Você está na página 1de 43

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.

369/2018-7

GRUPO II – CLASSE V – Plenário


TC 012.369/2018-7
Natureza: Relatório de Auditoria
Entidade: Amazonas Geração e Transmissão de Energia S.A.
Responsáveis: não há
Interessados: ABB Ltda. (61.074.829/0011-03); Grid Solutions
Transmissão de Energia Ltda. (05.356.949/0008-19); Siemens
Ltda. (44.013.159/0031-31); Transformadores e Serviços de
Energia das Américas Ltda. (08.870.769/0004-15); Weg
Equipamentos Elétricos S.A. (07.175.725/0014-84); Amazonas
Geração e Transmissão de Energia S.A. (17.957.780/0001-65)
Representação legal: Raphael de Mello Losacco (235.127/OAB-
SP) e outros, representando ABB Ltda.; Gustavo Franco Ferreira
(236.811/OAB-SP) e outros, representando Siemens Ltda.; Gustavo
Andere Cruz (68.004/OAB-MG) e outros, representando Amazonas
Geração e Transmissão de Energia S.A.

SUMÁRIO: RELATÓRIO DE AUDITORIA. FISCOBRAS 2018.


EDITAIS E CONTRATOS REFERENTES À AQUISIÇÃO DE
EQUIPAMENTOS PARA IMPLANTAÇÃO DE REFORÇOS EM
INSTALAÇÕES DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA
NAS SUBESTAÇÕES DE MANAUS E JORGE TEIXEIRA, EM
MANAUS/AM. INDÍCIOS DE IRREGULARIDADES NO
ORÇAMENTO. POSSÍVEL SOBREPREÇO. PREVISÃO DE
ADIANTAMENTO DE PAGAMENTOS SEM
CORRESPONDENTE APRESENTAÇÃO DE GARANTIAS
CONTRATUAIS. OITIVAS. AUSÊNCIA DE SOBREPREÇO.
CONFIRMAÇÃO DAS DEMAIS IRREGULARIDADES.
INVIABILIDADE FÁTICA DE SE ALTERAREM CONTRATOS
PARA INCLUSÃO DAS GARANTIAS. DETERMINAÇÃO.
DAR CIÊNCIA.

RELATÓRIO

Por registrar as principais ocorrências do processo até o momento, resumindo os


fundamentos das peças acostadas aos autos, adoto como relatório, com os ajustes necessários, a
instrução da secretaria responsável pela análise da demanda (peça 96), que contou com a anuência do
corpo diretivo da unidade (peças 97-98):
"INTRODUÇÃO
1. Trata-se de auditoria, no âmbito do Fiscobras 2018, para avaliar a conformidade das licitações e
contratos para o fornecimento de equipamentos para a implantação de reforços em instalações de
transmissão de energia elétrica, nas Subestações Manaus e Jorge Teixeira, ambas localizadas em
Manaus/AM e sob responsabilidade da empresa Amazonas Geração e Transmissão de Energia S.A.
(AmGT).
2. O escopo da auditoria abrangeu os seguintes editais e contratos:
Tabela 1 - Editais e contratos fiscalizados.

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

Edital / data Objeto Contrato nº Data de Vigência Valor Empresa Subestação


do pregão assinatura contratado contratada associada
do (R$) ao
contrato contrato
Aquisição de 3
transformadores
monofásicos,
245/72,5/15 KV,
027/PRE/2017
incluindo 2190/OC/2017 15/9/2017 550 dias 5.991.000,00 TOSHIBA SE Manaus
22/06/2017
sobressalentes,
execução de ensaios
e supervisão de
montagem
Aquisição de 2
autransformadores
trifásicos,
245/145/15 KV,
027/PRE/2017 SE Jorge
incluindo 2191/OC/2017 15/9/2017 550 dias 6.885.000,00 WEG
22/06/2017 Teixeira
sobressalentes,
execução de ensaios
e supervisão de
montagem
Aquisição de
disjuntores nas
tensões de 242 E 145
KV, incluindo SE Manaus
013/PRE/2018
sobressalentes, 2773/OC/2018 16/3/2018 12 meses 1.357.427,86 ABB e SE Jorge
26/02/2018
supervisão de Teixeira
montagem e
execução de ensaios
funcionais
Aquisição de
Sistema de Proteção,
Controle e
Supervisão - SPCS
para o 4º banco de
transformadores
monofásicos
242/72,5-15 KV da
015/PRE/2018 SE MANAUS,
2844/OC/2018 26/4/2018 12 meses 1.305.963,12 GRID SE Manaus
02/04/2018 incluindo
sobressalente,
elaboração de
projetos de
fabricante,
treinamentos,
supervisão de
adequações e
comissionamento
Aquisição de
Sistema de Proteção,
Controle e
016/PRE/2018 Supervisão e SE Jorge
2833/OC/2018 26/4/2018 12 meses 1.294.000,00 SIEMENS
02/04/2018 oscilografia - SPCS Teixeira
para os 3º e 4º
Autotransformadores
trifásicos

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

Edital / data Objeto Contrato nº Data de Vigência Valor Empresa Subestação


do pregão assinatura contratado contratada associada
do (R$) ao
contrato contrato
230/138/13,8 KV da
SE Jorge Teixeira,
incluindo
sobressalente,
elaboração de
projetos de
fabricante,
treinamentos,
supervisão de
montagem e
comissionamento e
equipamentos
Aquisição de
seccionadoras
tripolares, incluindo
SE Manaus
027/PRE/2018 sobressalentes,
2817/OC/2018 17/05/2018 12 meses 1.870.000,00 SIEMENS e SE Jorge
22/03/2018 supervisão de
Teixeira
montagem e
execução de ensaios
funcionais
Aquisição de
equipamentos nas
tensões de 242,0145
E 72,5 KV tais
como: SE Manaus
028/PRE/2018
transformadores de 2826/OC/2018 03/05/2018 270 dias 1.249.603,35 SIEMENS e SE Jorge
21/03/2018
corrente, Teixeira
transformadores de
potencial indutivo e
capacitivo e para
raios

HISTÓRICO
3. As principais constatações do trabalho de auditoria dizem respeito a: (i) potencial sobrepreço
decorrente de falhas na formação do preço de referência; (ii) previsão de adiantamento de
pagamento sem a apresentação das garantias contratuais; (iii) ausência de publicidade de atos do
pregoeiro na ata do pregão; e (iv) ausência de cláusula de reajuste de preço no Pregão Eletrônico
27/PRE/2017 (peça 48).
4. Nesse contexto, a equipe de auditoria propôs (peça 48):
‘131.1. realizar, com fundamento no art. 250, inciso V, do Regimento Interno do TCU, oitiva da
Amazonas Geração e Transmissão de Energia S.A., para que se manifeste, em 15 dias, sobre as
irregularidades apontadas na pesquisa de preços utilizada para estimar os preços dos Pregões
027/PRE/2017, 013/PRE/2018, 015/PRE/2018, 016/PRE/2018, 027/PRE/2018 e 028/PRE/2018,
em desacordo com os artigos 3º, caput, 15, inciso V, 43, inciso IV, todos da Lei 8.666/1993, art. 3º,
inciso III, da Lei 10.520/2002 e jurisprudência do TCU (Achado 1);
131.2. realizar, com fundamento no art. 250, inciso V, do Regimento Interno do TCU, oitiva da
Amazonas Geração e Transmissão de Energia S.A. e da empresa Siemens Ltda., para que se
manifestem, em 15 dias, sobre os indícios de sobrepreço de R$ 494.238,05 verificados no Contrato
2817/OC/2018, decorrente do Pregão 027/PRE/2018, tendo em vista que decisão de mérito deste
Tribunal poderá determinar alteração do contrato para supressão de eventuais sobrepreços (Achado
1);

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

131.3. realizar, com fundamento no art. 250, inciso V, do Regimento Interno do TCU, oitiva da
Amazonas Geração e Transmissão de Energia S.A. e da empresa ABB Ltda., para que se
manifestem, em 15 dias, sobre os indícios de sobrepreço de R$ 382.427,86 verificados no Contrato
2773/OC/2018, decorrente do Pregão 013/PRE/2018, tendo em vista que decisão de mérito deste
Tribunal poderá determinar alteração do contrato para supressão de eventuais sobrepreços (Achado
1);
131.4. realizar, com fundamento no art. 250, inciso V, do Regimento Interno do TCU, a realização
de oitiva da Amazonas Geração e Transmissão de Energia S.A. para que se manifeste, no prazo de
15 dias, em razão da previsão nos Contratos 2190/OC/2017, 2191/OC/2017, 2844/OC/2018 e
2833/OC/2018, de adiantamento de pagamento sem a apresentação das garantias contratuais, em
desacordo com o art. 62 da Lei 4.320/1964, o art. 38 do Decreto 93.872/1986, o art. 65, inciso II,
alínea c, da Lei 8.666/1993 e a jurisprudência do TCU;
131.5. realizar, com fundamento no art. 250, inciso V, do Regimento Interno do TCU, a oitiva das
empresas Toshiba América do Sul Ltda., WEG Equipamentos Elétricos S.A., Grid Solutions
Transmissão de Energia Ltda. e Siemens Ltda., para que se manifestem, no prazo de 15 dias, diante
da possibilidade deste Tribunal vir a determinar a alteração dos Contratos 2190/OC/2017,
2191/OC/2017, 2844/OC/2018 e 2833/OC/2018, respectivamente, em razão da previsão de
adiantamento de pagamento sem a apresentação das garantias contratuais, em desacordo com o
art. 62 da Lei 4.320/1964, o art. 38 do Decreto 93.872/1986, o art. 65, inciso II, alínea c, da
Lei 8.666/1993 e a jurisprudência do TCU;
131.6. dar ciência à Amazonas Geração e Transmissão de Energia S.A. acerca das seguintes
impropriedades:
131.6.1. a ausência de cláusula de reajuste do preço do objeto, na minuta do contrato do edital de
licitação, afronta os artigos 40, inciso XI, e 47, caput da Lei 8.666/1993;
131.6.2. a ausência de registro de atos do pregoeiro, em ata de pregão eletrônico, que modifiquem a
proposta originária apresentada pelo licitante vencedor, mesmo sem que haja sua alteração
substancial, viola o art. 26, §3º do Decreto 5.450/2005, art. 3º da Lei 8.666/1993 e art. 37, caput, da
Constituição Federal.’
5. Em despacho acostado à peça 53, o Exmo. Ministro Bruno Dantas corroborou a proposta da
equipe de auditoria, haja vista a sua adequação. No tocante aos seguintes achados, determinou a
realização de oitivas: (a) potencial sobrepreço decorrente de falhas na formação do preço de
referência; e (b) previsão de adiantamento de pagamento sem a apresentação das garantias
contratuais.
5.1. Nesse sentido, destacou o que segue, in verbis:
‘10. Dentre esses aspectos, detalhadamente descritos no relatório de auditoria à peça 48, destaco:
10.1. ausência de explicações quanto ao critério adotado para selecionar os fornecedores das
cotações de preço;
10.2. ausência de justificativa para a não utilização de informações de outras contratações
semelhantes, que poderiam ser obtidas por meio do Comprasnet, para estabelecer o preço
paradigma dos pregões analisados nestes autos;
10.3. possibilidade de os preços cotados estarem superestimados, fazendo com que os preços
contratados aparentem uma economicidade que pode não corresponder à realidade;
10.4. possível sobrepreço de R$ 494.238,05 no Contrato 2817/OC/2018, firmado com a empresa
Siemens, cujo valor total é de R$ 1.870.000,00;
10.5. possível sobrepreço de R$ 382.427,86 no Contrato 2733/OC/2018, firmado com a empresa
ABB Ltda., cujo valor total é de R$ 1.357.427,84;
(…)
12. Quanto à previsão contratual de adiantamento de pagamentos sem a exigência de garantia,
4

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

destaco que os montantes envolvidos correspondem a 40% dos Contratos 2190 e 2191/OC/2017 e
2844 e 2833/OC/2018, ou R$ 5.783.959,63.
13. O objeto das avenças é a aquisição de equipamentos, que, conforme alegado pela a AmGT, são
fabricados observando-se as especificidades técnicas demandadas e as características da subestação
a que se destinam.
14. Assim, em tese, não haveria irregularidade na realização de pagamentos em etapas anteriores à
entrega dos equipamentos, já que são significativos os custos de projeto e de fabricação e o art. 38
do Decreto 93.872/1986 admite essa possibilidade.
15. Entretanto, essa possibilidade exige que a Administração se resguarde dos riscos de
inadimplemento, o que poderia comprometer as obras de ampliação das subestações como um todo.
Em uma primeira análise, não aparenta ser razoável que as empresas possam receber quase metade
do valor pactuado sem que haja qualquer garantia de que os equipamentos serão efetivamente
entregues.’
6. No que tange aos achados pertinentes à ausência de publicidade de atos do pregoeiro na ata do
pregão e à ausência de cláusula de reajuste de preço no Pregão Eletrônico 27/PRE/2017, o
Ministro-Relator assentiu com a proposta, pugnando que o seu encaminhamento deveria ser
retomado quando do julgamento definitivo do processo.
EXAME TÉCNICO
7. As oitivas foram realizadas mediante os Ofícios 1693/2018-TCU/Secex-AM, de 30/8/2018
(peça 55) — Siemens Ltda. —; 1692/2018-TCU/Secex-AM, de 30/8/2018 (peça 56) — AmGT —;
1696/2018-TCU/Secex-AM, de 30/8/2018 (peça 57) — WEG Equipamentos Elétricos S/A —;
1695/2018-TCU/Secex-AM, de 30/8/2018 (peça 58) — Toshiba América do Sul Ltda. —;
1694/2018-TCU/Secex-AM, de 30/8/2018 (peça 59) — ABB Ltda. —; e 1697/2018-TCU/Secex-
AM, de 30/8/2018 (peça 60) — Grid Solutions Transmissão de Energia Ltda. —, nos termos da
proposta de encaminhamento do relatório de auditoria (peça 48).
8. A AmGT manifestou-se mediante o expediente acostado à peça 95. As empresas Siemens Ltda.
(peças 93-94), WEG Equipamentos Elétricos S/A (peça 91), Toshiba América do Sul Ltda.
(peça 79-85), ABB Ltda. (peça 92) e Grid Solutions Transmissão de Energia Ltda. (peças 73-77)
manifestaram-se por meio dos documentos que constam das peças que lhes foram referenciadas.
Resposta da AmGT às oitivas referentes ao achado 1: potencial sobrepreço decorrente de
falhas na formação do preço de referência.
9. Em síntese, a AmGT manifestou o que segue (peça 95, p. 2-19; p. 29-32):
9.1. As pesquisas de preços foram somente realizadas junto a fornecedores, em razão das
especificidades dos equipamentos elétricos para alta tensão. À época, foi inviável realizar pesquisa
de preços para os equipamentos em outros órgãos e/ou entidades da administração pública,
considerando que não adquirem itens iguais, tampouco similares aos que AmGT precisou contratar.
9.2. As aquisições em epígrafe são realizadas apenas por empresas do setor elétrico, as quais não
possuem um banco de preços comum que permita a livre consulta aos preços contratados. Ademais,
seus sites divulgam apenas informações parciais sobre suas contratações realizadas,
disponibilizando ao público apenas o valor total da contratação. Atualmente, o que mais se
aproxima de um banco de preços oficial do setor é o banco de preços da Aneel.
9.3. A ausência de banco de preços dedicado ao uso das empresas do Grupo Eletrobrás torna a fase
de planejamento e orçamentação demasiadamente ineficiente e morosa, causando aumento
significativo na conclusão dos projetos impostos pela Aneel.
9.4. As contratações realizadas pelas empresas do setor elétrico são por empreitada integral ou
empreitada global. Os contratos que lhes são provenientes possuem planilhas com preços unitários
que nem sempre refletem o real comportamento do mercado.
9.5. As peculiaridades do mercado tornaram inadequada a opção por pesquisa de contratos de

