Você está na página 1de 10

TÁTICA DE CONTROLE DE DISTÚRBIOS CIVIS

PERFIL DO POLICIAL MILITAR DA TROPA DE CHOQUE

Perfil psicológico

Disciplina: Principalmente a disciplina operacional.

Resistência a psico- fadiga: Perseverante nunca esmorece, mesmo quando está


ferido.

Comprometimento com a corporação: Trabalha além do horário, sempre


responde quando acionado.

Lealdade: Não só a seus superiores, como também à corporação.

Moderação: Conhece os limites legais e os desdobramentos de atos maus


calculados.

CARACTERISTICAS BÁSICAS

Escudeiros: Mais fortes, mais altos e ágeis.

Lançadores: mais disciplinados mais baixos, melhores no lançamento (precisão e


distancia).

Atiradores: melhores em precisão e disciplina operacional, mais experientes,


homens de confiança.

TIPOS DE MASSAS

Como sabemos o emprego de efetivo de controle de distúrbios civis é fásico,


ou seja, acompanha a atualidade política do país: seus anseios , aspirações , suas
mudanças compartimentais e seus problemas de toda a sorte.
Temos visto que o número de ocorrências que se englobam no perfil:
Controle de Distúrbios Civis vem aumentando, ultimamente, de forma rápida e
considerável.
Os causadores desses distúrbios podem ser: manifestantes comuns,
presidiários, invasores de terras, torcedores e outros tantos grupos de toda sorte que
além da disposição que possuem de resistir tem mudado constantemente sua
forma de atuação visando alcançar de forma mais efetiva seus objetivos , sejam eles
justos ou não .
Não cabe ao Policial Militar discutir essas questões cabe a ele sim impedir
que essas manifestações ocorram dentro da legalidade evitando-se que ocorram
2
danos ao patrimônio de quem quer que seja, dano a integridade física de terceiros
ou dos próprios participantes, enfim que a ordem pública seja preservada a todo
custo a preservação da ordem.
Ante a estes antagonismos que se apresentam desenvolvemos, calcados na
experiência de inúmeros eventos de CDC, algumas formas de atuação da Tropa de
CDC e também analisamos o comportamento de algumas destas coletividades.

Características de algumas massas (dentro da realidade do Brasil):

1) MASSAS PACÍFICAS

Reúnem se por motivos “justos” ou pacíficos, pela própria


característica do grupo não demonstra atitudes radicais.

Pacificadores: Grupos que se reúnem esporadicamente quando há eminência de


um conflito universal ou regional, demonstrando se claramente contra qualquer
conflito armado ou violento.

Religiosos: É um grupo que normalmente se reúne para mega eventos, mas devido
a sua peculiaridade raramente causam incidentes.

Grupos raciais e comportamentais: São grupos que se reúnem esporadicamente


com a presença de lideranças não muito militantes, mas que, normalmente, atuam
de forma pacífica.

2) MASSAS ORGANIZADAS

São grupos que possuem uma liderança mais definida, possuem relativa
disposição para enfrentar o policiamento local , alem de terem objetivos
específicos de interesse de seu grupo social .

Professores: Grupo muito numeroso que com a aliança com outros grupos se
mostra sugestionável e com atitudes de revolta.

Metalúrgicos: Grupo também numeroso, altamente politizado e com fortes


lideranças que em outros anos demonstrou ser violento, causando muitos problemas
para as autoridades policiais.

3
3) MASSAS VIOLENTAS

São grupos que muitas vezes sem possuir lideranças definidas, que por
suas características tem demonstrado ser uma preocupação quanto a ordem
pública.

Punks: tem características violentas, sem objetivos definidos a não ser chamar
atenção e causar danos.

Torcedores (uniformizadas): Causadores de focos de violência momentâneos com


planejamento adequado do comandante da operação há possibilidade de evitar
danos.

Detentos: Grupos extremamente violentos e imprevisíveis, todavia confinados a um


determinado local.

