Você está na página 1de 14

1 2

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA


unesp CAMPUS DE GUARATINGUETÁ
Introdução
Interfacemanto e A famí
família de controladores programá
programáveis S7-
S7-200 foi desenvolvida
para o controle de uma ampla gama de aplicaç
aplicações de controle e
Controle Eletro-Eletrônico automaç
automação. Há
Há varias opç
opções de programaç
programação e a possibilidade de
escolha dos equipamentos e da linguagem de programaç
programação.
O software da Siemens S7-
S7-200 for Windows pode ser instalado em
qualquer PC IBM ou compatí
compatível com, no mí
mínimo, um processador
CLP SIEMENS Intel 386/33MHz, 8 MB RAM, display VGA color,
color, HD com espaç
espaço
livre de 35 MB e Windows 95 ou superior. A comunicaç
comunicação do
S7-200 software da Siemens com a CPU S7-S7-200 é feita atravé
através da porta do
programador na parte inferior da CPU. Pode-
Pode-se usar um cabo
Prof. Agnelo Marotta Cassula PC/PPI para conectar o programador nas comunicaç
comunicações on line.
line. O
computador necessita de uma porta serial RS-RS-232C de 09 pinos
para fazer a comunicaç
comunicação. Caso o micro tenha uma porta serial DB-
DB-
Material baseado na apostila:
apostila: “Curso de Controladores Ló
Lógicos 25 será
será necessá
necessário um adaptador para DB-
DB-09.
Programá
Programáveis”
veis” da UERJ - LEE, do Prof. Bernardo Severo da Silva Filho

3 4

Características Técnicas Ligação CLP - Micro


Dimensões: 197 x 80 x 62 mm
NOTA : Existe um cabo de comunicaç
comunicação especial da SIMENS que é
Fonte: 24 Volts ( Faixa de Tensão: 20,4 à 28,8 Vcc )
utilizado para conectar mais de um CLP em um computador.
Corrente Típica de Alimentação: 60 mA ( Max. 500mA )
Tempo de Resposta: I 0.0 à I 0.3 : 0,2 ms.
I 0.4 à I 1.5 : 1,2 ms.
I 0.6 à I 1.5 (usando HSC1 e HSC2 ):30 ms
Saídas: 10 Portas Corrente Máxima por Saída : 400 mA
Memória: 2 K Words / RAM autonomia 190 Hs
2 K Words / EEPROM (memória extra)
5 6

SIMATIC S7-200 Entradas e Saídas


• Entrada
I x.x - Designa uma entrada. É um elemento usado para monitorar uma ação
ou um evento, como um interruptor, pressostato, termostato, etc.
A CPU 222 possui 8 entradas digitais reais.
São elas: I 0.0, I 0.1, I 0.2, I 0.3, I 0.4, I 0.5, I 0.6 e I 0.7.

• Saída
Q x.x - Designa uma Saída. É usada para controlar um equipamento como um
motor, uma válvula ou um LED.
A CPU 222 possui 6 saídas digitais reais.
São elas: Q 0.0, Q 0.1, Q 0.2, Q 0.3, Q 0.4 e Q 0.5.

7 8

CLP S7-200 CPU 222 CLP S7-200 CPU 222


9 10

E/S Lógicas e Analógicas Contatos de Memória


Contatos de memó
memória são entidades virtuais que são utilizados
Entradas e saí
saídas ló
lógicas são aquelas que possuem apenas dois apenas para ajudar o desenvolvimento da ló lógica de programaç
programação
resultados, 0 e 1. Sendo o resultado 0 = 0 V e o resultado 1 = 24V.
24V. escalar interna. Usam uma simbologia de entrada e de saí
saída.
Podem ser consideradas como uma “chave liga/desliga”
liga/desliga”.
As Entradas e Saí
Saídas Analó
Analógicas podem variar passo a passo
dentro de seu gradiente de variaç
variação.
Por exemplo: o Laborató
Laboratório possui um mómódulo adicional de 2
entradas + 2 saí
saídas analó
analógicas 220Vca; Então estas entradas e Entrada Saí
Saída
saí
saídas poderão variar suas tensões entre 0Vca e 220Vca
assumindo valores tais como: 40V, 87V 152Vca.
No caso da CPU mod.
mod. 214 , eles são 56 endereç
endereços variando do
endereç
endereço M 0.0 ao endereç
endereço M 7.7.

