Você está na página 1de 24

ITEC – INSTITUTO TECNOLÓGICO DE CAPACITAÇÃO

PEELING DE ÁCIDO SALICÍLICO E SEUS BENEFÍCIOS NA ESTÉTICA

Volta Redonda
2016
ANDRÉIA CESÁRIO DE FREITAS

PEELING DE ÁCIDO SALICÍLICO E SEUS BENEFÍCIOS NA ESTÉTICA

Trabalho de Conclusão de Curso do


Instituto Tecnológico de Capacitação da
aluna Andréia Cesário de Freitas, na área
da Estética, como requisito parcial à
obtenção do título de Técnica em
Estética.

Volta Redonda
2016

ANDRÉIA CESÁRIO DE FREITAS

PEELING DE ÁCIDO SALICÍLICO E SEUS BENEFÍCIOS NA ESTÉTICA

Trabalho de Conclusão de Curso do


Instituto Tecnológico de Capacitação da
aluna Andréia Cesário de Freitas, na área
da Estética, sobre o tema do Peeling de
ácido salicílico e seus Benefícios na
Estética, como requisito parcial à
obtenção do título de Técnica em
Estética.

Comissão Examinadora (Professores):

Carla Cristina Ruela de S. Paulino

Priscila de Souza

Jussara Moreira de Oliveira


Volta Redonda
2016

AGRADECIMENTO

Agradeço em primeiro lugar a Deus que me iluminou durante


esta caminhada. Aos meus pais e meu noivo que com muito
carinho e apoio, não mediram esforços para que eu chegasse
até essa etapa de minha vida. As minhas amigas pelas
alegrias, tristezas e dores compartilhadas. Com vocês as
pausas entre um parágrafo e outro de produção melhora tudo o
que eu tenho produzido na vida.

DEDICATÓRIA

Dedico esta, bem como todas as minhas demais conquistas,


aos meus amados pais Luiz Carlos e Eliane Carlene, minha
irmã Andressa Cesário, meu avô Jeremias Cesário pois me
apoiaram e torceram por mais esta realização em minha vida.
E o que dizer a você Gleidson, meu amor. Obrigada pela
paciência, pelo incentivo pela força e principalmente pelo
carinho.

RESUMO

O trabalho apresenta sobre os tratamentos benéficos do ácido salicílico


principalmente para pessoas que tem a pele oleosa e acneica e que buscam o
tratamento para atingir as suas necessidades e auto-estima devido aos problemas
de pele, que provocam conflitos psicossociais. Na realidade o campo estético, visa
mostrar sua evolução no mercado da beleza, por meios da aparência facial e sadia
envolvendo seus conhecimentos da estética, revelando conceitos coerentes por
meios de técnicas metodológicas. O trabalho foi embasado na introdução,
desenvolvimento e conclusão buscando atingir e destacar os objetivos apresentados
no estudo. Concluiu-se que com a utilização de ácido salícílico o tratamento torna-se
diferenciado, e ainda atingindo a saúde da pele devido sua composição, todo o
tratamento deve ser acompanhado por profissionais da área, devido o uso do
peeling químico.

Palavras-chave: Ácido salicílio, auto-estima, peeling químico


LISTA DE FIGURAS

Figura 1: Camada da epiderme..................................................................................11


Figura 2: Higeinização.................................................................................................13
Figura 3: Esfoliação.....................................................................................................14
Figura 4: Tonificação...................................................................................................14
Figura 5: Pele..............................................................................................................16
Figura 6: Ácido............................................................................................................17
Figura 7: 1ª etapa........................................................................................................19
Figura 8: 2ª etapa........................................................................................................19
Figura 9: 3ª etapa........................................................................................................20
Figura 10: Tratamento com Ácido...............................................................................23
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO...................................................................................................9

2. CONCEITOS E HISTOLOGIA SOBRE AS CAMADAS DA PELE.................11

2.1 Técnicas e preparo da pele...................................................................13

3. ÁCIDOS............................................................................................................16

3.1 Os tipos de pelling.................................................................................18

CONCLUSÃO.............................................................................................................24

REFERÊNCIAS...........................................................................................................25
9

1. INTRODUÇÃO

Os tratamentos estéticos tornam-se cada vez mais comuns entre as mulheres e


homens devido, devido as patologias e também de mantunção da saúde da pele.

