Você está na página 1de 6

ESTUDO DE CASO

Módulo B – Fase I – Ano 2020

Cursos da Área de Linguagem e Sociedade

Fonte: ESE

Cursos da Área de Linguagem e Sociedade


Escola Superior de Educação
Centro Universitário Internacional UNINTER
Cursos da Área de Linguagem e Sociedade

O que é o ESTUDO DE CASO?

É uma metodologia de pesquisa e estudo de determinado campo, que inclui observação,


entrevistas, fontes midiáticas (fotografia, gravação etc.) e anotações. Busca-se o idiossincrático,
ou seja, situações incomuns, inusitadas, pouco exploradas, isto é, a compreensão de eventos
particulares. Os estudos de caso visam retratar a realidade de maneira completa, crua, profunda
e historicamente contextualizada.

Fundamentos da metodologia estudo de caso:

Apresentar determinado caso (fato, evento ou dado) que possa gerar a descoberta.
Interpretar de maneira contextualizada e sistemática do caso que possibilite
compreensão aprofundada do caso.
Estabelecer, com base em diferentes fontes de pesquisa e vários pontos de vista, múltiplos
olhares e resolução sistêmica.
Apresentar resultados por meio de diferentes linguagens, como colagens, dramatizações,
fotografias, gravações e textos narrativos.
Suscitar a possibilidade de desenvolver uma nova realidade por meio daquele caso.

Qual é objetivo de estudar por meio da metodologia de estudo de caso?

FUNDAMENTOS: reconhecer teorias e práticas que podem ser aplicadas em diferentes


realidades.
OPORTUNIDADES: propor oportunidades de melhoria ou verificar ameaças na realidade
local.
FATOS: identificar “casos” ocorridos em diferentes cenários que geram uma odisseia de
dados que podem ser analisados com múltiplos olhares.
APRENDIZADO: fortalecer, por meio de questões orientadoras, o desenvolvimento de
conhecimentos, habilidades, atitudes, valores e condições socioemocionais para agir
diante de determinada situação.

Quando acontece o estudo de caso em 2020?

Acontece em todas as fases ímpares, conforme demonstrado a seguir:

Módulo A Módulo B Módulo C


FASE I FASE II FASE I FASE II FASE I FASE II
Estudo de caso Portfólio Estudo de caso Portfólio Estudo de caso Portfólio

O estudo de caso faz parte do sistema de avaliação? Quanto representa na média?

Sim, faz parte do sistema de avaliação. Corresponde a 40% da média, ou seja, 40 pontos na sua
média.

Quais são as características do estudo de caso na metodologia do curso?

Individual.
O período de realização inicia na 2ª e finaliza na última semana de provas da
fase.
Necessita de conhecimento de várias áreas – interdisciplinar.
Trata da triangulação do caso com o global e o local.
Obrigatoriamente exige análise de um caso com propostas de oportunidades.
A resposta deve obrigatoriamente ter entre 1000 e 2000 caracteres.
A resposta deve obrigatoriamente conter todos os itens solicitados.
A resposta deve obrigatoriamente ser digitada no AVA.
Não necessita de apresentação no polo de apoio presencial.

1
Cursos da Área de Linguagem e Sociedade

TEMA
O jornal: fonte para a história e registro das variações linguísticas
FATO – CASO
TEXTO I:

Fonte:http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=720763&PagFis=805
(A Lucta, Ano 1920\Edição 00297, p. 2)

Descrição da imagem: a imagem possui um recorte do jornal A Lucta, de 1920, que indica que se trata de outro idioma ou de
uma escrita da língua portuguesa mais antiga. O texto da reportagem diz o seguinte:

