Você está na página 1de 48

-------------------~-------------------- . MADEIRA .

----------------------~---------------

IrJ! aumentou no dia 11 Mais um Banco


e não passou
os restaurantes
para. a taxa reduzida
na Venezuela
convida clientes
a levantar dinheiro
14
DIRECTOR JOSt BETTENCOURT DA CÂMARA • TERÇA-FEIRA - 17 DE . JANEIRO DE 1995 • -:-i"~,..-
ANO 119.° - N. o 49142 - PREÇO 105$00 (lVA INCl)
DIÁRIO MATUTINO INDEPENDENTE '

~ _ A G A S O L I NAS E M C HUM B O IA u:t T RÀ P A S's O ' U A ' S UP E R .


. .

Gás mais caro.


sem sedar por isso As portas da bomba de gasolina foram as últimas
• o gás na Madeira já é mais caro. Desde ontem. Para empresas e particulares. O a fechar. Ontem.
agravamento é de 5,6 por cento para aquelas e 4,3 por cento para estes. Sem BOMBA FECHA
que ninguém desse muito por isso. Quem compra gasolina sem c;humbo,
também ficou recentemente a saber que paga mais do que pela super.
Leacock passa
bens ao Banco
processo de en- tantes da hipoteca. O

O trega de insta-
lações ao Ban-
cü Esp'írito .Santo, do .'
fecho das portas na esta-
ção de serViço já era
esperado mais cedo ou
império;Lea20ck na Rua mais tarde. A classifi-
Major Reis Gomes, cação de "bomba bran- --"-
terminou ontem com o ca", normal nestes ca-
encerramento das portas sos, preparava já o que
da bomba de gasolina ali acabou por acontecer
existente. Cumpriu-se, . ontem.
assim, o que estipula- ,
vam os princípios obns- PAGINA 8

"FILHA" DE SECRETÁRIO

"Burlona"
Gás com aumento garantido. Nas empresas e em casa.· foi ao tribunal
• PAGINA 15 • • PAGINA 11 •

AMANHÃ EM FARO AMANHÃ N A ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

Air Columbus' Correia de Jesus candidato


explica-se na Comissão das OGMA
• Já está com licença suspensa. Mas a
nome do depu- -democratas 'que vão OGMA. O dep utado grupo parlamentar,

O
administração da Air Columbus
convocou os trabalhadores para " tado· madei- incluir a Comissão da eleito pela Madei- amanhã, numa reuni-
uma reunião. Amanhã, em Faro. rense Correia Assembleia da Re- ra, segundo apurá- ão.
de Jesus pode fazer pública responsável mos, deverá ser apon-
• PAGINA 14. parte dos doze social- pela análise do caso tado pela direcção do PAGINA 3
2
• DIÁRIO DE NOTIcIAS - MADEIRA FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995

PROPOSTA E M DE B AT E N A A L R

No dia em que os
meteorologistas não ·
prometem mais frio
para a Madeira, embora
Governo quer facilitar CDS/PP/M

conferência
est~a a nevar no Norte
de Africa, o preço do
gás aumenta na Região.
Segundo o director
regional do Comércio,
taxas dos -aeroportos Visando anunciár a
s ubstituição de
vereadores do
CDS/ PP/ M na
Câmara Municipal
os aumentos estarão PSD detém no Parlamento
• OGoverno Regional.
do Funchal, este
dentro dos valores ./ partido promove
previstos para a
Regional quer
uma conferência
inflação. Ao mesmo alargar o Ordem de trabalhos de imprensa,
tempo que acontece quadro das vasta pelas 17.00 horas ,
este aumento, constata- na sua sede.
se que a gasolina
isenções e Mas não só de taxas aero-
"verde" já ultrapassou reduções das portuárias ''vive'' a ordem de
no preço a "super". taxas praticadas trabalhos da sessão plenária, Agricultur a
que tem início a partir das em
• nos aeroportos. 15.00 horas. comissão

o
A Região também já A primeira parte da ses-
s deputados da As- são é preenchida pela apre-
está a pagar, desde o A Comissão
sembleia Regional sentação, a requerimento do
dia 11, o Imposto sobre . vão hoje analisar Parlamentar
o Valor Acrescentado, CDS/ PP / M, do projecto de Especializada de
uma Proposta de Decreto Le- Decreto Legislativo Regional
IVA, segundo a nova Agricultura, .
gislativo Regional que esti- sobre o impacto madeirense
tabela. O comércio e a Florestas e Pescas
pula a efectuação de algumas como critério de adjudicação
hotelaria protestam. reúne-se, a partir das
alterações a um decreto ma- nos concursos públicos.
Tanto na Madeira, como 10.00 horas, para
deirense de 1992 que estabe- De seguida, procede-se à
no Continente, o IVA proceder à análise do
lece o regime de taxas a pra- leitura do parecer da Comis-
aumentou 1 ponto Projecto de
ticar nos aeroportos da RAM. são de Requerimento e Man-
percentual. Na Região Resolução que
A Proposta, da autoria do datos e apreciação e votação
passou de 12 para 13 e "recomenda ao
Governo Regional, prevê que do Projecto de "Alterações
no Continente de 16 Governo Regional
seja alargado o quadro das ao Regimento da Assembleia
para 17 por cento. medidas de apoio à
isenções e reduções de taxas Regional", subscrito pelo
Os restaurantes não vão banana produzida na
praticadas nos aeroportos. PSN/Mo
ter a prometida redução RAM" .
Assim, é objectivo da ini- Um projecto de resolução
da taxa. ciativa fazer com que estejam do PS/ M que recomenda ao

O deputado social-
• isentas do pagamento de ta-
xas de aterragem e descola-
A lei sobre-taxas em vigor data de 1992 e deverá
ser alterada.
GR uma intervenção junto da
"Cabo TV Madeirense", ten-
Santos p r e sid e
a a b ertura
democrata, na gem as aeronaves que, pro- dente a fazer respeitar na Ma- d e cu rso
Assembleia da venientes do Aeroporto de Aeroporto do Porto Santo pa: e pelo secretário regional de deira um decreto-Iei que indi- •
República, Guilherme Santa Catarina, façam escala ra efeitos de reabastecimen- Economia, Pereira de Gou- ca a obrigatoriedade da dis- O secretário regional
Silva, considera ser técnica no Aeroporto do Por- to. veia, refere que importa tribuição de televisão por cabo de Educação,
ainda muito cedo para to Santo exclusivamente pa- Entende o Governo que a adoptar medidas para mino- se processar de forma simul- Francisco Santos,
falar na sucessão de ra abastecimento de com- imposição de tais escalas im- rar aqueles custos e que ve- tânea e integral, está também preside à abertura
., Cavaco Silva, mas há bustíveis. plica necessariamente um nham a contribuir para po- agendado para debate. oficial do Curso de
quem, aponte o nome de Paralelamente, estipula a agravamento de custos que tenciar o crescimento da ac- Segue-se a votação do pro- Técnico Vitivinícola
Eurico de Melo como o Proposta de DLR, se as ae- não se coaduna com os inte- tividade económica regional. jecto de execução de uma es- -do Sistema de
do novo líder do ronaves, para além de pro- resses da Região Autónoma, A presente medida, que trada em Câmara de Lobos, Aprendizagem em
governo e do PSD. cederem ao abastecimento, nomeadamente com os rela- mereceu a concordância da subscrito pelo PSN/ M, entre Regime de
Também ná Assembleia tenham de desembarcar ou cionados com o sector do tu- concessionária dos aeropor- outros temas apresentados Alternância , pelas
da República, o embarcar passageiros, de- rismo. Por isso, a proposta tos regionais, ANAM, vai ser pela oposição parlamentar 12.00 horas , n a
deputado madeirense vem passar a beneficiar de assinada pelo chefe do Exe- aprovada, no mínimo pela madeirense Escola Preparatória
~orreia de Jesus,.da
uma redução nas taxas de cutivo, Alberto João Jardim, maioria de deputados que o .J FREITAS e Secundária de São
bancada do PSD, foi aterragem e descolagem cal- Vicente.
indicado para fazer culada pela aplicação da se- Este curso , -
parte da comissão que guinte fórmula: montante da com a duração de
irá analisar o "caso" divisão do número de pesso- três anos,
das OGMA. as desembarcadas e/ou em- confere no. final do
barcadas pela lotação da ae- mesmo equivalência

O Grupo Leacock
• ronave, a multiplicar pela
taxa de aterragem e descola-
escolar ao 12 º ano,
bem como um
entregou ao Banco gemnormal. Certificado de
Espírito Santo o prédio Qualificação
da Rua Major Reis Minorar custos Profissional
Gomes, seguindo a é objectivo de Nível III da União
execução do acordo Europeia.
celebrado em 1993 As alterações que a Pro- Os 16 jovens que
sobre a hipoteca do posta de Decreto Legislativo farão o curso foram
referido prédio. Depois Regional quer introduzir nas selec.cionados
da transferência de taxas aeroportuárias devem- através de testes
equipamentos e se às actuais limitações do psicotécnicos,
serviços, o grupo Aeroporto de Santa Catari- seguidos de
procedeu à entrega das na, no que respeita às desco- entrevista
instalações que durante lagens de aviões com lotação individual e são
anos foram sede da de passageiros completa, que na sua totalidade
SAM, Madeira Auto-car, impõem a necessidade, rela- oriundos
Leacock Adubo~, etc, à tivamente às rotas de médio Baixar os custos das operações aeroportuárias é o objectivo da proposta do Concelho
instituição bancária. curso, de escalas técnicas no apresentada pelo Governo Regional. de São Vicente.

Director: José Bettencourt da Câmara.


• Redacção, Gerência, Publicidade, Digitação, Paginação,
Chefe de Redacção: Henrique Correia. Revisão e Digitalização:
Sub-chefe de Redacção: Agostinho Silva. Rua da Alfândega, 8 e 10 - 9000 Funchal;
Redactor principal: Luís Calisto Caixa Postal 421 9006 Funchal Codex; - Telex: 72161
Redactor editorialista: Rui Dinis Alves. Telefs.: 220031/ 2 - 222653 - 230766 - 228369 - 230582
Redactores: António Jorge Pinto, Duarte Azevedo , Ekel' Melim, Fax: 228912 (Redacção) - Fax: 229471 (Publicidade).
Helena Mota, João Freitas , Jorge So usa, José Ribeiro, Jual). Fernandez, Depósito legal n.' 1521/ 82. - Impressão: Gmfim adeira
Propriedade: EDN Empresa do Diário de Notícias, Lda, Luís Rocha, Maurício Marques, Miguel Ângelo, Miguel Cunha, Miguel Luís,
Sociedade por' Quolas; Capital Social: 6.500.000S00; Matriculada na Cons. Hcg. Com. Funchal sob o n. tl t044
Miguel Silva, Nicodemos Fernandes, Paulo Camacho, Roberto Ferreira, TIRAGEM MÉDIA EM DEZEMBRO/94: 15.419 EXEMPLARES
Sede: Rua da Alfândega n.' 8 - Funchal Rosário Martins, Tm'esa FIOI·ença.
Coordenadores: Duarte Azevedo (Desporto),
Departamento Comer cial: Manuel Neves
Departamento de Produção: Luís Costa
. Departamento de Arte: Catarina Santos
Migu el Silva (DN·Revista), Antón io JOI'ge Pinto (Malta do ManeI),
Maurício Marques (Economia e Em presas).
Fotografia: Agostinho Spínola, Artur Campos, Manuel Nicolau e Rui Mal'ote.
AssochlÇão Portuguesa
do Controlo de Tiragem
Membro da Associação -t91~-
'PJirI.1~
da Imprensa Diária ...A D""
3
DIÁRIO DE NOTIcIAS - MADEIRA . FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995

E U R I C O D E M E L O E M P R I M E I R 'O G . R.RESPONDE

Interpelação
Guilherme Silva considera à Saúde
na sexta

cedo para falar em sucessões V .


ai realizar-se na
próxima quinta-fei-
ra uma sessão ple-
nária da Assembleia para
a votação e discussão na
• Santana Lopes admite Q nome de especialidade e na globa-
Eurico de Melo para liderar o lidade das propostas do
Governo e o PSD. Quanto a Cavaco plano de investimentos e
despesas de desenvolvi-
Silva, quere-o em Belém. Guilherme mento da Administração
Silva considera que ainda é muito da Região, para o ano de
cedo para falar destas questões. 1995.
Miguel Mendonça, pre-
sidente da Assembleia Le-
deputado ma dei- ao homem forte do Execu-

O r ense do Partido
Social-Democrata,
Guilherme Silva, disse, on-
tivo.
Esta posição foi mani-
festada na edição de ontem
gislativa Regional, após a
reunião de líder es parla-
mentares efectuada on-
tem, referiu ainda que foi
tem, ser ainda muito cedo do ,"Diário de Notícias" d!') decidido não haver perío-
para falar de enventuais Lisboa, em entrevista con- do de antes da ordem do
sucessores no partido. Era cedida por Pedro 'Santana dia nessa sessão, para evi-
a resposta à posição de Pe- Lopes. "Eurico de Melo po- tar que a mesma se pro-
dro Santana Lopes, que dia e devia ser um bom longue «pela noite den-
ontem admitiu, numa de- presidente do partido, se tro».
terminada conjuntura, o Cavaco sair", diz, a propó- Neste encontro foi ain-
surgimento de Eurico de sito. da decidido agendar para
Melo como chefe de Go- Mesmo assim, adianta a próxima sexta-feira a in-
verno. ainda que, caso nenhuma . ,O deputad~ do PSD/M na Assembleia da República não arrisca prognósticos. terpelação ao Governo Re-
Em seu entender, "é das pessoas que "têm mais gional sobre política da
perfeitamente prematuro condições do que eu for Cavaco Silva se deve re- lizadora e as qualidades ve anunciou que vai orga-
estar a falar em sucesso- candidata à presidência candidatar ao cargo de pri- éticas, 'morais e políticas nizar, no dia 21 de Janei-
res. E só se porá nas pró- do partido, ou se houver meiro-millistro. de' que o País continua a ro, em Boliqueime, terra
ximas eleições legislativas. uma estratégia com a qual "As bas«;ls do PSD'estão precisar e de que o PSD natal de Cavaco Silva, um
Que, por sua vez, est~o eu não estou de acordo e em penha4as com 'Õ,pro- . deve ser cada vez mais in- "grande jantar de apoio"
condicionadas aos resulta- uma equipa à qual eu me fessor Cavaco Silva para transigente referencial". ao líder nacional social-de-
dos eleitorais ... ". Além do oponha, por questões de continuar a governar Por- O PSD/Algarve recorda mocr/lÍa.
mais, "o prof. Cavaco Sil- princípio, aí, serei candi- tugal, pois reconhecem que '~foi sobretudo com as Uma fonte do PSD dis-
va ainda não disse que não dato". que o nosso País continua bases do partido que Ca- se estar garantida a pre-
seria candidato às próxi- Quanto ao próprio Ca- · a precisar, nos próximos vaco Silva foi eleito líder sença de alguns dirigentes
mas eleições. Por isso, tu- vaco Silva, continua a de- anos, do verdadeiro intér- há quase 10 anos, na Fi- nacionais do partido, mas
do o que seja indicar no- fender a sua candidatura prete dos seus sentimentos gueira da Foz". não adiantou se Cavaco
mes nesta altura, conside- à Presidência da Repúbli- e anseios", lê-se num co- "Hoje como ontem, as Silva se desloca ou não
ro ser um mau contributo . ca. municado do PSD/Algar- bases do PSD não têm dú- àquele repasto, cuja orga-
que se dá ao partido e às ve. vidas em afirmar que o niz~ção conta com o apoio
próprias pessoas". Algarve defende No documento, refere- nosso País precisa do pro- de todas as concelhias al-
O demissionário secre- Cavaco -se ainda que "as bases do fessor Cavaco Silva como garvias do Partido Social-
tário de Estado da Cultura partido sabem que nin- primeiro-ministro de Por- - Democrata, Juventude So-
do Governo de Cavaco Sil- Entretanto, a Comissão guém, como o professo}' tugal", salienta-se no do- cial-Democrata e Traba-
va considera que o ex-vice- Política Distrital do · Cavaco Silva, tem o senti- cumento. lhadores Social-Democra-
-primeiro-ministro Eurico PSD/ Algarve defendeu, no do de união, espírito de No. seguimento dessa tas.
de Melo poderia suceder ,último fim-de-semana, que serviço, capacidade mobi- sua posição, o PSD/ Algar- PAULO CAMACHO

C A S O O G M A
Saúde , requerida pelo

Correia de Jesus pode ser


Grupo Parlamentar do
CDS-PP.

Regras de acesso
um dós'nomesda 'cooos's ão à Assembleia
O presidente da As-
orreia de Jesus de- do principal responsáveL prestação de serviços das

C
sembleia Legislativa afir-
ve ser um dos no- pela empresa envolvida, · OGMA s'e r.ealizou dural).- · mou que foi aprovado na
mes a indicar pelo depois da notícia vinda a te a vigência da éláusula reunião o regimento para
Partido Social-Democrata público pelo semanário "Triplo Zero'" dos Acor- esta sessão de interpela-
para integrar a comissão "O Independente", no úl- dos de Bicesse e as raízes ção.
de inquérito que irá ave- timo trimestre de 1994. da exoneração do presi- Nesta reunião de líde-
riguar o caso das Oficinas O Diário da República dente da empresa portu- res foi, igualmente, rea-
Gerais de Material Aero- já publicou (no dia 14 de guesa. preciado uma norma já em
náutico (OGMA), apesar Janeiro, sábado) a reso- Vai também inquirir a vigor, referente ao acesso
de os deputados não esta- .lução da Assembleia da razão por que não foi de- de pessoas ao Parlamen-
rem ainda nomeados. Se- República que determina vidamente averiguada, pe- • to.
gundo o assessor de im- a realização de um inqué- lo Governo, a possibilida- Tudo continua na mes-
prensa da Assembleia da rito parlamentar sobre a de da contribuição de en- ma. Isto é, aqueles que
, República, ainda não es- eventual responsabilida- tidades portuguesas para queiram falar com algum
tá nada previsto acerca da de do Governo na presta- o esforço militar na guer- deputado ou funcionário
delicada matéria. Da par- ção de serviços pelas ra angolana, a partir do têm de se identificar e dei-
te dos partidos, o proces- OGMA à Força Aérea An- momento em que foi con- xar r egistado o seu nome
so é idêntico. golana. frontado com acusações na portaria. Um procedi-
Contudo, conseguimos A comissão de inquéri- públicas nesse sentido. mento que já era normal.
saber junto de uma fonte to vai incluir 12 deputados A razão que levou o mi- Segundo o presidente
muito bem coloca da no do Partido Social-Demo- nistro dos Negócios Es- da Assembleia Legislativa
PSD que o coordenador crata, sete do Partido So- trangeiros a continuar a Regional , «não se pode
da parte de Defesa em cialista, dois do Partido garantir a total neutrali- consentir que as pessoas
São Bento será um dos Comunista Português, um dade e imparcialidade Correia de Jesus poderá analisar o caso entrem sem mais nem me-
nomes a apontar pela di- do CDS/ Partido Popular portuguesas no conflito dos helicópteros angolanos. nos, por uma porta ou por
recção parlamentar do e outro do Partido Ecolo- angolano, apesar de não outra».
partido, que tem reunião gista Os Verdes. 'terem sido efectuadas lhões de ,contos de Ango- se em detalhe as suas cau- Miguel Mendonça diz
marcada para amanhã. A principal missão da com sucesso as referidas la às OGMA não consti- sas, são outras das in- que esta é uma medida
Recorde-se que esta referida comissão vai ser averiguações, e arazão tuiu motivo para que o mi- cumQências da comissão. preventiva e de seguran-
questão motivou a saída averiguar se a eventual por que a dívida de 7,5 mi- nistro da tutela conheces- P. c. ça.
4
• o lARIO DE NOTíCIAS - MADEIRA FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995

c O N C L U S ÃO -D A C M E I RA M A O E RA-AÇORES

Socialistas vão pedir à UE


'
.
maIor atençao as ·regtoes
'\
- ~ ' " .~

to, à semelhança do que


• ,o PS da Madeira e o dos Açores acontece com as autar-
vão reivindicar, na União ' quias»,
Europeia, maior consideração
Aproximar
pelas especificidades das
Madeira e Açores
regiões ultraperiféricas.
Ao apresentarem as

o s socialistas da
Madeira e dos Aço-
res acordaram em
influenciar os responsáveis
pela preparação da Confe-
uma forma ajustada e ins-
titucionalizada de partici-
par na discussão e decisão
do que a delegação socia-
lista portuguesa no Parla-
conclusões dos trabalhos,
os socialistas insulares en-
tenderam ser de grande
utilidade uma cooperação
e entreajuda efectiva que
rência Intergovernamental mento Europeu tenha de conduzam à melhoria das
de 1996 destinada a rever assumir, ao tratar de ques- relações económicas, soci-
os tratados da União Euro- tões que digam respeito às ais e políticas entre os Aço-
_ peia, no sentido das regiões regiões ultraperiféricas. res e a Madeira.
insulares, nomeadamente É que, segundo a posi-
as ultraperiféricas, serem Grupo de amizade ção conjunta do PS da Ma-
devidamente consideradas e cimeira insular deira e o dos Açores, a ac-
, e judicialmente consagra- tual situação revela que os
das no futuro comunitário. Após dois dias e meio ~ governos dos dois arqui-
Esta é uma das conclusõ- de trabalhos conjuntos, o pélagos atlânticos «vivem
es da Cimeira Insular do PS da Madeira e o dos Aço- de costas voltadas, enfren-
PS da Madeira e dos Aço- res concluíram que seria tando a solidariedade eu-
ses, apresentadas ontem benéfica a criação de um ropeia e nacional numa
em conferência de im- , "Grupo Parlamentar de Os socialistas insulares querem realizar uma cimeira e criar um perspectiva incoínpreensi'
,prensa. Amizade Madeira/Açores". "Grupo de Amizade" . velmente unilateral».
Ainda no âmbito da UE, Isto com o objectivo de O PS denuncia, por fim,
os socialistas decidiram continuar a promover «o Açores, no próximo mês de mulação dos sistemas auto- compet~ncias do Estado e
que os governos insulares
dar uma particular aten- relacionamento útil e fra- Fevereiro, O evento vai in- nómicos, tendo em linha de das Regiões, são duas das vão apoiar Cavaco Silva
ção à revisão dos tratados, terno» entre as duas Re- 'cluir também os socialistas conta os actuais bloqueios alterações em que o PS in- nas próximas eleições,
na óptica do Comité das giões Autónomas. das Canárias. à desconflitualização do po- sular se vai empenhar, apesar dos conflitos exis- '
Regiões: no que respeita à Igualmente neste pro- der político regional na or- Depois, haverá a preten- tentes entre o primeiro-mi-
sua «composição e repre- pósito, as direcções das du~ Fuga a conflitos ' ganização doEstado. são em redefinir a implica- nistro e os líderes das Re-
sentatividáâe,;, bem como as 'estruturas regionais do políticos Neste contexto, «a deli- .' ção das alterações no sis- giões Autónomas, Esta ac-
no que 'çoncerne às «suas PS aprofundaram posiçõ- mitação constitucional pre- tema de financiamento das ção é caracterizada pelos
competências, que não de- es relativamente a uma O encontro, que contou cisa, rigorosa e taxativa das autonomiás e da sua res- socialistas como uma ati-
verão continuar sendo me- próxima cimeira insular com a presença do presi- matérias de interesse eS- ponsabilização financeira , tude de «hipocrisia» e de
ramente consultivas». socialista, cuja realização dente do PSI Açores, Car- pecífico» e a definição de perante o Estado, «em que «malabarismos». .
, Em paralelo, o's socia- está prevista para ter lu- los César, concluiu também um «modelo mais rigoroso avulta a necessidade de
, listas acordarapl encontrar ga,r na Ilha Terc'eira, nos pela necessidade da refor- e claro de articulação das uma lei própria para o efei- J. FREITAS

ORÇAMENTO DE - ESTADO SINDICATO PROTESTA

Empresa da Z. ·Franca
Soares respondeu a Jardim "arrasa" mercado do pão
presidente do Go- Sindicato dos Tra-

O verno Regional
recebeu ontem
uma carta do Presidente
O
,
balh,adores das In-
dústrias de Ali-
mentação e Bebidas da
da República, sobre a re- RAM emitiu um comunica-
clamação acerca do Or- do em que protesta contra
çamento de Estado. a instalação de uma multi-
Depois de referir "a nacional do sector de pa-
atenção e o ;interesse 1'" nificação na Zona Franca
bem éomo "a'importâQcia Industrial. "A unidade in-
atribuída ao assunto", o dustrial que está sendo ins-
Chefe de Estado informa talada pelo grupo 'PANRI-
ter solicitado ao Governo CO' é totalmente automa-
da República, inforinaçõ- tizada e é fornecida por ra de Gouveia. O encontro
es. complementares às moagem própria. Em con- foi pedido no passado dia
matérias, mencionadas na dições de concorrência am- 12 de Dezembro, mas "pas-
carta do presidente do plamente vantajosas devi- sado um mês, o secretário
Governo Regional. do aos benefícios decor- ainda não se dignou rece-
O Presidente da Repú- rentes da Zo.na Franca e à ber a direcção do sindica-
blica comunica que, "fa- tecnologia de ponta que to", afirmam.
ce aos esclarecimentos possui , esta unidade in- Os trabalhadores exi-
prestados por escrito pe- dustrial poderá levar à fa- gem "uma intervenção cla-
lo Governo, e ponderados lência generalizada do sec- ra por parte do Governo .
os inconvenientes de pro- tor da panificação da Regional nesta matéria de
telar a entrada em vigor SOiiires ficou satisfeito çom ~s explícações do novern() de Cavaco,
.\
RAM", alerta o comunica- modo a salvaguardar os
de um documento tão fun- {
do, postos de trabalho exis-
damental para a política das pelo Governo Regio- critérios de política eco- vi.sta a assegurar uma Segundo estimativas do tentes".
económica portuguesa", nal da Madeira, colocam nómü)a adoptad9s pelo maior solidariedade e co- sindicato, estarão em ris- Além deste caso, será
decidiu promulgar o De- "opções de natureza fis- Governo e pela Assem- operação institucional en- co cerca de 700 postos de discutido no plenário con-
creto da Assembleia da cal e de afectação de re- bleia da República" que, tre os 'vários órgãos do trabalho. vocado para quinta-feira,
República que aprova o cursos financeiros públi- como tal, o Chefe de Es- poder.central, regional' e Face a esta situação, a a questão do aumento sa-
Orçamento, de Estado, , cos entre parcelas do ter- tado não deve pôr em local". ' direcção regional do sin- larial. A proposta do pa-
C,ons1dera, ainda ' o ritório nacional que, sen- cauS;1. O presidente ,do Go- <;I.icato solicitou uma reu- tronato é de 5% e os sin-
Presidente da República, do susceptívei.s de dis- O Presidente da Repú- verno Regional respon- nião com o secretário re- dicalista afirmam ser ne-
na sua' carta, entender cussão oomo todas as blica conclui que não se deu já, a agradecer a gional da Economia e Co- cessário discutir o Contra-
que as qu~stõ,esl~vanta- opções, Qorrespondema po_u pará "a e~fotços , com atenção dispensada. , operação Externa, Perei- to Cólectivó de Trabalho.
FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995
5
DIARIO DE NOTICIAS - MADEIRA

A PA R T I R o O DIA 1 1

Madeira já paga
IVA mais caro ·
• o comércio e a hotelaria não estão satisfeitos com
o aumento do IVA na Madeira, que começou a vigorar
na Região no passado.dia 11.

JUAN FERNANDEZ

o s madeirenses já
estão a pagar
mais IVA. Segun-
do nos foi dito, o aumento
do Imposto de Valor
apregoar
tos» .

«Perda de
agravamen-

competitividade»
tria qu e beneficiou do
não aumento dos custos
energéticos, enquanto na
Madeira houve um au-
mento». Madeirenses já estão a pagar IVA mais caro e alguns nem sequer sabem.
Acrescentado, começou a
vigorar na Região no pas- Por outro lado, o em-
sado dia 11, No Continen- presário de hotelaria An-
te, a subida verificou-se tónio Trindade referiu
logo no dia 1 do corrente que «to das as receitas
ano. que não sejam alojamen-
Tanto na Mad€ira, co- to e pequeno almoço, que
mo no Continente, o IVA vão beneficiar de uma ta-
aumentou 1 ponta per- xa reduzida de 4 por cen-
centual. Na Região pas- to, passaram a pagar 13
sou de 12 para 13 e no por cento de IVA a partir
Continente de 16 para 17 do dia 11».
por cento. Sobre os efeitos do au-
O IVA vai abranger to- mento do IVA neste sec-
dos os serviços. No sector tor, revelou que «num ho-
de hotelaria, os restau- tel convencional sensi-
rantes não vão ter a pro- . velmente 40 por cento
metida redução da taxa. das receitas têm um agra-
A nível de hotéis apenas vamento de 1 por cento». 13.30H - 16.15H - 19.00H - 21.45H
o alojamento e o pequeno Para além disso, Antó-
almoço beneficiarão de nio Trindade lembrou
uma percentagem esped- que «o agravamento do
aI: 4 por cento. IVA não pode ser passa-
do pelas empresas para
«Aumento os clientes, dado que
penalizante» grande parte das receitas
já foram contratadas com
De acordo com Eurico os operadores», tendo
de Sousa, da mesa de co- lembrado, por exemplo ,
mércio da ACIF «este au- que «o facto da peseta ter
mento vai penalizar as desvalorizado em relação
empresas , e, especial- ao escudo simboliza mais
mente, os consumidores», um factor de perda de
tendo sublinhado que «o competitividade ».
Governo Regional pode- Neste âmbito recordou
ria ter evitado esta subi- que «para além da desva-
da; contudo, não o fez lorização da peseta, a res-
porque também está pre- tauração na Espanha,
ocupado em arranjar re- que estava tributada à ta-
ceitas». «Daí o não inte- xa normal, passou a ser
resse em lutar por taxas tributada pela taxa redu-
reduzidas» - disse. zida».
Para Eurico de Sousa,
«ninguém pode dizer que Promessa não
o a umento de 1 por cento c-qmprida
é insignificante», ressal-
vando que «a carga fiscal António Trindade re-
não faz mais do que pe- cordou que «quando no
nalizar toda a gente». ano passado houve, a ní-
«Espero que o Estado sai- vel nacional, a redução
ba administrar bem as do IVA, na Madeira não
verbas que vai angariar se verificou qualquer des-
com este aumento do cida. Mantiveram-se os 12
IVA» - realçou. -por cento. Julgávamos
Para o responsável pe- que era um crédito ante-
la mesa de comércio da rior suficiente para não
ACIF, «por enquanto não aumentar agora, mas' afi-
há sinais. da retoma eco- nal não foi bem assim».
nómica de que o Governo António Trindade lem-
tanto fala». «Na área que brou, todavia, que «no
eu conheço melhor é só ano passado tinha sido
preços a disparar. Os pre- prometido às associações
ços na origem aumentam empresariais hoteleiras
e o poder de compra da que a taxa média do IVA
população mantém-se na passaria para taxa redu-
mesma» - frisou. zida».
Instado a comentar Para além do aumento
porque razão o público do IVA e como exemplo
em geral não teve conhe- das dificuldades que a ho-
cimento de que o IVA ha-
via aumentado na Mad~i­
ra, Eurico de Sousa res-
telaria na Madeira está a
registar, António Trinda-
de lembrou que «a nível
FILME DE QUALIDADE
M/.16 ANOS Apoios: IRDPliRTPi
IMADEIRA I IMADEIRAI
pondeu: «Não há grande nacional o sector foi inte-
vantagem em andar a grado na área da indús-
DIÁRIO DENOTIcIAS - MADEIRA FUNCHAL, 17 DE JANEIRO D( 1995

PROTOCOLO C M F/ D M A R I A

Teatro continental mais perto


• o intercâmbio de espectáculos,
artistas e técnicos entre a Câmara
Municipal do Funchal e o Instituto
das Artes CénicaslTeatro Nacional
D. Maria II é agora possível. Um
protocolo com esse objectivo foi
assinado ontem.

Câmara Municipal rimental do Funchal. Igual-

.A do Funchal e o
Instituto de Artes
Cénicas/ Teatro Nacional
mente a apoiar os alunos
madeirenses nas escolas
de teatro do Continente.
D. Maria II assinaram Carlos Avilez, vice-presi- .
ontem, no Teatro Baltazar dente do Instituto de Artes
Dias, um proto colo de Cénicas e Director do
qolaboração em activida- Teatro Nacional D. Maria
des de dinamização cultu- II, após a assinatura do
ral. O objectivo é promo- protocolo, referiu à Comu-
ver acontecimentos cultu- nicação Social que o
rais de qualidade. Teatro que dirige desem-
Nesta perspectiva serão penha um papel importan-
efectuados intercâmbios de te em relação à cultura.
espectáculos, artistas e Que é função do Teatro
técnicos entre as duas Nacional dar exemplo e
instituições. estabelecer uma relação
A Câmara Municipal do muito forte com o Teatro
Funchal compromete-se a em Portugal. Neste senti-
apoiar a deslocação de do destacou o interesse, da
espectáculos do Teatro instituiçã o que dirige,
Experimental do Funchal numa colaboração directa.
a Lisboa, assim como E adiantou que «o diálogo
artistas e técnicos para serános dois sentidos». Foram acordados intercâmbios de espectáculos, artistas e técnicos.
estagiarem na Companhia. Considerou mesmo que é
deste tipo de relações que 1'0» (Maio), «O beijo da Por sua vez, Miguel de do nosso concelho e de cultura, mas que recusa
Compromissos «pode nascer a política mulher aranha» (Setem- Albuquerque, presidente toda a Região». Isto por qualquer concepção dog-
teatral portuguesa». bro) e «Love letters» da Câmara do Funchal afiro. considerar que o protocolo mática e oficial da cultura:
Por sua vez, o Instituto (Dezembro ). mou estar convencido que assegura um «conjunto de «A nossa politica afirma-se
das Artes Cénicas/Teatro Novos A ida de grupos de a assinatura dó protocolo potencialidades de promo- pelo princípio da liberda-
Nacional D. Maria II, espectáculos teatro do Funchal a Lisboa inicia «um efectivo projec- ção cultural, que não pode de - neste caso - liberda-
compromete-se a apoiar os . vai também ser estudada, to d~ descentralização e ser di!?sociado de uma de de criação, e pela
grupos · de Teatro dó A finalizar, e já no âmbi- disse Carlos Avilez. «Cabe cooperação cultural como, estratégia lúcida de desen- consolidação das condiçõ-
Concelho do Funchal, a to do protocolo, anunciou ao Teatro Experimental do simultaneamente, vislum- . volvimento da nossa cida- es de acesso aos bens da
deslocar espectáculos à a vinda à Madeira de Funchal propor ao Teatro bramos a concretização de de». Afirmou ainda que cultura pelo maior núme-
cidade, a enviar encena- quatro espectáculos: «O Nacional quais os espectá- uma oportunidade singular compete ao município não ro ·de cidadãos e agentes
, dores e artistas para as Diário de Anne Frank» culos que quer levar», de apoió, revitalização e esquecer 'as suas respon- culturais» ;
produções do Teatro Expe- (Março), «O que diz Môle- acrescentou: divulgação do teatro a nível sa.bilidades no campo da T. F.

c O N F I R-· M A A O D I Á R 10

Demissão de Santana
deixa Avillez com pena
arlos Avillez, dir:ec- Ser director do Teatro interessado em continuar". sível e nada de vedetismos.

C tor do Teatro Naci-


onal D. Maria II
desde 1993, foi um nome
Nacional é ou não . um
cargo político?
"O teatro não é partida-
Carlos Avillez recusa-se
a criticar as gestões l:tnte-
riores mas defende que o
No seu currículo consta
a colaboração em grupos
experimentais e no Teatro
proposto por Pedro Santa- rizado, mas é sempre polí- Teatro D. Maria deve .ser Universitário de Lisboa.
na Lopes, ex-secretário de tico. Mesmo o teatro sem por excelência "um teatro Estreou-se na Companhia
Estado da Cultura (SEC), qualidade é político porque europeu", "altamente pres- Rey Colaço-Robles Montei-
para ocupar o lugar deixa- define os interesses cultu- tigiado", com "datas rigo- ro onde estaria entre 1956
dô por Augustina Bessa rais de um país. A frase rosas" isto é, a "imagem e 1963. Depois de algumas
Luís. hão é minha - o teatro é o do teatro português". experiências como ence-
Carlos Avillez assume a espelho da sociedade". A sua passagem pela nador, passou pela Socie-
"boa relação" mantida com Com a saida de Santana Madeira justifica-se com a dade Guilherme Consoul
Santana Lopes e não Lopes haverá alterações assinatura do protocolo com a peça "A Castre", de
esconde uma certa pena: no projecto inicial? ontem estabelecido entre o . António Ferreira. Dirigiu
. pela sua demissão volun- "Não. O actual respon- Departamento Cultural da depois o Teatro Experi-
tária. sável pela pasta da Cultura Câmara Municipal do mental do Porto e o Citac
"O dr. Santana Lopes foi também uma das pesso- Funchal, o Teatro Nacio- de Coimbra. Fundou com
sempre nos tratou muito as que apoiou a minha nal e o Instituto de Artes um grupo de colegas o
bem. Qualquer profissio- entrada". Cénicas. Os frutos resul- Teatro Experimental de
nal de teatro .reconhece Acha que o teatro e os tantes deste acordo serão Cascais (TEC) tendo sido
-isso! Quando fui convida- . actores perderam "um vistos ainda este ano. premiado nacional einter-
do para director do Teatro amigo"? Alguns dos trabalhos leva- nacionalmente. Como
Nacional estabelecemos as "Qualq uer profissão - dos à cena da capital atra- -bolseiro da Fundação Para Avilez õ teatro 'e'o'''espelho da sociedade".
condições mútuas e ele .perde quando sai uma vessarão fronteiras. Já era Caloúste Gulbenkian esta-
deixou-me trabalhar com a' pessoa que gosta dela. Nós tempo de aéordarmos giou no Centro de Pesqui- Foi director do TEC e Brasil, Estados Unidos,
maior liberdade possível. pensamos que o actual. desta "santa" letargia. sas Teatrais em Paris diri- da Companhia Nacional I Angola e Moçambique. É
Eu percebi qual ' era a secretário vai continuar a . Carlos Avillez é consi- gido por Peter Brook e e dirigiu a representação . agraciado com a Medalha
orientação que ele queria. política anterior. Se mudar derado pela classe teatral como bolseiro do Instituto ' portuguesa da Expo 70 em de Mérito Cultural e Meda-
. Ele entendeu o que eu essa política... eu terei de como um "grande senhor da Alta Cultura trabalhou Osaka . . Trabalhou no lha de Mérito .lVlunicipal. .
pretenaia" . repensar se estou ou não do Teatro". Simples, aces- com Jerzy Grotowsky. . Japão, Espanha, Françà, L. B.
7
DIÁRIO DE NOTIcIAS - MADEIRA

R E C O N D UZ I D O DIREC .Ç ÃO DA ASSICOM
FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995

N A Nota Oficiosa
Jaime Ramos defende 1. Na sua ediçã.o de
Nº 2/ 95
O G.overn.o c.oncretizará
d.oming.o, uD;l matutin.o .o Plan.o de Desenv.olvimen-
estabilidade no sector apresenta inc.orrectamente
a pr.oblemática da Fregue-
sia de Machic.o. Pr.ocura
t.o Regi.onal em t.od.o .o
Arquipélag.o, sem excep-
çã.o, e c.onf.orme as pri.ori-
c.om .os sindicat.os, é .outra resp.onsabilizar .o G.overn.o dades estabelecidas. Fará,
• Tomaram, das metas a c.ons.olidar, de e as administrações spciais- primeir.o, infrà-estruturas
ontem, posse ac.ord.o c.om Jaime Ram.os. dem.ocratas, que inc.ontes- de saúde e esc.olares que
os novos «Este sect.or emprega cerca tavelmente têm aí .obra ainda estejam em falta,
de 12 mil trabalhad.ores, p.or realizada, n.o mesm.o plan.o c.om.o um port.o de pescas
órgãos da iss.o, t.od.o .o cuidad.o é p.ouco, daqueles que nada fazem, de certa envergadura, es-
ASSICOM - I n.o sentid.o de nã.o se criar nem sequer, p.or razões . tá em c.onstruçã.o n.o Cani-
Associação de c.onflit.os que .originem insta- meramente partidárias, çal, a reduzidissima distân-
bilidade e reflex.os negativ.os apr.oveitam as disp.onibili- cia.
Indústria e na produtividade d.os pr.ojec- dades que lhes estã.o c.ol.o-
Construção - t.os», sublinh.ou. cadas. 4. Mais se pr.otesta pela
para o próximo O presidente da ASSI- afirmaçã.o atribuída a.o
COM disse ainda que a exi& 2. O G.overn.o não aceita presidente d.o G.overn.o ,
triénio. tência de pr.oblemas n.o ser p.ost.o n.o mesm.o plan.o s.obre .o presidente da
sect.or acarretaria situações d.os infract.ores, para estes Câmara Municipal de P.ort.o
aime Ram.os, rec.ondu- difíceis de s.oluci.onar, n.ome-