O peeling pode ser apresentado como proposta no mercado estético no tema


aqui especificado pois torna-se uma das fontes de tratamento que previne o
envelhecimento e também trata de algumas patologia de pele como a acne, a
oleosidade, manchas e entre outros. O estudo vem atentar sobre os produtos
químicos, para melhorar a textura da pele e controlar melhor as fibras elásticas e
colágenas.

Vale ressaltar que dentro dos conhecimentos sobre as camadas da pele, a


mesma, passa por várias modificações durante o desenvolvimento do ser humano
no ciclo vital, assim a pele vai perdendo a elasticidade e seu viço necessitando de
cuidados maiores.

Para autores como STEINER (2004) as modificações da pele principalmente a


facial, está nos problemas como envelhecimentos, mudanças hormonais, doenças
dermatológicas, má alimentação e também o mal hábitos como fumo e álcool aqui,
temos os agentes da natureza que também são agressores da pele como os raios
solares, ventos que envolve a poluição .

Dentre outros fatores, a pele já tem a tendência de perder o viço devido a falta
de cuidadados, por exemplo: a rotina corriqueira do trabalho que faz com que as
pessoas não tem tempo suficientes , para cuidar de sua aparência de forma
contínua e disciplina e a desidratação devido ao consumo insuficiente de água.
Aqui podemos ressaltar, sobre a importância da clínica de estética, que oferece
os tratamentos precisos para com manutenção da pele, tornando processo
facilitador atendendo os problemas da pele por meios de produtos e tecnologia
avançada no tratamento do dermato-terapeutico do uso do peeling químico, e a
prevenção de possíveis patologias.

10

O objetivo geral está em apresentar a importância do ácido salicílico e seus


benefícios como de previnir o envelhecimento cutâneo e da renovação celular no
equilíbrio das produções das glândulas sebáceas.

E no objetivo específico o estudo visa demonstrar sobre a importância da


histologia da pele; demonstrar sobre o peeling químico nos fatores de reconstrução
do tecido e no controle da epiderme através do peeling superficial e médio e ainda
desenvolver dentro de uma pesquisa teórica, sobre a importância da manutenção
durante e depois do tratamento.

No entanto o tema não se esgota aqui, pois a questão de apresentar sobre o


tratamento de peeling tem ainda o processo da biosegurança que envolve a
avaliação da pele , através da anamnese utilizando luvas, máscara e luz apropriada
para a avaliação antes do processo de aplicação do peeling, para que aja um
tratamento mais seguro tanto para o cliente quanto para o profissional.

Justifica-se que a prática profissional de estética, são envolvidos nos


conhecimentos dos tipos de peelings químicos superficial , microdermaobrasão e
cosmético que contenham produtos com microesferas esfoliativas para obter os
resultados necessários para cada tipo de pele. (GOBOO, 2010)

O procedimento metodológico do trabalho, tem caráter exploratório onde o


protocolo técnico envolve todo o procedimento através das pesquisas feitas por uso
do ácido por meios dos termos de responsabilidades. A pesquisa ainda vem a
verificar os níveis de atuação do ácido salicílico , assim o resultado visa apontar os
teóricos e técnicas documental permitindo apresentar informações precisa sobre o
tema. (CELLARD, 2008).
A natureza do texto delimita uma lógica interna em uma linguagem
argumentativa de acordo com os conceitos apresentados pelo téorico, buscando
atingir os conhecimentos do tema.

2. CONCEITOS E HISTOLOGIA SOBRE AS CAMADAS DA PELE

Tratar sobre a histologia da pele, envolve conhecimentos teóricos que define


sobre as camadas da pele.

Junqueira (1995) apresenta que a epiderme a camada superficial, a derme é a


intermediária e a hipoderme a mais profunda.

Os conhecimentos sobre as camadas levam o profissional a analisar melhor a


pele, tratando da estética facial a conduta começa nos seus conhecimentos e
também alguns questionários básicos para atender o tratamento de peeling químico.

Voltando na histologia a superfície da epiderme é marcada por uma rede de


sulcos e que dividem em pequenos polígonos suas camadas. São representadas
pela camada córnea, constituiída de células mortas tem características achatadas
que dispõem com placas empilhadas. (AZULAY, 2006) e camada granulosa tem
grânulos grosseiros em seu citoplasma é queratinizado, a camada lúcida
apresentada por filamentos e material eletrodenso, e para atender os caminhos que
ancoram uma célula na outra temos a camada espinhosa além da camada
germinativa que tem como função renovar as células da epiderme.

