Você está na página 1de 6

 Titulo

Solubilidade do Nitrato de Potássio (KNO3)

 Objetivo

Montar a curva de solubilidade para o nitrato de potássio (KNO3)

 Introdução

Solução

Em química, defenise soluções como misturas homogêneas de


duas ou mais substanâncias. Geralmente, a substância presente em maior
quantidade recebe o nome de solvente, e a de menor quantidade se chama
de soluto.

Solubilidade

Solubilidade pode ser conceituada como a capacidade de uma


substância de se dissolver em outra. Esta capacidade, no que diz respeito à
dissolução de um sólido em um líquido é limitada, ou seja, existe um máximo
de soluto que podemos dissolver em certa quantidade de um solvente. Isto é
solubilidade.
A temperatura interfere na capacidade de dissolução de um solvente
com relação a um certo soluto, desta forma a cada temperatura teremos um
determinado valor para a solubilidade.
De acordo com a capacidade de solubilidade as soluções podem ser
classificadas como:

I. Insaturada = é a solução que contém quantidade de soluto inferior à


capacidade máxima de dissolução do solvente, sendo, portanto, capaz
de dissolver nova adição de solvente.
II. Saturada = é aquela que não é capaz de dissolver nova adição de
soluto, na prática é reconhecida pela presença de corpo de fundo
(resíduo sólido no fundo do recipiente)
III. Supersaturada = é uma solução instável, que contém dissolvida em
quantidade de soluto superior à necessária para a saturação.

Coeficiente de solubilidade

É a quantidade máxima que uma substância pode dissolver-se num


líquido. Pode-se expressar em mols por litro, em gramas por litro, ou em
porcentagem de soluto/solvente. Geralmente representado por Xg/100g de
H2O.
Curva de solubilidade de um sal

São gráficos que apresentam a variação dos coeficientes de


solubilidade das substâncias  em função da temperatura.
Na Figura 1 apresenta-se um exemplo de curva de solubilidade.
Qualquer ponto na região 1 indica uma solução insaturada. Na região 3
têm-se soluções supersaturadas enquanto que qualquer ponto que esteja
sobre a curva representa soluções saturadas.

Cabe ressaltar que cada composto apresenta uma solubilidade


diferente, desta forma, podem apresentar gráficos de solubilidade diferentes. A
Figura 2 apresenta as curvas de solubilidade para alguns compostos.
Nitrato de Potássio (KNO3)

O composto químico nitrato de potássio ou, erroneamente, embora


comercialmente usado, nitrato potássico é um nitrato cuja fórmula é KNO3.
Atualmente, a maioria do nitrato de potássio vem dos vastos depósitos
de nitrato de sódio existentes nos desertos chilenos. O nitrato de sódio é
purificado e posteriormente colocado para reagir com uma solução de cloreto
de potássio, na qual o nitrato de potássio obtido, menos solúvel, cristaliza.

 Parte Experimental

¬ Materiais

Bastão de vidro Pinça


Béquer 250 mL e 50 mL Pipeta volumentrica ou draduada
Bico de bunsen Termômetro
Espátula Tripe e tela de amianto
Estante para tubos de ensaio Tubos de ensaio 20 mL

¬ Reagentes e soluções

Água (H2O) Banho de gelo (H2O)


Água destilida (H2O) Nitrato de Potássio (KNO3)

