Você está na página 1de 32

Aula demonstrativa

Curso: DIREITO FINANCEIRO E NOÇÕES DE


CONTABILIDADE PÚBLICA
Professor: Daniel Façanha e Álvaro Santos
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

Orçamento. Principios Orçamentários. Instrumentos de


Planejamento

7 - (CESPE - AUFC/Controle Externo/Auditoria de Obras


Públicas/2011) O princípio da universalidade está claramente incorporado
na legislação orçamentária, assegurando que o orçamento compreenda todas
as receitas e todas as despesas públicas, possibilitando que o Poder Legislativo
conheça, a priori, todas as receitas e despesas do governo e possa dar prévia
autorização para a respectiva arrecadação e realização.
Comentários: Esse princípio está expresso na Lei 4.320/64 e foi recepcionado
pela CF/88. A LOA deve conter todas as receitas e todas as despesas de todos
os poderes, órgãos, entidades, fundos e fundações instituídas e mantidas pelo
Poder Público.
Resposta: Correta.

8 - (CESPE - AUFC/Controle Externo/Auditoria Governamental/2011)


A adequação entre o montante global de despesas e o volume previsto para a
arrecadação não deve ser a única preocupação dos formuladores da política
fiscal do governo federal.
Comentários: O equilíbrio entre receitas e despesas não garante, por si só,
uma política fiscal eficiente. A qualidade do gasto também deve ser
considerada, por exemplo.
Resposta: Correta.

9 - (CESPE - AUFC/Controle Externo/Auditoria Governamental/2011)


Se determinado município precisar urgentemente aprovar a autorização legal
para a contratação de determinado empréstimo destinado a reformar as
escolas locais antes do início do período letivo, tal autorização não poderá ser
incluída na LOA, pois essa lei não pode conter dispositivo estranho à previsão
das receitas e à fixação das despesas.
Comentários: A LOA não pode conter dispositivo estranho à fixação das
despesas e à previsão das receitas, ou seja, só pode conter matéria
orçamentária. Esse princípio (exclusividade) tem o objetivo de evitar que
outros temas tenham tramitação legislativa mais célere, característica das leis
orçamentárias. Exceções: autorização para abertura de créditos
suplementares e contratação de operações de crédito, mesmo que por
antecipação de receita.
Resposta: Errada.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 3 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

10 - (CESPE - AUFC/Controle Externo/Auditoria Governamental/2011)


O princípio orçamentário da programação não poderia ser observado antes da
instituição do conceito de orçamento-programa.
Comentários: Trata-se de um princípio moderno, ligado ao orçamento-
programa. Ele faz a interligação entre as funções de planejamento e de
gerência, ou seja, o orçamento viabiliza o planejamento governamental, por
meio dos programas.
Resposta: Correta.

11 - (CESPE - AUFC/Controle Externo/Auditoria Governamental/2011)


Como parte integrante do processo orçamentário, o PPA deve obedecer ao
princípio da universalidade.
Comentários: O orçamento deve conter todas as receitas e todas as
despesas do Estado, tanto da administração direta, quanto da indireta, com
exceção das empresas estatais não-dependentes. Esse princípio diz respeito à
LOA, uma vez que o PPA não abrange todas as receitas e todas as despesas.
Resposta: Errada.

12 - (CESPE - AUFC/Controle Externo/Auditoria Governamental/2011)


Entre as três leis ordinárias previstas pela CF para dispor sobre orçamento,
somente a LOA é obrigada a observar o princípio da especificação.
Comentários: “Art. 5º A Lei de Orçamento não consignará dotações globais
destinadas a atender indiferentemente a despesas de pessoal, material,
serviços de terceiros, transferências ou quaisquer outras, ressalvado o
disposto no artigo 20 e seu parágrafo único”. Essa discriminação de despesas
deve ser feita no mínimo por elementos. Quanto às ressalvas, tratam-se de
dotações globais para programas especiais de trabalho e a reserva de
contingência, que não tem destinação certa (atende despesas imprevistas).
Aplica-se somente à LOA. Resposta: Correta.

13 - (CESPE - AL (CAM DEP)/Técnico em Material e Patrimônio/2012)


De acordo com o princípio orçamentário da especificação, devem-se registrar,
no mesmo item, o valor líquido bem como a dedução das parcelas de imposto
previsto na lei orçamentária anual do governo federal a serem transferidas a
estados e municípios.
Comentários: Todas as receitas e despesas do orçamento constarão pelos
seus totais, vedadas deduções. Ou seja, não deve haver importâncias líquidas
na LOA. Esse é o princípio do orçamento bruto e não da especificação.
Resposta: Errada.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 4 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

14 - (CESPE - TEFC/Apoio Técnico e Administrativo/Técnica


Administrativa/2012) Na Lei de Orçamento, são estabelecidas dotações
globais destinadas a atender, indiferentemente, a despesa de pessoal e de
investimentos, conforme programas especiais de trabalho.
Comentários: “Art. 5º A Lei de Orçamento não consignará dotações globais
destinadas a atender indiferentemente a despesas de pessoal, material,
serviços de terceiros, transferências ou quaisquer outras, ressalvado o
disposto no artigo 20 e seu parágrafo único”.
Resposta: Errada.

15 - (CESPE - AJ TRE RJ/Administrativa/Contabilidade/2012) Caso, em


2012, os municípios realizem operações de crédito por antecipação de receita
orçamentária, essas operações deverão ser incluídas em suas respectivas leis
orçamentárias, em obediência ao princípio da universalidade.
Comentários: Exclusividade é um princípio disposto na CF, art. 165. A LOA
não pode conter dispositivo estranho à fixação das despesas e à previsão das
receitas, ou seja, só pode conter matéria orçamentária. Esse princípio tem o
objetivo de evitar que outros temas tenham tramitação legislativa mais célere,
característica das leis orçamentárias. Exceções: autorização para abertura de
créditos suplementares e contratação de operações de crédito, mesmo que por
antecipação de receita.
Resposta: Errada.

16 - (CESPE - AJ TRE RJ/Apoio Especializado/Engenharia Civil/2012)


Definem-se princípios orçamentários como um conjunto de proposições
orientadoras que balizam os processos e as práticas orçamentárias que devem
ser observadas na concepção e execução da lei orçamentária. Nesse sentido, a
determinação constitucional de que a LOA não contenha dispositivo estranho à
previsão da receita e à fixação da despesa caracteriza o princípio da unidade.
Comentários: Princípio da unidade: O orçamento deve ser uno, isto é, cada
unidade governamental deve possuir um único orçamento. Princípio da
exclusividade: A LOA não pode conter dispositivo estranho à fixação das
despesas e à previsão das receitas, ou seja, só pode conter matéria
orçamentária. Exceções: autorização para abertura de créditos suplementares
e contratação de operações de crédito, mesmo que por antecipação de receita.
Assim, a questão cita o princípio da exclusividade e não o da unidade.
Resposta: Errada.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 5 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

17 - (CESPE - AUD (TCE-ES)/2012) A abrangência do princípio


orçamentário da não vinculação de receitas restringe-se às receitas de
impostos.
Comentários: Segundo o art. 167 da CF: ―São vedados: IV - a vinculação de
receita de impostos a órgão, fundo ou despesa...‖. Falamos em impostos e
não tributos ok? Imposto é tipo de tributo, mas existem outros (taxas,
contribuições de melhorais, etc.). Ainda assim, há exceções constitucionais
que permitem a vinculação de impostos: IR, IPVA, ICMS, IPI, destinação de
recursos para o ensino, para a saúde, para a administração tributária e para
prestação de garantia às operações de crédito por antecipação de receita.
Resposta: Correta.

18 - (CESPE - AA (ANATEL)/2012) O princípio da exclusividade estabelece


que a LOA não contenha dispositivo estranho à previsão da receita e à fixação
da despesa. Ressalvam-se dessa proibição a autorização para abertura de
créditos suplementares e a contratação de operações de crédito, ainda que por
antecipação de receita orçamentária.
Comentários: Princípio da exclusividade: A LOA não pode conter dispositivo
estranho à fixação das despesas e à previsão das receitas, ou seja, só pode
conter matéria orçamentária. Exceções: autorização para abertura de créditos
suplementares e contratação de operações de crédito, mesmo que por
antecipação de receita.
Resposta: Correta.