A Crise de Transporte
Se Deus não se anerceiar dascentenas de habitantes de toda esta zona que se estão alimentando da porca ração que lhes
conduzem os calhambeques da Estrada de Ferro de Sobral, fazendo cahir com urgencias algumas chovas torrenciaes, vamos ter
o trfego bastante tropego, completamente paralysado E o que ê vergonhoso, e com que ninguem se pode conformar, é que essa
paralysacão independente de qualquer, providencia sobrenatural, que seria impossivel praticar, ou de qualquer intervensão da
engenharia ou mechanica extrangeira, o que seria difficil e morosa applicação. Os trens vão parar, vamos deixar de receber a
farinha, o milho, o arroz. o feijão vamos ficar expostos á fome e a mil outras privações simplesmente á falta de alguns poços
tubulares á margem da estrada, para fazer a agua voltar ao subsolo, de onde desappareceu á falta das chuvas, coisa futil e banal
que envergonhará a quem quer que caiba a responsabilidade dessa imprevidencia.De ha muito previmos o que vae acontecer e
desta columna demos o grito de alarma, mas o illustre director da Sobral, cuja maior preoccupação é mostrar que a nossa via-
ferrea é a única no Brazil que rende 2% sobre o capital, restrioge-se ao regulamento e, nenhuma despesa la sem uma auctorização
especial. Em outra situação, em epochas normaes, este gesto do administrador da Sobral seria credor de todo o applauso das
homens bem intencionados, mas actualmente, quando o phenomeno da secca dia a dia determina novas difficuldades da vida,
não se comprehendo e nem se justifica que por um simples espirito de economia, havendo saldo em caixa, se deixe de tomar
uma medida salvadora, como seria a perfuração de poços tubulares à margem da estrada, em lembrada por nós á tempo.Já agora
nem esta poderá conjurar o perigo a que estamos expostos, porque a paralysação imminente em que está o trafego é a
paralysação do nosso estomago, é a fome com todo o seu cortejo de miséria, é a anarchia, a desordem, o desespero. contra os
quaes só Deus com algumas providencias chuvas poderá agir.

2
Cursos da Área de Linguagem e Sociedade

TEXTO II:

Fonte:https://www.tsf.pt/portugal/sociedade/circulacao-na-linha-do-norte-continua-suspensa-entre-
alfarelos-e-verride-11647615.html

Descrição da imagem: As imagens compõem um texto do portal online “TSF rádio notícias”, que aborda a suspensão das
atividades de transporte férreo na Linha Norte entre os bairros (adaptação livre para “freguesias”) Alfarelos e Verride, por conta
do mau tempo. Segue transcrição do texto completo:

3
Cursos da Área de Linguagem e Sociedade

Circulação na Linha do Norte continua suspensa entre Alfarelos e Verride

A circulação de comboios na Linha do Norte entre Alfarelos e Verride, distrito de Coimbra, continua suspensa por causa dos
efeitos do mau tempo, que obrigou a um corte de tensão entre Alfarelos e Figueira da Foz/Lourical.
(Imagem mostrando a linha férrea)
Infraestruturas de Portugal (IP) divulgou, esta segunda-feira, que, devido às condições climatéricas adversas, principalmente nas
regiões Norte e Centro do país, a circulação ferroviária tem sido afetada, mantendo-se esta manhã alguns condicionamento,
apesar de terem vindo a ser resolvidas "a grande maioria das situações". A IP ainda não tem previsão para o restabelecimento
do corte de tensão entre Alfarelos e Figueira da Foz/Lourical. Ainda em Alfarelos, mantém-se a limitação de velocidade de 30
quilómetros/hora nas vias principais. Quanto à Linha do Douro, "concluída a intervenção na via e asseguradas as condições de
segurança e circulação, foi restabelecida a circulação de comboios entre Rede e Ermida às 4h30".
Os efeitos do mau tempo que se fazem sentir desde quarta-feira já provocaram dois mortos, um desaparecido, deixaram 144
pessoas desalojadas e 352 pessoas deslocadas por precaução, registando-se mais de 11.600 ocorrências no continente
português, na maioria inundações e quedas de árvore. O mau tempo provocado pela depressão Elsa, entre quarta e sexta-feira,
a que se juntou no sábado o impacto da depressão Fabien, provocou também condicionamentos na circulação rodoviária, bem
como danos na rede elétrica, afetando a distribuição de energia a milhares de pessoas, em especial na região Centro. A
Autoridade Nacional de Proteção Civil, no balanço feito às 20hoo de domingo, disse que os caudais dos rios estão a "regressar à
normalidade", mantendo-se apenas a situação da zona do baixo Mondego, no distrito de Coimbra, como a mais preocupante.