¬ Procedimento

1. Motou-se o sistema de aquecimento com a tela de amianto sobre o tripe


de ferro.
2. Colocou-se o bico de bunsen so o tripé de ferro.
3. Na balança analitica mediu-se a quantidade de nitrato de potássio
(KNO3) de 2g. Atenção cada bancada recebeu um valor diferente.
4. Com o auxilio da espatula transferiu-se, cuidadosamente, para o tuvo de
ensaio a medida do sal (KNO3).
5. Transferiu-se para o tubo de ensaio com a ajuda da pipeta, exatamente
10 mL de água destilada.
6. No béquer, colocou-se cerca de 100 mL de água (não destilida) e
aqueceu-se sobre a tela de amianto.
7. Segurou-se o tubo com a pinça de madeira, colocou-se dentro do
béquer para um banho quente.
8. Com o bastão de vidro, com muito cuidado, agitou-se levemente a
solução dentro do tubo até a completa dissolução do sal.
9. Retirou-se o tubo do béquer e colocou-se o termômetro dentro dele (no
lugar do bastão de vidro).
10. Levou-se o sitema para um banho gelado e, agitou-se. Determinou-se a
temperatura em que o soluto começou a recristalizar-se. No momento
pode ser visto a formação de pequenos cristais do sal que estava
dissolvido.
11. Anotou-se e repitiu-se o processo para obter-se um valor médio dessa
temperatura. Repitiu-se o processo até que de encontrou-se valores
próximos.
12. Colocou-se o resultado na tabela montada no quadro-negro.
13. Anotou-se os valores dos resultados da outras equipes.
14. Construiu-se, com todos os dados, uma curva de solubilidade ( Xg de
KNO3 versus Temperatura °C).

 Resultado e Discursão

¬ Procedimento (11)

Não se obteve a temperatura em que houve a formação de cristais de


(KNO3), por não conseguir fazer com que o sal (KNO3) se recristaliza-se.
Portanto considera-se o valor obtido pela outra equipe que utilizou-se da
mesma massa do sal que tiverão como resultado de 2 °C.

¬ Procedimento (13)

Solubilidade do nitrato de potássio (KNO3)


( Xg de KNO3 versus Temperatura °C).

Bancada Massa de (KNO3) em g Temeratura em °C


1 2 2
2 3 30,5
3 4 54
4 5 40,5
5 6 Ñ
6 7 61,5
7 8 55,5
8 9 59
9 10 59
10 12 61
11 2 Ñ
12 3 30,5

Observações:

-- Na bancada 5, não se teve resultado pela falta de equipe, para realizar o


experimento.
-- A bancada 11 utilizou-se da mesma massa de (KNO3) da bancada 1, assim
como a bancada 12 utilizou-se da mesma massa de (KNO3) da bancada 2.
¬ Procedimento (14)

Curva de Solubilidade do Nitrato de Potássio

14

12

10
Xg/10g de água

0
2 30,5 54 40,5 Ñ 61,5 55,5 59 59 61
Temp. °C

 Conclusão

Não se obteve resultados da temperatura de cristalização do (KNO3)


nas bancadas 11 e 5, por motivos ja mencionados anteriormente. Porém deu
para concluir que a temperatura que o sal (KNO3) se recristaliza é a mesma
temperatura que o sal se dilui por completo, no solvente.

 Questões

¬ Denomina-se dissolução endotérmica aquela em que quanto maior a


temperatura, maior o coeficiente de solubilidade do solvente (temperatura e
solubilidade são diretamente proporcionais).

¬ Dissolução exotérmica, que é o inverso da endotérmica, quanto menor a


temperatura, maior o coeficiente de solubilidade do solvente (temperatura e
solubilidade são inversamente proporcionais).

¬ É do tipo endotérmica, pois quanto mair a temperatura, maior é a solubilidade


ou coeficiente de solubilidade do nitrato de potássio, como mostra o grafico
acima.
¬ Solução insaturada, pois a solução fica situada abaixo da curva de
solubilidade do (KNO3), onde é considerado a região das soluções insaturadas,
conhecidas como as soluções estávaies.

 Referência Bibliografica

ANTUNES, Patricia. Solubilidade de sais inorgânicos. 11 de maio de 2010.

Wikipédia, a enciclopédia livre. Disponivel em:< http://pt.wikipedia.org/wiki/P


%C3%A1gina_principal >. Acesso em: 14 de Maio de 2010.