Você está na página 1de 6

Cluster Beowulf

25/01/2008 No seguimento deste artigo encontra-se a "construção" de um


super computador, um cluster Beowulf.

Definição

Um cluster, ou aglomerado de computadores, é formado por um conjunto de


computadores que utiliza-se de um tipo especial de sistema operacional
classificado como sistema distribuído.

É construído muitas vezes a partir de computadores convencionais


(personal computers), sendo que estes vários computadores são ligados em
rede e comunicam-se através do sistema de forma que trabalham como se
fosse uma única máquina de grande porte. Há diversos tipos de cluster. Um
tipo famoso é o cluster da classe Beowulf, constituído por diversos nós
escravos gerenciados por um só computador.

História

A idéia inicial que conduz ao cluster foi desenvolvida na década de 1960


pela IBM como uma forma de interligar grandes mainframes, visando obter
uma solução comercialmente viável de paralelismo.

Nesta época o sistema HASP (Houston Automatic Spooling Priority) da IBM e


seu sucessor, JES (Job Entry System) proviam uma maneira de distribuir
tarefas nos mainframes interligados. A IBM ainda hoje (2001) suporta o
cluster de mainframes através do Parallel Sysplex System, que permite ao
hardware, sistema operacional, middleware e software de gerenciamento do
sistema prover uma melhora dramática na performance e custo ao permitir
que usuários de grandes mainframes continuem utilizando suas aplicações
existentes.

Entretanto o cluster ganhou força até que três tendências convergiram nos
anos 1980: microprocessadores de alta performance, redes de alta
velocidade, e ferramentas padronizadas para computação distribuída de
alto desempenho. Uma quarta tendência possível é a crescente necessidade
de poder de processamento para aplicações científicas e comerciais unida
ao alto custo e a baixa acessibilidade dos tradicionais supercomputadores.

No final de 1993, Donald Becker e Thomas Sterling iniciaram um esboço de


um sistema de processamento distribuído construído a partir de hardware
convencional como uma medida de combate aos custos dos
supercomputadores. No início de 1994, trabalhando no CESDIS, com o
patrocínio do projecto HTPCC/ESS, criaram o primeiro cluster desse tipo, o
projeto Beowulf.
O protótipo inicial era um cluster de 16 processadores DX4 ligados por dois
canais Ethernet acoplados (Ethernet bonding). A máquina foi um sucesso
instantâneo e esta idéia rapidamente se espalhou pelos meios acadêmicos,
pela NASA e por outras comunidades de pesquisa.

Navegação

1. Definição

2. Montagem física do Cluster

3. Configuração servidor de tempo (NTPD)

4. Servidor de NFS

5. Programação Paralela (MPI, MPICH)

6. Instalando o MPI/MPICH

7. Resultados e conclusões

Outros artigos deste autor

Nenhum artigo encontrado.

Leitura recomendada

Criando um Ubuntu (6.10/7.04) personalizado

Yum no Red Hat 4

Net TV a cabo no Mandrake 10.1 Community

Instalando Apache 2.2 com múltiplos sites no OpenSuSE 10.2

Compartilhando arquivos e bookmarks do Firefox entre Linux e Windows

Comentários

Comentário enviado por liviocf em 25/01/2008 - 11:57h:

Muito bom esse artigo! Queria saber se vocês tentaram utilizar ferramentas
que automatizam a instalação e o gerenciamento do cluster como o OSCAR?
E outra: por que usar o Fedora 4 (já bem desatualizado).

Pergunto isso pois tivemos muitos problemas para instalar e configurar


nosso cluster do Lab. de Bioinformática da UFAM manualmente! Terminamos
usando Fedora 5 e o OSCAR para resolver os problemas!
Mas concordo com vc, ainda é difícil encontrarmos informações completas
sobre o assunto!

E uma das grandes aplicações de cluster no momento é em pesquisas de


bioinformática, pois existe uma demanda cada vez maior para isso!!

Parabéns pelo artigo e gostaria de trocar mais informações sobre esse


assunto!!

Comentário enviado por jedi_soft em 25/01/2008 - 14:31h:

ué, cadê os Resultados??? So tem:

Problemas encontrados

Considerações finais

Referências bibliográficas

Desenvolvimento e agradecimentos

Comentário enviado por vanguarda em 25/01/2008 - 14:45h:

amigo jedi_soft, sei que não é da minha conta, mas o texto acima me
pareceu muito bem explicado, já que não se trata de um cluster montado
por uma grande equipe de pesquisadores... Porém nosso amigo joseluiz fez
oque muitos de nós não teriam "coragem" e/ou "computadores" de fazer.
Isso foi uma feliz êxperiencia, parabéns colega joseluiz, tá certo os outros
amigos não querião um resultado com números gráficos e tabelas né?!

um forte abraço, até mais.

Comentário enviado por nigthwing em 25/01/2008 - 15:55h:


Uma dúvida:

O programa de exeplo utiliza a mpi. è necessário que todo programa que se


utilize do cluster seja feito com a mpi?

Programas de processamento já criados sem a MPI se beneficiam do cluster?

Comentário enviado por jedi_soft em 25/01/2008 - 16:48h:

vanguarda, amigo so falei pq parece que quando ele foi publicar o artigo aki
no vol, esqueceu de botar essa parte.. com certeza ele ia falar dos
resultados dos teste perguntei isso pq tem o titulo:

Resultados e conclusões

foi so curiosidade mesmo, mas que o artigo ta ótimo com certeza ta!!

abraço!!

Comentário enviado por joseluiz em 25/01/2008 - 17:01h:

Caro nigthwing, é necessário a instalação dos pacotes mpi em todas os que


fazem parte do mesmo.

No caso dos programas ja criados sem o mpi seria necessário vc estar


fazendo algumas alterações no fonte, para que eles utilizem o mpi, que com
certeza ganhara muito em sua performance
Comentário enviado por joseluiz em 25/01/2008 - 17:06h:

jedi_soft, desculpe-me pela falha do mesmo.. Talvez tenha me expressado


mal no tópico...

Mas os resultados foram o seguinte.... Em uma aplicação de calculo para


achar o intervalo de Pi com intervalo de 999999999. sendo executado em
cluster foi encontrado o resultado em clock time = 0.000238 com uma taxa
de erro de 00000000000987.00 ... E sendo executado em apenas 1 estação
chegamos no resultado clock time = 0.089638 com uma taxa de erro de
00000000456987.00

Comentário enviado por fonsecaf7 em 02/02/2008 - 12:59h:

Olá joseluiz gostaria de parabeniza-lo pelo artigo, tenho uma duvida, ao


executar o bWatch ele so apresenta Master com Num Users 2 isso é normal
ele não deveria apresentar o Master e o Slave1?

Comentário enviado por kloud em 02/02/2008 - 16:55h:

..Muito beleza seu artigo!

So lembrando ao amigo fonsecaf7 que para que apareça o nome

dos Slaves vc tem que por os nomes dos nós no arquivo .bWatchrc.tcl nas 1ª
linhas do aquivo.Assim

set bWatchrcVersion 1.1.0a

set listOfHosts {Master nó01 nó02 nó02 etc..}


Comentário enviado por gpr em 05/06/2008 - 01:28h:

por curiosidade, gostaria de saber se o Cluster Beowulf, ajudaria no uso


para renderizar comerciais?

ou para servidor web?