11 12

Entradas e Saídas Imaginárias Tela de Abertura


Entradas e Saí
Saídas Imaginá
Imaginárias são aquelas que só só podem ser Depois de clicar no ícone correspondente, aparecerá
aparecerá no micro a tela
usadas dentro do programa. Portanto, somente podem ser utilizadas
utilizadas de abertura. A partir deste ponto é possí
possível efetuar novos projetos,
para contatos internos do programa, a não ser que se instale um abrir projetos, alterar as configuraç
configurações etc.
módulo adicional e, então, estas entradas e/ou saí
saídas (depende do
modulo) deixarão de ser imaginá
imaginárias e se transformarão em reais.
No caso da CPU mod.
mod. 214, são elas:
Entradas: I 1.6 à I 7.7
Saí
Saídas: Q 1.2 à Q 7.7
Nota: Os nú
números que vem depois desses designadores identificam
a entrada ou a saísaída especí
específica que está
está sendo conectada ou
controlada. Esses nú
números vão de 0 a 7. Um grupo de oito pontos é
chamado um Byte. As Entradas e Saí Saídas (I e Q), tem sua área de
memó
memória especí
específica, assim uma entrada e uma saí saída podem ter o
mesmo núnúmero de endereç
endereço, I 0.0 e Q 0.0.
Por exemplo, se você deseja conectar um interruptor “liga/desliga”
liga/desliga” à
terceira entrada é preciso ligá
ligá-lo à entrada I 0.2.
13 14

Menus Visão Geral dos Menus


Como em outros programas para Windows, os menus são alterados Na barra de comandos temos os menus: File, Edit,
Edit, View,
View, PLC,
dependendo da tarefa a ser executada. A tela inicial possui uma Debug, Tools,
Tools, Windows e Help.
Help.
barra de comandos e ferramentas com os comandos caracterí
característicos
do Windows como: Novo arquivo, Abrir arquivo, Salvar, Imprimir,
Recortar, Copiar e Colar. Nesta barra també
também existem outros ícones
especí
específicos que são os seguintes:

Compile - Compilar o programa

Upload - Ler o programa do CLP

Download - Carregar o programa no CLP

Run - Executar o programa

Stop - Parar a execuç


execução do programa

15 16

Menus File e Edit Menus File e Edit


Em File e Edit estão comandos similares ao do Windows. Os
comandos bábásicos são: New, Open, Close, Save,
Save, Save as, Import,
Import,
Export,
Export, Page setup,
setup, Print preview,
preview, Print,
Print, Exit,
Exit, Cut, Copy,
Copy, Paste,
Find,
Find, Replace,
Replace, Insert e Delete.
Delete.
Nestes menus també
também existem alguns comandos especí
específicos como
o Download e o Upload,
Upload, que são para carregar e baixar programas
do CLP.
Para inserir o tí
título do programa, basta nomear a primeira linha,
onde está
está escrito: NETWORK TITLE (single
(single line).
line).
També
Também é possí
possível inserir e apagar uma linha de programaç
programação
(Network).
Network). Para isso utilize os comandos (no Toolbar):
Toolbar):

Inserir linha de programaç


programação

Apagar linha de programaç


programação
17 18

Menu View Menu PLC


Neste menu estão as configuraç
configurações de
visualizaç
visualização das telas, ou seja, sele-
sele- Neste menu estão alguns
cionar o que se deseja que apareç
apareça na comandos do Toolbar que já já
área de programaç
programação. foram abordados e mais alguns,
que são: Clear,
Clear, Power-
Power-Up Reset,
Reset,
Nesta tela é possí
possível selecionar o tipo Information,
Information, Program Memory
de programaç
programação que se deseja utilizar. Cartridge e outros. O Clear é
Pode-
Pode-se escolher entre a linguagem para se apagar a memó
memória e os
Ladder;
Ladder; a STL,
STL, que é uma linguagem outros comandos são para
escrita; e a FBD, que é uma programa-
programa- configurar e visualizar alguns
ção feita por blocos ló lógicos. Neste parâmetros do CLP.
curso será
será adotada como linguagem
padrão a Ladder,
Ladder, que é utilizada por
todos os fabricantes de CLPs.
CLPs. AléAlém
disso, é uma linguagem grágráfica, que é
mais amigá
amigável e mais fá fácil. As
linguagens de programaç
programação são
intercambiá
intercambiáveis.