No sentido de compreender sobre as camadas da epiderme, temos aqui uma


figura que as ilustram:

Figura 1: Camada da epiderme


Fonte: Jahara (2010)

Na derme apresentam-se as camadas papilar que é constituída pelo tecido frouxo


e contém fibrilas especiais de colágenos que penetram na derme por meios da
membrana basal com a troca nutritiva, onde são encontrados os capilares
sanguíneos e linfáticos. Ainda dentro das características da derme, temos a camada
reticular formada por tecidos conjuntivos densos que são espessos nela também
pode ser encontrada os vasos sanguíneos, linfáticos e também nervoso.

A hipoderme é caracterizadoa por tecido adiposo que armazena gorduras. Dentro


do processo da camada da pele pode-se ainda frisar sobre o ciclo de vida que uma
célula pode durar, pois acontecem várias reações bioquímicas, levando ter em
média, de acordo com Maio (2004) de 28 a 30 dias, entretanto o percurso vital das
células desidratam perdendo força em suas atividades, modificando sua estrutura e
aparência transformando em substância protéica, melanina e queratina.

Quando o processo da queratina ou melanina entra em descontrole, na questão da


queratina, causa dermatose e escamação devido a difusão de maturação celular
causando aspectos sem vida da pele.

Em questão a melanina como é responsável pela pigmentação, pode gerar


problemas na produção do aminoácidos.

Todo estes distúrbios envolve o envelhecimento ou compromete a saúde da pele.


Aqui pode-se apresentar os beneficios do ácido salicílico que ajuda a manter o PH
da pele, o estudo ainda apresenta sobre as classificações do biotipo cutâneo, pois
antes de qualquer tipo de procedimentos é necessário o conhecimento do mesmo.
A pele endérmica ( normal ) se caracteriza por apresentar secreção sudorípara e
sebácea equiliberadas, coloração e textura normal. A pele alípica ou seja seca
apresenta uma espessura fina, opaca, secreção sebácea insuficiente além de ter
uma sensibilidade ao contato com cosméticos abrasivos, têndencia ao aparecimento
de linha de expressões e óstios poucos sensíveis. (GUYTON, 1998)

A pele alípica é pouco resistente pois costuma escamar com facilidade, além do
teor híbrico insuficiente e tendência é maior ao aparecimento de rugas. Temos a
pele lipídica que é oleosa e apresenta as características de óstios dilatados, também
a hiperatividade das glândulas sebáceas que acabam dando um aspecto brilhante
com tendências a lesões como o comedão e millium. (NUNES, 2003).

Ainda para outros autores que são apresentados dentro do texto estética do livro
que envolve a Cosmetologia 2013 o autor Nunes ( 2003 ) apresenta também a pele
lipídica desidratada que apresenta produção na glândula sebácea aumentada e a
sudorípara diminuida. Temos a seborreica que conceitua, como um tipo de pele com
lesões devido ao aumento da produção na glândula sebácea extremamente e a pele
lipídica acneica que é altamente inflamável devido a hiperatividade das glândulas
sebáceas sendo diferenciada pela predominância de suas lesões e por último pele
mista que é apresentada pela oleosidade nos óstios visíveis na região do nariz, testa
mento (zona T) e nas laterais da face apresenta características eudérmicas ou
alípicas.

2.1 Técnicas e preparo da pele.

Toda pele precisa ser preparada, para um tratamento facial é necessário limpeza e
técnicas que baseiam-se no biotipo que possa responder de forma positiva ao
tratamento.