Perueiros e camelôs: Grupos que vem se destacando muito ultimamente com atos
de violência e demonstrando fácil comunicação entre si.

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO PEL CHQ

A fim de padronizar e disciplinar a forma de atuação do PelChq foram


estabelecidos princípios básicos que resultaram no êxito do cumprimento de
qualquer missão :

1. É indivisível

Com a finalidade de manter seu caráter de tropa disciplinada e de atuação


como um todo, salvo em situações extraordinárias, O PelChq atuara como um
grupo compacto indivisível , sendo sua célula principal o PelChq . Tal procedimento
além de facilitar o comandamento , fiscalização e controle , visa causar o impacto
ou um temor no manifestante que não é causado por um Pm atuando de forma
individual .

2. Todo PM é responsável pela segurança do PelChq e pelo colega ao lado

A segurança do pel Chq é o principal fator para obter o êxito em qualquer


operação. Quando um Policial militar é atingido o PelChq se mostra vulnerável aos
olhos do antagonista. Deve se ressaltar que quando ocorre alguma baixa no PelChq
também ocorre um descontrole emocional de parte ou de totalidade de seu efetivo
alterando drasticamente a conduta do PelChq e de quem o comanda no momento.
Portanto a segurança do PelChq é fator de grande importância para o sucesso de
qualquer operação de CDC .

4
3. Todo O PM do PelChq zela sempre pelo seu equipamento “individual”
e o conhece perfeitamente

O que caracteriza o policial militar da tropa de choque, além de seu


conhecimento técnico profissional, é também o equipamento diferenciado que porta
devendo zelar pelo mesmo de maneira a utilizá-lo de forma coerente e dentro dos
princípios de legalidade , princípios doutrinários e de forma coerente.Deve mantê-lo
sempre em condições imediatas de uso e efetuar um check list ou verificação
pormenorizada de suas reais condições de uso.

4. O escudeiro sempre tem prioridade sobre os demais PM do PelChq

Além de sua indiscutível importância dentro da célula de choque (proteção),


o PM escudeiro, devido ao equipamento que conduz, tem sua mobilidade,
visibilidade diminuídas consideravelmente , portanto o cmt de PelChq e os demais
integrantes do PelChq devem tem uma atenção maior com este elemento.

5. Conhece a missão e todos os objetivos a serem alcançados

O integrante do PelChq não deve se limitar a cumprir seus objetivo sem


conhecer suas implicações legais e possíveis desdobramentos que possam ocorrer .
Deve conhecer a missão como um todo zelando sempre pelos pontos principais e
que ofereçam mais riscos.

6. Só desembarca mediante ordem de seu Cmt

Este ponto na realidade é uma forma do Cmt de PelChq ou Cmt de


CiapChq analisar até que ponto tem o PelChq sob seu total controle. .Apesar do
PelChq possuir em seu efetivo PM especialistas neste tipo peculiar de ação, deve
ficar bem claro que como um todo só age mediante ordem de seu Cmt que o
empregara sempre de forma legal e utilizando os meios proporcionais.

7. PelChq só atua quando há visibilidade do terreno e do oponente

Trata-se de um ponto fundamental para o sucesso de qualquer missão a


falta de visibilidade de uma determinada área onde deva atuar o PelChq poderá
colocar em risco, desnecessariamente o próprio PelChq ou até mesmo do
antagonista.

8. Mantém – se sempre distante do oponente (mínimo trinta metros de


distancia)

Se não observado este principio o efetivo de CDC ferirá o principal ponto


no caso de uma ação de CDC, que é dispersar o antagonista, pois haverá um
contato físico entre manifestante e antagonista que em 90 % dos casos é
desnecessário .Obvio se torna dizer que deverá haver uma equipe próxima a este
efetivo para efetuar as possíveis detenções que darão todo o embasamento legal
para a ação. Experiências anteriores nos mostram que o contato próximo entre

5
Tropa de CDC e antagonista pode resultar em danos irreparáveis. O contato próximo
do antagonista com o PM da tropa de choque pode causar uma sensação de
desconforto no policial que ficara a mercê de olhares curiosos além de poder gerar
ações de cunho pessoal.Ex: O PM marca um determinado rosto ou vice versa.