19 20

Menu Debug Menus Tools, Windows e Help


Em Debug estão alguns comandos
muito importantes e muito utilizados. O
Single Scans permite que o programa
faç
faça uma única varredura (scan
(scan)) para
monitorar o programa e verificar as
mudanç
mudanças nas variá
variáveis. O Multiple
Scans permite executar um núnúmero fixo Estes menus são semelhantes a outros programas para
de varreduras no programa. O Program Windows. Um destaque é dado para o menu Help (Ajuda), que
Status permite supervisionar o estado oferece 3 caminhos diferentes para se obter o auxíauxílio. O primeiro
das entradas e saí
saídas do CLP pela tela Contents and Index apresenta todo o conteú conteúdo por ordem
do micro. Com este comando ativado o alfabé
alfabética. No segundo What´ This?, ao ser clicado aparece ao
What´s This?
operador pode monitorar todo o lado do cursor o sí
símbolo de interrogaç
interrogação (?), e ao se clicar sobre
andamento do processo. uma instruç
instrução abre-
abre-se uma outra tela com a explicaç
explicação desta
instruç
instrução. O terceiro S7-
S7-200 on the Web apresenta alguns sites
na Web onde se encontram algumas caracterí características do CLP,
como catá
catálogo, suporte, dicas e outras informaç
informações.
21 22

Rede de Lógica Escalar Tela de Programação


A figura abaixo mostra que a Rede da Ló Lógica Escalar é uma fileira
de elementos conectados que formam um circuito completo entre o
trilho de forç
força à esquerda e o elemento de saí
saída à direita.

I 0.0 I 1.1 Q 1.0

Linha
Quente Q 1.0
Saída

Contato

Nota: Observar que a energia flui da esquerda para direita.

23 24

Tela de Programação Tela de Programação


25 26

Exemplo Exemplo
Nota: Observe que o cursor está parado na primeira coluna da 1o Passo: Inserir um contato normal aberto I0.0.
I0.0.
primeira Network (Network 1); para movimentá-lo use as setas Coloque o cursor na Network 1 e selecione o contato normal aberto
←↑→↓,
←↑→↓ ou o mouse. na barra de ferramentas. Para inserir o contato tecle ENTER ou dê

um clique duplo. Acima do contato aparecerá
aparecerá um espaç
espaço para o
endereç
endereçamento do contato.

2o Passo: Digite o endereç


endereço do contato, I0.0,
I0.0, e tecle ENTER.

27 28

Exemplo Exemplo
3o Passo: Vamos inserir agora o contato normal fechado I0.1.
I0.1. 4o Passo: Vamos agora inserir uma saí
saída Q0.1.
Q0.1.
Coloque o cursor à direita do contato normal aberto anterior e Coloque o cursor à direita do contato normal fechado. Selecione a
selecione o contato normal fechado na barra de ferramentas. Para saí
saída na barra de ferramentas e tecle ENTER ou dê um clique
inserir o contato tecle ENTER ou dê um clique duplo. Acima do duplo. Acima da saí
saída aparecerá
aparecerá um espaç
espaço para o endereç
endereçamento
contato aparecerá
aparecerá um espaç
espaço para o endereç
endereçamento do contato. da mesma.
Desta vez digite o endereç
endereço I0.1 e tecle ENTER.
29 30

Exemplo Exemplo
5o Passo: Inserir o contato normal aberto Q0.0 em paralelo. 6o Passo: “Fechar”
Fechar” o paralelo entre os contatos
Este contato é conhecido industrialmente como contato de selo. Posicione o cursor sobre o contato de selo Q0.0, e clique no
Para isto posicione o cursor logo abaixo Network 1, e antes da comando “Line Up”
Up”, como na figura abaixo.
Network 2. Selecione contato normal fechado na barra de
ferramentas e tecle ENTER ou dê um clique duplo e, por fim,
nomeie este contato: Q0.0.
Q0.0. Cuidado porque para inserir esta linha
vertical, o cursor deve estar posicionado corretamente, como no
exemplo abaixo. Obs: Número máximo
de contatos em série e
paralelo: 7.

