Você está na página 1de 4

Desenvolvimento Humano Através do Esporte

O esporte possui um grande potencial de socializar indivíduos das


mais diferentes classes, religiões, gêneros, entre tantas outras diferenças
presentes na nossa sociedade. Através de uma partida de futebol na rua,
de um jogo de vôlei na escola, um jogo de basquete na praça, pessoas se
relacionam, fortalecem amizades, criam vínculos mesmo sem nunca terem
se visto. A importância da prática esportiva em nossa sociedade vai além
dos benefícios na saúde física do indivíduo. “É possível perceber-se o
desenvolvimento das relações socioafetivas, a comunicabilidade, a
sociabilidade, ajustando socialmente esse homem ao meio que vive”
(BURITI, 2001, p.49).
A sociabilidade, ou seja, a troca de vivências, enriquece nossa vida,
nos faz enxergar para além de nós mesmos. Ajudar um companheiro,
desafiarmos nossos limites, superar obstáculos são alguns dos
acontecimentos vivenciados durante a prática esportiva. Mas,
infelizmente, em muitos centros urbanos estas vivências estão cada vez
mais raras, por diversos fatores: violência, falta de espaços adequados,
trabalho infantil ou na adolescência, como também a presença do mundo
virtual na sociedade de hoje, que afasta as crianças de atividades
esportivas para deixá-las horas em frente ao computador em jogos, redes
sociais e sites de relacionamento.
O esporte pode intervir na realidade da sociedade, é uma paixão de
muitos e principalmente de crianças e adolescentes, promove diversos
benefícios para o corpo, mas também pode contribuir para o bem estar
psicológico, autonomia, e empoderamento, sua capacidade de
desenvolvimento humano é enorme e quando o juntamos com os 4
pilares da educação, criamos uma ferramenta fundamental para a
educação.

Os Quatro Pilares da Educação


Os 4 pilares da educação, propostos no século XXI, são mais atuais
do que nunca. Aprender a conhecer, fazer, conviver e ser. Eis o segredo
para um modelo educacional bem sucedido que incorpora o Paradigma do
Desenvolvimento Humano.
A palavra aprendizagem é o ponto chave destes pilares, mas ela
contempla diversas dimensões nas quais o ser humano pode ser
“trabalhado”. Em outras palavras, a aprendizagem se dá de forma
contínua e multifacetada, não se limitando somente a aquisição de
conhecimentos, mas aprender a conhecer, a fazer, a conviver e a ser.
Aprender a conhecer faz menção a busca pelo conhecimento, o que nos
faz querer aprender. Aprender a fazer nos fala da prática, das
habilidades. Aprender a conviver ressalta o respeito ao próximo, o
pluralismo de ideias, a cooperação. Aprender a ser menciona a
compreensão de si mesmo, a introspecção.

Aprender a conhecer
É quando tornamos prazeroso o ato de compreender, descobrir ou
construir o conhecimento. É o interesse nas informações, libertação da
ignorância. Com a velocidade em que o conhecimento humano se
multiplica, muitas vezes deixamos de lado essa necessidade de nos
aprimorar, se desinteressando pelo outro, pelo novo. Sendo assim, o
aprender a conhecer exercita a atenção, a memória e o pensamento.

Aprender a fazer
É ir além do conhecimento teórico e entrar no setor prático.
Aprender a fazer faz com que o ser humano passe a saber lidar com
situações de emprego, trabalho em equipe, desenvolvimento
coorporativo e valores necessários para cada trabalho. Esse pilar é
essencial, á que vivemos em sociedades assalariadas e que,
frequentemente, o trabalho humano é trocado pelas máquinas, o que
exige uma realização de tarefas mais intelectuais e mentais.

Aprender Conviver
Essencial à vida humana, e que, muitas vezes, se torna um
empecilho para a convivência em uma sociedade interativa. É preciso
então, aprender a compreender o próximo, desenvolver uma percepção,
estar pronto para gerenciar crises e participar de projetos comuns. É
necessário deixar a manifestação da oposição de forma violenta de lado e
progredir a humanidade. Descobrir que o outro é diferente e saber
encarar essas diversidades, faz parte da elevação educacional de cada um.
Ir, além disso, e lidar com objetivos comuns no qual todos passaram a
fazer parte de uma mesma ação, e poder conduzir este trabalho aceitando
as diferenças individuais, é o que melhora a vida social.

Aprender a ser
Desenvolver o pensamento crítico, autônomo, incitar a
criatividade e elevar o  crescimento de conhecimentos, além de ter em
mente um sentido ético e estético perante a sociedade. Isto é aprender a
ser. Não podemos negligenciar o potencial de cada indivíduo, é preciso
contribuir para o seu total desenvolvimento, adquirindo ferramentas que
formulam os juízos e valores do ser autônomo, intelectualmente. A
diversidade de personalidades é o que gera a inovação dentro da
sociedade.

Com isso é possível realizar aulas práticas na educação física não


pensando somente no desenvolvimento técnico do esporte que se aplica,
mas também no desenvolvimento humano dos educandos.

Você também pode gostar