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

empresas de Grupo Eletrobrás ou de outras empresas do setor elétrico, uma vez que os preços de
tais equipamentos, nas condições comerciais conhecidas, dificilmente poderiam reproduzir os
preços de mercado para a Região Norte, em especial para o Amazonas.
9.6. Para comprovar as dificuldades na obtenção de preços de equipamentos elétricos de alta
tensão, aponta que foram realizadas pesquisas no site http://paineldeprecos.planejamento.gov.br
para itens similares à contratação em apreço: disjuntores, seccionadores e transformadores de
corrente.
9.7. Para os disjuntores, além da contratação da AmGT (Pregão 013/PRE/2018), foi encontrado
somente um registro — Pregão Eletrônico PE.GCMA.00076.2017 da empresa Furnas. Ao analisar
o seu edital, com valor global de R$ 4.000.000,00, é possível verificar que se trata da contratação
de diversos disjuntores com tensões diferentes, incluindo, ensaios, sobressalentes e supervisão de
montagem e comissionamento, com critério de julgamento por menor preço global por lote. Tal
situação tornou impossível apurar o valor unitário dos equipamentos.
9.8. Para as seccionadoras, além da contratação da AmGT (Pregão 027/PRE/2018), foram
encontrados os Pregões Eletrônicos PE.GCMA.00074.2017 e PE.GCMA.00165.2016, com os
respectivos valores globais de R$ 3.009.644,00 e R$ 3.489.996,00. Ao analisar os editais, é
possível verificar que se trata da contratação diversas seccionadoras com tensões diferentes,
incluindo, ensaios, sobressalentes e supervisão de montagem e comissionamento, com critério de
julgamento por menor preço global por lote. Outrossim, impossível apurar o valor unitário dos
equipamentos.
9.9. A pesquisa feita exclusivamente com fornecedores não é algo recriminável. Assim, quando não
houver competição no certame, a utilização justificada desse método não poderia, em tese, ser
considerada inadequada, pois esse fator é ingerenciável pela administração.
9.10. A reduzida quantidade de licitantes não ocorreu em razão da falta de divulgação dos certames
licitatórios, nem pelo método de pesquisa adotado pela equipe, mas pela eventual ausência de
interesse do mercado. Nesse contexto, se os preços de referência estivessem realmente altos, a
tendência seria de haver uma maior atratividade de participantes.
9.11. As peculiaridades aqui apresentadas, mesmo extemporaneamente, devem ser consideradas
como fonte de esclarecimento e de parâmetro decisório.
9.12. Com relação à escolha das empresas participantes do processo de coleta de preços
referenciais de mercado, consultaram-se as principais do ramo de fabricação e fornecimento de
equipamentos de transmissão de energia, tendo como parâmetro o seguinte:(i) priorização de
pesquisa com fabricantes; (ii) prévia pesquisa nos sites das empresas; e (iii) empresa reconhecida
no mercado, o que, em tese, retrataria preços coerentes com os praticados no mercado em análise.
9.13. Foram realizadas cotações de preços somente com fabricantes dos equipamentos a serem
adquiridos, pois, dessa forma, evitar-se-iam riscos de cotar preços com empresas comerciais que
intermediassem a venda, na condição de revendedor.
9.14. As pesquisas de preços adotaram a média aritmética para tratamento dos dados obtidos, em
razão da previsão contida na IN SLTI/MP 5/2014. Ainda, foram realizadas em ambiente
homogêneo, onde possíveis disparidades de preços se justificariam em razão das condições fabris e
comerciais exclusivas de cada entidade empresarial.
9.15. Os preços apresentados pelos potenciais fornecedores foram considerados como preços
competitivos e aderentes ao mercado, afinal, tendo em vista que as empresas consultadas possuem
grande atuação no mercado.
9.16. Quanto à fragilidade apontada no relatório de auditoria, sobre haver apenas duas propostas
em análise (Pregão 013/PRE/2018), encontram-se acostadas aos autos as evidências das consultas
enviadas a todas as empresas, bem como as devidas respostas negativas.
9.17. Em razão de condições comerciais e produtivas específicas de cada empresa, as distorções
destacadas no relatório de auditoria não seriam anomalias que devessem ser expurgadas do cenário

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

de análise de preços.
Resposta à oitiva acerca do possível sobrepreço no Pregão 013/PRE/2018
(Contrato 2773/OC/2018).
9.18. No Pregão 013/PRE/2018, o menor preço obtido na cotação de preços da empresa ABB Ltda.
(R$ 975.000,00) não foi utilizado em razão de terem sido verificadas variações comerciais que não
constavam do seu orçamento resposta à cotação, tais como: custo do frete, uma vez que os
equipamentos deveriam ser transportados até a cidade de Manaus/AM.
9.19. Além disso, no item 2.1 da cotação de preços (disjuntor, tripolar, 245 kV), mencionou-se de
forma equivocada que o comando do disjuntor seria ‘tripolar’. O correto seria ‘monopolar’,
conforme previa a especificação técnica MAO-900-40000-EP. Outro equívoco, presente no item
2.2 da cotação de preços, é relativo à quantidade de ‘sobressalentes e ferramentas especiais’, haja
vista que citava apenas a especificação técnica MAO-900-41000-EP, quando na realidade ambos os
itens (2.1 e 2.2) deveriam ter solicitados o fornecimento de sobressalentes, o que tendeu para menor
o valor da pesquisa de preços.
9.20. A empresa ABB Ltda. não emitiu documento específico de proposta, limitou-se apenas a
informar os preços no corpo do e-mail reposta à cotação. Sendo assim, considera-se que no item
2.2 (Sobressalentes e Ferramentas especiais), conforme MAO-900-41000-EP da proposta da ABB
Ltda., houve a cotação de sobressalentes apenas para um disjuntor de 138 kV — referente à
especificação MAO-900-41000-EP, no valor de R$ 25.000,00.
9.21. Dessa forma, considerando que a proposta da ABB Ltda. não previra os sobressalentes para a
totalidade dos disjuntores, utilizou-se o valor de R$ 150.000,00 para o item, a fim de estabelecer o
preço de referência adequado. Esse valor resulta da multiplicação entre o valor apresentado pela
empresa ABB Ltda. (R$ 25.000,00) e a quantidade de sobressalentes dos disjuntores (25.000 x 6 =
150.000,00). A mudança retificou o montante da proposta de R$ 975.000,00 para R$ 1.100.000,00
(peça 95, p. 11- 12).
9.22. As propostas apresentadas pelos fornecedores consultados na fase de pesquisa de preços são
consideradas preços referenciais, pois ainda não foram trabalhados em um ambiente de competição,
bem como são oriundos de um escopo que sofre ajustes finos antes da sua publicação ao mercado.
9.23. Os ambientes de competição e de pesquisa de preços são distintos. Nesse diapasão, não houve
por parte do Pregoeiro uma negociação efetivamente lincada ao preço incialmente cotado pela
empresa ABB Ltda. Isso porque não há previsão legal que estabeleça respaldo ao administrador
para exigir que determinado licitante se vincule, em ambiente de competição do pregão, ao preço
cotado inicialmente na fase de planejamento da licitação (pesquisa de preços).
9.24. O preço de R$ 975.000,00 ofertado pela ABB Ltda. não apresentava composição global apta
a atender as condições comerciais exigidas no ambiente de competição, tendo em vista a
modalidade de entrega (frete) e aspectos tributários distintos.
9.25. Sobre a modalidade de entrega, a proposta da empresa ABB Ltda. informava que seria
entrega Free On Board (FOB), destino Guarulhos, cabendo à AmGT a formatação de um plano de
logística para transportar os equipamentos até Manaus e posteriormente ao local de aplicação do
material.
9.26. No âmbito tributário, não houve previsão de custo com o imposto sobre circulação de
mercadorias (ICMS). Assim, observa-se uma diferença de no mínimo 7%, visto este ser o
percentual de saída do ICMS do estado de São Paulo.
Resposta à oitiva acerca do possível sobrepreço no Pregão 027/PRE/2018
(Contrato 2817/OC/2018).
9.27. A planilha presente no item 58 do relatório de fiscalização 128/2018 (peça 48), elaborada a
partir dos preços médios provenientes das Atas dos Pregões 70001-2016, 70006-2015, 70024-2014
e 74-2017, compara equipamentos que possuem características técnicas diferentes — tipo
construtivo ou nível de isolamento das chaves seccionadoras.

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

9.28. Assim, o cálculo do sobrepreço elaborado pela equipe de auditoria (comparou preços de
equipamentos adquiridos pela empresa Celg Geração e Transmissão junto à empresa GTMS
Equipamentos Elétricos, em pregões realizados entre os meses de setembro/2015 e abril/2016 com
preços de equipamentos adquiridos pela AmGT junto à empresa Siemens) não poderia ser realizado
daquela forma, pois são produtos com características diferentes, produzidos por empresas distintas
e, por conseguinte, sujeitos a diversos fatores que influenciam na composição do preço do produto,
os quais não poderiam ser ignorados.
9.29. A composição do preço de venda de um produto considera aspectos mercadológico (externo)
e financeiro (interno). O mercadológico dita que o preço de venda deve estar próximo do praticado
pelos concorrentes diretos da mesma categoria de produto e qualidade. No entanto, fatores
concernentes à marca, ao tempo de mercado, ao volume de vendas conquistado e à agressividade
da concorrência também exercem influência direta sobre o valor do produto.
9.30. No tocante ao aspecto financeiro, o preço de venda deverá cobrir o custo direto da mercadoria
e/ou produto vendido, os quais são consubstanciados pelas despesas variáveis (insumos, cotação do
dólar e comissão de vendedores etc.) e despesas fixas (aluguel, água, luz, telefone, salários, pró-
labore etc.). Além disso, o saldo remanescente seria o lucro líquido da empresa.
9.31. Portanto, o cálculo foi realizado de forma simplificada, pois compara os preços de venda de
produtos que, embora possuam certa similaridade, não são necessariamente idênticos, bem como
são fabricados por empresas diferentes. No caso em apreço, as empresas GTMS e Siemens.
Ademais, não considerou o custo do frete dos equipamentos adquiridos pela empresa Celg, haja
vista que o valor do serviço de transporte para o estado de Goiás é bem menor do que para o
Amazonas, em razão de usar o transporte fluvial adicionalmente ao rodoviário.
9.32. Ainda, conforme se observa nas Atas dos Pregões 70001-2016, 70006-2015, 70024-2014 e
74-2017, houve concorrência para a aquisição das seccionadoras, o que, consequentemente,
resultou na maior redução do valor contratado em relação ao estimado pela empresa Celg. No
sentido oposto, segundo apontado pelo relatório de auditoria, no Pregão 027/PRE/2018, em análise,
houve baixa competição, pois, apenas duas empresas participaram da disputa de lances, resultando,
portanto, em pequeno deságio.
Resposta à oitiva específica ao possível sobrepreço dos Contratos 2773/OC/2018 (ABB Ltda.)
e 2817/OC/2018 (Siemens Ltda.) (peça 95, p. 29-32), haja vista as respostas sobre os pregões
que deram origem aos contratos foram informadas acima (itens 9.18 a 9.32).
9.33. O Contrato 2773/OC/2018, firmado com a empresa ABB Ltda., exigiu, em conformidade
com as especificações técnicas (MAO-900-40000-EP-R03 e MAO-900-41000-EP), sobressalentes
para todos os disjuntores, ou seja, inclusive para os disjuntores de 245 kV, consoante mencionado
no item 9.20 desta instrução.
9.34. À época, ao enviar o orçamento resposta à cotação de preços, a ABB Ltda. constou que os
preços não incluíam IPI (isento), PIS/COFINS (Excluso) e ICMS (Excluso). Porém, conforme
proposta apresentada pela contratada, foi incluído a alíquota de 4% (quatro por cento) de ICMS.
Ademais, no mesmo orçamento resposta enviado para AmGT, a empresa declarou que os preços
apresentados consideravam a retirada dos equipamentos na filial da ABB Ltda. Em Guarulhos/SP
(ponto de entrega: EXW-ABB Guarulhos).
9.35. No entanto, para a entrega dos equipamentos, a minuta contratual consignava as Subestações
Manaus e Jorge Teixeira, bem como o almoxarifado da Amazonas GT, em Manaus. Sendo assim, o
preço ofertado pela contratada, além de todas as especificações técnicas exigidas no edital,
contemplou o valor do frete e alíquota de 4% de ICMS, o que não configura sobrepreço.
9.36. O Contrato 2817/OC/2018 firmado com a empresa Siemens Ltda., da mesma forma, não
configura sobrepreço, tendo em vista que, conforme as especificações técnicas previstas do edital, o
preço contratado está dentro do preço de mercado.
9.37. Ainda que os preços fossem acima do valor de mercado, o que não é o caso, devem ser
considerados os valores médios e admitir variações para mais e para menos, antes de concluir pelo

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

sobrepreço.
Resposta da empresa ABB Ltda. à oitiva do possível sobrepreço do Contrato 2773/OC/2018.
10. Em síntese, a ABB Ltda. manifestou o que segue (peça 92):
10.1. Os atos da fase interna da licitação são de exclusiva responsabilidade da entidade que
promove a licitação e, quando muito, contam com a participação de empresas que são convidadas a
enviar orçamentos a partir de informações mínimas, nem sempre completas e muito menos
definitivas.
10.2. Nada impede - e isso ocorreu no caso concreto - que a entidade decida alterar a especificação
técnica do equipamento quando da divulgação do edital do pregão eletrônico, o que por si só
desautoriza enxergar espécie de vinculação entre o orçamento resposta anteriormente enviado e a
proposta formulada e negociada no ambiente do pregão.
10.3. A comparação simples e direta entre o orçamento enviado no início de 2017 e a proposta
negociada no início de 2018 não se sustenta, eis que as especificações técnicas dos equipamentos e
demais condições de fornecimento não foram idênticas.
10.4. Há três fatores determinantes para que se conclua pela ausência de sobrepreço na contratação
da ABB Ltda. pela AmGT: (i) ausência de identidade entre o equipamento orçado na fase interna
da licitação e o equipamento licitado pela AmGT; (ii) ausência de identidade entre os
sobressalentes orçados na fase interna da licitação e os sobressalentes licitados pela AmGT; (iii)
ausência de identidade entre as condições de fornecimento.
(i) Ausência de identidade entre o equipamento orçado na fase interna da licitação e o
equipamento licitado pela AmGT.
10.5. Ao solicitar o envio do orçamento por e-mail, de 2/3/2017, a AmGT especificou o disjuntor
de 245 kV com ‘comando tripolar’ (item 2.1 - Disjuntor, tripolar, 245 kV, In 2000 A, SF6, NBI It
40,0 kA, 950 kV, ciclo de operação O-0,3SegCO-3Min-CO, comando tripolar; Ref. AmE:
Especificação Técnica MAO-900-40000-EP) (peça 41, p. 6).
10.6. De forma diferente, na especificação do objeto licitado, o disjuntor informado previa o
‘comando monopolar, com dispositivo para manobrar controlada de transformador’ (peça 92,
p. 5). Entre o ‘comando tripolar’ e o ‘comando monopolar’ há um dispositivo sincronizador que
não foi solicitado no orçamento e que, na fase do pregão eletrônico, conduziu à alteração do
equipamento ofertado pela ABB Ltda., do Modelo LTB 245 E13 para o Modelo LTB 245 E11.
(ii) Ausência de identidade entre os sobressalentes orçados na fase interna da licitação e os
sobressalentes licitados pela AmGT.
10.7. Os sobressalentes constantes do orçamento solicitado da ABB Ltda. (e-mail de 2/3/2017)
estavam associados exclusivamente aos disjuntores de 145 kV, conforme especificação técnica
MAO-900-41000-EP (peça 92, p. 6).
10.8. Dessa forma, na descrição do objeto do Pregão 013/PRE/2018, foi exigido incluir na proposta
de preços sobressalentes para todos os disjuntores, ou seja, inclusive para os disjuntores de 245 kV,
conforme previram as especificações técnicas MAO-900-40000-EP-R03 e MAO-900-41000-EP
(especificações técnicas dos sobressalentes).
(iii) Ausência de identidade entre as condições de fornecimento.
10.9. Ao enviar o orçamento solicitado pela AmGT, a ABB Ltda. ressalvou no e-mail do
orçamento resposta à cotação de preços, de 23/3/2017, que os valores apresentados não incluíam
IPI (‘isento’), PIS/Cofins (‘Excluso’) e ICMS (‘Excluso’).
10.10. Por sua vez, na proposta de preços apresentada pela empresa (peça 15, p. 119-123), melhor
preço declarado no Pregão 013/PRE/2018, incluiu a alíquota de 4% (quatro por cento) de ICMS
(peça 92, p. 7). Além disso, no mesmo orçamento resposta enviado à AmGT, durante a fase de
cotação de preços, foi declarado que os preços consideravam a retirada dos equipamentos na filial
da ABB em Guarulhos/SP (‘Ponto de entrega: EXW - ABB Guarulhos’).
9

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

10.11. Nesse contexto, a cláusula vigésima da minuta do contrato anexo ao edital do pregão
eletrônico previu que os equipamentos deveriam ser entregues diretamente nas Subestações
Manaus, Jorge Teixeira e almoxarifado da AmGT, todos na cidade de Manaus/AM, com frete CIF
(Cost, Insurance and Freight).
10.12. Disso resulta uma diferença no valor do frete que também desautoriza uma comparação
direta entre o orçamento solicitado pela AmGT no primeiro trimestre de 2017 e o valor contratado
no ambiente do pregão eletrônico.
10.13. Considerando as diferenças existentes na especificação do fornecimento solicitada no início
de 2017 e a especificação do fornecimento estampada no edital do pregão eletrônico, o preço
correto para efeito de comparação seria de R$ 1.508.786,00, conforme disposto na tabela abaixo
(peça 92, p. 8).
Tabela 2 - Composição do orçamento estimado pela ABB Ltda.
Orçamento informado pela empresa ABB Ltda. Na fase de cotação de preços R$ 975.000,00
ICMS (4%) R$ 39.000,00
Comando TPO para SPO para os 4 (quatro) disjuntores de 245 kV R$ 136.000,00
Dispositivo sincronizador PWC600 - 4 (quatro) unidades R$ 152.000,00
Conjunto de sobressalentes para disjuntores de 245 kV R$ 48.786,00
Frete (cinco carretas estimadas) R$ 158.000,00
Total R$ 1.508.786,00
10.14. Logo, o preço que seria orçado pela ABB Ltda. Na hipótese de, no início de 2017, ter
recebido uma solicitação de orçamento com a mesma especificação técnica e com idênticas
condições de fornecimento previstas no edital do pregão eletrônico divulgado no início de 2018,
corresponderia aproximadamente a R$ 1.508.786,00 e não R$ 975.000,00.
10.15. Preservadas as demais premissas adotadas pela AmGT para elaborar o orçamento na fase
interna da licitação, o preço de referência para o Pregão Eletrônico 013/PRE/2018 teria sido de
R$ 1.794.393,00, média aritmética das propostas (R$ 2.080.000,00 + R$ 1.508.786,00)/2.
10.16. Com isso, o preço negociado entre a AmGT e a ABB Ltda., de R$ 1.357.427,84, não
apresenta qualquer ‘indício de sobrepreço’.
Resposta da empresa Siemens Ltda. à oitiva do possível sobrepreço do Contrato
2817/OC/2018.
11. Em síntese, a empresa Siemens Ltda. manifestou o que segue (peça 93, p. 4-27):
11.1. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) não poderia ser utilizado como critério
de reajuste para os valores das ‘seccionadoras’ das Atas dos Pregões 70001-2016, 70006-2015,
70024-2014 e 74-2017, pois, certamente, não representa o aumento real de custo sofrido pelos
equipamentos que constituem objeto desta fiscalização, tendo em vista que tal índice fora criado
para medir o poder de compra do consumidor final.
11.2. A relação de compra e venda estabelecida entre as empresas Siemens Ltda. e AmGT, objeto
do Contrato 2817/OC/2018 (chaves seccionadoras de alta tensão), enquadra-se no segmento
denominado ‘Business to Business’ (‘B2B’), ou de empresa para empresa, que, por questões
óbvias, inclui outras variáveis a serem consideradas para a efetiva representação do aumento de
custo dos produtos.
11.3. As chaves seccionadoras de alta tensão possuem papel relevante no funcionamento das
subestações de energia. Assim, cada empresa fabricante possui seu design, tecnologia e
fornecedores próprios, de modo que o seu custo, evidentemente, irá variar de empresa para
empresa.
11.4. Nesse contexto, esses equipamentos são basicamente formados por componentes cerâmicos,
10