19 - (CESPE - TA (IBAMA)/2012) A existência do orçamento fiscal, da


seguridade social e de investimento das empresas contraria o princípio
orçamentário da exclusividade.
Comentários: Não existe essa contrariedade.
Resposta: Errada.

20 - (CESPE – Auditor Substituto de Conselheiro – TCE/ES – 2012) A


proposta de alteração de procedimento de elaboração, discussão, aprovação e
execução do orçamento público no Brasil deve ser apresentada por meio de
projeto de lei complementar.

Comentários: É o que diz a CF/88. As normas de direito financeiro devem ser


reguladas por meio de Lei Complementar.
Resposta correta.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 6 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

21 - (CESPE - ACE (TCE-ES)/Auditoria Governamental/2012) A


alocação dos recursos visa, no orçamento tradicional, à aquisição de meios e,
no orçamento-programa, ao atendimento de metas e objetivos previamente
definidos.
Comentários: O orçamento tradicional foca nos meios, enquanto o
orçamento-programa foca nos fins (metas e objetivos).
Resposta: Correta.

22 - (CESPE - AJ TRE RJ/Administrativa/Contabilidade/2012) A ênfase


no objeto do gasto, na classificação institucional e por elemento de despesa
são características do orçamento-programa.
Comentários: O orçamento-programa considera os objetivos e integra o
planejamento governamental. O orçamento a que a questão se refere é o
tradicional.
Resposta: Errada.

23 - (CESPE - ACE (TCE-ES)/Ciências Contábeis/2012) O orçamento-


programa consagra o princípio de que o gasto público deve estar vinculado a
uma finalidade.
Comentários: O orçamento-programa garante que cada gasto esteja
vinculado a um programa governamental, um objetivo, uma finalidade.
Resposta: Correta.

24 - (CESPE - ACE (TCE-ES)/Ciências Contábeis/2012) Se, em


determinado exercício, a arrecadação tributária de determinado ente
federativo não alcançar o volume de recursos previstos na lei orçamentária
anual, não haverá possibilidade de esse ente atender ao princípio do equilíbrio
orçamentário.
Comentários: O princípio do equilíbrio orçamentário diz respeito à igualdade
entre receitas e despesas, na fase de planejamento do orçamento e não na
sua execução. Além disso, durante a execução, caso a arrecadação de receitas
esteja abaixo do previsto, bastaria a redução de despesas também.
Resposta: Errada.

25 - (CESPE - ACE (TCE-RO)/Ciências Contábeis/2013) Caso seja


aprovada lei complementar que revogue a norma segundo a qual o exercício
financeiro deva coincidir com o ano civil, mas que mantenha o intervalo de
doze meses para o ciclo orçamentário, o princípio orçamentário da anualidade
permanecerá em vigor.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 7 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

Comentários: Esse princípio está expresso na Lei 4.320/64, além disto, é


necessário verificar o seu art. 34: “Art. 34. O exercício financeiro coincidirá
com o ano civil”. Se esse dispositivo for modificado, modifica-se também a
ideia de anualidade, respaldada nesse dispositivo.
Resposta: Errada.

26 - (CESPE - Ag Adm (TCE-RO)/2013) A utilização de linguagem simples


e inteligível, como forma de dar transparência ao orçamento público, atende
ao princípio orçamentário da clareza.
Comentários: Segundo o princípio da clareza, o orçamento deve ser de fácil
compreensão, objetivo e claro. Esse princípio também tem a transparência
como pano de fundo.
Resposta: Correta.

27 - (CESPE - TJ CNJ/Administrativa/2013) A relação intertemporal do


gasto público é um importante elemento da política pública. Por essa razão, o
orçamento deve ser plurianual, conforme previsto na legislação brasileira, que,
portanto, viola o princípio da anualidade orçamentária.
Comentários: Esse princípio está expresso na Lei 4.320/64, além disto, é
necessário verificar o seu art. 34: “Art. 34. O exercício financeiro coincidirá
com o ano civil”. O orçamento deve ter vigência de um período anual. Há
algumas exceções que serão vistas depois, como os créditos especiais e
extraordinários. Também não estamos falando do Plano Plurianual, que tem
vigência superior, mas sim da LOA, ok?
Resposta: Errada.

28 - (CESPE - AJ CNJ/Administrativa/"Sem Especialidade"/2013) O


princípio da transparência choca-se, em algumas situações, com o princípio do
orçamento bruto. De acordo com o princípio da transparência, a peça
orçamentária deve ser clara e simples, não contendo informações
desnecessárias, ao passo que, segundo o princípio do orçamento bruto, a peça
orçamentária deve conter muitas informações — que, inclusive, poderiam ser
eliminadas, se fossem usados dados líquidos sobre receitas e despesas —,
uma vez que não há ganho efetivo originado do uso de informações brutas.
Comentários: Primeiramente, não há choque entre princípios. Segundo,
transparência tem mais a ver com a ampla divulgação do orçamento ao
público. A questão, em sua primeira parte, está se referindo mais ao princípio
da clareza quando fala de informações claras e simples. Em terceiro e último
lugar, o princípio da orçamento bruto, ao proibir informações líquidas, preza
justamente pela transparência.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 8 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

Resposta: Errada.
29 - (CESPE - AJ CNJ/Administrativa/"Sem Especialidade"/2013) O
princípio do equilíbrio orçamentário, segundo algumas escolas de pensamento,
deve ser ignorado em situações de crise, devendo o governo intervir
ativamente na economia para estimular a demanda. No Brasil, os debates
sobre equilíbrio orçamentário restringem-se a discussões genéricas no PPA.
Comentários: A primeira parte da questão está correta. De fato, em
situações de crise, pode ser desejável que o Estado atue de forma a
desequilibrar a balança fiscal, atuando com déficits ou superávits. No entanto,
segundo a LRF, a LDO deve dispor sobre esse equilíbrio entre despesas e
receitas, de modo que tal discussão não se restringe a debates genéricos no
PPA.
Resposta: Errada.

30 - (CESPE - AJ CNJ/Apoio Especializado/Engenharia Civil/2013) De


acordo com o princípio da periodicidade, o exercício financeiro deverá conter o
período de tempo de mandato do presidente da República para garantir a
governabilidade e atender à Lei de Responsabilidade Fiscal.
Comentários: Esse princípio está expresso na Lei 4.320/64, além disto, é
necessário verificar o seu art. 34: “Art. 34. O exercício financeiro coincidirá
com o ano civil”. O orçamento deve ter vigência de um período anual. Há
algumas exceções que serão vistas depois, como os créditos especiais e
extraordinários. Também não estamos falando do Plano Plurianual, que tem
vigência superior, mas sim da LOA, ok?
Resposta: Errada.

31 - (CESPE - TJ TRT10/Administrativa/2013) O princípio da anualidade


orçamentária fundamenta-se em critérios puramente técnicos, relativos às
questões operacionais de apuração contábil da receita e da despesa, não
estando relacionado, portanto, com o controle político do Poder Executivo.
Comentários: O fato de o exercício financeiro coincidir com o ano civil e o
orçamento ter vigência anual tem sim um cunho político, possibilitando ao
Poder Legislativo autorizar, todos os anos, a execução orçamentária pelo
Poder Executivo.
Resposta: Errada.

32 - (CESPE - AnaTA MJ/2013) De acordo com o princípio da legalidade, a


divulgação do orçamento da União deve ocorrer por meio do Diário Oficial da
União, uma vez que o princípio da transparência é silente quanto ao meio de

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 9 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

divulgação a ser utilizado pelo Congresso Nacional, após aprovação do texto


legal.
Comentários: A questão misturou um monte de conceitos.
 Legalidade: O orçamento é uma lei, resultante do processo legislativo,
embora com características diferentes.
 Publicidade: A LOA, bem como qualquer lei, deve ser publicada nos
meios oficiais de comunicação (Diário Oficial).
 Transparência: Ampla divulgação do orçamento ao público.
Resposta: Errada.

