Você está na página 1de 12

NORMATIZAÇÃO

DA ESCOLA
DIGITAL
O que diz a legislação a
respeito da adoção do
ensino a distância em
tempos de Covid-19
Sumário
Introdução: Cenário................................................. 3

O que diz a legislação nacional?...........................4

O que dizem as legislações estaduais?............... 6

Mas, afinal, as atividades não presenciais


podem ser aproveitadas no ano letivo?.............. 7

Quais requisitos as atividades não


presenciais precisam ter para serem
consideradas legais?................................................ 8

Conclusão................................................................. 10
Introdução:
Cenário
A pandemia mundial do coronavírus (Covid-19) tem provocado
uma situação sem precedentes na educação. De acordo com
dados divulgados pela Unesco, órgão da ONU para Educação,
Ciência e Cultura, mais de 91% da população estudantil
do mundo está sofrendo algum tipo de impacto, com aulas
suspensas ou reconfiguradas.
No Brasil, com a determinação de fechamento das instituições de
ensino de todo o país, a solução, na maioria dos casos, foi apostar
na educação a distância durante o período de confinamento. As
aulas presenciais foram substituídas por modalidades remotas
de ensino. Sai a sala de aula, entra a sala de casa.
No entanto, não basta simplesmente transferir o conteúdo
que seria ministrado presencialmente para a versão digital.
As atividades poderão ser consideradas válidas para o ano letivo,
desde que obedeçam a certas condições.
Para que o semestre letivo seja reconhecido, são necessárias
adaptações metodológicas e que sejam seguidas as
determinações legislativas de cada estado e município.
Mas o que diz a legislação a respeito da adoção de atividades
remotas em tempos de Covid-19? Quais são as diretrizes
estabelecidas pelos órgãos reguladores? Essas e outras questões
serão respondidas ao longo deste e-book. Boa leitura!

3
https://en.unesco.org/covid19/educationresponse
O que diz a
legislação
nacional?
Segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação
A legislação nacional Nacional (LDB):
define e regulariza Artigo 23 - Dispõe em seu § 2º que o calendário
cenários atípicos escolar deverá adequar-se às peculiaridades locais,
como o que está sendo inclusive climáticas e econômicas, a critério do
enfrentado atualmente respectivo sistema de ensino, sem com isso reduzir o
pela sociedade no número de horas letivas previsto nesta Lei.
âmbito educacional.
Artigo 32 - Afirma que o ensino fundamental será
presencial, sendo o ensino a distância utilizado como
complementação da aprendizagem ou em situações
emergenciais.

DECRETO Nº 9.057, DE 25 DE MAIO DE 2017, Artigo 8


No que concerne aos Compete às autoridades dos sistemas de ensino
níveis e modalidades de estaduais, municipais e distrital, no âmbito da unidade
educação, a legislação federativa, autorizar os cursos e o funcionamento de
brasileira admite que instituições de educação na modalidade a distância nos
os sistemas de ensino seguintes níveis e modalidades:
podem autorizar
a realização de I - ensino fundamental, nos termos do § 4º do art. 32 da
atividades a distância Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996;
nos seguintes casos: II - ensino médio, nos termos do § 11 do art. 36 da Lei nº
9.394, de 1996;
III - educação profissional técnica de nível médio;
IV - educação de jovens e adultos; e
V - educação especial.
4
Dessa maneira,
decorrente das medidas MEDIDA PROVISÓRIA Nº 934, DE 1º DE ABRIL DE 2020
adotadas para o Art. 1º - O estabelecimento de ensino de educação
enfrentamento do básica fica dispensado, em caráter excepcional, da
coronavírus (Covid-19) – obrigatoriedade de observância ao mínimo de dias
classificada como uma de efetivo trabalho escolar, nos termos do disposto
situação emergencial no inciso I do caput e no § 1º do art. 24 e no inciso II
–, foi aprovada no do caput do art. 31 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro
mês de abril uma de 1996, desde que cumprida a carga horária
Medida Provisória mínima anual estabelecida nos referidos dispositivos,
que estabelece normas observadas as normas a serem editadas pelos
excepcionais sobre o respectivos sistemas de ensino.
ano letivo da Educação
Básica.

Essa Medida Provisória dispensa, assim, o cumprimento da


regra prevista na LDB de um mínimo de 200 dias letivos anuais.
Ressaltando que, na Educação Infantil, no Ensino Fundamental
e no Ensino Médio, a medida vale desde que seja garantida a
carga horária mínima de 800 horas de aula por ano.
Essa flexibilização permite que a contagem das horas de ensino
seja feita com a recuperação/reposição das aulas em turno
integral, após a crise, ou considerar o tempo de atividades não
presenciais ministradas durante o fechamento das escolas.
Ainda assim, isso deverá observar as normas dos respectivos
sistemas de ensino, ou seja, estados e municípios devem
indicar as regras para o cumprimento da carga horária mínima
exigida.
Dessa maneira, para garantir a normatização das atividades
remotas, é preciso ficar atento também aos métodos
regulatórios nas esferas estadual e municipal. São essas
orientações que veremos a seguir.