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

representados pelos isoladores, e materiais metálicos ferrosos e não ferrosos. Para os materiais não
ferrosos, utiliza-se o alumínio, que está concentrado na parte viva da chave, enquanto para os
materiais ferrosos, utiliza-se predominantemente o aço laminado a quente, encontrado nas demais
partes das chaves, a exemplo da base, varão ou tubulação de manobra, cavalete para fixação do
armário, armário de comando, cantoneira ou tubulação de fixação (peça 93, p. 13-15).
11.5. Houve um aumento muito expressivo, no período avaliado pela unidade técnica com base no
INPC, concernente ao valor das matérias-primas utilizadas na produção do equipamento,
especialmente aquelas originadas em metais não ferrosos (alumínio) e metais ferrosos (aço
laminado a quente), o que impactou consideravelmente o preço do produto final.
11.6. Conforme referência padrão do mercado privado, o alumínio é considerado uma commodity,
cujo preço é determinado pelo LME (London Metal Exchange), utilizado como parâmetro mundial
para a fixação do valor desse bem. Segundo se extrai dos períodos utilizados como base para a
formação da referência de preços adotada pela Secex/AM (2015-2017), o LME sofreu uma
variação positiva bastante considerável, a qual se aproxima ao percentual de 29,4% (peça 93,
p. 16). O mesmo tipo de constatação pode ser realizada com relação ao preço praticado para o aço
laminado a quente, que sofreu uma variação de 48,6% (peça 93, p. 17).
11.7. Desse modo, considerando a variação isolada dos insumos utilizados na fabricação dos
equipamentos, resta claro que o preço de referência utilizado pela unidade técnica não se sustenta,
haja vista que a adoção do INPC sem os ajustes necessários da LME é absolutamente equivocada e
não condizente com a avaliação que ora se propõe.
11.8. Adicionalmente à variação da matéria prima, outros dois fatores também devem ser
considerados: (i) a diferença do custo do frete entre as localidades dos pregões utilizados para
formar o preço médio constante do relatório de fiscalização e as localidades de entrega firmados no
pregão da AmGT; e (ii) o custo considerado para mitigar o risco da garantia técnica relativa ao
Contrato 2817/OC/2018.
11.9. Dessa forma, verifica-se que os fatores supramencionados não foram levados em conta na
avaliação de custos: (i) efeito da variação do alumínio e do aço laminado a quente nos preços dos
equipamentos; (ii) efeito da diferença do custo frete nos preços dos equipamentos; e (iii) efeito do
custo considerado para mitigar o risco da garantia técnica.
(i) Efeito da variação do alumínio e do aço laminado a quente nos preços dos equipamentos.
11.10. A composição dos custos dos equipamentos objetos do fornecimento contratado considera a
seguinte distribuição (peça 93, p. 18):
Tabela 3 - Distribuição de custo dos equipamentos (elaborada pela empresa Siemens Ltda.).
Distribuição de Custo do
Item do Equipamento
Modelo
Pregão Descrição
Siemens Aço laminado Outros
AmGT Alumínio
a quente (*)
Item 1 EVL-245- Abertura Vertical - 245 kV, 27,86% 43,50% 28,64%
2000-950-MO 2000 A, 40 KA
Item 2 EVL-245- Abertura Vertical - 245 kV, 33,83% 38,10% 28,07%
2000-950-MO 2000 A, 40 KA
Item 3 EVL-145- Abertura Vertical - 145 kV, 32,75% 44,37% 22,88%
2000-650-MO 2000 A, 31,5 KA
Item 4 EVR-145- Abertura Vertical reversa - 36,63% 40,89% 22,48%
2000-650-MO 145 kV, 2000 A, 31,5 KA
Item 5 DAL-245- Dupla Abertura Lateral - 245 15,36% 52,47% 32,17%
2000-950-MO kV, 2000 A,40 KA
(*) Outros custos, tais como: isoladores, componentes elétricos, mão de obra, etc.

11

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

11.11. Na tabela 3, verifica-se que o valor total do equipamento referente ao item 1, cerca de
27,86% é composto de alumínio; 43,50% de aço laminado a quente e somente 28,64% de outros
componentes, de forma que, se distribuídos os custos com base nos preços médios pesquisados pela
equipe de auditoria, resulta-se na seguinte tabela (peça 93, p. 19):
Tabela 4 - Distribuição de custo de equipamentos (elaborado pela empresa Siemens Ltda., com
base no INPC).
Distribuição de Custo do Equipamento
A B C D
Item
do Médio dos
Descrição
Pregão preços
Aço laminado a
AmGT pesquisados Alumínio Outros
quente
pela equipe
auditoria(*)
Abertura
Vertical -
Item 1 245 kV, 50.993,33 27,86% 14.206,74 43,50% 22.182,10 28,64% 14.604,49
2000 A, 40
KA
Abertura
Vertical -
Item 2 245 kV, 50.993,33 33,83% 17.251,04 38,10% 19.428,46 28,07 14.313,83
2000 A, 40
KA
Abertura
Vertical -
Item 3 145 kV, 56.558,11 32,75% 18.522,78 44,37% 25.094,83 22,88% 12.940,50
2000 A,
31,5 KA
Abertura
Vertical
reversa -
Item 4 56.558,11 36,63% 20.717,24 40,89% 23.126,61 22,48% 12.714,26
145 kV,
2000 A,
31,5 KA
Dupla
Abertura
Lateral -
Item 5 50.993,33 15,36% 7.832,58 52,47% 26.756,20 32,17% 16.404,55
245 kV,
2000 A,40
KA
(*) Atualizado pelo INPC, extraído da tabela 3 do relatório de fiscalização TC 012.369/2018-7
(peça 48).
11.12. Se somados os valores das colunas B, C e D, alcança-se o resultado contido na coluna A, os
quais, devidamente atualizados pelos índices corretos (LME), passam aos seguintes montantes
(peça 93, p. 19):
Tabela 5 - Preço unitário considerando a variação do alumínio e do aço laminado a quente
(elaborada pela empresa Siemens Ltda.)
Item Descrição Alumínio Aço laminado a quente Outros Preço
do Unitário
Pregão Sem a Com a Variação Sem a Com a Variação (R$)
Variação Variação
AmGT

12

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

Item Descrição Alumínio Aço laminado a quente Outros Preço


do Unitário
Sem a Com a Variação Sem a Com a Variação
Pregão (R$)
Variação Variação
AmGT
Abertura
Vertical -
Item 1 245 kV, 14.206,74 29,40% 18.383,52 22.182,10 48,60% 32.962,60 14.604,49 65.950,61
2000 A,
40 KA
Abertura
Vertical -
Item 2 245 kV, 17.251,04 29,40% 22.322,85 19.428,46 48,60% 28.870,69 14.313,83 65.507,37
2000 A,
40 KA
Abertura
Vertical -
Item 3 145 kV, 18.522,78 29,40% 23.968,48 25.094,83 48,60% 37.290,92 12.940,50 74.199,89
2000 A,
31,5 KA
Abertura
Vertical
reversa -
Item 4 20.717,24 29,40% 26.808,11 23.126,61 48,60% 34.366,14 12.714,26 73.888,51
145 kV,
2000 A,
31,5 KA
Dupla
Abertura
Lateral -
Item 5 7.832,58 29,40% 10.135,36 26.756,20 48,60% 39.759,71 16.404,55 66.299,62
245 kV,
2000
A,40 KA
11.13. Alcançado, dessa forma, o custo real dos equipamentos, calculado com base na variação dos
preços de seus insumos, e não com base em atualização calcada em índice de reajuste inadequado
(INPC).
(ii) Efeito da diferença do custo frete nos preços dos equipamentos.
11.14. Os trajetos determinados entre a origem dos equipamentos e o local de entrega nos pregões
utilizados como base para a formação do preço médio (Atas dos Pregões 70001-2016, 70006-2015,
70024-2014 e 74-2017) estão apresentados na tabela abaixo (peça 93, p. 20):
Tabela 6 - Preço médio por carreta para os pregões estudados (elaborada pela empresa Siemens
Ltda.)
Pregão Data Licitante Vencedor Origem de Local de Distância Valor médio Valor da
(*) Fabricação Entrega (Km) por Km carreta
para uma (R$)
carreta
70001- CELG GTMS Fazenda Goiânia-
13/04/2016 1.340 5,20 6.968,00
2016 GT LTDA. Grande - PR GO
GTMS Fazenda Goiânia-
1.340 5,20 6.968,00
70006- CELG LTDA. Grande - PR GO
24/09/2015
2015 GT Goiânia-
SIEMENS Jundiaí -SP 1.007 5,20 5.236,40
GO
70024- 14/04/2015 CELG GTMS Fazenda Goiânia- 1.340 5,20 6.968,00

13

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

Pregão Data Licitante Vencedor Origem de Local de Distância Valor médio Valor da
(*) Fabricação Entrega (Km) por Km carreta
para uma (R$)
carreta
2014 GT LTDA. Grande - PR GO
Nova
Iguaçu - 456 6,66 3.036,96
RJ
Planura -
431 7,19 3.098,89
MG
São Jose
74- da Barra - 393 7,19 2.825,67
27/09/2017 FURNAS SIEMENS Jundiaí -SP
2017 MG
Serra - ES 1.025 5,40 5.535,00
Minaçu -
1.296 5,26 6.816,96
GO
Brasília -
967 5,20 5.028,40
DF
Preço médio por carreta 5.248,23
(*) Empresa do setor elétrico que promoveu a licitação.
11.15. Assim, realizando uma média dessas referências, chega-se, portanto, ao preço médio
R$ 5.248,23 por carreta.
11.16. No que tange ao trajeto determinado para a entrega dos equipamentos relativos ao
Contrato 2817/OC/2018, com o auxílio do Google Maps, é possível estimar uma distância de cerca
de 3.950 km entre a sua origem e destino, considerando, ainda, que parte deste percurso é realizado
por balsa, onerando, assim, o valor do frete (peça 93, p. 21).
11.17. A tabela abaixo demonstra os valores de referência - acrescidos do frete da balsa - e a
distância aplicável ao Contrato 2817/OC/2018 (peça 93, p. 21).
Tabela 7 - Preço médio por carreta para o pregão da AmGT (elaborada pela empresa Siemens
Ltda.)
Valor médio
Valor da
Licitante Origem de Local de Distância por Km
Pregão Data Vencedor carreta
(*) Fabricação Entrega (Km) para uma
(R$)
carreta
Siemens Manaus-
027/PRE/2018 22/03/2018 AmGT Jundiaí-SP 3.956 6,03 23.854,68
Ltda. AM
Preço médio por carreta 23.854,68
(*) Empresa do setor elétrico que promoveu a licitação.
11.18. Dessa forma, a diferença entre o valor do frete adotado como referência pela unidade técnica
e o valor de referência efetivamente utilizada para a contratação analisada é de cerca de
R$ 18.606,45 por carreta. Além disso, o valor efetivamente adotado como referência ainda deve ser
multiplicado pela quantidade de carretas utilizadas para o transporte dos equipamentos (oito
carretas), conforme tabela abaixo, alcançando o montante de R$ 148.851,60 (peça 93, p. 22).

14

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

Tabela 8 - Quantidades de carretas consideradas no pregão AmGT (elaborada pela empresa


Siemens Ltda.).
Item do Pregão Quantidade de
Modelo Quantidade de
Quantidade de Descrição Chaves
Siemens Carretas
AmGT Seccionadoras
EVL-245- Abertura Vertical - 245
Item 1 2000-950- kV, 2000A, 40 KA 4 2
MO
EVL-245- Abertura Vertical
Item 2 2000-950- reversa -245kV, 2000 4 2
MO A, 40 KA
EVL-145- Abertura Vertical - 145
Item 3 2000-650- kV, 2000A, 31,5 KA 4 1
MO
EVR-145- Abertura Vertical
Item 4 2000-650- reversa -145kV, 2000 2 1
MO A, 31,5 KA
DAL -245- Dupla Abertura Lateral
Item 5 2000-950- - 245 kV, 2000 A, 40 5 2
MO KA
Total de carretas 8
11.19. Considerando essas variáveis, a tabela abaixo apresenta os preços unitários acrescidos da
diferença do frete, sendo que tais valores já estão ajustados pela variação da matéria prima
(peça 93, p. 23).
Tabela 9 - Valores unitários com efeito da variação da matéria prima e diferença do frete
(elaborada pela empresa Siemens Ltda.).
Item do Pregão Preço Unitário com Diferença Preço Unitário com
Quantidade de Descrição variação da matéria Unitária do variação da matéria
AmGT prima (R$) (*) Frete (R$) prima e do frete
Abertura Vertical -
Item 1 245 kV, 2000A, 40 65.950,61 7.834,29 73.784,90
KA
Abertura Vertical
Item 2 reversa -245kV, 65.507,37 7.834,29 73.341,66
2000 A, 40 KA
Abertura Vertical -
Item 3 145 kV, 2000A, 74.199,89 7.834,29 82.034,18
31,5 KA
Abertura Vertical
Item 4 reversa -145kV, 73.888,51 7.834,29 81.722,80
2000 A, 31,5 KA
Dupla Abertura
Item 5 Lateral - 245 kV, 66.299,62 7.834,29 74.133,91
2000 A, 40 KA
(*) Valores retirados da tabela 5 (variação do custo do alumínio e do aço laminado a quente).
(iii) Efeito do custo considerado para mitigar o risco da garantia técnica.
11.20. A garantia requerida no âmbito do Contrato 2817/OC/2018, a qual exige que o fornecedor
faça uma provisão de custo adicional para mitigar os riscos inerentes à própria garantia,
principalmente aqueles provindos das cláusulas: (i) Cláusula 4.1. - Prazo de garantia maior do que

15

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

os demais pregões estudados no relatório de fiscalização; Cláusula 4.4. - Exigência de fornecer


duas unidades de cada dispositivo avariado; e (iii) Cláusula 4.5. - Risco de extensão de garantia
(peça 93, p. 24).
11.21. Desse modo, para mitigar esses riscos, foi provisionado na proposta um custo adicional de
6% do valor contratual (ou 1,2% por ano de garantia), o que representa um custo total adicional de
R$ 112.200,00 ou R$ 5.905,26 por equipamento. Tais custos, por questões óbvias, devem ser
devidamente diluídos nos preços unitários contratuais (peça 93, p. 25).
Tabela 10 - Valores unitários com efeito da variação da matéria prima, diferença do frete e
adicional da garantia (elaborada pela empresa Siemens Ltda.).
Preço Unitário com Diferença Preço Unitário com
Item do Pregão variação da Unitária do variação da matéria
Quantidade de Descrição matéria prima e adicional da prima, da diferença do
AmGT diferença do frete garantia técnica frete e adicional da
(R$) (*) (R$) garantia (R$)
Abertura
Vertical - 245
Item 1 73.784,90 5.905,26 79.690,16
kV, 2000A, 40
KA
Abertura
Vertical reversa
Item 2 73.341,66 5.905,26 79.246,92
-245kV, 2000 A,
40 KA
Abertura
Vertical - 145
Item 3 82.034,18 5.905,26 87.939,44
kV, 2000A, 31,5
KA
Abertura
Vertical reversa
Item 4 81.722,80 5.905,26 87.628,06
-145kV, 2000 A,
31,5 KA
Dupla Abertura
Lateral - 245
Item 5 74.133,91 5.905,26 80.039,17
kV, 2000 A, 40
KA
(*) Valores retirados da tabela 9.
11.22. Em resumo, comparando o custo reajustado com o valor ofertado, tem-se uma diferença
negativa de R$ 66.458.08, o que afasta, por conseguinte, qualquer indício de sobrepreço contratual
(peça 93, p. 27), conforme tabela abaixo.

