

MTCQ33711 (13SEP01) 250-05-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=104
Diagnóstico de Anomalias

Aquecimento do Óleo Hidráulico

1. Conectar uma mangueira com válvula de estrangular


aos engates rápidos em uma válvula de controle
remoto.
2. Instalar o termômetro.

–UN–26JUL94
3. Colocar a válvula de controle de vazão (se existe) da
VCR na posição central.
4. Colocar o motor a 1700 rpm e acionar a alavanca de
controle da VCR.

LX001673
5. Observar o termômetro e colocar a alavanca da 250
unidade de controle em neutro quando é alcançada a 05
3
temperatura desejada.

NOTA: Para aquecer o óleo mais rapidamente, pode-se


utilizar um regulador* (A). O regulador deverá
estar quase fechado. Também é importante
obstruir o fluxo de ar no radiador de óleo, usando
para isso um papelão.

AG,LT04177,731 –54–11DEC98–1/1

Conexões de Provas no Circuito da


Transmissão

CUIDADO: Sempre desligar o motor antes de


conectar um instrumento de teste no trator.

–UN–26JUL94
Retirar o tampão correspondente do lado frontal da
embreagem e conectar o engate rápido (D) e um anel
“O”. Pode ser necessário utilizar a conexão (C).

A—Conjunto de manômetros JT71171 LX004397


B—Mangueira JT071191
C—Conexão JT034371
D—Engate rápido RE12187
E—Pórtico para pressão do sistema
F—Pórtico para pressão de lubrificação
G—Pórtico para pressão de embreagem
H—Pórtico para refrigeração da embreagem
–UN–26JUL94
LX004398

1
Incluido no conjunto de manômetros JT07115
Continua na próxima página AG,LT04177,732 –54–11DEC98–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-05-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=105
Diagnóstico de Anomalias

Provas de diferenças de pressão

Usar uma conexão em T (B) para os testes de diferenças


de pressão.

IMPORTANTE: Ter certeza de que os registros (D e E)

–UN–26JUL94
estão sempre fechados.Para medir a
pressão, abrir o registro, ler a pressão
e voltar a fechar.

LX004401
250
A—Conjunto de manômetros JT071171
05
B—Conexão em T JT071181
4
C—Mangueira JT071191
D—Registro hidráulico
E—Registro hidráulico

1
Incluido no conjunto de manômetros JT07115
AG,LT04177,732 –54–11DEC98–2/2

Especificações — Circuito de Óleo da


Transmissão
Prova Rotação do Motor (rpm) Valor (temp. óleo: 60 ºC)
Pressão do sistema (trabalho) 1000 1200 kPa (12 bar; 174 psi) para 6300.
1400 kPa (14 bar; 203 psi) para 6600
Pressão do óleo de lubrificação 1000 150+/- 50 kPa (1,5+/- 0,5 bar; 22+/-7.25 psi)
Pressão do óleo de refrigeração da embreagem do 1000 a 2000 150 kPa (1,5 bar; 21.7 psi)
motor
Pressão da embreagem 1000 a 2000 1200 kPa (12 bar; 174 psi)
Diferença de pressão — Válvula de derivação do filtro 2000 300 kPa (3 bar; 43.5 psi) máx.

NOTA: A embreagem do motor, a embreagem e freio da


TDP, a embreagem do bloqueio do diferencial e a
embreagem da tração dianteira, são lubrificados
com óleo a pressão do sistema.

AG,LT04177,733 –54–11DEC98–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-05-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=106
Diagnóstico de Anomalias

Seqüência de Provas

Realizar primeiro as provas de funcionamento. Começar sempre pela primeira ação e seguir todas
Lembrando que um teste preliminar facilita a em seqüência sempre da esquerda para a direita.
localização do problema. Se os testes preliminares 2. Cada seqüência termina com um resultado. O
não localizam o problema, fazer então os testes resultado indica a medida a tomar e a seguinte
250-10, cercando o problema passo a passo. ação.
3. Realizar cada uma das ações dos quadros de
O Grupo 250-15 trata de regulagens e provas. diagnóstico até isolar o problema. Realizar os
testes restantes, até o ponto de encontrar as
Levar em conta o seguinte: especificações. 250
4. Anotar os resultados na “Folha de resultados dos 05
5
1. Cada um dos quadros está dividido em três testes”.
seções: AÇÃO - SEQÜÊNCIA - RESULTADO.

AG,LT04177,734 –54–11DEC98–1/1

AG,LT04177,735 –54–11DEC98–1/1

1 Diagnóstico de Anomalias no Circuito de Óleo da Transmissão

Tratores com transmissão SyncroPlus

Aquecer o óleo a 60ºC (ver pag. 3).

CUIDADO: Observar as normas de segurança!Aplicar sempre o freio de estacionamento (PARK) do


trator antes de realizar as provas seguintes.

NOTA: Provas referente a transmissão PowrdQuad,ver a Seção 255.

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-05-5 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=107
Diagnóstico de Anomalias

1a Verificar a pressão OK: Passar ao 2


do sistema (pressão
de trabalho) NÃO OK: Pressão
demasiado baixa: Passar
a 1b

NÃO OK: Pressão


demasiado alta: Passar
a 1c

NÃO OK: Sistema sem


pressão: passar para 1d
250
05
LX003880 –UN–06AUG94
6

Conectar e verificar na conexão SYSTEM (A).


Rotação do motor a 1000 rpm.
Pressão especificada; 1200 kPa (12 bar; 174 psi) - 6300
1400 kPa (14 bar; 203 psi) - 6600.

– – –1/1

1b Quando a pressão é Ajustar a válvula reguladora de pressão. Ver 1.2. OK: Repetir 1
demasiado baixa, Trocar o filtro da transmissão.
verificar os pontos A bomba da transmissão funciona corretamente?
seguintes. O filtro primário está obstruido.

– – –1/1

1c Regulagem da OK: Repetir 1


válvula reguladora
de pressão.

LX004523 –UN–06AUG94

Adicionar calços por baixo da mola do carretel para aumentar a pressão ou retirar
calços para reduzir a pressão.
Cada calço (A) representa uma variação de uns 40 kPa (0,4 bar; 5.8 psi).
– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-05-6 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=108
Diagnóstico de Anomalias

1d Quando o sistema OK: Repetir 1


não tem pressão

LX004524 –UN–25JUL94

Verificar se a válvula de lubrificação se não está engripada. A válvula deve ser


desmontada para inspeção e limpeza.
250
Inspecionar a bomba da transmissão. Ver Manual Técnico (Reparação) Grupo 50 . 05
– – –1/1 7

2 Verificar a pressão de lubrificação

– – –1/1

2a Teste OK: Passar a 3

NÃO OK: Pressão


demasiado elevada ou
demasiado baixa: Passar
a 2b

LX004522 –UN–27JUL94

Conectar o manômetro no pórtico LUBE (A).


Rotação do motor a 1000 rpm. Pressão teórica: 75 kPa (0,75 bar; 11 psi)
Regime do motor 2000 rpm.
Pressão teórica: 150 kPa (1,5 bar; 22 psi)

– – –1/1

2b Verificação da OK: Repetir 2


válvula de
lubrificação

LX004524 –UN–25JUL94

Examinar o estado quanto a desgaste do carretel (A) e substituı́-la se for necessário.


Verificar também a mola.

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-05-7 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=109
Diagnóstico de Anomalias

3 Comprovação da válvula de derivação do filtro

– – –1/1

3a OK: Proceder desde 4

NÃO OK: Proceder


desde 3b
250
05
8

LX007387 –UN–27JUL94

Conectar o manômetro no pórtico SYSTEM (A).


Fechar o registro (C) da conexão T (D).

Regime do motor: 2000 rpm.


Anotar a pressão do pórtico SYSTEM (A).

Fechar o registro (E) da conexão em T (D) e abrir o registro (C).

Anotar a pressão (B).

Diferença de pressão máxima: 300 kPa (3 bar; 43.5 psi).

– – –1/1

3b Verificar os pontos OK: Repetir 3


seguintes

LX007388 –UN–27JUL94

Trocar o filtro de óleo da transmissão.

Verificar a válvula de derivação (A) do filtro e reparar se for necessário.

– – –1/1

4 Verificação da pressão da embreagem

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-05-8 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=110
Diagnóstico de Anomalias

4a Teste OK: Passar a 5

NÃO OK: Se há pressão


de óleo antes de acionar
a embreagem pela
primeira vez ou se está
correta a pressão: Passar
a 4b

NÃO OK: Mesmo com o


pedal pisado e pressão =
0 o trator se move.
Ocorreu uma falha 250
mecânica. Reparar a 05
falha, ver Manual Técnico 9
(Reparação) Grupo 50.
LX004526 –UN–06AUG94

Conectar o manômetro no pórtico CLUTCH (A)

Motor a 1000 rpm.

Pisar uma vez no pedal da embreagem.

Valor teórico: 1200 kPa (12 bar; 174 psi).

Com o pedal da embreagem pisado: 0 bar.

– – –1/1

4b Verificar as OK: Repetir 4


seguintes possı́veis
causas:

LX007389 –UN–27JUL94

Se há pressão de óleo antes de acionar a embreagem pela primeira vez, verificar a
válvula de segurança (A).

Verificar a regulagem do pedal da embreagem e a válvula do pedal da embreagem


(B), ver 250-15.

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-05-9 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=111
Diagnóstico de Anomalias

5 Comprovação da refrigeração da embreagem

– – –1/1

5a Teste OK: Passar a 6

NÃO OK: passar a 5b


250
05
10

LX004527 –UN–25JUL94

Conectar o manômetro ao pórtico CLUTCHCOOL (A).

Motor a 1000 rpm.

Pisar no pedal da embreagem e soltar.

Pedal da embreagem solto: 0 bar.

Pedal da embreagem pisado: 0 bar.

Valor teórico dentro da gama de patinagem 150 kPa (1,5 bar; 21.8 psi).

– – –1/1

5b Verificar o seguinte: Verificar a mola e o corpo da válvula de refrigeração (B). OK: Repetir a prova 5a

LX007390 –UN–25JUL94

– – –1/1

6 Verificar o sistema de refrigeração do óleo

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-05-10 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=112
Diagnóstico de Anomalias

6a Teste OK: Pressão e relação


entre as pressões
corretas, passar a 7

NÃO OK: Pressão e


relação entre as pressões
incorretas, passar a 6b

250
05
11

LX007391 –UN–25JUL94

Conectar o manômetro ao pórtico CLUTCHCOOL (A) e ao CLUTCH (B).

Ter certeza de que os registros (C) e (D) estão fechados. Para medir as pressões,
abrir os registros, ler as pressões e voltar a fechar.

Regime do motor:1500 rpm

Pisar no pedal da embreagem e soltar para ativar a válvula de segurança.

Ao pisar no pedal da embreagem, a pressão da embreagem deve ser de 1200 kPa


(12 bar; 170 psi). Não deve haver nenhuma pressão de óleo refrigerante.

Acionar lentamente o pedal da embreagem.


Ao baixar a pressão da embreagem abaixo de 1000 kPa (10 bar; 145 psi), a pressão
de óleo refrigerante deve subir até 150 kPa (1,5 bar; 22 psi).

– – –1/1

6b Verificar o seguinte: Verificar a mola e o corpo da válvula de óleo refrigerante OK: Repetir a prova 6a
(A).

LX007406 –UN–25JUL94

– – –1/1

7 Se não foi localizada nenhuma anomalia, verificar os seguintes pontos:

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-05-11 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=113
Diagnóstico de Anomalias

7a Conclusões É uma falha mecânica? OK: Fim dos testes

É uma falha elétrica?

A falha só aparece quando o óleo está frio?

É uma falha do sistema hidráulico?

Verificar a embreagem PermaClutch, ver Grupo 15.

As provas adicionais dos componentes estão relacionadas nas Seções


correspondentes no Grupo 15.
250
05
12 – – –1/1

Folha Para Anotações de Provas Hidráulicas


Circuito de óleo da transmissão
Proprietário: Ficha:
Modelo: Número de Série:
N° horas de trabalho: Anomalia:

Prova Designação Valor teórico Valor real


1 Pressão do sistema 1200 kPa (12 bar; 174 psi)
2 Pressão de lubrificação 150±50 kPa (1,5±0,5 bar; 22±7.25 psi)
3 Pres. dif. na válv. deriv. filtro 300 kPa (3 bar; 43.5 psi)
4 Pressão da embreagem 1200 Kpa (12 bar; 174 psi)
5 Refrigeração da embreagem 150 kPa (1,5 bar; 21.7 psi)

AG,LT04177,1324 –54–12MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-05-12 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=114
Diagnóstico de Anomalias

Embreagem do Motor

Sintoma Problema Solução

Ruı́dos mecânicos anormais Bomba de lubrificação da Ver Manual Técnico "Reparação"


transmissão desgastada ou avariada Seção 50

Acionamento da bomba gasto ou Ver Manual Técnico "Reparação"


avariado Seção 50

Ruı́dos anormais ao embrear Disco da embreagem gastos Ver Manual Técnico "Reparação" 250
Seção 50 05
13

Pressão baixa da embreagem. Para verificar a pressão da


embreagem, ver Grupo 15

A embreagem patina Pressão baixa da embreagem Para verificar a pressão da


embreagem, ver Grupo 15.

Discos da embreagem gastos Ver Manual Técnico "Reparação"


Seção 50

Superaquecimento do óleo Pressão baixa do óleo refrigerante Para verificar a pressão do óleo
refrigerante, ver Grupo 15

Sistema de refrigeração da Para verificar o sistema de


embreagem motor avariado refrigeração, ver Grupo 15

A embreagem arrasta (não A embreagem não fica Verificar a regulagem do pedal e


separa corretamente) completamente sem pressão ajustar, ver Grupo 15

Válvula centrı́fuga do êmbolo Ver Manual Técnico “Reparação”


avariada Seção 50, Grupo 10.

A embreagem não patina ao Válvula de controle da embreagem Verificar a válvula de controle da


embrear avariada embreagem, ver Grupo 15

AG,LT04177,1325 –54–12MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-05-13 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=115
Diagnóstico de Anomalias

Transmissão

Sintoma Problema Solução

As marchas engrenam com Temperatura do óleo muito baixa Sem problemas para alcançar a
dificuldade temperatura de trabalho

Ruı́do excessivo da transmissão Nı́vel de óleo baixo Para manutenção, ver Manual
Técnico “Reparação” Seção 10,
Grupo 15
250
05 Desgaste dos rolamentos Ver Manual Técnico “Reparação”
14
Seção 50

Engrenagens, eixos ou outras peças Ver Manual Técnico “Reparação”


gastas ou danificadas Seção 50

Ruı́do excessivo da transmissão A embreagem arrasta (não separa Ver localização de avarı́as
ao trocar de marcha corretamente) ”Embreagem Motor”

Peças do trem de sincronização (por Ver Manual Técnico “Reparação”


exemplo, anéis sincronizadores) Seção 50
gastos ou danificados

As marchas escapam Curso do câmbio irregular Ajustar a alavanca do câmbio. Ver


Grupo 15

Regulagem incorreta dos cabos do Ajustar a alavanca de câmbio Ver


câmbio Grupo 15

Garfos do câmbio gastos Ver Manual Técnico “Reparação”


Seção 50

Detentes das barras corrediças Ver Manual Técnico “Reparação”


gastos Seção 50

As alavancas do câmbio se Regulagem incorreta dos cabos do Ajustar a alavanca do câmbio Ver
engatam ou tocam as guias do câmbio Grupo 15
câmbio

O motor dá partida com uma Regulagem incorreta do interruptor Ajustar o interruptor de segurança,
marcha engatada de segurança ver Grupo 15

Interruptor de segurança avariado Verificar o interruptor de segurança.


Ver Seção 240, Grupo 15

AG,LT04177,1326 –54–12MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-05-14 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=116
Grupo 10
Provas e Regulagens
Normas de Segurança

CUIDADO: Os fluidos sob pressão que escapam


dos sistema podem penetrar na pele, causando
lesões graves. Aliviar a pressão do sistema
antes de afrouxar ou desconectar qualquer tubo
ou ter certeza que todas as conexões estão
bem apertadas e os tubos em bom estado antes
de aplicar pressão ao sistema. Pode-se localizar
possı́veis fugas com um pedaço de cartão
250
sobre as conexões. 10
1

CUIDADO: Se você foi atacado por óleo a alta


pressão, vá imediatamente a um médico, já que
estas lesões podem ser a causa de infecções
graves.

CUIDADO: Parar o motor antes de revisar tubos


próximos a peças em movimento.

CUIDADO: Parar sempre o motor antes de


conectar um comprovador ao trator.

CUIDADO: Aplicar sempre o freio de


estacionamento (Park) antes de realizar provas
no trator.

AG,LT04177,1329 –54–15MAR99–1/1

Feramentas Especiais

NOTA: Pedir as ferramentas conforme catálogo de


ferramentas especiais FECQ31983 para o
Departamento de Peças da John Deere.

Continua na próxima página AG,LT04177,1330 –54–15MAR99–1/6

MTCQ33711 (13SEP01) 250-10-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=117
Provas e Regulagens

Conjunto de manômetros . . . . . . . . . . . . . . . JT07115

Verificação das diversas válvulas da embreagem e suas


pressões.

–UN–28JUL94
LX001339
250
10
2 AG,LT04177,1330 –54–15MAR99–2/6

Conjunto universal de manômetros . . . . . . . . FMK10002

Verificação das diversas válvulas da embreagem e suas


pressões.

–UN–13MAY96
FKM10002
AG,LT04177,1330 –54–15MAR99–3/6

Chave especial . . . . . . . . . . . . . de confecção própria

Verificar a válvula da embreagem.

–UN–25JUL94
LX006443

Continua na próxima página AG,LT04177,1330 –54–15MAR99–4/6

MTCQ33711 (13SEP01) 250-10-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=118
Provas e Regulagens
RE37996 –UN–10AUG94

Ferramenta de regulagem . . . . . . . . . . . . . . . RE37996

Para regulagem do interruptor de segurança de partida.

AG,LT04177,1330 –54–15MAR99–5/6

Chapa de fixação . . . . . . . . . . . . de confecção própria

Fixação dos pinos para regulagem dos garfos na caixa de


câmbio (espessura da chapa = 3mm) 250
10
3

–UN–25MAR99
CQ183370
AG,LT04177,1330 –54–15MAR99–6/6

MTCQ33711 (13SEP01) 250-10-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=119
Provas e Regulagens

Especificações

Embreagem Perma II

Item Medida Especificação

Pressão da embreagem Pressão a 1000 rpm do motor 1200 kPa (12 bar; 170 psi)
6300

6600 Pressão a 1000 rpm do motor 1400 kPa (14 bar; 200 psi)
250
10
4
Pressão de trabalho Pressão a 1000 rpm do motor 1200 kPa (12 bar, 170 psi)
6300

6600 Pressão a 1000 rpm do motor 1400 kPa (14 bar; 200 psi)

Válvula de controle da embreagem Folga 15°


Força 18 a 20 Nm aprox. (13 a 15 lb-ft)

Pressão de óleo refrigerante Pressão a 1000 rpm do motor 150 kPa (1,5 bar; 22 psi)

Pressão de lubrificação Pressão a 1000 rpm do motor 75 kPa (0,75 bar; 11 psi)
Pressão a um regime do motor de 200 a 400 kPa (2 a 4 bar; 29 a 58
2300 rpm psi)

Pedal da embreagem Medida “a” (curos do pedal) medido 51±1 mm


no furo de fixação do cabo da
embreagem
Torque de aperto da contraporca do 15 Nm (11 lb-ft)
parafuso de regulagem

Vazão no resfriador de óleo Vazão num regime do motor de 60 L/min


2300 rpm

AG,LT04177,1331 –54–15MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-10-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=120
Provas e Regulagens

Regulagem do Pedal da Embreagem

1. Retire o pino (E) e desengate o cabo da embreagem


(B) da articulação do pedal da embreagem (A).
2. Ajuste a dimensão (F) do cabo da embreagem para
que fique entre 3 a 5 mm, girando a porca e

–UN–26MAR99
contraporca. Volte a apertar a contraporca para fixar o
cabo.
3. Levar o garfo (B) para a extremidade do cabo (D) e
apertar a contraporca (C).

CQ183480
4. Montar o garfo (B) na articulação do pedal (A) com o 250
pino (E). Travar o pino (E) com um clipe. 10
5

–UN–26MAR99
CQ183490
AG,LT04177,1332 –54–15MAR99–1/1

Verificação da Válvula de Controle da


Embreagem

1. Desconectar o cabo de acionamento e a mola da


alavanca (A)
2. Mover a alavanca (A) com a mão e medir a folga (a).
A folga deve ser de 15° aproximadamente.
3. Instalar a ferramenta especial (B; de confecção
própria) e a chave dinamométrica na alavanca (A).
4. Girar a chave a direita até chegar quase ao limite e
medir a força exercida.

A força deve ser de 18 a 20 Nm (13 a 15 lb-ft)


aproximadamente.

• Se os valores especificados não são encontrados, a


válvula da embreagem deve ser reparada. Ver Manual
Técnico “Reparação”; Seção 50 Grupo 10.
–UN–25JUL94
LX006444

AG,LT04177,1333 –54–15MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-10-5 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=121
Provas e Regulagens

Verificação da Válvula de Segurança da


Embreagem

1. Conectar o conjunto de Manômetros JT07115 ao


engate denominado “CLUTCH”.
2. Dar partida no motor sem pisar na embreagem. Ler a
pressão.
Não deve haver pressão alguma.
3. Pisar no pedal da embreagem e soltar seguidamente.
6300 — 1200 kPa (12 bar; 170 psi)
250 6600 — a pressão deve ser de 1400 kPa (14 bar; 200

–UN–25JUL94
10
psi).
6

• Em caso de aver pressão antes de pisar no pedal da

LX001574
embreagem, será necessário reparar a válvula de
segurança. Ver Manual Técnico “Reparação” Seção 50,
Grupo 10.
• Se não há pressão após pisar no pedal da embreagem,
verificar a pressão de trabalho.
• Se a pressão de trabalho é correta, verificar a válvula
de controle da embreagem. Se esta última funciona
corretamente, reparar a válvula de segurança. Ver
Manual Técnico “Reparação” Seção 50, Grupo 10.

AG,LT04177,1335 –54–15MAR99–1/1

Verificação da Pressão de Óleo Refrigerante

Conectar o conjunto de manômetros JT07115 à conexão


denominada “CLUTCH COLL”.

1. Aquecer o óleo hidráulico até 45 °C.


2. Fazer funcionar o motor em um regime de 1000 rpm.
3. Pisar no pedal da embreagem e medir a pressão.
4. Soltar o pedal da embreagem e voltar a medir a
pressão.
–UN–06AUG94

• Ao pisar no pedal da embreagem a pressão de óleo


deve ser de 150 kPa (1,5 bar; 22 psi) no mı́nimo.
Depois de soltar o pedal da embreagem esta não deve
LX001579

marcar pressão.
• Ao medir uma pressão de óleo demasiado baixa,
deve-se verificar a pressão de lubrificação.
• Se a pressão de lubrificação está correta, é necessário
repara a válvula de refrigeração. Ver Manual Técnico
“Reparação” Seção 50, Grupo 10.

AG,LT04177,1334 –54–15MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-10-6 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=122
Provas e Regulagens

Verificação da Pressão de Óleo de


Lubrificação

1. Conectar o conjunto de manômetro JT07115 à


conexão denominada “LUBE”.
2. Aquecer o óleo hidráulico a 45°C.
3. Fazer funcionar o motor a 1000 rpm e medir a pressão
de lubrificação.
A pressão de lubrificação deve ser de 75 kPa (0,75
bar; 11 psi) no mı́nimo.
4. Aumentar a rotação do motor até alcançar 2300 rpm e 250
10
medir a pressão de lubrificação.
7
A pressão de lubrificação deve estar entre 200 e 400
kPa (2 a 4 bar; 29 a 58 psi).

–UN–26JUL94
• Se a pressão não estiver correta, verificar a causa na
Seção 270, Grupo 15.

LX001580
AG,LT04177,1336 –54–15MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-10-7 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=123
Provas e Regulagens

Verificação do Sistema de Refrigeração da


Embreagem

1. Conectar o conjunto de manômetros FKM10002 nas


conexões denomidadas “CLUTCH” e “CLUTCH
COOL”.
2. Aquecer o óleo hidráulico até 45°C.
3. Fazer funcionar o motor a 1500 rpm.
4. Acionar o pedal da embreagem e soltá-lo para ativar a
válvula de segurança.
250 6300 — Sem pisar o pedal da embreagem, a pressão
10
deve ser de 1200 kPa (12 bar; 170 psi). Não deve ter

–UN–06AUG94
8
nenhuma pressão de óleo de refrigeração.
6600 — Sem pisar no pedal da embreagem, a pressão
deve ser de 1400 kPa (14 bar; 200 psi). Não deve ter
nenhuma pressão de óleo de refrigeração.

LX004652
5. Pisar no pedal da embreagem lentamente e observar a
pressão de embreagem.
Tão logo a pressão de embreagem chegue abaixo de
1000 kPa (10 bar; 145 psi), a pressão de óleo de
refrigeração deve subir a 150 kPa (1,5 bar; 22 psi).
Se a pressão de óleo subir antes ou depois, será
necessário reparar a válvula de controle de óleo de
refrigeração. Ver Manual Técnico “Reparação” Seção
50, Grupo 10.
6. Regular a pressão da embreagem com o pedal da
embreagem a menos de 150 kPa (1,5 bar; 22 psi).