J zid.o na presidên.cia da
Direcção , afirm.ou que
.os próxim.os an.os não serão
COM têm de estar prepara-
das e .organizadas de manei-
ra a ac.ompanharem t.oda a
adamente para .o p.oder p.olí-
tic.o. P.or iss.o, afirm.ou que,
já na próxima semana, esta-
desculpabilizar, quand.o .os
cidadã.os h.onest.os de
Machic.o rec.ordam .o n.oss.o
trabalh.o na Freguesia, em
Sant.o, a qual é falsa e
pretende estabelecer lití-
gi.os inúteis, bem c.om.o se
pr.otesta p.or, s.obret.oda a
fáceis para .o sect.or. «Mas acção que será desencadea- rã.o c.oncluidas as reuniões estradas, água, electricida- matéria, nã.o ter sid.o .ouvi-
serão apr.oveitad.os», garan- da pel.o Plan.o de Desenv.olvi- c.om .os sindicat.os que, neste de, saúde, infra-estruturas da uma das partes, preci-
tiu. ment.o». Fonnação m.oment.o, neg.oceiam .os esc.olares, desp.ortivas e de samente .o presidente d.o
Apesar de referir que Este resp.onsável cham.ou profissional aument.os salariais. s.olidariedade s.ocial, inici- G.overn.o a quem se preten-
as entidades .oficiais têm a atençã.o das entidades A c.oncluir, Jaime Ram.os ativas culturais, etc. de atingir.
«programas ambici.os.os para g.overnamentais, n.o sentid.o referiu que aASSICOM conti-
.os próxim.os an.os», critic.ou de terem «cuidad.o na aber- nuará a pautar-se p.or uma 3. A Freguesia de Machi- Funchal, 15 de .Janeir.o
.o temp.o escass.o de que tura d.os c.oncurs.os, p.orque, p.ostura crítica, «quand.o tal . C.o f.oi .o únic.o cas.o, nas últi- de 1995
dispõem as empresas para muitas vezes, não se verifica f.or necessári.o, tant.o c.om .o mas eleições regi.onais, de
executarem as .obras. Ist.o da f.orma mais correcta, ist.o p.oder autárquic.o com.o c.om rejeiçã.o dem.ocrática d.o O PRESIDENTE DO GOVERNO
p.or haver dificuldades na é, de ac.ord.o c.om .o decret.o .o governativ.o. A imagem de pr.ograma d.o g.overn.o, que REGIONAL
.obtençã.o de técnic.os, ·na 100/ 88». que s.om.os .os "yes men" d.o ag.ora alguns dizem afinal ALBERTO JOÃO CARDOSO
Região. Apr.oveitand.o este act.o, .o p.oder é c.ompletamente pretender. GONÇALVES JARDIM
Dar apoi.o aos associad.os, presidente daASSICOM disse dist.orcida. S.om.os crític.os,
n.o sentid.o de garantir a reali- que a FIC - Feirá da Indús- . mas construtiv.os».
zação dessas .obras, que vão tria e C.onstrução -vai reali- Crisóst.om.o de Aguiar
ser lançadas já a partir deste zar-se n.ovamente na·Escola continua à frente da Assem-
an.o, é um d.os grandes .objec- Secundária Francisc.o Fran- bleia Geral. N.o C.onselh.o
tiv.os que Jaime Ram.os se C.o, «apesar d.os .obstácul.os Fiscal, Paul.o França G.omes
pr.opõe cumprir. encontrad.os». é .o presidente.
«As empresas e a ASSI- Jaime Ram.os denunci.ou R. F.
8
• DIÁRIO DE NOTIcIAS - MADEIRA FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995

P R EV Ê S E APENAS c ,
H U V A REUNIÃO DO SPM

Reivindicações
Neve no Norte de Mrica em agenda
"." infl · Re· "." , O Sindicato de Pro- com a ministra, a 28 de De-
zembro passado também foi

nao uencra a gtao ::~:~~!~;~:.~


fessores da Madei-
. . ra (SPM) realizou, objecto de análise na medi-
da em que não foram discu-
tidos todos os assuntos em
sindicais para prestar in- agenda. A ministra limitou-
formações sobre determi- se a dar duas informações
• A temperatura nados assuntos uma vez que que "depois vão sair oficial-
não vai baixar os mesmos são pólos difu- mente como se os sindica-
muito, mas as sores de informação e cons- tos tivessem sido ouvidos,
tituem interlocutores privi- mas o que ela se limitou a
chuvas legiados junto dos restantes dizer foi que foram publica-
deverão profissionais. . dos dois diplomas no Diário
marcar Da ordem dos trabalhos da República", lamentou. O
destaque-se as negociações diploma da habilitação dos
presença. salariais e os acordos feitos docentes deve, na opinião
com o Sindicato dos Qua- do sindicato, ser revisto "de
súbita queda de, ne-

A ve no Norte de Afri-
ca, facto que não
ocorria naquela região há
dros Técnicos Superiores.
Na opiníão de Fátima Amé-
lia, membro da direcção do
SPM, o acordo feito entre
modo a que as necessidades
e formação dos professores
sejam adequadas à realida-
de. O que ela fez foi deixar o
mais de 15 anos, não deve-
Governo e Sindicato dos documento como estava e
rá influenciar o estado do
Quadros Técnícos Superio- juntar algumas licenciatu-
tempo -na Madeira nos pró-
res "indica que nós vamos ras ao documento já exis-
ximos dias. Segundo a de-
perder a paridade que exis- tente.
legação na Madeira do Ins-
tia com a carreira técnica Perante a situação prevê-
tituto de Meteorologia, não
superior da função pública se um plenário a nível naci-
é previsível que se registe
"porque até agora o topo da onal para que os professo-
. uma descida nas tempera-
carreira dos licenciados era res possam contestar. Na
turas, prevendo-se, apenas,
igual, em valor, ao topo da mesma será aprovada uma
chuvas mais intensas ao
carreira dos quadros técní- moção, também a nível na-
longo do dia de hoje. Uma imagem que deverá ser a dos próximos dias. cos superiores. "Neste acor- cional, que será entregue
Influência do a diferença a existir en- aos órgãos e soberanía.
tre esses profissionais e a 'Finalmente a questão
uma latitude sul impensá- 01' intensidade em todo o orologia, "não há razões
carreira docente será de cer- dos professores contratados
Distando apenas 354 mi- vel, com efeitos visíveis nas arquipélago, única altera- para temer uma súbita
ca de 29 mil escudos", refe- "eternamente" também foi
lhas do continente africa- principais cidade do Norte ção significativa do estado descida das temperatu-
no, não raras vezes li Re- riu. O que a SPM reivindica objecto de análise. Face a
de África que chegaram a do tempo na Região. ras" . Confrontado com as
gião é influenciada pelas face a esta medida é uma re- esta situação pôs-se a cir-
registar um metro de altu- Segundo a previsão dos assimetrias verificadas en-
condições climatéricas re- visão da carreira docente. cular um abaixo-assinado.
ra de neve , registando-se meteorologistas, é de pre- tre as temperaturas míni-
gistadas em Marrocos, com A última reunião tida LEONOR SENA UNO
também a sul de Portugal ver para os próximos dias mas e máximas - dia
os ventos de "Leste" a con- (Algarve) temperaturas mu- "céu muito nublado, vento quentes, noites frias - ve-
tribuir, normalmente, pa- ito baixas para esta altura de Sudoeste moderado, 25 rificadas nos últimos dias, D URAN TE o D I A
ra a subida da temperatu- do ano(2 graus). a 35 kmsjhora, períodos o meteorologista conside-
ra em todo o arquipélago.
Sistema frontal
de chuva" . Para amanhã a
previsão aponta para "ven-
rou estas normais, com
uma única diferença: os
Estrada da Boa Nova
Inédito
Esta situação invulgar
to de Oeste, moderado, de
20 a 30 kmsj hora, e perío-
madeirenses têm sido sido
bafejados pela generosi-
. interrompida
Neste caso; e segundo o acabou por não influenci- ma das faixas de As alternativas aponta-

U
dos de chuva fraca". Na dade do sol que nestes úl-
DIÁRIO apurou, a inespe- ar o estado do tempo na quinta-feira a intensidade timos tem bril hado com rodagem da estra- das são a Estrada Conde de
rada vaga de frio, e conse- Madeira já que a Região do vento será menor mais intensidade. da da Boa Nova es- Carvalhal e o Caminho do
quente queda de neve, ficou tem estado sob a influên- (15 j 25 kmsj hora) e os pe- Já sabe: se pretende tará interrompida durante Palheiro. O trânsito não es-
a dever-se à influência de cia de um sistema frontal ríodos de chuva fracos. sair hoje de casa, o melhor o dia de hoje, entre as 6 e tará interrompido na Es-
dois anti-ciclones localiza- que, deslocando-se do então é levar consigo um as 21 horas. O motivo des- trada da Boa Nova, mas fi-
dos na Europa central e que Atlântico para o continen- Temper aturas guarda-chuva. É porque tu- ta decisão da Direcção Re- cará muito condicionado.
"bloquearam" a passagem te, está agora mais próxi- do indica que a pesar de gional de Estradas são as Quem efectuar o per-
de uma massa de ar quen- mo da.Madeira. Assim é de Na opinião de Cesar não sentir frio, vai apa- obras da cota 40 no tabu- curso de e para o aeroporto
te. Assim, uma corrente de prever que nos próximos Pestana, delegado na Re- nhar chuva, com certeza. leiro de uma das novas pon- deverá ter em consideração
ar frio continental alcançou dias a chuva caia com mai- gião do Instituto de Mete- M.T.c. tes. as alternativas apontadas.

BOM B A D E GASOLINA ENCERROU o N TEM

Leacock entrega imóveis ao banco


o fim do império Le- graves problemas financeiros mercializava diferentes tipos
acock na Rua Major que atravessou e que levaram de combustivel. Daí que o seu
Reis Gomes. ao encerramento da maioria encerramento não constitua
Está já em execução das empresas do grupo. uma surpresa. Parte dos
o acordo celebrado em 1993 Depois do encerramento equipamentos utilizados no
entre -o Leacock e o grupo E& das lojas de bordados, adu- referido posto de abasteci-
pírito Santo sobre a hipoteca bos, auto-eléctrica, e da tran& mentos (depósitos, etc) vao
do prédio urbano da Rua Ma- ferência da SAM e da Madei- ser agora transferidos para
jor Reis Gomes. Concluída a raAuío-carparaaNazaré,on- . as instalações da Madeira Au-
transferência de equipamen- tem foi a vez da bomba de ga- to-car na Nazaré, não sendo
tos e serviços, o grupo ma- solina encerrar ao público. contudo viável a abertura ao
deirense procedeu à entrega Uma situação esperada e jU& público de novo posto de
das instalações que durante tificada pelo facto da mesma abastecimento.
anos foram sede da SAM, Ma- ter funcionado a título provi-
deiraAuto-car, LeacockAdu- sório durante este último ano, Multiger dona
bos, etc, à instituição bancá- até que todas as empresas Le-
ria. Tudo conforme estipulava acock fossem transferidas, ou Iniciando a derradeira fa-
o acordo de hipoteca feito pa- encerradas, prazo dado pela se da sua extinção, os bens
ra toda aquela zona, com ex- instituição bancária para co- imóveis do grupo Leacock à
clusão da parte que pertence brar a hipoteca. Rua Major Reis Gomes estão
à Empresa Madeirense de Ta- agora nas mãos da filial imo-
"Bomba branca" biliária - Mllltiger - do gru-
bacos.
A este propósito apurámos po Espírito Santo. Por resol-
Acordo de 93 que este P.osto de abasteci- ver fica apenas o destino dos
Com este acordo, que ago- mento funcionava como três inquilinos instalados no
ra se concretiza, foi possível "bomba branca", depois da prédio. .
ao grupo Leacock resolver os retirada da BP, já que co- MTC. Este prédio passa para a posse do Banco Espírito Santo.
DIÁRIO DE NOTIcIAS - MADEIRA

C I N E MAX
FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995

'.
9

Funchal tem novo cinema


• "PUlP FICTION"-A Palma de Ouropara Quentin
Tarantino Seis nomeações para os Globos de Ou~o
Favorito às nomeações para os Oscars
Inaugurou o "Cine Max" no dia 16
O Funchal já tem um novo cinema.

r a ta-s e do Cin e Keitel, Maria de Medeiros do filme sem intervalo, o

T Max , instalado no
Centro Comercial
do Infante, com capacida-
e Bruce Willis, Seguem-se,
" Maverick " de Richar d
Donner , com Jodie Foster
que é inédito na Região,
ma s u sual em qu alquer
país europeu. O preço dos
de par a 120 lugares, Ex- e Mel Gibson. "Kika" de bilhetes é o praticado por
tremamente confortável e Pedro Almodóvar, último todos os cinemas do Fun-
de traços modernos, o Ci- filme do polémico director chal, ou seja, 550$00. Par-
ne Max está apetrechado espanhol. "Wyatt Earp" de que de estacionamento, ba-
com o material mais mo- Lawr ence Kasdan , com -res, restaurantes e diver-
derno e próprio para salas Kevin Costner, Gene Hack- sas lojas comerciais com-
de cinema, o que faz com man, Dennis Quaid e Isa- põem o empreendimen-
que esta sej a uma das sa- bella Rosselini. to.
las de melhor qualidade do O cinema Max é propri-
país, edade da "Cocine" e tem
Proj ecção automática, como programador, Timó-
Som Dolby Stereo com uso ' teo Gom e s ,. que tem o
do Surround para os efei- apoio das Distribuidoras
tos especiais, a pr ograma- Portuguesas: "Filmes Lu-
ção será marcada pelos fil- somundo ", " Colúmbia",
mes .comer ciais de quali- "Warner", "Tri-Star", "Fil-
dade, Qualidade bem níti- mes de Portugal", "Filmes
da nas películas já a-gen- Castelo Lopes", "Atalanta
dadas e previstas para as F ilm es" e "Vitória Fil-
primeiras semanas: "Pulp mes".
Ficti on " de Quentin Ta- O Cine-Max apresenta-
rantino , com John Travol- rá diariamente cerca -de 4
ta, Uma Thurman, Harvey a 5 sessões, com exibição

S V ICENTE

Pólo de
aprendizagem
oje, dia 17 pelas 12 Cada auo tem a duração

H horas, na Escola
Preparatória e Se-
cundária de São Vicente,
de 11 meses e os formado-
res terão lnn leque de 14 do-
mínios agrupados em For-
o secretário regional de mação Geral, Formação
Educação presidirá à aber- Tecnológica e Prática Si-
tura oficial do Curso de mulada, para'além da For-
Técnico Vitivinícola do mação em Posto de Traba-
Sistema de Aprendizagem lho, ou seja na Empresa.
em Regime de Alternância. Os jovens que far ão o
Este curso, com a dura- Curso, em númer o de 16,
ção de 3 anos, confer e no foram seleccionados atra-
final do mesmo equivalên- vés de testes psicotécnicos,
cia escolar a o 12 .º ano e seguidos de entrevista in-
um Certificado de Qualifi- dividual, pertencendo na
cação Profissional de Ní- sua totalidade ao concelho
vel III da União Europeia. de S. Vicente.

DE FEVEREIRO

Início do curso
de manequins
erá início a 1 de balhos, quer no mercado

T Fevereiro na sala
Karaokki do Hotel
do Mar, no Funchal, o pri-
de trabalho na Madeira,
que, como se sabe é muito
limitado, quer no merca-
Corsas de 1995 a preços de 1994 ...

_meiro curso de Modelos e do continental, onde há


Manequins, dado pela Tu- outras opções profissio-
rismoda da Madeira. nais e outros horizontes. .. ,suportamos o aumento dos impostos até 28/2/95.
O curso será ministra- Daqui ao mercado inter-
do, três vezes por sema- nacional é um passo, des-
na, aó fim do dia ou no de que haja rigor e
fim-de-semana. profissionalismo no tra-
O curso será ministra- balho.
do por uma "expert" no Dão o seu patrocínio a
assunto, Rita Esteves, di- esta iniciativa, acompa-
rectora da New Agency de nhando e promovendo o
Lisboa, que na capital curso de Revista Estética
também ministra estes do continente, e, obvia-
cursos na sua Agência de mente o jornal TUrlsmo-
Modelos. da.
Uma das vantagens do As inscrições, para as
. curso é precisamente, dar
continuidade ao trabalho
desenvolvido , já que as
jovens interessadas, entre
os 14 e 21 auos, podem ser
feitas no Karaokki ou na
OPELe-
moças que tirarem provas recepção do Hotel do Welsh, Gomes & Aguiar, Lda .• Rua 5 de Outubro, 92. Telef. 220584/225427
positivas, poderão, de Mar, até ao dia 24 de Ja-
' imediato, ter acesso a tra- neiro.
10 tráfego
marítimo
• DIÁRIO DE NOTrCIAS - MADEIRA FUNC HAL, 17 DE JANEIRO DE 1995

J Á EM ACTIVIDADE

"Caeine" substituiu "Rovuma"


na fisealizaçãodas águas regionais
decidido desmantelá-Ia». de "Sua Majestade", preci-
• Chama-se "Cacine" e é a Assim, na sequência dos sou ao DIÁRIO a Capitania
embarcação da Marinha trâmites legais, foi efectua- do Porto do Funchal.
Portuguesa que veio substituir do um aviso público visando Hoje, aporta na Pontinha,
citar eventuais credores da pelas 20.00 horas, o paquete
o "Rovuma" na fiscalização Direcção de Portos e demais panamiano "Baltica", prove-
e apoio à Zona Económica interessados para no prazo niente de Agadir e com desti-
Exclusiva da Madeira. de três dias deduzirem no a Canárias. É agenciado
oposição junto da Capitania pela Blandy, transporta
a se encontra em acti- na Madeira até data incerta. do Porto do Funchal. cerca de 250 passageiros e

J vidade na Madeira a
embarcação que veio
substituir o "Rowma" nas
Quando não está em activi-
dade no mar, encontra-se
amarrado dentro da prinCi-
De salientar, como curÍo-
sidade, que esta embarcação
serviu durante muitos anos
sai amanhã por volta das
16.00 horas . .
De notar que este navio
acções de apoio e fiscaliza- pal infra-estrutura portuária na ligação Madeira-Porto continua integrado no habi-
ção à Zona Económica madeirense, mais precisa- Santo, transportando cargas tual cruzeiro que liga Marro-
Exclusiva. Tem a designa- mente na zona da lota. pesadas. Só mais tarde é cos, e os Arquipélagos das
ção de "Cacine" e chegou à que foi utilizado no trans- Canárias e da Madeira.
Região no fim do passado "Diniz" vai porte de sucatas ao serviço Relativamente aos navios
mês de Dezembro. para abate da Direcção Regional de de Carga, o português "Fran-
De acordo com o capitão Portos. cisco Franco" sai à tarde
. do Porto do Funchal, Vidi- Noutro âmbito, refira-se para Lisboa com contento-
gal Aragão, a nova unidade que o batelão "Diniz", Navio de guerra res a bordo. Tem como agên-
vem efectuar os mesmos propriedade da Direcção inglês cia a "Transinsular".
serviços que estavam à Regional de Portos, vai ser Ainda hoje à tarde, veri- o «Cacine» já se encontra ~ operar na Madeira.
responsabilidade do "Rovu- demolido e cancelado o seu No que concerne ao tráfe- fica-se a saída do "Alfama"
ma". Ou seja: participar em registo. Segundo apurámos go marítimo de ontem, desta- com destino à capital portu- granel de milho. É tuvalua- às 09.00 horas com destino
acções de fiscalização e de junto de Vidigal Aragão, que para a chegada do navio guesa. Agenciado pela ne e tem como agência a ao Porto Santo, de onde
apoio ao Parque Natural da trata-se de uma embarcação de guerra inglês "H. M. S. "Transmadeira" , esta "João de Freitas Martins". regressa às 17.00 horas. No
Madeira, às Forças Arma- «antiga» e que «já metia Leeds Castle", que perma- embarcação transporta Finalmente, o movimen- entanto, esta ligação fica
das , bem como integrar água, razão pela qual foi necerá no Funchal até à contentores contendo merca- to marítimo de hoje no Porto condicionada ao estado do
eventuais missões de busca ancorada». Além disso, próxima quinta-feira. Trata- dorias. do Funchal completa-se com mar que se fizer sentir à
e de salvamento. «como já não compensava se de uma «visita de rotina» O "Anita B. " zarpa à a habitual viagem do navio hora da viagem.
O navio vai permanecer proceder à sua reparação foi daquela unidade da Marinha noite após descarregar um "Pátria". Zarpa da Madeira J. FREITAS

ILHOTRANS
ILHOTRANS
~ Actividades Transitárias, Lda.

IlVIPOR.T.A.çAo / EK.POR.T.A.çAo

• CARGA MARÍTIMA • CARGA AÉREA


• CONTENTORES COMPLETOS • TRANSPORTES DE E PARA
• GRUPAGENS QUALQUER PARTE DO MUNDO
CARGA CONVENCIONAL • EXPRESSOS
• ENTREGAS E RECOLJIAS DOMICILLÁRLAS
• SEGUROS
• ARMAZENAGEM/EMBALAGENS

FUNCHAL
Rua do Surdo, 26-2. º D - 231416 - 23 14 34 - 22 3818 - Telefax 22 52 05
Imagem do «H.M.S. Leeds Castle» a entrar na manhã de ontem no porto do Funchal.

@ ~1:':!!!Á!o~ll marfrete
(Madeira)
transitários e navegação, Ida.
NAVEGAÇÃO E COMÉRCIO GERAL, LDA.

TRANSITÂRIOS
Agentes em Lisboa Agentes em Leixões

TRANSITÁRIOS'
• CARGA AÉREA • CARGA MARíTIMA AgênCia de Navegação Morais, Napoleão Serviços de linha Serviço Regular
e Trânsito, Lda. & Soares, Lda. regular para: FunchallP. Santol
~ CONTENTORES • CONVENCIONAL • SEGUROS
~----~~~~~----~--~ IFunchal
• RECOLHAS E ENTREGAS DOMICILIÁRIAS • Grupagens • Contentores • Portos do Norte da Europa
• Carga Marítima • Reino Unido Passageiros
• DESPACHO DE BAGAGEM • Recolhas e entregas • Canárias Carga
domiciliárias • USA/Canadá Convencional
ESCRITÓRIO: Rua do Bispo, 16 - 1.º S 14 !{) 225862 / 223252 - Fax 232059 • Trânsitos • Resto do Mundo e Contentores
• Car a aérea· T.I.R.
TERMINAL CONTENTORES: Cais N Av. Francisco Sá Carneiro !{) 227631
São Martinho: !{) 763213 - Funchal Rua da Alfândega , 64-4.º - 9000 Funchal ( 226727· Fax 226708 • Telex 72246 MFRETM P
casos 11
do dia FUNC HAL, 17 DE JANEIRO DE 1995
DIÁRIO DE NOTIc IAS - MADEIRA

DETIDA EM LISBOA NO TRIBUNAL DE CíRCULO

Acusado de roubo e agressão


Passava por "filha" de secretário apanha 5 anos de prisão
veio ao Funchal para julgamento m jovem de 17 ra, rendeu pouco mais do

• Uma jovem madeirense de 19


que ultrapassou os qui-
nhentos contos.
do Estoril. Por exemplo, a
Unicre, Cartão Inter-naci-
U anos de idade ,
acusado de roubo
e agressão à navalhada,
que mil escudos, tendo a
vítima pago muito mais
pelo seu sofrimento, uma
foi condenado ontem a vez que foi submetida a
anos de idade, acusada de vários A arguida, que disse em onal de Crédito S. A., quei- cinco anos de prisão. uma delicada intervenção
crimes de burla e de furto, no tribunal possuir o 12. Q ano xou-se à policia de Cascais O tribunal deu como cirúrgica, logo após a sua
de escolaridade, terá contra a jovem, que foi provada a acusaçao ~e entrada no banco de
Funchal e no Continente, foi deixado no Funchal, antes descoberta quando pagava que o arguido, de apeli- urgências do Hospital do
ontem a julgamento, no Tribunal de se radicar no Con-tinen- a conta com um cartão do Teixeira, natural e Funchal.
de Círculo do Funchal. te, alguns registos da sua furtado . Para além disso, residente nas Amo-reiras, . Sílvio Sousa, juiz-presi-
artimanha burlesca, sendo aquela empresa acusa a freguesia do Arco da dente , disse ao arguido,
os vários casos - ao que jovem de ser responsável Calheta, agrediu à nava- depois da leitura da
jovem, de nome tiriham sido já enviados.

A Teresa, natural de
S. Roque, que se
fazia passar, ao cometer
três pedidos de paradeiro.
De acordo com uma
noticia publicada então por
nos informaram -, na sua
maioria perdoados pelos
lesados.
por furtqs em vários
centros comerciais, nome-
adamente do Lumiar, em
Lisboa, Pão de Acúcar, em
lhada uma enfermeira,
no Bairro do Hospital,
com o fim premeditado
de lhe roubar a cartei-
sentença, que a pena foi
atenuada, pelo facto de
este se ter entregue à polí-
cia após consumar o acto.
algumas falcatruas, por um jornal de Lisboa, a
Fez-se vítima Cascaís, Cas-caiShoping, ra. Caso contrário, o tempo de
"filha" dô secretário João suposta burlona utilizava
de um namorado em Alcabide-che, e O caso verificou-se em prisão a cumprir poderia
Carlos Abreu, veio ao cartões de crédito' furta-
Carcavelos. pleno dia, a 1 de Agosto do atingir os oito ou nove
Funchal responder a um dos, tendo lesado, dessa
Alguns postos de abas- ano passado, vitimando anos.
dos vários processos de forma, unidades hoteleiras, A Teresa disse ontem
tecimento de combustível Lígia Maria Nunes Tei- "Roubar e agredir tem
que é acusada. Neste caso, estabelecimentos comerci- em tribunal ter sido um
não escaparam à esperte- xeira da Conceição. que acabar, nesta terra"-
de um cheque no valor de ais e stands de automóveis, namorado que a ensinou e
za da madeirense: em O assalto, ao que disse o magistrado ao
duzentos e tal contos. em largas centenas de incentivou a ser burlona,
contos. ' Carcavelos e no Monte apurámos na devida altu- encerrar a sessão.
A arguida, que por razões Não terá sido por acáso
Estoril, o truque passou, já
desconhecidas se tornou A suspeita burlona, que que a mesma, muna altura
que a Teresa ia ao volante
bastante cedo independen- garante estar ligada à em que não trabalhava,
de um "Rover". Aliás, este NA PONTA DO SOL
te, foi detida pela PSP de profissão de informática, usufruindo apenas de um
carro foi vendido por uma
Cascais, em meados de tinha ainda na PJ de fundo da CE num curso de
Julho do ano passado. Lisboa, por cheques sem informática, esteve a viver
firma de Campolide, cujo
pagamento foi feito com
Atropelamento e fuga
Na origem da detenção provisão, dezena e meia de num apartamento do
da jovem, estavam as queixas. Edifício Magnólia, pelo um cheque furtado a um ,
' indivíduo da Torre da
julgado no Tribunal

o
sucessivas burlas cometi- Na altura da detenção qual pagava quase cem mil
Marinha - Seixal, para automobilista de "Varrer os Armários",
das no Funchal e na capi- da jovem, um jornal do escudos de renda mensal.
quem a jovem madeirense 20 anos de idade, onde reinava a alegria e
tal, na maioria delas Contjnente referiu que A arguida, que desde
executava pequenos traba- que atropelou a música, foi apanhada na
alegando ser "mha" do a suspeita hospedou-se Julho do ano passado se
lhos de informática. mortalmente e se pôs em berma da estrada pelo
secretário regional do numa moderna unidade encontra detida no
A leitu-ra da sentença do fuga, na Ponta do Sol, foi "Mini" que as testemu-
Turismo e Cultura. hoteleira da capital, onde Estabelecimento Prisional
processo, que ontem decor- ontem ouvido no Tribunal nhas garantem que circu-
A madeirense agora a utilizou vários serviços, de Tires, conseguiu fazer
reu no Funchal, será li- daquela Comarca. lava em excesso de velo-
contas com a lei tinha quei- nomeadamente de lavan- passar a imagem de filha
da na próxima segunda- O transgressor, que não cidad e, tendo embatido
xas na PJ de Lisboa e na daria, restaurante , bar e do secretário do Turismo
-feira. tinha a viatura do acidente ainda em outras duas
secção regional daquela central telefónica, envol- 'em muitas unidades hote-
policia na Madeira, da qual vendo-se numa despesa leiras de Lisboa e da Costa J. R.
segurada, parece ter pessoas sem, contudo,
confessado o crime na ínte- provocar lesões de gravi-
gra, ocorrido por volta das dade.
SAN T A C R U Z qua,tro. da manhã, no O transgressor, que
Lugar de Baixo, quando acabou por ser detido pela
foi colher mortalmente PSP de Câmara de Lobos,
Discoteca junto a residências uma mulher de 68 anos de
idade.
A vítima, participante
no Cabo Girão, foi restitu-
ído à liberdade a aguardar
julgamento, com a obriga-

origina polémica e mal-estar de um grupo de mais de


quarenta pessoas que
mantinham a tradição de
ção de ' se apresentar
semanalmente no posto
policial da sua área.

a via pública, o esta- vice-presidente da edilidade

N belecimento tem um
letreiro com a indi-
cação de "disco-pub" . À
-, foram tomadas as devidas
precauções, por forma a não
prejudicar terceiros, cujas
NA ÁFRICA

Dois madeirenses sobrevivem


DO SUL

entrada do salão, é referen-


ciado como "night-club". A
medidas foram depois reana-
lisadas pela DRAC, com
ao tiroteio de que foram alvo
vizinhança está descontente vistoria e controlo de-som. ais dois madei- pelo tecto, disparando com
com o mau comportamento
revelado pela clientela e com
o batuque que ali se ouve
pela noite dentro.
Isto com as portas fechadas,
claro, o que os vizinhos
dize'm não acontecer pela
madrugada dentro, em que
M renses são prota-
gonistas de um
assalto armado: Feliz-
armas de pequeno calibre.
Do assalto, que rendeu
aos marginais apenas o
mente, sem consequências fundo de maneio da caixa,
Na realidade, apenas três o portão de ferro está conti- fatais imediatas. cerca de 184 mil escudos,
ou quatro metros separam o nuamente a ser aberto e a Eram cerca das 19H30 resultou que o João
referido estabelecimento das bater, provocando grande do último sábado, à hora Correia fosse alvejado
residências mais próximas, estrondo. do encerramento do numa nádega, enquanto
espaço onde a clientela O proprietário do estabe- Supermercado Lion Park, que ao Agostinho de
permanece para dar umas lecimento discorda da acusa- situado em Nooigedacht, Abreu, em situação mais
"fumaças", em meio a pala- ção. Afirma que os portões nas proximidades de grave, uma bala lhe terá
vreado obsceno proferido em (o do estabelecimento e o que Muld ersdrift, na área entrado pela boca e aloja- .
voz alta, zaragatas e até actos se situa a meio do quintal), Oeste do Rand, quando do no pescoço, a qual não
sexuais. se mantêm encerrados, e que uma quadrilha armada foi ainda extraída,
A situação, aliás, é do não há possibilidade de os entrou naquele estabeleci- O nosso corresponden-
domínio público, e diversas clientes praticarem ali actos mento que é propriedade te em Joanesburgo apurou
vezes a PSP local foi chama- sexuais. de João Correia e de que o João Correia regres-
da a intervir. Refira-se, a Disse ainda o responsável Agostillho de Abreu, de 52 sou à sua -residência
propósito, que numa noite de pelo "Pombalense", que, e 47 anos de idade, respec- depois de receber trata-
contenda, os agentes polici- Cá fora "Disco Pub" Mais além "Night Club" ... para evitar mais problemas, tivamente , ambos natu- mento hospitlar, o mesmo
ais apreenderam vários depois, a confusão. vai abrir uma porta para o rais do sítio do Lombo de não acontecendo com o
objectos (ou armas) de difí- lado da ribeira. Todavia, São João , freguesia da seu companheiro, que se
cil discrirninaçfu:l, todos desti- obrigada a pernoitar fora de Câmara local, que nos garan- declina qualquer responsa- Ponta do Sol. mantem internado numa
nados à prática de violência. casa. tiu que o estabelecimento em bilidade pelo eventual mau Os madeirenses, sócios enfermaria da Unidade
Segundo nos disse uma causa está licenciado e que comportamento da clientela, na empresa, que se encon- de Cuidados intensivos
Câmara diz
pessoa que vive próximo da foram tomadas as medidas a partir do momento em que travam a fazer a caixa do Hospital de Joanes-
aludida discoteca, não conse- que está legal necessárias, antes de forne- sai do estabelecimento, admi- num compartimento envi- burgo.
gue ter sossego ao fim-de- Ontem, a propósito da cer o'alvará. tindo, no entanto, que isso r draçado á prova de bala,
semana, por isso, devido ao pQlémíca discoteca, falámos Quanto ao alegado baru- possa já ter acontecido, foram surpreendidos pelos JOSt: LUIS SILVA
seu estado de saúde, vê=-se com o vice-presidente da " lho 'ensurde'cedor - disse o J. RIBEIRO assaltantes que atacaram (CORRESPONDENTE)
12
• DIÁRIO DE NOTIcIAS - MADEIRA FUNCHAL, 17 DE JANEIRO·DE 1995

N O PASSADO INSTRUÇÃO E TRABALHO

o combate de Suakim
"C
.
ausou grande enthusiasmo em Inglaterra a notí:
cià da victória ganha pela guarnição de Suakim C
inco mil anos terá a arte de escre~er. Concomi- . revolucionário a bater-se pelos ideais de D.Pedro, o Li-
tantemente, também a arte de interpretar um es-
crito. No conjunto, a necessidade de se transmi-
bertador. .... .
A rigor e de forma permanente, não teriam os go-
. contra os derviches, que tinha:m a praça investida. tirem idéias e o encontro com quem as pudesse enten- vernantes monárquicos e republicanos mostrado a ne-
A batalha feriu-se na manhã do dia 20 de Dezembro. Pelas der. IssQ começaria no Egipto. Era então a escrita toda cessária firmeza na imposição da escolaridade infantil,
7 horas saíu da praça um corpo de proximamente 4.000 ho- uma gama de sinais ideográficos e não a dos sons, co- obviamente neste País. Um pouco mais de cuidado luziria
mens, sob o comando do general Grenfell, formado por seis mo ora temos a felicidade de conhecer. nestes últimos anos de regime democrático. Porém, a
batalhões egypcios, divididos em duas brigadas às ordens Caberia aos fenícios, aos sírios e aos hebreus a cria- mais alguma coisa devia o Estado obrigar-se. Embora
dos coronéis Kitchener e Holled Smith, pelas tropas montadas ção dos caracteres de um alfabeto, naturalmente rudi- louvável, talvez não baste a obrigação legalizada do en-
(hussards nr.19, cavallarÍa egypcia e infantaria egypcia mon- mentar. Do aperfeiçoamento se encarregaram os gre- sino infantil, gratuito. Também necessária seria a gra-
tada), do mando do coronel Barrow, e pelos «Scottish Bor- gos. E atingiriam a harmonia do conjunto de sons, d.esde túitidade do material didáctico, indispensável à devida
derers», por um destacamento do «Welsh RegimenÍ» e ou- o Alfa ,ao Ómega. Daí, a universalização do Alfabefo,de- aprendizagem.
tro de marinheiros. certo com os devidos arranjos e convenções nacionais, A debater-se com cru:ências de ordem financeira, gran-
Pelas 8 horas, a infantaria negra rompeu fogo sobre as exigidos por cada um dos idiomas. de número de famílias tem difículdade em dar aos filhos
trincheiras dos árabes, que seriam uns 3.000, e depois atacou- Estaria na manifesta necessidade de comunicação· os livros exigidos ao longo de pelo menos quatro anos. E
os à bayoneta com grallde ímpeto. Os derviches resistil"d.IIl de- entre indivíduos e sóciedades a primeira das razões da bem sabem os governantes estar aí a base da cultura es-
nodadamente por algum tempo, mas afinal debandaram, dei- aprendizagem da escrita e da leitura, não somente co- piritual de Uma nação. Todo o resto - ciência, alta cul-
xando a sua artilharia, duas peças de grande calibre, em po- mo princípio de cultura do espírito, mas também çomo tura - é mera consequência.
der do inimigo, e tomaram os caminhos de Hosheen e Ta- defesa e segurança pessoal. Do antigo processo da pa- .Isso nos traz à memória aquele grito do Vítor Hugo, a
mai. lavra dada e, com o tempo, não segura,násceria a obri- referir os livros: "Dar a toda a gente, dar por baixo pre-
Deu então sobre elles a cavallaria britanico-egypcia, e gatoriedade das assinaturas, mormente nos contratos ço, dar pelo preço de custo, dar de graça todos os poetas,
completou a derrota: às 8 horas e meia, os vencedores esta- oficializados. . . filósofos, pensadores e de-
vam inteiramente senhores do campo. Certo era permitir-se ao mais produtores de gran-
Diz-se que os derviches tiveram 400 a 500 homens fora de contratante quando ~nalfa­ dezas de alma". Sem uma
combate. As perdas da guarnição de Suakim foram insigni- • Segundo nos parece, vale mais uma
beto, assinar o documento cartilha do que todo um armamento. E, tal exigência tão generosa,
ficantes: ao todo, oito mortos e sessenta e sete feridos, os apenas com uma cruz, por unicamente ficaríamos na
mortos, só quatro eram inglezes, e pertenciam todos aos re- convenção. E talvez daí ti- a par da cartilha, a devida informação esfera do livro escolar, da-
gimento 20 de hussares, que carregou a cavallaria árabe». vesse nascido o provér- do de graça às crianças pe-
esclarecedora, sobretudo nos campos
bio:"Quem não sabe ler fa- onde há lugares esquecidos, no tempo lo Estado.
Propostas para a luz eléctrica cilmente será enganado". O alto preço desse li-
Também não será menos e arredados das letras. vro, que jamais deveria ser
«Foram hontem apesentadas à Câmara Municipal d' esta
cidade duas propostas para a illuminação do Funchal a luz certo terem os séculos alivi- negócio, por vezes especu-
eléctrica, sendo ambas as propostas submetidas ao voto de ado um pouco a singeleza lativo, é quase sempre ,o
uma comissão nomeada hontem, e que ficou composta pelo de certas mentalidades, naturalmente ajudadas pela ex- causador da incomplementaridade do ensino básico. A
snrs: Visconde do Ribeiro Real, presidente da Câmara, Fran- periênCia pessoal. Todavia, a validade do provérbio con- falta de recursos leva os pais a enveredar os filhos, ain-
cisco Joaquim Nogueira Guimarães e João Luiz Henriques. tinua de pé, um pouco por toda a parte. da crianças, para o caminho do trabalho, isso muito an-
Desejamos que estudem este assumpto sem demora, e O flagelo do analfabetismo, do qual este País ainda se. tes da idade requerida e hoje defendida pela lei. Todavia,
que este grande melhoramento se não faça e.sperar». não livrou, quer nos campos, quer nas cidades, dever- a ilegalidade campeia por todo este Continente. Nem Lis-
se-á a estes dois factores, deveras desastrosos: o deslei- boa escapa, apesar das atenções sindicais.
Nossos balsâmicos ares xo dos pais das crianças e a presença do trabalho in- Indubitavelmente, não é este o único País a mostrar
fantil, embora hoje e felizmente condenado por quantos essa nódoa soCial. Mas nunca 'o peso do pecado alheio
«Chegou hontem a esta cidade, vindo no vapor «Funchal», defendem os Direitos Humanos. E porque tanto demo- aliviou o nosso.
o Snr. Conde da Praia da Victoria, um illustre açoriano, che- rou, no passado, uma tal condenação, no presente im- No fundo, a fuga ao ensino e o trabalho infantil não
fe do partido progressista na ilha Terceira, onde tem sido peram as consequências. são uma questão moral, a envolver as famílias menos
governador civil po~ várias vezes, e cujo melindroso estado de Em Portugal somente no século XVIII (1772) se ofi- abastadas, para ser um caso puramente político, sobre-
saúde tem inspirado, na mesma ilha sérios e geraes cuida- cializou o Ensino Primário. Teve essa 'iniciativa o Mar- modo naquilo que diz respeito a uma economia criterio-
dos. Já por duas vezes lhe foi feita a operação da «thoracen- quês de Pombal; então ministro deDo José; No entanto, a sa. Segundo nos parece, vale mais uma cartilha do que
these», mas, infelizmente, sem apreciáveis resultados satis- obrÍgatoriedade desse ensino viria a proclamar-se 106· todo um armamento. E, a par da cartilha, a devida in-
factórios. anos depois, ou seja, em 1878. Ainda assim sem resulta- formação esclarecedora, sobretudo nos campos onde há
Acompanha-Q seu estimável filho o snr. J. d'Ornellas Bru- dos práticos, quanto à obediência. A modesta gente con- lugares esquecidos, no tempo e arredados das letras.
ges, alferes de Caçadores, 1Ó, cujo estado de saúde também tinuara alheia, certamente pela ausência oficial destes Recompensada ver-se-ia essa Política se proporcio-
não é nada bom. Que os nossos balsâmicos ares restabele- dois deveres: autoridade e informação. Contudo, será nasse às crianças, a todas elas, e de modo generoso, a
çam as deterioradas saúdes dos nossos' illustres hóspedes, de exaltar essa decisão tão bem-intencionada. Perten- fortuna de aprender a ler e escrever. E melhor do que
são os nossos votos." ceu a um político liberal e também um dos grandes jor- nós, também sab!} a Política que o trabalho infantil não é
(Dia 17 de Janeiro de 1889) nalistas do seu tempo: o Rodrigues Sampaio. Além disso, nenhuma causa; é um efeito.

. LLJFUE"S

DIZ-SE
"Quando os líderes políticos atacam indiscrimi-
nadamente os corpos intermédios da nação, e quan-
do ousam atacar os tribunais, é legítimo perguntar
se estarão dispostos a recuar perante alguma au-
toridade, que não a deles próprios!"
- João Carlos Espada, no Público.
"Estranhei que José Pacheco Pereira atacasse
apenas aspectos comportamentais de jornalistas... !
.~ - Idem, idem. ''

~
"É imperioso que a diménsão moral da liberda-
de seja restaurada".
- Idem, ibidem.
"Colheita de sangue em alguns hospitais não é
acompanhada por especialistas".
- Título manchete do Público.
"Eurico poderia suceder a Cavaco".
- Santana Lopes, em entrevista ao DN de Lisboa.

"Manila assistiu à maior missa da História".


- Título do Diário de Notícias da capital.