16

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

Tabela 11 - Preços Contrato 2817/OC/2018 (Pregão 027/PRE/2018) versus preços reajustados


(elaborada pela empresa Siemens Ltda.)
Item Equipamento Quant. Lance Preço Preço Preço Diferença Diferença
vencedor Unitário x Unitário unitário entre o (R$)
Quantidade com reajustado preço do
variação x contrato e
da Quantidade o
matéria, reajustado
diferença (% )
do frete e
adicional
da
garantia
(*)
Seccionador
tripolar, 242 kV,
S L/T, montagem
horizontal, tipo
AV/ SH, ln
2000A, NBI 950
1 4 78.625,00 314.500,00 79.690,16 318.760,65 -1.35% -4,260.65
kV, 1 térmica
40,0 kA (1s),
lâmina principal
acionamento
motorizado,
comando tripolar
Seccionador
tripolar, 242 kV,
S L/T,fechamento
vertical, tipo
FV/SV, ln 2000A,
NBI 950 kV, 1
2 4 94.250,00 377.000,00 79.246,92 316.987,67 15.92% 60.012,33
térmica 40,0 kA
(1s), lâmina
principal
acioname nto
motorizado,
comando tripolar
Seccionador
tripolar, 145 kV,
S L/T, montagem
horizontal sobre
suporte tipo
AV/SH, ln
-
3 2000A, NBI 650 4 67.875,00 271.500,00 87.939,44 351.757,78 -29.56%
80,257.78
kV, lt 31,SkA
(1s), lâmina
principal
acionamento
motorizado,
comando tripolar
Seccionador
tripolar, 145 kV,
-
4 S L/T, montagem 2 74.750,00 149.500,00 87.628,06 175.256,12 -17.23%
25,756.12
vertical tipo
FV/SV, ln 2000A,
17

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

Item Equipamento Quant. Lance Preço Preço Preço Diferença Diferença


vencedor Unitário x Unitário unitário entre o (R$)
Quantidade com reajustado preço do
variação x contrato e
da Quantidade o
matéria, reajustado
diferença (% )
do frete e
adicional
da
garantia
(*)
NBI 650 kV, lt
31,SkA (1s),
lâmina principal
acionamento
motorizado,
comando tripolar
Seccionador
tripolar, 242 kV,
S L/T, montagem
horizontal, tipo
DA, ln 2000A, -16,195
5 5 76.800,00 384.000,00 80.039,17 400.195,86 -4.22%
NBI 950 kV, 1t .86
40,0 kA (1s),
lâmina principal
acionamento
motorizado
Sobressalentes e
6 Ferramentas 1 88.500,00 88.500,00 ** ** ** **
Especiais
Supervisão para
Montagem e
7 1 285.000,00 285.000,00 ** ** ** **
execução de
ensaios funcionais
-66
Total
,458.08
(*) Valores retirados da tabela 10.
(**) Itens não analisados.
Análises das respostas às oitivas da AmGT, ABB Ltda. e Siemens Ltda. relativas ao achado 1:
potencial sobrepreço decorrente de falhas na formação do preço de referência.
Análise da resposta à oitiva da AmGT.
12. As manifestações apresentadas pela AmGT não afastam as questões levantadas no relatório de
fiscalização, considerando que já foram expostas e analisadas durante a auditoria (peça 48, p. 9-
18), in verbis:
‘38. A coleta de preços foi realizada (…) apenas com fornecedores, mas sem qualquer explicação
sobre a forma de seleção destes. Não foram buscadas outras fontes e nem consta justificativa
documentada para essa restrição da pesquisa. A ausência de outras fontes deveria ser justificada
e detalhada nos processos pelo servidor responsável pela pesquisa, questão já abordada pelo
Acórdão 1.330/2008-TCU-Plenário, de relatoria do Min. Benjamin Zymler.
39. Questionada sobre a viabilidade de realizar pesquisa de preços no âmbito de órgãos da
administração pública, a AmGT indicou que os dispositivos da Lei 8.666/1993 (…) - art. 7º, §2º,

18

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

inc. II, e art. 40, §2º, inc. II - não priorizam determinado tipo de pesquisa (Evidência 29, p. 5- 7).
Também argumentou que não há banco de específico que permita a livre consulta e que as
empresas do setor elétrico realizam esse tipo de contratação, sempre o fazem por empreitada
integral, questões que são abordados adequadamente mais adiante neste relatório.
(…)
49. A estatal trouxe argumento no sentido de que ‘às vezes a pesquisa de preços em outras fontes,
mostra-se de difícil, - ou até mesmo impossível -, obtenção’ (Evidência 29, p. 5 a 7), contudo, tal
alegação não se encaixa no caso dos pregões da AmGT aqui auditados.
50. A AmGT apontou, como exemplo de sua dificuldade em obter informações por meio de outras
fontes que, em pesquisa realizada no site http://paineldeprecos.planejamento.gov.br, encontrou
somente pregões realizados pelo valor global, sendo impossível apurar os valores unitários
(Evidência 29, p. 5-7).
51. Contudo, não é razoável a estatal manifestar que não conseguiu as informações dos
pregões eletrônicos PE.GCM.A.00076.2017, PE.GCM.A.00074.2017 e PE.GCM.A.00165.2016
supramencionados, já que foram promovidos por Furnas, estatal que faz parte do grupo
Eletrobras. Ainda mais, a AmGT não menciona ter realizado contato com Furnas para
obtenção das informações, o que se presume que não ocorreu. Além disso, é conhecido por essa
equipe de auditoria que empresas do grupo Eletrobras possuem bases de preços de equipamentos.
52. Observa-se, ainda, que a pesquisa no site http://paineldeprecos.planejamento.gov.br foi
feita apenas para responder ao questionamento da equipe de auditoria, e, registre-se, esse site
governamental busca dados da base do Comprasnet de 2017 em diante, o que limita o seu
aproveitamento, sendo necessário que houvesse a complementação da pesquisa, buscando as
informações, por exemplo, diretamente no Comprasnet, por ser fonte mais ampla.’ (grifou-se)
12.2. As peculiaridades relativas ao mercado para Região Norte, frequentemente relacionadas ao
preço do frete, considerando a semelhança dos equipamentos, poderiam ser mitigadas pela
retificação adequada dos valores pesquisados à sua realidade, pois é razoável esperar que a estatal,
extremamente importante para o desenvolvimento da região, conte com setores e profissionais
dedicados a esse mister.
12.3. Em relação à assertiva de que os preços apresentados pelos potenciais fornecedores foram
considerados competitivos, o relatório de fiscalização mostrou que a estimativa inadequada gerava
falsa impressão de economia, como também, algumas vezes, apresentou variações expressivas de
preços. Essa grande variação foi observada em quase todos os pregões analisados, conforme
destaca a Tabela 12. Em cinco casos, os descontos ficaram entre 32% e 56%, estando os preços
referenciais até 127% superiores aos contratados, nos casos dos pregões 015/PRE/2018 e
016/PRE/2018.
Tabela 12 - Desconto alcançado nos pregões
Valor Valor % do valor
Estimado Contratado estimado
Edital Objeto Desconto
pela AmGT (R$) sobre o
(R$) contratado
Aquisição de 3 transformadores monofásicos,
027/PRE/2017 245/72,5/15 KV, incluindo sobressalentes,12.548.625,00 5.991.000,00 -52% 109%
execução de ensaios e supervisão de montagem.
Aquisição de 2 autransformadores trifásicos,
027/PRE/2017 245/145/15 KV, incluindo sobressalentes,10.387.233,34 6.885.000,00 -34% 51%
execução de ensaios e supervisão de montagem.
Aquisição de disjuntores nas tensões de 242 e
013/PRE/2018 145 KV, incluindo sobressalentes, supervisão de 1.590.403,61 1.357.427,86 -15% 17%
montagem e execução de ensaios funcionais.

19

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

Valor Valor % do valor


Estimado Contratado estimado
Edital Objeto Desconto
pela AmGT (R$) sobre o
(R$) contratado
Aquisição de Sistema de Proteção, Controle e
supervisão - SPCS para o banco de
transformadores monofásicos 6TR4 242/72,5-15
015/PRE/2018 KV da SE Manaus, incluindo sobressalentes, 2.968.925,73 1.305.963,12 -56% 127%
elaboração de projetos de fabricante,
treinamentos, supervisão de adequações e
comissionamento.
Aquisição de Sistema de Proteção Controle,
Supervisão e Oscilografia - SPCS para os 3º e 4º
autotransformadores trifásicos 230/138/13,8 KV
016/PRE/2018 da SE Jorge Teixeira, incluindo sobressalentes, 2.929.443,19 1.294.000,00 -56% 126%
elaboração de projetos de fabricante,
treinamentos, supervisão de montagem e
comissionamento e equipamentos.
Aquisição de seccionadoras tripolares, incluindo
027/PRE/2018 sobressalentes, supervisão de montagem e 1.871.058,47 1.870.000,00 -0,057% 0,057%
execução de ensaios funcionais.

Aquisição de equipamentos nas tensões de


242,0145 e 72,5 KV tais como: transformadores
028/PRE/2018 de corrente, 1.846.790,40 1.249.603,35 -32% 48%
Transformadores de potencial indutivo e
capacitivo e para ráios.
12.4. Em caso semelhante, o voto condutor do Acórdão 299/2011-TCU-Plenário, de relatoria do
Min. José Múcio Monteiro, analisou pregão eletrônico em que os preços finais ficaram 55%
menores que os estimados e considerou que essa variação exagerada resultava de estimativa
distorcida, baseada só em consulta a fornecedores, conforme segue:
‘2.14. A estimativa que considere apenas cotação de preços junto a fornecedores pode apresentar
preços superestimados, uma vez que as empresas não têm interesse em revelar, nessa fase, o
real valor a que estão dispostas a realizar o negócio. Os fornecedores têm conhecimento de que o
valor informado será usado para a definição do preço máximo que o órgão estará disposto a pagar e
os valores obtidos nessas consultas tendem a ser superestimados.’
12.5. As informações de que os equipamentos dos pregões utilizados pela equipe de auditoria,
como referência de pesquisa de preços, possuem características técnicas distintas (tipo construtivo
ou nível de isolamento das chaves seccionadoras) dos contratados pela AmGT não têm o condão de
afastar a inadequação da pesquisa de preços realizada pela estatal.
12.6. Nesse contexto, não obstante seja um mercado restrito, segundo relato da própria AmGT,
entende-se que é razoável afirmar, tendo em vista a modalidade licitatória utilizada pela estatal
(pregão), que as chaves seccionadoras a serem adquiridas possuem padrões de desempenho e
qualidade objetivamente definidos e com especificações usuais no mercado, nos termos do
parágrafo único, do art. 1º, da Lei 10.520/2002.
12.7. As manifestações relativas ao possível sobrepreço dos Contratos 2773/OC/2018
(Pregão 013/PRE/2018) e 2817/OC/2018 (Pregão 027/PRE/2018) serão analisadas em conjunto
com as respostas das empresas ABB Ltda. e Siemens Ltda., signatárias dos respectivos contratos,
por serem mais abrangentes.
Análise da resposta à oitiva da empresa ABB Ltda. (indício de sobrepreço
Contrato 2773/OC/2018).

20

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

13. As informações trazidas aos autos pela empresa ABB Ltda. e AmGT reforçam o que apontou o
relatório de auditoria: inadequação da pesquisa de preços realizada pela AmGT, que fragiliza
potencialmente o orçamento estimado da licitação, impede a avaliação dos custos da contratação
decorrente, enseja aceitação de propostas desvantajosas à administração pública e dificulta aos
licitantes a formulação de suas propostas.
13.1. Nesse contexto, segundo informações apresentadas pela estatal e pela licitante, a cotação de
preços, feita durante a fase preparatória do Pregão 013/PRE/2018, não previu custos relativos ao
frete e tributos na proposta da empresa ABB Ltda. Além disso, o equipamento cotado, o qual
embasou o orçamento estimado da licitação, possuía características distintas do licitado, bem como
houve equívocos na dimensão da quantidade de seus sobressalentes.
13.1. As discrepâncias qualitativa e quantitativa entre o disjuntor cotado e o licitado indicam falhas
graves que violam as normas que disciplinam o pregão:
[Lei 10.1520/2002]
‘Art. 3º A fase preparatória do pregão observará o seguinte:
I - a autoridade competente justificará a necessidade de contratação e definirá o objeto do
certame, as exigências de habilitação, os critérios de aceitação das propostas, as sanções por
inadimplemento e as cláusulas do contrato, inclusive com fixação dos prazos para fornecimento;
(…)
III - dos autos do procedimento constarão a justificativa das definições referidas no inciso I deste
artigo e os indispensáveis elementos técnicos sobre os quais estiverem apoiados , bem como o
orçamento, elaborado pelo órgão ou entidade promotora da licitação, dos bens ou serviços a
serem licitados;’ e
[Decreto 5.450/2005]
‘Art. 9º na fase preparatória do pregão, na forma eletrônica, será observado o seguinte:
(…)
§ 2º O termo de referência é o documento que deverá conter elementos capazes de propiciar
avaliação do custo pela administração diante de orçamento detalhado, definição dos métodos,
estratégia de suprimento, valor estimado em planilhas de acordo com o preço de mercado ,
cronograma físico-financeiro, se for o caso, critério de aceitação do objeto, deveres do contratado e
do contratante, procedimentos de fiscalização e gerenciamento do contrato, prazo de execução e
sanções, de forma clara, concisa e objetiva.’
(grifou-se)
13.2. O orçamento estimado que não represente de forma adequada os preços de mercado, com
todos os custos da futura contratação (fretes, tributos, características pertinentes ao objeto a ser
licitado etc.), impede, conforme demonstrado pelo relatório de auditoria, a administração pública
de estabelecer parâmetros confiáveis para avaliar se o preço apresentado pelo licitante, de fato,
demonstre ser vantajoso. Assim, a situação relatada pela AmGT e ABB Ltda. afronta ainda o
art. 3º, caput da Lei 8.666/1993. Além disso, dificulta aos licitantes que participarão do pregão
avaliar os custos de suas propostas, o que afasta potenciais interessados.
13.3. Observa-se que não houve avaliação crítica das respostas à cotação de preços apresentadas
pelas empresas. Como exemplo, destaca-se o trecho do e-mail de pedido de cotação à empresa
ABB Ltda. (peça 14, p. 45):
‘Solicitamos cotação de preços (incluindo frete), prazo de entrega em Manaus e condições de
pagamento dos materiais constantes na lista abaixo. Devem ser especificados os custos com os
impostos, desconsiderando somente o IPI, devido à nossa isenção deste imposto.’
(grifou-se)
13.4. A declaração de justificativa de preço da AmGT (peça 14, p. 33-34) não apresenta qualquer
21

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

análise da ausência do custo do frete ou do tributo na resposta da empresa ABB Ltda., dispondo
apenas que a média dos preços está alinhada com os praticados no mercado.
13.5. O enunciado do Acórdão 403/2013 -TCU-1ª Câmara (Relator: Min. Walton Alencar) dispõe
que ‘A pesquisa de preços que antecede a elaboração do orçamento de licitação demanda avaliação
crítica dos valores obtidos , a fim de que sejam descartados aqueles que apresentem grande
variação em relação aos demais e, por isso, comprometam a estimativa do preço de referência’.
13.6. Assim, verifica-se que as informações trazidas aos autos não corroboram os indícios de
sobrepreço do Contrato 2773/OC/2018 (Pregão 13/PRE/2018), tendo em vista a péssima estimativa
do preço de referência realizada pela AmGT.
13.7. Ante o exposto, considera-se a boa-fé da empresa ABB Ltda., pois demonstrou que sua
proposta não foi adequadamente formulada em razão das ausências dos custos relativos ao frete,
tributos, bem como ter sido consultada sobre disjuntor de característica distinta.
13.8. Por outro lado, entende-se que houve falha grave na fase de planejamento do Pregão
013/PRE/2018, em razão da ausência de análise crítica da resposta à cotação de preços apresentada
pela empresa ABB Ltda.A estimativa incorreta dos custos (fretes e tributos), bem como de cotar
disjuntores com características distintas do que foi licitado, expôs a AmGT ao risco de firmar
contratos que lhe possam ser desvantajosos.
13.9. Dessa forma, propõe-se audiência dos responsáveis em realizar a pesquisa de preços e
elaborar o termo de referência do pregão, nos termos da matriz de responsabilização descrita
adiante, para que se manifeste acerca da situação.
Análise da resposta à oitiva da empresa Siemens Ltda. (indício de sobrepreço no
Contrato 2817/OC/2018).
14. Preliminarmente, impende mencionar que a análise expedita do indício de sobrepreço no
Contrato 2817/OC/2018, diante do tempo exíguo de que a equipe de auditoria dispunha para o
mister, foi baseada no INPC em razão de o índice estar previsto no reajustamento do contrato.
Sendo assim, em respeito aos princípios da ampla defesa e contraditório, constitucionalmente
assegurados, foi proposta a oitiva da empresa Siemens Ltda. para que se manifestasse acerca da
situação encontrada.
14.1. Os argumentos apresentados pela empresa Siemens Ltda. são plausíveis, pois é cediço que
custos referentes à matéria-prima, fretes e garantia técnica compõem o preço de venda de qualquer
produto, cabendo à empresa convenientemente dimensioná-los a fim de auferir o lucro desejado.
Nesse contexto, portanto, é obvio, em função da rápida análise, que não era possível dispor das
especificidades dos equipamentos licitados, uma vez que não constavam dos autos analisados.
14.2. Ademais, seria extremamente rigoroso e desarrazoado, com base na figura do homem médio,
cobrar conhecimentos específicos concernentes ao custo de fabricação e à composição do preço de
venda de equipamento (chaves seccionadoras) — alumínio, aço laminado e garantia técnica — dos
responsáveis em promover a cotação de preços que subsidiou o orçamento estimativo do
Pregão 027/PRE/2018, o qual resultou no Contrato 2817/OC/2018.
14.3. Sendo assim, o objetivo do trabalho de auditoria foi demonstrar a existência de outras fontes
de pesquisa de preços que pudessem de forma abrangente estabelecer um orçamento estimativo
mais próximo da realidade de mercado, o que propiciaria à AmGT avaliar todos os custos
envolvidos na contratação, a fim de selecionar a proposta mais vantajosa.
14.4. Conforme exposto no relatório de auditoria (peça 48, p. 9-18), o Pregão 027/PRE/2018
praticamente manteve o preço de referência do orçamento estimado (R$ 1.871.058,47), havendo
um desconto mínimo de apenas 0,057% (R$ 1.058,47). Tal fato merece registro, pois as demais
licitações analisadas apresentaram desconto acima de 15% (inclusive o Pregão 013/PRE/2018 que
de forma idêntica ao 027/PRE/2018 não teve competição).
14.5. Registre-se, ainda, que o preço de referência do Pregão 027/PRE/2018 alçou ao patamar de
R$ 1.871.058,00 em razão de o orçamento apresentado pela própria Siemens, no valor de