33 - (CESPE - Adm (MJ)/2013) É vedada a vinculação de qualquer tipo de


receita tributária a órgão, fundo ou despesa, conforme o princípio da não
afetação da receita.
Comentários: Segundo o art. 167 da CF: ―São vedados: IV - a vinculação de
receita de impostos a órgão, fundo ou despesa...‖. Falamos em impostos e
não tributos ok? Imposto é tipo de tributo, mas existem outros (taxas,
contribuições de melhorais, etc.). Ainda assim, há exceções constitucionais
que permitem a vinculação de impostos: IR, IPVA, ICMS, IPI, destinação de
recursos para o ensino, para a saúde, para a administração tributária e para
prestação de garantia às operações de crédito por antecipação de receita.
Resposta: Errada.

34 - (CESPE - TJ CNJ/Administrativa/2013) O orçamento de desempenho


pode ser considerado uma importante evolução no processo de integração
entre orçamento e planejamento. Uma de suas principais características é a
apresentação dos propósitos e objetivos para os quais os créditos se fazem
necessários.
Comentários: O orçamento de desempenho ou funcional ou de realizações
passou a dar ênfase no resultado (desempenho organizacional). Procurava-se
saber o que o governo fazia e não só o que ele comprava. Além de apresentar
o objeto do gasto, agregou as ações desenvolvidas (programa de trabalho).
Porém, ainda não se vinculava à função planejamento.
Resposta: Correta.

35 - (CESPE - AA (ANTT)/Administração/2013) Como técnica


orçamentária, o orçamento de desempenho negligencia os propósitos e
objetivos dos créditos, priorizando a construção de indicadores que permitam
a aferição dos resultados a partir de medidas simples e objetivas de
desempenho.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 10 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

Comentários: O orçamento de desempenho enfatiza os resultados e o


desempenho organizacional e constitui um instrumento de administração e
gerência. Apresenta o programa de trabalho e o objeto do gasto, de forma
secundária.
Resposta: Errada.

36 - (CESPE - Ag Adm (TCE-RO)/2013) No Brasil, adota-se o orçamento


misto, visto que sua elaboração é competência do Poder Executivo, e sua
votação e controle são competências do Poder Legislativo.
Comentários: Essa questão fica de complemento ao que estudamos ao longo
da aula. Existem 3 tipos de orçamento público:
 Legislativo: elaboração, votação e aprovação são competências do
Poder Legislativo, cabendo ao Poder Executivo sua mera execução. É
utilizado em países parlamentaristas.
 Executivo: elaboração, votação e aprovação são competências do Poder
Executivo. É utilizado em países absolutistas.
 Misto: elaboração e execução ficam a cargo do Poder Executivo. Ao
Poder Legislativo cabe sua votação e controle. É o modelo da maioria
dos países, inclusive o Brasil.
Resposta: Correta.

37 - (CESPE - ACE (TCE-RO)/Ciências Contábeis/2013) O orçamento-


programa fornece subsídios ao planejamento, visto que possibilita a ligação
entre o controle da execução orçamentária e a elaboração orçamentária.
Comentários: O orçamento-programa enfatiza o planejamento como
característica central, sem desconsiderar a função controle e o foco nos
produtos. Ou seja, esse orçamento engloba características de todos os outros
tipos de orçamento, dando ênfase à função planejamento, à avaliação por
resultados e à gerencia de objetivos.
Resposta: Correta.

38 - (CESPE - ACE (TCE-RO)/Ciências Contábeis/2013) O orçamento-


programa deve expressar o produto final que, quantificado como meta,
representa o objetivo da ação pública, ainda que a perspectiva do programa
seja plurianual.
Comentários: Gente, quando falamos em orçamento-programa, estamos
falando de lei orçamentária anual (LOA), e não de plano plurianual (PPA), ok?
É somente esse o erro da questão.
Resposta: Errada.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 11 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

39 - (CESPE - Ag Adm (TCE-RO)/2013) A elaboração do orçamento com


ênfase nas necessidades das unidades organizacionais e nos aspectos
contábeis caracteriza o orçamento programa.
Comentários: O orçamento-programa considera os objetivos e integra o
planejamento governamental. O orçamento a que a questão se refere é o
tradicional.
Resposta: Errada.

40 - (CESPE - OCE (TCE-RS)/Classe A/Oficial Instrutivo/2013) Dado o


princípio da exclusividade orçamentária, exige-se que o orçamento contenha
apenas matéria financeira, não podendo conter assuntos estranhos à previsão
de receita e à fixação de despesa, ressalvadas as hipóteses previstas na CF.
Comentários: Princípio da exclusividade: A LOA não pode conter dispositivo
estranho à fixação das despesas e à previsão das receitas, ou seja, só pode
conter matéria orçamentária. Exceções: autorização para abertura de créditos
suplementares e contratação de operações de crédito, mesmo que por
antecipação de receita (previstos na CF/88).
Resposta: Correta.

41 - (CESPE - AA (ANTT)/Administração/2013) No orçamento


participativo, a população deve decidir a destinação de todos os recursos
orçamentários, exceto aqueles que se vinculem com gastos de pessoal, saúde,
segurança e educação.
Comentários: A população não decide a destinação de todos os recursos
orçamentários, apenas aqueles que são prioritários. Trata-se de um
importante instrumento de complementação da democracia representativa.
Resposta: Errada.

42 - (CESPE - TJ CNJ/Administrativa/2013) A organização e a


apresentação do orçamento público são as principais preocupações do
orçamento base-zero, enquanto a avaliação e a tomada de decisão acerca das
despesas ocupam, nesse modelo, um papel secundário.
Comentários: O orçamento base-zero envolve a avaliação de todos os
programas, a cada período de elaboração. Suas características são: análise,
revisão e avaliação de todas as despesas propostas e, assim, todos os
programas devem ser justificados cada vez que se inicia um novo ciclo
orçamentário. A questão inverteu os conceitos.
Resposta: Errada.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 12 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

43 - (CESPE - AA (ICMBio)/2014) As dificuldades de se implementar a


técnica de orçamento de base-zero incluem a resistência imposta pela
burocracia quando a eficácia de seus programas é avaliada.
Comentários: O orçamento base-zero envolve a avaliação de todos os
programas, a cada período de elaboração. Suas características são: análise,
revisão e avaliação de todas as despesas propostas e, assim, todos os
programas devem ser justificados cada vez que se inicia um novo ciclo
orçamentário. Trata-se de uma técnica mais trabalhosa e cara, apresentando
maior resistência devido à necessidade de avaliação de sua eficácia.
Resposta: Correta.

44 - (CESPE - AnaTA MDIC/2014) O princípio orçamentário da legalidade é


estabelecido pela norma constitucional segundo a qual é vedada a realização
de operações de créditos que excedam o montante das despesas de capital.
Serão ressalvadas, porém, as operações de crédito autorizadas com finalidade
precisa, mediante créditos suplementares ou especiais aprovados pelo Poder
Legislativo por maioria absoluta.
Comentários: Gente, legalidade é meramente a necessidade de uma lei para
estabeler os orçamentos. A questão só complicou.
Resposta: Errada.

45 - (CESPE - Cont (MTE)/2014) A Constituição Federal de 1988 (CF) veda


a vinculação da receita de tributos e contribuições de competência federal a
órgão, fundo ou despesa, ressalvada a repartição do produto da arrecadação
de alguns impostos, elencados em rol taxativo, para as finalidades
estabelecidas no texto constitucional.
Comentários: Segundo o art. 167 da CF: ―São vedados: IV - a vinculação de
receita de impostos a órgão, fundo ou despesa...‖. Falamos em impostos e
não tributos ok? Imposto é tipo de tributo, mas existem outros (taxas,
contribuições de melhorais, etc.). Ainda assim, há exceções constitucionais
que permitem a vinculação de impostos: IR, IPVA, ICMS, IPI, destinação de
recursos para o ensino, para a saúde, para a administração tributária e para
prestação de garantia às operações de crédito por antecipação de receita.
Resposta: Errada.

46 - (CESPE - Ag Adm (MTE)/2014) Nas transferências de créditos


orçamentários, a despesa do órgão transferidor é registrada como dedução
das receitas arrecadadas a fim de evidenciar o valor líquido da receita
pertencente ao órgão arrecadador.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 13 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

Comentários: Todas as receitas e despesas do orçamento constarão pelos


seus totais, vedadas deduções. Ou seja, não deve haver importâncias líquidas
na LOA. Esse é o princípio do orçamento bruto.
Resposta: Errada.