"Apoiar uma política que tenha por objectivo aju-


dar Cuba a democratizar-se faz sentido. Isolar Cuba
ainda mais e impor-lhe à força, desde o exterior,
soluções que não são as suas, é condenável".
- Joaquim Letria, no DN de Lisboa.
13
DIARIO DE NOTIcIAS - MADEIRA FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995

MOMENTO

DESMISTIFICAR O ' EMPOLAMENTO


Política excepção
Hipocrisia no caso Angel PuiPeng Lrnou-se raro o debate político que
privilegia a análise e ultrapassa as meras
JORGE SPíNOLA * , questiúnculas partidárias. Tão raro que quando
acontece assume estatuto de excepção., Foi o
postos', taxas e serviços co- que aconteceu Çl semana passada com Angelo
brados, relacionados com o Correia e António Barreto, áIllbos a merecerem
movimento do seu grande nota máxima na «Prova 0r3l». Comprovou-se
porto comercial, a praça fi- que os posicionamentos partidários não são
nanceira off-shore e ainda a sinónimo de cegueira política, nem impedem o
actividade industriaL raciocíuio lógico. A conversa séria. Desta vez
Tive a felicidade de visi- os partidos perderam em detrimento do
tar Singapura, espero voltar! pensamento critico, de opíuiõe8 pessoais que
Não devemos votar qual- valem por si. Os entrevistados analisaram.
quer comunidade estrangei- Argumentaram. Discordaram. E, sobretudo,
ra ao ostracismo. conseguiram concordar. Atitude quase
Fazer férias em Singapu- "inconcebível" ; actualmente, entre políticos
ra enriquece -culturalmente. com percursos e ideologias diferentes.
Dada a similitude da nossa Digamos que foram políticos. De facto. Foram o
ilha com aquela, qualquer vi- que devem ser muitos dos que fazem política.
sita trará mais valias peda- Esqueceram o espectáculo mediático, onde
gógicas e, no mínimo, moâi- quem "ganha" é quem melhor se desemasca,
ficará o nosso conceito da- ludibria com argumentos insustentáveis, grita
quela aprazível Cidade-Esta- mais alto, deturpa, dá o dito pelo não dito. E,
do; na mesma medida em infelizmente, convence.
que o residente no Continen- Algumas assembleias servem de exemplo.
te português fica visivelmen- Nelas digiadiam-se partidos, interesses
te perplexo quando tem opor- particulares. Esquece-se a discussão séria, a
importância e urgência dos assuntos. Tudo em
tunidade de conhecer in loco
Singapura - trata-se de um minúsculo país asiático mas que é já considerado um dos sete nome do Povo. «Fazem disto uma tasca», foi
a realidade madeirense. como A J. Jardim caracterizou o plenário da
dragões do Sudeste asiático. . , A peculiar vocação do Assembleia Regional do dia 10. Está certo o
universalismo português não verbo conjugado no plural .. e o sujeito
ntes de versar sobre o incidente in- - mentos e razões justificativas da pena de é compatível com "terras proibidas". Não

A ternaciori31 que constituiu a morte


de Angel Pui Peng, por enforca-
mento , queria deixar bem claro que sou
morte. Tal desiderato foi conseguido bri-
lhantemente pelo Prof. Braga da Cruz nu-
ma resenha histórica intitulada «O Movi-
há que temer o adamastor relatado há dias
-neste matutino: o «caso Sr. Silva». Trata-se
da mais pura ficção.
indefíuido...
Sem moralismos, é pena que a,política perca a
dignidade que deve ter, por quem não merece
fazê.la.
frontalmente contra as penas que atingem o mento Abolicionista e a Abolição da Pena Angel Pui Peng fazia-se transportar com TERESA FLORENÇA
direito à vida, integridade física ou que se in- de Morte em Portugal». E foram aquelas ra- 5,6 quilos de heroína. "Levar" aquele pro-
tegrem no capítulo das penas degradantes e zões justificativas que apaixonaram Mon- duto, por si só, não é motivo para condenar
vexatórias. tesquieu, Voltaire, Diderot e Rousseau, que à morte. Qualquer delito está tipificado em
Em defesa da cultura político-jurídica ficaram para sempre, na História, como texto legal sendo condição sine qua non pa-
V I V E R
impõe-se, contudo, desmistificar o empola- acérrimos defensores da instituição e ma- ra aplicar a respectiva pena o preenchi-
mento parcial que sobre o caso em análise nutenção da pena de morte. Contra esta op- mento de certos requisitos legais (que "in
foi fornecido pelos órgãos de comunicação ção, vendo com clarividência tratar-se de casu" a conduta de Angel preencheu). O Sr.
social à opinião pública, agastando sobre- uma manifesta violação dos direitos do ho- Silva ao transportar droga sem o saber não
maneira o tratamento superficial que o ma-
naÍlcial e dignidade do evento exigia. E é
mem, encontram-se intelectuais sobejamente
conhecidos como Ramalho Ortigão, Guer-
reunia todos os elementos (requisitos) do Uma seca preocupante
crime. Tenho a certeza - porque é uma re-
aneiro já vai a meio e o sol continua a bri-
deveras interessante verificar o empenha-
mento que certos escribas da nossa praça
depuseram em defesa de um "correio" do
narcotráfico! As causas de tal atitude talvez
ra Junqueiro, Barjona de Freitas, Beccaria
e Vítor Hugo, este último, manifestando, in-
clusivamente, apreço a Por-
tugal pela primazia na aboli-
gra do Direito Natural- que Singapura ape-
nas dispõe do direito à vida por crimes em
. que há intenção dolosa do
agente. A conduta negligen-
J lhar como Sê fosse Verão. Para quem nos vi-
sita em férias o tempo não podia estar me-
lhor. Para os agricultores é que as coisas não vão
radiquem na imponderação, levados por ção da pena de morte. te não é punida com tamanha nada bem.
"ondas" ou modas, mas não vamos aqui ana- Mas o que incomoda ho- severidade. Além do mais em E como uma desgraça nunca vem SÓ, o ano
lisá-las. diernamente é ver' certos qualquer processo judicial que há pouco terminou foi marcado por umaonda
O que interessa é que estamos em face pseudo-intelectuais naif ten- criminal há um inquérito em de incêndios florestais que deixaram escalvadas
de uma criminosa, que não deixa de o ser tarem fazer transparecer à que se procede a aturada in- vastas áreas das serras madeirenses. Em Setem-
pelo simples facto de possuir nacionalida- opinião pública que a proibi- vestigação no sentido de apu- bro, em vez das costumadas primeiras chuvas ou-
de portuguesa. - ção da pena de morte é sinó- rar as ligações efectivas do tonais, surgiu o fogo a arrasar árvores e arbustos
Não resta a menor dúvida que o factor nimo de "iluminismo civiliza- arguido ao objecto e ao autor nas terras altas do Funchal, na bacia de recepção
nacionalidade foi o motor de arranque que cional". Nada mais errado. da Ribeira Brwa e nas encostas do Paul da Serra.
moral do crime, além do que
Em Novembro e Dezembro o fogo visitou as
despoletou a vaga de solidariedade e cle- Atente-se no exemplo dos Es- todo o passado·policial, cri-
mência que se manifestou no nosso País. tados Unidos da América que serras de Santana, São Jorge, Seixal, São Vicente
minal e mesmo económico do e Ribeira daJanela. Não estarei a dizer nenhuma
Fundar tal movimento na nossa génese hu- hoje em dia têm incontesta-o visado é devidamente com- he'reSia científica se afirmar que estes incêndios
manista é pura hipocrisia. Se assim fosse velmente um estatuto de pi- provado. de Outono e Inverno, no Norte da ilha constituem
tínhamos de expressar com a mesma vee- vot civilizacional e, no entan- O direito à vida de Angel o facto ecológico mais grave dos últimos vinte anos.
mência o nosso repúdio, sempre que sobre to, a pena de morte está consagrada em al- Pui Peng foi permutado - contra a sua von- Jánão foram só pinheiros e eucaJiptosaarder. Olu-
alguém recaísse uma condenação à morte. guns dos seus Estados Federados. E, con- tade - em troca de uma utópica prevenção me produziu mrvão com espécies dalaurissilva. As
Afirmar que o povo português é genetica- trariamente ao que se faz crer (atirando geral da sociedade em relação a toda a mi- árvores e arbustos fuudamentais para a infiltra- .
mente humanista - como já ouvi - é faltar à areia aos olhos) a Cidade-Estado de Singa- ríade de delitos que geram em torno.dos es- ção das águas das chuvas, precipitação das goti-
verdade. pura, em termos civilizacionais - se assim tupefacientes, mas o que mais repulsa é a in- culas dos nevoeiros e retenção dos solos desapa-
- Basta citar a nossa História. Vide a ac- se pode falar - nada deve a Portugal, em- justiça relativa que sobrelevou neste episó- receram em áreas significativas. Está aberto o m
ção portuguesa sobre os indígenas brasi- bora admitamos tenha um modus gover- dio: Sia Khim-Meng, autor moral do crime, minho à erosão, os desmoronamentos das rochas
leiros, tão bem documentada no filme «A nandi algo sui generis. Trata:se, com efei- foi condenado apenas a 4 anos de prisão, calcinadas avizinhamse e os aquíferos ficarão mais
Missão» e o cortamento de membros supe- to, de um minúsculo País Asiático mas que é em Hong Kong, por ser o mentor da rede vazios.
riores e inferiores inflingido pelos portu- já considerado um dos sete dragões do Su- de tráfico. . Quase um mês depois do solstício de Inverno,
gueses sobre todos os canários, de ascen- deste asiático. Situado na ponta meridianal Não queria terminar estas sinópticas li- arouva teima em não ~.Afaltade chuvaes-
dência espanhola, aquando da tentativa de da Península de Malaca é constituído por . nhas sem objectar discordância em relaçãO tájá a provocar sérios_problemas aos agriculto-
conquista das Ilhas Fortunadas - actual- uma ilha de 40 km de comprimento com à aventada hipótese de luto nacional em pe- res. Mas se o cenário da continuação da seca é
mente Ilhas Ganárias - a mando de D. João uma superfície inferior à da Madeira e uma sar pela morte de Pui P()ng; tal, a aconte- . preompmte, não menos inquietante é ahipótese da
II, entre muitos outros episódios que podia população de 2 milhões de almas, o que só ceI', seria desvirtuar aquela instituição ce- ocorrência de.chuvas torrenciais. Se tal vier aacon-
aqui relembrar. Mas não vale a pena le- por si não impediu que prosperasse de for- rimonial em favor de uma delinquente. Seria tecer ainda neste Inverno os efeitos poderão ser
vantar a poeira que o povo lusitano, sabi- ma inaudita. Com uma das mais altas ~en­ caso para perguntar quantas mortes, quan- nefastos, tal é o estado de desertificação das cabe-
amente, nos últimos dois séculos, tem ci- sidades populacionais do globo este peque- tas angústias e sofrimentos, quantas famí- ceifas de ribeiras tradicionalmente perigosas. Por
mentado. no-grande País soube ultrapassar os es- lias destruídas se aquela droga tivesse en- optimismo e com àlguma fé, espero que não se
O Humanismo ê uma das grandes con- trangulamentos a que estava sujeito. Desta -trado no circuito de consumo. concretize qualquer um dos cenários descritos e
quistas civilizacionais do homem o que por guisa, Singapura apresenta um P.LE. su- Salvo melhor juízo, o luto deve ser utili- que, no tempo de Inverno que aindaresta, venham
forma nenhuma invalida que a filosofia de perior ao português, tem uma das praças zado com peso e medida, com critério, em a ocorrer precipitações de granizo nas terras al-
vida que lhe inere quando levada às últimas financeiras mais fortes do mundo e contra- reconhecimento de pessoas de comprova- tas e alguns dias de chuvas pouco intensas.
consequências seja desvirtuada, em prejuí- riamente ao que se possa pensar o Turis- da idoneidade moral que se tenham distin- Mas nunca é demais recõrdar, que não pode-
zo do próprio "valor" humanista, como acon- mo é a sua quarta actividade em termos de guido, com mérito, pelas suas acções, no mos escolher o tempo.que queremos e que apenas
tece no caso Angel Pui Peng. rendimento económico. À sua frente está, Patl0rama nacional ou internacional. nos resta saberviver com o ambiente que temos.
. Não.é nossa pretensão aduzir os funda- por ordem crescente, todo o conjunto de im, * ADVOGADO RAMUNDO QUINTAL
14
• DIARIO DE NOTíCIAS - MADEIRA

CARTAZES AFIXADOS P E L A S INSTALAÇÕES


FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995

Columbus com licença suspensa


convoca reunião para amanhã
• A resposta que os trabalhadores da Air Columbus tem, a LUSA não conseguira
confirmar a notícia junto da
esperavam pa~a o.n tem só chegará amanhã. A DGAC. A nossa fonte em Fa-
AdministraçãÔ:'~~pli,ç~-ráem Farqj! situação da ' ro, no entanto, afirma não acre-
companhia. O u~çã::ndt'íci~ .de ol1te"""1,,~e decisiva, foi a da ditar na situação de alvará ca-
duco. "Do que fala o Diário da
suspensão da licençª par'â voar~ ,,", ~i':." ":" República é de uma suspen- Não há aviões ... nem licença para voar .
.'/ ~::~. (~ ....
,:'" .-i' são", diz. Não sem admitir: "A
Luís CALISTO *
menos que estejamos a falar gundo o DIÁRIO soube de fon- "Fugido do País"
artazes convocando os fr:'Ei&d~,'~~i~ " )~~ máximo d~ seJfl meses, a de coisas distintas". te anónima, dois aviões que

C trabalhadores para
uma reunião às 15 ho-
ras de quarta-feira, em Faro,
secretâi'io~: de" Estado" aos ".(empresanão dem&nStrar COfl:'
~porte~: JorgeAnta, Vêrõ ' \ dições financeiraS'e técnicás
pubIícadwú.ô·"Diário da R& adequadas ao exercíció da Sill!
Quanto ao estado de espíri-
to dos trabalhadores, perante o
anúncio de uma decisiva reu-
pertenceram à Columbus ch&
garam a ficar retidos em Lon-
dres, por falta de pagamento
É nesta situação de falên-
cia técnica que 200 trabalha-
dores ameaçados de desem-
apareceram ontem afixados pública",, actividade. ,: , nião para amanhã, na capital da companhia madeirense à prego vão amanhã ouvir o que
nas instalações da Air Cúlum- algarvia, o nosso informador Aerocontrol. a Administração lhes tem para
bus. Segundo o DIÁRIO apu- Canooiàmento
.., , ',I
Alvará caduco fala de "expectativa". "No meio A Air Collnnbus foi funda- dizer. Amenos,que a reunião,
rou junto de uma fonte no Al-
,
de isto tudo, ainda há pessoas da na Madeira em 11 de No- agora anunciada por cartazes,
garve, pelo menos um admi- '"~C '''A eónsequente impossibi- Mais avança outra notícia que acreditam na empresa". vembro de 1988, com a pri- tenha o mesmo fim do que as
nistrador vai enfrentar, na pre- Íidade de satisfazer os seus divulgada ontem de' que a Di- meÍTIj. operação a efectuar-se duas assembleias gerais há
sença dos trabalhadores, a compromissos, transferindo pa- . recçãq Geral de Aviação Civil Aviões retidos em 1 de Outubro do ano S& pouco marcadas e adiadas. O
situação da companhia madei- ra terceiros as dificuldades fi- ' , (DGAC) declaroucaduco o al- guinte. líder da companhia, Karin Va-
rense de voos não regulares. nanceiras", a perda da validade WQ}Í daAir Cúl~bus. Origem A situação real é caótica. A Em 31 de Março de 1993, kil, não há maneira de apare
Ontem mesmo, outras no- do certificado de operador aé- dalnformação: uma fonte da Air Columbus já não voa há os sectores de Operação de cer. Ao que se diz, por motivo
tícias de grande importância reo e a constatação de que "a própria CúlumbtiS: que pediu Q um mês. Por falta de aviões, Linha e o Centro de Controlo de doença. Embora a LUSA,
para a Cúlumbus correram pe- validade de uma licença de anobimato. '" ' ' <, Mais de 90 por cento dos tra- Operacional e Tráfego foram com base Jlm elementos da em-
los media nacionais. Uma d& tJ.'ansporte aéreo está pel'Illa:- ' Tal decisão glieI:~~' na balhadores, a quem a empresa transferidos para Faro. Assim _ presa, tenha aventado ontem
las dava conta de uma deter- nEmtemente dependente da,jf"- opinião da meslnflJohte; que deve 300 mil contos de salários perdeu o Funchal a qualida- a hipótese de Vakil ter "fugido
minação da Secretaria de Es- ti:mui.dade de um certifi~o Vá- o pedido de rec?-Rei~, da em atraso, requereram a au- de de base da companhia, em- de Portugal".
tado dos Transportes: sus- lido', de operador" são. àS:razões empresa tey,e uni .p,$'ecer ue-, to-suspensão. A dívida acu- bora a sede social da empresa Do que ninguém tem dúvi-
pensão da licença de voos não iIrt~ pela SEr para a sua gativo por ~daDí3AC: AS- mulada da companhia é de continuasse na Região Autó- das, à parte meia dúzia de tra-
regularesconcedidaàAirCo- decisão - noticia a agência. sim sendo/ a falência é oÚllÍ- seis milhões de contos. Credo- noma. A partir daí, foi sem- balhadores menos pessimis-
lumbus. Devido à "contír).ua O secretário de Estado dei- co campo onde podem aterrar res: entre outros, Segurança pre a despachar serviços para tas, é que o anúncio de falên-
degradação da situação finan- xa uma séria ameaça: a auto- os restos da companhia de vo- Social, Finanças, ANA, em- o Algarve. Apenas 14 funcio- cia é coisa de horas.
ceira da empresa", segundo a rização de voo agora suspen- os não regulares. presas de catering e de abas- nários ficaram a marcar pr&
agência LUSA sa será cancelada se, no pra- Até ao fim da tarde de on- tecimento de combustíveis. M sença na Madeira. * COM LUSA

TARIFAS D E RESIDENTES BANCO VENEZUELANO


Liquidação do "Progresso"
Agentes de viagens não alectamadeirenses
·propõem nova portaria O
processo de liquida-
ção do Banco Pro-
gresso, na Venezuela,
não está a afectar a Comuni-
cia do banco que lhe foi indi-
cado onde terá à sua disposi-
ção o dinheiro <

depositado nas entidades


s agências de via- contro promovido pela alizados por irregularida- TAP durante a qual ficou dade Madeirense radicada no agora liquidadas,

A gens representadas
na ACIF - Associa-
ção Comercial e Industrial
ACIF surgiu depois de uma
outra reunião, na semana
passada, entre o represen-
des detectadas na emissão
de bilhetes com tarifa de
residente e de estudante,
acordado que a transpor-
tadora nacional discrimi-
naria as irregularidades
país, declarou ontem ao .
DIÁRIO o empresário Sebas-
tian Araújo, Segundo a nossa
Fontes ligndas ao processo
de liquidação do Banco Pro-
gresso afirmaram à agência
do Funchal, vão propor ao tante da Secção das Agên- durante a segunda quinz& por cada agência, tendo fonte os emigrantes madei- Lusa que o défice da entidade
Governo a aprovação de cias de Viagens e o delega- na de Agosto. Algumas em vista a correcção da- renses estão muito pouco liga- deverá ser superior a 200 mil
uma nova portaria para a do da TAP na Madeira, cu- agências contactadas pelo quilo que fosse conside- dos a esta instituição ~cária. milhões de bolivares.
regulamentação da emissão jo desfecho causou alguma DIÁRIO garantiram não t& rad~o olÍússão e o ·paga- uma das nove já "inteÍ'Vencio- Os cartões de crédito do '
de tarifas de residentes e perplexidade entre as res- rem intenções de efectuar mento dás situações irre- nadàs" pelo Governo :yenezu- Banco Progresso foram defi-
de estudantes. tantes agências, que se qualquer pagamento, re- guIares: ' , elano. ' , nitivamente eliminados. No en-
Esta é a principal con- queixaram de terem sido clamando nessa altura que Ontem os agentes de vi- Sebastian Araújo, madei- tanto, o Banco República é res-
clusão de uma reunião re- mal representadas e de não ,a TAP ,estava a ,transferir agens reuniram na ACIF e rense, disse ao nosso jornal ponsável pelo pagamento das
alizada ontem na sede da terem sido ouvidas. as suas competências de a questão das irregularida- que não há qualquer hipótese quantias gastas pelos possui-
ACIF e em que participa- Tudo teve origem após fiscalização para os emis- des detectadas parece ter de repetir-se o que se passou dores destes mrtões até ao dia
ram representantes das uma recente carta da TAP sores dos bilhetes. A ACIF voltado à "estaca zero": as com o Banco Latino. "Só os cli- da sua liquidação.
agências de viagens que às agências, anunciando o promovia, entretanto, uma agências reconfirmaram a entes com mais de 4 milhões O Banco Progresso, embo-
operam na Madeira, O en- débito de valores individue reunião com o delegado da intenção de nada pagarem, de bolívares é que terão de es- ra tivesse resIstido aos actos
mas insistiram no pedido perarmais algumas semanas de intervencionismo que afro
de discriminação das in- para levantar o seu dinheiro. taram em meados do ano pas-
correcções verificadas na Os restantes já estão afazê.ló" sado oito bancos venezuelanos,
segunda quinzena de Agos- -disse a nossa fonte: _ não superou a crise financeira
to. «Apenas para análise e O Banco Pr()gresso, pro- e chegou a receber apoios de
correcção dos casos de priedadede Orlando Castro, 39 mil milhões de bolivares.
omissão de documentos» - um empresário de Origelll cu- A ajuda estatal foi aprova-
disse uma font e do bana que é alvo de um man- da pela Junta de Emergência
DIÁRIO, dado de captura, iniciou ontem Financeira antes de Agosto de
As agências decidiram o seu processo de liquidação, 1994, com base em balanços
também a criação de um com as restantes empresas do apresentados e posteriormente
grupo de trabalho (com re- grupo Fundo Financeiro Lati- <ienunciados como falsificados.
presentantes da ACIF, no-Americano, depois da in- Segundo a presidente do
agências, TAP e Secretaria tervenção do Estado na sema- Fundo de Garantias de Depó-
de Economia) para. prepa- na passada. sitos Bancários (Fogade), No-
rarem um projecto de por- Por decisão da Junta de ris Aguirre, "os documentos,
taria - onde será sugerida Emergência Financeira, pr& balanços e certificações apre-
a criação de um cartão sidida pelo ministro Raul Ma- sentados levantam sérias dú-
identificativo do residente tos Azocar, todaS as contas fo- vidas àcerca da sua veracida-
ou a implementação do sis- ram passadas aos bancos que de",
tema ,de reembolso, tal co- sofreram anteriormente inter- O Fogade estava impedido
mo sucede nas ilhas Caná- venções e que são dominados de entrar nos sistemas do Ban-
rias - para apresentar ao pelo Estado (Latino, Venezu& co Progresso onde estava pa-
Governo e suscitar a subs- . la, Consolidado, República e tente a 'sua verdadeira situa-
tituição da regulamentação IndUstrial). ção financeira.
Os agentes de viagens sugerem ver implementado um cartão de r~sidénte em vigor.' Assim, cada cliente do Pro- AGOSllNHO SILVA
ou o sistema de reembolso à posteriori. ' '< ,"AGOSJll':J HQ~ILVA .}, gress<>,d~~~ft<~n: (COM LUSA)
15
DIARIO DE NOTIcIAS - MADEIRA FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995

• • ACTUALIZAÇÕES AO N r v E L DA INFLAÇÃO Comentário diário
BREVES câmbio 16.019ã
China com têxteis
em alta
A indústria têxtil chinesa
Gás mais caro C
om os mercados nor-
te-americanos e japo-
nês encerrados, o dó-
lar'oscilou ontem nos merca-
registou em 1994 um
lucro de 1,6 mil milhões ,
de yuan (cerca de 47,5
milhões de contos),
a partir de ontem dos europeus entre bandas
bastante apertadas em virtu-
de do volume de n~ócios ter
sido muito reduzido.
enquanto em 1993 tinha
havido prejuízos no • o preço do gás na Madeira tem Ao nível europeu, a lira s0-
montante de mil milhões novos valores. Que entraram freu perdas acumuladas ao
de yuan (cerca d~ 29,3 longo das últimas semanas
ontem em vigor. Uma parte devido à instabilidade
milhões de contos),
divulgou o China Daily. actualização semelhante aos política em Itália.
As exportações de têxteis valores previstos para a Esta recuperação foi devi-
aumentaram mais de 30 da à desigriação de Lamberto
inflação. Entretanto, a gasolina Dini como primeiro-ministro.
por cento em 1994,
particularmente graças à verdejá é mais cara que a super. . Em Espanha, o ministro
alta do algodão fiado no das Finanças, Pedro Solbes,
oi a partir do dia de Por exemplo, no gás bu- afirmou que os recentes pro-
mercado mundial.
Segundo Wu, os
progressos da indústria .
têxtil chinesa estão
F ontem. O preço por
quilo do gás passou
. dos 140 escudos para os 146
tano, dos 7$50 escudos de
acréscimo do preço por qUi-
lo que agora se verificou,
ble~ que levaram à instabi-
lidade da peseta estavam ul-
trapassados. As expectativas
ligados ao programa de escudos no butano e de 135 3$00 vão para as revende- de uma subida das taxas de
reestruturação e escudos para 142$50 no gás doras e os restantes 4$50 juro nos EUA aquando da pró-
renovação tecnológica propano. Um aumento es- para as companhias que fi- xima reunião do FOMC a 31
que permitiu a uma perado de 4,3% e 5,6%, res- cam com a parte de leão do de Janeiro têm mantido o bi-
pectivamente, e acordado negó~io. . lhete verde aos níveis actuais e
província produtora de
algodão, como o entre GQverno Regional e a possibilidade de uma subi-
Shandong, mudar 2,4 ~s companhias. Gasolina·verde mais da geral das taxas em 0,5 por
milhões de fusos cara rento, poderia evel).tualmente
obsoletos nestes últimos Margens de venda provocar a sua valorização.
três anos. actualizadas Segundo responsáveis A reunião dos ministros
das Finanças em Bruxelas,

Di ·tal Portu al
As actualizações dos
das revendedoras, "as mar-
gens de venda já não eram sendo ai. ª de 1995, apresen-
mlN~.ora ven§as preços do gás já eram actualizadas há dois anos", tava na agenda como ponto
aguardadas há algum tem- enquanto os custos das em- principal a luta contra o de-
po atrás, chegando-se mes- presas continuavam a au- Os preços do gás foram actualizados em 4,3% e 5,6% semprego; no entanto os ana-
A Digital Portugal listas afirmam que os minis-
anunciou que registou no mo a falar em aumentos na mentar de ano para ano. para este ano.
ordem dos 10% devido à in- Este aumento do gás tros irão por certo prestar al-
ano civil de 1994 um guma atenção aos actuais
volume de negócios constância dos preços do vem também juntar-se ao pura política comercial das veis quaisquer valores ofi-
petróleo nos mercados in- da gasolina verde, que pas- empresas que acordaram ciais. mecanismos do Sistema Mo-
recorde de 9,3 milhões de netário Europeu bem como ao
contos, um aumento de ternacionais. De qualquer sou a ser mais cara que a globalmente o novo preçá- Facto inverso verifica-se .
modo, chegou-se a um con- super/ normal com chumbo rio. Tudo com o benepláci- na gasolina super, com actual comportamento da pe-
28 por cento face ao ano seta e do escudo. Em Lisboa, o
precedente. senso para os novos valo- no valor de um escudo. to do Governo Regional, chumbo. Isto é, em 1994 as-
res que foram aprovados Segundo informações apesar das portarias quin- sistiu-se a um decréscimo escudo iniciou a sua cotação
Observa que estes dados contra o marco a 103,05/15 pa-
vêm confirmar a pelo Governo Regional. apuradas pelo DIÁRIO, es- zenais que vigiam o regime no consumo na Região, fac-
O DIÁRIO apurou entre- te foi um aumento decreta- de preços na Madeira. to registado igualmente em ra se apresentar a 103,227 na
tendência do ano fiscal cotação indicativa do Banco
de 1994 (1 de Julho de tanto que este acréscimo é do pelas gasolineiras mul- E de recordar que as todo o território continen-
penalizado pelo "forcing" tinacionais, para o qual não vendas da gasolina sem tal. de Portugal apesar do volume
1993 a 30 de Junho de negociado ter sido fraco.
1994), em que se que os revendedores de foi dada qualquer explica- chumbo estão a crescer _ Estes dois factores têm
verificou·um crescimento combustíveis fizeram este ção. O que se sabe é que "brutalmente", como refe- origem acima de tudo na
de 12 por cento na ano para que lhes fossem não resultou de qualquer riu um responsável do sec- maior comercialização de BP absorve
facturação. melhoradas as margens de alteração em termos int.er- tor, admitindo-se mesmo su- carros.novos e em algumas
venda, algo que já não era nacionais, seja no preço do bidas entre os 250% e os adaptações para carros liquidez
A Digital revela que em

o
1994 as vendas do efectuado há dois anos, con- dólar ou mesmo do barril 300% entre 19-93 e 1994, em- com catalisadores. s primeiros negócios
segmento de forme reveJou uma fonte. de petróleo, mas sim por bora não estejam disponí- M.M .
no "overnight" fo-
computadores pessoais ram contratados nos
(PC) duplicou as vendas, T ELECOMUNICA Ç ÕES 8,75%, mas face ao nível da
enquanto o negócio de oferta em relação à procura
sistemas cresceu 20 por
cento, com um aumento Telepac estabelece existente, assistiu-se à quebra
das taxas de juro até aos
de 86 por cento nos
AlphaAXP.
-
acordo com mM 8,5625%. Apesar dos níveis
praticados no mercado, o Ban-
• Telepac anunciou on- caso de anomalia no seu si&
co de Portugal ainda cedeu 3
Indústria das
conservas renova-se
A indústria das
A tem que estabeleceu
um acordo com a
IBM portuguesa para que as
tema.
A Telepac salienta que o no-
vo arordo com a IBM envolve o
milhões de coiLtos a 8,875%,
pelo prazo de 3 dias, enquanto
que no mesmo prazo, absor-'
veu em TRM's a 8,5%, 31.500
duas empresas comerciali- estudo de soluções globais e o. milhares de contos.
conservaS está a registar
zem mutuamente os seus pro- desenvolvimento dos projectos Nos prazos mais longos o
uma renovação do seu
. tecido empresarial, com dutos e serviços. que melhor se adaptem às exi- nível de actividade foi reduzi:.
Segundo um responsável gências do mercado: do, tend<hSe verificado uma li-
o encerramento de várias
da Telepac, esta empresa de A concessionária da Coca- geirissima quebra dos níveis
empresaseo
comunicação de dados e a lí- Cola em Porlugal, um con- . das taxas de juro em relaçlo à
aparecimento de novas
der mundial de equipamen- trato a longo termo para a sessão anterior.Dos 25 milh~
fábricas, disse o sub-
tos informáticos tinham já e& prestação de serviços de tele- es de contos de O.T.-MP a 5
director-geral das Pescas. comunicações, permitindo ao
tabelecido um acordo técni- anos que estavam em leilão,
António Pinho referiu cliente dispor de um serviço
co que permite aos clientes foram colocados 15,5 milhões
que se verifica "um de alta qualidade com con-
comuns contactarem qual- de contos, a uma taxa média
aparente renascimento trolo dos custos.
da indústria conserveira. quer uma das empresas em ponderada de 11,96%.
No entanto, temo que a Os 25 milhões de contos de
produção global continue Bilhetes de Tesouro a 6 me-
a diminuir, pois as novas ses que ontem estavam em lei-
unidades fabris lão, foram colocados à taxa
substituem outras que média de 11,3831%, o que re-
entretanto presentou uma subida de
desapareceram" . 0,4456 pontos perrentuais em
Actualmente existem 35 relação à última emissão pa-
fábricas activas. Por ra idêntiro prazo. O Banco de
exemplo, o Algarve, que Portugal anunciou a emissão
já teve 30 unidades fabris para o próximo dia 20,.de 30
em funcionamento, não milhões de contos de bilhetes
ultrapassa aS 10 fábricas do Tesouro a 1 ano, sendo o
"relativamente leilão amanhã e entrega de
pequenas". propostas hoje mesmo.
; .
16 DIARIO DE NOTIcIAS - MADEIRA

Lí D E R D A UNI T A ATACOU PORTUGAL ~


FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995

Acusações de SaviInbi
não são "posição ~ficial"
No resto do pais a situa-
• A entrevista de Jonas Savimbi à ção não é tão pacífica como
RTP ainda não provocou em Luanda, uma vez que
reacções em Angola.onde, continua a haver ''vários pro-
blemas nas wnas mais 'quen-
no Huambo, os chefes tes' durante a guerra". "Há
militares reúnem mais cidades destruídas e imeusos
uma vez. problemas básicos. A situa-
ção militar, contudo, parece
participação portu- Ministério da Defesa - teri- estar controlada depois dos

A guesa no processo de
paz em Angola foi
posta em causa pelo líder da
am reparado helicópteros da
Força Aérea Angolana, vio-
lando o embargo mundial e&
. encontros entre os chefes mi-
litares. Tem havido pequenos
incidentes mas a situação é
UNITA, Jonas Sávimbi, em tipulado pela ONU em rela- razoavelmente boa", informa
entrevista recente ao Canal ção à venda de armamento a o diplomata.
1 da RTP. O dirigente rebelde Angola. A UNITA reagiu de
criticou duramente o papel uma forma decidida e o pa- Encontro no Huambo
de Portugal nas negociações pel de Portugal foi posto em
e acusou o nosso pais de "fa- causa. Silva Pereira informou
zer o jogo" do Governo do Mais recentemente o pró- ainda que irá realizar-se, esta
MPLA. prio MPLA terá colocado cer- semana, "uma nova reunião
Contactada a embaixada tas reservas sobre a partici- . de chefes militares da UNI-
portuguesa em Luanda, foi pação portuguesa na UNA- TA e do Governo, no Huam-
referido ao DIÁRIO que a VEM III, o que não foi bo, o que mostra que se está
UNITA não tinha formaliza- tornado oficial. a seguir normalmente o pro-
do uma "posição oficial " e Na recente visita a Portu- cesso acordado".
que as declaraçoes de Sa- gal, o mediador da ONU, o O adido de imprensa da
vimbi tinham sido feitas "uni- maliano Alioune Beye, elo- Logo após as primeiras eleições voltou tudo à "estaca zero". embaixada portuguesa pen-
.camente à Comunicação So- giou o papel de Portugal em sa que o processo de paz se-
cial". todo o processo e negou ter Pequenos incidentes prensa, Silva Pereira traçou muitos anos", sublinha Silva rá respeitado, embora alerte
Mais concretamente, J 0- vindo a Lisboa indagar sobre fora de Luanda um quadro breve da situação Pereira. • para a necessidade de ser
nas Savimbi colocou em cau- o caso das OGMA. angolana. O ambiente geral é de sempre tida em conta a opi-
sa a participação portugue- . Em relação à força de O DIÁRIO contactou a Na capital a vida, nos úl- "grande expectativa em fun- nião de ambas as partes.
sa na força de paz internaci- paz, a UNAVEM III, que irá embaixada portuguesa em timso meses, tem sido "mais ção da evolução dos aconte- Em relação ao papel de
onal, UNAVEM III, que irá fiscalizar a desmilitarização, Luanda para saber quais as calma", segundo o diploma- cimentos. Não se sabe muito Portugal assegura que o nos-
.fiscalizar o período de de- referiu que será composta reacções recentes à entre- ta. "Inclusivamente o final do bem o que'se irá passar e as so país continua a ser uma
sarmamento. por dois mil capacetes azuis vista de Savimbi. Na ausên- ano foi celebrado da forma pessoas mostram-se reserva- , "peça fundamental" no pro-
e por trezentos ,observadores cia do embaixador Rocha Pá,. tradicional, o que acontece das sobre o futuro" , acres- cesso de paz angolano.
Segunda tentativa internacionais. ris, em férias, o adido de im- pela primeira vez desde há centa. JORGE SOUSA
de paz
Depois de quase vinte
anos de guerra civil, Angola
tenta, pela segunda vez, re- '
solver de uma forma negoci-
ada os diferendos entre a
União para a Independência
Total de Angola (UNITA) e o
Movimento Popular para a
Libertação de Angola
(MPLA), chefiado pelo pre-
sidente angolano Eduardo
dos Santos.
Depois de uma primeira
tentativa que conduziu à re-
alização de eleições legislati-
vas e presidenciais, a guerra
civil regressou de imediato,
nos dias seguintes ao escru-
tínio, com confrontos san-
grentos em que foram mor-
tos dirigentes da UNITA de-
pois desta organização não
ter aceite os resultados elei-
torais.
Dois anos passados sobre
o acto eleitoral, os beligeran-
tes voltaram à mesa das ne-
gociações e foi assinado, em
Novembro do ano passado, o
acordo de Lusaca, em que é
definido um cessar-fogo e o
processo que conduzirá ao
estabelecimento de um Esta-
do democrático.
Simultaneamente com a
assinatura do último acordo,
um escândalo envolvendo as
Oficinas Gerais de Material
Aeronáutico (OGMA) criou
embaraços ao Governo por-
tuguês. Segundo se apurou,
as OGMA - uma empresa
. mista com participação do A guerra civil tem provocado milhares de vítimas inocentes, alheias à sede de poder das facções em confronto .
17
DIÁRIO DE NOTIcIAS - MADEIRA FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995

PORTUGAL N O P R O C E S S .0 P O N T O
D E

Savirnbi reticente P
V 1ST A
or muitos tratados que sur-
jam entre as partes belige-
rantes em Angola, e por mu-
itas campanhas Internacionais que
srnjam, o povo angolano deverá fi-
car sempre com um "pé atrás". Será
pratiCamente impossível vender a
ideia de uma paz sólida e duradoura
a quem já passou por situações tão
violentas como uma guerra coloni-
al de treze anos e uma guerra civil
. de quase vinte. Além disso, a pri-
meira tentativa para estabelecer um
estado democrático redundou num
total fracasso, com o reacender da
guerra, com uma violência muito su-
perior há anterior.
A UNITA não aceitou os resultados
eleitorais e optou por regressar à
luta armada, no que foi seguida
"sem pestanejar" pelo Governo do
MPLA que também parecia decidido
a "externllnar" o adversário. Foi a&
sim que as cidades mártires de
Huambo, Cuíto e muitas mais, vol-
taram a ser massacradas, com as
cenas de violência a correrem mun-
do nos ecrans de televisão.
Depois de muitas mortes e quando a
vitória 'militar parecia impossível
para qui:tlquer lado, os "senhores
da guerra" angolanos decidiram pa-
rar. O povo, esse, continua numa
posição subalterna, qual marioneta
numa peça de terror.

• Depois de muitas mortes e quando a


vitória militar parecia impossível para
qualquer lado, os "senhores da
guerra" angolanos decidiram parar. O
povo, esse, continua numa posição
subalterna, qual marioneta numa
A UNITA protestou depois do "caso" OGMA. A participação portuguesa na UNAVEM III foi posta em causa. peça de terror.
E, no meio de tudo isto, Portugâl
• Após a entrevista que Jonas
Savimbi concedeu à RTP na
"Portugal devia estar
numa posição equidistan-
te como país convidado
não há inocentes, quer de ,
um lado, quer do outro. Es-
sas coisas não se apagam
continua a ter muitas culpas. Foi a
guerra coloniâl, que produziu um ,
exército de órfãos e mutilados, de-
passada quinta-feira fica no ar a por ambas as partes. O como um bocado de giz pois os fâlsos acordos do Alvor, a
que a UNITA diz é que num quadro. Isso fica no "fingir" que havia regras definidas
questão da intervenção Portugal, sistematicamente interior das pessoas. Por no terreno e, mais recentemente, o
portuguesa em Angola. esteve do lado do MPLA e outro lado "a UNITA con-

D
caso das OGMA Este último a pro-
não numa posição equidis- sidera que o maior obstá- meter fazer correr muita tinta.
iz o povo que ," ga- cedida a entrevista que dis- tante", lembrou. Factos pa- culo à paz em Angola são Por muitos sorrisos que os senho-
to escaldado de se ser intenção da UNITA ra fundamentarem isso: a os 5% de angolanos que na- res dos Negócios Estrangeiros te-
água fria tem me- "enviar uma delegação a , vinda do Savimbi a Portu- da têm a perder, antes pe- nharÍl e por muita boa-vontade que
do" esta é um pouco a ati- Portugal para estudar com gal deu que na prática, en- Io contrário, tudo a ganhar apregoem, o certo é que o único mo-
tude de Savimbi que não o Governo português a si- quanto Mário Soares rece- com a guerra nunca sofre- tor da ajuda a Angola tem apenas
confia nem em Eduardo tuação de modo a tomar beu todos os partidos em ram as consequências da um nome: oportunismo. Pois só o
, dos Santos nem no Gover- unia decisão no sentido de Belém Cavaco não recebeu mesma porque ganharam facto do país continuar a ser uma
no português. O líder da se saber se aceita ou não Savimbi, por outro lado muito dinheiro com ela. promessa de riquezas por explorar
UNITA disse na entrevista a intervenção de Portugal "eles dizem que enquanto Eles c~)llsideram que , de anima os mediadores. Petróleo, di-
que "nenhum partido e ne- no processo de paz; o que se discutia todo o pro ces- facto, ,quem dentro do amantes e muito trabâlho para a
nhum angolano podem ig- se prende também com as so de Bicesse Cavaco foi MPLA defende a continua- construção civil ainda são um alici-
norar os laços que uneni questões do armamento. aos Estados Unido's e in-
sistiu jUnto da administra-
ção da guerra são as pes-
soas que estão a ganhar di-
a
ante importante para obrigar rnan:-
os dois países, laços de cul- Mas SaVimbi não diz em la- dar alguns "capacetes azuis" ...
tura, de laços de língua e do nenhum que o MPLA ou ção americana e de Rea- nheiro nas comissões das JS
até mesmo laços de san- a UNITA não querem". I gan, na altura, para que compras de armamento e
gue" , mas, isso não signi- Prevê-se, em breve, a fosse reconhecido o Go- que essas mesmas pesso-
-fica uma abertura total. deslocação de uma delega- verno de Luanda. Pela se- as porque vivem isoladas
Põe-se a questão quanto a ção para estudar o proble- gunda vez o governo por- na cidade estão interessa-
uma participação de Por- ma coI)1 o Governo portu- tuguês esteve do lado do dos na continuação da
tugal na UNAVEM III cujo guês. MPLA. Agora Portugal guerra", adiantou.
mandato deverá iniciar-se Quanto à questão das vende armas à sucapa pa- Se houver guerrilha em
a 8 de Fevereiro para OGMA Barata Feyo disse ra uma das partes", a de- Angola o objectivo da UNI-
cumprir a segunda fase da crer que isso deixou algu- silusão aos olhos da UNI- TA nessa futura e hipoté-
missão da ONU prevista mas mazelas. TA segundo nos disse o tica nova guerra "Iileria
pelo protocolo de Lusaca. jornalista. atingir exactamente esses
O mediador do pro ces- Os factos 5% de pessoas de tal modo
so de paz angolano que su- falam por si Paz no que quando na mesa das
cedeu a 'Margaret Anstee, horizonte? negociações se falar de
Alioune Beye, disse a se- "A UNITA tem um soma- guerra a palavra tenha o
mana passada em Lisboa tório de queixas em relação Estão reunidas as con- mesmo sentido para todas
que Portugal é um interlo- a Portugal", referiu o jor- dições para a paz? "Posso- as partes" , concluiu.
cutor privilegiado no pro- nalista pois quando foi o lhe remeter para o que ele No processo de paz em
cesso, tão certo disso não processo de Bicesse o Go- diz, que é tudo uma qués- Angola espera-se o próxi-
está Savimbi ~e escreveu vemo do MPLA convidou a tão de vontade política", mo passo; o encontro Sa-
a Butros Ghâli. União Soviétiéa e a UNITA, referiu Barata Feyo. , vimbijEduardo dos San-
O DIÁRIO contactou Jo- os Estados Unidos. De co- Será que é suficiente? tos.
sé Manuel Barata Feyo, o mum acordo o terceiro país Estes factos deixam sem-
jornalista a quem foi con- convidado foi Portugâl. pre mazelas e "em Angola LSL Os jovens ango!anos cresceram na gu erra .
18
• DIARIO DEjNOTICIAS - MADEIRA FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995

ENTRADA NOS EUA HOSPITAL

Operador defende
anulação de vistos
Averiguada
morte
de bebé
SUPER,.,
O
Hospital ~istri­
tal de Evbra
(HDE) ordenou
ontem a abertura de um
PROMOÇAO
processo de averigua-
ções para apurar as
circunstâncias em que
ocorreu a morte de um DE 17 a 22 de Janeiro 1995 ,·····.· 1'
,
o " . . , ... .