Pode aqui destacar que Velasco (2004) mostra sobre a importância da higenização
onde são aplicados o demaquilante nas área dos olhos e da boca, sabonete ou
loção de limpeza com movimentos circulares em toda a face, pescoço e colo e em
seguida a retirada com o algodão e água filtrada. Por meio de outros procedimentos
é feito o tratamento para o equilibrio da oleosidade excessiva. Como mostra a figura
da primeira etapa:
Figura 2: Higeinização

O processo de esfoliação a pele precisa ser realizado com movimentos circulares


em toda a face, a escolha do esfoliante menos abrasivo pode ajudar na recuperação
dos tecidos e também na remoção das células mortas. A retirada do esfoliante deve
ser feits com algodão embebido em água filtrada. Vemos a esfoliação na figura 3:

Figura 3: Esfoliação

A tonificação é feita para auxiliar no equilíbrio do PH cutâneo, com loções


adstrigentes, calmantes, nutritivas, antissépticos e hidratante, variando de acordo
com as necessidades de cada tipo de pele. Como mostra a figura 4:

Figura 4: Tonificação
No processo de emoliência utiliza-se creme ou loção, em sua maioria com o
princípio ativo trietanolamina, facilitando as extrações de resíduos como cravos, e
algumas impurezas da pele. É muito comum a utilização de vapor ou máscara
térmica por aproximadamente 15 minutos, que se torna necessária para esta etapa.

Assim o principal objetivo do tratamento está na retirada do excesso de sebo e após


dessa remoçao será preciso aplicar procedimentos que ajudam a equilibrar o PH.
(VALESCO, 2004)

Vale lembrar que, a extração é feita para manter a pele livre de qualquer agente
agressor que impeça o tratamento peeling ou outros, ainda pode-se apresentar a
massagem facial, na qual haverá a renovação das células. Lembrando que mostra
ser uma técnica com resultados benéficos quando são bem aplicadas, funcionando
como a drenagem linfática, aumentando a oxigenação local.

A pele pode apresenta-se ainda um pouco desequilibrada. Temos aqui o processo


feito com máscaras que ajudará na recomposição das vitaminas e sais minerais.

As máscaras são propostas inovadoras para reforçar o tratamento, pois a pele é o


maior orgão humano, assim temos vários tipos de máscara para a estrutura de cada
pele:

 Máscara com efeito tensor: Aplica-se úmida e, ao secar, provoca uma tensão
favorecendo a circulação sanguínea e a nutrição celular.
 Máscara com efeito reafirmante: Aplica-se úmida e, ao secar provoca uma tensão
reafirmando tecidos; Máscara esfoliante: Elimina células mortas e secreções da
pele; Máscara hidratante: Impede a evaporação da água superficial da pele,
criando uma barreira protetora e prevenindo o aparecimento de  rugas e
reafirmando as linhas de expressão facial; Máscara estimulante: Estimula os vasos
capilares e superficiais e favorece a nutrição dos tecidos; Máscara para
clareamento: Absorve o excesso de melanina, eliminando manchas e
sardas. Máscara renovadora: Elimina as células mortas da camada superficial e
ativa e acelera a renovação celular. Cada pessoa tem um tipo de pele diferente
(seca, oleosa ou mista). A reação a certa máscara e o nível de eficácia da mesma
podem variar.

3. ÁCIDOS

Os ácidos são substâncias que possuem Ph inferior ao da pele e são utilizados na


estética para tratar as diversas patologias como a acne, oleosidade, poros dilatados,
manchas, rugas finas, entre outras.

Aqui o ácido no estudo avaliado, é dermatologicamente essencial para o tratamento


de beleza, porém necessita de conhecimentos para tais técnicas.

Para Kede (2003) a escolha do agente ou ácido necessita de um aprofundamento


da lesão apresentada na pele do cliente que vai fazer o tratamento, ou seja, para
que possa escolher um agente e que não produza uma esfoliação
desnecessariamente mais profunda do que a própria alteração a ser tratada, serão
necessários, os principais fatores que apresentam as substâncias, para pele
específica.

Figura 5: Pele

TIPO DE PELE COR DA PELE REAÇÃO À EXPOSIÇÃO SOLAR


I Claro Sempre queima e nunca bronzeia
II Claro Sempre queima e bronzeia pouco
III Claro Queima e bronzeia pouco
IV Moreno-Claro Raramente queima, bronzeia com facilidade
V Moreno Queim muito raramente, bronzeia facilmente
VI Negro Não queima, bronzeia facilmente

Fonte: Fitzpatrick (2008)

Os ácidos são considerados de modalidades químicas, se for usado de forma


inadequada ou por profissional com pouco conhecimento pode causar danos na pele
assim, é muito importante que os ácidos sejam traçados dentro dos parâmetros dos
tipos de concentração e Ph do ácido.
Quanto a função da aplicabilidade do ácido destacam :