Agora não deve haver pressão de óleo refrigerante.

• Quando a válvula de pressão de lubrificação tende a


subir antes ou mais tarde, será necessário reparar a
válvula de controle de óleo refrigerante. Ver Manual
Técnico “Reparação” Seção 50, Grupo 10.

AG,LT04177,1337 –54–15MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-10-8 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=124
Provas e Regulagens

Medição de Vazão no Resfriador de Óleo

1. Instalar o instrumento medidor de vazão como ilustra a


figura. Prestar atenção no sentido de fluxo. Abrir o
regulador do instrumento por completo.
2. Aquecer o óleo hidráulico até 45°C.

–UN–16AUG94
3. Fazer funcionar o motor a 2300 rpm.
4. Medir a vazão com o pedal da embreagem pisado.
A vazão deve ser de 60 l/min.
5. Soltar o pedal da embreagem e medir novamente a

LX008567
vazão. 250
Depois de soltar o pedal, a vazão medida deve baixar 10
9
1 l/min no máximo em comparação como foi medido
com o pedal da embreagem pisado.

• Quando a vazão está baixa, verificar a causa no Grupo


10. Quando a vazão somente está baixa com o pedal
da embreagem solto, terá que reparar o êmbolo da
embreagem. Ver Manual Técnico “Reparação” Seção
50, Grupo 10.

Provas adicionais de componentes durante a medição


de vazão

Com o pedal da embreagem pisado, conectar os


seguintes componentes um atrás do outro: TDP, bloqueio
do diferencial e, tração dianteira.

Ao ligar ou desligar um componente, a vazão medida


deve baixar 1 l/min no máximo em comparação com o
que foi medido anteriormente.

• Quando a pressão baixa excessivamente ao ligar ou


desligar um componente, se trata de fuga de óleo
excessiva neste componente.
• Quando a vazão baixa excessivamente com o pedal da
embreagem pisado, verificar a bomba de óleo. Ver
Manual Técnico “Reparação” Seção 50 Grupo 10.

AG,LT04177,1338 –54–16MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-10-9 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=125
Provas e Regulagens

Verificação do Câmbio de Grupos

1. Retirar a tampa do câmbio.


Levar os garfos do câmbio a todas as posições
(engatar e desengatar marchas).

• Quando não se consegue acionar com facilidade ou


quando os garfos roçam no sincronizador em um dos

–UN–28JUL94
lados, se deve ajustar o câmbio.

250
10

LX001583
10

AG,LT04177,1339 –54–16MAR99–1/1

Regulagem do Câmbio de Grupos

1. Posicionar a alavanca do câmbio em ponto morto.


2. Ajustar os garfos do câmbio por meio dos parafusos
(como mostra a figura) de forma que os garfos fiquem
centrados sobre os sincronizadores.
3. Engatar todas as marchas individuais.
Os garfos do câmbio não deve roçar contra os lados

–UN–28JUL94
do conjunto sincronizador em nenhuma de suas
posições.
4. Apertar os parafusos de regulagem com 40 Nm (30
ft-lb).

LX001584
5. Voltar a verificar o mecanismo do câmbio.

• Se o câmbio não aceita regulagem, deve ser reparado.


Ver Manual Técnico “Reparação”, Seção 50.

AG,LT04177,1340 –54–16MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-10-10 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=126
Provas e Regulagens

Verificação do Acionamento do Câmbio de


Marchas

1. Retirar a tampa do câmbio


2. Pressionar os pinos de detenção dos garfos.
3. Levar os garfos do câmbio a todas as posições

–UN–28JUL94
(engatar marchas).
Os garfos do câmbio não devem roçar contra os lados
do conjunto sincronizador em nenhuma de suas
posições.

LX004126
250
10
• Quando não se consegue acionar com facilidade ou
11
quando os garfos roçam no sincronizador em um dos
lados, se deve ajustar o câmbio de marchas.

AG,LT04177,1341 –54–16MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-10-11 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=127
Provas e Regulagens

Regulagem de Acionamento do Câmbio de


Marchas

1. Posicionar a alavanca de câmbio em ponto morto.


2. Pressionar os pinos de detenção dos garfos, utilizando
a ferramenta de confecção própria (A).
3. Ajustar os garfos do câmbio por meio dos parafusos
(como mostra a figura) de forma que os garfos fiquem
centrados sobre os sincronizadores.

–UN–26NOV96
4. Engatar a marcha ré aliviando a pressão da
250 ferramenta (A).
10
5. Aperte os parafusos da ferramenta (A) até encostar na
12
contraporca ou de forma que os eixos dos garfos não

LX1016005
fiquem travados.
6. Instalar um relógio comparador na extremidade do eixo
do garfo, fazer um movimento axial do garfo. Anote a
leitura do relógio (folga).
7. Solte a ferramenta de confecção própria para poder
engatar a 1ª marcha.
8. Repita o processo de medição da folga e anote o
valor.
9. As folgas obtidas nas duas leituras devem ser

–UN–25MAR99
semelhantes, caso contrário, proceda novemente o
ajuste dos garfos do câmbio conforme item 3.
10. Apertar os parafusos de regulagem com 40 Nm (30
lb-ft).

CQ183360
11. Voltar a comprovar o mecanismo do câmbio de
marchas.

• Se o câmbio de marchas aceita regulagem


corretamente, então se deve regular o câmbio de
grupos. Ver Manual Técnico “Reparação”, Seção 50.

Levar os garfos do câmbio a todas as posições (engatar


marchas).

Os garfos do câmbio não devem roçar contra os lados do


conjunto sincronizador em nenhuma de suas posições.

AG,LT04177,1342 –54–16MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-10-12 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=128
Provas e Regulagens

Regulagem do Interruptor de Segurança de


Partida

1. Ajustar a guia (A) através dos parafusos (B) até que o


extremo do pino passante fique no centro da zona
elevada, entre os rebaixos da barra corrediça (ver

–UN–28JUL94
flecha).

NOTA: Ao fazer a regulagem, pressionar os pinos


detentes que bloqueiam as barras corrediça, para

LX004124
ter certeza que as barras estão na posição de 250
10
ponto morto.
13

–UN–28JUL94
LX004555
AG,LT04177,1343 –54–16MAR99–1/3

2. Montar a tampa do câmbio e instalar a ferramenta


RE37996 (A) no alojamento do interruptor de
segurança. Empurrar o eixo da ferramenta até o fim.

3. Retirar a ferramenta de regulagem. Utilizar o calço (B)


mais grosso que entra no sulco da ferramenta.

–UN–15AUG94
Espessura de calços disponı́veis
1,20 mm 2,00 mm
1,40 mm 2,20 mm

LX004550
1,60 mm 2,40 mm
1,80 mm —
–UN–15AUG94
LX004551

Continua na próxima página AG,LT04177,1343 –54–16MAR99–2/3

MTCQ33711 (13SEP01) 250-10-13 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=129
Provas e Regulagens

4. Instalar o calço (A) e o interruptor de segurança (B).


Apertar o interruptor de segurança com um torque de 30
Nm (22 lb-ft).

–UN–28JUL94
LX004552
250
10
14 AG,LT04177,1343 –54–16MAR99–3/3

Verificação do Interruptor de Segurança de


Partida

Trocar de marchas e tentar dar partida em cada uma


delas.

NOTA: O motor somente deve dar partida com a


alavanca de câmbio em ponto morto. Com
marcha engatada o motor não deve arrancar.

AG,LT04177,1344 –54–16MAR99–1/1

Comprovação do Acionamento do Câmbio

1. Comprovar as alavancas do câmbio e o mecanismo do


console.
As peças não devem estar deformadas nem
danificadas.
2. Verificar os cabos de comando do câmbio.
Os cabos não devem estar dobrados nem danificados.
Devem mover-se livremente sem esforço.

• Em caso de avaria, consultar o Manual Técnico


“Reparação”, Seção 50.

AG,LT04177,1345 –54–16MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-10-14 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=130
Provas e Regulagens

Regulagem das Alavancas do Câmbio

CUIDADO: Não fazer regulagem dos cabos com


o motor em marcha, já que o trator pode
mover-se. Desligar e retirar a chave do trator.

–UN–16MAR95
Verificação e regulagem do câmbio

1. Deslocar a alavanca do câmbio (A) para esquerda e

LX003691
direita na zona de ponto morto (ver flecha).
250
10
NOTA: A alavanca não deve engatar nem roçar contra os 15
guias do câmbio.

2. Desengatar os cabos de comando (G) e (H) se for


necessário. Ajustar girando o garfo correspondente.
3. Voltar a engatar os cabos de comando e verificar de
novo a regulagem.

Verificação e regulagem dos grupos

1. Deslocar a alavanca do câmbio de grupos (B) para


esquerda e direita na zona de ponto morto (ver flecha).

NOTA: A alavanca não deve engatar nem roçar contra os


guias do câmbio.

2. Desengatar os cabos (E) e (F) se for necessário.


Ajustar girando o garfo correspondente.
3. Voltar a engatar os cabos de comando e verificar de
novo a regulagem.
4. Ajustar o bloqueio de estacionamento.

–UN–16MAR95
A—Alavanca de câmbio de marchas
B—Alavanca de grupos
C—Cabo, bloqueio de estacionamento

LX003692
D—Não equipado
E—Cabo grupo C e D
F—Cabo grupo A e B
G—Cabo da 2ª e 3ª marcha
H—Cabo, ré e 1ª marcha

AG,LT04177,1346 –54–16MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-10-15 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=131
Provas e Regulagens

Regulagem do Bloqueio de Estacionamento

CUIDADO: Não fazer regulagem dos cabos com


o motor em marcha, já que o trator pode
mover-se. Desligar e retirar a chave do trator.

–UN–16MAR95
1. Ter certeza que o câmbio de grupos está ajustado
corretamente, e verificar se os seletores (D) e (E)
estão alinhados corretamente (ver figura abaixo).

LX004181
2. Desconectar o cabo de comando (B) do bloqueio de
250
10 estacionamento.
16 3. Ajustar o parafuso limitador (A) de forma que o seletor
(G) do bloqueio de estacionamento fique alinhado
corretamente com os outros seletores do câmbio,
estando a alavanca do câmbio (C) em ponto morto.
4. Empurrar para baixo o garfo do cabo de comando do
bloqueio de estacionamento para ter certeza que o
bloqueio fique desbloqueado.
5. Puchar levemente o garfo do cabo de comando (2 mm

–UN–04JUL95
aprox.) para eliminar a folga. Manter o garfo nesta
posição (sem folga) e girar o garfo até que os orifı́cios
do cabo de comando e do seletor fiquem

LX010756
perfeitamente alinhados. Voltar a conectar o cabo de
comando.

A—Parafuso limitador (se equipado)


B—Cabo do bloqueio de estacionamento
C—Alavanca de câmbio de marchas
D—Seletor do câmbio de grupos A e B
E—Seletor do câmbio de grupos C e D
F—Não equipado
G—Seletor do bloqueio de estacionamento

AG,LT04177,1347 –54–16MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-10-16 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=132
Grupo 15
Funcionamento — Transmissão SyncroPlus
Descrição da Transmissão de 12 Marchas

250
15
1

–UN–28JUL94
LX001162

A—Câmbio de marchas B—Câmbio de grupos

A transmissão consta de um cãmbio de marchas (A) e Dispõe das seguintes marchas:


um câmbio de grupos (B). 12 marchas de avanço (3 marchas x 4 grupos)
4 marchas a ré (1 marcha x 4 grupos).
Todos os grupos e marchas estão plenamente
sincronizados. Velocidade até 30 Km/h.

AG,LT04177,1348 –54–16MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-15-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=133
Funcionamento — Transmissão SyncroPlus

Sistema de Lubrificação

250
15
2

–UN–10JUN98
LX009805
A—Óleo da bomba de B—Óleo por salpique das C—Óleo da engrenagem da
lubrificação da engrenagens. bomba do sistema
transmissão hidráulico

NOTA: A ilustração mostra uma transmissão de 18


velocidades com transmissão lenta.

AG,LT04177,1351 –54–16MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-15-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=134
Funcionamento — Transmissão SyncroPlus

Acionamento do Câmbio

250
15
3

–UN–28JUL94
LX001167

A—Alavanca do câmbio C—Eixo do câmbio E—Corrediça G—Conjunto sincronizador


B—Cabo de comando D—Excêntrico do câmbio F—Garfo do câmbio (colarinho)

As marchas e grupos são acionados desde a O garfo do câmbio fixado na corrediça, movimenta o
plataforma do operador pelos cabos de comando. Ao colarinho do sincronizador permitindo o engrenamento
deslocar a alavanca de câmbio, o cabo de comando da marcha correspondente.
correspondente origina um movimento radial do eixo
do câmbio. Este movimento é transmitido a corrediça Entre as corrediças estão os trambuladores de
por meio de um excêntrico do câmbio causando um bloqueio de forma que somente uma marcha ou grupo
movimento axial da corrediça. podem ser engatadas.

AG,LT04177,1352 –54–16MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-15-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=135
Funcionamento — Transmissão SyncroPlus

Sincronização

No ponto morto, o colarinho deslizante (E) está na


posição central. As esferas (B) são empurradas para
dentro da ranhura (em forma de V) do colarinho
deslizante mediante molas sincronizadoras (F). A
engrenagem (C) pode girar livremente no eixo de
aconamento (H).

A—Anel sincronizador
250 B—Esfera

–UN–28JUL94
15 C—Engrenagem
4 D—Sincronizador
E—Colarinho deslizante
F—Mola do sincronizador (3)

L113963
G—Placa de pressão
H—Eixo de acionamento

AG,LT04177,1353 –54–16MAR99–1/3

Acionamento do câmbio

Ao trocar de marcha, o colarinho deslizante (E), as


esferas (B) e os blocos de pressão (G) são forçados em
sentido vertical. O anel sincronizador (A) é empurrado
contra a superfı́cie cônica da engrenagem (C) mediante
os blocos de pressão (G).

A diferença de velocidade das peças que engrenam


origina um movimento radial. Este movimento, limitado

–UN–28JUL94
em curso, faz com que os dentes oblı́quos do anel
sincronizador (A) sejam forçados contra o colarinho
deslizante (E), evitando qualquer movimento do colarinho.

L113964
A força exercida para desconectar o colarinho e o
movimento radial do anel sincronizador (A) origina
(através dos dentes oblı́quos) uma força axial entre a
A—Anel sincronizador
superfı́cie cônica do anel sincronizador (A) e a superfı́cie B—Esfera
cônica da engrenagem (C). Isto reduz a diferença de C—Engrenagem
velocidades das peças durante o processo de D—Sincronizador
engrenamento, resultando ao final em uma igualação de E—Colarinho deslizante
F—Mola sincronizador (30
velocidades.
G—Placa de pressão
H—Eixo de acionamento

Continua na próxima página AG,LT04177,1353 –54–16MAR99–2/3

MTCQ33711 (13SEP01) 250-15-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=136
Funcionamento — Transmissão SyncroPlus

Marcha engrenada

As peças a engrenar agora tem a mesma velocidade.

Devido a força contı́nua exercida pelo colarinho deslizante


contra o anel sincronizador, este último desliza de sua
posição para trás até que os dentes do colarinho fiquem
alinhados com os espaços dos dentes do anel
sincronizador. Neste momento vence a resistência que
evitava o deslizamento axial do colarinho deslizante.

–UN–28JUL94
Agora este pode mover-se silenciosamente e engrenar 250
com a engrenagem da marcha correspondente. O eixo e 15
5
a engrenagem ficam firmemente unidos, e por tanto a
marcha fica engrenada. No caso de que se encontrem

L113965
dois dentes durante esta operação, os dentes cônicos da
engrenagem giram, até que encontrem espaço na
engrenagem oposta.

A—Anel sincronizador
B—Engrenagem
C—Colarinho deslizante

AG,LT04177,1353 –54–16MAR99–3/3

MTCQ33711 (13SEP01) 250-15-5 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=137
Funcionamento — Transmissão SyncroPlus

Transmissão SyncroPlus (Com Embreagem em Neutro)


RWC30056 –UN–09MAY97

2 10
4
15
3
1 14 16
9 11 12 13
5
6 7 8 17

32
31 14
19
27 26
25
29
18
28

13
30
16
24 22 21
20

23 RWC30056

AG,LT04177,1420 –54–14APR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-15-6 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=138
Funcionamento — Transmissão SyncroPlus

1—Flange de entrada 11—Engrenagem da terceira 19—Espaçador 27—Eixo da TDP


2—Carcaça da embreagem marcha 20—Engrenagem do grupo A 28—Placa da embreagem
3—Volante da embreagem 12—Cubo do rolamento 21—Engrenagem do grupo B 29—Volante da embreagem
4—Disco da embreagem 13—Engrenagem do grupo C 22—Engrenagem da tração 30—Válvula de lubrificação da
5—Cubo da embreagem 14—Sincronizador dianteira embreagem
6—Eixo 15—Carcaça da caixa de 23—Contra-eixo 31—Bomba de emgrenagens
7—Engrenagem de ré grupos 24—Engrenagem loca da ré 32—Eixo de entrada da
8—Engrenagem primeira 16—Engrenagem do grupo D 25—Sincronizador da segunda embreagem
9—Engrenagem segunda 17—Eixo com engrenagem e terceira
10—Carcaça da caixa de 18—Eixo do diferencial 26—Sincronizador da primeira
marchas e ré

250
15
AG,LT04177,1420 –54–14APR99–2/2 7

MTCQ33711 (13SEP01) 250-15-7 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=139
Funcionamento — Transmissão SyncroPlus

Funcionamento do Circuito Hidráulico da Transmissão

250
15
8

–UN–21SEP93
RW30028

Continua na próxima página AG,LT04177,1354 –54–16MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-15-8 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=140
Funcionamento — Transmissão SyncroPlus

1—Válvula de segurança 8—Válvula reguladora de 13—Bomba de lubrificação da 19—Resfriador de óleo


(EOV) pressão transmissão 20—Lubrificação da
2—Válvula de óleo refrigerante 9—Sensor de obstrução do 14—Tampa frontal transmissão
3—Válvula piloto de filtro 15—Filtro primário (de tela) 21—Refrigeração da
refrigeração da embreagem 10—Válvula de derivação do 16—Sensor de baixa embreagem
4—Tampão filtro temperatura 28°C 22—Embreagem da
5—Válvula de controle da 11—Filtro de óleo da 17—Válvula de alı́vio do transmissão
embreagem do motor transmissão resfriador de óleo 23—Válvula de força
6—Pedal da embreagem 12—Sensor de alta 18—Válvula de descarga de centrı́fuga
7—Sensor de pressão do temperatura 105°C óleo de lubrificação X—Conexões de prova
sistema

NOTA: A descrição abaixo se refere as figuras alimenta com óleo em primeiro lugar as válvulas de 250
15
seguintes controle da embreagem motor (5), do bloqueio do
9
diferencial, da TDP e da tração dianteira. O excesso
Ao circuito hidráulico da transmissão pertencem as de óleo é desviado para o resfriador de óleo (19).
seguintes peças: bomba de óleo da transmissão (13),
o resfriador de óleo (19), o filtro de óleo da A válvula protetora (17) do resfriador de óleo evita
transmissão (11), várias válvulas da embreagem assim uma pressão superior a 950 kPa (9,5 bar; 140 psi). Se
como as válvulas de bloqueio do diferencial, da TDP e a pressão sobrepassa este valor, o óleo restante
da tração dianteira. O sistema de lubrificação da passa para o sistema de lubrificação da transmissão
transmissão forma também parte do circuito hidráulico (20) e para válvula de óleo refrigerante (2) da
da transmissão. embreagem da transmissão.

A bomba de carga (13) pega óleo do reservatório Depois do óleo sair do resfriador, flui para lubrificar a
(carcaça do diferencial) através do filtro primário (15) e transmissão (20). Se a pressão de lubrificação passa
o força através do filtro de óleo (11). dos 250 kPa (2,5 bar; 36 psi), a válvula de descarga
(18) se abre e envia óleo de lubrificação da
A válvula de derivação (10) desvia o óleo quando o transmissão ao conduto de entrada da bomba.
filtro estiver obstruı́do, fazendo desta forma com que o
sensor (9) de obstrução do filtro feche o contato e A válvula de segurança (1) atua como dispositivo de
acenda a luz de aviso de obstrução do filtro. Em segurança de partida; quer dizer, a embreagem da
temperaturas muito baixas pode ocorrer que o sensor transmissão (22) só pode ser ativada depois de
de obstrução do filtro (9) seja ativado sem que o filtro acionar a válvula da embreagem (5) uma vez.
esteja obstruido. Para evitar isto, pode estar instalado
um sensor de baixa temperatura (16) que impede a A válvula de óleo refrigerante (2) alimenta com óleo de
ativação do sensor (9) em temperaturas de óleo lubrificação a embreagem durante a patinagem para
abaixo de 28°C. desviar o calor.

A válvula reguladora de pressão (8) limita a pressão A válvula de óleo refrigerante é ativada em momento
do sistema a 1200 kPa (12 bar; 175 psi) nos tratores oportuno através da válvula de controle de óleo
6300 e 6500 e 1400 kPa (14 bar; 205 psi) no 6600 e refrigerante (3).

AG,LT04177,1354 –54–16MAR99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-15-9 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=141
Funcionamento — Transmissão SyncroPlus

Componentes da Embreagem PermaClutch


RWC30029 –UN–09MAY97

2 4
1
6
8

5
7

10 11

14

19
16
17 20
12
18

13

21
15

22
RWC30029

AG,LT04177,1421 –54–14APR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-15-10 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=142
Funcionamento — Transmissão SyncroPlus

1—Carcaça da válvula de 7—Válvula de força centrı́fuga 13—Sensor de alta 19—Válvula de segurança


derivação do filtro 8—Refrigeração da temperatura (EOV)
2—Válvula de óleo refrigerante embreagem 14—Válvula de refrigeração da 20—Válvula do pedal da
3—Tampa frontal 9—Sensor de baixa embreagem (alta pressão) embreagem
4—Válvula de alı́vio de temperatura 15—Resfriador de óleo 21—Bomba
lubrificação 10—Sensor de restrição do 16—Válvula reguladora de 22—Filtro de tela
5—Lubrificação da filtro pressão X—Conexões de prova
transmissão 11—Derivação do filtro 17—Tampão
6—Embreagem 12—Filtro 18—Válvula de refrigeração da
embreagem (baixa
pressão)

250
15
AG,LT04177,1421 –54–14APR99–2/2 11

MTCQ33711 (13SEP01) 250-15-11 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=143
Funcionamento — Transmissão SyncroPlus
LX007192 –UN–08JUN98

28 18 21 16

27

31

13 14 15

32
30 12 11

29
38
22
34
37
20 19
33

8 10

35 7 9

6
39 3
40 1
41
42
5
23

LX 007192 2 4

AG,LT04177,1355 –54–16MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-15-12 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=144
Funcionamento — Transmissão SyncroPlus

1—Reservatório 9—Monocontato luz de aviso 20—Válvula de descarga de 29—Eletroválvula da TDP


2—Filtro primário de obstrução do filtro óleo da lubrificação 30—Freio da TDP
3—Ao circuito de óleo da 10—Válvula de controle de 21—Resfriador de óleo 31—Embreagem da TDP
transmissão (alta pressão) pressão 22—Monocontato para luz de 32—Válvula de controle da
4—Bomba de lubrificação da 11—Válvula de controle da aviso de pressão do TDP
transmissão embreagem sistema 33—Embreagem de tração
5—Filtro de óleo da 12—Válvula de segurança 23—Conexão de prova de dianteira1
transmissão 13—Válvula de óleo pressão do sistema 34—Não equipado
6—Termistor 28°C refrigerante 24—Conexão de prova 35—Não equipado
7—Termistor 105°C 14—Válvula de controle de pressão de lubrificação 37—Não equipado
8—Válvula de derivação di óleo refrigerante 25—Conexão de prova 38—Não equipado
filtro 15—Não equipado pressão da embreagem 39—Pressão do sistema
16—Embreagem da 26—Conexão de prova 40—Óleo de retorno ou sem 250
transmissão refrigeração da pressão 15
17—Refrigeração da embreagem 41—Óleo de lubrificação ou 13
embreagem 27—Eletroválvula do bloqueio refrigerante
18—Lubrificação da do diferencial 42—Óleo confinado
transmissão 28—Bloqueio do diferencial
19—Válvula protetora do
resfriador de óleo

1
Se existe
AG,LT04177,1355 –54–16MAR99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-15-13 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=145
Funcionamento — Transmissão SyncroPlus
LX007193 –UN–08JUN98

AG,LT04177,1356 –54–16MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-15-14 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=146
Funcionamento — Transmissão SyncroPlus

1—Reservatório 9—Monocontato luz de aviso 20—Válvula de descarga de 29—Eletroválvula da TDP


2—Filtro primário de obstrução do filtro óleo da lubrificação 30—Freio da TDP
3—Ao circuito de óleo da 10—Válvula de controle de 21—Resfriador de óleo 31—Embreagem da TDP
transmissão (alta pressão) pressão 22—Monocontato para luz de 32—Válvula de controle da
4—Bomba de lubrificação da 11—Válvula de controle da aviso de pressão do TDP
transmissão embreagem sistema 33—Embreagem de tração
5—Filtro de óleo da 12—Válvula de segurança 23—Conexão de prova de dianteira1
transmissão 13—Válvula de óleo pressão do sistema 34—Não equipado
6—Termistor 28°C refrigerante 24—Conexão de prova 35—Não equipado
7—Termistor 105°C 14—Válvula de controle de pressão de lubrificação 37—Não equipado
8—Válvula de derivação di óleo refrigerante 25—Conexão de prova 38—Não equipado
filtro 15—Não equipado pressão da embreagem 39—Pressão do sistema
16—Embreagem da 26—Conexão de prova 40—Óleo de retorno sem 250
transmissão refrigeração da pressão 15
17—Refrigeração da embreagem 41—Óleo de lubrificação ou 15
embreagem 27—Eletroválvula do bloqueio refrigerante
18—Lubrificação da do diferencial 42—Óleo confinado
transmissão 28—Bloqueio do diferencial
19—Válvula protetora do
resfriador de óleo

1
Se existe
AG,LT04177,1356 –54–16MAR99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-15-15 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=147
Funcionamento — Transmissão SyncroPlus

250
15
16

MTCQ33711 (13SEP01) 250-15-16 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=148
Grupo 20
Embreagem Perma Clutch II

250
20
1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=149
Embreagem Perma Clutch II

Componentes da Embreagem

250
20
2

–UN–02AUG94
LX008274

Continua na próxima página AG,LT04177,1357 –54–16MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=150
Embreagem Perma Clutch II

A—Embreagem G—Flange da transmissão M—Válvula de óleo R—Monocontato da luz de


B—Bomba de lubrificação da H—Válvula de proteção do refrigerante aviso do filtro de óleo
transmissão resfriador N—Válvula de segurança S—Termistor da luz de aviso
C—Eixo de transmissão I—Caixa do filtro O—Válvula de controle da de temperatura (não
D—Carcaça da embreagem J—Filtro de óleo embreagem equipado)
E—Válvula de derivação do K—Válvula reguladora de P—Termistor da luz de aviso T—Alavanca da válvula de
filtro pressão do filtro de óleo controle
F—Válvula de descarga de L—Válvula de controle de óleo Q—Monocontato da luz de
óleo de lubrificação refrigerante aviso da pressão do
sistema

250
20
AG,LT04177,1357 –54–16MAR99–2/2 3

Componentes da Embreagem (continuação)

A embreagem Perma II consta basicamente da lubrificação da transmissão.


embreagem, da bomba de lubrificação da transmissão Por outro lado, a bomba de lubrificação alimenta com
e das válvulas. óleo a embreagem da tração dianteira, o bloqueio do
diferencial e a TDP.
A embreagem transmite a força do motor a O fluxo de óleo aos componentes individuais é
transmissão. controlado pelas válvulas.