22

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

R$ 2.048.675,40, ter sido bem superior aos demais, estando 87% acima do menor orçamento,
apresentado pela empresa Sigma, no valor de R$ 1.094.000,00 (peça 40, p. 6).
Tabela 13 - Orçamento estimado pela AmGT na fase preparatória do Pregão 027/PRE/2018.
Quant. Equip. Valor Unitário R$ / Fornecedor Valor Unit. Valor Total
Médio (R$) Médio (R$)
GE/ALSTOM SIGMA SIEMENS
Seccionador tripolar, 242 kV, S
L/T, montagem horizontal, tipo
AV/ SH, ln 2000A, NBI 950 kV, 1
4 80.000,00 48.000,00 108.041,66 78.680,55 314.722,21
térmica 40,0 kA (1s), lâmina
principal acionamento motorizado,
comando tripolar
Seccionador tripolar, 242 kV, S
L/T,fechamento vertical, tipo
FV/SV, ln 2000A, NBI 950 kV, 1
4 80.000,00 95.000,00 107.956,95 94.318,98 377.275,93
térmica 40,0 kA (1s), lâmina
principal acioname nto
motorizado, comando tripolar
Seccionador tripolar, 145 kV, S
L/T, montagem horizontal sobre
suporte tipo AV/SH, ln 2000A,
4 60.000,00 38.000,00 105.697,67 67.899,22 271.596,89
NBI 650 kV, lt 31,SkA (1s),
lâmina principal acionamento
motorizado, comando tripolar
Seccionador tripolar, 145 kV, S
L/T, montagem vertical tipo
FV/SV, ln 2000A, NBI 650 kV, lt
2 60.000,00 65.000,00 99.760,34 74.920,11 149.840,23
31,SkA (1s), lâmina principal
acionamento motorizado, comando
tripolar
Seccionador tripolar, 242 kV, S
L/T, montagem horizontal, tipo
5 DA, ln 2000A, NBI 950 kV, 1t 70.000,00 48.000,00 112.473,92 76.824,64 384.123,20
40,0 kA (1s), lâmina principal
acionamento motorizado
Sobressalentes e Ferramentas
1 30.000,00 147.000,00 88.500,00 88.500,00
Especiais (*)
Supervisão para Montagem e
1 285.000,00 285.000,00 285.000,00
execução de ensaios funcionais (*)
Total 1.871.058,47
(*) Sobressalentes e Supervisão foram excluídos dos valores dos orçamentos do pregão
027/PRE/2018 por que não estavam presentes em todas as propostas
14.6. Na tabela 13, observa-se que o orçamento apresentado pela Siemens Ltda., na fase
preparatória do Pregão 027/PRE/2018, em resposta à cotação de preços da AmGT, está bem
superior aos demais. Dessa forma, cotejando-o com o orçamento disposto na tabela 11, elaborado
pela própria Siemens, cujo resultado visa afastar os indícios de sobrepreço do Contrato
2817/OC/2018, constata-se que o orçamento adequadamente dimensionado (tabela 11) é inferior
àquele da cotação de preços.
14.7. Nesse sentido, a sua readequação, com base nos valores apresentados pela Siemens Ltda.
(tabela 11), haja vista que fora demonstrada de forma bastante didática a distribuição dos custos
envolvidos para a formação do preço de venda do equipamento, refletiria na diminuição do preço
de referência adotado no Pregão 027/PRE/2018, conforme exposto na tabela abaixo.

23

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

Tabela 14 - Orçamento estimado com os valores ajustados pelos cálculos elaborados pela empresa
Siemens Ltda. (tabela 11).
Quant. Equip. Valor Unitário R$ / Fornecedor Valor Unit. Valor Total
Médio (R$) Médio (R$)
GE/ALSTOM SIGMA SIEMENS
(**)
Seccionador tripolar, 242 kV, S
L/T, montagem horizontal, tipo
AV/ SH, ln 2000A, NBI 950 kV, 1
4 80.000,00 48.000,00 79.690,16 69.230,05 276.920,20
térmica 40,0 kA (1s), lâmina
principal acionamento motorizado,
comando tripolar
Seccionador tripolar, 242 kV, S
L/T,fechamento vertical, tipo
FV/SV, ln 2000A, NBI 950 kV, 1
4 80.000,00 95.000,00 79.246,92 84.748,97 338.995,88
térmica 40,0 kA (1s), lâmina
principal acioname nto
motorizado, comando tripolar
Seccionador tripolar, 145 kV, S
L/T, montagem horizontal sobre
suporte tipo AV/SH, ln 2000A,
4 60.000,00 38.000,00 87.939,44 61.979,81 247.919,24
NBI 650 kV, lt 31,SkA (1s),
lâmina principal acionamento
motorizado, comando tripolar
Seccionador tripolar, 145 kV, S
L/T, montagem vertical tipo
FV/SV, ln 2000A, NBI 650 kV, lt
2 60.000,00 65.000,00 87.628,06 70.876,02 141.752,04
31,SkA (1s), lâmina principal
acionamento motorizado,
comando tripolar
Seccionador tripolar, 242 kV, S
L/T, montagem horizontal, tipo
5 DA, ln 2000A, NBI 950 kV, 1t 70.000,00 48.000,00 80.039,17 66.013,06 330.065,30
40,0 kA (1s), lâmina principal
acionamento motorizado
Sobressalentes e Ferramentas
1 30.000,00 147.000,00 88.500,00 88.500,00
Especiais (*)
Supervisão para Montagem e
1 285.000,00 285.000,00 285.000,00
execução de ensaios funcionais (*)
Total 1.709.152,66
(*) Sobressalentes e Supervisão foram excluídos dos valores dos orçamentos do pregão
027/PRE/2018 por que não estavam presentes em todas as propostas.
(**) Valores retirados do orçamento estimado pela Siemens Ltda. (tabela 11).
14.8. Ante o exposto nas tabelas 13 e 14, no que tange ao orçamento estimado pela AmGT,
observa-se que, com base nos valores redimensionados pela empresa Siemens Ltda., o preço de
referência do Pregão 027/PRE/2018 passaria de R$ 1.871.058,47 para R$ 1.709.152,66 —
diferença a menor de R$ 161.905,81. Tal situação comprovaria mais uma vez que as estimativas de
preços estabelecidas pela AmGT foram inadequadas.
14.9. Todavia, entende-se que essa situação não é suficiente para apontar de forma inequívoca a
existência de sobrepreço no Contrato 2817/OC/2018, tendo em vista que o orçamento
redimensionado é bem próximo ao apresentado pela empresa GE ALSTOM (proposta mediana
entre o maior e menor orçamento cotado) e distante da terceira cotação (empresa SIGMA).

24

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

Ademais, não apareceram outras empresas interessadas em disputar lances no Pregão


027/PRE/2018, o que é razoável afirmar que o orçamento estimado não possuía efetiva
atratividade.
14.10. Segundo entendimento exposto no Acórdão 2.149/2014 -TCU- 1ª Câmara (Relator: Min.
Walton Alencar Rodrigues), as cotações de preços apresentadas pelos fornecedores na fase interna
da licitação não os vinculam no certame:
‘Os preços obtidos pela Administração na fase interna da licitação, em coletas destinadas apenas a
formar o preço de referência dos bens e serviços a serem licitados, não vinculam as propostas que
eventualmente os fornecedores venham a apresentar no certame. Logo, esses preços não se
mostram hábeis a compor o referencial utilizado na quantificação de aparente
superfaturamento de preços. A comparação para esse fim há de considerar os preços
efetivamente praticados pelo mercado fornecedor em situação semelhante.’
(grifou-se)
14.11. Por outro lado, diante da didática formação de preço elaborada pela Siemens (tabela 11), a
qual partiu de valores de ‘chaves seccionadoras’, atualizados pelo INPC, presentes em pregões
eletrônicos promovidos por outras estatais, conforme apontado no relatório de fiscalização
(peça 48), restou comprovado que potenciais fornecedores, no caso em apreço a empresa Siemens
Ltda., possuem intesse em inflar os seus ‘orçamentos respostas’ às cotações feitas pelos órgãos e/ou
entidades públicas, visto que possivelmente virão a participar do certame licitatório decorrente.
14.12. Sendo assim, propõe-se, por ocasião da análise de mérito, dar ciência à AmGT de que a
realização de pesquisa de preços somente junto a potenciais fornecedores fragiliza o orçamento
estimado para as suas licitações, tendo em vista que impede a administração pública de avaliar a
vantajosidade da proposta, bem como o custo decorrente da contratação, o que afronta o art. 3º,
caput, da Lei 8.666/1993 e § 2º, art. 9º do Decreto 5.450/2005 (pregão eletrônico).
Respostas às oitivas referentes ao achado 2: previsão de adiantamento de pagamento sem a
apresentação das garantias contratuais (Contratos 2190/OC/2017, 2191/OC/2017,
2844/OC/2018 e 2833/OC/2018).
Resposta à oitiva da AmGT
15. Em síntese, a AmGT manifestou o que segue (peça 95, p. 19-29):
15.1. Os eventos para pagamentos previstos em contrato não caracterizam antecipação de
pagamentos, pois há clara contraprestação dos serviços, com análise e aprovação do projeto
executivo elaborados pelos fabricantes e a efetiva vistoria em fábrica.
15.2. Nesse contexto, a fabricação dos equipamentos é feita por etapas, que se iniciam no
desenvolvimento do projeto, seguida da compra de insumos, fabricação, testes em fábrica,
transporte para a obra, montagem e comissionamento. Em algumas dessas etapas, após a
contraprestação da contratada e aprovação da AmGT, são desembolsados percentuais dos valores
dos equipamentos de forma a refletir os recursos necessários à sua execução, nos termos dos
contratos firmados.
15.3. Dessa forma, há plena atenção aos princípios da razoabilidade, economicidade e eficiência
nas previsões contratuais, tendo em vista o pagamento equivalente a cada uma das etapas previstas
nos contratos, desde que demonstrada claramente sua conclusão e aprovação da AmGT.
15.4. Nesse sentido, o próprio TCU já se posicionou pela admissão, diante das especificidades do
caso concreto, pela possibilidade do pagamento por etapas, desde que presentes garantias
suficientes em prol da Administração (Acórdãos 597/2008-TCU-Plenário (Relator: Ministro
Guilherme Palmeira); 2309/2008-TCU-Plenário (Relator: Ministro Valmir Campelo). Inclusive
com previsão de admissibilidade de antecipação de pagamento. Tal fato, conforme demonstrado,
não se verifica no caso em exame.
15.5. Ainda, nos Contratos 2190/OC/2017, 2191/OC/2017, 2844/OC/2018 e 2833/OC/2018, há
previsão de garantias que correspondem a 5% do seu valor, o que garante, em caso de
25

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

descumprimento das obrigações dos contratados, a possibilidade de glosa pela AmGT.


15.6. Adicionalmente à garantia supramencionada, os contratos estabelecem diversos mecanismos
de proteção em caso de descumprimento, tais como sanções administrativas (multas, retenções e
compensações de pagamento, nos termos da lei).
15.7. Por fim, não merece prosperar a menção de que a AmGT já foi alertada, em outra
oportunidade por esta Corte de Contas, sobre contraprestação de garantia para adiantamentos de
pagamentos, referente ao processo das obras de construção da Usina Termelétrica de Mauá 3 (UTE
Mauá 3), tendo em vista que esta fiscalização trata-se de ‘suposto’ jogo de cronograma que diverge
do assunto ora fiscalizado (adiantamento de pagamento).
Contrato 2190/OC/2017, celebrado com a empresa Toshiba América do Sul Ltda.
15.8. No tocante ao Contrato 2190/OC/2017, firmado com a empresa Toshiba América do Sul
Ltda., esclarece que os três transformadores adquiridos estão em trânsito, sendo que dois já estão
no Porto de Manaus/AM (peça 95, p. 34). O terceiro ainda está sendo transportado, conforme
demonstra o conhecimento de embarque. Além disso, os acessórios dos transformadores já se
encontram na Subestação Manaus (peça 95, p. 34).
15.9. Dessa forma, verifica-se que todos os objetos do Contrato 2190/OC/2017 já foram
devidamente entregues à AmGT.
Contrato 2191/OC/2017, celebrado com a empresa WEG Equipamentos Elétricos S.A.
15.10. Em relação ao Contrato 2191/OC/2017, firmado com a empresa WEG Equipamentos
Elétricos S.A., informa que os transformadores, objeto do contrato em questão, já foram
devidamente recebidos pela AmGT no dia 12/7/2018, bem como os seus acessórios, conforme se
comprova pelas fotografias anexas (peça 95, p. 35).
Contrato 2844/OC/2018, celebrado com a empresa Grid Solutions Transmissão de Energia
Ltda.
15.11. Em relação ao Contrato 2844/OC/2018, informa que seu objeto não é um simples
fornecimento de ‘equipamentos’, mas um sistema completo e complexo, envolvendo diversas
atividades de engenharia, conforme escopo que lhe foi definido.
15.12. Nesse contexto, após assinatura do contrato, os projetos que configuram o primeiro marco
de pagamento (cláusula 22 do contrato) já foram aprovados pela equipe técnica da AmGT, tendo
em vista que estavam perfeitamente adequados às especificações técnicas que compuseram o
processo licitatório. Ou seja, o objeto do primeiro marco de pagamento foi devidamente
apresentado e atestado mediante a emissão do CRE (Certificado de Realização de Evento), o qual
foi emitido pela equipe técnica da AmGT.
15.13. Os demais marcos de pagamento seguirão, caso a contratada cumpra com as suas obrigações
contratuais, o rito estabelecido no processo licitatório.
15.14. Por fim, salienta que, embora o contrato já tenha sido formalizado há aproximadamente
cinco meses, ainda não houve pagamento à contratada.
Contrato 2833/OC/2018, celebrado com a empresa Siemens Ltda.
15.15. No que tange ao Contrato 2833/OC/2018, firmado com a empresa Siemens Ltda., trata-se de
situação idêntica ao Contrato 2844/OC/2018, mencionado no item 15.11 desta instrução.
Entretanto, relata que a empresa Siemens Ltda. ainda não concluiu nenhum evento e, por
conseguinte, não houve nenhum pagamento decorrente.
Análise das manifestações da AmGT.
16. Inicialmente, no tocante à afirmação de que não foi alertada de que para suas próximas
licitações fosse prevista contraprestação de garantia para adiantamentos de pagamentos, entende-se
que não lhe assiste razão. O Acórdão 1.175/2015-TCU-Plenário, de 13/5/2015, de Relatoria do
Min. André de Carvalho, esclarece a questão:

26

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

‘9.2. determinar à Amazonas Distribuidora de Energia S.A. que:


(…)
9.2.5. nas futuras licitações de obras, atente para critérios de aceitabilidade de preços que enfatize
o equilíbrio entre o cronograma físico e o financeiro, evitando-se, assim, o jogo de cronograma e o
adiantamento de valores às contratadas sem a respectiva contraprestação dos serviços e sem a
garantia pelo adiantamento destes valores.’
(grifou-se)
16.1. Os argumentos de que as previsões de pagamentos previstos nos contratos não caracterizam o
seu adiantamento, tendo em vista que são etapas do processo de fabricação do equipamento e que é
prática do setor elétrico, já foram analisados pela equipe de auditoria, por ocasião de
esclarecimentos durante a execução desta fiscalização.
‘(…) de fato, como manifestado pela AmGT, antecipar pagamentos para antes da efetiva entrega
dos equipamentos que requerem certo detalhamento é prática do setor elétrico. Isto ocorre porque
a fabricação dos equipamentos é feita por etapas, que se iniciam no desenvolvimento do projeto,
seguida da compra de insumos, fabricação, testes em fábrica, transporte para a obra, montagem e
comissionamento. Em algumas dessas etapas são desembolsados percentuais dos valores dos
equipamentos de forma a refletir os valores necessários à sua execução. Contudo, essa prática
requer a adoção de cuidados , conforme previsto na legislação, requerendo-se do contrato
garantias específicas para esse tipo de situação.’
(grifou-se)
16.2. Segundo exposto no relatório de fiscalização (peça 48, p. 18-21), não se vedam os
pagamentos previstos nos contratos para as etapas de fabricação do objeto contratado. Pelo
contrário, entende-se que se fazem necessários pelas vultosas quantias a serem despendidas para
sua consecução. Por outro lado, busca-se resguardar a estatal de risco de prejuízos pela não
exigência legal de garantias estabelecidas no art. 38 do Decreto 93.872/1986, bem como evitar que
gestores da AmGT possam vir a responder por eventuais danos, caso alguma das empresas
contratadas não venham a adimplir o contrato.
16.3. Em relação à manifestação de que já existe previsão de garantias nos contratos, no valor de
5%, verifica-se que o montante estabelecido para essa garantia contratual genérica não cobre os
vultosos recursos pagos para a realização das etapas anteriores à entrega do equipamento (objeto do
contrato). Nesse diapasão, o art. 38 do Decreto 93.872/1986 estabelece que os adiantamentos, ou
parcelas pagas para etapas de fabricação anteriores à entrega efetiva do equipamento, devem ser
resguardados por meio de garantias específicas, pois os objetos dos contratos ainda não foram
entregues à estatal:
[Decreto 93.872/1986]
‘Art. 38. Não será permitido o pagamento antecipado de fornecimento de materiais, execução de
obra, ou prestação de serviço, inclusive de utilidade pública, admitindo-se, todavia, mediante as
indispensáveis cautelas ou garantias , o pagamento de parcela contratual na vigência do
respectivo contrato, convênio, acordo ou ajuste, segundo a forma de pagamento nele
estabelecida, prevista no edital de licitação ou nos instrumentos formais de adjudicação direta.’
(grifou-se)
16.4. A tabela abaixo demonstra os valores despendidos para os pagamentos das etapas de
fabricação e o montante de garantia genérica estabelecido para cada contrato:
Tabela 15 - Contratos com previsão de pagamentos para etapas de fabricação anteriores à entrega
do objeto e sem apresentação de garantias.