 Ácido queratolítico que afinam a pele ( camada córnea);

 Ácido despigmentantes que agem conforme a formação da melanina ou seja,


inibição da tirosinase ( responsável pelo mecanismo de formação da
melanina) ;

 Ácido hidratante que atuam promovendo a manutenção hídrica da pele;


(KEDE, 2004)

Lembrando que que a atuação do ácido está no tratamento da acne que tem
como função diminuir a proliferação bacteriana, fotoenvelhecimento diminuindo
a espessura da epiderme aumentando o processo de fibroblastos, atua também
na despigmentação.

Pode-se aqui destacar alguns ácidos como como mostra a figura 6:

Figura 6: Ácido

TIPO DE ÁCIDO AÇÃO


Glicólico Despigmentante, hidratante e queratotlítico
Retinóico Queratolítico e esfoliante
Mandélico Renovador celular
Glicirrizico Antiinflamatório e antialérgico
Hialurônico Hidratante, regenerador e restaurador dos tecidos
Salicílico Queratolítico e antifúngico
Hidroquinona Despigmentante
Azeláico Antiacneico e despigmentante
Kójico Despigmentante e antirritativo
TCA (tricloracetico) Cáustico e vesicante
Alfa lipóico Antioxidante
Benóico Fungistático e antisséptico
Fítico Despigmentante

Fonte: Fitzpatrick (2008)

A quantidade e percentual do ácido salicílico deve ser escolhido de acordo com o


objetivo final desejado, onde o cliente tem como optar do mais leve até o mais
abrasivo, vale lembrar, que para aplicação do ácido, é necessário que os clientes
passem as informações para o profissional da estética sobre seu perfil externo, bem
como seus hábitos diários, se tem alergia, entre outros casos até mesmo de
doenças. A alimentação torna-se fundamental para atingir o tratamento de forma
eficaz.

3.1 Os tipos de pelling

Podem ser apresentados dentro do contexto do artigo pesquisado que envolve a


fisioterapia dermato-funcional superficial:

“Os Ácido Salicílico 30% - aplicando-se uma ou duas camadas do


produto em uma determinada região. - Ácido glicólico 40 a 50% -
aplicando-se uma camada do produto e deixando agir por 1 a 2
minutos. - Solução de Jessner - aplicando-se uma a duas camadas
do produto. - Resorcina 20 a 30% - aplicando-se uma camada do
produto e deixando agir por 5 a 10 minutos. - Ácido tricloracetico
(ATA) 10 a 25% - aplicando-se uma camada do produto. - Tretinoína
3% a 5% - aplica-se na região desejada e deixar agir por
aproximadamente 3 horas”(GOMES, 2006).

Também para pele mais sensível e que possa atingir um resultado na epiderme
temos:

“Ácido glicólico 40 a 70% - aplicando-se uma camada do produto e


deixando agir por 2 a 20 minutos. - Ácido mandélico 30 a 50% -
aplicando-se uma camada do produto e deixando agir por 2 a 20
minutos. - Solução de jessner - aplicando-se de 4 a 10 camadas. -
Resorcina 40 a 50% - aplicando-se uma camada do produto e
deixando agir por 30 a 60 minutos - Ácido tricloracetico (ATA) - 10 a
30% - aplica-se uma ou duas camadas do produto” (GOMES, 2006).

E por último o médios (derme papilar) peelings que produzem necrose da epiderme
ou de parte ou de toda derme papilar.

“Ácido tricloracetico (ATA) – 35 a 50% - aplica-se 3 a 4 camadas do


produto. - Ácido glicólico 70% - aplicando-se uma camada do produto
e deixando agir por 3 a 30 minutos. - Jessner + ATA 35% - aplica-se
1 a 4 camadas de jessner esperar 3 minutos para avaliar o grau de
frost e aplicar o TCA 1 a 2 camadas. - Ácido glicólico + ATA 35% -
aplicando-se o glicólico ao paciente relatar pinicar, lavar o local com
água corrente, enxugar e em seguida aplicar 1 a 2 camadas do TCA.
- Jessner + ácido glicólico 40 a 70% - aplicando-se 1 a duas
camadas de jessner e por cima alicar o glicólico e esperar eritema”
(GOMES, 2006)