9. Atua estritamente dentro da lei e demonstrando autoridade sempre,


deixando as questões sociais ou políticas a cargo das pessoas
responsáveis

Como já é sabido por todos, nós policiais militares, não nos envolvemos
em questões de ordem política ou de caráter social.O que nos deve mover é a
proteção de vidas, dignidade e integridade física dos envolvidos além da proteção
do patrimônio público ou particular , proporcionando com isso a restauração dos
direitos individuais de todo cidadão e da sociedade que hora se vêem ameaçados.
.

10. Age sempre observando os critérios de prioridade de emprego de


meios

Sua importância é tão grande que tal assunto pauta toda a ação de uma
tropa de Choque e norteia toda a sua doutrina de emprego de forma proporcional,
coerente e profissional. Muitas vezes não estaremos lidando com criminosos e sim
com pessoas, que podem até reivindicar algo teoricamente justo, todavia utilizando
meios contrários a legislação existente.

PRIORIDADE NO EMPREGO DOS MEIOS

Considerando que o objetivo principal da Tropa de Choque é dispersar a


multidão em distúrbios, o Cmt da Tropa deve usar de todos os meios possíveis para
cumprir a missão e, ao mesmo tempo, evitar a violência. Assim sendo, deve ser
obedecida uma ordem de prioridade de emprego dos meios disponíveis. Ex. - nunca
devemos dar a carga de cassetete antes de prever se existem vias de fuga
suficientes para a multidão.
Enumeramos então, as séries de providências ou uso de meio em ordem de
prioridade:

a) Vias de Fuga: O reconhecimento prévio do local do distúrbio é de suma


importância, para permitir o deslocamento e aproximação da Tropa por vias de
acesso adequadas, para que sejam asseguradas aos manifestantes, vias de fuga.
Quando mais caminhos de dispersão forem dados à multidão, mais rapidamente ela
se dispersará. A multidão não deve ser encaminhada em direção ao equipamento e
viaturas, da Tropa, ou em direção à estabelecimentos públicos (pontos sensíveis), a
fim de evitar depredação.

6
b) Demonstração de Força: A Tropa deverá desembarcar em local fora das vistas
dos agitadores e, tão próxima quanto possível a fim de que a Tropa possa agir
rapidamente, e sem desgastes. Deverá o local ser escolhido a não comprometer a
segurança das vtr. A demonstração de força deve ser feita através da disposição da
tropa em formação disciplinada e no ponto mais próximo do contato.
A finalidade de demonstração de força é provocar efeito psicológico sobre a
multidão, pois as formações tomadas pela Tropa, dão uma idéia de organização,
disciplina e preparo da Tropa.
Sabendo-se que a multidão está bem armada, e havendo informes de que os
agitadores pretendem disparar arma de fogo, o Cmt da Tropa deverá fazer
demonstração de força, devendo lançar um ataque químico de uma posição
abrigada ou empregar viaturas blindadas.

c) Ordem de Dispersão: Deve ser dada pelo Cmt da Tropa através de


amplificadores de som (alto-falantes em vtr ou bons megafones) de modo a
assegurar que todos os componentes da multidão possam ouvir claramente. A
proclamação deve ser de modo claro, distinto e em termos positivos. Os
manifestantes não devem ser repreendidos, desafiados ou ameaçados. Por
exemplo, o Cmt dirá: "Esta manifestação é ilegal, façam suas reivindicações através
de outros meios", se os agitadores não obedecerem às suas ordens para que se
dispersem pacificamente, deverão ser tomadas novas medidas.