'
"
. " .,
.
...
.

i
.',_:
bebé, de cinco meses, re- . .
velou o director clínico do
HDE. *PORCO Kg *PORCO Kg
O bebé morreu sexta- COSTELETA
feira à tarde, ao dar en-
trada, pela segunda vez
num curto espaço de du- FUNDO · 713, Perna s/osso
Febras
7{)7,
t?11
as horas, no banco de ur-
gência do HDE com uma
paragem cardíaca e res- LOMBO 719, ENTRECOSTO 790,
piratória, "não. tendo re-
sultado as tentativas de
reanimação", explicou BACALHAU
Nos Açores foi defendida a livre António Queiroz ..
Segundo o mesmo res- CORRENTE Kg
circulação para os EUA. ponsável, tudo começou à

• Um operador aéreo norte-


americano defendeu ontem, em
Ponta Delgada, a continuaçao
hora do almoço quando a
mãe transportou o bebé às
urgências do Centro de
Saúde local, alegando pro-
blemas respiratórios do
169,
das "pressões" de Portugal para bebé, tendo a médica de
serviço dito que a "crian- QUEIJO FLAMENGO FIAMBRE DA PERNA
que deixe de ser exigido aos çaestava bem", muito em-
cidadãos nacionais visto de bora a tenha enviado para CASA D'ALDEIA Kg PROBAR Kg
entrada nos Estados Unidos. o banco de urgência do

N
um cónferência de
imprensa, destina-
da a anunciar o
seu programa de voos de
sitante.
A "Relvas" tem vindo
a utilizar equipamento da
TAP-AIR Portugal no seu
HDE para ser observada
por um especialista (pedi-
atra).

tou
O pediatra - acrescen-
não "encon-
779, 949,
Verão entre os Açores e a programa de voos de In- trou nenhuma altera-
costa leste do EUA, a "Rel- verno entre' Boston e os ção" e mandou o bebé pa- Mousses LONGA VIDA
vas - Tours" salientou que Açores mas, no Verão, vai ra casa, alertando a mãe Chocolate/Limão 60 Gr
a exigência de vistos para voar, também e em para- para que o acompanhasse
viagens de turismo aos lelo, com aviões da "Ame- e, se houvesse algum pro-

11,
EUA penaliza as operaçõ- rican Trans Air". blema, recorresse de novo
es "charter", impedindo Carlos Gomes, diri- ao banco de urgência.
um maior créscimento e gente da empresa, expli-
tráfego. cou que a TAP não tem
. Portugal, Grécia e Ir- aviões disponíveis para
landa são os únicos países utilização no fim-de-se-
da União Europeia a' que mana, ocasião preferida Esparguete INSULAR Leite
os Estados Unidos conti-
nuam a exigir vistos de vi-
pelos emigrantes para vi-
ajar para as ilhas. 500Gr 72, Cond.
NESTIÉ
370 Gr.
227,
Atum
GENERAL
BoI. CUETARA
~~g~:~f
A.F.
200 gr.2.("I',
~6
1 Rosquilhas
600 Gr.
t!J/J t?
~ . " (J ,

Whisky Vinho
GRAND Tinto RO-
MACNISH
0,70Lt.
1,072, MEIRA
1990
0,75L
421,
Licor
Vi~ho Branco 416
BAILLEY'S
0,70 Lt
',659, DAOCARDEAL
0,75L ,

SALVO ERRO TIPOGRÁFICO OU RUPTURA DE STOCK

*Penteada Super Monumental Super 2000


Mercado da Penteada Estrada Monumental Avenida Calouste Gul-
benkian
Ribeira Brava
Estrada Comandante Hiper
Camacho de Freitas Rua do Gorgulho

VENDA EXCEPTO LOJAS COM *


~

SUPERMERCAdos '~11t ACEITAMOS CARTÃO DE CRÉDITO


"ID'O;S,OL, VISA OU UNIBANCO
19
DIARIO DE NOTfclAS - MADEIRA

MASSACRES
FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995

NO RUANDA

CONTRÁRIO À PAZ
Tribunal de crimes da guerra
Líder de facção 't J"'.
abre este mês
m~dependência mais rápida do q1).e no ca-
., .' do ''];:ribunarl de so do mesmo órgão posto

quer ficar em Gaza : " CriJÍ1es' d~;ÚuerJ;a


dar ONU vai-§er 'à:becta eslé'"
em funcionamento para li-
dar com os ,assuntos rela-
inêsna:éaphaA ~l'uÇlQ.de~â; _. ' tixos 'à-~x;JugQ~íÍi'1!1, '~"
Kigali, ari~ciouont~tl1 ÚÍn-_"'::,,~:!~!ll':Í)ài-fe ae:vidôà~con­
• É'contrário porta-voz ,d~uele órgão de : . ~i~~àÇão, do esta!io de
,ao processo j:p.~.tjça. ititernacionl;l,y , .' ~ guérra,. na região,óTribu-
'- Esta:;iniGiátiv~ surge na -naI. pa;ra os Assuntos da
de paz' , \:s~quência" dá:n~iu,~liLção, '> e)(:Jh.goslávia; criado em
.mas q~er , .~a., 'I> l1,s's â"dá- s ePJ;?:IÚi-, d ~ :·,.J99? ,"ainda Jlão'r~alizol!, o
fiC'ar ::r:~~or'é :RJ!.~qtl!~jLÀ,ªnà;.·' seup~im~it{) j~~ga~~nto.
';antlgó;presrdé-nte'_do, Su- "No caso dlf> R1!and~h
a viver :pr~mo Tribunill d~~Madá" :estawos a começár com
em Gaza. ga~~: .:pa~I}.:~~lÉlg:;td.o ad- "um delegado que realnien.-
'juilto,· da depéildência ru- te será wha peça-chavepa-
,an,d:e.Si!. :p,a'!f:otomanana di- ;;à~ !1q,yel8: in$lHttiÇ.ã!l,."·.·,No
líder de uma fac- ' ~!~r~'a;'~de~,~pd~~c. ~1l. -5LJ.ri",-::. ,:AYIÇ,d~z, ~e,~Pi~!fQ':~'~Y~M:
O ção radical pales-
tiniana, contrária
ao acordo de paz com Is-
;Ç:M!.á;do:T::i~1-l;1!íU;q~:J?&l!~. · lav-l,a demoramo'S' muIto
.;~: <:Esra·1,l.9,vaA!?pen1leIitila ·
.~ , ,1J!11a:"~sr>~cIe,.dê,'missão
têmpo a encontrar uma
pessoa para exercer essas
rael, pediu para fixar resi- 'avançádà pára preparar funções", acrespentou, Q
dência na faixa de Gaza, trabalho", referiu o porta- porta-voz. . "- ':~, ..
disse ontem fonte oficial is- vqz Chr.istian Ghartier.
raelita. -b Tribunal ruandês foi
O pedido de Nayef Ha- posto em funcionamento
watmeh, chefe da Frente em Novembro pelo Conse-
Democrática de Libertação A faixa de Gaza continua efervescente_ Os líderes radicais lho de Segurança..da ONU.
da Palestina (FDPL) sedi- são contra o processo de paz. Um conselheiro jurídico
ada em Damasco, foi apre- sénior e um investigador
sentado pelas autoridades a faixa de Gaza desde o como as facções extremis- tras facções palestinianas, integrarão uma pequena
russas ao embaixador de início da autonomia, em tas islâmicas hostis ao responsável por alguns delegação proveniente de
Israel em Moscovo, Aliza Maio último, também re- acordo de paz, argumenta ' dos mais sangrentos ata- Haia, sede do Tribunal
Shenhar, acrescentou. cebeu um pedido de Ha- que a autonomia concedi-o ques contra israelitas. Penal Internacional, que
O responsável israelita, watmeh, disse. da à faixa de Gaza e à ci- Contraditoriamente, a viajará para Kigali na pró-
que pediu o anonimato, A rádio israelita afir- dade cisjordana de Jericó ' FDPL foi a primeira a de- xima semana,
disse que Shenhar entre- mou que Hawatmeh pro- fica muito aquém do con- fender o princípio dos di- Segundo Chartier, as di-
gou o pedido a Jeru.salém meteu que não abandona- ceito de Estado palestinia- reitos nacionais judaicos, ligências necessárias à cri-
na semana passada e que rá·as suas objecções ao no. apelando à criação de um ação de um tribunal inter-
o caso estava a ser exami- acordo de 1993 entre Israel Nascido na Jordânia, "Estado palestiniano, po- nacional para julgar os
nado pelas autoridades da e a OLP, mas também não Hawatmeh, 59 anos, for- pular e democrático", on- responsáveis pelos crimes
segurança israelita. vai interferir coma auto- mou a Frente Democráti- de judeus, árabes e cris- cometidos durante a guer-
O líder palestiniano, ridade da OLP em Gaza. ca em 1969, uma opção tãos pudessem viver em ra civil no Ruanda estão a Ruanda viveu momen-
Yasser Arafat, que dirige O grupo de Hawatmeh, marxista diferente das oU- ' conjunto. processar-se de uma forma tos de terror.

I T Á L I A TCHÉTCHÉNIA
Sondagem mantém
Forza na frente 12 mil russos
.A aliança formada pe- O principal partido da mortos em combate
lo movimento Forza
Italia e pelo Centro
Cristão Democrático conti-
oposição, o Partido Demo-
crático de Esquerda, regis-
tou, por seu turno, um dos .
.A organização russa
de defesa -dos di-
bitantes da república fo-
ram obrigados a fugir.
tou na detenção de 370 na-
cionalistas georgianos, in-
nua a ser a força italiana níveis de popularidade . reitos do homem O co-presidente da cluindo o deputado e ex-
mais votada tendo em vista mais elevados, 24,8 por cen- "Memorial" declarou on- "Memorial", lan Ratchins- ministro da Defesa Ten-
o caso do Airbus futuras eleições, segundo to, em pãrte devido à mobi- tem em Berlim que os com- ki, exigiu, por seu turno, guiz Kitovani, dirigente da
. uma sondagem ontem di- lização sindical realizada bates na Tchétchénia pro- uma posição mais dura I:rente Nacional, acusados
alarmou os franceses.
vulgada pelo jornal milanês contra as restrições no cam- vocaram cerca de"12.000 por parte do Ocidente:. de quererem combater os
"Corriere della Sera". po das reformas. mortos nas fileiras do de forma a pressionar sep'â ratistas abkhazes.
ARGÉLIA De acordo com a sonda- Enquanto isso, o primei- exército russo, quando os este pais a mudar de atitu- .Segundo ·a agência !tar-
gem, realizada pelo Insti- ro-ministro designado em
França apela tuto para os Estudos da Itália Lamberto Dini ulti-
dados oficiais falam em
500 mortos.
de.
Segundo Ratchinski, a
é,' Tass,. ren~z IVtovani, de-
ti~oa ~emanap~sada, po-
ao diálogo Opinião Pública, se hou- mava ontem o seu governo, Milhares de civis e par- acção do exército russo derá ser julgado e conde-
vesse agora eleições aque- composto essencialmente tidários tc):réfcb.énóínu- . iníciàdáa 11' de 'Dezembrô ;';' riado ~a uma pena de 10
·0

Governo francês lan- la aliança obteria 27,5 por por técnicos, devendo anun-

O
cumbiram igualmente du- na Tchétchénia viola a anos de prisãO.
. çou ontem um apelo cento dos votos, contra 25,8 ciar a sua composição ter- rante os confrontos, disse constituição russa que não Várias centenas de ho-
ao diálOgo na Argé- por cento na última sonda- ça ou quarta-feira. em conferê'ncia de im- prevê a intervenção mili- mens deixarãm sexta-feira
lia, depois de os partidos de gem, realizada em Dezem- Logo na sexta-feira, prensa Mariam landi~ya, tar ,no interior da Rússia. Tbilissi em 20 autocaI'ros
oposição argelinos terein a& bro, quando Berlusconi ain- quando foi encarregado pe- responsável da organiza- Um outro conflito étni- com destino a Zugdjdi, per-
sinado domingo, em Roma, , da era primeiro-ministro. lo presidente de constituir ção, acrescentando que co no território da ex- to da front.eira ábkhaze,
um "contraio nacional" para A sondagem demonstra um governo após três se- cerca de 100.000 outros ha- URSS, a Abkhazia, resul- com oobjectivoae lança-
. evitar a "guerra civil". ainda que os votos dos dois manas de crise política rem acções armadas con-
O porta-voz do Mitlistério partidos associados aos da aberta pela demissão de tra os separatistàs da Ab-
dos Negócios Estrangeiros Aliança Nacional e dos re- Berlusconi, Dini prometeu "khazia (oeste da Geórgia),
francês, Richard Duqué, afir- formadores permitiriam à um executivo constituído in- que em 1992 proclamou
mou que o apelo é dirigido ex-coligação "Pólo da Li- teiramente por técnicos pa- unilateralmente a sua in-
"a todos os actores da vida berdade" (menos a Liga do ra fazer face em primeiro dependência e em 1993 in-
política argelina, a quem Norte} somar 45,9 por cen- lugar ao problema do defice 'f1igiu uma denota à~ for- .
compete, e só a eles, discutir to, mais 2,3 por cento que orçamental. ças georgian;1s após ~m
as vias e meios de desenvol- na anterior sondagem. A atribuição das pastas ano de guerra, .
vimento do espírito de diálo- Em contrapartida, a Li- não parece estar a levantar O presidente da Geór-
go que permitirá à Argélia ga do Norte de Umberto grandes objecções com ex- gia, Eduard _Chevardnad-
sair da crise". Bossi, que esteve na origem cepção para Giaruii Letta, - Zê, denunciando a acção
O documento assinado da crise que resultou na de- ex-braço direito de Berlus- dos militàntes nacionalis-
em Roma propõe uma con- missão de Berlusconi, bai- coni, que poderá ser nome- .tas como' "uma tentativa
ferência nacional para defi- xa para 6,6 por cento (em ado para sub-secretário da de lançar úma nova guer-
nir "as modalidades e a du- Dezembro reuniu 6,8 por presidência do conselho ou " rá~civil", deu ordens' pa-
ração de um período de tran- cento das preferências dos ministro encarregado das ra deter a coluna, pren-
sição", antes de celebrar elei- italianos e em Outubro 8,3 relações com o parlamen- der e desarmar os mili-
ções "livres e pluralistas" . por cento). to. Grozni está praticamente destruída. tantes.
20

DIARIO DE NOTíCIAS-MADEIRA FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995

T A ç A • •
2.ª eliminatória
disputa-se hoje
ealiza-se hoje, em • . "Balanço"

R diversos campos da
Região, a segunda
eliminatória da Taça da
Marítimo e União concluíram domingo a primeira-volta da I Divisão.
É, pois, tempo de balanço para "verde-rubros" e "azuis-amarelos",
curiosamente iguais há um ano.
Madeira. Nesta ronda, em
que o Santacruzense ficou
isento, participam já os três BA S QUE T E B O L TAÇA D E PORTUGAL
maiores clubes madeirenses.
Todos os jogos estão agen-
dados para as 21 horas,
exceptuando o Sporting-
-Choupana, a r ealizar no
Campo Adelino Rodrigues, a
Atlético de primeira
partir das 20 horas.
O Marítimo desloca-se à
Ribeira Brava para defron-
tar a equipa lOO1l, enquanto o
União defronta a UD Santa-
é teste para os ''Amigos''
na, no recinto dos santanei- certa descontracção , uma
• Uma das melhores equipas da I vez que a diferença de valo-
ros. No Campo da Boaventu-
ra, defrontam-se São Vicen- Divisão A2 saiu em sorte ao CAB. res dá todo o favoritismo ao
te e Bom Sucesso, e o Com dois americanos e Miké seu adversário. Porém, será
Pontasssolense rerebe no seu de esperar muita luta e
Plowden o Atlético é um dos empenho dos "Amigos" que
reduto aAD Camacha.
Esta eliminatória da Taça candidatos à subida à divisão A 1. têm um teste importante,
da Madeira conclui-se frente a uma equipa de um
sta noite , pelas 21 dele, Shawn Jamison deve-

E
amanhã, com a realização do escalão superior. Será a
Nacional-Câmara de Lobos, horas, o Clube Ami- rá ser outro motivo de oportunidade para Mário
a ter lugar no Campo Adeli- gos do Basquetej Le- particular interesse, uma Silva observar o seu
no Rodrigues, pelas 20 horas. vi's Store recebe, no Pavi- vez que tem sido sucessi- estrangeiro, Troy McKoy-
lhão de São João, a visita do vamente apontado como sem dúvida a lguma um
primo divisionário Atlético, uma das principais "estre- jogador de I Divisão -, em
ALTERAÇ0'O e_m jogo a contar para os las" a militar no basquete- confronto com adversários
oitavos de final da Taça de bol nacional. O jogador tem do seu nível, bem como a
Primeira Portugal masculina. integrado a maioria dos reacção do resto da equi-
sábado Recheado de muitas "cinco da semana" dos pa que tem mostrado uma
vedetas, os americanos diversos jornais desporti- evolução positiva nos últi-
18.ª jornada do

A Campeonato Nacio- .
nal da I Divisão, e a
primeira da segtmda volta,
Shawn Jamison, Bert Bris-
bane e Mike Plowden
(naturalizado português),
são as principais armas da
vos, com dados est/(ttísticos
bem acima da média.
Além destes jogadores,
Carlos Barroca - o apre-
mos encontros. Presente-
mente o CABj Levi's Store
ocupa a terceira posição
da tabela classificativa da
e
realiza-se no sábado, não equipa orientada por Carlos sentador da "magia da II Divisão A, Zona Sul,
no domingo, como habitual- Barroca. NBA" da TV2 - tem à s ua com sete vitórias e duas
mente. Nesta ronda da prova, O internacional portu- disposição diversos jovens derrotas.
o Marítimo desloca-se a Setú- guês, Mike Plowden, bem internacionais que permitem Perante as exibições já
bal, para defrontar a equipa conhecido dos madeirenses diversas opções tácticas. realizadas, o CAB pod erá
local, enquanto o União rece- por ter participado em vá- proporcionar um bom espec-
be o seu homónimo de Leiria rios campos de férias da Jogar para o táculo aos muitos adeptos da -
Esta alteração deve-se aos ABM e na "final-four " da modalidade que na certa
espectáculo
compromissos da Selecção Taça de Portugal de 1993 irão encher o velho Pavilhão
Nacional, que irá participar realizada na Madeira, será Pela parte do CAB este de São João. Mike Plowden em acção, na "final-four" de 93,
num Torneio a decorrer no a grande atracção. Além jogo é encarado com uma JORGE SOUSA quando ainda estva ao serviço do Benfica.
Canadá. Pelo facto do União
jogar no sábado, o Nacional,
para a II Divisão de Honra, ANDEBOL
defronta a Ovarense no
domingo, em jogo a começar
pelas 16 horas no Estádio dos
Barreiros.
Académico e Madeira
BOAV I STA
Manuel José
já conhecem caminho para O título
erminou no ~im-~e­ lidade de entrarem nos "play- No grupo B, o Colégio do Loures e também está no regresso à I Divisão. Na III
continua
presidente do
T -semana a pnmeITa
fase do campeonato
nacional da I Divisão femini-
off", por outras palavras
poderem ainda, imagine-se,
sagrar-se campeões nacio-
Infante tem alguma vantagem,
(16), seguido pelo Almeida
Garret (14), Benfica e Castelo
podium, ou seja se mantiver a
regularidade em termos de
resultados positivos, será
Divisão, o Barreirensej
Cavalinho levou o andebol
até à Camacha e também

O Boavista, Valentim
Loureiro, garantiu
ontem que o técnico Manuel
na, com Académico a obter a
primeira posição após a reali-
zação das dezoito jornadas.
O Madeira quedou-se logo a
nais. O último classificado
descerá à II Divisão enquanto
que o terceiro irá realizar um
jogo em liguilha com o segtm-
Branco (12) e VIgorosa (11).
Esta fase será disputada
a três jogos, o último dos
quais a ser ditado por sorteio,
perfeitamente normal os .
academistas, que parecem ter
deixado a renovação do plan-
tel de lado , conseguirem
obteve uma importante vitó-
ria, um estimulo para o futu-
ro que para já não surge fácil
para os objectivos dos
José "vai cumprir até ao fim"
o contrato que o liga ao clube, seguir, enquanto que o Colé- do classificado da fase final indicando as equipas que irão participar na fase final e madeirenses , que lutam
apesar das goleadas que a gio do lnfantej Pepsi não foi do campeonato nacional da jogar na condição de visita- assim poderem lutar pelo pela manutenção.
equipâ sofreu frente aO Spor- capaz de manter a sexta posi- II Divisão. das.
ting (5-0) e Chaves (1-4). ção' não participando no
Na reunião de ontem à grupo A, a fase mais impor- Metade Masculinos só
tarde entre os responsáveis tante da prova, ficando no dos pontos com vitórias
pelo departamento de fute- sétimo lugar.
bol do clube, segtmdo Valen- Apurados também para a Para a segunda fase No Campeonato Nacional
tim Loureiro, "falou-se do segunda fase, ficaram o marcada para o próximo dia da I Divisão masculina, reali:
momento actual do Boavista União de Almeirim, Colégio 28, todas as formações parti- zou-se uma jornada fácil para
mas ' não da demissão do de Gaia, Quinta da Princesa e rão com metade dos pontos os "verde-rubros". Recebeu
técnico". A confirmação de Porto Salvo, que assim garan- somados durante esta fase, o "lanterna vermelha", a -
Manuel José como técnico do tiram desde já a qualificação sendo arredondados para Académica de São Mamede, e
Boavista "nos próximos dois para os decisivos "pIay -off" e cima. Em termos práticos o apesar de uma exi.b ição
anos e meio" , período que segtITandõ a pennanência na Académico parte com 25 menos positiva ganhou e
falta cumprir ao técnico após . I Divisão. pontos, mais um que o seu subiu dois lugares na tabela
renovar o seu contrato há Ao invés, o Colégio do velho rival o Madeira, 24, classificativa, mantendo
cerca de meio ano", foi refor- Infantej Pepsi, Almeida enquanto que as restantes portanto intactas todas as
çada por Valentim Loureiro Garret, Benfica de Castelo equipas do grupo A arrancam hipóteses de alcançar um
ao afirmar: "Ganhamos o Branco e Estrela e VIgorosa respectivamente com 22 higar bem mais acima num
nosso campeonato sete vezes vão realizar a segtmda fase pontos Quinta da Princesa, campeonato que agora vai
nos últimos dez anos, três no grupo dos últimos com os Colégio_de Gaia e União de . redobrar as dificuldades.
dos quais conseguidos pelo dois primeiros classificados Almeirim (21) e Porto Salvo Na "Nacional" da II Divi-
actual treinador". a terem ainda a forte possibi- mais atrasado com (16). são o Aéadémico superou o
DIÁRIO DE NOTIcIAS - MADEIRA FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995 21

VOLEIBOL

Vitórias.em três frentes


deixam aspirações intactas
s três equipas madei- dos qlJ3i;ro primeiros de quem sição nas quatro jornadas que didato" Nacional de Ginástica

A renses em acção no
passado fimde-sema-
- na ganharam os jog0i'j.em que
está separado por dois pontos.
No próximo sábado, os "alvi-
negros" jogam em Alvalade
restam. '
Por sua vez, Machico es-
treou-se da melhor maneira,
(2/3) frente ao Castelo da Maia
"B" enquanto Ala Nun'Álva-
res e Académica de Coimbra
estiveram envolvidas manten- um encontro de extrema im- impondo-se de forma clara a fizeram valer o factor "casa"
do intactas as suas aspirações portância onde podem dar Um um adversário directo na cor- para chamarem a si a con-
nos respectivos campeonatos. passo decisivo rumo ao seu ob- rida para a subida de divisão. quista dos três pontos.
Na I Divisão Masculina, o jectivo. Quanto ao Madeira, Um triunfo que deixa as Ainda nesta divisão, o Ma-
Nacional viajou até aos Awres cumpriu a sua obrigação ven- melhores perspectivas para ritjmo viu adiada a sua entrada
e regressou com os três pon- cendo o Esmoriz e partilha uma fase final onde se antevê em prova na fase final B que
tos na bagagem, continuando agora o terceiro lugar com o muita competição pelo pri- está agendada para o próximo
na "cola" de Sporting e Leixõ- Leixões com quem promete meiro lugar e que começou fim-d&semana em Santo Tir-
es na luta por um lugnr na fase uma acesa disputa por tal po- com a derrota caseira do "(IDl- so. E.P.

NATAÇÃO

Nacionalistas derrubam
quatro recordes absolutos
a piscina da Escola Se- ticipar naquela prova nacio- novo máximo nos 4 x 100 me- cional dos 4 x 200 metros li-

N cundária Dr Ângelo
Augusto Silva realizou-
se, ao longo de três jornadas, o
nal.
Este Torneio começou a
ser disputado na sexta-feira e
tros estilos, com 'o tempo de
4.45.3. O recorde anterior era
de 4.48.3 ~ fora estabelecido
vres, constituída por Susana
Sousa, Rubina Vieira, Rubina
Andrade e CatarinaAlves, der-
Torneio de Inverno em Abso- terminou na manhã de do- por Filipa Freitas, Catarina Ne- rubou o máximo absoluto com
lutos. O calendário deste Tor- mingo e saldouse pelo derrube ves, Filipa Fernandes e Rubi- . o tempo de 9.07.2. O anterior
neio é semelhante ao do Cam- de 4 recordes absolutos. Su- na Andrade. O mesmo quar- ' recorde pertencia a um quar-
peonato Nacional de Clubes sana Sousa, agora a repre- teto derrubou o máximo dos 4 teto dos "alyi-negros" forma-
. que, no tocante à I -e TI Divi- sentar o Clube Desportivo Na- x 100 metros livres, realizan- do por Filipa Freitas, Catari-
são, se disputa a 28 e 29 do cor- cional, estabeleceu novo má- do o tempo de 4.13.2. O anteri- na Alves, Filipa Fernandes e
rente na piscina dos Olivais ximo dos 400 metros estilos or rerorde também pertencia a Rubina Vieira e cifrava-se em
em Lisboa. Esta prova serviu, com 5.15. 4 , melhorando o seu uma equipa do Clube Despor- 9.28.6.
sobretudo, para os treinado- anterior recorde que era de tivo Nacional, com Filipa frei- Uma ausência notada, a
res do Nacional e Naval, dis- 518.08. O quarteto "alvi-negro" tas, Andreia Martins, Catarina do olímpico Paulo Camacho.
siparem as últimas dúvidas, se formado por Catarina Alves, Alves e RubinaAndrade, com A equipa de arbitragem foi
é que as tinham, na constitui- Rubina Vieira, Susana Sousa e o tempo de 4.16.4. Na derra- chefiada por MariaLuisa Telo.
ção das equipas que irão par- Rubina Andrade, estabeleceu deira jornada a estafeta do Na- EDUARDO GONÇALVES
22 DIÁRIO DENOTlcIAS - MADEIRA FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995

A PRIMEIRA-VOLTA D O c . s. MARíTIMO

.Pontuaçã~semelhante
àda temporada anterior
• Alex e Gustavo os que actuaram de Guimarães e do Benfi- to. Em cinco desses encon-
ca. Nos Barreiros os pupi- tros o ataque maritimista
mais tempo. Paulo Alves los de Paulo Autuori apon- ficou em branco.
é o goleador, com 8 golos. taram dezassete golos e so- Nesta primeira fase do
freram onze. Nos encon- campeonato Paulo Autuori
or mera coincidên- . sense e Guimarães, colec- tros em que foram desfei- recorreu a vinte e três jo-

P cia, o C. S. Maríti-
mo findou a primei-
ra volta da prova máxima
tividades que ocupam o
quarto e quinto lugar. O
objectivo do Marítimo, o re-
teados no seu reduto o Ma-
rítimo sofreu seis golos.
Nas deslocações foram
gadores, mas algvns tive-
ram pouca utilização.
Assim, Bruno jogou apenas
do futebol português, tota- gresso à Taça UEFA está amealhados apenas cinco 15 minutos, Herivelto 67,
lizand019 pontos, os mes- •pois em aberto. pontos, fruto de uma vitó- João Luís 104, Fernando
mos que adregara na épo- Nesta primeira fase do ria, em Santo Tirso, e três Aguiar 115 e Jorge Andra-
ca anterior em idêntico pe- campeonato o Marítimo empates, na Amadora, no de 189. Face aos novos re-
ríodo. disputou nove jogos no Porto (em Paranhos) e em gulamentos, o Marítimo ce-
Os "verde-rubros" ter- Funchal, conquistando se- Braga. Nos oito jogos, so- deu dois jogadores. O jo-
minaram em sexto lugar, te vitórias e sofrendo dois mente foram marcados vem Eusébio foi adquirir
apenas a um ponto do Tir- dissabores diante o Vitória quatro golos e sofridos oi- maior maturidade no Espi-
nho, enquanto que o golea-
dor Jorge Andrade, a reali-
zar uma época modesta, foi
para o Vitória de Setúbal.
Dos vinte e um golos do Alex: «mais tempo».
Marítimo, oito foram mar-
cados por Paulo Alves, seis Em contrapartida Marga- girém novamente o seu de-
por Alex e dois por Gusta- rido ainda não se estreou siderato.
vo. no campeonato. Realizando uma prova
Na baliza Bizarro e Edmilson que foi dado em que fez algumas boas
Ewerton alternaram, até o como certo em vários qua- exibições, a par de outras
segundo ter, finalmente, drantes, estreou-se diante menos conseguidas, o Ma-
adquirido a nacionalidade o Farense e a partir daí ga- rítimo terminou a primei-
portuguesa. A partir daí a nhou a condição de titular, ra volta, bem posicionado
escolha incidiu em Ewer- demonstrando que pode e com óptimas perspectivas.
tono ser de enorme utilidade pa-
Apenas dois elementos ra os "verde-rubros" atin- EDUARDO GONÇALVES
participaram nos dezasse-
te jogos, GustavQ e Alex,
com o canadiano a ser o jo-
gador que mais tempo ac-
tuou, 1503 minutos.
Dos jogadores que estão
a representar o Marítimo
pela primeira vez, o cen-
tral Robson foi o mais uti-
lizado, actuando 1284 mi-
nutos, em quinze jogos.
DIÁRIO DE NOTIcIAS - MADEIRA FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995 23

A PRIMEIRA-VOLTA o O c . F. UNI Ã O

~.. Os mesmos ·11 pontos


que há um·ano
• Curioso o facto do C. F. União ter Benfica é perfeitamente Barreiros diante o Braga,
normal, mas o mesmo já três dias depois de ter as-
terminado a primeira volta com não se pode dizer dos de- sumido o comando técnico.
11 pontos, tal como ocorreu na saires sofridos perante o Nos Barreiros o União
temporada anterior. Belenenses e Salgueiros, arrecadou apenas sete
sobretudo este último. Foi pontos, tendo marcado no-
a partir deste jogo que os ve golos e sofrido onze.
pós um começo Os "azuis e amarelos" dirigentes unionistas deci- Nas saídas que empre-

A prometedor, com
uma vitória em Lei-
ria, o União foi colhendo
disputaram oito jogos nos
Barreiros e a sua presta-
ção foi algo decepcionan-
diram pela mudança de
técnico. Ernesto Paulo foi
afastado, juntamente com
eJ;lderam os "azuis e ama-
relos" conseguiram uma vi-
tória, logo à primeira jor-
resultados menos positivos te, pois somente lograram o seu adjunto José Carlos. nada e empataram na
e quando os seus respon- duas vitórias (Gil Vicente Em Santo Tirso a equipa Amadora e em Aveiro, já
sáveis deram por si, já es- e Setúbal), e três empates foi dirigida por João San- sobre a égide de Bernar-
tavam abaixo da "linha de (GuiJ;narães, Sporting e tos, com Arthur Bernardes des , o que perfaz quatro
água". Braga). A derrota diante o a realizar a sua estreia nos pontos, o que é pouco.
Com sete golos marcados
e tendo sofrido dezanove, Dragan: mais utilizado.
a prestação unionista nas
deslocações, denota um de Ferreira. Beto e Joka- minutos em.12 jogos. Leo-
forte défice. Em Chaves, novic são os melhores mar- nardo e Mário Luís já evi-
principiou a partida bem, cadores da equipa. denciaram o seu valor. Ko-
mas depois foi o descala- Com Arthur Bernardes, vacevic participou apenas
bro, surgindo a goleada. o União tem vindo a me- em dois jogos, actuando
A defesa "azul e amare- lhorar gradualmente a sua somente durante 87 minu-
la" é a segunda pior da produção. Os desfechos po- tos.
prova, com trinta golos, lo- sitivos começaram a sur- O União defraudou a ex-
go atrás do Setúbal. Para gir, um empate em Aveiro pectativa dos seus adeptos,
esta situação muito terá e uma vitória substancial mas está ainda a tempo de
contribuído as lesões e cas- perante o Setúbal e vieram recuperar o tt;lrreno perdi-
tigps que afectaram vários trazer novo ânimo. Dos jo- do , à semelhança do que
elementos do sector, com gadores contratados esta fez na época passada:
o treinador a ter dificulda- temporada Piá foi o mais
de de escalonar em duas utilizado, actuando 1080 EDUARDO GONÇALVES
jornadas seguidas os mes-
mos jogadores.
Foram utilizados vinte
e seis elementos, com Zi-
vanovic a ser totalista.
Os "azuis-amarelos" terminaram a 1.ª volta goleando o Setúbal. Tico foi cedido ao Paços
24
•• DIÁRIO DE NOTIcIAS - MADEIRA FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995

Made/,.. Pr.dl., 2000. Lda

VENDE-SE GAME BOY ~


.......p
~,
Compra e ve nda
de propriedades
REAl. ESTAlE
GRANDE VENDE-SE
G FACILIDADES PAGAMENTO Casa nova, 3 quartos, banho,
Ford Escort Cabrio 90 PERDEU-SE VENDE-SE OPORTUNIDADE sala grande, cozinha, loja,
ALUGA-SE Peugeot405SR 91 No Cortado de Santana Vende-se casas geminadas
muito bem situadas do tipo 13
armazém, quintal, jardim e
entrada para carros, com ou sI
VW Golf GTi 16v 89 Gratifica-se a quem o entregar CASA
ARMAZÉM VW Golf GTi 81 telef. 934333 (D. Cecília).25199
G 3 qts., 2 Wc, cozo equipada,
cl garagem e jardim . Muitos mobília nova. Toda amurada
LOJA d 150 m2 nos arre- AXGTi 91 bons acabamentos. Área de em volta. Telef. 225706.
garagem. Loja gr. e jardins-
dores do Funchal. Con- ZXAura 91 construção 196m2. Preços em
nos arreodores do Funchal.
tactar telef. 742098. 24524 Nissan Sunny SLX 91 CURSO BOM PREÇO!!!
fase de construção 22.500 cts.
Fiat Uno Turbo IE 88 Dá -se facilidades de paga - VENDE-SE
Contactar Casimiro: 229421 DE CABELEIREIRO mento.
ALUGA-SE 25173
DÁ-SE Tratar à Rua Câmara Pestana, OU ALUGA-SE .
18, 2.°, Sala 1.
Para mais informações contac- • Escritório frente ao Edificio
T1 tar o telefone 224780. 25169
Telefs. 229661/229538.
Licença 85-AMI. 25183
2000.
Mob ., equipodestacion. livre
no Alto Lido. Trata-se p/telef.:
VENDE-SE VENDE-SE
* t2 novo.
APARTAMENTO T5 Preço: 14.000 cts .
.764481, depois das 13h. 25138 o Jeep
o Jeep
Nissan Patrol GR (novo modelo)
Mitsubishi Pajero GLS
EDIFíCIO BAíA CASAS * n novo no Funchal.
o V.w. Polo 1.3
4 quartos, 3 casas de banho, VENDE-SE
ALUGA-SE o Peugeot 106 XS - Dir. Ass.
o Peugeot 106 KID
PRECISA-SE sala comum, 5.° quarto/escri-
tório, cozinha, despensa,
Em construção adiantada, tipo
T3. Preços: 22.000/23.000 contos,
·n mobilado, zona turís- o Citroen AX Furio
DE UM PINTOR estendal, varandas, área bru- dfacilidades. Trata: A. Santos. Av.
tica; • Opel Corsa 1.4 Sport 16 V ~ ta 200 m2, garagem fechada Mar, n.o21,2.° dt.°. 24881
o Nissan Micra LX P/oficina de automóveis.
• T2 mobilado, zona do Til. p.ara duas viaturas em parque
Sede: Estreito de Câmara de coberto - 55 .000 cts.
Tratar telefone: 34087.25159 USADOS Lobos. Telef.: 946032. 25013 Contactar (expediente) telef. 16.500 VENDE-SE
o Opel Astra 1.4 i GL ........ :............. 94
o Ford Fiesta 1.1i Cayman (5 p) .... 94 220161. 25062
o Opel Corsa 1.2 i Swing ................ 94 CONTOS NO PORTO SANTO
ALUGA-SE' o Fiat Punto 75 SX (5 p) .................. 94
PRECISA-SE VENDE-SE • Casa geminada d 2 pisos, tipo
APART.o13 MOBILADO. o Honda Civic CRX - ar (ond. epelednovo.... 93 . Ini\IMOBILIARIA ~,1 CASA nos Álamos d5 quartos, 13 a 50m da praia.
o Toyota Corolla XLI - Full Extras ..
o Nissan Primera 1.6 - Full Extras ..
93
92
SERRALHEIRO ~REGIONALW cozinha, banho, quintal, fren - • Lote d 435m2 - Lombas
te estrada +400 m2 terreno. • Lote d 850m2 - Farrobo
o Renault Clio 1.2 RT (5 p) ............. 92 MECÂNICO COMPRAE VENDA DE PROPRIEDADES
Tratar R. Bispo, 50. • Lote d 500m2 - Lapeiras
o V.w. Polo (Carrinha) ................... 92 Telef.: 233630. 25136 PARA VENDA
Telef.: 229384. 25127
o Peugeot 205 XR ........................... 91 • CASA NOVA A ESTREAR - CASAS -APARTAMENTOS
o Citroen AX 11 TRE ............. 90 Óptima construção, linda vista pi Tratar pelo telef. 982275
o Fiat 126 Funchal. Muito bom preço.
APARTAMENTO 'T2 (depois das 17 horas) 25178
APARTAMENTOS EMPREGADA • VIVENDA NOVA EM S.
GONÇALO - Boa construção,
Localizado em zona turísti-
ALUGAM-SE ADIAS muito espaço. Muito bem
situada d linda vista pi Funchal. ca . Construção boa e exce-

Tratar Rua da Carreira n.O214-


Oferece-se de 2: a 6:.
Pessoa de responsabilidade.
Preço de ocasião.
• CASA EM C. LOBOS - Em
lente vista mar. Área: 103 m2
com garagem e arrecadação.
VENDE-SE
1.°, sa la 5. Telef. 225706. 25176 estado de nova cl 6 Q.D., Casa por estrear com 3 qts. d.,
Telefone: 48918. 25125 Preço : 23.000 cts.
cozinha completa, 2 salas, sala, cozinha, 2 ban hos, gara-
garagem + armazém d 350 m2. gem, por 20.000 cts.
Optima oportunidade. . . EFEDÊGarcia
Rua Elias
"
ALUGA-SE ~MRi)ejrll JOVEM • CASA ESTILO MADEIRENSE
NO ESTREITO C. LOBOS •
Edf. Elias Garcia II f 1 - F

Telef. 233351- Fax 226810


Outra casa com 3 qts. d., sala, .
cozinha, 2 banhos, entrada para
~ LeilJ C/CARTA DE CONDUÇÃO Precisa de obras, área terreno
·QUARTOS
Em Santo António. AUTOMÓVEIS PROCURA TRABALHO
cerca 1.000 m2 . Muito bom
preço.
Licença n.O 260 AMl

PARA BEM SERVIR ª carro, por 23.000 cts.