O peeling é realizado com técnicas específicas pois trata de regiões sensíveis, para
facilitar a segurança na aplicação desse peeling deve ser aplicado com o pincel, e
também tendo como processo de segurança um neutralizador adequado com a
solução de bicarbonato de sódio entre 10% lavando em seguida com água corrente
a forma de aplicação pode ser representada na figura 7 abaixo:

1ª etapa : Aplicação do àcido com contonete em região de pálpebras

Figura 7: 1ª etapa

2ª etapa: Aplicação do àcido com pincel em forma de leque na face

Figura 8: 2ª etapa

3ª etapa: Aplicação do àcido com compressas de gaze na face

Figura 9: 3ª etapa
Também é de grande importância o material que deve ser utilizado para a
realização do peeling. Recipiente de vidro para colocar o agente.

 Agente químico com rótulo e validade.

 Solução neutralizante.

 Luvas não estéreis.

 Gases e algodão.

 Aplicadores: pincéis, cotonetes e espátulas.

 Recipiente com água. • Solução de limpeza da pele.

 Creme, gel ou gel/creme pós-peeling, e protetor solar de FPS 30 (GOMES,


2006)

As contra-indicações do peelling são para peles que se encontram machucadas,


com herpes ativa, gravidez e hipersensibilidade ao ácido. Vale lembrar que a
exposição do sol deve ser suspensa para previnir o melasma ( manchas escuras).

Dentro do tema o estudo visa apresentar apenas um tipo de ácido que é o salicílico
Maio (2004) apresenta sobre seu artigo a importância do ácido.

“beta-hidroxiácido, tem ação queratoplástica, em concentrações até


2% e queratolítica, acima de 2% facilitando a penetração tópica de
outros agentes. Tem também ação bacteriostática e fungicida, nas
concentrações 1 a 5%. É usado na descamação epidérmica do
conduto auditivo a 5%. Por suas ações, é usado em inúmeras
formulações dermatológicas, em geral associado a outras
substâncias. Apresenta baixa incidência de complicações.
Isoladamente não tem potência suficiente para atuar como agente de
peeling químico, sendo sempre muito superficial”. (MAIO, 2004)

A indicação - pode ser indicado nas queratoses, em concentração ate 10%, em


verrugas e calosidades em concentrações ate 20%, e na acne em concentrações ate
10%.(MAIO, 2004)

Concentração - vai variar de 1% a 20% em géis, loções alcoolicas e também


pomadas.

Contra- indicação - No estudo de Maio (2004) apresenta a forma de evitar áreas


muito extensas pela possibilidade do salicilismo que é bastante incomum com esta
apresentação líquida.

Aqui apresenta a Hipersensibilidade a qualquer um dos componentes do produto,


em particular ao propilenoglicol

Alterações da pele e tecidos subcutâneos, em geral, no início do tratamento, podem


ocorrer irritações cutâneas localizadas. Reações adversas comuns incluem
sensações de ardor/formigamento, prurido, rubefação, pele seca e descamação.

Tratando a superdosagem, resultados de toxicidade aguda não indicaram qualquer


risco de intoxicação após uma única aplicação tópica de uma superdose (aplicação
em área extensa sob condições favoráveis de absorção) ou mesmo após ingestão
oral inadvertida.

Lembrando que a aplicação é semanal, a pele tem que estar desengordurada e


preparada, não é recomendada a utilização de ventiladores ou abanadores que
poderiam produzir uma evaporação mais rápida do conteúdo líquido, e
conseqüentemente uma menor permeação do ácido, além de liberar no ar “a poeira”,
partícula do ácido depositado na pele, altamente irritantes. O tempo de uso envolve
o desaparecimento do ardor que apresenta um branqueamento e cristalização na
decomposição do ácido na pele, deve ser feita com aplicador, lembrando que o
processo de aplicação deve ser rápido.
Vale ressaltar que a parte da auto-estima também mostra ser um dos fatores
importantes em questão do tratamento da acne de acordo com o levantamento de
pesquisas, pode-se observar que os motivos dos jovens terem baixa estima, envolve
o problemas de pele seja acne, queimaduras entre outros.

Aqui, a intervenção desses problemas vem avançando cada vez mais, pois, hoje as
pessoas tem preocupado muito com a aparência e seu bem estar.