47 - (CESPE - Adm (PF)/2014) Na contabilização do total de receitas,


deduzir o valor a ser inscrito na dívida ativa tributária da União descumpre o
princípio orçamentário da programação.
Comentários: Todas as receitas e despesas do orçamento constarão pelos
seus totais, vedadas deduções. Ou seja, não deve haver importâncias líquidas
na LOA. Esse é o princípio do orçamento bruto e não da programação.
Resposta: Errada.

48 - (CESPE - Ana MPU/Apoio Técnico Especializado/Finanças e


Controle/2015) Por meio do orçamento-programa é possível expressar, com
maior veracidade, a responsabilidade do governo para com a sociedade, visto
que o orçamento deve indicar com clareza os objetivos da nação.
Comentários: O orçamento-programa é um plano de governo, identificando
seus programas de trabalho, projetos e atividades, com estabelecimento de
objetivos e metas a serem implementados. Assim, preocupa-se com o impacto
de suas ações nas necessidades da sociedade.
Resposta: Correta.

49 - (CESPE - AUFC/Controle Externo/Auditoria Governamental/2015)


Considerando a evolução conceitual da terminologia usada em referência ao
orçamento, o Brasil utilizou o orçamento legislativo, o executivo e o misto ao
longo de sua história.
Comentários: Existem 3 tipos de orçamento público:
 Legislativo: elaboração, votação e aprovação são competências do
Poder Legislativo, cabendo ao Poder Executivo sua mera execução. É
utilizado em países parlamentaristas. Foi utilizado na CF de 1891.
 Executivo: elaboração, votação e aprovação são competências do Poder
Executivo. É utilizado em países absolutistas. Foi utilizado nas CFs de
1937, 1967 e 1969.
 Misto: elaboração e execução ficam a cargo do Poder Executivo. Ao
Poder Legislativo cabe sua votação e controle. É o modelo da maioria
dos países, inclusive o Brasil atualmente.
Resposta: Correta.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 14 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

50 - (CESPE - APF (DEPEN)/Área 1/2015) O orçamento tradicional, cuja


principal função é servir de instrumento de administração, é fundamental para
disciplinar as finanças públicas, manter o equilíbrio financeiro e evitar a
expansão dos gastos.
Comentários: O orçamento tradicional não tem essa função e não consegue,
por si só, manter equilíbrio financeiro e evitar a expansão de gastos. Não se
vincula ao planejamento governamental.
Resposta: Errada.

51 - (CESPE - Ana MPU/Apoio Técnico Administrativo/Atuarial/2015)


O orçamento de desempenho, por considerar o resultado dos gastos e os
níveis organizacionais responsáveis pela execução dos programas, distingue-
se do orçamento clássico.
Comentários: O orçamento de desempenho ou funcional ou de realizações
procurava-se saber o que o governo fazia e não só o que ele comprava. Dessa
forma, além de apresentar o objeto do gasto, agregou as ações desenvolvidas
(programa de trabalho). No entanto, ele ainda não se vinculava à função
planejamento.
Resposta: Correta.

52 - (CESPE - AJ TRE GO/Administrativa/2015) De acordo com o


princípio do orçamento bruto, o montante total de despesas orçamentárias
deve ser igual ao montante total de receitas orçamentárias.
Comentários: Esse é o princípio do equilíbrio!
Resposta: Errada.

53 - (CESPE - Ana MPU/Apoio Técnico Administrativo/Atuarial/2015)


De acordo com o princípio da exclusividade, é vedado ao Poder Executivo
incluir na lei orçamentária anual (LOA) autorização para contratação de
operação de crédito.
Comentários: A LOA não pode conter dispositivo estranho à fixação das
despesas e à previsão das receitas, ou seja, só pode conter matéria
orçamentária. Esse princípio (exclusividade) tem o objetivo de evitar que
outros temas tenham tramitação legislativa mais célere, característica das leis
orçamentárias. Exceções: autorização para abertura de créditos
suplementares e contratação de operações de crédito, mesmo que por
antecipação de receita.
Resposta: Errada.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 15 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

54 - (CESPE - Aud Gov (CGE PI)/Geral/2015) A LOA não deverá conter


dispositivo estranho à previsão da receita e à fixação da despesa, nem
autorização para a contratação de operação de crédito por antecipação de
receita orçamentária (ARO).
Comentários: A LOA não pode conter dispositivo estranho à fixação das
despesas e à previsão das receitas, ou seja, só pode conter matéria
orçamentária. Esse princípio (exclusividade) tem o objetivo de evitar que
outros temas tenham tramitação legislativa mais célere, característica das leis
orçamentárias. Exceções: autorização para abertura de créditos
suplementares e contratação de operações de crédito, mesmo que por
antecipação de receita.
Resposta: Errada.

55 - (CESPE - Ass Adm (FUB)/2015) De acordo com o princípio da


unidade, o orçamento deve valer para uma unidade de tempo, isto é, para o
período de um ano.
Comentários: Esse é o princípio da anualidade!
Resposta: Errada.

56 - (CESPE - Ass Adm (FUB)/2015) O princípio que estabelece que todas


as receitas e despesas devem ser obrigatoriamente consideradas é o
denominado princípio da obrigatoriedade.
Comentários: Universalidade - O orçamento deve conter todas as receitas e
todas as despesas do Estado, tanto da administração direta, quanto da
indireta, com exceção das empresas estatais não-dependentes.
Resposta: Errada.

57 - (CESPE - Ass Adm (FUB)/2015) As despesas, dentro do orçamento,


devem aparecer em seus valores brutos, sem deduções.
Comentários: Orçamento Bruto - Todas as receitas e despesas do orçamento
constarão pelos seus totais, vedadas deduções. Ou seja, não deve haver
importâncias líquidas na LOA. Está previsto na Lei 4.320/64.
Resposta: Correta.

58 - (CESPE - APF (DEPEN)/Área 1/2015) De acordo com o princípio da


universalidade, o orçamento deve englobar todas as receitas e despesas do
Estado para que seja realizada a programação financeira de arrecadação de
tributos necessários para custear as despesas projetadas pelo governo.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 16 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

Comentários: Universalidade - O orçamento deve conter todas as receitas e


todas as despesas do Estado, tanto da administração direta, quanto da
indireta, com exceção das empresas estatais não-dependentes.
Resposta: Correta.

59 - (CESPE - APF (DEPEN)/Área 1/2015) O princípio orçamentário da


unidade, que prescreve a formulação de um orçamento único, não é
observado pela Constituição Federal brasileira, que determina a existência dos
orçamentos fiscal, da seguridade social e de investimentos das estatais.
Comentários: Unidade ou totalidade - O orçamento deve ser uno, isto é, cada
unidade governamental deve possuir um único orçamento. Todas as receitas e
despesas devem estar contidas numa só lei orçamentária. O fato de a Lei
Orçamentária (LOA) ser composta de orçamento fiscal, orçamento de
investimentos e orçamento da seguridade social (três peças) não desvirtua
esse princípio.
Resposta: Errada.

60 - (CESPE - TJ STJ/Administrativa/2015) Ao produzir efeitos jurídicos e


orçamentários em mais de um exercício financeiro, a lei de diretrizes
orçamentárias (LDO) não desrespeita o princípio orçamentário da anualidade.
Comentários: A periodicidade da LDO é anual, então ela respeita sim o
princípio da anualidade, embora possa viger em 2 exercícios financeiros.
Resposta: Correta.

61 - (CESPE - TJ STJ/Administrativa/2015) Se determinado órgão público


precisar efetuar um empréstimo que tenha sido previamente autorizado, o
produto dessa operação será incluído no orçamento tanto no que se refere à
receita quanto no que se refere à despesa.
Comentários: Segundo o princípio da universalidade, deve-se considerar
todas as receitas e todas as despesas. Contraiu empréstimo, gerou uma
receita e uma despesa.
Resposta: Correta.