• APARTAMENTOS· Tl -T2 - T3 Te'rreno com área de 1390 m2 em


Telef.42546 25186 NOVOS Telef.: 946087. 25129 na zona do Amparo, Piornais, Gaula, todo chão, por 5.800 cts.
o Peugeot 306 Cabriolet 2.0 Carne Azeda, Rua 31 Janeiro,
o Peugeot 306 Open Galerias D. João, Caminho do
Palheiro, próximo da Quinta do
OPORTUNIDADE?!! ! Diversos lotes de te rreno para
o Peugeot 306 XAD
o Peugeot 205 XAD Turbo
EMPREGADA DE MESA Faial. Se você tem mais de 18 anos e construção em diversas urbani-
• TERRENOS APROV. PI está livre do serviço militar. zações a partir de 20.000$ ao m2.
o Peugeot 106 Open
o Peugeot 106 XS
PRECISA-SE CONSTRUÇÃO· A muito bons Então temos a oportunidade
Peugeo.t 106 Rally ~ Gexperiência e conhecimento
preços na zona de sr António, da sua vida. Ligue já a marcar Pequeno armazém, área cober-
MADEIRA·IMPEX, LDA. de línguas. Cont. à Rua da Casa
S. Martinho, Sta. Maria Maior,
entrevista para o n.O230446 a ta de 40 m2 e 190 m2 de logra-
Rua Dr. Pestana Jor. USADOS Barreiros, Caniço - Reis Magos,
Telels.: 228602 ou 229218 - 9000 Funchal
o Peugeot 205 GTi 91
Branca, n.o 39. 25141 Gaula, sr da Serra, Camacha e partir das 9 horas e 30. 25170 douro por 8.500 cts.
VIATURAS USADAS em muitas outras zonas.
o Peugeot 205 Junior - 5 pts. 90 • COMÉRCIO· Snack-bar no Ver e tratar com Pinto Nunes
Marca Model.o o V.w. Golf Turbo Diesel 89 Centro, outro Snack-bar e mini-
Lancia
BMW
Delta 1.5
520 I
o Mitsubishi Pajero
o Toyota Corolla XL - 3 pts.
92 VENDEDOR mercado nos arredores e muitas AVISTA NAVIOS Rua Câmara Pestana, n.o6-1 .°
sala E. Telef.: 226672. 25160
88 outras.
Citroen ZX PRECISA-SE
Opel
Renault
Kadett
21 GTO
o Suzuki Maruti
o Opel Corsa 1.3 GT
92
88 Com experiência e de prefe-
Para mais informações contactar: VENDE-SE
Renault 21 GTL o Toyota Hilux LN - 85 . rência que esteja integrado no RUA DAS \IERCf::S.103 Bom LOTE com 917 m2.
Volvo
Mercedes-Benz
340 DL
220/8
c/caixa isotérmica
94
ramo de tintas. Telef.: 49566. Tel: 47904/742767 Contacte: SOCIALMUNDO JOVENS CASAIS
o Peugeot 504 Pick-up 25156 It Anadia n.O 16 - 3.° andar-
BMW 3161.8 GRANDE
Volvo 440 Rua Nova Quinta Deão, n.o 41 sala-4. Telefone - 227343 .25166
OPORTUNIDADE
Rover
Honda
213
Civic 1.300
Telef.: 741704 - 952443 - Funchal VENDE-SE
Seat Terra EMPREGADA Apart. c/financiamento
Mercedes·Benz . 190 E 1.7
Casa, 2 qts., sala comum, cozi-
nha, 2 banhos, entrada carro
VENDE-SE garantido, 1.500 cts .. Sinal
Ford
Mercedes·Ben2
Orion 1.6 '
.190 E2.0
~
~ DOMÉSTICA pequeno, quintal. Preço: CASA IMPECÁVEL
e prestações mensais des-
de 60 cts .. Trata: Núcleo R.
Mercedes·Benz 300 D
PRECISA-SE 17.800 cts; C/3 qts. d., salão comum, c. Ilhéus, loja 3. 25067
Jeep Suzuki Vitara
DAMOS FACILIDADES DE PAGAMENTO Outra 3 qts., cozinha, banho, banho, lavandaria, quintal,
. R. da Conceição n.o 117. 25163
VISITE-NOS ...
TEM PROBLEMAS arrecadação. Preço: 15.500 cts., entrada p/carro. Perto do cen-
Outra 3 qts., sala comum, des- tro. Preço de ocasião. Licença VENDE-SE
COM OSOL? pensa, garagem 4 carros e n.o 461 AML A PREDIAL PÉRO-
Apartamento TO mobilado
Sun"light- Toldecor. quintal em volta; LA DO ATLÂNTICO. Telefone: com varanda com direito à pis-
TOYOTA STARLET 81 A solução: Snack-bar no centro com ven- 220660. 25146
cina 14.000 cts.
das de 60 contos diários. Pre-
VENDE·SE Estrada dos Marmeleiros, 82.
VENSE-SE ço. 1!i.ooO contos; T2 na zona do Lido com gara-
Bom estado. Aceitam-se con-
dições de pagamento. Telef.:
CASA por estreár no Funchal, Lote terreno, 9,30m2. Preço: APARTAMENTOS gem e direito à piscina por
3 qt., 2 banhos (1 priv.), sala 8.500 contos. VENDEM-SE do tipo n, T2; 13 17.000 cts.
43302, das 15-19 horas. 25139 Telef.45877. 25191
comum, coz., lavandaria, gara- e T4 no centro do Funchal e
Telef.: 221024. Fax: 232169. gem e arredores. P: 23.500 c. arredores. Preços a partir de T3 no Til com mobília por
Telef.: 221342. CASA NO MONTE, 4 qt., 2 12.000 cts. 17.500 cts.
VENDE-SE salas, 2 banhos, 2 coz., lavan- VENDE-SE Dá-se facilidades de paga-
daria, despensa, 680m2 terre- Lotes no Caniço.Áreas 400 m2, mento. Diversos T2, 13 em várias zonas
OPEL ASTRA CARAVAN, no. P: 23.500 c. 406 m2. Preço único: 6.000c. Tratar à Rua Câmara Pestana, a bons preços.
Ano 93, impecável. Tratar: APARTOCASA, LDA. Tratar: APARTOCASA, LDA. 18, 2.°, Sala 1. Ver e tratar com Pinto e Nunes
Telef. 229093 entre as 16h-18h. R. Seminário, 7. 1.° Esq . R. Seminário, 7.1.° Esq . Telefs.229661/229538. Rua Câmara Pestana, 6-1.°, sala
25172 Telef. 38730 25198 Telef.38730 25174 Licença 85-AMI. · 25182 E. Telef.: 226672. 25161
FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995
25
DIARIO DE NOTfclAS - MADEIRA

BOM VENDE-SE T3 VENDE-SE VENDE-SE VENDE-SE
INVESTIMENTO (MADEIRA VILAS)
19.000 CTS. APARTAMENTO T3

VENDE-SE
Apartamentos T2 Garajau com
Rua 5 de Outubro.
SNACK BAR A estrear destacionamento no
centro. Licença n.o461 AML
IMOBILIÁRIA GISENÇÃO
jardim, piscina, estacionamen-
Prédio a acabar de construir no to. Facilidades de pagamento. Todo equipado.
No Funchal, 7.500 c.
A PÉROLA DO ATLÂNTICO.
DE SISA S/PASSIVO . .
coração da cidade com cave, Rua da Carreira, 174-1.° 25195
Entregas em Março, Junho, Telef.: 220880. 25154 Telefone: 220660. 25147 Telef.: 934514. 24988
100 m2. Rés/chão 100 m2, 5 Set., Dez. 95
sàlas d45 m2 cada, dc. banho, Tratar: Est. Monumental, 189
elevador, área bruta de cons-
. tru ção 450 m2, a 100 m da
- Telef. 766170/690 25188 VENDE-SE VENDE-SE VENDE-SE VENDE-SE
Câmara Funchal. Preço a com- SNACK BAR 550M2 TERRENO ESTACIONAMENTO
binar. C/facilidades pagamen-
VENDO Aprovado construção 3.000
APART. T1 Para 2 carros na Rua Elias Gar-
to. Tratar R. Bispo, 50. ERESTAURANTE contos. Telef. 233834 Edf. Tilsol com garagem e arre- cia. Preço: 2.800 contos.
PRÉDIO Com área 400m2 incluindo cadação. Telef.: 741704. 25128
VIVENDA Rua Carreira, 174-1 .° 25196 Telef.: 761584. 25143
PARA RENDIMENTO propriedade na zona turística.
VENDE-SE
Co m 6 andares acabados de Preço 85.000 contos
4 qu arto s, 4 banh os, sal a Rua da Carreira, 174-1.° 25193
co mum, coz inha, despensa,
constru ir, no centro do Fun-
cha l. Trata r 45877,2 29384, VENDO VENDE-SE VENDE-SE
lavandaria, quintal e garagem,
li nda vista, S. Gonçalo, preço
233834. 25192
SNACK BAR CASA T1 , T2,T3
48.500 cts. Outra nova 2 quar- APARTAMENTOS P. 6.000 contos
C/ 2 qt. dormir, sala comum, 2
Desde 11.000 contos.
tos, 2 ban hos, sa la, cozinha, banhos, 1coz., loja gr.ande equin-
Vendas: Rua da Carreira, 174-1.° 25194 Telef. 233834 25197
despensa, lavand aria, peq. VENDE-SE Sin al: 1.500 cont os e pre sta -
tai c/terreno. Telef. 45877. 25190
quintal e garagem, li nda vista. ções fixas de 70 contos duran-
P. 18.500 cts. 2 CASAS te 25 anos. Trata: A. Santos-
VENDE-SE Na Ponta do Pargo. Av. Mar, n.o21,2.° dt.°. 24882
APARTAMENTO 13 p. estrear Tratar telef. 42678 25198
com garagem e 2 WC, área
coberta 124 m2, varandas com INSTITUTO DE BELEZA
22m2, preço único 19.300 cts.
VENDE-SE
· ILHÉUS TRESPASSA-SEno centro por
apenas8.000 cts.
LOTES DE TERRENO - B. Nova,
* VE NDE-SE apartamento 13, Contacte: SOCIALMUNDO
d garagem, desp., terraço. Pre- R. Anadia n.O 16 - 3.° andar-
área de 41 0 m2, p. 9.800 con-
ço 38.000 cts. sala-4.
t os - S. Roqu e 400 m2, .p. MOTOS
7.700 cts., Caniço 670 m2, p. 13
mi l cts. Bom Sucesso 675 m2,
T1 Telefone - 227343. 25165

* ApartamentosAmérica, bom EXPOSiÇÃO


p. 25 mil cts. Pilar 450 m2, p.
estado. Preço 11 .000 cts.
10.800 cts. 14 mil m2 nas Car-
reiras 2 cts/m2. 450 m2 Qt. a Fai-
Ver etratar: SOCIALMUNDO VENDO
R. Anadia n.O 16 - 3.0andar-
al, linda vista p. 14.800 cts.
PRECISA-SE SÓCIO
sala-4. Telefone - 227343.25167 APARTAMENTOS
TO, tipo T1, 45 m2, 10.880 cts.;
PARA SNACK-BAR no centro, T2, novo, 17.500 cts., destac.;
preço 10.500 cts.
Trata r pessoalmente. R. Bispo, TERRENO T1 , novo, 13. 500 cts., destac. ;
13, novo, 23.000 cts., destac. ;
50 - 225034. 25126 VENDE-SE T4, novo, requ intado, 33 .000
Ap rovado para 6-T-1 com cts., 741578. 25065
garagens, linda vista, área de
COMPRO terreno 600m2. área de cons-
trução 550m2, perto do Cen-
CASA tro. Preço único não sujeito a
oferta 22 mil cts.
TRESPASSA-SE Formação
Até 12.000 cts ..
Telef.: 233494. 25153
Tratar pessoalmente R. Bispo,
50 25180
No centro do Funchal Profissional
ARMAZÉM
Amplo com 250 mts.
Dá vários ramos comércio
cn
,
t 1"
Oferecemos-lhe gratuitamente:
• MANUAis COMPLETOS EM PORTUGU~S
• CERTIFICADO DE FORMAÇÃO
• TODO O MATERIAL NECESSÁRIO
Telef.: 233616 das 10-13 dias úteis. 24836
CAN.S ADO ... STRESS .. .
FALTA DE MEMÓRIA ...-
EXPERIMENTE
<
!P@W@!Xl
@1lR!l@@R!l@
A RAIZ QUE VITALIZA
O CORPO E A MENTE
GX 2500+
Avenda nas ervanárias
BIOFORMA
Rua Queimada de Cima, 59
SEARA
Rua dos Netos, 36 - A

CONSORCONSTRUÇOES
Pré-fabricados, caravanas, tendas, pavilhõ-
~s, quiosques, cavalariças e todo outro tipo
ELABORAMOS TRABALHOS POR COMPUTADOR
de madeiras.
- Material em virog.
Centro de
FORMIARTE
Form~o Técnico - Profissional da Madeiro
Telef.: 49566, C.º Salão, 18-8 - St.º António. Rua de Latino Coelho, 60 _1 0 - Sala D
(entre o Mercado dos Lavradoras a a Esc . Sac oJaime Moniz)
25157
24377 1r 233625. Fax: 232226
26
• DIARIO DE NOTIcIAS - MADEIRA FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995

PARTICIPAÇÕES AGRADECIMENTO EMISSA DO 30,0 DIA MISSA DO 30,0 DIA

José Paulo Reis de Freitas Bettencourt Maria da Conceição Marques' Ramiro Gregório de Nóbrega
A família da extinta mui reconhecidamente agrade- A família participa que será celebrada uma missa
(Instrutor de condução) ce às pessoas que se dignaram acompanhar o funeral em sufrágio da sua alma hoje pelas 19 horas na Igreja de
desta sua saudosa parente ou que de qualquer forma Santa Maria Maior (Socorro), agradecendo antecipada-
FALECEU mente às pessoas que se dignarem assistir a este piedoso
manifestaram o seu pesar.
Participa que será celebrada missa por intenção de acto.
Sua mulher Júlia Pereira de Freitas Bettencourt e sua alma hoje pelas 20.1,5 horas na capela da Choupana,
seus filhos Celso Renato de Freitas Bettencourt, Magno Funchal, 17 de Janeiro de 1995
Funchal. 2517 1
Filipe de Freitas Bettencourt, Énia Alexandra de Frei-
Agradece antecipadamente às pessoas que se digna-
tas Bettencourt, Catarina Sofia de Freitas Bettencourt,
rem assistir a este piedoso acto.
seus pais José de Freitas Bettencourt e Senhorinha
Rodrigues dos Reis Bettencourt, seus sogros, irmãos, Funchal, 17 de Janeiro de 1995
cunhados, sobrinhos, primos e demais família cumprem
o doloroso dever de participar a todas as pessoas de
25 184
PARTICIPAÇÃO
suas relações e amizade o falecimento do seu saudo-
so marido, pai, filho, genro, irmão, cunhado, tio e
parente, natural da freguesia de Santo António, mora- AGRADECIMENTO EMISSA DO 7,0 DIA
dor no Complexo Habitacional da Torre T. B.-1 .0 r/c,
freguesia de Câmara de Lobos, e que o seu funeral
se realiza hoje pelas 14.30 horas, saindo da capela
do Cemitério Municipal de Santo António para o
mesmo.
Será celebrada missa de corpo presente pelas 14
horas na referida capela.

Os ex-colegas da Escola de Condução Progresso parti-


cipam a todas as pessoas de suas relações e amizade o José Barreto
falecimento do seu ex-colega sr. José Paulo Reis de Freitas
Bettencourt, e que o seu funeral se realiza hoje pelas (O Pataca)
14.30 horas, saindo da capela do Cemitério Municipal de José de Freitas Marques FALECEU
Santo António para o mesmo. Sua esposa, Albina de Freitas, filhos, genros, noras,
A família do extinto mui reconhecidamente agra-
Será celebrada missa de corpo presente pelas 14 netos, bisnetos e demais família cumprem o doloroso
dece às pessoas que se dignaram acompanhar o funeral
horas na referida capela . . do. seu saudoso parente ou que de qualquer forma mani- dever de participar a todas as pessoas de suas relações e
festaram o seu pesar. . . amizade o falecimento deste saudoso marido, pai sogro,
Participa que será celebrada urna missa em sUfrágio da avô, bisavô e parente residente que foi ao sítio do Rochão,
Os proprietários da Escola de Condução Especial de freguesia da Camacha e que o seu funeral se realiza hoje,
sua alma hoje pelas 20.15 horas na capela de Nossa Senhora da
Câmara de Lobos participam o falecimento do seu funci- terça-feira, saindo da morgue do Hospital da Cruz de
Assunção (Cho~pana), agradecendo antecipadamente às
onário e director sr. José Paulo Reis Freitas Bettencourt. e Carvalho, pelas 15.30 horas para a Igreja Paroquial da
pessoas que se dignarem assistir a este piedoso ado.
que o seu funeral se realiza hoje pelas 14.30 horas, saindo Camacha, onde haverá missa de corpo presente pelas
da capela do Cemitério Municipal de Santo António para Funchal, 17 de Janeiro de 1995 16h30 prosseguindo depois para jazigo no cemitério da
o mesmo . dita freguesia.
. Será cel.e brada missa de corpo presente pelas 14 Camacha, 17 de Janeiro de 1995
horas na referida capela.
PARTICIPAÇÕES DIRÍGE A AGÊN~IA FUNERÁRIA. FREITAS
Os funcionários da Escola de Condução Especial de
Câmara de L9bos part;icipam o falecimento dI? seu cole-
DE JOÃO ABEL DE FREITAS
ga sr. José Paulo Reis Freitas Bettencourt, e que o seu · RUA DE S. FERNANDO, 39
funeral se realiza hoje pelas 14.30 horas, saindo da (ape- TELEF. 522817 - SANTA CRUZ
Ia do Cemitério Municipal de Santo António para o
mesmo.
Será celebrada missa de corpo presente pelas 14
horas na referida capela.
PARTICIPAÇÃO

Os proprietários e funcionários da Escola de Condu-


ção Auto São Vicente participam o falecimento do seu
amigo sr. José Paulo Reis Freitas Bettencourt, e que o seu
funeral se realiza hoje pelas 14.30 horas, saindo da cape- Manuel Gonçalves Lucas
Ia do Cemitério Municipal de Santo António para o . FALECEU
mesmo. R.I.P.
Será celebrada missa de corpo presente pelas 14 Maria José da Costa, seus filhos, genros, noraSi netos,
horas na referida capela. bisnetos, ausentes e presentes e demais família cumprem
o doloroso dever de participar às pessoas de suas rela-
ções e amizade o falecimento do seu saudoso marido,
Os proprietários da Baía Rent-a-Car participam o fale- pai, sogro, avô, bisavô e parente, residente que foi ao
cimento do seu amigo sr. José Paulo Reis Freitas Betten- Beco da Fonte n.o 10, Paróquia do Sagrado Coração de José Sena de Carvalho
court. e que o seu funeral se realiza hoje pelas 14.30 horas, Jesus, e que o seu funeral se realiza hoje pelas 15.30 horas, FALECEU
saindo da capela do Cemitério Municipal de Santo Antó- saindo da capela do Cemitério de Nossa Senhora da Pieda-
nio para o mesmo. R.I. P.
de em São Gonçalo para jazigo no mesmo. Maria Isabel de Abreu, Maria de Fátima Abreu Carva-
Se.rá celebrada missa de corpo presente pelas 14 Será precedido ~e missa de corpo presente pelas 15 lho e seu filho; Ana Maria Abreu Carvalhl?, Margarida da
horas na referida capela. horas na referida capela. . Visitação Abreu Carvalho Bends e seu marido, Maria Abreu
dos Santos, seus irmãos, cunhados, sobrinhos e demais
A gerência da Escola Francisco Pereira e seus família cumprem o doloroso dever de participar a todas as
funcionários participam o falecimento do seu amigo A gerência e funcionários da firma João Crisóstomo
pessoas de suas relações e amizade o falecimento deste
sr. José Paulo Reis Freitas Bettencourt, e que o seu fune- Figueira da Silva & c. a Ld. a participam às pessoas de suas seu saudoso marido, pai, sogro, avô, filho, irmão, cunha- .
ra l se realiza hoje pelas 14.30 horas, saindo da capela relações e amizade o falecimento do sr. Manuel Gonçalves do, tio e parente, que foi residente na Rua do Cano, 53,
Ido Cemitério Municipal de Santo António para o Lucas, pai do 'seu funcionário e colega sr. Paulo Luís
Paróquia de São José, Funchal, e que o seu funeral se reali-
mesmo. Gonçalves Lucas, e que o seu funeral se realiza hoje pelas
za hoje pelas 14.30 horas, saindo da capela do Cemitério
Será celebrada missa de corpo presente pelas 14 15.30 horas, saindo da cãpela do Cemitério de Nossa de Nossa Senhora das Angústias em São Martinho para
horas na referida capela. Senhora da Piedade em São Gonçalo para jazigo no
mesmo. . jazigo no mesmo.
Funchal, 17 de janeiro de 1995 Será precedido de missa de corpo presente pelas 14
Funchal, 17 de Janeiro de 1994 horas na referida capela.
A CARGO DA AG ÊNCIA FUNERÁRIA Funçhal, 17 de Janeiro de 1995
A CARGO DA AGÊNCIA FUNERÁRIA 251 8 5

CÂMA RA DE LOBOS FUNCH' A L ENSE ' DIRIGE A AGÊNCIA FUNERÁRIA


de Fra ncisco Orlando Gonçalves de Sousa
Sítio do Saraiva - Câmara de Lobos - Telef. 942371
DE ANDRADE & LEANDRO, I.:.DA. . ANDRA.DE (ALMA GRANDE)
. e na R. São Francisco, 33- R. Brava - Telef. 952936 R. DA PONTE NOVA, 13 - TELFS.: 223771/230180 - FAX: RUA 31 DE JANEIRO, 42 - TELEFS. 223428/226848
TELEFS.94 2371/942882 230180 . FAX 226848 .
DIÁRIO DE NOTfclAS - MADEIRA FUNC HAL, 17 DE JANEIRO DE 1995
27

VENEZUELA EM BAIXA BO L S A D E T U RISM O D E 'L I S B O A

Banco Progresso Turismo Religioso


inicia liquidação é novidade
Seminário, intitula- O encontro vai permitir

O
Banco Progresso,
propriedade de
Orlando Castro,
iniciou ontem o seu proces-
Progresso deverá dirigir-se
à agência do banco que lhe
foi indicado onde terá à sua
disposição o dinheiro depo-
O do "Situação, Pers,
pectivas e Tendênci-
as do Turismo Religioso",
aos agen1es de viagens das
Comunidades Portuguesas
no mundo a troca de ideias
PARTICIPAÇÕES so de liquidação, com as sitado nas entidades agora em que participarão também com os parceiros nacionais
restantes empresas do grupo liquidadas. operadores nacionais e e o debate de assuntos
Fundo Financeiro Latino Fontes ligadas ao proces- estrangeiros ligados ao como a programação e
Americano, depois da inter- so de liquidação do Banco sector, será seguido de um comercialização de Portu-
venção do Estado na sema- Progresso afirmaram à agên- workshop, onde serão deba- gal em termos turísticos.
na passada. cia Lusa que o défice da·enti- tidas as potencialidades de Os agentes de viagens
Por decisão da Junta de dade deverá ser superior a Portugal como destino reli- vêm da África do Sul,
Emergência Financeira, 200 mil milhões de bolivares. gioso turístico e as estraté- Canadá, Estados Unidos,
presidida pelo ministro Raul Os cartões de crédito do gias de promoção neste domí- Brasil, Venezuela, Suíça,
Matos Azomr, todas as contas Banco Progresso foram nio. França e Luxemburgo.
foram passadas aos bancos definitivamente eliminados. Acompanhando o Semi- O secretário de Estado
que sofreram anteriormente No entanto, o Banco Repú- nário, decorrerá uma do Turismo, Alexandre
intervenções e que são domi- blicaé responsável pelo "Visita Educacional" de Relvas, preside à abertura
João Nunes Pereira nados pelo Estado (Latino, pagamento das quantias Turismo Religioso, que do encontro, dia 19, cujo
FALECEU Venezuela, Consolidado, gastas pelos possuidores traz a Portugal um conjun- encerramento, dia 20,
R.1. P. República e Industrial). destes cartões até ao dia da to de visitantes provenien- contará com a presença do
Maria Isabel Fernandes Freitas Pereira, Rui Freitas Assim, cada cliente do sua liquidação. tes da Alemanha, Áustria, ministro do Comércio e
Pereira, sua mulher, filhos, genros e netds, Maria Mari- Brasil, Estados Unidos, Turismo.
na Freitas Pereira de Sousa, seu marido e filhas, José Maria França, Holanda, Irlanda, O encontro é promovi-
Fernandes Nunes Pereira, sua mulher e filhos, Maria Eliza- AGRADECIMENTO EMISSA DO 30,0 DIA Itália e Reino Unido, para do pelo Jornal O Emlgran-,
bete Fernandes Pereira Freitas, seu marido e filhos, João dar a conhecer os princi- te/Mundo Português, em
Victor Freitas Pereira e sua mulher, seus irmãos, cunha- pais destinos nacionais do colaboração com o ICEP,
dos, sobrinhos e demais família cumprem o doloroso sector, como Fátima,
dever de participar às pessoas de suas relações e amizade contando ainda com o
o falecimento do seu saudoso marido, pai, sogro, avô, Mafra, Alcobaça, Batalha, apoio da TAP-Air Portugal.
bisavô, irmão, cunhado, tio e parente, residente que foi ao Tomar, Coimbra, Viseu, No âmbito da BTL 95, a
Caminho de Santo António, Beco da Escola, entrada 14, Lamego, Braga, Viana do Associação dos Jornalistas
porta n.o 2, e que o seu funeral se realiza hoje pelas 14 Castelo, Porto e Lisboa. Portugueses de Turismo
horas, saindo da Igreja Velha de São Martinho para jazigo No decurso da visita, (AJOPT) vai homenagear a
no Cemitério de Nossa Senhora das Angústias. destaca-se, hoje, a Sessão "Personalidade Artística do
Será precedido de missa de corpo presente pelas Oficial de Abertura das Ano" que, em 1994, se tenha
13.30 horas na referida igreja. Comemorações do oitavo - distinguido pela sua contri-
centenário do nascimento de buição para o progresso e
Os sócios e e mpregados da f irma Manuel da Silva Santo António, que decorre- desenvolvimento do turismo
Peixoto & C. a Ld. a cumprem o doloroso dever de pa~icipar António Francisco de Gouveia rão até Junho de 1996. português.
às pessoas de suas relações e amizade o falecimento do sr.
João Nunes Pere ira, sogro do seu colaborador e colega (Mestre Florestal aposentado) Inaugurada pelo Minis- De acordo com dados
sr. Jorge Alberto Marques de Freitas, e que o seu funeral A família do .e xtinto agradece reconhecidamente a tro do Comércio e Turis- da AIP/ FIL, entidade orga-
se realiza hoje pelas 14 horas, saindo da Igreja Velha de todas as pessoas que se dignaram acompanhar o fune- mo, Faria de Oliveira, e nizadora em conjunto com
São Martinho para jazigo no Cemitério de Nossa Senhora ral do seu saudoso parent e ou que de qualquer modo com a presença de meio o ICEP - Investimentos,
das Angúst ias. manifestaram o seu pesar. Pede desculpa por alguma milhar de expositores, dos . Comércio e Turismo de
Funchal, 17 de Janeiro de 1995 omissão havida nos agradecimentos por desconheci- quais cerca de 180 estran- Portugal, a participação de
mento de moradas ou ilegibilidade de assinaturas. Parti- geiros, a 7. ª edição da BTL expositores no certame .
A CARGO DA AGÊNCIA FUNERÁRIA cipa que será celebrada missa em sufrágio de sua alma
hoje pelas 7.30 horas na Igreja da Ribeira Brava, agrade- incluirá também o primei- traduz um aumento de 34
FUNCHALENSE cendo antecipadamente a quem se dignar assistir a este ro Encontro dos Agentes
. de Viagens Portugueses no
por cento face a1994 e um
crescimento de 58 por
piedoso acto.
DE ANDRADE & LEANDRO, LDA. Funchal, 17 deJaneiro de 1995 Estrangeiro, a realizar nos cento em relação aos expo-
R. DA PONTE NOVA, 13 - TELFS.: 223771/230180 - FAX: 230180 dias 19 e 20. sitores estrangeiros.

MISSA DO 7,0 DIA ··'- p


M
-: .. os
. 1 2 3· 4 5 6 7 8 9 10 11 HORIZONTAIS: 1 - Desejei; delgado. 2 - Leão ameri-
cano; proprietário. 3 - Acusada; transpirado; 200 em num.
romana. 4 - Organismo especializado da ONU; gracejava;
2
progenitor. 5 - Caminhar; a mim. 6 - Juntar; tecido. 7 - Contr.
3 de preposição e artigo; deus egípcio do Sol e da criação. 8 -
4
Lista; ensejo; grande quantidade. 9 - 4 em num. romana; malu-
. ca; depois do meio-dia. 10 - Numeral cardinal; retumba. 11-
5 Clarão da Lua; magoar.
Maria de Jesus de Freitas
6
VERTICAIS: 1 - Parte dianteira do navio; terceto. 2 -
(Clarinha) 7 Que pessoa; aprisco. 3 - Unidade; marca; a pessoa com quem se
A família da extinta participa que se rá ce lebrada 8
fala. 4 - Carrtinhavas·; curso de água; discurso laudatório. 5 -
uma missa em sufrágio da ~u a a lma hoje pelas 19 horas Cidade da Mesopotâmia, pátria de Abraão; contr. de prep. e arti-
na Igreja do Sagrado Coração de Jesus, agradecendo ante- 9 go. 6 - Tombar; cor. 7 - Oferece; língua que se falava outrora
cipadamente às pessoas que se dignarem assistir a este I---f---
10 no Sul do Loire. 8 - Passado; oceano; amarro. 9 - Laço; sofrer;
piedoso acto. nota musical. 10 - Mamífero carnívoro semelhante ao leopardo;
Funchal, 17 de Janeiro de 1995 11
contrapor. 11 - Lazer; deserta. (Soluções na Agenda)

"",

PROMOCOES #

C. C. TAVIRA LOJAS 32 E 36 TELF. 37047


25187
28 FUNCHAL,17 DE JANEIRO DE 1995
• DIARIO DE NOTIcIAS - MADEIRA

,- CRUZ DE CARVALHO MARMELEIROS Faz hoje anos As meninas: Maria lolanda CHEGADAS PARTIDAS
TELEFONE 741111/742111 TELEFONE 782933 as senhoras: Barradas Campos, Filipa Luísa
HORÁRIO DAS VISITAS D. Maria Inês da Silva Azevedo, Nunes Perei ra.
HORÁRIO DAS VISITAS
D. Maria da Conceição e So usa, Os senhores: Artur Alberto TP161 09.05 Lisboa TP160 06.00 Lisboa
1. 0 ANDAR 'l. o ANDAR TP863 09.05 Porto Santo TP568 07.40 LisboaNiena
D. Virgínia dos Santos e Oliveira, Lopes Cardoso, Joaquim
• Cirurgia 3 e Oftalmologia • Dermatologia, pneumologia D. Estela Felicidade Jardim da Augusto da Costa, Luís Alves de TP865 11.10. Porto Santo TP862 07.55 Porto Santo
- 15.00 às 16 horas e Infecto-contagiosas Silva, D. Maria Benvinda de Abreu Henriques, Luís A . 12.10 08.00 Lisboa
TP165 Lisboa TP162
2. ° ANDAR - 13.30 às 14.30 horas. Freitas, D. Georgina Jasmins Rodrigues Nunes, Fern ão Saul TP869 12.50 Porto Santo TP166 09.55 Lisboa
• Cirurgia e Otorrinolaringologia 2.° ANDAR Pereira, D. Ermelinda de Jesus Lu ís do Carmo, Arlindo Deodoro
Mendonça, D. Nivalda de Sousa da Silva, Manuel Lima Brazão. GT300 12.55 Gatwick TP864 10.00 Porto Santo
- 15.00 às 16 horas • Medicina 1 e Endocrinologia
-3. o ANDAR Quintal, D. Dinah Manuela E o menino: Rodolfo Miguel TP167 14.40 Lisboa TP868 11.40 Porto Santo
3. ° ANDAR TP169 17.10 Lisboa TP168 13.00 Lisboa
Ribeiro Drillgen . Nunes Neves.
• Cardiologia e Ginecologia • Medicina 2 e Reumatologia
4. ° ANDAR TP885 19.05 Porto Santo GT301 13:45 Gatwick
- 14.00 às 15 horas
• Medicina 3, Neurologia ' TP569 20.35 Viena/Lisboa TP170 15.30 Lisboa
4.° ANDAR
e Nefrologia TP891 20.45 Porto Santo TP884 17.55 Porto Santo
• Obstetrícia - 14.00 às 15 horas
5.° ANDAR -15.00 às 16.00 horas. TP177 22.10 Lisboa TP172 18.00 Lisboa
• Pediatria - 15.00 às 16 horas S. JOÃO DE DEUS
BIBLIOTECA E ARQUIVO Sucesso - telef. 26035'. Aberto das TP893 22.25 Porto Santo TP890 19.35 Porto Santo
SiLVIO LAMIM VIEGAS 9 às 18 horas, de segunda a Amanhã TP892 21.15 Porto Santo
QUARTOS PARTICULARES TELEFONES 741036/7 CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO domingo e feriados.
- 14,00 às 20 horas HORÁRIO DAS VISITAS DE ESTUDOS SOCIAIS JARDIM ORQulDEA TP179 00.35 Lisboa TP176 21.25 Lisboa
6.° ANDAR Visitas aos doentes todos os dias, (Acervo bibliográfico e Rua Pita da Silva, 37
• Ortopedia das 15 às 16 horas . documental especializado em - Bom Sucesso - telef. 238444.
- 14.00 às 15 horas • Quintas e domingos temática social e outra Exposição de Orquídeas
bibliografia diversificada). Rua Aberto todos os dias (incluindo
7. ° ANDAR - 10 às 12hOO e das 15 às 17hOO.
Dr. Fernão Ornelas, 41 - 4.° andar. sábados, domingos e feriados) das
• Gastroenterologia e Ortopedia DR. JOÃO DE ALMADA Funcionamento: 2." a 6." feira 9 às 18 horas.
- 14.00 às 15 horas TELEFONE 743222 das 10 às 12 horas e das 15 às
8. ° ANDAR HORÁRIO DAS VISITAS 17.30 horas. Sábados das 10 às MUSEU MUNICIPAL DO FUNCHAL
• Cirurgia 2 e Urologia - 13.30 às 14.30 horas. 12 horas . Encerra : domingos e Rua da Mouraria, 31 -2.°
- 15.00 às 16 horas À segunda-feira não há vísitas feriados. Aberto de terça a sexta-feira, das
NOTA: Nãoé permitida, na qualidade de 10 às 20 horas. Aos sábados,
ANDAR TÉCNICO (A/T)
visitanteS, entradadeaiançascom idade MUSEU DE ARTE SACRA domingos e feriados, aberto das
• Unidade Cuidados Intensivos Rua do Bispo, 21 12 às 18 horas. Encont[a-se
inferior a 10 anos.
Polivalente (U. c.I.P.) PINTURA FLAMENGA instalado no Palácio de São
, - 16.00 às 17 horas. FUNDAÇÃO PORTUGUESA E PORTUGUESA - ESCULTURA Pedro, a par do Aquário e da
À 2."-FEIRA NÃO HÁ VISITAS DE CARDIOLOGIA - OURIVESARIA SACRA Bibl ioteca Municipal.
NOTA: Não é permitida, Centro do Infante - PARAMENTOS Patente
FUNCHAL AEROPORTO AEROPORTO FUNCHAL
ao público de3." feira a sábado MUSEU
na qualidade de visitantes, (Marina Shopping- Loja 139)
das 10.00 às 12.30 e das 14.30 às PHOTOGRAPHIA VICENTES Partida Passagem Chegada
entrada de crianças Horário: Todososdias. incluindo Passagem
18.00 horas. Dom ingo: das 10 às Rua da Carreira, 43 ; Encontra-se
com idade inferior a 10 anos. domingo, das 11.ooàs 20.00 horas 13.00 horas. Encerrado às patente ao público com o 07,30 08,15
06,122-S 07,00
segundas-feiras e dias feriados. seguinte horário: Segunda a 08,302-6 09, 15
09,00 09,45 07,12 08,00
sexta-feira, das 14às 18 horas. 07,572-6 08,45
CASA·MUSEU Encerrado sábado e dom ingo. 11,152-S 12,00
12, 15 13,00 09,372-S 10,25
FREDERICO DE FREITAS 09,57 10,45
14,302-S 15,15
Calçada de Santa Clara - Casa- MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL 10,572-S 11,45
15,00 15,45
-Museu : Aberto de 3.' feira a Caminho do Meio - Qta. do 11,57 12,45
15,302-S 16,15
Serviço de Protecção Civil 763115n64715 sábado das 10 às 12.30 e das 14 Bom Sucesso - Telef. 26035 16,30 DF 17,15 12,22 13,10
Número Nacional de Socorro 115 às 18 horas. Exposições Aberto das 9 às 12.30 horas 17,152-S 18,00 13,03 13,48
Temporárias: de 3." feira a e das 14 às 17.30 horas, de 18,152-S 19,00 13,372-S
Bombeiros Municipais do Funchal 222122 domingo às mesmas horas. segunda a sábado e feriados. 19,00 DF 19,45
14,25
14,37 15,25
Bombeiros Municipais da Camacha 922417 Entrada gratuita. Encerrada 19,302-6 20,15 17,37 18,25
à 2." feira e dias feriados. MUSEU DO VINHO 19,45 S 20,30
Bombeiros Municipais de Machico 965183 Rua 5 de Outubro,78 20,002-6 21,45
18,372-S 19,25
. Bombeiros Municipais de Santa Cruz 524163/524114 19,37 DF 20,25
MUSEU QUINTA DAS CRUZES Integrado no Instituto do Vinho 22,30 23,15
20,072-S 20, 55
Bombeiros Voluntários de c.' de Lobos 942100 Calçada do Pico, 1 Madeira, está aberto das 9.30h às
21 ,27 22,15
Aberto de 3." feira a domingo, 12.30 horas e das 14 às 17.00
Bombeiros Voluntários da Ribeira Brava 952288 10 às 12h30 e das 14 às 18 horas. horas, todos os dias úteis. 22,52 23,30
Bombeiros Voluntários Madeirenses 229115 Encerrado à segunda-feira . De segunda a sexta-feira
MUSEU HENRIQUE HOJE
Bombeiros Voluntários 'de Santana 573444/572211 SERViÇO PERMANENTE
JARDIM BOTÂNICO E FRANCISCO FRANCO - DF só aos domingos e feriados
Medicina Dentária - Serviço de Urgência 998998731 DA MADEIRA Rua João de Deus, 13 NACIONAL - R. dos Ferreiros, 60 - Ssó aos sábados
- Telef. 223510. - 2-S de 2." a sábado.
(Só domingos e feriados) (telepib) Caminho do Meio - Qta. do Bom Está aberto das 9 h às 12.30 horas
ATÉ ÀS 21 HORAS
e das 14 às 17.30 horas,
HONORATO - R. da Carreira, 62 No dia 25 de Dezembro não se -
de segunda a sexta. efectuam nenhum destes horários.
- Telef. : 223297 .
MUSEU DA CIDADE
PAÇOS DO CONCELHO FUNCHAL

o seu signo pelo telefone Está aberto das 9 h às 12.30


horas e das 14 às 17.30 horas,
de segunda a sexta.
24 Horas ao Dia
Marcando o número de telefone correspondente ao seu signo e terá QUINTA BOA VISTA
informações sobre o seu destino astral pelo PROFESSOR LUDVO EXPOSIÇÃO DE ORQuíDEAS
o preço deste serviço é igual em todo o País e custa 186S50, por minuto. sendo incluído na sua factura telefónica EJARDIM SU8TROPICAL.
Rua Lu ís Figueiroa de Albuquer-
Apartado 1508 Lisboa Codex
que Segunda a s~ bado das 09 .00
às 18.00 horas Telef,: 220468.
CARNEIRO· 21/3 A 20/4 BALANÇA· 24/9 A 23/10

~ '. 1 l i I·
Você deve resolver um assunto pessoal sem • Uma boa conversa poderá ajudar a
qualquer demora. Tenha cuidado com a reso lver um assunto delicado. Esteja atento
sua saúde e alimentação. Não exceda os e não perca uma oportunidade que lhe HORIZONTAIS: 1 - Qu is; fino. 2
seus lim ites. Seja sincero . pos,sa surgir. Aja com tacto . ~ Puma; dono. 3 - Ré; suado;
cc. 4 - OMS; ria; pai. 5 -Ir; me .
6 - Unir; pano. 7 - Ao; Rá . 8 -
TOURO - 21/4A 21/5 ESCORPIÃO - 24/10 A 22/11 Rol; azo; ror. 9 - IV; louca; PM .

