Você está na página 1de 23

Enterobíase

Enterobius vermicularis
 A enterobíase, enterobiose ou oxiuros
é a verminose intestinal devido ao
Enterobius vermicularis.
 Conhecido popularmente como oxiúrus.
A infecção costuma ser benígna, mas
incômoda,pelo intenso prurido anal que
produz e por suas complicações,
sobretudo em crianças.
Enterobius vermicularis
CLASSIFICAÇÃO :

Classe  Nematoda
Ordem  Oxyurida
Família  Oxyuridae
Gênero  Enterobius
Espécie  Enterobius vermicularis
Enterobius vermiculares

MORFOLOGIA
MACHO  Mede cerca de 5 mm X 0,2 mm com
espículo presente

FÊMEA  Mede cerca de 1 cm X 0,4 mm

OVO  Mede cerca de 50 μm X 20 μm, aspecto


de “D”, membrana dupla lisa e transpa-
rente. Larva formada.
Enterobius vermiculares

HÁBITAT
 Machos e fêmeas vivem no ceco e apêndice. As fêmeas
repletas de ovos, são encontradas na região perianal.
Em mulheres, às vêzes pode-se encontrar  vagina,
útero e bexiga.

CICLO BIOLÓGICO

 Tipo monoxênico
Epidemiologia
• Os oxiúros ocorrem em todo o mundo e em todos os
grupos socioeconômicos. Entretanto, é mais comum nas
regiões temperadas, e entre os que vivem em condições
precárias de higiene.
• Estima-se em 500 milhões o total de casos por ano, e
50% das crianças têm infecção por oxiúros em algum
momento da vida.
• Atinge mais as crianças e os adultos que têm filhos
dessas idades.
• A oxiuriase é a única parasitose que permaneceu muito
comum nos países com climas mais frios e em que as
condições de higiene tiveram grandes progressos. Ainda
assim é mais prevalente nos países tropicais.
• A infecção é pela deglutição dos ovos.
Estes podem sobreviver várias semanas
no pó, concentrando-se em cima das
portas e em outros locais raramente
limpos. A coceira freqüentemente leva à
reinfestação, pois os ovos do parasita
ficam agarrados sob as unhas e podem
ser reintroduzidos pela boca.
• Os ovos também podem ser espalhados
pelo ar e por outros mecanismos,
incluindo alimentos contaminados. Além
disso os ovos são pegajosos e aderem a
objectos como brinquedos,
permanecendo viáveis por várias
semanas.
Enterobius vermicularis

TRANSMISSÃO

 Heteroinfecção (ovos na poeira)


 Auto-infecção externa (oral) ou direta(ovos
saõ levados à boca)
 Auto-infecção interna (retal, – larvas eclodem
no reto e migram ao ceco. )
 Auto infecção externa,anal ou retroinfecção.
(larvas externas ao ânus, sobem)
Enterobius vermicularis

PATOGENIA
 Na maioria dos casos assintomático.
 Prurido anal (noturno  Perda de sono e nervosismo)
 Enterite catarral
 Presença nos órgãos genitais femininos  vaginite,
ovarite e salpingite.
Enterobius vermicularis

DIAGNÓSTICO CLÍNICO
 Prurido anal noturno

DIAGNÓSTICO LABORATORIAL
 Exame de fezes e swab anal
Progressão e Sintomas
• Os vermes adultos vivem no intestino grosso e, após a cópula, o
macho é eliminado. As fêmeas fecundadas não fazem oviposição
no intestino e têm seu útero abarrotado com aproximadamente
11.000 ovos. Em um determinado momento o parasito se
desprende do ceco e é arrastado para a região anal e perianal,
onde se fixa e libera grande quantidade de ovos.
• E. vermicularis é o parasito de maior poder de infecção, pois seus
ovos necessitam de apenas seis horas para se tornar infectantes.
• Ao serem ingeridos, os ovos sofrem a ação do suco gástrico e
duodenal, libertando as larvas que se dirigem ao ceco, onde se
fixam e evoluem até o estágio adulto. A duração do ciclo é em
média de 30 a 50 dias.
• O sintoma característico da enterobíase é o prurido anal, que se
exacerba no período noturno devido à movimentação do parasito
pelo calor do leito, produzindo um quadro de irritabilidade e insônia.
Progressão e Sintomas
• Em relação às manifestações digestivas, a maioria dos pacientes
apresenta náuseas, vômitos, dores abdominais em cólica, tenesmo
e, mais raramente, evacuações sanguinolentas.
• Nas mulheres, o verme pode migrar da região anal para a genital,
ocasionando prurido vulvar, corrimento vaginal, eventualmente
infecção do trato urinário, e até excitação sexual. Apesar da
sintomatologia, não se verifica eosinofilia periférica e os níveis de
IgE em patamares dentro da normalidade, com exceção de estudo
de infecção massiva promovendo uma alta elevação de IgE
sangüínea e contagem de eosinófilos.
• Existem relatos de localização ectópica da patologia levando a
quadros de apendicites, salpingites, granulomas peritoneais e
perianais, doença inflamatória pélvica.
Enterobius vermicularis

EPIDEMIOLOGIA
 Parasito de ambientes domésticos e coletivos
fechados. Fatores responsáveis:
 Somente a espécie humana alberga o parasito;
 Fêmeas eliminam ovos na região perianal;
 Ovos em poucas horas se tormam infectantes;
 Ovos resistem até 3 semanas em ambientes
domésticos;
 Hábito de se sacudir roupas de cama.
Enterobius vermicularis

• PROFILAXIA

 Tratamento de todas as pessoas parasitadas


 Cortar unhas (rente)
 Não sacudir roupa de dormir e de cama
e sim enroladas e lavadas em água
fervente
Enterobius vermicularis

TRATAMENTO  Mesmo tratamento para o


Ascaris lumbricoides
 Pamoato de pirantel (Combantrim e Piranver)
 Mebendazol (Pantelmim, Panfugan, Sirbem)
 Albendazole (Zentel)
 Ivermectina (Revectina)

Você também pode gostar