A bomba de lubrificação da transmissão alimenta com


óleo a embreagem, a refrigeração da embreagem e a

AG,LT04177,1358 –54–16MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=151
Embreagem Perma Clutch II

Descrição da Embreagem Motor

250
20
4

–UN–28JUL94
LX001387

A—Tambor da embreagem C—Pacote de molas E—Tampa da caixa G—Prato de pressão


B—Êmbolo D—Cubo da embreagem F—Molas de recuperação

A embreagem motor consta basicamente do tambor (G), a tampa da caixa (E) e as molas de recuperação
da embreagem (A), o cubo da embreagem (D), o (F).
pacote de molas (C), o êmbolo (B), o prato de pressão

AG,LT04177,1359 –54–16MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=152
Embreagem Perma Clutch II

Atuação da Embreagem

A embreagem é atuada por duas válvulas, a válvula do


pedal da embreagem (A) e a válvula de segurança (B).
Ambas as válvulas estão localizadas na carcaça da
embreagem.

A válvula do pedal da embreagem é operada pelo pedal


da embreagem. Ela abre ou fecha a embreagem após a
válvula de segurança EOV ter sido ativada.
250
Antes de pisar no pedal da embreagem com o motor 20
5
ligado, a embreagem não está acionada e a força não
pode ser transmitida. Esta função foi projetada com a
intenção de prevenir movimentos acidentais do trator.

Esta condição só é alcançada pela atuação da válvula de


segurança EOV que supre a embreagem com pressão
somente após o pedal da embreagem ter sido pisado pela

–UN–14SEP93
primeira vez.

A—Válvula do pedal da embreagem

RW30070
B—Válvula de segurança EOV

AG,LT04177,1422 –54–14APR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-5 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=153
Embreagem Perma Clutch II

Transmissão de Força com a Embreagem Desconectada

G H I
F J
E K
D L
M
C

250 B
20
6 A

–UN–14OCT97
O P

Q LXC008275
N
LXC008275 R

A—Eixo articulado F—Êmbolo J—Cubo N—Alavanca da válvula de


B—Flange G—Prato de pressão K—Rolamento de agulhas controle da embreagem
C—Bomba de lubrificação da H—Disco da embreagem com L—Eixo de acionamento do O—Mola de recuperação (12)
transmissão estriado exterior (2) câmbio de marchas P—Óleo sem pressão
D—Eixo de acionamento da I—Disco da embreagem com M—Eixo de acionamento da Q—Óleo de lubrificação
embreagem estriado interior (3) TDP R—Óleo de controle
E—Tambor da embreagem

AG,LT04177,1360 –54–16MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-6 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=154
Embreagem Perma Clutch II

O eixo articulado (A) é conduzido pelo motor. A O óleo localizado atrás do êmbolo retorna ao
potência é transmitida pela flange (B) ao eixo de reservatório. Os discos da embreagem com extriado
acionamento (D) da embreagem. exterior (H) e o extriado interior (I) já não estão
prensados. O rolamento de agulhas (K) facilita o giro
O eixo de acionamento conduz ao mesmo tempo a do cubo (J) e do eixo de acionamento (L) do câmbio
bomba de lubrificação da transmissão (C), o eixo de de marchas com outra velocidade que tem o eixo de
acionamento (M) da TDP e o tambor da embreagem acionamento (D) da embreagem.
(E), independentemente da embreagem estar
embreada ou desembreada. A bomba de lubrificação da transmissão (C) aspira
óleo sem pressão da caixa do diferencial. Este óleo é
Ao acionar o pedal da embreagem, não há nenhum utilizado mais tarde para a embreagem como óleo de 250
fluxo de óleo de controle para a parte traseira do controle, de lubrificação (somente durante a fase de 20
7
êmbolo (F). O óleo está sem pressão. As molas de patinagem; sem ilustração).
recuperação (O) empurram para trás o prato de
pressão (G) e o êmbolo (F) até sua posição inicial.

AG,LT04177,1361 –54–16MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-7 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=155
Embreagem Perma Clutch II

Transmissão de Força com a Embreagem Acoplada

G H I
F J
E K
D L
M
C

250 B
20
8 A

–UN–04MAR98
P

Q
N O
LXC008276

LXC008276 R

A—Eixo articulado F—Êmbolo J—Cubo N—Alavanca da válvula de


B—Flange G—Prato de pressão K—Rolamento de agulhas controle da embreagem
C—Bomba de lubrificação da H—Disco da embreagem com L—Eixo de acionamento do O—Mola de recuperação (12)
transmissão estriado exterior (2) câmbio de marchas P—Óleo sem pressão
D—Eixo de acionamento da I—Disco da embreagem com M—Eixo de acionamento da Q—Óleo de lubrificação
embreagem estriado interior (3) TDP R—Óleo de controle
E—Tambor da embreagem

Ao soltar o pedal da embreagem, há um fluxo de óleo prato de pressão (G) se movem contra a força das
de controle por trás do êmbolo (F). O êmbolo e o molas de recuperação (O).

Continua na próxima página AG,LT04177,1362 –54–16MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-8 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=156
Embreagem Perma Clutch II

Os discos da embreagem com estriado exterior (H) e do câmbio de marchas giram com a mesma
os com estriado interior (I) são comprimidos. velocidade que o eixo de acionamento (D) da
Desta forma, o cubo (J) e o eixo de acionamento (L) embreagem.

AG,LT04177,1362 –54–16MAR99–2/2

Bomba de Engrenagem da Transmissão

A B
H C 250
20
9

D
G

–UN–04MAR98
K
L

LX003884
LX003884

A—Caixa D—Galeria de aspiração G—Galeria de saı́da de K—Óleo sem pressão


B—Engrenagem de comando E—Do reservatório pressão L—Pressão de ativação
C—Anel dentado F—Separador em forma de lua H—Ao filtro da transmissão
crescente

A bomba de lubrificação da transmissão é uma bomba O óleo é aspirado e confinado entre os sulcos dos
de engrenagens internas, com separador em forma de dentes e o separador em forma de lua crescente, é
lua crescente, situada na carcaça da embreagem. enviado à galeria de saı́da de pressão (G). Os dentes
empurram o óleo para fora da bomba para o filtro de
Consta basicamente de uma caixa (A), anel de dentes óleo da transmissão.
internos (C) e engrenagem de comando de dentes
externos (B) acionada pelo motor mediante o eixo da A bomba entrega uma vazão de óleo de 60 l/min num
bomba. regime do motor de 2300 rpm.

A galeria de aspiração (D) está do lado onde se


separam os dentes para criar um vazio parcial.

AG,LT04177,1363 –54–16MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-9 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=157
Embreagem Perma Clutch II

Esquema Hidráulico

250
20
10

–UN–29JUL94
LX008306

Continua na próxima página AG,LT04177,1364 –54–17MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-10 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=158
Embreagem Perma Clutch II

1—Válvula de ativação 10—Êmbolo 18—Termistor de luz de aviso 25—Válvula de derivação do


2—Válvula de segurança 11—Refrigeração da do filtro de óleo (não filtro (não equipado)
3—Válvula de óleo refrigerante embreagem equipado) 26—Conexão de prova para
4—Válvula de controle do óle 12—Lubrificação da 19—Termistor de luz para pressão do sistema
refrigerante transmissão temperatura do óleo (não 27—Resfriador de óleo
5—Eletroválvula (não 13—Válvula de proteção do equipado) 28—Ao bloqueio do
equipado) resfriador 20—Ao circuito hidráulico (alta diferencial, embreagem da
6—Conexão de prova para 14—Válvula de descarga de pressão) tração dianteira e TDP
refrigeração da embreagem óleo de lubrificação 21—Filtro primário 29—Monocontato de luz de
7—Conexão de prova para 15—Válvula reguladora de 22—Reservatório aviso para pressão do
pressão da embreagem pressão 23—Bomba de lubrificação da sistema (não equipado)
8—Válvula centrı́fuga 16—Monocontato da luz de transmissão
9—Válvula de sucção aviso do filtro de óleo 24—Filtro de óleo da 250
posterior 17—Conexão de prova para transmissão 20
pressão de óleo de 11
lubrificação

AG,LT04177,1364 –54–17MAR99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-11 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=159
Embreagem Perma Clutch II

Descrição das Válvulas

Válvula de ativação Válvula centrı́fuga

Estando conectada a embreagem, há um fluxo de óleo Quando a embreagem está desconectada, o óleo
de controle da válvula de derivação (1) ao êmbolo (10) localizado no canal ao êmbolo, normalmente está sem
através da válvula de segurança (2). A força se pressão. Ao exceder o regime normal, a força
transmite da transmissão através da embreagem. centrı́fuga exercida sobre o óleo pode aumentar tanto
que desloca o êmbolo. Neste caso se abre a válvula
Ao acionar o pedal da embreagem, a válvula de centrı́fuga (8) e o óleo pode passar para o
250 ativação é conectada por meio de um cabo de reservatório.
20 comando. O óleo fica sem pressão e regressa ao
12
reservatório. O êmbolo é empurrado para trás por Válvula de sucção posterior
força de molas. A embreagem está desconectada e já
não transmite nenhuma força a transmissão. Estando aberto a válvula centrı́fuga se produz no
canal do óleo uma leve depressão, abrindo a válvula
Válvula de segurança de sucção posterior (9) e permitindo a entrada de ar
no canal de óleo.
Se não se pisar no pedal da embreagem após a
partida do motor, a embreagem estará sempre Válvula reguladora de pressão
desconectada. Este desenho da embreagem tem
como propósito evitar o avanço inprevisto do trator. A válvula reguladora de pressão (15) é controlada por
meio do óleo procedente da bomba de lubrificação da
A válvula de segurança (2) somente entregará óleo de transmissão. A partir de uma pressão de 1200 kPa (12
controle a embreagem, se está conectada uma só vez bar; 175 psi) nos stratores 6300 e 6500 ou 1400 kPa
a válvula de ativação (ao pisar o pedal da (14 bar; 205 psi) nos tratores 6600 a válvula se acha
embreagem). Uma vez ativada a válvula de em uma posição limite e abre um canal para o
segurança, ficará nesta posição durante o resfriador de óleo. Desta maneira a pressão de óleo já
funcionamento do motor. não pode aumentar, mesmo quando a pressão da
bomba de lubrificação da transmissão está em um
Válvula de óleo refrigerante valor um pouco mais alto.

Durante a embreagem ou desembreagem é produzido Esta pressão limitada a 1200 kPa (12 bar; 175 psi) ou
calor de fricção. Para eliminar o calor, a válvula de 1400 kPa (14 bar; 205 psi) se chama de pressão do
óleo refrigerante (3) entrega óleo de lubrificação à sistema.
embreagem durante a fase de patinagem.
Válvula de proteção do resfriador de óleo
Válvula de controle de óleo refrigerante
A partir de uma pressão de 950 kPa (9,5 bar; 138 psi)
A válvula de controle de óleo refrigerante (4) garante a a válvula de proteção do resfriador de óleo (13) abre
ativação da válvula de óleo refrigerante somente em um canal ao sistema de lubrificação da transmissão
uma margem determinada de pressão da embreagem aliviando a pressão do resfriador de óleo.
(fase de patinagem).
A válvula de controle de óleo refrigerante responde à Válvula de descarga de óleo de lubrificação
válvula de saı́da da válvula de ativação.

Continua na próxima página AG,LT04177,1365 –54–17MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-12 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=160
Embreagem Perma Clutch II

A válvula de descarga do óleo de lubrificação (14) Válvula de derivação do filtro


abre um canal ao conduto de entrada da bomba de
lubrificação da transmissão a partir de uma pressão de (não equipado)
250 kPa (2,5 bar; 36 psi) limitando desta maneira a
pressão de lubrificação neste valor.

250
20
AG,LT04177,1365 –54–17MAR99–2/2 13

Outros Componentes do Circuito de Óleo da Transmissão

Resfriador de óleo Filtro de óleo da transmissão

O resfriador de óleo (27) tem a função de baixar a O filtro de óleo da transmissão (24) filtra o óleo de
temperatura do óleo hidráulico a fim de garantir o bom entrada da bomba de lubrificação da transmissão.
funcionamento dos circuitos hidráulicos. (Não está equipado com válvula de derivação)

Uma vez alcançada a pressão do sistema de 1200 Filtro primário


kPa (12 bar; 175 psi) nos tratores 6300 e 6500 ou
1400 kPa (14 bar; 205 psi) no trator 6600, há um fluxo O filtro primário (21) está localizado no cárter do
de óleo da válvula reguradora de pressão (15) ao diferencial. Este tipo impede que as impurezas
resfriador de óleo (27). para aliviar a pressão do contidas no óleo hidráulico possam chegar até o canal
resfriador de óleo, se limita a pressão da válvula de de aspiração da bomba de lubrificação.
proteção do resfriador de óleo a 950 kPa (9,5 bar; 138
psi).

AG,LT04177,1366 –54–17MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-13 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=161
Embreagem Perma Clutch II

Funcionamento da Válvula Centrı́fuga e da Válvula de Sucção

250
20
14

–UN–06AUG94
LX001554
Ao superar o regime nominal, é possı́vel que com o Deste modo se reduz a pressão de óleo no êmbolo.
pedal da embreagem pisado, a força centrı́fuga (B)
exercida sobre o óleo no canal de óleo, esta pressão Este processo é assistido por uma válvula de sucção
embrea o êmbolo. posterior (E) que está alojada na bomba de
lubrificação da transmissão (D).
Para evitar isto, se encontra no êmbolo (C) uma A válvula de sucção posterior abre um orifı́cio
válvula (A). Ao superar o regime normal, a esfera da permitindo a passagem de um fluxo de ar (F) ao
válvula de desloca para o extremo abrindo um orifı́cio conduto de pressão da embreagem.
de descarga.

AG,LT04177,1367 –54–18MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-14 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=162
Embreagem Perma Clutch II

250
20
15

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-15 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=163
Embreagem Perma Clutch II

Funcionamento da Válvula de Controle da Embreagem e da Válvula de Segurança de


Partida (Pedal da embreagem solto e motor funcionando)

C
D
250 A
20
16 E
L
F
K
M
G

I
J

A B J K

D
C

N
–UN–13MAR97

O
F G E L M LX005348
LX005348

Continua na próxima página AG,LT04177,1368 –54–18MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-16 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=164
Embreagem Perma Clutch II

A—Válvula de segurança D—Ao reservatório K—Ao reservatório P—Da bomba de lubrificação


B—Ao êmbolo E—Válvula de controle L—Da válvula reguladora de da transmissão
C—pressão de controle F—Mola pressão Q—Ao reservatório
(modulação) G—Mola M—Mola R—Válvula reguladora de
H—Alavanca N—Captador1 pressão
I—Ao reservatório O—Da válvula de refrigeração
J—Mola do óleo

A pressão de óleo da bomba de transmissão (M) carretel. A mola (J) mantém o carretel na posição
chega a válvula de segurança (A) passando pela fechada e o óleo sob pressão do êmbolo (B) passa
válvula do pedal (E). Uma vez alı́, o óleo está atuando através da válvula de segurança (A) ao reservatório
ao mesmo tempo na parte superior e inferior do (K). 250
20
17

1
Até o trator de série 109779
AG,LT04177,1368 –54–18MAR99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-17 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=165
Embreagem Perma Clutch II

Funcionamento da Válvula de Controle da Embreagem e da Válvula de Segurança de


Partida (Pedal da embreagem pisado)

C
D
250 A
20
18 E
L
F
K
M
G

I
J
C
A B J K

L N
F G M E
–UN–13MAR97

O
LX005349
LX005349

Continua na próxima página AG,LT04177,1369 –54–18MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-18 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=166
Embreagem Perma Clutch II

A—Válvula de segurança D—Ao reservatório K—Ao reservatório P—Da bomba de lubrificação


B—Ao êmbolo E—Válvula de controle L—Da válvula reguladora de da transmissão
C—pressão de controle F—Mola pressão Q—Ao reservatório
(modulação) G—Mola M—Mola R—Válvula reguladora de
H—Alavanca N—Captador1 pressão
I—Ao reservatório O—Da válvula de refrigeração
J—Mola do óleo

A corrediça da válvula de controle (E) se move para Nesta posição, o óleo flui do êmbolo através da
baixo cortando o fluxo de óleo no lado inferior da válvula de segurança (B) até a válvula de controle (E).
válvula de segurança (A). Ao pisar no pedal da embreagem, a válvula de
controle abre um canal (D) ao reservatório. 250
A mola (J) não pode manter o carretel na posição 20
(fechada) superior, já que o óleo de pressão na parte 19
superior desloca o carretel para baixo.

A válvula de segurança está agora ativada.


Permanece sempre nesta posição durante o
funcionamento da máquina.

1
Até o trator de série 109779
AG,LT04177,1369 –54–18MAR99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-19 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=167
Embreagem Perma Clutch II

Funcionamento da Válvula de Controle da Embreagem e da Válvula de Segurança de


Partida (Pedal da embreagem retornando lentamente)

C
D
250 A
20
20 E
L
F
K
M
G
H

I
J

A B J K

C
N
N O
F G E O
–UN–13MAR97

LX005510
LX005510

Continua na próxima página AG,LT04177,1370 –54–18MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-20 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=168
Embreagem Perma Clutch II

A—Válvula de segurança D—Ao reservatório K—Ao reservatório P—Da bomba de lubrificação


B—Ao êmbolo E—Válvula de controle L—Da válvula reguladora de da transmissão
C—pressão de controle F—Mola pressão Q—Ao reservatório
(modulação) G—Mola M—Mola R—Válvula reguladora de
H—Alavanca N—Captador1 pressão
I—Ao reservatório O—Da válvula de refrigeração
J—Mola do óleo

A alavanca (H) desloca o carretel para cima por meio Se esta força é maior que a carga das molas, o
das molas (F) e (G). A partir de uma pressão carretel se move para baixo reduzindo a vazão de
determinada, o óleo sob pressão procedente da óleo entregue ao êmbolo (B), até que exista um
válvula reguraldora de pressão (L) pode fluir primeiro equilı́brio de forças. 250
para a válvula de segurança (A) e dalı́ para o êmbolo 20
(B). Como a pré-carga das molas (F) e (G) dependem da 21
posição do pedal da embreagem, se pode regular a
A subida de pressão de embreagem proporciona a pressão da embreagem por meio do pedal da
pressão de controle (C) e gera sobre o carretel uma embreagem.
força que atua contra as molas (F) e (G).

1
Até o trator de série 109779
AG,LT04177,1370 –54–18MAR99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-21 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=169
Embreagem Perma Clutch II

Funcionamento da Refrigeração da Embreagem (Embrear lentamente)

250 C
20 B
22 D
E

I
J
–UN–13MAR97

K
LX005513

LX005513

Continua na próxima página AG,LT04177,1371 –54–18MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-22 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=170
Embreagem Perma Clutch II

A
C

250
20
23

–UN–30APR97
H I
J

RWC70794
F K
RWC70794 D

A—Embreagem do motor E—Válvula de refrigeração da G—Alavanca J—Óleo sem pressão


B—Válvula de controle embreagem H—Válvula piloto de K—Óleo de refrigeração e
C—Canal de óleo refrigerante F—Da lubrificação da refrigeração da embreagem lubrificação
D—Da válvula de controle transmissão I—Óleo piloto

A uma pressão de embreagem de 150 a 900 kPa (1,5 Deste modo chega óleo de lubrificação no canal de
a 9 bar; 22 a 130 psi) nos tratores 6300 e 6500 ou óleo refrigerante (C) da embreagem (A). O calor
150 a 1100 kPa (1,5 a 11 bar; 22 a 160 psi) no trator gerado pela fricção entre os discos da embreagem é
6600, o óleo de controle flui através da válvula de absorvido pelo óleo de lubrificação.
controle do óleo refrigerante (H) até a válvula de óleo
refrigerante (E) (fechada) e abre esta válvula.

AG,LT04177,1371 –54–18MAR99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-23 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=171
Embreagem Perma Clutch II

Funcionamento da Refrigeração da Embreagem (Embreagem acionada quase por


completo)

250
20 C
24 B
D
E

I
J
–UN–13MAR97

K
LX005515
LX005515

Continua na próxima página AG,LT04177,1372 –54–18MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-24 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=172
Embreagem Perma Clutch II

250
20
25

E H

–UN–13MAR97
I
J
F K

LX005514
LX005514 D

A—Embreagem do motor E—Válvula de refrigeração da G—Alavanca J—Óleo sem pressão


B—Válvula de controle embreagem H—Válvula piloto de K—Óleo de refrigeração e
C—Canal de óleo refrigerante F—Da lubrificação da refrigeração da embreagem lubrificação
D—Da válvula do pedal da transmissão I—Óleo piloto
embreagem

Quando a pressão de embreagem alcança um valor a válvula de controle de óleo de refrigeração (H) e
de 900 kPa (9 bar; 130 psi) nos tratores 6300 e 6500 corta a passagem direta de óleo de controle para
ou 1100 kPa (11 bar; 160 psi) no trator 6600, se ativa válvula de óleo refrigerante (E).

AG,LT04177,1372 –54–18MAR99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-25 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=173
Embreagem Perma Clutch II

Funcionamento da Refrigeração da Embreagem (Embreagem acionada)

250 C
20
B
26 D
E

I
–UN–13MAR97

J
K
LX005625
LX005625

Continua na próxima página AG,LT04177,1373 –54–18MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-26 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=174
Embreagem Perma Clutch II

250
20
27

E H

–UN–13MAR97
I
J
F K

LX005514
LX005514 D

A—Embreagem do motor E—Válvula de refrigeração da G—Alavanca J—Óleo sem pressão


B—Válvula de controle embreagem H—Válvula piloto de K—Óleo de refrigeração e
C—Canal de óleo refrigerante F—Da lubrificação da refrigeração da embreagem lubrificação
D—Do pedal da válvula da transmissão I—Óleo piloto
embreagem

A pressão de trabalho está ativada no canal de óleo, e


a pressão de embreagem e o sistema de refrigeração
não estão ativados.

AG,LT04177,1373 –54–18MAR99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-27 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=175
Embreagem Perma Clutch II

Funcionamento da Refrigeração da Embreagem (Desembreando lentamente)

250 C
20
28
B
D
E

I
–UN–13MAR97

J
K
LX005627

LX005627

Continua na próxima página AG,LT04177,1374 –54–18MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-28 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=176
Embreagem Perma Clutch II

A
C

250
20
29

–UN–30APR97
H I
J

RWC70794
F K
RWC70794 D

A—Embreagem do motor E—Válvula de refrigeração da G—Alavanca J—Óleo sem pressão


B—Válvula de controle embreagem H—Válvula piloto de K—Óleo de refrigeração e
C—Canal de óleo refrigerante F—Da lubrificação da refrigeração da embreagem lubrificação
D—Do pedal da válvula da transmissão I—Óleo piloto
embreagem

A uma pressão de embreagem de 150 a 900 kPa (1,5 Deste modo chega óleo de lubrificação no canal de
a 9 bar; 22 a 130 psi) nos tratores 6300 e 6500 ou óleo refrigerante (C) da embreagem (A). O calor
150 a 1100 kPa (1,5 a 11 bar; 22 a 160 psi) no trator gerado pela fricção entre os discos da embreagem é
6600, o óleo de controle flui através da válvula de absorvido pelo óleo de lubrificação.
controle do óleo refrigerante (H) até a válvula de óleo
refrigerante (E) (fechada) e abre esta válvula.