~ i::1 ." I~ I ; lO - O ito; troa . 11 ' -Luar ;

LJiiI Concentre-se naquilo que está a fazer para


não cometer erros desnecessários. Evite
II Não faça nada que possa ser dominado
pela emoção. Não deixe para amanhã o
doer. '
VERTICAIS: 1 - Proa; t rio. 2 -
Quem; ovil. 3 - Um; sinal; tu . 4
- las; rio; loa . 5 - Ur; ao. 6 -
conflitos entre si e o seu que deve ser feito hoje. Esteja atento à sua
situação financeira e não gaste mais do Cair; azul. 7 - Dá; Oe. 8 - Ido;
companheiro.Tente mostrar um pouco
que o necessário. Seja receptivo . mar; ato . 9 - Nó; penar; ré. 10
mais de respeito pelos mais velhos.
- Onça; opor. 11 - Ócio; erma.
GÉMEOS - 22/5 A 21/6 SAGITÁRIO - 23/11 A 21/12
DIFERENÇAS
~l 1 - Nuvem . 2 - Pneu . 3 - Traço . 4 -
A so lução para um problema não está em Guarda-lamas. 5 - Montanha. 6 i
fugir dele mas sim em resolvê-lo . Não faça Fo lhagem . 7 - Nuvem. 8 - Monte.
nada que possa contrariar os seus
princípios. Ponha de lado essa sua
tendência para o egoísmo. Seja tolerante.
CAPRICÓRNIO - 22/12 A 20/1
~. ! Praça de viaturas até 7.000 kg-
Telef.: 762777 ou 762778.
Praça de viaturas a partir de
Resolva um ássunto com o qual se vem a Você t er.á a oportunidade d e fazer algo 7.000 kg - Telef.: 62522.
debater há já algum tempo . Não deixe que que já vem a desejar há algum tempo. Não Localizadas na Rua da Levada
peq ue nas diferenças entre si e o seu desperdice a sua memória e se for preCiso d os Barreiros (freguesia de São
companheiro possam resultar em descanse um pouco. Seja directo. Mart inho) .
problemas maiores . Seja pertinente . Praça de viaturas de Santa
Cruz - 5241 56 .
LEÃO - 23/7 A 23/8 AQUÁRIO - 21/1 A 19/2

~ Oedique mais tempo a si próprio e à sua


família . Não desperdice todas as suas
81 Não desperdice uma boa oportunidade
que lhe possa surgir. Ponha de ladoo 2- Mini· Bus de 6lugares 78 21 58 Largo da Fonte (Monte) 96 23 90 Matur (Machico) ,972375 Madalena do Mar
energias pois pode vir a precisar delas. passado e enfrente o futuro de cabeça 9991363 . 9991234 - Hotel Girassol 765620 Igreja (S. Martinho) 96 22 20 Machico (Vila) 822423 Arco da Calheta
. Vig ie a sua alimentação. Seja sensível. erguida. Não espere que os outros se 2209 11 Av. Arriaga (P. n.O 4) 822588 Arco da Calheta
comportem como você desejaria . 766620 Madeira Palácio 56 24 11 Porto da úuz
222500 Av. Arriaga (Sé) 93 46 40 Vargem - Caniço 572416 Faial 8221 29 Calheta
VIRGEM - 24/8 A 23/9 PEIXES - 20/2 A 20/3 ' 222000 Largo do Municipio 934606 Inter-Atlas (Caniço) 96 1989 Caniçal
953601 Campanário
945229 Igreja-Es!. de e.' de Lobos
·" ' Z . 224588 Avenida do Mar (Baião)

riS Evite refeições~pFes.li:a'~dWa'sl '


:à"ffl!
no
pensa que tudo aquil.o que diz e faz está
P.litte
'r!. Se você I)

,\
Não espere que seja um amigo .a tomar
uma decisão que só deve ser sua . Evite
I I 22 64 00 Mercado '
227900 Campo da Barca
228300 Rua do Favila
934522
~2 21 85
526643
Galo Mar (Caniço)
Camacha
Gaula
572540
84 2238
9520 12
Santana
São Vicente
Serra de Água
942700
942144
942407
E. S. e Calçada (e. Lobos)
Câmara de Lobos (Vila)
CLobos (Mercado)
certo, então está muito enganado. D.ê um envolver-se em assuntos que não lhe dizem 61610 Gorgulho 524888 Santa Cruz (Mercado) 952606 Ribeira Brava (Vila) 94 55 55 Damasqueiro (E. e. Lobos)
pouco mais de atenção aos que o rodeiam . respeito. Seja sincero. 743770 e. de Carvalho (Hospital) 524430 Santa Cruz (Vila) 952349 Ribeira Brava (Largo) 576222 São Jorge
Seja moderado. 743110 Sànto António (Igreja) 5521 00 Santo da Serra 972110 Ponta do Sol 9823 34 Porto Santo
~-------------------~

29
DIÁRIO DE NOTIcIAS - MAD EIRA FUNCHAL, 17 DE JAN EIRO DE 1995

TRIBUNAL DE CíRCULO DO FUNCHAL TRIBUNAL JUDICIAL DO FUNCHAL
TRIBUNAL JUDICIAL ANÚNCIO ANÚNCIO
DO FUNCHAL (2.ª Publicação no Diário de Notícias em 17/1 /95)
Proc.º n.º 1167/93 1.ª secção-1.º juízo

(2.ª Publicação no Diário de Notícias em 17/1/95)


«Faz-se público que se encontra aberto, pelo (ACÇÃO DE DIVÓRCIO N.º 147)
prazo de 15 dias, concurso interno geral, para O DOUTOR ROGÉRIO PAULO COSTA MARTINS,
constituição de reserva de recrutamento para Correm éditos de 30 (trinta) DIAS, a contar da JUIZ DE DIREITO DO 1. º Juízo CRIMINAL DO
admissão _ao estágio para ingresso nas carreiras do publicação do segundo e último anúncio, citando o (a) FUNCHAL.
grupo de pessoal oficial de justiça. ré(u) , abaixo identificado(a) para no prazo de 20 FAZ-SE saber que ao abrigo do art.º 336,º do novo
Podem candidatar-se os funcionários e agentes (vinte) DIAS, posterior ao dos éditos , contestar, Código Processo Penal foi declarado o arguido
da administração pública central que até ao termo do querendo, o(s) pedfdo(s) formulado(s) pelo(a) autor(a) , MANUEL CÉSAR DE FREITAS MOREIRA, natural de
prazo de candidaturas reu_nam os requisitos gerais nos autos de acção de divórcio litigioso, em que são Santa Maria Maior - Funchal, nascido em 15/11 /63,
previstos no art.º 22.º e no n.º 4.º do art.º 6.º do ~~c . - partes: '
Lei n. º 498/88, de 30/ 12, e os seguintes requisitos filho de Manuel Moreira e de Maria Rosa Andrade
Autor(a) - Rafael Inácio de Andrade, forneiro, no Freitas, com última residência conhecida na Travessa
especiais: sítio dos Cardais de Baixo - São Vicente. das Torres, n.º 1-2 - Funchal ---.: actualmente ausente
Ré(u) - EDUARDA DUARTE NEVES, empregada em parte incerta.
- 11 .º ano de escolaridade ou equivalente;
na hotelaria, com última residência conhecida nos CONTUMAZ com os seguintes efeitos:
- conhecimentos de dactilografia documental-
mente comprovados; Cardais de Baixo - São Vicente e actualmente a) suspensão dos termos ulteriores do processo até
ausente em parte incerta de França. à apresentação ou à detenção do arguido, sem
A presente informação não dispensa a consulta PEDIDOS: prejuízo da realização de actos urgentes (art.º 336.º,
do aviso publicado no D. R. n. º 10 , " Série , de 1 - Que seja decretado o divórcio entre o(a) n.ºl );
95/01/12. autor(a) e o(a) ré(u) , pelos fundamentos constantes da b) anulabilidade dos negócios jurídicos de natureza
o SECRETÁRIO JUDICIAL
petição inicial que se encontra arquivada na secretaria patrimonial celebrado pelo arguido após esta
(Fernando Teodoro Góis)
deste Tribu'nal à disposição do(a) ré(u) . declaração (art.º 337.º, n.º 1);
Funchal, 9 de Janeiro de 1995 . 25021
. c) proibição de obJer quaisquer documentos ,
passaportes , certidões ou registos junto de
o Juiz de Direito o Escrivão Adjunto autoridades públicas (art.º 337.º, n.º 3) ;
Sílvio José Teixeira de Sousa A. Marcelino Gomes Teles O arguido está acusado de um crime p.p. no art.º
SELECÇÃO DE PESSOAL 296.º, 297.º, n.Q 1 aI. f) do Código Penal.
M/F TRIBUNAL DE CíRCULO DE SANTO TIRSO Funchal, 9 de Janeiro de 1995
Empresa- sediada na Zona Franca da ANÚNCIO O Juiz de Direito A Escrivã-Adjunta
Madeira, pretende recrutar p~ssoal para os Rogério Paulo Costa Martins Mária da Paz Fernandes
seus quadros , que reúna as seguintes (1 .ª Publicação no Diário de Notícias em 17/1/95) 25078
condições:
O Doutor ANSELMO AUGUSTO LOPES , Juiz de
- Se tens mais de 18 e menos de 22 Direito da 1.ª Secção do Tribunal de Círculo de Santo r----------7----------------------------,
anos Tirso:

- Se tens o 11º. Ano, com notas acima FAZ-SE SABER qbJe por este Tribunal de Círculo
. ~\)~~\l
da média em Matemática e ou correm éditos' de TRINTA DIAS, contados da 2. ª e
Física/Química última publicação do anúncio, CITANDO a ré CONCURSO
Se tens conhecimentos de - «AMEFIL TRADING , Ld .ª» , com sede na Rua do
Informática Visconde de Anadia, 16-t.º, Sala 4,9000 FUNCHAL, Por cada 2.000$00 (dois mil escudos) de compras
para no prazo de VINTE DIAS, posterior ao dos habilita-se a 1 cupão que 'deverá ser integralmente
- Se tens gosto pelas novas éditos, contestar, querendo, a Acção Ordinária n.º preenchido e depositado na tômbola junto ao local de
tecnologias de informação 217/94, que Ihe(s) move(m) o(s) autor(es) «CLESA exposição dos prémiqs deste concurso,
PORTUGUESA - Indústria de Lacticínios, SA», na O regulamento encontra -s e nas lojas parti'éipantes
neste concurso .
- Se és dinâmico e responsável qual é pedido o. pagamento da quantia de
8.015.052$00 de dívida comercial e juros vencidos e
-:- Se tens gosto em aprender vincendos, e de que a falta desta, não implica a Nome _____________
confissão dos factos articulados pela autora ,
• Oferecemos Curso de Formação prosseguindo os ulteriores termos até final. '
Especializada (Técnico-Profissional) no ramo
da Informática, com duração de 18 meses Santo Tirso, 10 Janeiro de 1995 Morada _____________-=__~~~~~
(Prática e Teoria) , 8 horas por dia. 25144
, Telefone ____ Cod. Postal, _ __
• Bolsa de Estudo Superior ao Ordenado o Juiz de Direito o Oficial de Justiça
Mínimo + Subsídio de Alimentação e de Anselmo Augusto Lopes José Manuel Lapa
Transporte Apoios:
• Ingresso nos quadros técnicos da empresa,
com boas regalias sociais. . Regionalíssimo II ~u~~~~~D?T ~
TELESOFT
nnr+:rn~r
I'UI lllllOI

Candidaturas com envio de Curriculum


Vitce para:
noPEF BNU
Banco Nacional Ultramarino

ABILlS - Sistemas de Computadores, A Informação que às meias horas acontece. No acto de ,compra, com a apresentação de
Lda. Entre as 9h30 e as 17h30 a notícia sempre actual cada recorte publicado no DN alusivo a este
Rua dos Arrependidos 31 R/C.
9050 - FUNCHAL 2 52 99 Super Concurso, habilita-se a um cupão extra
92 FM - Posto Emissor do Funchal
---------------------------------------

o
~
, ILIMEX
OASIS - TRISTAO STUCKY, LDA . IUMEX - IMPORTAÇÃO EEXPORTAÇÃO, IDA
MOBILIÁRIO DE JARDIM E CAFETARIA Que tem como Sócio Gerente o Sr. Emiliano Freitas.
Informa que no.meou seu agente exclusivo para a Região Informa que foi nomeada representante exclusivo para a Região
Autónoma da Madeira a firma ILlM~X, Lda., que tem como Sócio Autónoma da Madeira da ,fi rma OÁSIS - TRISTÃO STUCKY, LDA
Gerente o Sr. Emiliano Freitas. MOBILIÁRIO DE JARDIM E CAFETARIA.

OÁSIS - TRISTÃO STUCKY, LDA , IUMEX, LOA


Estrada para Polimo - Abóboda • 2775 PAREDE Rua Alferes Fernandes Abreu, 27 • 9050 FUNCHAL
Telf: (01) 44436·94 - Fax: (01) 4444831 Telf: (091) 230873 - Fax: (091) 22 1281
25168
30
• DIARIO DE NOTIc IAS - MADEIRA FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 1995

E EVI .t . Di 10
A
,: , .-,

o DIÁRIO não se responsabiliza pol' eventuais alterações comunicadas após o fecho desta página

RDP
00 .10 E.moções sem Tempo

10.00 Abertura 15.00 Abertura


.,
IN TERNACIONAL
01 .00 Portugal Diário
07 .00 Abertura 09.55 Abertura 12.00 Jornal da Tarde 04.00 País Rea l
10.02 Grande Pirâmide 07 .02 Bom Dia 15.02 Televendas 09.57 TVI 12.30 Lá em Casa Tudo
10.30 Telenovela : 08.00 Conversas 16.00 A Vida Continua Shopping Center 05.30 Iylúsica de Rortugal ,
Ana Raio do Manei (ep.o 3) 10.40 Animação: Bem " 06 ,00 '~íbgi'~hia da~Mànhã
e Zé Trovão 08.05 * Urso Rupert
08.30 * O Jovem
16.50 O Tempo Alice no País :i 0.00 s~bêi vi ver";' ,;/'
11.15 Infantil 16.55 Divulgação das Maravilhas
Taz Mania (1. 0 ) Robin Hood (ep.o 19) 17.00 Infantil: 11 .05 Série: 11.30 RDP-Desporto
11.35 Blossom * Vídeo Maths O Barco do Amor 12.30 Quatro Linhas
12.00 Jornal da Tarde Jesse, o grande fora * Catavento (ep.o 1) 12.00 Jornal da Uma
de lei, regressa à 13.45 19.30 Programa da
12.30 Culinária * Os Amigos 12.30 Telenovela:
floresta e acha que o Kassandra Tarde
12.45 Vizinhos ' do Gaspar
grupo de Robin não 13.15 TVI 17.00 Hora Lusa
13.15 Telenovela: presta. Eles provam * Tjilp Shopping Center
Prisioneira que podem ajudá-lo * O Urso Rupert 13.30 A Escolha é Sua - 19.30 Rádio Desp_orto
do Amor a ser outra vez o * A Patrulha da Selva Esquadrão Classe A 22.00 Jogo Aberto
maior fora de lei e 19.05 Golo da Jornada 14.15 Programa
19.10 Rotações 23.00 No Círculo dos Clássicos
este decide aceitar a Escolhido pelos
ajuda ... 20.10 Magazine: Telesp'ectadores Informação Regional:
«Cinema» 15.10 Encontro 07.45/68 .30/13.00/19.
09.00 Ori~ens (ep.o 61) 20.35 Boa Noite 15.15 A Hora do Recreio
09.35 Cuhnária 00/24.QO
20.45 RTP Financial 16.10 Tempo Informação
09.50 Malha de Intrigas /Times 16.15 Telenovela : Notícias Hora a Hora
20.55 O Tempo Caprichos (em cadeia dAntena 1)
21.00 TV2 Jornal 17.15 Telenovela: Existências:
21.30 Acontece O Preço da Paixão
18.20 Tempo Informação 09.00/18.30
21.45 Cine Dois:
18.30 Telejornal
«E Fez-se Luz» 19.00 Telenovela ;'''4-p~
. Éramos Seis . F'M
Trata-se de uma 19.30 Série: 00.00 Vivójazz
curiosa mistura MacGyver (79.°)
internacional, já que 01.00 Brasil Músicas Mil
o cineasta Otar Neste episódio, 06.00 Hollywood Babilónia
losseliani é Macgyver participa 09.00 .Super FM/Play List
georgiano, embora numa excursão com 12.45 Super FM Motores
trabalhe no quatro funcionários
Ocindente e dirige da Fundação Phepnix 18.30 Vídeo
, aqui uma co- até às montanhas 19.30 Super FM Motores
produção entre para descontrair do
14.00 Notícias «stress» provoca.do 21 .00 Noites Alternativas
França, a Alemanha e
14.20 Top + a Itália sobre uma pelo trabalho. No Informação Regional :
15.15 Sessão da Tarde: história que se, entanto, nesse O? .45/08.30112.00/13.
«Uma Questão de desenrola em Africa . mesmo local, um
Princípio» autocarro que "BQI1 8.00/20,2°
Tudo se desenrola transportava
16.15 Uma Família Feliz numa pacífica aldeia

.))
11 ..10 A Traidora (ep.o 70) prisioneiros de uma
(2. 0 ) O Tempo, perdida, cujo
17.10 Caderno Diário prisão de segurança
no Intervalo) universo é destruído máxima, sofre um 16.00 RTPI Júnior
17.15 Novas Aventuras 12.00 Jornal da Tarde quando o homem «Caderno Diário»
acidente e doze
de Black Beauty 12.30 Você Decide dito civilizado se «Ora Agora Conto
17.45 A Família Trap
detidos conseguem 06.06" Nótiêiário da RR "
«Anjo Vingador» apropria das suas fugir. Macgyver Eu»
18.05 Concurso: 13.00 Divulgação terras. losseliani recebe a notícia e 07 .00 Jornal da Renascença
16.30 Com a Verdade
Com a Verdade 13.20 Na Paz dos Anjos assina um filme começa a desconfiar M'Enganas 08.00 Npticiário daHR
. . . >J~~ormação.~~9 ib,nal
me Enganas 14.00 Viva a Tarde admirável, cristal ino e que um dos perigosos 17.00 86-60-86 - Moda
18.45 Totobola Inclui: * Batman profundamente prisioneiros poderá 17.30 Sinais RTPi
19.00 Telejornal 16.15 Caderno Diário irónico tirando estar infiltrado <' B6Ià Branc; r
16.20 Missão Impossível 18.30 Os Andrades
19.35 Emoções Fortes fabuloso partido do dentro do grupo ... 19.00 Telejornal 08jo Rádio Turista
20.05 Telenovela : 17.10 Floradas na Serra Com Richard Dean
18.20 Com a Verdade universo físico 19.35 Na Paz dos Anjos 10.00 Connosco aO,Telefone
Fera Ferida circundante, bem Anderson e Michael
21 .00 Jornal das 9 M'Enganas Lerner 1. 1.00"Bfâs.ii Tropiditl
19.00 Telejornal como, da
21 .30 Tempo / Financial espontaneidade do 11.30 Noticiário 'da RR
19.30 74.S 20.30 Entretenimento:
Times Uma Onda no Ar seu elenco de :11 .50 Bpla Branca
21.40 F.rA~~ amadores que se Amigos para
(O Tempo, no Sempre 12.00.;:l ;fjulos Regionais
22 .50 Prova Oral Intervalo) expressam numa , ' Brasil TropiCal
20.20 A Mulher linguagem
elo Sr. Ministro intraduzível mas 12.30 Informação Regional
absolutamente 13.00 Nós e Você
Lola (Ana Bola)
17.OO' J\~~n~ I da Renascença,
inteligivel no seu
anseia por conhecer sentido e intenção.
as previsões .•.. Bóia Branca, .
astrológicas para o 23.30 Alta Frequência com: 17.30 Títulos Regionais
Ano Novo. «The Giants of Rock
Aconselhada por Tita '18.00 Rádio Turista
(Maria de Lima) and RolI»
00.40 Módulos 19.00 Iry~ormação Regional
recebe em sua casa o Bola no Ar
Prof. Rocar de Música .
(Guilherme Filipe) Portuguesa 20.00 Batalha de Prémios
conhecido astrólogo 00.50 Encerramento 21 .00 Feira da MÚsica
dos membros do
Governo. Entretanto,
20.10 Na Ponta da Língua 22.00 Edição Esp~t~f al
21 .15Cinemagazine
o ministro Rocha, 21.45 TV2 Jornal 23 .00 Informação Regional
(Vítor de Sousa), que 22.00 Novo Jornal 22.15 RTP/Financial Times Horas Vagas .
se encontra doente,
1')!9tícias d~ ~gr~ a
23.00 Fora de Jogo 22 .20Última Sessão:
vai delirando ... ecO Tarzan do 5.°
23.15 Sinais e Leis
23.45 Tempo Informação esq.O) -Hora
20.50 Cabaret (prog." 12)
00.20 24 Horas 21.50 Prova Oral 23.50 Encontro 00.00 Fecho
00.55 Financial Times 23.20 24 Horas · FREQUÊNCIAS
00.50- Remate . 23 .45 RTP/Financial Times
01 .00 Fecho 23.55 Remate AT É V E R RDP - Madeira
00.05 Q Tempo SUPER FM: 89.8 · Funchal
00.00 Ultima Sessão: e 94.1; 94.8; 96.5
«Génese de um CANAL 1: FM, 95.5 ·Funchal
Filho» 104.6í 96.7; 100.5; .
01 .45 Encerramento OM • 1332; 603 . Sul
531; 1125 - Costa Norte.

POSTO EMISSOR
OM 1.Sl0;1.017
C lN E MA F.M.· 92;

ESTAÇÃO RÁDIO MADEIRA


OM · 1485·
CINEJARDIM CINE SANTA MARIA F.M.·96.0

RÁDIO GIRÃO · F.M •• 98,8;


15.00,17.30 e 21.30 horas 1430, 17.30 e 21.30 horas
Mulheres de Armas RJM . F.M .• 88.8;
4." semana
• RÁDIO CLUBE - F.M .• 106:8;
CINE D. JOÃO «Forrest Gump»
RÁDIO PALM EIRA.·F.Ma. 96.1;
1~. 05, 16.35, 19.05 e 21.35
• RÁDIO ZARCO . F. M. ·89.6;
horas CINE MAX
«Academia de Polícia: RÁDI2 SOr· F.M.• 103.7;
Missão em Moscovo»
(3~ a semana)
13.30, 16.45 e 21.30 horas
extreia - «Pulp Fiction»
RÁDIO ~:~VA • F.M . • 98.4
FUNCHAL, 17 DE JAN EIRO DE 1 99 ~
31
DIÁRIO DE NOTIcIAS - MADEIRA

HOJE NO FUNCHAL AMANHÃ PRÓXIMAS 48 HORAS PRECIPITA ÃO


Céu geralmente muito nublado , Céu geralmente muito nublado. Céu geralmente muito nublado
- Vento Sudoeste moderado' com 25 Vento de Oeste moderado com "vento de Sudoeste fraco a moderadp
a 35 km / h. Periodos de.chuva 20 a 30 km/ h. Períodos de de 15 a 25 km / h ), Períodos de chuva
(Previsão) ~II.II.I chuva fraca. fiaca.
ll!li (Previsão) .(P-revisão)
ESTADO DO MAR
Cost a Nort e - Mar de
pequena vagél a cavado.
TEMP . INTERNACIONAIS Costa Sul - Ma r de pequena
" NORTE
Estação Ontem'
1,5 m vaga ,
CIDADES MAX MIN TEMPO Santana 0,0
• Estação Areeiro 0,0
Lisboa 15 3 Neblina Santo da Serra 0,0
meteorológ ica
Madrid 14 -4 Limpo
Londres 12 8 Encoberto
Paris 8 O Nevoeiro 0,0
Bruxelas 8 4 Limpo
Amesterdão .
Luxemburgo
9 4 - Neblina

banZlnQZI
ESPECIALISTAS EM SEGUROS

A PARTR DE 16 DE JANEIRO OS NÚMEROS DE


TELEFONE E FAX

SOFREM ALTERAÇÕES, PASSANDO A SER

GERAL 2001300
10 linhas

FAX 2001311

Para mais informações contacte-nos:

COMPANHIA DE SEGUROS BONANÇA S.A.


Rua Ponte São Lázaro, 4
9000 FUNCHAL
Telefone 2001300 Fax '2001311 25055

DiÁRIO ElE NOTICIAS ':' MADEIRA FUNCHAL, 17 DE JANEIRO DE 199?


JOÃ O PAU L O CONCLUI V I S I T A P O RT O Ieltsin eGlinton
em .cimeira
Ministro quer solução
Papa sabia para os presos das FP
Ministro da Justi- são do Código do Proces-
Op~sidilllte rusSQ,
Boris Ieltsin" convidou o seu

do atentado O ça, Laborinho Lú-


cio, disse hoje no
Porto que está «preocu-
so Penal que «permita a
acumulação dos processos
e um julgamento definiti-
homólogo norte-americano;
Bill Clinton, para uma
cimeira em Maio em
Moscovo, anunciou ontem
pado em encontrar solu- vo». o ministério dos negócios
cão» para o problemae «Não é uma greve de estrangeÍros russo citado
dos presos , do «Caso fome que vai apressar este pela agência ltar-tass.
FUP jFP-25». processo», disse. Ontem, à partida para
Comentando o início ' Laborinho Lúcio inici- Genebra onde vai reuuir-se
da greve'de fome de Ma- ou hoje, no Tribunal da com o secretário de estado
nuel Maria do Couto Fer- Relação do Porto, uma vi- norte:americano Warren
reira, Laborinho Lúcio re- sita de dois dias à área ju- Christopher, o chefe da
velou que tem havido «con- dicial portuense, durante diplomacia russa, Andrei
" tactosinfotmaJs entre o a, qual vão ser' estudadas ·:Koíire'V,' repur1:a.Fa-se a .
'Ministério da Justiç:1 e b formás dE;l:'«racionaiizar oS uma mensagem dirigida
' Conselho ~uperior da Ma: ~eios da justiçaila re- por Ieltsin a Clinton, mas'
gisti'atura para umàrevi- gião». ' sem precisar o seu
conteúdo .
.'F R A -N :ç'. A Núcleo duro
Milhares contra assinou acordo

. e xpulsão de bispo A Sonae Investimentos,


através qa Imocàpital, e os
'M" ilhares de , pesso-
as manifestaram- ,
«Pai,perdoa-Ihes; que
eles não sabem o que fa-
accionistas do chamado
"núcleo duro" do BPA
'se domingo , em zem», lia-se num dos vári- assinaram ontem um novo
Franç,a, Bélgica e na Ale- os cartazes transportados acordo e propõem-se
manha em apoio a Jac- . por alguns dos mais de negociar com o Governo as
ques Gaillot, o bispo libe- 5.000 manifestantes de vá- condições da quarta fase de
ral de Evreux (França), rias faixas et4rias, que privatização do banco
cuja destituição pelo Vati- desfilaram na cidade fran- nortenho.
cano tem gerado contro- cesa de Evreux, na Nor- Em comunicado emitido
vérsia na igreja católica. mandia. após uma reunião realizada
na sede da Sonae, na Maia,
o "núcleo duro" reafirma
B6sNIA que o Governo assumiu
compromissos no sentido
FORPRONU adverte de executar urgentemente a
quarta faSe de privatização.
o Papa prossegue a sua viagem. A próxima paragem é na Papua Nova Guiné
para combatentes BCP e Império
• O Papa JoãoPau lo II deixou ontem Manila às 10h17 , FORPRONU ad- firmam uma evolução pre-
locais (02h17S na'M adeira) seguim;lo para a P~ p ua Nova
Guiné, ségunda eta p~. da 'sua visita a quatro nações da '
A,,"
" vertiu hoje que 'a,
presença de com- '
batentes,bósnios na zona
ocupante. .
Cerca de 55 combaten-
tes bósnios foram detecta-
querem UBP
O intermediário da OPA
do BCP e da seguradora
. r

,N região Ásia-Pacífico. , ':


a sua declaração Airlines». com o número
de despedida, J2ã9 ' 2000, que saiu do antigo ae-
Paulo II, surpreen- roporto de Manila com um
A polícia apreendeu-lhes
mesmo um mapa com as ru-
as por onde o papa deveri~
desrÍlilitarizada do monte
Igman, que domina Sara-
jevo, pode comprometer o
cessar-fogo em vigor'há
dos domingo no monte Ig-
man; durante uma inspec-
ção efectuada pelas forças
da ONU.
Império sobre 31 por
cento do capital da União
de Bancos Portugueses
(UBP) será o Banco
três semanas na Bósnia- As forças bósnias devi- Mello, disse ontem à
deu os milhares de pessoas atraso de 22 minutos em re- passar. Por isso, o itinerá- Herzegovina. am ter evacuado esta zona agência Lusa uma fonte
que se encontravam no an- lação ao horário previsto. rio do papamóvel.conheceu Um porta-voz da For- em 04 de Janeiro, nos ter- ligada ao processo.
tigo aeroporto de Manila Depois da Papua Nova vários desvios ao longo da ça de Protecção das Na- mos do acordo de cessação
anunciando que considera Guiné, João Paulo II, 74 visita de João Paulo II. ções Unidas disse que das hostilidades, concluí-
a hipótese de regressar anos, viajará para a Aus- O papa chegou, entre- Ex-ministro
«enquanto não houver do em 31 de Dezembro.
.às Filipinas. trália e Sri Lanka, onde tanto, a Port Moresby, ca- franqueza das duas par- • A FORPRONU exigiu
denuncia juízes
,«O Papa sente-se tão concluirá a visita de 11 dias -.pital da Papua-Nova Guiné, tes , o acordo está amea- também a retirada de uni-
bem nas Filipinas, que con- à região da ÁsIa-Pacífico, a . onde foi aclamado por mi- , çado». ", O ex-Ministro do
dades do exército croata
sidera a óportunidad~ de, sua 63. ª viagem ao exteri- lhares de pessoas que o ' O porta-voz declarou que apoiam as forças cro-
Interior, José
talvez, voltar,nova,mente, or desde que foi eleito Pa- aguardavam no aero.porto, Barrionuevo, a quem oS
'que a ausência de pro- atas bósnias no ·Sudoeste .
não sei como, mas até.à vis- - pa; em 16 de Outubro de Descendo do avião_sem ex-polícias Amedo Fouce
gressos sôbre o problema da Bósnia e pediu aos be- e Michel Dominguez
ta», disse o sumo pontífice. 1978. ajuda, João Paulo II foi re- das estradas de acesso ao ligerantes para respeita-

~
Nô aeroporto, o chefe O responsável pela se- cebido pelo primeir(}-minis- acusam de envolvimento
aeroporto de Sarajevo con- rem o cessar-fogo.
da igreja católica, recebeu gurlmça do Papa nas Fili- tro, Julius Chan, pelos bis- nos GAL, denunciou
cumprimentos de, despedi- pinas confirmou hoje a exis- pos locais e representantes formalmente vários

~
da das autoridades civis e tência de uma conspiração dos partidos políticos. juízes e magistrados que
religiosas filipinas, lidera- terrorista para matar João Ao longo do caminho assinaram um manifesto
das, respectivamente, pelo Paulo II durante a visita a entre o aeroporto e o cen- sobre estes grupos,
presidente Fidel Ramos e Manila. tro da Cldade, os populares ontem divulgado.
arcebispo Jaime Sin, bem Segundo o brigadeiro erguiam bandeiras e retra-
como do corpo diplomático Leo Alves, o papa foi infor- tos do papa e de Peter To Santana Lopes não
acreditado em Manila. mado das ameaças contra Rot, o laico que João Pau- apresenta moção
Ao longo do trajecto en- a sua vida, mas "não ficou lo II deverá beatificar du-
tre a sede da Nunciatura realmente preocupado". rante a visita de dois dias a O ex-secretário de
Apostólica e o aeroporto, Falando após a partida este país do Sudoeste do Estado da Cultura,
milhares de pessoas volta- de João Paulo II para a Pa- , Pacífico. Santana Lopes, disse
ram a saudar o Papa, gri- pua-Nova Guiné, o briga- Dispensando o ha,bitual ontem em Lisboa que vai
tando «John Paul Two, We deiro, também chefe da se- papamóvel blindado, o Su- expor "oralmente" as
Love You» (João Paulo II, gurança do presidente fili- mo Pontífice efectuQu o per- suas posições no
nós amamos-te). pino, acrescentou que os curso num automóvel des- próximo congresso
, A comitiva papal seguiu terroristas, já detidos, co- capotável branco, sob a vi- nacional do PSD, não
para Port Moresby num voo nheCiam todos os compro- gilância de cerGa de mil apresentando qualquer
«charter» da «Philippine missos do papa em Manila. polícias. o cessar-fogo na Bósnia pode estar comprpmetido. moção de estratégia.
IMAGINA
UM ESPAÇO À
TUA IMAGEM.
2 T
d'as «artes», o que é curioso numa
academia que, no seu nome, refere
THE LA'S, o quarteto de este mesmo termo. Além dos nomes
Liverpool que, em 1989, entusiasmou já referidos, encontramos na lista dos
tudo e todos com o single There She nomeados Bonnie Riatt, Seal, Elton
Coes, e, mais tarde (1990), nos John, Bruce Springsteen, Beastie
apresentou um primeiro álbum, Boys, Eric Clapton, Boys II Men,
rompe o silêncio, prometendo para Pearl Jam, Soundgarden, Tori Amos,
breve um regresso ao activo. A Nine lnch Nails, Sade, Salt N'Pepa,
recente colaboração de Lee Marvers Cypress ·HilI, Arrested Development,
nos espectáculos dos Oasis levantou Mary Chapin Carpenter, Nirvana. Há
rumores, que agora se traduzem no de tudo, para todos os gostos. Agora
MACEO PARKER recebeu, no anúncio de uma nova formação, que resta esperar ..
passado mês de Dezembro, um duplo deverá gravar um disco para a Go!
disco de platina pelas vendas Discs ainda este ano. II! II
superiores a 80 mil unidades do VAN HALEN, que editam
álbum Viagens de Pedro Abrunhosa e brevemente o seu novo álbum entre
os Bandemónio. A entrega, feita na .nós, actuam a 15 de Junho no Estádio ADAM ANT está de volta!
presença do próprio Abrunhosa e do de Alvalade. Num concerto de O primeiro superstar da era do vídeo,
administrador da PolyGram Rodrigo dimensões gigantescas, que decerto eleito pelas multidões britânicas de
Marim, assinala outro grande sucesso angariará um público voltado para o 1980 com singles como Antmusic,
popular deste músico de jazz (antigo Rock FM, estarão ainda presentes os Kings OfThe Wild Frontier, Stand
saxofonista dos JB Horns, de James Candlebox (a primeira banda a and Detiver, Prince Charming ou
Brown), que no passado assinou já gravar para a editora Maverick, de AntRap, promete para 1995 um
colaborações significativas com Madonna) e os Bon Jovi .. . regresso aos discos e aos palcos.
nomes como, por exemplo, os De La Adam Ant, que conheceu um último
Soul e os Deee-Lite. êxito, a solo, em 1989 com Room at
BON JOVI, muito a propósito The Top, tem prevista para Março a
desta referência, mercem ainda as edição de Wondeiful, um álbum de
PEDRO ABRUNHOSA, de atenções pelo facto de terem originais constituído por 11 canções
férias, recebeu boas notícias através constituido a banda campeã de escritas na companhia do guitarrista
da Bil!board. A revista, a mais vendas em 1994 no mercado de Boz Boorer (ex-Polecats).
importante publicação de álbums britânico. Crossroads, a
especialidade a nível mundial !la área compilação que reúne alguns dos
do mercado discográfico, inclui na CRASH TEST DUMMIES (na singles da banda, foi o álbum mais INSPlRAL CARPETS deixam a
.capa uma notícia sobre a fulgurante foto), Ace Of Base, Counting Crows, vendido no ano passado em Mute Records. A editora britânica,
carreira de Abrunhosa e do seu álbum Sheryl Crow e Green Day são os Inglaterra, superando as prestações uma das mais bem sucedidas da cena
Viagefls, que classifica como invulgàr nomes nomeados para o Grammy de de Mariah Carey, em Music Box, os indie, justificou a situação pela
para o circuito local. Abrunhosa «Melhor Revelação» em 94. Os Beautiful South, em Carry On Up progressiva perda de popularidade da
Draws Praise refere os números diversos candidatos aos muitos The Charts - The Best Of Beautuful banda, notória nas vendas dos dois
conquistados pelas vendas do disco, prémios que serão entregues na South, os Eternal, em Always And últimos álbums. A audição do novo
bem como relata o historial de uma trigésima sétima edição da atribuição Forever, os Pink Floyd,. em The disco, não terá também entusiasmado
carreira que, em poucos meses, se dos Grammys, a 1 de Março, em Los Division Bel!, os R.E.M., em os responsávies da editora. Life, o
afirmou como «a mais espectacular . Angeles, foram recentemente Monster e os Blur em Parklife. primeiro dos quatro que gravaram
dos últimos 20 anos em Portugal». anunciados, uma vez mais para a Mute, foi o único que
Aperitivo para uma carreira evidenciando a senilidade e "I"',*"t. conseguiu resultados considerados
internacional que, em breve, levará incapacidade em comprender o FOO FIGHTERS é o nome do como dentro das espectativas. Com
concertos e discos a Espanha, Itália, presente que se torna já clássica na novo grupo dos ex-Nirvana Dave um álbum pronto, procuram editora ...
Finlândia, Brasil e Japão. Dizem as National Academy Of Recording Grohl e Krist Novoselic. O
más línguas (bem informadas) que a Arts. Mais «obtusos» que os Óscares guitarrista Pat Smear, que actuou
notícia não caíu lá muito bem na do cinema, os Gramrnys, como os nalguns concertos dos Nirvana, fará
EMI-VC, onde há muitos anos se Britsbritânicos, priveligiam o parte do colectivo que neste
trabalha a internacionalização dos mercado e a indústria em detrimento momentó procura um baterista em
Madredeus ... Seatle. Algumas das demos que
circularam já em circuitos restritos
CALENDÁRIO entusiasmaram algumas
multinacionais que, contudo, talvez
Artista: FarÍllly Artista: Rap AlI Stars fiquem de mãos vazias. Segundo
Data: 17 de Janeiro Data: 31 de Janeiro Grohl, o disco será entregue a uma
Locol: Johnny Guitar (Lisboa) Local: Johnny Guitar (Lisboa) independente.
Artista: Sacred Sin Artista: Ron Jackson
Data: 18 de Janeiro Data: 2, 3 e 4 de Fevereiro JULIAN COPE editou
Local: Johnny Guitar (Lisboa) Local: Hot Clube (Lisboa) reentemente Queen Elisabeth, mais
um depoimento «ambiental» numa
Artista: Big Red Tongue Artista: Shed Seven carreira que cada vez, menos lembra
Data: 19 de Janeiro Data: 27 de Março os tempos pop de 80. ILouco ou génio
Local: Johnny Guitar (Lisboa) Local: Gartejo (Lisboa) (cada um que pense por si), Cope
segue de perto os formatos de UHF iniciaram já a produção do seu
Artista: K yrie Artista: Pat Metheney liberdade formal que reconhecemos novo disco. Cheio ou Absolutamente
Data: 19,20 e 21 de Janeiro Data: Maio nos últimos discos dos projectos
Local: Coliseus (Lisboa e Porto) Cheio são os títulos de trabalho deste
Local: Hot Clube (Lisboa) Aphex Twin ou Future Sound Of álbum que consiste numa série de
London. Queen Elisabeth, disco de novas gravações para «clássicos» da
Artista: Boss A.C. Artista: Van Halen/CandleboxIBon Jovi duas longas faixas (Superstar e história do grupo. Num estúdio móvel
Data: 24 de Janeiro Data: 15 de Junho Avebury The Arranged Marriage Of montado no Convento dos Capuchos
Local: Johnny Guitar (Lisboa) Local: Estádio de Alvalade Heaven and Earth), gerou já alguns na Caparica, António Manuel
comentários crÍtios hilariantes na Ribeiro, Fernando Delaere, Luis
Artista: Moreiras Jazztet Artista: RolIing Stones imprensa britânica. Devaneios Espírito Santo e Renato Júnior
. Data: 26, 27 e 28 de Janeiro Data: 24 de Julho instrumentais e execrÍcios preparam o terreno, que deverá
Local: Hot Clube (Lisboa) Local: Lisboa electrónios, para mentes esclareidas aceitar a presença de alguns
(ou endoidecidas?) ... convidados.

Compacto é um suplemento semanal produzido e realizado pelo Di~rio de Notícias.


IDUirio bt Notícias É distribuído à terça-feira e faz parte integrante deste jornal

I1Ico acto
e do Diário de Notícias da Madeira. Não pode ser vendido separadamente.
Tiragem média: 70 mil exemplares
/

':1.-
o
o
z
w
o
oã2
«
15

banda desde a edição de Dare!. uma anarquia de coordenação facto, a mais óbvia manobra dance music em
Octopus, o novo álbum dos temporal, fizeram um dos recapitulação dos grandiosos sintonia com algumas

Os regressos são possíveis.