31 32

Blocos de Saídas Específicas Help do comando: Timers - TON


The On-Delay Timer (TON) instruction counts time when the enabling input
Existe uma quantidade grande de blocos e saí
saídas especí
específicas. Para is ON. When the current value (Txxx) is greater than or equal to the preset
visualizá time (PT), the timer bit is ON.The On-Delay timer current value is cleared
visualizá-las, basta selecionar o bloco na barra de ferramentas e, when the enabling input is OFF.This timer continues counting after the
então clicar no comando desejado. Preset is reached, and it stops counting at the maximum value of
32767.TON, TONR, and TOF timers are available in three resolutions. The
resolution is determined by the timer number as shown in the chart below.
Para saber a funç
função de cada Box indicado acima, basta consultar o Each count of the current value is a multiple of the time base. For example, a
count of 50 on a 10-ms timer represents 500 ms.Timer
Help,
Help, atravé
através do menu principal ou clicando o botão direito do Type Resolution Maximum Value Timer Number
mouse sobre o comando desejado. TONR 1 ms 32.767 s T0, T64
10 ms 327.67 s T1-T4, T65-T68
100 ms 3276.7 s T5-T31, T69-T95
TON, TOF 1 ms 32.767 s T32, T96
10 ms 327.67 s T33-T36, T97-T100
100 ms 3276.7 s T37-T63, T101-T255
Note: You cannot share the same timer numbers for TOF and TON. For
example, you cannot have both a TON T32 and a TOF T32.
Understanding the S7-200 Timer Instructions
You can use timers to implement time-based counting functions. The S7-200
instruction set provides three different types of timers.
- On-Delay Timer (TON) for timing a single interval
- Retentive On-Delay Timer (TONR) for accumulating a number of timed
intervals
- Off-Delay Timer (TOF) for extending time past a false condition (in other
words, such as cooling a motor after it is turned off)
33 34

Saída SET e RESET Saída SET e RESET


A saí
saída SET nos permite acionar vá
várias saí
saídas simultaneamente.
Procedimento:
1o – Na Network 2 insira um contato normal aberto I0.1.
I0.1. Nota: As saí
saídas continuarão em
2o – Posicione o cursor no fim da Network 2. Selecione uma saí
saída ON mesmo que a chave I0.1
SET -(S) no bloco “Bit Logic”
Logic”. seja desligada.

Aparecerá
Aparecerá um campo em cima e outro embaixo da saísaída SET.
SET. No
campo de cima indique o nú
número da saí
saída, e no debaixo selecio-
selecio-
nam-
nam-se as saí
saídas a serem acionadas.
Pode-
Pode-se selecionar qualquer nú
número de saí
saídas a serem acionadas.
No exemplo a seguir, escolheu-
escolheu-se K=3, a partir da saí
saída Q0.0.
Q0.0. Para voltar as saí
saídas setadas pelo comando SET para OFF, será
será
Então, ao se acionar a chave I0.1, I0.1, serão instantaneamente necessá
necessário fazer uma outra Network usando o comando RESET.
acionadas as saí
saídas Q0.0,
Q0.0, Q0.1 e Q0.2.
Q0.2.
Constró
Constrói-se a Network 3, repetindo os passos anteriores, sendo que
no 1o passo, o endereç
endereço do contato aberto é I0.2. invés de SET,
I0.2. Ao invé
usaremos o RESET com K=3 a partir da saísaída Q0.0.
Q0.0.

35 36

C T U - Contador Crescente CTU - Contador Crescente


Para selecioná
selecioná-lo clique no Bloco “Counters”
Counters” e depois em cima do Por exemplo, o contador será
será iniciado depois que a saí
saída Q0.0 for
“CTU”
CTU”. ativada. Ao se acionar 5 vezes a chave Q0.0, saída C23 do
Q0.0, a saí
contador será
será ativada que, pela lólógica de programa, acionará
acionará a
O contador CTU é composto de uma entrada "CU", um reset "R" e a saí
saída Q0.4 na Network 5.
constante a ser escolhida "PV". Esta constante define o nú
número de
vez que ele deverá
deverá contar para acionar a saí
saída CXX. Depois de acionado o núnúmero indicado
CXX
em PV, neste caso igual a 5, o contador
é zerado (resetado ). Entretanto, o reset
(resetado).
(que zera o contador) pode ser
acionado a qualquer instante atravé
através da
entrada R, neste caso acionando a
Constante entrada I1.1.