62 - (CESPE - AJ STJ/Administrativa/"Sem Especialidade"/2015) A


transferência da contabilização de uma obrigação resultante de despesa
realizada no exercício atual para o subsequente está associada à quebra dos
princípios da totalidade e da publicidade.
Comentários: Se pular um exercício financeiro, quebrou-se o princípio da
anualidade. Resposta: Errada.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 17 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

63 - (CESPE - Aud (TCE-RN)/2015) As receitas de operações de crédito


realizadas pelo estado em determinado exercício financeiro não podem
superar o montante das despesas de capital constantes do projeto de lei
orçamentária do mesmo ano, ainda que existam créditos adicionais aprovados
pelo Poder Legislativo.
Comentários: CF/88 “Art. 167. São vedados: III - a realização de operações
de créditos que excedam o montante das despesas de capital, ressalvadas as
autorizadas mediante créditos suplementares ou especiais com finalidade
precisa, aprovados pelo Poder Legislativo por maioria absoluta”. Viram que
existe uma ressalva?
Resposta: Errada.

64 - (CESPE - Aud (TCE-RN)/2015) A transposição, o remanejamento ou a


transferência de recursos de uma categoria de programação para outra ou de
um órgão para outro são proibidos se não houver prévia autorização
legislativa, exceto no âmbito das atividades de ciência, tecnologia e inovação,
quando o objetivo for viabilizar os resultados de projetos restritos a essas
funções.
Comentários: CF/88 “Art. 167 5º A transposição, o remanejamento ou a
transferência de recursos de uma categoria de programação para outra
poderão ser admitidos, no âmbito das atividades de ciência, tecnologia e
inovação, com o objetivo de viabilizar os resultados de projetos restritos a
essas funções, mediante ato do Poder Executivo, sem necessidade da prévia
autorização legislativa prevista no inciso VI deste artigo”.
Resposta: Correta.

65 - (CESPE - Ag Adm (DPU)/2016) O orçamento governamental, como


plano das realizações da administração pública, tem natureza econômica e
financeira não multidisciplinar.
Comentários: Falamos sobre natureza econômica, administrativa, jurídica,
contábil, financeira... então, é multidisciplinar sim. Resposta: Errada.

66 - (CESPE - Cont (DPU)/2016) O orçamento tradicional ou clássico


adotava linguagem contábil-financeira e se caracterizava como um documento
de previsão de receita e de autorização de despesas, sem a preocupação de
planejamento das ações do governo.
Comentários: É a exata definição de orçamento tradicional. Preocupa-se
muito com questões contábeis e pouco com o planejamento governamental.
Resposta: Correta.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 18 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

67 - (CESPE - Cont (DPU)/2016) De acordo com o princípio da


universalidade orçamentária, cada unidade orçamentária deve possuir apenas
um orçamento.
Resposta: Universalidade - O orçamento deve conter todas as receitas e
todas as despesas do Estado, tanto da administração direta, quanto da
indireta, com exceção das empresas estatais não-dependentes. A questão
define o princípio da unidade.
Resposta: Errada.

68 - (CESPE - Ag Adm (DPU)/2016) No Brasil, para determinado período


do ano civil, cada ente da Federação deve possuir um orçamento para as
receitas e um orçamento para as despesas.
Comentários: Unidade ou totalidade - O orçamento deve ser uno, isto é, cada
unidade governamental deve possuir um único orçamento. Todas as receitas e
despesas devem estar contidas numa só lei orçamentária. Não há orçamento
de receitas e orçamento de despesas.
Resposta: Errada.

69 - (CESPE - AFCE (TCE-SC)/Controle Externo/Direito/2016) Para que


o estado-membro receba da União transferências voluntárias destinadas ao
pagamento de despesas com pessoal inativo, é condição inarredável a prévia
autorização por lei específica autorizativa no âmbito federal, aprovada por
maioria absoluta.
Comentários: O inciso X do art. 167 da CF/88 veda qualquer transferência
voluntaria de recursos ou concessão de empréstimos para pagamento de
despesas com pessoal.
Resposta: Errada.

70 - (CESPE – Auditor de Controle Externo/TCE – PE / 2017) Prevalece


no Brasil a compreensão de que o orçamento público é lei apenas em sentido
formal, visto que é aprovado pelo Poder Legislativo, mas é substancialmente
ato de natureza político-administrativa, insuscetível de hospedar normas
gerais ou abstratas próprias de lei em sentido material.
Resolução:

Questão polêmica! Vamos inicial relembrar as características do


orçamento!

Natureza jurídica do orçamento - A maioria dos doutrinadores


entende que ele é uma lei no que se refere ao aspecto formal, já que passa
por todo o processo legislativo, mas não é lei em sentido material.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 19 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

O STF segue essa linha ao afirmar que ―o orçamento é lei formal que
apenas prevê receitas e autoriza o gasto, sem criar direitos subjetivos e sem
modificar as leis tributárias e financeiras‖.
Além disso, é uma lei temporária, com vigência limitada de um ano;
especial, por ter um processo legislativo diferenciado; e ordinária, por não
exigir quórum qualificado para sua aprovação.

Lei em sentido formal

Não é Lei em sentido


material

Natureza jurídica do
Lei temporária
orçamento

Lei especial

Lei ordinária

Análise do item:

As leis em geral são formais (passam por um processo formal) e


materiais (o conteúdo das normas são normas jurídicas). As Leis
Orçamentárias são apenas formais porque o seu conteúdo não são normas
jurídicas, são na verdade, ato de natureza político-administrativa. Assim,
consideramos o item correto, mas o CESPE considerou errado.

Serão necessários outros concursos para melhor entendimento do


posicionamento do CESPE

Gabarito Oficial: .Errado

71 - (CESPE / STJ – Técnico Judiciário – Área Administrativa / 2018) A


respeito das técnicas, dos princípios e do ciclo orçamentários, julgue os itens a
seguir.

A publicação do orçamento em diário oficial é o ato que garante o


cumprimento do princípio orçamentário da clareza.

Resolução:

O Princípio da Clareza é definido por Sanches (2004) da seguinte maneira:

Princípio orçamentário clássico segundo o qual a Lei Orçamentária deve ser


estruturada por meio de categorias e elementos que facilitem sua

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 20 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

compreensão até mesmo por pessoas de limitado conhecimento técnico no


campo das finanças públicas.

A publicação do orçamento em diário oficial está de acordo com o disposto no


Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público – MCASP 7ª edição sobre o
Princípio da Transparência:

Aplica-se também ao orçamento público, pelas disposições contidas nos arts.


48, 48-A e 49 da LRF, que determinam ao governo, por exemplo: divulgar o
orçamento público de forma ampla à sociedade; publicar relatórios sobre a
execução orçamentária e a gestão fiscal; disponibilizar, para qualquer pessoa,
informações sobre a arrecadação da receita e a execução da despesa.

Gabarito: Errado.

72 - (CESPE / PJM - Manaus – Procurador do Município / 2018)


Considerando o disposto na CF acerca do direito financeiro, julgue os itens que
se seguem.

Na elaboração de seus orçamentos anuais, o município deve observar o


disposto na lei de diretrizes orçamentárias do respectivo estado-membro, sob
pena de ruptura com o princípio da unidade orçamentária.

Resolução:

De acordo com o Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público – MCASP


7ª edição:

Princípio da Unidade ou Totalidade:

Previsto, de forma expressa, pelo caput do art. 2º da Lei no 4.320/1964,


determina existência de orçamento único para cada um dos entes federados –
União, estados, Distrito Federal e municípios – com a finalidade de se evitarem
múltiplos orçamentos paralelos dentro da mesma pessoa política. Dessa
forma, todas as receitas previstas e despesas fixadas, em cada exercício
financeiro, devem integrar um único documento legal dentro de cada esfera
federativa: a Lei Orçamentária Anual (LOA). (grifo nosso)

Já a Constituição Federal de 1988 em seu artigo 165 dispõe que:

Art. 165. Leis de iniciativa do Poder Executivo estabelecerão:

I - o plano plurianual;

II - as diretrizes orçamentárias;

III - os orçamentos anuais.

[...]

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 21 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

§ 2º A lei de diretrizes orçamentárias compreenderá as metas e prioridades da


administração pública federal, incluindo as despesas de capital para o exercício
financeiro subseqüente, orientará a elaboração da lei orçamentária anual,
disporá sobre as alterações na legislação tributária e estabelecerá a política de
aplicação das agências financeiras oficiais de fomento. (grifo nosso)

Percebam que o Município deverá observar a sua LDO e não a do Estado.

Gabarito: Errado.

73 - (CESPE / PJM - Manaus – Procurador do Município / 2018) É


vedado autorizar a abertura de créditos suplementares no texto da lei
orçamentária anual municipal.