5
O que dizem
as legislações
estaduais?
Os Conselhos e as Secretarias Estaduais de Educação
estabeleceram as medidas indispensáveis à implementação
da suspensão de aulas e dos sistemas de trabalho para
que professores e alunos possam realizar atividades não
presenciais durante o período da pandemia, fixando
normas quanto às atividades válidas, à reorganização
dos calendários escolares e à compensação das horas
aulas exigidas.

Alguns estados brasileiros


já deliberaram a favor
de atividades não
presenciais. Entre eles,
Minas Gerais, Rio de
Janeiro, São Paulo, Bahia,
Espírito Santo, Santa
Catarina, Goiás, Mato
Grosso, Acre, Maranhão,
Piauí, Rio Grande do Norte,
Paraná, Rio Grande do Sul
e Amazonas.

Entretanto, algumas unidades da


federação ainda não legislaram sobre
as atividades não presenciais. Nesse
caso, quando os estados ainda não
deliberaram nada, embora não haja
legislação estadual, a continuidade do
trabalho não presencial deve ser apoiada
e amparada na legislação nacional.

6
Mas, afinal, as atividades
não presenciais podem
ser aproveitadas no ano
letivo?
Sim! O Conselho Nacional de As escolas devem garantir
Educação (CNE), que tem sido metodologias adequadas
responsável pelos métodos ao modelo digital, como
regulatórios em nível nacional aulas remotas síncronas (com
nesse período, apresentou uma a presença do professor), a
normativa que reconhece que continuação do conteúdo
“as atividades não presenciais iniciado, o acompanhamento
podem ser organizadas avaliativo e o registro da atuação
oficialmente e validadas como efetiva dos alunos.
conteúdo acadêmico aplicado. A seguir, você confere quais são
Ou seja, podem ser aproveitadas os requisitos necessários para
dentro das horas de efetivo que as atividades remotas da sua
trabalho escolar. Para isso, é escola tenham validade legal.
preciso observar atentamente a
legislação específica dos estados
e municípios”.
Porém, para adotar a modalidade
não presencial, as redes de
ensino ou escolas precisam
adequar sua metodologia de
ensino aos recursos tecnológicos
necessários. Não basta apenas
transferir o conteúdo que seria
! Informação complementar

ministrado presencialmente Para as instituições que não puderem adotar a


modalidade a distância ou que decidirem por
para a versão digital. É não implementar esse modelo, a orientação é que
imprescindível ter atenção reorganizem seus calendários escolares prevendo
quanto à qualidade dessas reposições tanto em relação aos conteúdos, quanto em
aulas ou atividades e zelar relação aos dias letivos.
pelo acompanhamento, pelas As decisões quanto às compensações devem ser feitas
avaliações e pela participação no âmbito de estados e municípios, responsáveis por
correta dos estudantes. indicar como será feita a reposição de conteúdos e
atividades, em horas de efetivo trabalho escolar e dias
letivos. Lembrando que, segundo os esclarecimentos do
Conselho Nacional de Educação, “o ano letivo pode, em
situações determinadas e para efeito de reposição de
aulas e atividades, não coincidir com o ano civil”.

7
Quais As normatizações determinadas pela União
e pelos estados são claras quanto a garantir
requisitos as que os estudantes recebam o aprendizado
adequado e correto durante o período de

atividades paralisação. É importante destacar que


a orientação é parar as aulas, não a
aprendizagem.

não Por isso, não basta substituir encontros


presenciais por aulas em meios digitais

presenciais de qualquer maneira. Alguns requisitos


precisam ser considerados na rotina dos
educadores, além da atenção para o fato

precisam ter de que alguns recursos pedagógicos não


obedecem a legislação vigente.

para serem Para que sejam válidas, as atividades não


presenciais precisam ter aderência e
coerência ao currículo pedagógico. Além

consideradas disso, são necessários o acompanhamento


do aprendizado, o uso de ferramentas
síncronas (que permitam a interação aluno-
legais? professor), as avaliações, os registros e as
documentações.
Vamos às regras!