A cidade de Sobral, no Ceará, é um município que tem grande destaque nas avaliações do IDEB. A
prefeitura da cidade abriu um edital com recursos para uma produção cultural sobre as transformações na
cidade nos últimos 100 anos. João, que é um pesquisador, resolveu participar. João decidiu ir até o
Arquivo Municipal para reunir informações que o ajudassem. Após pesquisar diversos jornais, encontrou
uma reportagem que lhe chamou a atenção, intitulada “A Crise do Transporte”, do ano de 1920. Seu texto
proporcionava a João tanto uma análise sobre as transformações da língua portuguesa escrita, como uma
análise sobre problemas de transporte e seus impactos no cotidiano de Sobral na época. Conversando
com seu amigo Pedro, que mora em Portugal, João comunicou que iria participar do edital e falou sobre a
notícia de 1920. Pedro, comentou que, coincidentemente, havia lido notícias recentes sobre problemas de
transporte na cidade de Figueira da Foz, em Portugal, enviando o link de uma reportagem para João.
Neste momento, João observou semelhanças entre textos distantes no espaço e no tempo: as relações
entre a língua portuguesa do Brasil de 1920 e de Portugal dos dias de hoje; a crise dos transportes e seus
efeitos no passado e na situação informada no jornal português atual. A partir disso, pensou como alguns
problemas mudam ou persistem nas cidades. João decidiu então aprofundar seus estudos sobre as fontes
jornalísticas, com foco nas mudanças linguísticas e nos problemas sociais que afetam os moradores dos
centros urbanos, considerando algumas questões orientadoras para sua reflexão.
FUNDAMENTOS – REFERENCIAL TEÓRICO
-BAGNO, Marcos. Variação linguística e ensino. Disponível em:
https://www.youtube.com/watch?v=S3wFZgfHSVU&list=PLJTYyIbC0Twmq_HtS3Ng8vi9rJOuucu4f&inde
x=6&t=29s Acesso em: 21 nov. 2019.

- BISOL, Leda. A harmonização vocálica como indício de uma mudança histórica. Disponível em:
http://www.scielo.br/pdf/delta/v31n1/0102-4450-delta-31-01-00185.pdf. Acesso em: 21 nov. 2019.

4
Cursos da Área de Linguagem e Sociedade

- CAVALCANTE, Maria Juraci Maia. O jornal como fonte privilegiada de pesquisa histórica no campo
educacional. Disponível em: http://www.sbhe.org.br/novo/congressos/cbhe2/pdfs/Tema4/0429.pdf
Acesso em: 21 nov. 2019.

- NUNES, Cristiane de Melo; COSTA, Ana Cecília da. A variação linguística na mídia digital:
uma análise do jornal Folha de S. Paulo. Disponível em:
http://periodicos.unisantos.br/leopoldianum/article/view/759 Acesso em: 21 nov. 2019.
APRENDIZADO – QUESTÕES ORIENTADORAS

A resposta deve contemplar todas as questões orientadoras.


A norma culta corresponde 0,5 da nota de 4,0 pontos.

ELABORE SUA RESOLUÇÃO CONSIDERANDO OBRIGATORIAMENTE AS TRÊS QUESTÕES (em


formato de resposta-texto):
1. Considerando cada uma das notícias de jornal lidas por João, quais diferenças e semelhanças ele pode
estabelecer entre essas duas realidades tão distantes no espaço e no tempo (Sobral, no Ceará de 1920,
e Figueira da Foz, em Portugal no ano de 2019)? (1,0)
2. Que elementos de análise, João deve levar em conta ao tomar os jornais como fontes históricas e
discursivas? (1,5)
3. É possível notar variações no uso da língua entre os recortes de jornal analisados por João?
Faça uma comparação entre as formas de escrita das notícias lidas por João (a respeito de Sobral e da
cidade portuguesa) com uma notícia de um jornal recente da sua região. (1,0)
OPORTUNIDADES – RESPOSTA

(Acesse no AVA em uma das disciplinas vigentes da fase, o ícone Trabalhos, Link Comentário e redija
no formato de resposta-texto entre 1.000 e 2.000 caracteres)