Resolução:

A questão afirma o contrário do disposto no Princípio Orçamentário da


Exclusividade, abertura de créditos suplementares é uma exceção, conforme
consta no Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público – MCASP 7ª
edição:

Princípio da Exclusividade:

Previsto no § 8º do art. 165 da Constituição Federal, estabelece que a LOA


não conterá dispositivo estranho à previsão da receita e à fixação da despesa.
Ressalvam-se dessa proibição a autorização para abertura de crédito
suplementar e a contratação de operações de crédito, nos termos da lei.

Gabarito: Errado.

74 (CESPE / STJ –Analista Judiciário Área Administrativa / 2018) É


vedada a inclusão de dotações orçamentárias destinadas a despesas correntes
de propósitos distintos.

Resolução:

O artigo 5º da Lei 4320/64 dispõe que:

Art. 5º A Lei de Orçamento não consignará dotações globais destinadas a


atender indiferentemente a despesas de pessoal, material, serviços de
terceiros, transferências ou quaisquer outras, ressalvado o disposto no artigo
20 e seu parágrafo único.

Já o artigo 20 cita uma exceção:

Art. 20. Os investimentos serão discriminados na Lei de Orçamento segundo


os projetos de obras e de outras aplicações.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 22 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

Parágrafo único. Os programas especiais de trabalho que, por sua natureza,


não possam cumprir-se subordinadamente às normas gerais de execução da
despesa poderão ser custeadas por dotações globais, classificadas entre as
Despesas de Capital.

O artigo 5º é o Princípio da Especialização e no artigo 20 consta a exceção:

Na lei orçamentária anual não podem ser consignadas dotações globais para
entender despesas genéricas.

Exceto: Programas especiais de trabalho que, por sua natureza, não possam
cumprir-se subordinadamente às normas gerais de execução da despesa
poderão ser custeadas por dotações globais, classificadas entre as Despesas
de Capital. Também é uma exceção a este princípio a reserva de contingência.

Gabarito: Certo.

74 (CESPE / STJ –Analista Judiciário Área Administrativa / 2018) Os


princípios da unidade e da universalidade são válidos, ainda que haja
orçamentos diferentes no âmbito de cada ente da Federação.

Resolução:

De acordo com o Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público – MCASP


7ª edição:

Os Princípios Orçamentários visam estabelecer diretrizes norteadoras básicas,


a fim de conferir racionalidade, eficiência e transparência para os processos de
elaboração, execução e controle do orçamento público. Válidos para os
Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário de todos os entes federativos –
União, estados, Distrito Federal e municípios – são estabelecidos e
disciplinados por normas constitucionais, infraconstitucionais e pela doutrina.

Vamos definir cada um dos Princípios Orçamentários citados na questão:

Princípio da Unidade ou Totalidade:

Previsto, de forma expressa, pelo caput do art. 2º da Lei no 4.320/1964,


determina existência de orçamento único para cada um dos entes federados –
União, estados, Distrito Federal e municípios – com a finalidade de se evitarem
múltiplos orçamentos paralelos dentro da mesma pessoa política. Dessa
forma, todas as receitas previstas e despesas fixadas, em cada exercício
financeiro, devem integrar um único documento legal dentro de cada esfera
federativa: a Lei Orçamentária Anual (LOA).

Princípio da Universalidade:

Estabelecido, de forma expressa, pelo caput do art. 2º da Lei no 4.320/ 1964,


recepcionado e normatizado pelo § 5º do art. 165 da Constituição Federal,
determina que a LOA de cada ente federado deverá conter todas as receitas e

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 23 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

despesas de todos os poderes, órgãos, entidades, fundos e fundações


instituídas e mantidas pelo Poder Público.

Percebam que o Princípio da Unidade tem finalidade de se evitarem múltiplos


orçamentos paralelos dentro da mesma pessoa política.

Já o Princípio da Universalidade também refere-se a LOA de cada ente.

Gabarito: Certo.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 24 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

Lista de exercícios

1 - (CESPE - MDIC/2014) A função política do orçamento diz respeito ao


estabelecimento do fluxo de entrada de recursos obtidos por meio da
arrecadação de tributos, bem como da saída de recursos provocada pelos
gastos governamentais.
2 - (CESPE - MJ/2013) O orçamento público, como instrumento de
planejamento e de controle da administração pública, possibilita a comparação
entre diversas funções e programas de governo entre si, além de facilitar o
exame da função total do governo e de seu custo em relação ao setor privado
da economia.
3 – (CESPE - TJ STJ/Administrativa/2015) No Brasil, a Constituição
Federal de 1988 atribuiu ao Poder Executivo a prerrogativa de executar o
orçamento, razão pela qual se utiliza no país a denominação técnica
orçamento executivo.
4 - (CESPE - AFT/MTE/2013) A evolução ocorrida nas funções do
orçamento, que deixou de ser um mero instrumento de autorização para se
tornar ferramenta de auxílio efetivo da administração, gerou um novo
princípio, o da programação.
5- (CESPE–AJ/TRT10/Tecnologia da Informação/2013) O plano
plurianual, a lei de diretrizes orçamentárias e a lei orçamentária anual,
instrumentos formais de planejamento orçamentário do setor público, são a
expressão formal da política de atuação dos órgãos do poder público.
6 - (CESPE - Ag Adm (DPU)/2016) Em caráter de urgência, é permitido
iniciar programas que não estejam incluídos na LOA.
7 - (CESPE - AUFC/Controle Externo/Auditoria de Obras
Públicas/2011) O princípio da universalidade está claramente incorporado
na legislação orçamentária, assegurando que o orçamento compreenda todas
as receitas e todas as despesas públicas, possibilitando que o Poder Legislativo
conheça, a priori, todas as receitas e despesas do governo e possa dar prévia
autorização para a respectiva arrecadação e realização.
8 - (CESPE - AUFC/Controle Externo/Auditoria Governamental/2011)
A adequação entre o montante global de despesas e o volume previsto para a
arrecadação não deve ser a única preocupação dos formuladores da política
fiscal do governo federal.
9 - (CESPE - AUFC/Controle Externo/Auditoria Governamental/2011)
Se determinado município precisar urgentemente aprovar a autorização legal
para a contratação de determinado empréstimo destinado a reformar as
escolas locais antes do início do período letivo, tal autorização não poderá ser
incluída na LOA, pois essa lei não pode conter dispositivo estranho à previsão
das receitas e à fixação das despesas.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 25 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

10 - (CESPE - AUFC/Controle Externo/Auditoria Governamental/2011)


O princípio orçamentário da programação não poderia ser observado antes da
instituição do conceito de orçamento-programa.
11 - (CESPE - AUFC/Controle Externo/Auditoria Governamental/2011)
Como parte integrante do processo orçamentário, o PPA deve obedecer ao
princípio da universalidade.
12 - (CESPE - AUFC/Controle Externo/Auditoria Governamental/2011)
Entre as três leis ordinárias previstas pela CF para dispor sobre orçamento,
somente a LOA é obrigada a observar o princípio da especificação.
13 - (CESPE - AL (CAM DEP)/Técnico em Material e Patrimônio/2012)
De acordo com o princípio orçamentário da especificação, devem-se registrar,
no mesmo item, o valor líquido bem como a dedução das parcelas de imposto
previsto na lei orçamentária anual do governo federal a serem transferidas a
estados e municípios.
14 - (CESPE - TEFC/Apoio Técnico e Administrativo/Técnica
Administrativa/2012) Na Lei de Orçamento, são estabelecidas dotações
globais destinadas a atender, indiferentemente, a despesa de pessoal e de
investimentos, conforme programas especiais de trabalho.
15 - (CESPE - AJ TRE RJ/Administrativa/Contabilidade/2012) Caso, em
2012, os municípios realizem operações de crédito por antecipação de receita
orçamentária, essas operações deverão ser incluídas em suas respectivas leis
orçamentárias, em obediência ao princípio da universalidade.