d) Recolhimento de Provas: Na verdade é uma providência que deve ser tomada


durante toda a operação, consiste em fotografar, filmar ou mesmo gravar fatos
ocorridos para posterior apresentação à justiça. As provas devem ser reunidas
quanto à identidade dos líderes e seus auxiliares, seus meios (cartazes, faixas,
armas, intenções, etc.). Muitas vezes a simples presença de um fotógrafo atuando
junto à Tropa, causa um efeito nos manifestantes que temem sua posterior
identificação e, os que se aproveitam do anonimato, procurarão se esconder ou
abandonar o local.

e) Emprego de Agentes Químicos e munição de elastomero : Deve ser


destacada a importância da direção do evento, que deve ser observada, sendo a
melhor situação quando o vento soprar da tropa para a multidão. Ao utilizar-se de
agentes químicos, a tropa deverá estar protegida por máscaras contra gases.
Conforme o grau de intensidade da concentração dos agentes químicos, variam
seus efeitos. Baixas concentrações farão com que a multidão se ponha em fuga,
enquanto que as altas concentrações, causam temporariamente, cegueira e outros
transtornos.
Os distúrbios podem ser atacados a distância de 150 m, por meio de projéteis de
gás lacrimogêneos disparado por armas especiais. Em distúrbios menores o uso de
granadas é eficiente. As utilizações de petrechos de efeito morais e granadas
fumígenas provocam grande efeito psicológico.

f) Emprego de Água: Jatos de água lançados por meio de veículos especiais (Ex:
Centurion) ou por meio de mangueiras de incêndio, sendo empregadas para
movimentar a multidão. Tinta inofensiva poderá ser misturada à água, a fim de que
as pessoas sejam marcadas para identificação posterior, ou mesmo para aumentar
o efeito psicológico.

7
g) Carga de Cassetete: O avanço sobre a multidão deve ser realizado através das
formações. A carga deve ser rápida e segura. A velocidade com que a multidão se
dispersa é importante, pois dará menos tempo para os agitadores se reorganizarem.
O cassetete é provavelmente o mais útil dos instrumentos de força que se pode
empregar contra desordeiros. Seu valor reside no efeito psicológico que provoca.
Componentes de um tumulto, podem desafiar com sucesso as tropas armadas
apenas com armas de fogo, pois bem sabem da hesitação normal que precede o
emprego de disparos contra a massa humana. Por outro lado, a presença da tropas
empunhando cassetetes ostensivamente incute maior respeito a multidão, pois
sabem os manifestantes e curiosos que os bastões serão usados vigorosamente.

h) Detenção de Líderes: Deve ser feita de preferência durante a carga de


cassetete. Porém sabemos que os líderes são os primeiros a fugir com o avanço da
tropa, daí a necessidade de policiais à paisana para uma perseguição discreta e
detenção posterior.

I) Atiradores de Elite: durante um distúrbio, Atiradores de Elite, dotados de armas


de precisão procurarão, mediante ordem, neutralizar elementos que disparem contra
a tropa, desde que haja bom campo de tiro, pois nunca se deve atirar contra a
massa. Estes manifestantes armados poderão atirar contra a tropa, de posições de
franco-atiradores, como por exemplo, de janelas de edifícios, veículos, ou outros
pontos estratégicos.

j) Emprego de Arma de Fogo: é a medida a ser tomada pelo comandante de tropa


e deve ser utilizado como último recurso, quando se defronta com ataques armados.
Todo cuidado deve ser tomado para que não sejam atingidos pelos disparos outros
elementos da multidão e para isso devemos ter sempre um bom campo de tiro.
Importante: somente utilizamos armas de fogo em legítima defesa. para a defesa da
Tropa, podemos utilizar Vtr blindadas.