O tratamento com ácidos tem vantagens, pois são produtos com preço
relativamente baixo e com excelentes resultados. Ás vezes, as pessoas acham que
somente o laser (tratamento com custo elevado) irá melhorar determinada condição
cutânea, no entanto, uma série de peelings com ácidos, que possuem um preço
menor, irá atingir o mesmo ou semelhante resultado.

Hoje existem inúmeros ativos no mercado, que realmente atuam no


rejuvenescimento, mas, ele ainda é a substância mais eficaz contra o foto
envelhecimento, além dos seus outros benefícios, como melhorar a textura, poros
dilatados, tratar cravos e espinhas, clarear as manchas e melhorar o viço da pele.
No entanto, eles também apresentam desvantagens, pois não são todos os
pacientes que toleram os ácidos, uma vez que, eles possuem grande potencial de
irritar a pele (fica vermelha, com descamação, coçando, ardência, ressecamento).
Pacientes com alergia ao ácido acetilsalicílico (AAS – aspirina) são contraindicados
a usar o ácido salicílico, indicado para o tratamento da acne, oleosidade.
(CARNEVALE, 2016) Aqui pode-se observar que o tratamento tem resultado:

Figura 10: Tratamento com Ácido


CONCLUSÃO

Percebe-se que o tratamento da pele beneficia pois, não trata somente do


problema, mas também do bem estar e auto estima. O estudo desenvolvido mostrou
que o tratamento de peeling se torna mais seguro e com resultado agradável.

Alguns autores mostram que o ácido tem vantagens pois, possuem componentes
antimicrobianos, ajudam a combater os fungos e as bactérias que estão na pele,
lembrando do controle de acne e da oleosidade excessiva, onde são retirados a
substância de diversos vegetais que é um Beta- Hidroxiácidos com baixa incidência
de reações adversas.

Vale lembrar que o tratamento do peeling químico deve ser feito por um profissional
de saúde de estética e continuado conforme orientações, pelo próprio indivíduo no
decorrer dos dias. Pois, a aplicação de produtos químicos necessitam de etapas
como a parte de aclimatação (preparação) da pele.

Ainda dentro dos conceitos da conclusão do trabalho o cliente deve considerar


todas as recomendações do esteticista, reeducar sua forma alimentar, e ser
consciente que a saúde do mesmo (de forma geral) é de total responsabilidade
pessoal, pois até mesmo a escolha do profissional de estética, deve ser feito com
critérios técnicos e éticos. Na melhoria interna e externa para a sua própria
satisfação.
REFERÊNCIAS

AZULAY, Rubem Davi; AZULAY, David Rubem. Dermatologia. Rio de Janeiro:


Guanabara Koogan, 2006

BORGES, Fábio dos Santos. Dermato-funcional: Modalidade terapêutica nas


Disfunções Estéticas. São Paulo: Editora Phorte, 2006.

GOMES K. R, SANTOS M. G., Cosmetologia descomplicando os princípios ativos, 2ª


edição, São Paulo, Editora Livraria Médica Paulista, 2006.

GAYTON, Arthur. Tratado de fisiologia médica. 11 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006

GUIRRO, R,R,J. Fisioterapia Dermato Funcional – Fundamentos Recursos Patologia


.3º edição. São Paulo Manole 2004

JUNQUEIRA LC, CARNEIRO J. Histologia básica. 8ªed. Rio de Janeiro:Guanabara


Koogan,1995

MAIO, M., Tratado de Medicina Estética, Volume II, São Paulo, Editora Roca, 2004

MOY LS, Murad H, MOY RL. Effects of Glicolic acid on collagen production by
human skin fibroblast. In Press.

OBAGE, Zein E. Restauração e Rejuvenescimento da pele. Rio de Janeiro: Revinter,


2004

PESQUISA ELETRÔNICA:

RUBIN, M . Pelling Químico. Disponível em : Revista Estética 2014


file:///C:/Users/Notebook/Downloads/Terapeutica_por_Acidos_-Peeling_Quimico.pdf
Acesso 2016

SIQUEIRA .C Princípios da Estéticas. Revistas Cidadão out. 2008 Disponível em


http://www.scielo.br/pdf/%0D/abd/v79n1/en_19999.pdf Acesso 2016

Você também pode gostar