16 - (CESPE - AJ TRE RJ/Apoio Especializado/Engenharia Civil/2012)


Definem-se princípios orçamentários como um conjunto de proposições
orientadoras que balizam os processos e as práticas orçamentárias que devem
ser observadas na concepção e execução da lei orçamentária. Nesse sentido, a
determinação constitucional de que a LOA não contenha dispositivo estranho à
previsão da receita e à fixação da despesa caracteriza o princípio da unidade.
17 - (CESPE - AUD (TCE-ES)/2012) A abrangência do princípio
orçamentário da não vinculação de receitas restringe-se às receitas de
impostos.
18 - (CESPE - AA (ANATEL)/2012) O princípio da exclusividade estabelece
que a LOA não contenha dispositivo estranho à previsão da receita e à fixação
da despesa. Ressalvam-se dessa proibição a autorização para abertura de
créditos suplementares e a contratação de operações de crédito, ainda que por
antecipação de receita orçamentária.
19 - (CESPE - TA (IBAMA)/2012) A existência do orçamento fiscal, da
seguridade social e de investimento das empresas contraria o princípio
orçamentário da exclusividade.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 26 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

20 - (CESPE – Auditor Substituto de Conselheiro – TCE/ES – 2012) A


proposta de alteração de procedimento de elaboração, discussão, aprovação e
execução do orçamento público no Brasil deve ser apresentada por meio de
projeto de lei complementar.

21 - (CESPE - ACE (TCE-ES)/Auditoria Governamental/2012) A


alocação dos recursos visa, no orçamento tradicional, à aquisição de meios e,
no orçamento-programa, ao atendimento de metas e objetivos previamente
definidos.
22 - (CESPE - AJ TRE RJ/Administrativa/Contabilidade/2012) A ênfase
no objeto do gasto, na classificação institucional e por elemento de despesa
são características do orçamento-programa.
23 - (CESPE - ACE (TCE-ES)/Ciências Contábeis/2012) O orçamento-
programa consagra o princípio de que o gasto público deve estar vinculado a
uma finalidade.
24 - (CESPE - ACE (TCE-ES)/Ciências Contábeis/2012) Se, em
determinado exercício, a arrecadação tributária de determinado ente
federativo não alcançar o volume de recursos previstos na lei orçamentária
anual, não haverá possibilidade de esse ente atender ao princípio do equilíbrio
orçamentário.
25 - (CESPE - ACE (TCE-RO)/Ciências Contábeis/2013) Caso seja
aprovada lei complementar que revogue a norma segundo a qual o exercício
financeiro deva coincidir com o ano civil, mas que mantenha o intervalo de
doze meses para o ciclo orçamentário, o princípio orçamentário da anualidade
permanecerá em vigor.
26 - (CESPE - Ag Adm (TCE-RO)/2013) A utilização de linguagem simples
e inteligível, como forma de dar transparência ao orçamento público, atende
ao princípio orçamentário da clareza.
27 - (CESPE - TJ CNJ/Administrativa/2013) A relação intertemporal do
gasto público é um importante elemento da política pública. Por essa razão, o
orçamento deve ser plurianual, conforme previsto na legislação brasileira, que,
portanto, viola o princípio da anualidade orçamentária.
28 - (CESPE - AJ CNJ/Administrativa/"Sem Especialidade"/2013) O
princípio da transparência choca-se, em algumas situações, com o princípio do
orçamento bruto. De acordo com o princípio da transparência, a peça
orçamentária deve ser clara e simples, não contendo informações
desnecessárias, ao passo que, segundo o princípio do orçamento bruto, a peça
orçamentária deve conter muitas informações — que, inclusive, poderiam ser
eliminadas, se fossem usados dados líquidos sobre receitas e despesas —,
uma vez que não há ganho efetivo originado do uso de informações brutas.
29 - (CESPE - AJ CNJ/Administrativa/"Sem Especialidade"/2013) O
princípio do equilíbrio orçamentário, segundo algumas escolas de pensamento,

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 27 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

deve ser ignorado em situações de crise, devendo o governo intervir


ativamente na economia para estimular a demanda. No Brasil, os debates
sobre equilíbrio orçamentário restringem-se a discussões genéricas no PPA.
30 - (CESPE - AJ CNJ/Apoio Especializado/Engenharia Civil/2013) De
acordo com o princípio da periodicidade, o exercício financeiro deverá conter o
período de tempo de mandato do presidente da República para garantir a
governabilidade e atender à Lei de Responsabilidade Fiscal.
31 - (CESPE - TJ TRT10/Administrativa/2013) O princípio da anualidade
orçamentária fundamenta-se em critérios puramente técnicos, relativos às
questões operacionais de apuração contábil da receita e da despesa, não
estando relacionado, portanto, com o controle político do Poder Executivo.
32 - (CESPE - AnaTA MJ/2013) De acordo com o princípio da legalidade, a
divulgação do orçamento da União deve ocorrer por meio do Diário Oficial da
União, uma vez que o princípio da transparência é silente quanto ao meio de
divulgação a ser utilizado pelo Congresso Nacional, após aprovação do texto
legal.
33 - (CESPE - Adm (MJ)/2013) É vedada a vinculação de qualquer tipo de
receita tributária a órgão, fundo ou despesa, conforme o princípio da não
afetação da receita.
34 - (CESPE - TJ CNJ/Administrativa/2013) O orçamento de desempenho
pode ser considerado uma importante evolução no processo de integração
entre orçamento e planejamento. Uma de suas principais características é a
apresentação dos propósitos e objetivos para os quais os créditos se fazem
necessários.
35 - (CESPE - AA (ANTT)/Administração/2013) Como técnica
orçamentária, o orçamento de desempenho negligencia os propósitos e
objetivos dos créditos, priorizando a construção de indicadores que permitam
a aferição dos resultados a partir de medidas simples e objetivas de
desempenho.
36 - (CESPE - Ag Adm (TCE-RO)/2013) No Brasil, adota-se o orçamento
misto, visto que sua elaboração é competência do Poder Executivo, e sua
votação e controle são competências do Poder Legislativo.
37 - (CESPE - ACE (TCE-RO)/Ciências Contábeis/2013) O orçamento-
programa fornece subsídios ao planejamento, visto que possibilita a ligação
entre o controle da execução orçamentária e a elaboração orçamentária.
38 - (CESPE - ACE (TCE-RO)/Ciências Contábeis/2013) O orçamento-
programa deve expressar o produto final que, quantificado como meta,
representa o objetivo da ação pública, ainda que a perspectiva do programa
seja plurianual.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 28 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

39 - (CESPE - Ag Adm (TCE-RO)/2013) A elaboração do orçamento com


ênfase nas necessidades das unidades organizacionais e nos aspectos
contábeis caracteriza o orçamento programa.
40 - (CESPE - OCE (TCE-RS)/Classe A/Oficial Instrutivo/2013) Dado o
princípio da exclusividade orçamentária, exige-se que o orçamento contenha
apenas matéria financeira, não podendo conter assuntos estranhos à previsão
de receita e à fixação de despesa, ressalvadas as hipóteses previstas na CF.
41 - (CESPE - AA (ANTT)/Administração/2013) No orçamento
participativo, a população deve decidir a destinação de todos os recursos
orçamentários, exceto aqueles que se vinculem com gastos de pessoal, saúde,
segurança e educação.
42 - (CESPE - TJ CNJ/Administrativa/2013) A organização e a
apresentação do orçamento público são as principais preocupações do
orçamento base-zero, enquanto a avaliação e a tomada de decisão acerca das
despesas ocupam, nesse modelo, um papel secundário.
43 - (CESPE - AA (ICMBio)/2014) As dificuldades de se implementar a
técnica de orçamento de base-zero incluem a resistência imposta pela
burocracia quando a eficácia de seus programas é avaliada.
44 - (CESPE - AnaTA MDIC/2014) O princípio orçamentário da legalidade é
estabelecido pela norma constitucional segundo a qual é vedada a realização
de operações de créditos que excedam o montante das despesas de capital.
Serão ressalvadas, porém, as operações de crédito autorizadas com finalidade
precisa, mediante créditos suplementares ou especiais aprovados pelo Poder
Legislativo por maioria absoluta.
45 - (CESPE - Cont (MTE)/2014) A Constituição Federal de 1988 (CF) veda
a vinculação da receita de tributos e contribuições de competência federal a
órgão, fundo ou despesa, ressalvada a repartição do produto da arrecadação
de alguns impostos, elencados em rol taxativo, para as finalidades
estabelecidas no texto constitucional.
46 - (CESPE - Ag Adm (MTE)/2014) Nas transferências de créditos
orçamentários, a despesa do órgão transferidor é registrada como dedução
das receitas arrecadadas a fim de evidenciar o valor líquido da receita
pertencente ao órgão arrecadador.
47 - (CESPE - Adm (PF)/2014) Na contabilização do total de receitas,
deduzir o valor a ser inscrito na dívida ativa tributária da União descumpre o
princípio orçamentário da programação.
48 - (CESPE - Ana MPU/Apoio Técnico Especializado/Finanças e
Controle/2015) Por meio do orçamento-programa é possível expressar, com
maior veracidade, a responsabilidade do governo para com a sociedade, visto
que o orçamento deve indicar com clareza os objetivos da nação.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 29 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