O caso Duran Duran (com
Human League, antecedido
pelo single TeU Me When,
reforça a tese acima citada e,
nomes mais representativos
desta geração de bandas.
Inteligentes estudiosos das
passos de Dare!, alguma vez
assinados pelo grupo desde a
edição do seu clássico de 1981.
revelações recentes nos
territórios house, podendo ser
apontada como o momento do '
Ordinary World) deixou cIaro acima de tudo, devolve ao possibilidades ilimitadas que Sem cedências a escolas disco em que se evita toda a
qual o poder de uma forte dupla mundo dos vivos um dos anteviam na exploração das estranhas, o som exala deliciosa «verbolTeia» techno
constituída por um nome nomes fundamentais da pop músicas electrónicas, souberam, familiaridade. Brinda-nos com pop de 80.
histórico e uma canção acima britânica. Ao mesmo tempo, o ainda durante a fase I?elodias poderosas, grandiosas. No geral, o álbum devolve-nos
da média. Ciente desta novo disco cota-se como o «experimental» das teses E pop pura, num franco os Human League activos e
realidade, Ian Stanley, produtor melhor que o grupo gravou sugeridas pelos Kraftwerk e exercício, não eficazes de Dare!. Depoimento
e responsável de A&R da desde esse marco histórico de seus contemporâneos, descaracterizador, de adaptação pop embebido em nostalgia,
EastWest, acreditou numa série 1981. desenvolver segundo regras pop aos tempos que cOITem. O mas certo do seu registo no
de demos que Philip Oakey fez Poucos são os sobreviventes os ditados que sugeriam o single TeU Me When, por presente, este disco privilegia o
chegar ao seu escritório. Contra activos da geração pop britânica nascimento de uma nova exemplo, retoma o formato que, . formato canção como base para
a ideia generalizada que fazia de fmais de 70 e inícios de 80. ordem. Defmiram um discurso no passado, originara canções qualquer operação de rotulagem
dos Human League um entre os Spandau Ballet, Ultravox, de inegável personalidade. inesquecíveis como Don't You pop. A força da melodia,
óbitos de peso da geração de Visage, New Musik, Yazoo, Ditaram futurologia em Want Me, Love Action ou segundo as regras clássicas de
Heaven 17, formatos lúcidos. Assinaram Mirrar Man. Imediatista, mas 80 e a muralha da tecnologia de
Classix um pioneirismo que lhes valeu não redutor, o single aponta o acordo ~om as evoluções
Nouveaux são a criação de dois tratados alvo aos nostálgicos de 80, fmnadas em 90, molda um
nomes do fundamentais sobre a raiz da permitindo ainda alguma manifesto de vitalidade pop.
passado. techno pop - Repraduction margem de manobra 'aos Oiça-se lhese Are the Days ou
Memórias. (1978) e Travelogue (1979) - e ouvidos mais recentes. House Full of Nothing para
Com uns uma das obras-primas Este é apenas o ponto de partida compreender os critérios de
Depeche Mode essenciais do género - o já para uma viagem sem tempo actualização formal que nascem
em alta (mas referido Dare!. Depo~s da definido. Pleno de referências de uma raiz familiar.
minados por assimilação do sucesso techno pop, Octopus mostra-se A experimentação, territótio
discórdias descomunal obtido em 1981, a coeso, vencendo, à partida, os querido a Oakey e amigos,
internas), uns desordem interna que se fez eITos que haviam dificultado a sobretudo na fase inicial da
DuranDuran sentir denotou sucessivos erros tarefa aos quatro álbuns caneira dos Human League,
em vésperas de de gestão, traduzidos em .anteriores. A composição é marca presença no ensaio
novo disco escolhas eITadas de produtores, aluna fiel dos ensinamentos de «ambiental» de Words. O
(mas incapacidade em coordenar 80, mas aceita importações kitsch, outra das marcas da
reflectindo uma calendários, iITegularidade nas pontuais de regras actuais, personalidade dos Human
preguiça que edições, má orientação muitas delas descendentes League, é reactivado e
HUMAN LEAGUE, o reencontro com as origens não convém ter editorial. A aventura directas dos teoremas pioneiros redescoberto em One Man in
nestas lides) e «americana» de Crash (com que a encamação original dos My Heárt, uma abordagem ao
70/80, essas fitas mostravam uns OMD em ano de produção de Iirnmy Iam e Human League ajudou a criar. formato balada segundo as
vitalidade, atràvés de canções preparação de novo álbum Teny Lewis), a inconsistência Cruel Yotmg Lover, por estratégias que conhecemos
que mereceram a atenção de Ian (imagem de uma regulatidade de Romantic ou a pompa exemplo, assimila nuns Erasure em dia de assédio
Syanley, que acedeu em ser ele que tem mantido fmne o status inconsequente de Hysteria cautelosatnente as mais abbático. As vozes marcam,
mesmo o produtor deste disco do grupo), o panorama ganha quase foram fatais para o grupo, recentes evoluções da depois, a diferença...
de regresso. Phil Oakey, nova vida com o regresso dos que acabou por sofrer na pele linguística techno em formato Octopus garante um regresso
Suzanne Sulley e Ioanne Human League, os mais os «despedimentos» que a EMI pop, conseguindo vincar a saudável e significativo de um
Cathedral estavam de novo na veteranos dos resistentes, efectuou após a aquisição da personalidade do grupo, dos nomes grandes da geração
berlinda!
Acto de fé bem sucedido, a
animados agora com uma força
e alma que lhes faltava desde o
Virgin Records.
Octopus marca o início de uma
evitando uma excessiva
colagem ao discurso erasuresco,
pop de 80. Vida longa! .... ...
reactivação dos Human Leagüe histórico Dare!, de 1981. nova fase na vida do grupo. raposa sabida nestes espaços de
acontece num momento de A carreira dos Human League Com um acordo de longa som bem cheio de cor. John
particular movimentação nos é, com efeito, a mais iITegular duração firmado com a nova Cleese: Is He Funny? (uma
circuitos pop britânicos, dos grupos que nasceram dos etiqueta, o trio sobrevivente paródia ao hilariante humorista
revelando um disco capaz de laboratórios pop de finais de 70. aposta numa reencamação do britânico que recordamos dos
superar os equívocos que Discos meteóricos e longas espírito que marcou a alma do Monty Python ou de Fawlty
pausas, todas pontuadas por grupo. Octopus representa, de Towers), assegura uma • NUNO GALOPIM
vinham a dificultar a vida da
4 Caldo
«techno»

o
~
o regresso da velha senhora no
v
~'
interna de caminhos a seguir,
encontrando no passado da
vigésimo oitavo
apontamento para o
excelente catálogo da
própria banda quais as regras
Ogrande dama está de volta. que devem condicionar a editora australiana
~ Extreme, encontramo-

ao
Ultrapassada a longa travessia de necessária actualização do som.
uma fase crítica sugerida em São ecos do passado glorioso do nos num território de
Peepshow, e confirmada no nada grupo os que encontramos na correntes e
aconselhável Shadowtime, raiz da composição que cria este contracorrentes, espaço
Siouxie e companhia regressam álbum. Stargazer, por exemplo, de choque para
com a noção de que no passado recupera o livro das regras diferentes tipologias.

u (no seu próprio passado) devem


procurar os motivos e os
caminhos para as eventuais
clássicas da composição de
Siouxie and the Banshees num
formato descaradamente pop
Reduzindo a defmição
de Hollow Earth à
expressão mínima,
manobras de actualização que o (algo que, no passado, por vezes podemos chamar-lhe
tempo por vezes força. The a banda evitava deste modo tão apenas música
Rapture, o novo disco, que conta óbvio). Not Forgotten, outro dos electrónica, mas tal,
com a participação de John Cale muitos momentos de classicismo além de pouco
na cadeira da produção em cinco evidente, importa o estilo elucidativo, tem muito
das 12 canções que apresenta, hipnótico e sedutor do canto mais a ver com o modo
surpreende positivamente, e mais tradicional de Siouxie, para , como é produzida do
devolve-nos uma figura de um ambiente exótico, quase que com o resultado
':1.' fmal.
ot= relevo na história da pop psicadélico. Tearing Apart,
«alternativa» britânica. reconcilia os espaços rock À tona de um caldo
'o
Z A sua breve passagem pela segundo leis antigas. Fall From
uf
o ,Figueira da Foz num concerto Grace segue a escola indie
o~ em Agosto de 1993 deixou no ar britânica de 80, redescobrindo,
a certeza de que os recentes inclusivamente, memórias
4: equívocos apenas se , directas no passado de Siouxie.
(5
manifestavam em disco. Segura, A presença de Cale vinca, apesar
sóbria, encantadora, Siouxie do classicismo de Tearing Apart,
Sioux conduziu uma multidão os espaços de maior libertação
fascinada num espectáculo que de The Rapture. O Baby, o
poucos terão esquecido. E foi no single, leva a extremos de delírio
passado, apesar das pontuais pop uma composição que já
cedências a: dados recentes - característico quadro clínico que saúde mais equilibrada. O deixara bocas abertas por alturas
como o já referido álbum de relata casos infelizes de regresso à forma de outros de Kiss Them For Me. Mais techno, temperado por
1991 ou o single Face progressivo alheamento das tempos de Morrissey em sóbrias, The Lonely One (um percussões virtuais e
To Face, gravado para glórias do passado, num Vau.xhall and I, de Peter Astor single potencial, formalmente caracterizado por uma
a banda sonora do processo de degeneração gradual em God and Other Stories ou de perfeito, importando um grande liberdade
filme Batman Retums - que, por vezes, culmina em Siouxie and the Banshees com o discurso rítmico de espaços hip estética, vão surgindo
que se apontaram os evitáveis incursões pelo ridículo. novo The Rapture, são hop), Falling Down (a lembrar a indícios da digestão de
momentos de euforia A carreira recente dos Cure, a excepções de uma regra escola «Cure» de outros tempos) elementos da escola
maior. Um passado , «invenção» de uma segunda infelizmente implacável. e Forever (um exercício de alemã (linhagens
notável, inesquecível, geração dos Echo & The Com efeito, apesar das harpejo minimalista a seguir as Kraftwerk e Tangerine
que marcou toda uma Bunnymen, a descaracterização reservadas expectativas exigências perfeccionistas de Dream), da música
geração de cultores do . assustadora dos Clan of Xymox levantadas pela boa prestação Cale), asseguram as poucas industrial (facção belga);
som dito «alternativo», Gá na sua encarnação «Xymox», em palco no já referido frentes de invenção deste disco. das mais recentes
particularmente os fiéis pós-4AD), a falência do projecto espectáculo na Figueira da Foz, Dispensável, apresenta-se o tendências reveladas
seguidores das estétias House of Lave, deixam claras as o grupo ultrapassa as previsões, longo (11 minutos e meio!) pelo ambiente, da
«góticas». Em forma,Siouxie e quase irreversíveis e assinala neste novo disco uma depoimento sinfónico-épico de infinita panóplia sonora
os seus Banshees prometiam consequências desta patologia. eficaz estratégia de revitalização, The Rapture (tema título do proporcionada pelas
algo (como o Ambrósio ... ). Cientes desta realidade, outros evitando os conceitos mais disco), bem distante do formato músicas tradicionais
Resistente, ou melhor, nomes houve que, a bom tempo, elementares de «actualização» essencialmente pop das restantes (essencialmente ritmos)
sobrevivente de uma geração souberam ditar um fmal abrupto estética que, tomados segundo faixas do disco. e até do goth-rock mais
que marcou posições e fez aos seus projectos. Pixies ou normas importadas de realidades Protagoniza-se um regresso em eléctrico (estilo Andrew
história na segunda metade da Japari são disto bons exemplos. exteriores ao universo real da forma. Vincam-se nostalgias não Eldritch, fase
década de 70 e na primeira de 80 Casos mais raros ainda são banda nos deram tristes opressivas. Escreve-se, uma vez Floodland).
(se bem que alguns dados aqueles que, mesmo vitimados lembranças em Shadowtime. mais, que a pop não morreu! ~ Sem perda de
essenciais fossem acrescentados pelos efeitos desta «doença», Agindo pela inversa a esta objectividade, os Soma
até 1989), os Siouxie and the acusam melhoras inesperadas, situação, Siouxie e amigos (David Thrussell e
Banshees integram-se num regressando a um estado de decidem-se agora pela procura t N.G. Pieter Bourke) gerem os
diversos parâmetros
LU com sabedoria,
das raízes desta técnica imprimindo uma
Notas Exercícios jamaicana. Essencialmente
dado a desenhos ambientalistas,
vitalidade órgânica
(nomeadamente através
de revisão em «dub» o disco permite rasgos de génio
na manipulação de registos,
do sampling e do
tratamento de vozes) ao
defmindo por vezes momentos conjunto, o qual
de encanto inesperado, como desmonta uma vez mais
acontece, por exemplo, em a teoria da «quadratura»
(mPilação inesperada, Wilmot, onde latitudes latinas do techno, negando em
Segunda experiência simultâneo a ideia da
Original Flava completa dados encontram espaços virtuais.
discográfica de longa duração desumanidade da
na descrição da carreira de um, (até aqui apenas disponível assinada pelo projecto de The Sabres of Paradise,
dos mais importantes grupos «Haunted Dancehall», WARP. ~ música .
numa compilação da Acid Jazz). Andrew Weatherall, Jagz
nascidos com acená acid jazz predominantemente
Muitas das faixas - Rest of Me, Kooner e Gary Burns, Haunted
britânica: os Brand New electrónica.
Reality, Never Stop e Mother's Dancehall ultrapassa os Soma, «Hollow Earth»,
Heavies. Recolha de gravações Tongue - representam exercícios caminhos descaracterizados do Ex~eme/Ananana. ~
efectuadas entre 1988 e 1990, de diálogo com o altá ego da primeiro álbum do colectivo,
agrupa alguns inéditos, a versão banda, o projecto K-Collective. ameaçando agora cotar os
original de Dream Come True ,. Para coleccionadores e Sabres of Paradise entre a
uma versão alternativa de Never arqueólogos jazz dance. emergente família de t PJ.A.
Stop, o single Got to Give Brand New Heavies, «Original experimentadores do dub em
(nunca incluído em nenhum Flava», Acid Jazz. ~ contextos musicais afastados
álbum) e A Day at the Seaside
5
afirma José João Cochofel, ao que Luis
Serdoura arescenta que, neste aspecto,
referindo-nos ao campo meramente
técnico da composição, h~ uma noção
de construção musical. «E uma
composição aparentemente espontânea,
que depois é trabalhada». «Há muita
racionalidade nisto tudo», remata
Vitorino Ventura que, retomando as
explicações dos porquês da
provocação, indica que, tal como a
racionalidade da música, há uma
nocção muito concreta do que se critica
ou provoca. «Dizer directamente que
grupo tal é provocador, não tem
significado. O grande problema da arte
é o como se provoca. Isso é que a
crítica devia procurar. Há aquela
provocaçao gratuita do tipo "fulano tal
é um filho da mãe", e há o corrosivo do
dentro por dentro. Há a corrosão do
mal dizer, do escárnio. Esses graus de
corrosão e de provocação é que
deveriam ser analisados».
O disco levanta também questões de
FOTOS ORlANDO TEIXEIRA
relacionamento entre música e
teatralidade. «O disco é muito vistual, e

A lei da provocação a teatralidade», explica Vitorino,


«suJ;ge como uma extensão do próprio
texto». Sem recorrer a essa teatralidade
como um adorno ou um modo de
reforçar palavras e intenções, U-Nu
de Técnicas de Análise e Composição Música do Porto, Luis Serdoura aponta entende-a como uma entidade própria,
da Escola Superior de Música do no «pedagógico» papel da não redutora. «O público não é
Porto), tentámos esclarecer estas e «desaprendisagem» um dado estúpido!»
desaprende'"' rege'" ;n,titufdas. outras questões. fundamental paraa evolução da sua Revelado pelo disco, o projecto conta
Desmontar um sistema imposto por «É impossível explicar tudo o que é a personalidade como criativo. E já com uma vivência de cinco activos
essas mesmas leis. Alvejar os cancros Nova Portugalidade», avança Vi~orino provoca, afirmando que, hoje, «o anos. Vitorino Ventura afirma que a .
desse sistema. Agitar, argitar... Ventura, deixando desde logo claro ensino da música clássica não serve pré história do grupo foi nada mais que
Surprender, por missão. Senhores e que nunca iremos esélarecer definitiva para nada! 'começa e acaba em si um exerício «e um exercício tem
senhoras: U-Nu! e cientificamente o significado do mesmo. Formam-se intérpretes, não apenas a validade de ir experimentando
Apesar de apresentar uma conceito. «Uma obra, como qualquer músicos. Fabricam-se executantes, e coisas até se chegar a uma forma mais
carreira de quase cinco obra aberta, é quase insusceJ1!tível de se não criativos. Tive de exercitar a coerante. A pré-história de U-Nu não
V-Nu são três anos de actividade, o fechar em todos os sentidos. ~nda por imaginação. Para ser criativo, tive de tem muito interesse, portanto». E assim
colectivo portuense que cima, se fizémos um disco de 43 desaprender o que estudei ... A nocção se esquivam ao passado .. .
dedos, nudez, responde como uma minutos, que já por si resume muitas de desmontagem é fundamental para Todavia, cinco anos de resistência .
transparêncja, entidade unitária - U-Nu - das ideias que temos, toma-se mais que possamos justificada pelo
só agora ensaia um . dificil ainda resumi-las outra vez. compreender U-Nu . gozo das coisas qus
mas, acjma de contacto mais directo e Posso, contudo, deixar algumas pistas. Aliás, não atribuo, a não se foram fazendo
vincado com o público Por exemplo, a concepção gráfica; que ser a questões técnicas traz-nos ao contacto
tudo, uma deste país à beira mar é uma extensão da concepção literária: óbvias de composição com um projecto
plantado. Músicos com trata-se de uma construção irónica musical, qualquer que concilia .
escola e carreira (apesar onde há uma montagem de lingerie tradução directa da música,
transgressão às de alguns aresentarem nas feminina com erva, o que nos remete minha formação. 'O teatralidade,
finanças outras para a condição vegetativa de nós grupo só benificiou com peiformance,
normas da profissões), chegam, mesmos». Pois ... E acrescenta «o o ensinamento técnico provocação, ideias,
finalmente, aos escudo é representado por um círculo que me foi dado, nada
.escrUa. Estas e escaparates das discotecas ferrugento, um ferro de engomar e mais. Tive de
contra-ideias,
lógicas e muitas
comA Nova - azeitonas». Segundo U-Nu, o disco é desaprender e, acima de
outras questoes Portugalidade. Uma uma apresentação da «Nova tudo, abrir horizontes».
questões por
esclarecer. Pedrada
resolvem-se para provocação para quem a Potugalidade», tal e qual a entende: . Não se trata do primeiro no charco num
queira entender fO~o tal. «uma obra aberta, ao mesmo tempo caso na história em que
o esclarecjmento Uma obra de arte para séria e irónica. U-Nu é um projecto que obervamos tal atitude
meio musical
seguramente
quem a ouvir n~sse pretende fazer algo em que as pessoas por parte de um inúsico.
do conceUo de sentido. Uma peça acreditem, e isso tem de ser.sério». Na capacidade em
agitado pelas
dançantes manobras
uma «Nova diferente para quem não O conceito de «Nova POltugalidade» desaprender nomes de 94, foge aos
quiser pensar muito mais podemos entendê-lo como estético, corrio, por exemplo,
cânones daquilo\a
PortugalMade» no assunto. Enfim, um musical, enfim, um conceito global. Philip Glass ou Steve que estamos
disco que, por' expressar Vitorino Ventura esclarece ainda que, Reich justificaram habituados no
que este projecto uma rebeldia evidente «como o ser U-Nu não se resume alicerces para a sua sistema pop/rock
anuncja. face aos rígidos formatos apenas a um ser musical no senso criatividade. » português. Foge ao
que, habitualmente, ditam estrito, o conceito de Nova A aprendisagem dos tais formato tradicional
Confusos? as regras da composição Portugalidade tem de comportar todas formatos tradicionais da canção, e .
dita «pop/rock», se cota essas componentes do processo». acabou, afinal, por ser permite-se a uma
num patamar O conceito, traduzido no disco, acaba ponto de partida para a escrita diferente.
desconhecedor de rótulos e, portanto, também por constituír uma provocação nova gestão de recursos Confusos?
de alma e forma a explicar. ao sistema, que promove uma série de e formas que o projecto Os elementos do
Avança-se, em primeiro lugar, pelo formatos rígidos. 1994 forneceu U-Nu apresenta neste projecto esclarecem, como nota de
esclarecimento da nocção de «Nova algumas pistas para o evitar dessas seu primeiro depoimento. Nao há uma rodapé, que este projecto não envolve o
portugalidade» expressa logo na capa regras clássicas. Compreendendo a estrutura rígida na composição, mas reconhecimento, mas antes o
do disco. Numa conversa entre integração deste disco nessa lufada de nada acontece por acaso. Vitorino diz conhecimento. E aí justificam a sua
. VitOrino Almeida Marques (licenciado dados novos capazes de alicerçar uma que «não há uma encomenda social ... filiação próxima do universo
em Direito e Línguas e Literaturas outra realidade, enfim, o futuro, Luis Não pensamos naquele acorde x, se o contemporâneo, um espaço de criação
Modernas, na variante de Estudos Serdoura esclarece que há muitas senhor tal gosta, ou o outro que musical que, por inexistência de
Portugueses, mau pianista confesso e ideias que se explicam pela tradição. trabalha não sei onde. Não é a anarquia modelos, implica o conhecimento e
antigo colaborador do DN Jovem), «Esta é uma obra nova, que desafia, quem rege as coisas por aqui». A não o reconhecimento. Confusos? ....
José João Cochofel (fotógrafo e aluno que ousa, provoca. Mas provocar não é gestao de um caos? A descoberta de
no Curso de Violoncelo da Escola o seu fim único». Em tempos aluno de uma lógica entre elementos que se
.Profissional de Música do Porto) e uma educaçao musical clássica, hoje encontram? «Eu creio que essa lógica é t N.G.
Luis Serdoura (Docente da disciplina professor na Escola Superior de inerente aos elementos, de raíz»,
Fados

Longa se torna a espera longe voi já o final da década de 70 e o iníciO da' que"
lhe seguiu. Na vertiginosa corrida pela regeneração do
pop., já muitas músicas chegaram e foram ouvidas, tendo a
maioria partido para o esquecimento. Somente algumas
venceram o relógio e foram ficando . Para a eternidade ou
não, é algo para se ir verificando.
standards, clássicos de À passagem para os anos 80, desenvolvia-se no eixo

o compasso de espera
já vai longo. Dois anos
depois de Debut, Bjork
sempre (da Islândia e não
só), em que Bjork põe à
prova os seus
inconfundíveis dotes
voca.is secundada por um
. Manchester-Liverpool uma música sombria e resignada,
mas dolorosamente bela. Ocupavam lugar de destaque os
Joy Division, cujo vocalista viria posteriormente a marcar
presença no panteão destinado aos mártires do rock. Um
valor simbólico adquiria também a Factory, editora para a
continua a viver ao sol trio de jazz qual gravavam e que depressa se tornaria alvo de culto,
das remisturas e, apesar irrepreensível, sem que ficando conectada (ainda que de uma forma redutora) à
das notícias do haja deslizes ou ambiência urbanodepressiva carregada de desilusão,
submundo darem como pormenores de gosto exemplarmente expressa pela banda de Ian Curtis.
certa a preparação de um duvidoso. UIIi registo Porém nem só os Joy Division preenchiam o catálogo da
novo disco com Nelle clássico para uma voz pequena independente de Manchester. Nomes importantes
Hooper, a verdade é que pouco dada a eram também os A Certain Ratio, liderados por Jeremy
lá vai muito tempo sem conformismos que a cada Kerr e Simon Topping e que praticavam um pop pós-bop
que se ouça nada de momento provoca um desregrado, e um rapaz franzino de apelido Reilly, que se
novo da ex-vocalista dos estranhas, mas com toda a sorriso de estranheza e escondia atrás de um pseudonimo estranho: Durutti
Sugarcubes. É verdade que o certeza não o que este disco simpatia. Como se disse, não Column. Uma guitarra subtil, mas não muito tímida,
ano passado surgiu Play oferece. A começar pelo será por aqui que se fará salpicava os ritmos eléctricos concebidos pelo produtor
Dead na banda sonora de difícil (deveríamos dizer história. Gling Gló caberá na Martin Hannett. Também desta música exalava uma
~-
Young Americans, mas incompreensível) pormenor . categoria dos acidentes, mas tristeza, mas bem mais intrigante .que a discursada por
u
. j::: convenhamos que é muito de ser cantado em islandês. dificilmente dos factos Curtis.
o
.Z pouco para tanta expectativa . Depois de ouvirmos Gling históricos determinantes. É Uma tristeza ainda hoje não exorcizada, que continua a
u.J Para acalmar os ânimos, e Gló, podemos fazer uma uma brincadeira de bom transparecer no último esforço de Reilly. Nunca os Durutti
o uma vez desacelerado o ritmo ideia razoável de como soa a gosto, que só vem sublinhar a Column divergiram acentuadamente (nem mesmo em
oõ2 de edição de remisturas e um estrangeiro uma canção palavra eclectismo, já por si Obey the Time, álbum de 1990) do rumo enunciado pelas
« white labels de Debut, Bjork cantada em português. A bem vincada no curriculum propostas contidas em
B aparece com este Gling Gló apreciação é necessariamente de Bjork. Serve de acepipe The Return of the
para deixar de cara à banda feita pela rama e, ou a para o tão ansiosamente Durutti Column
quase todos os seus fãs. De melodia é enfeitiçante (como, esperado sucessor de Debut, (1979), mas na
facto, não seria propriamente felizmente, acontece em caso . acalma as expectativas e realidade também
de uma colecção de todas as canções deste disco), mantém a simpatia nos níveis nunca o achámos
standards de jazz swingante ou a invenção sonora mais altos. necessário. A obra de
que estávamos à espera. surpreendente, ou não há Saltando sobre os possíveis Reilly tem sido o
Depois da esquizofrenia pop profundidade de pensamento entraves naturais deste disco: paradigma da
dos Sugarcubes e da e poesia que resista a naturalmente o islandês, fidelidade a uma ideia,
revolução dançante de palavras cujo efeito sonoro é língua de quase todas as que, embora arrastando
Debut, podíamos idêntico ao de um prego a canções, e o registo sonoro outras consigo (as
até esperar riscar uma placa de jazzístico, Gling Gló acaba quais se vão ou não
coisas zinco. por servir como confirmação perdendo pelo
Provavelmente, sé das potencialidades vocais de caminho), pen:n,anece umbilical mente ligada a uma
este disco não Bjork. Bem, percebo que seja guitarra dedilhada, que se exprime sobre uma malha
tivesse o nome difícil acreditar que uma percussiva(a cargo de máquinas .ou de Bruce Mitchell).
de Bjork, canção chamada Littli Sex and Death é apenas mais um capítulo no livro, uma
nem lhe tonlistarmadurinn é bonita, palavra na oração, um passo na caminhada. Presentes
púnhamos a mas ... estão as habituais dedicatórias aos amigos, o velho
vista em Agora vem a parte curiosa, companheiro Mitchell, a voz de lamento de Reilly, a
cima, como o inlay é todo em inseparável guitarra e o piano. Desta vez constam ainda
quanto islandês e tudo indica que .algumas vozes convidadas, a viola de John Metcalfe, os
mais originalmente o disco não baixos de Peter Hook e Stephen Street e ainda um
chegar a estivesse destinado a outro stylaphone, o que quer que isso seja.
. ouvi-lo. mercado que não o da Islânia, Embora já não suscitando a surpresa de outros tempos,
Só que a torna-se um pouco continuamos a emocionar-nos. A beleza das canções (pelo
indústria problemático perceber o texto menos de algumas) mantém-se incólume e a dor ainda não
tem destas que se supõe explicativo, tal se extinguiu. Alguns pormenores (sobressaltos, quase
coisas e como é difícil decifrar diríamos) menos óbvios, uma guitarra mais cerrada, uma
mesmo que qualquer informação contida voz mais atrevida, um sample reconhecível
fossem no disco . Mas tudo leva a (concretamente a Amália -de Povo Que Lavas No Rio, no
canções de crer que este registo date de tema Fado) são apenas mais algumas diversões ajuntar a
embalar patos, 1990 (pelo menos é a data tantas outras já ouvidas, relembrando-nos a regra de que
vinha cá para que consta). Pós-Sugarcubes constituem excepção. Excepções que nos vão sendo
fora, porque e pré-Debut, só agora atiradas como bóias de salvação perante eventuais
Bjork é sempre revelado ao mundo, pelas sintomas de enfado, mas que não desvirtuam todo,um som
Bjork. O mesmo se razões que se calculam. que há muito nos é familiar e com o qual temos podido
aplicaria se, por Ainda assim um disco contar ao longo de uma década e meia. Como uma âncora
exemplo, Laurie simpático e interessante, que colocada no âmago da turbulência quotidiana do pop.
Anderson gravasse um -vale a pena descobrir. Não é assim de estranhar que tenham sido o sobrevivente
disco de country, ou os Quanto ao resto, parece que Reilly e o seu Sex and Death a serem chamados para
Pearl Jam recuperassem Mike D, dos Beastie Boys, já inaugurar o selo Factbry Too, pretenso descendente
canções de Bing remisturou um tema novo de directo da «fábrica» original, mas agora na dependência da
Crosby. Não cai oCarmo Bjork. Tudo indica portanto London. É certo que os anos foram passando e as músicas
e a Trindade, nem sequer é que 9S é o ano do reresso. também. Mas a Durutti Column foi ficando . Para a
criticável, mas também não é Bjork, «Gling Gló», Mother. ~ eternidade ou não, é algo para se ir verificando. Todavia, o
por aí que se faz a história. que se passou no Norte de Inglaterra entre os anos 70 e 80
Esta é uma daquelas edições já desapareceu e com a sua morte definhou e pereceu
que valem mais pelo aspecto também a Factory, vítima de um estigma que nunca
de curiosidade (com o tão desejou.
venerado carimbo de raridade . Paz à sua alma.
excêntrica) , do que outra Durutti Column, «Sex and Death», Facto ry Too/PolyGram ~
BJORK numa inesperada coisa qualquer. Não se
aventura jazzística discute, pelo menos até ao
ptmto que é permitido pela t PEDRO IVO ARRIEGAS
barreira linguística, se as t ISILDA SANCHES
canções são boas ou más. São
,
7
Saborosos frutos
de Lisboa 94
f
pelos constantes
cromatismos cerrados
que apresenta, a
alo-vos de frutos fazerem lembrar as
de Lisboa 94 porque ,«loucas» composições
foi graças ao , do italiano Carlo di
«estatuto» de Gesualdo), Manuel
Capital Europeia da Tavares (um molete a
Cultura de que sete vozes mais
gOZOH Lisboa tipicamente
durante o ano renascentista), seguido
passado que se de quatro canções de
começou finalmente um compositor
a levar a cabo a anónimo do séc. XVI
gravação do que versam todas a
':1.' património musical temática da «saudade,
o português desde a amor e morte», que foi
5 z
Idade Média de uma
forma sistemática e
o leitmotiv de um
recital de Jennifer
UJ
o junto de editoras de Smith nas últimas
o02 projecção
internacional.
Jornadas de Música
Antiga, e das quais a
4: HUELGAS ENSEMBLE em viagem pelo passado português
o Falo-vos destes última, «Quiem viese
específicos como aquel dia», é a mais
«saborosos» porque foi a palavra que vocal dominante durante o extrovertida, usando com generosidade a
primeiro me ocorreu dizer depois da Renascimento para o género concertante percussão (bombo). O CD finaliza com .
audição deste CD Sony Classical - dominante no barroco. Não sendo um negro de Natal a cinco vozes de
Virarte contendo moletes, canções e Portugal um país da vanguarda musical Filipe da Madre de Deus. Trata-se de um
vilancicos portugueses dos séc. XVI e da altura, faz-se ainda sentir em algumas vilancico em que se «brinca» com a
XVII interpretados pelo Huelgas obras heranças do Renascimento pleno, pronúncia do português por parte das
Ensemble, dirigido por Paul van Nerel, embora aquele gosto pela diferença, pela comunidades africanas em contacto
representantes de primeira linha dos surpresa e pela variação constante tão connosco e é de facto uma «gracinha»,
agrupamentos da chamada <<fiova música típicos do maneirismo nunca esteja todo ele jovialidade, alegria e
antiga»*. ausente. brincadeira, combinando elementos
Van Nerel e os Huelgas estiveram,.aliás, Os compositores aqui apresentados são medievais, árabes e da música motiva
' cá em Outubro último, onde deram dois António Marques Lésbio (um vilancico dos alvores do afro-americanismo (p. ex.
concertos integrados nas XV Jornadas a seis vozes que ilusta bem aquilo que a «guaracha»). Umajóia!
de Música Antiga promovidas pela acima disse), Manuel Machado (um As notas explicativas contêm um texto
Fundação Gulbenkian, um dos quais, romance a três vozes só vocal e uma muito interessante de Rui Vieira Nery e
nem menos a propósito, com a mesma copIa a quatro vozes com notas biográficas dos compositores do
selecção de obras acompanhamento instrumental), o até há próprio Van Nerel.
,.__~_~',I.!L., _____. apresentadas neste CD. pouco tempo desconhecido António Apesar do referido apoio de Lisboa 94 e
Esta gravação foi feita Pinheiro (um salmo que alterna canto da Fundação Gulbenkian, não há ali
no (sic) «Municipal gregoriano e polifonia vocal e tem a nada em português ...
Auditório de San Tiago», «surpresa» duma voz feminina (!) a Deleitai-vos então! "
em Óbidos, de 29 a 31 de cantar o «Amem> final em gregoriano),
Março do ano passado. Gaspar Fernandes (um vilancico a seis
O «sortido» aqui exposto vozes no género do de Marques Lésbio,
apresenta obras que se mas mais extrovertido e com constantes
podem todas situar permutas nas vozes e instrumentos),
dentro do estilo musical Vicente Lusitano (um motete e quatro
«maneirista», na vozes utilizando a técnica do
transição da polifonia contraponto imitativo; obra espectacular . • BERNARDO MARIANO

Filho incide, contudo, sobre peças


que priviligiam a flauta, o
oboé e a harpa. Versões para
Violinos VI\'''','''
A Violin Festivw
';tml't'f«l:' lw Vk.>tll1
C"'Jf:t"rlC!$ kl!' '1 & .. V,,",iM

de Bach teclados destes concertos são


conhecidas, segundo regras
de Vivaldi
a
de «reciclagem» que se
verificaram também nos

5 egundo filho de Johann


Sebastian, Càrl Philip
concertos para violino de seu
pai.
c.P.E. Bach, «4 Flute
Violin Festival, mais
, uma edição da série
«económica» Digital Focus,
Emanuel Bach (1714-1788) Concertos, 2 Oboe
assegura um retrato
foi, dos muitos filhos da· Concertos, 1 Solo For
representativo da composição
família, aquele que, em Harp», Philips/PolyGram. Concerto para
talento, produtividade e para violino de Antonio
Lá menor, RV 523 e o
Vivaldi. Recolha capaz de
reconhecimento, mais se Concerto Para Violino em Ré
ilustrar a inventividade e
aproximou do grande génio maior, RV 234
que celebrizou o nome Bach. liberdade «contida» qu~
(L' Inquietude).
Tendo desenvolvido os seus caracterizava parte da
Vivaldi, «A Violin Festival»,
estudos sob a supervisão composiçao de Vivaldi, o CD
Romanyuk/Gulz/New
directa de seu pai, Carl Philip incide sobretudo sobre o
Classical Orchestra
ciclo L'Estro Armonico, do
tomou-se um dos grandes (St.Peterburg), Sony. ,.
qual são aqui inluídos quatro
mestres das teclas da sua
concertos (números 1,3,5 e
época. Este CD duplo, que
9). Além destes, sao ainda
nos permite um contacto com
apresentadas gravações do
a música de Carl Philip Bach, 2
8T ETNICA
A nova africanidade
as raízes locais e a «modernidade» localizam-se na raiz de fenómenos
ocidental, juntando-se a nomes como que hoje conhecem expressão

e por aqui se descobre a nova


africanidade ...
Autor de uma carreira de firmes
Youssou N'Dour ou Ismael Lô na
pesquisa de novos caminhos para a
música do Senegal. Oiçam-se discos
como Baayo, Lam Toro ou o novo
Firin' ln Fouta, todos de Baaba
actualizada nas evoluções ditadas,
por exemplo, por Baaba Maal.
Discos como os seus mais recentes
álbums (acima referidos) e~ para
referir outros episódios essenciais,
bases, Baaba Maal tem chamado a si Maal, e compreenda-se um percurso marcos histórios como Utru Horas
parte importante da «invenção» de capaz de assimilar, da Orchestre Baobab (de 1982) e
uma nova linguagem musical partida progressivamente, o tempo, as Eyes Open de Youssou N' Dour (em
de geografias africanas. Senegalês, tendências e as linguísticas 1992) contam um relato de
originário da região do rio, no Norte alóctones, para assegurar a revolução interna, simultaneamente
do país, impôs-se internacionalmente construção de um novo território acompanhada por uma abertura de
pela personalidade de uma voz sonoro que reflecte um novo espaço, horizontes para o exterior que, de
única, pela sua em África. então para cá, aprendeu também a
brilhante composição O Senegal foi, escutar a nova Africa que por aí
e por uma durante muito nascia. Trata-se, pois, de um
característica tempo, uma das mais caminho de exigência e interacção
presença em pako. vivas capitais da progressivas, bem distante das
Firin' ln Fouta, o África francófona. O cassetes para consumo interno que
seu novo disco, leva seu festival Artes garantem, ainda hoje, o grosso do
adiante os dados Negras (criado em mercado local senegalês. Procurem-
reunidos nas suas 1966), percussor do se dados nas compilações
mais recentes muito influente recentemente editadas em CD pela
gravações, Festi vaI de Lagos orquestra de Youssou N'Dour
contribuindo para a (na Nigéria), (Étoile de Dakkar), onde se reuniam
exploração do iniciado em 1977, algumas das gravações das cassetes momento em que Youssou N'Dour na companhia do "
sentido da noção de foi bastante que eram editadas com intervalos de se voltou para a Europa. Para este Lenol. Nestas últi
modernidade na importante na " seis a nove meses e observem-se as continente Baaba Maal apontou, trabalho tem feito
música africana. divulgação da diferenças entre a sua produção para depois, ambições e curiosidades, parte das suas edi,
Filho da etnia músicá africana. os circuitos internacionais e as mais acrescentando às suas primeiras como é o caso do
hapulaar, Baaba Como muitas das «tradicionais» (mas igualmente visitas (Paris em 1982, Londres em Fouta.
Maal fez escola em expressões musicais essenciais) 1984), um álbum Seguindo as pisad
grupos de postura da região, a pop operações de alvo «internacional» , Toro, uma vez ma
tradicional, onde senegalesa dos anos local. Evitamos lmmigrés, em acompanhar pelo
conheceu e aprendeu 50 e 60 reflectia, aqui a manobra 1985. A sua Daande Lenol, Ba
a utilizar diversos instrumentos sobretudo, influências cubanas, «oportunista» de carreira tem, desde neste disco aquele
locais como o riti (vilino de uma "como que acentuando a raiz negra 7 Seconds, em então, abraçado apontar como o m
corda), hoddu (uma guitarra com dos paraísos rítmicos das Caraíbas. conjunto entre músicas mais depoimento da «n
uma ou mais cordas até um número O papel fundamental do grupo de Nenneh Cherry e tradicionais (como após a edição do 1
total de cinco), e uma série de «africanistas» que emergiram nos N'Dour, constatamos em Open de Y oussou
percussões. Com estudos feitos na anos 70 foi fundamental para a reconhecendo Djam Leelii, uma manifestações de
Escola das Artes de Dacar e, mais inversão do processo de aculturação, nela nada mais gravação clássica (Gorei, Swing Yel
tarde, na École des Beaux-Arts de permitindo uma mais evidente que um exercício com Mansour activismo político
Paris, Baaba Maal alimentou com incursão por realidades locais, das de mercado que Seck) e investidas Ba) e o já aguarde
dados teóricos toda a experiência tradições rítmicas e instrumentais à apenas merece de experimentação frequente na sua e
que foi protagonizando ao longo dos própria língua, principalmente o elogios pelo facto mais óbvia, entre Sama Duniya), B:
seus 40 anos de vida. Associado a idioma wolof As primeiras de encaminhar composições de novo um cuidado
nomes como Simon Booth, Dave experiências de encenação conjunta novos «convertidos» para o passado instrumentação rock e saudáveis produção de alta (
BotriU, Andy Shepard ou Jah entre instrumentos tradicionais e os de Youssou. casos de digestão de regras funk ou os ecos da tradiçã
W obble, tem garantido um percurso «convencionais» conjuntos de Baaba Maal tomou a imagem mais hip hop, entre a pesquisa e uma nova uma nova lógica (
de aberto confronto dialogante entre guitarras, metais e percussões tradicional da Super Étoile no variedade"de formas de canção, aqui Em Firin' ln FOUi

FOlK
SKOL'IJ
presenç

Perspectivas intercélticas
divulgação do potencial candidato ao alguns dos espectáculos em deste tip<
Intercéltico deste ano, bem como toda a perspectiva para 95 culturais:
restante programação, que será apenas organizados pelo Mundo da prepara ,
José MIflo Bmnoo oom '" Grutei= divulgada dentro de um mês, Canção, que podem acontecer segunda
de Lisboa e os suecos Hedningardna aproximadamente. Um dos igualmente em Lisboa, através enciclopt
são as ausências da sexta edição do responsáveis por aquela distribuidora e da participação e envolvimento PortugU/
Festivallntercéltico do Porto, a realizar produtora do Porto, confrontado com a de um produtor da capital, actualiza
em Abril próximo. A organizadora do pergunta sobre a possível participação concretarllente para a críticas e
evento, a MC - Mundo da Canção, dos bretões Skolvan nesse festival, realização dos espectáculos da sobre art
confirmou ao DN a impossibilidade de respondeu que «tudo é possível», brasileira Adriana Calcanhoto, discogra
ambos os nomes referidos poderem adiantando Avelino Tavares, o do cubano Silvio Rodriguez, volume (
estar presentes no festival na sétima responsável em questão, que «o da argentina Mercedes Sosa, há 11 an'
edição a realizar em 1996. Com o Intercéltico vai ter nomes muito fortes e da francesa Catherine Ribeiro e da efectuadas ao vivo no Cinema do Terço subtítulo «Um pon
intuito de na abertura do festival estar que dois dos grupos envolvidos no catalã Maria de Mar Bonet. Ainda a no decorrer da edição do ano passado, Correia admite a hi
presente um nome da música popular Intercéltico actuarão em Lisboa, na propósito do Festivallntercéltico, admitindo que este tipo de iniciativas é edição vir a ter COD
portuguesa, a MC - Mundo da Canção Aula Magna ou no Coliseu dos Mário Correia, igualmente da MC - «prática corrente em festivais de folk «um ponto de refie
está nesta altura em negociações com Recreios, no fim-de-semana de 8 e 9 de Mundo da Canção, confirmou a edição europeus, com o objectivo de ampliar num rigoroso traba
outro grupo, não sendo ainda possível a Abril». O mesmo pode acontecer com de um CD promocional com gravações as acções de promoção e divulgação como este, «nada é
BAABAMAAL
rumo ao futuro