AG,LT04177,1374 –54–18MAR99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-29 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=177
Embreagem Perma Clutch II

Funcionamento da Refrigeração da Embreagem (Embreagem desembreada)

250
20
C
30 B
D
E

–UN–13MAR97

I
J
LX005629

LX005629

Continua na próxima página AG,LT04177,1375 –54–18MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-30 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=178
Embreagem Perma Clutch II

250
20
31

–UN–13MAR97
I
H
J
F

LX005628
D
LX005628

A—Embreagem do motor E—Válvula de refrigeração da G—Alavanca I—Óleo sem pressão


B—Válvula de controle embreagem H—Válvula piloto de J—Óleo de refrigeração e
C—Canal de óleo refrigerante F—Da lubrificação da refrigeração da embreagem lubrificação
D—Do pedal da válvula da transmissão
embreagem

Quando a pressão de embreagem é inferior a 150 kPa refrigeração estão na posição neutra e o sistema de
(1,5 bar; 22 psi), todas as válvulas do sistema de refrigeração não se ativa.

AG,LT04177,1375 –54–18MAR99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-31 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=179
Embreagem Perma Clutch II

Funcionamento da Refrigeração da Embreagem (Desembrear brevemente)

250 C
20
32
B
D
E

I
–UN–13MAR97

J
K
LX005627

LX005627

Continua na próxima página AG,LT04177,1376 –54–18MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-32 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=180
Embreagem Perma Clutch II

250
20
33

–UN–13MAR97
I
H
J
K

LX005630
LX005630 F D

A—Embreagem do motor E—Válvula de refrigeração da G—Alavanca J—Óleo sem pressão


B—Válvula de controle embreagem H—Válvula piloto de K—Óleo de refrigeração e
C—Canal de óleo refrigerante F—Da lubrificação da refrigeração da embreagem lubrificação
D—Do pedal da válvula da transmissão I—Óleo piloto
embreagem

Esta situação pode acontecer, por exemplo ao trocar


de marcha.

Ao desembrear brevemente a embreagem, a


quantidade de óleo que chega depende da duração de
embreamento.

AG,LT04177,1376 –54–18MAR99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-33 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=181
Embreagem Perma Clutch II

Funcionamento da Válvula Reguladora de Pressão e Válvula de Derivação do Filtro -


Condições Normais (Filtro de óleo limpo)

B C D

E
A
250
20
34
F H

G I

P
K

M O

D I E P L

C
D

Q
R
F G
K S
O
N T
–UN–21NOV97

LX001242
LX001242

H A J
M B

Continua na próxima página AG,LT04177,1377 –54–18MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-34 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=182
Embreagem Perma Clutch II

A—Válvula de derivação do G—Para lubrificação da L—Ao reservatório P—Mola


filtro transmissão M—Filtro de óleo da Q—Óleo sem filtrar
B—Óleo da bomba de H—Pressão de óleo para o transmissão R—Óleo filtrado
lubrificação da filtro de óleo da N—Orifı́cio de limitação S—Óleo refrigerante de
transmissão transmissão O—Pressão de óleo por trás lubrificação
C—Sistema 21 I—Ao resfriador de óleo do filtro de óleo da T—Óleo confinado
D—Sistema 12 J—Mola transmissão U—Óleo sem pressão
E—Válvula reguradora de K—Pressão de óleo por trás
pressão do filtro de óleo da
F—Luz do filtro (não transmissão depois de
equipado) passar pelo orifı́cio de
limitação (N)
250
A válvula de derivação (A) descarrega óleo no filtro Quando a pressão é muito baixa, a válvula se mantém 20
35
segundo a necessidade. A válvula de derivação é em posição neutra por meio da mola.
controlada por meio da diferença de pressão. A A ilustração mostra a situação de funcionamento
pressão de óleo de um dos lados do carretel cria normal. A diferença entre as pressões (H) e (K) é
forças que deslocam o carretel. O sentido de inferior a 300 kPa (3 bar; 44 psi). A mola (J) mantém o
deslocamento depende, por conseguinte, de qual das carretel na posição neutra e todos os canais estão
forças exercidas é mais importante. fechados.
O óleo passa pelo filtro de óleo da transmissão (M) e
O óleo de controle (H) tem a mesma pressão que o chega na válvula reguladora de pressão (E) antes de
óleo que flui ao fitro de óleo da transmissão. A chegar ao “sistema 1” (D).
pressão (K) é a pressão de apoio que existe no óleo
por trás do filtro de óleo da transmissão depois de A válvula reguladora de pressão (E) é acionada pela
passar pelo orifı́cio de limitação (N). Esta pressão se pressão de óleo e permite que o óleo passe para o
mantém por meio da mola (J) que mantém a válvula “sistema 2” (C). Quando a pressão é superior a 1200
de derivação em posição neutra quando as pressões kPa (12 bar; 175 psi) nos tratores 6300 e 6500 e 1400
se igualam. A diferença entre as pressões determinam kPa (14 bar; 205 psi) no trator 6600, a válvula
a posição da válvula de derivação. reguladora de pressão ajusta a pressão do sistema
A válvula reguraladora de pressão (E) tem a tarefa de por meio da abertura do canal (I) até o resfriador de
limitar a pressão do sistema 1200 kPa (12 bar; 175 óleo.
psi) nos tratores 6300 e 6500 e 1400 kPa (14 bar; 205
1
psi) no trator 6600. O óleo passa ao bloqueio do diferencial, TDP,
embreagem da tração dianteira assim como a válvula
A válvula de controle de pressão é controlada pelo de controle da embreagem.
2
fluxo de óleo. A pressão (O) que existe no sentido do O óleo passa para a válvula de proteção do
fluxo de óleo por trás do filtro de óleo da transmissão, resfriador, resfriador de óleo, lubrificação da
é determinante. Para deslocar o carretel, a pressão de transmissão, válvula de controle da embreagem e
óleo deve ser superior a força exercida pela mola (P). válvula de seguranaça da embreagem.

AG,LT04177,1377 –54–18MAR99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-35 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=183
Embreagem Perma Clutch II

Funcionamento da Válvula Reguladora de Pressão e Válvula de Derivação do Filtro -


Filtro de óleo contaminado

B C D

E
A
250
20
36
F H

G I

P
K

M O

D I E P L

C
D

Q
R
F G
K S
O
N T
–UN–21NOV97

LX001243
LX001243

H A J
M B

Continua na próxima página AG,LT04177,1378 –54–18MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-36 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=184
Embreagem Perma Clutch II

A—Válvula de derivação do G—Para lubrificação da L—Ao reservatório P—Mola


filtro transmissão M—Filtro de óleo da Q—Óleo sem filtrar
B—Óleo da bomba de H—Pressão de óleo para o transmissão R—Óleo filtrado
lubrificação da filtro de óleo da N—Orifı́cio de limitação S—Óleo refrigerante de
transmissão transmissão O—Pressão de óleo por trás lubrificação
C—Sistema 21 I—Ao resfriador de óleo do filtro de óleo da T—Óleo confinado
D—Sistema 12 J—Mola transmissão U—Óleo sem pressão
E—Válvula reguradora de K—Pressão de óleo por trás
pressão do filtro de óleo da
F—Luz do filtro (não transmissão depois de
equipado) passar pelo orifı́cio de
limitação (N)
250
A ilustração mostra a situação de funciaonamento O óleo passa pelo filtro de óleo da transmissão para o 20
37
quando o filtro de óleo da transmissão esta “sistema 1” (D). A pressão (P) diminui, a válvula
contaminado. reguladora de pressão (E) fecha o canal (I) a fim de
A pressão (H) aumenta até que diminui a pressão (K). manter a pressão do sistema.
Se forma uma diferença entre as duas pressões, o
1
que provoca o deslocamento do carretel para baixo. O óleo passa ao bloqueio do diferencial, TDP,
Quando a diferença de pressão é de 300 a 430 kPa (3 embreagem da tração dianteira assim como a válvula
a 4,3 bar; 44 a 62 psi), se abre o canal (F) para o de controle da embreagem.
2
monocontato da luz de aviso do filtro. O óleo passa para a válvula de proteção do
resfriador, resfriador de óleo, lubrificação da
O monocontato é ativado e a luz de aviso se acende transmissão, válvula de controle da embreagem e
indicando obstrução do filtro. válvula de segurança da embreagem.

AG,LT04177,1378 –54–18MAR99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-37 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=185
Embreagem Perma Clutch II

Funcionamento da Válvula Reguladora de Pressão e da Válvula de Derivação do Filtro -


Filtro totalmente obstruı́do

B C D

E
A
250
20
38
F H

G I

P
K

M O

D E I L
P
C
D

Q
R
F G
K S
O
N T
–UN–21NOV97

LX001244
H A J
LX001244

M B

Continua na próxima página AG,LT04177,1379 –54–18MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-38 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=186
Embreagem Perma Clutch II

A—Válvula de derivação do G—Para lubrificação da L—Ao reservatório P—Mola


filtro transmissão M—Filtro de óleo da Q—Óleo sem filtrar
B—Óleo da bomba de H—Pressão de óleo para o transmissão R—Óleo filtrado
lubrificação da filtro de óleo da N—Orifı́cio de limitação S—Óleo refrigerante de
transmissão transmissão O—Pressão de óleo por trás lubrificação
C—Sistema 21 I—Ao resfriador de óleo do filtro de óleo da T—Óleo confinado
D—Sistema 12 J—Mola transmissão U—Óleo sem pressão
E—Válvula reguradora de K—Pressão de óleo por trás
pressão do filtro de óleo da
F—Luz do filtro (não transmissão depois de
equipado) passar pelo orifı́cio de
limitação (N)
250
A ilustração mostra uma situação extrema que poderia (H) abrindo o canal (G). Deste modo, a lubrificação da 20
39
ocorrer durante o funcionamento. O filtro de óleo da transmissão fica garantido.
transmissão (M) está completamente obstruı́do
causando uma contrapressão elevada. A causa da baixa pressão em (O), a válvula
reguladora de pressão (E) já não pode ser ativada.
A pressão (H) aumenta enquanto que diminui a A mola (P) leva o carretel para a posição neutra.
pressão (K). Quando a diferença de pressão é de 430 Nesta posição, o óleo procedente da válvula de
a 500 kPa (4,3 a 5 bar; 62 a 73 psi), a válvula de derivação (A) pode chegar a todo o sistema através
derivação (A) permite o fluxo direto de óleo não do canal (I). Sem dúvida, este óleo não está filtrado e
filtrado para a válvula reguladora de pressão (E). somente pode ser utilizado nesta situação de
emergência.
Se a diferença de pressão é superior a 500 kPa (5
bar; 72,5 psi), a válvula de derivação reduz a pressão

AG,LT04177,1379 –54–18MAR99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-39 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=187
Embreagem Perma Clutch II

Válvula de Proteção do Resfriador de Óleo D

A válvula de proteção (derivação) do resfriador de óleo


tem a função de proteger este, em caso de uma pressão
elevada.

Esta válvula é ativada por um fluxo de óleo sob pressão.


Quando a pressão de óleo refrigerante é normal, a mola
(A) mantém o carretel (B) em posição fechada. Quando a
pressão alcança 950 kPa (9,5 bar; 138 psi), o carretel
250 abre o canal para lubrificação da transmissão (E). E
20
A B F
40
A—Mola
B—Carretel C D
C—Para lubrificação da transmissão
D—Do resfriador de óleo
E—Óleo de lubrificação

–UN–18JUN97
F—Óleo de retorno sem pressão

LX001248
LX001248

AG,LT04177,1380 –54–18MAR99–1/1

Funcionamento da Válvula de Descarga de A


Lubrificação

A válvula de descarga de lubrificação tem a função de


limitar a pressão de óleo de lubrificação a 250 kPa (2,5
bar; 36 psi). Quando se alcança esta pressão, a válvula
de descarga dá passage livre para a admissão da bomba
de lubrificação da transmissão (circuito de derivação).
Quando a pressão de óleo de lubrificação desce de 250
kPa (2,5 bar; 36 psi), a válvula volta a fechar.
E
Quando a pressão de óleo de lubrificação é normal, o A B C D F
carretel se mantém na posição fechada por meio da mola
(D). A válvula é ativada por um fluxo de óleo sob pressão.

A—Da lubrificação da transmissão


B—Para a admissão da bomba
–UN–18JUN97

C—Carretel
D—Mola
E—Óleo de lubrificação
F—Óleo de retorno sem pressão
LX001249

LX001249

AG,LT04177,1381 –54–18MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-20-40 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=188
Grupo 25
Câmbio de Marchas
Descrição do Câmbio

250
25
1

–UN–06SEP94
LX001208
A—Câmbio

AG,LT04177,1382 –54–18MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-25-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=189
Câmbio de Marchas

250
25
2

–UN–27JUL94
LX004120

A—Engrenagem intermediária D—Eixo de acionamento G—Engrenagem da 1ª marcha J—Sincronizador 3ª marcha


B—Eixo da engrenagem E—Engrenagem marcha a ré H—Engrenagem da 2ª marcha K—Rolamento de agulhas
intermediária F—Trem de sincronização, I—Trem de sincronização, 2ª e L—Eixo de acionamento do
C—Eixo secundário marcha a ré e 1ª marcha 3ª marcha câmbio de grupos

O eixo de acionamento (D), o contra-eixo (C) e o eixo engrenagens podem girar livremente sobre o eixo de
da engrenagem intermediária (B) estão localizados na acionamento. Os eixos de acionamento (L) do câmbio
caixa de câmbio. de grupos podem girar também livremente sobre o
eixo de acionamento do câmbio com ajuda dos
A engrenagem de marcha a ré (E), as engrenagens de rolamentos de agulhas (K). Os trens de sincronização
1ª e 2ª marchas e os sincronizadores (F e I) estão estão firmemente conectados com o eixo de
montados sobre o eixo de acionamento. As acionamento.

Continua na próxima página AG,LT04177,1383 –54–18MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-25-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=190
Câmbio de Marchas

Ao acionar o trem de sincronização em posição de engrenam com as engrenagens de marchas do eixo


câmbio de marcha, a emgrenagem da marcha de acionamento. Ao trocar de marcha, o contra-eixo
correspondente é conectada firmemente com o eixo girará livremente.
de acionamento. Ao engrenar a 3ª marcha, o eixo de
acionamento do câmbio é conectado com eo eixo de A engrenagem intermediária (A) troca de sentido de
acionamento do câmbio de grupos. giro ao engrenar a marcha a ré.

As engrenagens do contra-eixo formam uma parte


integral do mesmo. As engrenagens docontra-eixo

250
25
AG,LT04177,1383 –54–18MAR99–2/2 3

MTCQ33711 (13SEP01) 250-25-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=191
Câmbio de Marchas

Transmissão de Força da 1ª Marcha

250
25
4

–UN–26JUL94
LX001209

O colarinho do sincronizador (F) conecta na rolamento de agulhas (K), o eixo de acionamento (L)
engrenagem da 1ª marcha (G) com o eixo de do câmbio de grupos pode girar a uma velocidade
acionamento (D). A força se transmite ao contra-eixo diferente do eixo de acionamento do câmbio de
(C) que por sua vez transmite a força ao eixo de marchas (D).
acionamento (L) do câmbio de grupos. Por meio do
AG,LT04177,1384 –54–18MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-25-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=192
Câmbio de Marchas

Transmissão de Força da 2ª Marcha

250
25
5

–UN–26JUL94
LX001210

O colarinho do sincronizador (I) conecta a (C). Este, por sua vez, transmite a força ao eixo de
engrenagem da 2ª marcha (H) com o eixo de acionamento (L).
acionamento (D). A força se transmite ao contra-eixo

AG,LT04177,1385 –54–18MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-25-5 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=193
Câmbio de Marchas

Transmissão de Força da 3ª Marcha

250
25
6

–UN–26JUL94
LX001233

A trocar de marcha, o colarinho do sincronizador (I) conectado firmemente por um dentado com o eixo de
conecta o sincronizador (J) com o eixo de acionamento (L) da caixa de grupos. A força se
acionamento (D). Visto que o sincronizador está transmite diretamente com uma reção de 1:1.

AG,LT04177,1386 –54–18MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-25-6 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=194
Câmbio de Marchas

Transmissão de Força — Marcha a ré

250
25
7

–UN–26JUL94
LX001234

Ao trocar de marcha o colarinho do sincronizador (F) giro e transmite por sua vez a foça ao contra-eixo (C).
conecta a engrenagem de marcha a ré (E) com o eixo O eixo secundário transmite a força ao eixo de
de acionamento (D). A força se transmite a acionamento (L).
engrenagem intermediária (A), que troca o sentido de

AG,LT04177,1387 –54–18MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-25-7 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=195
Câmbio de Marchas

Interruptor de Segurança de Partida

250
25
8

–UN–28JUL94
LX002515
O interruptor de segurança de partida (D) está flecha). Deste modo o interruptor de segurança de
instalado na tampa do câmbio. Entre as corrediças (A partida é ligado o que permite a partida no motor do
e B) se encontra o trambulador de bloqueio (F). Este trator.
trambulador permite que se pode deslocar somente
um eixo por vez. A peça guia (E) fica firmemente Quando se move a corrediça (saindo da posição
unida a corrediça superior. O pino (C) aciona o neutra), o pino (C) entra em um dos rebaixos da
interruptor de segurança de partida, conforme a corrediça inferior. Como consequência, o interruptor de
posição das corrediças. segurança de partida não liga, o que não permite a
partida do motor.
Na posição de ponto morto, o pino (C) fica situado em
cima da parte entre os rebaixos da corrediça (ver

AG,LT04177,1388 –54–18MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-25-8 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=196
Grupo 30
Câmbio de Grupos
Caixa de Grupos — Vista em Corte

250
30
1

–UN–28JUL94
LX001283
A—Caixa de Grupos

AG,LT04177,1389 –54–18MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-30-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=197
Câmbio de Grupos

Descrição — Grupo de 12 Marchas

250
30
2

–UN–28JUL94
LX001284
A—Eixo secundário D—Sincronizador G—Engrenagem do grupo C J—Engrenagem do grupo A
B—Eixo de acionamento E—Engrenagem do grupo D H—Engrenagem do grupo H K—Engrenagem da tração
C—Eixo de acionamento dos F—Trem de sincronização I—Trem de sincronização dianteira
grupos grupos C e D grupos A e B L—Eixo de saı́da

O eixo de acionamento (B), o eixo de saı́da do câmbio firmemente com o eixo de saı́da do câmbio. As
(L), o bloqueio de estacionamento e as varetas do engrenagens do eixo de acionamento engrenam com
cãmbio estão na caixa de câmbios. as engrenagens do grupo sobre o eixo de comando do
câmbio.
O eixo de acionamento da transmissão consta de uma
só peça, é mesmo que dizer que as engrenagens A força é transmitida através do sincronizador (D) ao
individuais estão firmemente ligadas entre si. As eixo secundário (A) do câmbio de marchas ao eixo de
engrenagens dos grupos A, B, C e D, os trens acionamento (B). O eixo de acionamento (B) conduz
sincronizadores (F e I) e a engrenagem da tração as engrenagens de grupos individuais. Com os trens
dianteira (K) estão no eixo de comando. As sincronizadores em ponto morto, todas as
engrenagens dos grupos pode girar livremente sobre o engrenagens giram livremente sobre o eixo de
eixo da saı́da do câmbio. Os trens de sincronização e comando do câmbio. O eixo de comando gira.
a engrenagem da tração dianteira estão conectadas

Continua na próxima página AG,LT04177,1390 –54–18MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 250-30-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=198
Câmbio de Grupos

é conduzida para a coroa e para a engrenagem da


Ao movimentar um sincronizador na posição de tração dianteira1.
engate, a engrenagem fica firmemente unida com o
1
eixo de comando de modo que a força é transmitida se existe.
ao eixo de comando do câmbio. Deste último, a força
AG,LT04177,1390 –54–18MAR99–2/2

Transmissão de Força, Grupo A

250
30
3

–UN–26JUL94
LX001286
Ao trocar de marcha, o colarinho do sincronizador (I) Do eixo de saı́da se transmite força para a coroa e
conecta a engrenagem do grupo A (J) com o eixo de para a engrenagem da tração dianteira (K), esta
saı́da (L). As demais engrenagens giram livremente transmite força para a embreagem da tração dianteira.
sobre o eixo de saı́da.

Se transmite força do eixo de acionamento (B) através


da engrenagem do grupo (A) e para o trem de
sincronização ao eixo de saı́da.

AG,LT04177,1391 –54–18MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-30-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=199
Câmbio de Grupos

Transmissão de Força, Grupo B

250
30
4

–UN–26JUL94
LX001287
Ao trocar de marcha o colarinho do trem sincronizador ao eixo de saı́da. Deste eixo de saı́da se transmite a
(I) conecta a engrenagem do grupo B (H) com o eixo força de tração para a coroa e pinhão e para a tração
da saı́da (L). As demais engrenagens dos grupos dianteira através da engrenagem (K).
giram livremente sobre o eixo de saı́da.

Se transmite a força de acionamento (B) através da


engrenagem do grupo (B) pelo trem de sincronização

AG,LT04177,1392 –54–19MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-30-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=200
Câmbio de Grupos

Transmissão de Força, Grupo C

250
30
5

–UN–26JUL94
LX001288
Ao trocar de marcha o colarinho do trem sincronizador ao eixo de saı́da. Deste eixo de saı́da se transmite a
(F) conecta a engrenagem do grupo C (G) com o eixo força de tração para a coroa e pinhão e para a tração
da saı́da (L). As demais engrenagens dos grupos dianteira através da engrenagem (K).
giram livremente sobre o eixo de saı́da.

Se transmite a força de acionamento (B) através da


engrenagem do grupo (C) pelo trem de sincronização

AG,LT04177,1393 –54–19MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-30-5 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=201
Câmbio de Grupos

Transmissão de Força, Grupo D

250
30
6

–UN–25JUL94
LX001289
Ao trocar de marcha o colarinho do trem sincronizador ao eixo de saı́da. Deste eixo de saı́da se transmite a
(F) conecta a engrenagem do grupo D (E) com o eixo força de tração para a coroa e pinhão e para a tração
da saı́da (L). As demais engrenagens dos grupos dianteira através da engrenagem (K).
giram livremente sobre o eixo de saı́da.

Se transmite a força de acionamento (B) através da


engrenagem do grupo (D) pelo trem de sincronização

AG,LT04177,1394 –54–19MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-30-6 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=202
Câmbio de Grupos

Bloqueio de Estacionamento (Park)

250
30
7

–UN–28JUL94
LX001293
A—Alavanca D—Rolete F—Mola H—Engrenagem da tração
B—Corrediça E—Tampa do rolamento G—Trinquete dianteira
C—Excêntrico da corrediça

Ao aplicar o bloqueio de estacionamento, a barra Ao soltar o trinquete e com isto o bloqueio de


corrediça (B) gira e o excêntrico (C) exerce uma estacionamento, o excêntrico já não exerce pressão
pressão sobre o rolete (D) do trinquete (G). O sobre o rolete do trinquete. A mola (F) desloca o
trinquete se desloca para a engrenagem da tração trinquete para a posição inicial.
dianteira (H) e os dentes do trinquete engrenam com a
engrenagem da tração dianteira.