27

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

Valores
Adiantamento
das
previsto,
Valor do garantias
Data de correspondente
Contrato Contratada Objeto Contrato (5% )
assinatura a 40% do
(R$) previstas
equipamento
nos
principal (R$)
contratos.
3 Transformadores
2190/OC/2017 15/09/2017 TOSHIBA monofásicos, 5.991.000,00 2.344.000,00 299.550,00
245/72,5/15 KV
2 Autotransformadores
2191/OC/2017 15/09/2017 WEG trifásicos, 245/145/15 6.885.000,00 2.648.000,00 344.250,00
KV
Sistema de Proteção,
Controle e Supervisão
- SPCS para o 4º
banco de
2844/OC/2018 26/04/2018 GRID 1.305.963,12 388.639,43 65.298,16
transformadores
monofásicos 242/72,5-
15 KV da SE
MANAUS
Aquisição de Sistema
de Proteção, Controle
e Supervisão e
oscilografia - SPCS
2833/OC/2018 26/04/2018 SIEMENS para os 3º e 4º 1.294.000,00 403.320,20 64.700,00
Autotransformadores
trifásicos 230/138/13,8
KV da SE JORGE
TEIXEIRA

Total (R$) 5.783.959,00 773.798,16

16.5. O valor da garantia contratual genérica prevista no contrato, no valor de R$ 5%, não é
suficiente para suportar o ônus de eventual inadimplemento contratual, por parte do contratado,
decorrente do pagamento da etapa anterior à entrega do equipamento.
16.6. Além disso, as demais sanções previstas nos contratos não têm o condão de suprir o
levantamento dos valores porventura dados em garantias específicas pelos contratados, pois não
são previstas contratualmente para esse fim.
16.7. As informações relativas à efetiva entrega dos equipamentos dos Contratos 2190/OC/2017 e
2191/OC/2017 não ilidem a falha encontrada na formalização dos contratos, tendo em vista a
ausência de garantias específicas que visassem resguardar a estatal de prejuízos decorrentes de
eventuais inadimplementos. Por outro lado, observa-se que, para esses contratos, o risco potencial
de inadimplência já não mais subsiste, em razão de os equipamentos já estarem nos locais para a
devida instalação nas subestações.
16.8. Por sua vez, o risco ainda persiste para os Contratos 2844/OC/2018 e 2833/OC/2018, haja
vista que, segundo informações da AmGT, os equipamentos ainda não foram entregues pelos
contratados.
16.9. Ante a situação, caberia determinar à AmGT que cobrasse as garantias específicas para os
pagamentos das etapas anteriores à efetiva entrega do equipamento mediante alterações nos
contratos firmados com as empresas Grid Solutions e Siemens Ltda.
16.10. Todavia, as alterações contratuais acaso promovidas trarão ônus às empresas contratadas,
28

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

em razão de as garantias não estarem inicialmente previstas, o que provocaria o desequilíbrio


financeiro nos contratos ora firmados, uma vez que tais custos não foram dimensionados pelas
empresas por ocasião das propostas apresentadas na licitação.
16.11. Assim, em respeito aos princípios da boa-fé e da segurança jurídica que permeiam a relação
estabelecida entre os signatários dos contratos e a AmGT, e considerando, ainda, que os
contratados não participaram da elaboração dos termos contratuais estabelecidos, entende-se que
não é razoável que seja cobrada a garantia neste momento. Deve-se sopesar o potencial
inadimplemento dos contratos com os incrementos financeiros reais advindos da alteração
contratual decorrentes da exigência das garantias específicas para os pagamentos das etapas
anteriores à efetiva entrega do equipamento.
16.12. Ante o exposto, neste momento, é fato que a exigência de garantia específica para os
pagamentos anteriores à entrega do equipamento traria custos adicionais à administração pública
em face das alterações contratuais advindas.
16.13. No entanto, entende-se que cabe audiência dos responsáveis, nos termos da matriz de
responsabilização descrita adiante, a fim de ouvir suas razões de justificativa, por não
estabelecerem garantias específicas nos Contratos 2190/OC/2017, 2191/OC/2017, 2844/OC/2018 e
2833/OC/2018, consoante prevê o art. 38 do Decreto 93.872/1986, visto que a sua ausência expõe a
AmGT a risco de prejuízos pela eventual inadimplência do contratado.
Resposta à oitiva da empresa Siemens Ltda. sobre o achado 2: previsão de adiantamento de
pagamento sem a apresentação das garantias contratuais (Contrato 2833/OC/2018)
17. Em síntese, a empresa Siemens Ltda. manifestou o que segue (peça 93, p. 28-34):
17.1. A empresa providenciou a contratação de seguro-garantia (peça 94), cujo objeto
compatibiliza com as exigências contidas no edital do certame, pois sua cobertura é ampla e cobre
qualquer tipo de inadimplemento contratual por parte do contratado.
17.2. Assim, não há como se defender que a garantia prestada traria qualquer exceção à cobertura
de inadimplemento decorrente do recebimento de adiantamentos de pagamentos sem a respectiva
contraprestação. Se a cláusula é geral, certamente que alcança as situações específicas ora
abordadas.
17.3. Ademais, não há nas Leis 8.666/1993 e 10.520/2002, nas normas internas do órgão
contratante, ou mesmo no Decreto 93.872/1986, qualquer imposição para que o contratado preste
garantia específica para os casos de adiantamento de pagamentos, cujo eventual inadimplemento
não apresenta qualquer excepcionalidade a demandar a cobertura especial.
17.4. A disposição contida no art. 38, do Decreto 93.872/1986, invocada pela equipe técnica como
fundamento para a vedação de adiantamentos, comporta interpretação a contrario sensu,
autorizando, assim, que essa forma de pagamento seja autorizada em casos específicos.
17.5. A redação do dispositivo legal, de modo diverso da que pressupõe a Secex/AM, não é
proibitiva, mas simplesmente restritiva, no sentido de que, de fato, a regra se coaduna com o
pagamento posterior ao adimplemento da parcela pela contratado, o que nem de longe afasta a
possibilidade, ainda que excepcional, de adiantamento de pagamentos.
17.6. A elaboração de projetos e fabricação dos equipamentos que constituem o objeto das
contratações avaliadas apresentam custos altíssimos, de modo que a realização de pagamentos de
forma prévia à quitação da parcela do contratado serve não somente para alavancar a operação,
como também para permitir a maior atratividade de empresas privadas e a ampliação da
competitividade.
17.7. Tivesse a contratada que arcar com os custos totais da fabricação, sem a disponibilização de
quaisquer recursos até a entrega efetiva do bem, seria pouco provável que tivesse até mesmo
oferecido proposta para o certame, na medida em que o ônus a que estaria sujeita, em uma lógica
competitiva de mercado, não lhe trariam vantagens suficientes para que a contratação fosse de seu
interesse.

29

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

Resposta à oitiva da empresa Grid Solutions Transmissão de Energia Ltda. sobre achado 2:
previsão de adiantamento de pagamento sem a apresentação das garantias contratuais
(Contrato 2844/OC/2018).
18. Em síntese, a empresa Grid Solutions Transmissão de Energia Ltda. manifestou o que segue
(peça 73):
18.1. Em relação ao previsto no art. 65, inciso II, alínea ‘c’, da Lei 8.666/1993, nunca houve
qualquer modificação, por acordo entre as partes signatárias, das previsões contratuais. A forma de
pagamento foi estabelecida pelo edital do Pregão 015/PRE/2018, sendo integralmente acatada e na
qual a Grid Solutions se baseou para compor sua proposta. Não se pode falar em violação desse
dispositivo legal, portanto.
18.2. O objeto do contrato não é um fornecimento simples de ‘equipamentos’, mas um sistema
completo, complexo, e que envolve diversas atividades de engenharia para que seja possível a
efetiva entrega de materiais de forma a atender perfeitamente as exigências do contrato e as
necessidades do cliente.
18.3. Os eventos pagos são trabalhos técnicos complexos, os quais dependem do dispêndio de
consideráveis recursos pela contratada e compõem parcela essencial do objeto contratual. Portanto,
devem ser tempestivamente remunerados para que seja garantido o equilíbrio econômico-financeiro
da contratação.
18.4. Esse formato de cronograma físico-financeiro é prática de mercado e extremamente comum
para esse escopo de contratação, uma vez que, caso o pagamento fosse efetuado tão-somente na
entrega física de bens, o contrato se tornaria extremamente oneroso para a empresa fornecedora,
tornando-se excessivamente desvantajosa a contratação, pois a empresa contratada seria obrigada a
desempenhar um grande número de atividades contratuais sem a respectiva remuneração.
18.5. Os dois primeiros pagamentos a serem efetuados pela contratada não configuram
adiantamento, visto que apenas serão realizados após a contratada evidenciar o cumprimento das
obrigações contratuais correspondentes, conforme disposição contratual. Além disso, as duas
primeiras parcelas do pagamento do contrato, a que o TCU chama ‘adiantamento’, equivalem a
40% do valor do ‘sistema’, isto é, trata-se somente do item 01 do escopo do contrato, o que
corresponde a apenas 30% do seu valor total.
18.6. Adicionalmente, não procede a alegação de que o contrato expõe a AmGT a risco de
inexecução, pois há exigência de prestação de uma garantia pela empresa contratada, no valor de
5% do valor do contrato. Tal garantia poderá ser executada pela contratante em qualquer caso de
descumprimento contratual pela contratada. Ainda, o contrato estabelece diversos mecanismos de
proteção para a contratante.
18.7. O estabelecimento de regras de pagamento justas e proporcionais à execução contratual foi
fator determinante para que a Grid Solutions decidisse participar da licitação em tela. A
modificação do fluxo de pagamentos do contrato, além de injusta, acarretaria graves prejuízos à
execução contratual. Nesse contexto, calculou seu preço com base não apenas no escopo principal,
mas nos ônus e obrigações acessórias do contrato, incluindo a garantia financeira a ser apresentada.
Sabe-se que garantias financeiras em bancos ou instituições de primeira linha tem um custo
bastante elevado, o que impacta fortemente no preço contratado.
18.8. Por consequência, é evidente que tais alterações unilaterais e supervenientes à composição da
oferta ocasionariam profundo desequilíbrio econômico-financeiro no contrato, o que deve ser
evitado de todas as maneiras.
18.9. Dessa forma, não se pode determinar a alteração póstuma do fluxo de pagamento desse
contrato, ou mesmo onerá-lo com garantias financeiras adicionais, extremamente custosas para a
empresa contratada. Ainda, não se pode admitir que um ato unilateral da Administração acarrete
prejuízos à contratada que, de boa-fé, apresentou proposta justa baseada estritamente nos termos do
edital, especialmente quando não houve qualquer fato superveniente que justificasse tal alteração.
Resposta à oitiva da empresa WEG Equipamentos Elétricos S.A. sobre achado 2: previsão de
30

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

adiantamento de pagamento sem a apresentação das garantias contratuais


(Contrato 2191/OC/2017).
19. Em síntese, a empresa WEG Equipamentos Elétricos S.A. manifestou o que segue (peça 91):
19.1. A garantia contratual para esse processo foi emitida em 15/9/2017, com vencimento em
16/9/2019, junto à seguradora J. Malucelli, sob a apólice 01-0776-0166955 (peça 91, p. 24-35). A
apólice emitida está consoante com o disposto na Cláusula 9.1 do Contrato 2191/OC/2017, ou seja,
com valor correspondente a 5% do valor total da contratação.
19.2. O contrato em referência não sofreu qualquer alteração que devesse ser formalizada por
aditamento, motivo pelo qual a WEG, até o presente momento, não a apresentou e/ou substituiu a
garantia já emitida, bem como não foi demandada pela AmGT para fazê-lo.
19.3. Por fim, relata que, caso a garantia apresentada não seja suficiente, compromete-se a enviar a
correspondente atualização/substituição, tão logo solicitada, de modo a sanar eventual
irregularidade formal no processo de fornecimento.
Resposta à oitiva da empresa Toshiba América do Sul Ltda. sobre achado 2: previsão de
adiantamento de pagamento sem a apresentação das garantias contratuais (Contrato
2190/OC/2017).
20. Em síntese, a empresa Toshiba América do Sul manifestou o que segue (peça 79):
20.1. Preliminarmente, informa que mudou a sua denominação social para Transformadores e
Serviços de Energia das Américas Ltda. (TSEA) (peça 84).
20.2. A vigésima quarta cláusula do Contrato 2190/OC/2017 previu de forma expressa o
pagamento parcelado de acordo com os respectivos eventos geradores. A realização de pagamento
em parcelas até a efetiva entrega dos equipamentos principais de subestações é praxe do setor
elétrico, consoante exposto no relatório de auditoria (peça 48).
20.3. A adoção dessa sistemática é plenamente justificada em razão do elevado custo de projeto,
fabricação em etapas (elaboração de projeto, aquisição insumos, realização de testes em fábrica,
aprovação do cliente , transporte, montagem e comissionamento) e customizações necessárias ao
exato atendimento das especificações técnicas determinadas no edital.
20.4. Todos os valores recebidos pela TSEA foram com base nos respectivos eventos geradores.
Em outras palavras, para fazer jus aos pagamentos, a TSEA precisou primeiramente realizar a
contraprestação estabelecida nos exatos termos contratuais. Não há que se falar, portanto, em
suposta antecipação de pagamento.
20.5. As condições de fornecimento previstas em edital (despesas, tributos, encargos sociais,
garantias exigidas, transporte, etc.), sobretudo as condições de pagamento, são essenciais à
composição do preço a ser praticado na licitação. E exatamente após considerar todas essas
condições é que a TSEA foi vencedora do processo licitatório por ter apresentado melhor preço
para o fornecimento dos transformadores.
20.6. A intenção de alteração das condições previstas em edital e reproduzidas no contrato ou a
exigência de prestação de garantia adicional pela TSEA para o recebimento dos valores que lhes
são devidos inevitavelmente comprometerá o equilíbrio econômico-financeiro do contrato.
20.7. Os equipamentos já foram fabricados, inspecionados e aprovados pela AmGT, conforme
Certificado de Realização de Evento 3 (peça 80). Atualmente, parte substancial dos equipamentos
já se encontra em transporte à AmGT (peças 81-83). Apenas após a sua entrega efetiva e completa,
prevista para setembro/2018, é que a TSEA receberá a maior parte do preço (55% do valor
contratado).
20.8. Portanto, não é razoável que se exija, após o cumprimento substancial das obrigações
estabelecidas, a alteração compulsória e unilateral do contrato para a prestação de garantias
adicionais. Além disso, tendo em vista que os equipamentos já estão em transporte para a AmGT,
não há que se falar em risco de inadimplência contratual ou impedimento do prosseguimento das

31

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

obras de ampliação da Subestação Manaus.


