Você está na página 1de 2

Interpretações sobre o Reino de Deus (Baseado no livro de Teologia do NT – George E.

Ladd)
O Reino como  Desde Agostinho até os reformadores, o conceito predominante era a identidade entre o Reino e a Igreja,
Relacionamento leitura que já não encontra seus defensores nos dias atuais.
 O Reino já foi identificado como a própria religião defendida por Cristo, como Harnack defendeu no livro
“What is Christianity?”. Nesse livro Harnack apresenta o que veio a ser defendido por diversos outros
autores, de que o o Reino de Deus é em última análise uma relação pessoal entre Deus e o cristão, entre o
Reino e a alma do indivíduo.
 Harnack exclui toda e qualquer expectativa futura do Reino, e sobre isso Ladd afirma que “o elemento
apocalíptico óbvio no ensino de Jesus foi apenas o envoltório condicionado pelo tempo que continha o
arcabouço de sua real mensagem religiosa” (LADD, George Eldon, Teologia do Novo Testamento, Hagnos,
2001, pp.56).
O Reino Futuro  Na contramão da visão de Harnack, também já se defendeu que o Reino de Deus era apenas futuro e que a
Apocalíptico expectativa judaica referente à chegada do Reino teria moldado o ensinamento de Cristo.
 Johannes Weiss, em 1892, escreveu o livro Jesus ‘Proclamation of the Kingdom of God’ no qual apresentou
sua crítica à visão liberal conhecida, de que o reino era algo subjetivo, interior, espiritual ou ético, e defendeu
que o Reino de Deus teriam um lugar espaço-temporal encravado na escatologia, definido como um momento
apocalíptico devastador.
Escatologia  A Escatologia Consistente, defende a visão de Cristo sobre o Reino de Deus como uma visão de um reino a
Consistente ser instaurado em um futuro imediato. Ou seja, nessa visão o Reino não é essencialmente nem ético nem
futuro distante a ser realizado, mas iminentemente futuro. Albert Schweitzer defendeu que essa era a visão
do que chamou de Cristo Histórico, definido por como “um desiludido mestre apocalíptico do primeiro
século” (LADD, George Eldon, Teologia do Novo Testamento, Hagnos, 2001, pp.56).
Escatologia  Em um ponto de vista mais específico, nessa visão, o Reino é realizado completamente na pessoa em missão
Realizada de Cristo. O proponente mais conhecido dessa visão é C.H. Dodd que defendeu que o Reino irrompeu na
história na missão de Cristo, desconsiderando qualquer aspecto futuro do mesmo. Em suas palavras, ele
defende que “aos expectadores é prometido que eles verão que o Reino de Deus já veio, e em algum
momento posterior eles se tornaram conscientes disso” (DODD, C.H. Parables of the Kingdom. SCM Press
Ltd., 1935), pp.37). Em outra obra, Dodd é ainda mais claro:
“O Reino de Deus não é algo que ainda está por vir. Ele veio com Jesus Cristo, e sua chegada foi considerada eterna
em sua qualidade. (…) O futuro, que nada pode trazer consigo que ultrapasse essa revelação do Reino de Deus, não
é nossa preocupação, nem está nossa preocupação no futuro que devemos buscar a perfeição que a ordem temporal
não é capaz, mas naquela ordem do mundo no qual o sentido último da história reside”. (DODD, C.H., The
Kingdom of God and History, Willett, Clarck, 1938, pp.37-38)

Escatologia em  Defendida por J.Jeremias, nessa interpretação, tanto a visão futura quanto presente são consideradas, de
processo de modo que são identificadas como complementares. Nesse sentido o reino de Deus não é o melhoramento
Realização progressivo da humanidade, na qual a igreja transforma a terra no céu, nem mesmo o reinado interior de
Deus na alma, no coração do cristão, mas é uma realidade presente a ser completa no futuro, ou como já se
defendeu: “Já mas ainda não”.
Reino segundo o  O Reino de Deus é sua realeza de Rei, seu governo, sua autoridade. Uma vez reconhecido isso, encontramos
Ladd em seu passagem após passagem do Novo Testamento que deixam evidente esse sentido, passagens em que o Reino
livro “O não é uma região, um domínio nem um povo, mas o reinado de Deus. Jesus disse que devemos “receber o
evangelho do reino de Deus” como uma criança (Mc 10.15). O que é recebido? A igreja? O céu? O governo de Deus é
Reino de Deus” recebido. A pessoa, a fim de entrar no futuro domínio do Reino, tem de se entregar, aqui e agora, em total
confiança ao governo de Deus.

Atos- Doutrinas O Reino de Deus presente e futuro:


e práticas cristãs  O Reino de Deus se trata de uma realidade presente e futura. Está presente, mas se manifestará de forma
– Cemaderon- plena apenas no final dos tempos.
lição 3; O reino Embora seja uma realidade presente no mundo hoje (Mc 1.15; Lc 17.20,21; 18.16,17; Hb 12.28), o governo de Deus
de Deus não predominam de maneira plena em todos e em tudo.
https://marceloberti.wordpress.com/2011/05/20/jesus-e-o-reino-de-deus/

Você também pode gostar