AG,LT04177,1395 –54–19MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 250-30-7 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=203
Câmbio de Grupos

250
30
8

MTCQ33711 (13SEP01) 250-30-8 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=204
Seção 255
Transmissão PowrQuad
Conteúdo

Página Página

Grupo 05—Funcionamento Teste de pressão, circuito de embreagem de


Antes de Começar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-05-1 avanço. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-17
Prova de modulação, ponto morto e em Pontos de fugas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-17
marcha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-05-1 Fugas no circuito de retrocesso . . . . . . . . . .255-10-18
Prova de modulação , avanço e marcha a Teste de pressão, circuito do freio de
ré. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-05-1 retrocesso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-18
Prova de modulação entre marchas . . . . . . . .255-05-2 Fugas do freio de retrocesso. . . . . . . . . . . . .255-10-19 255
Prova da caixa de grupos . . . . . . . . . . . . . . . .255-05-2 Teste de fugas do bloqueio do diferencial . . .255-10-19
Prova de modulação da embreagem. . . . . . . .255-05-2 Possı́veis causas de fugas . . . . . . . . . . . . . .255-10-20
Prova de arraste da transmissão. . . . . . . . . . .255-05-3 Teste de fugas do circuito da TDP . . . . . . . .255-10-20
Prova de acoplamento da embreagem . . . . . .255-05-3 Procedimento de leitura de pressão da
Prova de bloqueio do diferencial . . . . . . . . . . .255-05-3 TDP . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-21
Prova de funcionamento da Tração Causas da fuga da TDP . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-22
Dianteira (TDM) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-05-4 Teste de fugas no circuito da tração dianteira
Prova de funcionamento da Tomada de (TDM) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-23
Potência (TDP) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-05-4 Procedimento de leitura de pressão da
TDM . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-23
Grupo 10—Diagnóstico de Anomalias Possı́veis causas de fugas da TDM . . . . . . .255-10-24
Utilização dos Quadros de Diagnóstico Teste da pressão de lubrificação da
Hidráulico. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-1 transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-25
Ferramentas Especiais . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-1 Teste de vazão do resfriador de óleo . . . . . .255-10-25
Outros Materiais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-2 Teste da válvula de descarga do
Reconhecer os Avisos de Segurança . . . . . . .255-10-3 resfriador de óleo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-26
Cuidado Com as Fugas de Alta Pressão. . . . .255-10-3 Valores incorretos de pressão da válvula de
Ajuste dos Valores de Referência de Pressão descarga . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-27
e Temperatura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-4 Teste da bomba de lubrificação da
Procedimento Abreviado de Diagnóstico . . . . .255-10-4 transmissão e vazão do resfriador . . . . . . .255-10-27
Principais Provas do Sistema . . . . . . . . . . . . .255-10-5 Considerações sobrea a vazão . . . . . . . . . . .255-10-27
Folha de Registro de Provas da Transmissão Causas de uma pressão de lubrificação
PowrQuad . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-6 baixa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-28
Diagnóstico de anomalias . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-8 Teste de pressão do sistema de
Teste do filtro de óleo da transmissão. . . . . .255-10-10 transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-28
Instalação do equipamento de teste . . . . . . .255-10-10 Teste do circuito de refrigeração da
Teste do manejo e pressão. . . . . . . . . . . . . .255-10-10 embreagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-29
Falta de pressão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-11 Causas de uma refrigeração inadequada . . .255-10-30
Pressão ok . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-11 Teste de vácuo da bomba de ar . . . . . . . . . .255-10-30
O Trator para . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-12 Resumo de testes da transmissão . . . . . . . .255-10-31
Falta de marchas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-13 Válvula de descarga de lubrificação presa
Aquecimento do óleo hidráulico e da aberta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-31
transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-13 Teste de fugas de ar na bomba de
Teste de fugas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-14 lubrificação da transmissão . . . . . . . . . . . .255-10-32
Teste de pressão do circuito do câmbio . . . .255-10-14 Teste de entrada de ar na embreagem e
Possibilidades de fugas. . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-15 freio usando ar comprimido . . . . . . . . . . . .255-10-33
Teste de fugas do circuito da embreagem de
avanço. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-16 Continua na próxima página

MTCQ33711 (13SEP01) 255-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=1
Conteúdo

Página Página

Junta da caixa de válvulas de controle da Válvula de Refrigeração da Embreagem de


transmissão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-10-35 Alta Pressão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-20-44
Patinagem da transmissão . . . . . . . . . . . . . .255-10-35 Controle da Vazão de Refrigeração
Arraste da embreagem da TDP. . . . . . . . . . .255-10-36 Através do Pedal da Embreagem . . . . . . .255-20-45
Superaquecimento do óleo hidráulico . . . . . .255-10-36 Resfriador de Óleo e Circuito de
Lubrificação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-20-45
Grupo 15—Regulagens do Câmbio de Marchas Lubrificação dos Módulos . . . . . . . . . . . . . . .255-20-46
Regulagem do Câmbio de Marchas . . . . . . . .255-15-1 Circuito de Lubrificação dos Módulos . . . . . .255-20-46
Regulagem do Cabo de Avanço e Funcionamento do Circuito de Refrigeração
Retrocesso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-15-2 da Embreagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-20-47
Regulagem do Bloqueio de Resfriador de Óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-20-49
Estacionamento (Park). . . . . . . . . . . . . . . . .255-15-4 Caixa de Grupos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-20-50
Regulagem do Bloqueio de Marcha a Ré . . . .255-15-4 Componentes da Transmissão PowrQuad
255 (Sı́mbolos) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-20-52
Grupo 20—Funcionamento — Transmissão
PowrQuad
Componentes da Transmissão PowrQuad
(Identificação de Componentes) . . . . . . . . .255-20-2
Componentes da Transmissão PowrQuad
(Esquema hidráulico) . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-20-4
Notas Referente ao Funcionamento da
Transmissão PowrQuad. . . . . . . . . . . . . . . .255-20-5
Descrição da Transmissão PowrQuad. . . . . . .255-20-6
Funcionamento do Conjunto de
Planetários. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-20-8
Bomba de Ar. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-20-13
Bomba de Lubrificação da Transmissão . . . .255-20-14
Distribuidor de Óleo da Embreagem . . . . . . .255-20-15
Caixa do Freio de Retrocesso . . . . . . . . . . . .255-20-17
Válvula de Descarga do Filtro . . . . . . . . . . . .255-20-19
Válvula Reguladora de Pressão . . . . . . . . . .255-20-20
Circuito de Controle de Marchas . . . . . . . . . .255-20-21
Circuito da Válvula de Segurança de
Partida (EOV) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-20-24
Modulador de Velocidade . . . . . . . . . . . . . . .255-20-26
Troca de Marchas Usando a Alavanca de
Câmbio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-20-27
Alavanca do Câmbio Movida do Neutro
Para a Segunda Marcha ou Ré . . . . . . . . .255-20-29
Modulação de Avanço/Retrocesso . . . . . . . .255-20-33
Motor em Marcha e Transmissão em
Park. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-20-35
A Alavanca de Câmbio Passa de Ponto
Morto a Avanço ou Marcha a Ré . . . . . . . .255-20-37
Alavanca de Avanço/Retrocesso ou Ponto
Morto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-20-42
Elementos de Refrigeração da Embreagem
de Tração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-20-43
Resfriador de Óleo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-20-43
Válvula de Refrigeração da Embreagem de
Baixa Pressão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-20-44
Válvula de Controle de Refrigeração de
Avanço/Retrocesso . . . . . . . . . . . . . . . . . .255-20-44

MTCQ33711 (13SEP01) 255-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=2
Grupo 05
Funcionamento
Antes de Começar

Sempre começar neste grupo para identificar uma Completar todas as revisões antes de fazer qualquer
falha. Os procedimentos passo a passo provém uma reparação, a menos que é indicado na coluna da
revisão rápida no sistema. Não necessitam de direita.
ferramentas para efetuar estas revisões. É necessário
uma área nivelada com espaço apara conduzir o Em algumas revisões o motor e outros componentes
trator. devem estar na temperatura de trabalho.

Sempre começar com o primeiro passo e seguir a


CUIDADO: Fazer as revisões numa área
sequência da esquerda para a direita. Ler cada passo
aberta. O trator pode mover-se durante as
por completo antes de fazer a revisão.
revisões.
Concentrar-se na revisão em que está realizando e
ignorar os sinais proveniente de outros componentes.

255
05
1

AG,LT04177,1405 –54–26MAR99–1/1

1 Prova de modulação, ponto morto e em marcha

– – –1/1

1a 1. Engatar a alavanca de grupos no Grupo B. OK: Continuar na 2


2. Fazer funcionar o motor a 1200—1500 rpm.
3. Engatar a 1ª marcha (sem pisar na embreagem).
4. Alavanca do inversor em avanço (sem pisar na embreagem)

A conexão modulada da embreagem de avanço não deve demorar mais de 3,5


segundos e não deve ser excessivamente agressiva.

NOTA: A suavidade dos câmbios modulados depende de diversos fatores: o tamanho


dos pneus, a pressão de inflação, o lastro, a tração dianteira, a rotação do motor, a
frequência dos câmbios, a pressão dos sistemas, a temperatura e a viscosidade do
óleo.

– – –1/1

2 Prova de modulação , avanço e marcha a ré

– – –1/1

2a 1. Engatar a 1ª marcha (sem pisar no pedal da embreagem). OK: Ir a 3


2. Cambiar a alavanca de avanço e retrocesso (sem pisar no pedal da embreagem).

A conexão de retrocesso do freio de retrocesso não deve demorar mais de 3,5


segundos e não deve ser excessivamente agressiva.

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-05-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=207
Funcionamento

3 Prova de modulação entre marchas

– – –1/1

3a Trocar a alavanca de marchas de 4ª ré para 1ª ré, cambiando de novo de 1ª a 4ª. OK: Ir a 4

Repetir a prova no avanço.

O câmbio de marchas deve ser modulado e deve demorar máis de 0,9 segundos.
O câmbio não deve ser excessivamente agressivo; o câmbio de marchas alta para
baixas deve ser mais agressivo que o câmbio de marchas baixas para altas.

Não se deve escutar ruido algum das engrenagens ao efetuar câmbio entre marchas.
Não se deve escutar ruidos de metal ao cambiar marchas mais altas, mas algum ruido
255 de metal é possı́vel em câmbios reduzidos.
05
2

– – –1/1

4 Prova da caixa de grupos

– – –1/1

4a 1. Engatar a 2ª marcha para frente e avançar com o motor a 1200—1500 rpm. OK: Ir a 5
2. Mover a alavanca de grupos em todas posições. Cambiar com rapidez e soltar o
pedal da embreagem rápido para evitar que o trator pare.

Os câmbios devem ser sincronizados, sem necessidade de aplicar muita força sobre a
alavanca. A transmissão não deve emitir nenhum tipo de ruido.

NOTA: Ao cambiar de “B” para “A” exigirá um maior esforço sobre a alavanca que o
câmbio do grupo “C” para “B”, para fazer um câmbio sincronizado de mesma duração.

– – –1/1

5 Prova de modulação da embreagem

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-05-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=208
Funcionamento

5a Pisar no pedal da embreagem para parar o trator. Engatar o grupo “B” e a alavanca OK: Ir a 6
de câmbio na 3ª marcha para frente. Motor entre 1200—1500 rpm. Soltar lentamente
o pedal da embreagem.

A modulação da embreagem depende da velocidade que o operador solta o pedal da


embreagem.

O acoplamento deve realizar-se com suavidade, sem arraste nem ruidos.

– – –1/1

6 Prova de arraste da transmissão


255
05
3

– – –1/1

6a Com os freios soltos, pisar até o limite no pedal da embreagem. OK: Ir a 7

O trator deve parar completamente, sem tendência alguma de seguir avançando, uma
vez parado.

A embreagem não deve arrastar o trator com o pedal da embreagem pisado e


cambiando, com o motor desde a marcha lenta até a rotação máxima.

– – –1/1

7 Prova de acoplamento da embreagem

– – –1/1

7a Soltar o pedal da embreagem aproximadamente 50—65 mm do seu limite de curso. OK: Ir a 8

A embreagem de avanço deve começar a atuar e o trator deve mover-se.

Repetir a prova em 2ª marcha a ré.

– – –1/1

8 Prova de bloqueio do diferencial

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-05-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=209
Funcionamento

8a Motor a 1000 rpm, avançar com o trator em linha reta e marcha em B2. Ligar o OK: Ir a 9
bloqueio do diferencial e girar bruscamente a direção para qualquer lado.

O trator deve mostrar tendência a seguir em linha reta.

Desligar o bloqueio do diferencial pisando levemente em um dos pedais do freio.

O trator deve girar agora normalmente.

– – –1/1

9 Prova de funcionamento da Tração Dianteira (TDM)


255
05
4

– – –1/1

9a Com o motor a 1000 rpm, avançar o trator com a marcha engatada B2. Ligar a tração OK: Ir a 10
dianteira e girar bruscamente a direção em qualquer direção. Pisar no fundo o pedal
da embreagem e deixar que o trator pare. Observar a parte dianteira do trator e
desligar o interruptor da TDM.

O extremo frontal do trator deve balançar um pouco lateralmente ao desligar a TDM.


Esta prova também pode ser realizada em marcha a ré.

– – –1/1

10 Prova de funcionamento da Tomada de Potência (TDP)

– – –1/1

10a Parar o trator. Com a TDP desligada, variar a rotação do motor desde marcha lenta à OK: Fim.
máxima, e vice versa.

IMPORTANTE: O eixo da TDP não deve girar.

Levantar o interruptor da TDP. O eixo da TDP deve girar.

Com o motor em máxima rotação, golpear o interruptor da TDP para desligar a


embreagem da TDP. O eixo da TDP deve demorar uns sete segundos para parar.

Com a TDP ligada, a luz de aviso deve estar acesa. Com a TDP desligada, a luz de
aviso deve estar apagada.

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-05-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=210
Grupo 10
Diagnóstico de Anomalias
Utilização dos Quadros de Diagnóstico Hidráulico

O Passo 2 e os passos subsequêntes cobrem um


CUIDADO: Ao realizar todos os
diagnóstico detalhado da transmissão e do sistema
procedimentos de diagnóstico, observar e
hidráulico.
seguir os avisos de ATENÇÃO. (Ver
“Reconhecer os avisos de segurança”, neste
1. Os quadros estão divididos em três seções:
grupo).
PASSO-SEQUÊNCIA-RESULTADO. Começar
sempre pelo primeiro passo e seguir a sequência
Os quadros seguintes constituem um guia
completa da esquerda para a direita.
passo-a-passo para realizar os testes preliminares e
2. Cada sequência acaba em um resultado. O
isolar as anomalias do sistema hidráulico da
resultado lhe dirá qual a ação a tomar e o próximo
transmissão.
passo que você deverá seguir.
3. Seguir os passos de diagnósitico de anomalias até
Utilizar este procedimento quando existem
isolar o problema.
reclamações de patinagem da transmissão, câmbio
Realizar os testes restantes, seguidamente repetir as
errado ou agressivo, ou quando são realizadas 255
provas até o passo em que detectou a anomalia. 10
manutenções de importância na transmissão.
1
Seguir sempre a sequência de testes e verificar as
NOTA: As vezes é necessário reparar o problema,
especificações mensionadas nas mesmas.
antes que as provas restantes sejam
completadas.
Utilizar as provas preliminares (Passo 1) para realizar
um exame prévio do trator.
4. Utilizar a folha de registro de provas da
Com frequência, a prova preliminar permite localizar o
transmissão para anotar os resultados dos testes.
problema.
Realizar estes testes antes de proceder a instalação
de equipamentos de testes.

AG,LT04177,1407 –54–29MAR99–1/1

Ferramentas Especiais

Pedir as ferramentas conforme catálogo de ferramentas


especiais FECQ31983 para o Departamento de Peças da
John Deere.

AG,LT04177,1408 –54–29MAR99–1/7

RW18141 –UN–29MAY91

Fluxômetro. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . D01074AA

Medir vazões e pressões do sistema hidráulico.

Continua na próxima página AG,LT04177,1408 –54–29MAR99–2/7

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=211
Diagnóstico de Anomalias

Conjunto de conexões de provas hidráulicas . . JT05469

Teste de vazão das bombas hidráulicas.

–UN–22SEP00
CQ180930
AG,LT04177,1408 –54–29MAR99–3/7

R40105 –UN–23AUG88

Conjunto universal de manômetros . . . . . . . . . JT05470


255
10 Verificação de pressões hidráulicas. Usar com JT07115.
2

AG,LT04177,1408 –54–29MAR99–4/7

R40105 –UN–23AUG88

Tacômetro digital manual . . . . . . . . . . . . . . . JT05719

Revisar a rotação do motor — Substituir por D05011ST e


JT28201.
AG,LT04177,1408 –54–29MAR99–5/7

RW16684 –UN–13APR89

Conector 7/16 x 14 mm . . . . . . . . . . . . . . . . JT03214

Para revisar a pressão do sistema hidráulico.

AG,LT04177,1408 –54–29MAR99–6/7

R40105 –UN–23AUG88

Jogo de tampão de borracha e detector de


fugas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . D05361ST

Revisão das conexões do sistema hidráulico.


AG,LT04177,1408 –54–29MAR99–7/7

Outros Materiais

Número Nome Uso

AR94522 (E.U.A.) Conexão ISO Adapta as mangueiras do


comprovador de vazão à válvula de
controle remoto.

AG,LT04177,1409 –54–29MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=212
Diagnóstico de Anomalias

Reconhecer os Avisos de Segurança

4. Ao fazer serviços em tratores com tração dianteira


CUIDADO: Os seguintes cuidados devem ser
com as rodas traseiras levantadas do solo, e
seguidos para evitar lesões pessoais.
girando por ação do motor, sempre levantar
também as rodas dianteiras. A perda de força
1. Manter as mãos afastadas de peças em
elétrica ou de pressão no sistema hidráulico
movimento. Desligar o motor antes de revisar
engrenará as rodas dianteiras, a qual derrubará o
transmissões com peças em movimento.
trator do suporte, a menos que tenham sido
2. Usar somente adaptadores ou tampões de 14 mm
levantadas também as rodas dianteiras.
nas conexões de 14 mm. Alguns adaptadores de
Observar que sob estas condições as rodas dianteiras
diâmetro diferente poderiam servir, mas podem ser
podem engrenar mesmo com o interruptor da tração
expulsos com a pressão.
dianteira desligado.
3. Antes de revisar os circuitos de controle da
transmissão, colocar a alavanca de grupos em
neutro.
255
10
3

AG,LT04177,1410 –54–29MAR99–1/1

Cuidado Com as Fugas de Alta Pressão

Os fluidos sob pressão que escapam do sistema podem


ter tanta força que penetram na pele, causando lesões
graves.

–UN–23AUG88
Portanto é imprescindı́vel deixar o sistema hidráulico sem
pressão antes de afrouxar ou desconectar qualquer tubo
e ter certeza de que todas as conexões e tampões estão
bem apertados, antes de aplicar pressão ao sistema.

X9811
Para localizar uma fuga de óleo hidráulico utilizar um
pedaço de cartão que deve ser colocado sobre as
conexões.
Não aproximar as mãos ou o corpo em fugas de alta
pressão.

Se, apesar destas precauções, ocorrer um acidente,


procurar imediatamente um médico que poderá eliminar o
fluido cirurgicamente dentro de poucas horas para evitar
uma gangrena.

AG,LT04177,1411 –54–29MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=213
Diagnóstico de Anomalias

Ajuste dos Valores de Referência de Pressão e Temperatura

IMPORTANTE: Durante os procedimentos de teste hidráulico”) para aquecê-lo DEPOIS de realizar


utiliza-se pressão de lubrificação as revisões preliminares (Passo 1).
de 70 kPa (0,7 bar; 10 psi) como
valor de referência para varios Se a pressão de lubrificação é maior que 70 kPa (0,7
testes. bar; 10 psi) em marcha lenta, ajustar a rotação do
motor para chegar ao intervalo seguinte do calibrador.
NOTA: Para realizar uma pressão de prova, pode ser
necessário aquecer o óleo a uma temperatura Se a pressão de lubrificação é menor que 70 kPa (0,7
particular. Usar o procedimento de bar; 10 psi) a máxima rotação, continuar com a
aquecimento de óleo (“Aquecimento de óleo verificação nesta rotação do motor.

255
10
4

AG,LT04177,1412 –54–29MAR99–1/1

Procedimento Abreviado de Diagnóstico

Os procedimento abreviados de diagnóstico são avarias, e poder fazer os diagnósticos de memória, se


desenvolvidos normalmente para cobrir 90% das pode usar a lista de “Revisões principais” em
possibilidades de falhas. As vezes se percebe que continuação com a seguinte “Folha de registro” como
estes procedimentos são excessivamente grandes e procedimento abreviado.
consomem muito tempo. Deve-se compreender que
somente as “Revisões principais do sistema” (passos Se tiver dúvidas a respeito dos detalhes ao efetuar
normais) devem ser feitas até que se encontre um algum passo, consultar o passo com o mesmo número
passo de especificação. Depois, existe um desvio da que se encontra no procedimento completo de provas,
trajetório normal de localização de avarias como uma o qual segue na folha de registro.
lista de possı́veis causas de avarias.

Conforme se familiarizam com o funcionamento do


sistema, com o equipamento necessário para localizar

AG,LT04177,1413 –54–29MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=214
Diagnóstico de Anomalias

Principais Provas do Sistema

Passo 1—7: Informação sobre diagnóstico de anomalias.

01 Provas preliminares
02 Prova do filtro de óleo
03 Instalação dos instrumentos
04 Prova do manejo e primeira prova de pressão
09 Aquecimento do óleo da transmissão/hidráulico
10 Provas de fugas do circuito do câmbio
13 Provas de fugas do circuito da embreagem de
avanço
16 Prova de fugas do circuito da embreagem de
marcha a ré
19 Provas de fugas do bloqueio do diferencial
21 Provas de fugas da TDP
255
24 Provas de fugas da TDM 10
27 Prova de pressão de lubrificação da transmissão 5
34 Prova de pressão do circuito de óleo da
transmissão
36 Prova do circuito de refrigeração da embreagem
38 Prova da bomba de ar da transmissão
39 Resumo das provas da transmissão

AG,LT04177,1414 –54–30MAR99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-5 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=215
Diagnóstico de Anomalias

Folha de Registro de Provas da Transmissão


PowrQuad
Nome Modelo N. série do trator Ficha
Horas de trabalho Problema da transmissão

Passo

2 Prova da luz de aviso do filtro de óleo da transmissão com o motor na máxima rotação
9 Temperatura do óleo hidráulico

10 Teste de fugas do circuito do câmbio


Marcha Lubrificação Elemento Sistema Especificação
1 Câmbio na pressão de lubrificação: 28 kPa (0,28
bar; 4 psi) Diferença entre elementos do
255
sistema: 105 kPa (1 bar; 15 psi)
10
2
6
3
4

13 Teste de fugas do circuito da embreagem de avanço


Lubrificação Elemento Sistema Especificações
Pedal da embreagem solto Câmbio na pressão de
lubrificação: 28 kPa (0,28 bar; 4
psi) Diferença entre elementos do
sistema: 105 kPa (1 bar; 15 psi)
Pedal da embreagem pisado

16 Teste de fugas do circuito da embreagem de retrocesso


Lubrificação Elemento Sistema Especificações
Pedal da embreagem solto Câmbio na pressão de
lubrificação: 28 kPa (0,28 bar; 4
psi) Diferença entre elementos do
sistema: 105 kPa (1 bar; 15 psi)
Pedal da embreagem pisado

19 Teste de fugas do bloqueio do diferencial


Lubrificação Especificações
Bloqueio ligado Câmbio na pressão de
lubrificação: 17 kPa
(0,17 bar; 2,5 psi)
Bloqueio desligado

Continua na próxima página AG,LT04177,1415 –54–30MAR99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-6 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=216
Diagnóstico de Anomalias

21 Teste de fugas da TDP


Lubrificação Elemento Sistema Especificações
TDP ligada Câmbio na pressão de 17 kPa (0,17 bar;
2,5 psi). Diferença entre elementos do
sistema: 207 kPa (2 bar; 30 psi)
TDP desligada

24 Teste de fugas da TDM


Lubrificação Elemento Sistema Especificações
TDM ligada Câmbio na pressão de 17 kPa (0,17
bar; 2,5 psi). Diferença entre elementos
do sistema: 207 kPa (2 bar; 30 psi)
TDM desligada

255
27 Pressão de lubrificação da transmissão 10
1000 RPM 2000 RPM 38°C 65°C Pressão tı́pica 7
X X 100 kPa (1 bar; 14 psi)
X X 50 kPa (0,5bar; 7 psi)
X X 195 kPa (2 bar; 28 psi)
X X 160 kPa (1,6 bar; 23 psi)

29 Teste da válvula de descarga do resfriador Especificações


Pressão de abertura: 650—760 kPa (6,5—7,6bar; 95—110 psi)
Pressão total de descarga: 930—1000 kPa (9,3—10 bar; 135—145
psi)

31 Teste de vazão da bomba de refrigeração Vazão tı́pica:


Vazão a 2300 rpm: 60 L/min

34 Pressão do sistema de transmissão Especificações


RPM = 2000 1150—1270 kPa (11,5—12,7 bar; 167—185
psi) Tr6300

1350—1480 kPa (13,5—14,8 bar; 195—215


psi) Tr6600

36 Teste do circuito de refrigeração de lubrificação em F1;


a Pedal da embreagem pisado a 38—50 mm da posição superior:
Diminui a pressão de lubrificação?
b Pedal da embreagem pisado a 38—50 mm da posição inferior:
Diminui a pressão de lubrificação?
c Pisar fundo e soltar o pedal da embreagem:
Diminui a pressão de lubrificação e sobe logo para a pressão original?
d Alavanca do câmbio em avanço e marcha a ré, com o pedal da embreagem solto:
Diminui a pressão de lubrificação e sobe logo para a pressão original?
e Alavanca do câmbio de ponto morto a qualquer marcha de avanço e ré:
Diminui a pressão de lubrificação e sobe logo para a pressão original?

AG,LT04177,1415 –54–30MAR99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-7 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=217
Diagnóstico de Anomalias

AG,LT04177,1416 –54–01APR99–1/2

1 Diagnóstico de anomalias

– – –1/1

1a Provas preliminares NOTA: Realizar esta provas antes de instalar o equipamento de teste. OK: Continuar com os
testes
255
Pergurntar ao operador:
10
—Como trabalha a máquina?
8
—Quando acontecem as anomalias?
—Em que aplicações?

Verificar nos registros de manutenção:


—Intervalos de manutenção adequados;
—Anomalias esporádicas, frequêntes ou similares.

Verificar no trator:
—Cabos desconectados, em mau estado ou engripados.
—Tubos de óleo dobrados ou amassados.
—Outras falhas mecânicas.

– – –1/1

1b Verificar o estado do O nı́vel do óleo está baixo? OK: Continuar com os


óleo hidráulico testes
Causas possı́veis:
—Intervalo de manutenção incorretos.
—Fugas externas.

O óleo está leitoso ou sujo?

Possı́veis causas:
—Água no óleo (leitoso)
—Avaria do filtro (sujo)
—Partı́culas metálicas (falha mecânica)

O óleo está descorado ou cheira a queimado (óleo superaquecido)?

Causas possı́veis:
—Tubos dobrados
Tubos amassados
Resfriador de óleo entupido
—Óleo com viscosidade inadequada
—Fugas internas
Falha mecânica.