A «bíblia» ·
fundamental
~ da cantora Oumou Sangare do Mali e do
Baaba Maal demonstra ter
compreendido o livro de estilo que
nofunk encontrou motivos de
derivação para diversas escolas de
cuidada arquitectura rítmica. Em
e sempre excepcional quando se tem
excelente resultado apurado no álbum
Kosira, dos sons mediterrânicos do
compositor egípcio Ali Hassan Kuban, da
acesso a informações pormenorizadas sobre . melodiosa arquitectura sonora dos veteranos
artistas, discografias e estilos Muzsikás, da Hungria, e pelo Throatsingin
predominantes nos domínios da chamada de Tuva da cantota Sainkho com cuidada
Swing Ye la, onde encontramos um
inesperado rap (por Didier Awadi e word musico Tanto mais gratificante quando supervisão do argelino Hector Zazou. A
Amadou Barry), Baaba Maal o acesso a esse banco de dados se efectua lista dos intervenientes é ainda ampliada a
muito para além das consultas aos in-lay gravações da Oyster Band (Inglaterra),
protagoniza um momento de
inteligente assimilação das formas cards dos CD ou às revistas especializadas Buckwheat's Zydeco Party (Estados
rítmicas associadas ao hip hop, no assunto. A publicação de um hand book, Unidos), Guo Yue (China) e Joji Rirota
importando para este monumento de estilo enciclopédia, subdividido em (Japão), Henri Kaiser (Estados Unidos) com
capítulos geográficos apresentando os . Roger Georges (Madagascar), Afi
«modernidade» inquestionável
elementos essenciais culturais e musicais Africando (Senegal) e Joe Netwoek. O
referênciasjazzy (através de um
piano, um contrabaixo e uma flauta). deve merecer por parte de um público «Compacto» contactou Phil Stanton no
Não se trata de uma importação atento e interessado um elogio sentido de se
oportunista das bases formais do assumido. The Rought Guide clarificarem os
to World Music vem preencher objectivos a alcançar
acid jazz, mas antes uma expressão
personalizada de «visões» africanas, esse espaço quase desértico do com esta iniciativa.
compreendendo outras imagens. O aUXilio informativo e «Criar um serviço
mesmo acontece, por exemplo, em enquadramento no tempo e no informativo
Gorei, um devaneio de estrutura pop espaço dos sons do mundo, especializado que
arquitectado sobre uma house com particular incidência nas pudesse dar apoio às
despida de excessos techno. Por áreas tradicionais e populares. lojas e ao público, e
oposição a estas teses de Em setecentas páginas, este nesse sentido investir
investigação, o álbum apresenta guia subdividido em treze em samples a preço
lo grupo Daande pontuais introspecções senegalesas, capítulos temáticos reduzido para que o
ltimas áreas de ora através da reactivação da proporciona-nos leituras acesso e contacto com
,to incidir a maior tradição pop de genética cubana (em didácticas e esclarecedoras. as músicas do mundo
dições mai s recentes, African Woman) ou pelo ' Sem procurar a abordagem aconteça de uma
lo novo Firin' ln característico tukulor, próximo do defenitiva, The Rough Guide é forma em que o
reggae (em Mbaye). muito mais um porto de partida do que público não gaste muito dinheiro», explica-
adas do anterior Lam propriamente uma «bíblia» detentora da(s) nos Phil Stanton, cujo serviço da World
Firin' ln Fouta permite-nos o
verdade(s) absoluta(s), fazendo parte dos Music Network é também ampliado à
nais fazendo-se
lo seu conjunto,
confronto com di versos caminhos
para a procura da tão almejada ª
planos da Rough Guide actualização e recolha informativa: sobre matérias a
correcção da mesma enciclopédia num ciclo desenvolver e a divulgar em próximas
8aaba Maallavra «modernidade». Da compreensão de
~le que podemos dados exteriores a África a rotativo de dois em dois anos. No actividades, estando à disposição do público
mais importante investidas próximas da tradição pop complemento à pesquisa, surge o papel um serviço postal para que qualquer
<<nova africanidade» local, operam-se esquemas de relevante da World Music Network, um indivíduo possa enviar informações e
o fundamental Eyes serviço informativo sobre músicas de raiz esclarecer dúvidas persistentes sobre as
transmutação da tradição segundo
JU N'Dour. Entre normas sugeridas pela «aldeia tradicional, dirigido músicas tradicionais do
le atenta sociologia . global». O diálogo fluente entre pelo londrino Phil planeta. J
'ela, Salimoun) , linguísticas vivas dita as regras da Stanton, envolvido nos «Um dos problemas deste
co (Njilou, Tiedo, modernização das imagens de processos de edições género musical», avança Phil
'dado misticismo, tão africanidade na música que o discográficas relativas Stanton com as suas
a escrita (Mbaye, continente negro hoje produz. Baaba aos estilos explicações, «é que existem
Baaba Maal aeita de Maal, cada vez mais, surge como um tradicionais/populares nos mercados demasiadas
lo conceito de dos principais obreiros da causa. ~ do mundo, via edições discográficas e isso
a definição, levando Riverboat Records, a toma a selecção individual do
editora que fundou em ouvinte extremamente
ção ao encontro de
a de azimutes. 1989, tendo editado complicada, através das nossas
• N.G.
Juta, mais que nunca, até a esta altura uma colectâneas, que funcionam
dezena de CD. como catálogos, pretendemos
A inaugurar o plano oferecer uma resenha de títulos
estratégico imprescindíveis, escolhidos
~VAN, uma das promocional da World Music Network, Phil segundo critérios que podem passar pelo
mças previstas Stanton, tomou viável a edição de um CD sucesso de um artista ou de um álbum até à
colectânea-catálogo que inclui quinze divulgação nos media ou operações
gravações, que podem servir de pistas de publicitárias de relevo junto das revilitas
análise e de acompanhamento à consulta da folk especializadas.»
enciclopédia. Da dezena e meia de Em próximas edições da World Music
referências, um particular destaque a Network, Phil Stanton considera provável a
algumas revelações, como é o caso da inclusão de alguns artistas portugueses,
cantora escocesa Talitha Mckenzie, de voz mostrando toda a disponibilidade para
cristalina e crepuscular, persistindo na efectuar contactos com editoras nacionais
defesa do património oral do idioma para análise de possíveis negociações. A
ipo de iniciativas absoluta, há que suscitar ao leitor gaélico, e o nocturno hipnótico da cantora merecida internacionalização para alguns
ús». Mário Correia do Ruanda, Celile Kayirebwa. No plano das dos «visionários» da música popular
elementos que o possam conduzir a
a ainda a publicação 'da uma reflexão sobre as várias e as gravações antológicas, sublinhadas pela portuguesa pode muito bem começar por
indiscutível preciosidade histórico-cultural, aqui. '
ia edição da sucessivas relações de continuidade,
Jpédia Música Popular roptura, enraizamento e diálogos com um relevo para a obra do zairense Kaiko
Langa Langa, envolvido no vital processo (The Rough Guide to World Musica, Rough
~uesa, revista e . outras culturas». No fundo, tudo se
zada, com apreciações pode resumir, segundo as palavras do de modernização da música do Zaire nos Guide/Penguin Books, 700 páginas, e CD
, e muita informação autor, a um pensamento, «procurar idos anos 70, recorrendo ao estilo Soukous, World Music Network-Catalogue I!WMN,
lrtistas, estilos e fixar as grandes linhas de evolução da dos meticulosos desenhos sonoros das ambos distribuídos por WMN, importação
rafias. O primeiro música portuguesa» . O livro será guitarras eléctricas, e da Orquestra Etoile de directa, MC-Mundo da Canção a um preço
e desta obra foi editado editado em Outubro ou Novembro . ~ Dakar, assembleia de virtuosos que deu ao convidativo de 6000$00. Contactos, WMN,
mundo artistas como Youssou N'Dour. PO BOX 3633, London NWL 6HQIMC-
mos e tinha como
Outros exercícios de audição Mundo a Canção, Rua Formosa, 49,3,
Jnto de partida» . Mário
recomendáveis na abordagem ao CD Porto).
hipótese de esta nova • LUís MATEUS
orno referência a frase passam inevitavelmente pelo exotismo
rítmico dos Tarika Sarnmy de Madagascar, • LM.
tlexão», até porque,
balho de pesquisa
i é dado com verdade
10 FI
onovo pesadelo de Wes Craven
personagem que a sua
mãe outrora
defrontou. Um dia,
Heather é chamada a
l ançada em 1984 po, casa de Wes Craven,
Wes Craven, a série que lhe confessa estar
Pesadelo em Elm Street a ter os mesmos
cedo conquistou os pesadelos. Ele
apaixonados do filme de descobrira também
terror, vencendo uma que Freddy é a mais
concorrência que tinha em recente encarnação de
Jason (de Sexta-Feira 13) e um demónio ancestral
Michael Myers (de e a única forma de o
Halloween) os' mais sérios exorcizar é fazer mais
oponentes. A originalidade um filme, para o
do tema, a forte manter cativo. Um
atracção/repulsa causada filme que é, na
pela figura principal, prática, o que então
Freddy Krueger, e a acabamos de ver. Por
qualidade posta na isso, de forma subtil,
produção dos vários filmes que talvez não muita
da série garantiram desde gente se aperceba, o
logo um lugar à parte para genérico de inÍCio
Freddy e Elm Street na está no fim. O filme
galeria do terror vai começar quando o
cinematográfico. que estamos a ver
No entanto, como vários termina. Uma forma
dos seus congéneres que não radicam dez anos depois, e de novo pela mão para assinalar o evento, as cenas brilhante de estender uma série que
no folclore tradicional, como de Wes Craven. E o mínimo que se finais, quer em cinema quer em na verdáde já começava a faltar aum
Drácula, Frankenstein ou o pode dizer é que é surpreendente a vídeo, foram filmadas em três panorama do cinema fantástico,
Lobisomem, Freddy Krueger forma como o autor nos tira o tapete dimensões. sobretudo na área da série B, do
começou a esgotar as suas debaixo dos pés em relação a uma Quando se pe'n sava então que Freddy entertenimento puro. Cinema
possibilidades, e a série foi encerrada qualquer questão de princípio 'no que já passara à história, quer com os seis fantástico esse que podemos também
no sexto capítulo. Agora, contra todas respeita à ressurreição de Freddy filmes para cinema quer com a série observar por dentro, dos gabinetes
, as expectativas, Freddy está de volta, Krueger. ' de televisão a que dera origem, 'eis aos estúdios de rodagem, da
Como em várias outras que Wes Craven e a New Line nos preparação dos efeitos especiais ao
séries no campo do propõem este filme, original, trabalho dos actores.
fantástico, Wes Craven inteligente e perturbante. No fundo, E a fazer o seu própria papel vemos
introduziu o conceito e logo um filme onde se discute se se deve aqui não só Heather Langenkamp
se afastou, para se dedicar a ou não fazer mais um «pesadelo em como ainda Craven e Shaye, John
outros projectos. O grande Elm Street». Neste O Último Saxon e Robert Englund, este no
mérito da New Line, a Pesadelo de Freddy Krueger, duplo papel de si próprio e do sempre
companhia produtora, foi o começamos por ver Heather truculento Freddy Krueger. Desta vez
de entregar a direcção dos Langenkamp, a actriz que ainda mais inquietante, pela
episódios seguintes, pelo protagonizara o primeiro filme, em componente realista deste trabalho
\\ menos do segundo ao pessoa. Ela cresceu, já não é uma insólito e que poderia de uma vez
quinto, a realizadores já adolescente, casou com um técnico conquistar os mais cépticos para estas
experimentados no género de efeitos especiais e tem um filho cóisas do fantástico contemporâneo
ou que dentro em breve ainda criança. no geral e de Freddy Krueger em
iriam justificar plenamente a Heather não quer pensar mais em particular. Se não fos~e lançado
escolha. Freddy e Elm Street e recusa mesmo directamente em vídeo, sem passar
Assim seria com Jack tal ideia perante Robert Shaye, nos pelos cinemas, o que com Freddy já
Sholder, de Freddy's estúdios da New Line, um dos não acontecia desde o segundo filme
Revenge, autor de Entre o grandes da Hollywood dos da série.
Inferno e o Céu, com Chuck pequeninos, os independentes. Mas Desta vez não sabemos se Freddy
Russell, de Dream Warriors, ela tem pesadelos em que Fredcty morreu ou não de vez. É lícito que
que fizera já The Blob - entra, o marido morre ' fiquemos cépticos em relação à
Outra Forma de Terror e misteriosamente e o filho também se indicação de «último» pesadelo.
recentemente assinou a encontra aterrorizado pela ' Confiando no entanto na imaginação
surpresa chamada A e criatividade de Wes Craven e
Máscara, com Renny companhia, pelo menos esta sétima
Harlin, de The Dream aventura cinematográfica de Freddy
Master, que faria, entre Krueger justificou a sua produção e
outros, Assalto ao justifica plenamente a nossa atenção.
Aeroporto, e com Stephen Para Freddy, estamos cá sempre!
Hopkins, de The Dream
Child, que depois realizou O NOVO PESADELO DE FREDDY
Predador 2 e Chuva de KRUEGER (<< Wes Craven's New
Fogo. Nightmare»). Realização: Wei
À medida que a série ia Craven(EUA, 1994).1ntérpretes:
avançando, Freddy tinha Robert Englund, Heather
também um papel de maior Langenkamp, Miko Hughes, David
relevo, passando de monstro Newsom, Tracy Middendorf, John
de serviço a mestre-de- Saxon, Wes Craven, Robert Shaye.
cerimónias em autênticos Cor, 112 minutos. Edição: Ecovídeo ....
, festins de horror. Para
acabar com a série, nada
menos que Rachel Talalay,
produtora da New Line,bem
conhecedora da carreira de
Freddy e que em O Último
Pesadelo em Elm Street se
estreava na realização. E t JOÃO ANTUNES
11

n o mercado de' aluguer


'surge TekWar, o primeiro
telefilme baseado nos livros
.J
I

criados por William Shatner, junta-&e ao poderoso


o capitão Kirk de Star Trek. . Bascom (William Shatner)
Duas realidades com algum numa luta contra os barões
parentesco, mas sem - do tek longe dos projectos
comparação possíveL da polícia, que, vem-se a
William Shatner nunca saber, está por detrás da sua
aceitou que o fim da sua própria condenação e se
vivência «futurista» seria mostra aliada de Hokori ...
ditado pelo sexto (e último Por entry perseguições, .
com a tripulação clássica) andróides explosivos (tipo
~
filme da série Star Trek. kamikaze), uma heroína
(/)'
rebelde (a lembrar a Tina
1&1 o <{ Ainda Kirk ocupava a
Turner de Mad Max III),

o
cadeira de comando da
~ pancadaria «virtual» e
oz Enterprise, já Shatner
congeminava um outro algumas ingenuidades
w mundo de fantasia, mal (modelo infantil),
~- oõ2
Cl

>
sabendo que seria convocado encontramos ainda a história
para uni novo filme da série de um cientista iluminado
<{
Star Trek, precisamente (Barry Morse, o Victor
iS
aquele que ditaria a sua Bergman de Espaço 1999),
morte ... que, a mando de Hokori,
Materializado no ano 2044, prepara a criação de um
numa Terra dominada por «cristal» capaz de inutilizar
barões de uma nova droga - o todo o tek do mundo,
tek -, o novo universo criado excepto o deste barão, que
por Shatner permitiu-lhe a assim garantiria o
escrita de uma série de livros monopólio da «coisa».
de ficção científica, a Estratégia digna do
geração de uma série de argumento de um episódio
comics pela Marvel, e, mais do século XXIII, TekWar exibe rede, as reações e caracterizações dos de um McGyver, diga-se ...
recentemente, a realização de uma algumas ideias fortes; efeitos andróides, os sistemas de . Toda a parafernália de efeitos
série de aventuras para a televisão especiais a reflectir as mais recentes comunicação, a~ «engenhocas» possíveis de criar com o auxílio de,
simultaneamente pensadas para o criações por animação caseiras, entre outras pequenas computadores é empregue em
mercado de vídeo. computadorizada, uma banda sonora «curiosidades» localizam a criação de diversas situações, elevando o nível
TekWar, o primeiro dos «filmes» pavorosa (característica comum a TekWar junto aos formatos de Star de uma produção de fracos recursos
desta nova série, apresenta e explica produções televisivas de orçamento Trek. A estrutura é semelhante, mas à que muitas vezes caracteriza este tipo
o espaço, o tempo e as regras do novo curto) e claras assimilações de forma falta toda a extrema de séries televisivas de importância
mundo imaginado por Shatner. Com realidades e soluções do universo complexidade de situações e a genial secundária. A excelência da
realização e produção executiva . Star Trek. dose de «credibilidade» quase real sequêencia que relata a procura
assegurada pelo mais popular capitão Diplomado conhecedor do livro de com que Roddenberry alicerçou o «virtual» do filho de Cardigan numa
estilo criado por Gene Roddenberry mais real dos mundos de fantasia rede digital entre diversos arquivos e
para as diversas operações Star Trek, jamais criados. Tal como sucedera sistemas informáticos não disfarça os
William Shatner aprendeu a pensar com a série de comics da Marvel, a cenários «baratuchos» que povoam
fantasia com método . A credibilidade TekWar falta toda a dose de trabalho este ano 2044.
das situações e a lógica interna entre cénico e de caracterização de Todavia, são as ideias e as situações
conceitos, espaços e personagens são ambientes que lhe garantiria maior que fazem deste TekWar uma história
regras básicas para o discurso de poder de ilusão. Apesar de alguns entusiasmante para os aficionados da
Roddenberry e, aprendidas por momentos de delírio visual, a ficção científica. Se nos lembrarmos
Shatner, utilizadas com afinco neste irregularidade povoa parte dos cem ainda que encontramos também
TekWar, onde apenas as limitações minutos de acção, deixando a estreia prazer nas produções série B que os
orçamentais nos impedem de de TekWar um pouco coxa. anos 50 e 60 nos trouxeram nestas
assistirmos ao nascimento de uma TekWar parte de premissas áreas do cinema, apontamos ainda
nova saga cibernética. As engenhosas interessàntes. Um mundo animado mais motivos para justificar uma
buscas e perseguições vjrtuais na por uma tecnologia quase perfeita, «espreitadela» a este mundo novo.
minado pela profusão do comércio (e Não comparamos TekWar aos
utilização) de uma droga capaz de clássicos de Ray Harryhausen nem a
induzir no utilizador alucinações de realização de Shatner (tão magra de
fuga e satisfação. O comércio (ilícito) adjectivos que se mostrou, por
do tek é controlado por poderosos exemplo, em Star Trek V) à de outros
barões, que por vezes procuram mestres do cinema.
aliados nas forças da ordem, viciando TekWar é um produto televisivo e
o sistema. A ordem reside apenas nas como tal deve ser apreciado. No
grandes metrópoles urbanas, estando mercado britânico de aluguer estão já
as regiões rurais (<<selvagens») disponíveis quatro volumes, isto é,
dominadas por rebeldes que bradam mais três que aquele que é colocado
contra a ordem instituída. entre nós pela Edivídeo. Para desejos
Iake Cardigan (Greg Evigan) é um mais exigentes, aconselhamos uma
antigo polícia condenado a 15 anos espera por mais algumas semanas.
(Greg Evigan), de prisão criogénica por um suposto Brevemente, em cartaz, contaremos
um polícia contra WILLIAM envolvimento e cumplicidade om com Star Trek: Generations. Por ali,
o sistema, enfrenta Sonny Hokori (Gon Flores), um a saga continua ... e a sério!
os barões do «Tek»
SHATNER, barão do tek. Liberto da sua gelada
numa cruzada realizador situação ao fim de quatro anos de
cibernética de «TekWar» pena, Cardigan 'encontra a família
envergou desfeita e um mundo ainda mais
recentemente, assolado pelo consumo de tek. Ciente
pela última vez, da dificul dade que encontrará para
. a farda de Kirk reencontrar o fil ho e a ex-mulher, t N.G.
UMA THtJRMAN
UlLL MURR :\Y

Pesadelo Uma Reencontro As novas


nas ruas (Thurman) de irmãos aventuras
de Los Angeles entre dois desavindos da pantera

Q ",teo 'migosp,ep""m~" W
para uma noite bem passada,
ayneé um tímido
fotógrafo da polícia, com
e milie e Antoine são irmãos,
mas há cerca de três anos que não
Q "'ndo , peinee" Y "mio
de Lugash é raptada, o comissário
assistindo a um combate de boxe. pretensões a artista no seu metier, se falam . O pai há muito que Dreyfus é empossado
Mas as estradas de Los Angeles mais conhecido entre os seus morreu, e agora é a mãe que está pessoalmente pelo presidente
estão bloqueadas e o combate colegas como o «Cão Raivoso». muito mal. Por isso, eles voltam a como responsável pelo caso. Para
aproxima-se da hora. Para lá Um dia, ele salva a vida de Frank, encontrar-se: Cada um está numa o ajudar, é nomeado um agente,
chegar a tempo, decidem cortar um pequeno gangster local que fase complicada da sua vida de nome Jacques, e que começa
por uma estrada secundária, indo aspira a ser comediante, e que fica pessoal e, apesar das cicatrizes, os gradualmente a fazer lembrar
ter ao que é uma zona desabitada para com ele com uma dívida de laços de sangue e a amizade alguém a Dreyfus, pela sua
da cidade. Aí assistem indefesos a eterna gratidão . Para o compensar, latente vão fazer com que cada um pronúncia e pela forma como
um crime, cometido por um barão
não consegue encontrar melhor deles tenha um papel decisivo no parece atrair os mais incríveis
da droga sobre um dos seus
homens de mão, e quando são por ideia que lhe dispensar durante reencontrar do equilíbrio por parte acidentes. E quando ele lhe
este descobertos passam a estar uma semana os favores da sua do outro. apresenta a mãe, Maria, Dreyfus
também na sua mira, como bela namorada, Gloria. Mas O último filme de Téchiné a confirma as suas dúvidas. Ele é
testemunhas incómodas. Para enquanto Gloria está resignada e estrear entre nós, rodado antes do mesmo o filho ilegítimo do
estes quatro amigos vai começar Frank fica ofendido se ele não fabuloso Les Rosea ux Sauvages, A falecido inspector Jacques
uma noite de pesadelo aceitar, Wayne pensa que essa é Minha Estação Preferida é um Clouseau .
Um excelente filme de acção e uma situação a rejeitar por exemplo claro do talento, As aventuras do inspector
suspense, dirigido pelo mesmo princípio. sensibilidade e estilo de um dos Clouseau, criado por Peter Sellers ,
Stephen Hopkins de que Primeiro filme standard de John mais pessoais realizadores tiveram início em 1963, com A
recentemente vimos Chuva de McN aughton, o realizador do franceses do último quarto de Pantera Cor-de-Rosa, assim
Fogo . Fica mais uma vez provado brilhante e profundamente século. Retomando o contacto chamado porque o caso em
que no quadro do cinema perturbador Henry, a Sombra de com Catherine Deneuve, com investigação tinha a ver com um
independente, como acontece com Um Assassino, retrato realista de quem já tinha trabalhado em O diamante com esse nome. A
esta Noite Maldita, os cineastas um assassino em série. Apesar de Segredo do Amor e O Local do pantera era também uma figura
criativos têm mais oportunidades filmar agora em Hollywood, Crime , Téchiné arranca a esta que aparecia em animação no
para expressarem o seu talento do McNaughton não perdeu a fabulosa actriz um trabalho ao genérico, e cujo êxito Qriginou
que dentro do sistema de produção originalidade e a independência, mesmo tempo sereno, doloroso e uma série de desenhos animados .
dos grandes estúdios, como aí num filme onde dentro das regras de grande coragem, aceitando Quanto a Clouseau, regressaria em
acontecia. Exercício de estilo do policial se estabelece uma espelhar no seu rosto as marcas da inúmeros filmes da «pantera cor-
sobre o medo, o espírito de grupo curiosa relação humana, entre três passagem da vida que a de-rosa», bem assim como em Um
e a luta pela sobrevivência, Noite personagens todas um pouco à personagem de Emilie ostenta. Tiro às Escuras, sempre com
Maldita tem ainda outras vertentes margem . Filmado com estilo e Chiara Mastroianni , uma das direcção de Peter Sellers . E nem a
a assinalar, de que se destaca uma bom gosto, bem escrito por jovens actrizes do filme, é filha de morte de Sellers impediu a série
análise cuidada de algumas das Richard Price e com excelentes Deneuve e de Marcello de ter continuidade, agora com o
questões sociais que se colocam actores, De Niro, também Mastroianni, por sinal popul ar comediante italiano a
na América de hoje. Inédito em produtor, num papel de recentemente juntos em Lisboa fazer o papel do filho, no oitavo
cinema, este é sem dúvida um dos composição, Thurman como filme da série, e o primeiro a não
mais brilhantes filmes do género sempre esbelta e altiva, Murray A MINHA ESTAÇÃO PREFERIDA estrear em cinema, passando
do recente cinema americano explorando com inteligência o seu (Ma Saison Préferée). Rea lização: directamente para o vídeo. Um
cabotinismo, o que é necessário André Téchiné (França, 1993). si nal dos tempo s.
NOITE MALDITA (Judgement mais para se ter um bom Intérpretes: Catherine Deneuve,
Night). Realização : Stephen espectáculo? Daniel Auteuil, Chiara O FILHO DA PANTERA COR-
Hopkin s (EUA,1993). Intérpretes : Mastroianni. Cor, 125 minutos. DE-ROsA (Son of the Pink
Emilio Estevez, Cuba Gooding, UMA MULHER ENTRE DOIS Edição: Atalanta Filmes (venda Panther). Realização: Blake
ir., Denis Leary. Cor, 105 HOMENS (Mad Dog and Glory). directa). ~ Edwards (EUA, 1993).
minutos. Edição: Edividéo ~ Realização : John McNaughton Intérpretes : Robe rto Benigni,
(EUA, 1992). Intérpretes: Robert Herbert Lom, Claudia Cardinale.
De Niro, Uma Thurman, Bill Cor, 93 minutos.
Murray. Cor, 92 minutos. Edição: Edição: Warner. ~
Edivideo (venda directa) ~

t JOÃO ANTUNES
13 V

Memórias A revolução Vertigem Selvática


de uma mulher dos'mineiros e trgédia relação
nascente de carvão do destino electrónica

'e m Inglaterra, um 'dos


favoritos da rainha Isabel I, o
jovem Orlando, sobreviverá -
a saga dos gueuls noires - os
mineiros do carvão -, que, por
1860, entram em greve,
a vida/vi ti mação dum
arquitecto, Vicent Eastman - qual
iminente tragédia - dividido entre
C ortador de relva, amável
idiota, Jobe Smith tem como
melhor amigo Peter, um miúdo de
durante quatro séculos - aos inflamados pelos ideais a esposa, Sally, e a amante , dez anos , Notável cientista, o dr.
tempos e costumes, preconceitos e revolucionários, sobre uma Olivia, Um acidente de viação, Angelo trabalha num laboratório
valores, conhecendo outras terras, existência de miséria, exploração suspenso no breve instante de cibernético, em pesquisas sobre
amando e combatendo, mudando e tremendas condições laborais, vertiginosa lucidez, vai confrontá- aceleração da inteligência,
de sexo, até à actualidade da com os desabamentos, o grisu, a lo em sentimentos, ambiguidades, Decepcionado com misteriosa
rainha Isabel II, em que é mãe e silicose, que arruína a saúde compromissos, opções, paradoxos , organização oficial, que planeia
publicará as fantásticas memórias, através de gerações, Étienne relati vos à própria filha seres agressivos para combate,
sobre a íntima evolução e Lantier, um jovem operário que adolescente , Quando tudo , mesmo Angelo continua por conta
descoberta da própria identidade, chegara a Montsou, no Norte, para a liberdade, pode já ser em vão" , própria, Jobe acede às suas
1600/Morte - herança da sobreviver, inspira essa Mais uma versão hollywoodiana experiências, expandindo os
soberana; 1610/Amor - paixão «primavera ímpar ao mundo do de sucesso europeu, pondo em poderes mentais, Torna-se mais
pela russa Sacha; 1650/Poesia - tral?alho» , seduzindo homens, causa e equivalência, subtil, entre perceptivo, reagindo contra as
encontro com o lírico Green; como o influente Maheu, e a sua o manancial dramático, ou prepotências do padre McKeen e
1700/Política - aliança ao Khan na mulher, Maheude, O movimento ficcional, em incidência, Trata-se atraindo a sensual Marnie, Angelo
Ásia; 1750/Sociedade - privilégios por eles liderado, entre duma autêntica reconstelação de recorre aos patrocinadores, para
e rotura; 1850/Sexo - a natureza imprecações e picaretas, punhos imaginário - segundo específicos continuar, mas Timms, um antigo
ambígua; 1900//Nascimento - em erguidos e machados, raiva e códigos de leitura e consensuais colaborador, submete
plena Grande Guerra; Actualidade arrebatamento, destruição e morte, mitologias, Realização secretamente Jobe a mais drogas,
- com a filha, fecunda afirmação, será tragicamente reprimido por profissional por Mark Rydell, Este adquire extraordinárias
Mantendo a idade e o aspecto intervenção da tropa, mas «um sobre argumento de Marshall faculdades - como mover
andrógino, Orlando transforma-se exército negro, vingador» . Brickman (Oscar por Annie psiquicamente objt;<ctos e escutar
num mundo de homens; aceite germinará, «para as colheitas do Hall/1977, de Woody Allen); os pensamentos dos outros ,
como tal na época vitoriana, pois século futuro»", explicitamente baseado em Coisas Irritável, distorcido, insiste em
«o espírito do século» conseguiu Um filme exemplar: o mais caro da Vida (1969), de Claude Sautet maiores dependências , Marnie
alcançá-la e destruí-la, logra do grandioso historial francês, - co-guionista com Jean-Loup enlouquece, numa selvática
enfim libertar-se, não mais ligada 160 milhões de francos; aparatoso Dabadie e, segundo o seu relação electrónica e, estando
ao destino", em dimensão humana, com oito romance , Paul Guimard. Tais anti- Angelo ausente, Jobe injecta-se
A partir do romance de Virginia mil figurantes; pelo prestígio heróis representam, sobretudo, . sem cessar. Mutante,
Woolf, o cinema expõe-se como literário duma transposição , sobre arquétipos humanos; matriz incontrolável em vingança,
imaginário esplendoroso, o clássico de Émile Zola; aliando adequada às contingências agora projecta nova ordem mundial, que
fascinante, pela conexão narrativa a reconstituição histórica, o latentes - com protagonistas tão inspira e de que é líder."
e articulação cronomediática, alcance testemunhatório, nas imprevisíveis como Richard Gere, Uma fábula alucinatória sobre
sobretudo em testemunho - vertentes individual e social; com entre Sharon Stone e Lolita história de Stephen King -
simbólico, sugestionador, um elenco de notáveis - Gérard Davidovitch. Uma aparência sobre ritualizando o paroxismo
pungente, vitalista - sobre a Depardieu, Renaud, Miou-Miou -, sex-symbols contrasta, aliás, o tecnológico, com o ser humano
pulsão feminina, além dos o elã sublimador é estigmatizado dilema exterior, ou artificial, títere e algoz , Aos paradoxos
fantasmas e do s logros, das - por um irreversível desígnio exposto em euforias, desaires e visionários , pelos efeitos
máscaras e das vicissitudes , popular. confrontos , especiais, subjaz o melodrama
visionário,
ORLANDO, Realização: Sally GERMINAL. Realização: Claude ENCRUZILHADA (Intersection) ,
Potter (GB, 1992), Interpretação: Berri (França , 1993). Realização: Mark Rydell (EUA, REALIDADE VIRTUAL - A
Tilda Swinton , Billy Zane, John Interpretação: Miou-Miou, 1994), Interpretação: Richard COBAIA (Th e Lawnmower Man) ,
Wood, Lothaire Blutheau, Gérard Depardieu, Renaud, Jean Gere, Sharon Ston e, Lolita Realização : Brett Leonard (EUA ,
Charlotte Valandrey, Quentin Carmet, Judith Henry, Jean-Roger Davidovitçh, Martin Landau, 1992), Interpretação: Pie rce
Crisp , Edição: Atalanta (vd) , Milo, Edição: Sono Vídeo (al), David Selby, Jenny Morrison , Brosnan, Jeff Fahey, Jenny
Duração: 92 m, ... Dura ção: 156 m, ,,, Edição: Edivídeo (al), Duração: Wright, Geoffrey Le wis, Jeremy
94 m . ... Slate, Edição: Uisão Filmes (al) ,
Duração: 90 m . ...

• JOSÉ DE MATOS·CRUZ
o
4-J
Edivídeo lança
V
oj
~
catálogo de venda Na coutada
ao a Lt")
o-
0-
Edivídeo vai lançar, este
ano, um catálogo com os títulos
para venda directa disponíveis
a nível de aluguer é sem dúvida
«The Paper» , de Ron Howard,
com Michael Keaton e Glenn
Close a encabeçar um elenco
que inclui ainda Robert Duvall,
Marisa Tomei e Randy Quaid.
de Potter

U o
Q)
\J
nesta editora. O objectivo é,
segunda uma fonte da empresa,
Versátil, Howard assinou fIlmes
inseridos em géneros que vão da
O s admiradores do
.estranho mundo do há pouco
,~ cativar o mercado da província, comédia à fIcção científIca, · falecido Dennis Potter têm
«
-. onde os clubes de vídeo são passando pelQ fantástico: O no mercado a sua primeira
Q)
\J escassos e sem grande variedade Tumo da Noite, Splash, Cocoon, realização, Laços Secretos
I"-- de cassetes. e Willow são disso exemplos. (Costa do Castello), feita
A iniciativa, a primeira do Mais recentemente, realizou para TV em 1992 - no caso,
~- o Channel 4 - e depois
género a ser levada a cabo em Parenthood, protagonizado por
U distribuída para cinema.
i= Portugal a nível videográfico, Steve Martin, e Horizonte
oZ
. poderá revelar-se como uma Longínquo (Far and Away), Inédito nos nossos cinemas,
Ll.J aposta estratégica para cativar com o casal Nicole Kidman, Laços Secretos transitou logo
o um público potencialmente TomCruise. para video, na modalidade de
o02 interessado. Durante um Ainda disponíveis nos clubes de venda directa, nem sequer
«
o encontro com jornalistas, a vídeo a partir deste mês estarão parando para descansar no
Edivídeo apontou como um dos <Juventude Inconsciente» - uma aluguer. A
seus objectivos para este ano, comédia sobre o ambiente liceal micropopularidade de Potter
um crescimento de 20 por cento em 1976, época em que ainda em Portugal ainda dá para
no que se refere à venda directa. não havia Sida, e todas as
À laia de balanço, e ainda ç:m loucuras eram possíveis -;
relação à venda directa, o «TekWar» - um filme de ficção
mesmo responsável sublinhou ciêntífica baseada no best-seller
que <Jurassic Parlo> atingiu o de William Shatner, realizador e
número recorde de 70 mil actor deste filme e
cassetes vendidas, enquanto simultaneamente responsável
outro filme de Spielberg, «A pela saga teleyisiva Star Trek; e
Lista de Schindler», já ainda o thri11er norte-amelicano
ultrapass.ou os 25 mil. Nada «A Morte de Uma Estranha»,
mau, se pensarmos que estes que explora a vida dupla de uma
números correspondem às bem sucedida mulher de
vendas em apenas um mês. negócios.
Entretanto, para Janeiro, o Quanto à venda directa, de
grande lançamento desta editora assinalar o lançamento de uma
coleção de 18 filmes
portugueses, que vão desde «O
/ Passarinho da Ribeira», «A
Severa», «Vidas sem Rumo»,
Maria do Mar, «A Costureirinha lhe vermos Dinheiro do Céu,
Semana de 1/1/95 a 7/1/95 da Sé», «O Dinheiro dos O Detective Cantor ou Bâton
Pobres», «O Costa de África», no Colarinho na TV2, mas
(Iassifi(a~õo passando por obras mais não chega para irmos ao seu
~ esta semana
Videograma Editora encontro no clube de video: é
recentes como «As llhas
Em Terro Selvagem WARNER H.V. Encantadas» e «O Bobo». preciso partir em exaustiva
"--------_.~--~---_ .•_•._ - - - No mesmo capítulo mas agora missão de busca.
2 Alista de Schindler EDIVíDEO falando de títulos estrangeiros, Laços Secretos, baseado no
3 Uma loura Vale Ouro EcovíDEO três edições de desenhos seu romance Ticket to Ride,
animados: «Histórias de Ninar» , · revela que, apenas em hora e
4 ODossier Pelicano WARNER H.V. <<Fievel» e «Regresso para o meia de filme, Dennis Potter
Futuro». Embora seja com gente era capaz de ser tão densa e
5 Robin H. . Heróis emCollants LUSOMUNDO
a sério, «Polícia de Palmo e consistentemente cativante
6 Mr. Jones LUSOMUNDO Meio» é uma comédia com como numa série de TV em
sucesso garantido entre miúdos vários episódios.
7 Beethoven 2 EDIVíDEO Aqui, o actor de serviço à
e graúdos, assim como
11 8 Filadélfia LUSOMUNDO «Callanetics» - a primeira de desconjuntada e
uma série de cassetes contendo anticronológica weirdness de
10 9 Em Nome do Pai EDIVíDEO Potter é Alan Bates, que
exercícios físicos poderá
10 Inimigo Público nº 1 : o Pai flLMAYER A. encontrar eco entre as mulheres durante uma viagem de
que se preocupam em manter a comboio é perseguido pela
IL ...._._._7........_...._ ...._._._
11 ...._ .._.... ___
Parque Jurássico EDIVíDEO
....._................................._............_ ......._....._. __ ..........._...___..._ .__..................__........_........ forma mas não têm tempo (ou imagem da mulher (um
ii 12 Zona de Impacto LUSOMUNDO pachorra) para ir ao ginásio. sonho húmido ambulante
«Callanetics » é também o chamado Gina Bellman),
13 Encruzilhada EDIVíDEO atormentado pela sua vida
nome do método específico
12 14 Vontade de Ferro flLMAYER A. criado por Callen Pinckney , COJ~ugal, assombrado por
um cidadão britânico que fIcou canções com meio século e
28 15 Homem de Guerra EcovíDEO · vítima de severos achaques
,conhecido (e milionário) por
13 16 Do Cabaré para o Convento II flLMAYER A. ser o professor de ginástica de da memória, frustrando
gente famosa como Sara . qualquer intento de narração
27 17 Tombstone LUSOMUNDO Ferguson e Lady Diana. · lógica tal como a
15 18. Um Homem Sem Rosto LUSOMUNDO Depois da pllblicidade que as identifIcamos habitualmente.
princesas lhe trouxeram, Logo, Laços Secretos é
37 19 AFirma ' EDIVíDEO vendeu milhares de exemplares coutada para potterianos de
14 20 Homen Demolidor WARNER H.V. do livro que serviu de base para primeira linha. ..
a realização da cassete. A ver
vamos se a moda também pega
* - Classificação da semana anterior por cá. ...
Fonte: FEVIP • EURICO DE BARROS
Electrocompaniet ECI-l
DESCRICÃO BREVE
Trata-se do único amplificador integrado da marca. No fundo,
cOlTesponde ao casamento, num único chassis, do EC-4, um
pré-amplificador de linha (sem entrada Phono/gira-discos),
com o A W-100, um amplificador de 100W por canal sobre
oito ómios, cuja capacidade para debitar lSOW sobre 4 ómios
e 30SW sobre 2 ómios diz bem da qualidade da fonte de
alimentação. Os SO amperes de pico declarados, tomam o
ECI-l indicado para qualquer tipo de colunas. O painel
. frontal é simples e elegante, em requintado perspex de fundo
negro, exibindo um botão rotativo central de volume ladeado
por dois mais pequenos, respectivamente para a selecção de
fontes e o equilíbrio entre canais. Logo abaixo, um pequeno
botão de pressão para a função ligar/desligar protegida por
um relé de temporização para evitar o desagradável baque de
ligação nas colunas. Sobriedade nórdica, portanto. Nada
parecido com os congéneres asiáticos que parecem "árvores
de Natal" quando acesos.
Na traseira, os bomes de ligação dos cabos de coluna e a
tradicional bateria de fichas RCA que bem podiam ser
. douradas para melhor protecção contra a oxidação. Com o
cabo de alimentação é de três condutores (com "telTa",

Do reino ortanto), pelo que deve, repito, deve ser ligado a uma tomada
adequada para evitar passagem de COlTente para o chassis.

AUDICÃO CRíTICA
O EI~ctrocompaniet ECI-l não prima pela exibição da sua

~
a.>
-o

iIi
Z
«
da Noruega "massa muscular", e os SOA declarados deixam-me algumas
dúvidas quanto à duração do pico de COlTente disponível. Só
mostra do que é capaz com o botão do potenciómetro do
volume na posição entre as 12 e as 03 horas. Com um
-, cheirinho de "doping", ou seja, um leitor CD/conversor com
a.>
-o uma tensão de saída superior aos 2V (o Audio AIchemy
"- DDE,de 2,SV, é uma boahipótese a considerar), o ECI-l
~' H ei, não! Foi a resposta da Noruega à União Europeia. Sim! É a reveloucse surpreendente de vida e energia. Mas, se anda à
O procura de um "catTegador de piano", procure antes o Aragon
mÍnha resposta ao ElectrocompanÍet ECI-J, um ampJjfjcador 4004 Mkll (do mesmo distribuidor): 200W de força bruta
6z com a desvantagem de não ser integrado.
LU Íntegrado de orÍgem norueguesa, que vem colmatar a brecha entre O carácter sónico do ECI-llembra-me antes o YBA Integré
o
o12 os topos de gama japoneses e o hÍgh-end amerÍcano. Para os que (AudioElite), igualmente efemeninado " mas mais elástico e
em melhor fOlTlla física. As minhas notas estão cheias de
« não ousam (ou não podem) aUngÍr o cume da montanha, cujos telTllOS como: transparente, claro, focado, discernimento, ,
o nuance~ A capacidade do ECI-l de focar como uma lupa cada '\
prÍncÍpaÍs PÍcos (Krell, Jeff Rowland, Mark LevÍnson) são djfÍceÍs de um dos fios da textura complexa de um coro - separando
naipes, individualizando vozes -, tanto no plano lateral como
escalar, eÍs um refúgÍo audÍófjJo seguro e acolhedor. no plano da profundidade, é notável a este preço. Há um
sopro negligenciável através das colunas, mesmo em repouso,
admito, mas o sinal propriamente dito chega-nos impoluto; e
t JOSÉ VITO RHENRIQUES o grão, a existir, é muito fino, fazendo lembrar a liquidez
única das válvulas - talvez um pouco mais frio, quiçá menos
envolvente: falta-lhe a inimitável presença, expansividade e

o
projectista de áudio, cuja investigação no

da~
campo da aplicação racional de realimentação envolvência destas; por outro lado, oferece-nos um grave
negativa foi determinante para a compreensão mais controlado, uma inusitada precisão na focagem
Electrocompaniet é uma mais antigas (favorece o "centralismo" da imagem), e uma paleta
marcas europeias de amplificadores a das vantagens e desvantagens desta técnka.
Per Abrahamsen seguiu-lhe as pisadas, e os igualmente rica de contrastes tonais e dinâmicos com
transístores. Há uns bons vinte anos que oiço abundância de detalhe q.b, resolvendo com facilidade
falar dela. O facto de continuar em actividade actuais modelos regem-se pelo correcto
equilíbrio entre técnicas de resultados pormenores ínJ;imos e nuances delicadas - é este, aliás, o
diz tudo sobre a qualidade dos seus produtos. grande trunfo do ECI-l : certos sons, que amplificadores
Se aplicarmos a teoria da selecção natural comprovados (realimentação negativa apenas
em pontos específicos do circuito, ausência de menos capazes envolvem por vezes num indefinível nevoeiro
também à selva audiófila, a simples electrónico, ganham com o ECI-l uma identidade própria.
sobrevivência num mercado hostil (a fusíveis ou circuitos de protecção no caminho
do sinal, selecção exaustiva dos componentes, Chama-se a isto transparência.
Electrocompaniet tem sido pouco badalada na Recomenda-se a audição com colunas de sensibilidade
poderosa imprensa especializada de língua fonte de alimentação sobredimensionada, etc.)
a técnicas menos ortodoxas, como o recurso à média, impedância benigna e qualidade elevada: B&W,
inglesa) é motivo sufic,ientepara merecer uma Monitor Audio Studio, ProAC, TDL, etc . ..
audição atenta. Como recomendação. polarização deslizante, para garantir um
suplementar, a Electrocompaniet foi a funcionamento parcial em Classe A (ver
"menina dos olhos" de Mati Otala, notável caixa) . ....
ENCICLOPÉDIA ÁUDIO
POLARIZAÇÃO DESLIZANTE ultrapassar o problema é
Específicações técnicas Os amplificadores que
funcionam em Classe A
utilizar o método da
polarização deslizante
(os Krell, por exemplo) (sliding bias). Um
têm uma qualidade de circuito sensor muito
Secção de preamplificador Dimensões de variação na tensão (220V) som inigualável. Mas rápido "antecipa-se" às
Entradas: CD,DAT, TUNER, Largura: 45 cm pode resultar numa redução .têm, além do preço e do exigências do sinal em
TAPE, VCR, AUX Altura: 13 cm de 20% na potência. Digamos peso (construção tipo termos de corrente (ou
Impedância de entrada: 47K Comprimento: 36 cm que, em Portugal, o ECI-l1he tanque de guerra), outro tensão no caso dos
Secção de amplificador Peso: IS·Kg dará, por enquanto,(I) SOW/S inconveniente: como os MOSFET) de forma a
Impedância de saída O,OS Preço: 450.000$00 ohms de potência contínua de transistores do andar de manter um
ómios Distribuidor: Esotérico, grande qualidade. Chega e saída estão funcionamento
Corrente de pico: SO Loures sobra na maior parte dos permanentemente maioritariamente em
Amperes Nota: As potências declaradas casos. activados, aquecem Classe A com melhor
Potência máxima a 1kHz: foram medidas apenas com (1) A tensão eléctrica demasiado e relação entre potência
sobre S ohms: 100W um canal excitado a um 1kHz doméstica vai ser desperdiçam energia. m usical e energia
sobre 4 ohms: IS0W com úma tensão de 240V na uniformizada em toda a UE: Uma forma de dissipada...
sobre 2 ohms: 30SW alimentação de sector. 10% 230V ...
A INDEPENDÊNCIA DO SEU TELEVISOR
Estreia Nacional enl
20 de Janeiro . 27 de Janeiro 27 de Janeiro 27 de Janeiro
~

!.:p.=:;

Já no seu videoclube

/ Mt~ ~~IMtlR~ ~tlJO


P A R T E .2
IVIY GI~L 2

, Brevemente no seu videoclube


3 de Fevereiro 3 de Fevereiro 10 de Fevereiro 10 de Fevereiro

'.

Veja o que quer, quando quer e onde quer!


Visite já o seu videoclube!

Você também pode gostar