Registrar todas as alterações e adequações no Regimento


Escolar, na Proposta Pedagógica ou no Calendário
Escolar, indicando com clareza as aprendizagens a
serem asseguradas e as estratégias de implementação do
currículo e de avaliação dos estudantes;
Informar as alterações e adequações ao órgão de
supervisão por meio dos registros, das comunicações
e das documentações produzidos (ainda não consta
especificação para prazo de entrega);
Documentar o processo de forma sistemática e coerente,
organizando os objetivos, os métodos, as técnicas e os
O que é recursos utilizados, bem como a carga horária prevista das
atividades a serem desenvolvidas de forma não presencial
preciso: pelos estudantes, de acordo com a faixa etária. Além
disso, é preciso registar as formas de acompanhamento,
avaliação e comprovação da realização das atividades por
parte dos estudantes;
Mediar a aprendizagem dos estudantes no ambiente
virtual, o que exige a participação do seu professor;
Transmitir para pais, responsáveis, professores e toda a
8 comunidade escolar as decisões tomadas.
Registrar as atividades solicitadas aos alunos e o período em
que elas devem ser realizadas;
Justificar mudanças nas formas de avaliação e no calendário
letivo;
Comunicar aos pais e responsáveis as tomadas de decisão
do corpo docente e guardar todos os registros dessas
Assim, para comunicações;
garantir que Assegurar a participação do professor da turma nas aulas
as atividades virtuais (atividades síncronas);
remotas sigam Assegurar a participação dos estudantes nas atividades
os métodos propostas, seja por marcação de presença digital, seja por
regulatórios, as produção final;
escolas devem Garantir o registro sobre as avaliações dos estudantes.
se atentar em:

Vídeos descontextualizados com o conteúdo


previsto na programação curricular;
Avaliações cujos conteúdos sejam
desassociados da programação curricular;
Falta de interação entre professor e aluno;
NÃO obedecem a
Atividades sem relação com o projeto legislação vigente
pedagógico da escola;
Indicação de material pedagógico extra, sem
acompanhamento, registro de presença/
realização ou mediação docente;
Vistos os requisitos para
Materiais que não apresentem vínculo com a que as atividades não
instituição de ensino, sem o estabelecimento presenciais tenham validade
de objetivos, recursos, métodos e legal, nunca é tarde para
acompanhamento do professor da classe; reforçar que esse período
Entretenimentos que não garantem os direitos de aulas remotas é uma
de aprendizagem e não apresentem objetivos continuação do que é
bem estabelecidos. dado em sala de aula.
Como tal, essa continuidade
do processo ensino-
aprendizagem precisa ser
contextualizada.

9
Conclusão
A pandemia do coronavírus a normatização das enfáticos ao afirmarem que
(Covid-19) impôs desafios atividades realizadas a essa situação excepcional
inéditos à educação. distância. Essas regras vai gerar um legado único
Os recursos tecnológicos podem apresentar para a educação. O uso
tornaram-se protagonistas especificidades no pedagógico da tecnologia,
para que não haja âmbito regional, mas a aproximação das escolas
descontinuidade das não há dúvidas de que com as famílias e a
atividades letivas. Porém, as atividades não relevância da formação dos
a validade das práticas presenciais podem estudantes considerando
remotas ainda deixa a ser aproveitadas no as competências
comunidade escolar com ano letivo, desde que socioemocionais são,
dúvidas e incertezas, em observem às condições sem dúvida, uma chance
um momento tão confuso. determinadas que de experimentar novas
Dessa maneira, União, apresentamos ao longo maneiras de educar — e
estados e municípios deste e-book. questionar velhos hábitos.
determinaram legislações Agora que você já conhece Afinal, quando um mundo
quanto ao que é essas regras, vale destacar para, outros mundos
realmente preciso para que os especialistas são nascem!

A Normatização da Escola Digital


e como cada estado tem lidado
com as questões de aulas a
distância em tempos de Covid-19
também foram assuntos de
um Webinário promovido pela
SOMOS Educação, com as
ASSISTA AO professoras Guiomar Namo de
Mello (Doutora em Educação)
WEBINARIO! e Hydnéa Ponciano (Gestora
Educacional e especialista em
Currículo e Avaliação).
Quer saber um pouco mais
sobre o assunto? Assista à
gravação do encontro, entenda
as possibilidades e as leis que
regulamentam essa modalidade
de ensino e saiba como sua
escola pode se adaptar para
oferecer a educação digital para
seus alunos!
10
u d o
s t o
Go r i a l ?
a t e
Compartilhe M
com seus
amigos!
A missão da SOMOS Educação é transformar a sociedade
por meio da educação. Queremos criar um mundo onde o
ensino de qualidade, aliado a tecnologia educacional,
esteja presente na vida de cada vez mais pessoas.
Contamos com um amplo portfólio de soluções
educacionais como sistemas de ensino, editoras,
soluções de ensino complementar, além de ecommerce e
plataformas tecnológicas de aprendizado digital. Tudo isso
para que possamos atuar como um parceiro integral da
escola.
Todos os serviços do nosso portfólio de soluções
educacionais foram desenvolvidos para apoiar cada
integrante do ecossistema escolar – alunos, pais,
educadores, gestores e mantenedores de escolas privadas
– em seus objetivos educacionais. Queremos atuar junto
da instituição, considerando as suas particularidades na
construção de um ensino de qualidade.
Somos um dos principais grupos de Educação Básica no
Brasil e a responsabilidade por desenvolver este conjunto
de soluções educacionais pertence a um time de
profissionais que compartilham o compromisso de formar
gerações de brasileiros cada vez melhores.
O conhecimento transforma, a tecnologia pode mudar o
presente e a educação é uma das únicas formas de mudar
o futuro.

SAIBA
MAIS