Análise das manifestações das empresas.
21. As informações apresentadas pelas empresas Siemens Ltda., Grid Solutions Transmissão de
Energia Ltda., WEG Equipamentos Elétricos S.A. e Transformadores e Serviços de Energia das
Américas Ltda. (TSEA) (antiga Toshiba América do Sul Ltda.) são semelhantes às que foram
manifestadas pela AmGT. Invocam que já existia previsão de garantia contratual, bem como que
alterações unilaterais e supervenientes à composição das propostas acarretariam elevado
desequilíbrio econômico-financeiro no contrato. Além disso, acrescentam que os objetos de seus
contratos envolvem um elevado custo para a sua consecução.
21.1. Sendo assim, remete-se à analise já efetuada sobre o assunto, constante no item 16 e seguintes
desta instrução.
22. Em face das análises empreendidas, propõe-se audiência do:
a) Sr. João Batista Rocha do Carmo Júnior, responsável por realizar a pesquisa de preços que
embasou o orçamento estimado do Pregão 013/PRE/2018, em razão de não avaliar de forma crítica,
durante a fase preparatória da licitação, os orçamentos respostas à cotação de preços; e de cotar
equipamento (disjuntor) com características distintas do que foi licitado;
b) Sra. Sheyla Maria Nogueira Ribeiro, Gerente do Departamento de Engenharia da Transmissão,
responsável por elaborar o termo de referência do Pregão 013/PRE/2018, em razão de estabelecer
equipamento (disjuntor) com características distintas do que foi cotado;
c) Sr. Wady Charone Júnior, Diretor-Presidente, por ter assinado os Contratos 2190/OC/2017,
2191/OC/2017 e 2833/OC/2018, em nome da AmGT, para que se manifeste acerca das
irregularidades decorrentes da ausência de garantias específicas para pagamentos de etapas
anteriores à entrega dos equipamentos objetos dos contratos, em afronta ao art. 62 da
Lei 4.320/1964 e art. 38 do Decreto 93.872/1986;
d) Sr. Vladimir F. Paixão e Silva, Diretor de Produção, por ter assinado os
Contratos 2190/OC/2017, 2191/OC/2017, 2844/OC/2018 e 2833/OC/2018, em nome da AmGT,
para que se manifeste acerca das irregularidades decorrentes da ausência de garantias específicas
para pagamentos de etapas anteriores à entrega dos equipamentos objetos dos contratos, em afronta
ao art. 62 da Lei 4.320/1964 e art. 38 do Decreto 93.872/1986;
e) Sr. Adriano Marcos Yida, Diretor Administrativo e Financeiro, por ter assinado o Contrato
2844/OC/2018, em nome da AmGT, para que se manifeste acerca das irregularidades decorrentes
da ausência de garantias específicas para pagamentos de etapas anteriores à entrega do
equipamento objeto do contrato, em afronta ao art. 62 da Lei 4.320/1964 e art. 38 do
Decreto 93.872/1986;
23. Ainda, propõe-se, por ocasião da análise de mérito, dar ciência à AmGT de que a realização de
pesquisa de preços somente junto a potenciais fornecedores fragiliza o orçamento estimado para as
suas licitações, tendo em vista que impede a administração pública de avaliar a vantajosidade da
proposta, bem como o custo decorrente da contratação, o que afronta o art. 3º, caput, da
Lei 8.666/1993 e § 2º, art. 9º do Decreto 5.450/2005 (pregão eletrônico).
24. Ocorrência 1: falhas graves que violaram normas (Leis 8.666/1993, 10.520/2002 e
Decreto 5.450/2005) que disciplinam o fluxo de processo licitatório na administração pública, na
fase preparatória do Pregão 013/PRE/2018, em razão de:
a) ausência de avaliação crítica do orçamento resposta da empresa ABB Ltda. à cotação de preços,
tendo em vista que não previa custos relativos a frete e tributos;
b) cotação de equipamento (disjuntor) com características distintas do que foi licitado;
c) elaboração de termo de referência de equipamento (disjuntor) com características distintas do
que foi cotado.
25. Situação encontrada:
32

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

25.1. Na fase preparatória do Pregão 013/PRE/2018, segundo informações da AmGT e empresa


ABB Ltda., identificou-se que o equipamento (disjuntor) cotado possuía características distintas
daquele que foi licitado.
25.2. Ainda, constatou-se que não houve avaliação crítica do orçamento resposta da empresa ABB
Ltda. à cotação de preços, visto que não apresentava custos elementares (frete e tributos) para a
correta formulação do orçamento estimado da licitação.
26. Objeto: Pregão Eletrônico 013/PRE/2018.
27. Critério: art. 3º, caput da Lei 8.666/1993; art. 3º, incisos I e III da Lei 10.520/2002; e art. 9º,
§2º do Decreto 5.450/2005 (pregão eletrônico).
28. Evidências: declaração de justificativa de preço (peça 14, p. 33-34), respostas às oitivas da
AmGT (peça 95) e ABB Ltda. (peça 92), termo de referência do Pregão 013/PRE/2018 (peça 14,
p. 171-186) e solicitação de proposta de preços ABB Ltda. (peça 41).
29. Causa: planejamento inadequado da licitação.
30. Consequências: fragiliza potencialmente o orçamento estimado da licitação, impede a
avaliação dos custos da contratação decorrente, enseja aceitação de propostas desvantajosas à
administração pública e dificulta aos licitantes a formulação de suas propostas.
31. Responsável 1: João Batista Rocha do Carmo Júnior (715.158.952-20), colaborador da AmGT,
responsável por realizar a pesquisa de preços que fundamentou o orçamento estimado do Pregão
013/PRE/2018.
32. Condutas:
a) não avaliar de forma crítica o orçamento resposta da empresa ABB Ltda. à cotação de preços;
b) cotar equipamento (disjuntor) com características distintas do que foi licitado.
33. Nexo de Causalidade: a ausência de avaliação crítica do orçamento resposta da empresa ABB
Ltda. e a cotação de equipamento com características distintas do que foi licitado fragilizam
potencialmente o orçamento estimado da licitação, impedem a avaliação dos custos da contratação
decorrente, ensejam aceitação de propostas desvantajosas à administração pública e dificultam aos
licitantes a formulação de suas propostas, o que atenta contra a economicidade dos contratos
celebrados.
34. Culpabilidade: considerando que o responsável fora designado para realizar a pesquisa de
preços que embasaria o orçamento estimado do pregão, é razoável afirmar que deveria deter, em
algum nível, a capacidade de avaliar de forma crítica as respostas à cotação de preços, bem como
de cotar equipamento (disjuntor) idêntico ao que seria licitado e contratado pela AmGT. A ausência
de uma avaliação crítica por parte do responsável resulta na impossibilidade de se identificar a boa-
fé em sua ação. Portanto, a conduta do responsável é considerada culpável, ou seja, reprovável,
razão pela qual ele deve ser ouvido em audiência.
35. Responsável 2: Sheyla Maria Nogueira Ribeiro (203.039.632-04), Gerente do Departamento
de Engenharia da Transmissão, responsável por elaborar o termo de referência do Pregão
013/PRE/2018.
36. Conduta: elaborar termo de referência (Pregão 013/PRE/2018) de equipamento (disjuntor) com
características distintas do que foi cotado.
37. Nexo de Causalidade: a elaboração de termo de referência de equipamento com características
distintas do que foi cotado impede a avaliação dos custos da contratação decorrente, enseja
aceitação de propostas desvantajosas à administração pública e dificulta aos licitantes a formulação
de suas propostas, o que atenta contra a economicidade dos contratos celebrados.
38. Culpabilidade: considerando que a responsável fora designada para elaborar o termo de
referência do Pregão 013/PRE/2018, é razoável afirmar que deveria deter, em algum nível, a
capacidade de avaliar as características do equipamento (disjuntor) que fora cotado. A ausência de

33

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

uma avaliação crítica por parte da responsável resulta na impossibilidade de se identificar a boa -fé
em sua ação. Portanto, a conduta da responsável é considerada culpável, ou seja, reprovável, razão
pela qual ela deve ser ouvida em audiência.
39. Ocorrência 2: ausência de garantias específicas para pagamentos de etapas anteriores à entrega
efetiva de equipamentos, nos Contratos 2190/OC/2017, 2191/OC/2017, 2844/OC/2018 e
2833/OC/2018, em afronta ao art. 62 da Lei 4.320/1964 e art. 38 do Decreto 93.872/1986.
40. Situação encontrada:
40.1. Identificou-se que os Contratos 2190/OC/2017, 2191/OC/2017, 2844/OC/2018 e
2833/OC/2018 previam pagamentos em etapas anteriores à entrega efetiva dos equipamentos que
estavam descritos nos seus objetos.
40.2. Embora não sejam vedados tais pagamentos, conforme exposto no relatório de fiscalização
(peça 48), a legislação regente (art. 38 do Decreto 93.872/1986) e a jurisprudência deste Tribunal
(Acórdãos 1.879/2011-TCU-Plenário, da relatoria do Min. Augusto Nardes, 374/2011-TCU-
Plenário, da relatoria do Min. Ubiratan Aguiar, 918/2009- TCU-Plenário, da relatoria do Min. José
Jorge, 1.726/2008-TCU-Plenário, da relatoria do Min. Augusto Sherman, 948/2007-TCU-Plenário,
da relatoria do Min. Valmir Campelo, 2.565/2007- TCU-1ª Câmara, da relatoria do Min. Aroldo
Cedraz e 1.442/2003-TCU-1ª Câmara, de relatoria do Min. Marcos Vilaça) disciplinam que, a fim
de se resguardar de eventuais inadimplementos contratuais por parte dos contratados, a
administração pública deve exigir garantias específicas para mitigar os riscos envolvidos na
contratação, tendo em vista a vultosidade dos pagamentos feitos antes da entrega definitiva dos
equipamentos contratados.
41. Objetos: Contratos 2190/OC/2017, 2191/OC/2017, 2844/OC/2018 e 2833/OC/2018.
42. Critério: art. 62 da Lei 4.320/1964 e art. 38 do Decreto 93.872/1986.
43. Evidências: Contratos 2190/OC/2017 (peça 33), 2191/OC/2017 (peça 34), 2844/OC/2018
(peça 31) e 2833/OC/2018 (peça 32).
44. Causa: planejamento inadequado da licitação.
45. Consequência: expõe a administração pública ao risco de não ser devidamente ressarcida por
eventuais inadimplementos contratuais por parte dos contratados.
46. Responsável 1:. Sr. Wady Charone Júnior (056.141.042-91), Diretor-Presidente da AmGT,
21/8/2017 até 31/7/2019.
46.1. Conduta: assinar os Contratos 2190/OC/2017, 2191/OC/2017 e 2833/OC/2018, em nome da
AmGT, sem estabelecer garantia específica para pagamentos de etapas anteriores à entrega efetiva
do equipamento objeto do respectivo contrato, em afronta ao art. 62 da Lei 4.320/1964 e art. 38 do
Decreto 93.872/1986.
47. Responsável 2:. Sr. Vladimir F. Paixão e Silva (018.000.862-53), Diretor de Produção da
AmGT, 1º/8/2017 até 31/07/2019.
47.1. Conduta: assinar os Contratos 2190/OC/2017, 2191/OC/2017, 2844/OC/2018 e
2833/OC/2018, em nome da AmGT, sem estabelecer garantia específica para pagamentos de etapas
anteriores à entrega efetiva do equipamento objeto do respectivo contrato, em afronta ao art. 62 da
Lei 4.320/1964 e art. 38 do Decreto 93.872/1986.
48. Responsável 3:. Sr. Adriano Marcos Yida (610.229.501-34), Diretor Administrativo e
Financeiro, 27/7/2016 até 28/4/2019.
48.1. Conduta: assinar o Contrato 2844/OC/2018, em nome da AmGT, sem estabelecer garantia
específica para pagamentos de etapas anteriores à entrega efetiva do equipamento objeto do
respectivo contrato, em afronta ao art. 62 da Lei 4.320/1964 e art. 38 do Decreto 93.872/1986.
49. Nexo de Causalidade : ao assinar contrato, sem previsão de garantia específica para os
pagamentos de etapas anteriores à entrega efetiva do equipamento, expõe a administração pública a

34

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

riscos de não obter ressarcimento, em face de eventuais inadimplementos contratuais por parte dos
contratados.
50. Culpabilidade: em que pese o fato de os responsáveis terem se pautado em pareceres da área
técnica e jurídica, esses, por seus cargos, deveriam deter, em algum nível, a capacidade de avaliar a
razoabilidade dos termos contratuais. A ausência de uma avaliação crítica por parte dos
responsáveis resulta na impossibilidade de se identificar a boa-fé em sua ação. Portanto, a conduta
dos responsáveis é considerada culpável, ou seja, reprovável, razão pela qual eles devem ser
ouvidos em audiência.
Análise do Prazo de Prescrição da Pretensão Punitiva
51. Com relação à ocorrência da prescrição da pretensão punitiva, este Tribunal aprovou por meio
do Acórdão 1.441/2016-TCU-Plenário (redator Walton Alencar Rodrigues) incidente de
uniformização de jurisprudência em que firma o entendimento de que a matéria se subordina ao
prazo prescricional de dez anos indicado no art. 205 do Código Civil, contado a partir da data de
ocorrência da irregularidade a ser sancionada.
51.1. No presente caso, considera-se o possível ato irregular mais antigo praticado em 15/9/2017 —
data da assinatura do Contrato 2190/OC/2017 —, sendo essa data mais benéfica aos responsáveis.
Portanto, ainda não houve o transcurso do prazo de dez anos.
CONCLUSÃO
52. Em face das análises empreendidas na seção ‘Exame Técnico’, propõe-se audiência de João
Batista Rocha do Carmo Júnior, colaborador da AmGT; e de Sheyla Maria Nogueira Ribeiro,
Gerente do Departamento de Engenharia da Transmissão, para que se manifestem sobre os fatos
descritos na ‘ocorrência 1’.
52.1. Ainda, propõe-se audiência de Wady Charone Júnior, Diretor-Presidente da AmGT;
Sr. Vladimir F. Paixão e Silva, Diretor de Produção da AmGT; e Sr. Adriano Marcos Yida, Diretor
Administrativo e Financeiro, para que se manifestem acerca dos fatos descritos na ‘ocorrência 2’.
52.2. Por fim, propõe-se, por ocasião da análise de mérito, dar ciência à AmGT de que a realização
de pesquisa de preços somente junto a potenciais fornecedores fragiliza o orçamento estimado para
as suas licitações, tendo em vista que impede a administração pública de avaliar a vantajosidade da
proposta, bem como o custo decorrente da contratação, o que afronta o art. 3º, caput, da
Lei 8.666/1993 e § 2º, art. 9º do Decreto 5.450/2005 (pregão eletrônico).
52.3. O relatório de auditoria (peça 48), a análise empreendida nesta instrução e a matriz de
responsabilização descrita anteriormente fundamentam as audiências propostas.
PROPOSTA DE ENCAMINHAMENTO
53. Ante todo o exposto, submetem-se os autos à consideração superior, propondo:
54. Realizar, com fundamento no art. 43, inciso II, da Lei 8.443/1992 c/c o art. 250, inciso IV, do
Regimento Interno do TCU, a audiência dos responsáveis abaixo, para que, no prazo de quinze
dias, apresente razões de justificativa pelas ocorrências indicadas:
55. Ocorrência 1: falhas graves que violaram normas (Leis 8.666/1993, 10.520/2002 e
Decreto 5.450/2005) que disciplinam o fluxo de processo licitatório na administração pública, na
fase preparatória do Pregão 013/PRE/2018, em razão de:
a) ausência de avaliação crítica do orçamento resposta da empresa ABB Ltda. à cotação de preços,
tendo em vista que não previa custos relativos a frete e tributos;
b) cotação de equipamento (disjuntor) com características distintas do que foi licitado;
c) elaboração de termo de referência de equipamento (disjuntor) com características distintas do
que foi cotado.
55.1. Responsável 1: João Batista Rocha do Carmo Júnior (715.158.952-20), colaborador da
AmGT, responsável por realizar a pesquisa de preços que fundamentou o orçamento estimado do
35

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

Pregão 013/PRE/2018.
55.2. Condutas:
a) não avaliar de forma crítica o orçamento resposta da empresa ABB Ltda. à cotação de preços;
b) cotar equipamento (disjuntor) com características distintas do que foi licitado.
55.3. Nexo de Causalidade: a ausência de avaliação crítica do orçamento resposta da empresa
ABB Ltda. e a cotação de equipamento com características distintas do que foi licitado fragilizam
potencialmente o orçamento estimado da licitação, impedem a avaliação dos custos da contratação
decorrente, ensejam aceitação de propostas desvantajosas à administração pública e dificultam aos
licitantes a formulação de suas propostas, o que atenta contra a economicidade dos contratos
celebrados.
55.4. Responsável 2: Sheyla Maria Nogueira Ribeiro (203.039.632-04), Gerente do Departamento
de Engenharia da Transmissão, responsável por elaborar o termo de referência do
Pregão 013/PRE/2018.
55.5. Conduta: elaborar termo de referência (Pregão 013/PRE/2018) de equipamento (disjuntor)
com características distintas do que foi cotado.
55.6. Nexo de Causalidade: a elaboração de termo de referência de equipamento com
características distintas do que foi cotado impede a avaliação dos custos da contratação decorrente,
enseja aceitação de propostas desvantajosas à administração pública e dificulta aos licitantes a
formulação de suas propostas, o que atenta contra a economicidade dos contratos celebrados.
55.7. Evidências: declaração de justificativa de preço, respostas às oitivas da AmGT e ABB Ltda.,
termo de referência do Pregão 013/PRE/2018 e solicitação de proposta de preços ABB Ltda.
55.8. Normas infringidas: art. 3º, caput da Lei 8.666/1993; art. 3º, incisos I e III da
Lei 10.520/2002; e art. 9º, §2º do Decreto 5.450/2005 (pregão eletrônico).
56. Ocorrência 2: ausência de garantias específicas para pagamentos de etapas anteriores à entrega
efetiva de equipamentos, nos Contratos 2190/OC/2017, 2191/OC/2017, 2844/OC/2018 e
2833/OC/2018, em afronta ao art. 62 da Lei 4.320/1964 e art. 38 do Decreto 93.872/1986.
56.1. Responsável 1:. Sr. Wady Charone Júnior (056.141.042-91), Diretor-Presidente da AmGT,
21/8/2017 até 31/7/2019.
56.2. Conduta: assinar os Contratos 2190/OC/2017, 2191/OC/2017 e 2833/OC/2018, em nome da
AmGT, sem estabelecer garantia específica para pagamentos de etapas anteriores à entrega efetiva
do equipamento objeto do respectivo contrato, em afronta ao art. 62 da Lei 4.320/1964 e art. 38 do
Decreto 93.872/1986.
56.3. Responsável 2:. Sr. Vladimir F. Paixão e Silva (018.000.862-53), Diretor de Produção da
AmGT, 1º/8/2017 até 31/07/2019.
56.4. Conduta: assinar os Contratos 2190/OC/2017, 2191/OC/2017, 2844/OC/2018 e
2833/OC/2018, em nome da AmGT, sem estabelecer garantia específica para pagamentos de etapas
anteriores à entrega efetiva do equipamento objeto do respectivo contrato, em afronta ao art. 62 da
Lei 4.320/1964 e art. 38 do Decreto 93.872/1986.
56.5. Responsável 3:. Sr. Adriano Marcos Yida (610.229.501-34), Diretor Administrativo e
Financeiro, 27/7/2016 até 28/4/2019.
56.6. Conduta: assinar o Contrato 2844/OC/2018, em nome da AmGT, sem estabelecer garantia
específica para pagamentos de etapas anteriores à entrega efetiva do equipamento objeto do
respectivo contrato, em afronta ao art. 62 da Lei 4.320/1964 e art. 38 do Decreto 93.872/1986.
56.7. Nexo de Causalidade : ao assinar contrato, sem previsão de garantia específica para os
pagamentos de etapas anteriores à entrega efetiva do equipamento, expõe a administração pública a
riscos de não obter ressarcimento, em face de eventuais inadimplementos contratuais por parte dos
contratados.
36

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

56.8. Evidências: Contratos 2190/OC/2017, 2191/OC/2017, 2844/OC/2018 e 2833/OC/2018.


56.9. Normas infringidas: art. 62 da Lei 4.320/1964 e art. 38 do Decreto 93.872/1986.
59. Encaminhar aos responsáveis cópia desta instrução e da peça 48 (relatório de auditoria), a fim
de subsidiar as razões de justificativa requeridas.”
É o Relatório.

