Você está na página 1de 1

Titulo: Consistência da utilização do protocolo N.A.L. on-line para C.Q.

dos Código:
tratamentos em doentes com adenocarcinoma de próstata
Introdução/Objectivo: Diversos protocolos de imagem portal electrónica (EPI) estão em utilização em diferentes
instituições, variando maioritariamente no número e frequência da aquisição das imagens. Outra possível fonte de
variabilidade na verificação dos tratamentos inclui o tipo de correcção: protocolos on-line ou off-line, que
representam duas estratégias diferentes para garantir a consistência na administração dos tratamentos de
radioterapia (RT). Através da revisão de literatura verifica-se que o protocolo no action level (NAL), demonstra ser
eficaz e eficiente na redução de erros sistemáticos de set-up do doente. Este estudo pretende avaliar o benefício
global da adopção do protocolo NAL na reprodutibilidade do tratamento e redução dos desvios sistemáticos e
randomizados.
Materiais e Métodos: Analisaram-se as imagens portais (IP) de 193 doentes com adenocarcinoma de próstata.
Todos os doentes realizaram 38 fracções de RT, das quais 25 foram realizadas com Box Technique e 13 fracções
com 6 campos conformacionais. Os doentes foram posicionados em decúbito dorsal com apoio popliteu. As IP
foram adquiridas através de um detector electrónico de silício amorfo e a sua análise foi realizada por duas
terapeutas em simultâneo. A análise das IP consistiu num registo e comparação das mesmas com um template
criado pelo sistema de planeamento ou uma digitally reconstructed radiography (DRR). O processo de comparação
e registo é baseado no match de estruturas anatómicas entre as IP e as DRR’s de referência. Em 93 doentes foi
aplicado o controlo de qualidade na 2ª, 10ª, 18ª, 26ª e 32ª fracção e em 100 doentes foi aplicado o protocolo NAL
na 2ª, 3ª, 4ª, 10ª, 18ª, 26ª 27ª, 28ª e 32ª fracção.
Resultados: No grupo em que foi aplicado o protocolo NAL, os doentes que se mantiveram dentro das tolerâncias
clínicas, aumentaram após aquisição das médias dos desvios. No grupo em que não implementaram o protocolo
NAL, verificou-se uma clara predominância para os doentes fora das tolerâncias.
Discussão/Conclusões: Nos doentes que realizaram o protocolo NAL evidenciou-se que os desvios foram
inferiores ao longo do tratamento, comparativamente ao grupo de controlo, confirmando os estudos revistos na
bibliografia. A aplicação do protocolo NAL revelou-se ser uma óptima ferramenta no controle de qualidade dos
tratamentos, aumentando a eficácia da administração dos mesmos, diminuindo quer os desvios randomizados quer
os desvios sistemáticos, por detecção e análise da frequência dos mesmos ao longo da aquisição das imagens
portais.
Palavras-Chave: Protocolo NAL, Desvios, Próstata, Controlo de Qualidade.
Resumo de (por favor assinale 1): Comunicação Livre Poster
(CAMPO OBRIGATÓRIO – assinale apenas uma categoria):
Mama Cabeça e Pescoço Pulmão Cuidados Paliativos e Psicológicos
Ginecologia SNC Digestivo Física
Urologia Dermatologia Hematologia Outros
Nome do Autor: José Isidro Catita, MD
Nome dos Co-Autores: Neide Maria Dias RTT, Vera Vieira RTT, Sónia Batista RTT, Carina Coelho RTT
Instituição: Serv. Radioterapia do C.H. Barreiro-Montijo, Telf.: 21 214 73 00

E.P.E.