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-8 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=218
Diagnóstico de Anomalias

1c Verificar se o trator Tomar as precauções de segurança sobre fugas de alta pressão. OK: Continuar com os
apresenta fugas testes
externas —Realizar o teste com o motor parado e com o motor em marcha.
—Acionar todas as alavancas de controle, pedais e interruptores hidráulicos com o
motor em marcha lenta.

Causas possı́veis:
—Canos ou mangueiras ruins, conexões frouchas.
—Fugas de anéis de vedação ou juntas.
—Rachaduras na carcaça.

– – –1/1

1d Verificar se o trator Conduzir o trator em várias marchas e variando a rotação do motor. Acionar os freios, OK: Continuar com os
emite ruı́dos o bloqueio do diferencial, a TDM e a TDP, se for possı́vel. testes
255
estranhos:
10
Estar atento para detectar as condições que podem isolar um problema ou avarias
9
maiores.

– – –1/1

1e Verificar o bloqueio Conduzir o trator em linha reta em B2 a 1000 rpm. Ligar o bloqueio do diferencial. A OK: Continuar com os
do diferencial luz de aviso deve acender. testes

Girar o volante de direção bruscamente a direita e a esquerda. O trator deve


apresentar uma notável resistência ao girar.
Pisar ligeiramente nos pedais de freio para desligar o bloqueio do diferencial. A luz de
aviso do bloqueio deve apagar, e o trator deve girar livremente.

– – –1/1

1f Verificar o Conduzir o trator em linha reta em B2 a 1000 rpm. Ligar a TDM. OK: Continuar com os
funcionamento da testes
TDM Pisar fundo o pedal da embreagem para parar o trator.

Desligar a TDM. Observar se é produzido um ligeiro movimento lateral na parte


dianteira do trator ao desligar a TDM.
– – –1/1

1g Verificar o Parar o trator. Com a TDP desligada, variar a rotação do motor. A luz de aviso da OK: Ir a 2
funcionamento da TDP deve estar desligada.
TDP
IMPORTANTE: O eixo de saida da TDP não deve girar.

Ligar o interruptor da TDP e escutar sua ativação. O eixo de saida da TDP deve girar
e a luz de aviso correspondente deve acender.

Empurrar para baixo o interruptor da TDP para desligá-la.


Em rotação máxima, o eixo de saı́da deve parar depois de uns 7 segundos.

Corrigir qualque condição anormal que se apresente.

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-9 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=219
Diagnóstico de Anomalias

2 Teste do filtro de óleo da transmissão

– – –1/1

2a Fazer funcionar o motor na máxima rotação durante 10 a 15 segundos. OK: Luz apagada: ir a 3

A luz de aviso do filtro de óleo da transmissão deve permanecer apagada. NÃO OK: Luz acesa:
trocar o filtro e repetir o
passo 2.

Nota: se a luz
permanecer acesa depois
de trocar o filtro, é
necessário verificar o
255 circuito elétrico.
10 RW21981 –UN–03MAR94
10

– – –1/1

3 Instalação do equipamento de teste

– – –1/1

3a Conectar os manômetros e as mangueiras de 3 m aos engates rápı́dos de tomadas OK: Ir a 4


de provas da transmissão.

– – –1/1

4 Teste do manejo e pressão

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-10 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=220
Diagnóstico de Anomalias

4a Movimentar o trator em todas as marchas e grupos, para frente e para trás. OK: Ir a 9

A pressão do sistema deve ser superior a: SE OK: O trator se move


e não há pressão no
1150—1270 kPa (11,5—12,7 bar; 167—185 psi) Tr6300 sistema: ir a 5.

O trator não se move,


1350—1480 kPa (13,5—14,8 bar; 195—215 psi) Tr6600 apesar das pressões do
sistema e de lubrificação
A pressão de lubrificação deve ser superior a 70 kPa (0,7 bar; 10 psi) com o motor a estarem bem.
1000 rpm ou ao máximo se for necessário. Park: ir a 6.

O trator para ao trocar de


marcha: ir a 7.

No trator faltam algumas


marchas: ir a 8.

O trator se move, mas a


pressão de lubrificação 255
na posição Park é muito 10
baixa: ir a 10. 11

– – –1/1

5 Falta de pressão

– – –1/1

5a Causas de “O trator não se move e não tem pressão no sistema”: OK: Reparar . Depois ir
a 2.
—Avaria da transmissão entre o motor e o câmbio.
Verificar a saı́da de potência do motor.

—Bomba de óleo avariada da transmissão.

—Válvula de descarga de lubrificação aberta, permitindo a entrada de ar pelo circuito


de lubrificação até o lado de aspiração da bomba de lubrificação da transmissão.

– – –1/1

6 Pressão ok

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-11 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=221
Diagnóstico de Anomalias

6a Causas de “O trator não se move, mas as pressões do sistema e de lubrificação estão OK: Reparar, e depois ir
bem, com o trator em Park. a 9

—Os cabos de acionamento do câmbio de marchas, as válvulas de avanço e


retrocesso ou da embreagem da tração estão desconectadas ou conectadas
incorretamente.

—Válvula de anulação de conexão trancada.

—Avaria mecânica da transmissão

– – –1/1

6b Para que o trator se mova é necessário que se produzam as seguintes circunstâncias: OK: Ir a 7
255
1. Pressão da bomba de lubrificação da transmissão.
10
2. Válvula de anulação de conexão movida contra a resistência da mola para dar
12
vazão à válvula de avanço e retrocesso.
3. Passagem de óleo pelo orifı́cio de 1,0 mm até o extremo com mola da válvula de
modulação de avanço-retrocesso.
4. A válvula de modulação de avanço e retrocesso deve mover-se contra a mola e a
pressão no orifı́cio de 1,0 mm para dirigir a vazão da bomba para a válvula da
embreagem de tração.
5. A válvula reguladora de pressão deve abrir-se para o canal do sistema “2” para
permitir a passagem da vazão da bomba para a válvula de modulação de
avanço-retrocesso e a válvula da embreagem de tração.
6. A válvula da embreagem de tração controla a passagem de óleo pela válvula de
anulação de conexão e a válvula de avanço-retrocesso, até o elemento.
A posição da válvula de avanço-retrocesso dirige o óleo a embreagem de avanço e
ao freio de retrocesso.
7. A embreagem de avanço ou o freio de retrocesso devem estar conectados para
que o trator se mova com um dos elementos de câmbio engrenados.
8. A válvula de modulação do câmbio e o êmbolo do acumulador devem permitir a
passagem de óleo até a válvula de câmbio B2-B3.
9. A posição da válvula de controle de câmbio dirige o óleo para as válvulas de
câmbio B2-B3(11), B1-B2(12) e B3-C4(13).
10. A válvula de câmbio B2-B3 dirige o óleo de conexão de elementos para a válvula
de câmbio B1-B2 ou B3-B4.
11. A posição da válvula de câmbio B1-B2 engrenada a 1ª ou a 2ª marcha.
12. A pressão da válvula de câmbio B2-B3 engrenada a 3ª ou 4ª marcha.
13. Os elementos B1, B2, B3 ou C4 devem conectar com a embreagem de avanço ou
o freio de retrocesso, proporcionando o movimento do trator se a alavanca de
câmbio e grupos estiverem engrenadas.

– – –1/1

7 O Trator para

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-12 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=222
Diagnóstico de Anomalias

7a Causas de “O trator para ao trocar de marcha”: OK: Reparar. Depois ir a 2

—Regulagem incorreta dos cabos que controlam o câmbio, ou das válvula de


avanço-retrocesso ou da embreagem da tração.

Câmbio dentro das marchas:

—Válvulas de ativação de marcha, de descarga de marcha ou de modulação


trancada; orifı́cios obstruı́dos.

Câmbio de avanço a retrocesso ou vice versa:

—Válvula de ativação avanço-retrocesso, de descarga avanço-retrocesso ou de


modulação trancada.
– – –1/1

8 Falta de marchas
255
10
13

– – –1/1

8a Causas de “Falta de marchas”. OK: Reparar. Ir para 2

1. Mesma marcha em 1 e 2 (3 e 4 boas); Válvula de câmbio B1-B2 trancada.


2. Mesma marcha em 3 e 4 (1 e 2 boas); Válvula de câmbio B3-C4 trancada.
3. Mesma marcha 1 e 2 boas (sem 3 e 4); Válvula de câmbio B2-B3 trancada.
4. Marcha 3 e 4 boas (sem 1 e 2 ); Válvula de câmbio B2-B3 trancada.
5. Somente a marcha 4 boa (sem 1-2-3). O anel de segurança interno da caixa da
transmissão está solto de seu alojamento.
6. Cabos de controle do câmbio, avanço-retrocesso, ou válvulas da embreagem da
tração desconectadas ou com regulagem incorreta.

– – –1/1

9 Aquecimento do óleo hidráulico e da transmissão

– – –1/1

9a Posicionar a alavanca do controle remoto na posição de flutuação. OK: Ir a 10

Instalar uma mangueira em uma válvula VCR e ajustar a válvula dosificadora a meia
vazão.

Com o motor a 1500—1800 rpm, mover as duas alavancas das válvulas de controle
remoto para trás.

NOTA: A bomba hidráulica deve estar trabalhando a plena pressão.

Aquecer o óleo a 38°C ou 65°C.

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-13 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=223
Diagnóstico de Anomalias

10 Teste de fugas

– – –1/1

10a Teste de fugas no Posicionar a alavanca de grupos na posição de ponto morto. OK: Ir a 13
circuito de câmbio
NÃO OK: Ir a 11
CUIDADO: O trator se moverá durante o teste, se a alavanca de grupos
não estiver em ponto morto.

Sem pisar no pedal do freio, engrenar a primeira marcha de avanço.

Ajustar a rotação do motor até obter uma pressão de lubrificação próxima a 70 kPa
(0,7 bar; 10 psi).
255
10 Anotar a pressão de lubrificação em todas as marchas.
14
—A diferença entre a pressão mı́nima e a máxima registrada não deve ser superior a
28 kPa (0,28 bar; 4.0 psi).
– – –1/1

11 Teste de pressão do circuito do câmbio

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-14 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=224
Diagnóstico de Anomalias

11a Instalar uma segunda mangueira de 3 m na conexão de teste de pressão do elemento OK: Ir a 12
que se supõe que exista uma fuga excessiva.
NÃO OK: Ir a 10
Conectar o sistema e as mangueiras dos elementos ao coletor da válvula de dupla
agulha JT07118 e conectar um manômetro ao coletor.

Fechar a válvula ao elemento e abrir a válvula de pressão do Sistema 2.

Posicionar a alavanca de grupos em posição neutra.

CUIDADO: O trator se moverá durante o teste se a alavanca de grupos


não está em ponto morto.

255
10
15

RW70530 –UN–17APR97

Com o motor a 2000 rpm, anotar a pressão do Sistema 2 com a alavanca de marchas
em uma marcha diferente (elemento) sem fugas.

Fechar a válvula de pressão do Sistema 2 e abra a válvula do elemento com fugas.


Anotar a pressão.

NOTA: As fugas do circuito reduzem a pressão do sistema; por este motivo, verificar a
pressão do sistema numa marcha cujo circuito não há fugas.

—A diferença entre as pressões do sistema e do elemento não deve ser superior a


105 kPa (1 bar; 15 psi).

– – –1/1

12 Possibilidades de fugas

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-15 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=225
Diagnóstico de Anomalias

12a As zonas onde existe a possibilidade de fugas estão no quadro seguinte: OK: Reparar o circuito
com fugas e depois ir a 2
Circuito que produz as fugas
Zona de possı́vel Sist Sist B1 B2 B3 C4 Embr Freio Refr. Engr.
fuga 1 2 Av. Retr. Embr.
Junta da caixa do •
filtro
Junta da vál. alta • •
pressão refrig.
embreagem
Caixa de válv. da • • •
tampa frontal
Placa separadora • • • •
tampa frontal, junta
traseira
Placa separadora • • • •
tampa frontal, junta
dianteira
Caixa da válvula de • • • • • • • • • **
255 controle
10 Placa separadora • • • • • • • • ** **
16 valv. controle, junta
superior
Placa separadora • • • • • • • • ** **
valv. controle, junta
inferior
Junta frontal caixa • • • • • **
de câmbio (caixa de
planetários)
Junta traseira caixa • • • •
de cambio (caixa de
planetários)
Caixa do freio dos • • • • • • • **
planetários
Caixa do freio do • • • **
inversor
Retentor traseiro d •
câmbio (eixo de
saida ao diferencial)

** Passaem de óleo mas fuga improvável

– – –1/1

13 Teste de fugas do circuito da embreagem de avanço

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-16 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=226
Diagnóstico de Anomalias

13a Fugas da Posicionar a alavanca de grupos em neutro e a de marcha, em quelquer marcha de OK: Ir a 16
embreagem avanço.
NÃO OK: Ir a 14

CUIDADO: O trator se moverá ao realizar este teste, se a alavanca de


grupos não estiver em neutro.

Ajustar a rotação do motor até alcançar uma pressão de lubrificação de 70 kPa (0,7
bar; 10 psi).

Ajustar a pressão de lubrificação com o pedal da embreagem solto e pisado. Repetir a


prova com a alavanca de câmbio em posição neutra.

—A variação de pressão não deve ser superior a 28 kPa (0,28 bar; 4.0 psi).

NOTA: Se a pressão de teste de baixar e subir o pedal da embreagem está fora de


especificação, a fuga está entre a válvula da embreagem e a válvula de
avanço-retrocesso situada na caixa da válvula de controle.
Reparar a fuga.
255
10
17

– – –1/1

14 Teste de pressão, circuito de embreagem de avanço

– – –1/1

14a Teste Instalar uma segunda mangueira de 3 m na conexão de prova da embreagem de OK: Ir a 16
avanço, onde se suspeita que ocorre a fuga.
NÃO OK: Ir a 15
Conectar as mangueiras do sistema e do elemento ao coletor de válvula de dupla
agulha JT07118 e ligar um manômetro ao coletor.

Fechar a válvula do elemento e abrir a válvula de pressão do Sistema 2; com o motor


a 2000 rpm, registrar a pressão do Sistema 2 em ponto morto.

Fechar a válvula de pressão do Sistema 2 e abrir a válvula de pressão de embreagem


de avanço. Não deve registrar pressão.

Posicionar a alavanca de grupos em ponto morto.

CUIDADO: O trator se moverá durante os testes, se a alavanca de


grupos não estiver em ponto morto.

Sem pisar no pedal da embreagem, mover a alavanca de marchas para qualquer


marcha de avanço e anotar a pressão de embreagem de avanço.

—A diferença de pressão entre o sistema e a embreagem de avanço não deve ser


superior a 105 kPa (1 bar; 15 psi).
– – –1/1

15 Pontos de fugas

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-17 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=227
Diagnóstico de Anomalias

15a Revisar os pontos de fuga da caixa de válvula de controle. No quadro (passo 12) OK: Reparar o circuito,
mostram os pontos por onde podem produzir fugas. depois ir a 2

– – –1/1

16 Fugas no circuito de retrocesso

– – –1/1

16a Teste Posicionar a alavanca de grupo em ponto morto e a alavanca de marcha em qualquer OK: Ir a 19
marcha a ré.
255
NÃO OK: Ir a 17
10
18 CUIDADO: O trator se moverá ao realizar este teste, se a alavanca de
grupos não estiver em neutro.

Ajustar a rotação do motor para obter uma pressão de lubrificação de 70 kPa (0,7 bar;
10 psi).

Anotar a pressão de lubrificação com o pedal da embreagem solto e pisado.

Repetir o teste com a alavanca de câmbio em ponto morto.

—A variação de pressão não deve ser superior a 28 kPa (0,28 bar; 4.0 psi).

NOTA: Se a pressão está fora do especificado em ponto morto, a fuga se encontra


entre a válvula de embreagem e a válvula de avanço-retrocesso da caixa de válvula
de controle.
Reparar a fuga.

– – –1/1

17 Teste de pressão, circuito do freio de retrocesso

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-18 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=228
Diagnóstico de Anomalias

17a Teste Instalar uma segunda mangueira de 3 m na conexão de teste do freio de retrocesso. OK: Ir a 19

Conectar as mangueiras ao sistema e o elemento ao coletor da válvula de agulha NÃO OK: ir a 18


dupla JT07118 e conectar a um manômetro ao coletor.

Abrir a válvula de pressão do Sistema 2 e fechar a válvula de pressão do freio de


retrocesso.

Posicionar a alavanca de marchas em ponto morto (com o pedal da embreagem


solto).
Posicionar a alavanca de grupos em ponto morto.

CUIDADO: O trator se moverá ao realizar este teste se a alavanca de


grupos não estiver em neutro.

Anotar a pressão do Sistema 2 com o motor a 2000 rpm.

Conectar a válvula de pressão do Sistema 2 e abrir a válvula de pressão do freio de


retrocesso. 255
10
Posicionar a alavanca de marchas em qualquer marcha de retrocesso (pedal da 19
embreagem solto) e anotar a pressão do freio de retrocesso.

—A diferença de pressão não deve ser superior a 105 kPa (1 bar; 15 psi).

– – –1/1

18 Fugas do freio de retrocesso

– – –1/1

18a Teste Possı́veis causas de fugas no circuito do freio de retrocesso: OK: Anotar para reparar,
depois ir a 2
—Revisar a caixa da válvula de controle.

—No quadro (passo 12) são citados pontos por onde podem produzir fugas.

– – –1/1

19 Teste de fugas do bloqueio do diferencial

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-19 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=229
Diagnóstico de Anomalias

19a Teste Com a transmissão em Park, ajustar a rotação do motor até obter uma pressão de OK: Ir para 21
lubrificação de 70 kPa (0,7 bar; 10 psi).
NÃO OK: Ir para 20
Anotar a pressão de lubrificação com o bloqueio do
diferencial ligado.

Repetir o teste com o bloqueio do diferencial desligado.

—A diferença de pressão não deve ser superior a 17


kPa (0,17 bar; 2,5 psi).

NOTA: Não existe conexão de prova para o bloqueio do


difencial

255
10
20
RW40083 –UN–10JAN94
– – –1/1

20 Possı́veis causas de fugas

– – –1/1

20a As possı́veis causas de fugas podem ser: OK: Anotar para reparar,
depois ir a 21
—Conexões frouxas nos tubos do interior da caixa do diferencial.

—Retentores dos êmbolos do diferencial danificados.

– – –1/1

21 Teste de fugas do circuito da TDP

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-20 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=230
Diagnóstico de Anomalias

21a Teste Com a transmissão em Park, ajustar a rotação do motor até obter uma pressão de OK: Ir a 24
lubrificação de 70 kPa (0,7 bar; 10 psi).
NÃO OK: Ir a 23
Anotar a pressão de lubrificação com a TDP ligada.

Repetir o teste com a TDP desligada.

A diferença de pressão não deve ser superior a 17 kPa


(0,17 bar; 2,5 psi).

255
10
21
RW40083 –UN–10JAN94
– – –1/1

22 Procedimento de leitura de pressão da TDP

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-21 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=231
Diagnóstico de Anomalias

22a Teste Conectar uma mangueira de 3 m à conexão de diagnóstico do Sistema 2. Instalar OK: Ir a 24
outra mangueira na conexão de teste no final da TDP onde se suspeita que existe
uma fuga (embreagem ou freio da TDP). NÃO OK: Ir a 23

Ligar as mangueiras ao coletor de válvula de agulha dupla JT07118. Conectar um


manômetro ao coletor.

255
10
22

RW40089 –UN–10JAN94

Abrir a válvula de pressão do Sistema 2 e fechar a pressão da TDP.

Com o motor a 2000 rpm, anotar a pressão do Sistema 2 com o elemento de fuga
desativado.

Fechar a válvula de pressão do Sistema 2 e abrir a pressão da TDP. Não deve ser
registrado pressões com o elemento com fugas.

Conectar o elemento com fugas e anotar a pressão.

—A diferença de pressão entre o Sistema 2 e o elemento não deve ser superior a 207
kPa (2,1 bar; 30 psi).

– – –1/1

23 Causas da fuga da TDP

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-22 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=232
Diagnóstico de Anomalias

23a As causas de fuga excessiva podem ser: OK: Anotar para reparar,
depois ir a 25
1. Embreagem da TDP.
a. Fugas pela junta da caixa de válvula da TDP.
b. Retentores danificados no tambor da embreagem da TDP
c. Perda da válvula de corte de lubrificação do tambor da embreagem da TDP
d. Montagem dos êmbolos defeituosa.

2. Freio da TDP
a. Fugas pela junta da caixa de válvulas da TDP
b. Perda do êmbolo do freio da TDP

– – –1/1

24 Teste de fugas no circuito da tração dianteira (TDM)


255
10
23

– – –1/1

24a Teste Com a transmissão em Park, ajustar a rotação do motor até obter uma pressão de OK: Ir a 27
lubrificação de 70 kPa (0,7 bar; 10 psi).
NÃO OK: Ir a 25
Anotar a pressão de lubrificação com a TDM ligada.

Repetir o teste com a TDM desligada.

A diferença de pressão não deve ser superior a 17 kPa


(0,17 bar; 2,5 psi).

RW40083 –UN–10JAN94
– – –1/1

25 Procedimento de leitura de pressão da TDM

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-23 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=233
Diagnóstico de Anomalias

25a Procedimento Conectar uma mangueira de 3 m à conexão de diagnóstico do Sistema 2. Instalar OK: Ir a 27
outra mangueira de mesmo comprimento na conexão de teste próxima ao solenóide
da TDM). NÃO OK: Ir a 26

Ligar as mangueiras ao coletor de válvula de agulha dupla JT07118. Conectar um


manômetro ao coletor.

Abrir a válvula de pressão do Sistema 2 e fechar a pressão da TDM.

255
10
24

RW40084 –UN–10JAN94

Com o motor a 2000 rpm e a TDM ligada, anotar a pressão do Sistema 2 (sem
pressão na embreagem da TDM).

Fechar a válvula de pressão do Sistema 2 e abrir a válvula de pressão da embreagem


da TDM. Não deve ser registrado pressões.

Desconectar a TDM e anotar a pressão da embreagem da TDM.

—A diferença de pressão entre o Sistema 2 e a pressão da embreagem da TDM não


deve ser superior a 207 kPa (2,1 bar; 30 psi).

– – –1/1

26 Possı́veis causas de fugas da TDM

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-24 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=234
Diagnóstico de Anomalias

26a Possı́veis causas de fugas da TDM: OK: Anotar para reparar,


depois ir a 27
—Retentores danificados no tambor da embreagem da TDM.

—Vedação do êmbolo danificado.

—Anéis “O” no solenóide da TDM danificados.

– – –1/1

27 Teste da pressão de lubrificação da transmissão


255
10
25

– – –1/1

27a Teste Transmissão em Park e motor a 1000 rpm. OK: Ir a 34

Anotar a pressão de lubrificação da transmissão. NÃO OK: Ir a 28


Repetir o teste em 2000 rpm.

Pressões tı́picas:

—1000 rpm:
38°C: 100 kPa (1 bar; 14 psi)
65°C: 50 kPa; (0,5 bar; 7 psi)

—2000 rpm:
38°C: 195 kPa (1,9 bar; 28 psi)
65°C: 160 kPa (1,6 bar; 23 psi)
– – –1/1

28 Teste de vazão do resfriador de óleo

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-25 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=235
Diagnóstico de Anomalias

28a Teste Conectar a mangueira de entrada do teste de vazão ao tubo situado perto do bloco do OK: Ir a 29
motor utilizando conexões JTO5689 (-10 ORFS).

255
10
26
RW21986 –UN–07FEB94

Conectar a mangueira de saida do teste de vazão ao tubo situado ao lado do chassis


através da conexão JTO5689 e a conexão 38H1280 (-10 ORFS).

NOTA: É necessário anular o resfriador de óleo para evitar que a válvula de descarga
do resfriador se abra ao adicionar ao circuito de refrigeração a resistência adicional do
teste de vazão e das mangueiras.

Abrir completamente a válvula do teste de vazão e ligar o motor.

– – –1/1

29 Teste da válvula de descarga do resfriador de óleo

– – –1/1

29a Teste Ligar o motor em 1000 rpm. OK: Ir a 31

Fechar lentamente a válvula de controle do teste de vazão. NÃO OK: Ir a 30

Deve ser produzida uma redução gradual da vazão e não uma redução brusca.

Anotar a pressão da válvula de descarga do resfriador de óleo quando a vazão for


zero.

A válvula se abre com uma pressão de:


650—760 kPa (6,5 a 7,6 bar; 95 a 100 psi).

Pressão tı́pica de descarga:


930—1000 kPa (9,3 a 10 bar; 135 a 145 psi).
– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-26 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=236
Diagnóstico de Anomalias

30 Valores incorretos de pressão da válvula de descarga

– – –1/1

30a Causas As possı́veis causas de leitura incorreta da válvula de descarga do resfriador de óleo OK: Tomar nota para
podem ser: revisar e reparar, depois
ir a 31
Pressão muito baixa:

1. Mola frouxa ou quebrada


2. Válvula aberta e presa
3. Fugas exessivas do sistema
4. Vazão da bomba insuficiente

Pressão excessiva: 255


10
1. Temperatura do óleo baixa 27
2. Válvula fechada e presa
3. Mola incorreta
4. Conduto de óleo obstruido

– – –1/1

31 Teste da bomba de lubrificação da transmissão e vazão do resfriador

– – –1/1

31a Teste Abrir completamente a válvula do teste de vazão. OK: Ir a 33

Anotar a pressão em 2300 rpm. NÃO OK: Ir a 29

—Vazão a 2300 rpm:


60 l/min.
– – –1/1

32 Considerações sobrea a vazão

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-27 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=237
Diagnóstico de Anomalias

32a NOTA: No teste de vazão deve-se utilizar mangueiras com diâmetro interior de 3/4 OK: Reparar e depois ir
pol. e conexões com um diâmetro interior de 9/16 pol. a 2

As causas de uma vazão inadequada da bomba ou do resfriador podem ser:

—Temperatura insuficiente do óleo.