A cada alteraç
alteração de valor da entrada “CU”
CU” (0 e 1) o contador
contará
contará uma vez.
37 38
CTUD - Contador Crescente e
Decrescente Temporizadores
Para selecioná
selecioná-lo clique no Bloco “Counters”
Counters” e depois em cima do Para selecioná
selecioná-lo clique no Bloco “Timers”
Timers”. Os temporizadores são
“CTUD”
CTUD” - Count Up/Up/Down.
Down. Este contador é composto de uma compostos de uma entrada “IN”
IN”, uma entrada igual a constante “PT”
PT”
entrada "CU", uma entrada "CD," um reset "R" e a constante a ser e uma saí
saída “TXX”
TXX”. A constante “PT”
PT” deverá
deverá ser “K=xxxx”
K=xxxx”.
escolhida "PV".
CXX

T33 Endereç
Endereço

Entrada
Contagem
Constante K100
Constante

OBS: A capacidade dos contadores vai de -32767 à 32767 eventos.

39 40

Temporizadores TON - Temporizador sem Paradas


Para os temporizadores deve-
deve-se respeitar as seguintes condiç
condições: Para selecioná
selecioná-lo clique no Bloco “Timers”
Timers” e depois em cima do
“TON - Timer-
Timer-On Delay”
Delay”.
Tipo Constante de tempo Tempo max. Endereços
TONR T0 e T64 Quando sua entrada "IN" é acionada, o contador conta atéaté atingir o
1 ms 32,76 s
TON T32 e T96 tempo selecionado, onde então aciona a saísaída T33.
T33. Toda vez que a
TONR T1 à T4 e T65 à T68 entrada for acionada o contador iniciará
10 ms 327,67 s iniciará a contagem novamente.
TON T33 à T36 e T97 à T100
TONR T5 à T31 e T69 à T95
100 ms 3276,7 s
TON T37 à T63 e T101 à T127

Exemplos:
TON ; T33 ; K=100.
Na Tabela verifica-
verifica-se que para o endereç
endereço T33, o temporizador TON
tem constante de tempo igual a 10 ms.
ms. Portanto, se K=100, então:
100 x 10 ms = 1 s.
TONR ; T29 ; K=600 => Tem-
Tem-se: 600 x 100 ms = 60 s.
TONR ; T64 ; K=20.000 => Tem-
Tem-se: 20.000 x 1 ms = 20 s.
41 42

TONR - Temporizador com Paradas Guia de Programação


Para selecioná
selecioná-lo clique no Bloco “Timers”
Timers” e depois em cima do Para se programar em um CLP é importante seguir os seguintes passos:
“TONR - Timer-
Timer-On Retentive Delay”
Delay”.
Quando sua entrada "IN" é acionada, ele contará
contará até
até que a mesma 1° – Rascunhar a programação de contatos inicialmente em papel para
seja desligada e se for religada, o temporizador continuará
continuará a contar ajudar na implementação com o micro.
do mesmo ponto de onde parou. 2° – Nomear o programa, para isto basta na tela de abertura salvá-lo com
um nome apropriado.
3° – Digitar toda a edição e salvá-la também em disquete, para garantir
um backup.
4° – Gravar na memória do CLP o programa desenvolvido no micro.
5° – Simulação em tempo real do programa no CLP com monitoração do
micro.
6° – Efetuar as correções necessárias.

43 44

Implementação do Programa Guia de Implementação


O primeiro passo deve ser o de apagar o programa residente na
memó
memória do CLP. Em seguida, deve-
deve-se compilar o seu programa e • CLEAR
gravá
gravá-lo no CLP.
É utilizado para limpar da memó
memória do CLP o programa residente.
Estas operaç
operações são muito simples e para isso basta no Menu PLC Este comando se encontra no Menu PLC.
PLC.
clicar em Clear.
Clear. Para compilar o programa basta clicar no ícone
Compile e para gravá
gravá-lo no CLP basta clicar na barra de
ferramentas, no ícone DownLoad .
• COMPILE
É utilizado para compilar o programa. Quando se faz a compilaç
compilação o
software faz uma varredura no programa em busca de erros. Este
comando també
também se encontra no Menu CPU.
CPU.
45 46

Guia de Implementação Guia de Implementação


• UPLOAD
É utilizado para deslo-
deslo- • RUN e STOP
car o que está
está na me-
me-
mória do CLP para o Os comandos citados anteriormente só
só funcionam se o CLP estiver
computador. em modo de operaç
operação STOP.
O CLP pode se encontrar em dois estados: parado (STOP), sem
• DOWNLOAD processar o programa residente ou em processamento (RUN),
processando os dados de entradas e saí
saídas.
É utilizado para baixar
o programa que estáestá
no micro para a me-me-
mória do CLP.