37

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303374.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

VOTO

Trata-se de auditoria realizada na empresa Amazonas Geração e Transmissão de Energia


S.A. (AmGT), no âmbito do Fiscobras 2018, para avaliar a conformidade de licitações e contratos para
o fornecimento de equipamentos para a implantação de reforços em instalações de transmissão de
energia elétrica nas subestações Manaus e Jorge Teixeira, em Manaus/AM.
2. O escopo da auditoria abrangeu os seguintes editais e contratos:
Valor contratado Empresa
Edital Objeto (resumo) Contrato nº
(R$) contratada
Aquisição de 3 transformadores
027/PRE/2017 monofásicos, incluindo 2190/OC/2017 5.991.000,00 TOSHIBA
sobressalentes
Aquisição de 2
027/PRE/2017 autransformadores trifásicos, 2191/OC/2017 6.885.000,00 WEG
incluindo sobressalentes
Aquisição de disjuntores ,
013/PRE/2018 2773/OC/2018 1.357.427,86 ABB
incluindo sobressalentes
Aquisição de Sistema de
Proteção, Controle e
Supervisão - SPCS para o 4º
015/PRE/2018 2844/OC/2018 1.305.963,12 GRID
banco de transformadores
monofásicos, incluindo
sobressalente
Aquisição de Sistema de
Proteção, Controle e
Supervisão e oscilografia -
016/PRE/2018 2833/OC/2018 1.294.000,00 SIEMENS
SPCS para os 3º e 4º
Autotransformadores trifásicos,
incluindo sobressalente
Aquisição de seccionadoras
027/PRE/2018 tripolares, incluindo 2817/OC/2018 1.870.000,00 SIEMENS
sobressalentes
Aquisição de equipamentos nas
tensões de 242,0145 E 72,5 KV
tais como: transformadores de
028/PRE/2018 2826/OC/2018 1.249.603,35 SIEMENS
corrente, transformadores de
potencial indutivo e
capacitivo e para raios

3. Em resumo, a equipe relatou quatro achados:


3.1. inadequação nas pesquisas de preço realizadas para aquisição de equipamentos e
contratação de fornecedores, que pode ter resultado em contratações com preços superiores aos de
mercado nos Contratos 2817 e 2773/OC/2018 (achado 1);
3.2. previsão contratual de adiantamento de pagamentos sem a necessidade de apresentar
garantias específicas nos Contratos 2190 e 2191/OC/2017 e 2844 e 2833/OC/2018 (achado 2);
3.3. divergência entre o valor constante na ata e nos termos de adjudicação e homologação e a
proposta apresentada pela vencedora do certame que resultou no Contrato 2844/OC/2018 (achado 3); e
3.4. ausência de cláusula de reajuste de preços no edital do pregão e nos Contratos 2190 e
2191/OC/2017 (achado 4).

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303376.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

4. Os dois últimos achados, por se tratarem de impropriedades formais que não impactaram o
andamento dos pregões correspondentes, resultaram na proposta de dar ciência à AmGT quanto às
falhas.
5. Os dois primeiros achados, por sua vez, ensejaram as seguintes oitivas (peça 53):
5.1. da AmGT, acerca das irregularidades na pesquisa de preços utilizada para estimar os
preços dos Pregões 027/PRE/2017, 013/PRE/2018, 015/PRE/2018, 016/PRE/2018, 027/PRE/2018 e
028/PRE/2018 (achado 1);
5.2. da AmGT e da empresa Siemens Ltda., sobre os indícios de sobrepreço de R$ 494.238,05
verificados no Contrato 2817/OC/2018 (achado 1);
5.3. da AmGT e da empresa ABB Ltda., acerca dos indícios de sobrepreço de R$ 382.427,86
verificados no Contrato 2773/OC/2018 (achado 1); e
5.4. da AmGT e das empresas Toshiba América do Sul Ltda., WEG Equipamentos Elétricos
S.A., Grid Solutions Transmissão de Energia Ltda. e Siemens Ltda., acerca da previsão, nos Contratos
2190/OC/2017, 2191/OC/2017, 2844/OC/2018 e 2833/OC/2018, de adiantamento de pagamento sem a
apresentação das garantias contratuais (achado 2).
6. Ressalto que as oitivas das empresas contratadas foram realizadas considerando-se a
possibilidade de os contratos serem alterados para supressão do sobrepreço ou para inclusão da
previsão de garantias, conforme o caso.
7. A presente etapa processual destinou-se à análise das respostas apresentadas pela AmGT e
pelas contratadas.
8. No que tange ao achado 1, a unidade instrutora considerou que não foram confirmados os
indícios de sobrepreço nos Contratos 2773/OC/2018 e 2817/OC/2018.
9. Entretanto, entendeu que houve falha grave na fase de planejamento do Pregão
013/PRE/2018, motivo pelo qual propôs a realização de audiências dos responsáveis.
10. Em acréscimo, propôs dar ciência à AmGT de que a realização de pesquisa de preços
somente junto a potenciais fornecedores fragiliza o orçamento estimado para as suas licitações, tendo
em vista que impede a administração pública de avaliar a vantajosidade da proposta, bem como o custo
decorrente da contratação.
11. No que diz respeito ao achado 2, a unidade instrutora considerou que eventual inclusão de
garantias nos contratos em andamento acarretaria o desequilíbrio econômico-financeiro das avenças,
motivo pelo qual deixa de propor determinação nesse sentido.
12. Porém, entende ser cabível a audiência dos responsáveis da AmGT, por não terem previsto
nos contratos 2190/OC/2017, 2191/OC/2017, 2844/OC/2018 e 2833/OC/2018 as mencionadas
garantias, o que expôs a AmGT a risco de prejuízos em caso de eventual inadimplência.
13. Passo a tratar da matéria.
II
14. No relatório de auditoria, a unidade instrutora apontou que os pregões que foram objeto da
fiscalização tiveram seus orçamentos baseados em cotações obtidas com fornecedores, contendo, em
alguns casos, discrepâncias entre o objeto cotado e o licitado, e sem que houvesse sido promovida pela
AmGT análise crítica das respostas. Ademais, não havia restado claro qual o critério adotado para
seleção desses fornecedores, nem justificado o motivo pelo qual não se teriam utilizado informações
de contratações semelhantes para estabelecer o preço paradigma dos certames. A equipe pontuou,
ainda, a possibilidade de os Contratos 2817 e 2733/OC/2018 apresentarem sobrepreço.

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303376.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

15. Em essência, corroboro o entendimento da unidade instrutora no sentido de que a


metodologia utilizada pela AmGT para chegar ao preço de referência dos certames era frágil e
apresentou falhas que poderiam ter resultado em contratações antieconômicas. Concordo, também, que
as análises empreendidas nos autos não permitem concluir pela ocorrência de sobrepreço nos
contratos. Nesse sentido, incorporo o exame técnico realizado pela Sec-AM às minhas razões de
decidir.
16. Deixo de acolher, contudo, a proposta de realizar a audiência dos responsáveis pela
pesquisa de preços e por elaborar o termo de referência do Pregão 013/PRE/2018.
17. A unidade instrutora considera que “houve falha grave na fase de planejamento do Pregão
013/PRE/2018, em razão da ausência de análise crítica da resposta à cotação de preços apresentada
pela empresa ABB Ltda.”, e que a “estimativa incorreta dos custos (fretes e tributos), bem como a
cotação de disjuntores com características distintas do que foi licitado, expôs a AmGT ao risco de
firmar contratos que lhe pudessem ser desvantajosos”.
18. Conforme relatado pela equipe de auditoria, o valor estimado para esse certame foi
calculado com base em três orçamentos. Entretanto, a AmGT teria utilizado como um dos orçamentos
o valor de R$ 1.100.000,00, em vez do valor efetivamente cotado, que era de R$ 975.000,00.
19. A diferença entre esses valores foi esclarecida pela AmGT como sendo referente à inclusão
de equipamentos sobressalentes que não constavam na cotação realizada junto à empresa.
20. Assim, considero que foi feita uma análise crítica – ainda que insuficiente, pois não sanou
todos os problemas – da cotação proposta. Ademais, na prática, não foi possível identificar a
ocorrência de sobrepreço na contratação.
21. Comento, ainda, que a responsabilização proposta decorreria de falhas identificadas em
apenas uma das três cotações realizadas. Embora essas falhas tenham provocado distorção no preço de
referência adotado para o certame, essa distorção acarretou, no caso concreto, a redução no preço
referencial, e não o seu incremento, conforme pontuado nos itens 10.14 e 10.15 do relatório que
antecede este voto.
22. Ante esse contexto, reputo que seria medida de extremo rigor a aplicação de sanção aos
gestores.
23. Portanto, no que tange a esse achado, reputo ser suficiente dar ciência à AmGT de que a
realização de pesquisa de preços somente junto a potenciais fornecedores fragiliza o orçamento
estimado para as suas licitações, tendo em vista que impede a administração pública de avaliar a
vantajosidade da proposta, bem como o custo decorrente da contratação, o que afronta o art. 3º, caput,
da Lei 8.666/1993 e o art. 9º, § 2º, do Decreto 5.450/2005 (pregão eletrônico).
III
24. A equipe de auditoria identificou, também, que os Contratos 2190/OC/2017,
2191/OC/2017, 2844/OC/2018 e 2833/OC/2018 previam a possibilidade de adiantamento de
pagamento sem a correspondente apresentação de garantias contratuais, o que iria de encontro ao art.
38 do Decreto 93.872/1986.
25. Apesar de concordar com as análises empreendidas pela unidade instrutora – as quais
incorporo às minhas razões de decidir –, discordo da proposta de realização de audiências dos gestores
da AmGT, pelos motivos que passo a expor.
26. Conforme consignado no relatório de auditoria, a realização de pagamentos antecipados
em contratos para compra de equipamentos customizados é prática do setor elétrico.
27. Assim, é de se esperar que o modelo de contratação verificado nas avenças mencionadas
seja adotado pela estatal em todas as contratações semelhantes.
3

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303376.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

28. Diante desse cenário, e considerando que não houve a materialização de ocorrência mais
grave, entendo que seria descabida a responsabilização de agentes em casos pontuais nos quais foi
meramente replicada uma política institucionalizada.
29. Por outro lado, o fato de se tratar de prática usual do setor não mitiga o risco a que se
expõe a Administração com esse tipo de contratação, nem constitui aval para descumprimento de
normativos legais.
30. Como bem ressaltado pela unidade instrutora, as garantias previstas em contrato, de 5% do
valor pactuado, não são suficientes para cobrir eventual inadimplemento contratual, já que os
adiantamentos previstos são de 40% do valor do equipamento principal.
31. Nesse sentido, reputo que o mais adequado, nesse caso, seria uma revisão do modelo de
contratação, que deverá perpassar por uma análise do impacto financeiro e orçamentário da previsão
de garantias mais abrangentes em contratos que comportam o adiantamento de pagamentos.
32. Portanto, cabe determinar à AmGT que realize os estudos correspondentes e apresente a
esta Corte, no prazo de sessenta dias, um cronograma de implementação dessa medida.
IV
32.1. Por fim, retomo as propostas da equipe de auditoria referentes aos achados de divergência
entre o valor constante na ata e nos termos de adjudicação e homologação e a proposta apresentada
pela vencedora do certame que resultou no Contrato 2844/OC/2018 e de ausência de cláusula de
reajuste de preços no edital do pregão e nos Contratos 2190 e 2191/OC/2017.
33. Assim, deve-se dar ciência à AmGT de que: i) a ausência de cláusula de reajuste do preço
do objeto, na minuta do contrato do edital de licitação, afronta os artigos 40, inciso XI, e 47, caput, da
Lei 8.666/1993; e ii) a ausência de registro de atos do pregoeiro, em ata de pregão eletrônico, que
modifiquem a proposta originária apresentada pelo licitante vencedor, mesmo sem que haja sua
alteração substancial, viola o art. 26, §3º, do Decreto 5.450/2005, art. 3º da Lei 8.666/1993 e art. 37,
caput, da Constituição Federal.
Ante o exposto, voto por que esta Corte adote a minuta de acórdão que submeto à
deliberação deste Colegiado.

TCU, Sala das Sessões Ministro Luciano Brandão Alves de Souza, em 10 de abril de 2019.

Ministro BRUNO DANTAS


Relator

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303376.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

ACÓRDÃO Nº 819/2019 – TCU – Plenário

1. Processo nº TC 012.369/2018-7.
2. Grupo II – Classe de Assunto: V – Relatório de Auditoria
3. Interessados: ABB Ltda. (61.074.829/0011-03); Grid Solutions Transmissão de Energia Ltda.
(05.356.949/0008-19); Siemens Ltda. (44.013.159/0031-31); Transformadores e Serviços de Energia
das Américas Ltda. (08.870.769/0004-15); Weg Equipamentos Elétricos S.A. (07.175.725/0014-84);
Amazonas Geração e Transmissão de Energia S.A. (17.957.780/0001-65)
4. Entidade: Amazonas Geração e Transmissão de Energia S.A.
5. Relator: Ministro Bruno Dantas.
6. Representante do Ministério Público: não atuou.
7. Unidade Técnica: Secretaria de Fiscalização de Infraestrutura de Energia Elétrica (SeinfraEletrica);
Secretaria de Controle Externo no estado do Amazonas (Sec-AM)
8. Representação legal:
8.1. Raphael de Mello Losacco (235.127/OAB-SP) e outros, representando ABB Ltda.
8.2. Gustavo Franco Ferreira (236811/OAB-SP) e outros, representando Siemens Ltda.
8.3. Gustavo Andere Cruz (68.004/OAB-MG) e outros, representando Amazonas Geração e
Transmissão de Energia S.A.

9. Acórdão:
VISTO, relatado e discutido este relatório de auditoria realizada na empresa Amazonas
Geração e Transmissão de Energia S.A. (AmGT), no âmbito do Fiscobras 2018, para avaliar a
conformidade de licitações e contratos para o fornecimento de equipamentos para a implantação de
reforços em instalações de transmissão de energia elétrica nas subestações Manaus e Jorge Teixeira,
em Manaus/AM,
ACORDAM os Ministros do Tribunal de Contas da União, reunidos em sessão do
Plenário, ante as razões expostas pelo Relator, em:
9.1. com fundamento no art. 250, inciso II, do Regimento Interno do TCU, determinar à
Amazonas Geração e Transmissão de Energia S.A. que realize estudo de impacto financeiro e
orçamentário com vistas à inclusão, no modelo de contratação em que se preveja o adiantamento de
pagamentos, de garantias mais abrangentes para mitigação do risco de inadimplemento do fornecedor,
em conformidade com o art. 38 do Decreto 93.872/1986 e encaminhe a esta Corte, no prazo de
sessenta dias, um cronograma para implementação dessa medida;
9.2. com fundamento no art. 7º da Resolução-TCU 265/2014, dar ciência à Amazonas
Geração e Transmissão de Energia S.A. de que:
9.2.1. a realização de pesquisa de preços somente junto a potenciais fornecedores fragiliza
o orçamento estimado para as suas licitações, tendo em vista que impede a administração pública de
avaliar a vantajosidade da proposta, bem como o custo decorrente da contratação, o que afronta o
art. 3º, caput, da Lei 8.666/1993 e o art. 9º, § 2º, do Decreto 5.450/2005 (pregão eletrônico);
9.2.2. a ausência de cláusula de reajuste do preço do objeto, na minuta do contrato do edital
de licitação, afronta os artigos 40, inciso XI, e 47, caput, da Lei 8.666/1993;
9.2.3. a ausência de registro de atos do pregoeiro, em ata de pregão eletrônico, que
modifiquem a proposta originária apresentada pelo licitante vencedor, mesmo sem que haja sua
alteração substancial, viola o art. 26, §3º, do Decreto 5.450/2005, art. 3º da Lei 8.666/1993 e art. 37,
caput, da Constituição Federal; e
9.3. dar ciência desta deliberação à Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e
Fiscalização do Congresso Nacional e à Amazonas Geração e Transmissão de Energia S.A.

10. Ata n° 11/2019 – Plenário.

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303377.


TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO TC 012.369/2018-7

11. Data da Sessão: 10/4/2019 – Ordinária.


12. Código eletrônico para localização na página do TCU na Internet: AC-0819-11/19-P.
13. Especificação do quórum:
13.1. Ministros presentes: José Mucio Monteiro (Presidente), Walton Alencar Rodrigues, Raimundo
Carreiro, Bruno Dantas (Relator) e Vital do Rêgo.
13.2. Ministros-Substitutos convocados: Augusto Sherman Cavalcanti, André Luís de Carvalho e
Weder de Oliveira.

(Assinado Eletronicamente) (Assinado Eletronicamente)


JOSÉ MUCIO MONTEIRO BRUNO DANTAS
Presidente Relator

Fui presente:

(Assinado Eletronicamente)
CRISTINA MACHADO DA COSTA E SILVA
Procuradora-Geral

Para verificar as assinaturas, acesse www.tcu.gov.br/autenticidade, informando o código 61303377.