—Fugas na caixa de válvulas na parte frontal da transmissão.
—Fugas dentro da tampa frontal da transmissão.
—Obstrução do tubo ou tela de aspiração da bomba.
—Entrada de ar na bomba.
—Bomba gasta.

– – –1/1

33 Causas de uma pressão de lubrificação baixa


255
10
28

– – –1/1

33a As causas de uma pressão de lubrificação baixa com uma vazão normal da bomba OK: Reparar o sistema,
depois ir a 2
—Fugas excessivas no circuito de lubrificação interna depois do resfriador de óleo.

—Válvula de descarga aberta, mola estragada ou perdida.

—Fugas pela junta em qualquer um dos lados da placa separadora entre a caixa de
válvulas frontal e a tampa frontal da transmissão.

—Perda do êmbolo da bomba pneumática na caixa da bomba de lubrificação da


transmissão.

—Retentor ruı́m ou com fugas na parte traseira do módulo da transmissão para a


parte frontal do eixo de comando do diferencial.

—Válvula de corte de lubrificação da TDP presa no tambor de lubrificação da TDP.

– – –1/1

34 Teste de pressão do sistema de transmissão

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-28 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=238
Diagnóstico de Anomalias

34a Teste Aplicar o bloqueio de estacionamento. Motor a 2000 rpm. OK: Ir a 36

Anotar a pressão do sistema de transmissão. NÃO OK: Ir a 28

1150—1270 kPa (11,5—12,7 bar; 167—185 psi) Tr6300

1350—1480 kPa (13,5—14,8 bar; 195—215 psi) Tr6600

– – –1/1

35 Teste de pressão do sistema de transmissão


255
10
29

– – –1/1

35a Teste Ajustar a válvula de regulação do sistema do seguinte modo: OK: Fazer a regulagem,
depois repetir o passo 34
—Retirar o parafuso comprido para adicionar ou retirar calços.

—Um calço aumenta ou diminui a pressão em uns 70 kPa (0,7 bar; 5 psi).

– – –1/1

36 Teste do circuito de refrigeração da embreagem

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-29 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=239
Diagnóstico de Anomalias

36a Teste Quando o manômetro registra uma redução de pressão, indica que a vazão de óleo OK: Ir a 38
de refrigeração flui para a embreagem de avanço ou o freio de retrocesso. Quando a
pressão de lubrificação aumenta, corta a passagem de óleo de refrigeração. NÃO OK: Ir a 37

—As seguintes condições produzem a passagem de óleo refrigerante para a


embreagem de avanço ou o freio de retrocesso.

CUIDADO: A alavanca de grupos deve estar em neutro para evitar que o


trator se mova durante os testes.

1. Ao pisar o pedal da embreagem mais de 38 mm e se solta em qualquer marcha de


avanço ou retrocesso.
2. Ao pisar no fundo o pedal da embreagem e se solta a 38 mm do fundo.
3. O pedal da embreagem está solto e a alavanca de câmbio pode estar em qualquer
marcha de avanço ou retrocesso.
4. O pedal da embreagem está solto e a alavanca de câmbio pode ser posicionada
em qualquer marcha a avanço e retrocesso, passando pelo ponto morto, em
qualquer marcha em sentido oposto.
255
10 —Observar as quedas de pressão no manômetro e concluir os passos 1, 2, 3 e 4.
30
—A pressão de lubrificação deve subir até os valores anteriores quando se solta o
pedal da embreagem.

NOTA: O fluxo de óleo pelo circuito de refrigeração pode ser comprovado


instalando-se um manômetro na conexão de teste de pressão da embreagem, situada
na parte inferior da tampa frontal da transmissão. Neste teste deve-se registrar
pressão quando o pedal da embreagem está a 38 mm de qualquer uma de suas
posições extremas. Quando o pedal da embreagem está solto ou pisado ao fundo, a
pressão deve ser zero.

– – –1/1

37 Causas de uma refrigeração inadequada

– – –1/1

37a Causas As causas de uma refrigeração inadequada da embreagem podem ser: OK: Reparar, depois
—Falta do anel “O” do tampão de plástico do orifı́cio próximo da válvula de alta repetir o passo 36
pressão de refrigeração da embreagem.

—A válvula de refrigeração da embreagem de alta ou baixa pressão está presa, ou a


mola está danificada ou faltando.

—Fugas nas juntas entre a caixa frontal de válvulas e na caixa da bomba.

—Faltam as juntas entre a caixa da válvula de controle e na caixa da transmissão.

—Consultar “Informações adicionais sobre diagnóstico de anomalias”, depois do passo


39.

– – –1/1

38 Teste de vácuo da bomba de ar

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-30 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=240
Diagnóstico de Anomalias

38a Teste NOTA: Se o operador não tem observado a luz de aviso (se existir)de temperatura do OK: Eliminar a obstrução
óleo hidráulico (superaquecimento do óleo) e se não existem fugas, ir ao passo 39. da conexão de aspiração
ou da saida da bomba,
Retirar o tapete e a chapa do piso. depois repetir o passo 38

Retirar o cano de ar esquerdo para ter acesso a conexão traseira do tubo da bomba NÃO OK: Reparar a
de ar situado na parte superior esquerda da transmissão. bomba de ar, depois ir a 2

Cortar o tubo de plástico no centro da janela a berta da chapa do piso.

Conectar um manômetro de vácuo de 762 mm Hg (30 in. Hg) (mercúrio) ao tubo


plástico conectado no joelho na parte frontal da transmissão.

—Com o motor a 1000 rpm, o vácuo tı́pico deve ser de 381—686 mm Hg (15—27 in.
Hg).

Instalar um conector de 1/8 X 1 pol. NPT para reconectar o tupo de plástico uma vez
realizado o teste.

NOTA: Na ausência de instrumentos, existe um meio prático para verificar a sucção 255
da bomba de ar, é colocar o dedo na conexão de entrada da bomba e sentir se ocorre 10
vácuo constante. 31

– – –1/1

39 Resumo de testes da transmissão

– – –1/1

39a Resumo 1. Se neste ponto, todos os teste da transmissão estão normais e não foram OK: Fim
corrigidos problemas originais, aquecer o óleo hidráulico a 65°C e repetir os testes.
Depois ir a 2.
2. Se neste ponto, todos os testes da transmissão estão normais e foram corrigidos
problemas originais, os sistemas estão normais. O trator pode ser entregue ao
cliente.
3. Se os testes não deram resultados normais, reparar os problemas e repetir os
testes, começando pelo passo 2.

– – –1/1

1 Válvula de descarga de lubrificação presa aberta

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-31 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=241
Diagnóstico de Anomalias

1a Válvula de descarga Luz de aviso de pressão de óleo da transmissão acende e o trator não se move. OK: Continuação dos
testes
Quando o trator não tem funcionado durante um certo tempo, o nı́vel de óleo da
bomba de lubrificação desce com o ar absorvido no retorno pelo circuito de
lubrificação pelo lado da aspiração da bomba de lubrificação da transmissão.
Terminar o seguinte procedimento:

1. Conectar uma mangueira de 3 m do comprovador hidráulico JTO5470 entre os


pontos de diagnóstico da saida da bomba hidráulica e a conexão de teste na parte
inferior da transmissão.
2. Retirarar as mangueiras da primeira válvula de controle remoto e selecionar o
modo de flutuação.
3. Com o motor em marcha lenta, mover a alavanca da primeira válvula para por a
bomba hidráulica em mode de “bloqueio”. (20000 kPa; 200 bar; 2950 psi).
NOTA: A mangueira de 3 m apresenta uma restrição de passagem elevada e evita
a passagem de alta pressão ao circuito de lubrificação.

4. Acelerar o motor desde a marcha lenta até ao máximo. A pressão de lubrificação


da transmissão subirá até seu valor normal, inundando o circuito de lubrificação e
255 cortando a passagem de ar, no caso da válvula de descarga de lubrificação estar
10 trancada por uma partı́cula de sujeira.
32 5. Acelerar o motor até a máxima rotação, entre 5 a 10 vezes para emviar impulsos
de grande volume de óleo para a válvula de descarga de lubrificação. Este volume
de óleo fará que a pressão de lubrificação supere os 200 kPa (2 bar; 30 psi) o que
está registrando a válvula de descarga. A válvula deve abrir e fechar, limpando os
resı́duos depositados no seu interior.
6. Parar o motor e deixar o trator em repouso durante ao menos duas horas, após
aquecer o óleo até, ao menos 55°C. Se a pressão do sistema não sobe até sua
pressão normal após 3 segundos depois da partida, a caixa frontal deve ser
desmontada para inspeção e reparação da válvula de descarga de lubrificação, o
tubo de aspiração e a bomba de lubrificação da transmissão.
7. Se o sistema trabalha em pressão normal, imediatamente após a partida do motor,
os resı́duos foram eliminados da válvula e esta fecha corretamente. Continuar os
testes no passo 11 do procedimento de testes da transmissão.

– – –1/1

2 Teste de fugas de ar na bomba de lubrificação da transmissão

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-32 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=242
Diagnóstico de Anomalias

2a Teste 1. Retirar a tampa inferior frontal da transmissão. Retirar o tampão de 14 mm do OK: Se necessário,
Sistema Nº 1 na parte frontal inferior esquerda da caixa da válvula. continuar com os testes
2. Instalar o adaptador JT03445 (14 mm x 9/16-18 JIC) e a conexão de 90° JT03341
(9/16-18 JIC) para conectar a mangueira DFRW2 com a válvula de agulhas.
3. Ter certeza de que a válvula de agulhas DFRW2 está fechada.
4. Com o motor em marcha lenta, a pressão do sistema deve ser de:
1150—1270 kPa (11,5—12,7 bar; 167—185 psi) Tr6300

1350—1480 kPa (13,5—14,8 bar; 195—215 psi) Tr6600


Se existe pressão a pleno regime, ver o passo 1 e continuar a “E”.
5. Com o motor a 2000 rpm, a vazão deve ser de uns 8 litros de óleo em um
recipiente limpo. O óleo não deve apresentar bolhas.
6. Permitir que o óleo do cubo elimine as bolhas de ar durante dois minutos. Um
pouco de ar é normal. Uma camada de óleo espumoso (mais grossa que o papel)
indica uma entrada excessiva de ar pelo lado de aspiração da bomba.
7. Revisar o tubo de aspiração e os retentores antes de localizar a entrada de ar da
bomba.
NOTA: Uma aspiração obstruida pode provocar que o óleo de descarga da bomba
tenha o aspecto de entrada de ar falso.
255
8. Reparar o circuito de aspiração e a bomba de lubrificação da transmissão conforme 10
a necessidade. 33

– – –1/1

3 Teste de entrada de ar na embreagem e freio usando ar comprimido

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-33 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=243
Diagnóstico de Anomalias

3a Teste 1. Esvaziar 19—30 litros de óleo da caixa do diferencial se o módulo do diferencial


está montado no trator.
2. Separar a caixa de válvula de controle da parte inferior da transmissão. Retirar a
placa de separação e as juntas do módulo de transmissão.
3. Instalar separadores em dois dos parafusos curtos retirados da caixa da válvula de
controle. Instalar estes parafusos onde estão situados os parafusos com arruelas
de cobre. Apertar os parafusos com um torque de 2,3 N.m (20 lb-ft).

CUIDADO: Não instalar estes dois parafusos pois produzirá uma entrada
de ar falso na caixa de planetários e no distribuidor de óleo.

4. Usar tampões de borracha (tamanho 00 e 000), uma compressor de ar e as


mangueiras de conjunto de tampões/detector de fugas DO5361ST para localizar
fugas nos elementos da transmissão.
5. Retirar o tamão externo de 1/4 pol. (A) para verificar o elemento B1. Instalar os
tampões de borracha na ranhura de fundição (B) e no canal da caixa da válvula de
controle para cortar a entrada de óleo no elemento B1.

255
10
34

RW30057 –UN–14SEP93

A—Tampão NPT (B1)


B—Elemento B1 (tampar furo)
C—Elemento B2
D—Elemento B3
E—Elemento C4
F—Elemento de embreagem da TDM
G—Elemento de freio e retrocesso
H—Furo para pistola de ar
I—Parafuso do distribuidor
J—Parafuso do distribuidor

6. O elemento do freio de retrocesso não pode ser testado, a menos que se fabrique
uma placa especial (DFRW85) e se fixe na parte inferior do módulo da
transmissão.
O resto dos elementos dispõe de acesso para fixar a pistola de ar com ponteira de
borracha nos bocais de teste.
7. Fixar a placa (DFRW85) na transmissão utilizando uma junta da válvula de controle
superior.

– – –1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-34 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=244
Diagnóstico de Anomalias

NOTA: Fazer um corte de 5/16 pol. na junta, alinhando com o furo de 1/2 pol. da OK: Se necessário,
placa. continuar com os testes

Instalar os separadores (conexões de tubos) em 7 parafusos curtos. Apertar com


um torque de 2,3 N.m (20 ft-lb).

8. Aplicar pressão nos elementos utilizando ar comprimido a 550—700 kPa (5,5—7


bar; 80—100 psi). Ficar antento aos ruidos produzidos pela conexão do elemento,
as tomadas de ar e o retorno de ar ao retirar a pistola, uma vez fechada a válvula
de ar.
a. Os elementos B1-B2-B3 e o freio de retrocesso tem fugas por um orifı́cio de
purga de 1,0 mm.
b. O elemento C4 tem muito pouca fuga, normalmente pelos anés metálicos de
vedação.
c. A embreagem de avanço apresenta uma fuga ligeiramente maior que a C4,
normalmente pelos aneis metálicos de vedação.
d. A conexão de cada elemento pode ser escutada claramente, a menos que o
nı́vel sonoro da zona em que se realiza o teste seja elevado.
e. O elemento C4 e a embreagem de avanço apresenta um retrocesso de ar muito
acentuado. Os elementos de freio com orifı́cio de 1,0 mm tem bom retrocesso, 255
mas menos sensı́vel que as embreagens. 10
35

–19– –2/2

4 Junta da caixa de válvulas de controle da transmissão

– – –1/1

4a IMPORTANTE: Os tratores mais modernos tem sofrido variações na caixa de OK: Se necessário,
válvulas de controle da transmissão. A mistura de juntas e placas separadoras continuar com os testes
dos dois tipos podem dar lugar a fugas indesejadas ou bloqueio de elementos, e
o funcionamento incorreto da transmissão. NÃO MISTURAR as peças. Identificar
corretamente as referências mediante catálogo de peças. As juntas superior e
inferior são similares na nova caixa de válvulas de controle.

Observar a circulação de óleo com as juntas instaladas na caixa e placa separadora.


Identificar as peças defeituosas. A nova caixa de válvulas dispõe de uma retenção e
uma mola no lado superior da válvula de avanço / retrocesso e da válvula de câmbio
de marchas.

– – –1/1

5 Patinagem da transmissão

– – –1/1

5a Teste Durante a desmontagem da transmissão, revisar as placas e os discos de fricção da OK: Se necessário,
embreagem de avanço e freio de retrocesso. continuar com os testes

Se as placas e discos aparecem descoloridas, revisar o funcionamento da válvula de


controle de refrigeração na caixa de válvulas de controle.

– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-35 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=245
Diagnóstico de Anomalias

6 Arraste da embreagem da TDP

– – –1/1

6a Teste O fluxo de óleo de lubrificação sobre as placas e discos podem provocar o arraste da OK: Se necessário,
embreagem da TDP. continuar com os testes

—Verificar a válvula de corte de lubrificação da TDP se não está trancada em posição


aberta.

—Linha de sucção da bomba de ar obstruida.

—Válvulas internas da bomba de ar emperradas ou com mau funcionamento.

255
10
36

– – –1/1

7 Superaquecimento do óleo hidráulico

– – –1/1

7a Teste Causas do superaquecimento do óleo hidráulico: OK: Fim

1. Obstrução do tubo de aspiração da bomba de ar da transmissão.


2. Avaria ou desgaste da válvula de retenção da bomba pneumática da transmissão.
3. Perda ou afrouxamento do coletor de óleo da tampa fronta da transmissão, sob a
coroa de comando da transmissão.
– – –1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-10-36 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=246
Grupo 15
Regulagens do Câmbio de Marchas
Regulagem do Câmbio de Marchas

CUIDADO: Não ajustar os cabos de comando


com o motor em funcionamento, já que o trator
pode deslocar-se. Desligar o motor e retirar a
chave do contato.

Verificação e regulagem do câmbio

1. Acionar a alavanca de marchas (B).

–UN–25MAY99
NOTA: Posicione a alavanca em primeira marcha.

CQ184530
IMPORTANTE: Certificar-se de que a alavanca na
caixa de marchas está posicionada na 255
primeira marcha. 15
1

2. Se for necessário, desengatar o cabo de comando (F)


girando o garfo. Engatar o cabo de comando e voltar a
verificar a regulagem.
3. Acionar a alavanca do inversor (A).

–UN–25MAY99
NOTA: Na posição neutra, centrar a alavanca inversora.
Deve ser possı́vel mover a alavanca para a
posição de avanço e retrocesso.

CQ184550
4. Se for necessário, desengatar o cabo de comando (G).
Fazer a regulagem girando o garfo correspondente de
forma que a alavanca inversora em neutro e centrada
na guia das alavancas, sem roçar no seletor. A—Alavanca do Park e avanço/retrocesso
B—Alavanca de marchas (1—4)
Verificação e regulagem dos grupos C—Alavanca de grupos (A—D)
F—Cabo do avanço/retrocesso
G—Cabo do câmbio (1—4)
1. Deslocar a alavanca dos grupos (C) para esquerda e H—Cabo do acelerador de mão
direita na zona de ponto morto.

NOTA: A alavanca não deve engatar nem roçar contra a


guia das alavancas nem nos seletores.

Continua na próxima página AG,LT04177,1434 –54–04MAY99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 255-15-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=247
Regulagens do Câmbio de Marchas

2. Se for necessário, desengatar os cabos de comando


(I) e (J). Fazer a regulagem girando o garfo
correspondente.
3. Voltar a engatar os cabos de comando e verificar de
novo a regulagem.

I—Cabo dos grupos (A e B)


J—Cabo dos grupos (C e D)

–UN–25MAY99
CQ184850
255
15
2

AG,LT04177,1434 –54–04MAY99–2/2

Regulagem do Cabo de Avanço e Retrocesso

1. Posicione a alavanca (A) em neutro.

2. Certifique-se de que a alavanca do reversor na caixa


de marchas está em neutro.

A—Alavanca do Park e avanço/retrocesso


B—Alavanca de marchas (1—4)
C—Alavanca de grupos (A—D)

–UN–25MAY99
CQ184530

Continua na próxima página AG,LT04177,1448 –54–12MAY99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 255-15-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=248
Regulagens do Câmbio de Marchas

3. Ajustar o cabo (F) (figura anterior) de forma a garantir


que o seletor (B) fique centralizado em posição neutra.

A—Seletor do Park
B—Seletor de avanço/retrocesso
C—Alavanca do Park avanço/retrocesso

–UN–12MAY99
D—Alavanca de marchas (1—4)
E—Alavanca de grupos (A—D)
F—Cabo de anvanço/retrocesso
G—Cabo do câmbio (1—4)

CQ184840
H—Cabo do acelerador de mão

255
15
3

–UN–25MAY99
CQ184550
AG,LT04177,1448 –54–12MAY99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 255-15-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=249
Regulagens do Câmbio de Marchas

Regulagem do Bloqueio de Estacionamento


(Park)

CUIDADO: Não ajustar os cabos de comando


com o motor em funcionamento, já que o trator

–UN–12MAY99
pode deslocar-se. Desligar o motor e retirar a
chave do contato.

1. Ter certeza qua os seletores (A) e (B) estão alinhados

CQ184840
de forma correta e que a alavanca (C) está na posição
neutra nas guia do console.
2. Desconectar o cabo de comando (G) do bloqueio de
estacionamento (Park).
3. Ajustar o parafuso (F) de modo que a alavanca do
Park possa se movimentar entre os seletores (A) e (B)
255 sem roçar nas guias do console.
15
4. Empurrar para baixo o garfo do cabo do Park para ter
4
certeza de que o Park está desbloqueado.

–UN–12MAY99
5. Puchar ligeiramente o garfo do cabo do Park para
eliminar a folga (2 mm aprox.) do cabo. Manter o cabo
nesta posição (tensionado) e girar o garfo da
extremidade do cabo até que os orifı́cios do garfo e do

CQ184860
seletor fiquem perfeitamente alinhados.
6. Voltar a engatar o cabo de comando.

A—Seletor do Park
B—Seletor de avanço/retrocesso
C—Alavanca do Park avanço/retrocesso
F—Parafuso limitador do seletor do Park
G—Cabo do Park

AG,LT04177,1435 –54–04MAY99–1/1

Regulagem do Bloqueio de Marcha a Ré

CUIDADO: Não ajustar os cabos de comando


com o motor em funcionamento, já que o trator
pode deslocar-se. Desligar o motor e retirar a
–UN–16MAR95

chave do contato.

1. Posicionar a alavanca inversora em ponto morto.


2. Desconectar o garfo (A) da alavanca (B).
LX006891

3. Posicionar a alavanca de grupos no grupo (D).


4. Empurrar a alavanca (B) para trás (ver flecha).
5. Girar o garfo de forma que fique engatado no orifı́cio
esquerdo da alavanca.

AG,LT04177,1436 –54–04MAY99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-15-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=250
Grupo 20
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

255
20
1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-1 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=251
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

Componentes da Transmissão PowrQuad (Identificação de Componentes)


RWC70752 –UN–26SEP97

1 3
2 4 5 6 7 8 12
9 10 11

23

21
19 24
13

20 22
16
18

14

17
15

34

28

25
27
29

31 32 36 37
35

33

30
26
RWC70752

AG,LT04177,1437 –54–04MAY99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-2 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=252
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

1—Refrigeração do freio de 13—Válvula de descarga ao 22—Caixa de válvula 32—Válvula de refrigeração da


retrocesso reservatório 23—Válvula de descarga do embreagem (baixa
2—Freio de retrocesso 14—Êmblo do modulador de resfriador pressão)
3—Refrigeração da câmbio e êmbolo do 24—Válvula de descarga de 33—Válvula da embreagem de
embreagem de avanço acumulador lubrificação tração
4—Embreagem de avanço 15—Válvula de segurança de 25—Válvula de controle de 34—Orifı́cio de passagem
5—Êmbolo C4 partida refrigeração de regulável
6—Êmbolo B3 16—Caixa do freio dos avanço/retrocesso 35—Êmbolo do acumulador de
7—Êmbolo B2 planetários 26—Válvula de controle de avanço/retrocesso
8—Êmbolo B1 17—Válvula de controle de velocidade 36—Válvula de descarga para
9—Lubrificação da caixa de avanço/retrocesso 27—Caixa de válvula de retorno,
grupos 18—Malha do filtro de entrada controle avanço/retrocesso
10—Lubrificação de módulos 19—Bomba 28—Válvula de câmbio B3-C4 37—Válvula moduladora de
11—Filtro da transmissão 20—Tampa frontal 29—Válvula de câmbio B2-B3 avanço/retrocesso
12—Resfriador do óleo do 21—Válvula de descarga da 30—Válvula de câmbio B1-B2
trator transmissão 31—Válvula reguladora de
pressão

255
20
3

AG,LT04177,1437 –54–04MAY99–2/2

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-3 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=253
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

Componentes da Transmissão PowrQuad (Esquema hidráulico)


RW70454 –UN–15APR97

20 43
11 27 29
21 22 23 24 26 28

25 25
10
30
12

31

35
7 37
13
11
11

38

36

14

34

44

6
40
1
5
41

32 39
33
4
15

16

3 19 18 42
17
RW70454
AG,LT04177,1449 –54–13MAY99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-4 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=254
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

1—Óleo de lubrificação do 11—Reservatório superior 22—B2 36—Válvula do câmbio B1-B2


trator 12—Pedal da válvula da 23—B3 37—Válvula de controle de
2—Filtro principal embreagem tração 24—C4 frente/neutro/ré
3—Carcaça do filtro 13—Válvula de refrigeração da 25—Força centrı́fuga 38—Válvula de controle de
4—Válvula de descarga de embreagem 26—C-frente lubrificação
lubrificação 14—Válvula reguladora de 27—C-lubrificação frente 39—Reservatório intermediário
5—Válvula de descarga de pressão 28—B-reversão 40—Válvula do câmbio B3-C4
refrigeração 15—Bomba 29—B-lubrificação da reversão 41—Válvula do câmbio B2-B3
6—Válvula de descarga do 16—Sensor de temperatura 30—Módulo de lubrificação 42—Caixa da válvula de
filtro da transmissão 17—Filtro de malha de entrada 31—Válvula de segurança controle
7—Válvula moduladora 18—Tampa frontal 32—Válvula de descarga 43—Caixa do freio de reversão
frente/ré 19—Carcaça da válvula 33—Pistão acumulador 44—Chave de restrição do
8—Pistão acumulador 20—Caixa do freio das 34—Válvula moduladora de filtro
9—Válvula de descarga planetárias velocidade
10—Pedal da embragem 21—B1 35—Válvula de controle de
velocidade

255
20
5

AG,LT04177,1449 –54–13MAY99–2/2

Notas Referente ao Funcionamento da Transmissão PowrQuad

Este grupo descreve os componentes mecânicos da ISO (Organização Internacional Standard).


transmissão PowrQuad assim como a transmissão de Estas folhas separáveis permitem comprender melhor
grupos. o funcionamento dos componentes e dos circuitos
Do começo ao final deste grupo figuram os esquemas hidráulicos.