 Program Block - Transfere apenas o diagrama de contatos para o CLP.


 Data Block - Transfere apenas dados do programa tais como comentários e títulos.
 System Memory - Transfere apenas variáveis de memória.

47 48

Monitorar o Sistema Modificar o Programa


Com o programa implementado é possí possível Para fazer mudanç
mudanças no programa, basta sair da funç
função Program
monitorar as mudanç
mudanças de estados das Status On,
On, pressionando no Menu Debug novamente o comando
entradas e saí
saídas pelo micro, utilizando o Program Status.
Status.
comando Program Status On, On, que se No programa de demonstraç
demonstração serão feitas as seguintes alteraç
alterações:
encontra no Menu Debug.
Debug.
Na Network 2 renomeou-
renomeou-se o endereç
endereço do contato normal aberto
Deve-
Deve-se certificar que o CLP esta em modo I0.1 para Q1.0, inseriu-se o contato normal fechado de endereç
Q1.0, inseriu- endereço T33
RUN para iniciar o processo. e a saí
saída Q0.0 SET foi trocada por uma saí
saída normal Q0.0. Inseriu-se
Q0.0. Inseriu-
Ao acionar a chave I0.0 tem-
tem-se continuida-
continuida- em paralelo com a saí saída Q0.0, endereço T33,
Q0.0, um temporizador de endereç T33,
de no contato normal aberto I0.0 e, assim preparado para disparar em 5 segundos, como nos mostra a figura a
energizando a saí
saída Q1.0 e fechando seu seguir.
contato de selo Q1.0,
Q1.0, como mostra a figura Na Network 3 a saí
saída de Reset (R) Q0.0 foi renomeada para saí
saída
ao lado. Q0.2, saídas serão resetadas,
Q0.2, e não mais 3 saí resetadas, apenas uma, alterando o
No modo Program Status On é possí
possível campo debaixo da saí
saída.
2
monitorar um programa que esteja sendo
executado na memó
memória do CLP.
49 50

Modificar o Programa Programa Exemplo

51 52

Programa Exemplo Programa Exemplo


O programa anterior é um pequeno circuito temporizado. Esta ló
lógica pode ser utilizada por um operador de uma refinaria,
onde este circuito representa o alarme de uma caldeira. Sendo os
Ao acionar I0.0, saída Q1.0 será
I0.0, saí será acionada, assim será
será energizado o
endereç
endereços abaixo as seguintes descriç
descrições.
seu contato normal aberto na Network 2, energizando a saí
saída Q0.0 e
o temporizador T33.
T33. I 0.0 - Sensor de válvula de pressão
Apó
Após o tempo de 5 seg., o pró
próprio contato T33 do temporizador o I 0.2 - Reset da saída
resetará
resetará, reiniciando do zero, isto é, fazendo o temporizador se
transformar em um oscilador de T = 5 seg. I 1.1 - Sensor de normalização da pressão

Na Network 4 o contador C23 contará


contará os pulsos gerados pelo Q 0.0 - Válvula aliviadora de pressão de emergência
contato normal aberto Q0.0,
Q0.0, quando o mesmo contar 5 pulsos Q 0.2 - Desligamento de emergência
acionará
acionará a saí
saída Q0.2 .
Q 1.0 - Alarme
53

Programa Exemplo
I0.0 - Sensor de válvula de
pressão
I0.2 - Reset da saída
I1.1 - Sensor de normalização
da pressão
Q0.0 - Válvula aliviadora de
pressão de emergência
Q0.2 - Desligamento de
emergência
Q1.0 - Alarme

Quando a váválvula de pressão for acionada são acionados imediatamente o alarme


alarme
e a vá
válvula aliviadora.
aliviadora. Se apó
após 25 seg. o circuito não se normalizar o contador
desliga todo o processo. Observe que a saí saída Q0.2 não será
será desligada com o
acionamento do sensor I1.1 (sensor de normalizaç
normalização). Para se desligar a saí
saída
Q0.2 é necessá
necessário resetá
resetá-la,
la, ou seja, acionar I0.2.
I0.2.