Você está na página 1de 9

Texto 2: LAMAS, José M. Ressano Garcia.

Morfologia urbana e o
desenho da cidade. 3 ed. Porto: FCG FCT, 2004. pp. 73-78

Lamas apresenta três dimensões de análises e concepção para o


Desenho Urbano e suas escalas, baseadas nos trabalhos de J. Tricart
e Aldo Rossi:
◉Dimensão Setorial: escala da rua, corresponde ao espaço abrangido
pelo observador em um ponto da cidade;
◉Dimensão Urbana: escala do bairro, correspondendo a quarteirões,
ruas, com características comuns;
◉Dimensão Territorial: escala da cidade, sendo um conjunto de bairros.
Texto 2: LAMAS, José M. Ressano Garcia. Morfologia urbana e o
desenho da cidade. 3 ed. Porto: FCG FCT, 2004. pp. 73-78

ELEMENTOS MORFOLÓGICOS POR DIMENSÃO


Dimensão Territorial: nesta dimensão pode-se compreender a estrutura
da forma através da compreensão dos seus elementos primários, o
macrossistema de arruamentos, distribuição de zonas e suas articulações,
etc.
◉Bairros ou áreas homogêneas – em termos de cidade que características
podem diferenciar ou tornar homogêneas áreas da cidade? densidades,
ocupações, uso do solo, proteções patrimoniais – são todos aspectos
regulados por uma legislação urbana que entende e regula macro áreas;
Texto 2: LAMAS, José M. Ressano Garcia. Morfologia urbana e o
desenho da cidade. 3 ed. Porto: FCG FCT, 2004. pp. 73-78

(Dimensão Territorial)
◉Grandes infraestruturas viárias – malha viária;
◉Grandes zonas verdes;
◉Estruturas físicas da paisagem – Topografias, hidrografia, etc.
Texto 2: LAMAS, José M. Ressano Garcia. Morfologia urbana e o
desenho da cidade. 3 ed. Porto: FCG FCT, 2004. pp. 73-78

ELEMENTOS MORFOLÓGICOS POR DIMENSÃO


Dimensão Urbana: escala do bairro. Pode-se utilizar para analisar
bairros ou partes homogêneas da cidade.
◉Traçados, ruas, logradouros – classificação nos tipos de via,
diferenciação de pavimentação, usos etc;
◉O Traçado e a rua: o traçado é composto pelas ruas, avenidas, via
rápida, etc. Por ser um elemento permanente, não podendo ser
totalmente modificado ao longo das transformações urbanas, é possível
que se identifique na forma da cidade o traçado original. Ele exprime
a formação e crescimento da cidade.
Texto 2: LAMAS, José M. Ressano Garcia. Morfologia urbana e o
desenho da cidade. 3 ed. Porto: FCG FCT, 2004. pp. 73-78

(Dimensão urbana)
◉Quarteirões e lotes;
O lote: Este elemento morfológico é importante condicionador da forma
urbana, uma vez que condiciona a forma do edifício. Além disso, tem
a capacidade de interferir na relação público-privado do espaço e suas
nuances. Na cidade tradicional o limite entre a área pública e a
privada é bem determinado através do parcelamento, já em cidades
modernistas, em que os edifícios não ocupam o solo, ainda que o lote
seja a área exatamente abaixo do edifício, o solo ali é tão público
quanto o espaço ao lado.
Texto 2: LAMAS, José M. Ressano Garcia. Morfologia urbana e o
desenho da cidade. 3 ed. Porto: FCG FCT, 2004. pp. 73-78

(Dimensão urbana)
◉Praças, e similares (largos, adros, etc.);
A praça: A praça é concebida intencionalmente com uma função e
programa específicos, de encontro, permanência, manifestação da vida
urbana, etc., e tem ainda função estruturante no tecido urbano e
arquiteturas significativas. Ela é um elemento morfológico das cidades
ocidentais, e se distingue de outros elementos acidentais e residuais,
que acabaram por serem apropriados, como largos, vazios ou
alargamentos da estrutura urbana.
Texto 2: LAMAS, José M. Ressano Garcia. Morfologia urbana e o
desenho da cidade. 3 ed. Porto: FCG FCT, 2004. pp. 73-78

(Dimensão urbana)
◉Jardins e áreas verdes.
A vegetação: Apesar de não ter o mesmo nível de permanência dos
edifícios, a vegetação em uma cidade pode ter o mesmo tipo de
importância na definição do espaço. Árvores, jardins e canteiros, tem a
capacidade, pela sua ordenação e alinhamento de definir e caracterizar
um espaço, uma rua arborizada altera seu aspecto quando perde-se ou
altera-se sua vegetação. Portanto, tanto edifício quanto vegetação tem o
mesmo nível de importância e devem ser tratados conjuntamente no
Desenho Urbano.
Texto 2: LAMAS, José M. Ressano Garcia. Morfologia urbana e o
desenho da cidade. 3 ed. Porto: FCG FCT, 2004. pp. 73-78
(Dimensão urbana)
◉Monumentos;
O monumento: são os fatos urbanos que persistem no tecido e
resistem às transformações, tornando a sua presença determinante na
imagem da cidade. Podem não ter uma finalidade de uso, mas
adquirem significância social histórica e cultural. Ele caracteriza a área
em que se situa e auxilia na orientação dentro da cidade, tornando-se
polo estruturante da cidade.
Atualmente a noção de monumento deixa de ser empregada apenas a
edifícios e fatos isolados, e muitas vezes abrange conjuntos inteiros,
centros históricos ou cidades.
Texto 2: LAMAS, José M. Ressano Garcia. Morfologia urbana e o
desenho da cidade. 3 ed. Porto: FCG FCT, 2004. pp. 73-78

ELEMENTOS MORFOLÓGICOS POR DIMENSÃO


Dimensão Setorial: escala da rua
◉Fachadas e seus pormenores construtivos e estéticos; Mobiliário
urbano; Pavimentação de calçadas e ruas; Cores e texturas;
◉Letreiros, outdoors, etc.; Vegetações e canteiros; Monumentos isolados;
◉Edifícios e suas relações com o espaço; O traçado do espaço;
◉Tratamento do solo e da sua superfície; E outros, identificáveis, que
organizados entre si definem a forma do espaço.