CAUSAS DOS DISTÚRBIOS CIVIS


Os distúrbios civis de natureza social poderão ser resultantes de conflitos raciais,
religiosos, da exaltação provocada por comemorações, acontecimentos desportivos,
ou outras atividades sociais.

a . fanatismo religioso

assinala-se por crimes e graves desordens. Desencadeado, encontra na


ignorância um alimento para o ódio. Não há outro tema onde as polêmicas tenham
criado mais trágicos mal entendidos. Cada qual vê em seu adversário o inimigo de
Deus.

b. Econômica
Os distúrbios de origem econômica, provém de desníveis entre classes sociais,
desequilíbrio econômico entre regiões, divergências entre empregados e
empregadores ou resultantes de condições sociais de extrema privação ou pobreza,
as quais poderão induzir o povo à violência para obter utilidades necessárias à
satisfação de suas necessidades essenciais.
8
c. Políticas

Os distúrbios poderão originar-se de lutas político-partidárias, divergências


ideológicas estimuladas ou não por países estrangeiros, ou tentativa para atingir o
poder político por meios não legais. Embora não excluindo as demais, as causas
políticas, juntamente com as econômicas, são as mais exploradas pela subversão.

d. Conseqüente de calamidades públicas ou catástrofes

1) Causas
- resulta da manifestação de fenômenos naturais em grandes proporções ou em
grau excessivo ou incontrolável, como inundações, incêndios em florestas,
terremotos, furacões, etc.

2) Conseqüências:
- provoca a interrupção das comunicações e energia elétrica, destruição de casas,
desmoronamentos de edifícios, falta de alimento, falta de hospital pelo excesso de
acidentes graves, congestionamento do trânsito, epidemias, etc.
- Determinadas condições resultantes de calamidade pública ou catástrofes,
poderão gerar violentos distúrbios entre o povo, pelo temor de novas catástrofes,
pela falta de alimento, de vestuário ou abrigo, ou mesmo em conseqüência de ações
de desordem e pilhagem, levando a efeito por marginais.

e. Conseqüentes de omissão ou falência de Autoridade Constituída

Omissão da autoridade no exercício das suas atribuições poderá originar


distúrbios, provocados por grupos de indivíduos induzidos à crença de que poderão
violar a lei impunemente.

TIPOS DE AÇÕES DE CONTROLE DE DISTÚRBIOS CIVIS

Resistência pacifica

Muito utilizada pelos seguidores de GHANDI na Índia


Consiste em permanecer deitado ou sentado ao chão com a finalidade de
prejudicar a ação policial
Necessita o emprego de equipamento especial: cassetete elétrico, espargidor gás
pimenta, Jatos de água ou tinta, cães, etc.

Desinterdição de via

Ação, via de regra, mais simples


Quase sempre há vias de fuga
Oportunista (não há muita disposição em resistir)
Não requer equipamento especial da tropa de choque
Boa forma de utilização de agentes químicos (local aberto)

9
Reintegração de posse

Necessita planejamento apurado


Necessita negociação e paciência
Atuação as primeiras horas da manhã
Verificação de itinerários alternativos (possibilidade de barricadas)
Difícil atuação de agentes P-2

Manifestações

Atuação somente em extrema necessidade


Muitas vezes tem caráter pacífico
Em caso de necessidade de se intervir atuar com planejamento, determinando os
objetivos
Atentar para os locais onde são deixadas as viaturas e apoios
Necessita de atuação de agentes P-2

Rebelião em presídios

Atuação bem peculiar


Necessidade de check-list de equipamentos
Outros apoios (Corpo de Bombeiros, Canil, Rádio Patrulha, Btl de Área, CGDHPC,
etc)

Ações de CDC em locais de evento

É extremamente complicado caso haja necessidade de intervenção (vias de fuga)


A quantidade de pessoas é sempre a maior preocupação
Cobertura por meios de comunicação
A atuação da tropa pode ser um fator agravante nestes casos
Facilidade de visualização do local da operação

ERROS COMUNS EM AÇÕES DE CDC

10
Fontes Bibliográficas:

- M-8-PM – Manual de Controle de Distúrbios Civis – 2ª edição – PMESP;


- Normas Gerais de Ação do 3º BPChq;
- Apostila de CDC – 3º BPChq – PMESP.

“Quando os soldados rasos são muito fortes e seus oficiais muito fracos, o resultado é a
insubordinação”
Sun Tzu

11