AG,LT04177,1442 –54–11MAY99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-5 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=255
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

Descrição da Transmissão PowrQuad

A transmissão PowrQuad consta de duas partes


principais, o módulo PowrQuad de quatro marchas (C) e
o câmbio de grupos (A).

–UN–13MAY92
O módulo PowrQuad inclui um trem de planetárias, uma
engrenagem de discos e um freio de retrocesso. A
embreagem e o freio são acionados por óleo sob
pressão. O módulo PowrQuad possui marchas de 1 a 4

RW20455
no sentido de avanço e também no sentido de retrocesso.

A caixa de grupos (A) inclui o eixo de comando, o eixo de


saida do câmbio, as engrenagens de grupos e as A—Módulo da caixa de grupos
unidades sincronizadoras. B—Transmissão lenta (não equipado)
C—Módulo PowrQuad
255
20 Na caixa de grupos se selecionam 4 grupos (A, B, C e
6 D).

AG,LT04177,1443 –54–11MAY99–1/3

A carcaça da válvula de refrigeração de óleo (E) está


fixada na caixa dianteira de válvulas (D). A tampa frontal
(C) está fixada na carcaça do freio dos planetários (B) na
qual está instalada a carcaça do freio de retrocesso (A). A
caixa da válvula de controle (F) está instalada sob a
carcaça do freio dos planetários (B).

–UN–13MAY92
A—Carcaça do freio de retrocesso
B—Carcaça do freio dos planetários
C—Tampa frontal
D—Carcaça da válvula frontal RW20462
E—Carcaça da válvula de refrigeração
F—Carcaça da válvula de controle

Continua na próxima página AG,LT04177,1443 –54–11MAY99–2/3

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-6 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=256
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

A transmssião PowrQuad é de controle hidráulico e


compreende conjuntos de engrenagens planetários que
proporcionam quatro marchas completamente moduladas
para frente e para trás. Não é necessário acionar a
embreagem, no sentido de avanço e retrocesso, para
trocar de marcha.

–UN–13MAY92
A transmissão PowrQuad contém uma bomba para
alimentar a transmissão com óleo.
Esta bomba serve também para resfriar o óleo hidráulico
e para garantir a alimentação com óleo sob pressão para

RW20458
a TDP e para a tração dianteira (TDM).
A carcaça do diferencial serve de depósito de óleo. Uma
bomba de ar de tamanho reduzido garante a evacuação
do óleo em excesso da transmissão. A—Saida
B—Sentido da marcha
C—Marchas
A transmissão PowrQuad consta de duas unidades D—Entrada 255
principais: a de SENTIDO (avanço/retrocesso) (B) e a de 20
MARCHAS (C). 7

AG,LT04177,1443 –54–11MAY99–3/3

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-7 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=257
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

Funcionamento do Conjunto de Planetários


RWC70835 –UN–18AUG97

20
18 19
15 16 17
12 13 14
10 11
9
8
7

21
22

2 23
6
3
5
4

3
2
1

RWC70835

AG,LT04177,1444 –54–11MAY99–1/5

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-8 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=258
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

1—Porta planetários de 7—Êmbolo do freio de 13—Êmbolo da embreagem da 18—Engrenagem solar da


retrocesso retrocesso quarta marcha segunda marcha
2—Pinhões planetários 8—Tambor de embreagem 14—Êmbolo do freio da 19—Pinhão planetário
(externos) 9—Êmbolo de embreagem de segunda marcha 20—Engrenagem de entrada
3—Pinhões planetários avanço 15—Engrenagem solar da de planetários
(internos) 10—Eixo de comando da segunda marcha 21—Porta planetários
4—eixo da TDP embreagem de avanço 16—Êmbolo do freio da 22—Eixo de comando da
5—Eixo de saida da 11—Tambar da embreagem primeira marcha embreagem de avanço
transmissão 12—Êmbolo do freio da 17—Engrenagem solar da 23—Engrenagem solar da
6—Coroa terceira marcha primeira marcha terceira marcha

Sentido (Retrocesso) componentes 1, 2 e 3 com os êmbolos (16), (14) e


(12) funcionam como freios, o componente 4 (com o
Ao soltar o pedal da embreagem, estando engatada êmbolo 13) atua como embreagem. Os números
uma marcha de retrocesso, o êmbolo do freio de correspondem as marchas individuais.
retrocesso (7) é deslocado por pressão hidráulica. A A engrenagem de entrada dos planetários (20) é
coroa (6) se fixa firmemente com a carcaça. A força acionada por meio do eixo de entrada na rotação do
se transmite desde o eixo de comando (10) da motor. O porta planetários (21) está ligado com o eixo 255
embreagem de avanço ao parta planetários (1) através de comando da embreagem de avanço (22) que 20
do tambor de embreagem (8). A rotação do porta transmite sempre a força do trem planetário de 9
planetários faz com que os pinhões planetários entrada.
externos (2) girem ao redor da coroa (6) imobilizada. A engrenagem solar da primeira marcha (17) é
Isto provoca uma rotação dos pinhões planetários controlada por meio do primeiro êmbolo de freio (16).
interiores (3) em sentido inverso, tendo como efeito a Ao conectar o freio, o pinhão planetário (19) gira sobre
rotação em sentido inverso do eixo de saida do a engrenagem solar fixa. O porta planetários (21) gira
câmbio (5). deste modo em velocidade menor que a engrenagem
de entrada (20). Se obtém um ı́ndice de
Sentido (Avanço) desmultiplicação de 0,566:1.
A engrenagem solar de segunda marcha (18) é
O conjunto de planetários que controla o sentido de controlada por meio do êmbolo de freio (14). Em
avanço compreende a embreagem de avanço função do maior diâmetro do planetário central e do
acionada pelo êmbolo (9) e o freio de retrocesso diâmetro mais pequeno da engrenagem solar (15), o
conectado pelo êmbolo (7). A força se transmite porta planetários (21) gira mais depressa que a
sempre através do eixo de acionamento (10) que primeira marcha. Se obtém um ı́ndice de
engrena com o tambor de embreagem (8) fixado sobre desmultiplicação de 0,682:1.
o porta planetários (1). O cubo da embreagem serve A engrenagem solar da terceira marcha (23), que está
como engrenagem solar para o trem planetário e fica conectada com o tambor de embreagem (11) é
conectado com o eixo de saida do câmbio (5) por controlada pelo êmbolo (12) do terceiro freio, mediante
meio do estriado. Quando se solta o pedal da um freio de disco. Se obtém um ı́ndice de
embreagem com a alavanca de câmbio em qualquer desmultiplicação de 0,816:1.
marcha de avanço, se conecta, de forma hidráulica, a Na quarta marcha (transmissão direta), as
embreagem de avanço. O tambor da embreagem engrenagens solares (15) e (18) estão conectadas
transmite a força por meio do cubo de embreagem, constantemente através do êmbolo (11) da quarta
que por sua vez, fica conectado com o eixo de saida embreagem. O cubo da embreagem está conectada
do câmbio (5) por meio do estriado. com a engrenagem solar de segunda marcha (15) e o
tambor da embreagem com a engrenagem solar da
Marchas terceira (18).

Os componentes da embreagem e freio são


numerados desde a parte dianteira até a traseira. Os

Continua na próxima página AG,LT04177,1444 –54–11MAY99–2/5

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-9 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=259
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

planetários giram então solidários com a engrenagem


Ao conectar entre si ambas engrenagens solares, o de entrada de planetários (20).
pinhão planetário (19) não pode girar sobre o eixo do
porta planetários. O pinhão planetário e o porta
Continua na próxima página AG,LT04177,1444 –54–11MAY99–3/5

255
20
10

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-10 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=260
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

255
20
11

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-11 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=261
Funcionamento — Transmissão PowrQuad
RW20463 –UN–26JUN97

I
J
E K L
F
D
G

H
B

RW20463

T S R O
A Q P
N M

Continua na próxima página AG,LT04177,1444 –54–11MAY99–4/5

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-12 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=262
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

A—Eletroválvula de F—Do resfriador L—Pressão de refrigeração da P—Pressão de conexão B3


refrigeração da embreagem G—Temperatura do óleo embreagem Q—Pressão de conexão C4
B—Orifı́cio de passagem H—Pressão de modulação M—Interruptor válvula de R—Pressão embreagem de
regulável (modulação avanço/retrocesso embreagem avanço
avanço/retrocesso) I—Pressão de conexão B2 N—Pressão de embreagem S—Pressão de freio de
C—Restrição do filtro J—Pressão de conexão B1 O—Pressão do sistema 2 com retrocesso
D—Pressão da transmissão K—Pressão de lubrificação conexão de teste T—Interruptor de ponto morto
E—Ao resfriador com conexão

Quadro dos componentes acionados


Marcha B1 B2 B3 C4 Embr. Freio M.
Avanço atrás
1A • •
2A • •
3A • •
4A • •
1R • • 255
2R • • 20
13
3R • •
4R • •

O quadro acima indica componentes conectados para


marchas individuais.

AG,LT04177,1444 –54–11MAY99–5/5

Bomba de Ar

O êmbolo (B) da bomba de ar é controlada por meio da


mola (A), localizada na parte superior da bomba, e um
A
seguidor (D) situado sob a mola.
O seguidor é acionado por um came (excêntrico) montado
sobre o eixo de entrada (E). Ao mover o seguidor (D)
para baixo (admissão), o ar passa por uma ranhura e um B
orifı́cio para a parte inferior do êmbolo. A esfera (C) pode
mover-se livremente deixando passar o ar que pode
chegar a câmara do êmbolo (B).
C
A—Mola
B—Êmbolo
C—Esfera inferior
D—Seguidor D
E—Eixo de entrada
–UN–20AUG98
RWC20459

E RWC20459

Continua na próxima página AG,LT04177,1445 –54–11MAY99–1/2

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-13 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=263
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

Ao deslocar o seguidor (C) para cima (escape), a esfera


inferior (B) é empurrada contra seu assento a custa do
efeito do ar comprimido e de seu próprio peso, fechando A
o orifı́cio do êmbolo.
A esfera superior (A) se desloca do seu assento
vencendo a pressão da mola. O êmbolo pressuriza, deste
modo, uma pressão na cavidade interior da transmissão
PowrQuad. Esta pressão de 1—2 psi facilita a evacuação
do óleo da transmissão.

NOTA: Durante as fases de admissão e de escape, as


duas esferas se deslocam sempre em sentido B
oposto.
C
A—Esfera superior
255 B—Esfera inferior
C—Seguidor

–UN–20AUG98
20
14 D—Eixo de entrada

RWC20460
D
RWC20460

AG,LT04177,1445 –54–11MAY99–2/2

Bomba de Lubrificação da Transmissão

A bomba de lubrificação da transmissão está localizada


na parte posterior da tampa frontal da transmissão.
O óleo entra pelo lado direito, passa entre as duas
engrenagens internas e a meia lua, e sai para o filtro. A
vazão desta bomba é de 60 l/min.

A—Óleo sem pressão


B—Óleo de carga
–UN–20AUG98
RWC20461

A B RWC20461

AG,LT04177,1446 –54–11MAY99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-14 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=264
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

Distribuidor de Óleo da Embreagem


B3 B1
B2

O óleo de controle do elemento da embreagem C4 (cor


de laranja clara) flui por um conduto de óleo e chega ao
canal anular dianteiro entre as juntas. O conduto de óleo C4

possui uma válvula de retenção de esfera, que se levanta


da sede para permitir a entrada de ar, evitando, deste
modo, a auto ativação involuntária do elemento. Apesar
da embreagem estar conectada, o óleo de controle
empurra a esfera contra sua sede.

B2
B3 B1

255
20
15

–UN–18JUN97
RWC30033
RWC30033

AG,LT04177,1447 –54–11MAY99–1/4

O óleo de controle da embreagem de avanço (cor de


laranja escura) flui por um conduto de óleo e chega ao B3
B2
B1

canal anular traseiro entre as juntas. O conduto de óleo


possui também uma válvula de retenção (de esfera) que
se eleva da sede permitindo a aspiração de ar. Deste C4

modo se evita a auto ativação involuntária do elemento.


Apesar da embreagem estar conectada, o óleo de
controle empurra a esfera contra a sede.

B2
B3 B1
–UN–18JUN97
RWC30034

RWC30034

Continua na próxima página AG,LT04177,1447 –54–11MAY99–2/4

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-15 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=265
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

O óleo de lubrificação do freio de retrocesso flui por um


conduto para a carcaça do êmbolo de freio e lubrifica o B3 B1
B2

eixo inferior da caixa de grupos. São lubrificados também,


todos os mancais, rolamentos, etc. do módulo. O óleo de
lubrificação chega ao mancal traseiro passanto por um C4

orifı́cio localizado no eixo de saida do câmbio;


continuando, passa para a caixa de grupos para lubrificar
o eixo superior.

B2
B3 B1

255
20
16

–UN–18JUN97
RWC30035
RWC30035

AG,LT04177,1447 –54–11MAY99–3/4

Quando a rotação é excessiva, o excesso de óleo do


sistema flui para o reservatório intermediário de C4. A B3 B1
B2

bomba garante uma alimentação reduzida no caso em


que a descarga normal não seja suficiente para aliviar o
excesso de óleo. C4

B2
B3 B1
–UN–18JUN97
RWC30036

RWC30036

AG,LT04177,1447 –54–11MAY99–4/4

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-16 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=266
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

Caixa do Freio de Retrocesso A


A passagem de óleo de controle do freio de retrocesso
(cor de laranja escuro) até o êmbolo do freio se produz B3
B2
B1

através de um conduto refrigerado. O orifı́cio de 1 mm


permite a passagem de ar ao conduto de refrigeração, de
forma que pode ser produzida sua descarga.
C4

255

–UN–14MAR97
20
B2
17
B3 B1

RWC30037
RWC30037

Continua na próxima página AG,LT04177,1450 –54–13MAY99–1/3

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-17 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=267
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

B3 B1
B2

C4

255
20
18

–UN–18JUN97
B2
B3 B1

RWC30038
RWC30038

O óleo de lubrificação do freio de retrocesso circula lubrificar todos os mancais, rolamentos, etc. Passa a
através da caixa da válvula de controle e passa pela seguir por um canal do eixo de saida da transmissão
caixa do êmbolo do freio de retrocesso para lubrificar para lubrificar o mancal traseiro, passando depois para
o eixo inferior da caixa de grupos. O óleo de a caixa de grupos para lubrificar seu eixo superior.
lubrificação passa igualmente através do módulo para

Continua na próxima página AG,LT04177,1450 –54–13MAY99–2/3

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-18 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=268
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

O óleo refrigerante do freio de retrocesso flui através do


canal anular para os orifı́cios da coroa.
O óleo é empurrado para o exterior sob o efeito da força B3
B2
B1

centrı́fuga, atravessando e refrigerando deste modo dos


discos de embreagem.
C4

–UN–18JUN97
255
B2
B3 B1
20
19

RWC30039
RWC30039

AG,LT04177,1450 –54–13MAY99–3/3

Depósito de óleo

A carcaça do diferencial serve como depósito de óleo


para a transmissão PowrQuad. Se intende, que a
intenção é fazer funcionar o módulo em condições
relativamente secas para reduzir as perdas de torque.

A malha filtrante de entrada está instalada também na


carcaça do diferencial. O óleo da transmissão capta óleo
no extremo da malha filtrante e o óleo hidráulico do outro.

AG,LT04177,1451 –54–13MAY99–1/1

Válvula de Descarga do Filtro


Fase 1 Fechada Funcionamento normal
Fase 2 300 kPa O filtro se obstrui parcialmente e a válvula abre um canal para ativar a luz de
3 bar aviso de obstrução do filtro.
44 psi
Fase 3 500 kPa Ao aumentar a obstrução, a válvula abre um conduto para a válvula reguladora
5 bar de pressão (circuito de manutenção)
73 psi
Fase 4 600 kPa A válvula se abre mais para permitir a continuidade da lubrificação
6 bar
87 psi

AG,LT04177,1452 –54–13MAY99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-19 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=269
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

Válvula Reguladora de Pressão

Fase 1 Fechada abaixo Conduto aberto permitindo a passagem de óleo da válvula de descarga do filtro
600 kPa (6 bar; 87 psi) ao Sistema 1 e 2 pelo circuito de manutenção.
Tr6300
700 kPa (7 bar; 102
psi)Tr6600
Fase 2 Acima: Similar a fase 1 exceto que fica aberto ao Sistema 2.
600 kPa (6 bar; 87 psi)
Tr6300
700 kPa (7 bar; 102
psi)Tr6600
Fase 3 900 kPa (9 bar; 130 psi) Todos os condutos fechados.
Tr6300
1000 kPa (10 bar; 145 psi)
Tr6600
Fase 4 1000 kPa (10 bar; 145 psi) O óleo do Sistema 1 flui ao circuito do Sistema 2.
Tr6300
255 1200 kPa (12 bar; 175 psi)
20 Tr600
20 Fase 5 1200 kPa (12 bar; 175 psi) Um caminho adicional abre permitindo que o óleo do Sistema 1 passe para o
Tr6300 resfriador. Esta é a posição normal de operação.
1400 kPa (14 bar; 205 psi)
Tr6600

AG,LT04177,1453 –54–13MAY99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-20 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=270
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

Circuito de Controle de Marchas

Funcionamento da válvula seletora de marchas


Uma das válvulas (B2-B3) dirige o óleo sob pressão
A válvula seletora de marchas de comando manual, dosificado procedente do Sistema 2 para uma das
controla a alimentação das três válvulas de controle outras duas válvulas, a qual por sua vez dirige o óleo
com óleo do Sistema 1. A válvula seletora de marchas para o elemento de câmbio correspondente. Todas as
dispõe de quatro posições (cada posição corresponde válvulas se mantém em umas das duas posições por
a uma marcha), SEM posição PONTO MORTO. meio de uma mola. Para engatar a terceira marcha,
não é necessário pressurizar as válvulas. A segunda
A válvula seletora de marchas controla também a posição se obtém guiando o óleo de controle da
válvula de atuação que ativa a válvula moduladora de válvula de câmbio ao extremo superior do canal da
avanço/retrocesso. O fluxo de óleo é o seguinte: válvula.

• em 1a. Pressão do Sistema 1 para B1-B2 e B2-B3. Das NOTA: A mola da válvula do câmbio B3-C4 está
válvulas B3-C4 ao reservatório alto. carregada em sentido contrário as outras duas
• em 2a. Pressão do Sistema 1 para as válvulas B2-B3. Das 255
válvulas B1-B2 e B3-C4 ao reservatório alto. válvulas. 20
• em 3a. Todas as válvulas de controle conectadas com o 21
reservatório alto. Quadro de pressurização das válvulas do câmbio
• em 4a. Pressão do Sistema 1 para as válvulas B3-C4. Das
válvulas B1-B2 e B2-B3 ao reservatório alto. Elemento ativado
Válvula B1 B2 B3 C4
Funcionamento das válvulas do câmbio B1—B2 X
B2—B3 X X
Três válvulas idênticas de duas posições controlam os B3—C4 X

quatro elementos de seleção das marchas.

Continua na próxima página AG,LT04177,1455 –54–13MAY99–1/3

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-21 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=271
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

C D

E B

G H
A

255
20
K
22

–UN–21APR97
J M

RWC70745
RW70745 L

A—Óleo Sistema 1 G—Válvula de segurança de J—Caixa da válvula de M—Válvula de câmbio B2-B3


B—Óleo Sistema 2 partida controle N—Válvula de câmbio B1-B2
C—Êmbolo B2 H—Válvula de controle de K—Válvula de câmbio B3-B4
D—Êmbolo B1 avanço/retrocesso L—Válvula seletora de
E—Válvula de retorno de óleo I—Válvula de controle do óleo marchas
F—Válvula moduladora e refrigerante e de
êmbolo do acumulador avanço/retrocesso

Primeira marcha Depois, o óleo do Sistema 2 alcança a válvula de


câmbio B2-B3 através da válvula moduladora. Esta
Ao engatar a primeira marcha, as cabeças das última dirige o óleo para a válvula B1-B2 e daı́ para o
válvulas B1-B2 e B2-B3 recebem óleo do Sistema 1. êmbolo B1. Esta sequência também ocorre ao estar
Os carretéis das válvulas se deslocam para a direita. em ponto morto.

Continua na próxima página AG,LT04177,1455 –54–13MAY99–2/3

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-22 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=272
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

C D

A
E B

G H
A

255
20
K
23

–UN–21APR97
J M

RWC70746
RW70746 L

A—Óleo do Sistema 1 F—Válvula moduladora e I—Válvula de controle do óleo L—Válvula seletora de


B—Óleo do Sistema 2 êmbolo acumulador refrigerante marchas
C—Êmbolo B2 G—Válvula de segurança da J—Caixa de válvula de M—Válvula do câmbio B2-B3
D—Êmbolo B1 embreagem controle N—Válvula do câmbio B1-B2
E—Válvula de retorno de óleo H—Válvula de controle de K—Válvula do câmbio B3-B4
avanço/retrocesso

Ao posicionar a válvula seletora de marchas em de retorno de óleo se desloque para a esquerda


segunda marcha, a válvula de atuação se desloca fechando desta maneira o canal do reservatório. O
pela rampa da válvula seletora de marchas. óleo do Sistema 2 passa por um orifı́cio de limitação
Quando a válvula de atuação alcança a posição final, de 0,8 mm de diâmetro e inicia a carga do
o carretel da válvula de retorno do óleo se move para acumulador. O carretel da válvula moduladora começa
a direita. Desta forma se abre um canal permitindo a deslocar-se para a direita, abrindo a passagem de
que o acumulador de pressão descarregue para o óleo ao Sistema 2 que pode fluir para a válvula
reservatório. seletora de marchas. Esta última dirige o óleo para o
A pressão do Sistema 2, aplicada a cabeça da válvula extremo superior da cabeça da válvula de câmbio
moduladora, faz com que o carretel se desloque para B2-B3. O elemento 2 é alimentado com óleo através
a esquerda. O óleo pode passar agora para o das válvulas B2-B3 e B1-B2.
reservatório. A mola faz com que o carretel da válvula

AG,LT04177,1455 –54–13MAY99–3/3

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-23 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=273
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

Circuito da Válvula de Segurança de Partida (EOV)

O funcionamento da válvula de segurança de partida localizado em uma posição elevada. Isto


(EOV) é controlada pela válvula de controle de permite que os elementos e tubos
avanço-marcha a ré. permaneçam quase totalmente cheio de óleo,
de modo que o tempo de enchimento do
• Funcionamento em ponto morto. elemento é consideravelmente inferior. As
O óleo do Sistema 1 vence a pressão da mola a 400 válvulas de atuação descarregam no
kPa (4 bar; 58 psi) abrindo a passagem da pressão de reservatório normalmente. O elemento C4
embreagem a válvula de avanço-marcha a ré. descarrega no reservatório pelo coletor de
• Funcionamento em marcha engatada. óleo da embreagem, em um ponto
O óleo do Sistema 1 passa pela válvula de intermediário entre o reservatório elevado e o
avanço-marcha a ré e pela válvula de segurança normal. E daqui em diante no reservatório
vencendo a mola desta. Esta mola corta a pressão de intermediário. Esta disposição permite que os
embreagem na válvula de segurança, abrindo um tubos tenham um pouco de óleo para proteger
canal desde o elemento, pela válvula de segurança, contra a auto ativação de C4. O resto das
255
20 até o reservatório elevado. válvulas descarregam no reservatório elevado.
24
Fase 1 Fechada Da válvula de Marcha a ré — O trator parte em neutro.
avanço-m.ré a mola
da válvula de
segurança O óleo do Sistema 1 atua sobre a cabeça da válvula
Da válvula de segurança, forçando a válvula para acima contra a
avanço-m.ré ao pressão da mola. O óleo do Sistema 1 também flui
reservatório elevado (somente em avanço ou marcha a ré) através da
Fase 2 400 kPa Da pressão de
válvula de avanço-marcha a ré até a câmara da mola
4 bar embreagem a
58 psi válvula de da válvula de segurança. Como a válvula de
avanço-m.ré. segurança está deslocada para cima, o óleo não pode
Da câmara da mola atuar no extremo da válvula com a mola. Quando abre
da válvula de um canal para que o óleo da embreagem flua através
segurança ao
da válvula de segurança, pela válvula de
reservatório.
avanço-marcha a ré até o êmbolo do freio de
NOTA: Se utiliza o termo reservatório superior porque retrocesso.
a saida do reservatório está fisicamente

AG,LT04177,1456 –54–14MAY99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-24 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301
PN=274
Funcionamento — Transmissão PowrQuad

255
20
25

–UN–24APR97
RW70751

Posição de modulação de velocidade

A—Sistema 2 D—Válvula de controle de G—Elemento B3 K—Válvula do câmbio B2-B3


B—Válvula moduladora de velocidades H—Elemento C4 L—Acumulador
velocidades E—Elemento B1 I—Válvula do câmbio B1-B2 M—Válvula de descarga
C—Sistema 1 F—Elemento B2 J—Válvula do câmbio B3-C4

AG,LT04177,1457 –54–14MAY99–1/1

MTCQ33711 (13SEP01) 255-20-25 Tratores John Deere — Oper. e Testes


091301