49 - (CESPE - AUFC/Controle Externo/Auditoria Governamental/2015)


Considerando a evolução conceitual da terminologia usada em referência ao
orçamento, o Brasil utilizou o orçamento legislativo, o executivo e o misto ao
longo de sua história.
50 - (CESPE - APF (DEPEN)/Área 1/2015) O orçamento tradicional, cuja
principal função é servir de instrumento de administração, é fundamental para
disciplinar as finanças públicas, manter o equilíbrio financeiro e evitar a
expansão dos gastos.
51 - (CESPE - Ana MPU/Apoio Técnico Administrativo/Atuarial/2015)
O orçamento de desempenho, por considerar o resultado dos gastos e os
níveis organizacionais responsáveis pela execução dos programas, distingue-
se do orçamento clássico.
52 - (CESPE - AJ TRE GO/Administrativa/2015) De acordo com o
princípio do orçamento bruto, o montante total de despesas orçamentárias
deve ser igual ao montante total de receitas orçamentárias.
53 - (CESPE - Ana MPU/Apoio Técnico Administrativo/Atuarial/2015)
De acordo com o princípio da exclusividade, é vedado ao Poder Executivo
incluir na lei orçamentária anual (LOA) autorização para contratação de
operação de crédito.
54 - (CESPE - Aud Gov (CGE PI)/Geral/2015) A LOA não deverá conter
dispositivo estranho à previsão da receita e à fixação da despesa, nem
autorização para a contratação de operação de crédito por antecipação de
receita orçamentária (ARO).
55 - (CESPE - Ass Adm (FUB)/2015) De acordo com o princípio da
unidade, o orçamento deve valer para uma unidade de tempo, isto é, para o
período de um ano.
56 - (CESPE - Ass Adm (FUB)/2015) O princípio que estabelece que todas
as receitas e despesas devem ser obrigatoriamente consideradas é o
denominado princípio da obrigatoriedade.
57 - (CESPE - Ass Adm (FUB)/2015) As despesas, dentro do orçamento,
devem aparecer em seus valores brutos, sem deduções.
58 - (CESPE - APF (DEPEN)/Área 1/2015) De acordo com o princípio da
universalidade, o orçamento deve englobar todas as receitas e despesas do
Estado para que seja realizada a programação financeira de arrecadação de
tributos necessários para custear as despesas projetadas pelo governo.
59 - (CESPE - APF (DEPEN)/Área 1/2015) O princípio orçamentário da
unidade, que prescreve a formulação de um orçamento único, não é
observado pela Constituição Federal brasileira, que determina a existência dos
orçamentos fiscal, da seguridade social e de investimentos das estatais.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 30 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

60 - (CESPE - TJ STJ/Administrativa/2015) Ao produzir efeitos jurídicos e


orçamentários em mais de um exercício financeiro, a lei de diretrizes
orçamentárias (LDO) não desrespeita o princípio orçamentário da anualidade.
61 - (CESPE - TJ STJ/Administrativa/2015) Se determinado órgão público
precisar efetuar um empréstimo que tenha sido previamente autorizado, o
produto dessa operação será incluído no orçamento tanto no que se refere à
receita quanto no que se refere à despesa.
62 - (CESPE - AJ STJ/Administrativa/"Sem Especialidade"/2015) A
transferência da contabilização de uma obrigação resultante de despesa
realizada no exercício atual para o subsequente está associada à quebra dos
princípios da totalidade e da publicidade.
63 - (CESPE - Aud (TCE-RN)/2015) As receitas de operações de crédito
realizadas pelo estado em determinado exercício financeiro não podem
superar o montante das despesas de capital constantes do projeto de lei
orçamentária do mesmo ano, ainda que existam créditos adicionais aprovados
pelo Poder Legislativo.

64 - (CESPE - Aud (TCE-RN)/2015) A transposição, o remanejamento ou a


transferência de recursos de uma categoria de programação para outra ou de
um órgão para outro são proibidos se não houver prévia autorização
legislativa, exceto no âmbito das atividades de ciência, tecnologia e inovação,
quando o objetivo for viabilizar os resultados de projetos restritos a essas
funções.
65 - (CESPE - Ag Adm (DPU)/2016) O orçamento governamental, como
plano das realizações da administração pública, tem natureza econômica e
financeira não multidisciplinar.
66 - (CESPE - Cont (DPU)/2016) O orçamento tradicional ou clássico
adotava linguagem contábil-financeira e se caracterizava como um documento
de previsão de receita e de autorização de despesas, sem a preocupação de
planejamento das ações do governo.
67 - (CESPE - Cont (DPU)/2016) De acordo com o princípio da
universalidade orçamentária, cada unidade orçamentária deve possuir apenas
um orçamento.
68 - (CESPE - Ag Adm (DPU)/2016) No Brasil, para determinado período
do ano civil, cada ente da Federação deve possuir um orçamento para as
receitas e um orçamento para as despesas.
69 - (CESPE - AFCE (TCE-SC)/Controle Externo/Direito/2016) Para que
o estado-membro receba da União transferências voluntárias destinadas ao
pagamento de despesas com pessoal inativo, é condição inarredável a prévia
autorização por lei específica autorizativa no âmbito federal, aprovada por
maioria absoluta.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 31 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

70 - (CESPE – Auditor de Controle Externo/TCE – PE / 2017) Prevalece


no Brasil a compreensão de que o orçamento público é lei apenas em sentido
formal, visto que é aprovado pelo Poder Legislativo, mas é substancialmente
ato de natureza político-administrativa, insuscetível de hospedar normas
gerais ou abstratas próprias de lei em sentido material.
71 - (CESPE / STJ – Técnico Judiciário – Área Administrativa / 2018) A
respeito das técnicas, dos princípios e do ciclo orçamentários, julgue os itens a
seguir. A publicação do orçamento em diário oficial é o ato que garante o
cumprimento do princípio orçamentário da clareza.

72 - (CESPE / PJM - Manaus – Procurador do Município / 2018)


Considerando o disposto na CF acerca do direito financeiro, julgue os itens que
se seguem.

73 - (CESPE / PJM - Manaus – Procurador do Município / 2018) É


vedado autorizar a abertura de créditos suplementares no texto da lei
orçamentária anual municipal.

74 (CESPE / STJ –Analista Judiciário Área Administrativa / 2018) É


vedada a inclusão de dotações orçamentárias destinadas a despesas correntes
de propósitos distintos.

75 (CESPE / STJ –Analista Judiciário Área Administrativa / 2018) Os


princípios da unidade e da universalidade são válidos, ainda que haja
orçamentos diferentes no âmbito de cada ente da Federação.

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 32 de 32


www.exponencialconcursos.com.br
Teoria e Questões comentadas
Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos

Gabarito

1 E 11 E 21 C 31 E
2 C 12 C 22 E 32 E
3 E 13 E 23 C 33 E

4 C 14 E 24 E 34 C
5 C 15 E 25 E 35 E
6 E 16 E 26 C 36 C

7 C 17 C 27 E 37 C

8 C 18 C 28 E 38 E

9 E 19 E 29 E 39 E

10 C 20 C 30 E 40 C

41 E 51 C 61 C 71
42 E 52 E 62 E 72
43 C 53 E 63 E 73
44 E 54 E 64 C 74
45 E 55 E 65 E 75
46 E 56 E 66 C
47 E 57 C 67 E
48 C 58 C 68 E

49 C 59 E 69 E

50 E 60 C 70 E

Prof. Daniel Façanha e Álvaro Santos 33 de 32


www.exponencialconcursos.com.br

Você também pode gostar